Você está na página 1de 3

A Natureza da Santificação

Texto Básico: “Porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo” (I
Pedro 1:16).
Deus é santo, e para pertencer e ter comunhão com Ele precisamos de ter
uma vida santificada. Ser santo quer dizer: ser separado do pecado, não
viver na sua prática e dedicar a vida exclusivamente para o Senhor e sua
vontade.
A Natureza santa de Deus
Deus é santo e não convive com o pecado, aliás o pecado nos separa e
desconecta de Deus (Isaías 59:2). Desde o início da criação Ele deixou isso
bem claro para nós (Gênesis 1:4). Ficou também explicito no clamor de
Jesus quando morreu na cruz pelos nossos pecados, sem ter cometido
pecado algum e sentiu a separação do Pai (Mateus 27:46). Não há
comunhão entre Deus e o pecado. Por isso Jesus morreu e verteu seu
sangue, para nos purificar e reatar a comunhão (Filipenses 2:8; Colossenses
2:14)
Recebendo a natureza santa de Deus
"Porque, se tu foste cortado do natural zambujeiro e, contra a natureza,
enxertado na boa oliveira, quanto mais esses, que são naturais, serão
enxertados na sua própria oliveira!" (Romanos 11: 24)
Aleluia, temos uma nova natureza, somos novas criaturas em Cristo Jesus!
A ordem é: que sejamos separados do todo jugo desigual, da iniquidade,
das trevas, da incredulidade, da idolatria para que Deus possa habitar em
nós, ser o nosso Deus e nós os seus filhos (II Coríntios 6:14-18).
Fugir de toda aparência do mal (I Tessalonicenses 5: 22)
Não ter comunhão com os que zombam de Deus (salmo 1:1)
Somos um povo, escolhido, chamado e exclusivo de Deus para obedece-lo
e servi-lo (I Pedro 1:14-16; II Coríntios 5:17).
Vivendo em Santidade
Texto Básico: “Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos
abstenhais da prostituição” (I Tessalonicenses 4:3).
A santidade requer atitude, comprometimento e coragem. Não viver mais
em pecado (Romanos 6:2). Temos que receber esta revelação da palavra de
Deus em nossas vidas, uma pessoa morta não pode ter os mesmos desejos
de uma pessoa viva. Não podemos servir a dois senhores (Mateust 6:24).
Temos que romper com o pecado e viver uma nova vida (R0manos 6:4, 7).
Nadando contra a maré
É bem essa expressão que cabe na condição da santidade, ir contra a onda
do pecado nadando inverso. O cristão nunca toma a forma do mundo, ele
dá a forma, ele influencia, mas ele nunca se conforma (1 Pedro 1:14-16;
Romanos 12:1, 2; Efésios 5:1-17).
A postura do cristão será sempre oposta, contraria a postura e ao
comportamento do mundo. O nosso comportamento é diferente. O cristão
é como o navio, ele está no mundo, mas o mundo não está nele, assim como
o navio está na água, mas a água não está no navio (João 17.15).
Viver em comunhão com Cristo
Deus é santo, para estar em comunhão com Ele significa andar como Ele
andou. Assim foi com Jesus no seu ministério terreno (Atos 10:38), andar
Jesus andou (I Pedro 2:21), Amar como Ele amou (João 15:13), Servir como
Jesus nunca pecou, viver em comunhão com Ele significa ter o caráter dele,
sua pureza, ser parecido com ele. Os santos trilham as pisadas de Jesus.
4. Viver na dependência de Jesus
Somos dependentes de Jesus, do seu amor, de sua misericórdia, da sua
graça, do seu perdão – (João 15;5). Ver a cada dia que a obra de Jesus na
cruz foi completa. Reconhecer que em Cristo está tudo que precisamos Ele
é o Deus do impossível ((Lucas 1: 37)
Dependemos do Espírito Santo; é ele quem produz o fruto que nós
precisamos tanto, que traz em nós o arrependimento (Gálatas 5:22, 23;
João 16:8).
As lutas existem, mas a vitória é certa. Não desista de ser santo, seja cheio
do Espírito Santo (Efésios 5:18; gálatas 6:1; I Coríntios 10:12, 13; Tiago 4:7;
Efésios 6:12-14).
O Tempo da Santificação
Texto Básico: Texto Básico: (I Pedro 2.9) “Vós, porém, sois raça eleita,
sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim
de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua
maravilhosa luz”.
Qual é o tempo para santificação?
A santificação se dá primeiro pela obediência a Deus, quando ouvimos a sua
voz nos chamando (I Pedro 1:14-16; I Coríntios 1:2; 6:11). Quando
aceitamos a justificação (Romanos 8:1; II Coríntios 5:17). Quando o nosso
velho homem foi crucificado com Cristo (Romanos 6:11; II Coríntios 5:14;
João 12:32; Gálatas 2:19, 20).
A nossa posição em Cristo é a de santos, lavados, comprados, selados com
o Santo Espírito (I Pedro 2:9, 10; Efésios 2:6). Cremos que, no momento da
conversão, do novo nascimento, acontece o maior milagre que é a vinda de
Cristo para o nosso coração. Tudo se faz novo. Logo o tempo da santificação
se dá no momento em que damos voz ao chamado de Deus. Foi assim com
Moisés (Êxodo 3:5).
A santificação prática e progressiva
Nós nos tornamos santos quando passamos pela experiência da conversão,
mas, isso não significa santificação já se completou em nós. Não devemos
confundi-la com a graça, o presente, a dádiva da salvação. Quando Paulo
escreve aos cristãos, ele os chama de “santos” ou “santificados” (I Coríntios
1:2), isto não o impede de corrigi-los (I Coríntios 3:1-4; 5:1; 6:11; 11:17-22,
30).
Estamos em pleno crescimento (II Pedro 3:17; Efésios 4:13-15), correndo
para o alvo até atingir o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo
Jesus. Um dia seremos semelhantes a Ele ( I Coríntios 13:9-12; I João 3:2;
Filipenses 1:6).
O Espírito Santo vai aperfeiçoando em nós o caráter, até que tenhamos em
nós a plenitude do caráter maravilhoso de Jesus.