Você está na página 1de 23

31/10/2018 Estácio

Disciplina: Anatomia Sistêmica

Aula 10: Sistema Nervoso

Apresentação
Nesta aula, distinguiremos as estruturas que formam cada parte do Sistema Nervoso,
dividindo-o em Sistema Nervoso Central e Sistema Nervoso Periférico, analisando a
principal função de cada uma dessas partes.

Além disso, identificaremos a característica de cada órgão e as vias de condução do


impulso nervoso, responsável pelo controle de todas as funções do corpo, tanto no
Sistema Nervoso Central como sistema nervoso periférico.

Objetivos
Diferenciar Sistema Nervoso Central de Sistema Nervoso Periférico;
Descrever os órgãos que formam o Sistema Nervoso Central;
Identificar as estruturas que formam o Sistema Nervoso Periférico.

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 1/25
31/10/2018 Estácio

O sistema nervoso
Já vimos quase todos os sistemas do corpo em nossa disciplina e agora
estudaremos o sistema responsável por comandar todos os outros.
Trataremos, portanto, do sistema nervoso, que tem ação integradora das
atividades do corpo humano e da sua personalidade no indivíduo vivo.

Para que possa exercer essa ação integradora, esse sistema é constituído por
um tecido especializado em enviar e receber estímulos. A células que formam
esse tecido diferenciado são os neurônios, sendo, assim, as unidades
morfofuncionais do sistema nervoso.

As duas propriedades dos neurônios:

Irritabilidade 1

Condutibilidade 2

Partes do neurônio
Os neurônios são divididos em três partes:

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 2/25
31/10/2018 Estácio

Dendrito

Recebe o impulso.

Corpo celular

Integra essas informações.

Axônio

Leva esse impulso, que pode ser direcionado para outro neurônio, para outra
glândula, para outra fibra muscular etc.

 Adaptado (CROSSMAN & NEARY, 2007).

Classificação dos neurônios


Os neurônios são classificados de acordo com a sua função.

Neurônio Responsável pela condução do impulso nervoso motor de uma


Eferente área do Sistema Nervoso Central à qualquer outra área, ou

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 3/25
31/10/2018 Estácio

seja, é um neurônio motor que envia impulso do Sistema


Nervoso Central para a periferia.
Responsável pela condução do impulso nervoso sensitivo para
Neurônio o Sistema Nervoso Central, ou seja, é um neurônio sensitivo
Aferente que recebe impulso sensitivo da perifieria para o Sistema
Nervoso Central.
Serve para efetuar a ligação entre duas ou mais áreas, com o
Neurônio objetivo de aumentar o número de sinapses nervosas,
de servindo como um interconector de neurônios. Os neurônios
Associação de associação terão seu corpo celular sempre dentro do
Sistema Nervoso Central.

Sequência evolutiva
O sistema nervoso deriva da sequência evolutiva dos três folhetos
embrionários: ectoderma, mesoderma e endoderma.

Essa sequência dará origem a três vesículas primordias que são originadas da
dilatação, não homogênea, do tubo neural. Essas vesículas, com o
desenvolvimento do feto, sofrerão três subdivisões:

3
Prosencéfalo
4
Mesencéfalo
5
Rombencéfalo


Atenção

A medula espinal deriva da medula primitiva formada na evolução


embrionária.

Vesículas Estrutura Estrutura no


Primordiais Subdivisão Relacionada Sistema Nervoso

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 4/25
31/10/2018 Estácio

Central
Telencéfalo Hemisférios cerebrais
Prosencéfalo Tálamo, hipotálamo, Cérebro
Diencéfalo
epitálamo, subtálamo
Mesencéfalo Mesencéfalo Mesencéfalo
Mielencéfalo Bulbo Tronco encefálico
Rombencéfalo Ponte
Metencéfalo
Cerebelo Cerebelo
Medula Medula espinal Medula espinal

Após a evolução, podemos dividir o sistema nervoso de forma anatômica ou


funcional:

Divisões do Sistema Nervoso

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 5/25
31/10/2018 Estácio


| Fonte:
http://www.anatomiadocorpo.com/
<http://www.anatomiadocorpo.com/sistema-
nervoso/central/meninges/>

Envoltório do Sistema Nervoso Central


O Sistema Nervoso Central possui envoltórios que são importantes para a
sustentação e proteção desse sistema.

Esses envoltórios recebem o nome de meninges e são três membranas:

 | Fonte:
http://www.anatomiadocorpo.com/
<http://www.anatomiadocorpo.com/sistema-
nervoso/central/meninges/>

1. Dura-máter – Está imediatamente interna à camada de tecido conectivo


vascular que reveste o osso no canal vertebral e no crânio. É a membrana
mais resistente e espessa de tecido fibroso. O espaço compreendido entre a
dura-máter e o periósteo é o espaço epidural.

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 6/25
31/10/2018 Estácio

2. Aracnoide-máter – É uma membrana avascular localizada entre a dura-


máter e a pia-máter. O espaço entre a dura-máter e a aracnoide-máter é o
espaço subdural.

3. Pia-máter – Está intimamente relacionada com o encéfalo e a medula


espinal, que cobrem completamente penetrando em todos os sulcos e
fissuras. O espaço entre a aracnóide-máter e a pia-máter encontra-se cheio
de líquido cérebro-espinhal e recebe o nome de espaço subaracnóideo.

Medula espinal
A medula espinal está localizada no canal vertebral da coluna vertebral e se
limita cranialmente com o bulbo ao nível do forame magno e caudalmente seu
limite fica a nível da 1ª ou 2ª vértebra lombar.

Ela termina se afunilando, formando um cone medular e se liga ao cóccix pelo


filamento terminal.

Da medula espinal emergem 31 pares de raízes nervosas ventralmente e


dorsalmente, que irão formar os nervos espinhais. Por conta de medula ser
menor do que o canal vertebral, as raízes lombares e sacrais se agrupam
formando uma cauda semelhande a de um cavalo que recebe o nome de
cauda equina.

Essas raízes originarão os nervos espinhas que estão dispostos em:

8 pares cervicais

12 pares torácicos

5 pares lombares

5 pares sacrais

1 par coccigeo

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 7/25
31/10/2018 Estácio

 | Fonte: https://www.ebah.com.br/
<https://www.ebah.com.br/content/ABAAAeopkAA/plexos-
neuroanatomia>

Nas regiões cervical e lombar, ela se apresenta mais grossa porque nessas
regiões estão a intumescência cervical e a lombossacral, que são grandes
massas de corpos celulares de neurônios relacionados com a inervação,
respectivamente, de membros superiores e inferiores.

A medula espinal apresenta uma substância cinzenta mais centralizada que


tem um formato semelhante a uma borboleta ou a letra H, envolvido por uma
substância branca que está externamente.

A substância cinzenta é composta por concentração de corpos neuronais


multipolares, enquanto a substância branca é formada por fibras axoniais em
sua maioria mielínicas.

A função da medula espinal é conduzir impulsos nervosos aferentes (subindo)


e eferentes (descendo).

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 8/25
31/10/2018 Estácio

 | Fonte: https://www.ebah.com.br/
<https://www.ebah.com.br/content/ABAAAeopkAA/plexos-
neuroanatomia>

 Adaptado (SOBOTTA, 2012).

Encéfalo
Tronco encefálico

O tronco encefálico tem origem em duas vesículas primordias (


mesencéfalo e rombencéfalo).
Ele está localizado entre a medula espinhal e o cérebro, posicionado
anteriormente ao cerebelo.
Dos 12 pares de nervos, 10 emergem do tronco encefálico, sendo:

do bulbo

da ponte

do mesencéfalo

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 9/25
31/10/2018 Estácio

 | Fonte: https://anatomia-papel-e-
caneta.com/ <https://anatomia-papel-e-
caneta.com/snc-tronco-encefalico-
mesencefalo/>

Bulbo
O bulbo também é conhecido como medula oblonga, ou seja, um alongamento
da medula espinal.

Ele está interposto entre a ponte e a medula espinal e seus limites são
caudalmente através de um corte imaginário que tangencia o forame magno.
Já o seu limite cranial se encontra no sulco bulbopontino, que é uma
depressão entre o bulbo e a ponte, como o próprio nome sugere.

Do bulbo emergem quatro pares de nervos cranianos que são:

Nervo Hipoglosso (XII par)

Nervo eferente que inerva músculos intrínsecos e extrínsecos da língua;

Nervo Acessório (XI par)

Nervo eferente responsável pela inervação da musculutarua palatina,


faríngea e laríngea e do músculo esternocleideomastóideo e parte do
músculo trapézio;

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 10/25
31/10/2018 Estácio

Nervo Vago (X par)

Nervo eferente e aferente, logo um nervo misto, e o maior nervo


craniano, responsável pela inervação eferente de impulsos da laringe,
palato mole, faringe, traqueia, esôfago, coração, estômago, brônquios e
intestino delgado. As fibras aferentes do nervo vago respondem pelos
estímulos sensitivos dessas estruturas mais o cólon ascendente do
intestino grosso;

Nervo Glossofaríngeo (IX par)

É também um nervo misto que responde por 1/3 dos impulsos sensitivos
gustativos da região posterior da língua e responde pela glândula
parótida e pelo músculo estilofaríngeo.

 | Fonte: http://medinsitu.blogspot.com/
<http://medinsitu.blogspot.com/2013/01/neuroanatomia-
bulbo.html>

Ponte

A ponte é um órgão mediano, ímpar, localizado no tronco encefálico entre o


bulbo e o mesencéfalo, posicionada anteriormente com o cerebelo.

A ponte recebe esse nome em virtude de dar a impressão de que exerce essa
função entre os hemisférios cerebelares, com os quais se comunica através
dos pedúnculos cerebelares médios.

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 11/25
31/10/2018 Estácio

Da ponte emergem quatro pares de nervos cranianos:

Nervo Vestibulococlear (VIII) – nervo aferente que emerge da parte


lateral do sulco bulbopontino e responde pela inervação dos núcleos
vestibulares que tem a função de equilíbrio e inervação dos núcleos cocleares
que capta estímulos sonoros (audição).

Nervo Facial (VII) – nervo misto (aferente e eferente) que, na sua função
sensitiva, responde pelos impulsos gustativos dos 2/3 anteriores da língua. Já
a sua parte eferente responde pela musculatura da expressão facial, glândulas
salivares (exceto parótida) e glândula lacrimal.

Nervo Abducente (VI) – nervo eferente que responde por movimentação


ocular.

Nervo Trigêmeo (V) – nervo misto, que recebe esse nome por possuir três
divisões: oftálmica, maxilar e mandibular. As divisões oftálmica e maxilar são
exclusivamente aferentes. Já a divisão mandibular é mista. As três divisões
são responsáveis pela sensibilidade rostral da cabeça e a divisão mandibular
responde também pelos músculos da mastigação.

 Adaptado (NETTER, 2008).

Mesencéfalo

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 12/25
31/10/2018 Estácio

O mesencéfalo está presente desde a nossa primeira

divisão embrionária do tubo neural. Está interposto entre

a ponte e o diencéfalo.

A região ventral do mesencéfalo é ocupada pelos pedúnculos cerebrais, que


são fibras descentes que comunicam o córtex cerebral com a medula espinal
(córticoespinais), com o bulbo (córticobulbares) e com a ponte
(córticopontinas).

Na sua parte posterior, encontramos os colículos superiores, um de cada


lado, que possuem relação com os reflexos visuais.

Também encontramos os colículos inferiores, um de cada lado também, que


respondem por reflexos auditivos.

Do mesencéfalo emergem dois pares de nervos cranianos, ambos


responsáveis por movimentos oculares:

O Nervo Troclear (IV par)

O Nervo Oculomotor (III par)

Vista Posterior

 Adaptado (NETTER, 2008).

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 13/25
31/10/2018 Estácio

 Adaptado (NETTER, 2008).

Cérebro
O cérebro tem origem na vesícula primordial prosencéfalicas, que, após se
dividir, dá origem ao diencéfalo e telencéfalo.
O diencéfalo, com sua formação nervosa e suas paredes, forma o terceiro
ventrículo, enquanto o telencéfalo constitui os hemisférios cerebrais.
Do cérebro emergem os dois pares de nervos cranianos restantes, um no
diencéfalo e outro no telencéfalo.

Diencéfalo
O diencéfalo está interposto entre o mesencéfalo e o telencéfalo. Está
recoberto pelos hemisférios cerebrais em sua maior parte.

É dividido em quatro partes:

Epitálamo

Parte mediana e posterior do diencéfalo. Nele encontramos a glândula


pineal que é responsável pela regulação do nosso ritmo circadiano, isto
é, o controle do sono e vigília.

Tálamo

Constitui quase toda a parede lateral do terceiro ventrículo. É uma massa


ovoide na parte posterior do diencéfalo que, em síntese, tem a função de
ativação do córtex cerebral com impulsos sensitivos.

Hipotálamo

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 14/25
31/10/2018 Estácio

Localizado ventralmente ao diencéfalo. Tem função primordial na


regulagem corporal. Entre elas, estão a de regulagem de equilíbrio
hídrico e temperatura corporal, além de outras funções somáticas.

No hipotálamo, temos o quiasma óptico, de onde emerge o Nervo Óptico


(II par), que é responsável pelos estímulos visuais, além do corpo
mamilar, o infundíbulo e a neurohipófise.

 Adaptado de
https://meuvet.wordpress.com/
<https://meuvet.wordpress.com/2016/08/22/glandulas-
adrenais-eixo-hipotalamo-pituitaria-
adrenal/ >

Subtálamo

Interposto entre a parte dorsal do tálamo, o tegmento do mesencéfalo e


o hipotálamo. Possui funções que regulam a motricidade somática.


Adaptado de
https://www.auladeanatomia.com/
<https://www.auladeanatomia.com/novosite/sistemas/sistema-
nervoso/diencefalo/>

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 15/25
31/10/2018 Estácio


Atenção

Metatálamo

A terminologia anatômica atual divide o diencéfalo em cinco partes,


acrescentado o metatálamo.

Situado na parte inferior dorsal do tálamo, é constituído pelos corpos


geniculados medial e lateral.

 Adaptado de
https://www.auladeanatomia.com/
<https://www.auladeanatomia.com/novosite/sistemas/sistema-
nervoso/diencefalo/>

Telencéfalo

O telencéfalo ocupa aproximadamente 80% da cavidade craniana.


É divido em hemisférios cerebrais direito e esquerdo e separado por uma
fissura longitudinal do cérebro.
Uma larga faixa de fibras mielínicas forma o assoalho do telencéfalo, o
corpo caloso, que se divide em esplênio, tronco, joelho e rostro.

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 16/25
31/10/2018 Estácio


| Fonte:
https://www.auladeanatomia.com/
<https://www.auladeanatomia.com/novosite/sistemas/sistema-
nervoso/telencefalo/>

 Adaptado (SOBOTTA, 2012)

Com o intuito de aumentar a superfície sem ampliação do volume cerebral, a


natureza criou as depressões cerebrais (que são os sulcos) e circunvoluções
cerebrais (que são os giros).

Fazendo uma analogia, poderíamos considerar uma folha de papel intacta e


também amassada, percebendo o espaço que ela ocupa nas duas formas.

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 17/25
31/10/2018 Estácio

 | Fonte:
https://www.biologiatotal.com.br/
<https://www.biologiatotal.com.br/blog/o-
cerebro-e-como-uma-bola-de-papel-
amassada.html>

Outra função desses giros e sulcos são de delimitar os lobos cerebrais.

Existem dois sulcos principais: sulco lateral e o sulco central.


| Fonte:
https://www.auladeanatomia.com/
<https://www.auladeanatomia.com/novosite/sistemas/sistema-
nervoso/telencefalo/>

Os lobos cerebrais estão diretamente associados aos ossos com os quais se


relacionam. Com isso, teremos:

 Adaptado (NETTER, 2008).

Além dos lobos citados, temos a Ínsula, que é um lobo que fica internamente
e só é visível afastando os lábios do sulco lateral.

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 18/25
31/10/2018 Estácio

Ela faz parte do sistema límbico e é responsável por coordenar nossas


emoções. Na neurociência, é considerada também o nosso órgão de empatia e
intuição.

 Adaptado (SOBOTTA, 2012).

Sistema Límbico
É um sistema constituído pelo lobo límbico e estruturas subcorticais que
estão associadas.
É Responsável pelo sistema nervoso autônomo e regulação dos processos
emocionais.
Uma das estruturas que pertence ao lobo límbico é o hipocampo.

 Adaptado (NETTER, 2008) .

Cerebelo
O cerebelo é um órgão localizado posteriormente no tronco encefálico e se
encaixa na fossa cerebelar do osso occipital.

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 19/25
31/10/2018 Estácio

Está diretamente relacionado ao movimento humano, pois entre suas


principais funções temos a manutenção de equilíbrio, a motricidade fina e o
controle do tônus muscular.

Estruturalmente, é composto por dois hemisférios cerebelares unidos por uma


estrutura: o vérmis

Existem diversas fissuras transversais no cerebelo que o divide em várias


folhas, que unidas formam os lóbulos cerebelares.

Funcionalmente, o cerebelo é divido em lobo anterior, lobo posterior e lobo


flóculo-nodular

Vérmis – controle dos movimentos axiais.


Lobo Anterior Zona Intermédia – controle das porções distais dos
Lobo membros superior e inferior.
Posterior Zona Lateral – planejamento global dos
movimentos motores sequenciais.

Lobo Flóculo-
Relacionado com a função do equilíbrio.
nodular

 Adaptado (NETTER, 2008) .

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 20/25
31/10/2018 Estácio

 Adaptado (NETTER, 2008) .

Atividade
1. Utilize os números para correlacionar os grupos de verbos às suas
categorias de domínio cognitivo:

1Sistema Nervoso Central - 1


Sistema Nervoso Periférico - 2

a) Cerebelo
b) Nervo Facial
c) Mesencéfalo
d) Medula Espinal
e) Nervos Espinais
f) Diencéfalo

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 21/25
31/10/2018 Estácio

2. A estrutura do Sistema Nervoso Central da qual emerge o VIII par de


nervo craniano é?

a) Medula espinal.
b) Mesencéfalo.
c) Ponte.
d) Bulbo.
e) Diencéfalo.

3. O lobo cerebral responsável pelo processamento dos impulsos


auditivos:

a) Frontal.
b) Temporal.
c) Insula.
d) Occipital.
e) Parietal.

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 22/25
31/10/2018 Estácio

4. A divisão do diencéfalo responsável pelo controle do ciclo circadiano:

a) Epitálamo.
b) Subtálamo.
c) Hipotálamo.
d) Tálamo.
e) Metatálamo.

Notas
1
Irritabilidade

É a propriedade responsável por perceber as modificações no meio ambiente e com


isso detectar estímulos. Em síntese, é a característica de responder a um estímulo.

Condutibilidade 2

Outra propriedade é a de conduzir esse impulso da região onde ele foi percebido até
outra região. Em síntese, é a capacidade de conduzir o estímulo recebido.

3
Prosencéfalo

Após sofrer subdivisão, formará o telencéfalo e o diencéfalo. Estes unidos formarão o


cérebro.

Mesencéfalo 4

Não sofre subdivisão, permacendo com o mesmo nome e localizando-se no tronco


encefálico.

Rombencéfalo 5

file:///W:/2018.2/anatomia_sistemica__DIS027__GON809__REF020/aula10.html 23/25