Você está na página 1de 2

III ENCONTRO PARAIBANO DOS ESTUDANTES DE LETRAS

CAMINHOS DAS LETRAS: DIVERSIDADE NUA E CRUA


CATOLÉ DO ROCHA – 2019
REALIZAÇÃO: CENTRO ACADÊMICO DE LETRAS – CAL
APOIO: UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA

PLANO DE AULA - MINICURSO


1. ÁREA TEMÁTICA
LITERATURA
2. TÍTULO
Poética do inóxio: sobre a precariedade na literatura contemporânea (1968-2018)

3. OBJETIVOS
3.1 GERAL
Pretende-se demonstrar que o romance brasileiro contemporâneo tem indícios de que há um projeto romanesco
brasileiro inacabado, interrompido pelo regime militar, que se não refreou o fluxo das formas do projeto estético
narrativo, esvaziou significativamente o projeto ideológico até então em curso, a relação crítica e cultural com a
cor local e com a temática do tempo presente.

3.2 ESPECÍFICOS
 Fazer um estudo comparado da literatura pós-golpe 64 e pós-golpe 2016.
 Identificar se o romance contemporâneo reflete a turbulência histórica e cultural atual
 Traçar um possível quadro da evolução do romance no início e fim da Nova República (1985-
2016.
4. PERCURSO METODOLÓGICO
EM TÓPICOS DESCREVA SEU PERCURSO EM ORDEM DE APLICAÇÃO. EX.:
 Apresentação do tema.
 Discussão sobre a literatura de 1964 e seu engajamento cultural
 Discussão sobre a literatura pós 1985 e o fim da formação da literatura brasileira.
 Discussão sobre a literatura contemporânea: a poética do inóxio.
4.1 RENDIMENTO
4 HORAS (Fixo)
5. RECURSOS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS
EX.:
 MATERIAL XEROGRAFADO;
 LOUSA;
 PINCEL;
 APAGADOR;
6. PROCEDIMENTO AVALIATIVO
Participação ativa nos debates. Análise de trechos literários
7. BIBLIOGRAFIA
ADORNO, Theodor. Notas de literatura I. São Paulo: Duas Cidades/ 34, 2003.
___________. Teoria Estética, Lisboa: Edições 70, 2008.
ARANTES, Paulo. O novo tempo do mundo: e outros estudos sobre a era da emergência. São Paulo: Boitempo,
2014.
__________; ARANTES, Otília. Um ponto cego no projeto moderno de Jurgen Habermas. São Paulo:
Brasiliense, 1992.
CANDIDO, A. Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária. 8.ed. São Paulo: T.A. Queiroz,
2000.
DELCASTAGNE, Regina. Quem é e sobre o que escreve o autor brasileiro. Revista Cult. Nº 231, ano 21.
Fev/2018. Entrevista.
______. A nova narrativa. In: A educação pela noite e outros ensaios. São Paulo: Ática, 1989.
FRANCO, R. Itinerário Político do Romance Pós-64: A Festa. São Paulo: Unesp, 1998.
FUKS, Júlian et ali. Ética e pós-verdade. Porto Alegre: Dublinenses, 2017.
GALVÃO, Walnice de Nogueira. Musas sob Assédio. São Paulo: Folha de São Paulo. Caderno Mais, 17 de
março de 2002
GOUVEIA, A. Minima Imoralia: crítica da crítica acrítica. João Pessoa: Editora da Ufpb, 2013.
HABERMAS, Jurgen. Teoria do agir comunicativo. São Paulo: Martins Fontes, 2015.
__________. A nova intransparência: a crise do estado de bem-estar social e o esgotamento das energias
utópicas. Novos Estudos Cebrap, n.18, set. 1987.
___________. Modernidade – Um projeto inacabado. In: ARANTES, Paulo; ARANTE, Otília. Um ponto cego
no projeto moderno de Jurgen Habermas. São Paulo: Brasiliense, 1992.
LIPOVETSKY, Gilles; SERROY, Jean. A estetização do mundo: vivier no capitalismo artista. São Paulo:
Companhia das Letras, 2015.
LÍSIAS, Ricardo. Dez fragmentos sobre a literatura contemporânea no Brasil e na Argentina. In: TELLES,
Edson; SAFATLE, Vladimir. O que resta da ditadura. São Paulo: Boitempo, 2010
VIEIRA, B. M. As ciladas do trauma: considerações sobre história e poesia nos anos 1970. In: TELES, E;
SAFATLE, V. (Orgs.) O que resta da ditadura. São Paulo: Boitempo, 2010.