Você está na página 1de 9

,FGF Y

vR F

6ZvRNHF RN WFQ

* 9 4 4 4

Atividades (página 3)

1.

P 1 = 6 atm V 1 = 20 l T 1 = 100 + 273 = 373 K

P 2 = 1 atm V 2 = ? T 2 = 273 K

1. P 1 = 6 atm V 1 = 20 l T 1 = 100 +
1. P 1 = 6 atm V 1 = 20 l T 1 = 100 +

2.

2.
373 K P 2 = 1 atm V 2 = ? T 2 = 273 K

V =

K P 2 = 1 atm V 2 = ? T 2 = 273 K 2.

= 100 l

Testes (página 1)

1. Resposta: d PV = nRT

PV =

= 100 l Testes (página 1) 1. Resposta: d PV = nRT PV = RT \

RT \ 4,1 . V =

(página 1) 1. Resposta: d PV = nRT PV = RT \ 4,1 . V =

. 0,082 . 300

V =

d PV = nRT PV = RT \ 4,1 . V = . 0,082 . 300

= 1,5 l

2.

CH 4 massa molar 16 g/mol (Quanto menor a massa molar de um gás, maior a velocidade de difusão.)

Resposta: e

3. Resposta: c Massas molares: H 2 S = 34 g/mol NH 3 = 17 g/mol

SO 2 = 64 g/mol

NH 3 , H 2 S, SO 2 (Quanto menor a massa molar, maior a ve-

locidade de difusão.)

4. Resposta: d

I) Verdadeira.

II) Verdadeira.

de difusão.) 4. Resposta: d I) Verdadeira. II) Verdadeira. III) Falsa. Se um gás A é

III) Falsa. Se um gás A é mais denso, sua velocidade é menor que a de B.

IV) Verdadeira.

denso, sua velocidade é menor que a de B . IV) Verdadeira. A velocidade do H

A velocidade do H 2 em relação ao O 2 é quatro vezes

maior. Logo, se o H 2 leva 5min, o O 2 levará 20min.

V) Falsa. O H 2 S tem maior massa molar, logo terá me-

nor velocidade de difusão.

5. Resposta: a

I) Falsa. P 1 V 1 = P 2 V 2 (Pressão e volume são grande- zas inversamente proporcionais.)

II) Falsa.

são grande- zas inversamente proporcionais.) II) Falsa. proporcionais.) ( P e T são grandezas diretamente III)

proporcionais.)

(P e T são grandezas diretamente

III) Verdadeira. (Princípio de Avogadro)

IV) Falsa.

V) Verdadeira.

VI) Verdadeira.

6. Resposta: b

Determinação do

PV = nRT

1 . 1 = n . 0,082 . 298

n H

2

n =

do PV = nRT 1 . 1 = n . 0,082 . 298 n H 2

= 0,041 mol

Determinação do N 2 PV = nRT

4

. 2 = n . 0,082 . 298

n

= 0,325

N 2 PV = nRT 4 . 2 = n . 0,082 . 298 n =

= 0,041 + 0,325 = 0,366

a) Verdadeira. PV = nRT

P

. 3 = 0,366 . 0,082 . 298

P

=

3 atm

PV = nRT P . 3 = 0,366 . 0,082 . 298 P = 3 atm

= 0,11 . 3 = 0,33 atm

0,89 . 3 = 2,67 atm. 3 = 0,366 . 0,082 . 298 P = 3 atm = 0,11 . 3

=

. 298 P = 3 atm = 0,11 . 3 = 0,33 atm 0,89 . 3

X = 0,11

X

N

2

= 1 – 0,11 = 0,89

6ZvRNHF *

. 298 P = 3 atm = 0,11 . 3 = 0,33 atm 0,89 . 3
. 298 P = 3 atm = 0,11 . 3 = 0,33 atm 0,89 . 3
6ZvRNHF * b) Falsa. Se o número de mols é diferente, o número de moléculas

6ZvRNHF *

6ZvRNHF * b) Falsa. Se o número de mols é diferente, o número de moléculas também

b) Falsa. Se o número de mols é diferente, o número de moléculas também é.

c) Verdadeira. Os gases se difundem e formam um sis- tema homogêneo.

d) Verdadeira.

e) Verdadeira. Abaixa-se a temperatura até que se atin- jam os diferentes pontos e temperaturas de liquefa- ção dos gases e ocorra a separação.

7. Resposta: c

I) Verdadeira. Com o aumento da pressão, o gás tende a se liquefazer.

II) Falsa. Se o volume do N 2 é muito maior que o do O 2 ,

exercerá maior pressão parcial.

III) Verdadeira. Hipótese de Avogadro

IV) Falsa. 44 g = 1 mol de CO 2 1 mol em CNTP ocupa 22,4 l

V) Verdadeira.

8. Resposta: 32

1,0 atm e 273 K equivalem a CNTP. 1 mol de qualquer gás em CNTP ocupa 22,4 l. Como o volume do recipiente é 22,4 l, será necessário 1 mol de oxigê- nio (O 2 ).

9. Resposta: 38 P 1 = 1,00 atm V 1 = 57 l T 1
9. Resposta: 38
P 1 = 1,00 atm
V 1 = 57 l
T 1 = 27°C = 300 K
P 2 = 2 atm
V 2 =
?
T 2 = 127°C = 400 K
P V
P V
1
1
2
2
=
T
T
1
2
1. 57
2 . V
2
=
300 400
600 V 2 = 400 . 57
400 . 57
V 2 =
= 38 l
600
10. Resposta: 1,96
mol
44
Em CNTP, d =
=
= 1,96 g/l
22,4
l
22, 4
11. Resposta: 80
v H
16
1
=
v
4
CH
4
v
= 2v
H
CH
2
4
xHe
x CH
4
=
2
t
=
80min
CH
40
4
t CH
4
12. Resposta: 20
Determinação
n O
2
PV = nRT
5 . 80 = n . 0,082 . 293
n = 16,66 mols
Determinação
n H
2
PV = nRT
2 . 50 = n . 0,082 . 293
n
= 4,16 mols
= 20,8 mols
n Total

PV = nRT

P . 25 = 20,8 . 0,082 . 293

P = 20 atm

13. Resposta: 16

d

O

2

H

2

d

O

2

H

2

=

M

O

2

M

H

2

32 g

=

2 g

d O 2 /H 2 = 16

14. Resposta: 24

PV = nRT

P .

4,1 = 4 . 0,082 . 300

P =

98,4

4,1

P = 24 atm

9*7 46:˶ .(

.

Testes (página 3)

1. Resposta: b

a) Falso. Na reação exotérmica ocorre liberação de ca- lor; o calor do produto é menor que o do reagente. Como DH = H P – H R , logo DH < 0

b) Verdadeiro.

c) Falso.

d) Falso. (DH = H P – H R ). Como, na reação endotérmi- ca, ocorre absorção de calor, a entalpia dos produtos será maior do que a dos reagentes. Logo: DH > 0

e)

Falso.

2. Resposta: e

a) Verdadeiro.

b) Falso.

c) Verdadeiro. O calor da reação é sempre positivo. O DH é que pode ser negativo ou positivo, apenas pela

indicação de absorção ou liberação de calor, mas a quantidade de calor é sempre positiva.

d) Verdadeiro.

e) Falso.

3. Resposta: e

I. Verdadeiro. DH = H P – H R

II. Verdadeiro. DH = H P – H R , se libera energia H P < H R , logo DH < 0

III. Verdadeiro.

IV. Verdadeiro. Se absorve calor H P > H R , logo DH > 0

4. Resposta: b Somente os itens I, IV e V representam reações exotérmi-

cas, pois o DH é negativo. No item 2, a reação libera 726,3 kJ/mol.

5. Resposta: e

I) Verdadeiro. Nas reações exotérmicas, a entalpia dos produtos é menor do que nos reagentes, pois há libe- ração de calor. Isso está representado em A, D, E.

II) Verdadeiro. Dentre as três reações exotérmicas, a representada por A tem a maior diferença das ental- pias de produtos e reagentes.

III) Falso. A reação direta representada em B é endotér- mica, logo a reação inversa é exotérmica.

IV) Verdadeiro. A entalpia dos produtos é maior do que as entalpias dos reagentes.

6.

Resposta: b

12. Resposta: c

DH

=

H P – H R

O

pano congela porque, para ocorrer a reação, a água do

DH

=

(HCaO + HCO 2 ) – HCaCO 3

pano fornece calor para os reagentes, logo a reação é endo-

DH = –152 – 94 – (–289) = +43 kcal

térmica (DH > 0).

7. Resposta: e Processos exotérmicos Liquefação: 4 Solidificação: 2 Ressublimação: 6

8. Resposta: c

C 2 H 5 OH + 3 O 2

DH =

DH = (2 . (–393) + 3 . (–285,8)) – (–277,8)

DH = –1 366,2

kJ

2 CO 3 + 3 H 2 O

H P – H R

9. Resposta: a

I) Verdadeiro. H 2 + O 2

II) Verdadeiro.

H 2 O (g)

H 2 + H 2 +

O

O 2

2

H 2 O (l)

H 2 O

(s)

DH = –58,1 – 0 = –58,1 kcal

DH

DH = –70 kcal

= –68,3 kcal

III) Verdadeiro. Se para 1 mol são liberados 68,3 kcal,

para 2 mols: 68,3 . 2 = 136,6 kcal

IV) Falso. A entalpia de formação de H 2 O (g) é um proces- so exotérmico. Logo: DH = – 58,1 kcal/mol

V) Falso. Para 1 mol de H 2 O (s) formados, liberam-se

70 kcal. Para liberar 5 mols: 5 . 70 = 350 kcal

10. Resposta: c

I. Verdadeiro.

H

O

H

H

O

H

Ponte de hidrogênio

II. Falso. No estado gasoso não há ponte de hidrogênio.

III. Verdadeiro.

H 2 O (s)

H 2 O (l)

DH = +6 kJ/mol

18 g = 1 mol, 3 mols = 54 g

Logo: 3 . 6 = 18 kJ

IV. Falso.

H 2 +

mol, 3 mols = 54 g Logo: 3 . 6 = 18 kJ IV. Falso. H

O 2

V. Verdadeiro.

H 2 O (l)

DH = –242,9 kcal/mol

H

O

H

104,5°

11. Resposta: d

H 2 O ( l ) + 68,6 kcal

H 2 O (l) + 68,6 kcal

1 mol

0,5 mol

1 mol

(2 g)

(16 g)

(18 g)

a)

Verdadeiro. Reduzindo a massa do H 2 para 1 g, tam- bém é necessário reduzir à metade a massa de O 2 , e a massa de H 2 O produzida será a metade.

b)

Verdadeiro.

c)

Verdadeiro. A proporção das moléculas está de acor- do com a proporção dos coeficientes.

d)

Falso. Os volumes estão seguindo a proporção dos coeficientes da equação, porém a água no estado líqui- do não pode ter o seu volume na mesma proporção.

e)

Verdadeiro. Produz 68,6 kcal.

13. a) 7 b) + 55,10

Resposta:

14. Resposta: 55

C 3 H 8(g) + O 2(g)

3 CO 2(g) + 4 H 2 O (g)

HH

2 O(l) = –242 – 40 = –282 kJ/mol

DH

= H P – H R

DH = [3 . (–394) + 4 . (–282)] – (–110)

 

44 g

 

DH = –2 200 kJ/mol 1 mol de C 3 H 8

44

g

2 200 kJ

 
 

1,1 g

x kJ

x = 55,0 kJ

DH = –55,0 kJ

9*7 46:˶ .(

Testes (página 5)

1.

Resposta: c

 

2.

Resposta: a

 

H H

| |

 

H

— C — C — O — H + 3 O =

O

 

|

|

H

H

2 O =

C =

O + 3 H — O — H

 

1

C — C =

350

 

5

C —

H

=

2 075

1

C — O =

360

1

O — H =

464

3 . 494 = 1 482

 
 

3 249

 
 

4

. C =

O

4

.

710 = 2 840

 

6

. H — O

 

2

784

DH = (3 249 + 1 482) – (2 840 +

2 784) = –893 kJ/mol

1

mol — 893 kJ

10

x =

mol — x 8 930 kJ

 

DH = –8 930 kJ

 

3.

Resposta: b

 

Formação do C 2 H 6 (2 C + 3 H 2

 

C 2 H 6 )

Multiplicando a 1ª equação por 2

2

C + 2 O 2

2
2

CO 2

DH

= –188 kcal/mol

3

H 2 +

3 H 2 O 3 O 2 2
3
H 2 O
3 O 2
2

DH = –204 kcal/mol

Multiplicando a 2ª

   

equação por 3

2 CO 2 + 3 H 2 O
2
CO 2 + 3 H 2 O

C 2 H 6 +

C 2 H 6 + 7 O 2 D H = +372 kcal/mol 2

7 O 2 DH = +372 kcal/mol

2

Invertendo a

3ª equação

2

C + 3 H 2

 

C 2 H 6

DH = –20 kcal/mol

6ZvRNHF *

2 Invertendo a 3ª equação 2 C + 3 H 2   C 2 H 6
2 Invertendo a 3ª equação 2 C + 3 H 2   C 2 H 6

6ZvRNHF * 6ZvRNHF *

4. Resposta: c Formação da sacarose (C 12 H 22 O 11 ): 11 12
4. Resposta: c
Formação da sacarose (C 12 H 22 O 11 ):
11
12 C + 11 H 2 +
O 2
C 12
H 22 O 11
2
12
CO 2 + 11 H 2 O
O 11 + 12 O 2
C 12 H 22
11 O 2 11 H 2 + 11 H 2 O 2 12 C +
11 O 2
11 H 2 +
11
H 2 O
2
12
C + 12 O 2
12
CO 2

DH = + 1 349,6 kcal

Invertendo a 1ª equação

DH = –751,4 kcal

Multiplicando a 2ª equação por 11

DH = –1 128 kcal

Multiplicando a 3ª equação por 12

12 C + 11 H 2 + 11 O 2 2 5. Resposta: e 1
12 C + 11 H 2 +
11 O 2
2
5. Resposta: e
1
H 2 +
H 2 O
2 O 2

C 12 H 22 O 11

DH = –529,7 kcal

DH = –68,3 kcal

Repetindo a 1ª equação

2 CO 2 + 3 H 2 O C 2 H 6 + 2
2 CO 2 + 3 H 2 O
C 2 H 6 +
2

O 2

7

DH = +372,8 kcal

C 2 H 4 + 3 O 2

2 CO 2 + 2 H 2 O

DH = –337,3 kcal

C 2 H 4 + H 2

C 2 H 6

DH = –32,8 kcal

Invertendo a

2ª equação

Repetindo a

3ª equação

6.

Resposta: a Combustão do butano:

C 4 H 10 +

13

2

O 2

4 CO 2 + 5 H 2 O

–683 = (4 . (–94) + 5 . (–68)) –

–683 = –376 – 340 –

H

–683 + 376 + 340 = – H

H C

4

H

10

= –33 kcal

C

C

4

4

H

H

10

10

H C

4

H

10

DH = –683 kcal

7.

8.

Resposta: e

I) Verdadeiro. DG = DH – TDS. Se DH < 0 e DS > 0 Logo: DG < 0 (sistema espontâneo)

II) Verdadeiro. Endotérmico — DH > 0 e o DG pode ser negativo ou positivo.

III) Verdadeiro.

IV) Verdadeiro.

V) Falso. Se DH > 0 e DS < 0, logo DG > 0 não-espontâ- neo. É endotérmico, pois DH 70

Resposta: d Se DH < 0 e DS > 0, logo DG < 0 — espontâneo.

Se DH > 0 e DS < 0, logo DG > 0 — não-espontâneo.

Se DH < 0 e DS < 0, logo DG > 0 ou DG < 0

Se DH > 0 e DS > 0, logo DG > 0 ou DG < 0

a) Falso.

b) Falso.

c) Falso.

d) Verdadeiro.

e) Falso.

c) Verdadeiro. 1 Cl 2(g) 1 DH = +26 kcal Na (s) + Na (g)
c) Verdadeiro.
1
Cl 2(g)
1
DH = +26 kcal
Na (s) +
Na (g) +
2 Cl 2(g)
2
xx
d)
Verdadeiro.
Na
Na + (g) + e + Cl (g)
DH = +118,0 kcal
(g) + Cl (g)
ex)
Verdadeiro.
Na
DH = –87,3
kcal
+ (g) + e + Cl (g)
Na + (g) + Cl – (g)

10. Resposta: 07 (01+02+04)

a) Verdadeiro.

Cl — Cl Na + Cl Na (s) b) Verdadeiro.
Cl
— Cl
Na
+ Cl
Na
(s)
b) Verdadeiro.

2 Cl Na + + Cl

Na (g)

covalente

iônica

metálica

DH 6 = DH 1 + DH 2 + DH 3 + DH 4 +

c) Verdadeiro.

NaCl

d) Verdadeiro.

Na + (g) + Cl (g)

DH 5

DH = +183,8 kcal

DH 6 =

DH 6 = –98,2

(Esse DH forma NaCl. Para decompor o NaCl: DH =

+98,2)

DH 1 + DH 2 + DH 3 + DH 4 + DH 5

e) Falso. Do Na (s) +

2 1 Cl g

Na + (g) + Cl (g) (A en-

talpia aumenta — processo endotérmico.)

11.

D

a)

b) DH = +42 Kcal é uma reação endotérmica.

c) Ocorre com aumento de entropia, pois ocorre uma decomposição química em que um dos produtos se encontra na forma gasosa, enquanto o reagente é sólido

CaCO 3(s)

CaO (s)

+

CO 2(g)

12. Resposta: 44

2

DH = (2 . 103) – (104 + 58) DH = 206 – 162 = 44 kcal

HCl

H 2 + Cl 2

13.

Resposta:

a)

–585

 

b)

+99

a)

N 2 H 4 + O 2 1 N — N

4 N H

+ O =

N 2 + 2 H 2 O

O

N

N + 4 H — O

b)

DH = 1 719 + 498 – 946 + 4 . (–464) DH = –585 kJ/mol

N 2 + 2 H 2

DH = 946 + 2 . 436 – (163 + 4 . 389)

DH = 946 + 872 – (163 + 1 556)

DH

= DH = +99 kJ/mol

N 2 H 4

1 818 – 1 719

14. Resposta: –279,7

1 9. Resposta: b GeO Ge + DH = +255 kJ 2 O 2 a)
1
9.
Resposta: b
GeO
Ge +
DH
= +255 kJ
2 O 2
a) Falso.
Ge + O 2
GeO 2
DH = –534,7 kJ
Na (g) +
1
2 Cl 2(g)
Na (g) + Cl
DH = +28,9
1
GeO +
GeO 2
DH = –279,7 kJ
O 2
2
Cl 2
2 Cl
DH = +58,8 kcal
b) Falso.
15.
Resposta: 94
Na
+ Cl
Na + + e + Cl –
DH 3
= +118 kcal
(g)
(g)
Na + + e + Cl – (g)
DH 4 = –87,3 kcal
Na + (g) + Cl – (g)
DH
=
+30,7 kcal
Na (g) + Cl (g)
Na + (g) + Cl – (g)
ClO + O
O 3 + Cl
O 2 + Cl
ClO + O 2
DH = –64 kcal
DH = –30 kcal
Invertendo a 1ª equação
Repetindo a 2ª equação
O 3 + O
2 O 2
DH = –94 kcal
Em módulo: 94
DH = –30 kcal Invertendo a 1ª equação Repetindo a 2ª equação O 3 + O

*1*9746:˶ .( .

Testes (página 8)

1. Resposta: d

a) Verdadeiro.

b) Verdadeiro. Redutor sofre oxidação.

c) Verdadeiro. Oxidante sofre redução.

d) Falso. O potencial não se altera quando uma reação

é multiplicada.

e) Verdadeiro.

2. Resposta: e

a) Oxidar é ceder e .

b) Verdadeiro.

c) Verdadeiro. Os íons em movimento carregam cargas elétricas.

d) Verdadeiro. É convenção.

e) Falso. O cobre deve reduzir, pois terá o maior poten- cial de redução.

Verdadeiro.

3. Resposta: a

a) Verdadeiro. (Maior potencial de oxidação)

b)

c) Falso. É o íon Na + .

d) Falso. Tem o menor potencial de redução.

e) Falso

Falso

4. Resposta: d O íon cobre (Cu ++ ) reduziu; o ferro (Fe 0 ) da enxada oxi-

dou, pois é menos nobre que o Cu 0 .

5.

Resposta: c

a) Falso. O Cu 0 oxidou e o Hg +2 reduziu a Hg 0 .

b) Falso. É o Hg +2

c) Verdadeiro. O Cu 0 oxidou.

d) Falso. É o Hg +2

e) Falso. É o Cu 0

6. Resposta: c Possuindo potenciais de redução menores que o Ni ++ , não

oxidam, contaminando a solução.

7. Resposta: b

I) Verdadeiro. Oxidante reduz (ganha e ) e a ordem de eletronegatividade é F Cl Br I.

e – ) e a ordem de eletronegatividade é F C l Br I. II) Verdadeiro.

II) Verdadeiro. (Idem ao anterior)

III) Verdadeiro. Há maior diferença de eletronegatividade entre H e Cl do que entre H e I.

IV) Falso. Redutor oxida e o Cl tem maior força de atra- ção eletromagnética.

V) Falso. O raio cresce no sentido Cl Br I.

V) Falso. O raio cresce no sentido C l Br I . 8. Resposta: a Se

8. Resposta: a

Se a lata for riscada, o ferro oxidará, sendo, portanto, o agente redutor.

9. Resposta: c Em I e VI, o zinco oxida, pois tem maior potencial de oxidação.

10. Resposta: 13 (01+04+08)

01)

Verdadeiro.

02)

Falso. O zinco tem preferência pela redução diante do cálcio.

04)

Verdadeiro.

Zn 0

Zn + + + 2e –

Zn ++ + 2e

E = +0,76 V

 

Cu ++ + 2e Zn 0 +Cu ++

Cu 0 Zn ++ +Cu 0

E = +0,34 DE= +1,10

V

V

08)

Verdadeiro. O potencial de oxidação do zinco (+0,76

V) é maior que o do hidrogênio (E = 0).

 

16)

Falso. O potencial de oxidação do cobre (E = –0,34 V)

é menor que o do hidrogênio.

11. Reação espontânea no sentido em que o potencial é posi-

tivo, ou seja, no sentido direto.

12.

a) E 0 = +0,34 V

 

b)

Reação e, por ter maior potencial.

c)

Ag + , por ter menor potencial de oxidação.

d)

Al

0 , por ter maior potencial de oxidação.

e)

Reação a, por ter o menor potencial.

13) a)

O escurecimento da prata deve-se à oxidação pela

exposição ao ar. Por ter menor potencial de redução,

alumínio oxida, cedendo elétrons para prata, que reduz, retornando à forma metálica.

o

 

b)

Semi-reação de oxidação Al 0

Al 3+ + 3e

 

E

= +1,66V

Semi-reação

de

redução 3Ag 1+ + 3e

3Ag 0

 

E

= +0,80V

equação global

Al 0 + 3Ag 1+

Al 3+ + 3Ag 0

*1*9746:˶ .(

Testes (página 10)

1. Resposta: d d.d.p. = E Maior – E Menor d.d.p. = –0,036 – (–0,763) d.d.p. = 0,727 V

E Menor d.d.p. = –0,036 – (–0,763) d.d.p. = 0,727 V 2. Resposta: b d.d.p. =

2. Resposta: b

d.d.p. = –0,13 – (–2,76) d.d.p. = 2,63 V

d.d.p = +2,46V

3. Resposta: d Para analisar a espontaneidade da pilha, lembrar que o ele-

mento de maior potencial de redução sofre a redução, e o de maior potencial de oxidação sofre a oxidação.

I. Verdadeiro.

II. Falso.

III. Falso.

IV. Verdadeiro.

4. Resposta: e

O

chumbo, que tem maior potencial de redução, sofre re-

dução.

O

magnésio sofre a oxidação.

I.

Falso. Cede elétrons o que sofre oxidação.

II.

Falso. O magnésio sofre oxidação (ânodo).

III.

Verdadeiro. O chumbo sofre redução.

IV.

Verdadeiro. O magnésio se oxida e o chumbo reduz.

V.

Verdadeiro.

d.d.p. = –0,13 – (–2,38) d.d.p. = –0,13 + 2,38 = 2,25 V

5. Resposta: c

A ponte salina manterá o equilíbrio iônico das soluções.

6. Resposta: c

a) Verdadeiro. d.d.p. = 0,80 – (–0,44) d.d.p. = 0,80 + 0,44 = 1,24 V

b) Falso. A prata sofre redução (maior potencial de re- dução).

c) Falso. Espontaneamente a prata se reduz em pre- sença de ferro.

d) Verdadeiro. O cobre se reduz em presença de alumí-

nio. Cu +2 + 2e

Cu 0

e) Verdadeiro. O potencial de oxidação do Al é bem mai- or do que o do cobre, logo é um redutor melhor.

6ZvRNHF *

Verdadeiro. O potencial de oxidação do A l é bem mai- or do que o do
Verdadeiro. O potencial de oxidação do A l é bem mai- or do que o do
6ZvRNHF * 7. Resposta: d Os elétrons fluem do elemento que se oxida para o

6ZvRNHF *

6ZvRNHF * 7. Resposta: d Os elétrons fluem do elemento que se oxida para o que

7. Resposta: d Os elétrons fluem do elemento que se oxida para o que se

reduz. A oxidação é a perda de elétrons e ocorre no ânodo (–). A redução é o ganho de elétrons e ocorre no cátodo (+).

14.

a) Zn 0

b) Ag +

Zn 0

c)

Zn 2+ + 2e

d)

Ag +

+

1e

Ag 0

e)

Zn 0

+

2 Ag +

Zn 2+ + 2 Ag 0

8.

Resposta: a

f) DE = +0,76 – (–0,80)

g) Ag 0

Se os elétrons estão partindo do eletrodo de ferro, ele está sofrendo a oxidação (ânodo). O potencial de oxidação do ferro, segundo assinala o voltímetro, é +0,44 V; logo o potencial de

DE = +0,76 + 0,80 DE = +1,56 V

redução será –0,44 V.

h)

Zn 0

i)

Do eletrodo de Zn para o de Ag.

9. Resposta: c

j) Zn 0

I) Verdadeiro. Está perdendo elétrons.

II)

Verdadeiro. Na reação I, Pb 0 Æ Pb +2 + 2 e

Na reação II, Pb +4 + 2 e Æ Pb +2

III) Verdadeiro. Ver na reação II o gasto do ânion SO 4 2 e

a formação do H 2 O.

IV) Falso. d.d.p. = E 0 red + E 0 oxi 2,00 = 0,36 + E 0 oxi E 0 oxi = 2 – 0,36 = 1,64 V

V) Falso. O ácido vai sendo consumido e a água, formada. Como o ácido é mais denso do que a água, a densida- de da solução diminuirá.

10. Resposta: b

15.

l) Ag 2 SO 4

Ag +

Zn 0

n)

m)

a) Pb (s) + SO 4 -2 (aq)

Zn 0 n) m) a) Pb ( s ) + SO 4 - 2 ( a

PbSO 4(s) + 2e -

b) O cátodo corresponde à placa de PbO 2 e o ânodo, à

de Pb 0 .

c) d.d.p. = + 2,05 volts.

d) A densidade do eletrólito diminui à medida que a bate-

ria dascarrega, porque o ácido sulfúric é consumido durante o process, conforme a mostra a equação global Pb + PbO 2 + 2 H 2 SO 4 2 PbSO 4 + 2 H 2 O

(

)

Verdadeiro. O que possui maior potencial de redução sofre redução (cátodo).

 

O

que possui menor potencial de redução sofre oxidação

(ânodo).

(

) Falso. Na equação representada, a prata está oxi- dando-se.

*1*9746:˶ .(

Atividade (página 11)

(

)

Verdadeiro. d.d.p. = 0,80 – (–0,13) = +0,93 V

a)

(

)

Falso. O chumbo será corroído com o tempo.

(

)

Verdadeiro.

(

)

Falso.

(

)

Falso. Os elétrons se deslocam do ânodo para o cáto- do.

b)

I. Falso. O cobre tem o menor potencial de oxidação.

II. Falso. O magnésio sofre oxidação, aumentando a con- centração do íon Mg +2 ; o ferro sofre redução, passando de Fe 12 Æ Fe 0 e diminuindo a concentração de Fe +2 .

III. Verdadeiro. O que se oxida mais facilmente é o melhor redutor.

IV. Falso. Não tem o maior potencial de redução.

V. Verdadeiro.

E 0 = –0,80 V

2 KC

l

Æ

2 K

+

+

2 C

l

-

2

C

l

-

Æ C

2 e

-

+

l

2

2

K

+

+

2 e

-

Æ

2 K

0

2

KC

l

Æ 2 K

0 +

C

l

2

FeSO

4

Æ

Fe

2 +

+

SO

--

4

 

2

H

2

O

Æ 2 H

+

+

2 OH

-

2

OH

-

Æ H

2

O

+

2 e

-

+

1

2

O

2

2

Fe

2

+

+

2 e

-

Æ

Fe

0

 

FeSO

4

+

H

2

O

Æ

2 H

+

+

SO

4

--

+

Fe

+

1 O
2

2

11. Resposta: b

12. Resposta: a

Testes (página 13)

1. Resposta: e Pilhas Æ ocorre transferência de elétrons, ou seja, oxirre- dução; na eletrólise também. Pilhas Æ ocorre formação de substâncias reduzidas ou oxidadas; na eletrólise também. Pilhas Æ produzem energia. Eletrólise Æ há consumo de energia.

2. Resposta: c

Na + + e Æ Na 0

Cl Æ

2

1

Cl 2 + 1 e

13. Resposta: b

Ni

0

Ag

I) Verdadeiro. O níquel sofrerá oxidação, passando de

Ag + + 1e

Ni +2 + 2e

II) Falso. O níquel sofre oxidação, logo é o ânodo.

III) Verdadeiro. A prata, que tem maior potencial de redu-

ção, sofrerá redução.

IV) Falso. d.d.p. = 0,80 – 0,34 = 0,46 V

V) Falso. O cobre sofre redução no cátodo.

VI) Verdadeiro.

Eletrólise ígnea NaCl

Na + + e Æ Na 0 (cátodo)

Cl Æ

ææææÆ Na + + Cl

Fusão

1

2 Cl 2 + e (ânodo)

Em solução aquosa

H + + e Æ

1 2 H 2

Cl Æ

1 Cl 2 + e
2

3. Resposta: b

Na + não sofre redução

2H + + 2 e Æ H 2 (cátodo)

2 Cl Æ Cl 2 + 2 e (ânodo)

OH não sofre oxidação; haverá formação de solução aquosa de NaOH.

I) Falso.

II) Verdadeiro. A pilha gera energia; a eletrólise conso- me energia.

III) Falso. Os ácidos são covalentes, mas se ionizam — são eletrólitos.

IV) Verdadeiro. Na + [ O — H]

4.

2

V)

| ––––– || –––––– | Iônica Covalente

Verdadeiro. H 2 O Æ H + + OH

Resposta: c

KI Æ K + + I

1 H 2 ou
2

I oxida-se em presença do OH Æ 2I Æ 2 e + I 2 (ânodo).

a) Falso.

b) Falso.

c) Verdadeiro. Haverá aumento da concentração de OH

d) Falso.

e) Falso.

K + não se reduz em presença de H + Æ H + + e Æ

H + + 2 e Æ H 2 (cátodo).

5.

Resposta: d

 

6.

Resposta: d

7.

Resposta: e

Na 2 SO 4 Æ

2 Na + + SO 4 2

2

H 2 O Æ 2 H + + 2 OH

O

H + sofre redução no cátodo.

2

H + +

2 e Æ H 2

 

O

OH sofre oxidação no ânodo.

2

OH Æ H 2 O +

2 OH – Æ H 2 O + O 2 + 2 e –

O 2 + 2 e

Diminuindo a quantidade de H 2 O (solvente), que se trans- forma em gás hidrogênio e gás oxigênio, aumenta-se a con- centração da solução.

8.

Resposta:b

Cu(NO 3 ) 2 Æ Cu +2 + 2 NO 3

2

H 2 O Æ 2 H + + OH

Cu

+2 sofre redução:

Cu +2 + 2

e Æ Cu 0 (cátodo)

OH sofre oxidação:

2 OH Æ

H 2 O +

OH – sofre oxidação: 2 OH – Æ H 2 O + O 2 + 2

O 2 + 2 e (ânodo)

9.

Resposta: c Eletrólise ígnea NaCl

Resposta: c Eletrólise ígnea NaC l Na + + C l –

Na + + Cl

Na

+ + e Æ Na 0 (cátodo)

Cl

Æ

1 Cl 2 + e (ânodo)

Eletrólise em solução aquosa:

2

NaCl Æ Na + + Cl H 2 O Æ H + + OH

H + sofre redução: H + + e Æ

H + sofre redução: H + + e – Æ H 2 (cátodo)

H 2 (cátodo)

Cl sofre oxidação: Cl Æ

I. Falso.

II. Falso.

III. Verdadeiro.

IV. Verdadeiro. Quando o cloro é dissolvido em NaOH (aq) , produz-se o NaClO, hipoclorito de sódio.

1 Cl 2 + e (ânodo)
2

10. Resposta: b

a) Verdadeiro. O sal fundido se dissocia ionicamente.

b) Falso. O gás cloro é formado no ânodo pela oxidação do íon Cl .

c) Verdadeiro. S 2 Æ S + 2

d) Verdadeiro. Na eletrólise em solução aquosa do NaCl,

e

no cátodo, obtém-se o H 2 .

e) Verdadeiro.

11. Resposta: b

a) Falso. O eletrodo de grafite, ligado ao pólo negativo,

atrai o cátion, acarretando sua redução.

b) Verdadeiro. O H + da água se reduz a H 2 .

c) Falso. O eletrodo da direita é carregado positivamen- te, e o ânodo atrai ânions. Ocorre a oxidação, logo não pode reduzir o H + a H 2 .

d) Falso. Em razão da presença do OH da água, que não sofre oxidação, a solução fica básica, aumentan- do o pH.

e) Falso. O eletrodo de grafite não altera sua massa.

12. Resposta: b

Entre os cátions Ag + , Li + + H + , a preferência de descarga será do Ag + – Ag + + e Æ Ag 0 (cátodo).

O ânion que sofrerá descarga será o OH .

2

OH Æ H 2 O +

1

2

O 2 + 2 e (ânodo)

13.

a)

Ca

+2 + 2 e Æ

Ca 0 (cátodo)

2

Cl Æ 2 e + Cl 2 (ânodo)

b)

O

H + sofre a redução antes do Ca +2

2

H + + 2 e Æ H 2 (cátodo)

O

Cl sofre oxidação antes do OH

2

Cl Æ 2 e + Cl 2 (ânodo)

c)

CuSO 4

 

O Cu +2 sofre redução antes do H +

Cu +2 + 2 e Æ Cu 0 (cátodo)

O

2 OH Æ H 2 O +

1

2

OH sofre oxidação antes do SO 4 2

O 2 + 2 e

| Æ Ânodo

14. Resposta: O 2 e H 2

Na 2 SO 4 Æ Na + + SO 4 2

2 H 2 O Æ 2 H + + 2 OH

H + sofre redução Æ 2 H + + 2 e Æ H 2 (cátodo)

OH sofre oxidação Æ 2 OH Æ H 2 O +

Ânodo = O 2

oxidação Æ 2 OH – Æ H 2 O + Ânodo = O 2 O 2

O 2 + 2 e (ânodo)

Cátodo = H 2

6ZvRNHF *

oxidação Æ 2 OH – Æ H 2 O + Ânodo = O 2 O 2
oxidação Æ 2 OH – Æ H 2 O + Ânodo = O 2 O 2
6ZvRNHF * *1*9746:˶ .( . Testes (página 16) 1. Æ 2. Æ 3. Æ 4.

6ZvRNHF *

6ZvRNHF * *1*9746:˶ .( . Testes (página 16) 1. Æ 2. Æ 3. Æ 4. Resposta:

*1*9746:˶ .( .

Testes (página 16)

1.

Æ

2.

Æ

3.

Æ

4.

Resposta: e

. Testes (página 16) 1. Æ 2. Æ 3. Æ 4. Resposta: e Æ E A

Æ

E A +

u

3 =

16) 1. Æ 2. Æ 3. Æ 4. Resposta: e Æ E A + u 3

= 65,7 g Æ

= 6,12 g2. Æ 3. Æ 4. Resposta: e Æ E A + u 3 = = 65,7

Resposta: c

e Æ E A + u 3 = = 65,7 g Æ = 6,12 g Resposta:

Æ

E C + 3 =

u

= 17,3 g Æ Æ

= 3,2 gg Æ = 6,12 g Resposta: c Æ E C + 3 = u = 17,3

Resposta: b

m do cobre:

C + 3 = u = 17,3 g Æ = 3,2 g Resposta: b m do

Æ

E C +

u

2 =

g Æ = 3,2 g Resposta: b m do cobre: Æ E C + u 2

= 31,75 g Æ

Resposta: b m do cobre: Æ E C + u 2 = = 31,75 g Æ

m do oxigênio:

= 35,56 g

Æ E C + u 2 = = 31,75 g Æ m do oxigênio: = 35,56

Æ

E C + u 2 = = 31,75 g Æ m do oxigênio: = 35,56 g

Æ m = 8,96 g

Resposta: d Zn 0 Æ Zn +2 + 2 e

1 mol de elétrons = 96 500 C

2 mols de elétrons = 193 000 C

1 930 C = 0,02 mol de e

0,02 mol de e são liberados na oxidação de 0,01 mol de Zn = 0,65 g

5. Resposta: d 1,08 g = 0,01 e de Ag + 0,657 g = 0,01 e de x

1 e de x = 65,7 g

1 mol de x = 197 g

E =

= 65,7 Æ Carga = 3 Æ Carga = 3

6. Resposta: d

(

)

Falso. Como Q = i . Dt, se o Dt dobrar e a corrente for reduzida à metade, a quantidade de carga permanece- rá constante.

(

)

Verdadeiro. Ag ++ + e Æ Ag 0 (só 1

mol de e )

 
  = n (número de mol do produto)

= n

(número de mol do produto)

Como Q = i . t, o Q não muda, mas o número de mols de elétrons diminui de +2 para +1; logo o n irá dobrar.

(

)

Falso. Q = i . t, se dobrarem i e T, o Q irá quadrupli- car; logo a massa de cobre depositado iria dobrar.

(

)

Verdadeiro. Cu +2 + 2 e Æ Cu 0 redução no cátodo.

(

)

Falso. O cromo tem a carga +3 e necessita de 3 mols de elétrons para depositar 1 mol de Cr. Se a carga não muda, o número de mol de cromo formado é menor do que o número de mol do cobre formado.

(

)

Verdadeiro.

 

(

) Falso. É necessário que o sistema receba energia para ocorrer o processo da eletrólise.

7. Resposta: 03

 
Æ 6,57 =

Æ 6,57 =

Æ 6,57 =

Æ

Æ

Æ = 65,7 g

= 65,7 g

 
 

E

=

= Æ Nox =

Æ Nox =

  E = Æ Nox = = 3

= 3

8. Resposta: 25

m =

=  E = Æ Nox = = 3 8. Resposta: 25 m = Æ i =

Æ i =

E = Æ Nox = = 3 8. Resposta: 25 m = = Æ i =

= 25 Å

Æ i = i =

Nox = = 3 8. Resposta: 25 m = = Æ i = = 25 Å

Æ

9. Resposta: 84 Para formar 1 mol de Fe 0 a partir do Fe +2 , é necessário

que 1 mol de Fe 2+ receba 2 mols de e (2 F).

Fe +2 + 2 e Æ Fe 0 . Como serão consumidos 3 F, haverá a

formação de 1,5 mol de Fe 0 .

1

mol de Fe

56 g

1,5 mol

x g

x = 84 g

10.

Resposta: 64

1

mol e

1E

2

mols

e

2E

E

=

=

E

= 32 g Æ 2E = 64 g

7 .4

Testes (página 17)

*

1. Resposta: c

a) Verdadeiro. A partícula a é formada por 2 prótons e dois nêutrons; logo diminuirão duas unidades no nú- mero atômico.

b) Verdadeiro. A radiação g é formada por ondas eletro- magnéticas, por isso nenhuma partícula sai do nú- cleo.

c) Falso. A emissão b não influencia o número de massa.

d) Verdadeiro. Fusão é a união de núcleos.

e) Verdadeiro.

Verdadeiro. Fusão é a união de núcleos. e) Verdadeiro. + Æ + x Æ x =

+

Verdadeiro. Fusão é a união de núcleos. e) Verdadeiro. + Æ + x Æ x =

Æ

Fusão é a união de núcleos. e) Verdadeiro. + Æ + x Æ x = 2.
Fusão é a união de núcleos. e) Verdadeiro. + Æ + x Æ x = 2.

+ x Æ x =

2. Resposta: b

núcleos. e) Verdadeiro. + Æ + x Æ x = 2. Resposta: b Æ 3 +

Æ 3

e) Verdadeiro. + Æ + x Æ x = 2. Resposta: b Æ 3 + 2

+ 2

+
+

A

= 3 . 4 + 2 . 0 + 223

A

=

12 + 223 = 235

Z

=

3 .

2 – 2 . 1 + 88

Z

=

6 – 2 + 88

Z

= 92

 

3. Resposta: d

Æ + Æ + Æ +
Æ
+
Æ
+
Æ
+

1 0 n

4 2 a

0 b

-1

4. Resposta: a

4. Resposta: a Æ x + y 231 = 4x + 207 4x = 231 –

Æ x

4. Resposta: a Æ x + y 231 = 4x + 207 4x = 231 –

+ y

231 = 4x + 207

4x = 231 – 207 4x = 24 Æ x = 6

+Æ x + y 231 = 4x + 207 4x = 231 – 207 4x =

91

= 6 . 2 + y (–1) + 82

91

= 12 – y + 82

 

91

= –y + 94 Æ y = 3

5. Resposta: a

 
y + 82   91 = –y + 94 Æ y = 3 5. Resposta: a
y + 82   91 = –y + 94 Æ y = 3 5. Resposta: a

6. Resposta: c

 

Æ

Æ + (gás nobre)

+

+

(gás nobre)

Se X tem número atômico duas unidades maior do que A, logo será um alcalino-terroso, grupo 2 A.

I) Falso.

II) Verdadeiro. X é metal e Cl é não-metal.

III) Falso.

IV) Verdadeiro.

V) Verdadeiro. Todo metal alcalino-terroso termina sua configuração em s 2 .

VI) Falso.

7. Resposta: c

I) Falso.

II) Falso. São fenômenos nucleares.

III)

IV) Verdadeiro.

Falso.

+ Æ
+
Æ

, 6 p e 6 n

V)

Falso.

III) IV) Verdadeiro. Falso. + Æ , 6 p e 6 n V) Falso. VI) Verdadeiro.

VI) Verdadeiro.

última camada estável com 8 e .

8. Resposta: b

última camada estável com 8 e – . 8. Resposta: b + 3 234 = 16

+ 3

234 = 16 + A Æ A = 234 – 16 Æ A = 218

90 = 8 – 3 + Z Æ Z = 85

Æ 4

= 234 – 16 Æ A = 218 90 = 8 – 3 + Z Æ
= 234 – 16 Æ A = 218 90 = 8 – 3 + Z Æ

+

234 – 16 Æ A = 218 90 = 8 – 3 + Z Æ Z

9. Resposta: a

I) Falso. b – 1 elétron

II) Falso.

III) Verdadeiro.

a – 2 p + 2 n

N = 137 – 55 = 92 Æ +
N = 137 – 55 = 92
Æ
+

IV) Falso. Somente a metade, pois 30 anos é o tempo de

meia-vida.

V) Falso.

VI) Verdadeiro. Trinta anos é o tempo de meia-vida.

10. Resposta: d

11. Resposta: c

é o tempo de meia-vida. 10. Resposta: d 11. Resposta: c 12. Resposta: b   (

12. Resposta: b

 

(

)

Falso. 5 600 anos

( ) Falso. 5 600 anos

é o tempo para desintegrar a

metade da amostra.

 

(

)

Verdadeiro.

(

)

Falso. São isótopos; têm o mesmo número de prótons

(6).

(

)

Falso. Semelhante ao elétron.

(

)

Falso. Nas reações nucleares, o elemento é modifica do.

(

)

Verdadeiro.

nucleares, o elemento é modifica do. ( ) Verdadeiro. 13. Resposta: e a) Verdadeiro. Fusão do

13. Resposta: e

a) Verdadeiro. Fusão do deutério com o trítio.

b) Verdadeiro. Fissão do urânio.

c) Verdadeiro.

235 + 1 = 147 + A + 3

 

236 – 150 = A

A = 86

 

d) Verdadeiro.

e) Falso. O número de massa é 235.

14. Resposta: d

I)

Verdadeiro.

II)

Verdadeiro.

220

4
4
 

20

55

0

III)

Verdadeiro.

222

4
4
 

2

55

6ZvRNHF *

IV)

Falsa.

15. Resposta: x = 1 g 1 , y = 1 b 0

a)

 

+

+
+ Æ Æ +
+
Æ
Æ
+
+ Æ Æ +
 

X é um próton

 

Y é uma radiação beta negativa

b)

Resposta: 5 600 anos

 
radiação beta negativa b) Resposta: 5 600 anos   16 800 : 3 P = 5

16 800 : 3 P = 5 600 anos

 

tempo.

a)

16. A = 210

B = 82

C = 128

b)

X representa um nêutron.

 

c)

A fissão nuclear consiste na divisão de núcleo maio-

res em núcleos menores; a fusão nuclear consiste na união de núcleos menores para formar núcleos maiores.

maio- res em núcleos menores; a fusão nuclear consiste na união de núcleos menores para formar
maio- res em núcleos menores; a fusão nuclear consiste na união de núcleos menores para formar