Você está na página 1de 3

Legislação

Anatomia

ANATOMIA E FISIOLOGIA

1. Introdução 1.1. Planos Anatômicos Para efeitos de estudo utilizam-se vários


planos de divisão do corpo, os chamados
planos anatômicos:

1.1.1. Plano Sagital Mediano É um plano imaginário que passa longitudinalmente


através do corpo e o divide em metades direita e esquerda; o plano sagital
mediano atravessa as superfícies ventral e dorsal do corpo nas chamadas linha
mediana ou média anterior e linha mediana ou média posterior respectivamente

1.1.2. Plano Frontal ou Coronal É todo plano que intercepta o plano sagital
mediano em ângulo reto e divide o corpo em metades anterior e posterior.

1.1.3. Plano Transversal ou Horizontal Todo plano que divide o corpo em


metades superior e inferior. Vários termos são utilizados para se descrever as
posições dos elementos anatômicos e também a posição de lesões. O termo
medial significa mais próximo a linha mediana e lateral mais afastado dele. Como
exemplos: na mão o polegar é lateral ao dedo mínimo enquanto que no pé, o hálux
(dedo grande), é medial ao dedo mínimo; na perna a face correspondente à tíbia é
a face medial e a correspondente à fíbula a face lateral; um ferimento do tórax
medial ao mamilo está localizado entre o mamilo e a linha média anterior e um
ferimento lateral ao mamilo está localizado entre o mamilo e a linha axilar. O termo
proximal significa mais próximo da raiz do membro ou origem do órgão e distal
mais afastado.
Assim, no membro superior, o cotovelo é proximal ao punho e distal ao ombro; a
Articulação interfalangeana proximal é a mais próxima da base do dedo e a
interfalangeana distal a mais próxima da ponta do dedo; se existem dois
ferimentos em um membro, por exemplo, na coxa, o mais próximo ao quadril (ou
seja, a raiz do membro) é o ferimento proximal e o mais distante o ferimento distal.
Superior significa mais próximo da extremidade superior e inferior mais próximo da
extremidade inferior. Assim, temos o lábio superior e o inferior; a pálpebra superior
e a inferior; se existem dois ferimentos em determinada parte do corpo, na parede
torácica, por exemplo, um ferimento no terceiro espaço intercostal é superior a um
ferimento no quinto espaço intercostal.

2. Divisão do Corpo Humano


O corpo humano divide-se em cabeça, tronco e membros.

2.1. Cabeça
A cabeça é dividida em duas partes: crânio e face. Uma linha imaginária passando
pelo topo das orelhas e dos olhos é o limite aproximada entre estas duas regiões.
O crânio contém o encéfalo no seu interior, na chamada cavidade craniana. As
lesões crânioencefálicas são as causas mais freqüentes de óbito nas vitimas de
trauma. A face é a sede dos órgãos dos sentidos da visão, audição, olfato e
paladar. Abriga as aberturas externas do aparelho respiratório e digestivo.
As lesões da face podem ameaçar a vida devido ao sangramento e obstrução das
vias aéreas.

2.2. Tronco O tronco é dividido em pescoço, tórax, abdome e pelve.

2.2.1. Pescoço Contém varias estruturas importantes. É suportado pela coluna


cervical que abriga no seu interior a porção cervical da medula espinhal. As
porções superiores do trato respiratório e digestivo passam pelo pescoço em
direção ao tórax e abdome. Contém também vasos sangüíneos calibrosos
responsáveis pela irrigação da cabeça. As lesões do pescoço de maior gravidade
são as fraturas da coluna cervical com ou sem lesão medular, as lesões do trato
respiratório e as lesões de grandes vasos com hemorragia severa.

2.2.2. Tórax Contém no seu interior, na chamada cavidade torácica, a parte


inferior do trato respiratório (vias aéreas inferiores), os pulmões, o esôfago, o
coração e os grandes vasos sangüíneos que chegam ou saem do coração.
É sustentado por uma estrutura óssea da qual fazem parte a coluna vertebral
torácica, as costelas, o esterno, as clavículas e a escápula.
As lesões do tórax são a segunda causa mais freqüente de morte nas vítimas de
trauma.

2.2.3. Abdome Está separado internamente do tórax pelo músculo diafragma e


contém basicamente órgãos do aparelho digestivo e urinário, portanto da digestão
e excreção. Possui, no seu interior, grandes vasos que irrigam as vísceras
abdominais e os membros inferiores. E sustentado pela coluna vertebral
posteriormente e por uma resistente camada músculoaponeurótica anterior e
lateral. As lesões do abdome podem levar à graves hemorragias devido a lesões
de grandes vasos ou de vísceras bastante vascularizadas como o fígado, baço e
rins e a infecções pelo vazamento do conteúdo contaminado das vísceras ocas
para o interior cavidade abdominal.

2.2.4. Pelve Liga o abdome aos membros inferiores e contém, na chamada


cavidade pélvica, a porção distal do tubo digestivo e do aparelho urinário e o
aparelho reprodutor masculino e feminino. As fraturas da pelve óssea são
freqüentes e muitas vezes graves devido à intensa hemorragia interna ou externa
resultante.

2.3. Membros O corpo humano possui um par de membros superiores e um de


membros inferiores.
As lesões de membros estão entre as mais freqüentes e possuem risco de vida se
envolverem vasos sangüíneos calibrosos. Com fins didáticos abordaremos a
anatomia e fisiologia na mesma seqüência utilizada na avaliação e manejo inicial
das vítimas de trauma, ou seja: vias aéreas, aparelho respiratório, aparelho
circulatório, sistema nervoso e exposição (restante da anatomia e fisiologia
relevantes). Como a anatomia e a fisiologia são intimamente relacionadas
falaremos algumas vezes sem separá-las. O organismo humano consiste em um
complexo conjunto de órgãos agrupados em aparelhos ou sistemas. Os órgãos
são formados por pequenas unidades vivas chamadas células.
Todas as células do organismo humano necessitam de um suprimento de oxigênio
e outros nutrientes para obter energia, para manter sua integridade estrutural e
para sintetizar as substâncias essenciais à sua função e à do organismo. A
produção de energia, a regulação da atividade celular e a síntese de substâncias
são realizadas através de reações químicas; o conjunto destas reações químicas
que ocorrem no organismo é chamado de metabolismo. As reações químicas
intracelulares produzem substâncias (resíduos ou catabólicos), entre as quais o
dióxido de carbono, que necessitam ser eliminados porque o seu acúmulo leva a
disfunção celular e finalmente à morte celular. Tanto o suprimento de oxigênio e
nutrientes quanto a retirada dos resíduos é feita pelo sangue.
O sangue se abastece de oxigênio e se desfaz do dióxido de carbono nos pulmões
e se abastece de nutrientes através da absorção de alimentos digeridos no tubo
digestivo. Certas células são mais dependentes de um suprimento contínuo de
oxigênio do que outras: as fibras musculares cardíacas toleram apenas alguns
segundos sem oxigênio, enquanto os neurônios cerebrais podem suportar de 4 a 6
minutos. Algumas outras células podem passar períodos maiores sem oxigênio e ainda
assim sobreviverem como as células musculares e da pele, por exemplo. A falta de
oxigênio por um tempo acima do tolerável leva à morte celular que, por conseguinte leva à
morte de órgãos e finalmente à morte do organismo.