Você está na página 1de 35
PATOLOGIA DAS DOENÇAS GENÉTICAS
PATOLOGIA DAS DOENÇAS
GENÉTICAS

Prof. Dr. Alvaro Galdos alvarogaldos@usp.br

GENÉTICA CLÁSSICA Fenótipo clínico Anomalia bioquímica Gene GENÉTICA REVERSA clonagem Anomalia bioquímica

GENÉTICA CLÁSSICA

Fenótipo clínico Anomalia bioquímica Gene

Fenótipo clínico

Anomalia

bioquímica

Fenótipo clínico Anomalia bioquímica Gene
Fenótipo clínico Anomalia bioquímica Gene

Gene

GENÉTICA REVERSA

clonagem

clonagem

Anomalia bioquímica Gene GENÉTICA REVERSA clonagem Anomalia bioquímica Produto gênico anormal (proteína)

Anomalia bioquímica

Produto gênico anormal (proteína)

Mapeamento e

bioquímica Gene GENÉTICA REVERSA clonagem Anomalia bioquímica Produto gênico anormal (proteína) Mapeamento e

Identificação da proteína expressa

DEFINIÇÃO
DEFINIÇÃO

“Mudança substancial na estrutura do

cromossomo, possivelmente, afetando mais

do que um único gene.

Segmentos

ser

de

podem

cromossomos

perdidos, duplicados ou rearranjados.

INTRODUÇÃO
INTRODUÇÃO

Todas as características perceptíveis num individuo ( fenótipo) são o resultado da interação de sua constituição genética (genótipo) com o ambiente.

Então todas as doenças genéticas e não genéticas dependem tanto do genótipo como do ambiente?

INTRODUÇÃO
INTRODUÇÃO

Sim, mas a distinção seria não por espécie e sim por GRAU.

DOENÇA GENÉTICA

DOENÇA GENÉTICA Há menor influencia de fatores do ambiente sobre sua manifestação

Há menor influencia de fatores do ambiente sobre sua manifestação

DOENÇA NÃO GENÉTICA

DOENÇA NÃO GENÉTICA Há maior influencia de fatores do ambiente sobre sua manifestação

Há maior influencia de fatores do ambiente sobre sua manifestação

CARIOTIPO HUMANO
CARIOTIPO HUMANO

É o conjunto cromossômico ou a constante

cromossômica diploide (2n) de uma espécie.

Representa o número total de cromossomos

de uma célula somática (do corpo).

diploide (2n) de uma espécie. • Representa o número total de cromossomos de uma célula somática
CARIÓTIPO HUMANO
CARIÓTIPO HUMANO

O

estudo

do

cariótipo

humano

pode

ser

desenvolvido em linfócitos (linfoblasto), ou

também em células humanas (fibroblastos da

pele e de amniócitos) DEMORADO.

Preparações

da

medula

crista ilíaca. RÁPIDO

do esterno ou da

Nesses experimentos não apresente um

temos que

sincronismo

adicionar Colquicina.

bom,

pelo

que

DISTURBIOS GENÉTICOS
DISTURBIOS GENÉTICOS

Depois

metáfase, temos o ultimo

problemas na visualização dos cromossomos

é a sua dispersão.

da

Tratamento com uma solução salina hipotônica.

Coloração de Giemsa.

Cariótipo

normal

é

cromossomos.

constituído

por

46

DISTURBIOS GENÉTICOS
DISTURBIOS GENÉTICOS

Cariótipo de uma mulher normal

• Cariótipo de uma mulher normal
DISTURBIOS GENÉTICOS
DISTURBIOS GENÉTICOS
• Cariótipo de homem normal Cromossomos sexuais autossômicosCromossomos
Cariótipo de homem normal
Cromossomos sexuais
autossômicosCromossomos
DISTURBIOS GENÉTICOS
DISTURBIOS GENÉTICOS

Cariótipo feminino

Cariótipo feminino 23 cromossomos (haploide) Cariótipo Masculino 23 cromossomos (par não homologo: cromossomo X) Os

23 cromossomos (haploide)

Cariótipo feminino 23 cromossomos (haploide) Cariótipo Masculino 23 cromossomos (par não homologo: cromossomo X) Os
Cariótipo feminino 23 cromossomos (haploide) Cariótipo Masculino 23 cromossomos (par não homologo: cromossomo X) Os

Cariótipo Masculino

feminino 23 cromossomos (haploide) Cariótipo Masculino 23 cromossomos (par não homologo: cromossomo X) Os

23 cromossomos

(par não homologo: cromossomo X)

Masculino 23 cromossomos (par não homologo: cromossomo X) Os cromossomos X Y são denominados cromossomos sexuais.
Masculino 23 cromossomos (par não homologo: cromossomo X) Os cromossomos X Y são denominados cromossomos sexuais.

Os cromossomos X Y são denominados cromossomos sexuais.

DISTURBIOS GENÉTICOS
DISTURBIOS GENÉTICOS

As células humanas normais têm, portanto, 22 pares de autossômicos e um par de

cromossomos sexuais X nas pessoas do sexo

feminino.

Nos

homens:

22

pares

autossômicos

cromossomos sexuais X e Y.

e

MUTAÇÕES CROMOSSÔMICAS ESTRUTURAIS • Síndrome cri - du- chat NUMÉRICAS • Síndrome de Down •

MUTAÇÕES

CROMOSSÔMICAS

MUTAÇÕES CROMOSSÔMICAS ESTRUTURAIS • Síndrome cri - du- chat NUMÉRICAS • Síndrome de Down •

ESTRUTURAIS

Síndrome cri - du- chat

NUMÉRICAS

Síndrome de Down

Síndrome de Patau Síndrome de Edwars Síndrome de Klinefelter Síndrome de Turner

Mutações Cromossômicas Estruturais
Mutações Cromossômicas Estruturais

Alteração da estrutura do cromossoma.

Temos:

Deleção

Inversão

Duplicação

translocação

Mutações Cromossômicas Estruturais
Mutações Cromossômicas Estruturais

DELEÇÃO

Quando um cromossomo perde um pedaço dele, portanto vai perder genes.

Síndrome cri-du-chat (miado de gato), hipotonia muscular, microcefalia.

1:50000

portanto vai perder genes. – Síndrome cri-du-chat (miado de gato), hipotonia muscular, microcefalia. – 1:50000
portanto vai perder genes. – Síndrome cri-du-chat (miado de gato), hipotonia muscular, microcefalia. – 1:50000
portanto vai perder genes. – Síndrome cri-du-chat (miado de gato), hipotonia muscular, microcefalia. – 1:50000

Mutações Cromossômicas Estruturais

Mutações Cromossômicas Estruturais
Mutações Cromossômicas Estruturais
Mutações Cromossômicas Estruturais

INVERSÃO

INVERSÃO DUPLICAÇÃO

DUPLICAÇÃO

INVERSÃO DUPLICAÇÃO

Mutações Cromossômicas Estruturais

INVERSÃO: a maioria das inversões não tem efeito fenotípico, com raras exceções, caso

esta inversão ocorra dentro de um gene vital.

Hemofilia tipo A

Inversão no cromossomo X que inativa o fator VIII da coagulação.

Cerca

de

2%

da

população

mundial

possui

inversões

detectáveis

por

M.O.,

mas

são

fenotipicamente normais.

Mutações Cromossômicas Estruturais

DUPLICAÇÃO: poucas síndromes conhecidas,

pois a maioria das pequenas duplicações não

tem efeito fenotípico.

Sindrome Charcot-Marie-Tooht

Resultado da duplicação de um pequeno fragmento na cromátide pequena do cromossomo 17.

O paciente portador possui perda da sensibilidade de pês e mãos.

Mutações Cromossômicas Estruturais
Mutações Cromossômicas Estruturais

TRANSLOCAÇÃO

Simples ou não balanceada

Quando um cromossomo recebe um segmento de outro cromossomo.

Recíproca ou balanceada

Quando 2 cromossomos não homólogos se recombinam ou quando alguma quebra é induzida

pelo ambiente e as extremidades reativas se ligam a

cromossomos erroneamente.

Simples ou não balanceada

Simples ou não balanceada

Simples ou não balanceada

Recíproca ou balanceada

Recíproca ou balanceada Recombinação
Recíproca ou balanceada Recombinação

Recombinação

Mutações Cromossômicas Estruturais
Mutações Cromossômicas Estruturais

TRANSLOCAÇÃO

TRANSLOCAÇÃO Cromossomo 4 Translocações = Crossing over?
TRANSLOCAÇÃO Cromossomo 4 Translocações = Crossing over?

Cromossomo 4

TRANSLOCAÇÃO Cromossomo 4 Translocações = Crossing over?
TRANSLOCAÇÃO Cromossomo 4 Translocações = Crossing over?

Translocações = Crossing over?

Mutações Cromossômicas Numéricas
Mutações Cromossômicas Numéricas

Erro na separação dos cromossomos

Anáfase: meiose

Aberrações cromossômicas

Poliplóidia.

Euplóide: se tiver a adição do conjunto todo.

Aneuploidia: se faltar o ter mais um cromossoma.

São encontrados em abortos espontâneos.

Mutações Cromossômicas Numéricas
Mutações Cromossômicas Numéricas

SINDROME DE DOWN

Problemas nos cromossomos autossomáticos

Masculino: 47, XY, +21

Feminino: 47, XX, +21

1:700

Deficiência mental, estatura baixa, língua

protusa, boca pequena, palato ogival.

Mutações Cromossômicas Numéricas
Mutações Cromossômicas Numéricas

SÍNDROME DE PATAU

Problemas nos cromossomos autossomáticos

47, XY, +13

Trissomia do cromossomo 13.

1:5000, preferência no sexo feminino.

Quadro clínico: severo, cardiopatias,

anoftalmia e alterações do cérebro.

Limite de sobrevida: 12 meses.

Mutações Cromossômicas Numéricas
Mutações Cromossômicas Numéricas

SÍNDROME DE EDWARS

Problemas nos cromossomos autossomáticos

47, XY, +18

Preferência por crianças femininas 4F:1H

1:8000

Sobrevivem até 1 ano de idade.

Cardiopatias graves e hérnia diafragmática.

Mutações Cromossômicas Numéricas
Mutações Cromossômicas Numéricas

SÍNDROME DE KLINEFELTER

Problemas nos cromossomos sexuais.

47, XXY

1:800

Testículos pequenos, sinais aumentados FSH.

Estatura elevada, corpo eunucóide, ginecomastia pouco desenvolvimento muscular e problemas

cerebrovaculares (derrame cerebral).

Mutações cromossômicas estruturais
Mutações cromossômicas estruturais

SÍNDROME DE TURNER

Só em mulher. 1:2000

Baixo

45, X

peso,

pequena

redundante na nuca.

Ovários vestigiais.

estatura,

pele