Você está na página 1de 44

Novo Protocolo de Sepse – Tasy - Versão 2

Table of Contents
1. Cadastros .................................................................................................................................................. 3
1.1 Regras (Sepse regra liberação)........................................................................................................... 3
1.2 Deflagradores ..................................................................................................................................... 3
1.2.1 PENDENTE: Atualizar o print dos deflagradores .......................................................................... 3
1.2.1 Cliente .......................................................................................................................................... 4
1.2.2 Regra busca de atributo .............................................................................................................. 5
1.3 Parâmetros PEP .................................................................................................................................. 5
2. Regras na função Suporte à Decisão Clínica ............................................................................................ 5
2.1 Status Inicial (1A) – (2) sinais e (0) Disfunção Orgânica DO .............................................................. 7
2.1.1 Ação ............................................................................................................................................. 8
2.1.2 Executor responsável .................................................................................................................. 9
2.2 Status Inicial (1B) - (0) Sinal e (1) Dsfunção Orgânica (DO)............................................................. 11
2.2.1 Ação ........................................................................................................................................... 11
2.3 Segundo Status (2A) – Suspeita de infecção sem disfunção orgância aguardando equipe .......... 12
2.3.1 Ação ........................................................................................................................................... 13
2.3.2 Executor ..................................................................................................................................... 15
2.3.2 Status da Gestão de Alertas e Eventos ..................................................................................... 15
2.4 Segundo Status (2B) – Suspeita de sepse aguardando equipe ...................................................... 15
2.5 Status (3) - Infecção sem Disfunção Orgânica Confirmada ............................................................. 17
2.5.1 Ação ........................................................................................................................................... 18
2.6 Status (4) - Sepse confirmada ......................................................................................................... 18
2.7 Status (5) - Sepse Descartada.......................................................................................................... 20
2.7.1 Ação ........................................................................................................................................... 21
2.8 Status (6) - Choque Séptico .............................................................................................................. 22
2.8.1 Ação ........................................................................................................................................... 24
3. Parâmetros da função ............................................................................................................................ 24
4. Grupo de escalas .................................................................................................................................... 24
5. Registros no Prontuário ......................................................................................................................... 25
5.1 Caso 1 (Somente sinais de alerta sem Disfunção) ........................................................................... 25
5.1.1 Justificar descarte...................................................................................................................... 26
5.1.2 Confirmando itens ..................................................................................................................... 27
5.1.3 Acionando Mentor .................................................................................................................... 28
5.2 Caso 2 (Sinais de alerta + Disfunção Orgânica) ............................................................................... 30
5.2.1 Confirmando o status de sepse ................................................................................................ 32
5.2.2 Acionando o Mentor ................................................................................................................. 32
5.3 Caso 3 (Sinais de alerta + Disfunção Orgânica) removendo a disfunção na escala. ...................... 33
5.3.1 Confirmação do Status pós remoção da disfunção orgânica ................................................... 35
5.3.2 Confirmar intens gerados com apenas 1 sinal ......................................................................... 36
5.3.4 Confirmar itens com apenas uma disfunção orgânica ............................................................. 38
5.4 Caso 4 (Disfunção Orgânica) e sepse confirmada – Choque séptico .............................................. 40
6 Fluxograma do Processo ......................................................................................................................... 43
6.1 Fluxo .................................................................................................................................................. 44
1. Cadastros
1.1 Regras (Sepse regra liberação)
Não houveram mudanças

1.2 Deflagradores
O cadastro apresenta todos os deflagradores da versão 1 e versão 2, porém na Versão 2 existem
somente deflagradores “sinal de alerta para sepse” ou “sinal de disfução orgânica”.

1.2.1 PENDENTE: Atualizar o print dos deflagradores


A primeira aba somente a Philips pode alterar
1.2.1 Cliente
Cliente pode alterar e definir os seus deflagradores e critérios na aba Cliente sepse.
1.2.2 Regra busca de atributo
Vinculação do tipo de resultado ao deflagrador Oligúria – recomenda-se o uso de um resultado do tipo
Perda.

1.3 Parâmetros PEP


Versão 2 para que o sistema identifique nos novos deflagradores e status do processo.

2. Regras na função Suporte à Decisão Clínica


O protocolo apresenta uma nova nomenclatura para atender os requisitos desejáveis do protocolo.

Modelo de Protocolo Sepse


Status 1A e 1B – usa o mesmo status de starte do protocolo, porém com regras de Sinais e DO
diferentes – optou-se por criar uma regra para (2) sinais e (0) Disfunção e outra regra para (0) sinais e (1)
Disfunção. Para que o sistema possa identificar automaticamente por um ou utro.

Status 2A e 2B - -optou-se em trabalhar com os status de Suspeita pendente ação da EQUIPE, onde a
instituição pode definir o responsável e não necessariamente ser o médico. Uma das regra leva o
concetio do sistema identificar automaticamente se houve apenas Sinais e ausência de DO e a outra
regra é para quando o sistema identifica automaticamente se houve Difunção. O objetivo destes é gerar
a Ecala SEPSE com o status aqui cadastrado.

3 Infecção sem Disfunção Ogânica Confirmada - Este status sempre será apresentado quando houver a
confirmação do protocolo de sepse com ausência de disfunção orgânica.

4 Sepse Confirmada - Este status sempre será apresentado quando houver uma confirmação do
protocolo de sepse com a presença de disfunção orgânica.

5 Sepse Descartada - Este status sempre será apresentado quando o protocolo de sepse for descartado
pelo profissional responsável, tendo ou não sido evidenciado sinais ou DO.

6 Choque Séptico - \este status permite vincular uma ação de alerta da função Gestão de Alertas e
eventos que vai enviar a mensagem somente 3h após a confirmação da Sespe. Para que o profissiona
avalie o paciente ee defina se trata de um Choque Séptico ou não.
2.1 Status Inicial (1A) – (2) sinais e (0) Disfunção Orgânica DO
Definir os campos deflagrador de risco e deflagdor de sepse.
2.1.1 Ação
Definir apenas uma ação de alerta em tela – para este status não recomenda o uso de protocolos do
Mentor pois é um status apenas para geração da escala.
2.1.2 Executor responsável
A instituição define se será o enfermeiro que deve receber o primeiro alerta para considerar ou não
sinais na ausência de transfusão sanguínea na última hora.
2.2 Status Inicial (1B) - (0) Sinal e (1) Dsfunção Orgânica (DO)

2.2.1 Ação
Não recomendamos o uso de ação com Mentor pois este status é somente para geração da escala
sepse.
2.3 Segundo Status (2A) – Suspeita de infecção sem disfunção orgância aguardando equipe
Este status será gerado quando os deflagradores que estartatam o processo são somente SIRS e não DO.

É neste status que a instituição deve definir quem é o responsável por receber uma alerta via
Comunicação interna ou SMS quando a escala for gerada e ficar pendente de um profissional avaliar.
Assim também é necessário informar o responsável por receber o alerta da Sepse ao entrar no
prontuário do paciente.

O exemplo mais utilizado e recomendado é utilizar o perfil (sepsi perfil) e informar qual o perfil da
instituição que poderá acessar o prontuário e receber a informação.
2.3.1 Ação
Não recomendamos o uso de ações do Mentor pois este status é utilizado para geração da escala
sepse

Criar o alerta automático para a geração da escala e se a instituição desejar pode criar mais uma ação
com o evento da função Gestão de Alerta e Eventos para comunicar alguma equipe ou responsável de
que houve a geração de uma escala SEPSE e que o processo foi iniciado.
Para o status utilizado a instituição define quem é o executor responsável por receber o segundo alerta
e ser posicionado na escala Sepse. No caso, pode-se definir o perfil sepsi para este status.
2.3.2 Executor
Na primeira ação cadastrada informei apenas um alerta da função Gestão de Alertas e Eventos informei
um responsável por receber o alerta via CI ou SMS (neste caso coloquei o perfil sepsi)

Na segunda ação apenas informei uma descrição que é responsável pelo alerta em tela ao entrar no
prontuário do paciente – para este utilizei o perfil sepsi também, pois assim que ele receber via SMS a
informação, alguém responsável por verificar o processo e que tenha o perfil vinculado á regra, acessará
o prontuário e receberá o alerta em tela para acessar a escala e dar cotinuidade.

2.3.2 Status da Gestão de Alertas e Eventos


Para que o sistema identifique o status seguinte, “Suspeita de Sepse pendente ação da equipe” criar a
regra com ação de alerta com executor responsável. Este status será lido automaticamente pelo
sistema identificando quando houver uma DO registrada.

2.4 Segundo Status (2B) – Suspeita de sepse aguardando equipe


Este status deve ser criado para que se o sistema identificar inicialmente uma, DO, então deve gerar
este como segundo status.
Apenas uma ação é necessária e apenas como um alerta – no caso abaixo foi adicionada mais uma ação
para enviar SMS ou e-mail ao responsável por saber que há uma suspeita de Sepse já que teve DO.
Sempre que houve um starte do protocolo onde não hove DO, então o profissional responsável vai
confirmar SIRS sem DO, o status final será a confirmação de uma Infecção sem Disfunção Orgância.

2.5 Status (3) - Infecção sem Disfunção Orgânica Confirmada


Criar uma regra, uma ação de alerta com executor responsável, que normalmente é o médico do
paciente ou também o Perfil Sepsis.
2.5.1 Ação
A outra ação criada pode ser um protocolo Mentor onde o executor deve ser o usuário responsável pelo
registro, pois será um alerta cosequente da confirmação do alerta anterior.

2.6 Status (4) - Sepse confirmada


Na presença de DO (automática pelo sistema identificada ou adicionada pelo profissional na escala para
confirmação.
Neste Status deve ser criada uma ação para alerta em tela

Um alerta para gerar uma comunicação via SMS – e-mail, Ci, etc

Um alerta com o protocolo Mentor

Lembrando que a primeira Ação de alerta em tela pode ser configurada para um executor “Sepse ferfil”
e a ação de Mentor deve ter como executor o usuário responsável pelo registro.
2.7 Status (5) - Sepse Descartada
Este status pode ser utilizado para que a instituição gere alguma conunicado a uma equipe ou
responsável, apenas para notificar que houve um processo de alerta para avaliação de Sepse e que o
mesmo foi avaliado e descartado.

Em qualquer momento do processo, sempre que o responsável por receber o alerta descatar o
processo, o protocolo de Sepse como um todo é descartado – assumindo o status de Sepse Descartada.
2.7.1 Ação
Apenas alerta para notificar que a mesma doi descartada.
2.8 Status (6) - Choque Séptico
A definição deste status é realizada com uma ação de alerta da unção Gestão de Alerta e Eventos. O
sistema avalia se o status final gerado na escala for de Sepse confirmada, então em 3h após esta
confirmação gera um alerta para reavaliação.
2.8.1 Ação

O executor pode ser informado como o perfil sepsi.

3. Parâmetros da função
(1446) Apresentar as pendências do "Mentor" ao acessar o prontuário do paciente

Habilitar para trabalhar com os alertas do mentor.

4. Grupo de escalas
Sugere-se que a instituição crie um grupo de escalas e índices com o Nome de Protocolo Sepse ou
simplemente Sepse e que este grupo seja infornado como sequência 1 quando liberado para os perfis
que terão acesso. Esta configuração permite que o sistema posicione corretamente na escala sepse
como prioridade na avaliação dos pacientes.
5. Registros no Prontuário
Para que possamos exemplificar o fluxograma do processo, seguiremos com alguns casos.

5.1 Caso 1 (Somente sinais de alerta sem Disfunção)


O sistema identifica que houveram 2 ou mais sinais de alerta (de acordo com os deflagradores definidos)
e apresenta o primeiro alerta ao profissional responsável (conforme foi definido na função SDC para o
Status 1A.

O exemplo utilizado foi o registro de dois sinais vitais (temperatura e frequência cardíaca)

Se o profissional não concorda ou acredita que o paciente possa estar com alterações pois recebeu
transfusão na última hora, então ele clica em NÃO, o sistema abre a janela para justificar o descarte do
protocolo de sepse finalizando o processo neste momento.
5.1.1 Justificar descarte

Se realmente o profissional deseja continuar, então clica em SIM. De acordo com as regras cadastradas
nos status do SDC, a próxima mensagem pode ser apresentada para o profissional que recebeu a
primeira ou apenas para outro profissional conforme definido no SDC.

Se o profissional clicar em NÃO, ele vai justificar o descarte da sepse.

Se clicar em SIM, vai continuar avaliando o paciente. Neste caso, será levado automaticamente para
escala Sepse do tasy para verificação dos deflagradores, decidir se descmarca ou marca outros
deflagradores.

A escala é gerada com o status de: Suspeita de Infecção sem Disfunção aguardando equipe. São
apresentados na escala os deflagradores que foram identificados pelo sistema.
Neste exemplo, não iremos acrescentar nenhum deflagrador de disfução orgância, porém
acrescentaremos (marcar) mais dois deflagradores que são do tipo “Sinal de alerta para sepse”.

5.1.2 Confirmando itens


Se ele optar em continuar o protocolo, utiliza a opção de botão direito “Confirmar itens”. Será
questionado sobre sua ação, apresentando a quantidade de itens confirmados para garantir a sua
decisão.

Ao clicar NÃO define que deseja reavaliar a sua decisão, então o sistema não confirma e o profissional
tem a possibilidade de reavaliar.

Se clicar em SIM o sistema apresenta a mensagem de confirmação do status “Infecção sem Difunção
Orgânica confirmada” Atualizando o status da escala e confirmando o protocolo.
5.1.3 Acionando Mentor
Se a insituião possui um protocolo de apoio a decisão para a geração de uma prescrição, neste
momento será apresentada para decisão.

Se o profissional deseja descartar o protocolo neste momento, utiliza a opção de botão direito
“Descartar” onde será aberta uma janela para justificativa do descarte – atualizando o status da escala
para Sepse descartada e o protocolo será fechado.
5.2 Caso 2 (Sinais de alerta + Disfunção Orgânica)
O exemplo utilizado é quando o sistema identifica que houveram sinais + disfunção ou apenas
disfunção.

As duas mensagens iniciais são as mesmas onde o profissional será direcionado para a escala para tomar
a decisão.

A escala é gerada com o status de: Suspeita de Sepse aguardando ação da equipe.
O profissional pode optar em selecionar mais deflagradores, mas pode confirmar o processo.

Caso opte em descartar, a opção de descarte continua a mesma, através do botão direito. Somente é
apresentada enquanto não houver um status final do processo.

Se ele optar em continuar o protocolo, utiliza a opção de botão direito “Confirmar intens”. Será
questionado sobre sua ação, apresentando a quantidade de itens confirmados para garantir a sua
decisão.
5.2.1 Confirmando o status de sepse

Se clicar em SIM o sistema apresenta a mensagem de confirmação do status “Sepse confirmada”


Atualizando o status da escala e confirmando o protocolo.

Ao clicar NÃO define que deseja reavaliar a sua decisão.

Se a insituição possui um protocolo de apoio a decisão para a geração de uma prescrição, neste
momento será apresentada para decisão.

5.2.2 Acionando o Mentor


5.3 Caso 3 (Sinais de alerta + Disfunção Orgânica) removendo a disfunção na escala.
Se o sistema identificou deflagradores tanto (sinais) como (disfunção orgãnica) e gerou a escala para a
análise do profissional e confirmação:

A escala será gerada com o status de Suspeita de Sepse aguardando ação da equipe.
Pois houve disfunção identificada inicialmente pelo sistema ao gerar o início do protocolo.

O profissional pode remover os deflagradores indicativos de disfunção orgânica e optar por manter
apenas os de sinais, pois pode tratar apenas de uma infecção e não de uma Sepse.

Ao confirmar o sistema apresenta a quantidade de itens confirmados para garantir que está certo da sua
confirmação.
5.3.1 Confirmação do Status pós remoção da disfunção orgânica

Como os deflagradores de Disfunção foram removidos e somente os demais estão sendo confirmados
então o status será de “Infecção sem Difunção Orgânica confirmada”.
Será aberta a mensagem do Mentor quando huver um protocolo cadastrado.

5.3.2 Confirmar intens gerados com apenas 1 sinal


Em caso de o profissional remover os deflagradores deixando apenas um deflagrador do tipo SINAL, e
utilizar a opção de “confirmar itens gerados” o sistema vai apresentar a mensagem de descarte.

Um sinal sozinho não entra no critério para confirmação de um status.


Ao confirmar com apenas 1 sinal o sistema questiona o descarte do Protocolo de Sepse abrindo a tela de
justificativa.
Após justificar atualiza o status da escala.

5.3.4 Confirmar itens com apenas uma disfunção orgânica


Quando houver a confirmação de itens e tiver apenas uma disfunção orgância sem presença de sinais, o
profissional pode confirmar a Sepse.
O sistema apresenta o questionamento de confirmação e atualiza o status da escala.
5.4 Caso 4 (Disfunção Orgânica) e sepse confirmada – Choque séptico
O cadastro de um statu na função DSC permite vincular um alerta da função Gestão de Alerta e Eventos.
Apó a confirmação do status de Sepse confirmada – gerado na escala, o sistema vai analisar o período
de 3h para gerar um alerta ao profissional responsável para reavaliar o paciente e verificar se evoluiu
para Choque Séptico ou Não.
Para que este processo ocorra, será necessário ter a regra do status na função SDC definida com a
opçãod e alerta em ações.

1 – Manualmente o profissional avalia o paciente e vai na escala acionando uma opção de botão direito
para atualizar para Choque Séptico – esta opção somente é apresentada 3h após a confirmação da
Sepse.

Ao acionar a opção de botão direito apresenta o questionamento de confirmação de um Choque


Séptico. Se confirmar SIM – atualiza a escala para o status de Choque Séptico. Se NÃO – a escala
mantém o status anterior de Sepse Confimada.

O alertapara esta situação não é mais apresentado pois o protocolo de sepse finalizou.

Caso a instituição tenha uma ação diferente de evento, ou seja utilizar (um Mentor com protocolo), após
confirmar o novo status será apresentada a tela de Mentor.

Confirmar Choque Séptico


Após confirmar, apresenta a tela de confirmação da ação gerada:

Atualiza o status na escala.


Apresenta a tela para geração do Mentor.

6 Fluxograma do Processo
6.1 Fluxo