Você está na página 1de 12

EXPERIMENTO #5

INTRODUÇÃO

Objetivos Gerais
Esta prática tem como objetivo a montagem e verificação da funcionalidade de um
oscilador astável e um gerador de onda triangular. Montagem de um gerador de tensão de
rampa e pulsos. Montagem de um circuito usando temporizador. Identificar os conceitos
básicos de operação de um PLL (Phase Lock Loop).

Objetivos Específicos
Após completar estas atividades de laboratório, o aluno deverá estar apto a:
1. Projetar um oscilador de onda quadrada e triangular.
2. Projetar um gerador de pulso e rampa.
3. Projetar um multivibrador astável.
4. Analisar um circuito PLL e gerar sinais modulados em frequência (FM).

Introdução
Controles de potência, fontes chaveadas, conversores DC/DC, AC/DC, amplificadores
de potência e muitos outros circuitos utilizam a tecnologia do PWM como base de seu
funcionamento.
A modulação de largura de pulso (PWM) é uma técnica eficiente para controlar
circuitos analógicos com saídas digitais. PWM é empregado em uma grande variedade de
aplicações: na área da instrumentação, das comunicações, controle e conversão de potência.
Este tipo de modulação mantém a amplitude dos pulsos constantes e varia-se apenas a
sua largura proporcionalmente aos valores aplicados na sua entrada.
O PWM pode ser visto também como uma técnica para conversão digital/analógico
usando apenas um bit, onde é gerada uma forma de onda quadrada onde o tempo em que esta
forma de onda permanece em "1" define o valor médio da saída, podendo ser usado para
controlar a velocidade de um motor ou o brilho de um LED.
Neste experimento será observado a funcionalidade de circuitos geradores de tensão de
onda quadrada, exponencial, triangular, pulso e rampa com declividade positiva e negativa.
Uma aplicação direta da geração da onda triangular pode ser vista, quando aplicada a um
circuito comparador de tensão, na aquisição de um sinal com Modulação por Largura de Pulso
(PWM).
Será estudado neste experimento o PLL (Phase locked loops) que se constitui numa
classe de circuitos muito utilizado em uma grande variedade de aplicações dentro da tecnologia
de radiofreqüência. PLLs podem ser usados como demoduladores FM e sintetizadores de
frequência.
O funcionamento de um PLL baseia-se na idéia de comparar a fase entre dois sinais,
usando-se um comparador de fase. A informação obtida sobre o erro na diferença de fase entre
os dois sinais é usada para controlar a frequência do ciclo. Quando os dois sinais têm
frequências diferentes verifica-se que a diferença de fase entre os dois sinais esta sempre
variando. Neste caso, o modulo VCO constituinte do PLL tenta acompanhar a freqüência do
sinal de entrada baseada na tensão de erro aplicada em sua entrada, oriunda do detector de fase
e filtro passa-baixa.

2
PARTE EXPERIMENTAL

Amplificador Operacional - TL084

Temporizador - 555

C D4046 – Phase Loc k Loop - PLL


Questões Teóricas
3
(1) Explique o princípio de funcionamento do gerador de onda quadrada e triangular
apresentados nas montagens 1 e 2. Determine as expressões para os cálculos da frequência e
da amplitude do sinal gerado a partir do circuito.
(2) Explique o princípio de funcionamento de um modulador PWM.
(3) Apresente um circuito para um demodulador PWM.
(4) Sugira aplicações para cada circuito montado neste experimento.
Sugestão: Sugira aplicações para os circuitos montados neste experimento usando sensores de
temperatura, umidade, força, pressão e luminosidade.

MONTAG ENS EXPERIMENTAIS

Montagem 1 OSCILADOR DE ONDA QUADRADA E


EXPONENCIAL

A figura 1 representa o circuito de um gerador de onda quadrada. Seu funcionamento é


bastante simples, o tempo de comutação é feito através da realimentação negativa, onde o
capacitor carrega-se exponencialmente até atingir a referência positiva V+ = βVo , neste ponto o
capacitor começa a descarregar até atingir a referência negativa V − = − βVo . Veja ilustração a
seguir.
O circuito da figura 1 não tem sinal de excitação na entrada, entretanto o circuito gera
uma onda quadrada na saída. É um circuito comparador com realimentação positiva definindo
duas tensões limiares (threshold) que dependem do valor de V+, que é dada por:
R2
V+ = Vo = β Vo . Suponha que a saída Vo esteja inicialmente no nível VCC (saturação
R1 + R2
positiva). O capacitor C se carrega exponencialmente em direção VCC, mas nunca atinge este
valor, pois ao atingir a tensão de limiar dada por βVo, a diferença (V+ − V− ) fica negativa e
neste momento a saída inverte a tensão para –VCC. Desta maneira o capacitor inverte o sentido
de sua carga. A tensão do capacitor diminui como mostra a figura 2. Quando a tensão no
capacitor atinge o nível -βVCC a saída muda novamente para +VCC. Desta maneira a saída é
uma onda quadrada como mostrada na figura 2.

4
βVCC

Capacitor

−βVCC
+VCC
Saída
-VCC
T Figura 2

O período de oscilação pode ser facilmente encontrado e é dado pela equação:


⎛1+ β ⎞
T = 2RC ln⎜⎜ ⎟⎟ .
⎝1− β ⎠
Monte o circuito da figura 3. Considere Ro=10kΩ, R=10kΩ e C=10nF. Conecte os canais
do osciloscópio na saída e na entrada inversora do Amp-Op. Esboce no seu caderno as formas
de onda observadas. Meça a freqüência e compare com o valor teórico esperado.
Acrescente ao resistor R um potenciômetro RP= 47kΩ, conforme mostrado na figura 4 e
varie o seu valor para obter ondas quadradas com diferentes frequências. Substitua o
potenciômetro por um fotoresistor e observe a variação de freqüência em função da incidência
de luz sobre o mesmo (oscilador de onda quadrada com frequência dependente da luz). A
freqüência do oscilador aumenta ou diminui com o aumento da intensidade luminosa? Observe
experimentalmente e justifique teoricamente.

Figura 3

5
Figura 4

Usando a mesma montagem da figura 3, apenas substituindo os valores do resistor R e


capacitor C, acrescente na saída um resistor e dois diodos para observação da oscilação,
conforme a figura 5 e determine, teoricamente, a nova frequência de operação. Considere
Ro=10kΩ, R=1MΩ e C=680nF. Monte o circuito da figura 5 e observe o seu funcionamento.

Figura 5

Questão Teórica - GERADOR DE PULSOS


O oscilador de onda quadrada pode ser modificado para funcionar como um gerador de
pulsos. Neste caso o resistor R que determina a constante de tempo de carregamento e
descarregamento com o capacitor C é substituído por dois resistores (R1 e R2) e diodos
fornecendo caminhos distintos para carregar e descarregar o capacitor C, formando assim duas
constantes de tempo, ou seja, τ 1 = R1C e τ 2 = R2 C . Desta forma, na saída tem-se uma
assimetria entre os tempos de saturação positiva e negativa do amplificador operacional,
gerando pulsos conforme mostrado na figura 6.

6
Determine a expressão para o período T. Projete um gerador de pulsos com duty cycle de
10%.

Figura 6
Montagem 2 GERADOR DE ONDA TRIANGULAR E
QUADRADA
O objetivo desta montagem é verificar a funcionalidade de um oscilador de
onda quadrada e triangular. O gerador de onda triangular, é implementado através da
integração do sinal proveniente de um oscilador biestável.
Monte o circuito da Figura 7 e observe simultaneamente com o uso dos dois
canais do osciloscópio os sinais nas saídas correspondentes às ondas triangular e
quadrada. Meça a freqüência e amplitude. Compare com os valores teóricos
esperados. R1= R2=10 kΩ, R3=15 kΩ e C=10nF.

Figura 7

7
Questão Teórica - MODULADOR PWM
Pulse Width Modulation
Modulação por Largura de Pulso
A partir do gerador de onda triangular pode-se construir um modulador PWM.
A modulação por largura de pulso (PWM) consiste em uma onda quadrada
cuja largura de pulso é variável segundo o valor do sinal aplicado. Em outras palavras
a largura do pulso, é modificada de acordo com a amplitude do sinal modulador. Isto
faz com que o valor médio do sinal resultante seja proporcional ao sinal que se deseja
modular. Em outras palavras, obtêm-se pulsos, cujas larguras (tempo) são
proporcionais a uma tensão (amplitude) aplicada.
O sinal PWM é facilmente obtido através da comparação do sinal modulante
(modulador) com uma onda triangular. Desta forma, sempre que o valor do sinal
modulador for inferior ao da onda triangular a saída do comparador estará em nível
alto, conforme mostrado nas figuras 8 e 9.

Figura 8

Figura 9

O sinal modulante pode ser um nível DC ou outra forma de onda qualquer, o


importante é garantir que a frequência da onda triangular seja bem superior a maior
componente de frequência do sinal modulante.
Observe que usando o gerador de onda triangular obtido na montagem anterior
(Figura 7) o circuito pode ser complementado para funcionar como um circuito
modulador PWM conforme mostrado na Figura 10.

8
Figura 10

Observe que variando-se a tensão Vi temos uma variação correspondente no


sinal gerado na saída PWM. Observe que apenas a largura do pulso varia enquanto o
período (frequência) permanece constante, ou seja, obtemos um sinal PWM onde a
largura do pulso é proporcional ao sinal aplicado Vi.

Questão Teórica - DEMODULADOR PWM


Considerando-se que apenas a largura do pulso varia enquanto o período
(frequência) permanece constante, ou seja, um sinal no qual a largura do pulso é
proporcional ao sinal aplicado Vi, sugira um circuito demodulador PWM capaz de
recuperar o sinal gerado por este modulador. Explique o princípio de funcionamento.

Montagem 3 GERADOR DE PULSO E RAMPA


Apenas alterando a referência de tensão da entrada não inversora V+ do circuito
integrador mostrado na figura 7 é possível obter um circuito gerador de pulso e rampa com
declividade positiva e negativa. Aplicando-se uma tensão na entrada não inversora V+ diferente
de zero (terra) quebra-se a simetria dos valores da corrente de carregamento e descarregamento
no capacitor C1 produzindo saídas com tempos de saturação positiva e negativa distintos, o que
proporciona pulsos de tensão em Vo2 e rampa em Vo1.
Monte o circuito da figura 11 e observe a sua funcionalidade verificando com o
osciloscópio, nos dois canais, as saídas Vo1 e Vo2.

Figura 11

9
Montagem 4 OSCILADOR CONTROLADOR POR TENSÃO
VCO – Voltage Controlled Oscillator
O módulo VCO interno ao circuito integrado CD4046 é um multivibrador astável. O
VCO é um oscilador que produz uma forma de onda periódica, a qual pode ser variada em
torno de uma freqüência de livre oscilação fo, de acordo com o sinal de entrada Vi(t). A
frequência de livre oscilação fo é aquela gerada pelo VCO, quando a tensão aplicada na sua
entrada é nula. A freqüência de oscilação do VCO é determinada pela tensão na entrada, dois
resistores e um capacitor, conforme ilustra a Figura 12.
PLL ou Phase Locked Loop é o nome de um dos mais importantes circuitos que
atualmente encontramos em aplicações eletrônicas de diversos tipos, daí a importância de
conhecer o seu princípio de funcionamento. PLLs ou Phase Locked Loop (Elo Travado por
Fase) são encontrados em receptores de AM, FM, modems, sintetizadores de freqüências,
telefones sem fio, telefones celulares, instrumentos digitais e analógicos e numa infinidade de
outras aplicações onde frequências estejam presentes.

Figura 12

O VCO se constitui no circuito básico na construção de um PLL. Neste experimento,


analisaremos apenas o funcionamento deste circuito como modulador FM.
Monte o circuito da Figura 13. Varie a tensão na entrada do VCO e observe, com o
auxilio do osciloscópio, a variação de freqüência correspondente na saída do VCO. Note que o
sinal gerado na saída do VCO corresponde a um sinal modulado em freqüência (FM).
Observe que, neste caso, diferentemente de um sinal PWM, o parâmetro que varia é o
período (frequência), mantendo-se sempre constante o duty cycle de 50%. Desta forma, para
cada tensão aplicada na entrada temos uma frequência correspondente na saída.
Considere R1=100kΩ e C=1nF.

Sinal Modulado em FM

10
Figura 13

Consulte a folha de dados [folha de especificações] [datasheet] do circuito


integrado CD4046 utilizado neste experimento. Observe as diversas aplicações sugeridas pelo
fabricante deste CI. Verifique as limitações de tensões, correntes e frequências máximas de
operação possíveis para uso deste circuito.

Montagem 5 OSCILADOR ASTÁVEL


O objetivo desta montagem é verificar a funcionalidade de um oscilador astável
como uma aplicação do temporizador CI555.
O temporizador CI555 é um circuito muito versátil com aplicabilidade em
alguns sistemas eletrônicos onde o parâmetro tempo é uma variável importante.
Monte o circuito da Figura 14 e observe, com o uso do osciloscópio, os sinais
nos terminais 2, 3 e 7 do CI555. Meça as respectivas tensões e frequências.
Compare as medidas efetuadas com os valores teóricos esperados. RA = 10kΩ,
RB=100kΩ e C=10nF. VCC=12V. Explique a funcionalidade do circuito.
Mude a fonte de tensão para VCC=5V e repita as medições. O que você
conclui?
O temporizador CI555 é um circuito constituindo internamente por dois
comparadores de tensão, um flip-flop RS e um transistor (usado em algumas
aplicações como chave eletrônica analógica), conforme ilustrado na Figura 15.

Figura 14 – Multivibrador Astável

11
Figura 15 - Diagrama interno

12
Equaç ões para o Multivibrador Astável usando o C I555

TH = C ( R A + RB ) ln 2
TL = CRB ln 2
T = TH + TL
T = C ( R A + 2 RB ) ln 2
T = 0,69C ( R A + 2 RB )

Questão Teórica - GERADOR DE PULSO E RAMPA COM


TEMPORIZADOR
Usando o temporizador CI555 projete um gerador de pulsos com frequência de 1 kHz
(T=1ms) e duty cycle (δ) de 10%, ou seja, com TH=0,1T e TL=0,9T.
Projete um circuito integrador, composto apenas de um resistor R e um capacitor C,
capaz de produzir um sinal tipo rampa a partir dos pulsos gerados.

13