Você está na página 1de 9

ASTÁVEL

1) OBJETIVO: Estudo do multivibrador as tável através de sua estrutura interna e


aplicações típicas do Circuito Integrado 555.

2) ESTRUTURA INTERNA: O multivibrador astável é um circuito que opera em


dois estados instáveis, permanecendo determinado intervalo de tempo em cada
um deles, sendo perfeitamente controlado pelo projetista ou usuário do circuito. O
circuito integrado utilizado para se obter o astável, também é o CI 555 conforme
esquema abaixo do diagrama de blocos da estrutura interna do mesmo

Encapsulamento de 8 pinos do CI 555:

O funcionamento de cada bloco do CI 555 já foi discutido no Capítulo 1


(Monoestável); portanto vamos analisar esse circuito com os componentes
agregados externamente ao encapsulamento deste integrado, resultando então
no modo de operação do multivibrador astável.
3) FUNCIONAMENTO:
1
O circuito astável como dito anteriormente opera em dois estados instáveis
cujos períodos denominaremos de T1 e T2. A saída do CI 555 (pino 3) no modo astável
alterna indefinidamente entre NL1 (período T1) e NL0 (período T2) sem que haja a
necessidade de excitá-lo, como ocorria com o circuito monoestável.
Veja abaixo a ligação externa ao CI 555 para se obter a operação no modo
astável:

Verifique as formas de onda obtidas sobre o pino 2 (Ve), na saída (Vs) e sobre o
capacitor (Vc).

Os períodos T1 e T2 podem ser manipulados através dos tempos de carga (T 1)


e de descarga (T2) do capacitor, simplismente alterando os valores dos resistores Ra
e Rb e do capacitor C conforme esquema elétrico acima.
O funcionamento do CI 555 na configuração astável será explicado a seguir,
porém deve ser entendido acompanhando o texto, a figura de blocos do CI 555 dado
abaixo e o diagrama de tempos (página anterior).
Admitamos como condição inicial que a tensão no capacitor (Vc) é
praticamente zero. Nestas condições o compararador 2 terá saída em NL1 e o
compararador 1 terá saída em NL0. Obviamente que as entradas do biestável RS são
dadas por R= 0 e S= 1, portanto as saídas são Q\= 0 e Q= 1 resultando como saída
do CI 555 (pino 3) em NL1.

2
Como Q\= 0 o transistor estará cortado e teremos então a corrente de carga
em ação. Esta corrente de carga carrega o capacitor até que Vc seja um pouco maior
que 2/3 de Vcc onde o comparador 1 terá saída em NL1 e o comparador 2 com saída
em NL0. Sendo R= 1 e S= 0 o biestável RS terá Q\= 1 e Q= 0 resultando então no
pino 3 (saída do astável) em NL0. Como Q\= 1 o transistor estará saturado, dando
origem a corrente de descarga do capacitor através do Rb. A tensão no capacitor vai
então diminuindo até que seja um pouco menor que 1/3 de Vcc e a partir daí o ciclo
se repete indefinidamente.

Verifique que durante o tempo de carga do capacitor (T1), a corrente passa


pelo Ra e pelo Rb e que, durante o tempo de descarga do capacitor (T 2), a corrente
passa somente pelo Rb, resultando obviamente num tempo de carga sempre maior
que o tempo de descarga; ou seja, T1  T2.

Vamos agora obter as fórmulas que geram os períodos T 1 e T2 para que


possamos manipular o circuito astável conforme nossa conveniência.

Período de carga (T1):


Vc(t)= (tensão inicial) + (degrau máximo).(1 - e -t/)

onde: = (Ra + Rb).C

Vc(t)= 1/3.Vcc + 2/3.Vcc. (1 - e-t/)  para Vc= 2/3.Vcc então t= T1

2/3.Vcc= 1/3.Vcc + 2/3.Vcc.(1 - e-T1/)  1/2= 1 - e-T1/

e-T1/ = ½  -T1/= ln(1/2)  -T1/= -0,69

T1= 0,69. Portanto: T1= 0,69.(Ra + Rb).C

3
Período de descarga (T2):

Vc(t)= (tensão inicial).e -t/

onde: = Rb.C

Vc(t)= 2/3.Vcc.e-t/  para Vc= 1/3.Vcc então t= T2

1/3.Vcc= 2/3.Vcc.e-T2/  1/2= e-T2/

-T2/= ln(1/2)  -T2/= -0,69  T2= 0,69. Portanto:

T2= 0,69.Rb.C

Pronto!!! Agora basta entrar com o período T2 necessário e adotar um


capacitor. Pela fórmula de descarga do capacitor determinamos o valor de Rb e, em
seguida utilizamos a fórmula de carga do capacitor e determinamos o valor de Ra.
Verifique que essas fórmulas só são válidas para o circuito apresentado nesta aula
(que na verdade é a configuração padrão).

IMPORTANTE: Para o entendimento completo do funcionamento do circuito astável


através do CI 555, é necessário analisar ao mesmo tempo:
 a explicação do texto supra-citado
 o diagrama de blocos do astável
 o diagrama de tempos
 os cálculos dos períodos T1 e T2.

Conclusão: O tempo que o capacitor leva para se carregar de 1/3 de Vcc á


2/3 de Vcc é T1= 0,69.(Ra + Rb).C e para se descarregar de 2/3 de Vcc à 1/3 de
Vcc é T2= 0,69.Rb.C conforme dedução feita anteriormente.

A frequência de oscilação é: f= 1/T onde T= T1 + T2 , portanto:

f= 1 = 1 = 1 .
T T1 + T2 0,69. (Ra + Rb).C

Define-se CICLO DE OPERAÇÃO (D) de um astável como sendo a razão


entre o tempo em que a saída fica em nível alto (T 1) e o período completo do ciclo
(T); ou seja, o ciclo de operação representa simplesmente o tempo em
porcentagem que o astável se encontra em nível lógico alto na saída:

D= T1 = 0,69.(Ra + Rb). C = (Ra + Rb)


T 0,69.(Ra + 2.Rb).C (Ra + 2.Rb)

4
Desta forma o ciclo de operação de um multivibrador astável ligado
convencionalmente será sempre maior que 0,5 (ou maior que 50%), o que é
óbvio, pois já vimos que T1  T2; no entanto, se o resistor Rb for muito maior que Ra
obteremos um ciclo de operação muito próximo de 0,5. Pequenas alterações no
circuito básico do astável pode permitir que o ciclo de operação atinja valores
menores ou igual a 0,5.

Com esse dois parâmetros “f” e “D” pode-se determinar os componentes


necessários (Ra, Rb e C) para tal circuito. Como temos apenas dois parâmetros para
a determinação de três incognitas, podemos adotar uma das incógnitas e com este
valor calcular as outras duas. Normalmente adotamos o valor do capacitor C (em
geral temos em menor disponibilidade no mercado) e utilizaremos as equações de T 1
e T2 para calcular Ra e Rb.

A título de exemplo vamos projetar um astável ligado convencionalmente que


oscile em uma frequência de 1 Hz (f= 1 Hz) que tenha ciclo de operação de 90%
(D= 0,9):
T= 1/f  T= 1/1  T= 1s

D= T1/T  0,9= T1/1  T1= 0,9s

T= T1 + T2  1= 0,9 + T2  T2= 0,1s

T2= 0,69.Rb.C e adotando um capacitor de 4,7 F temos: Rb= 30,83 K


O valor comercial de resistores mais próximo do calculado é de Rb= 33 K

T1= 0,69.(Ra + Rb).C  Ra= 244,52 K


O valor comercial de resistores mais próximo do calculado é de Ra= 220 K
4) CUIDADOS ESPECIAIS:

Alguns detalhes práticos precisam ser levados em consideração para a


obtenção de um resultado experimental compatível com o projetado. Por
exemplo, os resistores de temporização (Ra e Rb no astável e R no monoestável)
não devem exceder 20 M (pelo manual). Contudo, valores acima de 1 M já
comprometem a precisão. O valor mínimo destes resistores é limitado pelo
transistor de descarga, sendo que tipicamente podemos considerar que 1 K
como mínimo para não comprometer a precisão. Na maioria das aplicações são
utilizados resistores na faixa de 1 K e 1 M. Não existem limites para o valor
da capacitância C, no entanto capacitores eletrolíticos de grandes valores
apresentam corrente de fuga que poderão provocar grandes variações no
resultado esperado. Outro problema dos capacitores eletrolíticos é que estes só
funcionam adequadamente quando a tensão em seus terminais ultrapassam 10%
de sua tensão de isolação. Desta forma deve-se escolher capacitores eletrolíticos
cuja tensão de isolação não deve, porém, ser menor que Vcc, para que não
ocorra um deterioramento prematuro.

5
EXPERIÊNCIA
ASTÁVEL
1a.parte

Projete um multivibrador astável que oscile na frequência f= 1 Hz e o ciclo


de operação de 60%. Adote C= 10 F. Monte o circuito e verifique o seu
funcionamento ligando a saída (pino 3) num LED.

CÁLCULOS

2a.parte
Projete um multivibrador astável que oscile numa frequência f= 1 Khz e o
ciclo de operação de 80%. Adote C com o valor fornecido pelo professor. Após
terminar o cálculo teórico, aproxime os valores obtidos por valores comerciais
6
disponíveis no material recebido. Recalcule f e D com os valores de resistências e
capacitor que serão efetivamente utilizados.

CÁLCULOS

Ra(comercial)= Rb(comercial)= C(adotado)=


f(recalculada)= D(recalculado)=

Monte o multivibrador astável com os componentes obtidos no item anterior. Anote


abaixo as formas de onda obtidas no osciloscópio nos seguintes lugares: Vc e
Vs.
 Preencher o diagrama de tempos abaixo com sincronismo.

EXPERIÊNCIA
ASTÁVEL
7
NÚMEROS NOME DOS ALUNOS DO GRUPO

1a.parte

Projete um multivibrador astável que oscile na frequência f= 1 Hz e o ciclo


de operação de 60%. Adote C= 10 F. Monte o circuito e verifique o seu
funcionamento ligando a saída (pino 3) num LED.

CÁLCULOS

2a.parte
Projete um multivibrador astável que oscile numa frequência f= 1 Khz e o
ciclo de operação de 80%. Adote C com o valor fornecido pelo professor. Após
terminar o cálculo teórico, aproxime os valores obtidos por valores comerciais
disponíveis no material recebido. Recalcule f e D com os valores de resistências e
capacitor que serão efetivamente utilizados.

CÁLCULOS

8
Ra(comercial)= Rb(comercial)= C(adotado)=
f(recalculada)= D(recalculado)=

Monte o multivibrador astável com os componentes obtidos no item anterior. Anote


abaixo as formas de onda obtidas no osciloscópio nos seguintes lugares: Vc e
Vs.
 Preencher o diagrama de tempos abaixo com sincronismo.