Você está na página 1de 875

(o autor ou o tradutor fazem algumas afirmativas perniciosas em relação ao ensino bíblico)

(1)Afirma que Deus fala de muitas maneiras aos salvos...

... mas a Bíblia diz que no VT era assim, agora é só pelo Filho Hb.1:1-2, Jo.5:39, At.17:11

(2)Afirma que Deus se revela de maneiras diferentes às pessoas...

... mas Jesus é a última e completa revelação de Deus Hb.1:1-3, Jo.14:9-11,

(3)Afirma que Deus revela onde está atuando...

... mas Ele atua, ao mesmo tempo, em várias cousas e atrai os interessados em cada uma delas

(4)Afirma que fora da vontade de Deus não há sucesso no que se faz...

... mas o ímpio, mesmo fora da vontade dEle, alcança muito sucesso Sl.37:7

(5)Afirma que tudo no relacionamento com Deus, depende das pessoas

... mas a Graça atrai, e após a conversão ela nos leva à vida nova Tt.2:11-12, Hb.13:20-21

(6)Afirma que há uma crise quando entende-se o chamado de Deus para sua obra...

... mas desde a conversão, o salvo é nova criatura, o velho homem é vencido 2Co.5:20, Gl.2:20

(7)Afirma que Deus atrai e aguarda os salvos a que queiram unirem-se a Ele...

... mas a Bíblia diz que Deus capacita os salvos serem obedientes a Ele 2Co.3:5, Fp.2:13

.
.

Esboço 3

Sete Percebidos nas lições do “Conhecendo Deus”

(pressupostos, objetivos e despertamentos encontrados no entrelinhas)

(1)o salvo, por causa do Espírito Santo, quer mais envolvimentos com Deus

(2)incentivo aos salvos a, cada um, querer mais o que a Graça está operando

(3)mostra o valor vivido pelos que buscam e estão na vontade de Deus

(4)argumenta a se seguir Jesus, um dia de cada vez se antecipações

(5)entusiasmo para se descobrir onde ele está agindo

(6)entusiasmo para se entender a chamada dele para o que está fazendo

(7)entusiasmo para se viver a crise e os ajustes advindos da chamada.


.
.

Esboço 4

Sete Termos Mais Apropriados aos Ensinos do “Conhecendo Deus”

222222
Os Salmos da Busca de Deus
(Salmos 27.8; 42.1,2; 63.1)
por Rod Amonett

"Como suspira a corça pelas correntes das águas, assim, por ti, ó Deus, suspira a minha
alma. A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo" (Salmo 42.1,2).

Com poucas palavras simples os Filhos de Coré descrevem uma cena da vida cotidiana
que nos ajuda a entender o desesperado anseio do homem justo por Deus.

Numa circunstância semelhante, Davi implora ao Senhor:

333333
"Ó Deus, tu és o meu Deus forte, eu te busco ansiosamente; a minha alma tem sede de
ti; meu corpo te almeja, como terra árida, exausta, sem água" (Salmo 63:1).

Os "Salmos da Busca de Deus" refletem a mais profunda e mais premente necessidade


que o homem pode conhecer. Uma vez que corações honestos têm conhecido a Deus, a
satisfação de nossas necessidades físicas e mesmo emocionais não serão mais
suficientes para nos contentar.

Nem mesmo a íntima companhia de outro indivíduo preencherá o grande vazio que
sentimos internamente. Deus, na verdade, colocou a eternidade dentro de nossos
corações, e os homens iluminados pela verdade anseiam com todo o seu ser por "andar"
com seu Criador.

O que é tão maravilhoso é que o próprio Deus deseja e possibilita esta comunhão. Paulo
declarou aos atenienses que Deus nos fez para que nós o "buscássemos" (Atos 17:27), e
Davi assegurou Salomão que o Senhor recompensará os que o buscam honesta e
diligentemente: ". . . porque o Senhor esquadrinha todos os corações e penetra todos os
desígnios do pensamento. Se o buscares, ele deixará achar-se por ti; se o deixares, ele
te rejeitará para sempre" (1 Crônicas 28:9).

Os salmistas eram homens que, certamente, já conheciam Deus. Eles tinham procurado
servi-lo fielmente, mas nestes salmos eles se encontram perseguidos por inimigos e
sentindo-se separados das bênçãos e associação com Deus.

Há dois pontos importantes que podemos notar nestes salmos:

É nos momentos mais negros da vida que nos lembramos de nossa grande
necessidade de Deus. Nos bons tempos, os homens podem desenvolver uma profunda
fé em Deus e gratidão por suas bênçãos, mas é nos tempos difíceis que uma tal fé se

444444
torna nosso muito necessário conforto e aliado. Somente quando os homens são postos
face a face com sua natureza frágil e desamparada é que eles se tornam verdadeiramente
conscientes da magnificente força de Deus e da preciosa natureza de seu amor por nós.

Cada um de nós enfrenta momentos de provação ou aflição, quando não há ninguém a


quem possamos nos voltar, a não ser Deus. O salmista se lamentava: "As minhas
lágrimas têm sido o meu alimento dia e noite", e "Sinto abatida dentro de mim a minha
alma; lembro-me, portanto, de ti . . ." (Salmo 42:3,6). Davi chorou: "Não me recuses, nem
me desampares, ó Deus da minha salvação. Porque se meu pai e minha mãe me
desampararem, o Senhor me acolherá" (Salmo 27:9-10). De novo, Davi escreve: "em ti
medito, durante a vigília da noite. Porque tu me tens sido auxílio" (Salmo 63:6-7).

Tais gritos pela assistência de Deus são com confiança, sabendo que Deus cuida de nós e
agirá em nosso favor: "Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro
de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu" (Salmo
42:5).

Oportunidades para adorar com o povo do Senhor são importantes para nosso
senso de comunhão com Deus. O escritor pergunta: "Quando irei e me verei perante a
face de Deus?" e diz: "Lembro-me destas cousas e dentro de mim se me derrama a alma
de como passava eu com a multidão de povo e os guiava em procissão à Casa de Deus,
entre gritos de alegria e louvor, multidão em festa" (Salmo 42:2,4).

555555
Davi ansiava pelo tempo quando ele ofereceria em sua tenda "sacrifício de júbilo; cantarei
e salmodiarei ao Senhor" (Salmo 27:6).

Os salmistas viam a adoração como um grande privilégio. Eles se sentiam profundamente


privados e frustrados quando eram afastados de tais ocasiões abençoadas. Sua confiança
em Deus por auxílio e benevolência acendiam seu desejo de curvar-se diante de Deus e
reconhecer sua grandeza.

Hoje não estamos menos desesperados em nossa necessidade da amizade e do auxílio


de Deus. Chegamos "humildes de espírito" (Mateus 5:3), cientes de que sua associação é
somente para aqueles que "têm fome e sede de justiça" (Mateus 5:6). Com o salmista,
proclamamos: "A minha alma apega-se a ti; a tua destra me ampara", e: "Como de banha
e de gordura farta-se a minha alma, e, com júbilo nos lábios, a minha boca te louva"
(Salmo 63:8, 5).

Salmo 42 – A minha alma tem sede de Deus


O Salmo 42, da Bíblia Sagrada, foi escrito pelos Filhos de Coré e contém
onze versículos. A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo.

A minha alma precisa de Deus para que eu viva em paz, sempre alegre e
satisfeito entre os seres da terra, criaturas do Senhor, ainda que eu esteja
envolvido em problemas que parecem sem solução imediata.

Os Filhos de Coré são conhecidos também como Filhos de Corá. Pois Coré ou
Corá, na Bíblia, é o nome de uma mesma pessoa.

Por que te Abates


666666
Palavras do Salmo 42

Como o cervo anseia pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma
por ti, ó Deus.

A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo. Quando entrarei e me


apresentarei ante a face de Deus?

As minhas lágrimas servem-me de alimento de dia e de noite, enquanto me


dizem constantemente: Onde está o teu Deus?

Lembro-me destas coisas enquanto dentro de mim derramo a minha alma:


como eu ia com a multidão, guiando a procissão à casa de Deus, com gritos
de alegria, e louvor entre a multidão festiva.

Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas em mim? Espera
em Deus, pois ainda o louvarei, meu Salvador e meu Deus.

Ó meu Deus, dentro em mim a minha alma está abatida; portanto, lembrar-
me-ei de ti deste a terra do Jordão, e desde as alturas do Hermom, desde o
monte de Mizar.

Um abismo chama outro abismo, ao ruído das tuas cataratas; todas as tuas
ondas vagas têm passado sobre mim.

De dia o Senhor dirige o meu amor, e de noite a sua canção está comigo,
uma oração ao Deus da minha vida.

Digo a Deus, a minha Rocha: Por que te esqueceste de mim? Por que ando
em pranto por causa da opressão do inimigo?

Os meus ossos sofrem agonia mortal, quando os meus adversários me


afrontam, dizendo-me o dia todo: Onde está o teu Deus?

777777
Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro em mim?
Espera em Deus, pois ainda o louvarei, meu Senhor e Deus meu.

Salmos 42:1-11

Como servo brama pelas correntes das águas

Assim suspira minha alma por ti o Deus

A minha alma tem sede de ti, quando entrarei;

E me apresentarei ante, a face de Deus

Porque estás abatida, ó minha alma

Porque perturbas dentro de mim

Espere em Deus, Pois ainda o louvarei

Na salvação do seu poder

Minhas lágrimas servem-me de mantimento

De dia e de noite perguntam onde esta teu Deus

Quando lembro, disso derramo minha alma,

Pois eles não entendem que estas dentro de mim.

888888
Salmos 42.1

O salmo começa em um ponto alto. O salmista tem um grande anseio de


estar na presença do Senhor. Diz ele (v.1): “Como uma corça anseia por um
canal de águas, assim a minha alma anseia por ti, ó Deus”. Essa é uma
comparação interessante. A constante necessidade que uma corça tem de
água, principalmente em uma região seca e montanhosa, é a situação à que
o salmista compara sua necessidade constante de andar em comunhão com
o Senhor e seu prazer nessa presença. Ele olha para Deus e se sente
refrigerado e suprido.

A figura continua mostrando que ele deseja cada dia ter mais comunhão
com Deus, dizendo (v.2):

“Minha alma tem sede de Deus”. A expressão “minha alma” não quer dizer,
aqui, apenas a parte espiritual do escritor.

999999
É uma figura usada para representar o homem todo. Assim, ele anseia por
Deus de todo coração, com todas as forças. E não se satisfaz com o que tem.
Deseja sempre mais – por isso, seu desejo será coroado no encontro futuro
com Deus: “Quando irei e me verei diante de Deus?”. Ele olha para o futuro
e vive um ponto alto da sua vida.

Entretanto, ele também olha para as circunstâncias problemáticas ao seu


redor e atravessa um ponto baixo da vida, pelo que diz (v.3): “As minhas
lágrimas se tornaram pão para mim dia e noite”. Essa é uma descrição
terrível.

Em primeiro lugar, revela a intensa tristeza do autor do salmo, a ponto de


se desfazer em lágrimas.

Em segundo lugar, ele não conseguia se alimentar direito, tamanha sua


tristeza. Era como se seu pranto fosse o alimento dos seus dias. Que aflição
profunda! E o que causaria tamanho desgosto? O próprio texto dá uma forte
indicação do motivo: “Em dizerem para mim o dia todo: ‘Onde está o teu
Deus?’”.

O texto não revela o problema em si, mas mostra o efeito. O escritor do


salmo era zombado pelos outros por algum sofrimento que perdurava. Tudo
leva a crer que era, também, acusado de ter sido abandonado pelo Deus a
quem servia. Isso, pelo visto, o abateu sobremaneira.

Mas o salmo dá outra virada ao apresentar um clima diferente quando o


salmista volta seus olhos novamente para o Senhor.

Só que, em lugar de olhar para o futuro, ele olha para o passado e se lembra
do quanto já serviu a Deus e com que prazer (v.4):

101010101010
“Lembro-me disso: [...] Caminhei com a multidão; eu conduzi a multidão
festiva até a casa de Deus em meio a brados de alegria e gratidão”.

A recordação do louvor a Deus, do culto no Templo, da alegria da multidão


por servir ao Senhor e do papel que exercia de promotor de um culto
verdadeiro fez com que o salmista, mais uma vez, fosse transportado a um
ponto alto da sua vida.

Apesar do bom momento, seus olhos voltam para o presente e o que ele
contempla é um homem abatido pelo peso das circunstâncias.

Ele se pergunta (v.5): “Por que a minha alma se encurva?”. Ele se sente
sobrecarregado a ponto de encurvar-se diante das agruras que enfrenta. O
v.7 dá conta de que, apesar de tentar por todos os meios se livrar do mal,
ele sente que está caminhando “de abismo em abismo”, como se fosse
atropelado pelas correntezas destruidoras de um tsunami: “Todas as tuas
vagas e tuas ondas passaram sobre mim”. É como se estivesse se afogando
sem forças para resistir por mais tempo.

Porém, mais uma vez o humor do salmista sai do fundo do poço de tristeza e
sobe até o céu de esperanças. Se há pouco ele declarou chorar dia e noite,
agora afirma (v.8):

“De dia o Senhor estabelece a sua fidelidade e de noite eu canto uma


oração ao Deus da minha vida”. Que transformação! As lágrimas que
alimentam o salmista são convertidas em estrofes de cânticos de louvor e
em declarações de confiança e esperança naquele que é poderoso acima de
todos os males que afligem seus servos. A impressão que se tem desse ponto
do salmo é que, não importa o que aconteça, o salmista está pronto para

111111111111
enfrentar todas as lutas tendo à mão a fidelidade do Senhor para protegê-lo
como um escudo.

Entretanto, uma nova linha do salmo é escrita. Por meio dela percebemos
o escritor novamente abatido, escrevendo do fundo do vale da tristeza. Ele
pergunta a Deus (v.9): “Por que se esqueceste de mim?”. É de surpreender
que ele faça tal pergunta à pessoa sobre a qual declarou ser fiel todos os
dias. Não é, claro, gratuita a mudança de ânimo. Ele se vê ainda
sobrecarregado, conforme diz, “com a opressão dos meus inimigos”. O
efeito da perseguição por parte de tais homens é a que ele declara no
v.10: “opressores me injuriaram com um alarido em meus ossos”. Essa frase
misteriosa parece indicar que as zombarias e ataques por parte dos homens
que o perseguem o atingiram profundamente como se, com um barulho
ensurdecedor, lhe abalassem os ossos e lhe tirassem a capacidade de
permanecer de pé.

Sua conclusão é a de um homem dividido entre a opressão que sente e a


confiança que tem. Ele escreve (v.11):

“Por que a minha alma se encurva? E por que se agita contra mim? Espera
em Deus, pois ainda o louvarei, o meu salvador pessoal e meu Deus”. O
salmista sofre, mas também confia.

À primeira vista, parece se tratar de um salmo cheio de contradições. Ou


melhor, que o próprio salmista é contraditório e, talvez, uma pessoa
instável. Mas, na verdade, não há contradições.

Deus não era fiel em um dia e infiel no outro. Também a situação não era
boa em um dia e ruim no seguinte. O que parece mudar ao longo da
experiência do salmista é a perspectiva com que ele vê os acontecimentos.

121212121212
Quando ele olha para os problemas, deixa-se abater e vive um momento
baixo da vida, em meio à angústia e às incertezas. Mas, quando olha para
Deus, vive um ponto alto por saber que Deus é maior que as circunstâncias,
que é fiel apesar das nossas falhas e que tem um amor que nunca acaba. Por
isso, ele se enche de esperança e de alegria.

Os altos e baixos da vida do salmista, afinal de contas, não vêm das


circunstâncias em si, mas da sua perspectiva pessoal quando olha para os
problemas ou de quando olha para Deus.

Por fim, de certo modo, todos os que já fomos redimidos por Cristo
compartilhamos algo com esse salmista e com Pedro quando estava diante
de Jesus no mar da Galileia. Ao olharmos para o Senhor, somos elevados e
sustentados sobre as águas dos problemas desse mundo. Mas quando
desviamos o olhar do nosso Senhor e, em falta de fé, atentamos somente
para o tamanho das ondas ao nosso redor, começamos a afundar. Não há
encorajamento melhor que esse para que mantenhamos nossos olhos, pela
fé, no Senhor Jesus Cristo, aguardando aquele dia em que olharemos
diretamente em sua face.

Pr. Thomas Tronco

As circunstâncias que cercavam Daí lhe davam inspiração para orar a Deus. Ao ver uma
corça sedenta em busca de água, dizia “como a corça suspira pelas águas, por ti anseia a
minha alma” (Salmos 42.1).

As palavras do Salmo 63.1 vêm do contexto de II Samuel 15. Um momento na vida de


Davi em que estava cercado de conflitos de relacionamento. Já tinha sido perseguido por
Saul. Teve um envolvimento adúltero com Bete-Seba (II Samuel 11.1-10). Tinha sido

131313131313
repreendido severamente por seu amigo, o profeta Natã (II Samuel 12.1-15). Amnom seu
filho havia abusado da irmã Tamar (II Samuel 13.1-10). Seu filho Absalão matou o irmão
Amnom pelo que fez à moça (II Samuel 13.19-32).

A partir de então Absalão persegue Davi para lhe tomar o trono (II Samuel 15.1-20).
Percebe-se que deste o capítulo 11 ao 15 de II Samuel Davi entra em declínio familiar
desde seu adultério com Bate-Seba.

Este Salmo é uma oração em meio à fuga, incertezas e medo. Davi foge à pé para o
deserto e fica totalmente sozinho. Nesta hora de solidão Davi fez uma oração como um
desabafo com Deus.

"Ó Deus, tu és o meu Deus forte, eu te busco ansiosamente; a minha alma tem sede de ti; meu

corpo te almeja, como terra árida, exausta, sem água" (Salmo 63:1).

Os salmistas eram homens que, certamente, já conheciam Deus. Eles tinham procurado
servi-lo fielmente, mas nestes salmos eles se encontram perseguidos por inimigos e
sentindo-se separados das bênçãos e associação com Deus.

Há dois pontos importantes que podemos notar nestes salmos:

1. É nos momentos mais negros da vida que nos lembramos de nossa grande
necessidade de Deus. Nos bons tempos, os homens podem desenvolver uma profunda
fé em Deus e gratidão por suas bênçãos, mas é nos tempos difíceis que uma tal fé se
torna nosso muito necessário conforto e aliado. Somente quando os homens são postos
face a face com sua natureza frágil e desamparada é que eles se tornam verdadeiramente
conscientes da magnificente força de Deus e da preciosa natureza de seu amor por nós.

Cada um de nós enfrenta momentos de provação ou aflição, quando não há ninguém a

141414141414
quem possamos nos voltar, a não ser Deus. O salmista se lamentava: "As minhas
lágrimas têm sido o meu alimento dia e noite", e "Sinto abatida dentro de mim a minha
alma; lembro-me, portanto, de ti . . ." (Salmo 42:3,6). Davi chorou: "Não me recuses, nem
me desampares, ó Deus da minha salvação. Porque se meu pai e minha mãe me
desampararem, o Senhor me acolherá" (Salmo 27:9-10). De novo, Davi escreve: "em ti
medito, durante a vigília da noite. Porque tu me tens sido auxílio" (Salmo 63:6-7).

Tais gritos pela assistência de Deus são com confiança, sabendo que Deus cuida de nós e
agirá em nosso favor: "Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro
de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu" (Salmo
42:5).

2.Oportunidades para adorar com o povo do Senhor são importantes para nosso
senso de comunhão com Deus.

O escritor pergunta: "Quando irei e me verei perante a face de Deus?" e diz: "Lembro-me
destas cousas e dentro de mim se me derrama a alma de como passava eu com a
multidão de povo e os guiava em procissão à Casa de Deus, entre gritos de alegria e
louvor, multidão em festa" (Salmo 42:2,4). Davi ansiava pelo tempo quando ele ofereceria
em sua tenda "sacrifício de júbilo; cantarei e salmodiarei ao Senhor" (Salmo 27:6).

Os salmistas viam a adoração como um grande privilégio. Eles se sentiam profundamente


privados e frustrados quando eram afastados de tais ocasiões abençoadas. Sua confiança
em Deus por auxílio e benevolência acendiam seu desejo de curvar-se diante de Deus e
reconhecer sua grandeza.

Hoje não estamos menos desesperados em nossa necessidade da amizade e do auxílio


de Deus. Chegamos "humildes de espírito" (Mateus 5:3), cientes de que sua associação é
somente para aqueles que "têm fome e sede de justiça" (Mateus 5:6). Com o salmista,

151515151515
proclamamos: "A minha alma apega-se a ti; a tua destra me ampara", e: "Como de banha
e de gordura farta-se a minha alma, e, com júbilo nos lábios, a minha boca te louva"
(Salmo 63:8, 5).

Desabafo com Deus

Tema: ORAÇÃO

Salmos 63.1

-Introdução: As circunstâncias que cercavam Daí lhe davam inspiração


para orar a Deus. Ao ver uma corça sedenta em busca de água, dizia “como
a corça suspira pelas águas, por ti anseia a minha alma” (Salmos 42.1).
Quando se abrigava numa caverna de pedra, declarava: “o Senhor é a minha
rocha, a minha fortaleza, o meu abrigo” (Salmos 18.1). Pastoreando com

161616161616
cuidado as suas ovelhas, proclamava: “o Senhor é o meu pastor e nada me
faltará” (Salmos 23.1). No meio de uma tempestade de trovões orou
dizendo: “Ouve-se a voz do SENHOR sobre as águas; troveja o Deus da
glória” (Salmos 29.13). Assentado em seu trono real exaltava a Deus
chamado-O de “meu rei” (Salmos 44.4).

Imagino Davi assentado com sua harpa louvando ao Senhor e abrindo o


coração diante de Deus. Ele contava para Deus o que acontecia e o louvava
sempre.

As palavras do Salmo 63.1 vêm do contexto de II Samuel 15. Um momento


na vida de Davi em que estava cercado de conflitos de relacionamento. Já
tinha sido perseguido por Saul. Teve um envolvimento adúltero com Bete-
Seba (II Samuel 11.1-10). Tinha sido repreendido severamente por seu
amigo, o profeta Natã (II Samuel 12.1-15). Amnom seu filho havia abusado
da irmã Tamar (II Samuel 13.1-10). Seu filho Absalão matou o irmão Amnom
pelo que fez à moça (II Samuel 13.19-32).

A partir de então Absalão persegue Davi para lhe tomar o trono (II Samuel
15.1-20). Percebe-se que deste o capítulo 11 ao 15 de II Samuel Davi entra
em declínio familiar desde seu adultério com Bate-Seba.

Este Salmo é uma oração em meio à fuga, incertezas e medo. Davi foge à
pé para o deserto e fica totalmente sozinho. Nesta hora de solidão Davi fez
uma oração como um desabafo com Deus.

Você já desabafou com Deus?

171717171717
Vamos refletir nas palavras de Davi e aprender sobre a oração em forma de
desabafo e o quê alcançamos quando desabafamos com Deus:

1- Satisfação de ALMA: v.1 “a minha alma tem sede de Ti”.

Quando desabafamos com Deus sentimos Satisfação de Alma.

Davi esta no deserto e com sede, por isso disse para Deus que como aquela
“terra árida e sem água”, também ele precisava de Deus. Afirmou que sua
necessidade de Deus era maior do que a sede que sentia naquele momento.

Nossa maior necessidade é Deus. Por isso Jesus disse que é a “água da
vida” que flui de nosso interior se crermos Nele (João 4.10 e 7.38). Só Jesus
pode satisfazer plenamente o ser humano. Dentro de cada alma há uma
profunda sede que não é saciada por nenhum prazer que vicia, a não ser por
Jesus Cristo que satisfaz.

Você sente sede espiritual?

Jesus pode te saciar para sempre!

2- Amor ao TEMPLO: v.2 “assim eu te contemplo no Teu santuário”

Quando desabafamos com Deus lembramos o que aprendemos no Templo.

Davi amava o Templo, a casa de Deus. Ali era seu lugar preferido. Mesmo
longe do templo, sentiu ali a presença de Deus.

181818181818
Nós somos templo do Espírito Santo (I Coríntios 6.19,20) por isso mesmo
que estejamos num deserto podemos sentir a presença de Deus.

Davi não estava olhando para as circunstâncias e sim para Deus. Não
olhava sua fraqueza, mas a força do Senhor e nem mesmo percebia o
deserto, por que sentia a presença de Deus e só queria “ver Tua força e Tua
Glória” (v.2). Nem se lembrou dos seus problemas por que estava
meditando na Palavra de Deus que ouvia no Templo.

Em momentos de luta, podemos fechar os olhos e crer no invisível (II


Coríntios 5.7) e meditar nas horas de alegria que passamos orando na casa
de Deus. Os momentos de oração são úteis para situações de conflito.

Você tem amado a casa de Deus?

O que você aprende na Igreja é útil para momentos de luta!

3- Dependência da Graça de Deus: v.3,4 “por que a Tua Graça é melhor do


que a vida”

Quando desabafamos com Deus aprendemos a depender da Graça de Deus.

Davi estava perdendo tudo o que tinha, o reino estava sendo tomado por
seu filho Absalão, o povo não confiava em um rei adúltero e assassino, a sua
família estava arruinada por incesto e morte entre irmãos, a casa que tinha
agora era apenas o deserto por que fugira do palácio e não tinha onde ficar.

Foi neste momento que disse para Deus que ao Senhor ele nunca perderia,
mesmo que perdesse tudo, até a própria vida, ter Deus é melhor do que a
vida. Ele reconheceu que tudo o que tivesse, o trono, família, casa e

191919191919
riqueza era fruto da Graça de Deus. Por isso declarou “a Tua Graça é
melhor do que a vida” (v.3).

Mesmo no meio daquela crise, Davi louvou a Deus dizendo “cumpre-me


bendizer-te enquanto eu viver; em teu nome, levanto as mãos” (v.4). Ele
desejou que mesmo se não vivesse muito, mesmo que estivesse perto do
fim, queria continuar louvando ao Senhor enquanto viver, cantando e
erguendo as mãos.

Erguer as mãos tem o sentido de entregar os problemas e receber (pegar)


a bênção. Quando erguemos nossas mãos aos céus estamos rendidos diante
do Senhor e tocamos mais alto do que nossa cabeça, pela fé na presença de
Deus.

Quando passamos por problemas que nos levam a limitações, aprendemos


como somos dependentes de Deus e que sua Graça é suficiente para nossas
fraquezas (II Coríntios 12.7). Muitas vezes nos achamos auto-suficientes e
por isso caímos em muitas incoerências e frustrações. Ao reconhecermos
que somos dependentes de Deus voltamos a realizar plenamente nossos
sonhos.

Você tem aprendido a depender da Graça de Deus?

Quando passar por dificuldades, lembre-se de depender da Graça!

4- PROVIDÊNCIA Divina: v.5 “como de banha e de gordura farta-se a minha


alma”

Quando desabafamos com Deus, vemos o Senhor prover para nossas


necessidades.

202020202020
Davi estava refugiado no deserto, mas o Senhor lhe providenciava quem
lhe levasse alimento. Mas Davi sabia que sua necessidade maior não era
comida e sim que Deus estivesse junto com ele. Nas palavras de Davi
expressava que estar com Deus no deserto é como estar satisfeito diante de
um grande banquete. Ele sabia que “nem só de pão viverá o homem, mas de
toda palavra que procede da boca de Deus” (Deuteronômio 8.3). Assim
como o alimento é importante para a sobrevivência, Deus também é
indispensável.

Jesus é o pão da vida (João 6.48) que satisfaz nossas almas mesmo que
estejamos num deserto. Quem tem Deus consigo, mesmo sendo pobre tem
tudo, mas quem não está com Jesus, mesmo sendo rico sempre lhe falta
algo. Satisfação não é ter tudo. É não sentir falta de nada. É isso que Davi
quis dizer no Salmo 23.1: ‘o senhor é o meu pastor e de nada sentirei falta’
[grifo meu]. OU seja, mesmo que falte algo, ou que não tenha tudo, estou
satisfeito com o que Deus tem provido para mim, como disse o apóstolo
Paulo “aprendi a viver contente em toda e qualquer situação” (Filipenses
4.11) e logo em seguida declarou “tudo posso naquele que me fortalece”
(Filipenses 4.13).

No meio de crises e dificuldades vemos sempre a providência de Deus para


nos sustentar em cada uma de nossas necessidades (Mateus 6.8). O Senhor é
o Jeová-Jiré, o Deus provedor (Gênesis 22.13,14).

Você já experimentou a provisão divina na hora da dificuldade?

Deus pode prover tudo o que precisa para vencer!

5- DESCANSO espiritual: v.6,7 “no meu leito quando de Ti me recordo... à


sombra das tuas asas eu canto jubiloso”

212121212121
Quando desabafamos com Deus aprendemos a descansar no Senhor e
esperar Nele.

Quando Davi estava em seu palácio, em sua cama real, sempre orava e
pensava em Deus. Porém ali no deserto não havia nem palácio e nem cama,
mas Davi se deitou e começou a lembrar das bênçãos de Deus em sua vida.
Recordou das vitórias que alcançara na presença do Senhor. Ele preferiu
deixar a amargura para se deliciar nas boas lembranças que tinha em sua
vida.

Com isso aprendemos que ao invés de curtir amargura com lembranças de


problemas, podemos nos exercitar em grata memória do que Deus já fez em
nossas vidas e crer que Ele pode fazer muito mais.

No deserto não havia muita opção de sombra, contudo Davi declarou que
estar com Deus é como descansar numa sombra fresca (v.7). Também não
tinha instrumentos musicais que Davi gostava de ouvir, tocar e acompanhar
cantando louvores. Mesmo assim nada impedia que adorasse a Deus com a
mesma alegria de sempre. Ele usou a força de seus pulmões e com muito
prazer entoou “canto jubiloso” para Deus.

Muitas vezes achamos bonito cantar na igreja ao som de muitas vozes e


instrumentos, mas quando estamos sozinhos em nosso deserto não
encontramos forças para louvar. Davi é um exemplo de adorador em
qualquer situação.

No meio das dificuldades não estamos sozinhos de habitarmos “no


esconderijo do Altíssimo à sombra do Senhor Onipotente descansará”
(Salmos 91.1). Podemos louvar a Deus apesar das circunstâncias por que Ele
é Deus e continua sendo digno de adoração.

222222222222
Você tem descansado no Senhor e adorado a Deus mesmo em meio às
lutas?

Adore ao Senhor e descanse Nele!

6- Desapego às coisas MATERIAIS: v.8 “a minha alma apega-se a Ti, a Tua


destra me ampara”

Quando desabafamos com Deus aprendemos a desapegar de coisas


materiais.

A esta altura Davi não tinha mais apego às coisas materiais, não disse que
queria voltar para casa e para seu trono, poder e conforto. Chegou à
conclusão de que a única coisa que se apegava que não podia viver sem era
a presença de Deus.

Vivemos em um mundo tecnológico e materialista onde a verdade


espiritual compete com ilusões virtuais. Isso tudo polui a mente das pessoas.
Por exemplo, você viveria sem luz elétrica, geladeira, celular, TV e outras
coisas da modernidade? Imagino que algumas destas coisas seria difícil para
todos nós. Não há problema algum em qualquer destes objetos. O problema
é o ser humano se apegar a eles e valorizar mais as coisas do que as pessoas.
Por isso o apóstolo Paulo disse que “Porque o amor do dinheiro é raiz de
todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se
atormentaram com muitas dores” (I Timóteo 6.10).

Davi aprendeu a dar o real valor ao que realmente tem valor dizendo “a
tua destra me ampara” (v.8). Dizia isso por que quando o rei ia se levantar
do trono era apoiado com a mão direita por uma pessoa importante ao seu
lado ou por um servo. Neste momento Davi não tinha trono e ninguém que o

232323232323
ajudasse a se levantar, mas tinha a mão de Deus para sustentá-lo (Salmos
37.23,24).

Você tem se apegado às coisas materiais?

Desapegue-se de tudo que é desnecessário!

7- Entrega ao DOMÍNIO de Deus: v.9-11

Quando desabafamos com Deus aprendemos a deixar Deus agir


reconhecendo seu domínio sobre tudo. Com esta confiança perdemos o
medo do que as pessoas dizem a nosso respeito por que nos importa mais o
que Deus vê.

Davi era um homem forte e poderoso. Poderia querer usar sua influência
para se vingar quando saísse dali, mas preferiu confiar na justiça Divina. Ele
havia aprendido que a mentira não prevalece, por isso não temia aos seus
caluniadores “pois se tapará a boca dos que proferem mentira” (v.11).
Como é duro ser injuriado! Como se não bastasse sua própria consciência,
ainda tinham pessoas o apedrejando com palavras (Salmo 120.2). Mas tudo
isso serviu para que aprendesse a confiar totalmente em Deus com Rei dos
reis.

A partir desta oração Davi deixou Deus conduzir sua vida e ser o verdadeiro
Rei de seu povo. Ele saiu daquele deserto como um novo homem
direcionado pelo Espírito de Deus.

Não adianta querer resolver as coisas do nosso jeito por que dá tudo
errado e “nós conhecemos aquele que disse: A mim pertence à vingança; eu
retribuirei. E outra vez: O Senhor julgará o seu povo.” (Hebreus 10.30). Não
tenha medo de pessoas que mentem por que “nada está oculto, senão para

242424242424
ser manifesto; e nada se faz escondido, senão para ser revelado” (Marcos
4.22).

Você tem confiado no Domínio de Deus sobre você ou tem resolvido seus
problemas à sua maneira?

Deixe Deus dominar sua vida e te defender do perigo fazendo justiça!

Desabafe seus problemas com Deus!

-CONCLUSÃO:

Há um hino que diz: ‘conte pra Jesus onde é a sua dor, Ele é o remédio,
confia no Senhor. Não te desanimes, tome a sua cruz, o que tu precisas
conta pra Jesus’. Esta letra transmite as palavras deste salmo que devemos
desabafar nossos problemas primeiramente com Deus.

Em todos os momentos Davi encontrava motivo para oração e louvor.


Mesmo sendo pastor de ovelhas, tinha um cantinho no campo para falar com
Deus. Quando foi músico do rei Saul aproveitava para expressar seu louvor
ao Senhor. Quando foi soldado e até general do exército, nunca se achou
ocupado demais para não ter tempo de orar. Ao se tornar rei, mais ainda
Davi dedicou sua vida a conversar com o Deus Todo Poderoso e não tinha
vergonha de cantar, gritar e dançar na presença de Deus e do seu povo.

Precisamos exercitar nossa comunhão e diálogo com Deus para que quando
estivermos sozinhos, sintamos mais forte ainda a Sua presença enchendo
tudo ao nosso redor.

Abra seu coração para Deus. Conte tudo para Ele. Confie no Senhor como
seu melhor amigo. Entregue sua vida totalmente a Jesus.

Quando desabafamos com Deus sentimos Satisfação de Alma, lembramos o


que aprendemos no Templo, aprendemos a depender da Graça de Deus,
252525252525
vemos o Senhor prover para nossas necessidades, descansamos no Senhor e
esperamos Nele, desapegamos de coisas materiais e deixamos Deus agir
reconhecendo seu domínio sobre tudo.

Agora mesmo você pode encontrar um cantinho para desabafar com Deus.

Você tem desabafado com Deus?

Ore a Deus de todo coração e conte qual é o seu problema!

O Derramar das bênçãos

TEXTO: Isaías 44:3

 Porque derramarei água sobre o sedento, e rios sobre a terra seca; derramarei o

meu Espírito sobre a tua posteridade, e a minha bênção sobre os teus descendentes.

 Dar-vos-ei águas abundantes para matar a sede, a vocês e aos vossos campos

ressequidos. Derramarei o meu Espírito e as minhas bênçãos sobre os vossos filhos.

 Vou fazer com que caia chuva no deserto e com que em terras secas corram

rios. Assim também derramarei o meu Espírito sobre os seus descendentes e lhes darei

as minhas bênçãos.

 TERRA seca não tem valor; ninguém valoriza.

 Para o inimigo você não tem valor.

 Para Deus você tem valor.

 TERRA seca sofre abandono e torna um deserto.

262626262626
 Deus que fluir dentro de você um rio de águas viva.

 TERRA seca devido a falta de água rompe-se em fendas ou brechas.

 Deus deseja fechar todas as brechas que há em sua vida.

 TERRA seca pouca água não resolve, desaparece nas fendas ou nas brechas.

 TERRA seca só se torna fértil com fartura de água.

 Isto existir um rio a sua disposição.

 TERRA seca pode ser você, porém, Deus convida você para inundar a tua alma com

águas do Espírito Santo.

1. Derramarei água sobre o sedento.

O verbo derramar nos leva a entender que a água será derramada em abundância; que não

faltará água para o Senhor derramar.

Ele não está dizendo que estará pingando água, aos poucos, com conta gotas, de forma

minguada; mas, está dizendo que vai derramar água.

Quem derrama, não está preocupado com a quantidade; mas, o faz com abundancia.

Esta água vem da sua própria fonte, que derrama incessantemente. Ele é a fonte inesgotável.

 Deus não quer só matar a nossa sede.

272727272727
 Ele é supremo, poderoso, forte, abençoador e derrama rios de bênçãos sobre nós,

dando-nos o entendimento do que fazer, de como agir, de que caminho seguir para

abençoarmos também tanto nossa posteridade, como nossos descendentes com o poder

orientador do Espírito Santo.

2. DERRAMAREI:

 O que nos dá plena segurança é que Ele mesmo está prometendo, DERRAMAREI.

 Ele não mandou dizer; Ele não mandou derramar.

 A promessa é dele mesmo: DERRAMAREI.

 Isto nos leva a ter plena segurança; plena certeza.

 É Ele e não outro quem vai derramar.

 Isto é maravilhoso, porque em Deus nós podemos confiar.

 Este rio de Deus é maravilhoso, surpreendente e muito, mas muito maior do que

você pode imaginar.

 Não é só um “copinho de água” para molhar o seu boca seca, não!

 É Deus dizendo que o ama que você é querido por Ele, que você consegue

destaque inimaginável em suas atividades, sejam elas profissionais, financeiras, na saúde,

nos relacionamentos, na família!

 Deus abre as Suas Santas comportas nos rios da vida para você hoje.

282828282828
 Não perca mais tempo em assumir esta benção transformadora em sua vida.

 Você já é o sucesso de Deus onde colocar as suas mãos, segundo a vontade de

Deus, que Ele já lhe concedeu.

 Descendência é composta daqueles nascidos de nós ou de quem nós nascemos,

nossos familiares.

Conclusão:

 Deus Faz

 Chover no deserto.

 E cria Rios em terras secas.

Não sei o que está seco na sua vida, mas se prepare, pois Deus vai começar a mandar chuva. E se

ele manda chuva arvores vão começar a crescer Para dar seu fruto. Vamos começar a comer os

frutos que Deus está dando para nos.

Significado Posteridade:

Indivíduos que descendem de uma mesma origem. Gerações futuras. Descendência, progenitora.

Significado de Descendente:

Linha descendente, a geração contada dos pais ou avós para os filhos e netos.

Em outras palavras Deus quer abençoar a todos tanto agora como no seu futuro.

292929292929
Isaías 32:15 - Versos Paralelos

Bíblia King James Atualizada


até que sobre nós o Espírito seja derramado do alto, o deserto seja
transformado em campo fértil, e o campo fértil pareça uma floresta.

João Ferreira de Almeida Atualizada


até que se derrame sobre nós o espírito lá do alto, e o deserto se torne em
campo fértil, e o campo fértil seja reputado por um bosque.

A ÁGUA E O ESPÍRITO

João 3.5¨Nascerda água e do Espírito¨..

O que significa? Tradicionalmente, têm existido duas interpretações desta


frase:

1.A primeira é que "nascer da água" está sendo usada por Jesus para se
referir ao nascimento natural (com água referindo-se ao líquido amniótico
que envolve o bebê no útero) e “nascer do Espírito” indica o nascimento
espiritual. Embora essa certamente seja uma possível interpretação do
termo "nascer da água" e aparente se encaixar no contexto da pergunta de

303030303030
Nicodemos sobre como um homem pode nascer "quando é velho", essa não é
a melhor interpretação ao levar-se em consideração o contexto desta
passagem. Afinal, Jesus não estava falando sobre a diferença entre o
nascimento natural e o nascimento espiritual. Ele estava apenas explicando
a Nicodemos a sua necessidade de "nascer de cima" ou "nascer de novo".

2.A segunda interpretação comum desta passagem e a que melhor se


encaixa no contexto geral, não só desta passagem, mas da Bíblia como um
todo, é a que enxerga a frase "nascido da água e do Espírito" como
descrevendo os aspectos diferentes do mesmo nascimento espiritual, ou do
que significa "nascer de novo" ou "nascer do alto".

Assim, quando Jesus disse a Nicodemos que devia "nascer da água e do


Espírito", Ele não estava se referindo à água literal (isto é, o batismo ou o
líquido amniótico no útero), mas à necessidade de limpeza espiritual ou
renovação. Por todo o Antigo Testamento (Salmos 51:2,7; Ezequiel 36:25) e
Novo Testamento (João 13:10; 15:3, 1 Coríntios 6:11, Hebreus 10:22), a
água é muitas vezes usada figurativamente da limpeza ou regeneração
espiritual causada pelo Espírito Santo, através da Palavra de Deus, no
momento da salvação (Efésios 5:26, Tito 3:5).

A Bíblia de Estudo Barclay (Barclay Daily Study Bible) descreve este conceito
da seguinte forma: "Há dois pensamentos aqui.(1.) A água é o símbolo da
purificação. Quando Jesus toma posse da nossa vida, quando o amamos com
todo o nosso coração, os pecados do passado são perdoados e esquecidos.

(2)O Espírito é o símbolo de poder. Quando Jesus toma posse da nossa


vida, não significa apenas que o passado foi esquecido e perdoado; se isso
fosse tudo, talvez continuássemos vivendo a mesma bagunça de vida
novamente, o que não é o caso. Nessa vida entra um novo poder que nos
313131313131
capacita a ser aquilo que nunca seríamos capazes de ser e fazer se
estivéssemos sozinhos. A água e o Espírito significam a limpeza e o
fortalecimento do poder de Cristo, o qual apaga o passado e dá a vitória no
futuro."

Portanto, a "água" mencionada neste versículo não é uma água física e


literal, mas a "água viva" que Jesus prometeu à mulher no poço em João
4:10 e às pessoas em Jerusalém em João 7:37-39. A purificação interior
e renovação produzida pelo Espírito Santo são a causa da vida espiritual
que o pecador morto passa a ter (Ezequiel 36:25-27; Tito 3:5). Jesus
reforça esta verdade em João 3:7 ao reafirmar que é preciso nascer de
novo e que esta novidade de vida só pode ser produzida pelo Espírito
Santo (João 3:8).

Há várias razões para acreditarmos que essa seja a interpretação correta da


frase "nascer da água e do Espírito".

Primeiramente, devemos notar que a palavra grega traduzida como "de


novo" tem dois significados possíveis. O primeiro é "de novo" e o segundo é
"do alto".

Nicodemos aparentemente achava que se referia ao primeiro significado,


"de novo", e enxergou essa ideia como incompreensível. Por isso ele não
conseguia entender como um homem crescido poderia voltar ao ventre de
sua mãe e nascer de novo fisicamente. Portanto, Jesus reafirma de uma
forma diferente o que havia acabado de dizer a Nicodemos, de modo que
ficasse claro que Ele estava se referindo a "nascer do alto".

323232323232
Em outras palavras, tanto o "nascer do alto" quanto o "nascer da água e do
Espírito" estão dizendo a mesma coisa.

Segundo, é importante notar que a gramática grega neste versículo parece


indicar que "nascer da água" e "nascer do Espírito" são uma coisa só e não
duas ideias distintas.

Portanto, não está falando de dois nascimentos separados, como Nicodemos


incorretamente achou, mas de um nascimento, o de ser "nascido do alto" ou
do nascimento espiritual necessário para que se possa "ver o reino de Deus".
Essa necessidade de "nascer de novo", ou de ter o nascimento espiritual, é
tão importante que Jesus diz a Nicodemos de sua necessidade em três
momentos diferentes nesta passagem das Escrituras (João 3:3, 5, 7).

Em terceiro lugar, a água é muitas vezes usada simbolicamente na Bíblia


para se referir à obra do Espírito Santo em santificar o crente, através da
qual Deus limpa e purifica o coração ou alma do crente. Em muitos
lugares de ambos o Antigo e Novo Testamentos, o trabalho do Espírito
Santo é comparado à água (Isaías 44:3, João 7:38-39).

Jesus repreende Nicodemos em João 3:10 ao perguntar-lhe: "Você é mestre


em Israel e não entende essas coisas?" Isto implica que o que Jesus tinha
acabado de dizer a ele era algo que Nicodemos já deveria saber e conhecer
por causa do Antigo Testamento. O que é que Nicodemos, como mestre do
Antigo Testamento, já deveria saber e compreender?

333333333333
É que Deus havia prometido no Antigo Testamento um tempo vindouro
quando iria "aspergir água pura sobre vocês, e vocês ficarão puros; eu os
purificarei de todas as suas impurezas e de todos os seus ídolos. Darei a
vocês um coração novo e porei um espírito novo em vocês; tirarei de vocês o
coração de pedra e lhes darei um coração de carne. Porei o meu Espírito em
vocês e os levarei a agirem segundo os meus decretos e a obedecerem
fielmente às minhas leis" (Ezequiel 36:25-27).

Jesus repreendeu Nicodemos por não ter se lembrado ou compreendido uma


das principais passagens do Antigo Testamento referentes à Nova Aliança
(Jeremias 31:33). Nicodemos deveria ter esperado que isso aconteceria. Por
que Jesus repreendeu Nicodemos por não entender o batismo, mesmo
quando o batismo não é mencionado em nenhum lugar do Antigo
Testamento?

o batismo não nos salva. O que nos salva é o trabalho de limpeza do Espírito
Santo quando nascemos de novo e somos regenerados por Ele (Tito 3:5).

“Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer


da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus” (João 3:5).

(1) Nascer da água: Jesus aqui usa um elemento que nos aponta para a
purificação. A água tem esse forte apelo purificador, lavador. Nicodemus
precisaria ser lavado, purificado de seus pecados e pensamentos errados. A
água também pode ter sido usada aqui por Jesus para trazer à memória a
pregação de João Batista, que era enfático da importância do
arrependimento antes de receber o batismo (água) como símbolo daquilo
que já havia acontecido no coração da pessoa. O arrependimento e,

343434343434
consequentemente, a purificação dos pecados, era um pré-requisito
importante para fazer parte do reino de Deus.

(2) Nascer do Espírito: O Espírito Santo é aquele que toca em nosso coração.
Jesus exemplificou de uma forma impressionante: “O vento sopra onde
quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai;
assim é todo o que é nascido do Espírito” (João 3:8). O Espírito Santo
impacta nosso coração, nos mostra nosso erro, nos provoca, trabalha em
nós. Ai sim temos as condições de responder a essa ação com o nosso
arrependimento e sendo purificados então por Ele.

Sem nascer do Espírito ninguém consegue se arrepender, pois está


totalmente preso a sua natureza carnal pecaminosa. O Espírito Santo nos dá
a possibilidade de vencermos essa natureza, de nascermos de novo para
uma nova vida, agora com Deus.

(3) O que temos aqui é o ensino profundo de Jesus sobre a obra de salvação.
Não depende de nossas obras, é graça de Deus (Efésios 2:8-9). Deus nos
capacita a responder ao Evangelho. Nascemos de novo. Nosso espírito se
renova, somos perdoados, somos transformados e experimentamos o poder
de Deus. Nos transformamos em discípulos, em seguidores de Jesus de
Nazaré. Era essa ênfase poderosa que Jesus expôs a Nicodemus quando lhe
disse que era necessário nascer da água e do Espírito.

Profecias sobre a futura obra do Espírito Santo com os judeus

353535353535
Textos: Isaías 44.2-3; Ezequiel 37.1-14; 39.28-29; Zacarias 12.10.

O Espírito de Deus pairava sobre as águas" aparece logo no início da Bíblia,


em Gênesis 1,2, na narração da criação. Sendo esse o primeiro versículo que
conta a criação (Gênesis 1,1, na verdade, é um título), a pergunta faz
sentido, visto que ainda não havia sido criado nada, tão pouco as águas.

Seguindo a leitura, invés, percebemos que também as trevas não foram


criadas. O versículo 3 diz que a luz foi criada e Deus a separou das trevas
(versículo 3). Igualmente, para as águas, não se fala da criação delas, mas
apenas da criação de um firmamento, que separou as águas "de cima" das
águas "de baixo" (versículo 6-7).

O Espírito pairava sobre as águas

A palavra hebraica usada aqui para "espírito" é "huah". A Bíblia de Jerusalém


não traduz como "espírito", mas como "sopro" e diz que se poderia traduzir
como "grande vento". Talvez não deveríamos ver já nisso ainda a ação do
"Espírito Santo", como elemento criador do universo, pois seria como tirar,
antecipando, a novidade da criação divina.

ÁGUA TIPO DO ESPÍRITO SANTO:

363636363636
ÁGUA -A água é um tipo comum do Espírito Santo na salvação. O espaço
proíbe-nos de nos aprofundarmos neste tipo como gostaríamos. A. A água é
a fonte da vida. Sem água este mundo seria um cemitério desolado e
ressecado. Da mesma forma é a presença do Espírito que traz vida e fruto
espiritual para as nossas vidas.

(Gálatas 5.22; Isaías 44.3; Atos


2.37).

A terra tem abundância de água. Os remidos também têm uma fonte


abundante do poder do Espírito(João7.38).

É necessária água para a limpeza. É o Espírito quem limpa nossos corações


na regeneração e, continua nos purificando quando diariamente nos
aproximamos de nosso Pai celestial (Tito 3.5; Êxodo 29.4).

O Espírito Santo é comparado à água viva vinda de um córrego constante.


Ele é de todas as formas superiores aos poços e às poças estagnadas deste
mundo.

Enquanto os prazeres desta vida desaparecem e acabam, o Espírito de Deus


continua sendo uma fonte interior de vida e gozo (João 4.14; 7.37-39)

Sede Espiritual

373737373737
Você tem Sede de Deus?

Por: Don Whitney

Você tem sede de Deus? Sede é uma parte do plano de Deus que nos conduz
em direção ao seu magnífico e inconcebível alvo eterno!

Três Tipos de Sede Espiritual

Embora não seja perceptível em todos os momentos, em um sentido existe


uma sede em todas as pessoas. Deus não nos criou para estarmos contentes
com nossa condição natural. Ou de uma forma ou de outra, em um grau ou
outro, todos querem mais do que têm no presente momento. A diferença
entre as pessoas é o tipo de anseio que possuem no fundo de suas almas.

Em se tratando de sede espiritual, podemos dizer que há pelo menos três


tipos.

1. Sede da alma vazia

A pessoa não convertida possui uma alma vazia. Destituída de Deus, busca
contínua e freneticamente algo para preencher seu vazio. Os objetivos
desta corrida desvairada podem incluir dinheiro, sexo, poder, casas,
propriedades, esportes, hobbies, entretenimento, misticismo, realização,
reconhecimento e estudo; em qualquer desses, porém, está essencialmente
“fazendo a vontade da carne e dos pensamentos”(Ef 2.3).

Como Agostinho afirmou: “Tu nos criaste para ti mesmo e nossos corações
vivem inquietos enquanto não acharem repouso em ti”.

383838383838
Sempre buscando, nunca satisfeita, a alma vazia vai de um objetivo a outro,
sempre incapaz de achar algo que consiga preencher o vácuo do tamanho de
Deus que existe no seu coração.

A ironia da alma vazia é que, embora seja perpetuamente insatisfeita em


tantas áreas de sua vida, ela se satisfaz com tanta facilidade em relação
à busca de Deus. Sua atitude para com assuntos espirituais é como o
homem que disse à sua alma complacente em Lucas 12.19: “Tens em
depósito muitos bens para muitos anos: descansa, come e bebe, e regala-
te”.

Sejam quais forem os desejos da alma vazia nesta vida, estes nada têm em
comum com o que o pastor e teólogo do século dezoito, Jonathan Edwards,
chamava de “desejo santo, exercitado por meio de anseios, fome e sede de
Deus e de santidade”, que caracteriza o verdadeiro cristão.

2. Sede da alma árida

A diferença entre a alma vazia e a alma árida é que a primeira nunca


experimentou os “rios de água viva” (Jo 7.38), enquanto que a segunda
já os conhece e sabe do que está sentindo falta.

Isto não significa que a alma árida tenha perdido a habitação interior do
Espírito Santo; de fato, como Jesus disse, “a água que eu lhe der será nele
uma fonte a jorrar para a vida eterna” (Jo 4.14, ênfase acrescentada).

Como é, então, que a alma do verdadeiro crente em Cristo se torna árida,


quando Jesus prometeu que “aquele que beber da água que eu lhe der
nunca mais terá sede, para sempre” (Jo 4.14)?

A alma do cristão pode se tornar árida em uma de três maneiras.

393939393939
A mais comum é quando se bebe demais das fontes dessecantes do mundo e
se esquece dos “ribeiros de Deus” (Sl 65.9).

Talvez o salmista tivesse bebido demais das águas espiritualmente salgadas


e insalubres do mundo, pois escreveu duas vezes no mesmo capítulo sobre
ansiar por Deus com todo o coração e, ao mesmo tempo, sobre sua firme
resolução de não se afastar da Palavra do Senhor (ver Sl 119.10).

Excessiva atenção a um determinado pecado ou pecados e falta de atenção


à comunhão com Deus (duas coisas que frequentemente ocorrem em
conjunto) inevitavelmente definharão a vida espiritual do cristão.

Uma segunda causa de aridez na vida de um filho de Deus é o que os


puritanos chamavam das deserções de Deus.

Por razões nem sempre claras para nós, o Senhor às vezes retira a nossa
consciência de sua proximidade. O melhor e mais conciso conselho que
posso oferecer a cristãos que lutam com este tipo de aridez espiritual vem
de William Gurnall:

“O cristão precisa aprender a confiar num Deus que pode se afastar”.


Quando o sol se esconde atrás de uma nuvem, não está menos próximo
do que quando seus raios podem ser sentidos.

Em terceiro lugar, prolongada fadiga física ou mental pode causar aridez


espiritual.

Tanto a causa como a cura geralmente são bastante óbvias. A pessoa pode
não perceber crescimento espiritual quando passa por fadiga ou
esgotamento, entretanto é possível que tenha aprendido muitas lições na
batalha que causou a fadiga, as quais serão vistas como significativo marcos
espirituais na sua vida quando o sol voltar a brilhar.

404040404040
Indiferente da causa, a aridez na vida do cristão o faz sentir como o
salmista que suspirava por Deus “como a corça pelas correntes das águas”(Sl
42.1).

Quando você estiver nesta condição, nada mais além da água viva do
próprio Deus o satisfará. Outras coisas podem tê-lo distraído, mas agora a
única coisa que importa é voltar a ter a consciência da presença do Pai.

3. Sede da alma saciada

Pode parecer uma contradição, mas em contraste com a alma árida, a alma
saciada tem sede de Deus precisamente por ter sido saciada por ele.

“Oh! Provai, e vede que o Senhor é bom” (Sl 34.8).

Ao provar que o Senhor realmente é bom, o sabor foi tão singularmente


satisfatório que gerou um anseio por muito mais.

O apóstolo Paulo demonstrou isto na sua famosa exclamação: “para o


conhecer” (com a idéia: “oh, que eu o pudesse conhecer!” – Fp 3.10). Nas
linhas anteriores, ele havia se exultado no relacionamento e conhecimento
de Jesus que já tinha, dizendo que considerava tudo como refugo e perda
diante da sublimidade desta experiência (vv. 7,8). No entanto, logo em
seguida clama: “para o conhecer”. A alma de Paulo estava saciada com
Jesus Cristo e, ao mesmo tempo, ainda sedenta por ele.

Conhecer bem a Cristo satisfaz tanto a sede espiritual porque nenhuma


pessoa, possessão ou experiência pode produzir nada semelhante ao prazer
espiritual que temos nele. Comunhão com Cristo é algo incomparável porque
não há desapontamento algum com o que se descobre nele. Além disso, a
gratificação espiritual que se recebe através de conhecê-lo inicialmente
nunca acaba. E por cima de tudo isso, o Senhor em quem se encontra toda

414141414141
essa satisfação é um universo infinito de vida e realização, no qual se pode
imergir para explorar e desfrutar sem limites.

Portanto, não há nenhuma falta de satisfação em conhecer a Cristo;


contudo, Deus não nos fez de tal forma que uma só experiência pudesse
saciar todo futuro desejo por ele.

Jonathan Edwards descreveu a relação entre o bem espiritual desfrutado na


comunhão com Cristo e a sede por mais que isto produz da seguinte forma:
“O bem espiritual é realmente capaz de nos satisfazer; quem dele provar
sentirá mais sede por ele… e quanto mais experimentar, quanto mais
conhecer de fato esta excelente, inigualável, e excelsa doçura e a
satisfação que traz, com mais intensa fome e sede a buscará”.

Que Deus faça com que esta oração de A. W. Tozer seja uma expressão
verdadeira das nossas próprias aspirações:

Ó Deus, tenho provado da tua bondade, e isto tanto me tem saciado como
tem aumentado minha sede. Tenho dolorosa consciência da minha
necessidade por graça ainda maior. Envergonho-me da minha falta de
desejo. Ó Deus, Deus Trino, quero desejar a ti; anseio estar cheio de
anseios: tenho sede de ficar com mais sede ainda.

Parte 2 – A Bênção da Sede Espiritual

“Bem-aventurados todos os que nele esperam” (ou “os que por ele
anseiam”, no original), declarou o profeta Isaías (Is 30.18). “Bem-
aventurados os que têm fome e sede de justiça”, reiterou Jesus (Mt 5.6).
Um intenso desejo pelo Senhor e pela sua justiça é uma bênção. Como
assim?

1. Deus inicia a sede espiritual

424242424242
A razão de alguém ter sede por Deus é que o Espírito Santo está agindo
dentro dele.

Se você é um cristão, duas pessoas vivem no seu corpo: você e o Espírito


Santo. Como o apóstolo Paulo explicou: “Acaso não sabeis que o vosso corpo
é santuário do Espírito Santo que está em vós, o qual tendes da parte de
Deus, e que não sois de vós mesmos?” (1 Co 6.19). E o Espírito Santo não
está passivo no seu interior.

Por exemplo, assim como você pode escolher pensamentos para colocar na
sua mente, ele também pode – e de fato coloca. Você pode decidir que vai
pensar por alguns instantes sobre o que deve fazer esta noite; da mesma
forma, ele pode plantar pensamentos sobre Deus e as coisas de Deus. Esta
ação faz parte do processo que ele usa para levar um cristão a se “inclinar
para o Espírito” (Rm 8.5).

Outra parte da ação dele é levar você a ter sede de Deus e anseios (como
“Aba, Pai”, ver Romanos 8.15), assim como outros sinais de vitalidade
espiritual.

Charles Spurgeon, o singular pregador batista britânico do século XIX,


descreveu assim a bênção da sede:

Quando alguém suspira por Deus, é fruto de uma vida secreta no seu
interior: ele não suspiraria muito tempo por Deus por sua própria natureza.

Ninguém tem sede por Deus enquanto ainda estiver no seu estado carnal (ou
seja, não convertido). A pessoa não regenerada suspira por qualquer coisa
antes de suspirar por Deus.

É prova da natureza renovada ter um anseio por Deus; é uma obra de graça
na sua alma e você deve ser profundamente agradecido por isso.

434343434343
2. Deus coloca sede espiritual a fim de poder saciá-la

Deus não acende o fogo do desejo por ele a fim de nos frustrar ou para
zombar de nós. Ele mesmo declarou: “Não disse à descendência de Jacó:
Buscai-me em vão” (Is 45.19). O que se aplica à linhagem natural de Jacó
(Israel) é válido também para seus descendentes espirituais – aqueles que
crêem no Messias de Israel, Jesus.

Deus gera sede no homem por ele a fim de poder saciá-la com sua própria
vida.

“Pois dessedentou a alma sequiosa” é a promessa de Salmo 107.9, “e fartou


de bens a alma faminta”. Jesus garante que são “bem-aventurados os que
têm fome e sede de justiça, porque serão fartos” (Mt 5.6, ênfase
acrescentada).

Jonathan Edwards argumentava que, de acordo com as Escrituras, “os


tementes a Deus são destinados a experimentar felicidade inconcebível e
além do conhecimento humano”.

E acrescentava: “Sem dúvida, Deus alcançará seu objetivo em gloriosa


perfeição”. Se Deus, de fato, nos criou para fruirmos de inimaginável
plenitude de alegria, e plantou em nós o anseio para a alcançarmos, então
certamente também “fez o homem capaz de experimentar este imensurável
e sublime êxtase espiritual… Deduzimos que o homem foi designado para
uma maravilhosa bem-aventurança, já que Deus o criou com anseios e
desejos que não podem ser satisfeitos com nada menos que uma felicidade
muito grande… Um desejo que não pudesse ser satisfeito seria um eterno
tormento.”

444444444444
Edwards defendia, obviamente, que estes “anseios e desejos” eram
evidências de sede por Deus, um anseio que só pode ser completa e
finalmente saciado no desfrutar eterno e ilimitado de comunhão face a face
com o próprio Senhor na vida celestial.

Ao contemplar sua glória, os regenerados testificarão que estão


abundantemente saciados com a plenitude da casa do Senhor e que da
“torrente das suas delícias” ele lhes dá de beber (Sl 36.8).

Você tem sede de Deus? Sede é uma parte do plano de Deus que nos conduz
em direção ao seu magnífico e inconcebível alvo eterno!

Parte 3 – Passos Práticos Para Ter Sede de Deus

Se você possui verdadeira sede por Deus, seu anseio sem dúvida é ter mais
anseio ainda. Como insistia Jonathan Edwards: “Verdadeiros e graciosos
anseios por santidade não são meros desejos inúteis ou infrutíferos”.

1. Medite na Palavra de Deus

Observe que devemos “meditar” e não meramente ler. Muitas pessoas que
estão desfalecendo espiritualmente são leitores assíduos da Bíblia. Sem o
auxílio da meditação, advertia o grande homem de fé e oração, George
Müller, a simples leitura da Palavra de Deus pode tornar-se informação que
apenas “passa pelas nossas mentes, tal qual água que passa por um
encanamento”.

Pense no fluxo incessante de informação que passa pela sua mente


diariamente – todas as coisas que vê, lê e ouve. A maioria das pessoas luta
com “sobrecarga de informação”, sem conseguir acompanhar a entrada
fenomenal de dados em suas mentes. Se não tomarmos cuidado, as palavras
da Bíblia podem se transformar em mais uma corrente de dados no rio cada

454545454545
vez mais volumoso que passa pelos nossos pensamentos. Assim que acabam
de passar, empurradas pela pressão do fluxo de outras informações, logo
passamos a focalizar o que está agora diante de nós. Tantas coisas passam
pelos nossos cérebros que, se não absorvermos algumas delas, não seremos
afetados por nenhuma.

Certamente, se devemos absorver alguma coisa de tudo aquilo que passa


por nossas mentes, devem ser as palavras inspiradas do céu. Se não
absorvermos a água da Palavra de Deus, não teremos como matar nossa
sede espiritual. Meditação é o meio de absorção.

Gaste 25 a 50 por cento do seu tempo de leitura meditando em algum


versículo, frase ou palavra daquela passagem. Faça perguntas a respeito.
Ore sobre o assunto. Pegue a caneta e rabisque seus pensamentos num
bloco de papel. Procure pelo menos uma maneira de aplicar ou viver aquilo.
Demore um pouco ali. Sature sua alma lentamente na água da Palavra e
descobrirá que isso não só trará refrigério, mas também estimulará sede por
muito mais.

2. Ore através das Escrituras

Depois de ter lido uma passagem da Bíblia, ore usando uma parte do mesmo
trecho. Quer tenha lido apenas um capítulo ou vários, escolha depois uma
parte da sua leitura e, versículo por versículo, permita que as palavras de
Deus se tornem as asas das suas palavras a ele.

Embora seja possível orar usando qualquer trecho das Escrituras, recomendo
especialmente que, indiferente de onde tenha feito sua leitura, você depois
vire para os Salmos e use um deles para orientar sua oração. O livro de
Salmos era o divinamente inspirado hinário de Israel. Além disso, duas vezes
no Novo Testamento (ver Ef 5.19 e Cl 3.16) recomenda-se aos cristãos que

464646464646
cantem salmos. De forma diferente de todo o restante da Bíblia, os Salmos
foram inspirados por Deus para o explícito propósito de serem refletidos
para Deus.

Suponhamos que você tenha escolhido o Salmo 63 para sua oração hoje. O
primeiro versículo diz: “Ó Deus, tu és o meu Deus forte, eu te busco
ansiosamente; a minha alma tem sede de ti; meu corpo te almeja, numa
terra árida, exausta, sem água”.

Você poderia entrar na oração confessando que o Senhor é o seu Deus,


agradecendo-o graciosamente por isto e depois simplesmente exultando em
Deus pelo fato dele ser Deus. Em seguida, poderia expressar os anseios e
suspiros que sente por ele, reconhecendo que é uma bênção divina ter uma
sede de Deus plantada no seu coração pelo próprio Deus. Talvez depois sinta
desejo de pedir ao Senhor que plante esta sede divina nos seus filhos ou em
alguém com quem tenha falado do evangelho. E assim poderia caminhar
pelo salmo, orando a respeito do texto e daquilo que lhe ocorre enquanto
lê. Se nada lhe vier à mente enquanto está meditando sobre um versículo ou
trecho do capítulo, passe adiante.

Os elementos poéticos, entranhados e espiritualmente transparentes dos


Salmos freqüentemente combinam de formas que elevam a alma e acendem
uma paixão por Deus. Tratam de forma realista com toda a gama das
emoções humanas e podem tomá-lo de qualquer situação espiritual onde
estiver e elevá-lo em direção ao céu. Nada consegue renovar tão
infalivelmente meus anseios por Deus e atirar-me como foguete ao nível
experimental de comunhão com ele do que orar com as palavras dos Salmos.

3. Leia livros de autores que geram sede

474747474747
Depois das palavras sopradas por Deus que temos na própria Bíblia, leia
obras confirmadas através dos séculos de autores cristãos que escreviam
com canetas que geravam sede. Clássicos como O Peregrino, autores antigos
como Jonathan Edwards, Charles Spurgeon, Irmão Lawrence, Madame
Guyon, e autores mais modernos como A. W. Tozer e recentemente Tommy
Tenney e John Piper podem trazer grande refrigério e despertar a sede
dormente no nosso interior.

Que o Senhor o abençoe com uma grande sede por ele que dure toda sua
vida, pois certamente seu propósito é saciá-la consigo mesmo.

484848484848
AUXÍLIO HOMILÉTICO

TEXTO: Isaías 44.1 -5

I-Em primeiro lugar o texto chama atenção e dá ênfase nos nomes Jacó em
justaposição a Israel (v.1)

A sequência dos verbos criar, escolher, derramar e brotar (v. 2-4), a água em
justaposição ao Espírito e bênção (v. 3). E a ideia de ter Israel como sobrenome (v. 5).

II -Em segundo lugar, chama atenção que se trata de uma manifestação cheia de
esperança. É uma declaração afirmativa de um amor incondicional e compromisso de
Deus com seu povo. Enfatiza a idéia de que Deus tem poder para sempre de novo
restaurar seu povo numa relação de confiança e bênção.

III – Em terceiro lugar, parece ser um texto muito apropriado para tratar de temas
como : criação, escolha, água, Espírito, bênção, nome etc. Como fala em posteridade e
terra seca e sede, posso me imaginar como pais, preocupados com a espiritualidade de
seus filhos, leriam esse texto.

PESQUISA DO TEXTO:

494949494949
a – Começamos com a menção do nome de Jacó em correlação a Israel. Em nenhum outro livro da

Bíblia, o uso de Jacó como sinônimo de Israel é mais freqüente (mais de 50 vezes).

Mesmo que Israel possa ser simultaneamente o outro nome de Jacó e o nome do Reino do Norte,

nesse caso refere-se ao povo como um todo. Existe aqui a clara intenção de referir-se a Israel

como unidade. Mesmo que estejamos no contexto do Segundo Isaías, que no caso trata

especificamente do povo do segundo exílio (Judá), o profeta refere-se a Israel como um todo.

A referência ao patriarcado resulta de uma busca pelas origens de Israel, do resgate de uma

identidade primeira que ajude o povo a retomar sua auto compreensão.

No entanto, não podemos perder de vista o aspecto bem humano do patriarcado. Não é à toa que

essa história é ricamente detalhada em relatos de cunho pessoal e familiar.

Chamar Israel de Jacó também nessa perspectiva não é sem propósito. Jacó foi aquele filho que

roubou a bênção de seu irmão, o verdadeiro primogênito. Roubou a bênção sem saber bem o que

era. Aliás, sabia muito pouco a respeito desse Deus que o abençoava. No entanto, quando se

achava que a aliança de Deus com Abraão estivesse perdida, descobri mos Deus levando a sério a

bênção que Jacó roubou. Renovou o pacto de seus antepassados com Jacó apesar dele ser jovem

imaturo e rebelde. Jacó podia não compreender Deus, mas Deus conhecia Jacó.

Mais tarde, Jacó também foi pai. E como todo filho que não trabalhou suficientemente sua

relação com os pais, tornou-se um pai com sérios problemas na educação de seus filhos. Jacó

frustrou-se como pai por ter aparentemente perdido um filho preferido. Mais tarde, ao

reencontrar José, descobriu a verdade sobre o motivo de seu desaparecimento.

Jacó também foi um pai preocupado com a descendência. Mas Deus sempre acompanhou Jacó

misericordiosamente. Deus transformou as crises de sua vida em bênção. Deus mudou Jacó

lentamente: de um homem mesquinho e inseguro numa pessoa sábia e cheia de fé.

Jacó personifica Israel. Por isso Isaías afirmativamente chama Israel de Jacó, pois quer resgatar

o projeto de Deus para com esse povo. Mesmo exilado, mesmo vivendo em terra estranha, longe

505050505050
do templo, esse povo não perde suas referências primeiras. O povo de Israel, por seus erros,

pode parecer ter desistido de Deus. Deus, em todo caso, não.

b – Esse projeto começa quando Deus escolhe esse povo. A grande pergunta que pairava no ar é

se, em função de todos os erros e desvios do povo, esse havia sido abandonado por Deus, ou

seja, que a eleição havia sido desfeita. Isaías então retoma a ideia da eleição, formulando-a de

uma maneira mais universal. Deus escolhe o povo de Israel porque o criou, porque foi gestado no

ventre de Deus.

Em Isaías, eleição tem duas dimensões. Deus toma a iniciativa. É um ato de graça. Mas, em

segundo lugar, ela acontece em diálogo. É um vínculo que precisa ser alimentado

continuamente. Por isso o povo suspeita da quebra da aliança, pois da sua parte não alimentou

sua confiança em Deus e em suas promessas. Quando Israel dirá: O senhor não se importa mais

conosco, Deus afirma: Eu os escolhi e nunca os rejeitei (Is 41.9b). Isaias revela e expõe as

condições extremamente graves no pecado e na moral. Israel tem esquecido seu Deus e é pior

que o boi que, pelo menos, volta para seu dono para que o alimente. As gentes são piores que

as de Sodoma e Gomorra em sua formalidade religiosa. Os sacrifícios que fielmente se

realizavam de conformidade com a lei, desagradam o Senhor, enquanto prevalece a injustiça

social. O sacrifício e a oração são uma abominação para Deus se não se oferecem com um

espírito de contrição, humildade e obediência. A condenação pesa sobre o pecador povo de

Judá. Sião, que representa a colina do capitólio, está para ser "remida por justiça", significando

que o juízo virá sobre todo pecador (Is 1.27-31). A única esperança expressada neste capítulo

de apertura se outorga ao obediente (versículos 18-21).

Em direto contraste com esta condenação de Jerusalém, Isaias anuncia e sustenta a maior

esperança de restauração. Sem nenhuma incerteza, anuncia que no futuro Sião será destruída

e arada como um campo, mas que num subseqüente período será restaurada como o centro
1
que governe todas as nações . A paz e a justiça sairão de Sião para todos os povos.

1 Ver Mq 4.1-4, que e paralelo a esta passagem de Isaias. Note-se o contexto em Miquéias.

515151515151
Prevalecerá a paz universal quando Sião tenha sido restabelecida como o governo central de

todas as nações.

Admoestando seu povo para que se volte a Deus em obediência (2.5), Isaias atrai a atenção

aos problemas contemporâneos. Enquanto tenham fé nos ídolos e vivam no pecado, esta

esperança não será aplicada. Lhes espera o juízo, mas se promete a salvação àqueles que

coloquem sua confiança em Deus (2.6-4.1). através do processo de purificação e juízo, todos

gozarão da proteção de Deus e de suas bênçãos. Eles compartirão a glória da restaurada Sião

(4,2-6).

Isaias ilustra vividamente sua mensagem no capítulo 5. A parábola do vinhedo tem sido

considerada como uma das mais perfeitas em sua classe, dentro da Bíblia 2. Israel é a vinha do

Senhor.

Após esgotar todas as possibilidades de fazê-la produtiva, o proprietário decide destruir este

vinhedo.

Conseqüentemente, os votos e juízos pronunciados sobre Judá são justos e razoáveis, já

que Deus tem exercido seu amor e misericórdia sem perceber os frutos de um viver reto em

seu povo escolhido.

Para esta geração pecadora, Isaias é chamado a ser um porta-voz de Deus. não é de

estranhar que esteja temeroso e trema quando fica ciente da glória de um Deus santo, cuja

justiça requer o juízo sobre o pecado. Assegurado da limpeza e do perdão de seu pecado,

Isaias, em voluntária obediência, está de acordo em ser o mensageiro de Deus. Não tem

resposta de toda a cidade a seu ministério. O fato de que deva advertir ao povo até que as

cidades fiquem destruídas e sem habitantes, teria sugerido que poucos, relativamente, teriam

ouvido sua advertência; contudo, não desespera. Lhe é proporcionado um raio de esperança,

que quando o bosque seja destruído, ainda restará um tronco, significando com isso um

restante da destruição de Judá.

2 Ver Kissane, op. cit., no comentário ao capítulo 5.

525252525252
c – A questão central dessa perícope é a definição do caráter dessa afirmação da graça de Deus

na relação com Israel. A fé em Deus, a fidelidade, a perpetuação ou não de uma relação de

confiança com Deus não são uma garantia humana, nem seguem uma lógica genética.

É sempre Deus que irrompe na vida de pessoas e derrama seu Espírito, como água em terra

seca, trazendo vida nova. De especial importância se reveste a metáfora da terra seca.

É a nossa sede que evidencia a necessidade de Deus. Essa reflexão é aplicada nesse caso à

questão da descendência.

Que garantia Israel tinha que sua descendência permaneceria fiel ao Senhor? Em si nenhuma.

Deus não deixou nenhuma fórmula mágica, pois a fé não segue um método lógico. Diante deles

estava somente a possibilidade do testemunho vivo do quanto a atual geração tinha na comunhão

com Deus seu alimento. A possibilidade de a descendência experimentar Deus verdadeiramente

será algo entre elas e Deus.

Nesse sentido abundam exemplos de como a fé ressurgiu em Israel em meio a tempos de

apostasia. Em especial, lembra-se do reinado do jovem rei Josias (2Rs 22.1-23.30), durante o

qual houve uma redescoberta da Torá e um avivamento espiritual por conta disso.

d – O v. 5 enseja uma série de afirmações de adesão espontânea à fé em Deus. Parecem frases

ditas no momento de um novo despertamento. A ideia de ter Israel por sobrenome sugere que

inclusive não judeus vão converter-se. Onde Deus age com seu Espírito surgem expressões

genuínas de fé num contexto afirmativo. Percebe-se que o agir de Deus é tão misteriosa- mente

surpreendente, que a consequência disso é o surgimento de fé onde não se espera. É bom

lembrar que o conceito de raça e povo exclusivo não foi sempre tão hermético. Muito cedo

535353535353
aderiram à fé de Israel muitas pessoas de fora de sua etnia. O exemplo mais lembrado é o de

Rute: “O teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus” (Rt 1.16b).

4. Meditando sobre o texto

Creio que já está bastante claro em que direção esse texto nos quer conduzir.

a – A partir de Jesus Cristo, o povo de Deus inclui todos os que crêem. A graça não desconhece

barreiras étnicas, sociais e culturais. Somos herdei- ros da fé judaica dentro de um novo e

ampliado referencial. O próprio Jesus evidenciou essa ampliação quando encontrou verdadeira fé

entre pagãos. É preciso resgatar a dimensão da proximidade de Deus, que somos criação de Deus.

Trata-se de uma intimidade maternal de Deus. Como pode uma mãe deixar de olhar com

profundo amor e cuidado para um filho ou filha gestados por meses em seu ventre? Somente

alguém totalmente perturbado o faria. Deus reafirma sua escolha pelo ser humano a partir de

uma coerência de ações marcadas pelo cuidado e pelo amor. Esse cuidado supera inclusive nossas

crises e desvios.

Deus não barra necessariamente as consequências negativas de nossas ações. Elas são educativas.

Deus, no entanto, não nos condena, não nos aparta de sua graça. A graça de Deus sempre é ativa

em nossa vida, porém não para ser banalizada; ela espera o momento certo para ser afirmada. O

momento certo é o do arrependimento e da busca.

b – As crises da vida são momentos de profundas buscas por sentido na vida. Uma canção em

inglês tem como título: A sombra é a prova do sol que brilha. A única condição para o agir

misericordioso de Deus é que o ser humano tenha contato íntimo com seu vazio, que tenha

consciência do esgotamento de suas próprias opções. Que outra maneira estaria aberta a receber

a graça? Não devemos desprezar qualquer manifestação desse vazio. É o ser humano clamando,

sem saber, pela graça. É o Espírito agindo muito antes de o reconhecermos. Por isso a palavra de

Deus nunca pode ser proferida consi- derando um público-alvo exclusivo, pois o agir do Espírito

de Deus sempre irá romper essas barreiras, sempre poderá nos surpreender.

545454545454
c – O texto trata da preocupação com a fé das futuras gerações. Cabe aos pais darem seu

testemunho permeado pela graça e confiar no agir de Deus pelo Espírito Santo. Não há

fórmula mágica. À comunidade de fé cabe zelar pela compreensão da centralidade do Batismo

em sua vida e zelar pela educação cristã em todas as faixas etárias. Não é surpreendente que

haja ausência de pessoas em determinada faixa etária. Não há nesse fato uma omissão quanto à

educação contínua de seus membros?

A bomba de água

Contam que um certo homem estava perdido no deserto, prestes a morrer de sede. Então ele

chegou a uma cabana em ruínas. O homem perambulou por ali e encontrou uma pequena sombra

sob a qual se acomodou, fugindo do calor do sol desértico. Olhando ao redor, viu uma bomba a

alguns metros de distância, bem velha e enferrujada. Ele se arrastou até ali, agarrou a mani-

vela e começou a bombear sem parar. Nada aconteceu. Desapontado, caiu prostrado para trás e

notou que ao lado da bomba havia uma garrafa. Olhou- a, limpou-a, removendo a sujeira e o pó,

e leu o seguinte recado: “Você precisa primeiro preparar a bomba com toda a água desta

garrafa, meu amigo. PS.: Faça o favor de encher a garrafa outra vez antes de partir”. O homem

arrancou a rolha da garrafa e, de fato, lá estava a água. A garrafa estava quase cheia de água.

De repente, ele se viu em um dilema: Se bebesse aquela água, poderia sobreviver, mas se

despejasse toda a água na velha bomba enferruja- da, talvez obtivesse água fresca, bem fria, lá

do fundo do poço, toda a água que quisesse e poderia deixar a garrafa cheia para a próxima

pessoa... Mas talvez isso não desse certo. Que deveria fazer? Despejar a água na velha bomba e

esperar a água fresca e fria ou beber a água velha e salvar sua vida? Deveria perder toda a água

que tinha na esperança daquelas instruções pouco confiáveis, escritas não se sabia quando? Com

relutância, o homem des- pejou toda a água na bomba. Em seguida, agarrou a manivela e

começou a bombear... E a bomba começou a chiar. E nada aconteceu! E a bomba foi rangendo e

chiando. Então surgiu um fiozinho de água, depois um pequeno fluxo e finalmente a água jorrou

com abundância. A bomba velha e enferrujada fez jorrar muita, mas muita água fresca e

cristalina. Ele encheu a garrafa e bebeu dela até se fartar. Encheu-a outra vez para o próximo

555555555555
que por ali poderia passar, arrolhou-a e acrescentou uma pequena nota ao bilhete preso nela:

“Creia-me, funciona! Você precisa dar toda a água antes de poder obtê- la de volta”.

Isaías e a Restauração de Israel

Terry B. Ball é professor de escrituras antigas na Universidade Brigham Young.

Durante seu ministério de três dias entre os descendentes de Leí, o Salvador ressurrecto ensinou

muitos princípios, práticas e verdades maravilhosos (vide 3 Néfi 11-26). Ao ensinar-lhes no

segundo dia, ele explicou como nosso Pai Celestial cumpriria sua promessa de recolher, restaurar

e redimir seu povo com o qual havia feito convênios. Ao ensinar, citou amplamente as profecias

de Isaías, declarando: "Em verdade, em verdade vos digo que quando elas [as palavras de Isaías]

forem cumpridas, cumprir-se-á então o convênio que o Pai fez com seu povo, ó casa de Israel. E

então os remanescentes que estiverem dispersos pela face da Terra serão reunidos do leste e do

565656565656
oeste, do sul e do norte; e terão conhecimento do Senhor seu Deus que os redimiu" (3 Néfi 20:12-

13).

Ao completar as citações do livro de Isaías, Cristo ainda mandou o povo “buscar diligentemente”

os escritos desse profeta, assegurando-lhes que todas as coisas de que Isaías falou "já foram e

serão segundo as palavras que ele disse" (3 Néfi 23:1, 3). Que aval maravilhoso a favor de Isaías!

Conforme Robert J. Matthews disse: "É bom poder citar as palavras do Salvador; é melhor ainda

ser citado pelo Salvador."

Assim Cristo ensinou aos descendentes de Leí que aqueles que estudarem e ponderarem

cuidadosamente as palavras de Isaías entenderão bem melhor os planos de Deus de cumprir com

seu convênio de restaurar seu povo. Através do estudo diligente, os da atualidade que estudarem

Isaías, receberão as mesmas bênçãos, pois Isaías respondeu a muitas perguntas importantes

referentes à restauração de Israel, inclusive as seguintes: Por que será necessária que haja uma

restauração? Quando ocorrerá tal restauração? Quem participará da restauração? De que maneira

acontecerá a restauração? E quais serão os resultados da restauração?

Por que será preciso que haja a restauração de Israel?

Ao completar seu ministério mortal entre os filhos de Israel, Moisés os relembrou do convênio de

retidão vinculado à terra da promissão na qual estavam para entrar. Receberiam grandes bênçãos

se eles "ouvissem a voz do Senhor teu Deus, tendo cuidado de guardar todos os seus

mandamentos" (Deuteronômio 28:1; vide também vv. 1-14). Do contrário, o profeta advertiu que

o povo seria grandemente amaldiçoado se não "ouvisse a voz" do Senhor e que por fim Deus os

"espalharia desde uma extremidade da terra até à outra" se fossem iníquos (Deuteronômio 28:15,

64; vide também vv. 15-65).

A época de Isaías era uma de a iniquidade e apostasia excessivas e ele durante sua vida viu a

advertência de Moisés se tornar realidade.

575757575757
Já de início, Isaías lamentou as transgressões de seus contemporâneos. Ele os descreveu como

sendo mais ignorantes que os animais de carga pois o boi e o jumento pelo menos conheciam seu

mestre e como podiam ser alimentados por ele, "mas Israel não tem conhecimento, o meu povo

não entende" (Isaías 1:3). Ele se admirou da indiferença que acompanhava a iniquidade do povo,

pois embora eles estivessem doentes tanto de cabeça como de coração (cobertos de "feridas e

inchaços e chagas podres"), mesmo assim não se importaram em curar suas feridas infeccionadas

espirituais. "[As feridas não foram] espremidas, nem ligadas, nem amolecidas com óleo" (v. 6).

Isaías condenou o povo em particular por ser orgulhoso, ganancioso e desonesto; por rejeitar os

profetas e confiar nos homens mais do que em Deus; por praticar idolatria e adultério; por não

ter caridade e por oprimir-se um ao outro; por jejuar de forma errada e não observar o dia do

sábado e por alegrar-se na violência—todas as transgressões que nos infestam nos últimos dias

também. Ele comparou o povo do convênio, que então se encontrava em estado de apostasia, a

uma prostituta que flerta e se veste do modo da profissão dela (vide Isaías 3:16-26).

Isaías sabia que o Senhor cumpriria sua palavra e castigaria e espalharia o povo apóstata. Ele

advertiu que sua terra seria assolada, queimada de fogo e devorada por estrangeiros (vide Isaías

1:8). Ele profetizou da deportação dos mais influentes daquela sociedade, os homens de renome,

os juízes, os profetas, os artesões, os soldados, os conselheiros e os sábios. Ele descreveu a

anarquia que sucederia quando as crianças se tornassem seus governantes e o povo se depredasse

enquanto os pobres e ignorantes que ficavam buscassem desesperadamente uma liderança (vide

Isaías 3:1-8). O exército conquistador que os "arrebataria" e os levaria embora invadiria rápida e

poderosamente, conforme predisse Isaías, não permitindo que ninguém escapasse (vide Isaías

5:29).

Ao responder à indagação de Isaías quanto à duração de sua pregação a este povo rebelde, o

Senhor declarou que Isaías iria pregar: "Até que sejam desoladas as cidades e fiquem sem

habitantes, e as casas sem moradores, e a terra seja de todo assolada, e o Senhor afaste dela os

homens, e no meio da terra seja grande o desamparo" (Isaías 6:11-12). O Senhor então assegurou

a Isaías que um décimo do povo ficaria (vide v. 13). Mais tarde ele comparou o remanescente a

"duas ou três azeitonas" que restam depois da colheita (Isaías 17:6) pois a maioria seria "arrojada

585858585858
violentemente" (Isaías 22:17). Muitas vezes Isaías se refere ao disperso povo do convênio com a

metáfora "ilhas" (vide Isaías 24:15; 41:5; 42:4; 49:1; 51:5; 60:9).

Sem uma restauração, sem a coligação do povo do convênio e sem sua volta à terra de sua fé,

Israel seria eternamente perdido e o convênio de Deus com eles falharia. Mas Deus não falhará.

Através de Isaías, ele afirmou:

Porque o teu Criador é o teu marido; o Senhor dos Exércitos é o seu nome; e o Santo de Israel é o

teu Redentor; que é chamado o Deus de toda a terra.

Porque o Senhor te chamou como a mulher desamparada e triste de espírito; como a mulher da

mocidade, que fora desprezada, diz o teu Deus.

Por um breve momento te deixei, mas com grandes misericórdias te recolherei.

Com um pouco de ira escondi minha face de ti por um momento; mas com benignidade eterna

me compadecerei de ti, diz o Senhor, o teu Redentor.

Porque isto será para mim como as águas de Noé; pois jurei que as águas de Noé não passariam

mais sobre a terra; assim jurei que não me irarei mais contra ti, nem te repreenderei.

Porque os montes se retirarão, e os outeiros serão abalados; porém a minha benignidade não se

apartará de ti, e a aliança da minha paz não mudará, diz o Senhor que se compadece de ti.

(Isaias 54:5-10)

Quando ocorrerá a Restauração de Israel?

Mesmo que o povo fosse disperso e espalhado devido a sua iniquidade e apostasia, Isaías sabia

que por fim o Senhor o restauraria para que fosse recolhido e voltasse tanto à fé como a sua

terra. Podemos adquirir uma ideia do horário desta restauração pela própria descrição de Isaías

das condições do mundo na hora do início da coligação.

595959595959
Naturalmente, para ser recolhido e restaurado, o povo primeiro teria que ser espalhado e

perdido. Isaías indica que este, justamente, seria o caso, já que na restauração as pessoas seriam

recolhidas pelo mundo afora. "Não temas: pois estou contigo," assegurou o Senhor por meio de

Isaías. "trarei a tua descendência desde o oriente, e te ajuntarei desde o ocidente. Direi ao

norte: Dá; e ao sul: Não retenhas; trazei meus filhos de longe e minhas filhas das extremidades

da terra." (Isaías 43:5-6; vide também Isaías 49:12). Muitos daqueles que serão coligados não

serão reconhecidos como parte da família do convênio, nem saberão disso até que sejam

restaurados à verdadeira fé.

Isaías fala do desespero que sentirão aqueles da família do convênio que pensarem que Deus os

abandonou ao reconhecerem que muitos membros de sua família lhes são perdidos. Porém,

quando virem que estes filhos espalhados e perdidos serão recolhidos e restaurados, dirão no

coração: "Quem me gerou estes? Pois eu estava desfilhada e solitária; entrara em cativeiro, e me

retirara; quem, pois, me criou estes? Eis que eu fui deixada sozinha; e estes onde estavam?"

(Isaías 49:21).

Assim sabemos que a restauração ocorrerá num dia em que o povo terá sido espalhado e muitos

não reconhecem que fazem parte da família do convênio. Nos dias de Isaías, Israel e Judá ainda

mantinham sua identidade, mas Isaías sabia que em algum dia no futuro a identidade seria

perdida para muitos da casa de Israel. A perda de identidade de Israel provavelmente se trata de

um processo prolongado em vez de algo que acontece de uma vez só, mas o processo de perda de

identidade irá completar-se bem antes da restauração.

Isaías também indica que Deus dará início a uma "obra maravilhosa em um assombro" (Isaías

29:14) de restauração justamente na época em que os homens estiverem espiritualmente

adormecidos e sem orientação profética. Falando daquele dia, Isaías exclamou: "Tardai e

maravilhai-vos, folgai, e clamai; bêbados estão, mas não de vinho, andam titubeando, mas não

de bebida forte. Porque o Senhor derramou sobre vós um espírito de profundo sono, e fechou os

vossos olhos, vendou os profetas, e os vossos principais videntes" (Isaías 29:9-10). Assim, a

resposta de Isaías quanto à época em que ocorreria a restauração foi que começaria quando

606060606060
Israel estivesse espalhado e muitos tivessem perdido sua identidade, sim, uma época quando

muitos cambaleariam e teriam sono concernente as coisas espirituais por falta de orientação de

um profeta. Estes fatos descrevem perfeitamente as condições prevalecentes na época em que o

Senhor apareceu pela primeira vez ao Profeta Joseph Smith.

Quem participará da Restauração de Israel?

É evidente que o Israel espalhado será reunido e restaurado; Isaías inclui um papel importante

para um grupo que ele chama “gentios.” Ele entendia que muitos do gentios dos últimos dias ou

buscariam ou seriam atraídos para a luz do evangelho restaurado. O profeta exortou: "Levanta-

te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do Senhor vai nascendo sobre ti; Porque eis que

as trevas cobriram a terra, e a escuridão os povos; mas sobre ti o Senhor virá surgindo, e a sua

glória se verá sobre ti. E os gentios caminharão à tua luz, e os reis ao resplendor que te nasceu"

(Isaías 60:1-3; vide também 42:5-7; 55:5; 65:1).

Isaías deixou bem claro que aqueles gentios que aceitarem o evangelho e fizerem sua parte na

restauração, terão acesso a todos os convênios e bênçãos, inclusive os do templo. Para aqueles

“estrangeiros,” uma forma de se referir aos gentios, que estão dispostos a aceitar o evangelho, o

Senhor promete dar "na minha casa e dentro dos meus muros um lugar e um nome, melhor do

que o de filhos e filhas; um nome eterno darei a cada um deles, que nunca se apagará" e "os

alegrarei na minha casa de oração," pois, "os seus holocaustos e os seus sacrifícios serão aceitos

no meu altar; porque a minha casa será chamada casa de oração para todos os povos" (Isaías

56:3-7; vide também Isaías 2:2). O Livro de Mórmon explica que os gentios fieis por fim serão

contados entre os membros da casa de Israel (vide 1 Néfi 14:1-3; 2 Néfi 10:18; 30:2; 3 Néfi 16:13;

21:1- 7, 22-25; 28:27, 32; 30:1-2). De fato, entre os gentios estão os filhos perdidos que,

conforme a profecia de Isaías, chegarão a ser reconhecidos como sendo parte da família do

convênio (vide Isaías 49:18-23). Ele são "os filhos da solidão" (Isaías 54:1) que, quando reunidos à

família do convênio, serão tão numerosos que pedirão mais espaço, clamando: "Muito estreito é

para mim este lugar; aprata-te de mim, para que possa habitar nele" (Isaías 49:20). Estas

petições farão que o Senhor diga a seu povo: "Amplia o lugar de sua tenda, e estendam-se as

616161616161
cortinas de suas habitações; não o impeças; alonga as tuas cordas, e fixa bem as tuas estacas.

Porque transbordrarás para a direita e para a esquerda" (Isaías 54:2-3).

Os Santos dos Últimos Dias podem identificar-se com os filhos fieis que farão parte da casa de

Israel, embora sejam indentificados nas excrituras com gentios (D&C 109:60; vide também D&C

86:8-10; 103:16-18). Ainda que os Santos sejam considerados gentios na perspectiva de Isaías e

do Livro de Mórmon e de sua definição de “judeu” e “gentio,” muitos são, de fato, parte do

Israel espalhado que perdeu a identidade. O Élder Bruce R. McConkie explicou: "Joseph Smith, da

tribo de Efraim, a tribo principal de Israel, foi justamente o “gentio” pelo qual o Livro de

Mórmon foi produzido e os membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias que

possuem o evangelho e que são descendentes de sangue de Israel são os “gentios” que levarão

salvação aos lamanitas e aos judeus."

Como ocorrerá a Restauração de Israel?

A apostasia e a dispersão se tratam de processos, da mesma forma, também será um processo a

restauração. Isaías profetizou que a parte espiritual da restauração, ou seja, a volta ou coligação

à verdadeira fé, será o início do processo. Para um de seus filhos ele deu o nome de Sear-Jasube,

significando "o remanescente voltará," para servir de modelo e de lembrete de sua profecia

(Isaías 7:3; vide também 8:18). A palavra "jasube" (parte do nome da criança) trata-se do tempo

do futuro do verbo hebraico šub, que quer dizer "voltar para trás," "retornar," "converter-se,"

"voltar ao estado original" ou "restaurar." Em certas traduções do Velho Testamento, esta palavra

às vezes se traduz com a palavra "arrepender-se" (vide 1 Reis 8:47; Ezequiel 14:6). Embora o uso

deste vocábulo, que faz parte do nome do filho de Isaías, possa referir-se a um retorno físico,

Isaías deixou bem claro que seu motivo principal em conceder este nome a seu filho era para

relembrar o povo de sua profecia do retorno espiritual. Ecoando o nome de seu filho, o profeta

declarou: "Os restantes se converterão (voltarão) [shearjashub], ao Deus forte, sim, os restantes

de Jacó" (Isaías 10:21). Ao restaurarem-se os "juízes" e "conselheiros,” "Sião será remida com

juízo, e os que voltam para ela com justiça" (Isaías 1:26-27; vide também Isaías 51:11). Cada uma

destas "azeitonas" "atentará para o seu Criador, e os seus olhos olharão para o Santo de Israel"

626262626262
(Isaías 17:6-7). "Estes alçarão a sua voz, e cantarão com alegria; e por causa da glória do Senhor

exultarão desde o mar" (Isaías 24:14). Ao coligarem-se "um por um," escutarão "uma grande

trombeta" que os chamará de volta à fé, e eles "adorarão ao Senhor no monte santo em

Jerusalém" (Isaías 27:12-13; vide também Isaías 2:1-5).

Os profetas do Livro de Mórmon compartilhavam a visão de Isaías quanto à restauração de Israel

a partir de uma restauração da fé verdadeira. Jacó falou o seguinte a respeito da dispersão de

Israel: "O Senhor terá misericórdia deles, para que quando tiverem conhecimento do seu

Redentor, sejam novamente coligados nas terras de sua herança" (2 Néfi 6:11; vide também 2

Néfi 10:7-9; 25:16-17; 30:7-8).

Isaías entendia que a coligação de Israel disperso "um por um" incluiria um papel para os gentios

justos, entre os quais o evangelho seria inicialmente restaurado. O profeta declarou:

E acontecerá naquele dia que a raiz de Jessé, a qual estará posta por estandarte dos povos, será

buscada pelos gentios; e o lugar se seu repouso será glorioso.

E há de ser naquele dia o Senhor tornará a pôr a sua mão para adquirir outra vez o remanescente

de seu povo, que for deixado, da Assíria, e do Egito, e de Patros, e da Etiópia, e de Elã, e de

Sinar, e de Hamate, e das ilhas do mar.

E levantará um estandarte entre as nações [gentios], e ajuntará os desterrados de Israel, e os

disperos de Judá congregará desde os quatro confins da terra. (Isaías 11:10-12)

Em Doutrina e Convênios, o Senhor nos ajuda a compreender que o "estandarte" (uma palavra

que significa "flâmula" ou "bandeira") que se levantará que os gentios, ou nações, buscarão é o

evangelho restaurado de Jesus Cristo. Em uma revelação a Joseph Smith, Ele declarou: "E assim

também mandei ao mundo meu eterno convênio, para ser uma luz para o mundo, para ser

modelo para meu povo e para que os gentios o procurem; e para ser um mensageiro diante de

minha face e preparar o caminho diante de mim" (D&C 45:9). O próprio Senhor indentificou “a

raiz de Jessé” mencionada em Isaías 11:10 como "um descendente de Jessé, bem como de José,

636363636363
a quem por direito pertencem o sacerdócio e as chaves do reino, posto por estandarte e para a

coligação de meu povo nos últimos dias" (D&C 113:6). O Santo dos Últimos Dias entende, de modo

geral, que esta profeica se refere ao próprio Joseph Smith.

Isaías sabia na época dele que a obra do Senhor de "reaver o remanescente de seu povo"

começaria pela Restauração do evangelho de Jesus Cristo por meio do profeta dos últimos dias,

Joseph Smith. Além disso, ele sabia que ao serem atraídos ao estandarte, ou à luz do evangelho

restaurado, os gentios ajudariam a coligar o povo de Israel. O profeta prometeu que os gentios

"trarão os teus filhos [os de Israel] nos braços, e as tuas filhas serão levadas sobre os ombros"

(Isaías 49:22-23; vide também Isaías 66:19-20).

O profeta Néfi do Livro de Mórmon prestou um testemunho semelhante:

Nos últimos dias, quando nossos descendentes tiverem degenerado, caindo na incredulidade, sim,

pelo espaço de muitos anos e por muitas gerações depois que o Messias se manifestar em pessoa

aos filhos dos homens, então a plenitude do evangelho do Messias chegará aos gentios; e dos

gentios, aos remanescentes de nossos descendentes—

E naquele dia virão os nossos descendentes a saber que são da casa de Israel e que são o povo do

convênio do Senhor; e saberão, daí, quem eram seus antepassados e terão também

conhecimento do Redentor e do evangelho que foi por ele ministrado a seus pais. Portanto virão

a conhecer seu Redentor e os pontos essenciais de sua doutrina, para que saibam como chegar a

ele e ser salvos. (1 Néfi 15:13-14)

De fato, Isaías entendia, bem como os profetas Néfi, Mórmon e Morôni, que o próprio Livro de

Mórmon desempenharia um papel importante nos esforços dos gentios retos de restaurar o povo

do convênio à verdadeira fé. Ele sabia que este "livro selado" seria revelado para "falra desde o

pó" num dia de apostasia e confusão (Isaías 29:4, 9-16). Ele viu que o livro seria ouvido pelos

surdos e visto pelos cegos, assim mudando os valores dos homens para que as florestas do Líbano

(um símbolo de orgulho e apostasia) se tornassem um campo fértil e valioso (o símbolo de um

povo produtivo de convênio (vide Isaías 29:17-19). Ele testificou que o livro exporia aqueles

646464646464
malvados que "procuram esconder profundamente" suas obras do Senhor, como também o livro

ensinaria a doutrina verdadeira para aqueles que "erraram de espírito" (Isaías 29:4-24; vide

também 2 Néfi 27; 3 Néfi 26:6-8; Mórmon 5:12-15; Éter 3:27-28).

Além da coligação espiritual e a restauração de Israel à fé verdadeira e aos convênios de seus

pais, Isaías nos ensinou que os gentios também ajudarão, fisicamente, a restaurar os filhos de

Israel a suas terra de promissão. "Os filhos dos estrangeiros" (ou seja, os gentios) edificarão os

muros de Israel e serão seus pastores, lavradores e vinhateiros (Isaías 60:10; 61:5). Estas imagens

sugerem que o trabalho do gentios fará com que este povo seja produtivo outra vez (vide Isaías

5:1-6).

Enquanto estes gentios obrarem espiritual e fisicamente para restaurar o povo do convênio, ser-

lhes-ão como “aios e amas:” "Assim diz o Senhor Deus: Eis que levantarei a minha mão para os

gentios, e ante os povos arvorarei a minha bandeira; então trarão os teus filhos nos braços, e as

tuas filhas serão levadas sobre os ombros. E os reis serão teus aios, e as rainhas as tuas amas;

diante de ti se inclinarão com o rosto em terra, e lamberão o pó de teus pés; e saberás que eu

sou o Senhor, que os que confiam em mim não serão confundidos" (Isaías 49:22-23; vide também

Isaías 60:16).

O profeta Néfi do Livro de Mórmon esclareceu o significado das imagens descritas por Isaías nesta

passagem:

E depois de nossos descendentes haverem sido dispersos, o Senhor Deus fará uma obra

maravilhosa entre os gentios, que será de grande valor para nossos descendentes; é como se

fossem, portanto, alimentados pelos gentios e carregados em seus braços e sobres seus ombros.

E será também de valor para os gentios; e não somente para os gentios, mas para toda a casa de

Israel, porque dará a conhecer os convênios do Pai dos céus com Abraão, quando disse: Em tua

semente serão benditas todas as famílias da Terra.

656565656565
E agora, meus irmãos, quero que saibais que todas as famílias da Terra não poderão ser

abençoadas, a menos que ele desnude o braço aos olhos das nações.

O Senhor Deus, portanto, desnudará o braço aos olhos de todas as nações ao fazer chegar seus

convênios e seu evangelho aos que são da casa de Israel.

Ele, portanto, tornará a tirá-los do cativeiro e serão reunidos na terra de sua herança; e serão

tirados da obscuridade e das trevas e saberão que o Senhor é seu Salvador e seu Redentor, o

Poderoso de Israel. (1 Néfi 22:8-12)

Juntos os "estrangeiros," ou gentios, e a casa de Israel servirão o Senhor nas terras de promissão.

"Porque o Senhor se compadecerá de Jacó e, ainda assim, elegerá Israel e pô-los-á na sua própria

terra; e ajuntar-se-ão com eles os estranhos e apegar-se-ão à casa de Jacó. E o povo tomá-los-á

e levá-los-á ao seu lugar; sim, desde os confins da Terra; e voltarão para suas terras de

promissão. E a casa de Israel possuí-las-á e a terra do Senhor será para servos e servas; e

cativarão aqueles que os cativaram e dominarão os seus opressores" (2 Néfi 24:1-2; vide também

Isaías 14:1-2).

Sabermos que os gentios dos últimos dias desempenharão um papel tão significativo na

restauração nos ajuda a entender a observação do Salvador quando ele ratificou os escritos de

Isaías. "Porque ele [Isaías] certamente falou sobre todas as coisas relativas a meu povo, que é dá

casa de Israel; portanto é preciso que ele fale também aos gentios" (3 Néfi 23:2).

Quais serão os resultados da Restauração de Israel?

A restauração física e espiritual do povo do convênio nos últimos dias não somente cumprirá a

promessa e convênio que Deus fez com Abraão como também preparará a terra para a vinda do

Messias no milênio. Isaías se utiliza de linguagem comovente em umas das passagens mais belas

entre todas as escrituras para descrever a paz e felicidade que prevalecerão durante o reino

milenário e de que os redimidos e restaurados desfrutarão. Sua mensagem nos oferece esperança

e uma perspectiva mais ampla para aqueles que estiverem empenhados na obra da restauração

666666666666
durante a atual época de tanta inquietação e aflição. Eu fiz uma compilação dos ensinamentos

de Isaías referente ao assunto da restauração de Israel que se segue em baixo em um parágrafo

contínuo.

E virá o Redentor a Sião e aos que em Jacó se converterem da transgressão, diz o Senhor [Isaías

59:20]; E ele julgará entre as nações, e repreenderá a muitos povos [2:4]; Do aumento deste

principado e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o firmar e o

fortificar com juízo e com justiça, desde agora e para sempre; o zelo do Senhor dos Exércitos

fará isto [9:7]; E estes converterão as suas espadas em enxadões e as suas lanças em foices; uma

nação não levantará espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerrear [2:4]; Nunca

mais se ouvirá de violência na tua terra, desolação nem destruição no teus termos; mas aos teus

muros chamarás Salvação, e às tuas portas Louvor. Nunca mais te servirá o sol para luz do dia

nem com o seu resplendor a lua te iluminará; mas o Senhor será tua luz perpétua, e o teu Deus a

tua glória [60:18-19]; E morará o lobo com o cordeiro, e o leopardo com o cabrito se deitará, e o

bezerro, e o filho de leão e o animal cevado andarão juntos, e um menino pequeno os guiará. A

vaca e a ursa pastarão juntas, seus filhos se deitarão juntos, e o leão comerá palha como o boi. E

brincará a criança de peito sobre a toca da áspide, e a desmamada colocará a sua mão na cova

do basilisco. Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, porque a terra se

encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar [11:6, 9]; E os resgatados do

Senhor voltarão; e virão a Sião com júbilo, e alegria eterna haverá sobre as suas cabeças; gozo e

alegria alcançarão, e deles fugirá a tristeza e o gemido [35:10]; Naquele dia o renovo do Senhor

será cheio de beleza e de glória; e o fruto da terra excelente e formoso para os que escaperam

de Israel. E será que aquele que for deixado em Sião, e ficar em Jerusalém, será chamado santo;

todo aquele que estiver inscrito entre os viventes em Jerusalém [4:2-3]; Os teus olhos verão o rei

na sua formosura, e verão a terra que está longe [33:17]; Aniquilará a morte para sempre, e

assim enxugará o Senhor Deus as lágrimas de todos os rostos, e tirará o opróbrio do seu povo de

toda a terra [25:8]; Então os olhos dos cegos serão abertos, e os ouvidos dos surdos se abrirão

[35:5]; Como pastor apascentará o seu rebanho; entre os seus braços recolherá os cordeirinhos, e

os levará no seu regaço. [40:11]

676767676767
O profeta Isaías promete que naqueles dias o Senhor nos dará "glória em vez de cinzas" e "o óleo

do gozo em vez de tristeza" (Isaías 61:3). E naquele dia quando nós O virmos, confessaremos: "Eis

que este é o nosso Deus, a quem aguardávamos, e ele nos salvará; este é o Senhor, a quem

aguardávamos; na sua salvação gozaremos e nos alegraremos" (Isaías 25:9). Nossa nostalgia de

fazer parte dos que assim testificam deve nos incentivar a seguir a admoestação do Salvador de

estudar diligentemente os escritos do grande profeta Isaías. Por meio disto saberemos com mais

confiança o por quê, o quando, o quem, o como e o quê da restauração de Israel.

686868686868
O Deserto e as circunstâncias

INTRODUÇÃO:

TEXTO:

1.Todos os grandes Da Bíblia, foram homens, que antes de realizarem qualquer coisa relacionada ao

seu ministério, para serem usados por Deus passaram pelo deserto.

Foram colocados à prova, sob forte pressão, pois o alvo de Deus era formar um caráter sólido. Muitos

foram levados literalmente ao deserto, outros passaram por provas dificílimas. Alguns fizeram do

deserto sua própria casa, outros não aceitaram esse tratamento.

2.Não há na Bíblia nenhum homem que teve um ministério próspero e reconhecido sem ter passado

pelo deserto, e todos que tentaram assumir posições, sem a devida formação foram lançados por

terra.

3.O alvo de Deus para nossas vidas é que sejamos completamente aprovados em nossas atitudes, nas

motivações do nosso coração, que sejamos a expressão de Cristo para as pessoas no seu

quebrantamento, amor e brandura.

4.O poder de Deus expressa em nossa vida por meio do caráter de Cristo em nós. Deus não tem

como meta apenas revelar Sua Grandeza, Ele quer revelar-se. Mas como homens duros, obstinados,

696969696969
arrogantes e cheios de si podem chegar a essa posição de expressarem Cristo? Como serão

quebrantados? Através dos tratamentos de Deus. Dentre estes os mais eficientes são o Deserto e as

Circunstâncias.

I- O QUE É O DESERTOE QUAIS SÃO AS IMPLICAÇÕES?

1.O deserto aponta para uma fase em nossas vidas determinada por Deus para nos amadurecer e

aprofundar no relacionamento com Ele.

2.É um tempo difícil para a carne e para o ego, pois normalmente o deserto vem para golpeá-los.

3.A Bíblia diz que Deus é Pai, que nos ama e zela de nós com grande cuidado. Quando estamos no

deserto, normalmente nos entristecemos achando que Deus não nos ama, não nos ouve e que nos

rejeitou. Mas é exatamente o contrário! Nunca gostamos do deserto porque somos infantis no

conhecimento de Deus. Tal como as crianças, nós gostamos do que é agradável, mas detestamos

o que nos causa desprazer.

4. Deus não tem compromisso em nos ser agradável. Ele tem a decisão de fazer o que será

melhor. Muitas vezes o que fazemos não agrada nossos filhos, mas não nos perturbamos.

Sabemos que o que fazemos é o necessário. É o melhor. É com essa ótica que Deus nos envia ao

deserto.

I. Deserto é tempo de pressão

707070707070
a-Só somos totalmente conhecidos quando colocados sob pressão. E esta pressão
vem, primeiro para que se torne conhecido o que realmente somos. Nós achamos que nos

conhecemos bem. Que engano!

b-Fora da luz e revelação do Espírito Santo nenhum conceito sobre nós


mesmos é digno de crédito. A auto-análise gera orgulho ou sentimentos de

inferioridade, é carnal e altamente nociva. O deserto traz essa pressão a fim de que se

manifeste o que somos para as pessoas.

Entretanto, quando as pressões do deserto vem, tudo desmorona. O que somos, somos. O que

fingimos ser, cai à vista de todos. Toda a nossa carnalidade fica exposta.

c-O deserto nos capacita a suportar pressões . Não é possível Deus confiar nada a

nós antes de passarmos pelo deserto. Esta fase em nossas vidas visa transformar pessoas

fracas e vacilantes em pessoas fortes e corajosas. Antes de passarmos por esse tempo,

quando as pressões do diabo, do sofrimento e do conflito vinham nossa tendência era jogar

tudo para cima assentarmos sobre uma pedra e chorarmos clamando pela nossa mãe. Não

éramos confiáveis.

d-O deserto nos torna rijos, destemidos e calejados para as


pressões.

Sem passarmos pelo deserto tomaríamos para nós toda a glória que pertence a Deus. Não éramos

confiáveis. Quando sob a menor pressão, tornávamos incrédulos, murmurávamos, e

abandonávamos tudo. Após o deserto as coisas mudam.

717171717171
II. Deserto é lugar de solidão

a-Deus quer que dependamos exclusivamente Dele, não de pessoas.

Não queremos passar pelo processo do deserto. Desejamos achar nas pessoas o que Deus quer nos dar

de sua própria presença. O deserto vem para nos decepcionar com toda expectativa e esperança

colocada no homem. Isso não é negativo, é muito bom para nós. Passamos a ter como única

alternativa o Senhor.

b-Na solidão do deserto parece que não há mais ninguém com quem podemos contar. Todas as

pessoas se tornam distantes, impessoais e parecem não nos compreender.

Isso é obra de Deus. Ele quer se tornar o nosso amigo mais íntimo, nosso companheiro de todas as

horas, o ombro amado onde choramos as nossas tristezas. Ele se torna no deserto a única pessoa a

quem podemos recorrer.

c-Ao sairmos do deserto perdemos as amizades naturais, os heróis humanos, os parentes mais queridos

e ganhamos a Deus.

3. O Deserto é lugar do esgotamento da alma

727272727272
a-No deserto não há água, não há vida, não tem descanso. Só calor e exaustão. Nossas energias

naturais vão se esgotando pouco a pouco até não haver mais nenhuma força, nenhum ânimo, nenhum

entusiasmo. Deus retira todos os estímulos naturais que nos animavam no natural.

b- O alvo de Deus é nos livrar da dependência da nossa vida natural e nos capacitar a depender

inteiramente do Seu Espírito. Enquanto temos estímulos de todas as formas, não precisamos

depender de Deus. Fazemos tudo no entusiasmo da alma. O alvo de Deus com esse tempo é retirar os

estímulos a fim de andarmos nas nossas próprias forças e nos exaurirmos completamente. Andar na

carne é não depender de Deus, é depender de sua vida natural, de seu ego.

c-O deserto, pois, vem para nos acabar. Vem para destruir toda autoconfiança.

Moisés antes do deserto desejava uma revelação e em seu afã matou com as mãos um egípcio. Parecia

que a promessa de libertação da nação dependia exclusivamente dele. Após os 40 anos no deserto,

ele disse ao Senhor: "tu deves estar enganado, nem ao menos sei falar." Segunda a Bíblia, Moisés

se tornou o homem mais manso de toda a terra.

4. No deserto Deus se mostra como luz

a-Podemos experimentar a presença de Deus sobre nós como deleite e como luz. Como é bom

adorarmos o Senhor e sentirmos Sua maravilhosa presença. Não há na terra nada tão aprazível. Mas

737373737373
a Bíblia diz que Deus também se manifesta como luz: "Na tua luz vemos a luz"; "Ele é o sol da

justiça” e "Nele estava a vida e a vida era a luz dos homens".

b- No deserto a poderosa presença de Deus se manifesta como uma forte e vigorosa luz que penetra

nas regiões mais profundas e interiores de nosso ser. Sob a luz de Deus vamos conhecendo a Ele na

Sua glória, por outro lado, nos conhecendo em nossa miséria.

c-No deserto conhecemos a face de Deus, ao mesmo tempo em que nos conhecemos. Esse

contraste entre a glória e a miséria é que nos torna verdadeiramente humildes. Ao sairmos do

deserto, sairmos convencidos de que não há em nós mesmos nada útil para Deus, nada próprio para

Deus, nada próprio para o Reino. Sabemos que somos totalmente desqualificados e vis. Moisés e Paulo

eram tão cultos, tão capazes, tão arrogantes, tão independentes de Deus, tão seguros de si mesmos,

tão inteligentes, tão auto-confiantes... Após o deserto o primeiro disse: "não sei falar "e o segundo

disse: "não habita em mim bem nenhum; sou o maior pecador".

IV-NOSSA MALEABILIDADE DETERMINA A DURAÇÃO E A INTENSIDADE DO DESERTO

A-Deus espera sempre uma atitude responsiva no deserto. Mas o que é ter uma atitude responsiva? É

sermos maleáveis, é não nos endurecermos ante aquilo que Deus vem golpeando. É tão triste ver

crentes sendo tratados por Deus que ao invés de se humilharem fortalecem as antigas posições. Muitas

vezes corremos esse risco de não sermos sensíveis e não percebermos que aquilo de negativo que está

acontecendo é Deus desejando nos falar e nos mudar.

747474747474
B-Sofremos em nossa reputação e nos defendemos, somos criticados e criticamos; somos

agredidos e agredimos. Sofremos prejuízo e logo inventamos um modo de passar o prejuízo para

outro. Quando injustiçados, vamos à desforra.

C-Reivindicamos, exigimos, desprezamos e usamos da nossa força humana para estabelecer nossa

própria vontade. Não percebemos que ao nos impormos estamos fora do padrão do Caráter de Cristo e

nos endurecemos contra os tratamentos de Deus, pois justamente aquilo que mais nos incomodou era

a mão de Deus nos tratando.

D-Quanto mais resistirmos em nossa obstinação e dureza mais tempo passamos no deserto. E quanto

mais o tempo passa mais duro vai se tornando o deserto. Deus nos envia ao deserto para nos levar à

semelhança de Cristo, entretanto algumas pessoas são tão duras, desprevenidas e obstinadas que

acabam morrendo no deserto. Vida crista é coisa séria. Que seria morrer no deserto? É viver a vida

inteira resistindo a Deus e sendo resistido por Ele. Não usufrui de sua graça, de sua bênção, do seu

descanso e da sua vida.

Nada na vida dos tais funciona. Tornam-se pessoas amargas, críticas. Acham tudo muito falho. Estão

sempre cheias de auto-piedade, de cobranças aos pais aos amigos e aos líderes na igreja. O mundo

todo está errado, o mundo todo é alvo de suas fortes críticas. Ao agirem assim, estão aprofundando

o sofrimento, tornando as crises mais agudas e aumentando a fase do deserto.

E-Moisés passou 40 longos anos no deserto para que Deus pudesse usá-lo, para que a face do Senhor

pudesse ser vista por ele. Por outro lado Jesus passou somente 40 dias.

757575757575
Moisés foi mais duro que Jesus 365 vezes. Deus não tem prazer no deserto. Ele tem prazer em

nossa resposta. Há pessoas que contam do seu deserto como se estivessem com grande vantagem.

Quão ignorantes são! Estão dando testemunho de sua grande dureza.

F- Não devemos endurecer-nos, pelo contrário devemos amar a disciplina do Senhor cedendo

rapidamente e mudando de coração e de atitudes. Na escola de Deus não se pode pular de cartilha.

Se formos reprovados, nalgum tempo depois passaremos pelo mesmo teste. Isso se repetirá até

darmos a Deus a resposta de quebrantamento e mudança que Ele espera de nós.

V-AS CIRCUNSTÂNCIAS DE TRATAMENTO

A-Além do deserto, que poderíamos chamar de fases nas quais passamos uma ou mais vezes, Deus nos

cria circunstâncias para nos aperfeiçoar. Essas circunstâncias certamente virão para tratar-nos nas

áreas onde somos mais difíceis.

Por exemplo: se o nosso coração é extremamente apegado a bens materiais Deus nos dará prejuízo,

frustração após frustração.

B-Se somos daquele tipo tímido que pouco liga para as coisas de Deus, mas que é grandemente

preocupado com a opinião das pessoas a seu próprio respeito e com sua reputação, este irmão vai

sofrer vexame após vexame até sua reputação ser completamente tratada.

C-Se é do tipo que ama os primeiros lugares, lhe serão reservados sempre os últimos será

desprestigiado e ignorado. Se cobra o amor das pessoas, jamais o receberá. Isso se perpetuará até

767676767676
ceder a Deus tendo seu coração completamente Nele. Até que se disponha, ao invés de cobrar

amor, atenção e respeito, dar amor, dar atenção, dar respeito negando-se a si mesmo

completamente.

Conclusão:

777777777777
787878787878
A NECESSIDADE DE FAZER RESTITUIÇÃO

Restituição é corrigir uma situação. Deve-se fazer com justiça. A


Bíblia diz em Êxodo 22:9:

"Todo negócio desonesto será decidido em tribunal. Seja de bois,


ou jumentos, ou ovelhas - ou seja do que for. As duas partes irão
ao tribunal, e o queixoso dirá: Aconteceu assim e assim. Aquele
que for condenado pelo tribunal, pagará o dobro do prejuízo que
causou. VIVA(Br) Pecamos contra Deus quando enganamos ao
nosso próximo. A Bíblia diz em Levítico 6:2-5: "Veja como
proceder quando alguém cometer qualquer pecado - desses que
muita gente costuma praticar, como. Por exemplo: 1 - deixar de
devolver alguma coisa deixada com ele pelo dono, como penhor ou
garantia de pagamento de empréstimo; 2 - não querer devolver o
que foi confiado a ele, ou o que roubou, ou o que conseguiu
explorando o próximo; 3 - não querer devolver uma coisa que
achou, de outra pessoa, jurando que não achou. Tudo isso ofende
ao Senhor. 4 - "O culpado terá de devolver aquilo que roubou, ou
conseguiu com abuso, ou guardou em depósito, ou achou. 5 - Terá
de devolver tudo aquilo que andou jurando falsamente que não
estava com ele.

Além de devolver tudo - sem faltar nada - dará ao prejudicado


mais vinte por cento sobre o valor do artigo devolvido. No dia em
797979797979
que for declarado culpado fará tudo isto: devolverá o que é do
outro; pagará mais vinte por cento a ele; e fará uma oferta ao
Senhor pelo pecado que cometeu. VIVA(Br)

Deus requer confissão e retribuição nas injustiças

A Bíblia diz em Números 5:5 -7: Falou ainda o Senhor Moisés: 6 -


"Diga ao povo de Israel que quando alguém, homem ou mulher,
ofender o Senhor, não devolvendo um depósito que lhe foi
confiado, nisso está pecando. 7 - Tal pessoa deve confessar o
pecado e indenizar totalmente a pessoa prejudicada, pagando
mais 20 % do prejuízo. VIVA(Br)

1. Talvez roubar diretamente de pessoas nunca foi um problema


para você, mas, às vezes, antes de a pessoa tornar-se uma Nova
Criatura em Cristo, ela roubou do governo (Não pagando
imposto ou não pagando uma taxa, etc. Veja Romanos 13:5-7).
Às vezes, as pessoas cometem “roubo comercial”. Há também
muitos outros tipos de roubo. Se você já roubou alguma coisa, o
que você deve fazer, se for possível (Lucas 19:8) de acordo com
este texto?
1. “Se possível, quando depender de vós tende paz com todos os
homens” (Romanos 12:18).
1. Se você tiver inimizades, o que deve ser feito imediatamente
de acordo com (Provérbios 10:7; 2Co. 13:11)? Quando você
pecar contra um irmão, de quem é a responsabilidade de fazer
as pazes segundo Mateus 5:23-24)?
1. Quando um irmão pecar contra você, é sua responsabilidade
de fazer as pazes.

808080808080
Mateus 18:15

2. Devemos nos esforçar em perdoar pela fé aquela pessoa que


fez algo terrível contra nós (Mateus 6:12-15).
3.

LIÇÃO 1-RESPOSTAS - Curso Vida Abundante

O CARÁTER CRISTÃO: O FRUTO DO ESPÍRITO

Respostas às Perguntas do Estudo 10.

Para que a nossa fé apareça como genuína, e glorifique a Jesus Cristo.

1. c) Uma laranjeira produz laranjas.

11. a) 2. A nossa permanência em Cristo

b) 1. A poda feita pelo Pai

c) 3. A permanência de Cristo em nós

d) 1. A poda feita pelo Pai

818181818181
e) 3. A permanência de Cristo em nós

2. A Velha Natureza (Obras da Carne)

)Prostituição; impureza e lascívia; idolatria e feitiçarias; inimizades; porfias; ciúmes; iras;

discórdias; dissenções; facções; invejas; bebedices; glutonarias e coisas semelhantes.

A Nova Natureza (Frutos do Espírito)

Amor; alegria; paz; longanimidade; benignidade; bondade; fidelidade; mansidão; domínio

próprio.

12. Os milagres e os dons do Espírito podem ser imitados.

3. Obras da Carne Maldade, cobiça, depravação, inveja, homicídio, contendas, engano, malícia,

maledicência, calúnia, ódio a Deus, insolência, arrogância, jactância, desobediência aos pais,

insensibilidade, incredulidade, falta de afeição natural, brutalidade. Blasfémia, amargura, maus

pensamentos, furto, adultério, sensualidade, loucura. Falsidade, linguagem obscena, briga,

malícia.

828282828282
13. Sabemos que uma pessoa é crente se ela manifesta o carácter cristão, que é o fruto do

Espírito. (Outras evidências: os seus actos, palavras e feitos, e o espírito em que essa conduta é

expressa.)

4. O Fruto do Espírito Nada de inveja, de jactância, de orgulho, de rudeza, de egoísmo, de ira

fácil. O crente é verdadeiro, é defensor, confia, espera, persevera. Tem fé, conhecimento e

piedade.

14. a) Dêmos prova do discipulado cristão.

d) Glorifiquemos Deus.

f) Expressemos aos outros o amor de Cristo.

g) Demonstremos a relação que temos com Jesus Cristo. h) Sejamos uma bênção para os outros.

5. a) obras; carne

b) fruto; Espírito; guiado

c) carácter

15. Auto-controle (sobriedade), alerta (vigilância), resistir (resistência ao diabo). 6. a) fruto de

natureza contrária àquela que se esperava.

16. Ele fugirá de vós.

838383838383
7 . b) desprotegida por Deus.

17. A sua resposta 8.

a) V b) F

c) V

d) F

e) V

f) V

g) V

18. a) F

b) F (o fruto é um só)

c) V d) V

e) F

f) F

g) V

9. Perseverança (significa fidelidade, permanecer firme, permanência); carácter; esperança.

848484848484
Respostas às Perguntas do Estudo 10. b) A sua falta de carácter cristão pode desacreditar ou,

pelo menos, diminuir o efeito do dom espiritual que ele exerce. 1. a) 3. Amor físico. b) 1. Amor

divino. c) 2. Amor fraternal. 11. a) A esse crente falta o poder necessário para edificar ou

fortalecer a Igreja. 2. O amor ágape, demonstrado por Jesus, leva-nos a amar até os inimigos.

Não precisa de ser amado primeiro para poder amar. 12. As declarações b), d) e f) são exemplos

do amor ágape em ação. 3. a) F b) V c) V d) V e) F f) F g) F h) V 13. A sua resposta. Este exercício

poderá revelar as áreas da sua vida sobre as quais precisa de orar, para que possa expressar o

amor de Cristo às outras pessoas. 4. c) O Samaritano (provavelmente, a única das três pessoas

que não vivia naquela região; portanto, ele era um estrangeiro).

14. A sua resposta. Talvez tenha sugerido algumas destas opções: O amor é a única das três

coisas que é eterna. O amor inclui muitos aspectos da natureza cristã. O amor resulta em servir o

próximo. 5. Qualquer pessoa que o Senhor traga ao seu conhecimento, que precisa do seu amor e

atenção.

15. O amor unifica todas estas coisas em perfeita unidade. 6. As resposta b), c) e d) exprimem o

ensinamento de Jesus. 16. A sua resposta poderia ser a seguinte: Se as nossas ações não forem

realizadas pela motivação do amor, são vazias e não agradam a Deus. 7. b) Eu deveria ver-me

através dos olhos de Jesus. 17. Quando amamos, queremos estar perto da pessoa amada. Antes

de podermos servir convenientemente, devemos amar. 8. a) Vertical (amor para com Deus). 18.

As suas respostas. Aqui estão respostas sugeridas: a) Grande amor. b) Grande paciência. c)

Grande gentileza. d) Completa pureza, bondade. e) Altruísmo, submissão. f) Perdão. 9. Ambas as

coisas deveriam ser evidentes na vida de um crente – um carácter parecido com o de Cristo

reveste-se de suma importância; mas deveria resultar no exercício dos dons espirituais.

858585858585
Respostas às Perguntas do Estudo 8. A sua resposta. 1. a) Por causa dos seus cooperadores no

evangelho. b) Porque Cristo vinha a ser anunciado. c) Por ter alegria na sua fé. d) Por motivo da

unidade dos Filipenses em amor, espírito e propósito. 9. Algumas razões poderão ser: Por sermos

considerados dignos de sofrer pela causa de Cristo (quando somos perseguidos); porque o

sofrimento nos ensina a perseverança (para permanecermos firmes e constantes); porque Deus

prometeu recompensar aqueles que sofressem pela Sua causa; por causa do conhecimento que

temos de que o nosso sofrimento chegará ao fim e compartilharemos de glória futura, na

companhia de Jesus. Essa é a nossa bendita esperança. 2. b) Grande júbilo, com base no nosso

relacionamento com Deus. c) A graça divina. d) Está relacionado com a nossa posição em Cristo e

não com as nossas circunstâncias externas. 10. b) A lembrança dos poderosos feitos de Deus. (Foi

por terem esquecido esses feitos divinos, que a alegria saiu deles). 3. b) um relacionamento

pessoal com Deus. 11. a) Presença do Senhor. 4. b) A presença interior do Espírito. c) A nossa

posição em Cristo. f) A fé em Deus. 12. A sua resposta. Deveria incluir o conceito de que, se

alguém mantém um correto relacionamento com o Senhor, reconhecendo que Deus é a origem da

nossa alegria espiritual, então será capaz de evitar atitudes que impeçam a alegria. 5. Por causa

das poderosas obras de Deus (milagres), quando Filipe proclamava Cristo naquela cidade. 13.

Uma pessoa alegre tem um rosto resplandecente, uma aparência radiante. 6. a) A alegria é uma

experiência normal, de quem vive cheio do Espírito. 14. entoando louvores ao Senhor. 7. a) F b)

V c) V d) F e) V f) F g) V h) V i) F 15. A sua resposta. Visto que a alegria tem a sua base em Deus,

talvez Neemias estivesse a lembrar aos israelitas que, conforme se chegassem ao Senhor,

depositando n’Ele a sua confiança, Ele encheria os seus corações de alegria, o que lhes daria

forças para enfrentarem as provações.

868686868686
Respostas às Perguntas do Estudo 7.

a) conversão ou salvação b) ser levado de volta. c) Cristo (na Sua morte). d) reconciliados,

conduzidos de volta para Deus. 1. Aqueles que viverem desse modo não herdarão o reino de

Deus. 8. b) Paz interior. c) Um guarda que nos orienta. e) Resulta da paz com Deus. f) Uma

salvaguarda que nos protege do erro. g) É impossível ser totalmente compreendida. h) Torna-se

perfeita, quando confiamos em Deus. 2. Está dentro do crente. 9. a) Outros; a si mesmo. b)

Pacificador. 3. Ele tem a justiça, a paz e a alegria no Espírito Santo. 10. Eis as nossas sugestões:

Abraão: Nunca seremos perdedores se desistirmos dos nossos próprios direitos, para mantermos a

paz. Isaque: É melhor mantermos a paz do que fazer as coisas correrem a nosso favor, mesmo

quando temos razão. Daniel: Se confiarmos em Deus, sem qualquer temor, gozaremos da paz,

não importando quais sejam as nossas circunstâncias. As tribos de Israel: Se houver contendas e

conflitos entre as pessoas, provavelmente isso impedirá o progresso espiritual.

4. a) 3. Segurança ou confiança. b) 3. Segurança ou confiança. c) 2. Unidade ou harmonia

(acordo). d) 1. Tranquilidade (grande calma) e) 1. Tranquilidade (grande calma). f) 2. Unidade

ou harmonia (acordo). 11. Graça e paz. 5. Deus, outros crentes, alegria. 12. a) V b) F (a graça

vem primeiro) c) V d) F e) V f) V g) F h) V 6. A sua resposta pode ser semelhante a esta: a) Graça

e paz: A graça é o favor com que Deus nos contempla, e a paz é a certeza de que recebemos a

graça de Deus. b) Amor e paz: Onde houver amor, também há a paz; em primeiro lugar, devemos

amar Deus e fazer a paz com Ele; e depois devemos amar-nos uns aos outros e vivermos em paz

uns com os outros. c) Santidade e paz: Por meio da paz e da unidade poderemos obter mais

facilmente a santidade, estando assim preparados para a vinda do Senhor. d) Justiça e paz: É no

indivíduo pacífico que o Espírito Santo opera, para produzir a justiça. e) Justiça, alegria e paz:

Todas estas características são elementos do reino de Deus dentro de nós – a justiça refere-se ao

nosso relacionamento com Deus; a alegria refere-se ao nosso relacionamento connosco mesmo e

878787878787
à nossa alegria no Espírito; e a paz refere-se ao nosso relacionamento com o próximo. f)

Confiança e paz: Deus prometeu conservar em paz perfeita aqueles que n’Ele confiam e que têm

as suas mentes fixadas sobre a Sua pessoa. g) Vida e paz: Aquele que é controlado pelo Espírito

Santo pode desfrutar da paz, porque tem a certeza da vida eterna. 13. A sua resposta poderá

ser: Um rio estende-se e a paz procura estender-se a toda a parte. Um rio provê poder e a paz

conduz-nos ao poder espiritual. Um rio tem abundância de água e nós podemos desfrutar de paz

abundante, por meio da presença do Espírito Santo connosco. Um rio transmite vida e a promessa

de vida eterna traz-nos paz. Um rio avança sempre para a frente e a paz ajuda-nos a avançar,

com força e vitória, no nosso serviço cristão.

Respostas às Perguntas do Estudo 8.

a) Perseverança b) Firmeza c) Perseverar d) Paciência, perseverança. 1. A sua resposta. Deveria

ser semelhante a esta: a) Não desiste mesmo quando há provas e tribulações; perseverança ou

resistência. b) Não se irrita facilmente, ou procura vingar-se quando injustiçado. 9. As

recompensas são: a produção de uma colheita, a nossa própria salvação, o recebimento daquilo

que Deus nos promete, ser abençoado. 2. Se quisermos seguir Jesus e sermos os Seus discípulos,

teremos de estar prontos a carregar a nossa cruz (sofrer) por Ele. 10. b) Se o Senhor prometer

fazer algo por nós é melhor confiarmos n’Ele, permitindo-Lhe que Ele mesmo cumpra a Sua

promessa. 3. a) Podemos alegrar-nos nos nossos sofrimentos porque eles nos ensinam a

paciência, o que nos desenvolve o carácter e nos dá esperança. b) Enfrentemos as nossas

provações com alegria, porque elas desenvolvem em nós a paciência, ajudando-nos a sermos

888888888888
maduros e completos. c) O exemplo de Job mostra-nos que se sofrermos com paciência, seremos

abençoados por Deus. d) Se sofrermos com paciência as injustiças, Deus retribuir-nos-á por isso.

11. a) Esperar, algumas vezes, faz parte do processo de preparação que Deus tem para nós. 4. a)

V b) V c) F d) V e) V f) F g) V h) F 12. b) Deus não quer que desistamos das pessoas (em relação a

Ele). 5. Deus não quer que ninguém morra em estado pecaminoso, mas quer dar a todos a

oportunidade de se reconciliarem com Ele e serem perdoados. 13. a) V b) V c) F d) F e) V 6. Esse

exercício ajudá-lo-á a ver onde precisa do auxílio do Espírito Santo para que o fruto da paciência

seja produzido na sua vida.

7. A resposta poderia ser: a) longanimidade, perseverança b) auto-domínio c) bom temperamento

e longanimidade d) não se irar com facilidade e) resistência, perseverança f) um espírito

perdoador g) resistência, perseverança

Respostas às Perguntas do Estudo 7.

Amar Deus é a primeira prioridade; a seguir, vem o amor ao próximo. Deus estende-nos a Sua

bondade; e então devemos tratar o próximo da mesma maneira. Ambas as coisas são essenciais,

se quisermos agradar a Deus. 1. a) Uma característica de doçura, compaixão e ternura. c) Uma

qualidade interna de bondade ou pureza. 8. O Senhor abençoá-lo-á no seu trabalho e em tudo

que fizer. 2. a) 2. Bondade (agathosune) e) 2. Bondade (agathosune) b) 1. Gentileza (chrestotes)

f) 2. Bondade (agathosune) c) 1. Gentileza (chrestotes) g) 1. Gentileza (chrestotes) d) 1.

Gentileza (chrestotes) h) 2. Bondade (agathosune) i) 1. Gentileza (chrestotes) 9. a) 3. Verdade d)

3. Verdade b) 1. Bondade e) 2. Rectidão c) 2. Rectidão f) 1. Bondade 3. a) Gentileza c) Bondade

b) Bondade d) Gentileza 10. a) V b) F c) F d) V e) V f) V 4. a) V b) V c) F d) V e) F

898989898989
11. a) Providenciou para os seus irmãos todas as coisas necessárias e enviou para o seu pai as

melhores coisas do Egipto. b) Raabe ofereceu hospedagem aos espias israelitas e enviou-os de

volta por um caminho diferente. c) Ela providenciou hospedagem para Eliseu, um santo homem

de Deus, fornecendo-lhes alimento e abrigo. d) Dorcas estava sempre a fazer o bem e a ajudar os

pobres. e) Venderam os seus bens e compartilharam do que tinham com todos, de modo que

ninguém passasse necessidades. 5. Deus é compassivo, gracioso, tardio em irar-se, cheio de

amor, não nos acusa (mesmo quando merecemos), não nos trata como nós merecemos, nem nos

retribui conforme os nossos pecados. 12. A sua resposta. Poderia ser: porque decidi entregar-me

a Jesus Cristo por amor, sou Seu servo e servirei outras pessoas em Seu nome e orientado pelo

Seu amor. 6. a) Deus quer levar todos ao arrependimento, porque Ele ama a todos nós. Por causa

da Sua natureza Ele alcança-nos a todos com a Sua bondade. b) Aqueles que continuarem na sua

impiedade e não aceitarem o perdão oferecido por Deus, serão lançados fora e julgados por Ele.

13. As suas respostas. Lembre-se que para agir com gentileza e bondade é preciso prática. Uma

coisa é alguém resolver ser mais gentil e mostrar-se mais bondoso. Mas, pôr em prática essa

decisão é essencial para quem quer deixar que o Espírito Santo desenvolva nele o fruto da

bondade.

Respostas às Perguntas de Estudo 8.

A sua promessa, em 1 Tessalonicenses 5:24: “Fiel é o que vos chama, o qual também o fará”. 1.

a) 4. Dom da fé b) 1. Fé natural c) 6. Fé como crença d) 5. Fruto da fé e) 3) Fé viva f) 2. Fé

salvadora. 9. (Em qualquer ordem): cumprir as Suas promessas, a perdoar e a chamar-nos. 2. A

sua resposta. Talvez Moisés estivesse bem firmado, fosse verdadeiro e estivesse firme na sua

909090909090
confiança em Deus. 10. c) Deus considera-nos responsáveis pela maneira como investimos naquilo

que Ele nos confiou, não importando-se muito ou pouco.

3. a) Fé, fidelidade, crença, confiabilidade b) Confiança c) Fé, fiel d) Em verdade; assim seja e)

Virtude de quem é fidedigno f) Alguém em quem podemos confiar e que faz o que é certo. 11. a)

6. Mordomia b) 3. Votos c) 2. Sofrimento d) 6. Mordomia e) 1. Amor f) 5. Coerência g) 5.

Coerência h) 4. Lealdade 4. a) V b) V c) F d) V e) F f) V 12. As suas respostas. Eis como eu

responderia: a) Um crente fiel é digno de confiança em todas as circunstâncias. b) Um crente fiel

sempre manterá a sua palavra. c) Um crente fiel será obediente a Deus. d) Um crente fiel

cumprirá as suas promessas. e) Um crente fiel será sempre leal ao seu Senhor. f) Um crente fiel

permanecerá firme naquilo em que crê, não importando o que os homens possam fazer-lhe. g) Os

servos fiéis serão honestos na utilização dos fundos públicos (ou dos alheios). h) Um servo fiel de

Deus confessará a sua fé com ousadia, mesmo que por causa disso seja perseguido. 5. Isaías 11:5.

13. A sua resposta. Esta é uma importante auto-avaliação. Dedique algum tempo para a estudar

com cuidado. 6. A pessoa que vive para agradar a si mesma será destruída. E a pessoa que vive

para agradar a Deus receberá a vida eterna. 14. Poderiam ser: A aprovação de Deus; a vida

eterna; ser conhecido como digno de confiança, honesto e sincero; ricas bênçãos. 7. Confissão e

fé (crença). 15. Deus lançará a pessoa infiel nas trevas exteriores (Inferno); não merecerá a

confiança de outras pessoas; será uma frustração para si mesmo.

Respostas às Perguntas do Estudo 8.

“Que isto não lhes seja posto em conta”. (Assim falou Paulo em 2 Timóteo 4:16, dos que o

abandonaram, mostrando que já lhes tinha perdoado). 1. a) F b) V c) F d) V e) V f) V g) F 9. A sua

resposta. Talvez tenha sugerido ser pacificador; não tentarmos defender-nos, deixando que Deus

seja a nossa defesa; ser uma forte testemunha, que conduza outras pessoas à verdade do

evangelho; mostrar amor, interesse e tolerância para com todas as pessoas, além de outras

coisas. 2. As suas respostas. Eis aqui as minhas: a) Submissão à vontade de Deus ou a disposição

de aprender. b) Mostrar-se cheio de consideração; tolerar as outras pessoas pelo amor cristão. c)

919191919191
Coragem, fortaleza e resolução. d) Combinar a mansidão com a firmeza, quando isso for

necessário para a correcção (maneira certa de lidar com algum irmão em falta grave). 10. “...

antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vossos corações...” 3. A ira de Deus é sempre dirigida

contra o pecado e o mal; Ele é manso e amoroso para com os que Lhe pertencem e O seguem.

11. “... fazendo-o, todavia, com mansidão e temor...” 4. Submissão à vontade do Pai, submissão

aos soldados que O prenderam. 12. b) for submisso e disposto a aprender. 5. Um exemplo foi

quando Ele lavou os pés dos Seus discípulos, uma lição sobre como devemos servir o próximo. 13.

a) Combinar o ensino resoluto com a mansidão.

6. A sua resposta poderia ser: Deus quer que Lhe sejamos submissos; a mansidão como fruto do

Espírito combina-se com a força; a mensagem do evangelho deve ser compartilhada com outros

com mansidão. 14. b) Deve ter grande amor e compaixão, reconhecendo que é o poder do

Espírito Santo que nos protege para não pecarmos. 7. a) humildade b) espírito manso, tranquilo

c) salvação, coração, Palavra de Deus. d) pecado. e) mansidão e firmeza. 15. b) Aqueles que

demonstrarem o fruto da mansidão compartilharão com Jesus o reino que Ele estabelecerá neste

mundo.

Respostas às Perguntas do Estudo 7.

“... mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas”. 1. c) Autodisciplina nos hábitos

diários. d) O domínio sobre os desejos maus ou egoístas. f) Capacidade para vencer as tentações.

g) Auto governo através da direcção do Espírito Santo. 8. b) Temperança. d) Equilíbrio. f)

Moderação. 2. b) devemos aprender a controlar os nossos desejos para sermos dignos da

aprovação do Senhor. 9. a) V b) F c) V d) F e) V f) V g) F h) V i) V j) F 3. c) A descrição de

929292929292
Aristóteles sobre a pessoa que não tem auto-controle. 10. A sua resposta deve ser como esta: É

através do fruto do auto-controle que somos capazes de nos separar do mundo e nos consagrar a

Deus. Para tanto, precisamos de entregar o controle das nossas vidas ao Espírito Santo,

permitindo-Lhe produzir as características de Cristo em nós. 4. A sua resposta. Diria que o

segredo é ser cheio do Espírito Santo e permitir que Ele controle a nossa vida. E então faremos o

que Lhe é agradável. 11. A sua resposta. Este exemplo mostra-nos que precisamos continuamente

do poder do Espírito Santo, e que precisamos de confiar na Palavra de Deus para podermos

combater o inimigo. 5. “... a língua, porém, nenhum dos homens é capaz de domar” (v. 8). 12.

Porque os líderes cristãos são exemplos, e não poderão ensinar a outros sobre auto-controle se

eles mesmos não o têm. 6. a) Deus. 13. A sua resposta. Lembre-se que o Espírito Santo nunca lhe

imporá à força o Seu controle –deve submeter-se ao Seu controle, para que Ele possa produzir em

si o fruto do domínio próprio.

Respostas para os Auto-Testes Lição 1 1.

F 2. F 3. F 4. V 5. V 6. V 7. V 8. F 9. V 10. V 11. V 12. F 13. a) 2. Propósito da produção de fruto

b) 3. Condições para a produção de fruto. c) 1. Maneiras de promover a produção de fruto

espiritual. 14. Carácter cristão 15. Amor, gozo (alegria), paz, longanimidade (paciência),

benignidade (gentileza), bondade, fidelidade, mansidão, temperança (auto-domínio ou auto-

controle). 16. por produzir fruto Lição 2 1. b) Amor fraternal (fileo) 2. a) O amor agape 3. d)

numa relação física 4. d) Todas as três 5. d) “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração,

de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento... amarás o teu próximo como a ti mesmo” 6.

939393939393
a) Obediência; amor uns pelos outros. 7. d) ajudar qualquer pessoa que Deus traga para as nossas

vidas, quer seja amigo, inimigo ou estranho. 8. b) vejo a mim mesmo como Jesus me vê, isto é,

feito à Sua semelhança. 9. c) deve haver um equilíbrio entre o fruto do Espírito e os dons

espirituais, para que haja um ministério eficaz. 10. b) o amor vem em primeiro lugar e depois o

serviço cristão. 11. a) a igreja em Colossos 12. a) um amor fervoroso é agradecido e dispõe-se ao

sacrifício. Lição 3 1. a) 1. A alegria humana b) 2. A alegria espiritual c) 2. A alegria espiritual d)

1. A alegria humana e) 2. A alegria espiritual f) 2. A alegria espiritual g) 3. Tanto a alegria

humana, como a espiritual 2. F 3. V 4. F 5. V 6. V 7. F 8. V 9. V 10. V 11. V 12. F 13. V 14. a sua

própria resposta. Lição 4 1. Respostas a), b), f), h), l), j) são aspectos de paz espiritual. 2 . c)

Amor e alegria 3. b) justiça, paz e alegria 4. c) Ser completo, plenitude 5. a) O solo 6. a) Aqueles

que proclamam o evangelho de Cristo devem manifestar a paz 7. c) termos a paz interior para

nos defender 8. b) reconciliarmo-nos com Deus por meio de Jesus Cristo

142 9. c) os nossos próprios direitos 10. a) a um rio Lição 5 1. a) longanimidade b) auto-domínio

e) perseverança 2. c) resistência 3. a) carácter 4. b) quer dar às pessoas uma prolongada

oportunidade de se arrependerem e serem salvas 5. f) Ele usou todos esses termos para Se

descrever a Si mesmo. 6. c) Perdoar ao próximo 7. V 8. V 9. F (é desenvolvido em nós pelo

Espírito Santo quando nos submetemos à sua direcção.) 10. F 11. V 12. V 13. F 14. F (pode

aprendê-lo também, na comunhão com os crentes, etc. 15. V Lição 6 1. Qualquer um destes: uma

qualidade de pureza, uma disposição graciosa, terno, compaixão, carinhoso, disposto a fazer o

bem e justo. 2. A prática ou expressão de gentileza, fazendo o que é bom, sendo generoso. 3.

Tanto como o escravo por amor pode escolher servir o seu mestre toda a vida, também nós os

salvos, escolhemos servir Cristo, o nosso Mestre, para toda a vida. Servimo-Lo por actos de

gentileza e bondade para com os outros, sendo gentis e fazendo o bem. 4. c) serviço 5. a) A

pureza ou carácter moral 6. b) Pode ser ao mesmo tempo, gentil e forte 7. c) A Sua misericórdia

e graça 8. a) a salvação e o serviço cristão 9. c) sou um mãos-abertas quando dou, mesmo que

isso signifique um sacrifício para mim 10. d) graça 11. b) imparcialidade 12. c) ao

arrependimento Lição 7 1. b) o amor é comprovado pela fidelidade 2. c) guiar um autocarro 3. a)

a perseverança 4. c) fazer um voto e não o cumprir 5. b) fé viva 6. d) continuar aquilo que

começámos 7. d) pistis 8. b) administra a propriedade de outrem 9. a) o modo como investimos

949494949494
aquilo que Deus nos deu 10. c) ser lançado nas trevas exteriores (inferno) 11. b) Daniel 12. d)

sermos aquilo que dizemos que somos

14313. c) a mordomia 14. b) o fruto da fé Lição 8 1. a) o Espírito Santo b) Jesus Cristo c)

seguidores de Cristo (crentes) 2. Submisso 3. se ira, se ira 4. orgulhoso ou arrogante 5. gentileza

6. d) Mansidão e firmeza 7. a) consideração pelo próximo 8. c) ira no momento certo 9. b) a

qualquer acto que desonrasse a casa ou o nome de Deus 10. c) a chuva que prepara o solo para a

sementeira 11. d) tendo um espírito manso e tranquilo 12. b) a participação no reino de Deus

Lição 9 1. d) Auto disciplina 2. b) embriaguês e glutonaria 3. a) das paixões sensuais 4. c) de se

abster de coisas como carne, vinho e casamento5. b) eles não devem fazer nada em excesso 6. a)

da língua 7. a) Deve entregar o controle da sua vida ao Espírito Santo, sendo sensível aos seus

impulsos, para que tenha uma conduta correcta na sua vida. 8. b) ter uma vida equilibrada,

dedicando o tempo necessário a cada uma dessas actividades. 9. V 10. V 11. F 12. F 13. V 14. F

Lição 10 1. V 2. V 3. F 4. F (fé em Cristo é o único requisito) 5. F 6. V 7. V 8. V 9. F 10. V 11. V

12.

959595959595
969696969696
Ora, devemos manter a paz com todos, e nos esforçarmos para que essa
paz não seja abalada. Quando não cultivamos a paz, também desgastamos

979797979797
nossa santificação, isto é, os atritos familiares faz com que deixamos de ser
santos (separados) no mundo, e assim passamos a agir e ser igual aos que
ainda não foram iluminados e vivem na carne, e com isso, infelizmente não
veremos o Senhor em nossas vidas.(v.14)

1- Vem de Cristo:

v.14 “porque Ele é a nossa paz”.

A que o cristão recebe vem de Jesus que a prometeu dizendo: “deixo-vos a paz” (João 14.27). O

Espírito Santo também produz a paz em nosso coração como fruto de sua presença (Gálatas

5.22).

A saudação do cristão declara a ‘paz do Senhor’, ou seja esta paz não é nossa e sim de Deus

revelada a nós.

2- Conservada por Deus:

v.15 “criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz”.

A paz do cristão não é passageira, mas permanente, mesmo num mundo difícil, Jesus sempre

garante a paz duradoura (João 16.33), porque “a paz de Deus, que excede todo o entendimento,

guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus” (Filipenses 4.7).

3- Deve ser transmitida ao próximo:

v.17 “evangelizou a paz”.

989898989898
A paz deve ser ministrada às pessoas. Jesus ensinou a levar a paz por onde formos (Lucas

10.5,6). A mensagem de Deus é o “evangelho da paz” (Atos 10.36) e o cristão deve anunciar em

todos os lugares tendo calçado “os pés com o a preparação do evangelho da paz” (Efésios 6.15).

Então o cristão deve evitar problemas desnecessários “porque Deus não é de confusão e sim de

paz” (I Coríntios 14.33) e “se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens”

(Romanos 12.18).

Como cristãos devemos ser ministros da paz de Cristo. Onde chegamos devemos levar este

sentimento de paz que Jesus nos deu (João 14.27). Não podemos quere a paz somente para nós

e sim para compartilhar com as pessoas.

-Conclusão: O sal deve ser para si próprio e a paz deve ser para dar ao próximo. Antes de cobrar

dos outros devemos fazer o melhor.

-Conclusão: Busque a paz de Deus em sua vida para ser feliz com Jesus.

999999999999
100100100100100100
Direitos exclusivos cedidos a Edições Nova Aliança

que se reserva a propriedade literária desta edição.

Este Material foi Editado e Revisado pelas Edições Nova Aliança.

O Curso Original foi criado pelo ICI-São Paulo Capital.

Soares, José Erone Rodrigues

Correção e Revisão Geral: Jer Soares

Diagramação, capa e arte : Edna

Biblioteca Pastoral –Inscrição nº 1.000.00

Outono de 2019

SÉRIE: Semeando a Palavra DE DEUS

EDIÇÕES NOVA ALIANÇA

Rua Borges de medeiros 1813- Ap. Fundos -Centro- Vacaria –RS

101101101101101101
Cel. 54 984 49 00 07- Email: pastorjoseerone@uol.com.br

CEP: 95200-055

CURSO BÍBLICO

As Perguntas da Vida

102102102102102102
Você certamente já fez perguntas como estas: O que é realmente a vida? Por que é que eu

nasci? Como posso encontrar a felicidade? Se assim for, as seis lições deste curso serão muito

úteis para si. Nestas seis lições procuramos responder às seguintes perguntas:

As respostas a estas perguntas são uma preocupação constante de muitas pessoas. O nosso

objetivo neste curso é apresentá-lo com as respostas Bíblicas. Conhecendo estas respostas da

Bíblia certamente irão ajudá-lo a viver uma vida melhor e dar-lhe uma preparação para a vida do

futuro.

Faça um esforço para aprender de cor os versículos Bíblicos que vão indicados na secção “Para

Decorar”, em cada lição. Repita os versículos para um amigo ou alguém conhecido, até poder

dizê-los de cor, sem consultar este livro ou a Bíblia.

Depois de completar as 6 lições do curso, receberá um certificado de conclusão em

reconhecimento pela sua busca da verdade e pela sua determinação em estudar até acabar o

curso. Desejamos que possa ter o maior proveito para a sua vida espiritual através do seu estudo

deste curso.

Se você concluir o curso e enviar os seus dados com as respostas no final da apostila para o

seguinte endereço: Curso Bíblico: As Grandes Perguntas: Rua Borges de Medeiros 1813-Centro-

Vacaria-Rs-CEP 95200-O55 receberá um certificado de conclusão do Curso Bíblico no Valor de R$

30,00 Através de depósito Bancário no:

Banco Bradesco

103103103103103103
Agência 1393-5

Conta Corrente 0010369-1

Em nome de José Erone Rodrigues Soares

Envie o comprovante de depósito para o Whatsapp 54 984 49 00 07

104104104104104104
SUMÁRIO

Página:

Introdução...............................................................................3

O que está a acontecer ao mundo?....................................................4

Qual a verdade sobre Deus?...........................................................10

O que é realmente a vida?............................................................ 17

Como ver satisfeita a minha maior necessidade?...................................24

105105105105105105
Que acontece depois da morte?......................................................31

Qual é a verdadeira Igreja?............................................................38

Uma Palavra Final.......................................................................45

106106106106106106
INTRODUÇÃO

As Perguntas da Vida

Estas lições baseiam-se na Bíblia. Em cada lição citamos alguns dos muitos versículos da Bíblia

que respondem às nossas perguntas. Antes de cada citação, encontra-se a referência bíblica: o

nome do livro, o capítulo e a versículo. Por exemplo: “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo tu

e a tua casa”.

Atos 16:31

107107107107107107
O texto (citação) entre aspas encontra-se no livro de Atos dos Apóstolos capítulo 16 e versículo

31. Há muitas traduções diferentes da Bíblia. A tradução que vamos utilizar neste curso é a

Versão João Ferreira de Almeida.

Estas são as perguntas mais comuns dos seres humanos que serão respondidas nas lições:

1.O Que está acontecendo ao mundo?

2.Quais são as verdades acerca de Deus?

3.Qual é o significado da vida?

4.Como poderei ter as minhas maiores necessidades supridas?

5.O que poderá acontecer depois da morte?

6.Qual é a verdadeira igreja?

108108108108108108
3

Lição 1

O Que Está a Acontecendo ao Mundo?

Introdução

109109109109109109
Ao olhar o nosso mundo de hoje ficamos desanimados – há tantos problemas e dificuldades por

todo o lado. Em muitos lugares, há lutas, há conflitos. Muitos países estão em guerra. As

populações sofrem os horrores das batalhas, com privações e perseguições. Por outro lado, lemos

notícias que nos deixam inquietos.

Roubos, assassínios, raptos, fraudes, fome, terramotos e muitas outras coisas semelhantes. A

situação é, realmente, penosa e triste. Muitos se têm levantado procurando solucionar os

problemas com uma ou outra proposta. Infelizmente, grande parte dessas soluções não tem dado

resultado e a situação do mundo continua na mesma ou talvez pior do que nunca.

A Bíblia conta-nos como, no princípio, o mundo era um lugar belo, um lugar de felicidade e

harmonia. A Palavra de Deus chama a esse tempo de paz o Jardim do Éden, ou Paraíso. Só que

essa harmonia foi quebrada. O pecado entrou no mundo.

E desde que o pecado entrou no mundo, não só o homem, mas a própria natureza também tem

problemas. Será então, se o pecado for eliminado que poderemos voltar a conquistar essa

felicidade? Sim! Essa é a grande esperança e a grande certeza que temos. A Bíblia diz que é

possível ter vitória sobre o pecado.

Nesta Lição você vai estudar:

 Como saber a verdade?

110110110110110110
 Como começou o mundo?

 O que de mal aconteceu ao mundo?

 Há esperança para o mundo?

PARTE 1

Como Saber a Verdade?

Ciência, História e Observação.

Podemos aprender coisas maravilhosas sobre o mundo – incluindo sobre o nosso próprio povo –

por meio de ciência, da História e da observação. Só que estes conhecimentos não nos

respondem a muitas das grandes perguntas da vida. Não nos dizem como começou a vida, qual o

seu propósito ou o que o futuro nos vai trazer.

A Bíblia

Só Deus o Autor da Criação poderá revelar-nos o modo e a razão de ter criado o mundo. E é no

Seu livro, a Bíblia Sagrada, que Ele nos conta a verdade destas coisas. A Bíblia também é como

que um manual que nos diz como viver neste mundo.

111111111111111111
PARTE 2

Como Começou o Mundo?

Terá Sido por Acaso?

Já alguma vez se perguntou a si próprio como apareceu o mundo? Terá sido por Acaso? Ou foi

antes planeado por uma grande mente utilizando um grande poder? Ao vermos uma bicicleta, um

carro ou um avião, sabemos que não apareceram por acaso. Alguém, o planejou de modo a

funcionar segundo certas leis.

O Mundo Foi Criado Segundo um Plano

O mundo e tudo quanto nele há, funciona segundo regras fixas a que chamamos leis de

Natureza. Quanto mais a Ciência domina essas leis, mais acreditamos que Alguém planeou cada

detalhe do Universo, o criou e mantém a funcionar segundo os Seus planos. Esse Alguém é Deus,

o Criador Onipotente e Onisciente. Ele é o Senhor e Sustentador do Universo.

O Mundo Foi Criado de acordo com Leis Fixas

¨Assim diz o Senhor, que dá (ás leis fixas) o sol para a luz do dia e as ordenanças da lua e das

estrelas para a luz da noite... ¨ ¨Se a minha aliança não permanecer com o dia e com a noite não

permanecer, e eu não mantiver as leis fixas dos céus e da terra. ¨

112112112112112112
Jeremias 31.35; 33.25

Para Decorar

¨ No princípio criou Deus os céus e a Terra. ¨

Genesis 1.1 ¨Todas as

coisas foram feitas por Ele. ¨

João 1.3

Deus Criou um Mundo Perfeito

Deus criou o Sol, a Lua, as estrelas e a Terra. Fixou as suas órbitas de modo que não chocassem

entre si. Ordenou a distância exata entre a Terra e o Sol – nem perto de mais, para que não

ardesse tudo, nem longe de mais, a fim de não gelarmos. Os mares e a terra seca foram criados

em proporções perfeitas e com a atmosfera ideal. Então, Deus criou os seres vivos. Por último,

criou o Homem e colocou-o num mundo lindo e maravilhoso.

Para Decorar

¨E viu Deus tudo quanto tinha feito e eis que era muito bom. ¨

Genesis 1.31

113113113113113113
Porque Criou Deus o Mundo?

Deus criou o mundo para nossa alegria e criou também os seres humanos para serem os Seus

filhos e neles Se comprazer, fazendo a terra para sua habitação.

Deus contava gozar a beleza e a perfeita ordem do Seu Universo, mas, sobretudo contava

desfrutar o amor dos Seus filhos.

¨Porque Tu criaste todas as coisas e por Tua vontade são e foram criadas. ¨

Apocalipse 4.11

¨Porque o Senhor Se agrada do Seu povo. ¨

Salmos 149.4

Deus queria que os Seus filhos fossem como Ele e com Ele partilhassem a Sua obra. Assim deu a

Adão e Eva (o primeiro casal de seres humanos) naturezas em muito idênticas à Sua própria

natureza divina. Deus iria ensiná-los e, com o Seu auxílio, a Humanidade dominaria a Terra.

¨E disse Deus: “Façamos o Homem à nossa imagem... e domine... sobre toda a terra.”

Genesis 1.26

Exercícios

114114114114114114
1. Preencha os espaços em branco.

a) Qual o livro da Bíblia que nos conta como e porque foi criado o mundo?

___________________________________________________________________

b) Quem instituiu os padrões a que chamamos leis de Natureza?__________

c) Para a alegria de quem foi o mundo criado?___________________________

d) O mundo era bom ou mau?_________________________________________

e) Como se chamava o primeiro homem e a primeira mulher?______________

f) Deus queria que os seres humanos gozassem o Seu amor e fossem os seus?

___________________________________________________________________

g) Com o auxílio de____________ a Humanidade deveria dominar a________

115115115115115115
6

PARTE 3

Que Mal Aconteceu ao Mundo?

Algo de Mal Aconteceu

Olhando ao seu redor verá sofrimento, tristeza, contendas, violência, guerra, fome e morte. O

mundo atual não é perfeito. Que mal lhe aconteceu? Este mundo, que antes era perfeito, ficou

estragado por um inimigo de Deus e pelo próprio Homem.

O Inimigo de Deus

Deus tem um inimigo chamado Satanás ou Diabo. Satanás está contra tudo quanto é de Deus.

Deus é bom; Satanás combate o bem com o mal. Deus quer ajudar o Homem, enquanto Satanás

tenta destruí-lo. Deus quer apreciar o amor e a comunhão do Homem; o Diabo tenta separá-lo de

Deus. Satanás tenta fazer o Homem segui-lo em vez de seguir Deus.

O Pecado do Homem

116116116116116116
Satanás mentiu a Adão e Eva acerca de Deus. Convenceu-os a pecar, isto é, a desobedecer a

Deu. Deus tinha avisado Adão que o pecado ia causar a morte. E causou-lhe tanto a morte física

como a morte espiritual. A vida provém de Deus, por isso a separação d’Ele acaba na morte.

Adão e Eva decidiram antes acreditar em Satanás e não em Deus. Quebraram as Suas leis e

seguiram o seu próprio caminho, com resultados trágicos para todos nós e para o mundo inteiro.

Os Efeitos do Pecado

O pecado trouxe ao mundo, a doença e a morte.

¨Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo e pelo pecado a morte, assim

também a morte passou a todos os homens, por que isso todos pecaram. ¨

Romanos 5.12

O pecado quebrou a comunhão entre Deus e o homem. Enquanto o homem continuar rebelde,

desobediente e pecador, não pode ter comunhão com Deus. Em vez de ser um filho de Deus, o

homem tornou-se um servo do pecado.

¨Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele

a quem, obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça?¨

117117117117117117
Romanos 6.16

Escolhendo desobedecer a deus, unimo-nos à rebelião de Satanás e aceitamos assim o seu

domínio. Este mundo tornou-se um campo de batalha entre Deus e Satanás. Cada um de nós tem

que escolher ao lado onde quer ficar.

A Sua Escolha – Ou Deus Ou Satanás

¨Escolhei hoje a quem sirvais... Porém, eu e a minha casa serviremos ao Senhor.

Josué 24.15

Exercícios:

1.Considere o quadro seguinte:

Marque um (X) ao lado de cada uma das coisas que deseja possuir e um zero (0) ao lado das que

não deseja. De acordo com as suas marcas, verá de que lado deseja realmente estar: do lado de

Deus ou do lado de Satanás.

118118118118118118
Deus Oferece-nos X Satanás Oferece-nos

a) NA NATUREZA

__________Uma criação perfeita, ordem, equilíbrio, beleza, provisão abundante.

__________Obscuridade em toda a Natureza, desordem, caos, fealdade, pobreza, fome,

doenças.

b) NO NOSSO CORPO

__________Apetites sã vida e saúde.__________ Gula, vícios, cobiça doença e morte.

c) NO NOSSO PENSAR, SENTIR E AGIR

________Verdade, fé, sabedoria, bons pensamentos, mente criadora, amor são, humildade,

obediência, liberdade de escolha, paz, felicidade e alegria, auxílio, justiça, comunhão com Deus.

________ Erro, incredulidade, maus pensamentos, vida sem objetivos, destruição, egoísmo, ódio,

temores, suspeitas, orgulho, rebelião, escravidão do pecado, conflitos, guerras, tristezas, crime,

separação de Deus.

119119119119119119
8

PARTE 4

Há Alguma Esperança para o Mundo?

Deus Não Abandonou o Mundo

Deus ainda ama a Humanidade apesar dos seus pecados, e abriu o caminho para salvá-la do

pecado, de Satanás e da morte eterna. Deus ainda controla o Universo e um dia chamará de novo

o mundo para Lhe obedecer.

O Filho de Deus Tomou Sobre Si o Nosso Castigo

Todos os seres humanos pecaram e ficaram sob a sentença da morte. Apesar de não termos

nenhuma força para nos salvar a nós mesmos, Deus amou-nos de tal modo que enviou o Seu

próprio Filho, o Senhor Jesus Cristo, para pagar o preço da nossa salvação e tomar sobre Si o

nosso castigo. Há cerca de dois mil anos, Jesus veio ao mundo, nascendo sobrenaturalmente de

uma virgem, na Palestina.

120120120120120120
Ensinou aos homens a verdade sobre Deus e sobre o Seu amor. Em toda a Sua vida, não cometeu

qualquer erro. No entanto, morreu como um criminoso, pregado numa cruz, no nosso lugar, pelos

nossos pecados. Deus mostrou ao mundo que Jesus era o Seu Filho, ressuscitando-O dos mortos

ao terceiro dia. Quarenta dias mais tarde, Jesus subiu fisicamente ao Céu. Os amigos de Jesus

que O viram após a ressurreição e que presenciaram a Sua ascensão, descrevem-nos estes factos

nos Evangelhos.

A Aceitação de Jesus torna-nos Filhos de Deus

Visto que Jesus tomou sobre Si o castigo que nos pertencia, todos quantos O aceitam agora como

Salvador ficam livres do poder de Satanás. Quando deixamos os nossos pecados, Deus faz-nos os

Seus filhos.

Deus convida-nos assim, a crermos em o Seu Filho para sermos salvos do pecado. No entanto,

Deus não nos obriga a fazê-lo.

¨Porque se pela ofensa de um só a morte reinou por esse, muito mais os que recebem

abundância da graça e do dom da Justiça reinarão em vida por um só – Jesus Cristo. ¨

Romanos 5.17

Para Decorar

121121121121121121
¨Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho Unigénito para que todo aquele

que n’Ele crê não pereça mas tenha a vida eterna.

João 3.16

¨Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é vida eterna por Cristo

Jesus nosso Senhor. ¨

Romanos 6.23

Podemos Viver Num Mundo Perfeito

Um dia, Jesus voltará para libertar o mundo do pecado e torná-lo de novo perfeito. Se O aceitar

agora como o seu Salvador, viverá então com Ele em perfeita felicidade. Mesmo agora, o seu

mundo será melhor se e quando aceitar Jesus como Salvador porque se tornará uma pessoa

melhor. Hoje mesmo, pode começar a gozar das bênçãos que pertencem aos filhos de Deus.

Exercício:

2. Preencha os espaços em branco

122122122122122122
¨ Porque Deus amou________________ de tal maneira que deu o Seu Filho Unigénito para

que_______________________que n’Ele crê não pereça mas tenha vida eterna.¨

Se você deseja agora aceitar Jesus como Seu Salvador, faça a seguinte oração:

Obrigado Deus, por me amares e por teres enviado o Teu Filho para morrer pelos meus pecados.

Recebo-Te agora, Jesus, como meu Salvador. Durante o resto da minha vida, quero ficar do Teu

lado e não mais do lado de Satanás. Por favor, faz de mim o tipo de pessoa que queres que eu

seja.

Lição 2

Qual a Verdade Sobre Deus?

INTRODUÇÃO

No mundo de hoje, há muitas ideias acerca de Deus. Encontramos as mais variadas religiões que

procuram responder a perguntas como: Quem é Deus? Como é que O podemos encontrar? Ele

preocupa-se comigo? Ao estudar a história humana, verificamos que os homens sempre têm

procurado responder a perguntas tais como estas. Ao longo dos tempos, apareceram e

desapareceram muitas religiões juntamente com as civilizações a que pertenciam.

123123123123123123
O mesmo acontecerá no futuro. Religiões e filosofias que hoje estão na moda e são grandes,

poderosas e influentes, amanhã deixarão de existir. Mas a pergunta: “Quem é Deus?” continuará

a perturbar e a interessar a muitos.

Entre as diversas respostas, encontra-se uma que tem satisfeito milhões de seres humanos em

todos os tempos e lugares e que ainda hoje, nos nossos dias, continua a satisfazer. Essa resposta

foi dada pelo próprio Deus e encontra-se na Bíblia Sagrada. Aio estudar esta lição, que Deus o

ajude a encontrar a resposta.

10

Nesta lição, você vai estudar:

•Por Que Precisa Saber a Verdade Acerca de Deus?

•Como Saber a Verdade Acerca de Deus?

•Como é Deus?

•Como é Que Deus Quer Que O Adore?

PARTE 1

Por Que Precisa Saber a Verdade Acerca de Deus?

124124124124124124
Esta é uma pergunta que muitas pessoas levantam. Umas por desconhecimento, outras como

meio de fugirem a uma resposta.

Você precisa saber a verdade acerca de Deus

Por ser Deus quem Ele é

Porque Deus é Deus: Deus é o Criador, o Senhor e o Juiz do Universo. Como Criador, possui tudo

quanto criou. Como Senhor, deu certas leis para o bem de toda a Sua criação. Como Juiz,

premiará ou castigará cada ser humano, segundo a sua obediência ou desobediência.

Uma vez que Deus é o nosso Criador, Senhor e Juiz, precisamos conhecer a verdade sobre Ele, e

o que Ele espera de cada um de nós. Deus é também um Pai amoroso – oferece-nos verdadeira

alegria. Necessitamos de conhecê-lo para gozar o Seu amor e bênçãos.

Porque desse assunto dependem a sua vida e morte

Deus é o dador da vida e oferece-nos agora uma vida melhor e plena e, após a morte, uma vida

perfeita e eterna. Para Decorar João 17:3E a vida eterna é esta: que Te conheçam, a Ti só, por

único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a Quem enviaste.

125125125125125125
Porque para agradar a Deus, deve conhecê-Lo.

Os filhos de Deus amam-No e querem agradar-Lhe. Se já aceitou Jesus como seu Salvador,

tornou-se filho de Deus. Cada dia desejará conhecer melhor o seu Pai celestial e descobrir o que

Ele gosta, para Lhe agradar em tudo quanto fizer. Este é o único caminho para encontrar

satisfação verdadeira, visto que fomos criados para fazermos o que agrada a Deus.

Exercícios:

1.Preencha os espaços em branco utilizando as seguintes palavras na ordem certa: agradar;

morte; vida; Deus; conhecê-Lo; amor.

11

É importante saber a verdade sobre Deus:

 Por ser Deus __________________________________________________

 Porque é um assunto do qual dependem minha____________________

Ou_________________________________________________________________

 Porque para_______________a Deus, devo_________________________

126126126126126126
2. Preencha os espaços no versículo abaixo com as seguintes palavras na ordem certa: Jesus

Cristo; vida eterna; por único Deus verdadeiro.

¨E esta é a____________________ que Te conheçam a Ti só_______________

__________________________________e a__________________________ quem enviaste.

João 17:3

PARTE 2

Como Saber a Verdade Acerca de Deus

Contemplando as Suas Obras

Temos uma ideia do carácter e das ideias de uma pessoa por meio das suas ações e obras.

Quando contemplamos o mundo que Deus criou, descobrimos que Ele é muito sábio e poderoso.

¨Porque as Suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o Seu eterno poder, como a

Sua divindade, se entendem e claramente se veem pelas coisas que estão criadas.

Romanos 1.20

127127127127127127
Por Meio dos Outros

Podemos conhecer alguém por meio de outros que têm com tal pessoa um relacionamento

pessoal. Na Bíblia, lemos emocionantes descrições de muitos que conheceram Deus

pessoalmente. Ele falou com eles, resolveu os seus problemas, satisfez as suas necessidades,

curou-os e deu-lhes força e alegria. Deus não mudou. Presentemente, em todos os continentes,

há milhões de seres humanos que conhecem e amam Deus e que lhe podem dizer como Ele é

maravilhoso.

¨O que vimos e ouvimos isso vos anunciamos, para que também tenhais comunhão conosco; e a

nossa comunhão é com o Pai e com Seu Filho Jesus Cristo. ¨

I João 1.3

12

Ouvindo o Que Ele Diz

Podemos saber quem uma pessoa é, lendo os seus escritos e ouvindo-a falar. Deus fala-nos

através da Bíblia, onde descobrimos o Seu carácter, planos, sentimentos e amor por nós.

¨Examinais as Escrituras... E são elas que de mim testificam. ¨

João 5.39

128128128128128128
Pela Experiência Pessoal

Mas a melhor forma de conhecermos uma pessoa é viver com ela, falando e trabalhando

juntamente com ela. Deus sempre quis que o conhecêssemos assim, pelo que enviou Seu Filho

Jesus Cristo para viver entre os homens. Jesus é como Seu Pai. Assim, vendo-O, vemos Deus.

N’Ele, podemos ver a natureza de Deus. Podemos, pois, conhecer Deus por meio de Cristo.

¨Havendo Deus antigamente falado muitas vezes e de muitas maneiras aos pais, pelos profetas,

a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho... O Qual é o resplendor da Sua glória e a expressa

imagem da Sua pessoa... ¨

No momento em que O aceitámos como Salvador, Jesus revelou-nos a pessoa de Deus. Na

medida em que falarmos com Ele em oração e lermos a Sua Palavra, experimentaremos a Sua

presença e iremos conhecê-Lo de um modo que jamais pensaríamos possível.

¨Aquele que me ama será amado de meu Pai e eu o amarei e me manifestarei a ele... Se alguém

me ama, guardará a minha palavra e meu Pai o amará e viremos para ele e faremos nele morada.

João 14.21,23

Exercícios:

129129129129129129
3. Em relação às diversas maneiras de conhecermos Deus, circule as letras em frente das

afirmações que achar VERDADEIRAS.

a)Contemplando as Suas obras na Natureza.

b)Escutando o que dizem de Deus as pessoas que não O conhecem.

c)Escutando o que dizem de Deus os que já O conhecem.

d) Lendo o Seu livro, a Bíblia.

e)Por meio do Seu Filho Jesus Cristo.

f)Falando pessoalmente com Deus em oração.

13

PARTE 3

Como é Deus? Deus é um Espírito Infinito e Eterno

Deus não está limitado nem pelo tempo, nem pelo espaço, nem pelas leis naturais como nós.

Deus sempre existiu e sempre existirá. Ele está em todo o lado, sabe tudo e pode todas as coisas.

¨Deus é Espírito e importa que os que O adoram O adorem em espírito e em verdade.¨

130130130130130130
João 4.23,24

Deus é Três Pessoas em Uma Só

Para muitos, Deus é como se fosse uma força impessoal que controla o Universo ou apenas uma

influência que produz e vela pelo bem. Mas, pela Bíblia, sabemos que Ele é uma Pessoa, porque

pensa, sente e atua. Na realidade, a Bíblia ensina-nos que Deus é três pessoas em uma só, isto é,

um Deus trino. Não três deuses, mas sim três pessoas em uma só. O Pai, o Filho e o Espírito Santo

são idênticos em natureza, poder e propósito. Eles cooperam em perfeita harmonia como uma

Pessoa – um Deus.

¨Ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.¨

Mateus 28.19

Deus é amor

O amor é a Sua natureza íntima. Ele ama-nos a todos nós. Ele ama-o a si e quer dar-lhe o melhor

para a sua vida. E uma dessas coisas é que, como Seu filho, viva com Ele no Seu maravilhoso lar

no Céu.

¨Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor. ¨

I João 4.8

Deus é Perfeito

131131131131131131
Deus é perfeito e completamente bom, puro, verdadeiro e justo em tudo quanto faz. É generoso

e amável.

¨Como é perfeito vosso Pai que está nos Céus. ¨

Mateus 5.48

Deus é Justo

Deus fez leis para o bem de todos os homens. Ele é um Juiz justo. Isso significa que tudo o que

Deus fez e faz está bem feito. Recompensa os que observam e obedecem às Suas leis e castiga os

que as quebram e infringem. O Seu desejo é salvar-nos do pecado, mas se não Lhe permitirmos,

só nos pode dar o castigo que merecemos.

¨Porque Deus há de trazer a juízo toda a obra e até o que está encoberto, quer seja bom quer

seja mau. ¨

Eclesiastes 12.14

14

¨ Não faria justiça o Juiz de toda a terra?¨

Genesis 18.25

Deus Sabe Todas as Coisas

132132132132132132
Ele conhece o passado, o presente e o futuro. Deus vê, ouve e compreende tudo o que acontece.

Conhece os nossos mais íntimos pensamentos e sabe quais os motivos das nossas ações. Deus sabe

o que é melhor para nós e quer ajudar-nos a fazer as escolhas certas.

¨Tu és o Deus da vista... Aquele que me vê. ¨

Genesis 16.13

¨Maior é Deus... E conhece todas as coisas.

I João 3.20

Deus Tudo Pode

Isto é, Deus é Todo-Poderoso. O Criador estabeleceu certas regras a que costumamos chamar

leis da Natureza. Tudo funciona segundo esse padrões ou regras.

Porém, Ele está acima destas leis naturais não estando, por isso, limitado por elas. Faz obras

sobrenaturais, chamadas milagres, isto é, coisas que estão para lá do poder do homem e da

Natureza. Jesus fez muitos milagres durante o Seu ministério neste mundo. Curou enfermos,

ressuscitou mortos e transformou vidas. Ele é ainda o grande Médico e alegra-Se em tornar-nos

sãos, tanto no corpo como na alma.

¨A Deus tudo é possível. ¨

Mateus 19.26

133133133133133133
¨Eu sou o Senhor que te sara.¨

Êxodo 15.26

Exercícios

4. Marque com um X as afirmações que achar VERDADEIRAS.

a)Deus ama-me e quer ajudar-me._____________________________________

b) Deus é um juiz justo que castiga o pecado.__________________________

c) Deus é uma influência impessoal.___________________________________

d) Deus vê e conhece todas as coisas em todo o lugar.__________________

5. Reflita bem e responda:

Sente-se bem ou mal, sabendo que Deus observa a sua vida?

15

134134134134134134
POR QUÊ?

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

PARTE 4

Como é Que Deus Quer Que Você o Adore?

Na adoração mostramos a Deus que O amamos, O honramos e O respeitamos. Agradecemos-Lhe

por tudo quanto tem feito e falamos com Ele como falamos a um dos nossos amigos. A forma de

ser adorado varia de igreja para igreja.

Então, é natural que se pergunte: “Como é que eu O devo adorar? Como é que Ele quer que eu O

adore? Qual o modo que mais Lhe agrada?”.

Sendo Honesto e Sincero

Deve sentir as palavras que pronuncia na adoração. Deve crer em Deus e desejar obedecer-Lhe.

135135135135135135
¨Deus é espírito e importa que os que O adoram O adorem em espírito e em verdade. ¨

João 4.24

¨Porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que é

galardoador dos que o buscam.

Hebreus 11.6

Adorar e honrar Somente a Deus

O seu Criador é o único Deus verdadeiro e não quer que adore quaisquer outros deuses, pessoas,

imagens ou coisas. Nem tão pouco quer que use imagens quando O adora.

¨Não terás outros deuses diante de mim.¨

Êxodo 20.3

¨E vos convertais dessas vaidades ao Deus vivo. E não havemos de cuidar que a divindade seja

semelhante ao ouro, a prata ou a pedra esculpida. ¨

Atos 14.15; 17.29

136136136136136136
Agradecendo ao Senhor pelas Suas Bênçãos

Quer no cântico, quer na oração e mesmo no silêncio do seu coração, dê graças a Deus pelo Seu

amor e bondade e por todas as bênçãos d’Ele recebidas.

16

¨Cantai alegremente a Deus, nossa fortaleza.¨

Salmos 81.1

¨Tudo quanto tem fôlego louve o Senhor.¨

Salmos 150.6

Louvai o Senhor. Adorando-o Humildemente, mas com Fé

Reconheça assim que não é suficientemente bom para se apresentar diante de um Deus santo.

Mas a partir do momento em que aceitou Jesus como seu Salvador, Deus perdoou-lhe os pecados

e aceitou-o como Seu filho. Assim, fale com Ele como ao seu Pai, dizendo-Lhe e revelando-Lhe

tudo quanto está no seu coração.

Exercícios

137137137137137137
6. Pergunte a si mesmo, “Será que estou a adorando a Deus nas formas sugeridas nesta

lição”?

Sim _________ Não __________

Se não tem adorado Deus assim, deseja agora adorar Deus desta maneira?

Sim _________ Não __________

7. Ore agora com as suas próprias palavras, pedindo-Lhe que Ele Se lhe revele. Adore-O.

Lição 3

O Que é Realmente a Vida?

INTRODUÇÃO

A Bíblia diz que Deus criou o Homem e o colocou num local onde havia harmonia e concórdia. A

tarefa do homem era cuidar do jardim. Também Deus o criou para louvá-Lo. Como já vimos, essa

138138138138138138
harmonia foi quebrada pelo pecado que manchou a obra de Deus, principalmente a Sua obra-

prima – o ser humano. Hoje, apesar de caído e de tocado pelo pecado, o Homem ainda tem em si

a marca do seu Criador.

Só que, por si só, no estado atual, o Homem não consegue recuperar a situação privilegiada que

tinha no princípio, uma relação de comunhão com Deus. Neste confronto, cada uma das partes –

Deus e o Homem – tem de fazer alguma coisa para refazer essa harmonia perdida. Deus já fez o

que tinha a fazer.

17

Agora, falta ao Homem fazer a sua parte: É da sua responsabilidade exclusiva a escolha. Assim,

o Homem tem duas opções, você e eu temos duas opções: ou aceitar a oferta de Deus e voltar a

recuperar a comunhão com Ele tornando-se um filho de Deus, ou não aceitar essa oferta, e

continuar longe da comunhão com Deus, com todas as consequências.

Nesta lição, vai estudar:

•Porque é Que Nasci?

•Em Que é Que se Parece com Deus?

•Que Diferenças Há entre Si e Deus?

•Que Tipo de Pessoa Deseja Ser?

•Como Saber se é Filho de Deus?

139139139139139139
PARTE 1

Porque é Que Nasci?

É Preciso Saber

O que é que pensaria de uma pessoa que usasse um chapéu de palha como uma panela? Ou uma

garrafa de vidro como martelo? Ou que gastasse toda a vida antes de saber a que fim ela se

destinava? Enquanto não orientamos a nossa vida de acordo com o planto de Deus, somos como o

chapéu em cima do fogo ou como a garrafa usada como martelo.

Destruímo-nos a nós mesmos sem encontrarmos satisfação ou realização. Deus tem um propósito

e um plano para a sua vida. Ele tem um trabalho para si na terra e reserva-lhe um maravilhoso

lar no Céu. Ao nascer já tinha um lugar no plano de Deus.

Você Nasceu para Ser Filho de Deus

Já aprendeu que foi criado pela vontade de Deus, para ser Seu filho, agradar-Lhe, desfrutar do

Seu amor e, por sua vez amá-Lo. Em tudo o mais que fizer, se não tiver esta ligação com Deus,

não estará a realizar o principal propósito da sua vida.

140140140140140140
¨ Far-me-ás ver a vereda da vida; na Tua presença, há abundância de alegrias; à Tua mão

direita, há delícias perpetuamente. ¨

Salmos 16.11

Você Nasceu para Crescer e Tornar-se Semelhante a Deus

Para si, um filho de Deus, a vida terrena é uma espécie de escola para prepará-lo para a

Eternidade. As suas experiências são lições que o preparam para o papel que terá de

desempenhar no Reino de Deus. Os problemas e outras coisas que presentemente sofre servem

para lhe ensinar a paciência, a fé e a obediência.

18

Ajudam-no a crescer espiritualmente a fim de se tornar cada vez mais semelhante ao seu pai

Celestial. Deixe que Deus faça de si a espécie de pessoa com quem Ele possa contar e usar tanto

agora como no mundo vindouro.

¨Se sofrermos, também com Ele reinaremos. ¨

2 Timóteo 2.12

Você Nasceu para Trabalhar com Deus

141141141141141141
Nasceu no lugar, no momento e ao seu modo a fim de poder ser uma bênção para a sua família,

para a sua comunidade, para o seu país e para o mundo. Deus quer que seja Seu companheiro e

que trabalhe com Ele. Ele ajudá-lo-á a levar outros a Jesus Cristo e dar-lhe-á uma vida melhor

com Ele.

¨ Porque somos feitura Sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras as quais Deus preparou

para que andássemos nelas. ¨

Efésios 2.10

Exercícios:

1. Completar as frases com estas palavras na ordem certa: trabalhar, filho, semelhança.

Deus deu-me vida para que eu possa:

Ser seu______________; crescer na Sua___________ e com Ele como Seu

Companheiro.

2. Pergunte a si mesmo: Sim ou Não:

a) A minha vida agrada realmente a Deus? Sim ou Não?___________________

142142142142142142
b) Aceito o sofrimento como uma oportunidade para desenvolver a paciência e o carácter? Sim

ou Não?_____________________________________________

Estou a fazer o que posso para ajudar o próximo? Sim ou Não?______________

d) Vivo como se a morte fosse o fim de tudo ou estou a usar a minha vida como uma preparação

para a Eternidade? Sim ou Não?____________________

e) Desfruto comunhão com Deus? Sim ou Não?__________________________

f) Estou a fazer aquilo para que nasci ou faço da minha vida um chapéu de

palha utilizado como uma panela? Sim ou Não?__________________________

19

PARTE 2

Em Que é Que se Parece com Deus?

143143143143143143
Deus criou Adão do pó de terra e deu-lhe uma natureza terrena semelhante à dos outros animais

terrenos. Foi por isso que herdámos uma natureza terrena. Mas a vida interior de Adão, o seu

espírito, veio do sopro de Deus. O espírito de Adão era como o de Deus. O seu espírito também é

como o de Deus em muitos aspectos.

Para Decorar:

¨ E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem conforme a nossa semelhança. E formou o

Senhor Deus o homem do pó da terra e soprou nos seus narizes o fôlego da vida: e o homem foi

feito alma vivente. ¨

Genesis 1.26;2.7

Em Muitos Aspectos, o Seu Espírito é como o de Deus.

Este espírito especial torna-o diferente dos irracionais. Chamamos-lhe a imagem de Deus no

Homem. Pode ver a imagem de Deus em si mesmo no seguinte:

 Na sua natureza moral: o seu sentimento do certo e do errado.

 Na sua natureza estética: o amor, e a beleza.

 Na sua natureza intelectual: o desejo de conhecer a verdade e a capacidade de

raciocínio, a fala e outros meios de comunicação.

 Na sua natureza criadora: o desejo de melhorar o meio ambiente que o cerca. O

Homem constrói casas, barragens, aproveita a eletricidade, inventa máquinas que

144144144144144144
trabalham para ele. Cria beleza na música, na pintura, na escultura, na poesia, no canto,

no movimento e em toda a espécie de trabalhos manuais ou intelectuais.

 Na sua natureza espiritual: o desejo de adorar e a capacidade de ter comunhão

com Deus. Estas coisas que provêm da natureza de Deus e o tornam tão diferente dos

irracionais mostram que nasceu para ser filho de Deus e não para viver apenas para

agradar a si mesmo como fazem os irracionais.

Exercícios:

3. De onde recebeu o Homem o seu espírito? De Deus ou dos animais?_______

4. No Homem, vemos traços da imagem de Deus.

a) No seu gosto pela beleza, ou seja, a natureza_________________________.

b) Na capacidade de raciocínio, ou natureza____________________________.

c) Nas invenções ou natureza_________________________________________.

d) No seu desejo de conhecer a verdade ou natureza_____________________

e) No seu senso do certo e do errado, ou natureza_______________________.

20

145145145145145145
5.Pense em cada uma destas cinco características e imagine os irracionais a fazerem o que atrás

mencionámos.

Por exemplo: pense num macaco a escrever um poema ou num porco a inventar um avião e a

voar nele. Veja quão ridículo é esse pensamento. Então, dê graças a Deus por cada característica

da sua natureza que o torna semelhante a Ele.

PARTE 3

Que Diferenças Há entre você e Deus?

Você Tem um Corpo Físico

Deus é um Espírito todo-poderoso, eterno e infinito, não limitado nem pelo tempo nem pelo

espaço. Ele nunca morre. O nosso espírito vive num corpo com uma energia muito limitada, que

só pode estar num lugar de cada vez e que um dia perecerá. Todavia, é uma dádiva maravilhosa

de Deus que nos permite servi-Lo de várias maneiras, o que seria impossível se fôssemos apenas

um espírito sem corpo.

Deve cuidar do seu corpo porque é a habitação do nosso espírito e um templo ao serviço e uso

de Deus.

146146146146146146
¨Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo de o Espírito Santo que habita em vós?... Glorificai,

pois a Deus no vosso corpo. ¨

1 Coríntios 6.19,20

Alguns consideram o corpo mau em si mesmo. Culpam os seus corpos por causa das coisas más

que praticam. Castigam os seus corpos, tentando torná-los bons. Em si mesmo, o nosso corpo

nem é bom nem é mau.

É como uma máquina movimentada pelo nosso espírito que decide o que ela deve fazer,

limitando-se o nosso corpo a obedecer. Podemos usar o corpo para o bem e para o mal, ao

serviço de Satanás ou de Deus.

¨Que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus.¨

Romanos 12.1

Certifique-se se o seu espírito domina o seu corpo. O corpo é um bom servo mas um pobre

patrão. Se, na nossa vida, dermos o primeiro lugar aos seus gostos e enfados, estaremos a

caminho da tragédia.

147147147147147147
Podemos mesmo ficar escravizados por hábitos que nos destruirão a saúde e nos levarão o

espírito mais profundamente ao pecado. Se deixarmos de cuidar da nossa alma, dando o primeiro

lugar ao corpo, tornar-nos-emos cada vez MENOS semelhantes a Deus.

21

O Pecado Arruinou a Sua Natureza

O pecado apagou a imagem de Deus em mim e também em si. O Homem fica cada vez pior

quando e sempre que tenta dirigir sozinho a sua própria vida, em vez de permitir que Deus o

dirija.

¨O comportamento da natureza humana é bem claro. Mostra-se em acções imorais, imundas e

indecentes; na adoração de ídolos e na feitiçaria. As pessoas tornam-se inimigos, lutam, tornam-

se invejosas, iradas e ambiciosas. Separam-se em grupos e partidos; ficam ciumentas,

embriagam-se, metem-se em orgias, e coisas semelhantes a estas. Eu vos declaro, como já antes

vos disse, que os que cometerem tais coisas não herdarão o reino de Deus. ¨

Gálatas 5.19-21

* O texto acima é uma tradução livre do original.

Você Não Pode Ser Bom em Sua Própria Natureza

148148148148148148
Tudo o que é bom provém de Deus. Se afastar Deus totalmente da sua vida, não poderá ser bom.

Só poderá ser bom quando o Espírito Santo de Deus vier habitar em você.

¨ Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e, com efeito, o

querer está em mim mas não consigo realizar o bem. Porque não faço o bem que quero, mas o

mal que não quero, esse faço... Mas o pecado que habita em mim.¨

Romanos 7.18-20

Você Está Tão Longe de Deus Que Necessita Nascer de Novo

A sua natureza não pode ser nem remendada nem restaurada apenas com a sua tentativa de ser

bom ou por se unir a uma igreja ou religião. Igreja e religião não salvam ou mudam a nossa

natureza. É preciso que Deus transforme a sua, a minha natureza, tornando-nos naquele tipo de

pessoa que Ele quer que sejamos. Sendo assim, deixe que Deus implante de novo em si a Sua

natureza.

Exercícios:

6. Leia de novo esta seção e procure alguns dos aspectos em que difere de Deus. Sublinhe as

coisas que não quer que haja na sua vida.

Leia especialmente:

149149149149149149
Gálatas 5:19-21

7. a) O que é mais importante: o seu corpo ou o seu espírito?

b) Qual é que deve governá-lo?

22

d)A sua vida pode ser boa sem o auxílio de Deus?

PARTE 4

Que Tipo de Pessoa Deseja Ser?

Com o mesmo barro, podemos fazer uma talha tosca ou um vaso fino. Tudo depende das

intenções do comprador e da capacidade do oleiro. A natureza humana, abandonada a si mesma,

vai de mal a pior. Torna-se num vaso de imundície, de pensamentos odiosos e de ações

perversas. Mas nas mãos de Deus, o Oleiro por excelência, pode transformar-se em algo de

maravilhosa beleza e utilidade.

150150150150150150
¨Como o vaso que ele fazia de barro se quebrou na mão do oleiro, tornou a fazer dele outro

vaso... Não poderei eu fazer de vós, como fez este oleiro? Eis que como o barro na mão do

oleiro, assim sois vós na minha mão. ¨

Jeremias 18.4-6

Exercícios:

8.Deseja que Deus faça de você uma nova criatura?_______________________

Ore então a Deus e peça-Lhe que Ele realize em si esse seu desejo._________

9. Se já é Crente, pode ser que deseje libertar-se das suas faltas e tornar-se mais semelhante a

Deus.

___________________________________________________________________

Sendo assim, peça a Deus que o auxilie. Como Saber Se é Filho de Deus? No momento em que

aceita Jesus Cristo como seu Salvador, Deus aceita-o como Seu filho. Eis como Ele assegura tal

certeza: Por meio da Sua Palavra. Por meio da certeza íntima que nos dá o testemunho do

Espírito em nós. Por meio da transformação da nossa vida.

151151151151151151
¨Quem crê no filho de Deus, em si mesmo tem o testemunho... Deus nos deus a vida eterna; e

esta vida está em Seu Filho. Quem tem o Filho tem a vida. ¨

1 João 5.10-12

¨O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. ¨

Romanos 8.16

¨Nós sabemos que passamos da morte para a vida porque amamos os irmãos. ¨

1 João 3.14

23

Exercícios:

10. Você já aceitou Jesus como seu Salvador pessoal?_____________________

152152152152152152
11. Você já se tronou filho de Deus?____________________________________

12. Creia no que a Palavra de Deus diz sobre isto a agradeça-Lhe agora por ter feito de si Seu

filho.

___________________________________________________________________

Lição 4

Como Posso Ver Satisfeita a Minha Maior Necessidade?

Introdução

Está claro, cada um de nós tem necessidades de diversos tipos. Algumas mais fáceis outras mais

difíceis de resolver ou de satisfazer. Isto porque as necessidades podem variar de pessoa para

pessoa já que, sendo diferentes uns dos outros, é natural que as necessidades sejam também

diferentes.

Mas de toda a sua necessidade qual é a maior? È verdade, há sempre uma que consideramos a

maior, a mais importante, e pode não ser. Esta lição não só lhe responde à pergunta, dando-lhe

uma resposta satisfatória, como o ajuda a compreender que a sua grande necessidade é de ter

um Salvador que o restaure para a comunhão com Deus.

153153153153153153
Poderá julgar se a experiência do homem prova que a maior necessidade do homem não é a de

acumular mais coisas materiais mas sim, de encontrar a verdadeira paz da sua alma.

Nesta lição, vai estudar:

•Qual é a Sua Maior Necessidade?

•Como é Que Jesus Satisfaz a Sua Maior Necessidade?

•Jesus é o Seu salvador?

•E as Suas Outras necessidades?

PARTE 1

Qual é a Sua Maior Necessidade? E como ela poderá ser suprida?

É do Corpo ou da Alma?

A pessoa que se encontra perdida num deserto ou numa floresta, ou anda à deriva no oceano

num barco, necessita de ser encontrada e salva. O faminto carece de alimento: o condenado

preso precisa de perdão e de liberdade. O envenenado necessita de ser tratado com um remédio

contra o veneno.

24

154154154154154154
Embora estas necessidades sejam vitais, tem uma necessidade ainda maior. O seu corpo

perecerá um dia, mas a sua alma viverá para sempre no gozo eterno ou sofrerá os horrores da

morte eterna. Assim, a saúde e a vida da alma são mais importantes que as necessidades mais

urgentes do corpo.

¨E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode

fazer perecer no Inferno a alma e o corpo. ¨

Mateus 10.28

A Sua Maior Necessidade é de Um Salvador

A Bíblia ensina-nos que a alma do Homem está perdida, faminta, mortalmente doente e

condenada à morte. O Homem carece de um Salvador que o encontre, o alimente, o cure e lhe

perdoe. Um Salvador é a sua maior necessidade porque não pode salvar-se a si mesmo.

 Possuir pais cristãos não o salvará.

 Ser membro de uma igreja não o salvará.

 Tentar ser bom não o salvará.

 Sem um Salvador, não pode ser salvo.

Exercícios:

1. O que é mais importante: o corpo ou a alma?__________________________

155155155155155155
2.Preencha os espaços em branco: Eu______________________________tenho

muitas necessidades, mas a maior de todas é a de um__________________

porque não posso___________________ do pecado e da morte.

3. Se já anteriormente aceitou Jesus Cristo como seu Salvador, esta lição ainda é muito

importante para si porque ela ensina como é que Ele o ajudará no dia a dia da sua vida. Se

ainda não tem Jesus como Salvador, terá a oportunidade de confessá-Lo como seu Salvador

pessoal.

PARTE 2

Como é Que Jesus Satisfaz a Sua Maior Necessidade?

Jesus é o Salvador Que Deus Enviou: Deus enviou o Seu Filho para encontrar, alimentar e curar a

alma doente e faminta que jaz perdida no pecado. Ele tornou-Se Homem, a fim de morrer no seu

lugar e conceder-lhe o perdão. O Seu nome é Jesus, que significa Salvador. Somente Ele pode

salvá-lo.

¨E em nenhum outro há salvação porque também, debaixo do Céu, nenhum outro nome há, dado

entre os homens, pelo qual devemos ser salvos. ¨

156156156156156156
Atos 4.12

25

Jesus Mostra-lhe a Verdade e o Caminho

Satanás cegou-nos as mentes com o erro e a incredulidade. Desviamo-nos de Deus e perdemos o

caminho, o rumo certo. O Diabo tenta fazer-nos duvidar da palavra de Deus, do Seu poder, da

Sua sabedoria, da Sua bondade e do Seu amor. Alguns chegam mesmo a duvidar da existência de

Deus.

¨O deus (Satanás) deste século cegou os entendimentos dos incrédulos para que lhes não

resplandeça a luz do Evangelho. ¨

2 Coríntios 4.4

Satanás engana muitas pessoas com religiões falsas e algumas chegam mesmo a orar a espíritos

ou a imagens.

¨ E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível e

de aves e de quadrúpedes e répteis. ¨

Romanos 1.23

157157157157157157
Satanás mente-nos acerca do que é bom para nós e do que é certo ou errado. Caminhamos pela

estrada errada em busca de felicidade e, em seu lugar, encontramos a morte. Jesus, ao contrário

de Satanás, veio para nos encontrar e nos guiar de novo a Deus. à felicidade e à vida eterna.

N’Ele e na Sua doutrina, aprendemos e conhecemos a verdade e ficamos livres da incredulidade e

do erro.

Para Decorar:

¨ Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim.¨

João 14.6

¨Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.¨

Lucas 19.10

¨Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas mas terá a luz da vida.¨

João 8.12

¨E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.¨

João 8.32

158158158158158158
Se alguém procura Deus com sinceridade, querendo conhecer a verdade e estando pronto a

segui-la, Deus revelará a quem está buscando. Leia a Bíblia e ore, e de mente aberta esteja

pronto a fazer o que Deus quiser. Jesus veio curar a nossa alma do pecado mortal que é o

egoísmo e encher-nos do amor de Deus.

26

¨Se alguém quiser fazer a vontade dele, pela mesma doutrina conhecerá se ela é de Deus.¨

João 7.17

¨Transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a

boa, agradável e perfeita vontade de Deus. ¨

Romanos 12.2

Exercícios:

3. Responda com a palavra Satanás ou Jesus.

a)Quem nos cega quanto ao que é bom ?_________________________________

b) Quem nos mostra como Deus é?______________________________________

159159159159159159
c) Quem nos liberta do erro e da incredulidade?__________________________

d) Quem nos faz duvidar da Palavra de Deus?_____________________________

Oração

Obrigado, Deus, por teres mandado o Teu Filho Jesus para me ensinar a verdade. Por favor,

mostra-me a verdade e ajuda-me a segui-la, custe o que custar.

Jesus Cura o Pecado Mortal do Seu Coração

Já aprendeu que o pecado é desobediência às ordens de Deus. Assim, o maior de todos os

pecados será desobedecer ao maior dos mandamentos de Deus, não é verdade? Jesus diz-nos qual

deles é:

¨Amará o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu

pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é:

Amarás o teu próximo como a ti mesmo. ¨

Mateus 22.27-39

160160160160160160
Todos nós temos desobedecido aos dois mais importantes mandamentos de Deus. O egoísmo, que

é a raiz de todos os pecados, tomou conta do nosso coração e sufocou o amor. Temos retribuído

o amor de Deus com indiferença e ingratidão.

Pensamos muito mais em nós do que em Deus e nos outros. Que pecadores nós somos! E do nosso

coração egocêntrico provêm todos os problemas existentes entre indivíduos e nações. Vivemos

num mundo doente pelo pecado. Vejamos o que diz a Bíblia a este respeito em:

27

¨ Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos blasfemos,

desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis,

caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados,

orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus. ¨

2 Timóteo 3.2-4

Jesus veio livrar a sua alma do pecado mortal do egoísmo e enchê-lo do amor de Deus.

161161161161161161
¨ Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos

purificar de toda a injustiça. Mas se andarmos na luz... Temos comunhão uns com os outros e o

sangue de Jesus Cristo, Seu Filho nos purifica de todo o pecado. ¨

1 João 1.7,9

¨ O amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.¨

Romanos 5.5

Exercícios:

4.Já alguma vez quebrou os dois maiores mandamentos de Deus?___________

5.Leia de novo 2 Timóteo 3:2-4 e especifique por escrito cada pecado ali mencionado, que tenha

cometido pelo menos uma vez na vida.

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

__________________________________________________________________

162162162162162162
6. Peça a Deus que encha o seu coração com o Seu amor e o ajude a vencer o pecado na sua

vida.

Jesus Destrói o Poder do Pecado e de Satanás

O pecado enfraquece a nossa força de vontade até ao ponto de não podermos fazer o que

sabemos e devemos fazer.

¨Todo aquele que comete pecado é servo do pecado.¨

João 8.34

¨ Eu sou... Vendido sob o pecado. O que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço... E,

com efeito, o querer está em mim mas não consigo realizar o bem.¨

Romanos 7.14,15,18

28

Jesus destrói os grilhões do pecado e liberta-nos dos vícios. Ele liberta-nos do mau génio, do

vício do jogo, das blasfémias, da imoralidade, do fumo, do álcool e das drogas.

Ele quebra o poder dos maus espíritos (também chamados demónios) e de Satanás.

163163163163163163
Para Decorar:

¨Se, pois o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.¨

João 8.36

Jesus Tomou o Seu Lugar e Conseguiu o Seu Perdão

A justiça de Deus requer que o pecado seja castigado pela morte. Mas Ele amou-nos de tal

maneira que permitiu que Seu Filho morresse no nosso lugar. Quando Jesus morreu, foi como se

nós tivéssemos morrido. Porque Ele ressuscitou e ascendeu ao céu, também nós podemos

ressuscitar para a vida eterna.

¨Levando Ele mesmo em Seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro para que, mortos para os

pecados, pudéssemos viver para a justiça. ¨

1 Pedro 2.24

¨Porque eu pela lei, estou morto para a lei para viver para Deus. Já estou crucificado com Cristo;

e vivo não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo, na carne, vive-a na fé do

Filho de Deus, O qual me amou, e Se entregou a Si mesmo por mim. ¨

Gálatas 2.19,20

164164164164164164
Quando aceita Jesus como seu Salvador, está a aceitar a Sua morte como a sua própria morte e

a Sua vida como a sua própria vida. Nesse exato momento, torna-se filho de Deus. O pecado

separou-o de Deus, mas, por meio de Jesus, tem perdão, vida nova e comunhão com Deus, como

se nunca tivesse pecado.

Exercícios:

7.Leia mais duas vezes o fim dessa lição começando com a seção “Jesus Destrói o Poder do

Pecado e de Satanás”.

8.Se possuir alguns maus hábitos dos quais deseja ser liberto por Jesus, fale-Lhe deles em oração

e peça-Lhe que o liberte. Jesus é o Seu Salvador.

___________________________________________________________________

29

PARTE 3

165165165165165165
JESUS QUER TE SALVAR HOJE

Tome sua decisão agora e receba a Jesus Cristo como seu único Senhor e Salvador dos seus

pecados. Leia o texto de Romanos:

¨Se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor... E creres com o teu coração... E

confessares com atua boca serás salvo.¨

Romanos 10.9,10

Jesus está pronto e disposto a ser o seu Salvador pessoal, faça-o já. Agora, é o melhor momento,

a melhor ocasião.

Mais tarde, poderá ser tarde demais. Além disso, creio que você gostaria de desfrutar desta

maravilhosa vida nova que Ele lhe oferece. Não perca tempo em experimentar esta paz e alegria.

Ele está hoje a bater à porta da sua vida, do seu coração. Deixe-O entrar.

¨Eis que estou à porta e bato...Se alguém abri a porta do seu coração entrarei em sua casa..¨

Apocalipse 3.20

¨Hoje, se ouvirdes a Sua voz, não endureçais os vossos corações. ¨

Hebreus 3.15

166166166166166166
¨Eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui(Hoje) agora o dia da salvação.¨

2 Coríntios 6.2

Exercícios:

Jesus está bem perto de você e ouve a sua oração.

Com palavras suas, agradeça-Lhe por ter morrido pelos seus pecados e peça-Lhe que seja o seu

Salvador. Escreva agora a sua decisão:

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

Se já tomou anteriormente esta decisão, agradeça-lhe pelo modo como ele supriu a sua maior

necessidade.

PARTE 4

167167167167167167
E as Suas Outras Necessidades?

30

O Seu Pai Celestial Cuida de Você

¨Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos ou que beberemos ou com que nos

vestiremos? De certo vosso Pai Celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas. Mas

buscai primeiro o Reino de Deus e a Sua justiça e todas estas coisas vos serão acrescentadas. ¨

Mateus 6.31-33

Fale Diariamente com Deus Acerca de Todas as Suas Necessidades

¨Não estejais inquietos por coisa alguma; antes sejam as vossas petições em tudo conhecidas

diante de Deus pela oração e súplicas, com ação de graças. ¨

Filipenses 4.6

Jesus Será o Seu Médico

Ele ainda hoje cura os doentes, em resposta à oração.

168168168168168168
¨Jesus... Andou fazendo o bem e curando a todos. ¨

Atos 10.38

¨Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente. ¨

Hebreus 13.8

Exercícios:

10. Dê graças a Deus pelo Seu cuidado e peça-Lhe o Seu auxílio para qualquer problema que

possa ter. Aceite os nossos parabéns por ter completado a quarta lição.

Lição 5

O Que Acontecerá Depois da Morte?

INTRODUÇÃO

A vida humana é como uma viagem que fazemos de regresso ao nosso lar. Suponhamos que, ao

fazer uma viagem se engana e segue um caminho que leva a outro destino, diferente do

desejado. Por melhor que seja o conforto da viagem e por mais que seja bonita a paisagem, o

que IMPORTA é que se chegue ao destino desejado. O fato é que nunca chegará a casa até

encontrar o caminho certo!

169169169169169169
Nessa altura, talvez até nem se importasse desde que tivesse a certeza de ir ter ao destino

certo. É verdade! A vida é assim. E temos de saber para onde vamos e qual é o caminho que nos

leva até lá. Embora muitos saibam para onde vai a sua vida, há milhares e milhares que viajem

autenticamente em trevas. Que triste destino o de tais pessoas! Mas atenção! Há boas notícias.

Esta Lição traz-lhe boas novas.

31

Ela procura responder a uma pergunta que desde sempre inquietou os homens em todos os

tempos e lugares: depois da morte, que acontecerá? Você está agora no caminho que leva à

vida ou à morte? Preste bem atenção a esta lição e verá! Que Deus o abençoe e ilumine o seu

entendimento para compreender e aceitar as verdades que Ele tem para si.

Nesta lição, vai estudará:

•O Que Há Depois da Morte?

•Como São o Céu e o Inferno?

•Qual a Importância da Sua Escolha?

•Como se Pode ir para o Céu?

PARTE 1

O Que Vem Depois da morte?

170170170170170170
A Condição Temporária Inicial

O que acontecerá quando você morrer? O seu espírito deixará o corpo e irá para um de dois

lugares aguardando aí a ressurreição.

Se você aceitou Jesus Cristo como seu Salvador o seu espírito ficará com Ele no Céu. Se você

recusou a Sua oferta de vida eterna irá então para o Hades (também chamado Inferno).

¨O mendigo morreu e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; e morreu também o rico... e

no Hades, ergueu os olhos estando em tormentos.¨

Lucas 16.22,23

Quando falamos do “sono da morte”, estamos apenas nos referindo apenas ao corpo que, na

ressurreição, voltará à vida na ressurreição. A alma não dorme na morte mas permanece

totalmente consciente.

O corpo é como uma casa da qual a alma ou o espírito se mudam após a morte, para ir habitar,

morar numa outra casa melhor.

171171171171171171
¨Porque sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um

edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus... E desejamos antes, deixar este corpo,

para habitar com o Senhor. ¨

2 Coríntios 5.1,8

A Ressurreição

Jesus virá de novo muito em breve para os que Lhe pertencem. Como a borboleta sai do casulo,

assim a nossa alma subirá para Ele com um corpo novo.

32

¨Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim ainda que esteja morto,

viverá. ¨

João 11.25

¨Semeia-se o corpo em corrupção; ressuscitará em incorrupção. Semeia-se em ignomínia,

ressuscitará em glória. Semeia-se em fraqueza ressuscitará em vigor. ¨

1 Coríntios 15.42,43

¨Esperamos o salvador, do Céu, o Senhor Jesus Cristo, que transformará o nosso corpo abatido,

para ser conforme o Seu corpo glorioso. ¨

172172172172172172
Filipenses 3.20,21

Para Decorar:

¨Porque o mesmo Senhor descerá do Céu com alarido e com voz de arcanjo e com a trombeta de

Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois, nós, os que ficarmos vivos,

seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim

estaremos sempre com o Senhor. ¨

1 Tessalonicenses 4.16,17

O Tribunal de Cristo

Como filhos de Deus seremos julgados segundo o que tivermos feito na terra e porque o fizemos.

Serão premiados os que Lhe foram fiéis e O serviram com amor e dedicação. Deus entregar-nos-á

certas responsabilidades e privilégios no Seu Reino eterno, conforme a Sua vontade.

¨ Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba

segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou seja bem ou mal.¨

2 Coríntios 5.9,10

O Milénio

173173173173173173
Após este primeiro julgamento, Jesus voltará a terra com os Seus seguidores. O Diabo será

amarrado durante mil anos. Jesus estabelecerá o Seu Reino e reinará na Terra durante mil anos

maravilhosos de paz e prosperidade. A esse período chamamos o Milénio. Até mesmo as feras

viverão em paz com os restantes animais e com o Homem.

¨ ...E aqueles que não adoraram a besta...Viveram e reinaram com Cristo durante mil anos.¨

Apocalipse 20.4

I¨E morará o lobo com o cordeiro, e a leopardo com o cabrito... e um menino pequeno os

guiará.¨

Isaías 11.6

33

¨O deserto e os lugares secos se alegrarão disto; e o ermo exultará e florescerá como a rosa...

Então os olhos dos cegos serão abertos e os ouvidos dos surdos se abrirão... e os resgatados do

Senhor voltarão... E... Alcançarão gozo e alegria e deles fugirá a tristeza e o gemido. ¨

Isaías 35.1,5, 10

A Ressurreição e o Julgamento dos Não Salvos (ou Perdidos)

Após o Milénio e o conflito final entre Cristo e Satanás, o Diabo será lançado no lago de fogo.

Então, os mortos que não aceitaram o plano de Deus para a salvação, ressuscitarão para também

174174174174174174
serem julgados. Todos quantos tiverem insistido em seguir Satanás em vez de Deus irão para o

lugar de castigo, preparado para o Diabo e seus anjos e seguidores.

¨E vi um grande trono branco e o que estava assentado sobre ele... E vi os mortos, grandes e

pequenos que estavam diante do trono e abriram-se os livros... e os mortos foram julgados pelas

coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras. E aquele que não foi achado escrito

no livro da vida foi lançado no lago de fogo. ¨

Apocalipse 20.11,12, 15

O Estado Eterno

Os justos (aqueles que estão bem com Deus, isto é, os Seus filhos) gozarão eternamente tudo

quanto Deus lhes preparou. Os que recusaram a Sua salvação ficarão para sempre separados

d’Ele.

¨E irão estes para o tormento eterno mas os justos para a vida eterna.¨

Mateus 25.46

Exercícios:

1. Escreva a palavra certa entre parênteses:

a) Quando os filhos de Deus morrem, os seus espíritos vão para o_______ (Céu, Inferno).

175175175175175175
b) Os que não aceitaram o plano de Deus para a salvação, vão para o______________.

(Céu, Inferno).

d)“O sono da morte” refere-se à condição temporária do__________ (corpo, espírito).

PARTE 2

Céu e o Inferno Um Estado intermediário Como Será?

Um dos dois lugares será o seu lar eterno: o céu ou o inferno. A palavra “inferno” refere-se

tanto ao Hades como ao lago de fogo.

34

Pensemos na qualidade de vizinhos que iremos ter ao escolhermos o nosso lar para a eternidade.

Exercícios:

2. Considere os quadros. Nas colunas principais da direita, escreva SIM OU NÃO ao lado de cada

linha que mencione alguma coisa que não deseja no seu lar eterno ou que não quer experimentar

na sua vida presente. Ou que deseja experimentar no presente ou no futuro:

176176176176176176
INFERNO = SEPARAÇÃO ETERNA DA PRESENÇA DE DEUS____________________

Mateus 25.41 ¨ Apartai-vos de mim, malditos. ¨

CÉU = NO LAR COM DEUS ETERNAMENTE_________________________________

João 14:2¨Na casa de meu Pai há muitas moradas; vou preparar-vos lugar. ¨

Apocalipse 21:3 ¨Eis aqui o tabernáculo de Deus... Com eles habitará e eles serão o Seu povo.¨

Tudo o que é bom provém de Deus. Com Ele, está a luz, a vida, a beleza e a alegria. Fora d’Ele,

está a escuridão, o sofrimento, a tristeza e a morte.

INFERNO = SOFRIMENTO ETERNO______________________________________

Lucas 16.23-24¨ E no Hades, ergueu os olhos, estando em tormentos... Porque estou

atormentado nesta chama. ¨

177177177177177177
Mateus 25.30,41 ¨Lançai, pois o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de

dentes.¨ ¨ Lançai o servo inútil nas trevas...¨

Apocalipse 20.10 ¨E de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre. ¨

Apocalipse 21:8 ¨Mas, quanto aos tímidos, aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e

aos fornicários, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago

que arde com fogo e enxofre. ¨

CÉU = PERFEITA FELICIDADE PARA SEMPRE______________________________

Apocalipse 21.10, 16, 18- ¨A grande cidade a santa Jerusalém... e mediu a cidade com a cana

até doze mil estádios; e o seu comprimento, largura e altura eram iguais... e a cidade era de

ouro puro.¨

Apocalipse 22.5 - ¨E ali não haverá mais noite... o Senhor Deus os alumiará; e reinarão para todo

o sempre.

35

Apocalipse 21.3,4- ¨O mesmo Deus... Limpará dos seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais

morte, nem pranto, nem clamor, nem dor. ¨

178178178178178178
Hebreus 12.22,23 - ¨Mas chegastes... À cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial e aos muitos

milhares de anjos. Chegastes a Deus... E aos espíritos dos justos aperfeiçoados. ¨

PARTE 3

Qual a Importância da Sua Escolha?

Não culpe Deus por haver pessoas que irão para o Inferno. Ele quer salvar cada ser humano, mas

é a nós, individualmente, que compete escolher entre o Céu e o Inferno.

¨Tenho-vos proposto a vida e a morte... Escolhe a vida... Amando o Senhor teu Deus, dando

ouvidos à Sua voz, pois Ele é a tua vida. ¨

Deuteronômio 30.19,20

Quer você escolha o céu ou o inferno, outros seguirão o seu exemplo. Pense na sua família e nos

seus amigos. Para onde os quer guiar? Por isso, faça a escolha correta e acertada.

Exercícios:

a) Agradecer a Deus por ter enviado Jesus para salvar você e sua família.

b) Quer orar pelos seus familiares e amigos que eles sejam salvos do Inferno?

179179179179179179
c) Quer pedir a Deus que o ajude a avisá-los e a guiá-los ao Salvador?

d) Peça a Deus agora para o ajudar a avisá-los e a guiá-los ao Salvador, pregando o Evangelho da

Salvação e orando por eles.

___________________________________________________________________

___________________________________________________________________

PARTE 4

Como Se Pode Ir para o Céu?

Se quiser guiar outros para o Céu, deve certificar-se se você próprio já deu os passos

necessários e DEPOIS ajude os seus amigos a dá-los.

Saia do Caminho Errado

Todos nós temos viajado pela estrada do PECADO, longe de Deus e em direção ao Inferno. Mas

para não percorrer mais essa estrada que leva ao Inferno, temos que deixar o pecado, tomar a

decisão de obedecer a Deus e seguirmos a Sua vontade.

180180180180180180
36

Pedimos-Lhe perdão pela nossa desobediência; isto é arrependimento, o primeiro passo em

direção ao Céu. Devemos reconhecer o mal que fizemos aos outros e fazer o que pudermos para

endireitar tudo.

Temos de perdoar aos nossos inimigos e pedir perdão a quem ofendemos; também devemos

restituir o que furtamos. Ao confessarmos tudo a Deus, Ele irá perdoar-nos e ajudar-nos em tudo

o que tivermos de fazer.

Para Decorar:

¨Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos

purificar de toda a injustiça. ¨

1 João 1.9

¨ O Senhor é longânimo para convosco, não querendo que alguns se percam senão que todos

venham a arrepender-se. ¨

2 Pedro 3.9

181181181181181181
Reconheça o Caminho Certo: Creia no mapa que Deus nos deixou, a Bíblia, a qual nos diz que

Jesus Cristo é o caminho. Para ¨Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém

vem ao Pai senão por mim. E o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora. ¨

João 14.6; 6.37

Entre no Caminho Certo: Isso significa aceitar Jesus Cristo, o Filho de Deus, como seu Salvador

pessoal e Senhor da sua vida. Creia também que Ele o aceita a si e confie n’Ele.

¨ Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo. ¨

Atos 16.31

¨Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que,

crendo, tenhais vida em Seu nome. ¨

João 20.31

Siga no Caminho Certo até ao Fim

Siga Jesus pelo resto da sua vida. Ele irá guiá-lo e ajudá-lo na medida em que ler a Bíblia, orar,

e Lhe obedecer.

182182182182182182
¨Porque éreis como ovelhas desgarradas; mas agora tendes voltado ao Pastor e Bispo das vossas

almas. ¨

1 Pedro 2.25

Exercícios:

Deu os passos atrás mencionados? __________ Se ainda não, quer dá-los agora?

37

Lição 6

Qual é a Verdadeira Igreja

INTRODUÇÃO

Nesta Lição, irá aprender a responder à pergunta: Qual é a verdadeira igreja? E de novo, há

muitas respostas que surgem e que não fazem se não aumentar a confusão que muitos sentem.

Mas a Bíblia – uma vez mais tem a solução que satisfaz. Assim, nas páginas que se seguem,

iremos ver qual o significado não só da palavra igreja, mas também deste organismo, a Igreja,

que teve a sua origem em Deus.

183183183183183183
Jesus disse: “Edificarei a minha igreja e as portas do Inferno não prevalecerão contra ela.” A

Igreja é de Jesus Cristo e será vitoriosa porque Deus vela por ela. E a Igreja está neste mundo

para fazer a vontade de Deus que é dar a conhecer a todos os povos as boas novas de salvação

que Cristo oferece.

É uma bênção pertencer à Igreja. Que Deus o ajude e o abençoe no estudo desta Lição.

Nesta lição, vai estudar:

 Que Significa “Igreja”? **

 Que Faz a Verdadeira Igreja?

 Por que Pertencer a uma Igreja?

 Que está a Acontecer à Igreja?

PARTE 1

Que Significa “Igreja”?

A palavra “Igreja” tem vários significados. Aqueles Que Pertencem a Cristo: Jesus, ao referir-Se

à Igreja disse: “Edificarei a minha Igreja” (Mateus 16:18), utilizou o vocábulo ECCLESIA que

significa “os convocados” ou “assembleia”. Cristo chamou-nos, convocou-nos para O seguirmos.

184184184184184184
Deixamos a nossa velha vida de pecado e tornamo-nos membros do grande conjunto ou corpo de

convocados que reconhecem Jesus como a sua Cabeça. Essa é a verdadeira Igreja. Só Deus sabe

quem são todos os seus membros. Muitos deles já se encontram no Céu.

¨Ele é a cabeça do corpo, da Igreja; e o princípio e o primogénito de entre os mortos, para que

em tudo tenha a preeminência. ¨

Colossenses 1.18

38

¨Assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos

membros uns dos outros. ¨

Romanos 12.5

A Igreja Local

Em qualquer comunidade, os que compartilham a mesma fé em Cristo reúnem-se regularmente

para adorá-lo, como se fazia nos tempos bíblicos. Formam uma igreja local e trabalham juntos

para o Senhor.

¨Porque onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles. ¨

185185185185185185
Mateus 18.20

¨Saudai os irmãos que estão em Laodicéia e a Ninfa e a igreja que está em sua casa.

Colossenses 4.15

Igreja Nacional ou Denominação

Uma Igreja nacional ou denominação é o conjunto de muitas igrejas locais. Ajudam-se

mutuamente e podem assim fazer muito mais para o Senhor do que se trabalhassem

separadamente.

Publicam literatura, treinam obreiros, abrem novas igrejas e dirigem escolas e orfanatos. Os

dirigentes da Igreja nacional ou Denominação ajudam as igrejas locais com os seus problemas,

como os Apóstolos fizeram nos tempos bíblicos.

¨Congregaram-se, pois os apóstolos e os anciãos para considerar este assunto... Escreveram a

seguinte carta... E passou pela Síria e Cilicia, confirmando as igrejas. ¨

Atos 15.6,23, 41

As diversas denominações surgiram por causa das diferenças de crenças sobre o modo correto de

adoração, a melhor forma de organizar a Igreja e o significado de certas partes da Bíblia.

Todavia, muitas delas concordam nos pontos mais importantes e cooperam na evangelização e na

adoração.

186186186186186186
Igreja (Templo-Edifício)

A um lugar fixo, um templo, um edifício, como casa de Deus, onde o Seu povo O adora, também

se chama igreja. Pode ser um templo rico, uma pequena e humilde capela ou apenas uma sala. O

que realmente importa é que lá se sinta a presença de Deus.

Exercícios:

Marque com um X a resposta certa para cada pergunta:

39

1. Ao dizer: “Edificarei a minha Igreja”, a que tipo de igreja se referia Jesus?

_____ a) A uma organização nacional.

_____ b) Aos verdadeiros crentes que reconhecem Cristo como a sua Cabeça.

187187187187187187
_____ c) A um templo.

2. Que palavra usou Jesus para “igreja”?

_____ a) ECCLESIA que significa “os convocados”.

_____ b) Discípulos que significa “aprendizes”.

_____c) Templum que significa “Templo”.

3. A que tipo de igreja gostaria de pertencer?

_____ a) A uma que crê na Bíblia e lhe obedece.

_____ b) A uma que duvida da inspiração da Bíblia.

_____ c) A uma cujo alvo principal é o trabalho social.

PARTE 2

Que Faz a Verdadeira Igreja?

Nesta seção e na seguinte, vamos referir-nos à Igreja como o Corpo de Cristo operando através

da igreja local e nacional.

188188188188188188
A Verdadeira Igreja Ama e Vive para Deus

Deus deseja que O amemos acima de qualquer outra coisa. Ele criou-nos para sermos Seus filhos.

Ele criou-nos para podermos desfrutar o Seu amor a amá-Lo também. É através da oração que a

Igreja se encontra com Deus. Em conjunto e individualmente, os seus membros expressam o seu

amor a Deus na oração, no louvor, nos ofertórios, no serviço cristão e na obediência aos Seus

mandamentos.

A Verdadeira Igreja Fala de Jesus ao Mundo

Cada Cristão deve explicar aos familiares e amigos como ser salvo. O Espírito Santo ajuda-nos a

levar a todo o mundo a mensagem do Evangelho.

40

Para Decorar :

¨Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda a Criatura.

Marcos 16.15

189189189189189189
¨Mas recebereis a virtude (poder) do Espírito Santo, que há de vir sobre vós e ser-me-eis

testemunhas... Até aos confins da terra. ¨

Atos 1.8

¨Vai para tua casa, para os teus e anuncia-lhes quão grandes coisas o Senhor te fez. ¨

Marcos 5.19

A Verdadeira Igreja Ensina a Palavra de Deus

A Igreja usa todos os meios possíveis para ensinar a verdade aos seus membros e para prepará-

los para seguir Jesus.

¨Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito

Santo, ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado. ¨

Mateus 28.19,20

A Verdadeira Igreja Cuida dos Seus Membros

190190190190190190
A Igreja contribui para o crescimento espiritual dos seus membros por meio de reuniões

regulares de adoração, estudo bíblico, comunhão e serviço cristão. A Igreja aconselha e auxilia os

que têm problemas e necessidades, sejam ou não seus membros.

Exercícios:

4. Complete as frases com as seguintes palavras: adorar; membros, espiritual; ama, vive; Jesus,

mundo.

a) A Igreja_____________________ e_________________ para Deus.

b) A Igreja fala de ao _____________acerca de__________________

c) A Igreja reúne-se para_____________________________ a Deus.

d)A Igreja cuida dos seus________________________________e contribui para

o seu crescimento____________________________________________________

191191191191191191
41

PARTE 3

Por que Pertencer a Uma Igreja?

Porque que você Precisa da Igreja

Deus estabeleceu a Igreja para nos ajudar e ensinar. E satisfazer as nossas necessidades

espirituais.

¨E deu uns para... Evangelistas e outros para pastores e professores, querendo o

aperfeiçoamento dos santos para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo.

Efésios 4.11-16

Não deve unir-se a uma igreja com a ideia de receber dela auxílio financeiro, alimento ou outras

ajudas materiais apesar de igreja, às vezes, poder cuidar deste lado material. Porém, ao pormos

Deus em primeiro lugar na nossa vida, Ele fará com que todas as nossas necessidades sejam

satisfeitas.

Porque é Que a Igreja Precisa de você

192192192192192192
Cada parte do nosso corpo tem a sua função. Porque na Igreja há um trabalho para você realizar

como membro do corpo de Cristo. Não seja um dedo desligado, que procura, por si só, separado

da mão, fazer alguma coisa para o corpo. Ocupe o seu lugar na Igreja e deixe-se ser usado por

Deus, para ajudar os outros.

¨ Porque assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a

mesma operação, assim nós... Tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada.¨

Romanos 12.4,6

Porque frequentando a Igreja Podemos Servir Deus Melhor

Quando é batizado e se une a uma igreja, isso não só é bom testemunho perante os outros como

um ato de obediência e dedicação a Deus. Também pode servir Deus, contribuindo para a Sua

causa.

Pode fazê-lo por meio de uma igreja que administra cuidadosamente o dinheiro, pagando as

despesas de levar o Evangelho à comunidade local e a muitos outros lugares. Foi por alguém ter

contribuído que ouviu o Evangelho. E porque contribui, outros ouvirão e serão salvos.

193193193193193193
¨ E digo isto: que o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia em abundância,

em abundância também ceifará. Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com

tristeza ou por necessidade porque Deus ama o que dá com alegria.¨

2 Coríntios 9.6,7

42

Na Igreja, você terá muitas oportunidades de praticar o serviço cristão; orando, testificando,

distribuindo literatura, cantando, ensinando, pregando e levando outros à igreja. Até mesmo a

nossa assistência fiel agrada a Deus e encoraja os outros.

¨Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos

outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia. ¨

Hebreus 10.25

Exercícios:

4.Pertence a uma igreja local? Sim ou não?______________________________

Caso afirme que sim, qual denominação você frequenta?__________________

6.Reúne-se regularmente com outros Cristãos para adorar o Senhor?________

194194194194194194
7.Se você não frequenta uma congregação, você gostaria de conhecer uma boa igreja próxima a

sua área?_________________________________________

8.Gostaria de trabalhar integrado no Corpo de Cristo, juntamente com outros Cristãos?

___________________________________________________________________

PARTE 4

O Que Está Acontecendo à Igreja?

Mais de vinte Séculos de Combate

Desde o dia em que Jesus Cristo fundou a Sua Igreja, Satanás tem tentado destruí-la. A Igreja

luta não só pela sua própria sobrevivência como também para salvar almas que Satanás está a

levar para o Inferno.

¨Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas contra as hostes espirituais da

maldade.¨

Efésios 6.12

195195195195195195
1 Pedro 5:8 Sede, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como

leão, buscando a quem possa tragar.

A Estratégia e as Armas de Satanás

Satanás tenta separar os Cristãos de Cristo, a fim de poder derrota-los. As suas principais armas

são:

43

A perseguição, o falso ensino e a tentação. Ao tentar eliminar a Igreja pela perseguição, Satanás

já matou milhares de Cristãos. Infiltrou nela falsos mestres e cegou alguns dos seus guias com a

incredulidade. O seu alvo é sabotar a Igreja com o pecado.

A Estratégia e as Armas da Igreja Verdadeira

A nossa defesa consiste em permanecermos unidos ao nosso Comandante Supremo, o Senhor

Jesus Cristo. As nossas principais armas são: a oração, a fé e a palavra de Deus. O Espírito Santo,

que é mais forte do que Satanás concede-nos a força e o poder para o derrotarmos.

196196196196196196
¨Fortalecei-vos no Senhor e na força do Seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus para

que possais estar firmes contra as astutas ciladas do Diabo. ¨

Efésios 6.10,11

A Vitória da Igreja

Através dos séculos, a perseguição tem purificado a Igreja, fazendo-a crescer. O Espírito Santo

tem mandado diversos reavivamentos para libertar o povo do pecado e dos falsos ensinamentos.

Podemos ter de sofrer agora, mas em breve a guerra terminará, pois Satanás será derrotado e a

Igreja reinará para sempre com Cristo.

¨Edificarei a minha Igreja e as portas do Inferno não prevalecerão contra ela.¨

Mateus 16.18

¨Mas em todas estas coisas, somos mais do que vencedores por aquele que nos amou. ¨

Romanos 8.37

O Seu Lugar no Combate

Nesta guerra, cada Cristão é um soldado.

197197197197197197
¨Sofre, pois, comigo, as aflições como bom soldado de Jesus Cristo. ¨

2 Timóteo 2.3

¨Nada temas... Sê fiel até à morte e dar-te-ei a coroa da vida. ¨

Apocalipse 2.10

44

Exercícios:

9. Você já tinha aceitado Jesus como seu Salvador pessoal?________________

a) Antes de iniciar este curso?_________________________________________

198198198198198198
b) Durante este curso?________________________________________________

10. Se ainda não o fez, você está pronto a aceitá-Lo agora?________________

CONCLUSÃO:

Parabéns você terminou este curso bíblico! Esperamos que estas lições o tenham ajudado a

encontrar as respostas as perguntas da vida e que essas respostas o sustente nos tempos de

dificuldade e adversidade e você possa ter um encontro de salvação com Jesus Cristo.

Que Deus o abençoe na sua vida, principalmente se tomou a decisão de cumprir a Sua vontade e

de aceitar Cristo como Salvador e Senhor. Se o fe, você faz parte agora de uma grande família

que o ama e que ora por si e pelas suas necessidades.

Estamos interessados no seu bem-estar espiritual. Sem dúvida, nem todas as suas respostas

foram respondidas, mas, à medida que se familiariza com a Palavra de Deus, ela vai, dia-a-dia,

mostrando ao seu coração o que precisa aprender e saber.

Entre em contato conosco através do E-mail: pastorjoseerone@uol.com.br ou pelo whatsapp: 54

9 8449 00 07

199199199199199199
45

200200200200200200
LEIA E ADQUIRA OS LIVROS E AS APOSTILAS DO PASTOR JER SOARES

 Curando os Enfermos Pelo Poder de Deus.

 Os Benefícios da Salvação.

 A Unção e o Manto.

 A Fé Positiva Criativa.

 Uma análise dos temperamentos

 A Última Crise

 As três Fases da libertação

 O Obreiro aprovado por Deus

SE QUISER OFERTAR PARA A IMPRESSÃO DE MIL EXEMPLARES!

Se quiser ofertar para nos ajudar na impressão de 1.000 00 exemplares, favor depositar e nos

enviar o comprovante de depósito e nos comunicar por e-mail ou por telefone.

Contatos: E-mail: pastorjoseerone@uol.com.br

54 323157 66 – 54 84 49 00 07

Escreva-nos :

201201201201201201
Rua Borges de Medeiros 1813- Centro -Vacaria- Rs – Cep 95200-000

Faça o Depósito no:

Banco Bradesco

Agência 1393-5

Conta Corrente 0010369-1

Em nome de José Erone Rodrigues Soares

DADOS BIBLIOGRÁFICOS:

 Curso por Correspondência ICI: As grandes perguntas da Vida

202202202202202202
46

DEDICATÓRIA

203203203203203203
Dedico este livro a_________________________________

Uma palavra de amigo:______________________________

___________________________________________________

___________________________________________________

___________________________________________________

_________________________________________________

Data ____/_____/____

204204204204204204
47

205205205205205205
206206206206206206
207207207207207207
208208208208208208
ENOQUE

I-QUEM ERA ENOQUE?

1.Ele viveu por muitos anos. Hoje, quando pensamos em alguém que viveu
bastante, talvez imaginemos uma pessoa com uns 90 anos. Mas Enoque já
tinha mais de quatro vezes essa idade: 365 anos! Só que, para o mundo
daquela época, mais de 5 mil anos atrás, ele não era muito velho. O
primeiro homem, Adão, tinha mais de 600 anos quando Enoque nasceu. E
Adão ainda teve mais três séculos de vida depois disso. Alguns dos
descendentes de Adão viveram ainda mais do que ele. Então, é provável que
Enoque, aos 365 anos, ainda parecesse bem jovem e forte. Ele talvez

209209209209209209
imaginasse que tinha a maior parte da sua vida pela frente. Mas não foi isso
que aconteceu.

2.Ele estava correndo risco de vida. Imagine Enoque fugindo para se


esconder. Ele só pensava na reação que as pessoas tiveram quando ele falou
a mensagem de Deus. Dava para ver a raiva estampada no rosto delas. Além
de odiar Enoque, elas também detestavam a mensagem que ele pregava e o
Deus que o tinha enviado. Elas não podiam atacar a Jeová, o Deus de
Enoque. Mas podiam acabar com a vida do próprio Enoque, e era isso que
pretendiam fazer! Naquele momento de aflição, ele talvez pensasse na sua
esposa, nas suas filhas, no seu filho Matusalém e no seu neto, Lameque.
(Gênesis 5:21-23, 25) Será que ele veria sua família outra vez? Seria esse o
seu fim?

3.Enoque é um personagem bíblico um tanto misterioso. Só três passagens


curtas da Bíblia falam sobre ele. (Gênesis 5:21-24; Hebreus 11:5; Judas 14,
15) Mas esses textos são como peças importantes de um quebra-cabeça, que
nos ajudam a visualizar a imagem de um verdadeiro homem de fé. Você se
esforça para cuidar da sua família? Já precisou ter coragem para defender o
que é certo? Então você pode aprender muito da fé que Enoque
demonstrou.

II-“ENOQUE CONTINUOU ANDANDO COM O VERDADEIRO DEUS”

1-Enoque nasceu na sétima geração da família de Adão. Na época dele, a


humanidade não estava nada bem. É verdade que os humanos estavam bem
perto da perfeição física que Adão e Eva perderam; por isso eles viviam
tanto tempo. Mas, em sentido moral e espiritual, a situação era péssima. O
mundo estava cheio de violência. Essa violência tinha começado na segunda
geração, quando Caim matou seu irmão, Abel. Parece que um dos
descendentes de Caim até se gabava de ter sido mais violento e vingativo do

210210210210210210
que o próprio Caim. Na terceira geração, outro mal apareceu no cenário: as
pessoas “começaram a invocar o nome de Jeová”. Mas isso não significa que
elas adoravam a Jeová da maneira correta. Tudo indica que as pessoas
estavam usando o nome santo de Deus de modo blasfemo, ou desrespeitoso.
— Gênesis 4:8, 23-26.

2-É provável que essa forma de religião falsa fosse muito comum nos dias
de Enoque. Por isso, à medida que crescia, Enoque teve que tomar uma
decisão importante: será que ia seguir a maioria? Ou ia buscar o Deus
verdadeiro, Jeová, o Criador do céu e da Terra? O exemplo de Abel deve ter
tido um forte impacto na vida de Enoque. Abel morreu porque estava
adorando a Jeová do modo correto. E Enoque também decidiu adorar a
Jeová. Gênesis 5:22 diz: “Enoque continuou andando com o verdadeiro
Deus.” Enoque é a primeira pessoa que a Bíblia descreve dessa maneira. Ele
era um homem de Deus num mundo totalmente contra Deus.

Gênesis 5:22 fala que Enoque continuou andando com Jeová depois de se
tornar pai de Metusalém aos 65 anos. Assim, Enoque era pai de família,
embora a Bíblia não diga o nome da esposa nem o número “de filhos e de
filhas” que ele teve. Um pai que anda com Deus precisa se esforçar para
seguir as leis de Deus ao cuidar da sua família. Enoque sabia que Jeová
esperava que ele fosse fiel à sua esposa. (Gênesis 2:24) E ele com certeza
fez tudo o que pôde para ensinar seus filhos sobre Jeová. Será que valeu a
pena?

3-A Bíblia não revela muito sobre isso, mas é possível chegar a algumas
conclusões. Ela não fala nada sobre a fé de Metusalém, que teve a vida mais
longa registrada na Bíblia e morreu no ano do Dilúvio. Ele teve um filho
chamado Lameque, que conviveu com o avô Enoque por mais de cem anos.
Lameque mostrou que tinha uma forte fé. Inspirado por Jeová, ele

211211211211211211
profetizou sobre seu filho, Noé, e sua profecia se cumpriu depois do Dilúvio.
Assim como seu bisavô Enoque, Noé andava com Deus. Ele e Enoque nunca
se conheceram, mas com certeza Noé aproveitou bem a herança espiritual
de seu bisavô. Ele deve ter aprendido sobre Enoque com seu pai, Lameque,
com seu avô Metusalém ou até com Jarede, pai de Enoque. Jarede morreu
quando Noé tinha 366 anos. — Gênesis 5:25-29; 6:9; 9:1.

Como Enoque foi diferente de Adão! Adão era perfeito, mas pecou contra
Jeová e deixou para seus descendentes uma herança de desobediência e
tristeza. Enoque era imperfeito, mas andou com Deus e deixou uma herança
de fé. Quando Adão morreu, Enoque tinha 308 anos. Será que a família de
Adão chorou pela morte desse homem tão egoísta? Não sabemos. De
qualquer forma, Enoque “continuou andando com o verdadeiro Deus”.
— Gênesis 5:24.

4-Se você é chefe de família, o que pode aprender da fé de Enoque? É


essencial sustentar a família em sentido material. Mas muito mais
importante é cuidar das necessidades espirituais dela. (1 Timóteo 5:8) Você
consegue isso não apenas pelo que fala, mas pelo que faz. Se você decidir
andar com Deus e obedecer a ele no seu dia a dia, vai deixar para a sua
família uma herança muito valiosa: o seu exemplo.

III-ENOQUE “PROFETIZOU A RESPEITO DELES”

1-Enoque era um homem de fé vivendo num mundo sem fé e provavelmente


se sentia sozinho. Mas será que Jeová prestava atenção nele? Com certeza!
Um dia, Jeová se comunicou com esse servo leal e disse para ele transmitir

212212212212212212
uma mensagem ao povo. Assim, Enoque se tornou profeta, o primeiro que
teve sua mensagem revelada na Bíblia. Muitos séculos depois, Judas, meio-
irmão de Jesus, foi inspirado a registrar a profecia de Enoque. *

2-O que Enoque profetizou? A Bíblia diz: “Vejam! Jeová veio com as suas
santas miríades para executar julgamento contra todos, e para condenar
todos os ímpios por todas as ações ímpias que fizeram de modo ímpio e por
todas as coisas chocantes que os pecadores ímpios falaram contra ele.”
(Judas 14, 15) É interessante que nessa profecia os verbos estão no
passado, como se Deus já tivesse feito as coisas anunciadas. Muitos profetas
depois de Enoque também fizeram profecias com verbos no passado. A ideia
é que a profecia era tão verdadeira que o profeta falou de coisas futuras
como se já tivessem acontecido! — Isaías 46:10.

3-Enoque divulgou com coragem a mensagem de Deus condenando aquele


mundo violento.

Como Enoque se sentia ao transmitir aquela mensagem, talvez em voz alta


para que todos ouvissem? A profecia dele era muito forte: ele usou quatro
vezes a palavra “ímpio” para descrever aquelas pessoas, suas ações e seu
modo de agir. Assim, alertou que o mundo que os humanos tinham
construído desde a expulsão do Éden era totalmente corrupto. E Enoque

213213213213213213
disse que esse mundo teria um fim trágico quando Jeová viesse com um
exército de milhões de anjos, ou “santas miríades”, trazer destruição.
Enoque foi muito corajoso ao transmitir esse aviso. E ele fez isso sozinho!
Talvez o jovem Lameque observasse admirado a coragem de seu avô. E dá
para entender por quê.

4-A fé de Enoque nos faz pensar: Será que vemos o mundo de hoje como
Deus vê? A mensagem de julgamento que Enoque pregou tem hoje a mesma
força que tinha naquela época. Jeová cumpriu a profecia de Enoque
quando trouxe o Dilúvio e destruiu aquele mundo mau. O Dilúvio é
modelo de uma destruição muito maior que ocorrerá no futuro. (Mateus
24:38, 39; 2 Pedro 2:4-6) Jeová e seus anjos estão a postos, prontos para
executar julgamento sobre este mundo mau. Assim, devemos dar atenção ao
aviso de Enoque e falar a outras pessoas que em breve Deus vai agir. Nossa
família e nossos amigos talvez se afastem de nós. Pode ser que nos sintamos
sozinhos de vez em quando. Mas Jeová nunca abandonou Enoque; e ele
nunca vai abandonar seus servos fiéis hoje.

IV-“TRANSFERIDO PARA NÃO VER A MORTE”

1-O que aconteceu com Enoque? Podemos dizer que a morte de Enoque foi
ainda mais misteriosa do que sua vida. Gênesis simplesmente diz: “Enoque
continuou andando com o verdadeiro Deus. Depois, ele não foi mais visto,
porque Deus o tomou.” (Gênesis 5:24) Em que sentido Deus tomou Enoque?
O escritor da Epístola aos Hebreus, (apóstolo Paulo_ explicou: “Pela fé
Enoque foi transferido para não ver a morte, e não foi achado em parte
alguma, porque Deus o havia transferido; pois, antes de ser transferido, ele

214214214214214214
recebeu o testemunho de que havia agradado a Deus.” (Hebreus 11:5) Como
Enoque “foi transferido para não ver a morte”? Algumas traduções da Bíblia
dizem que Deus levou Enoque para o céu.*

Atenção ao comentário: Ignore!

 ( Mas isso não é verdade, porque a Bíblia diz que Jesus foi o
primeiro a ser ressuscitado para viver no céu. — João 3:13.)

2-Então, o que o escritor queria dizer? É provável que, de modo bondoso,


Jeová tenha transferido Enoque da vida para a morte, poupando-o de uma
morte violenta. Mas, antes, Enoque “recebeu o testemunho de que havia
agradado a Deus”. Como? Pode ser que ele tenha tido uma visão. Talvez
Jeová tenha lhe mostrado a Terra transformada num paraíso. Com esse sinal
claro de que Jeová o aprovava, Enoque adormeceu na morte. O escritor aos
Hebreus falou sobre Enoque e outros homens e mulheres fiéis: “Todos esses
morreram com fé.” (Hebreus 11:13) Os inimigos de Enoque talvez tenham
procurado o corpo dele, mas ele “não foi achado em parte alguma”.
Provavelmente, Jeová o fez desaparecer, evitando que o corpo de Enoque
fosse tratado de modo desrespeitoso ou usado para promover uma religião
falsa. *

3-Com isso em mente, imagine como talvez tenham sido os últimos


momentos de Enoque. Mas lembre-se de que essa é apenas uma
possibilidade. Enoque estava fugindo, exausto. As pessoas que o perseguiam
estavam logo atrás, furiosas por causa da mensagem de julgamento. Então,
ele encontrou um lugar para se esconder e descansar um pouco. Mas ele
sabia que não estava a salvo; uma morte violenta o aguardava, era só uma
questão de tempo. Enquanto descansava, Enoque orou a Jeová. Daí, uma
profunda sensação de paz tomou conta dele, e ele começou a ter uma visão.
A visão era tão real que levou o seu pensamento para outro lugar.

215215215215215215
4-Enoque talvez estivesse prestes a sofrer uma morte violenta quando
Jeová o tomou.

Que lugar era esse? Ele talvez tenha visto um mundo totalmente diferente.
Era tão bonito quanto o jardim do Éden, e não havia querubins impedindo os
humanos de entrar lá. A paz reinava nesse lugar, e as pessoas, cheias de
saúde e energia, viviam em união. Não havia vestígio de ódio e de
perseguição religiosa. Enoque sentiu no coração que Jeová cuidava dele, o
aprovava e o amava. Assim, ele percebeu que aquele era o seu futuro lar.
Enoque sentiu paz como nunca antes. Daí, fechou os olhos e, aos poucos,
caiu num sono profundo.

5-(E até hoje Enoque está dormindo o sono da morte). Com certeza, ele tem
um lugar especial na memória sem limites de Jeová. Jesus prometeu que vai
chamar todos os que estão na memória de Deus, e eles vão acordar e ver um
lindo novo mundo de paz. — João 5:28, 29.

Você quer viver nesse lugar para onde Enoque foi levado?? Imagine conhecer
o próprio Enoque! Pense em quantas coisas interessantes vamos aprender
com ele. Ele vai nos contar se os seus últimos momentos foram parecidos
com o que nós imaginamos. Mas tem algo muito importante que precisamos
aprender com ele desde já. Logo depois de falar sobre Enoque, Paulo disse:
“Sem fé é impossível agradar a Deus.” (Hebreus 11:6) Então, para agradar a

216216216216216216
Deus, vamos fazer o máximo para imitar a fé desse homem tão corajoso,
Enoque!

ENOQUE II

Enoque é um dos personagens mais conhecidos do Antigo Testamento,


apesar das poucas referências acerca dele. Antes de falarmos sobre quem
foi Enoque, também é preciso saber que em Gênesis existem dois Enoques,
e não podemos confundi-los.

O outro Enoque citado em Gênesis é o filho mais velho de Caim (Gn 4:17),
que deu nome à cidade edificada por seu pai.

I-Quem foi Enoque?

1-Enoque foi filho de Jarede e pai de Metusalém (Gn 5:18,21), pertencente


à descendência de Sete, através da qual o conhecimento de Deus foi
preservado. Enoque tinha um relacionamento profundo com Deus, pois a
expressão “andou com Deus” é aplicada somente à Enoque e Noé (Gn 5:24;
6:9).

2-Enoque viveu 365 anos, antes de ser trasladado corporalmente ao céu,


para estar na presença de Deus. Assim, Enoque, juntamente com o profeta
Elias, foram os dois homens do Antigo Testamento que não experimentaram
a morte (Gn 5:24; 2Rs 2:1-11). Isso prova que a imortalidade ou a vida após
a morte, foi ensinada no primeiro período do Gênesis.

217217217217217217
No judaísmo posterior, pelo fato de Enoque ter sido trasladado para o céu,
criou-se uma tradição apocalíptica, onde Enoque estaria relatando segredos
dos céus e do futuro.

II-Enoque no Novo Testamento

1-No Novo Testamento, Enoque é citado na genealogia presente em Lucas


3:37 e também é citado na Epístola aos Hebreus:

Pela fé Enoque foi trasladado para não ver a morte, e não foi achado,
porque Deus o trasladara; visto como antes da sua trasladação alcançou
testemunho de que agradara a Deus.
(Hebreus 11:5)

2-No capítulo conhecido como “Galeria dos Heróis da Fé“, o escritor aos
Hebreus atribuiu o arrebatamento de Enoque à sua fé notável, cuja qual o
conduziu a um “testemunho de que agradara a Deus”.

3-Há também uma citação na Epístola de Judas (Jd 1:14), a qual os


estudiosos discutem sobre a fonte que Judas realmente utilizou, se tradição
escrita ou oral. A citação em questão é de caráter messiânico, e
possivelmente é uma citação de Deuteronômio 33:2 presente em 1Enoque
1:9.

III-Os Livros(Apócrifos) de Enoque

1-Foram encontrados três livros que trazem o nome de Enoque como autor,
sendo eles:

Primeiro Livro de Enoque,

Segundo Livro de Enoque e

218218218218218218
Terceiro Livro de Enoque. O conteúdo dos livros contém algumas
semelhanças.

2-O mais famoso deles, o Primeiro Livro de Enoque, é amplamente


conhecido pela sua versão Etíope. O Livro de Enoque já existia no período
apostólico, e também era conhecido por alguns pais da Igreja como
Clemente de Alexandria, Irineu e Tertuliano, mas seu original acabou
desaparecendo, sobrando apenas fragmentos em grego e etíope.

Em Qumram, em umas das grutas, foram encontradas partes de manuscritos


de 1 Enoque escritos em aramaico.

3-Apesar dos livros sugerirem uma suposta autoria de Enoque, a data mais
recuada para a autoria dos fragmentos encontrados é de 200 a.C.,
estendendo-se até o século 1 d.C.

4-Grande parte dos estudiosos considera que os livros não possuem qualquer
chance de terem sido escritos por Enoque, embora alguns considerem que o
Primeiro Livro de Enoque, pode conter algumas citações do próprio Enoque
que foram preservadas e transmitidas por tradição oral. De maneira geral,
os livros de Enoque são considerados pseudoepígrafos, ou seja, são escritos
judaicos que nunca se aproximaram da posição canônica e que também não
encontram lugar nos chamados “Livros Apócrifos”.

Dentre os três livros, sem dúvida o mais importante é o Primeiro Livro de


Enoque, cuja totalidade foi composta em diferentes ocasiões durante os
dois últimos séculos depois de Cristo. Alguns estudiosos consideram que as
seções mais antigas desse livro pertencem ao período dos macabeus. Esse
livro tem alguma finalidade no tocante aos estudos do período
intertestamentário, lançando luz ao pano de fundo desse período, e

219219219219219219
fornecendo algumas informações sobre a teologia judaica pré-cristã, embora
não possa ser considerado canônico em hipótese alguma.

5-Sobre a citação feita por Judas nos versículos 14 e 15, e que remetem a
alguns trechos do Livro de Enoque (1:9; 63:8; 93:3), os estudiosos se
dividem. Alguns acreditam que Judas fez uma citação de uma tradição oral,
que também estava presente no Livro de Enoque. Outros acreditam que
Judas estava intencionalmente citando uma literatura pseudoepígrafe usada
por falsos mestres a fim de silenciá-los com seu próprio material.

IV-No livro de Judas é citada uma profecia de Enoque.

1-Onde estava escrito tal profecia? Foi um livro que se perdeu ou foi uma
revelação para Judas? A profecia que você menciona se encontra em Judas
1,14-15:

¨Quanto a estes foi que também profetizou Enoque, o sétimo depois de


Adão, dizendo: Eis que veio o Senhor entre suas santas miríades, para
exercer juízo contra todos e para fazer convictos todos os ímpios, acerca de
todas as obras ímpias que impiamente praticaram e acerca de todas as
palavras insolentes que ímpios pecadores proferiram contra ele."

2-Quem é Enoque?

220220220220220220
Enoque é um personagem muito importante no judaísmo do tempo de
Cristo. Pai de Matusalém, Enoque era um homem muito fiel e vivia em
íntima comunhão com Deus (Gênesis 5,18-21).

3-Como Elias, a tradição retém que ele foi recebido na presença de Deus,
sem ter morrido (Gênesis 5,24). Essa tradição influenciou muito o judaísmo
no crescimento de uma esperança de vida com Deus depois da morte. Prova
disso é que Hebreus 11,5-6 atribui à fé de Enoc a sua assunção aos céus.

4-Durante o período intertestamentário, no tempo de Cristo, Enoque se


tornou um personagem muito popular.

Alguns dizem que a sua história foi construída durante o período em que o
povo de Israel passou na mesopotâmia, para contrapor às legendas
mesopotâmicas dos seus sábios.

Assim Enoque se torna o primeiro homem sábio, que inicia a arte da


escritura e recebe revelações celestes concernentes a segredos do universo
e os transmite às gerações seguintes.

221221221221221221
Segundo a tradição, ele tem grande sabedoria científica, que adquiriu
graças às viagens aos céus, guiados por anjos. Em alguns escritos apócrifos
ele é comparado à figura messiânica do Filho do Homem (I Enoc 71,14-17).

5-Obras atribuídas a Enoque.

A citação da carta de Judas é tomada do livro 1Enoc 1,9. Esse livro, um


apócrifo (livro não presente na bíblia), também conhecido como Enoc
Etíope, é uma das maiores obras literárias de pouco antes de Cristo. É
chamado de "etiópico" porque foi conservado inteiramente somente nessa
língua. Mesmo assim foram encontrados fragmentos em diversas línguas, até
mesmo nas grutas de Qumran, no Mar Morto.

Esse grande livro, na verdade, é composto por 5 livros: Livro dos vigiantes
(capítulso 1-36), livro dos luminares celestes (36-71), livro das parábolas
(72-82), livro das visões (83-90), apocalipse das semanas (91-105).

Esse é o livro mais antigo atribuído a Enoc e a sua composição pode ser
datada por volta do II século antes de Cristo. Na verdade, cada um dos 5
livros citados tem uma história independente.

Existem outras obras atribuídas a esse personagem, mas são de época cristã.
Entre eles está III Enoc, ou Enoc hebraico. Existe ainda o II Enoc,
conhecido como Enoc eslavo.

Você encontra uma tradução do Livro de Enoc (Enoc Etíope) neste link, feita
por Elson Ferreira, em PDF. Não sei qual é a qualidade dessa tradução.

222222222222222222
Enoque III

Enoque foi o bisavô de Noé, que foi arrebatado por Deus. Ele se destacou
por andar com Deus. Enoque ficou conhecido como um exemplo de fé.

1-A vida de Enoque

A Bíblia fala pouco sobre Enoque. Ele foi descendente de sétima geração de
Adão e viveu 365 anos (Gênesis 5:21-24). No tempo de Enoque, as pessoas
viviam vários séculos. O filho de Enoque, chamado Matusalém, foi o homem
que viveu mais tempo na Bíblia: 969 anos.

Nos dias de Enoque, a humanidade estava muito corrompida pelo pecado.


Deus ficou tão decepcionado que, algum tempo depois da vida de Enoque,
Ele enviou um dilúvio que destruiu quase toda a humanidade. Apenas Noé,
bisneto de Enoque, e sua família sobreviveram.

2-Veja aqui a história de Noé.

Em meio a tanta corrupção, Enoque se destacou por andar com Deus. Ele
agradava a Deus e tinha fé. Por causa disso, Deus arrebatou Enoque.
Ninguém encontrou o corpo de Enoque porque Deus o levou para o Céu
(Hebreus 11:5).

A única outra informação que a Bíblia dá sobre Enoque é sobre uma profecia
que ele fez. Enoque profetizou que um dia Deus virá para julgar todas as
pessoas e para convencer todos os ímpios das coisas erradas que fizeram e
disseram (Judas 1:14-15). Além de obedecer a Deus, Enoque avisou sobre o
perigo de viver no pecado.

3-O que podemos aprender com Enoque?

223223223223223223
 Fé – Enoque cria em Deus; sua fé agradou a Deus – Hebreus 11:6

 Obediência – Enoque viveu de maneira certa, obedecendo a


Deus; por causa de sua intimidade com Deus, ele foi arrebatado

4-O que é o livro de Enoque?

O livro de Enoque é um livro apócrifo, que supostamente foi escrito por


Enoque. Um livro apócrifo é um livro religioso que não pertence à Bíblia,
porque tem origens e/ou ensinamentos duvidosos. O livro de Enoque
provavelmente foi escrito por volta do século I a.C., baseado em lendas
sobre Enoque.

A citação de Judas 1:14-15 pode ter sido retirada do livro de Enoque ou de


histórias contadas sobre Enoque.

Isso não significa que Judas considerava o livro de Enoque inspirado por
Deus. Assim como Paulo citou filósofos pagãos (Atos dos Apóstolos 17:27-28),
ele usou essa citação como exemplo para explicar melhor o que estava
dizendo. Só porque essa citação do livro de Enoque está de acordo com a
Bíblia, não significa que todo o livro está correto.

A História de Enoque-IV
A História de Enoque começa no livro de gênesis no capitulo 5:21, Enoque
era filho de Jarede e pai de Matusalém. Enoque era muito apegado com
Deus e vivia longe do mundo, que infelizmente estava perdido. Pessoas já
não acreditavam mais em Deus, alguns até falavam que Deus existia, mas
suas atitudes não eram como à vontade dele.

1-Enoque Andou com Deus

224224224224224224
Mesmo o mundo rodeado de pecado Enoque se mantia firme nas promessas
de Deus e obediente aos seus mandamentos. Enoque foi um dos únicos que
andou com Deus, a bíblia relata.

Depois de viver por 365 anos na terra, Enoque nunca mais foi encontrado em
lugar algum pois foi arrebatado aos céus, para viver com Deus o pai.

“Pela fé Enoque foi trasladado para não ver a morte, e não foi achado,
porque Deus o trasladara; visto como antes da sua trasladação alcançou
testemunho de que agradara a Deus. (Hebreus 11-5) ”

2-Enoque agradava tanto a Deus, que o todo poderoso não quis que ele
passa-se pela morte, o arrebatou para morar com ele.

Enoque na época exercia um papel muito importante, ele levava a verdade


ao povo, falava das boas obras de Deus e alertava o povo do que é certo e
errado, do que Deus se agradava e o que ele não se agradava. Mas
infelizmente o povo não o ouvia, então um pouco depois de ser arrebatado,
Deus mandou um diluvio e matou quase toda população existente na terra,
sobrando apenas seu bisneto Moisés e sua família.

3-O que Aprendemos com Enoque?

→ Enoque estava Perto de Pessoas que amavam o pecado, mas mesmo assim
não se deixou levar pelas pessoas (Quantas vezes nos deparamos com a
situação de estarmos em lugares que somos únicos que conhecem a Deus.
Não devemos nos deixar levar, só porque as pessoas fazem o errado, nós não
devemos fazer também, pois Deus é nosso vigia.

→ Enoque caminhava e tinha uma fé tão grande em Deus que foi arrebatado
(É muito bonito ver a Fé de um homem que vivia em uma época tão ruim e

225225225225225225
que sua fé foi tão grande que foi levado aos céus por Deus. Devemos nos
espelhar na vida de Enoque para que nada venha desviar nosso foco (Cristo).

→ Enoque pregava contra o pecado (mesmo que as pessoas não davam bola
para ele, ele continuava firme sem titubear, devemos ser como Enoque
anunciar a Volta do Senhor ganhando almas para o céu.

Por que Deus levou Enoque e Elias ao céu sem


eles morrerem?

Pergunta: "Por que Deus levou Enoque e Elias ao céu sem eles
morrerem?"

Resposta: De acordo com a Bíblia, Enoque e Elias são as duas únicas pessoas
que Deus levou ao céu sem morrerem.

Gênesis 5:24 nos diz: "Andou Enoque com Deus e já não era, porque Deus o
tomou para si."

Segundo Reis 2:11 nos diz: "... eis que um carro de fogo, com cavalos de
fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho."

226226226226226226
Enoque é descrito como um homem que "Andou com Deus por trezentos
anos" (Gênesis 5:23). Elias foi, talvez, o mais poderoso dos profetas de Deus
no Antigo Testamento. Há também profecias sobre o retorno de Elias
(Malaquias 4:5-6).

Por que Deus levou Enoque e Elias? A Bíblia não especificamente nos dá a
resposta.

Alguns especulam que foram levados em preparação para um papel no fim


dos tempos, possivelmente como as duas testemunhas em Apocalipse
capítulo 11:3-12.

Isso é possível, mas não explicitamente ensinado na Bíblia. Pode ser que
Deus desejou que Enoque e Elias não passassem pela morte devido à sua
grande fidelidade em servir e obedecê-lo.

Seja qual for o caso, Deus tem o Seu propósito, e embora nem sempre
compreendamos os Seus planos e propósitos, sabemos que "o Seu caminho é
perfeito" (Salmo 18:30).

227227227227227227
O ministério pastoral

228228228228228228
O que é essencial para a vida DO PASTOR?

1.Orar.

2.Pregar.(Ensinar)

3.Multiplicar líderes.

Paralelismo Moises e Jesus

1. Na Bíblia, existiu algum homem que prefigurou outro homem? Se sim, em


que sentido?

“De fato, Moisés disse:

‘Jeová Deus vos suscitará dentre os vossos irmãos um profeta semelhante a


mim. A este tendes de escutar segundo todas as coisas que ele vos falar.’”
— Atos 3:11, 22, 23; leia Deuteronômio 18:15, 18, 19.

229229229229229229
2.Deus promete um profeta semelhante a ele.

O profeta que se pareceria com Moisés deveria ter um intima comunhão


com Deus e ouvi-lo, e suas palavras viriam do próprio Deus.

“Ex 33;11. E falava o SENHOR a Moisés face a face, como qualquer fala com
o seu amigo; ...”

E Jesus. “Jo 14;24. Quem não me ama não guarda as minhas palavras; ora,
a palavra que ouvistes não é minha, mas do Pai que me enviou.”

Mateus 22: 37 E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu
coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. 38 Este é o
primeiro e grande mandamento. 39 E o segundo, semelhante a este, é:
Amarás o teu próximo como a ti mesmo. 40 Destes dois mandamentos
dependem toda a lei e os profetas.

“Ex, 34:28 - E esteve Moisés ali com o SENHOR quarenta dias e quarenta
noites; não comeu pão, nem bebeu água, e escreveu nas tábuas as palavras
do concerto, os dez mandamentos” .

230230230230230230
Mateus 4:1 Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser
tentado pelo diabo. 2 E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites,
depois teve fome;

Números 12:3 E era o homem Moisés mui manso, mais do que todos os
homens que havia sobre a terra.

Para servir a Jeová e a Seu povo, Moisés abriu mão de riquezas e dum lugar
de prestígio no Egito. (Hebreus 11:24-26)

Tanto Moisés como Jesus realizaram milagres como prova do apoio de Jeová.
Segundo a Bíblia, Moisés foi o primeiro homem a realizar milagres. (Êxo.
4:1-9)

Por exemplo, ele realizou milagres relacionados com água quando, sob suas
ordens, as águas do Nilo e seus banhados de junco se transformaram em
sangue, o mar Vermelho foi dividido e de uma rocha no deserto jorrou água.

(Êxo. 7:19-21; 14:21; 17:5-7) Jesus também realizou milagres que tinham a
ver com a água. Seu primeiro milagre foi transformar água em vinho numa
festa de casamento. (João 2:1-11) Mais tarde, ele acalmou o agitado mar da
Galiléia. E certa vez até mesmo caminhou sobre a água. (Mat. 8:23-27;
14:23-25)

231231231231231231
Moisés foi o mediador do pacto da Lei, entre Deus e os israelitas. (Êxodo
19:3-9)

Jesus é o mediador do novo pacto, entre Deus e o Israel espiritual. —


Jeremias 31:31-34; Lucas 22:20; Hebreus 8:6-13.

Moisés serviu como juiz e legislador para o Israel carnal. (Êxodo 18:13;
Malaquias 4:4)

Estevão em seu discurso final reconheceu Jesus como o prometido por Deus
a Moisés.

"At 7,37. Este é aquele Moisés que disse aos filhos de Israel: O Senhor, vosso
Deus, vos levantará dentre vossos irmãos um profeta como eu; a ele
ouvireis. "

As curiosas concordâncias entre a vida de Moisés e a de Nosso Senhor


Jesus Cristo

232232232232232232
“Pode-se notar curiosas concordâncias, puramente formais, entre a vida do
primeiro profeta de Israel e a do Messias.

O nascimento de ambos é acompanhado ou seguido de um massacre de


inocentes, decretado pelo poder estabelecido.

E a precariedade do abrigo: a manjedoura sobre a qual o Senhor tomou


contato com este mundo inóspito lembra o berço de vime, exposto à
piedade dos que passam, sob um reino de um Faraó tomado da mesma febre
de construções que dominará Herodes, o Grande, treze séculos mais tarde.

“Na vida de Jesus e na vida de Moisés, um longo período de silêncio preludia


as tempestades da vida pública, ilustrada inúmeras vezes por prodígios
inesperados”.

Jesus multiplica os pães. E os flocos de maná caem ante Moisés. Este


atravessa o Mar Vermelho a pé enxuto, e Jesus caminha sobre as águas.
Ambos surgem no meio de um povo subjugado, ao qual eles mostram o
caminho da libertação.

Ambos dão uma lei ao povo judeu, ambos se transfiguram no alto de uma
montanha”.

Uma caminhada que tem refulgente orquestração de heroísmos, de


cóleras, de apostasias, de arrependimentos e de perdões
incomensuráveis

“Jesus deixa livremente a casa de seu pai adotivo quando Sua hora soou.
Moisés é enviado, não sem alguma resistência de sua parte. Os milagres de
Cristo manifestam Sua divindade, os milagres de Moisés testemunham a
onipotência de um Outro.

233233233233233233
A Lei do Sinai, destinada unicamente ao povo judeu, distingue-o das outras
nações, e lhe imprime um selo de uma elevação coletiva; a Lei do Evangelho
dirige-se a todos os homens através do povo judeu e dá a cada homem vindo
a este mundo o poder extraordinário de participar da existência de Deus.

“Para o cristão, a terra prometida é uma prefiguração do reino dos Céus, e


a grande caminhada sangrenta dos hebreus para Canaã, com sua refulgente
orquestração de heroísmos, de cóleras, de apostasia fenomenais, de
arrependimentos e de perdões incomensuráveis anuncia esta lenta
aproximação da alegria pelo sofrimento e pelo amor, que se chamará vida
cristã.

“Moisés lançou as bases da Bíblia, formidável trabalho de embasamento


sobre o qual repousa para sempre a continuidade dos textos sagrados. Jesus
nada escreveu, mas quando o último profeta colocou seu último vitral na
noite da espera, ele fez entrar Sua luz no edifício”.

234234234234234234
O ministério pastoral

O Novo Testamento expõe a natureza do ministério pastoral. Três de seus


ensinos serão úteis em nossa consideração da tarefa de aconselhamento.

1-Identificar-se com a fraqueza e pecado das pessoas. O labor pastoral


envolve identificar-se com a fraqueza e pecado das pessoas. Isto se chama
condescendência. É à associação de Jesus com pecadores.

2-falar com Deus em favor das pessoas. Os pastores devem ser zelosos e
constantes em oração. Há pelo menos duas vantagens na oração que flui da
associação íntima com as pessoas em seus problemas:

Primeiramente, cuidar pessoalmente de seu povo tornará suas orações mais


fervorosas. Um pastor que trabalha de maneira leviana entre seu povo
trabalha frequentemente da mesma maneira diante de Deus. Um pastor
que agoniza com seu povo também agonizará em suas orações em favor
deles. Quando pastores se movem do ministério pessoal para tarefas quase
exclusivamente públicas e administrativas, podem facilmente perder de
vista as profundas necessidades em seu meio, e isso terá um efeito
paralisante em suas orações. Jesus nos ensinou a orar ao Pai com desespero
pelo reino (Mt 6.7-13). E levar os fardos de seu povo impelirá você à oração
desesperada.

235235235235235235
Quando um pastor testemunha os efeitos miseráveis da ira em um lar, ou
quando senta diante de uma viúva desanimada que está se sentindo como
alguém que já deveria ter superado sua tristeza depois de dois anos, ou
quando se coloca ao lado de um adolescente que está convencido de que é o
pior pervertido no mundo, ou quando conversa com um homem que chegou
ao limite de tolerância em seu casamento – de repente, a sua urgente
necessidade de sabedoria se torna mais evidente. Testemunhar o desespero
que o pecado e seus efeitos causam na vida das pessoas trará um desespero
santo às orações de um pastor. A miséria do mundo é frequentemente o que
impele as orações do povo de Deus. E pastores não devem se esquivar desta
impulsão.

Em segundo, cuidar pessoalmente de seu povo tornará suas orações mais


dependentes. Nada parece mais fútil do que falar com uma pessoa
deprimida no auge de sua prostração ou com uma moça anoréxica no ápice
de sua auto apreciação não realista. Uma das melhores maneiras para sentir
a incapacidade de mudar qualquer coisa é dar conselhos a vítimas ou
perpetradores de abuso, a pessoas que têm atitudes obstinadas ou mente
confusa, àqueles que o desprezam e a Bíblia que você abriu.

Ficar ao lado de pessoas em circunstâncias impossíveis será para o pastor


um lembrete constante de sua necessidade pelo Deus do impossível.

(3) falar com as pessoas em favor de Deus.

É labuta sincera para proclamar Cristo a pessoas. Outra vez, Paulo é o


nosso exemplo pastoral:

236236236236236236
“O qual nós anunciamos, advertindo a todo homem e ensinando a todo
homem em toda a sabedoria, a fim de que apresentemos todo homem
perfeito em Cristo; para isso é que eu também me afadigo, esforçando-me o
mais possível, segundo a sua eficácia que opera eficientemente em mim” (Cl
1.28-29).

Em nossa labuta pastoral, Cristo é a mensagem, e a semelhança com


Cristo é o alvo. Queremos que aqueles que estão sob nosso cuidado sejam
conformados com Cristo, e isso acontece quando a fé atua por meio de
amor.

Portanto, o alvo de um pastor em sua obra é evocar a fé em Cristo por meio


da proclamação da mensagem do evangelho. Isto é verdadeiro tanto na
proclamação pública quanto na proclamação pessoal da Palavra.

A fé reestrutura as funções do coração, para que a pessoa antes motivada


pelo desejo pecaminoso, pensamento entenebrecido e lealdades terrenas
seja agora motivada por um desejo justo, pensamento iluminado e lealdades
celestiais sempre crescentes. E a única maneira pela qual a fé surge no
coração é por meio de os ouvidos ouvirem a mensagem proclamada: “E,
assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo” (Rm
10.17).

O labor pastoral exige falar com as pessoas em favor de Deus, em Cristo.


Paulo era tão comprometido com o crescimento dos crentes em Cristo, que,
se estes falhassem em perseverar na fé, o apóstolo disse que seu labor seria
em vão (Fp 2.6; ver também Gl 4.11). Paulo não estava dizendo que Deus se
agrada somente de ministério que resulta em frutos de pessoas que

237237237237237237
perseveram na fé; pelo contrário, ele estava enfatizando que estabelecer a
fé era o alvo central de todos os seus labores.

Proclamar a Cristo exige que os pastores vão até aos lugares sombrios na
vida das pessoas – àqueles problemas desconcertantes que são mais fáceis
de ignorarmos do que de lidarmos com eles.

Podem ser casamentos que estão dando sinais de fragmentação, padrões


alarmantes na vida de um adolescente, a desunião entre dois antigos
membros da igreja, as dúvidas contagiantes de um dos integrantes da
equipe de trabalho da igreja, a volatilidade mental de um rapaz.

Não importando qual seja a complexidade dos problemas das pessoas, você
sempre pode fazer a si mesmo esta pergunta orientadora: qual é o papel da
fé em Cristo no problema desta pessoa?

Jesus precisa ser proclamado naqueles lugares sombrios. E o pastor não deve
ter medo de ir a esses lugares.

O tríplice ofício de Cristo (“Munus triplex”)

O qual ele exerceu tanto em seu estado de humilhação como no de


exaltação, está figurado no Antigo Testamento nos ofícios profético,
sacerdotal e real – ofícios que eram consagrados através de unção (sendo
“ungido” o significado do termo grego “Cristo” e hebraico “Messias”).

1-Como Profeta, ele nos revela a vontade e a pessoa de Deus.

2- Como Sacerdote, ele é nosso mediador diante de Deus, oferecendo a si


mesmo, uma só vez, em sacrifício para satisfazer a justiça divina e nos
reconciliar com o Pai e vivendo sempre para interceder por aqueles que se
achegam a Deus.

238238238238238238
3- Como Rei, ele governa como o vice-regente do Pai sobre o mundo,
protege o seu povo e conquista sobre seus inimigos.

Ressalta-se que, apesar de vermos tais sombras no Antigo Testamento, não


devemos supor que Deus se aproveitou “a posteriori” desses ofícios para
ilustrar a obra messiânica, mas que foram decretados antes da fundação do
mundo para nos revelar o Cristo.

Primeiro vem a realidade eterna do Filho, depois os ofícios terrenos. Ele é o


Logos, o Cordeiro que foi morto e o braço direito do Pai antes da fundação
do mundo.

Ademais, encontramos esse tríplice ofício em todas as Escrituras.

Em Gênesis, Cristo é como:

 Profeta: a Palavra criadora do Pai (1.3; cf. Jo 1.1-4; Cl 1.16) e o


Anjo do Senhor que traz a revelação da vontade e da aliança de Deus
(16.7; 31.11-13; cf. 2 Co 1.20)

 Sacerdote: o sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque


(14.17-20; cf. Hb 7.17, 22, 24-25), o descendente mediador das
bênçãos para todas as famílias da terra (12.1-3, 7; 13.15; 24.7; cf. Gl
3.1-16) e o subtituto provido por Deus para ser sacrificado no lugar da
descendência de Abraão (Gn 22.13-14; cf. Jo 3.17 e Hb 2.16)

 Rei: o Descendente de Judá de quem o cetro jamais se apartará


(49.10; cf. Ap 5.5 e Hb 1.8) e que pisa sobre a cabeça da serpente
(3.15 ; cf. Cl 2.15).

E em Apocalipse, ele é como

239239239239239239
 Profeta: a testemunha fiel (1.5) que traz revelação, a qual Deus
lhe deu para mostrar aos seus servos o que em breve há de acontecer
(1.1) e que é digna de abrir os sete selos da revelação do juízo de
Deus (6.1).

 Sacerdote: o Cordeiro que foi morto (5.11) e que, por meio de


seu sangue, liberta (1.5) e compra para Deus gente de toda tribo,
língua, povo e nação (5.9).

 Rei: o vitorioso Leão da Tribo de Judá, a Raiz de Davi (5.11) e o


soberano dos reis da terra (1.5), que possui, reina e governa com cetro
de ferro sobre o reino do mundo (2.27; 11.15) e que julga e guerreia
com justiça (19.11).

Por fim, por estarmos unidos em Cristo, o tríplice ofício de Cristo tem duas
implicações.

A primeira é aquilo que ele realiza por nós em cada um deles, conforme
descrito acima.

A segunda, e muitas vezes negligenciadas, é que somos chamados a sermos


à imagem do Filho (com as devidas limitações observadas).

Somos chamados como:

 Profetas: a ensinarmos tudo aquilo que Deus falou através do


Filho nos últimos tempos (Mt 28.18-20), proclamando a mensagem de
juízo e salvação do evangelho (Mc 16.15; Rm 2.16; 2Co 2.14-17) e
sendo, como igreja, coluna e firmeza da verdade (1 Tm 3.15).

240240240240240240
 Sacerdotes: a cuidarmos um dos outros (Hb 3.13; 10.25) e
intercedermos um pelos outros e pelo mundo (Ef 6.18; 1 Ts 5.17; 1Tm
2.1-4), vivendo como um reino sacerdotal (Ex 19.6; 1 Pe 2.9; Ap 5.10)

 Reis: a levarmos todo pensamento cativo à Cristo (2Co 2.15) e os


povos à obediência ao Rei dos reis (Mt 28.18-20; Rm 18.15) e a
vivermos como reino sacerdotal (Ex 19.6; 1 Pe 2.9; Ap 5.10), na
certeza de que um dia pisaremos sobre a cabeça de Satanás (Rm
16.20), julgaremos os anjos e o mundo (1Co 6.2-3) e nos assentaremos
no trono de Cristo (Ap 3.21).

241241241241241241
Por que Jesus amaldiçoou a figueira se não eram tempos de
figos?

(1) A história onde Jesus amaldiçoou a figueira é narrada em dois dos evangelhos, sendo em

Mateus 21:18-22 e em Marcos 11:12-14, 20-24. Vejamos o que o texto nos diz: “e, vendo uma

figueira à beira do caminho, aproximou-se dela; e, não tendo achado senão folhas, disse-

lhe: Nunca mais nasça fruto de ti! E a figueira secou imediatamente” (Mateus 21:19).

(2) Esse texto me traz uma ótima oportunidade de expor a necessidade que de compreender um

pouco sobre as figueiras. Geralmente as figueiras dão seus frutos antes das folhas ou também os

frutos aparecem quase que ao mesmo tempo que a folhagem. Apesar dessa narrativa ter

acontecido no mês de março (época da páscoa judaica) e a época de as figueiras darem frutos

era somente em junho, figueiras que tinham folhas nessa época indicavam frutos fora de época,

o que era uma bênção. Isso significa que as folhas aparentes na figueira indicavam que ali

haveriam frutos.

Mas o texto mostra que Jesus fica frustrado em achar somente folhas nela e que Ele aproveita

essa situação interessante para trazer-nos lições preciosas.

242242242242242242
(3) Sabemos que árvores não têm responsabilidade moral, pois não tem a capacidade de pensar e

decidir. Logo, quando Jesus amaldiçoou a figueira e ela secou, não significa que a árvore pecou

ou que estava sendo má por não ter frutos, antes, não temos outra interpretação possível senão

um ensino de Jesus que chamamos de “alegoria”, ou seja, Ele usando essa ocasião interessante

como um símbolo de um ensino maior que queria passar às pessoas. Mas qual ensino seria?

Quando Jesus amaldiçoou a figueira qual ensino quis passar?

(4) Se você observar com cuidado, esse acontecimento é situado exatamente após a entrada

triunfal de Jesus em Jerusalém próximo da festa da páscoa (Mateus 21:1-11), seguida da expulsão

vigorosa que Jesus fez dos mercadores do templo (Mateus 21:12-13) e ainda de algumas

parábolas muito fortes sobre a falta de fé de alguns em fazer a vontade do Pai (Por exemplo, a

parábola dos dois filhos em Mateus 21:18-32). Isso parece indicar que Jesus está pelo menos

provocando os seguintes pensamentos nas pessoas ali em Jerusalém, que era o local central de

culto em Israel:

a) Essa figueira representa o povo de Israel: em outras ocasiões Israel já tinha sido comparada

a uma figueira (Oseias 9:10 e Joel 1:7). Jesus parece aqui reviver essa comparação, mas agora

como uma forma de repreensão aos israelitas.

b) Essa figueira parecia ter frutos: Em muitos momentos Jesus combateu a hipocrisia de fariseus

e do povo que gostava muito de uma vida de aparências que não refletia o que de fato tinha em

seus corações. Jesus criticou muitas vezes esse mal comportamento. A figueira tinha folhas e isso

indicava que deveria ter frutos ali, mas não tinha. Da mesma forma muitos pareciam ser servos

de Deus, mas não eram.

c) A aparência de ter frutos e a falta deles foi a causa de a figueira secar: Uma vida de

aparências, sem frutos verdadeiros e proveitosos destruirá a vida daquele que escolhe esse tipo

de vida. A nação de Israel sofreria muito pela aparência de santidade que buscava esconder

corações hipócritas. Isso faria muitos deles “secar”.

243243243243243243
d) Falta de frutos ainda desagrada a Deus. Fomos chamados a frutificar. Por isso, essa lição de

Jesus ainda é bastante atual, pois o coração humano continua produzindo aparências para

esconder uma vida infrutífera e distante da vontade de Deus. Sempre que Deus olha para nós Ele

deseja encontrar bons frutos! Você tem esses bons frutos?

Jesus usou muito o recurso de parábolas – pequenas estórias


que passavam ensinamento moral. Nenhuma pessoa da Bíblia
usou tanto esse recurso como Jesus – as parábolas são como
uma marca registrada do ministério d´Ele.

Uma das parábolas de que mais gosto, embora não seja


tão popular como a do “bom samaritano” ou a do “filho
pródigo”, é a da “figueira estéril”. Vamos ver o que Jesus
disse:

Então contou esta parábola: “Um homem tinha uma figueira


plantada em sua vinha. Foi procurar fruto nela e não achou
nenhum. Por isso disse a quem cuidava da vinha: “Já faz três
anos que venho procurar fruto nesta figueira e não acho.
Corte-a! Por que deixá-la inutilizar a terra?” Respondeu o
homem: “Senhor, deixe-a por mais um ano, e eu cavarei ao
redor dela e a adubarei. Se der fruto no ano que vem, muito
bem! Se não, corte-a’ .” Lucas capítulo 13, versículos 6 a 9

Na Palestina, no tempo de Jesus, era costume plantar árvores


frutíferas em meio ao vinhedo.. A árvore frutífera era deixada à
própria conta por cerca de três anos e a partir daí, era exigido
dela resultados, frutos comestíveis.

No caso da figueira da parábola, os frutos vinham sendo


procurados há três anos, logo a árvore já tinha seis anos de

244244244244244244
vida. E ainda assim, não apresentava resultados. A
figueira parecia ser estéril.

Ora, a figueira suga muitos nutrientes da terra se manter e não


fazia sentido conservar uma árvore estéril. Sua permanência
em meio à plantação atrapalhava mais do que ajudava. Por
isso o dono da terra decidiu cortar a figueira.

Mas o responsável pela vinha, o agricultor,(Deus é o


agricultor) pediu ao dono da terra mais um ano de prazo.
Prometeu adubar a figueira e dar a ela tratamento especial. Se
depois desse prazo adicional, a figueira não desse frutos, não
apresentasse resultados, aí sim seria cortada.

O agricultor devia ter um carinho especial por aquela planta


para propor uma medida tão excepcional – não era costume
adubar figueiras naquela época (há qualquer registro desse
tipo de prática no Velho Testamento). Na verdade, o agricultor
queria desesperadamente salvar aquela árvore.

O que isso tudo quer dizer? Primeiro, a vinha é o povo de Deus


(Israel) – essa imagem é muito comum no Velho Testamento
como, por exemplo, em Isaías capítulo 5, versículo 7.

E certamente assim a vinha foi entendida pelos ouvintes de


Jesus. A figueira em meio a ela era parte da plantação,
portanto, representava uma pessoa pertencente ao mesmo
povo. Mas essa pessoa não tinha boas obras para mostrar, era
estéril.

245245245245245245
Trazendo para os dias de hoje, quando entendemos o povo de
Deus como sendo a Igreja Cristã, a figueira estéril representa
uma pessoa que se diz cristã e até frequenta uma comunidade
de fé, mas não colabora para a obra de Deus: não ajuda
quem sofre, nem testemunha a Palavra, não ora com fé por
quem precisa, não louva como deveria, etc. A fé dessa pessoa
está morta, pois não tem obras para mostrar (Tiago capítulo 2,
versículos 17 e 18).

Deus é o agricultor (o dono da plantação, na parábola) diz


que aquela pessoa de nada serve, pois nada produz, embora
exija atenção e cuidado do Espírito Santo (o agricultor) e
daqueles(as) que o ajudam a tomar conta do povo.

É justamente o agricultor que pede a Deus mais uma chance


para a figueira: vai fazer um último esforço para que a planta
dê frutos. E Deus concede pois é misericordioso. A pessoa que
se diz cristã mas nada fez pela obra, embora exija cuidados e
atenção, vai ter uma última oportunidade para mudar sua
postura.

Mas essa será sua última oportunidade: se não mudar, se não


entregar verdadeiramente a Jesus, vai ser tirada do meio do
povo de Deus. Não haverá outra oportunidade. Simples assim.

E o tempo da pessoa acabará quando o dono da vinha voltar, o


que, para nós, significa a segunda vinda de Jesus Cristo,
quando todos os seres humanos serão julgados.

Há muitas parábolas onde Jesus ensinou a mesma coisa:


Jesus vai voltar, no final dos tempos e quem não tiver obras

246246246246246246
para mostrar, não terá como testemunhar sua fé. E sem fé, não
há salvação possível: a pessoa simplesmente será tirada do
meio do povo de Deus (os salvos).

Portanto, cada um de nós, deve ter a preocupação de dar


frutos. De se mostrar uma árvore frutífera em meio à
plantação de Deus.

O parábola da figueira estéril que se tornou a figueira seca, aconteceu após a entrada triunfal de

Jesus em Jerusalém. Em Marcos 11:12-24 vemos que Jesus voltou para Betânia.

Na segunda-feira de manhã, o Mestre retornaria com seus discípulos a Jerusalém.

Jesus vinha de um dia de intenso gasto de energias, a sua entrada em Jerusalém havia causado

muita repercussão. Depois do cansaço e das emoções do dia anterior, no caminho de volta a

cidade santa, o Mestre teve fome.

E à beira do caminho, a uma certa distância, uma figueira coberta de folhagens, de forma

precoce, pois era primavera, chamava a atenção de Jesus.

E o Mestre se aproxima desta figueira para ver se acharia algum figo e se alimentar, mas

encontra somente folhas.

“E, no dia seguinte, quando saíram de Betânia, teve fome.” Marcos 11:12

E, vendo de longe uma figueira que tinha folhas, foi ver se nela acharia alguma coisa; e,

chegando a ela, não achou senão folhas, porque não era tempo de figos.” Marcos 11:13

247247247247247247
Naturalmente, a figueira apresenta seus frutos bem antes de se cobrir de folhas. E em

Jerusalém, os primeiros figos, também chamados de bêberas, só amadurecem após o mês de

junho.

E os figos de verão não amadurecem antes de agosto. Por isso Marcos afirma que não era

tempo de colher figos.

Porém a folhagem exuberante que a figueira seca apresentava, poderia ser um sinal de que a

árvore estava em terra muito fértil, e de alguma forma pudesse ter já alguns frutos maduros.

Mas era pura aparência, a figueira estéril não possuía fruto algum.

 A figueira seca tinha apenas aparência

A figueira seca tinha toda a aparência de uma árvore frutífera. Suas folhagens atraíam os

desavisados, praticando assim um tipo de “farisaísmo vegetal”. Tinha aparência de ter, mas

não tinha. Parecia ser, mas não era.

E enganava, iludia, passava por algo que não era, que não possuía. O exterior estava lindo,

cheia de folhas verdinhas, enquanto que as outras árvores, devido a estação do ano, estavam

todas peladas, sem folhas alguma.

E Jesus agindo como se a figueira estéril fosse um ser dotado de inteligência e vontade

próprias, profere contra ela uma grave sentença:

“E Jesus, falando, disse à figueira: Nunca mais coma alguém fruto de ti. E os seus discípulos

ouviram isto.” Marcos 11:14

Interessante que o Mestre, contra as outras figueiras, que estavam sem folhas e sem frutos,

de nada reclama.

248248248248248248
As outras figueiras estavam sem frutos, porém apresentavam sua imagem verdadeira, sem

querer se passar por algo que não eram. Estavam sem folhagens; quem as vissem saberiam

que não encontrariam figos nelas.

Afinal, não era tempo de figos, não havia nada de errado em não apresentar frutos, pois não

estava na época certa.

A parábola da figueira estéril

E no dia seguinte, na terça-feira os discípulos notam que a figueira estéril tinha se tornado

em figueira seca, desde as suas raízes.

“E eles, passando pela manhã, viram que a figueira se tinha secado desde as raízes.” Marcos

11:20

“E Pedro, lembrando-se, disse-lhe: Mestre, eis que a figueira, que tu amaldiçoaste, se

secou.” Marcos 11:21

E esta maldição contra a figueira seca, sem dúvida tem uma simbologia semelhante a de uma

parábola (a parábola da figueira estéril).

Muitos religiosos Israelitas, apesar de terem testemunhado tantos favores divinos através dos

séculos, tantos milagres e livramentos, insistiam em apresentar sob sua cultura, uma

aparência religiosa e superficial, mas infelizmente, desprovida de frutos de arrependimento.

E Jesus, o supremo agricultor anuncia que usaria o machado para cortá-los. Não adiantava a

aparência de santidade, como muitos fariseus religiosos de Israel faziam.

Eles queriam ser vistos pelos homens como melhores, mais justos, mais adoradores, que

oravam mais, que jejuavam mais, que se sacrificavam mais.

249249249249249249
Até suas vestes eram “melhores”, só andavam em companhia dos “mais santos”. Viviam em

busca da aparência, do louvor dos homens; suas folhagens estavam “verdinhas”, muito

exuberantes.

Mas neles nunca se encontravam os frutos do amor, do perdão e da misericórdia. Só

acreditavam em sacrifícios e punições.

O que no final, terminava tudo no “EU”. “Eu” jejuei; “Eu” orei; “Eu” sacrifiquei; “Eu” sou

santo, então “Eu mereço”.

Por não reconhecerem seus pecados, o fruto do arrependimento, estavam sendo rejeitados

por Deus. Porque as obras tem que ser feitas em amor.

O único “Eu”, que deve prevalecer em nós, é o de Jesus, que disse: “Eu sou o caminho a

verdade e a vida“.

Fruto certo no tempo certo

 Ninguém pode enganar a Deus. O homem é quem engana a si mesmo. Deus

conhece o coração humano, Ele sabe das suas intenções. Não se pode viver de

aparências. Temos que “ser” em essência.

Para tudo há um tempo determinado. O erro da figueira seca, não foi estar desprovida de

frutos, pois não era tempo de dar frutos naquele momento. Mas o problema foi querer ser

mais, ou parecer ser mais do que as outras figueiras, sem ser.

A parábola da figueira estéril nos dá um importantíssimo ensinamento. Somos todos filhos do

nosso Pai celeste, somos iguais. Não há ninguém “melhor do que ninguém”. Se nos

submetermos em amor às águas do Espírito Santo, em igualdade, em irmandade, Ele o nosso

agricultor, cuidará de nós, para que no tempo certo, apresentemos nossos frutos em amor.

No tempo certo, de tempos em tempos, frutificai.

250250250250250250
“Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé,

mansidão, temperança.” Gálatas 5:22

Jesus demonstrou que todos os homens, não importando se judeus ou gentios, estavam em igual

condição diante de Deus. Deste modo, caso os judeus, que se consideravam privilegiados diante

de Deus por serem descendentes da carne de Abraão não mudassem de conceito, de igual modo

pereceriam, passariam para a eternidade sem Deus e sem salvação.

“Um certo homem tinha uma figueira plantada na sua vinha, e foi procurar nela fruto, não o

achando. E disse ao vinhateiro: Eis que há três anos venho procurar fruto nesta figueira, e não o

acho; corta-a; por que ocupa ainda a terra inutilmente? E, respondendo ele, disse-lhe: Senhor,

deixa-a a este ano, até que eu a escave e a esterque; E, se der fruto, ficará, e, se não, depois a

mandarás cortar” ( Lc 13:6 -9)

O homem que procurou fruto na figueira plantada em sua vinha e não achou, representa o Senhor

Deus, o vinhateiro representa a pessoa de Cristo e a figueira o povo judeu. Então, como

interpretar as relações que envolvem as figuras desta parábola? Por que a figueira não produzia

fruto? Por que a figueira deveria ser cortada?

Para compreender todas as nuances que a parábola apresenta, faz-se necessário socorrer-nos do

contexto em que ela foi citada e construir um paralelismo com outro texto bíblico.

251251251251251251
Galileus e Judeus

O Senhor Jesus estava anunciando as boas novas do reino aos homens ( Lc 12:1 -59), e, naquele

ínterim, percebeu a conversa de algumas pessoas, que pelo contexto, entende-se tratar de

judeus “E, NAQUELE mesmo tempo, estavam presentes ali alguns que lhe falavam dos galileus,

cujo sangue Pilatos misturara com os seus sacrifícios” ( Lc 13:1 ).

O texto enfatiza que estes judeus queriam demonstrar quão condenáveis eram os galileus que

foram mortos por Pilatos. – Que sacrilégio! Estavam sacrificando aos ídolos. Argumentavam eles.

Porém, Jesus lhes responde: “Cuidais vós que esses galileus foram mais pecadores do que todos

os galileus, por terem padecido tais coisas?” ( Lc 13:2 ). Ou seja, Jesus questiona o entendimento

dos judeus.

O fato de aqueles judeus apresentarem a calamidade envolvendo galileus como sendo uma prova

da punição de Deus em decorrência de serem pecadores, demonstra que estavam esquecidos da

calamidade que ocorreu em Jerusalém, precisamente com a torre de Siloé, e Jesus os faz

recordar o ocorrido.

O entendimento deles estava embotado, visto que Jesus demonstrou-lhes que os galileus que

foram mortos não eram mais culpáveis que o restante, e que os judeus que lhe apresentaram

aquela calamidade não estavam em melhor condição, pois, se não mudassem de entendimento,

de igual modo pereceriam “Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo

perecereis” ( Lc 13:3 ).

Ora, a queda da torre de Siloé possivelmente vitimou alguns judeus, e Jesus demonstra que as

calamidades não escolhem entre galileus ou judeus, o que não prova a culpabilidade de ninguém,

porém, se os judeus que ali estavam não mudassem de conceito, de igual modo pereceriam “E

aqueles dezoito, sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, cuidais que foram mais culpados

do que todos quantos homens habitam em Jerusalém? Não, vos digo; antes, se não vos

arrependerdes, todos de igual modo perecereis” ( Lc 13:4 -5).

252252252252252252
A morte da qual o Senhor Jesus apresenta como ‘de igual modo’ não diz da finalização das

funções vitais por meios trágicos, antes diz da condição de perdido, que era comum tanto aos

galileus quanto aos judeus.

Jesus demonstrou que todos os homens, não importando se judeus ou gentios, estavam em igual

condição diante de Deus. Deste modo, caso os judeus, que se consideravam privilegiados diante

de Deus por serem descendentes da carne de Abraão não mudassem de conceito, de igual modo

pereceriam, passariam para a eternidade sem Deus e sem salvação.

Arrependimento

Outra passagem bíblica que fala de arrependimento e também faz referência à árvore, é a

passagem de João Batista: “E dizendo: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus (…) E,

vendo ele muitos dos fariseus e dos saduceus, que vinham ao seu batismo, dizia-lhes: Raça de

víboras, quem vos ensinou a fugir da ira futura? Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento; E

não presumais, de vós mesmos, dizendo: Temos por pai a Abraão; porque eu vos digo que,

mesmo destas pedras, Deus pode suscitar filhos a Abraão. E também agora está posto o machado

à raiz das árvores; toda a árvore, pois, que não produz bom fruto, é cortada e lançada no fogo” (

Mt 3:2 e 7-10).

Entre a passagem de João Batista e o contexto que foi proferida a parábola da figueira estéril,

existe um paralelismo sem igual:

 Em ambos, os judeus presumiam de si mesmo que eram filhos de Deus por serem

descendentes da carne de Abraão, mesmo após o batismo de João, e na parábola da

figueira, presumiam que os galileus que foram mortos por Pilatos eram mais pecadores

que todos os outros galileus;

 Em ambos, os judeus foram repreendidos quanto ao que pensavam de si mesmos.

253253253253253253
 Em ambos, os judeus são apontados como infrutíferos, não produz o fruto

requerido por Deus;

 Em ambos, a árvore está prestes a ser cortada.

Qual é o fruto digno do arrependimento? Qual o fruto que certo homem foi procurar na figueira e

não encontrou? Porque o machado está posto a raiz das árvores?

Jesus demonstrou certa feita que os escribas e fariseus pareciam justos aos olhos dos homens,

tendo em vista o regramento e a moral deles, porém, eram hipócritas, visto que, no interior

estavam plenos de iniquidade “Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas

interiormente estais cheios de hipocrisia e de iniquidade” ( Mt 23:28 ).

Como a figueira produziria fruto? Ele dá a resposta: “… de mim é achado o teu fruto” ( Os

14:8 ).

Que fruto Deus esperava encontrar na figueira? Ele dá a resposta: É o fruto dos lábios que Deus

cria “Eu crio os frutos dos lábios: paz, paz, para o que está longe; e para o que está perto, diz o

SENHOR, e eu o sararei” ( Is 57:19 ).

 Mas, para a ‘figueira’ produzir fruto, necessariamente os israelitas teriam que

estar ligados à videira verdadeira, pois Cristo mesmo diz: “Eu sou a videira, vós as

varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada

podeis fazer” ( Jo 15:5 ).

O vinhateiro estava cuidando da figueira há três anos, porém, quando o dono da vinha veio

verificar se havia fruto na figueira, não encontrou. Por que não produziam fruto? Porque

rejeitaram a Cristo, o fruto dos lábios, que é boas novas de paz aos que estão longe (gentios) e

aos que estão perto (judeus).

O fruto proveniente de Deus, os judeus rejeitaram. Não quiseram estar ligados a Oliveira

verdadeira ( Ef 2:17 ).

254254254254254254
O fruto dos lábios que os judeus produziam era: ‘para que o homem possa ser salvo é necessário

tornar-se um prosélito, circuncidar-se, cumprir a lei e seguir os ritos’. Na condição de prosélito

(convertido ao judaísmo), o homem passava a declarar que era salvo por ser um dos

descendentes de Abraão “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que percorreis o mar e a

terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes

mais do que vós” ( Mt 23:15 ; Ex12:48 ).

Ao aceitarem o ensinamento judaico, os prosélitos eram circuncidados e faziam a oferta de

sacrifício segundo a lei, rito importante para os judeus, considerado como um novo nascimento,

o início de uma nova vida, que ali estava mais um filho de Abraão. Porém, este era o maior erro

deles, pois não eram filhos de Abraão e induziam as pessoas a erro, tornando-as duas vezes mais,

filhas do inferno. Por quê? Porque, além de serem descendentes da carne de Adão e, portanto,

filhos da desobediência e da ira, agora acreditavam que eram filhos de Abraão.

O fruto que deviam produzir era confessar e professar o nome de Cristo do mesmo modo que o

apóstolo Pedro professou diante da multidão: “E em nenhum outro há salvação, porque também

debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos”

( At 4:12 ).

Os escribas e fariseus professavam que eram filhos de Deus por serem descendentes da carne de

Abraão, e diante da mensagem: Arrependei-vos, por que é chegado o Cristo, não mudaram a

concepção ( Mt 3:9 ). Os judeus permaneceram apresentando uma religião enraizada na lei

mosaica, elevada moral e comportamento ascético, o que atraía muitas pessoas.

Se houvessem verdadeiramente ‘arrependido’ (metanoia), teriam mudado de concepção e

aceitariam o Cristo ( Jo 8:33 ). Não seriam cortados, porque se professassem o nome de Jesus

como salvador, seriam plantação de justiça “A ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê

glória em vez de cinza, óleo de gozo em vez de tristeza, vestes de louvor em vez de espírito

angustiado; a fim de que se chamem árvores de justiça, plantações do SENHOR, para que ele seja

glorificado” ( Is 61:3 ), pois somente seria cortada a planta que o Pai não plantou: “Ele, porém,

255255255255255255
respondendo, disse: Toda a planta, que meu Pai celestial não plantou, será arrancada” ( Mt 15:13

).

A figueira, que representa o povo cujo machado já estava posto à raiz, foi cortada, pois não

produziu o fruto digno de arrependimento. Apesar de o vinhateiro ter cuidado da figueira, a

mesma não produziu o fruto esperado: os filhos de Jacó deveriam anunciar ao mundo que Cristo

é a paz com Deus, tanto para judeus quanto para gentios, ou seja, não mudaram de concepção.

O Fruto esperado

O povo de Israel não se arrependeu e crucificou o Messias, e continuaram com a Torá e obrigados

a seguir as mais variadas formas de moral e ética dogmáticas.

Entendo a moral como sendo um fenômeno sociocultural, surge a pergunta: o evangelho de Cristo

é moralista? Jesus veio trazer uma nova moral, ou boas novas de salvação a humanidade? Porque

os judeus foram rejeitados, se moralmente eram superiores aos povos circunvizinhos?

Certo é que Cristo não veio resgatar o homem de uma vida moralmente desamparada e carente

de parâmetros morais convenientes, antes veio livrá-lo da servidão do pecado, que é uma

condição imposta pela ofensa de Adão à lei de Deus no Éden. Por causa da desobediência todos

pecaram e destituídos foram da glória de Deus, e a missão de Cristo é conduzir muitos filhos a

glória de Deus.

As leis, a consciência, a sociedade, as religiões e a filosofia já desempenham papel relevante no

campo moral, porém, nada podem fazer quanto à salvação da condenação eterna.

256256256256256256
Não são estes frutos (no plural), que Deus quer que o homem produza ao estar ligado na Oliveira

verdadeira. Deus busca um único fruto, e é o fruto que provem d’Ele, pois Ele diz: de mim vem o

seu fruto! E qual é o fruto? É a mensagem de paz para os que estão longe e os que estão perto.

O fruto que o crente produz é o fruto dos lábios que professam a Cristo. Este fruto (singular) que

somente o crente produz, possui no seu interior a semente incorruptível, que é a palavra de

Deus. O fruto que o crente produz é vida, pois através dele é que se ganha almas para o reino de

Deus “O fruto do justo é árvore de vida, e o que ganha almas é sábio” ( Pr 11:30 ).

Boas ações todos os homens podem produzir, pois Jesus demonstrou que, até mesmo os fariseus

sendo maus sabiam dar boas dádivas aos seus semelhantes. Porém, o fruto dos lábios que

professam a Cristo, somente os que creem segundo as escrituras podem produzir por estarem

ligados a Oliveira verdadeira.

Quando professa a mensagem da cruz, a língua do justo é como prata escolhida, que servirá o

fruto precioso, que é salvação em tempo oportuno “Prata escolhida é a língua do justo; o

coração dos perversos é de nenhum valor” ( Pr 10:20 ); “Como maçãs de ouro em salvas de prata,

assim é a palavra dita a seu tempo” ( Pr 25:11 ).

O bom comportamento tem o seu campo de aplicação na vida do cristão, visto que através de um

bom comportamento evita-se o escândalo, como bem alertou o apóstolo Paulo “Portai-vos de

modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gregos, nem à igreja de Deus” ( 1Co 10:32

).

Porém, não é o bom comportamento que produz vida, pois o homem só viverá através de toda

palavra que sai da boca de Deus. É Cristo que concede vida, e não a moral e o comportamento

humano.

Jesus disse: “Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para

sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo” ( Jo 6:51 ), ou

seja, o que dá vida é a palavra de Deus, e todos que estão ligados n’Ele produzem muito fruto:

257257257257257257
“Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis

fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele

vo-lo conceda” ( Jo 15:16 ).

O fruto é uma determinação de Cristo: vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça! Qual o

fruto que permanece? A palavra de Deus que o cristão anuncia é o fruto que permanece para

sempre “Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente” ( Hb 13:8 ); “Portanto,

ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o

seu nome” ( Hb 13:15 ), pois Cristo é a semente incorruptível que permanece para sempre.

Os frutos do Platonismo e Aristotelismo

A palavra grega traduzida por arrependimento é ‘metanoia’, que significa especificamente

‘mudança de pensamento’, ‘mudança de entendimento’, ‘mudança de compreensão acerca de

uma matéria’. Tal palavra era usada pelos gregos, muito antes de constar dos evangelhos.

Porém, já no fim do IV século a palavra grega ‘metanoia’ foi traduzida para o latim como sendo

‘paenitentia’, imprimindo ao termo certo dogmatismo: ‘façam penitencia’.

Tal tratamento à palavra ‘metanoia’ deriva de influências proveniente do neoplatonismo de

Plotino, que em seguida foi reafirmado com forte influência pelo aristotelismo, posicionamento

filosóficos que infundiram uma forte carga moral no cristianismo.

E na reforma, quando se acredita que houve uma mudança radical na forma de pensar o

cristianismo, ou seja, um retorno ao evangelho primitivo, os reformadores, fortemente

influenciados pelo Humanismo, visto que voltaram a se socorrer da dita ‘pureza da antiguidade

Clássica’, foram remetidos à cultura helenística, o que paralelamente ocorreu com o movimento

cultural Renascentista.

258258258258258258
O pensamento socrático ‘conheça a ti mesmo’ passou a estar relacionado com o conhecimento de

Deus no período medieval, porém, o humanismo renascentista impôs o duplo-conhecimento,

como se vê refletido nas Institutas da Religião Cristã do reformador protestante João Calvino,

onde o conhecimento de Deus e o conhecimento de si mesmo necessariamente estão conectados.

Durante a reforma, o termo ‘metanoia’ e outros, como ‘anagnorisis’ (reconhecimento) e

‘peripeteia’ (reversão), que foram empregados por Aristóteles na obra ‘A Poetica’, foram mal

compreendidos em decorrência de paradigmas firmados no platonismo. A má interpretação não

atingiu somente a reforma, mas afetou também a produção artística do movimento cultural

renascentista.

Alguns pensamentos distorcidos, já nos primeiros séculos, tornaram-se paradigmas,

principalmente o sacramento da confissão, o que remete à ‘penitencia’, o que traduziram por

arrependimento.

No pensamento Renascentista, que fez uma releitura da ‘anagnorisis’, o reconhecimento que

envolve o herói das tragédias gregas clássicas, entenderam que o herói trágico quando

confrontado com a culpa da sua conduta imoral, acabava aceitando a culpa e curvando-se às suas

consequências. Nesta releitura renascentista, quando o herói trágico aceita a culpa é levado a

‘peripeteia’ (reversão – o que denominaram de a volta de 180 graus na condição do herói), que

externamente se dava pelo sofrimento e internamente pela graça.

Porém, nas tragédias gregas, a ‘anagnorisis’ representa uma simples admissão do herói trágico

reconhecendo a verdade que lhe era apresentada, ou seja, o herói toma posse de uma

compreensão dos eventos que o cercava como nunca tivera antes. O herói acabava se

expressando da seguinte forma após a ‘anagnorisis’: “Finalmente compreendo” ou “Eu que

estava cego agora vejo”, o que não coaduna com o pensamento divulgado pela cristandade e

pelo movimento cultural renascentista, que acabou mesclando ‘peripeteia’ com questões de

cunho moral e modos de penitencia.

259259259259259259
Diferente das peças teatrais gregas (tragédias), só a ‘anagnorísis’ cristã/renascentista tornaram-

se carregadas com imperativos morais.

No período da reforma surgiram correntes teológicas como o puritanismo (moralista, austera,

rigidez nos costumes, especialmente quanto ao comportamento sexual) e o pietismo (ênfase na

necessidade de conversão individual acompanhada do nascer de uma nova conduta no crente,

desapegada do mundo material e firmada no apoio mútuo da comunidade, tendo por base uma

moralidade ascética, especialmente no que tange à alimentação, vestimenta e lazer).

Seria este o arrependimento exigido? No arrependimento bíblico há a volta de 180 graus,

conforme a leitura dos Renascentistas? Qual o objetivo de terem mesclado o significado do termo

‘metanoia’ com o termo ‘peripeteia’?

‘Anagnorisis’ é uma mudança de ignorância para conhecimento, e vincula-se ao enredo e a ação

trágica, o que causa a ‘peripeteia’ (reversão) nas circunstâncias do herói, que passa da fortuna

para o infortúnio, da felicidade para a infelicidade, o que não implica e não há relação com

‘metanoia’ (arrependimento).

Jesus e os discípulos apregoaram o arrependimento (metanoia), sem referência a qualquer

‘peripeteia’, ou seja, a volta de 180 graus, algo que só aparece nas tragédias gregas e, que não

se vincula a ‘metanoia’ apregoada nos evangelhos.

Debaixo da bandeira católica romana, alguns teólogos filósofos passaram a considerar a relação

liberdade ‘versus’ mal, principalmente com relação à origem e natureza do mal. Santo Agostinho

(354-430 d. C.), já influenciado pelo maniqueísmo na sua juventude, cujo postulado é a

existência de dois princípios ativos, o bem e o mal, segue o postulado de Plotino, de que o mal é

a ausência de bem, uma privação, uma carência, o que influenciou sobremaneira a cristandade

nos séculos seguintes.

Em ‘A Cidade de Deus’, Santo Agostinho adota a postura de um filósofo da história universal e a

sua atitude é, sobretudo moralista, indicando que há dois tipos de homens: os que se amam a si

260260260260260260
mesmos até ao desprezo de Deus (estes são a cidade dos homens) e os que amam a Deus até ao

desprezo de si mesmos (estes são a cidade de Deus).

Neste sentido, Santo Agostinho vê a impossibilidade de o Estado chegar a uma autêntica justiça

se não primar pelos princípios ‘morais’ do cristianismo, o que leva a Igreja ter primazia em

relação ao Estado, o que debilita o Estado perante a Igreja.

Quase um milenio após, São Tomás de Aquino (1225-1274 a. C.) também se envereda pelo campo

da moral, porém, distingue-se do agostinianismo, e estabelece a moral tomista, que é

essencialmente intelectualista, ao passo que a moral agostiniana é voluntarista. Deste modo, agir

moralmente segundo o tomismo é agir racionalmente, em harmonia com a natureza racional do

homem.

A despeito de vários movimentos pré-reforma que datam desde o século XII, a reforma só veio no

século XVI, porém, foi agregada a reforma forte carga moral, pois mais uma vez foi redefinido os

padrões da moral e ética cristã, o que culminou em movimentos de cunho moral como pietismo e

puritanismo.

Segundo o idealismo platônico, a ascese servia para aproximar a pessoa (o asceta) da verdadeira

realidade espiritual e ideal, desligando o homem da imperfeição e materialidade do corpo. A

religiosidade dita cristã vinculou os desejos corporais à ideia de pecado, o que deveria ser

refreado a todo o custo, caso se pretendesse atingir a santidade, algo semelhante ao imposto ao

asceta.

O cristão seria um asceta? O pecado é alienação de Deus e tem relação com os sete vícios

capitais?

O asceticismo é um fruto proveniente do platonismo e do aristotelismo, e o apóstolo Paulo deixa

claro que este não é o fruto que as varas ligadas a videira verdadeira produz “Se, pois, estais

mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ordenanças,

como se vivêsseis no mundo, tais como: Não toques, não proves, não manuseies? As quais coisas

261261261261261261
todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrinas dos homens; As quais têm, na verdade,

alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade, e em disciplina do corpo,

mas não são de valor algum senão para a satisfação da carne” ( Cl 2:23 ).

Contexto histórico da Parábola da Figueira Estéril

No capítulo 13 do Evangelho de Lucas, assim como no final do capítulo anterior (12), nitidamente

percebemos uma ênfase no ensino sobre a necessidade da conversão. Também é possível

entender que Jesus contou essa parábola durante Sua viagem final para Jerusalém (Lc 13:1).

O contexto histórico da narrativa de Jesus é o triste episódio envolvendo a ordem de Pilatos

para matar alguns galileus. Pelo relato de Lucas, podemos entender que algumas pessoas

naturais da Galileia peregrinaram até Jerusalém para oferecerem sacrifícios no Templo. De

repente, por ordem de Pilatos, aquelas pessoas foram assassinadas.

O texto nos informa que, de alguma forma, o sangue daquelas pessoas foi misturado com o

sangue de seus sacrifícios (Lc 13:1). Além do que foi registrado por Lucas, nada se sabe sobre o

que de fato ocorreu.

Não sabemos qual foi a motivação para a ordem de Pilatos. Alguns sugerem que esses galileus

faziam parte de um grupo nacionalista que se opunha de forma intensa ao governo romano,

porém essa teoria é apenas uma mera especulação.

O importante sobre esse relato é que pelas palavra de Jesus podemos perceber que as pessoas

que estavam ao redor do Senhor não interpretavam esse evento como um ato de crueldade por

parte de Pilatos, ao contrário, eles achavam que aqueles galileus foram vitimas do castigo divino

por conta de seus pecados (Lc 13:2,3).

Esse tipo de entendimento que relacionava o sofrimento com o pecado pessoal era comum entre

os judeus. Um exemplo disso é a própria história de Jó, onde seus amigos associaram o

262262262262262262
sofrimento enfrentado por ele com o castigo divino por seus pecados (Jó 4:7; 8:20; 11:6; 22:6-10;

cf. Jo 9:2).

Porém, Jesus reprovou completamente esse conceito ao afirmar que aqueles galileus mortos não

eram, necessariamente, maiores pecadores que os demais galileus, e enfaticamente adverte seus

ouvintes: “[…] mas a menos que se convertam, todos vocês igualmente perecerão” (Lc 13:3).

É possível também que na época os judeus associaram a origem das vítimas, a Galileia, como um

fator contribuinte para tal punição. Devemos nos lembrar que existia preconceito entre os judeus

de Jerusalém e os galileus.

Jesus então continuou seu discurso refutando claramente essa ideia. Ele fez isso citando um desastre na

Torre de Silóe que matou dezoito pessoas. Essa torre ficava próxima ao Tanque de Silóe, e num

determinado dia ela desabou e matou um grupo de pessoas.

O interessante é o detalhe da narrativa de Jesus. Se no outro evento foram os galileus que

morreram, nesse desastre com a torre foram os moradores de Jerusalém. Mais uma vez Jesus

enfatizou a sentença: “[…] mas a menos que se convertam, vocês semelhantemente perecerão”

(Lc 13:5).

Resumo e explicação da Parábola da Figueira Estéril

Considerando o contexto apresentado acima, não é difícil entendermos a Parábola da

Figueira Estéril. Jesus contou nessa parábola que um homem tinha uma figueira planta em sua

vinha, e quando foi procurar fruto nessa figueira ele não encontrou.

Era comum entre os judeus que figueiras fossem plantadas em vinhas. Isso também significa que

quando plantadas nas vinhas, as figueiras recebiam cuidados especiais.

Jesus também nos informa que o homem havia procurado por frutos na figueira durante três

anos, e nada tinha encontrado. É importante entender que não se tratavam dos primeiros três

anos de vida daquela figueira.

263263263263263263
Vale lembrar de que na Lei de Moisés havia uma condição de que apenas a partir do quinto ano

os frutos de uma árvore poderiam ser consumidos. Os frutos dos três primeiros anos deveriam ser

descartados, e os frutos do quarto ano deveriam ser ofertados ao Senhor (Lv 19:23-25).

Logo, aquele homem estava procurando frutos na figueira no quinto, sexto e sétimo ano, mas não

os encontrou. Então ele ordenou ao viticultor para que cortasse a árvore. Além disso, ele

também fez uma observação interessante: “Por que deixá-la inutilizar a terra?” (Lc 13:7).

Aqui percebemos que aquela árvore não era apenas inútil, ela era pior do que isto. Além de não

produzir fruto a figueira estéril causava prejuízo, pois ocupava o espaço no solo que poderia

ser utilizado de uma forma melhor, e também suas raízes absorviam os nutrientes da terra

prejudicando as demais plantas que estavam ao seu redor.

Então o homem que cuidava da vinha pediu para que o proprietário tivesse só mais um pouco de

paciência, e esperasse mais um ano. Durante esse prazo ele iria adubá-la e se ela não produzisse

fruto a figueira poderia ser cortada.

Lendo o diálogo entre o viticultor e o dono da vinha, podemos perceber que o viticultor

demonstrava um interesse especial naquela figueira estéril. Ele não só pediu para que ela não

fosse cortada, como também se comprometeu a fazer tudo o que tivesse ao seu alcance para que

a árvore pudesse produzir.

A parábola termina é nada é dito se a figueira finalmente produziu fruto ou se foi cortada.

Claro que isso foi intencional, ou seja, com isso, Jesus propôs que cada um analise sua própria

vida, se somos como uma figueira estéril ou se somos como árvores frutíferas.

Qual o significado da Parábola da Figueira Estéril?

É possível que exista um significado simbólico na figura da figueira plantada na vinha. Tanto a

videira quanto a figueira, tinha um papel importante para os judeus, de modo que no Antigo

Testamento várias vezes a prosperidade de Israel ou sua reprovação foi indicada com referências

à essas árvores (1Rs 4:25; Mq 4:4; Jr 8:13; Os 9:10; Hc 3:17; cf. Is 5:1-7).

264264264264264264
Assim, podemos entender que a figueira plantada em uma vinha é uma figura da posição

privilegiada que Israel desfrutou na antiga dispensação. No entanto, esse privilégio também

trouxe responsabilidade, e sabemos que Israel, como nação, não respondeu a esse privilégio e

não se voltou para o Senhor (Lc 20:16; 21:20-24).

Portanto, a falta de figos na figueira simbolizava a reprovação de Deus e seu juízo iminente: se

não produzisse fruto a figueira seria cortada. O significado central dessa parábola não se

resume apenas a Israel, mas a todos que ouvem e leem essas palavras de Jesus.

Essa parábola nos mostra a verdade de que se um simples homem se importou com a figueira

estéril de tal modo que se comprometeu a trabalhar nela por mais uma ano, mais ainda Deus se

importa com o homem e se mostra magnânimo e paciente. Porém, Sua paciência tem um tempo

limite.

Aqui aprendemos que Deus é misericordioso, mas chegará o tempo em que o dia do juízo

virá. Hoje os homens estão vivendo num tempo de oportunidade, mas chegará o momento em

que a oportunidade de salvação será tirada, a figueira estéril será cortada e se perderá para

sempre.

Assim, o ensino principal da parábola da figueira estéril é que a paciência de Deus resulta em

julgamento ao pecador impenitente. Esse é o mesmo ensino expresso na Epístola aos Hebreus,

quando seu autor escreveu que se toda transgressão e desobediência recebeu justa retribuição,

“como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação” (Hb 2:2,3).

Quando meditamos na Parábola da Figueira Estéril podemos facilmente nos lembrar das palavras

do profeta Isaías:

Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o ímpio o seu

caminho, e o homem maligno, os seus pensamentos e se converta ao Senhor, que se

compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar (Is 55:6,7).

265265265265265265
Quando o tempo permitido pelo Senhor para que o homem se arrependa tiver se esgotado, então

ninguém poderá escapar do juízo de Deus. Essa parábola, sem dúvida, enfatiza a

responsabilidade humana.

Deus é soberano e a Bíblia ensina claramente a doutrina da justificação pela graça mediante a

fé, mas isso não anula a responsabilidade do homem. O homem, depravado e corrompido pelo

pecado, não poderá culpar Deus pela sua negligência. No dia do juízo ninguém poderá reclamar

da paciência e da misericórdia do Senhor, nem mesmo questionar Sua justiça.

GOSTARIA DE SABER...

O que está a acontecer ao mundo? Qual a verdade sobre Deus? O que é realmente a vida? Como

ver satisfeita a minha maior necessidade? O que acontece depois da morte? Qual é a verdadeira

Igreja? Se a sua resposta foi sim, o curso As Grandes Perguntas da Vida foi escrito especialmente

para si. Estas perguntas são abordadas atentamente e respondidas de um modo simples, a fim de

estar ao alcance da compreensão de todos. As respostas, que não são exaustivas nem esgotam o

assunto, vão sem dúvida ajudá-lo nas suas dúvidas e inquietações e constituirão, certamente, um

primeiro passo no seu crescimento e conhecimento espirituais. Este livro usa um interessante

método de auto ensino que facilita a aprendizagem. Siga as instruções e teste-se a si próprio.

266266266266266266
UNIVERSIDADE GLOBAL Instituto de Correspondência Internacional Copywrite 1982, reservados

todos os direitos, Springfield, Missouri, EUA Editor: ICI – Fanhões, Portugal – Maio de 20

HONRA A PORTA DE ACESSO-Livro Ricardo Gimarães

O desejo de Deus é que todos os homens morram como Jesus: Vazios! Tudo o que Jesus tinha ele passou

para os seus discípulos. Mas ao ler o Velho Testamento vemos que embora Eliseu tenha herdado a unção de

Elias, Geazi não pode herdar a unção do seu discipulador Eliseu. E depois que os anos se passaram Eliseu

morreu e carregou toda aquela unção para a túmulo com ele.

As pessoas só perceberam isso, no dia que um soldado morto foi jogado na cova de Eliseu e ao tocar nos

ossos secos do profeta, ressuscitou. Toda aquela unção que estava no túmulo deveria ser depositada sobre

Geazi, Mas Geazi não a pode receber, porque quando ele teve a oportunidade de honrar a Eliseu ele

simplesmente o desprezou e ignorou suas palavras. Talvez, aquele soldado morto nunca entendeu, porque e

para que havia ressuscitado. Mas hoje nós temos a história registrada para mostrar que o propósito de Deus

é que o homem de Deus vá para o túmulo vazio.

A unção precisa ser depositada sobre alguém. E é natural que ela recaia sobre aquele ou aqueles que estão

mais próximos. Todavia, nem sempre acontece dessa forma.

Quando você honra um homem de Deus a unção daquele homem de Deus inevitavelmente recairá sobre a

267267267267267267
sua vida. Portanto, nunca perca a oportunidade de honrar. Não deixe que um soldado morto receba a unção

que deveria ser depositada sobre a sua vida. Lembre-se: a honra abre portas que a fé não consegue abrir!

O que é essencial para a vida DO PASTOR?

1.Orar

2.Pregar.(Ensinar)

3.Multiplicar líderes.

268268268268268268
o “Significado da Ressurreição”.
Texto:

Introdução:

Em primeiro lugar: A ressurreição de Cristo, é a GARANTIA de que A OBRA ESTÁ CONSUMADA.

Vejam queridos, não bastou que ele encarnasse, não bastou que ele expulsasse os demônios, não bastou

que ele curasse os doentes e nem que ele morresse na Cruz do Calvário.

Ele precisava morrer, mas Ele tinha de ressuscitar!

Deus não ordenou no Antigo Testamento, em sua Lei, que o pecador trouxesse o Cordeiro e o deixasse vivo

amarrado ao altar. Tragam o Cordeiro, mas sangue tem de ser derramado.

Porque “Sem derramamento de sangue, não há remissão de pecado”.

Ainda que Jesus tivesse feito tudo que fez, mas não tivesse passado pelo Calvário e por esse Túmulo que

agora está vazio, nós não poderíamos ser salvos pela doutrina de Jesus, pelas idéias, pelos ensinos, pelos

hábitos da “Cristianização”!

Ele teve de morrer, porque nossa salvação nos vem pela sua morte e pela sua ressurreição.

269269269269269269
A segunda coisa que gostaria de considerar é que, TODOS OS INIMIGOS DEVERIAM SER VENCIDOS.

O PECADO como inimigo foi VENCIDO: Durante sua infância, sua adolescência e toda a sua vida adulta, não

houve nele mancha, mácula, e dolo algum se achou em sua boca.

O DIABO como inimigo foi VENCIDO: Foi vencido no céu (quando derribado de lá), foi vencido quando o filho

daquela viúva de Naim foi ressuscitado, vencido na casa de Jairo quando a filha também foi ressuscitada, foi

vencido quando Lázaro foi ressuscitado, MAS, chegou o momento que Jesus teria de ressuscitar por Ele

mesmo (pelo seu próprio poder). Isso porque eu rejeitaria (todos rejeitaríamos) um Salvador que não

pudesse salvar a si mesmo – ele poderia ser rejeitado pelo consenso universal da razão humana – caso fosse

um salvador vencido, impotente, incapaz de efetuar sua própria ressurreição!

Se ele não pode vencer, eu também não posso vencer...

Podemos perambular por todos os túmulos desse mundo e encontrar restos mortais: mas Graças a Deus

aquele túmulo ali adiante, não está fechado: ele está bem aberto, nós podemos entrar e constatar, ELE

RESSUSCITOU! ELE RESSUSCITOU!

Em terceiro lugar: A RESSURREIÇÃO DE JESUS é A CERTEZA DA APROVAÇÃO DIVINA AO SEU SACRIFICIO.

De Jesus, nunca se dirá o que se diz no livro do Gênesis a respeito de José: Ele pediu aos filhos de Israel que

não deixassem seus ossos permanecer na terra do Egito (“e nós vimos um pouco como é lá no Egito”...nota:

basta se cruzar a fronteira e percebe-se a diferença entre Egito e Israel).

Eu não gostaria de ficar nem vivo, e nem morto!

José diz: “Não deixem meus ossos aqui na terra do Egito, levem para a terra prometida”.

A Bíblia Sagrada diz também no livro de Judas, que “O diabo disputou com o arcanjo Miguel o corpo de

Moisés”.

Por que ele reivindicou? Porque em algum momento de sua vida ele fracassou, foi rebelde, errou, pecou Em

algum momento ele falhou em sua missão como líder, ele feriu a rocha!

Vejam bem: De José podem levar seus ossos...

- Satanás, você pode disputar o corpo de qualquer profeta, mas os ossos de Jesus, o Corpo de Jesus não há

disputa – Ele ressuscitou!

Lembram o que acontecia no Antigo Testamento quando o “Sacrifício era Aceito”?

Caía fogo do céu.

270270270270270270
E no caso de Jesus caiu fogo? Sim caiu!

Poucos dias depois de sua ressurreição, estavam os discípulos, a Igreja reunida como Corpo de Cristo, e o Pai

está a dizer: “ponho meu selo sobre a Obra que realizaste na Cruz do Calvário” – Selo com Fogo!

E o fogo está ardendo aqui.

O da “Sarça”, já não está ardendo lá no Sinai, mas o que foi aceso no Pentecostes continua aceso aqui em

nós.

Vamos adiante: A RESSURREIÇÃO DE JESUS É A GARANTIA DE NOSSA PRÓPRIA RESSURREIÇÃO:

Ah! Se não fosse Ele, aos nossos amados que partiram desta vida, teríamos que dizer “adeus” para sempre,

lá ainda estaria o velho santuário com o véu cerrado.

Hoje falava com pastor Teixeira Rego sobre a morte de nosso querido pastor Luiz Costa (que saudosa

memória)...

Mas olhem: Podemos ter absoluta convicção, de que este Jesus que foi a primícias dos que dormem,

ressuscitará a todos aqueles que nele crêem!

Um dia algo mais vai acontecer: no passado foram os discípulos que vieram até aqui e perguntaram: “Onde

está o Corpo dele”?

E alguém disse: “Roubaram o Corpo dele”!?

Algum dia serão os demônios (e os ímpios) que procurarão o outro “Corpo” dele – A Igreja – e não

encontrando dirão: Foi roubado! (Ele virá como o ladrão).

Ele virá para o Arrebatamento!

Mas ainda há uma coisa que me maravilha: dentre tudo isso que foi feito pela Ressurreição – está na cara –

eu sinto, e mais do que sinto, isso tudo está alicerçado sobre comprovações e fatos históricos (e já falamos

sobre isso em outra ocasião). Agora atentem para alguns detalhes (pitorescos): Como Jesus ama as virgens...

Nasceu da virgem Maria,

O jumentinho que entrou montado em Jerusalém nunca havia sido usado,

O Túmulo no qual foi posto, ninguém jamais havia sido enterrado nele, e Ele escolheu para ser a sua “Noiva

Mística”, a Igreja, que se difere da “Prostituta Babilônia do Apocalipse”.

E para que vocês tenham certeza de que estou realmente terminando, vou entregar minha Bíblia nas mãos

do pastor Ozires Teixeira.

Impressiona-me uma última coisa maravilhosa que desejo compartilhar com vocês, e ela é:

271271271271271271
Quando o anjo aproximou-se de Maria, lhe perguntou: “Mulher porque tu choras”?

Ela responde: “Porque levaram o meu Senhor”...

Então irmãos, neste dia eu gostaria de lhes dizer, que só existe uma razão, um único motivo real no mundo

pelo qual você deve chorar (entenda-se viver cabisbaixo, lamentando-se em desespero), e ela é: SE

LEVARAM TEU SENHOR E TU NÃO SABES ONDE O PUSERAM.

Se a vida te levou algo, se a vida tirou algo de você, não chore, levante a cabeça!

Não levou o teu Senhor!

E se a vida não lhe tirou o Senhor (sua fé, sua esperança, sua vitória, sua justificação), ANIMA-TE PORQUE

TUDO É POSSIVEL AO QUE CRÊ!

Porque Ele vive, está de pé.

Aquele que não ficou prostrado, deitado, pode levantar os caídos!

Darckson Lira.

272272272272272272
Parte 1

CURA DA ALMA

1.HISTÓRICO

A "vida abundante" que Jesus ofereceu aos seus seguidores tem sido o objetivo dos mais

dedicados cristãos em todas as épocas. Esta vida com abundância tem sido usualmente entendida

como harmonia interna e liberdade espiritual, mais do que abundância material - por razões

óbvias.

2.A busca por tal liberdade interior tem aparecido sob os mais diversos nomes.

3.O QUE É CURA DA ALMA?

É estender o senhorio e poder de cura de Cristo ao nosso passado, afetando mesmo a nossa

experiência antes da conversão. É portanto nos libertar de qualquer cativeiro emocional e

psicológico que a nossa experiência passada possa ter produzido.

a- É um esforço especial que deve ser feito para curar as feridas interiores, de forma que

possamos ser libertos das diversas coisas que podem constringir e empobrecer as nossas vidas.

273273273273273273
b-O movimento de cura da alma é claramente de natureza pastoral. Desta forma, ele defende

que a "cura das memórias" normalmente ocorra num aconselhamento de base individual, ou em

pequenos grupos. Considera-se essencial que os dons do Espírito Santo estejam em operação,

particularmente os dons de discernimento e cura.

A época em que vivemos é caracterizada pela crescente complexidade da vida em todos os

níveis - econômico, material, moral e intelectual. Dentro disto, nós podemos comentar que a

cura da alma é um fenômeno complexo e altamente variável. Não é possível condená-la

cegamente. É possível, entretanto, identificar e avaliar aqueles elementos que influenciam as

teorias e as terapias dos que praticam a cura interior.

f-"Nossa vida interior é uma parte crítica de nossa identidade pessoal, e portanto a

necessidade para a cura das emoções e memórias sempre fez parte da nossa condição

humana."

4. REDIMINDO A PESSOA INTEGRAL

A queda da humanidade que está registrada em Gênesis capitulo três, introduziu o princípio da

274274274274274274
morte e decadência em todos os níveis da existência humana. O veneno do pecado perpassa cada

poro do nosso ser.

Em seu sofrimento e ressurreição, Cristo venceu a morte - não somente fisicamente, mas de

todas as formas em que somos afetados por ela. Nossa vida interior é uma parte crítica de nossa

identidade pessoal, e portanto a necessidade para a cura das emoções e memórias sempre fez

parte da nossa condição humana.

O ensinamento e ministério de Jesus reconheceram implicitamente esta necessidade, bem como

o fez o alcance da igreja primitiva.

Jesus mesmo falou frequentemente sobre "o coração" (isto é, "a sede oculta da vida emocional")

como fonte de pensamento e ação.

Ele também citou a profecia messiânica de Isaías 61, declarando seu propósito de "restaurar o

coração partido".

Lucas 4:18

O apóstolo Paulo falou repetidamente sobre a renovação da mente no Espírito Santo.

Romanos 12:2; Efésios 4:23

275275275275275275
O encontro na estrada de Emaús em Lucas 24, pode ser visto (entre outras coisas) como uma

forma de "cura das memórias".

Se nós tomarmos este incidente como um protótipo para o exercício válido desta forma de

ministério, vários critérios podem ser vistos.

Se esta forma de cura tem sustentação bíblica, ela não se referirá primariamente às cicatrizes

emocionais e traumas psicológicos da infância.

Muito mais, ela tomará uma perspectiva mais ampla, lidando radicalmente com todas as forças

da ansiedade, medo e incredulidade que produzem pensamento e comportamento anti-bíblico.

O ponto central da cura da alma nesta perspectiva mais ampla é a morte sacrificial de Jesus e

sua vitória através da ressurreição sobre o pecado e a morte, exatamente como aconteceu na

estrada de Emaús.

276276276276276276
Deste ponto-de-vista, a cura alma é muito menos um fim em si mesma e muito mais um passo

preliminar que capacita o cristão a conseguir a libertação e a maturidade espiritual, deixando de

lado a forma egoísta e infantil de viver.

Gálatas 5.1; I Coríntios 13:11-12

Os discípulos, apóstolos e crentes do primeiro século conheciam o Cristo crucificado e ressurreto

como Senhor de toda a história - cósmica (Cl. 1:15-23), racial (Ef. 2:11-20) e pessoal (Hb. 9:14).

À medida em que eles seguiam Seu exemplo e a promessa de Sua eterna presença, eles eram

libertos (e libertavam outros) do pecado, da doença física e psicológica e dos problemas

emocionais, bem como do medo da morte e da falta de esperança que ela produz.

Foi-lhes dada radicalmente uma nova base para a auto-estima, a qual não está baseada na

mentira, ira ou outras formas de autoafirmação. Esta nova base desafiou tanto a religião

farisaica como sensualidade desenfreada.

277277277277277277
PARTE 2

278278278278278278
PSICOLOGIA DA PESSOA INTEGRAL

Existe comunhão entre psicologia e o Cristianismo? Esta questão, em seu sentido mais amplo,

escapa do objetivo do nosso assunto. Entretanto, o assunto é pertinente, desde que muito da

"cura interior" está baseada em visão secular de como a nossa personalidade é formada e

influenciada.

Muitos elementos da psicologia secular, entretanto, são mais ambíguos; alguns são frontalmente

contrários ao pensamento bíblico. Sigmund Freud é a maior fonte de tendência a se enfatizar o

trauma infantil.

Carl Jung foi seu aluno e colega que se envolveu superficialmente com ocultismo. Sua

abordagem sistemática à compreensão da natureza da mente inconsciente se tornou influente

nos anos 60 e 70.

Muito dos conceitos de Jung têm sido empregados num modelo "carismático" por pessoas como

John Sanford e Morton Kelsey.

Portanto, Freud e Jung (para não mencionar outros) indiretamente ajudaram a delinear muitas

das pressuposições do movimento de cura da alma. Além do mais, algumas das técnicas utilizadas

para resgatar memórias têm sido tomadas de empréstimos de terapias seculares.

"Alguns praticantes da cura interior...não somente têm adotado um sub-modelo da natureza

279279279279279279
humana; eles têm permitido que os próprios modelos se tornem parâmetros de interpretação da

Bíblia."

Ao indivíduo que está buscando sua cura será pedido que reviva seu passado através da

imaginação. Isto geralmente envolve um "retorno" ao ponto-problema - um encontro traumático

ou assustador que moldou a auto-imagem e o comportamento da pessoa e também porque este

ponto se alojou em camadas profundas de sua psique.

À medida em que o "paciente" imaginativamente recria o ponto-problema, com toda sua

intensidade emocional, eles dizem ao paciente para imaginar que Jesus está lá (naquela

situação). Presume-se que a presença imaginativa de Jesus traga Seu amor e poder de cura para

relacionamentos perturbados com os pais e companheiros, os quais são muito poderosos para que

o indivíduo dê conta dos mesmos sozinho.

ALGUNS PARÂMETROS PARA O DISCERNIMENTO

À medida em que consideramos estes fundamentos, teorias e técnicas, e tentamos pesar suas

implicações, nós devemos ter me mente alguns fatores críticos. A cura do "interior do homem" é

uma premissa biblicamente demonstrável.

280280280280280280
Por esta razão, nós precisamos abordar algumas ideias e métodos sobre cura interior com

cautela. A admoestação de Jesus a seus discípulos de que fossem "prudentes como as serpentes e

símplices como as pombas" (Mt. 10:16) nos colocará numa posição bem firme para que sejamos

capazes de identificar as influências sub-cristãs sem sermos influenciadas por elas.

A ênfase exagerada numa certa técnica na vida espiritual facilmente se torna uma tentativa de

manipulação psíquica, um esforço de produzir uma experiência ou um encontro com Deus. Não

há nada de intrinsecamente errado em se utilizar a imaginação na oração, mas a dependência de

invocação imaginativa de imagens religiosas pode se tornar insana. O uso do termo "visualização

de fé" não batiza semanticamente tais práticas.

Os produtos da imaginação podem também ser convenientemente trazidos para o campo do

desejo e do ego, enquanto que o Cristo vivo não pode.

Nestas formas exageradas, a visualização da fé cria um "video-interior de Jesus", o qual pode

ser manipulado para quase qualquer sentido.

Da mesma forma, devemos estar atentos para os modelos psicológicos que se baseiam em visões

anti-bíblicas da natureza humana. É também necessário identificar e rejeitar tecnologias

terapêuticas que são utilizadas para sustentar tais modelos. Alguns praticantes de cura interior,

infelizmente, não somente têm adotado um sub-modelo da natureza humana; eles têm permitido

que os próprios modelos se tornem parâmetros de interpretação da Bíblia. Tais práticas fogem da

essência da fé em Jesus.

Os esforços de se voltar para o interior para encontrar a globalidade, pode levar-nos à "dimensão

281281281281281281
divina interna" do misticismo Neoplatônico ou aos "arquétipos" do inconsciente coletivo de Jung.

Em ambos os casos, bem como num grande número de casos similares, o sujeito que busca

termina ofuscado por um subjetivismo, o qual é racionalizado com termos originários da

metafísica oriental e da psicologia humanística.

Neste ponto, uma mudança da verdade bíblica para especulações humanas se torna base para

uma séria confusão sobre a natureza da cura e, mais importante, sobre a natureza do praticante

da cura.

Neste ponto o autor diferencia a cura interior, cura das emoções, e da cura da alma, cura

integral do ser humano no que diz respeito ás práticas de tratamento e procedimentos bíblicos

com relação ao assunto das ciências e dos métodos usados por elas e suas linhas de defesa.

UMA QUESTÃO DE PRIORIDADES

É razoável assumir que os problemas psicológicos e emocionais a que a igreja primitiva se referia

eram tão complexos como os de hoje. Nós também vamos assumir que as soluções que ela

aplicava são tão funcionais para hoje como eram no primeiro século.

282282282282282282
Não havia nenhuma necessidade de se renunciar à visão Escriturística da condição humana ou de

Jesus Cristo, a fim de fazerem estas soluções funcionarem.

A imposição de mãos, a unção com óleo, a confissão mútua e a meditação direcionada eram

alguns dos métodos empregados para produzir ambos, a cura interna e a cura externa. Os

apóstolos foram estranhamente silenciosos, entretanto, sobre qualquer necessidade de reviver

experiências relacionadas com a infância, ou sobre a prática de esfaquear o pai na imaginação,

como alguns praticantes de cura interior têm aconselhado aos seus clientes.

Com certeza, há abundantes benefícios psicológicos em se colocar Jesus como o centro radical

de nossas vidas e afetos - mesmo acima e além de nossos laços familiares.

Nós também somos chamados, entretanto, a meditar sobre coisas que estão acima e, de alguma

forma é bom que se diga, que não estão nutrindo ressentimentos ou usando a nossa liberdade

como desculpa para o mal.

Efésios 4:26; I Pedro 2:16; Gálatas 5:1

Existe uma considerável distância entre confessar a presença de um desejo negativo e

dramaticamente realizá-lo - mesmo que na fantasia. Nós devemos evitar confundir o sagrado com

a saúde. A cura da psiquê e emoções pode ser uma importante parte do nosso crescimento em

direção à espiritualidade.

283283283283283283
Entretanto, ela não deve ser superestimada em detrimento de outros aspectos da santidade,

nem deve se tornar um substituto deles. Nós devemos nos guardar da ideia de que os cristãos

estão isentos de toda sorte de enfermidades, doenças e tentações e que, qualquer ocorrência

deste tipo seja um ponto negativo em nossa condição espiritual.

Por outro lado, é importante não perder de vista as variadas maneiras pelas quais Deus provê

libertação de coisas que nos impediriam viver plenamente em Cristo.

AS MARCAS DA INTEGRIDADE ESPIRITUAL

Cura espiritual pode ser considerada como tendo base bíblica. Se assim for, ela deve ser

reconhecida como uma parte integral de nossa vida cristã.

Três principais pontos nos ajudarão a discernir a consonância bíblica de cada forma em

particular, de cura interior. Todos os três pontos são vitais para um entendimento equilibrado e

seria desaconselhável isolar ou superestimar qualquer um destes elementos.

Primeiro: A cura espiritual deve tocar o problema na sua fonte.

284284284284284284
O indivíduo deve ser liberto da prisão de uma memória em particular e do falso significado

atribuído a ela. As feridas emocionais causadas pelo incidente que forçou a repressão de sua

memória deve ser curada.

Paulo fala de Deus como o Pai da compaixão (I Co. 1:3-4) e também enfatiza que a provisão do

sangue de Cristo é um aspecto da Sua perfeita sabedoria (Ef. 1:7-8). De fato, é a "contínua

aspersão do Seu sangue" que guarda o coração e a consciência das "palavras mortas" (Hb. 9:14;

10:22) e nos liberta do cativeiro emocional destas palavras a fim de que possamos servir ao Deus

vivo.

Segundo: A cura espiritual deve quebrar padrões de respostas habituais e comportamentos

que foram gerados em reação a um trauma inicial.

A pessoa que está sendo curada deve cooperar ativamente neste processo, ao invés de reagir

passivamente à instruções e manipulações do que ministra a cura interior.

Toda Redenção envolve o fazer escolhas e o exercício da nossa vontade. Uma vez que fomos

convocados ao arrependimento e renovação, somos também chamados a abandonar velhas

formas de responder às pessoas e circunstâncias (Cl. 3:12-17; I Pe 2:1-3). Nós devemos portanto

aprender novas atitudes e formas de lidar com estas situações (Ef. 4:22-24; I Pe. 1:5-9).

285285285285285285
Terceiro: A cura espiritual deve produzir mudanças pessoais que sejam compatíveis com a

revelação das Escrituras, do nosso novo ego (eu) em Cristo. Isto deve estar combinado com

uma ênfase na confiança do que Deus nos diz sobre nós mesmos, mais do que nossos

sentimentos podem dizer.

A postura bíblica sobre a nossa natureza é, com certeza, uma avaliação verdadeira e mais

confiável do que a feita por nossos medos, iras e memórias, sem mencionar as acusações do

Adversário.

Romanos 8:1-2

A cura da alma deve nos ajudar a sermos reeducados (através da palavra de Deus) acerca de

quem somos em Cristo. Uma vez que entendemos como Deus nos vê, bem como a provisão que

Ele fez para o nosso crescimento, nós começaremos a desenvolver uma auto-estima que

corresponde precisamente à nossa confiança na justiça de Cristo, mais do que em nossa própria.

Romanos 12:3

Nós não temos que abandonar o ponto-de-vista bíblico ou o compromisso com o senhorio de

Cristo a fim de podermos nos beneficiar da cura da alma. De fato, se tal necessidade for expressa

ou se está implícita, é aconselhável reconsiderar a validade dos fundamentos que têm sido

colocados.

Jesus mesmo reconheceu o dilema fundamental da humanidade, bem como suas secundárias

286286286286286286
implicações emocionais e psicológicas. Ele reconheceu o problema de se atingir auto-estima

diante em ambiente hostil e uma consciência igualmente hostil que foi imperfeitamente moldada

por influências imperfeitas durante os anos de formação da pessoa.

A consciência ainda não-redimida se torna um entrave na condição psicológica, o qual

inevitavelmente produz sua própria dissolução (Rm. 8:6). Jesus sugeriu ao homem que a vida

entregue a Ele e o fato de seguirmos seu exemplo - mesmo a sua morte como mártir - é uma

carga mais fácil de ser suportada do que se lutarmos com as nossas próprias forças. (Mt. 11:28-

30).

287287287287287287
Diga: “Ainda que eu não tenha tudo o que preciso ter, Deus irá suprir

aquilo que eu ainda não tenho”.

e) Gideão ainda luta contra a verdade e dá outra resposta negativa – V.15

“Replicou-lhe Gideão: Ai, senhor meu, com que livrarei a Israel? Eis que a

minha família é a mais pobre em Manasses, e eu o menor na casa de meu

pai”.

A auto-imagem negativa às vezes está tão arraigada em nós que lutamos

contra a verdade de Deus.

Complexo de inferioridade.

Crise de habilidade.

288288288288288288
Crise de credibilidade consigo mesmo.

Pecados conseqüentes da baixo-estima e auto-imagem negativa:

Incredulidade, revolta, omissão, murmuração, desespero, desânimo.

f) Deus investe novamente com uma Promessa – V.16

“Tornou-lhe o Senhor: Porquanto eu hei de ser contigo, tu ferirás aos

midianitas como a um só homem”.

g) Gideão começa a mudar a fonte da sua auto-imagem e uma nova

perspectiva - V.17.

“Prosseguiu Gideão: Se agora tenho achado graça aos teus olhos, dá-me

um sinal de que és tu que falas comigo”.

Deus te trouxe aqui neste reencontro, para que você exponha toda sua

insegurança, e para que você saia daqui com a certeza de que TUDO DE

DEUS TEM PARA FAZER E TUDO QUE DEUS QUER DE VOCÊ.

- Os complexados e medrosos sempre querem uma prova a mais de que

vão conseguir.

- Deus já tem lhe dado provas de que está contigo.

- Deus quer que você olhe para Ele. Seu caráter é a fonte de nossa

identidade!

289289289289289289
290290290290290290
291291291291291291
VENCENDO AS BATALHAS DA MENTE

Texto: Fl 4.8 - "Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é

justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há

algum louvor, nisso pensai".

Texto Complementar: Ef 6.10-18

Introdução: Há um ditado que diz: “Mente vazia é oficina do diabo”. Isto na verdade é uma realidade,

porque as maiores batalhas espirituais que enfrentamos é no campo chamado mente. A nossa mente

contém um filtro pelo qual passam todas as informações que vão para a nossa alma. Se o filtro da nossa

mente não estiver lavado e purificado com o sangue de Jesus, e não estiver cheio da palavra de Deus, toda

sujeira entrará na nossa alma e a contaminará.

I-A NOSSA MENTE, LOCAL DE DECISÕES - Onde decidimos:

1 - Servir a Deus ou ao diabo

2 - Fazer a vontade do mundo ou a de Deus

3 - Ser vencedor ou um derrotado

4 - Mentir ou dizer a verdade

5 - Ser um crente cheio do Espírito Santo ou um crente medíocre

6 - Ser abençoado ou ser amaldiçoado

II-NO CAMPO DA MENTE É QUE NÓS NOS DECLARAMOS DERROTADOS OU VITORIOSOS.

1 - Você prefere crer na palavra de Deus ou nas mentiras do diabo? Jo 8.44 - "..., porque é mentiroso, e pai

da mentira".

2 - Você será o produto daquilo que você imagina e declara a seu respeito. Pv. 23.7 - "Porque, como

imaginou na sua alma, assim é..."

3 - Se sua mente estiver cheia de Deus e da sua palavra, certamente você terá pensamentos bons a seu

292292292292292292
respeito e a respeito das pessoas. Zc 8.17 - "E nenhum de vós pense mal no seu coração contra o seu

companheiro; executai juízo de verdade e de paz nas vossas portas"

4 - Os princípios contidos na Palavra de Deus trazem cura para a alma - Sl 19.7 - "A lei do Senhor é perfeita

e restaura a alma..."

III-NO CAMPO DA MENTE É QUE SE FORMAM OS AUTO-CONCEITOS BONS OU RUINS NA NOSSA ALMA.

1 - Uma alma fragilizada, ferida, magoada, traumatizada, amargurada, produzirá uma fé vacilante e uma

mente doentia.

2 - Uma alma enferma só pensa no pior, não vê esperança de mudança em nada, vive sofrendo por

antecipação com coisas que nunca existiram e que nunca vão acontecer. O medo contínuo traz um

verdadeiro tormento. Veja o texto de 2 Tm 1.7 - "Pois Deus não nos deu espírito de covardia ou temor, mas

de poder, de amor e de equilíbrio".

3 - Uma alma enferma pensa e diz: Não posso, não venço, não consigo, não dá certo, enquanto que uma

alma curada pensa e diz: “Posso todas as coisas naquele que me fortalece”. Fl 4.13.Pe

VI-Nossa Mente sinaliza os cativeiros através de sonhos:

1. (em DF) Sonhou com uma mulher em cima de um terraço, chamando os demônios (orgulho,
ódio, vingança, medo...). Apareceram crianças saindo do chão. Um deles se identificou como
“brincalhão”. Depois apareceu outro, e o brincalhão disse que o nome deste é: “Medo da
escuridão”

2.(em DF) Sonhou que estava nu, e uma mulher nua tentava fazer sexo com ele. Ele relutava,
mas ela insistia. No final, esta mulher conseguiu mexer com o coração dele, mas no momento
certo um irmão em Cristo apareceu, e o tirou daquela situação.

3.(em DF) Sonhou (pastora) na noite anterior a ministração (sem saber do que eu falaria), que
estava andando com dores fortes nas costas, e andava encurvada... ela queria alcançar um
objetivo, mas estava encurvada. Quando acordou, estava sentindo forte dor nas costas.

4.(em DF) Sonhou que havia um demônio de prostituição chamado Incubus Sucubus tentando
fazer relação sexual com muitos jovens da igreja (e alguns que desviaram). Ele e uma outra
jovem relutavam, mas o demônio dizia: Pode vir fazer, não terá problema nenhum. Quando se
posicionou decidido a resistir ao diabo, conseguiu sair daquela situação.

293293293293293293
5. (em GO) Sonhou que estava dentro de um caixão, acorrentada, e esfaqueada pelos pastores.

6. (no RJ) Sonha constantemente que está no meio de fezes.

7. (no RJ) Sonha constantemente que está nu.

8. Sonha constantemente que conversa com alguém que já não faz mais parte de sua vida (laço
de alma)

Conclusão: O Ap. Paulo tem um excelente conselho em Filipenses 4.4-7 para que tenhamos

qualidade de vida. e alcancemos o sucesso. Vejamos: "Alegrem-se sempre no Senhor.

Novamente direi: Alegrem-se! Seja a amabilidade de vocês conhecida por todos. Perto está o

Senhor. Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com

ações de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo

entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo.

A FORMAÇÃO DA NOSSA IDENTIDADE ESPIRITUAL

TEXTO: Mateus 7.24-27

INTRODUÇÃO:

a Palavra nos mostra que somos como casas, que são construídas com tijolos de experiências
diárias, quando se levanta uma parede é necessário que verifique senão está torta e por isso usamos
um instrumento chamado prumo. Cada tijolo que empregamos para construir as paredes do nosso
coração é um empecilho para que nossa personalidade se desenvolva da maneira como Deus
planejou.

294294294294294294
I-Existem tipos de personalidades como:

1-Personalidade Cordata – São pessoas eficientes e ativas, prontas a ajudar, porém gostam de
estar cercada de pessoas para satisfazer suas carências emocionais, se uma pessoa assim sofrer
uma desilusão é capaz de se aprofundar num mar de depressão e rejeição por isso e a partir daí
confiar menos nas pessoas.

2-Personalidade Derrotista – São pessoas que precisam se sentirem úteis e amadas pelos outros.
Normalmente dizem coisas negativas.

Tipo:

- Ninguém liga mais pra mim!

Nunca vou conseguir nada!

- Não dá mais!

- Desisto!

3-Personalidade Competitiva – São pessoas que mais tem no mundo hoje, sempre competindo,
sempre querendo ter destaque em todas as suas ações.

4-Personalidade crítica – São pessoas que geralmente manipulam e querem manter as pessoas na
linha.

III-Se as paredes da sua casa não estiverem nos prumos da Palavra de Deus, elas não resistiram
às tempestades.

1- Levando a serem desastrosas, hoje podemos observar que mundo está repleto de
desajustes e influências que acabam causando problemas em nossas vidas que nos influenciam
em nossa personalidade.

295295295295295295
2- Se você ler em Ez 18: 2 “... Os pais comeram uvas verdes e os dentes dos filhos é que se
embotaram?”. Palavra fala da influência dos pais na vida dos filhos, pois as uvas verdes falam
dos pecados, então se os pais não tiverem uma casa (vida) edificada na Palavra de Deus
tendem a transmitir influencias negativas aos filhos.3-

3- Cada tijolo que empregamos para construir as paredes do nosso coração é um empecilho
para que nossa personalidade se desenvolva da maneira como Deus planejou.4-

4- Mas os prumos humanos provocam reações para nossa personalidade, pois às vezes temos
a necessidade de nos livrar dos males e sofrimentos então começamos a construir paredes ou
muros ao nosso redor para uma proteção.

5- As paredes que erguemos fora de prumo ao nosso redor, são o resultado das experiências
amargas sofridas ao longo de nossa vida, com o propósito de nos defender dessas agressões Sem
saber que na verdade não é dessa proteção

III- Mas Deus com sua misericórdia não quer nos deixar desprotegido a mercê de tudo, Ele
deseja nos dar um novo muro que é o da Salvação.

1- Através das operações do Espírito Santo para que as paredes tortas, paredes das rejeições e
revoltas possam ser demolidas e todo o entulho seja removido para edificação desse muro tão
desejado.

2-Precisamos ser curados destas coisas através da renovação da nossa mente e no espírito do
nosso entendimento.

3-E no mundo do qual vivemos hoje é pautada em falsos prumos que nos levam as grandes
consequências na vida. Pois é como uma parede fora de prumo prestes a cair e o quanto ela está
torta, construídas com tijolos de experiências diárias, quando se levanta uma parede é
necessário que verifique senão está torta se não for reta, sentimos a necessidade de felicidade e
gozo.

E por isso construímos paredes que trazem essas sensações para nossa própria satisfação.
Através disso muitos usam o prumo da razão para levantar paredes que serão para sua vida e
através dessa edificação que são formadas a identidade e personalidade de cada um. Mas que por
muitas vezes não serem feito com o prumo da Palavra de Deus, trazem prejuízos e angústias e
trazem falsas impressões que vão se acumulando até levar as ruínas e destruição.

CONCLUSÃO:

296296296296296296
Isto significa que podemos ser transformados e livres das influências destrutivas tanto do passado
quanto do presente. Esta Obra de edificação terá sequência durante toda a nossa vida

297297297297297297
PARTE 3

A Restauração da nossa Personalidade

Nosso alvo nesse estudo não é apenas tratar com os traumas do passado que nos prendem em

problemas presentes, mas encorajar cada pessoa a uma convivência vitoriosa com as rejeições

presentes e futuras, que certamente vamos sofrer.

O passado vive em nossa memória, a psicologia explica que tudo que recebemos em nossas

vidas, fica arquivado em nossa memória.

Amós 7:7-8

Mostrou-me também assim: e eis que o Senhor estava sobre um muro, levantado a prumo; e

tinha um prumo na sua mão. E o SENHOR me disse: Que vês tu, Amós? E eu disse: Um prumo.

Então disse o Senhor: Eis que eu porei o prumo no meio do meu povo Israel; nunca mais passarei

por ele.

O que é PRUMO? Instrumento normalmente usado na construção civil, para aferir se os tijolos de

uma determinada parede, estão sendo assentados com retidão.

A queda tirou a humanidade do plano perfeito de Deus para a sua vida.

298298298298298298
Gênesis 1:26,27“Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e

domine...” A humanidade foi criada à imagem e semelhança de Deus, o ser perfeito. Gênesis

3:23“O SENHOR Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra de que fora

tomado.”

Como devemos viver nossas vidas?

A VERDADE. Deus nunca deixou de aferir pelo prumo de sua Palavra a vida daqueles que chamou

para serem seu povo. A PERGUNTA Como devemos viver nossas vidas?

O Movimento do Prumo Rejeição Rebelião.

Diante do pecado de Israel, vemos que algumas pessoas penderam para o lado da Rejeição e

outros para o lado da Rebelião.

Questões ??? ➥ Quem sou eu? (IDENTIDADE)

➥ De onde eu venho e para onde eu vou? (OBJETIVIDADE)➥ O que realmente é importante para

mim? (VALORES)➥ Que lentes eu uso para enxergar o mundo? (COSMOVISÃO)

299299299299299299
Lidando com as Cargas de Rejeição

Feridas é um problema universal➥ O nosso passado: Cada indivíduo tem um histórico de

rejeição➥ O nosso presente: Que feridas ainda estão abertas?➥ O nosso futuro: A construção da

identidade. Ninguém pode te ferir sem seu consentimento.

Reações erradas frente a uma rejeição

➥ Agressão: A pessoa quando rejeitada reage rejeitando. Esta é a opção violenta de se proteger.

Leva a barreiras na área de rebelião.➥ Fuga e Introvertimento: A pessoa reage crendo na

rejeição que lhe foi oferecida. Apoia-se no medo de ser novamente ferida e na auto-piedade.

Leva a barreiras na área de auto-rejeição.➥ Receber e tomar dos outros o que necessitamos: A

pessoa “controla” suas reações de maneira a conseguir a aceitação desejada.A pessoa reage

tirando proveito da situação.Leva à uma personalidade manipuladora.

Nossa Identidade ➥ Somos aquilo que cremos. ➥ Somos nossas convicções.

➥ Nossa crença afeta diretamente nossas decisões, que afetam nossos hábitos, que afetam nosso

caráter.

Personalidade Passiva

➥ Defensiva; ➥ Desamparada; ➥ Surda; ➥ Temorosa; ➥ Cega; ➥ Deprimida; ➥ Muda; ➥

Vulnerável; ➥ Solitária; ➥ Desesperada;

300300300300300300
Personalidade Ativa Rancorosa Insegura Crítica Solitária Temerosa

Negativa/Defensiva

(Minha verdadeira identidade)

1º Nossa Identidade. QUEM ESTOU SENDO?

(Minha verdadeira identidade)

ancorosaInseguraCríticaSolitáriaTemerosaNegativaDefensiva➥ Defensiva;➥ Desamparada;➥

Surda;➥ Temorosa;➥ Cega;➥ Deprimida;➥ Muda;➥ Vulnerável;➥ Solitária;➥ Desesperada;

A influência da identidade nos relacionamentos

Se colocamos estes dois personagens juntos, eles até podem ser compatíveis em algumas coisas.

Se ele não a incomodar na sua solidão, ela não vai atirar suas flechas, mas caso contrário o

sistema de comunicações deles seria como o barulho das pontas das flechas na armadura dele,

agindo aparentemente com indiferença.

Isto ilustra como que muitos casamentos e relacionamentos são destruídos!

Perguntas Fundamentais da Vida

301301301301301301
➥ EPISTEMOLOGIAComo posso saber?➥ ONTOLOGIAQuem sou?➥ TELEOLOGIADe onde venho e

para onde vou?➥ AXIOLOGIAO que tem valor para mim?

A Visão do Mundo ➥ Monoteísmo; ➥ Politeísmo; ➥ Ateísmo;

➥ Humanismo ateísta;➥ Racionalismo ateísta;➥ Existencialismo ateísta;➥ Ocultismo;

O Prumo de Deus➥ A verdade que Ele revelou acerca dele mesmo na Sua Palavra: suas leis, seus

princípios, seus caminhos, seu caráter, seus preceitos, e sua Palavra encarnada: Jesus.➥ Ao

movermos nossa vida para voltar ao Prumo de Deus, nós iniciamos a empolgante aventura de

descobrir “quem estamos sendo”.

Modelos de Autoridade (Falsos Profetas)

➥ Modelo de autoridade são aquelas pessoas que desempenharam um papel de forte influência

sobre nossas vidas. Obviamente que o comportamento destas pessoas afetaram decisivamente

nossas escolhas e valores.➥ Uma carga de rejeição procedente de um modelo de autoridade tem

um grande poder de influência.➥ Ao lidarmos com traumas do passado, experiências do passado

e ensinos do passado é fundamental fazer menção dos modelos de autoridade.➥ Uma rejeição ou

decepção proveniente de uma pessoa de confiança, que muito valorizamos, tem um impacto

muito maior que de uma pessoa que pouco conhecemos e que não tem um grande

Modelos de Autoridade (Falsos Profetas) Deus ➥ Os Pais ➥ Mestres

➥ Colegas➥ Governo➥ Mídia➥ Igreja➥ Coração➥ Enganador-mor➥ Ódio➥ Traumas➥

302302302302302302
Solidão➥ Depressão➥ Amargura➥ RessentimentosOutros➥ Isto também ilustra, como podemos

ver ao lado, alguém em pé atrás de uma “frágil parede de medo” que ele erigiu para se auto

proteger. Esta pessoa tem aparentemente experimentado um trauma interior e não quer ficar

mais vulnerável.“Porque fazem o meu povo desviar-se dizendo-lhe paz quando não á paz e

quando constroi um muro fragil, passam lhe cal”. EZ 13:10.

O Enganador Supremo➥“É como se um homem fugisse de diante do leão, e se encontrasse com

ele o urso; ou como se entrando numa casa, a sua mão encostasse à parede, e fosse mordido por

uma cobra”. Amós 5:19.➥ De todos os falsos profetas, nenhum é tão astuto e enganoso como

Lúcifer. Nas Escrituras ele é continuamente descrito como uma serpente.➥ Nesse texto de Amós

nós vemos que o leão e o urso significam nossos inimigos exteriores, enquanto que a cobra na

parede representa um inimigo interior nos atacando através da nossa personalidade.

PARTE 3

Tempestades

303303303303303303
O que acontece quando fazemos da nossa personalidade muros de autoproteção? Em Mt 7:24-27,

Jesus descreve a tempestade que prova a edificação da nossa personalidade. O que acontece se

ele ouve o Evangelho e se torna um cristão? Isso significa que tudo se transforma e a parede é

dissipada? Não necessariamente. Isto significa que a luz vem e pela primeira vez ele começa a

ver a si mesmo atrás da parede.

Sua primeira resposta natural é clamar a Deus por socorro, mas se ele persiste em oração a

tempestade vem para nos libertar das nossas barreiras! Quando a poeira começa a abaixar, nós

vemos uma das duas coisas: Ou um punho agitado contra Deus seguido de acusações de injustiça,

infidelidade, deslealdade e falta de amor ou nós vemos uma cabeça curvada com lágrimas pela

face vindas de um coração quebrantado e contrito que o Senhor disse que nunca desprezaria.

O que você colheu de vida e verdade da sua última tempestade? Você entendeu a mensagem

trazida pela tempestade no sentido de causar uma mudança na sua vida ou será necessário uma

nova tempestade para isso? Você se quebrantou abandonando o orgulho e a hipocrisia ou

endureceu mais ainda seu coração?

Tempestades ➥ Problemas de saúde ➥ Divórcio ➥ Drogas

➥ Delinquência na família➥ Perda de um ente querido➥ Problemas financeiros➥ Alcoolismo➥

Problemas no trabalho Emparedado➥Algumas personalidades se tornam cercada por tijolos e a

pessoa dentro não passa de um prisioneiro atrás das paredes do seu coração como ilustrado na

figura.➥Para muitos cristãos esta é uma trágica verdade: “Encontrei meu principal inimigo: eu

mesmo!”➥A cada reação negativa que temos, um tijolo vai sendo adicionado à nossa parede.

304304304304304304
É possível nós estarmos tão traumatizados emocionalmente em uma área de nossas vidas, que

determinamos que ninguém terá oportunidade de nos ferir novamente.➥Esta parede pode

proporcionar algum grau de proteção, mas ao mesmo tempo ela tranca parte de nossa

personalidade afetando a nossa habilidade para amar, para confiar e para formar

relacionamentos significativos.

Janela de Joari - ÁREA CEGA

Você não sabe e os outros sabem. A chave é receber dos outros. Amar a confrontação.ÁREA

ABERTAVocê e os outros sabem. Esta é a única área queVocê vive na luzÁREA ESCONDIDAVocê

sabe, mas os outros não sabem. É neste porão que vivem os ratos.ÁREA DESCONHECIDAVocê e os

outros não sabem. Só Deus sabe. Precisamos da revelação de Deus

Qual é o Combustível que alimenta este ciclo?

➥ Rejeição = Uma dor agoniante.➥ O agente principal que nos induz a este processo cíclico de

auto depreciação é a dor emocional.➥ A dor emocional, normalmente é muito mais penetrante

que a própria dor física.

O sentimento de rejeição, a humilhação, a vergonha, o sentimento de insuficiência podem

facilmente descontrolar as reações humanas, comprometendo a formação do caráter,

desenvolvendo um complexo de inferioridade.

O Plano Mestre de Satanás COMPLEXO DE INFERIORIDADE

305305305305305305
➥ Dinheiro➥ Status➥ Poder➥ Cultura➥ Bens➥ Estética➥ Religião➥ Relacionamento➥ Deus➥

Amor➥ Aceitação➥ Respeito➥ Realizações➥ Senso de Pertencer➥ Necessidades Fisiológicas.

DOR. NECESSIDADESHUMANASEXIGÊNCIASDA SOCIEDADECICLO DEDEPRECIAÇÃO PESSOAL CARÊNCIA

AFETIVA DECEPÇÃO COMPLEXO DE INFERIORIDADE Inferioridade / superioridade

Pirâmidade de MASLOW - Pirâmide de necessidades

A inclinação para o divino é intrínseco ao ser humano, é o movimento do espírito do homem, do

fôlego da vida. Deus Amor Aceitação Realização Senso de pertencer Necessidades Fisiológicas

Necessidade de relacionamentos mais íntimos e afetivos. Se sentir querido não por aquilo que

você tem, mas por aquilo que você é. Relacionamentos verdadeiros nas mais diversas expressões

Satisfação de expressar criatividade.

Ser credibilizado. Sentir que as pessoas tem você como alguém confiável. Ser admirado nas suas

habilidades. Interação social. Sentir que as pessoas apreciam e valorizam a sua presença. Saúde,

alimentação, descanso, etc.

Definição de Muralhas➥ São barreiras criadas como um mecanismo de autodefesa em meio a um

mundo que sempre oferece rejeição, ou seja, são reações pecaminosas de autodefesa ante uma

rejeição.➥ Estas muralhas vão sendo levantadas em torno da nossa personalidade com a

finalidade de ocultar nossas debilidades em relação às exigências do mundo para sermos aceitos.

306306306306306306
Este processo também abafa nossa verdadeira identidade ao mesmo tempo que a perverte.➥

Quando escolhemos reagir pecaminosamente em relação às rejeições vamos estar sacrificando

transparência, espontaneidade, honestidade no relacionamento. Por isto, atrás da muralha de

uma personalidade violentada, existe trevas, solidão e um forte bloqueio contra o amor.

Para Enfrentar a Rejeição

➥ Temos que entender que quando somos feridos ou rejeitados e reagimos de maneira errada,

precisamos assumir nossa culpa. Não podemos fazer da tentação um pretexto para o pecado. ➥

Não podemos correr daquilo que é da nossa responsabilidade. Devemos com humildade admitir:

se pecamos, a culpa é nossa mesmo. Assim é que vamos resolver eficazmente nossos traumas e

dilemas desenvolvendo uma personalidade livre.➥ Não importa o que fizeram conosco, importa o

que estamos fazendo com aquilo que fizeram conosco!

REAÇÕES QUANDO O MODELO DE AUTORIDADE FALHA

"O que vocês querem dizer quando citam este provérbio sobre Israel: " 'Os pais comem uvas

verdes, e os dentes dos filhos se embotam?” EZ 18:2REAÇÃO INFANTILSINTOMA SOCIAL1.

IraCrime2. Negar o problema e fantasiar a vidaDesordens na personalidade3. Tentativa de

reuniãoPossessividade4. Culpa● Interiorizada: Depressão● Exteriorizada: Delinquência5.

MedoNeuroses6. Conduta impulsivaDesordens psicossomáticas7. Regressão (se retirar)Psicoses.

1º IRA➥ A criança primeiro se sente ferida por causa da separação. Ela pode suprimir e

interiorizar ou exteriorizar sua ferida em ira.➥ Interiorizando a ira, ela predispõe-se

grandemente a males emocionais, enquanto que exteriorizando ela pode ser levada a males

307307307307307307
sociais.➥ Um temperamento iracundo logo cedo na infância pode ser substituído por episódios de

crime e violência na vida mais tarde.

2º NEGAR O PROBLEMA E FANTASIAR A VIDA

➥ Isto também acontece, quando a dor da separação se torna intolerável. A criança, então, nega

a separação, fantasiando conversas e encontros com seu pai.➥ A criança vai se tornando cada

vez mais introvertida, e a partir do momento em que a dor da separação se torna intolerante, ela

começa a negar a dura realidade que vive em relação a rejeição que está sofrendo.➥ A partir do

momento em que ela então foge da situação começa também a fantasiar uma “realidade”

própria na qual ela se realizaria.

3º TENTATIVA DE REUNIÃO➥ Vez após vez, como um disco arranhado, as crianças

importunavam a mãe em relação à volta do pai. A despeito de quantas vezes a mãe explicasse a

data da volta do pai, a criança começaria tudo de novo. Finalmente a resistência da mãe

simplesmente desmoronava levando-a a uma frustração muito grande.

➥ Tais constantes tentativas de reunião são devidas à ausência do importante relacionamento

pai-filho. Sentindo esta falta, aquelas crianças poderiam viver fora da sua realidade nos

relacionamentos futuros na fase adulta por cobiçar o que estes relacionamentos

proporcionariam.

308308308308308308
➥ Como cresceram e continuaram a lutar na tentativa de reunião, suas personalidades podem

ser distorcidas pela possessividade: “A esperança demorada faz adoecer o coração”.

4º CULPA➥ A criança não entende a necessidade da ausência do pai. Ela tem o conceito de que

o pai é perfeito, e portanto, transfere toda a imperfeição para si mesma.

Ela não consegue formular que o pai foi trabalhar e se culpa pela ausência do pai.➥ A rebelião é

um grito de socorro para uma falsa culpa, é a maneira de pedir castigo para aliviar a consciência.

Com isso, a criança é induzida pela culpa ao masoquismo e delinquência. Culpa interiorizada =

DEPRESSÃOCulpa exteriorizada = DELINQUÊNCIA

5º MEDO (de ser abandonado)

➥ Algumas crianças de pais ausentes evidenciaram medo, agarrando-se possessivamente às suas

mães. Para elas a mãe era o último elemento de segurança restante, o qual elas nunca queriam

perder de vista. O que estava motivando a possessividade aqui era um medo dominante de ser

abandonado, rejeitado também pela mãe.➥ Estas crianças tornaram-se chatas e molestadoras, o

que fazia com que fossem mais rejeitadas ainda. Com isso, elas caíram num ciclo vicioso que leva

a muitos “outros tipos de medo” e a uma “personalidade marcada por ansiedade” e neuroses.

6º CONDUTA IMPULSIVA➥ A pessoa assume um comportamento compulsivo (devido ao forte

estado de tensão emocional em relação a não ser aceito), o que motiva uma personalidade

iracunda, um gênio indomável, atitudes precipitadas e emoções extremas.➥ Conduta impulsiva

309309309309309309
pode ser definida como um reação de nossos corpos como resultado de estarmos alimentando

interiormente um stress não resolvido, e isto numa ação contínua.

É mais importante saber que tipo de pessoa tem uma doença, do que saber que tipo de doença a

pessoa tem.➥ Estas reações de impulso que indicam FUGA DE FORTES REJEIÇÕES, tem como

consequência as doenças psicossomáticas, que constituem 80% (em média) das doenças que as

pessoas normalmente tem: dores de cabeça, dor de pescoço, problemas digestivos, etc.

7º REGRESSÃO COMPORTAMENTAL

(Se retirar)➥Regressão foi observada no comportamento das crianças estudadas quando o trauma

da separação foi tão grande que elas retiraram-se da participação ativa das funções mais

importantes da vida, a saber: comer, brincar, se relacionar e demonstrar afeto.➥Algumas

crianças se retiraram para um canto e se enrolaram como uma bola assumindo posição fetal. A

mensagem que elas estavam enviando era de profundo medo e inseguranças➥Estas são pessoas

que se sentem facilmente rejeitadas e fecham as portas para o mundo, se retiram inteiramente

da realidade, se tornam solitárias. Isto leva a um distúrbio mental e a consequência é a psicose.

REAÇÕES QUANDO O MODELO DE AUTORIDADE FALHA

(Resumo)➥ SE NÓS AVALIAMOS OS SINTOMAS SOCIAIS MOSTRADOS, NÓS PODEMOS VER QUE OS

MAIORES DESAFIOS PARA O DESENVOLVIMENTO SOCIAL FORAM ALISTADOS.➥ DISTO NÓS PODEMOS

310310310310310310
TIRAR A CONCLUSÃO QUE CONFLITOS NÃO RESOLVIDOS NO INTERIOR DAS CRIANÇAS PODEM

PRENDER O ADULTO NUM PADRÃO IMATURO DE COMPORTAMENTO.

Figura de Autoridade Carência afetiva

HOMEMDEUS-Ódio-Amor-Rejeição-Aceitação-Carência afetiva

Figura de Autoridade - PASSIVOAGRESSIVO

Rejeição

Parede da Rejeição EMOÇÕES MENTE ESPÍRITO REJEIÇÃO SUICÍDIO TRISTEZA

AUTO-COMPAIXÃO-AUTO-DEPRECIAÇÃO-DEPRESSÃO-APATIAMENTE-COMPLEXO DE INFERIORIDADE-

INSEGURANÇA-SENSO DE INAPTIDÃO-SENTIMENTO DE CULPA-ESPÍRITOAMORTECIMENTO-AGONIA-

EXTINÇÃO-DESÂNIMO-DESESPERO-REJEIÇÃO-SUICÍDIO- EMOÇÕ-ESTRISTEZA (Infelicidade, Causa de

sofrimento):

Podemos definir a tristeza como “um sentimento de pesar, de infelicidade; demonstração ou

causa de sofrimento”. Muitas vezes a tristeza pode obscurecer toda a personalidade de uma

pessoa.

AUTOCOMPAIXÃO (Decepção sofrida): Além de ser uma prática negativa, a autocompaixão é

pecado também. Aquele que pratica a autocompaixão está sempre procurando consolar-se de

alguma decepção sofrida.

311311311311311311
AUTODEPRECIAÇÃO (Culpa a si mesmo): A autodepreciação é a atitude de nos voltarmos contra

nós mesmos por havermos sofrido rejeição da parte de outra pessoa. Esse problema pode se

tornar crônico, e distorce a personalidade.

DEPRESSÃO (Associação de fatores físicos e mentais): Trata-se da reação que temos frente a

alguma perda sofrida.

No início percebe-se um declínio na vitalidade e nas energias, e nos sentimos tristes e cansados.

Cai o ritmo das atividades no trabalho e em casa, e tudo nos parece sombrio e desesperador.

APATIA (Sem vontade de enfrentar a vida - “fracasso”): É uma existência sem emoção; sem

sentimento”- é um dos arqui-inimigos da vida. Ela é a fase inicial do processo de perda do

interesse pela vida. Esse sentimento pode ser ocasionado por desilusões e adversidade.

MENTE: Complexo de inferioridade – Você não é pior do que eu.

Insegurança – Falta de carência afetiva. A insegurança é consequência direta de carência afetiva

e dos atos de rejeição sofridos na infância. Por outro lado, o senso de segurança acha-se

diretamente relacionado com o amor. Pesquisas tem demonstrado que as crianças criadas num

ambiente sem amor tendem a revelar profundo sentimento de insegurança. Senso de inaptidão –

Incapaz, fracassado.

Esse é um dos mais sérios problemas de quem sofre rejeição. A pessoa passa a considerar-se

incapaz, e experimenta um constante senso de fracasso, e ouve uma voz interior constantemente

312312312312312312
a afirmar: “Não valho nada. Nunca serei nada na vida. Tudo que faço sai errado”. Sentimento de

culpa – Grave problema quando não o enfrentamos.

Devemos analisar bem esse sentimento, pois nem sempre a culpa é um terrível mal, e muitas das

vezes podemos evitar sérias complicações se pararmos quando há sinal de perigo. Essa é a grande

vantagem do sentimento de culpa, quando temos a percepção e a reação correta diante dele.

Dessa forma ele se torna para nós placas sinalizadoras que nos indicam a direção a seguir.

ESPÍRITO Falta de esperança leva ao... AMORTECIMENTO: Apagado.

AGONIA: Morrendo. EXTINÇÃO (Extinto): O espírito do homem (o fator da personalidade que

provém diretamente de Deus) é a lâmpada (a vela) do senhor, a qual esquadrinha todo o mais

íntimo do corpo.

Quando nos lançam palavras de morte, se escolhermos o prumo da rejeição em vez do prumo de

Deus. Começamos a viver na posição inclinada, e o nosso espírito é afetado, começamos a perder

a esperança e com ela vem a agonia. Falta de esperança leva ao...DESÂNIMO: A maior arma de

satanás para levar as pessoas ao...DESESPERO: Fica entregue, escravo, prisioneiro

ISOLAMENTOO Isolamento não é só ausência de pessoas, é também o relacionamento com as


pessoas sem criar nenhum tipo de vínculo.Ele pode ser desencadeado quando sofremos algum
tipo de trauma muito forte na infância, onde a confiança foi quebrada. O isolamento veio como
uma atitude automática de auto defesa.

ISOLAMENTO É FALTA DE CONFIANÇA

Diante de um momento de frustração o isolamento se torna a única forma de se sentir seguro.


Qualquer fracasso de algum objetivo, é capaz de empurrar a pessoa para um fundo de poço.

CICLO DA SOLIDÃO FANTASIA ISOLAMENTO SOLIDÃO FRUSTRAÇÃO


VERGONHA (RAÍZ)TRAUMA (SOLO)

313313313313313313
REBELIÃO. Quem alinha sua existência pelo prumo humano da rejeição sofre um grande dano,
que pode até roubar-lhe a vida. Nessa situação, os indivíduos mais agressivos poderão estar -se
enveredando pelo caminho que o levará a aceitar o da revolta em não aceitar passivamente a
rejeição e adotar uma atitude reacionária, alinhada pelo prumo da revolta

Parede da Rebelião FIGURA DE AUTORIDADE MENTE ESPIRÍTO Agressividade


Presunção-Sofisticação-EMOÇÕES-Euforia-DepressãoComplexo de

Superioridade-Espírito Competitivo-Posição de domínio-MENTE-Inflexibilidade-Manipulação-


Teimosia-Resistência ao aprendizado-Concepções ilusórias-Amargura-ESPIRÍTO-Ressentimento-
Espírito Critico-Espírito controlador-Rebelião-Espírito Possessivo

EMOÇÕESAGRESSIVIDADE / HOSTILIDADE – A PESSOA FERIDA REAGE FERINDO, PODENDO PERDER O


CONTROLE DA IRAPRESUNÇÃO (ORGULHO) – PERSISTE EM SE-AFIRMAR SUA SUPERIORIDADE, LUTA
CONTRA A SOLIDÃO (SE ACHA O MELHOR) SOFISTICAÇÃO – IMPRESSIONAR OS OUTROS (ARTIFICIAL)
- BARREIRAS NO RELACIONAMENTO AMOROSOALTOS E BAIXOS – (EUFORIA E DEPRESSÃO) – HUMOR
REAGE UMA SITUAÇÃO ORA DE UM LADO, ORA DO OUTRO, SEMPRE NOS EXTREMOS.

MENTE/INTELECTOSUPERIORIDADE – AGE DE MANEIRA ARROGANTE, MOVIDA DE INVEJA E CRITICA.


(ESTAR POR CIMA) COMPETIÇÃO – CRIADAS ATRAVÉS DE AVALIAÇÕES, (VALORIZAM MAIS OS
PROJETOS DO QUE PESSOAS.) DOMINANTE – AGE COM AUTORITARISMO, TEM SUA ORIGEM NA
INSEGURANÇA QUE VEM POR UM DEFICT DE AMOR.RÍGIDO – NÃO SER FLEXIVEL, NÃO ADIMITEM
SEUS ERROS, NÃO ACEITAM QUE DISCORDE DELES.MANIPULAÇÃO – (OBS: MAIS ADIANTE)
OBSTINADO – RESULTA DA INSEGURANÇA, NÃO ACEITA CONSELHOS NEM AS VERDADES DE
DEUS.NÃO ENSINÁVEL – DIFICULDADES DE APRENDER COISAS NOVAS, SE SENTE REBAIXADOS.

54 ESPÍRITO - DESILUSÃO – ESTÁ LIGADO A INCREDULIDADE, DIFICULDADE DE


CONFIARRESSENTIMENTO – FALTA DE CONHECIMENTO DO CARATER DE DEUS, DIFICULDADE DE
LIDAR COM O PERDÃOAMARGURA – FALTA DE PERDÃO LEVA A RAIZ DE AMARGURA QUE PROMOVE A
DESTRUIÇÃO DE RELACIONAMENTOS.CRÍTICO – USA A SUA DOR PARA FERIR OUTRAS
PESSOASCONTROLADOR E POSSESSIVO – QUANDO TOMAMOS POSSE E TENTAMOS VIVER A VIDA DE
OUTRAS PESSOAS. O EXTREMO LEVA AO HOMICIDIO.

TIPOS DE MANIPULADORES

Podemos definir a manipulação como a tentativa de controlar pessoas ou circunstâncias por


meios indiretos. A diferença entre o AMOR e a MANIPULAÇÃO Amar é iniciar um relacionamento
com o objetivo de dar. Já na Manipulação, busca-se um relacionamento com objetivo de receber.

Tipos de Manipuladores

FIGURA DE AUTORIDAD EPASSIVO Tende a se aproximar da figura de autoridade bajulando


COMPETITIVO Tende a se aproximar da figura de autoridade competindo ATIVO Tende a se

314314314314314314
afastar da figura de autoridade criticando INDIFERENTE Tende a se afastar da figura de
autoridade Isolando-se Rejeição Revolta

Amor X Manipulação PONTOS COMUNS ENTRE OS MANIPULADORES:


SÃO EGOCÊNTRICOSESTÃO LUTANDO COM DÉFICITE DE AMORAUTO-DEFESAVIVEM NUM ESTADO
CONTÍNUO DE TENSÃO

PERFIL DE PERSONALIDADE

Essas paredes tortas que nós construímos em torno de nosso coração fazem parte de um sistema
de defesa distorcido. É a maneira como muitos de nós, aprendemos a lidar com a dor da
rejeição.Com isso, a personalidade perfeita que Deus criou para cada um de nós fica sufocada e
novas personalidades vão surgindo, baseadas na rejeição e revolta.

O que é Personalidade? Caráter ou qualidade do que é pessoal.


É o que determina a individualidade de uma pessoa.Caráter ou qualidade do que é pessoal.A
personalidade é formada por traços hereditários e traços adquiridos.

1.Personalidade “Cordata”

É um pouco mais difícil de ser identificado porque suas expressões de manipulação não são muito
aparentes. Seu alvo não é controlar, é manter-se na defensiva.Ela joga como se fosse uma pessoa
necessitada e frequentemente utiliza-se da auto-piedade na tentativa de vencer perdendo.

Cordata Personalidade

PENSAMENTOS FRASES RESUMINDO EM DUAS FRASES

‘‘Preste atenção em mim.’’‘‘Ouça o que eu tenho a dizer.”‘‘Tenha interesse por mim.’’‘‘Seja


bom comigo.’’“Demonstre apreço por mim.”“Quando eu precisar de você, me socorra.”“Não me
rejeite e nem me decepcione.”FRASES“Eu ajudadrei naquilo que você quizer’’.‘‘Estarei sempre
ao seu dispor.’’‘‘Orarei sempre por você.’’‘‘Estarei sempre ao seu lado.’’“Eu sempre
demonstrarei apreço por você.”RESUMINDO EM DUAS FRASES‘‘Farei o que você quizer.’’‘‘Por
favor, me ame.’’Saul – 1ª Sm

2. Personalidade Competitiva

É um pouco mais versátil. A personalidade competitiva pode jogar colocando-se por baixo ou por
cima dependendo do que a ocasião requer.Mais profissional em desenvolver a manipulação em
sua personalidade, seu alvo é ganhar em qualquer posição. As outras pessoas são vistas como
competidoras.

315315315315315315
Competitiva Personalidade PENSAMENTOS FRASES RESUMINDO EM DUAS FRASES
‘‘Viu como executo bemmeu trabalho?’’‘‘Percebe como sou indispensável?’’‘‘Não vai elogiar o
meu trabalho?”“Já notou que tenho muitos talentos?”“Diga-me que sou perfeito e serei
feliz!”“Nunca me diga que errei.”FRASES‘‘Tenho resposta para tudo.’’‘‘Vou lhe mostrar como se
faz isso.’’‘‘Tirar férias é pura perda de tempo.’’“Pare com esse sentimentalismo.”“Seja forte,
não demonstre fraquezas.”“Você precisa de mim e do meu trabalho.”RESUMINDO EM DUAS
FRASES‘‘Não tenho defeitos.’’‘‘Você não tem escolha, tem que me amar.’’EXEMPLO BÍBLICOJacó
– Gn.27 a 30

Características de pessoas com Personalidade Competitiva


Acostumaram-se a pensar desde criança:Tenho que me sair bem em tudo.Só recebi aprovação
quando eu era bem sucedido.Tem muito medo de errar.Seu senso de valor está baseado no que
osoutros vão pensar dele.Não sabem receber críticas.Estão constantemente na defensiva.Tem
muita dificuldade em cultivar relacionamentosprofundos.Estão constantemente se esforçando
para fazeralguma coisa.

3. A Personalidade “Derrotista”

É distinguido dos outros porque ele não gosta dos que estão por cima e dos que estão por baixo.
De fato, ele não gosta de pessoas, e está preparado a dizer que não se importa com o jogo das
pessoas.Mas quando ele diz que não se importa o que realmente quer fazer é manipular e
disfarçar a sua motivação enganando-se a si mesmo através de não reconhecer como ele
realmente se sente.

Derrotista Personalidade PENSAMENTOS FRASES RESUMINDO EM DUAS FRASES


‘‘ Não adianta tentar mais.’’‘‘Sou um fracasso.’’“Nunca vou conseguir nada.”‘‘Vou ser sempre
assim.’’‘‘Não dá mais.’’“Não consigo mais viver assim.”“Oh! Deus, por que o Senhor não dá um
jeito em tudo isso?”FRASES‘‘Ninguém liga para mim.”‘‘Ninguém tem tempo para conversar
comigo.’’‘‘Ninguém vem me visitar.’’‘‘Ninguém vem orar por mim quando preciso.’’“Ninguém
me conta o que está acontecendo.”“Ninguém gosta de mim.”RESUMINDO EM DUAS
FRASES‘‘Ninguém me ama.’’‘‘Desisto.’’EXEMPLO BÍBLICOMoisés – Ex

4. A personalidade “Crítica”

Usa a força da sua personalidade para tomar controle da situação intimidando os outros.A
mensagem que ele está dando é: Eu não sou amado tanto quanto você. “Não há amor no mundo
para mim, estou sofrendo por causa disto, e você vai sofrer comigo.”

Crítica Personalidade PENSAMENTOS ‘‘Você nunca vai melhorar, não é?’’


‘‘Você é um caso predido!’’‘‘Você é um burro, olha a estupidez que falou!’’“Você não faz nada
certo.”‘‘A culpa é toda sua!’’“Você sempre atrapalha tudo.”FRASES‘‘Viu como meu desempenho
é nota dez.’’“Vou te ensinar a fazer isto.”“Tenho certeza de que eu tenho razão.”‘‘Preste
atenção no que eu digo!’’‘‘Sou eu quem manda aqui!’’RESUMINDO EM DUAS FRASES‘‘Sei que não

316316316316316316
sou amado, mas você também não é.’’‘‘Eu sofro porque não sou querido.Você tem que sofrer
comigo.’’EXEMPLO BÍBLICOJudas Iscariotes – João 12:4

As Personalidades e seus Manipuladores

FIGURA DE AUTORIDADECOMPETITIVOTende a seaproximar dafigura


deautoridadecompetindoPASSIVOTende a seaproximar dafigura
deautoridadebajulandoATIVOTende a seafastar dafigura
deautoridadecriticandoINDIFERENTETende a se afastarda figura deautoridadeIsolando-
seRejeiçãoRevolta

DENTRO DE QUATRO PAREDES

Ez 8:6-12 Lideres Adorando com orgias ao deus cananita Asheráh“...,E entre os cananeus,
Asherah - era a esposa de El, o soberano dos deuses -- mais ou menos como Zeus, na mitologia
grega - tinha sua mulher divina - a deusa Hera....”

Concupiscência Desejo humano. (A qualquer preço)

DENTRO DE QUATRO PAREDES- Ez 8:6-12 Lideres Adorando com orgias ao deus canaanita Asheráh
Concupiscência Desejo humano. (A qualquer preço) Não ameis o mundo nem o que nele há. Se
alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo que há no mundo, o desejo da
carne, o desejo dos olhos e o orgulho dos bens, não vem do Pai, mas sim do mundo. (IJoão 2.15-
17) SENTIR – TER – SER Concupiscência dos olhos Vejo, logo quero. DESEJO exagerado
‘‘incontrolável’’. Concupiscência da carne. É o ATO do desejo ‘‘incontrolável’’. Gera VICIOS

A fuga em movimento pendular

Figura de Autoridade A – Rejeição por uma Figura de Autoridade B – Fuga C – Retorno Rejeição A
Rebelião B C Sofrimento (Medo)Prazer

Árvore dos Vícios

Desespero (Pecado desenvolvido, gera morte)

Ciclo para todo vício Mas cada um é tentado quando atraído e seduzido por seu próprio desejo.
Então o desejo, tendo concebido, dá à luz ao pecado; e o pecado, após se consumar, gera a
morte. Tiago 1:14:15Ação (pecado)Ritual (Preparação) Desejos são concedidos. Desespero
(Pecado desenvolvido, gera morte) Preocupação (Cada um é tentado na própria cobiça)Vergonha
(RAÍZES)Abuso/Trauma(SOLO)

ORGULHO Soberba da vida. (Orgulho dos bens)

317317317317317317
Porque tudo que há no mundo, o desejo da carne, o desejo dos olhos e o orgulho dos bens, não
vem do Pai, mas sim do mundo. (João 2.16) A arrogância antecede a destruição, e a altivez do
espírito antecede a queda. Pv 16:18É a atitude de se mostrar como não é.É a ausência da
transparência.

Movimento pendular da luta

Rejeição Rebelião A B Complexo de Inferioridade Superioridade Figura de Autoridade B – Luta


contra o sofrimento A – Rejeição sofrida por parte de uma figura de autoridade ou não.

Movimento pendular da alma

Emoções Mente Alma Rejeição Rebelião

O ÚLTIMO MOVIMENTO PENDULAR Alma em conflito que nos leva ao colapso.


Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Alimpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo,
purificai os corações. (Tg. 4:8) Medo, desejo, raiva e orgulho: Alma em conflito que nos leva ao
colapso. Rejeição Rebelião FUGA LUTA

Isaías 26:1 - Isaías 60:18 - Amós 9:11-15

REDENCÃO MUROS DE SALVAÇÃO Isaías 26:1 - Isaías 60:18 - Amós 9:11-15

REDENÇÃO (Isaías 25:2 e Isaías 26:1)

“E o Senhor abaixará as altas fortalezas dos seus muros; abatê-las-á e derribá-las-á por terra até
o pó.” “NAQUELE dia se entoará este cântico na terra de Judá: Temos uma cidade forte, a que
Deus pôs a salvação por muros e antemuros.”

RESTAURANDO A PERSONALIDADE

DEUS QUER RESTAURAR ESSAS PAREDES DE REJEIÇÃO E REBELIÃO, DERRUBANDO E


RECONSTRUINDO MUITO MAIS CONSTRUTIVA E CURADORA, ESTÃO DISPOSTOS? NA VERDADE NÓS
NÃO TEMOS ALTERNATIVA OU QUEBRAMOS ESTA PAREDE PELO ARREPENDIMENTO; OU MAIS CEDO
OU MAIS TARDE DEVIDO A OSCILAÇÃO NA NOSSA ALMA TUDO VEM ABAIXO. PORTANTO, NÓS
PRECISAMOS NOS QUEBRANTAR OU SEREMOS QUEBRADOS PELAS TEMPESTADES DA VIDA.PARA ISSO
PRECISAMOS TER EM MÃOS UMA RADIOGRAFIA DA NOSSA PERSONALIDADE DADA PELO ESPIRÍTO
SANTO.ESTE É O TRABALHO MAIS ÁRDUO, NOS VERMOS INTEGRALMENTE COMO DEUS NOS VÊ.

PASSOS PARA A RESTAURAÇÃO

318318318318318318
1) Ter um bom diagnóstico da nossa personalidade.

2) Identificar as rejeições que nos traumatizaram, os modelos de autoridade que executaram


estas rejeições, nossas escolhas erradas que se tornaram em falhas ou pecados crônicos em
virtude disto.

3) Perdoar os modelos de autoridade que falharam conosco, nos responsabilizando por nossas
escolhas pecaminosas

.4) Confissão de CULPAS e vergonhas. Deus quer chegar no ponto onde nós não queremos que Ele
e nem ninguém chegue nas nossas vidas. Este é o ponto da cura. “O que encobre suas
transgressões jamais prosperará; mas o que confessa e deixa alcançará misericórdia. (Pv 28.13”5)

Perseverar na posição tomada (estar no lugar de permanência em Cristo), desenvolvendo uma


vida aparente com Deus e com as pessoas.Nenhuma condenação há para os que estão em Cristo
Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espirito. (Rm 8:1)

ALTAR – encontrar com Jesus

REDENCÃOALTAR – encontrar com

JesusConfissãoArrependimentoAceitaçãoCuraSacrifícioPerdãoLibertaçãoProteçãoSangueRedençã
o

0 ALTAR Confessai pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros para sermos
curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica dos justos. Tg 5:16

Contudo, isso não significa que nunca mais pecaremos. Nós pecamos, sim, mas muitas vezes
deixamos de voltar ao altar. Por causa disso, os “pecadinhos” vão se acumulando em nossas
vidas, e, não confessados, ocasionam separação entre nós e Deus. Depois de algum tempo, já não
conseguimos mais ouvir a voz do Senhor e o nosso amor por ele começa a declinar.

TEMPLO Lugar de Adoração Lugar de Comunhão Lugar de Oração

Presença de Deus Santificação Ações de Graça, Contribuição Testemunho, Gozo, Poder e Unção
Esdras 3:7-13

JESUS - Principal Pedra Angular

MURO DA SALVAÇÃO ‘‘...Assim diz o Senhor Deus: Eis que eu assentarei em Sião uma pedra,
pedra provada, pedra preciosa, angular, solidamente assentada; aquele que crê não foge. Farei
juízo a regra, e justiça ao prumo; a saraiva varrerá o refúgio da mentira e as águas arrastarão o
esconderijo.’’

319319319319319319
(Is. 28:16;17). RENOVAÇÃO DE MENTECONFESSAR AS
CULPASARREPENDIMENTORECONSTRUÇÃOPERSEVERARREVELAÇÃOPERDÃOREDENÇÃOJESUS -
Principal Pedra Angular

PECADO –Incredulidade- ORGULHO- ARREPENDIMENTO - REJEIÇÃO -REBELIÃO


O que é arrependimento? ‘‘Mudança de ideia interior, que resulta num ato exterior de virar-se,
ou voltar-se na direção contrária.’’ PECADO REJEIÇÃO REBELIÃO É a atitude de não querermos
ser vistos como realmente somos e de nos mostrar-nos como não somos. Ele é a pedra
fundamental sobre a qual se assenta a parede da rebelião. É um falso conceito de sí mesmo. É a
pedra fundamental sobre a qual se assenta a parede da rejeição. Incredulidade
ORGULHOARREPENDIMENTO

Romper com a incredulidade da rejeição e o orgulho da rebelião.

HUMILDADE Romper com a incredulidade da rejeição e o orgulho da rebelião. ‘‘É a disposição de


deixar que outros nos vejam como somos, sejam quais forem as consequências.” Temos que ser
transparentes em qualquer situação independente da vergonha.

REVELAÇÃO -QUEM DEUS É: ONIPOTENTE ONISCIENTE ONIPRESENTE

ARREPENDIMENTO PROCESSO CONTINUO, -

“Estejam, pois, atentos os teus ouvidos e os teus olhos abertos, para ouvires a oração do teu
servo, que eu hoje faço perante ti, dia e noite, pelos filhos de Israel, teus servos; e faço
confissão pelos pecados dos filhos de Israel, que temos cometido contra ti; também eu e a casa
de meu pai temos pecado.” Ne 1:6“O SENHOR é longânimo, e grande em misericórdia, que
perdoa a iniquidade e a transgressão, que o culpado não tem por inocente, e visita a iniquidade
dos pais sobre os filhos até à terceira e quarta geração.” Nm 14:18

PERDÃOPERDOAR E LIBERAR OS MODELOS DE AUTORIDADE

CONFESSAR AS CULPAS. Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e orem uns pelos
outros para serem curados. A oração de um justo é poderosa e eficaz. Tg 5:16

PERSEVERAR

RENOVAÇÃO DE MENTE – (METANOIA) NOVOS HÁBITOS

RECONSTRUÇÃO PERSEVERAR NA POSIÇÃO TOMADA

ADÃORejeiçãoRebeliãoCRISTOSANTIDADINCREDULIDADEORGULHOOBRASADECARNEDEUSNOVOHOM
EMEfesios 4:24

DOMÍNIO
PROPIROMANSIDÃOFIDELIDADEBONDADEBENIGNIDADALONGAMINIDADEPAZALEGRIAAMORREDENÇÃO

320320320320320320
E A VERDADE VOS LIBERTARÁ

MISSÕES SE FAZ DE TRES FORMAS:

1-COM OS JOELHOS DE QUEM FICAM

2-COM AS MÃOS DOS QUE CONTRIBUEME

3-COM OS PÉS DOS QUE VÃO

PASSOS PARA A RESTAURAÇÃO DA NOSSA PERSONALIDADE.

1) Ter um bom diagnóstico da nossa personalidade.

2) Identificar as rejeições que nos traumatizaram, os modelos de autoridade que executaram


estas rejeições, nossas escolhas erradas que se tornaram em falhas ou pecados crônicos em
virtude disto.

3) Perdoar os modelos de autoridade que falharam conosco, nos responsabilizando por nossas
escolhas pecaminosas.

4) Confissão de CULPAS e vergonhas. Deus quer chegar no ponto onde nós não queremos que Ele
e nem ninguém chegue nas nossas vidas. Este é o ponto da cura.“O que encobre suas
transgressões jamais prosperará; mas o que confessa e deixa alcançará misericórdia. Pv 28.13”5)
Perseverar na posição tomada (estar no lugar de permanência em Cristo), desenvolvendo uma
vida aparente com Deus e com as pessoas....nenhuma condenação há para os que estão em Cristo
Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espiríto (Rm 8:1)

321321321321321321
322322322322322322
DADOS BIBLIOGRÁFICOS

 Egito, Deserto, Canaaã – Eneé as Tognini


 A vida Molda no Novo Testamento – N B. Harrison
 O Supremo Propoé sito - Devern F. fromke
 Da Silveira, Jeroô nimo Onofre - O Dom de Adquirir Riquezas
 O Dom de Autoridade do Crente – K. Hagin
 A Feé Criativa – T.A.Hegre
 Como Ser Liberto do Poder do Pecado. T.A. Hegre
 As Quatro Dimensoã es do Evangelho- A. B. Simpsom
 Liçoã es Para o Viver Cristaã o – Watch Man Nee
 Apostila nº 4 O altar na Bíéblia – Harold Walker
 A Cruz – Watch Man Nee
 Apostila O pecado da Murmuraçaã o – Marcos Vieira Monteiro
 Jornal da Renovaçaã o – Vera Reinhemer- Estudo Bíéblico
 Israel nas fronteiras de Canaaã –
Http://jesus4life.blogspot.com
 Antoô nio Neves de Mesquita - Estudo no Livro de EÊ xodo.
 Esboços de Mensagens-Reverendo Jer Soares
 Anotaçoã es –Watch Man Nee- Internet

 Do Egito a Canaaã – Walter Alexandre

 A Cruz – W.Nee

323323323323323323
66

LEIA E ADQUIRA OS LIVROS E AS APOSTILAS DO PASTOR JER


SOARES

 Curando os Enfermos Pelo Poder de Deus.


 Os Benefícios da Salvação.
 A Unção e o Manto.
 O Pensamento Positivo e a Fé Criativa.
 Uma anaé lise dos temperamentos
 A UÚ ltima Crise
 As treô s Fases da libertaçaã o
 O Obreiro Aprovado por Deus
 A Chave que Abre as Janelas do Ceé u

PARTICIPE DO CLUBE DOS MIL

Se quiser ofertar para nos ajudar na impressaã o de 1.000 00 exemplares


favor depositar e nos enviar o comprovante de depoé sito e nos
comunicar por e-mail ou por telefone.

Faça o Depoé sito no:

Banco Bradesco

Ageô ncia 1393-5

Conta Corrente 0010369-1

Em nome de Joseé Erone Rodrigues Soares

324324324324324324
67

Contatos:

Se voceô foi abençoado pela Leitura deste livro envie seu


testemunho para o endereço abaixo.

Email:pastorjoseerone@uol.com.br
Rua Borges de Medeiros 1813-Centro - CEP 95200-000 –
Vacaria-RS
Telefones: 54 9- 984 49 00 07 -54 3231 57 66
Joseé Erone Rodrigues Soares

325325325325325325
SOBRE O AUTOR

O pastor Joseé Erone Rodrigues Soares eé um autor profíécuo, eé mestre


no ensino da Palavra de Deus.

EÚ Cearense nasceu na capital, Fortaleza. EÚ um pregador decidido,


carismaé tico com dons de Deus e atraveé s do chamado do Senhor
ele obedece a Grande Comissaã o dada aé igreja.

Ele tem viajado por vaé rias cidades do Brasil e tem


tambeé m pregado em algumas cidades da Ameé rica do Sul e jaé realizou
confereô ncias de avivamento e fogo pelo Leste Europeu.

EÚ um pastor versado no conhecimento e no ensino das Escrituras


Sagradas. Tem um chamado pastoral e evangelíéstico, no sul, e atraveé s
de uma direçaã o estrateé gica implantou vaé rias igrejas em algumas
cidades do sul do Brasil.

Jaé pastoreou na regiaã o Sudeste e reside a mais de trinta e dois anos


no sul do Brasil. Formou-se em teologia Pastoral pelo SEMIB.
Seminaé rio e Instituto Bíéblico Betaô nia em Altoô nia –Pr, no ano de 1986.

Foi ordenado ao ministeé rio Pastoral ano de 1987 pela Association


of The Congragations the Luterans Renews , em Cleveland – Ohio
- USA

EÚ pastor Seô nior da Igreja Cristaã da Nova Aliança na cidade de Vacaria,


desde 1999. EÚ casado com Rozane Wullf e tem duas filhas , Eunice e
Isabelle. EÚ fundador da Aliança das Igrejas do Novo Pacto e realiza por
vaé rias cidades do Brasil a Cruzada Cristo eé vida, evangelizaçaã o e
avivamento.

69

326326326326326326
DEDICATOÚ RIA

Dedico este livro a:

________________________________________________________________________________

Uma palavra de Amigo:_____________________________________________________

________________________________________________________________________________

________________________________________________________________________________

________________________________________________________________________________

________________________________________________________________________________

Data ____/_____/____

Autografado por:

_________________________________________________________________________________

327327327327327327
70

ORAÇÃO DA FÉ PELO POVO

328328328328328328
O PROCESSO DE CURA DAS PAREDES DO CORAÇÃO

A PAREDE DA REBELIÃO:

O comportamento de Rebeldia, é uma reação a toda rejeição sofrida, pelas figuras de

autoridade na vida humana.

O que estava fora do prumo de Deus nos dias de AMÓS?

1.Declínio dos padrões morai minando a sociedade da época.

2.O povo estava sem senso de direção.

3.O profeta Amós denunciou a corrupção social e religiosa de sua época.

329329329329329329
4.Ele advertiu ao povo do castigo Eminente de Deus.

5.Deus usa o seu prumo como forma de revelar suas verdades e valores.

O PRUMO É A MEDIDA AFERIDORA DE DEUS. O Prumo divino é sua Palavra que é usada por Deus

para que possamos conhecer a verdade e aprender o caminho que nos conduz a uma vida de

firmeza e estabilidade.

PARA ENTENDERMOS NOSSO SISTEMA DE AVALIAÇÃO EM REALAÇÃO AO PRUMO DE DEUS

PRECISAMOS RESPONDER QUATRO QUESTÕES;

1.QUEM SOU EU? (IDENTIDADE)

2.DE ONDE EU VENHO? PARA ONDE EU VOU? (OBJETIVIDADE)

Estas questões relatam a nossa história, herança e caráter e destino.

3.VALORES.O que realmente é importante para mim? O que realmente tem valor para é aquilo

em que eu invisto.

4.Cosmovisão.Que lentes eu uso para enxergar o mundo? As respostas pata todas as questões da

vida e como vive-las são ensinadas na Palavra de Deus e na vida de Jesus Cristo.

330330330330330330
1.Apresentar o plano divino de Deus para o Homem.

2.Or i e n t a ç ã o p r o c e s s o d e a r r e p e n d i m e n t o :

a-assumir responsabilidade.

b.Decidir abandonar práticas autodestrutivas.

c.Adotar atitudes corretas, construtivas, santas. Manutenção dos

Relacionamentos

Entendemos que Deus nos dotou de uma identidade pessoal, e para andarmos na identidade

correta precisamos conhecer a resposta para algumas perguntas importantes:

• Quem somos?

• De onde viemos?

• Para onde estamos indo?

• O que tem valor para mim?

Durante toda a nossa vida somos afetados pelas experiências que possuímos e vivenciamos

desde a nossa tenra idade, ou até mesmo desde o período intra-uterino. Estas experiências, boas

ou ruins vão ser formadoras e influenciadoras diretas da nossa identidade. Através delas, os

tijolos do nosso coração foram erguidos e muitos deles, ou mesmo a sua maioria, não estão retos

e ajustados.

331331331331331331
Através deste estudo, deixaremos Deus nos conduzir a percepção daquilo que precisa ser

ajustado em nós através de Seu PRUMO.

Cada um dos tijolos tortos que empregamos para construir as paredes do nosso coração

constitui um empecilho para que nossa personalidade se desenvolva da maneira como Deus

planejou.

Sendo assim observaremos nossas tendências e identificaremos em nós mesmos a situação da

nossa própria vida.

Para isso avaliaremos alguns tijolos levantados em nós através do tempo e para que lado eles

pendem em suas paredes formadas:

PAREDES DA REJEIÇÃO.

Se uma pessoa sofre rejeição por um prolongado período de tempo, isso pode gerar distorções
psicológicas sérias e perigosas. Vamos analisar alguns dos tijolos decorrentes da rejeição em
nossas vidas. Há três áreas onde somos afetados pela rejeição:

1) EMOÇÕES (ALMA)

2) PENSAMENTOS (INTELECTO)

3) ESPÍRITO

Vamos iniciar avaliando os tijolos que definem a área das emoções (alma):

TRISTEZA: podemos definí-la como um sentimento de pesar, de infelicidade, demonstração ou

causa de sofrimento. É normal uma pessoa ficar triste durante algum tempo por uma perda ou

situação de dor, por exemplo. Mas se alguém se mantém assim por períodos prolongados, a

332332332332332332
tristeza se torna crônica. A Bíblia chama este tipo de tristeza de “veste de espírito angustiado

(obscuro, sombrio, fraco)” (Is.61:3). A tristeza é uma emoção que adotamos como forma de

reagir a seguidos atos de rejeição ou frustração por parte de alguém que nos é importante ou

situação não resolvida. Em momentos de tristeza, precisamos buscar a Deus Pai, nossa verdadeira

fonte de consolo em meio ao sofrimento.

Biblicamente temos uma promessa contra a tristeza: Is.61:3, o Espírito Santo nos envolverá

com adoração. Isso significa que temos o remédio contra esse sentimento da alma, nos apossar

em fé de sermos envolvidos pela consciência de quem Deus é e como nos ama.

AUTOCOMPAIXÃO: Ter pena de si mesmo. Quanto mais nos entregarmos a esse tipo de atitude,
mais nos habituaremos a recorrer a ela nos momentos de adversidade.
O que sofre deste sintoma está sempre procurando o consolo dos outros, manipulando-os para
que reforcem a sua auto-piedade. Com o passar do tempo, essa pessoa terá um abismo profundo
que nada e ninguém preenchem, e ele próprio não consegue encarar seu problema e nem buscar
soluções para ele.
Geralmente a pessoa que é dominada por este sentimento tem dificuldade de enxergar e
admitir.
O remédio bíblico para a autocompaixão é a prática de ações de graça (Cl.2:6 e 7) (gr.
gratidão e espírito de generosidade)

AUTODEPRECIAÇÃO: É a atitude de nos voltarmos contra nós mesmos por havermos sofrido

ausência ou afirmações negativas que formaram a nossa identidade.

É um sentimento negativo contra si mesmo. Algumas pessoas experimentam esporadicamente,

para outras já se tornou crônico e distorce sua personalidade.

Este sintoma é uma das tarefas mais difíceis para um conselheiro na ajuda das vítimas deste

mal. Ex. muitas pessoas que são abusadas sexualmente sofrem deste mal, pois se consideram

impuras e culpadas. O caso de incesto (sexo entre familiares), também se constitui uma das

principais causas da autodepreciação, pois, como todo o tipo de lascívia, o incesto abala

fortemente o senso de valor próprio de quem é vítima dele. A experiência é tão traumática para

a vítima que ela passa a abrigar sentimentos de auto-acusação e mágoa de si mesma, além de se

sentir traído por um membro de sua própria família, lugar onde deveria se sentir seguro.

Quando essas emoções não são resolvidas, dão origem à autodepreciação.

333333333333333333
O apontamento bíblico para a cura da autodepreciação está em Rm.12:1 a 3: renovação da

mente (gr. Restauração e completa mudança do poder de percepção e entendimento). O Senhor

nos diz que “não devemos pensar de nós mesmos além do que convêm, antes com moderação

(mente saudável ) segundo a medida da fé (convicção que recebemos de quem somos em Deus).

Existe um pensamento de Deus acerca de quem você é, e o caminho da cura é buscar na Palavra

que pensamentos são esses e em fé recebê-los no seu interior!

DEPRESSÃO: esta é uma moléstia que tem aumentado muito, principalmente entre jovens. A
melhor e a mais simples explicação que se pode dar sobre a depressão é que se trata da reação
que temos frente a alguma perda sofrida. Inicialmente, os sintomas são: declínio da vitalidade e
das energias, tristeza e cansaço. O segundo estágio é o desinteresse pela vida social,
afastamento dos relacionamentos e queda das atividades no trabalho e em casa. Dificuldade de
concentração, sendo que há um assédio do sentimento de culpa, auto condenação e
autodepreciação, então daí pode surgir a insônia.
O que muitas vezes ignoramos é que a depressão é basicamente uma mensagem que o
nosso organismo nos envia, comunicando que alguma coisa está errada e precisa ser corrigida. O
medicamento pode alterar o nosso humor, mas não afeta a nossa alma. Na maioria dos casos, o
que precisa ocorrer é a cura da ferida causadora do mal. Alguns dos distúrbios orgânicos ou
hereditários que afetam o humor podem ser causados pela carência de substâncias bioquímicas,
que nestes casos precisam ser repostas no organismo, contudo essa carência é responsável por
apenas 5% dos distúrbios mentais em nossos dias. A depressão pode ser causada por uma
complexa associação de fatores físicos e mentais. Contudo quem ignora a conduta moral (alma)
do paciente, não está fazendo uma análise completa dos fatos.
APATIA: é a fase inicial do processo de perda pelo interesse pela vida. É uma existência sem
emoção, sem sentimentos, mente indolente. Esse horrível elixir do diabo pode ser ocasionado por
desilusões e adversidades. A apatia é causada por sentimentos e idéias de rejeição e fracasso. A
repetição contínua de fatos que causam dor podem levar a um processo de apatia, que trará
consigo resultados trágicos, caso não haja intervenção. A perda do interesse pela vida começa
afetando a nossa mente, em seguida a nossa alma, nosso físico e por fim o espírito. A
restauração bíblica para essa doença na alma é a própria pessoa de Cristo. Em João 14:6, Ele diz
que é o caminho, a verdade e a vida (gr. Estado de vitalidade e animação, plenitude, vida real e
genuína, ativa e vigorosa). Essa vida vai alem da visão física, ela alcança o interior. Em João
6:35 , Ele afirma ser o pão da vida, aquele que vem a Ele (se apresenta e deixa-se ser
influenciado por ) não terá fome.

334334334334334334
Vamos avaliar agora os tijolos que definem a área dos pensamentos (mente):

Há uma afirmação bíblica que às vezes passa por nós de forma imperceptível no seu poder e
autoridade. O Senhor disse: “Nós, porém, temos a mente de Cristo!”(2 Cor.2:16)
O que isso significa? Recebemos da parte de Deus uma capacidade de compreendermos as
verdades espirituais, o poder de ponderar e julgar sobriamente e não nos apossamos disse em fé,
antes ignoramos tal princípio e deixamos que circunstâncias e pessoas ditem quem somos nós!
Necessitamos voltar nossa mente para as profundezas de Deus e recebermos Dele a verdade
sobre nós mesmos.
COMPLEXO DE INFERIORIDADE: aqueles que dizem: “Você não é melhor do que eu”, geralmente
na verdade não pensam assim, se pensassem não diriam. “Um cão São Bernardo não diria isso a
um cachorrinho de pelúcia, um filósofo tampouco o diria a um iletrado... o que na verdade esta
afirmação externa (traz para fora) é aquela incômoda, dolorosa e inquietante sensação de que
se é inferior.”C.S. Lewis.
A área dos pensamentos é uma das principais que o diabo manipula. O complexo de inferioridade
abala profundamente a mente do indivíduo e paralisa sua capacidade de pensar com clareza.
Quem sofre atos freqüentes de rejeição acaba se convencendo de que é inferior aos outros. E
assim que chega a esta conclusão começa a elaborar pensamentos que se justifiquem: “Não sou
capaz. As pessoas não me amam. Isso em mim é horrível! Sou baixo. Meu nariz é muito grande.
Sou muito burro, etc...” Todos nós que nos convencemos de que somos inferiores aos outros, seja
por que razão for, tornamo-nos presas fáceis do diabo, que passa a nos intimidar. O CI e a
incredulidade andam de mãos dadas para destruir nossa confiança. Os dois juntos nos roubam as
vitórias que poderíamos obter pela fé.

Biblicamente, precisamos ser tratados na visão que Deus possui sobre nós e permitir que sejamos

ajustados ao Prumo Divino nesse aspecto. Jeremias 29:11 afirma que Ele possui acerca de nós

“pensamentos de paz” (idéias de nos fazer completos em todos os aspectos). O Salmo 139 é uma

carta de amor de Deus a nós, que vem para combater tudo o que pensamos de errado acerca de

nós mesmos, pq mesmo nos esquadrinhando profundamente, Deus afirma que não abrirá mão da

nossa presença!

INSEGURANÇA:é a falta do sentimento de segurança, desproteção, carência de afirmação que


leva à preocupação. A insegurança é causada por males modernos como famílias divididas ou
disfuncionais (pai ou mãe com vícios, cenas de violência, etc...). é uma consequência direta de

335335335335335335
carência afetiva e dos atos de rejeição sofridos na infância. Há relatos de que cobranças
excessivas sobre o ser humano gerará nele o sentimento de insegurança quanto à sua
capacidade.
Por outro lado, o senso de segurança acha-se diretamente relacionado com o amor. Pesquisas
mostram que crianças criadas num ambiente sem amor, geradas numa gravidez indesejada, filhos
rejeitados por não serem do sexo que os pais queriam, pais excessivamente preocupados só com
seus próprios interesses, pais autoritários e exigentes que dão aos filhos pouco carinho e raras
demonstrações de amor vão provocar na criança um forte senso de insegurança. Observamos na
Palavra que Deus tem uma séria preocupação em afirmar-nos de diferentes formas,
demonstrando-nos o Seu interesse e amor por nós. Tome porções dessas palavras e comece a
proclamá-las para si mesmo. Ela não voltará vazia.
SENSO DE INAPTIDÃO (FRACASSO): um dos mais sérios problemas de quem sofre rejeição é o de
passar a considerar-se incapaz. O indivíduo sofre de um constante senso de fracasso ou
inaptidão: “Não dou para nada, tudo que faço sai errado...” Muitas pessoas vivem obcecadas
pelo medo de errar, e quando erram, não conseguem se reerguer e tirarem lições daquela
experiência negativa. Elas se desmoronam, já que foram condicionadas a crerem em mensagens
que lhes foi comunicada na infância. Se experimentamos fracasso e fomos rejeitados, isso nos
acompanhará e começamos a acreditar que nem mesmo a graça de Deus pode nos alcançar.
SENTIMENTO DE CULPA: todos nós possuímos um alarme interior que nos poupa de sofrimentos e
nos pode livrar até da morte. Ele pode acender a qualquer momento e cabe a nós decidirmos
qual atitude adotaremos em relação a ele. Há dois aspectos dignos de atenção nesse tijolo,
precisamos estar sensíveis porque segunda a Palavra, Deus pode usar a nossa consciência para
nos orientar acerca do certo e do errado (Hb.13:18).

Se o nosso sentimento de culpa for dirigido pela pessoa De Deus e avaliado pelo crivo de Sua

Palavra, então ele se torna necessário e abençoador para as correções diárias da nossa vida. No

entanto, se é baseado em conceitos humanos que nos foi ensinado ou distorcido, ele se torna

uma arma destrutiva e ameaçadora que impede-nos de experimentarmos o perdão e a graça de

Deus, tornando-nos pessoas que também não estendem esta graça e perdão aos outros e nem a

nós mesmos.

O remédio bíblico para o sentimento de culpa é termos a nossa consciência afetada por Cristo e
pelos valores contidos em Sua Palavra . 1 Tm.1:18 e 19.
Vamos avaliar agora os tijolos que definem a área do espírito:

336336336336336336
Em Provérbios 20:27, lemos que “O espírito (lugar da revelação e comunhão de Deus com o
homem) do homem é a lâmpada do Senhor, a qual esquadrinha todo o mais íntimo do corpo.” A
figura da lâmpada aqui é aquilo que mostra o espaço que Deus ocupa no homem. Quando alguém
escolhe o prumo da rejeição em vez do prumo de Deus, começa a viver em posição inclinada, e
isso afeta negativamente seu espírito. Então surgem tijolos perigosos. Tais características estão
intimamente relacionadas com a visão distorcida de Deus!
AMORTECIMENTO:a pessoa sente-se vulnerável ao pecado, sem autoridade, sem poder, sem
expressão. Aqui se torna extremamente aberta a qualquer sugestão maligna, correndo o perigo
de apagar o espírito de Deus. Em Romanos 8:10 encontramos um principio curador para esse mal:
Cristo habitando em nós nos traz condição de vivermos uma vida ativa e vigorosa para Deus!
AGONIA: O espírito do homem foi criado para viver em íntima comunhão com o Espírito de Deus,
quando o quadro da rejeição atinge o espírito, começa então uma situação onde tal pessoa
agoniza-se diante das situações, desacreditando na presença de Deus em si mesma e no Seu
interesse por ela. A agonia tem o poder de gerar em nós um questionamento da Paternidade
Divina. Em Romanos 8:16, a nossa filiação é confirmada no nosso espírito pelo próprio Espírito
Santo, por isso devemos em fé, nos apossar de tal verdade e aplicá-la a nossa vida.
EXTINÇÃO(MORTE): A rejeição vai acentuando o desmotivar pela vida na pessoa. O processo vai
se tornando cada vez mais profundo e delicado, então a esperança é abolida dando lugar a
pensamentos de morte.
É no espírito que acontece a comunhão (1 Cor.6:17), por isso, quando afetado, perdemos o
sentido da vida, uma vez que fomos criados para a comunhão com Cristo.
DESÂNIMO: Aqui temos uma ilustração. O diabo montou uma banca no mercado para vender suas
mercadorias. O artigo de preço mais caro era um instrumento de aparência bem estranha.
Alguém lhe perguntou para que servia aquilo, e ele respondeu:
- É o desânimo, minha arma mais eficiente. Vou trabalhando numa pessoa com esse elemento até
que ela chegue ao desespero.
E rindo ele continuou a revelar sua estratégia operacional. “Assim que ela cai em desespero, não
é mais páreo para mim”. Torna-se minha escrava e prisioneira. E como me sinto feliz quando
deixo os crentes desesperados com seu ministério ou com sua família, seus problemas
financeiros, com tudo enfim! Depois basta um empurrãozinho no momento certo, e a oposição
que eles fazem ao meu reino termina para sempre.
Por algumas vezes, o apóstolo Paulo termina suas cartas com a seguinte frase: “A graça do nosso
Senhor Jesus Cristo seja com o vosso espírito”. Quando avaliamos essa ministração, entendemos
aqui o significado da palavra graça é: aquilo que dá alegria, prazer e condição espiritual de
avançar! Seja para você hoje essa verdadeira e completa afirmação!

337337337337337337
DESESPERO: aflição que é externada fisicamente e emocionalmente. No desespero o homem
não consegue mais esperar em Deus. Nesse ponto, perde-se o fio da comunicação. A palavra de
Deus afirma em 2 Tm.1:7 que “Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de
amor e de moderação” , isso significa que não há mais lugar para o medo em nós.
Somos conduzidos a Deus em Cristo com o espírito vivificado (1 Pd.3:18), ou seja, em Cristo o
nosso espírito tornou a viver, foi desperto, revigorado e pronto para crescer!!! Essa verdade
constitui-se num forte principio contra o tijolo do desespero.
Finalmente, o último degrau da rejeição é o SUICÍDIO. A pessoa que sofre da rejeição sempre
terá tendências de fazer o mal contra si mesma.

PAREDES DA REBELIÃO

Vamos passar a analisar a parede da rebelião, tijolo por tijolo. Analise e assinale todos os tijolos

que fazem parte da sua personalidade. Como na rejeição, eles se manifestam em três áreas:

1) EMOÇÕES

2) PENSAMENTOS (INTELECTO)

3) ESPÍRITO

Avaliando as emoções temos:

338338338338338338
AGRESSIVIDADE: às vezes a simples lembrança de algo que nos foi feito e nos machucou vem a
tona sob a forma de hostilidade manifesta em atitudes ou palavras, que geralmente nos trará
espanto ao percebermos o que estava dentro de nós mesmos. A raiva pode ser exteriorizada de
maneira positiva, mas quando isto não acontece o extravasar da agressividade pode ser muito
perigoso. Se uma pessoa é continuamente magoada, sua raiva será contínua.
Quem vive exasperado (abrigando sentimentos de raiva), provavelmente abriga algum conflito
interno não resolvido ou uma mágoa profunda ainda não curada e quando um indivíduo não
encontra meios de externar essa raiva de forma aceitável, ela se aprofunda, esse processo pode
gerar um comportamento instável, primeiro ele se controla excessivamente, depois tem fortes
explosões de cólera. Nesses casos, as emoções podem acumular-se de tal maneira que a pessoa
ou se sente profundamente deprimida ou então abriga uma raiva explosiva, a única forma de
extravasamento que conhece. Quando alguém insiste em reprimir continuamente sentimentos
dolorosos, eles poderão manifestar-se mais tarde sob forma de doenças mentais ou distúrbios
emocionais.
A palavra de Deus em Efésios 4:29 a 32 é clara acerca dessa atitude, e estabelece o princípio
do perdão como o prumo nessa situação.
PRESUNÇÃO: qualidade de quem é indiferente aos outros achando-se melhor e num alto grau de
vaidade pessoal e egocentrismo.
O presunçoso geralmente enfrenta o problema da solidão, todos os que poderiam ser seus
amigos se mantêm distantes devido à sua atitude de desdém ou aos comentários depreciativos
que faz. Esta atitude de julgar-se superior afasta as pessoas. O presunçoso procura aumentar seu
senso de valor próprio às custas de outros, e assim perde a companhia deles.
A presunção manifesta-se de forma ativa (clara e visível) ou passiva (interior e escondida).
Se olharmos com cuidado vamos observar em 2 Cor.10:5 que a altivez ou presunção impedem a
revelação de Deus na vida daquele que a possui, e em Pv.16:18 aponta-a como o que antecede a
queda!
SOFISTICAÇÃO: deriva do termo “sofisma” que significa alterar alguém ou alguma coisa a ponto
de privá-la de sua simplicidade com o objetivo de enganar. Estas pessoas que parecem ser
altamente sofisticadas na verdade são artificiais e falsas, dão a impressão de ser equilibradas e
tranqüilas, procuram manter um ar de independência e autoconfiança, tentando mostrar que
tudo está sob controle, no fundo, porém são inseguras, sofrem de inferioridade e diversos tipos
de fobias.
A sofisticação anda de braços dados com a religiosidade, dando uma aparência de vida,
quando na verdade está morto. Como ela lida com o que é mentiroso e enganador, torna-se o
contrário da verdade.

339339339339339339
Jesus condenou abertamente em Lc.11:37 a 44 a sofisticação dos fariseus, e essa palavra
continua sendo contemporânea e real a nós. Todos os valores daqueles que estão edificados pela
sofisticação são afetados por esse tijolo.
INCONSTÂNCIA: é muito normal experimentarmos pequenas variações de humor diante de
conflitos ou pressões. As crises que nos ocorrem são como um quebra-molas numa estrada. E do
mesmo modo como os amortecedores do carro fazem o movimento de molejo, assim também
nosso humor sobe e desce. Isso é normal. E muitas vezes vamos da depressão para a exultação
(euforia) com muita facilidade e vivemos uma oscilação agitada entre estes dois estados.
Se essas oscilações de humor se agravarem muito podem causar um colapso do controle
emocional, que é chamado de psicose.
Durante o processo da inconstância, a alma começa a experimentar um vai e vem emocional,
um estado de desassossego e entra em desequilíbrio.
A inconstância gera infidelidade a Deus (Sl.78:1 a 8) e os nossos relacionamentos são afetados
por ela (Tg.1:1 a 8)
Vamos avaliar os tiljolos que definem a área dos pensamentos:
ESPÍRITO COMPETITIVO: a principal característica desse tijolo são as pessoas que trabalham para
alcançar a admiração dos outros. Existia um certo homem que dava a impressão de estar no
auge da sua vida e ministério, de achar-se muito bem ajustado, mas certo dia quando mencionou
o tempo, a energia e o esforço que dedicara ao serviço cristão começou a chorar. Sentia-se
exausto, à beira de um colapso nervoso e percebia que em quase tudo o que fizera tivera o
objetivo apenas de conquistar a admiração das pessoas e até de Deus. Como chegara a este
ponto?
Como muitas pessoas, ele fora vítima de uma criação errada, só seria amado e recebia
demonstrações de apreço quando procedia corretamente, esse tipo de fortaleza torna-se a base
do espírito competitivo. O amor de seus pais era condicionado, estavam sempre exigindo que ele
atingisse certos padrões, como por exemplo tirar só boas notas na escola e ser o melhor em tudo
o que fizesse.
Contudo, mesmo quando seu desempenho era o melhor possível, eles ainda o criticavam muito e
as demonstrações de apreço eram muito raras. Ao incentivá-lo, deixavam sempre claro que ele
poderia Ter feito melhor. O conceito que se formou dentro dele foi o de que sem um bom
desempenho em tudo não seria amado. É por causa deste tipo de criação que muitos adultos
vivem tentando aprimorar-se na vida apenas para receber a aprovação e o amor dos outros, e
agem assim até com Deus, trabalham para Ele no desejo de conquistar um amor já plena e
liberalmente oferecido ao homem, mas que eles ainda não se apropriaram. A mais grave
conseqüência é a falta da revelação da Graça de Deus, o apropriar-se do amor pela graça.

340340340340340340
É muito importante que ofereçamos demonstrações de amor aos nossos filhos nos momentos em
que eles não tiverem fazendo nada de especial, quando estiverem sentados no chão, montando
seus brinquedos, lendo, ou assistindo TV, então devemos abraçá-los e falar o quanto são
especiais e amados por nós. Quando se tornarem adultos compreenderão que Deus os ama, não
por aquilo que fazem, mas por aquilo que são!
POSIÇÀO DE DOMÍNIO: é um tijolo que trabalha contra a submissão. A submissão é a atitude
voluntária baseada no amor. Pessoas que foram feridas de forma rígida com suas figuras de
autoridade e pendem pra rebelião tendem a detestarem toda e qualquer liderança sobre
si. Correm para o domínio como uma forma de não sentirem a dor repetitiva do abuso de
autoridade.
No aspecto familiar, muitas mulheres estão assumindo o papel de liderança no lar, passando a
dominar todo o relacionamento conjugal. O que vem provocando esta mudança na família? Essa
dominação feminina é fruto de sentimentos de insegurança, que por sua vez são causados por
carência afetiva. Os maridos não sabem como amar as suas esposas, têm desejo por ela, mas
parecem não conseguir diferenciar a lascívia do amor. Quando o marido se relaciona com a
esposa só na base sexual, ela se sente insegura e usada. O resultado é um forte sentimento de
frustração que pode até causar a frigidez. Numa tentativa de evitar o problema, ela procura
manipular o cônjuge de forma que ele atenda à sua necessidade de ser amada. Quase sempre
essas estratégias de dominação podem destruir o relacionamento do casal e é isso que ocorre em
muitas famílias hoje.

INFLEXIBILIDADE: qualidade do que é duro, não flexível, que não se dobra. Este tipo de pessoa

não admite que outras pessoas tenham opiniões contrárias às suas, isso o faz pensar que seria o

mesmo que admitir que esteja errado, o que deprecia bastante seu senso de valor próprio.

Pessoas assim, em sua maioria, foram criadas num ambiente duro e legalista, onde os conceitos

foram inseridos para não serem mudados.

Precisamos nos lembrar que nossos valores não são absolutos, apenas os de Deus são,

portanto precisamos nos dobrar ao que Ele quer imprimir dentro de nós. A inflexibilidade

impede essa rendição.

Seja sincero consigo mesmo e avalie como tem sido a sua reação quando as estruturas de sua

vida se modificam ou são removidas?

TEIMOSIA: também chamado de obstinação, este é um dos maiores problemas humanos para
Deus. Muitas vezes a teimosia tem origem na insegurança que nos domina ao depararmos com

341341341341341341
situações desconhecidas. O resultado é que não confiamos em Deus e deixamos de lhe obedecer.
A teimosia também pode ser fruto de hábitos que formamos no decorrer de certo período de
tempo, atitudes que tomamos com todo o tipo de figura de autoridade porque fomos abusados
neste aspecto.
O Salmo 86: 10 a 16 apontam a maneira com a qual Deus trabalhará com o teimoso, entregando-o
ao seu próprio coração.
RESISTÊNCIA AO APRENDIZADO: muitas pessoas têm a sua identidade pessoal baseada no seu
conhecimento pessoal e relutam em admitir o aprender de um fato novo e quando enfrentam um
problema, em vez de procurarem tirar dele alguma lição e modificarem o que for necessário,
entram numa terrível crise de identidade. A Bíblia diz que nada pode nos separar do amor de
Cristo, é o amor e não o conhecimento que nos ajuda a aprender uns com os outros. Através do
amor, podemos comunicar verdades uns para os outros e assim crescer até a estatura de Cristo,
que é o único que TUDO sabe.
A pior característica desse tijolo é a ausência de um coração ensinável, tal atitude pode
nos conduzir a resistirmos até a pessoa do Espírito Santo.
A bíblia nos diz em Pv.11:14 e 15:22 sobre a importância do conselho de pessoas maduras em
Deus e que exerçam sobre nós uma espécie de mentoriamento.
Há um caminho singular para o derrubar de tais tijolos em nossos pensamentos através do amor.
Observemos o texto de 1 João 4:16 a 21
O significado exato dessa palavra Amor nesse texto é que Deus possui boa vontade a nosso
respeito para nos dar tudo aquilo que nos é necessário para uma vida feliz e os seus banquetes
alcançarão a nossa vida. Banquetes de amor.

Vs.16 - E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que

permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele.

• Conhecer e crer – entender e depositar confiança total.

• Permanece no amor, permanece em Deus – ser sustentado por esse amor, não procurando

outros meios, será sustentado pelo próprio Deus.

Vs.17 - Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos
confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo.
• Aperfeiçoado – completar o que resta ser feito em nós, executar completamente, acrescentar o
que está faltando, a fim de tornar-nos completos.
Vs.18 - No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo
produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor.

342342342342342342
• Medo: terror, aquilo que contamina e espalha a outros o medo do nosso coração.
• Perfeito amor – ligado a nossa maturidade interior.
Vs.19 - Nós amamos porque ele nos amou primeiro.
Vs.20 - Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não
ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê.
Vs.21 - Ora, temos, da parte dele, este mandamento: que aquele que ama a Deus ame também a
seu irmão.
• O amor pelo próximo citado nesses versículos significa: receber com alegria e respeito,
acolhendo-o dentro do seu coração, sustentando-o, carregando-o e sendo para ele suporte em
suas falhas e necessidades.

Em nossa natureza humana, na medida em que vamos tendo experiências de vida, nossa
personalidade vai sendo moldada que nos vai dando formas individuais para cada um.

E no mundo do qual vivemos hoje é pautada em falsos prumos que nos levam as grandes
conseqüências na vida, pois é como uma parede fora de prumo prestes a cair e o quanto ela esta
torta, a Palavra nos mostra que somos como casas, são construídas com tijolos de experiências
diárias, quando se levanta uma parede é necessário que verifique senão está torta e por isso
usamos um instrumento chamado prumo. Mas sentimos a necessidade de felicidade e gozo e por
isso construímos paredes que trazem essas sensações para nossa própria satisfação. Através disso
muitos usam o prumo da razão para levantar paredes que serão para sua vida e através dessa
edificação que são formadas a identidade e personalidade de cada um.

Mas que por muitas vezes não serem feito com o prumo da Palavra de Deus, trazem
prejuízos e angústias e trazem falsas impressões que vão se acumulando até levar as ruínas e
destruição.

Se as paredes da sua casa não estiverem nos prumos da Palavra de Deus, não resistiram às
tempestades levando a serem desastrosas, hoje podemos observar que mundo está repleto de
desajustes e influências que acabam causando problemas em nossas vidas que nos influenciam
em nossa personalidade.

343343343343343343
Se você ler em Ez 18: 2 “... Os pais comeram uvas verdes e os dentes dos filhos é que se
embotaram?”. Palavra fala da influencia dos pais na vida dos filhos, pois as uvas verdes falam dos
pecados, então se os pais não tiverem uma casa (vida) edificada na Palavra de Deus tendem a
transmitir influencias negativas aos filhos.

Cada tijolo que empregamos para construir as paredes do nosso coração é um empecilho
para que nossa personalidade se desenvolva da maneira como Deus planejou.

Mas os prumos humanos provocam reações para nossa personalidade, pois às vezes temos a
necessidade de nos livrar dos males e sofrimentos então começamos a construir paredes ou
muros ao nosso redor para uma proteção. As paredes que erguemos fora de prumo ao nosso
redor, são o resultado das experiências amargas sofridas ao longo de nossa vida, com o propósito
de nos defender dessas agressões Sem saber que na verdade não é dessa proteção que
precisamos não precisamos nos esconder do mundo e sim saber conviver nele, pois estamos no
mundo, mas não somos do mundo.

Existem tipos de personalidades como:

Personalidade Cordata – São pessoas eficientes e ativas, prontas a ajudar, porém gostam de estar
cercada de pessoas para satisfazer suas carências emocionais, se uma pessoa assim sofrer uma
desilusão é capaz de se aprofundar num mar de depressão e rejeição por isso e a partir daí
confiar menos nas pessoas.

Personalidade Derrotista – São pessoas que precisam se sentirem úteis e amadas pelos outros.
Normalmente dizem coisas negativas. Tipo:

- Ninguém liga mais pra mim!;

Nunca vou conseguir nada!;

- Não dá mais!;

- Desisto!

Personalidade Competitiva – São pessoas que mais tem no mundo hoje, sempre competindo,
sempre querendo ter destaque em todas as suas ações.

344344344344344344
Personalidade critica – São pessoas que geralmente manipulam e querem manter as pessoas na
linha.

Mas Deus com sua misericórdia não quer nos deixar desprotegido a mercê de tudo, Ele
deseja nos dar um novo muro que é o da Salvação, Através das operações do Espírito Santo para
que as paredes tortas, paredes das rejeições e revoltas possam ser demolidas e todo o entulho
seja removido para edificação desse muro tão desejado. Precisamos ser curados destas coisas
através da renovação da nossa mente e no espírito do nosso entendimento. Isto significa que
podemos ser transformados e livres das influências destrutivas tanto do passado quanto do
presente. Esta Obra de edificação terá sequência durante toda a nossa vida

345345345345345345
O PRUMO DE DEUS

Através deste estudo, deixaremos Deus nos conduzir a percepção daquilo que precisa ser
ajustado em nós através de Seu PRUMO

346346346346346346
O Prumo de Deus

Amós 7:8: “E o Senhor me disse: que vês tu Amós? E eu disse: Um prumo. Então disse o Senhor:

Eis que eu porei o prumo no meio do meu povo Israel: Nunca mais passarei por ele”.

A profecia começa com uma pergunta. “Que vês tu, Amós?” Este tipo de pergunta é uma

oportunidade para que haja uma explicação do que o profeta estava vendo. Deus nunca deixa os

filhos dEle sem que entendam plenamente o que Ele quer. Deus estava pronto a dar toda a

explicação que Amós precisasse para orientar o povo sobre o que Ele estava pensando a respeito

deles.

Mas o que é um prumo? “O prumo consiste de um fio com um peso qualquer em uma das

extremidades, como uma pedra ou pedaço de metal. Seu uso é o mesmo desde a Antiguidade até

os nossos dias. Os pedreiros usavam e ainda usam para encontrar a verdadeira perpendicular,

para que possam construir paredes, edifícios, templos, que se mantenham na vertical e não

caiam. A arqueologia tem demonstrado a existência desse instrumento pelo menos desde o ano

2900 a.C., no Egito” (Enciclopédia de Bíblia Teologia e Filosofia vol.5 pg. 490).

347347347347347347
Amós não tinha dúvidas do que estava vendo. Ele tinha familiaridade com o prumo pois o

reconheceu com facilidade. A dúvida do profeta era o que Deus queria dizer ao mostrar-lhe esse

objeto. O Senhor dizia que o prumo seria colocado no meio do povo de Israel. O que isto

significava?

Amigo ouvinte, era chegada a hora dos habitantes de Israel serem avaliados por Deus. Eles seriam

examinados de forma tão séria como um construtor examina A obra dele para ver se ela está no

prumo, ou seja, se ela está em pé, exatamente na posição vertical.

Um outro detalhe importante: o prumo, em certo sentido, é usado para a destruição. Se uma

parede não está na posição correta o prumo vai mostrar, e ela terá que ser corrigida ou

dependendo da gravidade do problema, até deverá ser destruída. Portanto, o prumo também

serve para avaliar algo que será desmanchado ou destruído.

Os habitantes de Samaria passariam por uma avaliação séria, vinda da parte de Deus. O prumo

seria colocado bem no meio. Se o meio estivesse no prumo, o resto certamente estaria correto.

Deus estaria avaliando todos os detalhes que envolvessem este povo. O prumo seria colocado. A

verdade iria aparecer.

É importante lembrar que o erro não resiste ao prumo. Diante deste aparelho a verdade ou o erro

vão aparecer, gostem os seus responsáveis ou não.

O símbolo do prumo também foi usado por muitos profetas no velho testamento. Em II Reis

21:13, o prumo simboliza o juízo divino contra os habitantes de Jerusalém, que nesta época

estavam envolvidos até o pescoço com toda a espécie de práticas injustas, duvidosas e

distorcidas. O prumo sempre é colocado quando se tem dúvida ou se quer confirmar se algo está

devidamente construído. Já em Zacarias 4:10 esse pequeno instrumento simboliza a

determinação de Deus em impor um correto julgamento, requerendo dos homens uma verdadeira

retidão.

348348348348348348
Em Amós, porém, o prumo é usado para averiguar a verticalidade de uma parede, na visão

profética. Tem a finalidade de ensinar ao povo que eles seriam examinados, a fim de que as

iniquidades ficassem evidenciadas e fossem corrigidas.

Ao estudar esta profecia não podemos deixar de descobrir a grande lição que Deus esperava que

os habitantes de Israel descobrissem, ou seja, Deus vai passar no meio de Israel para avaliar o

povo dEle. Mas esta mensagem não era só para o Israel do tempo do profeta Amós. Esta

mensagem é para os nossos dias. Ela é para todos nós.

Amigo ouvinte, você está pronto para ser avaliado, não por seres humanos com os seus critérios

limitados e muitas vezes imperfeitos, mas pelo Criador de todas as coisas? Qual seria a avaliação

que Deus faria de seus sentimentos? Seriam todos eles aprovados pelo construtor do Universo?

Qual seria a nota que Deus daria para o seu linguajar? Todas as palavras que você usa, poderiam

ser usadas na presença de Deus? Como você se sentiria se Deus aparecesse nos ambientes que

você frequenta? Ficaria feliz ou decepcionado com você? Se Jesus fosse até você na hora de uma

refeição, quer em sua casa ou num restaurante, você continuaria comendo ou bebendo

normalmente? Você teria condições de convidar o Rei dos reis para participar de uma refeição

com você? Se você tivesse uma audiência com o nosso Senhor Jesus, iria com as roupas que

costumeiramente usa?

Sabe, o prumo foi colocado no meio de Israel. Os erros foram patenteados, tudo ficou claro.

Ninguém podia reclamar. O prumo estava mostrando a enormidade do pecado. Na presença de

Deus, na presença da fonte de verdade, na presença do Criador de todas as coisas, ninguém

poderá justificar seus erros.

Lembre-se que um dia o prumo de Deus será colocado em nossa vida também. Como Ele nos

achará? O prumo vai confirmar que estamos vivendo corretamente ou vai indicar que a única

coisa que resta é a destruição? A história não pode se repetir. A lição precisa ser aprendida com

aqueles que viveram antes de nós. Por isso existe a Bíblia. Para isso foram dadas as profecias.

Creia no Senhor Deus e você estará seguro. Creia nos profetas dEle e você prosperará.

349349349349349349
Jeremias 9:23-24

Aprendemos que quando estamos fora do prumo de Deus podemos ser levados aos impactos
negativos da:

REJEIÇÃO REBELIÃO

(a raiz da rejeição é a incredulidade) (a raiz da revolta é o orgulho)

Infelizmente (ou felizmente, dependendo de como olhamos a situação) pude identificar vários
frutos negativos (passados e presentes) na minha vida vindo dessas ramificações e as situações
que as causaram; mas também pude verificar a diferença que Jesus tem feito no meu caráter ao
longo da minha caminhada com Ele.

Deus nos pede para fazermos um compromisso de CRUZ com Ele e com o nosso próximo, que
significa morrer para nós mesmos viver verdadeiramente pela fé e com amor. O chamado de todo
cristão, independente de ser missionário, não é nada fácil! É o chamado de renúncia do EU!

350350350350350350
Vamos ver o que diz em Amós 7:7 que fala sobre o prumo de Deus:

"Mostrou-me também isto: eis que o Senhor estava sobre Um muro levantado a prumo; e tinha

um prumo na mão".

Precisamos passar pelo prumo divino para que haja restauração do nosso coração. Se você se

dispuser a viver segundo o prumo divino, terá de aceitar a cruz de Cristo.

Temos de crucificar os desejos carnais, e impuros que nos inspiram a sempre fugir de algo que

nos desagrada, temos de nos dispor a purificar-nos dos velhos desejos e seguir os novos em

verdade e amor, fazendo perecer na cruz de Cristo o egoísmo, o egocentrismo, a lascívia e a

ganância, para que Cristo vivo em nós. Jesus diz "quem acha a sua vida, perdê-la-á, quem,

todavia perde a vida por minha causa achá-la-á".

Para que ocorra a restauração, precisamos nos arrepender, confessar nossos pecados e

voltarmos ao altar e termos plena comunhão com Deus.

Todos nós, a cada vez em que pecarmos precisamos caminhar por aquela estradinha que nos

leva ao altar, Deus nos conclama a ser santos como ele é santo e sem santidade ninguém verá o

Senhor.

Deus quer corações quebrantados, que adorem a Deus, que goze de uma comunhão com ele.

Deus quer muitas vezes que deixemos tudo entrarmos em sua presença para adorá-lo e estar em

silêncio diante dele, e é ai que nos fortalecemos, que temos nossas forças restauradas e

aprofundarmos o relacionamento com ele.

351351351351351351
Deus está à procura de corações dedicados...

Coração firme na sua palavra

Coração comprometido com a oração

Coração obediente

Coração que serve, que se submete.

Coração que ama

Coração que ora fervorosamente

Coração que faz da casa um lar

Coração que zela pelo lar

Coração que cria ordem do caos

Coração fortalecido pelo crescimento espiritual

Coração enriquecido pelo regozijo do Senhor

Coração que demonstra cuidado

Coração que encoraja

Coração que estabeleça prioridades

Ou seja: Deus quer mulheres segundo o seu coração

352352352352352352
O PRUMO DE DEUS

TEXTO: Amós 7:8

INTRODUÇÃO: Através desta mensagem, Deus irá nos conduzir a percepção daquilo que precisa

ser ajustado em nós através de Seu PRUMO.O Senhor dizia que o prumo seria colocado no meio

do povo de Israel. O que isto significava?

Era chegada a hora dos habitantes de Israel serem avaliados por Deus. Eles seriam examinados de

forma tão séria como um construtor examina A obra dele para ver se ela está no prumo, ou seja,

se ela está em pé, exatamente na posição vertical.

O prumo, em certo sentido, é usado para a destruição. Se uma parede não está na posição

correta o prumo vai mostrar, e ela terá que ser corrigida ou dependendo da gravidade do

problema, até deverá ser destruída. Portanto, o prumo também serve para avaliar algo que será

desmanchado ou destruído.

Os habitantes de Samaria passariam por uma avaliação séria, vinda da parte de Deus. O prumo

seria colocado bem no meio. Se o meio estivesse no prumo, o resto certamente estaria correto.

Deus estaria avaliando todos os detalhes que envolvessem este povo. O prumo seria colocado. A

verdade iria aparecer.

É importante lembrar que o erro não resiste ao prumo. Diante deste aparelho a verdade ou o erro

vão aparecer, gostem os seus responsáveis ou não. O prumo sempre é colocado quando se tem

dúvida ou se quer confirmar se algo está devidamente construído.

Já em Zacarias 4:10 esse pequeno instrumento simboliza a determinação de Deus em impor um

correto julgamento, requerendo dos homens uma verdadeira retidão. O prumo tem a finalidade

de ensinar ao povo que eles seriam examinados, a fim de que as iniquidades ficassem

evidenciadas e fossem corrigidas. Esta mensagem não era só para o Israel do tempo do profeta

Amós. Esta mensagem é para os nossos dias. Ela é para todos nós. Lembre-se que um dia o prumo

353353353353353353
de Deus será colocado em nossa vida também. Como Ele nos achará? O prumo vai confirmar que

estamos vivendo corretamente ou vai indicar que a única coisa que resta é a destruição?

O QUE APRENDEMOS SOBRE A PROFECIA DE AMÓS? (Jeremias 9:23-24)

I-Aprendemos que quando estamos fora do prumo de Deus podemos ser levados aos impactos
negativos da:

REJEIÇÃO REBELIÃO

(a raiz da rejeição é a incredulidade) - (a raiz da revolta é o orgulho)

1-Infelizmente (ou felizmente, dependendo de como olhamos a situação) pude identificar vários
frutos negativos (passados e presentes) na minha vida vindo dessas ramificações e as situações
que as causaram; mas também pude verificar a diferença que Jesus tem feito no meu caráter ao
longo da minha caminhada com Ele.

2-Deus nos pede para fazermos um compromisso de CRUZ com Ele e com o nosso próximo, que
significa morrer para nós mesmos viver verdadeiramente pela fé e com amor. O chamado de todo
cristão, independentemente de ser missionário, não é nada fácil! É o chamado de renúncia do
EU!

II-Deus também possui um prumo com o qual mede a nossa vida.

1- Durante o reinado de Uzias, rei de Judá, Israel experimentou uma onda de prosperidade e paz,

mas junto a este enriquecimento veio uma onda de injustiça e o povo perdeu o senso de

direção dado por Deus (2 Cron.26).

354354354354354354
2-Então Deus comparou a nação a uma parede fora de prumo, prestes a cair, e para mostrar o

quanto ela estava torta, Ele colocou diante do povo o prumo da Lei, era uma advertência de

que a qualquer momento a nação poderia ruir, e de que seus inimigos iriam espalhá-los como se

fossem tijolos de uma parede desmoronada.

3-E na verdade Deus nunca deixou de usar o prumo, Sua palavra, na vida daqueles que chamou

para serem o Seu povo. Ainda hoje continua a fazê-lo para que possamos conhecer a verdade e

aprender o caminho que nos conduz a uma vida de firmeza e estabilidade.

4-Foi neste contexto que Deus levanta o profeta Amós (cujo nome significa "carregar um peso"),

era um pastor de ovelhas e colhedor de figos, este foi levantado para apontar a corrupção social

e religiosa existente. Deus usou a figura do prumo para exortar o povo.

III-O PRUMO DE DEUS É A SUA PALAVRA.

1-O Senhor disse ao profeta que colocaria um prumo no meio de seu povo, para medir as paredes

que eles construíram. Deus vai aferir, medir se as nossas vida se as nossas vidas estão de acordo

com a Palavra de Deus que é absolutamente reta e imutável.

2-A parede é a alma do homem que é a sede de sua personalidade. Deus através do prumo, que é

sua Palavra queria medir as almas do seu povo, de onde manifestavam os pensamentos,

sentimentos e as ações, com seu prumo divino.

3-A alma do homem é semelhante a uma parede vertical que foi construída, tijolo, após tijolo,

durante a sua vida. Esses tijolos representam as palavras e as experiências que formaram as

imagens que você tem de si, dos outros e de Deus.

4. Através de sua razão lógica, você estabelece desde cedo, as imagens do prumo pelas quais

você medirá e considerará cada experiência nova e estabelecerá as palavras, e os padrões de

comportamento, pensamentos e emoções de si, dos outros e de Deus.

355355355355355355
5-Para construir uma parede vertical de integridade estrutural, é necessário usar o prumo. Se

alguém tentar construir uma parede sem a ajuda do prumo, a parede, sem dúvida nenhuma,

ficará torta e perderá a integridade estrutural. Porém, a pior situação é construir a parede

usando um prumo defeituoso no qual você deposita toda a sua confiança achando ser o prumo

vertical, que, na realidade, não é.

6-O inimigo tem usado um ímã para influenciar o peso da linha do prumo de forma sutil. E ao

tentar construir a parede, o ser humano acredita que a parede está reta mas na realidade o

inimigo está sutilmente influenciando o prumo e desviando cada vez mais para o centro e

deixando as paredes tortas. É exatamente isso que ocorre com cada pessoa, ao construir a

parede da personalidade de acordo com os prumos das imagens falsas.

7. O inimigo é o diabo. O ímã é o pecado na alma, e os prumos são as imagens falsas que você

tem de si mesmo, dos outros e de Deus, em muitas área da sua alma. Fazendo aferições falsas e

triando conclusões precipitadas das experiências, palavras e relacionamentos defeituosos.

CONCLUSÃO:

Durante toda a nossa vida somos afetados pelas experiências que possuímos e vivenciamos desde

a nossa tenra idade, ou até mesmo desde o período intrauterino. Estas experiências, boas ou

ruins vão ser formadoras e influenciadoras diretas da nossa identidade. Através delas, os tijolos

do nosso coração foram erguidos e muitos deles, ou mesmo a sua maioria, não estão retos e

ajustados.

Cada um dos tijolos tortos que empregamos para construir as paredes do nosso coração constitui

um empecilho para que nossa personalidade se desenvolva da maneira como Deus planejou.

Sendo assim observaremos nossas tendências e identificaremos em nós mesmos a situação da

nossa própria vida.

356356356356356356
O PRUMO DE DEUS

Texto chave: AMÓS 7: 7 E 8

Na sua forma mais simples, o prumo é uma peça de metal suspensa por um fio. É um

instrumento que os pedreiros utilizam para alinhar paredes e muros, de forma que não fiquem

tortos, fazendo-os perfeitamente verticais. Devido à força da gravidade, o peso do metal pende

sempre para o centro da terra.

Para os construtores, esse instrumento simples, mas muito importante, tem um valor

incalculável. Eles sabem que, para a construção sair firme e segura, as paredes e vigas precisam

estar perfeitamente na vertical, alinhadas pelo PRUMO.

Se não houver cuidado a construção pode desabar!

Deus também possui um prumo com o qual mede a nossa vida, este prumo é a Sua Palavra.

Durante o reinado de Uzias, rei de Judá, Israel experimentou uma onda de prosperidade e

357357357357357357
paz, mas junto a este enriquecimento veio uma onda de injustiça e o povo perdeu o senso de

direção dado por Deus (2 Cron.26).

Então Deus comparou a nação a uma parede fora de prumo, prestes a cair, e para mostrar o

quanto ela estava torta, Ele colocou diante do povo o prumo da Lei, era uma advertência de que

a qualquer momento a nação poderia ruir, e de que seus inimigos iriam espalhá-los como se

fossem tijolos de uma parede desmoronada.

E na verdade Deus nunca deixou de usar o prumo, Sua palavra, na vida daqueles que

chamou para serem o Seu povo. Ainda hoje continua a fazê-lo para que possamos conhecer a

verdade e aprender o caminho que nos conduz a uma vida de firmeza e estabilidade.

Foi neste contexto que Deus levanta o profeta Amós (cujo nome significa "carregar um peso"),

era um pastor de ovelhas e colhedor de figos, este foi levantado para apontar a corrupção social

e religiosa existente. Deus usou a figura do prumo para exortar o povo.

O PRUMO DE DEUS

358358358358358358
Através deste estudo, deixaremos Deus nos conduzir a percepção daquilo que precisa ser ajustado em
nós através de Seu PRUMO

A mensagem do profeta Amós aplicada nos dias atuais

Amós foi um profeta de Deus no 8º século antes de Cristo. Foi enviado de Judá, o reino do sul, a
Israel, o reino mais corrupto ao seu norte, para chamar o povo ao arrependimento. A tarefa de Amós
foi difícil. Sob o governo do rei Jeroboão II, a nação de Israel vivia na maior prosperidade desde os
reinados de Davi e Salomão mais de 200 anos antes. Aquele povo, como muitas pessoas religiosas
hoje, interpretava a prosperidade como sinal da aprovação divina e, por isso, foi resistente aos
desafios lançados por profetas como Amós. Mas Jeroboão II, como todos os reis do Norte antes e

359359359359359359
depois dele, foi um homem desobediente ao Senhor. Depois de séculos de idolatria e rebeldia, o povo
estava chegando cada vez mais perto do castigo de Deus.

Vamos observar alguns dos temas das pregações de Amós para ver, depois, aplicações nos dias de
hoje.

Um povo abençoado pode perder o favor de Deus

Houve uma época em que o povo de Israel foi muito privilegiado. Deus o chamou da escravidão no
Egito e lhe deu a terra de Canaã. Mas, ele prometeu castigar a nação se ela se tornasse desobediente
(3:1-3). Israel tinha um passado glorioso, mas, na época de Amós, não estava mais servindo ao
Senhor. O problema foi simples – eles deixaram de andar conforme a vontade de Deus: “Andarão
dois juntos, se não houver entre eles acordo?” (3:3). [Nota: Citações neste artigo que não incluem
o nome do livro são de Amós]

O povo se acostumou tanto com a sua prosperidade e o conforto que gozava que não conseguia nem
imaginar um castigo severo. Não esperava a justiça de Deus, embora seus atos estivessem invocando a
ira do Senhor sobre a nação rebelde: “Vós que imaginais estar longe o dia mau e fazeis chegar o
trono da violência” (6:3).

Pode nos surpreender descobrir que este mesmo povo rebelde ainda mantinha diversas práticas
religiosas. Hoje em dia, muitas pessoas acham suficiente fazer parte de alguma igreja e aparecer com
alguma freqüência nas reuniões de louvor, talvez levando alguma oferta à igreja. Devemos congregar
em uma igreja fiel (Hebreus 10:24-25), e devemos fazer as nossas ofertas (2 Coríntios 9:7), mas Deus
quer mais. O povo de Israel levava sacrifícios diários e levava os dízimos até duas vezes por semana
(4:4), mas Deus o rejeitou! Apesar de participarem de alguns atos de adoração, esses israelitas não se
converteram ao Senhor (4:6,8,9,10,11). Mesmo pessoas que freqüentam uma igreja e ofertam seu
dinheiro podem ser rejeitadas pelo Senhor!

O Prumo de Deus (Amós 7:1-9)

No início do capítulo 7, Amós relata uma série de três visões de julgamento: os gafanhotos, o fogo
consumidor e o prumo. Nas duas primeiras, Deus atendeu às súplicas do profeta e desistiu dos seus
planos de destruir a nação. Mas na terceira visão, Deus deixou claro que não voltaria atrás. Israel
seria julgado.

Amós viu um muro levantado a prumo (7:7). Israel foi construído conforme a planta de Deus,
cumprindo as profecias dadas a Abraão, Isaque e Jacó. Quando se trata do povo de Deus, devemos
lembrar que a casa pertence ao Senhor. Ele fez a planta original. Israel começou bem, conforme o
plano de Deus.

O Senhor tinha um prumo na mão e disse que poria um prumo no meio do povo (7:7-8). Deus voltou,
séculos depois da construção original de Israel, para ver se o edifício ainda estava reto segundo a
planta original. A mesma medida usada na construção é utilizada para fiscalizar a obra séculos
depois. Deus não procurava alterações e “melhoramentos” humanos. Ele queria um povo fiel às
instruções originais. Jesus disse que ele nos julgará pela palavra revelada no primeiro século (João
12:48). Devemos nos preocupar com a nossa fidelidade à planta original.

Deus levanta com a espada na mão (7:8-9). Quando a casa não passou na fiscalização divina, Deus
mandou derrubá-la! Entendendo a severidade de Deus contra o povo que desviou de seu propósito

360360360360360360
original, quem teria coragem hoje de mudar alguma coisa na casa dele?

A Rejeição de Amós (Amós 7:10-13)

Quando Amós transmitiu a mensagem de Deus ao povo, ele enfrentou forte oposição. Amazias,
sacerdote de Betel, opôs-se ao trabalho de Amós e tentou expulsá-lo do país (7:10-13). Considere as
táticas e os argumentos dele:

● Usou a sua influência política, pois não tinha argumento das Escrituras (7:10).

● Usou o povo – e não a palavra de Deus – como padrão, dizendo: “a terra não pode sofrer as suas
palavras” (7:10-11).

● Desprezou o profeta de Deus por ser estrangeiro ao invés de considerar a mensagem dele (7:12).
Amós não escolheu o lugar de seu nascimento, mas decidiu ser fiel ao Senhor e pregar a palavra
pura de Deus.

● Defendeu seu “território” com a autoridade dada pelos homens, citando o santuário do rei – não
de Deus! – e o templo do reino – não do Senhor! (7:13).

A Resposta do Profeta (Amós 7:14-17)

Amós não foi intimidado pela censura de Amazias. A réplica dele consiste de três pontos importantes,
que ensinam lições importantes para os dias de hoje. Considere as palavras de Amós:

● “Não sou profeta, nem discípulo de profeta” (7:14). Amós não tinha o “pedigree” certo para
impressionar os homens. Na linguagem moderna, ele teria dito que não fez seminário, nem curso
superior de teologia. Ele veio da roça para pregar a palavra de Deus! Ele não pertencia a algum
“clube de pastores” que se elevava acima das pessoas comuns, e até acima da própria palavra de
Deus.

Amós seria bem-vindo na maioria das igrejas hoje? Pedro poderia pregar nelas? João Batista, com
suas roupas rústicas e costumes esquisitos, poderia subir aos púlpitos nas igrejas nas nossas
cidades? O próprio Jesus, rejeitado pelos líderes religiosos de sua época, seria aceito pelos líderes
hoje?

Muitas igrejas hoje se preocupam muito em impressionar o mundo. Sua literatura e seus sites na
Internet destacam os feitos profissionais e educacionais dos homens. Não dá nem para imaginar
Pedro apresentando “o nosso irmão, o famoso Doutor Paulo, formado em teologia na escola de
Gamaliel, reconhecido internacionalmente como missionário de renome...”. O próprio Paulo
considerava tais qualificações “como refugo” (Filipenses 3:4-11) e determinou pregar apenas a
mensagem simples e importante de Jesus Cristo crucificado (1 Coríntios 2:1-5). As igrejas de hoje
que engrandecem as qualificações carnais dos homens devem sentir profunda vergonha diante de
exemplos como Amós, João Batista, os apóstolos e o próprio Jesus.

● Mas o Senhor me mandou pregar (7:15). A única autorização que precisamos para pregar a
palavra de Deus é a ordem do Senhor! Não depende de diploma, certificado ou qualquer outro
documento humano. Jesus enviou seus apóstolos ao mundo (Mateus 28:18-19), e estes equiparam
outros servos, que ensinaram outros a continuar fazendo o trabalho do Senhor (2 Timóteo 2:2).

361361361361361361
● Você pode tentar proibir a pregação da verdade, mas não mudará nada da vontade de Deus.
Sua rejeição trará a ira de Deus sobre você (7:16-17).

O Prumo de Deus Hoje

A construção deve ser uma casa espiritual com Jesus como a pedra angular (1 Pedro 2:1-8).
Ilustrações como esta nos convidam a examinar as nossas práticas à luz das Escrituras, comparando a
planta de Deus com o muro torto dos homens. Como o prumo deve ser aplicado hoje? Considere
alguns exemplos:

● Pregar Cristo ou pregar doutrinas dos homens (1 Coríntios 2:1-2,5)? Em muitas igrejas hoje,
pregações e aulas têm pouco conteúdo bíblico e muitas idéias de psicólogos querendo deixar os
ouvintes se sentirem bem. Paulo nos alertou deste perigo e nos deu a resposta certa (2 Timóteo
4:1-5).

● Louvar a Deus, conforme a sua vontade, ou fazer show para atrair os homens?

● Respeitar as instruções de Deus sobre a liderança nas igrejas, ou escolher homens e mulheres
conforme a vontade da sociedade?

● Pregar tudo que a Bíblia diz sobre a salvação, ou diluir a palavra para tentar facilitar o ingresso no
reino?

● Abrir mão do materialismo e das coisas que o mundo valoriza, ou pregar a prosperidade e a saúde
como direitos dos fiéis?

A Fiscalização de Deus

A mensagem de Amós não foi bem aceita, mas foi verdadeira. Ele avisou o povo do perigo de ser
religioso sem ser obediente a Deus. Agora, mais de 2.700 anos mais tarde, o que nós faremos com a
mensagem deste profeta? Se Deus ficasse no meio do povo religioso hoje – seja católico, seja
evangélico – com seu prumo na mão, qual seria o resultado da fiscalização?

Se o muro está torto, devemos ter coragem para derrubá-lo e voltar à planta original!

O PROFETA AMÓS E O PRUMO DE DEUS

TEXTO:

362362362362362362
INTRODUÇÃO:

1.Amós foi um profeta de Deus, no reino do sul, a Israel, o reino mais corrupto ao seu norte, para chamar o
povo ao arrependimento.

2.Debaixo do rei Jeroboão II, a nação de Israel vivia na maior prosperidade desde os reinados de Davi e
Salomão mais de 200 anos antes.

3.Aquele povo, foi resistente aos desafios lançados por profetas como Amós.

Depois de séculos de idolatria e rebeldia, o povo estava chegando cada vez mais perto do castigo de Deus.

A mensagem do profeta Amós aplicada nos dias atuais:

Vamos observar alguns dos temas das pregações de Amós para ver, depois, aplicações nos dias de hoje:

I-Um povo abençoado pode perder o favor de Deus.

1-Houve uma época em que o povo de Israel foi muito privilegiado.

a- Deus o chamou da escravidão no Egito e lhe deu a terra de Canaã. Mas, ele prometeu castigar a
nação se ela se tornasse desobediente (Am 3:1-3).
b- Israel tinha um passado glorioso, mas, na época de Amós, não estava mais servindo ao Senhor.
c- O problema foi simples – eles deixaram de andar conforme a vontade de Deus: “Andarão dois
juntos, se não houver entre eles acordo?” (3:3). O povo se acostumou tanto com a sua
prosperidade e o conforto que gozava que não conseguia nem imaginar um castigo severo.
d- Não esperava a justiça de Deus, embora seus atos estivessem invocando a ira do Senhor sobre a
nação rebelde: “Vós que imaginais estar longe o dia mau e fazeis chegar o trono da
violência” (6:3).

2-Pode nos surpreender descobrir que este mesmo povo rebelde ainda mantinha diversas práticas
religiosas.

O povo de Israel levava sacrifícios diários e levava os dízimos até duas vezes por semana (4:4 ; 9.7),
mas Deus o rejeitou!

Apesar de participarem de alguns atos de adoração, esses israelitas não se converteram ao Senhor
(4:6,8,9,10,11).

II-O Prumo de Deus (Amós 7:1-9)

1-No início do capítulo 7, Amós relata uma série de três visões de julgamento: os gafanhotos, o fogo

363363363363363363
consumidor e o prumo.

2- Nas duas primeiras, Deus atendeu às súplicas do profeta e desistiu dos seus planos de destruir a
nação. Mas na terceira visão, Deus deixou claro que não voltaria atrás. Israel seria julgado.

3-Amós viu um muro levantado a prumo (7:7

Israel começou bem, conforme o plano de Deus. O Senhor tinha um prumo na mão e disse que poria um
prumo no meio do povo (7:7-8).

4-Deus voltou, séculos depois da construção original de Israel, para ver se o edifício ainda estava reto
segundo a planta original. A mesma medida usada na construção é utilizada para fiscalizar a obra
séculos depois. Deus não procurava alterações e “melhoramentos” humanos. Ele queria um povo fiel às
instruções originais. Devemos nos preocupar com a nossa fidelidade à planta original.

5-Deus levanta com a espada na mão (7:8-9). Quando a casa não passou na fiscalização divina, Deus
mandou derrubá-la! Entendendo a severidade de Deus contra o povo que desviou de seu propósito
original, quem teria coragem hoje de mudar alguma coisa na casa dele?

III-A Rejeição de Amós (Amós 7:10-13)

1-Quando Amós transmitiu a mensagem de Deus ao povo, ele enfrentou forte oposição. Amazias,
sacerdote de Betel, opôs-se ao trabalho de Amós e tentou expulsá-lo do país (7:10-13).

2-Considere as táticas e os argumentos de Amazias se opondo ao profeta Amós:

● Usou a sua influência política, pois não tinha argumento das Escrituras (7:10).

● Usou o povo – e não a palavra de Deus – como padrão, dizendo: “a terra não pode sofrer as suas
palavras” (7:10-11).

● Desprezou o profeta de Deus por ser estrangeiro ao invés de considerar a mensagem dele (7:12).

● Defendeu seu “território” com a autoridade dada pelos homens, citando o santuário do rei – não de
Deus! – e o templo do reino – não do Senhor! (7:13).

IV-A Resposta do Profeta (Amós 7:14-17)

Amós não foi intimidado pela censura de Amazias. Lições importantes para os dias de hoje. Considere as
palavras de Amós:

● Mas o Senhor me mandou pregar (7:15). A única autorização que precisamos para pregar a palavra
de Deus é a ordem do Senhor!

● Você pode tentar proibir a pregação da verdade, mas não mudará nada da vontade de Deus. Sua
rejeição trará a ira de Deus sobre você (7:16-17).

V-O Prumo de Deus Hoje:

364364364364364364
1-A construção deve ser uma casa espiritual com Jesus como a pedra angular (1 Pedro 2:1-8).

2-Ilustrações como esta nos convidam a examinar as nossas práticas à luz das Escrituras, comparando a
planta de Deus com o muro torto dos homens. Como o prumo deve ser aplicado hoje? Considere alguns
exemplos:

● Pregar tudo que a Bíblia diz sobre a salvação, ou diluir a palavra para tentar facilitar o ingresso no
reino?

● A mensagem de Amós não foi bem aceita, mas foi verdadeira. Ele avisou o povo do perigo de ser
religioso sem ser obediente a Deus. Agora, mais de 2.700 anos mais tarde, o que nós faremos com a
mensagem deste profeta? Se Deus ficasse no meio do povo hoje com seu prumo na mão, qual seria o
resultado do seu aferimento?

Conclusão: Se o muro está torto, devemos ter coragem para derrubá-lo e voltar à planta original!

O PRUMO DE DEUS

Amós 7:7, 8

PARA QUE SERVE O PRUMO?

365365365365365365
O prumo é um instrumento para detectar ou conferir a vertical do lugar e elevar o ponto. Ele

pode ser adaptado a um prisma ortogonal ou um tripé. Sua utilização é obrigatória na construção

civil, uma vez que os traço s providenciados pela engenharia passam por ângulos retos

“O Senhor me mostrou numa visão isto também: ele estava perto de um muro construído direito,

a prumo, e tinha um prumo na mão. Ele me perguntou: - Amós, o que é que você está vendo? -

Um prumo! - respondi. Então ele me disse: - Eu vou mostrar que o meu povo não anda direito: é

como um muro torto, construído fora de prumo. E nunca mais vou perdoar o meu povo”.

Introdução

A ministração da Palavra hoje, se baseia no texto do livro de Amós, capítulo 7.

Deus põe o prumo no meio de Seu povo e lhe revela tudo aquilo que precisa ser corrigido,

endireitado ou retificado.

O texto nos fala de Amós, de como Deus lhe falou numa visão (esse um dos modos pelos quais

Deus fala): Amós viu o Senhor; “Ele estava perto de um muro construído direito... e tinha um

prumo na mão”. E o Senhor perguntou a Amós: “Amós, o que é que você está vendo?” E Amós

respondeu: “Um prumo!” Então, Deus disse: “Eis que eu porei o prumo no meio do meu povo

Israel. Eu vou mostrar que o meu povo não anda direito: é como um muro torto, construído fora

de prumo...”.

366366366366366366
Você sabe o que é um prumo e para que serve?

É uma linha com um peso na extremidade (ferramenta indispensável ao pedreiro).

Serve para verificar a verticalidade de uma parede (Existe casa em que, olhando para a parede

do corredor, vê-se uma “barriga”, uma tortuosidade (o prumo é usado exatamente para evitar

que isso aconteça, e se acontecer, ser corrigida a tortuosidade).

Mas poucos os pedreiros que sabem usar o prumo, principalmente no piso. Já observou que

horrível são alguns banheiros? A água não corre para o ralo, fica empoçada em algum lugar onde

você pisa...

Na visão que teve, Amós viu o Senhor com um prumo na mão (o Senhor visto por Amós é Deus – e

Deus é reto; Ele é o único absolutamente reto; só Ele pode com Seu prumo justificar-nos, alinhar-

nos, endireitar-nos. !

Portanto, é o Senhor mesmo que estava sobre o muro na visão de Amós.

O QUE O PRUMO REVELA?

I-E aquele prumo em Suas mãos é altamente revelador (aquele prumo revela o nosso

desalinhamento, a nossa desigualdade, a tortuosidade de nossa vida).

367367367367367367
Da mesma forma como faz o pedreiro (constrói a parede e para verificar se está certa, alinhada,

ele utiliza do prumo – o prumo vai mostrar onde houver tortuosidade), pois, quando Deus coloca

o Seu prumo em nossa vida, ou na vida de nossa igreja, Ele também vai revelar esta ou aquela

falha, que precisa ser tirada.

II-Qual é o prumo de Deus? ...a Bíblia. Quando nossa vida é comparada à Palavra, ao padrão

divino, nossas falhas vão aparecer.

Agora, muitas vezes nós mesmos nos intitulamos de “prumo” e saímos a medir a parede dos

outros e colocar defeitos nelas, nos esquecendo de pôr o prumo de Deus em nós mesmos!

Dizemos: “Fulano de tal tá com a vida torta, tortinha, tortinha!”

Agora, acontece ainda que quando Deus mostra falhas ou tortuosidades em nós, tentamos

disfarçar com um reboco feito por nós mesmos.

III-A função do prumo de Deus não é revelar falhas ou defeitos para arrastar-nos a juízo e

desespero.

A função do prumo de Deus é revelar falhas ou pecados, para atrair-nos ao arrependimento e

para que possamos encontrar perdão e plenitude em Seus braços (Deus não quer que nos

escondamos dEle, como Adão e Eva fizeram no paraíso após a desobediência.

Deus quer que nos escondamos nEle, arrependidos sinceramente).

368368368368368368
Portanto, irmãos, deixemos que o prumo de Deus seja colocado em cada área de nossa vida!

Porque você precisa andar no alinhamento de Deus.

Quando estamos no prumo: pode aparecer o inimigo que for, a situação difícil, o problema mais

sério (mas nessa hora o Espírito Santo lhe respalda e diz: “O SENHOR é contigo, varão valoroso”.

vale a pena passar pelo prumo de Deus!

ALINHADOS AO PRUMO

TEXTO:

Amós 7:7, 8

“O Senhor me mostrou numa visão isto também: ele estava perto de um muro construído direito,

a prumo, e tinha um prumo na mão. Ele me perguntou: - Amós, o que é que você está vendo? -

Um prumo! - respondi. Então ele me disse: - Eu vou mostrar que o meu povo não anda direito: é

como um muro torto, construído fora de prumo. E nunca mais vou perdoar o meu povo”.

Introdução:

369369369369369369
O texto nos fala de Amós, de como Deus lhe falou numa visão (esse é um dos modos pelos quais

Deus fala): Amós viu o Senhor; “Ele estava perto de um muro construído direito... e tinha um

prumo na mão”. E o Senhor perguntou a Amós: “Amós, o que é que você está vendo?” E Amós

respondeu: “Um prumo!” Então, Deus disse: “Eis que eu porei o prumo no meio do meu povo

Israel. Eu vou mostrar que o meu povo não anda direito: é como um muro torto, construído fora

de prumo...”.

Deus põe o prumo no meio de Seu povo e lhe revela tudo aquilo que precisa ser corrigido,

endireitado ou retificado.

Você sabe o que é um prumo e para que serve?

I-É uma linha com um peso na extremidade (ferramenta indispensável ao pedreiro).

1-Serve para verificar a verticalidade de uma parede (Existe casa em que, olhando para a parede
do corredor, vê-se uma “barriga”, uma tortuosidade.

2-O prumo é usado exatamente para evitar que isso aconteça, e se acontecer, ser corrigida a

tortuosidade).

3-Mas poucos os pedreiros que sabem usar o prumo, principalmente no piso. Já observou que
horrível são alguns banheiros? A água não corre para o ralo, fica empoçada em algum lugar onde
você pisa...

II-Na visão que teve, Amós viu o Senhor com um prumo na mão.

370370370370370370
1- Senhor visto por Amós é Deus – e Deus é reto; Ele é o único absolutamente reto; só Ele pode

com Seu prumo justificar-nos, alinhar-nos, endireitar-nos. !

2-Portanto, é o Senhor mesmo que estava sobre o muro na visão de Amós.

O QUE O PRUMO REVELA?

3-E aquele prumo em Suas mãos é altamente revelador (aquele prumo revela o nosso

desalinhamento, a nossa desigualdade, a tortuosidade de nossa vida).

4-Da mesma forma como faz o pedreiro (constrói a parede e para verificar se está certa,

alinhada, ele utiliza do prumo – o prumo vai mostrar onde houver tortuosidade), pois, quando

Deus coloca o Seu prumo em nossa vida, ou na vida de nossa igreja, Ele também vai revelar esta

ou aquela falha, que precisa ser tirada.

III-O QUE é o prumo de Deus?

1-A Bíblia. Quando nossa vida é comparada à Palavra, ao padrão divino, nossas falhas vão
aparecer.

2-Muitas vezes nós mesmos nos intitulamos de “prumo” e saímos a medir a parede dos outros e

colocar defeitos nelas, nos esquecendo de pôr o prumo de Deus em nós mesmos! Dizemos:

“Fulano de tal tá com a vida torta, tortinha, tortinha!”

371371371371371371
3-Quando Deus mostra falhas ou tortuosidades em nós, tentamos disfarçar com um reboco feito

por nós mesmos.

VI-A função do prumo de Deus não é revelar falhas ou defeitos para arrastar-nos a juízo e

desespero.

1-A função do prumo de Deus é revelar falhas ou pecados, para atrair-nos ao arrependimento e

para que possamos encontrar perdão e plenitude em Seus braços (Deus não quer que nos

escondamos dEle, como Adão e Eva fizeram no paraíso após a desobediência.

2-Deus quer que nos escondamos nEle, arrependidos sinceramente.

3-Portanto, irmãos, deixemos que o prumo de Deus seja colocado em cada área de nossa vida!

Porque você precisa andar no alinhamento de Deus.

CONCLUSÃO:

Quando estamos no prumo: pode aparecer o inimigo que for, a situação difícil, o problema mais

sério (mas nessa hora o Espírito Santo lhe respalda e diz: “O SENHOR é contigo, varão

valoroso”.vale a pena passar pelo prumo de Deus!

372372372372372372
Conhecimentos Fundamentais de um Pedreiro!

TEXTO:

INTRODUÇÃO:

Todo bom Pedreiro tem que conhecer com excelência essas que chamo de “As 04 operações

fundamentais de um pedreiro”.

Toda obra ou reforma exige diariamente esses conhecimentos. São eles:

I- TODO PEDREIRO DEVE CONHECER SOBRE: Nível

373373373373373373
Nível é a verificação se os elementos estão alinhados horizontalmente. São utilizados os níveis

com bolha de água porque a água os fluidos são os únicos elementos que garantem a verificação

imediata do nível. Atualmente os níveis em bolha estão sendo substituídos pelos níveis a laser

autonivelantes.

Uma referência de nível também pode ser transportada para outro ponto da obra com o uso de

“mangueiras de nível” ou “nível a laser”, formando um “plano horizontal”.

Na prática, é normal em uma obra transportar uma referência de nível (marca) é estabelecida a

1,0 metro do nível do piso e transportada para as paredes de todos os cômodos. É através desse

nivelamento que marcamos as alturas da alvenaria, dos vãos de janelas e portas, do pé direito

das alturas do piso e contrapiso.

Macete 01: O nível é muito utilizado no serviço de alvenarias, instalação de bancadas, telhados,

pisos, pisos industriais, assentamento de pedras em platibandas e vários outros serviços em uma

obra, por isso o pedreiro deve dominar muito bem o conhecimento de nível.

II- Prumo (ou prumada)

374374374374374374
O Prumo é a verificação se os elementos estão no mesmo alinhamento vertical. Muito utilizado

para verificação de alvenarias de tijolos cerâmicos ou blocos, marcação das mestras de reboco

(taliscas).

Macete 02: Para materializar um ponto de centro de um elemento de fundação (blocos, estacas,

sapatas), utilizamos o “Prumo de Centro”. Esses elementos também podem ser marcados pela

equipe de topografia da obra.

III- Alinhamento

375375375375375375
Linha que direciona o assentamento de tijolos (ou blocos) na mesma direção.

Apesar do exemplo de alvenaria, o alinhamento é utilizado para qualquer serviço que deseja que

os elementos sigam o mesmo alinhamento.

Macete 03: O alinhamento pode ser feito com a utilização da linha de pedreiro (mais comum)

ou com o uso de níveis a laser.

IV-Esquadro

376376376376376376
O esquadro é a marcação das mudanças de direção de alvenaria em ângulos de 90°, 45° ou 30°

(ângulos mais comuns noventa graus). É utilizado no locação da obra, na marcação das alvenarias

e nos revestimentos de paredes, etc.

Macete 04: A ferramenta empregada nesta operação é o esquadro de alumínio, porém limita-se

aos vãos pequenos porque quanto maior o vão, maior a chance de perder o esquadro.

377377377377377377
O PRUMO DE DEUS EM AMÓS

Amós foi um profeta de Deus no 8º século AC. Na terceira visão que ele teve, viu o Senhor medindo Israel
com um prumo (um cordão com um pêndulo em uma das extremidades). O prumo é usado pelos
construtores para manter a verticalidade das paredes. Naquele ato revelava o exame feito por Deus sobre a
conduta de Israel, pois ele havia feito uma planta original para o seu povo. Porém no exame Israel foi
encontrado fora do prumo.

Em uma construção muitas ferramentas são usadas, grandes e pequenas, mas o prumo é uma das mais
simples e mais baratas, mas de uma importância impar, tanto que, é a que mais se utiliza, e sem ela não se
pode construir um prédio, uma casa, uma parede. Um prédio levantado sem prumo não tem segurança, fica
torto, oferecendo perigo para quem está dentro ou próximo a ele, pois a qualquer momento poderá ruir.

A Bíblia é o prumo de Deus que verifica se estamos no nível ou não, ela afere a nossa conduta, o nosso
proceder. O crente que está esperando a volta de Jesus precisa estar no prumo de Deus, no nível da Palavra.
Não podemos viver dos “achismos”, mas segundo a verdade, e a Palavra de Deus é a verdade. Jesus na
oração sacerdotal disse: ”Santifica-os na verdade, a tua Palavra é a verdade”Jo. 17: 17

Muitos cristãos envergonham o Evangelho, seguindo a corrente do mundo, se nivelando ao mundo, se


identificando com o mundo e suas paixões, levando uma vida de derrotas, com altos e baixos; porque não
aceitam ser aferidos e nivelados pela Palavra de Deus. O nosso espírito, alma, e corpo precisam estar no
nível da vontade de Deus.

378378378378378378
Deus está com o seu prumo na mão, sobre um muro levantado a prumo, segundo a visão; isso fala de
segurança, firmeza. Qual seria o resultado se fossemos examinados pelo prumo de Deus? É uma boa
pergunta; cada um examine-se a si mesmo, e responda para si mesmo. Se o prédio está torto, vamos
derrubá-lo ou implodi-lo, reconstruindo-o pela planta original com o prumo de Deus. Prédio reconstruído,
decoração se faz necessária: o amor, o perdão, a misericórdia, a bondade, a benignidade etc. O mundo está
carente destas virtudes, e quem lhes poderá oferecê-las? Nós, como povo escolhido de Deus.

Breve Jesus voltará para levar o seu povo, estarão de fora os que estão fora do prumo e não queiram ser
reedificados. Ainda é tempo, “Humilhai-vos pois debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos
exalte. 1 Pe. 5: 6

Shalon Adonai.

379379379379379379
380380380380380380
Mensagem:

UMA PORTA E UM CAMINHO

A revelação precede sempre a fé e a experiência. Com sua Palavra Deus abre nossos olhos à

verdade de um fato que concerne seu Filho e depois, se nos apropriarmos dele pela fé, esse fato

se converte em real em nossa vida.

Nós temos então:

1) A revelação — que é objetiva.

2) A experiência — que é subjetiva.

Observamos, a seguir, que uma semelhante experiência toma habitualmente a dupla forma de

uma crise, seguida de um aperfeiçoamento contínuo.

381381381381381381
É muito útil compreender isto sob a figura com que John Bunyan nos apresenta a "porta

estreita" pela qual Cristiano entrou no "caminho estreito". O Senhor Jesus falou desta porta e

desta via que conduz à vida. "Porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e

poucos há que a encontrem" (Mateus 7:14); e a experiência confirma as suas palavras. Temos

então:

1) A revelação

2) A experiência:

a. Uma porta estreita (a crise)

b. Um caminho estreito (sucessivo)

c.

A nossa justificação e o nosso novo nascimento. Tudo isto começa com a revelação do Senhor

Jesus em sua obra de expiação dos nossos pecados sobre a Cruz.

Esta revelação será seguida da crise do arrependimento e de fé (a porta estreita), pela qual

somos inicialmente acercados a Deus.

"Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes

perto".

Ef 2:13

Este primeiro passo nos conduz a um estado de constante amizade com Ele (a via estreita),

pela qual nos é garantido cada dia, sempre mediante seu sangue precioso, o acesso à vida.

"Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus (...) cheguemo-

nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má

consciência, e o corpo lavado com água limpa".

Hebreus 10:19,22

382382382382382382
Quando chegamos à liberação do pecado, temos ainda três passos: a obra de revelação

cumprida pelo Espírito Santo, ou seja, o "saber" de Romanos 6:6; a crise de fé, o "considerai-vos

como mortos" de Romanos 6:11; e o contínuo e sucessivo progresso na consagração, ou seja:

"apresenta-vos" a Deus (Romanos 6:13), sobre o fundamento de um caminho em novidade de

vida. Consideremos então o dom do Espírito Santo.

Também isso começa com uma "visão" nova do Senhor Jesus, elevado sobre o trono que acaba

com a dupla experiência do Espírito derramado sobre nós, e do Espírito que mora em nós. E

finalmente, chegando ao problema de agradar a Deus, nos encontramos ainda com a necessidade

de luz espiritual, a fim que possamos compreender o valor da obra da Cruz a respeito da "carne",

toda a vida egoísta do homem. Se aceitarmos esta obra por fé, entramos na experiência da

"porta estreita": "Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor" (Rm 7:25); com a qual

começamos por cessar de "fazer" e aceitamos por fé a ação poderosa da vida de Cristo para

satisfazer em nós as exigências práticas de Deus. É desde aqui que entramos no "caminho

estreito", uma via de obediência ao Espírito. "Não andamos segundo a carne, mas segundo o

Espírito" (Rm 8:4).

O exemplo não é idêntico em cada caso e devemos prestar atenção a não impor ao Espírito

Santo um plano de ação rígido; mas talvez cada experiência nova poderá apresentar-se a nós,

mais ou menos, segundo estes lineamentos. Será certamente necessário que nossos olhos se

abram desde o princípio sobre os novos aspectos de Cristo e de sua obra completada; a fé abrirá

depois a porta para o novo caminho. Lembrem-se também que a nossa subdivisão da experiência

cristã em seus diversos aspectos (a justificação, o novo nascimento, o dom do Espírito, a

liberação, a santificação), foi feita para que compreendamos tudo mais claramente. Isto não

significa que estas etapas devam absolutamente seguir-se umas as outras sempre numa ordem

pré-estabelecida. De fato, nos é dada desde o princípio uma apresentação completa de Cristo e

de sua Cruz, podemos entrar em possessão de experiências muito ricas desde o primeiro dia de

nossa vida cristã, mesmo que seu significado mais profundo não nos seja ainda revelado, porque

o será mais tarde. Que possa toda a predicação do Evangelho ser realizada assim.

383383383383383383
Uma coisa é verdadeira: a revelação precede sempre a fé. Ver e crer são dois princípios que

regulam a vida cristã. Quando nós vemos alguma coisa que Deus cumpriu em Cristo, respondemos

naturalmente: "Obrigado, Senhor", e a fé se segue espontaneamente. A revelação é sempre a

obra do Espírito Santo, que nos é entregue a fim que, acompanhando-nos e fazendo-nos

compreender as Escrituras, nos guie em toda a verdade: "Mas, quando vier aquele Espírito de

verdade, ele vos guiará em toda a verdade" (João 16:13). Contemos com Ele porque está aqui

para isto; e quando devamos superar dificuldades como a falta de compreensão ou a falta de fé,

levemo-las diretamente ao Senhor, dizendo: "Senhor, abre meus olhos. Senhor, ajuda-me em

minha incredulidade". Não seremos nunca desapontados.

BIBLIOGRAFIA:

 Curai Enfermos Expulsai Demônios. T. L. OSBORN


 A Fé Criativa. T. A. HEGRE
 A Quarta Dimensão. DAVID PAUL YONG CHO
 Produtores de Provas. MORRIS CERULLO
 Comunhão e Princípios de Fé. VALNICE MILHOMENS
 Cristo Aquele que Cura. F.F.BOSWORTH
 As Armadilhas de Satanás Contra o Povo de Deus VOL1.
JOE E. TARRY
 Exploda a crise e faça sucesso. LAURO TREVISAN
384384384384384384
 A Nova Aliança. W. MANN NEE
 As Alianças da Fé. ROBERTO MC ALISTER
 O Homem Espiritual. VOL. W.M. NEE VOL.1
 Como Receber a Cura Milagrosa. T. L. OSBORN
 O Extraordinário Crescimento da Fé. KENNETH E. HAGIN
 Você Pode Vencer a Crise. JOSÉ ROBERTO DE OLIVEIRA
CHAGAS
 Fé e Dinheiro. EDIR MACEDO
 2 Minutos de Sabedoria. MIKE MURDOCK

64

DEDICATÓRIA

Dedico este livro a_________________________________

Palavra de Amigo:______________________________

385385385385385385
_________________________________________________

_________________________________________________

_________________________________________________

_________________________________________________

Data ____/_____/____

65

386386386386386386
MENSAGENS
NO LIVRO
DE
GÊNESIS

387387387387387387
José Erone Rodrigues Soares

Direitos exclusivos cedidos a Edições Nova Aliança

que se reserva a propriedade literária desta edição.

388388388388388388
Soares, José Erone Rodrigues

Correção e Revisão Geral: Jer Soares

Diagramação, capa e arte : Edna

Biblioteca Pastoral –Inscrição nº 1.000.00

Outono de 2019

SÉRIE: Semeando a Palavra DE DEUS

EDIÇÕES NOVA ALIANÇA

Rua Borges de medeiros 1813- Ap. Fundos -Centro- Vacaria –RS

Cel. 54 984 49 00 07- Email: pastorjoseerone@uol.com.br

389389389389389389
CEP: 95200-055

SUMÁRIO

Apresentação.....................................................................

Gênesis 26.1-33 e um Modelo de Esboço para um Sermão............_Toc219001979

Introdução.........................................................................

390390390390390390
Titulos das Mensagens:

1-A Maldição da Inveja..........................................................

2-Uma Mesa no Deserto..........................................................

3-Cavando poços em Terra Estranha..........................................

4-Reobote Uma Benção na Vida de Isaque...................................

5-Os poços de Abraão.............................................................

6-Berseba um lugar bom para cavar poços...................................

7-Encontrando Águas Profundas................................................

8-Isaque Um Tipo da Nossa Caminhada de Fé................................

9-Deserto um Lugar para Prosperar............................................

10-Vencendo a Crise no Deserto................................................

11-Seu Deserto vai Florescer....................................................

12-Isaque na terra dos Filisteus.................................................

13-Semeando em Época de Crise...............................................

14-Cavadores x Entulhadores....................................................

15-Peregrinos e Forasteiros Neste Mundo.....................................

16-A Experiência de Isaque......................................................

17-Isaque e as Provisões de Deus...............................................

18- ...............................................

19- ...............................................

391391391391391391
20- ...............................................

APRESENTAÇÃO

¨A mais poderosa parte de um sermão é a que está atrás do homem¨.

(Phillips Brooks)

A intimidade com Deus é o principal fator que determina a qualidade das mensagens que um

servo de Deus prega.

A originalidade é um artigo raro nos dias de hoje. A honra da originalidade deve ser atribuída a

Deus, o criador de todas as cosias. Deus cria a partir do que não existe, o homem cria a partir do

que já existe.

Por mais reveladoras e inspirativas que sejam as mensagens que são pregadas nos dias de hoje

nos púlpitos, elas nunca devem ser atribuídas unicamente a capacidade intelectual e espiritual

dos homens, tudo é obra de Deus!

392392392392392392
Esta pequena obra, mensagens no livro de gênesis, não se destina aos pregadores preguiçosos

que negligenciam o estudo diário das Escrituras.

Destina-se antes aos que precisam de uma ¨centelha¨, uma vez ou outra para fazer o fogo arder

e brilhar, com o novo calor e poder da inspiração.

Possam esses esboços, refrescar as mentes exaustas, e pô-las a funcionar de modo que

desenvolvam seus próprios recursos de pesquisa e elaboração de mensagens no seu ministério.

Como disse C.H.SPURGEON em um dos seus livros: ¨Espero contribuir com um punhado de lascas

e cavacos de lenha, ou, se preferir, um feixe de lenha, a um irmão, com o qual ele possa acender

um fogo em seu próprio coração, e preparar o alimento espiritual¨.

¨Possivelmente algum ¨pregador¨ preguiçoso, fará ferver sua panela com as minhas achas de

lenha, mas também isso não devo deplorar, contanto que o alimento fique bem cozido.

Homem algum causará grande dano com meus feixes de lenha se usar o fogo sagrado; as

verdades contidas nesses esboços não farão mal a homem nenhum se, honestamente, forem lhes

permitido que falem por si mesmos¨.

Sou grato a Deus e a muitos escritores que contribuíram, para a elaboração desta obra, que

servirá de auxílio a muitos pregadores.

393393393393393393
José Erone Rodrigues Soares

Gênesis 26.1-33

¨E havia fome na terra, além da primeira fome, que foi nos dias de Abraão; por isso foi

Isaque a Abimeleque, rei dos filisteus, em Gerar.

E apareceu-lhe o Senhor, e disse: Não desças ao Egito; habita na terra que eu te disser;

Peregrina nesta terra, e serei contigo, e te abençoarei; porque a ti e à tua

descendência darei todas estas terras, e confirmarei o juramento que tenho jurado a Abraão

teu pai;

E multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus, e darei à tua descendência

todas estas terras; e por meio dela serão benditas todas as nações da terra;

Porquanto Abraão obedeceu à minha voz, e guardou o meu mandado, os meus preceitos, os

meus estatutos, e as minhas leis.

Assim habitou Isaque em Gerar.

394394394394394394
E perguntando-lhe os homens daquele lugar acerca de sua mulher, disse: É minha irmã;

porque temia dizer: É minha mulher; para que porventura (dizia ele) não me matem os

homens daquele lugar por amor de Rebeca; porque era formosa à vista.

E aconteceu que, como ele esteve ali muito tempo, Abimeleque, rei dos filisteus, olhou por

uma janela, e viu, e eis que Isaque estava brincando com Rebeca sua mulher.

Então chamou Abimeleque a Isaque, e disse: Eis que na verdade é tua mulher; como pois

disseste: É minha irmã? E disse-lhe Isaque: Porque eu dizia: Para que eu porventura não

morra por causa dela.

E disse Abimeleque: Que é isto que nos fizeste? Facilmente se teria deitado alguém deste

povo com a tua mulher, e tu terias trazido sobre nós um delito.

E mandou Abimeleque a todo o povo, dizendo: Qualquer que tocar neste homem ou em sua

mulher, certamente morrerá.

E semeou Isaque naquela mesma terra, e colheu naquele mesmo ano cem medidas, porque o

Senhor o abençoava.

E engrandeceu-se o homem, e ia enriquecendo-se, até que se tornou mui poderoso.

E tinha possessão de ovelhas, e possessão de vacas, e muita gente de serviço, de maneira que

os filisteus o invejavam.

E todos os poços, que os servos de seu pai tinham cavado nos dias de seu pai Abraão, os

filisteus entulharam e encheram de terra.

395395395395395395
Disse também Abimeleque a Isaque: Aparta-te de nós; porque muito mais poderoso te tens

feito do que nós. Então Isaque partiu dali e fez o seu acampamento no vale de Gerar, e

habitou lá.

E tornou Isaque e cavou os poços de água que cavaram nos dias de Abraão seu pai, e que os

filisteus entulharam depois da morte de Abraão, e chamou-os pelos nomes que os chamara

seu pai.

Cavaram, pois, os servos de Isaque naquele vale, e acharam ali um poço de águas vivas. E os

pastores de Gerar porfiaram com os pastores de Isaque, dizendo: Esta água é nossa. Por isso

chamou aquele poço Eseque, porque contenderam com ele.

Então cavaram outro poço, e também porfiaram sobre ele; por isso chamou-o Sitna. E partiu

dali, e cavou outro poço, e não porfiaram sobre ele; por isso chamou-o Reobote, e disse:

Porque agora nos alargou o Senhor, e crescemos nesta terra. Depois subiu dali a Berseba.

E apareceu-lhe o Senhor naquela mesma noite, e disse: Eu sou o Deus de Abraão teu pai; não

temas, porque eu sou contigo, e abençoar-te-ei, e multiplicarei a tua descendência por amor

de Abraão meu servo.

Então edificou ali um altar, e invocou o nome do Senhor, e armou ali a sua tenda; e os servos

de Isaque cavaram ali um poço.

E Abimeleque veio a ele de Gerar, com Auzate seu amigo, e Ficol, príncipe do seu exército.

E disse-lhes Isaque: Por que viestes a mim, pois que vós me odiais e me repelistes de vós? E

396396396396396396
eles disseram: Havemos visto, na verdade, que o Senhor é contigo, por isso dissemos: Haja

agora juramento entre nós, entre nós e ti; e façamos aliança contigo.
TÍTULO

Que não nos faças mal, como nós te não temos tocado, e como te fizemos somente bem, e te

deixamos ir em paz. Agora tu és o bendito do Senhor.


Texto

Então lhes fez um banquete, e comeram e beberam; E levantaram-se de madrugada e

juraram um ao outro; depois os despediu Isaque, e despediram-se dele em paz.

INTRODUÇÃO

E aconteceu, naquele mesmo dia, que vieram os servos de Isaque, e anunciaram-lhe acerca

do negócio do poço, que tinham cavado; e disseram-lhe: Temos achado água.

Tese:
E chamou-o Seba; por isso é o nome daquela cidade Berseba até o dia de hoje.

ASSUNTO1º Argumento2º Argumento3º Argumento4º Argumento

CONCLUSÃO

397397397397397397

Apelo
398398398398398398
INTRODUÇÃO

Um breve comentário sobre Gênesis 26.1-33

Versículos 1-5: Isaque vai a Gerar por causa da fonte; 6-11: Nega que Rebeca é sua esposa e é

repreendido por Abimeleque; 12-17: Isaque fica rico; a inveja dos filisteus; 18-25: Isaque cava

poços; Deus o abençoa; 26-33: Abimeleque faz um pacto com Isaque.

EXPLICAÇÃO:

Vv. 1-5. Isaque foi educado em uma dependência de fé na concessão divina da terra de Canaã

para ele e seus herdeiros; agora, que há fome na terra, Isaque prossegue firmado no pacto. O

valor real das promessas de Deus não pode diminuir para o crente, por causa de alguma

providência contrária que lhe sobrevenha. Se Deus se compromete a estar conosco e se nós

estivermos onde Ele quer que fiquemos, nada, além da nossa própria incredulidade e

desconfiança, será capaz de impedir o nosso consolo.

399399399399399399
A obediência de Abraão à ordem divina foi a evidência desta fé pela qual, como pecador, foi

justificado perante Deus, e o efeito deste amor pelo qual opera a verdadeira fé. Deus testifica

que aprovou esta obediência para animar a outros, especialmente a Isaque.

Vv. 6-11. Nada há de imitável ou de escusável na negação que Isaque faz quanto à sua esposa. A

tentação de Isaque é a mesma que venceu o seu pai em duas ocasiões. Isto fez com que o seu

pecado fosse ainda mais grave. As quedas dos que nos precederam são rochedos sobre os quais

naufragaram os demais; o relato delas é como colocar boias para salvar os marinheiros do futuro.

Este Abimeleque não é o mesmo que viveu na época de Abraão; porém, ambos agiram

retamente. Os pecados dos que professam ser religiosos os envergonham diante dos que não são

religiosos.

Vv. 12-17. Deus abençoou Isaque. Observe-se que Deus o abençoou comum grande crescimento

para estimular os trabalhadores pobres, honestos e dedicados, que cultivam as terras de outras

pessoas.

Os filisteus tinham inveja de Isaque. Este é um exemplo da vaidade do mundo: quanto mais os

homens possuírem, mais inveja suscitarão e veem-se mais expostos à censura e à injúria.

Também faz parte da corrupção da natureza os homens se lamentarem por causa do bem dos

outros. Fizeram com que Isaque deixasse o país deles. A sabedoria que é do alto nos ensina a

ceder o nosso direito, e retirarmo-nos de nossas pelejas. Se formos injustamente expulsos de

algum local, o Senhor preparará para nós um lugar em outra parte.

Vv. 18-25. Isaque enfrentou muita oposição ao cavar poços. Dois destes foram chamados de

"Contenda" e "Inimizade". Veja a natureza das coisas mundanas: provocam pelejas e ocasionam

400400400400400400
discórdias; às vezes, a sorte do mais tranquilo e pacífico é que, ainda que evite as pelejas, não

possa impedir que pelejem contra ele. Que misericórdia é possuir muita água, e possuí-la sem ter

que pelejar por ela! Isaque cavou outro poço, com tranquilidade, pelo qual não contenderam.

Os que se esforçam para alcançar a tranquilidade, raramente fracassam. Mesmo quando os

homens se mostram falsos e maus, Deus continua fiel e bondoso; e o seu tempo para mostrar-se

deste modo é quando estamos mais desenganados em relação aos homens. Na mesma noite em

que Isaque chegou a Berseba, esgotado e inquieto, Deus consolou a sua alma. Os que estão

seguros da presença de Deus podem mover-se confortavelmente.

Vv. 26-33. Quando os caminhos do homem são agradáveis a Jeová, Ele faz com que até mesmo

os seus inimigos tenham paz com ele (Pv 16.7). Os corações dos reis estão nas mãos de Deus, e

quando apraz ao Senhor, Ele pode fazer com que eles se voltem para favorecer o seu povo. Não é

mau estarmos alerta quando tratamos com os que já agiram injustamente. Porém, Isaque não

insistiu na injustiça que lhe haviam feito; edificou livremente uma amizade com eles. A religião

nos ensina a sermos amigáveis e, o quanto dependa de nós, que tenhamos paz com todos os

homens. A precaução sorriu por causa da atitude de Isaque; e Deus abençoou o seu trabalho.

 Comentário de Matthew Henry-Online

401401401401401401
1.A MALDIÇÃO DA INVEJA E SEUS PERIGOS

402402402402402402
Texto: Gênesis 26. 12-16; “A inveja é podridão para os ossos."(Provérbios 14: 30)

Introdução:

A inveja é uma arma do diabo, usada para destruição de vidas, esta arma é tão demoníaca que

pode trazer sérios danos para vida de uma pessoa vítima da inveja, podendo destruir família,

emprego e até a própria vida da pessoa.

A inveja é uma das emoções mais destrutivas (Provérbios 27:4). Quanta miséria é produzida

tanto nos corações dos invejosos quanto na vida da pessoa invejada. Muitas pessoas foram

vítimas da inveja e estão com suas vidas destruídas e só o poder de Deus pode desfazer as obras

do diabo.

Os Filisteus invejaram Isaque devido às bênçãos que Deus havia lhe dado. Que direito nós temos

de invejar as bênçãos que Deus tem concedido a outros?

I-O QUE É DE FATO A INVEJA?

1-A inveja é um sentimento da alma que deseja possuir o que os outros têm.

Agindo assim o invejoso se focaliza em uma pessoa, determinada a ser como ela, a vestir como

ela, a ter o que ela tem, desta forma é capaz de fazer muitos sacrifícios para atingir seu

objetivo, isto pode entrar até na família, pois o invejoso ou a invejosa pode investir até, para

tomar marido ou a esposa do outro, isto é um sentimento doentio, a pessoa que o possui está

emocionalmente perturbada e precisa de libertação.

403403403403403403
2-Geralmente o pensamento de uma pessoa invejoso é mais ou menos assim: “Que roupa

bonita, você comprou onde?”, isto já na intenção de ir comprar a mesma roupa, outro caso é

assim: “Que casa bonita, eu gostei muito”. Com o desejo de ter uma casa igual. Quando se trata

do parceiro do outro é mais ou menos assim: “Eu queria ter um marido desse”, ou “Eu queria ter

uma esposa dessa”.

3-Neste ponto os demônios de inveja começam a trabalhar, pois o poder latente da alma da

pessoa está ativo e canalizado contra os outros liberando assim um poder espiritual

terrivelmente maligno e destruidor. O que temos que entender é que sempre estamos em

contato com o mundo espiritual quer as pessoas saibam disto ou não, sempre estamos envolvidos

em uma atmosfera espiritual e nossas ações fazem com que poderes espirituais sejam liberados,

uma pessoa invejosa só libera poder maligno contra os outros de tal forma que pode até matar.

4-Em Provérbios 14.30 o Espírito Santo está nos dizendo através desta passagem, “o

sentimento sadio...”. Isto quer dizer que existem emoções boas e emoções más, sentimentos

que causam destruição e sentimentos que curam.

O sentimento sadio é aquilo que deve ser o normal da vida do cristão, quando uma pessoa

desenvolve em seu interior sentimentos sadios, a consequência disto é que haverá “vida para seu

corpo”.

404404404404404404
APLICAÇÃO:

Aqui nos traz um entendimento interessante, se dentro de nós houver emoções malignas e

corrompidas ao contrário de vida, haverá morte para o corpo.

Na bíblia os ossos representam a estrutura de vida de uma pessoa, quando a inveja está presente

na vida de alguém, esta vida começa a desmoronar, a podridão começa seu reinado de destruição

e a vida se acaba, infelizmente isto tem acontecido com muita frequência e os casos das vítimas

são vistos constantemente.

É claro que o invejoso nunca vai admitir sua inveja, muito menos a doença de sua alma, só o

poder do Senhor Jesus pode convencer esta pessoa para libertá-la e curá-la da inveja.

II-ONDE NASCE A INVEJA?

1-Para compreender este sentimento é necessário sabermos qual é o princípio da inveja. Pois

daí podemos ver sua operação, como tudo que é demoníaco a inveja começa com ação dos

demônios, tudo que é de ruim na história humana começou no coração de satanás, mas como

surge isto no ser humano?

2-Bem tudo que o diabo faz no interior do homem começa com uma simples semente, ele

implanta a semente de inveja no coração do homem, daí começa a ser gerado até desenvolver

a inveja por completo.

405405405405405405
"Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as

prostituições, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a

inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura."(Marcos 7: 21,22)

3-O coração é o lugar de partida de todos os sentimentos e projetos tanto bons quantos os

maus, este é o lugar em que satanás trabalha incansavelmente para destruir o homem. O

Senhor Jesus neste versículo nos deixa claro que é do interior do coração que saem todas as

espécies de males então devemos seguir o conselho da palavra de Deus no livro de provérbios.

"Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da

vida." (Provérbios 4: 23)

APLICAÇÃO:

Aqui nós podemos entender que já que do coração procede as saídas da vida. A palavra de Deus

nos deixa claro que devemos guardar o nosso coração, para que não seja de maneira alguma

sejamos enganados pelo diabo, que a todo o tempo está investindo pesado para nos tirar do foco

da presença de Deus.

Sempre devemos pedir ao nosso Deus para nos guardar, bem como ao nosso interior para que

sempre possa fluir sua vida em nós.

III- A INVEJA DOS FILISTEUS PARA COM ISAQUE.

406406406406406406
"E tinha possessão de ovelhas, e possessão de vacas, e muita gente de serviço, de maneira

que os filisteus o invejavam."(Gênesis 26: 14)

1-Aqui neste texto vemos Isaque sendo vítima da inveja. Isto foi tão sério que houve alguns

conflitos entre os servos de Isaque e aquele povo e tão grande foi o problema que eles pediram a

Isaque se afastassem para longe, pois Isaque estava mais rico que eles.

2-Isaque nos dá um bom exemplo de como o Cristão deve evitar a disputa.

Ele não foi um homem vingativo ou iracundo (I Pedro 2:19-23). Após Isaque deixar as contendas

deste mundo, ele encontrou comunhão com Deus (Vers. 23-25). Muitos se tornam tão

embaraçados com os negócios desta vida, que perdem a alegria de caminhar com Deus e acabam

sendo envenenados pela inveja.

3-O QUE PODE ACONTECER COM UMA PESSOA INVEJOSA?

a- Tal pessoa pode ser destruída como fruto de sua inveja, uma coisa podemos perceber na

palavra de Deus e tomar como exemplo.

"E invejaram a Moisés no campo, e a Arão, o santo do SENHOR."(Salmos 106: 16)

b-Quando nos dias de Moisés Deus estava orientando o povo a maneira de se conduzir suas vidas,

naquele tempo se levanta Corá, Datã e Abirão que com inveja de Moisés e Arão faz a cabeça do

povo de sorte que também o povo ficou contra Moisés e Arão.

407407407407407407
c- A desculpa deles era que eles também eram escolhidos por Deus para o ministério assim como

Moisés e Arão tirando assim a autoridade de Moisés, foi aí que eles começaram a cair no laço

pois, se levantar contra autoridade de Deus é cavar a própria cova. O fim que aqueles homens

tiveram foi horrível.

E aconteceu que, acabando ele de falar todas estas palavras, a terra que estava debaixo

deles se fendeu.

E a terra abriu a sua boca, e os tragou com as suas casas, como também a todos os homens

que pertenciam a Coré, e a todos os seus bens.

E eles e tudo o que era seu desceram vivos ao abismo, e a terra os cobriu, e pereceram do

meio da congregação.

E todo o Israel, que estava ao redor deles, fugiu ao clamor deles; porque diziam: Para que

não nos trague a terra também a nós.

Então saiu fogo do SENHOR, e consumiu os duzentos e cinquenta homens que ofereciam o

incenso. (Números 16 :31-35)

"E o que fez a Datã e a Abirão, filhos de Eliabe, filho de Rúben; como a terra abriu a sua boca

e os tragou com as suas casas e com as suas tendas, como também tudo o que subsistia, e

lhes pertencia, no meio de todo o Israel;"(Deuteronômio 11: 6)

APLICAÇÃO:

408408408408408408
A inveja é como uma serpente que criamos não sabendo que uma hora seremos picados por ela.

Foi isto que aconteceu com aquele homens eles se levantaram contra Moisés por tinham inveja

do ministério dele e queriam estar em evidência diante de todo o povo, é sempre assim existem

muitos que querem aparecer, ficar famosos e serem louvados pelos homens.

Com relação a outras pessoas, espiritualmente o invejoso é um feiticeiro ou bruxo que

constantemente está realizando estas obras contra as pessoas, Para causar todas os tipos de

males.

Sabemos as consequências terríveis da inveja e muitos estão sendo algo deste ataque satânico, o

que devemos fazer para lutar contra a inveja é muito simples, pelo poder de Deus podemos

barrar as obras malignas, não há outra maneira de termos vitória sobre este mal, o sangue de

Jesus tem poder para nos proteger de tudo o que o adversário possa fazer contra nós.

IV-OS PERIGOS DA INVEJA.

1-Qual o real perigo da inveja na vida de uma pessoa? Sabemos já que a inveja não é somente

um sentimento, mas é também um espírito maligno que atua de forma sorrateira para que não

seja notada a sua presença e se é um demônio a pessoa corre grande perigo.

1º-O ISOLAMENTO EM UM MUNDO DE IMPOSSIBILIDADE – Quando assim falamos, queremos dizer

que a pessoa invejosa esquece-se de viver a sua vida para tentar viver a vida dos outros,

mostrando a incapacidade de construir o seu futuro com seu suor e inteligência própria, ou seja,

409409409409409409
não corre atrás dos seus sonhos, mas sempre quer se valer do trabalho dos outros, na verdade é

como se perdesse sua identidade.

2º- A CONSCIÊNCIA SEMPRE PESADA – Nós sabemos de pessoas que tomaram o parceiro (a) de

outra, tomaram o lugar no trabalho e muitas outras coisas, assim é impossível viver com uma

consciência pura depois de ter feito tanto mal.

3º- CANAL DE DESTRUIÇÃO – A pessoa se torna um canal de destruição, ou seja, um instrumento

nas mãos do diabo para interferir de forma maligna na vida de outro, nós já ouvimos expressões

como: “Aquela pessoa destruiu a família de ...”, “Meu sócio me passou a rasteira” e muitas que

definem o invejoso como um destruidor nato.

4º- A COLHEITA – Aprendemos com a palavra de Deus que existe uma colheita para tudo o que

semeamos, todos os invejosos irão colher tudo o que plantarem e a recompensa será a destruição

de suas próprias almas, pois o investimento da inveja dá para morte.

5º- OS CRIMES – Sempre que a pessoa tem inveja ela corre o risco de colocar certos planos em

prática e muitos destes planos, são crimes como: roubos, falsificação e os mais graves sequestros

e até mesmo a morte de alguém, por mais absurdo que possa ser tudo isto pode acontecer, o

invejoso pode chegar a cometer estes crimes e muito mais.

6º - AS VÍTIMAS – As vítimas da inveja podem sofrer de todas as formas por causa da inveja,

como por exemplo, podem ter prejuízos, físicos, espiritual, conjugal, financeiro, profissional, são

410410410410410410
situações que a vítima nunca vai imaginar que é possível, mas tem só uma explicação espiritual

para isto, ataque demoníaco usando pessoas contar nós.

V. OS FILFISTEUS RECONHECEM A PRESENÇA DE DEUS NA VIDA DE ISAQUE – VERSÍCULOS 26-

33.

1-As bênçãos de Deus na vida de Isaque eram tão perceptíveis que os Filisteus começaram a

temer isto. Eles propuseram uma aliança de paz com ele, pois temiam pela própria segurança.

Hoje nós também podemos viver de maneira tal para que o mundo reconheça que Deus está

conosco.

2-Quando descobrimos esta realidade espiritual, chegamos à conclusão que não podemos agir

segundo conceitos humanos, se satanás está usando uma pessoa para nos atacar através da

inveja então temos que combater estes demônios pelo poder de Deus.

3-A palavra do Senhor Jesus já nos garante que ele nos deu poder e autoridade através de

seu nome, então usando o poderoso nome de Jesus podemos quebrar a força da inveja contra

nossa vida.

Para combater este mal precisamos identificá-lo e depois de identificado começamos a fazer

guerra contra este mal, com a oração da fé podemos confrontar esta força maligna anulando

completamente sua ação em nós.

411411411411411411
4-ORAÇÃO MODELO PARA VÍTIMA DA INVEJA.

Pai em nome de Jesus, eu me coloco em tua presença para que seja quebrado todo o poder da

inveja em minha vida, agora em nome de Jesus toda a maldição da inveja em minha vida seja

quebrada e todo demônio por trás deste mal pegue todo o teu mal e sai completamente da

minha vida espiritual, minha saúde, meu casamento, meu emprego e todas as áreas de minha

vida em nome de Jesus Cristo, Amém.

5-ORAÇÃO MODELO PARA QUEM TEM INVEJA.

Pai em nome de Jesus teu filho quero te pedir perdão porque eu tenho abrigado a inveja no meu

coração, eu neste momento rejeito todo e qualquer sentimento de inveja dentro de mim e

ordeno que todo demônio de inveja saída minha vida em nome de Jesus Cristo.

Assim no nome do nosso Senhor Jesus Cristo, podemos ter total vitória contra esta força

devastadora que tem destruído muitas vidas ao longo dos anos, urgentemente precisamos estar

com nossos corações purificados diante de Deus, livre de toda a inveja.

APELO:

ProfetizaaPalavra.blogspot.com

412412412412412412
413413413413413413
2-A BENÇAO DE ISAQUE EM REOBOTE

Texto: Gênesis 26.3-5;22

Introdução:

Para entendermos o fim da história temos que observar o início dela. Vamos observar a ordem

lógica dos versículos do texto, e aprender sobre os cinco passos de Isaque até a benção

( Reobote):

1º Passo – Persistência. V.6,14,15,16,17,18, 19

a-Isaque começou a ser muito abençoado em Gerar.

414414414414414414
Seu gado, ovelhas e o plantio aumentaram cada vez mais. E isso gerou inveja do Filisteus contra

ele. E daí em diante começou a batalha deles contra o servo de Deus. Leia e veja o que

aconteceu:

" E todos os poços, que os servos de seu pai tinham cavado nos dias de seu pai Abraão, os filisteus

entulharam e encheram de terra.

Disse também Abimeleque a Isaque: Aparta-te de nós; porque muito mais poderoso te tens feito

do que nós." (Gênesis 26:15-16).

b-Mas Isaque não desistiu e nem parou de confiar. Ele desceu até o vale de Gerar e lá habitou.

(V. 17)

E tornou Isaque e cavou os poços de água que cavaram nos dias de Abraão seu pai, e que os

filisteus entulharam depois da morte de Abraão, e chamou-os pelos nomes que os chamara seu

pai. (V. 18)

Cavaram, pois, os servos de Isaque naquele vale, e acharam ali um poço de águas vivas. (V. 19)

Viu o que resultou a persistência?

c-Mesmo que o primeiro poço foi fechado não abateu e nem tirou a benção de Deus sobre a

vida de Isaque. Eles cavaram em outro lugar e acharam águas vivas. Mas acha que os inimigos

desistiram?

415415415415415415
2º Passo - Foco e determinação. V.20

a-Depois que Isaque no vale de Gerar achou águas vivas, apareceram pastores de ovelhas da

localidade e contenderam com ele e disseram-lhe:

- Está água é nossa! Já imaginou o sufoco que Isaque estava sentindo?

Ele e seus pastores já tinham um poço fechado e ainda foram expulsos de suas terras, agora

novamente aparecem para tomar-lhe o que tinham cavado e achado águas vivas.

b- Então saiu Isaque dali e cavou outro poço mas também lutaram contra ele e tomaram-no

por isso chamou-o de Sitna.( V.21)

c-Percebeu que em nenhum momento as batalhas não foram por causa de água ou terra? As

lutas eram contra a promessa e contra a vida de Isaque.

d-Quantas vezes não passamos por momentos assim? Mesmo sendo fiel e obediente aparecem

pessoas que não viram as nossas lutas e sofrimento e simplesmente investem pesados para nos

desanimar até nos fazer desistir. Mas siga esse lindo exemplo de Isaque. Focado e determinado a

vencer!

416416416416416416
3º passo – Ousadia. (V. 22)

a-Mesmo os inimigos investindo pesado contra ele e sua família, Isaque não parou e nem

desistiu. Bem pelo contrário, isso deu-o mais coragem e ousadia para buscar a promessa de Deus.

b-Quando eles acharam que Isaque agora sairia daquele lugar e pararia de sonhar.

c-Vemos agora que ele partiu dali, e cavou outro poço, mas agora não porfiaram sobre ele;

por isso chamou-o Reobote, e disse: "Porque agora nos alargou o SENHOR, e crescemos nesta

terra."

4º Passo: Confiança. ( V. 12)

a-Isaque filho de Abraão era temente e confiante ao Senhor.

Pois acompanhando a história bíblica. Vemos que além de ficar em Gerar ele começou a plantar

e semear naquele lugar onde a terra era seca e não chovia, e quando vejo ele semeando naquela

terra vejo a confiança que ele tinha em Deus.

b-Mesmo tudo mostrando o contrário vemos um homem guardando as palavras de Deus.

417417417417417417
Às vezes eu e você ouvimos as palavras de Deus mas não semeamos nada. Em nosso coração as

vezes dizemos: " O que vai dar aqui onde estou. Nessa terra seca vai dar alguma coisa?". Mas veja

nesse versículo a confiança de Isaque na Palavra de Deus: "E semeou Isaque naquela mesma

terra, e colheu naquele mesmo ano cem medidas, porque o SENHOR o abençoava. E

engrandeceu-se o homem, e ia enriquecendo-se, até que se tornou mui poderoso.

E tinha possessão de ovelhas, e possessão de vacas, e muita gente de serviço, de maneira

que os filisteus o invejavam." (Gênesis 26:12-14).

Viu o que gera a nossa confiança? Bênçãos e provisão de Deus.

5º Passo: Obediência. ( V.5)

a-Talvez você pense; " Foi fácil pra Isaque obedecer a Palavra do Senhor que lhe disse o que

ele devia fazer". Mas lembra que disse da fome extrema que havia na terra? Todos naqueles dias

estavam descendo para o Egito buscando recursos. O Egito naquela época era a maior potência

em todos os sentidos.

b-Então Deus vai na contramão de tudo e diz para Isaque ficar em Gerar onde havia poucos

recursos e não ir para o Egito onde todos estavam indo.

418418418418418418
Vejo que Isaque foi obediente as palavra de Deus. E esse passo é primordial para quem quer ser

abençoado pelo Senhor. Aqui aprendemos um princípio que é fundamental no nosso

relacionamento com Deus: ¨A obediência precede a revelação¨. (João 14.21)

APLICAÇÃO:

Depois da obediência, de tanto lutarem contra ele. Isso deu mais força pra que Isaque

permanecesse no propósito. Muitos de nós já tínhamos desistido não é verdade? Mas não é isso

que devemos fazer. O inimigo pode até fechar um poço, até dois. Mais no terceiro Deus se

levanta do trono em nosso favor e diz: "Agora não, pois isso é a promessa do meu filho (a)." Tem

promessa de Deus? As portas se fecharam? Não se preocupe. Dê os 5 passos de Isaque e seja mais

que abençoado (a).

-Obediência

- Confiança

- Persistência

- Foco e determinação

- Ousadia

APELO:

 Paulo Diego Alves:

419419419419419419
3.A EXPERIÊNCIA DE ISAQUE COM DEUS

Texto: Gênesis 26.1-5; V. 24

Introdução: Um breve histórico sobre Abraão e seu filho. De acordo com Gênesis 12.4 e 15.1-4.

Deus prometeu a Abrão que a sua descendência seria como as estrelas do céu. E que Abrão não

tinha um filho. Nesta época Abrão tinha cerca de setenta e cinco anos.

420420420420420420
Após se passarem treze anos em Gênesis 17.1-7 Abrão estava com noventa e nove anos, Deus

lhe aparece e faz com ele uma aliança que seria pai de muitas nações e seria o seu Deus e de sua

descendência.

Em Gênesis 21.5 nos diz que na época em que Abrão gerou Isaque, ele já estava com cem anos.

Em Romanos 4.17-21 diz que Abraão tinha quase cem anos, e seu corpo já estava amortecido e

o ventre de Sara como mortificado. (V.19)

Eles já não tinham mais nenhuma força para gerar um filho, para que eles pudessem confiar no

Deus que chama a existência coisas que não existem. Portanto o nascimento de Isaque foi um

milagre!

O QUE APRENDEMOS SOBRE A EXPERIÊNCIA DE ISAQUE?

I-ISAQUE INICIA O CUMPRIMENTO DAS PROMESSAS DE DEUS FEITAS A ABRAÃO. (Hebreus

11.11,12)

1.Deus lhe daria uma descendência tão grande como as estrelas dos céus e como a areia na praia

do mar.

2.Isso é multiplicação de vida.

421421421421421421
3.Isaque se tornou herdeiro de Abraão e das promessas de Deus feitas a ele .

4.É impossível ter a experiência de Abraão sem a experiência de Isaque. Tudo o que temos vem

do Pai e tudo procede dele!

II-GERAR ISAQUE FOI UMA EXPERIÊNCIA QUE ABRAÃO TEVE COM DEUS.

1.foi um presente de Deus a Abraão. Gerar Isaque era de fato uma experiência, mas a

experiência em si não era o Pai. Era apenas uma experiência. Isaque representava a vontade de

Deus, que ele manifestou a Abraão. (Gênesis 22.1,2,12,17,18) Com isso Deus quer nos ensinar

que devemos abrir mão da nossa vontade, para fazermos o que ele quer.

2.Deus não nos dá uma experiência para nos assentarmos sobre ela pelo resto de nossa vida.

Devemos perceber que a nossa fonte é Deus, não as nossas experiências.

III- ISAQUE HERDOU A GRAÇA E DESFRUTOU DA HERANÇA DE ABRAÃO.

 O nome Isaque significa: Que tudo vem do pai. (Gálatas 4.23) A formação do

caráter de Isaque estava alicerçada no teor de sua compreensão relativo aos bens

materiais, como herdeiro das bênçãos perpétuas, universais e espirituais legadas pelo

patriarca Abraão.

422422422422422422
1.Isaque nasceu da graça pela visitação de Deus, em forma de milagre e de riso e de alegria.

2.Isaque cresceu na graça. Nada fez. Nasceu e foi criado (2Pedro 3.18; Efésios 3.8) Ele tornou-se

herdeiro da graça, herdou todas as coisas de seu pai pela graça, como também herdou a

promessa. (Gênesis 26.3-5)

3.Ele simplesmente descansou e desfrutou das bênçãos de seu pai, embora enfrentasse

dificuldades, não se perturbava. Os filisteus contendiam pelos poços, mas ele permanecia

tranquilo. A exemplo disso precisamos aprender a também desfrutar do que Deus já nos deu em

Cristo.

4.Toda a vida de Isaque foi um desfrute da herança de seu pai. Ele foi o primeiro a receber aos

oito dias de idade a circuncisão, sinal e selo da aliança Abraâmica. Até mesmos os poços que ele

cavou foram primeiramente cavados por seu pai. (Gênesis 21.30; 26.18

5.A lição que Isaque nos ensina é que nós nada temos além do que herdamos do pai. Em 1

Coríntios 4.7 - Paulo, o apóstolo fez uma pergunta: ¨E o que tens tu que não tenhas recebido? ¨.

Em outras palavras, não há nada que tenhamos que não tenha sido recebido de Deus. A salvação

é recebida, o perdão é recebido, a cura é recebida. Deus deu a Isaque o que dera a seu pai.

423423423423423423
6.Tudo aquilo que Deus prometeu a Abrão, também foi prometido a Isaque. Aos olhos de

Deus, somos apenas aqueles que recebem. Em Isaque aprendemos o princípio de receber de

Deus.

IV-ONDE ISAQUE CRESCEU?

1.Isaque cresceu em Berseba, ao lado do poço e da tamargueira.

2.Enquanto Eliezer foi buscar uma noiva para Isaque, este desceu até o sul. (Gênesis 24.62), mas

voltou porque estava destinado ao gozo e pelo regresso á posição correta ele obteve uma esposa.

Conclusão:

Apelo:

CAVANDO POÇOS EM BERSEBA

424424424424424424
TEXTO: Gênesis 26.12-18(Gn 21.25)

-Introdução: No tempo antigo, A riqueza de uma pessoa seria medida pelos poços que tinha.

Cavar poços era uma necessidade vital. Antes de plantar ou criar animais era preciso saber se

os poços seriam suficientes para o sustento. Isaque, filho de Abraão era um cavador de

poços. Aonde ia Deus prosperava sua vida mesmo em tempo de fome (Gênesis 26.1). Isaque

não desanimava e continuava cavando poços deixando sua marca em cada lugar. Até que ele

achou uma benção definitiva em sua vida!

Você quer bênçãos definitivas em sua vida ?prepare-se para os desafios que surgirão::

1º Poço de Gerar-
ENTULHADO: (Prepare-se Para ser impedido)

v.18 “E tornou Isaque a abrir os poços que se cavaram nos dias de Abraão, seu pai (porque

os filisteus os haviam entulhado depois da morte de Abraão), e lhes deu os mesmos nomes

que já seu pai lhes havia posto”

a-Por causa de seu crescimento e prosperidade, que causaram muita inveja nos inimigos,

Isaque teve que se mudar para um vale em Gerar, que significa ‘região’ ou ‘lugar do

pernoite’. Seu pai Abraão já tinha passado por ali e aberto poços.

b-Os primeiros poços abertos por Isaque foram os poços antigos de seu pai Abraão, que

pessoas invejosas tinham enchido de entulhos. Estes poços foram restaurados por Isaque e

voltaram a fluir água.

c-Muitas pessoas não sabem cavar poços e ficam entulhando os poços dos outros. São

pessoas que só sabem ver defeitos e dificuldades e nunca reconhecem seu trabalho. Lançam

pedras para pesar e fechar sua capacidade de fluir.

425425425425425425
d-Se entulharem seus poços, não pare de cavar, continue limpando seus poços e nunca

deixe que seja cheio de pedras. Lance fora tudo que não te edifica. Restaure seus poços!

2° Poço de Ezeque-
CONTENDA: (Prepare-se para as contendas)

v.19,20 “Cavaram os servos de Isaque no vale e acharam um poço de água nascente. Mas os

pastores de Gerar contenderam com os pastores de Isaque, dizendo: Esta água é nossa. Por isso,

chamou o poço de Eseque, porque contenderam com ele”

1-O segundo poço aberto por Isaque foi o poço de Ezeque que significa contendas, lugar de

luta e intimidação. Até então ali não havia água, mas Isaque pediu seus servos que abrissem

um poço para seu sustento. O resultado foi que pessoas invejosas, que não sabem cavar

poços, disputaram com Isaque querendo a água para eles.

2-Água de contenda tem um gosto muito amargo. Por isso Isaque deixou aquele poço para

quem estava brigando beberem seu amargor. Isso mostra que Isaque não fazia caso de pouca

coisa e sabia relevar, bem como estava disposto a continuar a cavando poços.

3-Pessoas invejosas não sabem cavar, mas quando você encontra água, logo dizem ‘eu

quero’. Assim como fez Isaque, deixe pra lá o poço de contendas de Ezeque e continue sua

caminhada cavando poços por onde for. Deus tem águas melhores para você.

Não beba água amarga!

3° Poço de Sitna-
INIMIZADE: (Prepare-se paraenfrentar inimigos)

v.21 “Então, cavaram outro poço e também por causa desse contenderam. Por isso,

recebeu o nome de Sitna”

426426426426426426
1-Depois que deixou o poço de Ezeque, Isque mandou cavar outro poço, mas seus inimigos

insistiram em querer a água só para eles. Por isso este poço foi chamado de Sitna que

significa inimizade, acusação, briga, ódio. A palavra Sitna é da mesma raiz do nome Satanás,

inimigo ou adversário.

2-O diabo é tão sujo, que quando Jesus pediu água, lhe deram vinagre para arder mais sua

boca (João 19.28,29). Quando Isaque percebeu que aquela água era do diabo, nem quis

beber dele e deixou mais um poço para trás. Seus inimigos é que beberam a água do mal.

3-Se você cavou um poço e por isso foi alvo de inimizades, peça a Deus que abra outras

portas e te dê condições de continuar cavando poços para seu sustento. Como diz o ditado

popular, ‘mais tem Deus pra dar que o diabo pra roubar’.

4-Ore a Deus que te dê “graça e boa compreensão diante de Deus e dos homens” (Provérbios

3.4) e lute para não ter inimigos, “pelo contrário, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer;

se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas vivas sobre a sua

cabeça” (Romanos 12.20). Procure cavar poços de amizade onde você possa se refrescar com

alegria.

Não beba água de inimizade!

4° Poço de Reobote-
PROSPERIDADE: 9Prepare-se para crescer e prosperar)

v.22 “Partindo dali, cavou ainda outro poço; e, como por esse não contenderam, chamou-

lhe Reobote e disse: Porque agora nos deu lugar o SENHOR, e prosperaremos na terra”.

Isaque continuou cavando poços e encontrou água novamente. Desta vez ninguém o

perturbou e por isso chamou o poço de Reobote, que significa lugar espaçoso, lugar de

descanso e de alívio. Aquele era um local muito aberto e largo. Certamente Deus é quem

mostrou aquele lugar para Isaque e lhe dava o ‘faro’ para encontrar água.

Se Isaque não tivesse perseverado, estaria bebendo água de entulho, água amarga de

contenda e até a água do diabo. Mas como continuou cavando poços, Isaque encontrou águas

427427427427427427
de prosperidade. Agora teria um lugar espaçoso para crescer e seus inimigos se cansaram de

ir atrás dele. Provavelmente seus inimigos estavam cheios de águas entulhadas, amargosas e

venenosas que eles mesmos contaminaram.

5-Continue cavando poços e Deus te dará um lugar espaçoso como Reobote, aonde seus

inimigos não vão te alcançar. Então você dirá “leva-me para junto das águas de Descanso;

refrigera-me a alma” (Salmo 23.2,3). Se você está sendo perseguido por causa do fluir de

Deus em sua vida lembre-se que tem promessas de “vós, com alegria, tirareis água das

fontes da salvação” (Isaías 12.3). Deus tem águas de prosperidade pra você!

5° Poço de Berseba-
PROMESSA:

v.32,33 “Nesse mesmo dia, vieram os servos de Isaque e, dando-lhe notícia do poço que tinham

cavado, lhe disseram: Achamos água. Ao poço, chamou-lhe Seba; por isso, Berseba é o nome

daquela cidade até ao dia de hoje”

Berseba significa ‘lugar de juramento’ de aliança ou promessa (Gênesis 21.31). Ali em

Berseba, Isaque e Abimeleque “juraram de parte a parte; Isaque os despediu, e eles se

foram em paz” (Gênesis 26.31). Foi neste lugar que Isaque fez aliança novamente com

Abimeleque, com quem tinha tido um mal entendido se arrependendo de seus erros do

passado (Gênesis 26.6-11). Berseba foi um lugar de bênçãos definitivas para o resto da vida de

Isaque. Ele já estava tranquilo e prosperando.

-CONCLUSÃO:

Não vale a pena brigar por causa de água, mas vale a pena cavar e “bebe a água da tua

própria cisterna e das correntes do teu poço” (Provérbios 5.15). Deus tem muito para

nossas vidas e Jesus garantiu que “quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior

fluirão rios de água viva” (João 7.38).

Deus tem bênçãos para sua vida, mas é preciso lutar muito sabendo que dificuldades podem

vir no caminho, mas a vitória é certa.

428428428428428428
Se você perdeu um poço que cavou com seu esforço, não pare de cavar, porque onde você

for Deus fará fluir em sua vida. Pessoas invejosas te perseguem porque nada flui no que eles

fazem, pois não têm a presença de Deus.

Não beba águas entulhadas, amargosas de contendas e nem águas do diabo. Deus tem águas

de prosperidade e promessas infinitas para sua vida.

Cavar poços é trabalhoso e difícil, mas é recompensador ver as águas fluindo e se refrescar

na presença de Deus.

Continue cavando, não pare!

429429429429429429
-EXEMPLOS DE INVEJA NA BÍBLIA.

Texto: Gênesis 26.12-14

Introdução:

Na bíblia existem muitos exemplos de inveja, que de tal forma decidiram o destino das vítimas

desta inveja, como já dissemos a inveja é um sentimento destruidor, que destrói tanto quem a

possui como a vítima. Vamos ver alguns exemplos de inveja na inveja.

1º- A INVEJA DOS FILISTEUS PARA COM ISAQUE.

"E tinha possessão de ovelhas, e possessão de vacas, e muita gente de serviço, de maneira

que os filisteus o invejavam."(Gênesis 26: 14)

Aqui neste texto vemos Isaque sendo vítima da inveja, isto foi tão sério que houve alguns

conflitos entre os servos de Isaque e aquele povo e tão grande foi o problema que eles pediram a

Isaque se afastassem para longe, pois Isaque estava mais rico que eles.

430430430430430430
2º- A INVEJA DOS IRMÃOS DE JOSÉ.

"Seus irmãos, pois, o invejavam; porém seu pai guardava este negócio no seu

coração."(Gênesis 37: 11)

Aqui está outro caso bastante sério, a que ponto pode a inveja levar uma pessoa, quando os

irmãos de José perceberam uma maior afeição de seu pai para com José e para completar, José

teve sonhos proféticos, isto foi a gota d’agua para eles começarem a planejar o mal contra José,

todos conhecem a história José passou por tantas tribulações por causa da inveja de seus irmãos.

3º- A INVEJA DE RAQUEL.

"Vendo Raquel que não dava filhos a Jacó, teve inveja de sua irmã, e disse a Jacó: dá-me

filhos, se não morro."(Gênesis 30: 1)

Sabemos que nos dias dos patriarcas e reis era permitida a poligamia. Ou seja, o homem poderia

casar com mais de uma mulher. Nesta época Jacó casou-se com duas irmãs e a mais velha

conseguiu dar filhos a Jacó, em contrapartida Raquel não gerava filhos. E isto fez com que

Raquel desenvolvesse uma grande inveja de sua irmã, por causa de sua incapacidade de gerar

filhos. Daí podemos tirar muitas lições, pois alguns casos de inveja vem justamente da

incapacidade de certas pessoas vencerem na vida, assim colocam os olhos na vida dos outros.

431431431431431431
4º- A INVEJA DE ASAFE.

"Pois eu tinha inveja dos néscios, quando via a prosperidade dos ímpios."(Salmos 73: 3)

Aqui vemos este homem de Deus, que foi um dos conceituados cantores nos tempos de Davi e

uma dos grandes profetas daquele tempo, mas em determinado momento de crise existencial

começou a ter inveja das pessoas ricas e ímpias, pois aos olhos dele estas pessoas apesar de

ímpias e pecadoras contra Deus continuavam prósperas e com saúde, fazendo o profeta vacilar

por causa da inveja.

5º- HOMENS REBELDES TIVERAM INVEJA DE MOISÉS E DE ARÃO.

"E invejaram a Moisés no campo, e a Arão, o santo do SENHOR."(Salmos 106: 16)

Nos dias do ministério de Moisés, grande homem de Deus e Arão se levantaram pessoas com

inveja deles, mas eles pagaram um preço muito alto por causa de sua inveja.

432432432432432432
6º- Daniel foi vítima de inveja.

"Então o mesmo Daniel sobrepujou a estes presidentes e príncipes; porque nele havia um

espírito excelente; e o rei pensava constituí-lo sobre todo o reino."

"Então os presidentes e os príncipes procuravam achar ocasião contra Daniel a respeito do

reino; mas não podiam achar ocasião ou culpa alguma; porque ele era fiel, e não se achava

nele nenhum erro nem culpa."(Daniel 6: 3,4)

Por causa da vida excelente de Daniel, a inveja foi despertada no coração de homens maus, de

tal forma que eles conspiraram contra Daniel para destruí-lo, mas Deus mostrou sua fidelidade

para com Daniel e seus inimigos foram desmascarados.

7º- OS LÍDERES DE ISRAEL TIVERAM INVEJA DE JESUS.

"Porque ele bem sabia que por inveja os principais dos sacerdotes o tinham

entregado."(Marcos 15: 10)

Os líderes dos judeus vendo o ministério próspero de Jesus com todos aqueles milagres ficaram

tomados de inveja e fizeram todo o possível para destruir Jesus, Deus usou este ódio dos judeus

para cumprir o seu propósito na pessoa de Jesus.

433433433433433433
8º- OS LÍDERES JUDEUS COM INVEJA DE PAULO.

"Então os judeus, vendo a multidão, encheram-se de inveja e, blasfemando, contradiziam o

que Paulo falava."(Atos 13: 45)

O apóstolo Paulo foi vítima de muita inveja nos dias do seu ministério e por causa da inveja os

inimigos de Paulo empreenderam uma verdadeira cruzada contra a vida de Paulo, em todos os

lugares que Paulo pregava lá estavam seus perseguidores.

Conclusão:

Apelo:

434434434434434434
5.CAVANDO OS POÇOS NO DESERTO

GÊNESIS 26: 1 a 25

Uma pequena explicação:

Poço de Berseba, que ABRAÃO chamou de sete pelo pacto dos 7 cordeiros de gênesis 21:29-31 e

ISAQUE deu o mesmo nome, mas para ele era o poço do juramento; ambas as ideias são expressas

pelo mesmo nome Berseba.

A grande vitória de Isaque, deveu-se a três importantes fatores:

VISÃO, UNÇÃO E GRAÇA

Isaque tinha uma VISÃO?..?Tomar toda a terra que Deus havia prometido dar a seus pais e a sua

descendência?

Ele era o herdeiro e não perdeu a visão da sua herança. A sua visão não estava na crise e nem nas

dificuldades, mas na promessa que havia recebido de Deus.

435435435435435435
Ele tinha UNÇÃO, porque a unção flui por obediência. Permaneceu em GERAR, apesar da crise,

mas obedeceu o que Deus mandou. Não cometeu o mesmo erro de seu pai Abraão, que na hora

da crise preferiu descer para o Egito.

Ele tinha GRAÇA, porque semeou num tempo e numa terra de crises, mas colheu cem(100) vezes

mais no mesmo ano. Aleluia!

E aqui descobrimos algo importante; A QUESTÃO NÃO É O LUGAR ONDE VOCÊ ESTÁ, MAS QUEM

ESTÁ COM VOCÊ?.

Em cima do que ele tinha, Visão, Unção e Graça, teria que desenvolver sua tarefa pessoal e

importante ; PERSEVERANÇA

Cada poço que era reaberto, já representava o início da herança, pois a água era limpa, e água

era a principal riqueza numa terra seca. Todavia a oposição veio para cada um dos poços

reabertos.

Para PERSEVERAR, temos que aprender a lidar com as oposições. Só tem uma maneira de calar o

inimigo; é não parar de fazer o que se está fazendo.

Veja o exemplo de NEEMIAS, lendo seu livro capítulo 4 dos versos 1 a 6

Não se importou com as oposições dos seus inimigos, mas continuou a obra até completá-la.

Este é o momento da necessidade da Unção, porque ela traz o discernimento para sabermos se

aquele projeto, familiar, desejos pessoais, ministérios, construções, fazem realmente parte do

objetivo final de Deus para nossas vidas, e não armadilhas para destruir o sonho final.

Isaque estava em busca da sua herança.

O 1o. POÇO ? água era boa,, mas gerou contenda e contenda gera morte, era o poço de ESEQUE.

O 2o. POÇO ? também a água era boa, mas gerou inimizade e inveja, era o poço de SITNA.

A perseverança o levou ao 3o. POÇO, ? água igual, mas esse era o De Deus para ele. ? Poço de

REOBOTE

Reobote é o lugar onde os inimigos não podem nos seguir mais, pois é o lugar onde somente os

filhos de Deus podem ficar, aleluia!!!

436436436436436436
Muitos já se alegram de chegar a este lugar, que já é de grande benção, mas há algo mais. Deus

quer nos levar mais adiante do que pensamos. Ele quer nos levar até

BERSEBA ? LUGAR DO JURAMENTO

Aleluia!

Hebreus 6:13-15 (

?Porque, quando Deus fez a promessa a Abraão, como não tinha outro maior por quem jurasse,

jurou por si mesmo, dizendo: Certamente, abençoando te abençoarei, e multiplicando te

multiplicarei. E assim, esperando com paciência, alcançou a promessa?

Agarre-se na promessa que Deus já te deu, na sua herança, e não desista até chegar em Berseba

Te abençoo em nome de Jesus

(http://www.bibliaonline.com.br/acf/hb/6/13-15)

437437437437437437
CAVANDO POÇOS EM TEMPOS DE CRISE

Genesis 26.1-33

A forma como se comportar na crise vai determinar o fracasso ou a sua vitória. Para cada ação

move uma reação.

Segue algumas orientações que Deus deu a Isaque

 NA CRISE DEVEMOS SEGUIR A ORIENTAÇÃO DE DEUS

Somos desafiados a lutar pela própria sobrevivência

A fome assolava a terra. Era tempo de escassez, de desemprego, de dificuldades de

sobrevivência. Isaque não ficou lamentando, ele saiu, procurou agir.

438438438438438438
Na crise não podemos buscar atalhos

Isaque foi tentado a descer ao Egito, lugar de fartura e riquezas fáceis.

Queremos soluções rápidas, fáceis e sem dor. Mas Deus disse a ele: “Não desças ao Egito”.

Desista dos seus planos e siga o projeto de Deus. O caminho do Senhor sempre será melhor.

Há caminhos ao homem que parecem direitos, mas seu fim é morte.

Na crise, precisamos tomar posse das promessas de Deus

Deus disse para Isaque: não fuja, fique! Floresça onde você está plantado. Não corra dos

problemas, enfrente-os. Vença-os. O seu futuro está nas mãos de Deus.

A causa da nossa vitória não é ausência de problemas, mas a presença de Deus nos garantindo a

vitória.

O caminho da obediência é o caminho da bênção. Na crise não fuja de Deus, obedeça a Deus!

NA CRISE DEVEMOS VENCER O PESSIMISMO E VIVER A FÉ – CAVAR POÇOS

Semear na sua terra, ainda que todos duvidem – semeie!!!

Muitos podiam dizer: o lugar é deserto. Aqui não chove. A terra é seca. Aqui não há água. Não vai

dar certo. Outros já tentaram e fracassaram. Não tem jeito, jamais vamos sair dessa crise.

“Semeou Isaque naquela terra”.

semear na sua terra. Semear no seu casamento. Semear nos seus filhos. Semear no seu

trabalho. Semear na igreja. Não importa se hoje o cenário é de um deserto. Vamos lançar a

439439439439439439
rede em nome de Jesus. Lançar o pão sobre as águas. Andar pela fé. Semear no seu deserto.

Deus faz o deserto florescer.

cavar poços no deserto. Ele prosperou quando todo mundo estava reclamando da crise e da

fome.

Faça a sua parte e espere o sobrenatural de Deus

Isaque colheu muito no deserto, na seca (v. 12). “Enriqueceu-se o homem, prosperou, ficou

riquíssimo” (v. 13). Tornou-se próspero (v. 14). A razão? Porque o Senhor o abençoava (v. 12b).

Isaque tirou os entulhos dos filisteus para que a água pudesse jorrar

v.18 havia água nos poços, mas ela não podia ser aproveitada.

Deus tem para nós fontes, rios de água viva. Nós não os recebemos porque há entulho para ser

tirado.

Antes de sermos cheios do Espírito de Deus, precisamos tirar o entulho do pecado.

440440440440440440
OS POÇOS DE ISAQUE

441441441441441441
Vamos refletir sobre os 4 poços que Isaque cavou e o que podemos aprender com eles:

O CAVADOR DE POÇOS – VERSÍCULOS 17-25.

A. Isaque é mencionado sete vezes em conexão com a escavação de poços. Ele reabriu os poços

que os inimigos de Deus fecharam. Isto tem sido usado muitas vezes para retratar a necessidade

de reavivamento:

1. Nossos antecessores espirituais cavaram fundo para alcançarem as águas das bênçãos e da

verdade.

2. Os inimigos de Deus têm obstruído os poços de bênçãos com falsas doutrinas e mundanismo.

3. Nós podemos encontrar a verdade e as bênçãos de Deus no mesmo lugar onde os nossos

antecessores espirituais encontraram. Nós devemos remover o pecado e o falso ensino que tem

obstruído estes poços.

É o poço de Eseque que representa CONTENDA:

vv.19-20 “Cavaram os servos de Isaque no vale e acharam um poço de água nascente. Mas os

pastores de Gerar contenderam com os pastores de Isaque, dizendo: Esta água é nossa. Por isso,

chamou o poço de Eseque, porque contenderam com ele”.

O primeiro poço aberto por Isaac foi o poço de Eseque que representa contendas, lugar de luta e

intimidação. Até então ali não havia água, mas Isaac pediu aos seus servos que abrissem um poço

442442442442442442
e eles encontraram água nascente, mas então por essa água contenderam os pastores de Gerar

com os pastores de Isaac.

Água de contenda tem um gosto muito amargo. Por isso Isaac deixou aquele poço valioso para

quem estava brigando beber seu amargor. Pessoas invejosas não sabem cavar, mas quando você

encontra água, logo dizem ‘eu quero’. Assim como fez Isaac, deixe pra lá o poço de contendas de

Eseque e continue sua caminhada cavando poços por onde for. Deus tem águas melhores para

você.

Não beba água amarga!

É o poço de Sitna que representa INIMIZADE:

vv.21 “Então, cavaram outro poço e também por causa desse contenderam. Por isso, recebeu o

nome de Sitna”.

Depois que deixou o poço de Eseque, Isaque mandou cavar outro poço, mas seus inimigos

insistiram em querer a água só para eles. Por isso este poço foi chamado de Sitna que significa

inimizade, acusação, briga, ódio. A palavra Sitna é da mesma raiz do nome Satanás, inimigo ou

adversário.

Se você cavou um poço e por isso foi alvo de inimizades, peça a Deus que abra outras portas e te

dê condições de continuar cavando poços para seu sustento.

Procure cavar poços de amizade onde você possa se refrescar com alegria.

Não beba água de inimizade!

É o poço de Reobote que representa PROSPERIDADE:

vv.22 “Partindo dali, cavou ainda outro poço; e, como por esse não contenderam, chamou-lhe

Reobote e disse: Porque agora nos deu lugar o SENHOR, e prosperaremos na terra”.

443443443443443443
Isaac continuou cavando poços e encontrou água novamente. Desta vez ninguém o perturbou e

por isso chamou o poço de Reobote, que significa lugar espaçoso, lugar de descanso e de alívio.

Aquele era um local muito aberto e largo. Certamente Deus é quem mostrou aquele lugar para

Isaque e lhe dava a direção para encontrar água.

Se Isaque não tivesse perseverado, estaria bebendo água de entulho, água amarga de contenda e

até a água da inimizade. Mas como continuou cavando poços, Isaac encontrou águas de

prosperidade. Agora ele tinha um lugar espaçoso para crescer e seus inimigos se cansaram de ir

atrás dele.

Continue cavando poços e Deus te dará um lugar espaçoso como Reobote, e seus inimigos não vão

te alcançar. Se você está sendo perseguido por causa do fluir de Deus em sua vida lembre-se que

o Senhor irá cumprir cada promessa.

Deus tem águas de prosperidade para você!

É o poço de Berseba que representa PROMESSA:

vv.32-33 “Nesse mesmo dia, vieram os servos de Isaque e, dando-lhe notícia do poço que tinham

cavado, lhe disseram: Achamos água. Ao poço, chamou-lhe Seba; por isso, Berseba é o nome

daquela cidade até ao dia de hoje”

Berseba significa ‘lugar de juramento’ de aliança ou promessa (Gênesis 21.31). Ali em Berseba,

Isaque e Abimeleque “juraram de parte a parte; Isaque os despediu, e eles se foram em paz”

(Gênesis 26.31). Berseba foi um lugar de bênçãos definitivas para o resto da vida de Isaac.

Persevere pela fé porque as promessas de Deus vão se cumprir em sua vida no tempo oportuno.

Berseba é lugar de Promessa e de paz. Foi em Berseba que Isaac armou sua tenda (v.25) e

construiu sua vida em família.

Cavar poços significa que é preciso continuar acreditando que as bênçãos de Deus fluirão mesmo

em tempos de crise.

444444444444444444
As promessas de Deus são uma fonte de bênção inesgotável que irá saciar a nossa sede espiritual.

Estamos cavando poços em Berseba, não construímos uma tenda como Isaac, mas erigimos um

Tabernáculo para o Senhor e cremos que o poço de água nascente chamado Jesus Cristo está aqui

conosco e que muitas almas sedentas beberão desta água e nunca mais terão sede.

“Jesus respondeu, e disse-lhe: Qualquer que beber desta água tornará a ter sede; Mas aquele

que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele

uma fonte de água que salte para a vida eterna”. (João 4:13-14)

E apareceu-lhe o Senhor naquela mesma noite, e disse: Eu sou o Deus de Abraão teu pai; não

temas, porque eu sou contigo, e abençoar-te-ei, e multiplicarei a tua descendência por amor de

Abraão meu servo. Então edificou ali um altar, e invocou o nome do Senhor, e armou ali a sua

tenda; e os servos de Isaque cavaram ali um poço. (Gênesis 26:24-25)

O QUE É UM POÇO?

A palavra hebraica beʼér, traduzida “poço”, geralmente designa uma cova ou buraco cavado no
solo para extrair um suprimento natural de água.

O termo beʼér aparece em nomes de lugares tais como Beer-Laai-Roi (Gên 16:14), Berseba (Gên
21:14), Beer (Núm 21:16-18) e Beer-Elim (Is 15:8). Esta palavra significa “poço” (Gên 14:10), e,
nos Salmos 55:23 e Salmos 69:15 parece indicar a sepultura. É usada metaforicamente para
referir-se a uma esposa ou mulher amada. (Pr 5:15; Cân 4:15) E Provérbios 23:27, onde a mulher
estrangeira é assemelhada a um poço estreito, pode fazer alusão a que obter água de tal poço
amiúde envolve dificuldades, pois os jarros de barro se quebram facilmente nas laterais do poço.
— Veja FONTE, MANANCIAL.

445445445445445445
Nas terras que passam por uma longa estação seca, especialmente as regiões desérticas, desde
tempos remotos os poços têm tido grande importância. Parece que, nos tempos antigos, a
utilização não autorizada de poços era encarada como violação dos direitos de propriedade.
(Núm 20:17, 19; 21:22) A escassez de água e o trabalho envolvido em cavar poços os tornavam
bens valiosos. Não raro a posse de poços dava origem a violentas disputas e contendas. Por este
motivo, o patriarca Abraão, em certa ocasião, estabeleceu formalmente seu direito de
propriedade sobre um poço em Berseba. (Gên 21:25-31; 26:20, 21) Depois de sua morte, porém,
os filisteus desconsideraram os direitos do filho e herdeiro dele, Isaque, e taparam os próprios
poços que os servos de Abraão haviam escavado. — Gên 26:15, 18.

Em muitos casos os poços eram cercados de muretas, e mantidos cobertos por grande pedra, sem
dúvida para impedir a penetração de sujeira, e evitar que animais e pessoas caíssem neles. (Gên
29:2, 3; Êx 2:15, 16) Perto de alguns poços havia bebedouros ou calhas para dar água aos animais
domésticos. (Gên 24:20; Êx 2:16-19)

Por todas as colinas da Palestina, cavavam-se poços na pedra calcária, e não raro se escavavam
na rocha degraus que conduziam até a água. Em alguns poços, depois de descer, a pessoa
simplesmente tirava água mergulhando nela um recipiente. No entanto, de fontes bem profundas
a água era comumente retirada com um balde de couro (Núm 24:7) ou um jarro de barro (Gên
24:16), suspenso por uma corda. — Veja FONTE DE JACÓ.

446446446446446446
CAVANDO POÇOS E ENCONTRANDO ÁGUAS PROFUNDAS

TEXTO: Salmos 84.6; Gn 26.26-33

INTRODUÇÃO: Em Berseba Isaque experimentou as promessas de Deus para sua vida. Mas

enquanto isso fez algumas coisas importantes para não perder mais seus poços (Gênesis

26.25): Naquele mesmo dia recebeu a notícia de que tinham achado água novamente

garantindo seu sustento por muito tempo.

O QUE ISAQUE FEZ PARA ENCONTRAR AS ÁGUAS PROFUNDAS?

I-Em Berseba Isaque experimentou as promessas de Deus para sua vida.

...“Serei contigo e te abençoarei; porque a ti e a tua descendência darei todas estas terras e

confirmarei o juramento que fiz a Abraão, teu pai. Multiplicarei a tua descendência como as

estrelas dos céus e lhe darei todas estas terras. Na tua descendência serão abençoadas todas as

nações da terra” (Gênesis 26.3,4).

447447447447447447
II-Para Isaque, Berseba se tronou um lugar de Promessa e de paz. Foi em Berseba que

Isaque armou sua tenda (v.25) E CONSTRUIU SUA VIDA EM FAMÍLIA. V. 25

III- Cavar poços significa que é preciso continuar acreditando que se houver perseverança

você irá encontrar as águas profundas.

Mesmo em tempos difíceis, Deus tem promessas para seus servos de que “passando pelo vale

árido, faz dele um manancial; de bênçãos o cobre a primeira chuva” (Salmo 84.6).

As promessas de Deus são uma fonte inesgotável para saciar todas as nossas necessidades.

IV- As Palavras de Deus se cumpriram na vida de Isaque, mas primeiro ele fez a sua parte:

1.ELE BUSCOU A RESTAURAÇÃO DE DEUS PARA A SUA VIDA.

Concertou seus erros e continuou cavando para encontrar água.


2. Berseba foi um lugar de bênçãos definitivas para o resto da vida de Isaque. Ele já estava
tranquilo e prosperando, mas enquanto isso fez algumas coisas importantes para não perder
mais seus poços (Gênesis 26.25):

1. Ergueu um altar: “levantou ali um altar”

2. Vida de Oração: “tendo invocado o nome do SENHOR”

3. Cuidado com a família: “armou a sua tenda”

4. Continuou cavando poços: “os servos de Isaque abriram ali um poço”

5. Perdão: se reconciliou com Abimeleque (Gênesis 26.26-33).

448448448448448448
Assim que Isaque confirmou totalmente sua vida com Deus, família e se concertou de seus

erros, naquele mesmo dia recebeu a notícia de que tinham achado água novamente

garantindo seu sustento por muito tempo.

6.As promessas de Deus são uma fonte de bênçãos!

CONCLUSÃO:

Não vale a pena brigar por causa de água, mas vale a pena cavar e “bebe a água da tua própria

cisterna e das correntes do teu poço” (Provérbios 5.15). Deus tem muito para nossas vidas e

Jesus garantiu que “quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de

água viva” (João 7.38).

Deus tem um futuro de bênçãos para sua vida, mas é preciso lutar muito sabendo que

dificuldades podem vir no caminho, mas a vitória é certa.

Se você perdeu um poço que cavou com seu esforço, não pare de cavar, porque onde você for

Deus fará fluir em sua vida. Pessoas invejosas te perseguem porque nada flui no que eles fazem,

pois não têm a presença de Deus.

Não beba águas entulhadas, amargosas de contendas e nem águas do diabo. Deus tem águas

de prosperidade e promessas infinitas para sua vida.

Cavar poços é trabalhoso e difícil, mas é recompensador ver as águas fluindo e se refrescar

na presença de Deus.

449449449449449449
ISAQUE E A NOSSA CAMINHADA DE FÉ

TEXTO : Gênesis 26:1,6,15,18-22;v.23-25;26,30-33

450450450450450450
INTRODUÇÃO:

Hoje vamos fazer uma analogia da experiência de Isaque com nossa caminhada de fé. O

texto fala da caminhada de Isaque de Gerar a Berseba, passando pelo Vale de Gerar. EM QUE

ASPECTOS NOSSA CAMINHDA DE FÉ É SEMELHANTE A DE ISAQUE

I-Muitos cristãos estão como Isaque em Gerar, sentem-se confortáveis, estão prosperando...,

mas de fato ali não é a terra da promessa de Deus.

1.GERAR (Gn 26:1-15): Houve um período de fome na terra (v.1) e por isso Isaque foi para

Gerar.

2.Deus lhe disse para ficar na terra que lhe mostraria e ali seria muito abençoado e

confirmou-lhe todas as promessas feitas a Abraão seu pai (v.2-5).

3. Isaque ficou em Berseba (v.6), mas note que o texto não afirma que esta terra da

promessa seria Berseba. Em Berseba, Isaque prosperou e ficou muito rico (v.12-14), mas

também ali seus poços foram entupidos com entulhos (v.15), e mentiu acerca de sua esposa

(v.7-11).

4. Aparentemente ali em Gerar ele era abençoado, porque o Senhor o abençoava (v.12). No

entanto, Gerar não era a terra da promessa de Deus para Isaque, não era o lugar em que

Deus o levaria e mostraria (v.2). Muitos cristãos estão como Isaque em Gerar, sentem-se

confortáveis, estão prosperando..., mas de fato ali não é a terra da promessa de Deus.

II-O vale geralmente simboliza tempos de aprendizado e provações em nossas vidas.

1.VALE DE GERAR (Gn 26:16-22): O Rei Abimeleque percebendo que Isaque estava ficando

rico e poderoso o convida a se retirar de suas terras.

451451451451451451
2. Deus começa a mover Isaque na direção da terra da promessa. Isaque teve que passar pelo

vale, pelo Vale de Gerar. O vale geralmente simboliza tempos de aprendizado e provações

em nossas vidas.

3. No Vale de Gerar Isaque teve que cavar poços (v.17-22), abriu todos os poços que seu pai

havia aberto no passado e que foram entulhados com terra e pedras. Isaque teve que cavar

poços, tirar entulhos, terra e pedras. Um dos poços abertos ganhou o nome de “Eseque” que

significa contenda; o outro “Sitna” que significa ódio e tem a mesma raiz de Satanás.

4.No vale ao cavar poços e tirar pedras, nomeia os poços de contenda e ódio. Note em Pv

4:23 está escrito que do nosso coração procedem as fontes da vida; e em João 7:38 que do

nosso interior fluiriam rios de água viva.

5.Muitas vezes essas fontes de água viva ficam impedidas de jorrar porque estão entulhadas

de pedras e terra. Para elas jorrarem é preciso cavar e retirar como, por exemplo, as

contendas e o ódio.

6. O vale simboliza o tempo em que Deus trabalha em nossas vidas nos preparando para as

promessas e bênçãos.

III-Berseba é lugar de edificar altar, de estabelecer relação séria e comprometida com o

projeto de Deus para nossa vida.

1.BERSEBA (V.23-25): O último poço cavado por Isaque ele deu o nome de “Reobote” que

significa alargamento e amplidão.

2.Então, ele entendeu que Deus o abençoaria a partir dali. Foi para um local chamado

Berseba (v.23) e neste local Deus se revelou a ele reafirmando as promessas feitas a Abraão

(v.24), e ali Isaque armou sua tenda e fixou sua morada, levantou um altar, e cavou um poço

(v.25).

3. Levantar um altar tem sentido de consagração e adoração. Berseba significa poço de

juramento, ali era a terra da promessa. Berseba é terra de promessa e lugar de bênção. Berseba

452452452452452452
é lugar de edificar altar, de estabelecer relação séria e comprometida com o projeto de Deus

para nossa vida.

CONCLUSÃO:

Muitos cristãos estão acomodados em Gerar, pensando estar usufruindo das bênçãos de
Deus. Mas, na verdade o projeto de Deus é Berseba. Para chegar em Berseba é preciso passar
pelo Vale de Gerar. Em outras palavras para alcançar a bênção de Deus é preciso passar pelo
vale, cavar poços e tirar entulhos; e então, edificar altar e us

Prosperando no Deserto

453453453453453453
TEXTO: Gn 26.

INTRODUÇÃO: A crise chega para todos. A diferença está na atitude com que cada um

enfrenta a crise.

O que distingue um vencedor neste mundo tormentoso daqueles que sucumbem o tombam

vencidos nos desertos da vida não são as circunstâncias mas a maneira como se enfrenta a

crise.

A experiência de Isaque traz para nós grandes ensinos sobre com enfrentar os desertos e as
crises. A crise foi um tempo de oportunidade na vida dele. Em vez de se desesperar ele
triunfou num tempo em que todos estavam fracassando.

I-Para prosperarmos no deserto precisamos seguir a orientação de Deus.

1-Isaque também está enfrentando uma crise. . A fome assola a sua terra. O que fazer na
hora em que você se vê encurralado pela crise?

O grande perigo na encruzilhada da crise é tomar a direção errada. Isaque queria ir para o
Egito, lugar de fartura, riqueza e segurança.

2-Isaque queria fugir da crise, não enfrentá-la. Deus exortou-o a recusar a imediata
abundância do Egito por bênçãos invisíveis (Gn 26.3) e mais remotas (Gn 26.3,4).

3-Muitas pessoas fracassam na vida exatamente porque na crise deixam de atender à voz de
Deus e descem para o Egito, onde negociam seus valores absolutos, transigem com suas
consciências e tapam os ouvidos para não atenderem à voz de Deus.

454454454454454454
II. Para prosperarmos no deserto precisamos nos voltar para as promessas da Palavra de
Deus.

1-Gerar foi o lugar que Isaque nasceu. Deus irrompe na sua história e lhe diz: "Não fuja,
floresça onde você está plantado. Não corra dos problemas. Enfrente-os. Vença-os".

2-Mas Deus acalma o coração de Isaque dizendo-lhe: "Calma! Eu estou contigo. Calma! Eu
tomo conta da sua descendência. Calma! Seu futuro está nas minhas mãos. Calma! Farei de
você e da sua descendência uma bênção para o mundo". Uma presença consoladora. Deus diz
a Isaque: " Permaneça nesta terra e eu estarei com você" (Gn 26.3) A palavra de
encorajamento que Deus dá a Isaque é a garantia da sua presença com ele. A promessa é
sustentada mediante a obediência. Precisamos obedecer a Deus sem racionalizações

3-O Senhor tem duas ordens para ele:

Primeira: "Não desça ao Egito" (Gn 26.2).

Segunda "Procure estabelecer-se na terra que eu lhe indicar" (Gn 26.2). A solução do
problema não está em mudar de lugar, mas em mudar de atitude. Isaque não discute, não
questiona, não racionaliza, não duvida. Ele obedece prontamente, pacientemente (Gn 26.6).
Deus o manda ficar, ele fica. Deus dá uma ordem, ele obedece. A obediência imediata abriu-
lhe a porta da esperança. Ele prosperou naquela terra. Ali ele viu milagres extraordinários
acontecendo. O nosso triunfo é resultado da nossa confiança em Deus.

III- No deserto da crise precisamos desafiar os prognósticos pessimistas.

1-Isaque tinha muitas razões para não morar em Gerar. O clima geral era de pessimismo. O
desânimo tomava conta de todos. Talvez Isaque tenha ouvido muitos afirmando: O lugar aqui
é deserto. Aqui não chove. A terra está seca. Aqui não tem água. Este lugar não serve para
agricultura. Qualquer investimento de plantio não dará certo. Outros já tentaram e

455455455455455455
fracassaram. Não tem jeito, não podemos sair dessa crise. "Isaque plantou uma lavoura
naquela terra" (Gn 26.12).

2- Isaque experimentou no deserto os maiores milagres de Deus. Isaque colheu a cento por
um no deserto em tempo de seca (Gn 26.12). "O homem enriqueceu, e a sua riqueza
continuou a aumentar, até que ficou riquíssimo" (Gn 26.13). A razão: "Porque o Senhor o
abençoou" (Gn 26.12b). "A bênção do Senhor traz riqueza, e não inclui dor alguma" (Pv
10.22). É no deserto que Deus pode fazê-lo prosperar.

3-Isaque não se contentou apenas com as experiências do passado; ele queria mais (Gn
26.19-22,32) Isaque era um homem sedento. Queria sempre mais. Ele saiu da terra dos
filisteus, foi para o vale de Gerar, depois para Reobote, depois para Berseba. Mas, por onde
ia, cavava poços. Ele não desanimava diante das dificuldades.

4-Queria água no deserto. Berseba, antes um deserto, agora era uma cidade, porque Isaque
encontrou água ali. Isaque não apenas desentupiu os poços antigos; ele cavou poços novos.
Não desprezou o passado, mas também não ficou preso a ele. Isaque não jogou fora a
herança deixada por seu pai, mas não se limitou a ela. Isaque sabia que podia alargar os
horizontes da sua vida. Não se acomodou e continuou cavando poços. Foi além. Ele queria
mais. Transformou o seu deserto em fonte de águas.

IV-Para prosperáramos no deserto precisamos conjugar trabalho e Reino. (Gn 26.24-25)

1-Precisamos trafegar da igreja para o nosso trabalho com a mesma devoção. Toda a nossa
vida está envolta pelo sagrado.

2-Nosso labor é santo. Nosso trabalho é santo. Nossa segunda-feira precisa ser tão cúltica
quanto o culto de domingo. Se no seu escritório, no seu balcão, no seu comércio, na sua
indústria, no seu campo, você não levanta altares a Deus, seu culto na igreja será vazio.

3-Isaque nos ensina o princípio de que tudo na vida é sagrado. Cavar poços deve ser um ato
litúrgico.

456456456456456456
4-Tudo o que fazemos deve ser para a glória de Deus. Tudo o que fizermos, seja em palavra
ou em ação, devemos fazer em nome de Jesus, dando graças ao Deus Pai.

CONCLUSÃO:

Se agirmos como Isaque. Deus Florescerá o deserto para nós. Deus pode transformar o
deserto em um pomar. A terra seca pode ser o palco de abundantes colheitas.

Podemos prosperar no deserto. O Deus de Isaque é o nosso Deus. Ele continua fazendo
maravilhas na vida daqueles que crêem em sua Palavra e agem de acordo com os seus
preceitos.

A crise não é um fim. Ela é apenas um meio pelo qual Deus o conduzirá a vitórias
retumbantes.

VENCENDO NA CRISE DO DESERTO

TEXTO: GN 26.1,2,6,12,13,14,15,16,17,23,24,2526,27,28,32,33. Um breve resumo da

história de Isaque- INTRODUÇÃO:

Pela falta de comida na terra de Canaã, Isaque é obrigado a descer para Gerar.(v1)

- Deus o ordena a não descer para o Egito, mas ficar onde Ele o dissesse.(v2)

457457457457457457
- Deus confirma que cumpriria todas as Suas promessas, iria abençoar Isaque, sua

descendência e lhe daria todas as terras a sua volta.(v3,4)

- Isaque ficou em Gerar por muito tempo, e foi abençoado por Deus, colhendo 100 vezes mais

do que semeou, prosperou e ficou riquíssimo (v13)

- Até que os filisteus tiveram inveja da sua prosperidade e entulharam seus poços.(v15,16)

- O rei dos filisteus, Abi meleque (não é nome é um título) manda ele ir embora. (v16)

- Isaque vai para o vale de Gerar e lá reabre os poços entulhados. (v17,18)

- Os filisteus reclamam dizendo que aquela água era deles, Isaque chama aquele poço de

Eseque (contenda). (v20)

- Isaque reabre outro poço, e da mesma forma os filisteus reclamam, por Isaque chama este

poço de Stina (inimizada). (v21)

- Mais adiante Isaque reabre outro poço, e por não haver nenhuma contenda ele o chamou de

Reobote (lugar amplo). (v22)

- Mesmo assim Isaque vai um pouco mais adiante, para um lugar onde Deus lhe confirma mais

uma vez todas as suas promessas, e lhe diz para não temer. (v23,24)

- Naquele lugar Isaque levantou um altar para Deus, armou a sua tenda, e mandou cavar um

poço. (v25)

- Isaque recebe a visita de Abi meleque, um amigo e o comandante do exercito filisteu,

Isaque ficou surpreso pela visita, uma vez que eles o expulsaram de meio deles. (v27)

458458458458458458
- Porem eles queriam uma aliança de paz com Isaque, uma vez que viram claramente que o

Senhor era com ele. (v28)

- no verso 29 eles reconhecem Isaque como: - “O abençoado do Senhor”.

- Sem nenhum rancor Isaque lhes oferece um banquete. (v30)

- Pela manhã os servos de Isaque informam que o poço deu água. (v32)

- Chamou Isaque aquele poço de Seba (Juramento, ou sete) por este motivo, aquele cidade

se chama até os dias de hoje Beer-Seba (fonte do juramento). (v33)

TESE: Como Vencer na crise deserto.

No deserto de Isaque há seca e fome em sua terra. Inimigos que se levantam. Vejamos à luz

deste texto cinco princípios para vencermos no deserto da vida:

I. NA SECA DO DESERTO , SIGA A ORIENTAÇÃO DE DEUS EM VEZ DE FUGIR – V. 1-6

1. Na crise do deserto somos desafiados a lutar pela própria sobrevivência – v. 1- A fome

assola a sua terra. É tempo de escassez, de desemprego, de contenção drástica de despesas,

de recessão. Isaque não ficou lamentando, ele saiu, se moveu.

2. Na crise do deserto, não podemos buscar atalhos sedutores – v. 2

• Isaque foi tentado a descer ao Egito, lugar de fartura e riquezas fáceis. Queremos soluções

rápidas, fáceis e sem dor. Mas Deus diz a ele: “Não desças ao Egito”. Cuidado para não

transigir com os valores de Deus na hora da crise. Cuidado para não tapar os ouvidos à voz de

Deus na hora da crise. Desista das vantagens imediatas por bênçãos mais invisíveis (v. 3) e

remotas (v. 4). Desista dos seus planos e siga o projeto de Deus.

3. Na crise, precisamos tirar os olhos das circunstâncias e pô-los nas promessas de Deus – v.

3-5

459459459459459459
• Deus diz para Isaque: não fuja, fique! Floresça onde você está plantado. Não corra dos

problemas, enfrente-os. Vença-os. • Deus acalma o coração de Isaque e lhe diz: Calma! Eu

estou contigo. Calma! Eu tomo conta da sua descendência. Calma! Seu futuro está nas minhas

mãos e não acabado pelo terremoto das circunstâncias. Calma! Eu vou fazer de você e da sua

descendência uma bênção para o mundo todo.

4. Na crise, precisamos obedecer sem racionalizações – v. 6

• Deus tem duas ordens para Isaque: Não desças ao Egito (v. 2) e fica na terra de Gerar (v.

2,6). Isaque não discute, não questiona, não racionaliza, não duvida. Isaque obedece

prontamente, pacientemente. Ele aprendeu com seu pai Abraão. Abraão saiu, ele saiu.

Abraão, vai a Moriá, ele foi. Abraão ofereça seu filho em sacrifício, ele ofereceu. Abraão não

estendas a mão sobre o menino e ele obedeceu. O caminho da obediência é o caminho da

bênção. Na crise não fuja de Deus, obedeça a Deus!

II. NA CRISE DO DESERTO INVISTA EM SEU RELACIONAMENTO FAMILIAR EM VEZ DE MENTIR – V.

7-11

1. Os grandes homens também têm os pés de barro – v. 7

• Isaque mentiu para salvar a sua pele e para colocar a sua mulher na maior de todas as

encrencas. Ele demonstrou que amava mais a si do que a esposa. Ele estava preocupado com

a sua segurança e não com os sentimentos da sua mulher. Ele negou o mais sagrado dos

relacionamentos: a união conjugal. Ele foi covarde na hora que precisava ser mais corajoso.

• A mentira contada (v. 7), tornou-se mentira descoberta (v. 8-9). A mentira descoberta,

tornou-se mentira reprovada (v. 10-11).

• Isaque cometeu três pecados graves: Mentira, Egoísmo e Medo. • Não deixe que a crise

financeira ou qualquer outro problema familiar fragilize o seu relacionamento conjugal. A

crise deve ser um tempo de aproximação do casal e não de instabilidade. Hoje 50% dos

460460460460460460
casamentos acabam em divórcio. Dez anos depois do segundo casamento, 70% terminam

também em divórcio. Nos últimos 6 anos, o índice de divórcio na terceira idade, aumentou

51%.

• A sua família é o seu maior patrimônio. Nenhum sucesso compensa o fracasso da sua

família.

III. NA CRISE DO DESERTO VENÇA OS PROGNÓSTICOS PESSIMISTAS E FAÇA INVESTIMENTOS EM

VEZ DE FICAR LAMENTANDO – V. 12-14

1. Semeia na sua terra, ainda que todos duvidem – v. 12

• Muitos podiam dizer: o lugar é deserto. Aqui não chove. A tera é seca. Aqui não em água.

Não vai dar certo. Outros já tentaram e fracassaram. Não tem jeito, jamais vamos sair dessa

crise. Isaque se recusou a aceitar a decretação do fracasso em sua vida. Ele desafiou o

tempo, as previsões, os prognósticos, a lógica: “Semeou Isaque naquela terra”. Pára de

reclamar: semeia na sua terra. Semeia no seu casamento. Semeia nos seus filhos. Semeia no

seu trabalho. Semeia na sua igreja. Não importa se hoje o cenário é de um deserto. Lança

suas redes em nome de Jesus. Lança o seu pão sobre as águas. Ande pela fé.

2. Não se acomode – v. 18-22

• Quando estamos vivendo num deserto, precisamos nos tornar especialistas em derrotar

crises. Isaque começou a cavar poços. Cavou sete poços. Ele prospera quando todo mundo

está reclamando da crise e da fome.

3. Faça o ordinário e espere o extraordinário de Deus – v. 12-14

• Isaque colheu a cento por um no deserto, na seca (v. 12). “Enriqueceu-se o homem,

prosperou, ficou riquíssimo” (v. 13). Tornou-se um próspero empresário rural (v. 14). A

razão? Porque o Senhor o abençoava (v. 12b).

• A intervenção sobrenatural de Deus não anula a ação natural do homem: Isaque

experimentou o milagre de Deus na crise. Mas Isaque não prosperou na passividade. Ele

cavou poços. Ele plantou. Ele investiu. Ele trabalhou. Ele foi um empreendedor. É hora de

parar de falar em crise e arregaçar as mangas. É hora de parar de reclamar e começar a

461461461461461461
trabalhar com afinco.

• Há uma profunda conexão entre a dilência humana e a bênção de Deus, entre trabalho e

prosperidade (Pv 10:4; 13:4; 28:19).

IV. NA CRISE PROTEJA O SEU CORAÇÃO DA AMARGURA EM VEZ DE BRIGAR PELOS SEUS

DIREITOS – V. 14b-21

1. Esteja no controle dos seus sentimentos, sua paz de espírito é melhor do que a riqueza.

• Isaque enfrentou: 1) A inveja dos filisteus (v. 14); 2) A suspeição e rejeição de Abimeleque

(v. 16) e 3) A contenda dos pastores de Gerar (v. 20,21). As pessoas normalmente não se

alegram quando você prospera. Inveja, rejeição e contenda são tensões que você precisa

enfrentar.

• Como Isaque enfrentou a inveja, a rejeição e a contenda? Com paciência. Quando

Abimeleque mandou ele sair, ele saiu. Quando os filisteus encheram os seus poços de

entulho, ele saiu e abriu outros poços. Quando os pastores de Gerar contenderam para tomar

os dois poços novos, ele não discutiu, foi para frente para abrir o terceiro poço. Ele teve uma

reação transcendental (Mt 5:39-42).

• Isaque nos ensina que é melhor sofrer o dano do que entrar numa briga buscando os nossos

direitos. É impossível ser verdadeiramente próspero sem exercitar o perdão. Quem guarda

mágoa, e passa por cima dos outros, quem atropela os outros e fére as pessoas não tem paz.

2. Quando você teme a Deus, ele reconcilia com você os seus inimigos – v. 26-33

• Abimeleque o expulsa, mas agora o procura, pede perdão e reconhece que ele é “o

abençoado do Senhor” (v. 29) e Isaque o perdão.

V. NA CRISE BUSQUE VELHAS E NOVAS POSSIBILIDADES EM VEZ DE SE ACOMODAR – V. 18-

22,25,32

462462462462462462
1. Isaque reabriu os poços antigos de seu pai – v. 18

2. Isaque abriu novos poços, mostrando que não se contentava com as experiências do

passado, ele queria mais – v. 19-22, 32

• Isaque era um homem empreendedor. Ele queria mais. Precisamos aspirar mais do que os

nossos pais aspiraram. Precisamos avançar mais do que eles avançaram. Os melhores dias não

ficaram para trás, estão pela frente. Nada de saudosismo. Não podemos deixar que as

experiências do passado sejam o limite máximo das nossas buscas. Não podemos jogar o

passado fora nem idolatrá-lo. A história é dinâmica. Devemos aprender com o passado, viver

no presente, com os olhos no futuro. Isaque saiu da terra dos filisteus, foi para o vale de

Gerar, depois para Reobote, depois para Berseba. Mas aonde vai, ele vai cavando poços. Ele

quer água no deserto. Berseba antes era um deserto, agora é uma cidade, porque Isaque

achou água ali.

3. Isaque tirou os entulhos dos filisteus para que a água pudesse jorrar – v. 18

• Isaque compreende uma verdade sublime: havia água nos poços. Mas ela não podia ser

aproveitada. Primeiro era preciso tirar o entulho dos filiteus. Deus tem para nós fontes, rios

de água viva. Nós não os recebemos porque há entulho para ser tirado.

• Antes de sermos cheios do Espírito de Deus, precisamos tirar o entulho do pecado: 1)

Incoerência – Vida dupla, ortodoxia morta, legalismo. 2) Impureza – fornicação, pornografia,

adultério; 3) Increduliadade – Secularismo, mundanismo, falta de fervor.

CONCLUSÃO:

1. Isaque não era apenas um homem próspero, era também um homem piedoso –

2. Se a crise chegou, você é um forte candidato a um extraordinário milagre de Deus – Se

você está no deserto, ouça Deus, siga a direção de Deus, semeia no seu deserto. Se você está

vivendo num lugar seco, reabra os poços antigos.

463463463463463463
Busque as fontes da graça de Deus. Tire os entulhos. Não deixe o seu coração azedar. O seu

deserto vai florescer. Se o chão está duro, regue a semente com as suas lágrimas e prepare-

se para uma colheita milagrosa.

464464464464464464
O TEU DESERTO VAI FLORESCER

INTRODUÇÃO: Isaque foi tentado a abandonar a terra em um período de fome. E seguir o

exemplo de Abraão seu pai. Descer ao Egito. Deus o alertou que não saísse dali e lhe fez

algumas promessas. (Gn 26.2-6) Isaque fez algumas coisas importantes para não perder mais

seus poços (Gênesis 26.25): Naquele mesmo dia recebeu a notícia de que tinham achado água

novamente garantindo seu sustento por muito tempo.

O QUE ISAQUE FEZ PARA ENCONTRAR AS ÁGUAS PROFUNDAS?

I-Em Berseba Isaque experimentou as promessas de Deus para sua vida.

...“Serei contigo e te abençoarei; porque a ti e a tua descendência darei todas estas terras e

confirmarei o juramento que fiz a Abraão, teu pai. Multiplicarei a tua descendência como as

estrelas dos céus e lhe darei todas estas terras. Na tua descendência serão abençoadas todas as

nações da terra” (Gênesis 26.3,4).

II-Para Isaque, Berseba se tornou um lugar de Promessa e de paz. Foi em Berseba que

Isaque armou sua tenda (v.25) E CONSTRUIU SUA VIDA EM FAMÍLIA. (V. 25)

1.Isaque habitou na terra dos Filisteus. Ali era considerado um estranho. E intruso na

região.

2.Era um vale amplo e extenso onde havia muito território para ser ocupado. Os Filisteus

entupiram seus poços

III- Cavar poços significa que é preciso continuar acreditando que se houver perseverança

você irá encontrar as águas profundas.

465465465465465465
1. Mesmo em tempos difíceis, Deus tem promessas para seus servos de que “passando pelo

vale árido, faz dele um manancial; de bênçãos o cobre a primeira chuva” (Salmo 84.6).

2.As promessas de Deus são uma fonte inesgotável para saciar todas as nossas

necessidades.

IV- As Palavras de Deus se cumpriram na vida de Isaque ,(Gn 26.12-21) mas primeiro ele fez

a sua parte:

1.ELE BUSCOU A RESTAURAÇÃO DE DEUS PARA A SUA VIDA.

Concertou seus erros e continuou cavando para encontrar água.


2. Berseba foi um lugar de bênçãos definitivas para o resto da vida de Isaque. Ele já estava
tranquilo e prosperando, mas enquanto isso fez algumas coisas importantes para não perder
mais seus poços (Gênesis 26.25):

1. Ergueu um altar: “levantou ali um altar”

2. Vida de Oração: “tendo invocado o nome do SENHOR”

3. Cuidado com a família: “armou a sua tenda”

4. Continuou cavando poços: “os servos de Isaque abriram ali um poço”

5. Perdão: se reconciliou com Abimeleque (Gênesis 26.26-33).

Assim que Isaque confirmou totalmente sua vida com Deus, família e se concertou de seus

erros, naquele mesmo dia recebeu a notícia de que tinham achado água novamente

garantindo seu sustento por muito tempo.

6.As promessas de Deus são uma fonte de bênçãos!

466466466466466466
CONCLUSÃO:

Não vale a pena brigar por causa de água, mas vale a pena cavar e “bebe a água da tua

própria cisterna e das correntes do teu poço” (Provérbios 5.15). Deus tem muito para nossas

vidas e Jesus garantiu que “quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão

rios de água viva” (João 7.38).

Deus tem um futuro de bênçãos para sua vida, mas é preciso lutar muito sabendo que

dificuldades podem vir no caminho, mas a vitória é certa.

Se você perdeu um poço que cavou com seu esforço, não pare de cavar, porque onde você

for Deus fará fluir em sua vida. Pessoas invejosas te perseguem porque nada flui no que eles

fazem, pois não têm a presença de Deus.

Não beba águas entulhadas, amargosas de contendas e nem águas do diabo. Deus tem águas

de prosperidade e promessas infinitas para sua vida.

Cavar poços é trabalhoso e difícil, mas é recompensador ver as águas fluindo e se refrescar

na presença de Deus.

Continue cavando, não pare!

467467467467467467
OS CAVADORES E OS ENTULHADORES DE POÇOS

Texto: Gn.26.15

¨E todos os poços que os servos de seu pai tinham cavado nos dias de Abraão seu pai, os Filisteus

entulharam e encheram de terra¨.

Introdução:

Entulhos, são impedimentos e águas vivas, são bênçãos que fluem através e na vida de pessoas

chamadas para abençoar e para ser a própria benção na vida de outras pessoas.

QUAIS SÃO AS CARACTERÍSTICAS DESSAS PESSOAS?

468468468468468468
I-Existem pessoas que nasceram para entulhar a vida das outras pessoas com suas, invejas,

amarguras, doenças, mazelas, murmurações, contendas.

1- São os Entulhadores de poço. Vivem para entulhar a vida dos outros, são pessoas que causam

males nos outros. Vivem provocando, Lutas, Contendas, Invejas, Porfias, pelejas, derrotas.

2-São invejosos, problemáticos, derrotistas. Vêem calamidade em tudo, Tragédia em tudo. Não

se dão bem com ninguém. Querem briga, Confusão, Contenda, Querem impedir que a benção de

Deus chegue na vida dos outros.

3.Tudo o que fazem é jogar terra na vida dos outros.Gn.26;15

4.Eles atrasam a obra de Deus de toda maneira na vida igreja e dos

irmãos.Gn.26;14,15,16,20,21

a) Poço Eseque significa contendas.V.20 (lugar de luta, intimidação)

b) Poço SitnaV.21 Significa: Inimizade, Acusação, briga, ódio (Lugar de inimizade, Obstáculos)

c) Entretanto, o Senhor preparou para nós o Poço de Reobote, que significa alargamento e

amplitude, o lugar da prosperidade. Reobote.V.22 Lugar espaçoso, lugar de descanso, de alívio e

vitória.

II-EM CONTRA PARTIDA EXISTEM AS PESSOAS QUE DEIXAM DEUS FLUIR ATRAVÉS DA VIDA

DELAS PARA ABENÇOAR A VIDA DAS OUTRAS PESSOAS.

1.São os Cavadores de poços que encontram águas vivas. São Bênçãos e Vitórias, abundância

de Milagres na vida dos outros.

2.São semeadores, Inteligentes, Produtivos, Alegres, Bem sucedidos, Em tudo eles veem a

solução. Plantam e colhem em abundância cem medidas

3.Tem muita gente ao lado deles que querem incomodá-los e sentem inveja deles. E entulhar

seus poços. Gn.26;15.

469469469469469469
4.Porém, eles sempre serão Cavadores de poços, e águas vivas (Bençãos, milagres e nem

vitorias, abundancia a jorrar em nossa vidas.(v.18,19,21,25)

5.Filisteu é um povo mal de natureza; você vai cavando e eles vão entulhando, uma hora dessas

Deus te alarga deles de tal modo que eles não poderão te alcançar.Gn.26;15/Gn.26;22

6.Há uma série de promessas a se cumprir vida dos cavadores de poços e não tem filisteu, não

tem entulhos, nem tão pouco entulhadores de poços que vão impedi-los de crescer. As águas

vivas, as bênçãos, as vitórias, a abundância, a riqueza, a saúde, os milagres fluírem através da

vida deles.

7.Eles não tem nada a temer pois Deus Ele é com eles. Serão abençoados e abençoadores.

Gn.26;24,25

Conclusão:

Você que quer ser um poço de águas vivas, na vida das outras pessoas, não se perturbe com

Filisteus, vá para a presença de Deus, Edifique o seu altar. (V.25) Invoque o seu Nome.

(V.25) Arme a sua tenda. (V.25) E cave outro poço. (V.25) Se estabeleça, aqui é o seu lugar é

aqui que Deus vai te abençoar, sempre procure cavar outros poços (v.18,19,21,22,25) e Deus vai

fluir através da tua vida.

A vida continua, seja perseverante, determinado, acredite nos teus sonhos, no teu potencial, no

teu poder de conquistas, creia no poder da Palavra de Deus, creia nas promessas de Deus para

sua vida e seja um cavador de poços, tenha uma fonte de bênçãos a jorrar em tua vida!

(Gn.26;15)

470470470470470470
CAVANDO POÇOS E ENCONTRANDO ÁGUAS PROFUNDAS

TEXTO: Salmos 84.6; Gn 26.26-33

471471471471471471
INTRODUÇÃO: Em Berseba Isaque experimentou as promessas de Deus para sua vida. Mas

enquanto isso fez algumas coisas importantes para não perder mais seus poços (Gênesis

26.25): Naquele mesmo dia recebeu a notícia de que tinham achado água novamente

garantindo seu sustento por muito tempo.

O QUE ISAQUE FEZ PARA ENCONTRAR AS ÁGUAS PROFUNDAS?

I-Em Berseba Isaque experimentou as promessas de Deus para sua vida.

...“Serei contigo e te abençoarei; porque a ti e a tua descendência darei todas estas terras e

confirmarei o juramento que fiz a Abraão, teu pai. Multiplicarei a tua descendência como as

estrelas dos céus e lhe darei todas estas terras. Na tua descendência serão abençoadas todas as

nações da terra” (Gênesis 26.3,4).

II-Para Isaque, Berseba se tronou um lugar de Promessa e de paz. Foi em Berseba que

Isaque armou sua tenda (v.25) E CONSTRUIU SUA VIDA EM FAMÍLIA. V. 25

III- Cavar poços significa que é preciso continuar acreditando que se houver perseverança

você irá encontrar as águas profundas.

Mesmo em tempos difíceis, Deus tem promessas para seus servos de que “passando pelo vale

árido, faz dele um manancial; de bênçãos o cobre a primeira chuva” (Salmo 84.6).

As promessas de Deus são uma fonte inesgotável para saciar todas as nossas necessidades.

472472472472472472
IV- As Palavras de Deus se cumpriram na vida de Isaque, mas primeiro ele fez a sua parte:

1.ELE BUSCOU A RESTAURAÇÃO DE DEUS PARA A SUA VIDA.

Concertou seus erros e continuou cavando para encontrar água.

2. Berseba foi um lugar de bênçãos definitivas para o resto da vida de Isaque. Ele já estava

tranquilo e prosperando, mas enquanto isso fez algumas coisas importantes para não perder

mais seus poços (Gênesis 26.25):

1. Ergueu um altar: “levantou ali um altar”

2. Vida de Oração: “tendo invocado o nome do SENHOR”

3. Cuidado com a família: “armou a sua tenda”

4. Continuou cavando poços: “os servos de Isaque abriram ali um poço”

5. Perdão: se reconciliou com Abimeleque (Gênesis 26.26-33).

Assim que Isaque confirmou totalmente sua vida com Deus, família e se concertou de seus

erros, naquele mesmo dia recebeu a notícia de que tinham achado água novamente

garantindo seu sustento por muito tempo.

6.As promessas de Deus são uma fonte de bênçãos!

CONCLUSÃO:

Não vale a pena brigar por causa de água, mas vale a pena cavar e “bebe a água da tua própria

cisterna e das correntes do teu poço” (Provérbios 5.15). Deus tem muito para nossas vidas e

473473473473473473
Jesus garantiu que “quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de

água viva” (João 7.38).

Deus tem um futuro de bênçãos para sua vida, mas é preciso lutar muito sabendo que

dificuldades podem vir no caminho, mas a vitória é certa.

Se você perdeu um poço que cavou com seu esforço, não pare de cavar, porque onde você for

Deus fará fluir em sua vida. Pessoas invejosas te perseguem porque nada flui no que eles fazem,

pois não têm a presença de Deus.

Não beba águas entulhadas, amargosas de contendas e nem águas do diabo. Deus tem águas

de prosperidade e promessas infinitas para sua vida.

Cavar poços é trabalhoso e difícil, mas é recompensador ver as águas fluindo e se refrescar

na presença de Deus.

Continue cavando, não pare!

474474474474474474
UMA MESA NO DESERTO

Texto: Salmos 78.19

Introdução:

Quando o povo de Deus caminhava no deserto em direção a Canaã, perguntaram várias vezes

se seria possível Deus pôr uma mesa no meio do deserto. Por diversas vezes Deus preparou não

apenas uma mesa, mas um banquete para eles em meio ao deserto.

475475475475475475
Proposição: Vamos refletir nas palavras deste Salmo e compreender como Deus nos prepara uma

mesa no deserto:

I-O que é o deserto?

1-É um lugar onde não tem nada nem ninguém. Quando nos sentimos sozinhos, pensamos que

estamos em meio a um deserto. Você já se sentiu sozinho como se estive num deserto? Já passou

por desertos?

2- Saiba que o deserto não é lugar de morar, mas pode ser um lugar de passagem temporária.

Seu lugar não é no deserto. Você passa por ele e adiante vem a vitória. É possível ter uma mesa

no deserto? Sim. É possível! Como Deus preparou uma mesa nos deserto para o seu povo?

II-Providenciando o Abrigo da nuvem: Salmos 78.14

a-O povo de Deus era protegido por uma nuvem durante o dia.

b-O Senhor os acompanhava com uma nuvem chamada ¨Shequinah¨ representando a Glória de

Deus.

c-A nuvem durante o dia era sombra contra o calor forte do deserto e durante a noite tinha

aparência de fogo iluminando e aquecendo o povo contra o frio e escuridão do deserto.

476476476476476476
APLICAÇÃO:

Quando passamos pelos desertos da vida, pelo sol escaldante, o frieza e escuridão, a presença

do Senhor nos acompanha. Ainda que você passe “pelo vale da sombra da morte” (Salmos 23.4)

Não tenha medo por que “de dia não te molestará o sol nem de noite a lua” (Salmos 121.6).

Quando você está sozinho, sente queimar ou esfriar seu coração?

A glória do Senhor te protegerá!

III-Providenciando Água da rocha: Salmos 78.15,16

1-Quando o povo de Deus caminhava pelo deserto sentiram sede e clamaram a Deus que

mandou Moisés tocar na rocha de onde fluiu água abundante (Números 20.8). Também

encontraram águas amargas e Deus transformou em água doce (Êxodo 15.23-25).

2-O calor do deserto nos faz sentir muita sede. É nesse momento que Jesus, a Água da Vida

(João 4.14) pode nos saciar plenamente. Se você tem sede, Deus te prepara uma mesa no

deserto! Jesus te diz: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como

diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva” (João 7.37,38).

APLICAÇÃO:

477477477477477477
Se você passar por um deserto, lembre-se que o Senhor promete que se um servo de

Deus “passando pelo vale árido, faz dele um manancial; de bênçãos o cobre a primeira

chuva” (Salmos 84.6). Você pode até passar por um deserto, mas será transformado em um

manancial de bênçãos. Você tem sentido sede? Está insatisfeito? Jesus é a Água da Vida e quer te

saciar!

3- Alimento do céu: Salmos 78.24-27

Além do abrigo do calor e frio e também a água para saciar a sede no deserto, Deus proveu

para seu povo o alimento. Eles comiam pela manhã pão que chovia do céu, conhecido como Maná

e à tarde vinham as codornas que apanhavam para comer sua carne.

Pão no café e carne no jantar. Seu cardápio estava completo. Deus sempre nos supre com

alimento: “Fui moço e já, agora, sou velho, porém jamais vi o justo desamparado, nem a sua

descendência a mendigar o pão” (Salmos 37.25).

No meio do deserto Jesus multiplicou pães duas vezes (Mateus 16.9,10). Cinco pães para cinco

mil pessoas (Mateus 14.17-21) e sete pães para 4 mil pessoas (Mateus 17.36-38).

Jesus é o Pão da Vida. Ele disse: “Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém dele

comer, viverá eternamente; e o pão que eu darei pela vida do mundo é a minha

carne” (João 6.51).

478478478478478478
APLICAÇÃO:

Vivemos em dias que se cumpre a profecia: “Eis que vêm dias, diz o SENHOR Deus, em que

enviarei fome sobre a terra, não de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do

SENHOR.” (Amós 8.11).

Neste deserto no mundo, onde nada satisfaz o ser humano, só Jesus pode alimentar

plenamente sua vida. Você tem sentido falta de alguma coisa? Jesus Cristo é o único que pode te

satisfazer!

-CONCLUSÃO: Salmos 23.5 “Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários,
unges-me a cabeça com óleo e o meu cálice transborda”.

Jesus esteve no deserto por quarenta dias e noites. Ali enfrentou o sol quente, frio, fome, sede

e solidão. O inimigo e suas feras o tentaram. Depois de tudo isso “eis que vieram anjos e o

serviram” (Mateus 4.11).

Tudo isso Jesus passou para nos ensinar que passamos por desertos, mas depois temos a vitória.

Jesus enfrentou o deserto para nos fortalecer. Ele sofreu por você para te ensinar que não estará

sozinho.

479479479479479479
Quando estiver se sentindo num deserto, lembre-se que a Presença do Senhor é como um

abrigo para você te protegendo do calor e do frio. Jesus te sacia com água da vida. Deus faz fluir

água da rocha e chover pão e carne do céu! O Senhor te sustenta.

APELO:

480480480480480480
481481481481481481
482482482482482482
LEIA E ADQUIRA OS LIVROS E AS APOSTILAS DO PASTOR JER SOARES:

 Curando os Enfermos Pelo Poder de Deus.


 Os Benefícios da Salvação.
 A Unção e o Manto.
 O Pensamento Positivo e a Fé Criativa
 Uma análise dos temperamentos
 O Ciclo da Provisão sobrenatural de Deus para sua vida
 A Vida e o Caráter do obreiro
 As três Fases da libertação
 Os Estágios da Vida Cristã
 A Chave que Abre as Janelas do Céu
 Mensagens no livro de Gênesis

PARTICIPE DA IMPRESSÃO DE MIL EXEMPLARES

CLUBE DOS 1.000

Se quiser ofertar para nos ajudar na impressão de 1.000 00 exemplares favor depositar e nos
enviar o comprovante de depósito e nos comunicar por e-mail ou por telefone.

Contatos: E-mail: pastorjoseerone@uol.com.br

54 9-84 49 00 07

Escreva-nos: Rua Borges de Medeiros 1813- Centro

Vacaria- Rs – Cep 95200-000

Faça o Depósito em nome de José Erone Rodrigues Soares

Banco Bradesco

Agência 1393-5

Conta Corrente 0010369-1

483483483483483483
BIBLIOGRAFIA:

484484484484484484
485485485485485485
486486486486486486
DEDICATÓRIA

Dedico este livro a_________________________________

Palavra de Amigo:______________________________

_________________________________________________

_________________________________________________

_________________________________________________

_________________________________________________

Data ____/_____/____

PRINCÍPIOS
DE
RESTAURAÇÃO

487487487487487487
PARA
SUA VIDA

ESBOÇOS DE MENSAGENS
NO LIVRO DE NEEMIAS

488488488488488488
JOSÉ ERONE RODRIGUES SOARES

ESBOÇOS DE MENSAGENS NO LIVRO DE NEEEMIAS

© Copyright

O símbolo de copyright - © - (direitos autorais ou direitos de autor, em português) indica exclusividade sobre textos ou imagens,

uma vez que sinaliza que uma obra pertence ao seu autor. A expressão "todos os direitos reservados" exprime o significado desse

símbolo.

489489489489489489
Trata-se de uma forma de proteger os trabalhos intelectuais dos seus autores, cuja reprodução somente pode ser feita mediante sua

autorização.

Ele surgiu nos Estados Unidos da América (EUA) e o uso símbolo é regulado pela Universal Copyright Convention. Lá, além do símbolo

(representado por uma letra “C” maiúscula dentro de um círculo. No Brasil, é a Lei Nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998 que trata

dessa matéria. A letra "R" maiúscula dentro de um círculo (®) também indica propriedade intelectual.

Direitos exclusivos cedidos a Edições Nova Aliança

que se reserva a propriedade literária desta obra

Dados de Catalogação na Publicação

Correção e Revisão Geral: Jer Soares

Diagramação, capa e arte : Edna

Biblioteca Pastoral –Inscrição nº 1.000.

Outono de 2019

SÉRIE: Semeando a Palavra DE DEUS

1.Liderança 2.Discipulado 3.Neemias, Livro de; Soares EroneII. Título.

490490490490490490
EDIÇÕES NOVA ALIANÇA

Rua Borges de medeiros 1813- Ap. Fundos -Centro- Vacaria –RS

Cel. 54 984 49 00 07- Email: pastorjoseerone@uol.com.br

CEP: 95200-055

SUMÁRIO
491491491491491491
Introdução ao livro de Neemias..............................................................5

Caracterísitcas marcantes do livro de Neemias....................................6

Aplicação prática do livro de Neemias.................................................11

Capítulo 3 Quais os desejos do seu coração?....................................18

Capítulo 4 Que sentimentos dominam você?......................................25

Capítulo 5 Um novo coração.................................................................33

492492492492492492
493493493493493493
PARTE I

INTRODUÇÃO AO LIVRO DE NEEEMIAS

AUTOR - NEEMIAS DATA - 445-425 a.C.

1.O HOMEM NEEMIAS

Como copeiro do rei Artaxerxes I, a posição de Neemias era de grande responsabilidade

(comprovar que o vinho bebido pelo rei jamais estivesse envenenado) e de muita influência (já

que um servo que desfrutava de tanta confiança frequentemente se tomava um conselheiro bem

íntimo).

Ao ouvir que as muralhas de Jerusalém ainda não haviam sido reconstruídas, e recebendo

permissão do rei para ir a Jerusalém e corrigir a situação, demonstrou qualidades ímpares de

liderança e organização.

Em 52 dias o trabalho de reconstrução foi terminado. Como governador de Judá, Neemias

demonstrou humildade, integridade, patriotismo, energia, piedade e altruísmo. Depois de doze

494494494494494494
anos no cargo, ele retomou por pouco tempo à corte de Artaxerxes (2: 1; 13:6) e de lá voltou a

Judá, onde exortou seu povo ao arrependimento.

2.O CONTEXTO HISTÓRICO DO LIVRO DE NEEMIAS

Os papiros de Elefantina, descobertos em 1903, confirmam a historicidade do livro de Neemias,

mencionando Sambalá (2:19) e Joanã (6:18; 12:23). Estas fontes também nos indicam que

Neemias deixou de ser governador de Judá antes de 408 aC. Nabucodonosor, rei da Babilônia,

havia invadido e destruído o templo e a cidade em 587 A. C. Jeremias profetizara que a duração

do cativeiro seria de setenta anos.

(Jr. 25: 11)

Em 538 A.C., Ciro, rei da Pérsia, conforme profetizado por Isaías, permitiu ao povo regressar e

reconstruir o templo (Conf. Is. 44:28; 45: 1-13; Ed. I: 1-3).

Os livros de Esdras e Neemias relatam o que ocorreu em consequência do decreto de Ciro.

3.CONTEÚDO DO LIVRO DE NEEMIAS

O livro completa a história do remanescente que voltara do exílio em Babilônia, restauração esta

começada sob a liderança de Esdras. “Marca também o início das «setenta semanas» de Daniel e

fornece o contexto histórico para a profecia de Malaquias».

495495495495495495
4.ESBOÇO DE NEEMIAS

Um esboço do livro de Neemias que poderá ajudá-lo em um estudo pessoal.

I-A Reconstrução dos Muros (sob a Liderança de Neemias), 1:1-7:73

A. O Retorno a Jerusalém: 1-2:20

l.A condição de Jerusalém, 1:1-7

2. A petição de Neemias, 1:8-11

3. A comissão de Artaxerxes, 2: 1-10

4. A inspeção dos muros, 2: 11-20

B - A Reconstrução dos Muros. 3: 1-7:4

I. O trabalho designado, 3: 1-32

2. O trabalho atacado, 4: 1-6: 14

496496496496496496
a. Pela zombaria, 4: 1-6

b. Por conspiração, 4:7-21

c. Por extorsão, 5:1-19

d. Pela transigência, 6: 1-4

e. Pela calúnia, 6:5-9

3. O trabalho realizado, 6: 15"7:4

C. O Registro do Povo, 7:5-73

II- A Renovação da Aliança (Sob a Liderança de Esdras), 8:1-10:39 A.A Leitura da Lei, 8:1-8.

B. A Reação do Povo, 8:9-18

C.O Arrependimento do Povo,9: 1-38

D. A Ratificação da Aliança, 10: 1-27

E. As Responsabilidades da Aliança, 10:28-39

III. A Reforma da Nação, 11:1-13:31

A. O Repovoamento das Cidades, 11: 1-12:26

1. Jerusalém, 11:1-1:24

497497497497497497
2. Outras cidades, 11:25-36

3. Sacerdotes e levitas, 12: 1-26

B. A Rededicação dos Muros, 12:27-47

C. O Reavivamento do Povo, 13: 1-31

1. Reformas em relação aos não-judeus, 13:1-3

2. Reformas em relação ao sacerdócio. 13:4-5

3. Reformas em relação ao sábado, 13: 15-22 4.Reformas em relação ao casamento. 13:23-31.

498498498498498498
PARTE 2

OS TIPOS SIMBÓLICOS NO LIVRO DE NEEMIAS

Usando as figuras e os tipos de interpretação da Bíblia, vamos extrair o que diz respeito ao

assunto de tratamento com a nossa alma, fazendo as devidas aplicações, orando para que a luz

do ESPÍRITO nos dirija.

Estudaremos o livro de Neemias e nele descobriremos grandes princípios para a restauração da

nossa vida. Vamos estabelecer alguns paralelos entre os ensinos da Palavra e as nossas

experiências, consumando em sua alma a obra de restauração, libertação e cura que Ele deseja e

pode realizar.

Estudaremos o livro de Neemias como base de ensino figurado para um sério trabalho em nossa

personalidade, com vistas à maturidade cristã, «até que todos cheguemos à unidade da. Fé e do

pleno conhecimento do Filho de DEUS, ao estado de homem feito, à medida da estatura da

plenitude de CRISTO».

(Efésios 4: 13)

Falaremos do templo, como símbolo do nosso espírito, dos muros, representando nossa alma, e

das portas, como o lugar de decisão em nossa vida e outros detalhes importantes para o nosso

crescimento espiritual.

499499499499499499
1.O SIGNIFICADO DO NOME NEEMIAS E SUA SIMBOLOGIA

Neemias significa «Consolação de Já» (um dos nomes de DEUS), ou «Aquele a quem Jeová

conforta>'. Tomá-lo-emos, portanto, como um tipo do ESPÍRITO SANTO, o Consolador ou

Confortador, que se identifica com as nossas necessidades, e se dispõe a dirigir-nos na obra de

restauração dos muros da nossa personalidade.

2.O ESTADO DA CIDADE E SUA TIPOLOGIA

Falando sobre a cidade de Jerusalém, Neemias lembra as palavras do próprio DEUS:

a-«O lugar que tenho escolhido para ali fazer habitar o meu Nome».

(Neemias 1:9b)

b-Aí está a razão da importância da Cidade: foi escolhida por DEUS. Você também é muito

importante para o ESPÍRITO SANTO, nosso «Neemias». Foi através de Sua operação que você

conheceu a CRISTO e se tornou um filho de DEUS. Mas a obra ainda não está completa. Ela só se

completará com a sua glorificação.

c-Neemias recebe um relatório, por parte de um irmão seu, do estado em que se encontra

Jerusalém:

500500500500500500
«Os restantes que ficaram do cativeiro, lá na provinda estão em grande aflição e opróbrio;

também está derrubado o muro de Jerusalém, e as suas portas queimadas afogo».

(Neemias 1.3)

d-Suas entranhas se movem de compaixão e ele intercede pelo povo, com jejum, por alguns dias,

invocando o DEUS ~a Aliança. Em sua oração. Ele declara que os judeus são «servos» do

Altíssimo.

e- Confessa seus pecados e reconhece a misericórdia e justiça de DEUS, mas firma-se na

promessa de perdão para interceder a favor de uma intervenção miraculosa, que resulte na

restauração da cidade e remoção da vergonha e aflição que pesa sobre todo o povo (Ne.1 :5-9).

Ele, pois, se coloca entre Deus e o povo.

«Eles são os Teus servos e o Teu povo, que resgataste com o Teu grande poder e com a Tua mão

poderosa».

(Neemias 1:10)

f-Somos servos de DEUS e Ele nos resgatou com o precioso sangue de JESUS. A despeito disto,

muitas vezes temos sido assolados por muitas pressões, aflições e terríveis inimigos. Apesar do

nosso coração ter se transformado no santuário de DEUS, olhamos para a nossa alma e deparamo-

501501501501501501
nos com verdadeiros intrusos de medo, insegurança, frustração, auto-compaixão, mágoa, crítica,

falta de perdão e até mesmo opressão.

Mas o ESPÍRITO de DEUS, que em nós habita, «intercede por nós com gemidos inexprimíveis».

(Romanos 8:26)

Há Alguém, o doce Consolador, que se identifica com a nossa causa, dispõe dos recursos Divinos

e uma comissão real para remover o nosso opróbrio. Portanto, coragem!

g-Há libertação e restauração para os resgatados do Senhor, e você é um deles. Jamais

compreenderemos a extensão e profundidade desse amor de DEUS, porém saiba que o ESPÍRITO

Consolador, Sarador, Santificador, Regenerador e Restaurador não se darão por satisfeito, até

que nos veja no pleno gozo da vida abundante, que CRISTO JESUS nos garantiu pelo preço pago

por nossa plena redenção.

Você transporta a vida de DEUS dentro de si mesmo, na pessoa do Seu ESPÍRITO, que habita no

coração do nascido de novo. O nome de DEUS habita em seu espírito. Isso equivale dizer que a

presença de DEUS está em você.

Torna-se, pois, necessário que todas as áreas de sua vida reflitam a realidade da presença de

DEUS dentro de você.

502502502502502502
Ter um santuário numa cidade cheia de entulhos, com os muros no chão, as portas destruídas

pelo fogo, e sem qualquer proteção, é uma verdadeira vergonha, um opróbrio. O ESPÍRITO SANTO

se move, em nossos dias, numa obra de restauração, libertação e cura, para que toda a cidade,

que simboliza nosso ser inteiro, viva na beleza e harmonia projetadas por DEUS, para você e para

mim, pois o Seu Nome habita em nós.

3. A TERCEIRA SIMBOLOGIA QUE USAREMOS É A DOS MUROS DA CIDADE

Nabucodonosor, rei da Babilônia, havia invadido e destruído o templo e a cidade em 587 A. C.

Jeremias profetizara que a duração do cativeiro seria de setenta anos (Jr. 25: 11).

Em 538 A.C., Ciro, rei da Pérsia, conforme profetizado por Isaías, permitiu ao povo regressar e

reconstruir o templo (Conf. Is. 44:28; 45: 1-13; Ed. I: 1-3).

Os livros de Esdras e Neemias relatam o que ocorreu em consequência do decreto de Ciro.

4. A SIMBOLOGIA DA RESTAURAÇÃO DOS MUROS

503503503503503503
A Casa do Senhor era o coração do decreto de Ciro. Em Esdras 1:15, há quatro referências à

edificação da Casa que fora destruída por Nabucodonosor:

«O Senhor DEUS do Céu me deu todos os reinos da terra, e me encarregou de Lhe edificar uma

Casa em Jerusalém, que é Judá.

Quem há entre vós de todo o seu povo (Seja seu DEUS com ele) suba para Jerusalém, que é em

Judá, e edifique a Casa do Senhor, DEUS de Israel; Ele é o DEUS que habita em Jerusalém.

E todo remanescente, seja qual for o lugar em que é peregrino, seja ajudado pelos homens

desse lugar com prata, com ouro, com bens e com animais afora. a oferta voluntária para a Casa

de DEUS, que está em Jerusalém.

Então se levantaram os chefes das casas paternas de Judá e Benjamim, e os sacerdotes, e os

levitas, todos aqueles cujo espírito DEUS despertara, para subirem a edificar a Casa de DEUS, que

está em Jerusalém».

504504504504504504
PARTE 3

PRIMEIRO, A RESTAURAÇÃO DO ALTAR

Tão logo a primeira leva de cativos judeus retomou a Jerusalém, o altar foi edificado; o canal de

adoração e comunicação com DEUS foi estabelecido.

Estamos diante de prioridades corretas. Antes de se pensar em qualquer outra coisa, o lugar de

comunhão e adoração a Deus deveria ser restaurado.

505505505505505505
A PRIMEIRA COISA QUE OS FILHOS DE ISRAEL FORAM DIRIGIDOS A FAZER FOI ERGUER UM

NOVO ALTAR EXATAMENTE NO LUGAR DO ANTIGO

Na ordem de Deus construíram primeiro o altar, depois os alicerces da casa e por fim os muros.

Levantar o altar significa colocar Deus em primeiro lugar!

O altar então, deve ser levantado antes de construir a casa, pois será uma proteção melhor

contra os inimigos do que os muros. Depois do altar, poderemos construir a casa, formar a

cidade e estabelecer o Reino. As coisas de Deus são organizadas.

Os exilados reconheciam que se quisessem ter sucesso na restauração da vida espiritual deles,

precisavam da benção do Deus Jeová. Para a primeira e grande reunião do regresso de todos em

Jerusalém, a primeira coisa que fizeram foi reedificar o altar.

A SEGUNDA COISA QUE OS FILHOS DE ISRAEL FIZERM FOI ERGUER O TEMPLO

O Templo era o lugar escolhido por DEUS, para nele fazer habitar o Seu Nome (Ne. 1 :9). Lá se

davam os sacrifícios religiosos e era o coração da vida espiritual de Israel. Lá estavam as Tábuas

da Aliança, a glória de DEUS, Sua presença e Santidade. Sem o Templo, Jerusalém perdia seu

valor. Portanto, sua restauração era obra prioritária. É disso que o livro de Esdras trata.

506506506506506506
Aplicando as lições à nossa experiência, DEUS nos escolheu para fazer habitar em nós o Seu

nome. Somos Seus servos, a quem Ele resgatou com o Seu grande poder e mão forte (Ne. I: 10).

Ele quis nos transformar em santuários Seus e comungar conosco, fazendo de nós transportes de

Sua presença na Terra.

O coração de Israel era Jerusalém; o coração de Jerusalém era o templo; o coração do templo

era o SANTO dos Santos. Nele estava a Arca, coberta pelo propiciatório, contendo as Tábuas da

Aliança, «escritas pelo dedo de DEUS».

A partir dali, DEUS falava. Logo, o templo, habitação de DEUS, era o centro e a razão de tudo.

A primeira preocupação, portanto, era com esse lugar.

Antes de trabalharmos na alma, ou na carne, precisamos lidar com o nosso espírito. A

experiência mais marcante em nossa vida é o novo nascimento, pelo qual o nosso espírito é

recriado e se transforma no santuário de DEUS na Terra, onde Seu Espírito habita e onde se

estabelece uma comunhão e comunicação com DEUS.

(2 Co. 5:17; 2 Co. 6:16; 3:16)

507507507507507507
É por essa experiência que nos tornamos filhos de DEUS (10. 1: 12), herdeiros seus e co-

herdeiros com CRISTO (Rm. 8: 16, 17), participantes da sua natureza (2 Pe. 1 :4), porque somos

gerados de novo da semente Divina (I Pe. 1:23), que permanece em nós (I Jo. 3:9). Por essa

razão, tornamo-nos habitação de DEUS, santuários vivos, transportando a Palavra Viva, na pessoa

do ESPÍRITO SANTO.

A TERCEIRA COISA FOI A RESTAURAÇÃO DOS MUROS

O QUE REPRESENTA UMA CIDADE SEM MUROS?

Representa uma cidade sem proteção, exposta a todo tipo de ataque do adversário, vulnerável.

Uma pessoa que não contem o seu espírito tem os muros de sua personalidade caídos ou cheios

de brecha, o que permite invasão de forças inimigas.

Os Muros em volta da cidade, Falam do que é visível, da parte exterior, com a qual os que nos

cercam têm o primeiro contado. Eles representam a nossa personalidade, nossa alma, aquilo que

manifestamos em nossos relacionamentos.

Esses muros podem estar nos mais diversos estados de conservação e beleza. Muros com

brechas, caídos, além de feios, são vulneráveis à penetração de inimigos. Muros bem alicerçados

e conservados, representam proteção a tudo quanto está dentro da cidade - o nosso espírito,

recriado pelo ESPÍRITO de DEUS.

UMA CIDADE SEM MUROS ESTÁ SUJEITA À INVASAO DO INIMIGO

Satanás não tem acesso ao nosso espírito recriado, mas ele tem-no ao nosso corpo e à nossa

alma, caso alguma brecha lhe seja dada. Quando nascemos de novo o nosso espírito é recriado,

no entanto a alma traz muitas marcas das quais precisa se libertar.

508508508508508508
São traumas, complexos, feridas, hábitos, filosofias, uma série de coisas que nada têm a ver

com os padrões de DEUS para a vida dos Seus filhos. E é aqui que uma pergunta se levanta: "O

que é a alma?" É o mundo dos nossos pensamentos, sentimentos e vontade. É nossa verdadeira

personalidade. O homem é tridimensional: ele é um espírito, possui uma alma e habita em um

corpo. O espírito tem consciência de DEUS; a alma tem consciência de si mesma; o corpo tem

consciência da matéria.

Com nosso espírito tocamos o reino espiritual; com nossa alma, o reino intelectual, emocional e

volitivo; com o corpo, o reino físico, material.

A obra da salvação visa atingir essas três áreas:

1.O ESPÍRITO SANTO recria nosso espírito, tornando-nos filhos de DEUS e participantes de Sua

natureza, santuários habitados pelo próprio ESPÍRITO (Jo. I: 12; 2 Pe. 1 :4; I Co. 3: 16; 6: 19;

110.3: 1 ,9).

2. A Palavra de DEUS restaura a nossa alma, pela renovação da nossa mente, o que nos torna

cada vez mais semelhantes a JESUS em nossa personalidade (Tg. 1 :21; Ro. 12:2; 2 Co. 3: 18; Ro.

8:29).

509509509509509509
3. Nós disciplinamos nossa carne, sujeitando-a ao nosso espírito, levando nossos membros a

serem instrumentos da justiça e não mais do pecado (I Co. 9:27; Rm. 8: 13; GI. 5:24; CI. 3:5; Rm.

6: 13).

Mãos à obra, pois, com a certeza de que, com o auxílio do ESPÍRITO, nossos muros estarão de

pé, sem brechas e com suas portas no devido lugar, para que a vida de DEUS em nosso espírito

tenha livre expressão através da nossa alma restaurada.

Neemias faz um pedido ousado ao rei da Pérsia e é atendido, no seu dizer, «graças à boa mão do

meu DEUS sobre mim» (Ne. 2:8). Em chegando a Jerusalém, ele fez um levantamento da situação

e constata o estado de calamidade da cidade.

«Contemplei os muros de Jerusalém, que estavam demolidos, e as suas portas, que tinham sido

consumidas pelo fogo».

(Neemias 2:13)

O próximo passo é lembrar ao povo a realidade dos danos e convocá-lo a empreender a obra da

restauração, declarando:

510510510510510510
«Bem vedes o triste estado em que estamos, como Jerusalém está assolada, e as suas portas

queimadas afogo,' vinde, pois, e edifiquemos o muro de Jerusalém, para que não estejamos mais

em opróbrio».

(Neemias 2:17)

Note que Neemias não realiza a obra sozinho. Ele convoca: «Edifiquemos. Do mesmo modo, o

ESPÍRITO de DEUS, que conhece todas as coisas a nosso respeito, bem como a vontade do Pai,

fala-nos da situação de nossa alma e nos convida à ação. Teremos que participar ativamente,

seguindo Suas instruções e estratégias.

Sem Ele, não chegaremos a lado nenhum, e se não dermos ouvidos à Sua voz, obedecendo as

Suas diretrizes, também permaneceremos com nossa alma desestruturada e aberta à invasão e

opressão do inimigo, tornando-nos motivo de vergonha para todos.

Hoje o ESPÍRITO está nos falando: «Vinde, e edifiquemos o muro». Ele vai conosco e isso faz a

diferença. Prepare-se, pois, para a ação e tenha firme em sua mente que, se você não se

dispuser a trabalhar na restauração, nada irá acontecer. A obra é realizada pelo ESPÍRITO SANTO

e nós. Ele dá a estratégia, a direção, o conselho, e você obedecem prontamente. Assim fazendo,

sob Sua direção infalível, os conflitos de sua alma cessarão.

511511511511511511
Após essa obra de regeneração em nosso espírito, estamos prontos para o próximo passo: A

restauração dos muros, para que o santuário seja protegido. Em outras palavras, a restauração

da nossa vida, para que o inimigo não encontre brechas para nos atacar.

Agora, como filhos de DEUS, vamos enveredar pelo caminho da restauração dos muros, portas e

torres da nossa alma, para que o santuário seja protegido e defendido, e os intrusos, enviados

pelo inimigo, não venham assolar o nosso templo.

Se você ainda não teve essa experiência de novo nascimento, não prossiga. Pare agora diante

daquele que o criou. Ele tem um plano maravilhoso para a sua vida e quer transformá-la por

completo, dando-lhe uma razão de viver.

Por você, CRISTO deu Sua vida na cruz do Calvário e pagou o preço da completa libertação e

redenção de todo aquele que crê. Tudo quanto era necessário. Para que você seja livre das

garras do pecado e de Satanás, já foi feito, como expressão da graça e do amor de DEUS por

você. O que você tem que fazer agora é só renunciar seus pecados e seu passado, entregando-se

inteiramente a JESUS. O resto, Ele fará.

Considere que o ESPÍRITO de DEUS está agora junto a você, para levá-lo a JESUS e torná-lo real

ao seu coração. Ele o transformará num santuário, onde a glória de DEUS assiste e Sua doce voz

se fará ouvir. Você não está lendo este livro por acaso.

512512512512512512
Através dele, DEUS marcou um encontro com você e saiba que, abrindo-se neste momento à Sua

graça e amor indizível, abraçando a JESUS CRISTO, você nunca mais será o mesmo, «Porque todo

aquele que invocar o nome do Senhor será salvo».

(Romanos 10.13)

Se isso de fato expressa o desejo do seu coração, abra-se à presença de DEUS e diga em voz

alta:

¨Senhor JESUS, reconheço que nasci e tenho vivido em pecado, mas Tu tomaste o meu lugar na

cruz do Calvário e pagaste o preço da minha redenção.

Renuncio o pecado, a Satanás, o mundo, a carne e a mim mesmo, e me entrego a Ti. Sê o

Senhor da minha vida. Confesso com a minha boca que Tu és o Filho de DEUS, que morreste em

meu lugar, ressuscitaste e hás de voltar.

Confesso que Tu és o meu Senhor. Recebo-Te em minha vida e seguir-Te-ei para sempre.

Agradeço-Te porque, de acordo com a Tua Palavra, eu estou nascendo como filho de DEUS e os

513513513513513513
meus pecados estão sendo perdoados. Sei que me recebes agora como filho. Faz de mim a pessoa

que Tu queres que eu seja. Amém. ¨

A QUARTA COISA É QUE O MATERIAL EXISTENTE NÃO

PODE SER DESPREZADO

Neemias usa tanto o elemento humano, quanto as pedras amontoadas que haviam caído ou

estavam cobertas de lixo. Há um aproveitamento do que poderia parecer apenas lixo, mas que

trabalhado teria de volta a beleza e função originais. Neemias aproveitou as pedras quebradas.

Ele nada desperdiçou. Os muros haviam sido derrubados, mas as pedras permaneceram lá. Assim

também, o ESPÍRITO SANTO não nos despersonalizará. Ele lançará mão de tudo que temos,

proveniente das mãos de DEUS, e removerá o lixo acrescentado. Cada um de nós tem

características distintas, que serão preservadas. Ele pegará as pedras caídas e quebradas, e

emendá-las-ás e as colocará em seu devido lugar. Restauração é isso: tomar alguma coisa boa,

que sofreu danos e estragos, e repará-la até que se torne como era originalmente.

DEUS é um DEUS econômico e não desperdiça material. Tudo o que é aproveitável, será

aproveitado. Suas capacidades, seus talentos, aquilo que você tem, DEUS vai usá-los e colocá-los

no lugar certo. Ele lança mão das experiências do passado, até dos fracassos, para trabalhar a

sua restauração.

514514514514514514
O ESPÍRITO de DEUS é especialista em pegar as coisas quebradas e restaurá-las, de modo a não

ficar nem mesmo vestígio de todo o dano. Sua alma pode estar em frangalhos, marcada pelos

mais profundos traumas e complexos, por toda sorte de rejeição ou feridas, por toda opressão

satânica ou depressão, todo pesar ou desespero, mas Ele ajudará a remover o lixo acumulado,

pondo cada coisa no seu devido lugar, e a paz de DEUS inundará seu ser inteiro.

PARTE 4

A RESTAURAÇÃO DAS PORTAS

As Portas falam do lugar de decisão em nossa alma, nossa vontade, nossas escolhas. Elas são

uma parte da alma. É na porta que decidimos quem por ela entra ou sai a quem deve ser fechada

515515515515515515
ou aberta. Haverá momentos em que ela deve estar aberta e outros em que deverá estar

fechada, dependendo de quem ou do que deseja passar por ela. Portas caídas, falam de vontade

inconstante, enfraquecida. Portas no devido lugar, falam de decisões acertadas.

É interessante verificar a prioridade na restauração dos muros: as portas. Se os muros falam da

nossa personalidade como um todo, há vários elementos nela contidos, dentre os quais a

vontade, que é o fator determinante para o progresso de qualquer obra de restauração,

libertação ou cura. Iremos, portanto, abordar este aspecto, discorrendo um pouco sobre as doze

portas em volta dos muros.

As portas são o lugar onde exercemos nossa autoridade, manifestamos nossa vontade, fazemos

nossas escolhas e tomamos nossas decisões. Elas precisam ser restauradas. O Diabo não consegue

nos obrigar a fazer nada, quando lhe dizemos não.

O homem tem uma vontade livre, e quando, ele resolve dizer não ao inimigo, é não mesmo, e

quando decide dizer sim a DEUS, é sim mesmo. Daí a importância da restauração da vontade,

pois se ela estiver livre, a carne pode apelar, o mundo pode exercer seu fascínio, o Diabo pode

tentar, mas nada conseguirá dobrá-la diante da carne, nem do mundo, nem o Diabo.

E diante de uma livre decisão da vontade ninguém terá poder de demovê-la.

Uma vontade inconstante é vulnerável aos mais diversos ataques, porém a vontade restaurada

encontra harmonia com os propósitos do seu Criador e resiste toda investida. Há muitos filhos de

DEUS com a vontade enfraquecida. Não se firmam em nenhuma decisão tomada. São

516516516516516516
inconstantes em seus caminhos, inseguros, indecisos. Suas portas estão queimadas. Não sabem o

que querem, são vacilantes, têm uma vontade fraca, doente, prisioneira.

Mas, alto lá, o ESPÍRITO está em nós, para nos ajudar a restaurar as portas da nossa alma. Chega

de aflição e vergonha! Chega de cadeias na alma! Levantemo-nos agora, pois podemos dizer não

ao Diabo, ao pecado, à carne, ao mundo, à depressão, à angústia, ao medo, a todo intruso

inimigo, porque o Todo-Poderoso ESPÍRITO SANTO está conosco e nos conduzirá à vitória. Ele nos

ajudará a restaurar essa área da nossa alma: a vontade.

Convém deixar bem claro que essa obra será um processo. Ela não acontecerá da noite para o

dia. Há inimigos que se habituaram a conviver conosco, em nossa alma, por muitos anos, e sua

expulsão e limpeza da sujeira que deixaram atrás, levará tempo.

Por exemplo, se o medo o acompanhou por quarenta anos e, de repente você diz: «medo. Não

te darei mais lugar em minha vida. “Retira-te de mim».

A princípio ele vai tentar resistir, como que dizendo: «O que é isso? Vivo contigo há quarenta

anos. E não é agora que vais me mandar embora. Certamente estás brincando! » É ar que você

terá que aprender a exercer firme autoridade contra ele e demonstrar que você está querendo

517517517517517517
dizer mesmo o que você disse. Seus pensamentos serão reestruturados, passando do medo para a

segurança em DEUS.

Isso pode levar algum tempo, até que você renove a mente e exerça firme autoridade sobre o

medo e não mais lhe dê guarida. Outra coisa a lembrar, é que o ESPÍRITO SANTO virá nos ajudar,

mas Ele não fará a obra sozinho.

Neemias foi a Jerusalém ajudar, contudo cada um teve que colocar a mão na massa. Cada um se

pôs na frente da sua casa, diante do muro, onde estava a brecha, para começar a repará-la. A

cada um Neemias deu a diretriz, supervisionou, orientou, mas não fez o trabalho que lhes

competia. O mesmo ocorrerá conosco; teremos que pôr mãos à obra. A promessa da aliança diz

que tudo em que pusermos as mãos, prosperará. Porém se não colocarmos as mãos sobre a obra,

não haverá o que prosperar.

518518518518518518
PARTE 5

519519519519519519
AS DOZE PORTAS DA CIDADE DE JERUSALEM

Neemias começa sua obra de restauração, pelas portas. Como já vimos, elas falam da vontade,

da decisão. Está, pois, explicada a prioridade. Toda a reconstrução vai exigir uma tomada de

posição e uma determinação, pois haverá obstáculos. São doze as portas.

Olhemos para cada uma delas, aplicando-as à nossa situação. Enquanto fazemos isso, deixemos

que o próprio ESPÍRITO de DEUS devasse nossa alma e indique tudo quanto precisa de reparo.

1.A primeira porta a ser restaurada é a das ovelhas.

Por ela recebemos o Senhor JESUS, o Cordeiro de DEUS que tomou nosso lugar na cruz do

Calvário, como nosso Senhor, Salvador e Rei. Essa porta em nossa vida deve estar escancarada

para JESUS. É uma decisão da vontade, permitir que Ele entre em nossa vida e efetue dentro de

nós Sua obra salvadora e libertadora, pelo poder do Seu precioso sangue remidor derramado em

nosso lugar.

O Significado da Porta das Ovelhas (Neemias 3:1)

Encontro Com o Cordeiro de DEUS

A Porta das Ovelhas, portanto, é o lugar da rendição a CRISTO e da experiência de conversão,

quando somos lavados pelo Seu sangue e regenerados em nosso espírito.

520520520520520520
Essa era a porta por onde passavam as ovelhas destinadas ao sacrifício da Páscoa. Ela nos lembra

«O Cordeiro de DEUS, que tira o pecado do mundo».

(João 1:29)

Aponta para Aquele que está à direita do Pai e é o único digno de abrir o livro de nossa plena

redenção e quebrar os seus selos, forçando, assim, Satanás a recuar e respeitar nossos direitos de

redenção, porque foi morto e com o Seu sangue nos comprou para DEUS e para Ele nos constituiu

Reino e sacerdotes, destinados a reinar para sempre.

(Apocalipse 5:9,10)

Isso envolve mais do que receber a JESUS como seu Salvador, tendo-O residindo em seu

coração, na pessoa do ESPÍRITO SANTO. Falar de JESUS em sua alma, inclui um relacionamento

que afeta, não só seu espírito, mas toda a sua personalidade. Implica em que Ele encherá seus

pensamentos, dominará seus sentimentos e motivará suas decisões.

2. A Porta dos Peixes (Neemias 3:3)

521521521521521521
Lugar de Crescimento e Reprodução

Na raiz da palavra <<peixe», na língua hebraica, encontramos o sentido de «crescimento»,

<<reprodução», «mover-se rapidamente». Isso nos lembra o chamado ao crescimento numérico, à

reprodução de nossas vidas em novos filhos, novos peixes, novas ovelhas, em novos crentes.

A porta dos peixes é aquela por onde deixaremos entrar os novos filhos de DEUS. Exige uma

decisão de não vivermos só para nós, mas irmos à busca dos que também precisam encontrar

JESUS. Estamos interessados na reprodução e no crescimento, pelo que nos disporemos a receber

em nossa alma aqueles que vão chegando a JESUS, pois precisam de cuidado, de nutrição e

assistência.

Quando nos abrimos para receber cada nova pessoa, do jeito que ela vem, com muitos

problemas na alma, tantas carecendo de libertação, pois trazem marcas profundas do mundo de

onde acabaram de sair, nossa alma será abastecida e enriquecida. O amor de CRISTO vai nos

iluminar e seremos capazes de assistir a um número cada vez maior.

A compaixão de JESUS se manifestará através do nosso próprio coração e o contato com essas

tenras ovelhinhas do Senhor será usado na nossa própria edificação. A semelhança do Mestre em

nosso caráter conhecerá um crescimento constante, pois seremos transformados em canais do

Seu amor e graça.

Lembre-se de que DEUS usa as pessoas como canais de bênção e edificação em nossa vida. Até

aquelas que parecem menos amáveis e ranzinzas, aqueles temperamentos difíceis, DEUS usará

522522522522522522
para forjar em nós as virtudes do caráter de JESUS. É assim que o fruto do ESPÍRITO tem uma

chance de amadurecer em nossa vida. O amor, a tolerância, a paciência, o perdão, a

misericórdia, tudo isso e muito mais se desenvolve no trato com as pessoas, especialmente os

novos crentes, tão necessitados de assistência para poderem firmar seus passos na fé.

E que oportunidade maravilhosa de crescermos quando a Porta dos Peixes está aberta em nossa

alma! Cada novo crente que entrar por ela, será abençoado, mas também deixará conosco uma

bênção.

Soa aos nossos ouvidos a Palavra do Senhor: «Vinde após mim, e Eu farei que vos torneis

pescadores de homens» (Mateus 4:19). E será pela Porta dos Peixes que eles serão por nós

alcançados.

3. A Porta Velha (Neemias.3:6)

523523523523523523
Libertação do Passado

Essa porta fala das coisas velhas existentes em nossa alma, e que devem ser removidas. Ilustra

um passado que deixa marcas no caráter; memórias feri nas que teimam em permanecer

machucando; padrões de pensamento e hábitos alheios aos princípios do Reino de DEUS, enfim,

tudo quanto é herança contrária à nova vida em CRISTO.

Paulo declara taxativamente: «Se alguém está em CRISTO, nova criatura é,' as coisas velhas já

passaram; eis que tudo se fez novo».

(2Coríntios 5:17)

Em outras palavras, é uma nova criação e o passado não tem mais autoridade legal sobre ele.

Essa é uma realidade da nossa posição em CRISTO. Acontece que em nossa alma permanecem

velhos pensamentos, velhos padrões, velhas maneiras de viver, de encarar as coisas, hábitos,

muito do que faz parte da velha natureza adâmica. Tudo isso deve ser removido pela porta

velha, pois nossa vida em CRISTO é uma completa novidade de vida.

Paulo fala disso quando diz que fomos instruídos em CRISTO a nos despojar do velho homem,

«quanto ao procedimento anterior, que se corrompe pelas concupiscências do engano; a vos

renovar no espírito da vossa mente; e a vos revestir do novo homem, que segundo DEUS foi

criado em verdadeira justiça e santidade».

(Efésios 4.21-24)

524524524524524524
Nos versículos a seguir, ele fala sobre o modo de agir do velho homem: a mentira, a ira, o furto,

as palavras impensadas, a amargura, cólera, ira, gritaria, blasfêmia, malícia, dizendo que tudo

isso e coisas semelhantes não devem ter mais lugar em nossa vida. Ele declara, que assim

procedendo estaríamos dando lugar ao Diabo e entristecendo o ESPÍRITO SANTO, no qual fomos

selados para o dia da redenção.

(Efésios 4.30)

Convém aqui salientar que a libertação dessas velharias mencionadas, depende de uma firme

determinação da vontade de as rejeitar. Paulo apela-nos a uma tomada de posição. Por que viver

no passado, se temos uma nova vida? Por que ter os pés embaraçados por velhas ataduras,

quando somos chamados a gozar a liberdade da nova criação em CRISTO?

O desafio hoje é escancarar a Porta Velha, deixando por ela sair o passado, e depois fechá-la

para os hábitos e prisões antigas que tentem voltar à alma. Em CRISTO, não temos passado. Essa

é uma verdade legal. Agora vamos trazê-la à nossa experiência, e viver em completa novidade de

vida.

525525525525525525
4. A Porta Do Vale (Neemias 3:13)

O Milagre Da Salvação

Havia nos arredores de Jerusalém um vale que um dia fora do, o Vale de Hinon, mas como ali os

filhos de Israel passaram a sacrificar ao deus Moloque, foi amaldiçoado e Jeremias profetizou que

ele seria chamado "Vale da Matança".

(Jeremias 32:35; 7:30; 8:3)

Isaías o apresenta como um lugar escatológico de punição, onde «o seu verme nunca morrerá,

nem o seu fogo se apagará».

(Isaías 66.22-24)

Ele passou a ser chamado Geena, identificado com O fogo, morte e tormento. JESUS faz

referência a ele, como uma figura do inferno, «onde o seu verme não morre, e o fogo não se

apaga».

(Marcos 9:43-48)

No vale era colocado todo o lixo da cidade, que seria queimado. Havia sempre os vermes dos

cadáveres e o fogo ardia constantemente. A Porta do Vale, pois, representa para nós a porta da

libertação do inferno, o lugar do maior de todos os milagres: a nossa salvação. a grande milagre

pelo qual DEUS nos tirou do inferno e das chamas eternas e sua destruição. Essa é a porta em

nossa vida que se abre para os livramentos e milagres de DEUS.

526526526526526526
O fogo do vale pode também advertir-nos contra todo fogo estranho. A porta deve estar fechada

para o diabo, que tentará introduzir na cidade, isto é, na alma, a destruição do vale. O fogo de

DEUS é algo extraordinário: queima, mas não destrói, como aconteceu na sarça, no Sinai. Mas o

fogo de Satanás traz dor, sofrimento e desolação.

Não deve haver lugar para fogo estranho dentro da nossa alma. a único fogo que deve arder em

nós, é o do ESPÍRITO SANTO. Depois do milagre da nossa libertação do inferno, fomos colocados

em uma posição de canais de DEUS para arrancar outros que lá permanecem. Lembre-se de que

estamos falando do lugar de decisão, as portas.

Em cada uma delas, a decisão de quando abrir e quando fechar cada porta, a quem abrir e a

quem fechar, é sua. Na porta do vale, DEUS nos encontrou e nos libertou, pois a abrimos para Ele

entrar. Agora ela permanecerá fechada a todo fogo inimigo. Por ela, no entanto, passaremos

para encontrar aqueles que estão dominados pelo inferno.

O gozo presente dos milagres de DEUS em nós, não deve insensibilizar o nosso coração aos

sofrimentos dos que perecem. Jamais nos devemos esquecer de que os horrores do inferno são

reais e que o destino das vidas que para lá caminham depende de nós, pois transportamos a vida

de DEUS e é a partir do nosso coração, usando nossos lábios, pés e mãos, que DEUS alcançará

outros com Seu milagre libertador.

527527527527527527
5. A Porta Do Monturo (Neemias 3:14)

Remoção Do Lixo

Essa é a porta pela qual o lixo da alma deve ser removido. Ela deve estar aberta ao ESPÍRITO

SANTO para que todo o lixo acumulado seja jogado fora, e nenhum outro volte a entrar. Será que

um crente em CRISTO pode ter lixo em sua vida?

Todos nós chegamos a JESUS cheios Dele. Nosso espírito foi unido pelo ESPÍRITO de DEUS, mas

nossa alma está em processo de restauração. Isso quer dizer que ainda estamos diante do desafio

da decisão de coisas que se acostumaram a conviver conosco e que nada têm a ver com a vida de

DEUS.

Tudo quanto não se enquadra dentro do fruto do ESPÍRITO, é lixo e deverá ser rejeitado. Todas

as obras da carne são imundas e devem ser erradicadas da própria personalidade, dando lugar ao

fruto do ESPÍRITO.

Quando viemos a CRISTO, fizemo-lo com uma alma cheia de defeitos. Nossa conversão não

repara automaticamente as brechas da nossa personalidade. Quando olhamos uns para os outros

logo descobrimos que há muito a ser tratado. Um é explosivo, outro é fechado; um se fere com

muita facilidade, outro é tendente à depressão; um manifesta egoísmo e um outro é orgulhoso.

528528528528528528
Tudo isso é lixo, resquícios dos padrões e valores do mundo. Muitas vezes só o ESPÍRITO SANTO

pode penetrar os porões da nossa alma e descobrir as sujeiras escondidas, tão incorporadas a

certas áreas, que até parecem naturais.

No meio de um mundo corrompido, como aquele em que vivemos, facilmente, a poeira e o lixo

que nos cercam vão sorrateiramente penetrando em nossa alma. Como isso acontece? Através

dos nossos sentidos, especialmente a visão e a audição.

Os meios de comunicação têm sido um dos tremendos canais do Diabo para invadir nossa alma

com seu lixo imundo, através da enxurrada de imagens e palavras sensuais, obscenas, violentas e

carregadas de veneno mortífero. Essas coisas terminam se manifestando em atitudes, reações,

palavras, pensamentos, trajes e padrões de vida, de modo muito sutil.

As bancas de jornal, com suas revistas pornográficas expostas, as cenas em praça pública de

todo tipo de imoralidade, também, fazem parte do lixo que nos cerca e, muitas vezes, são como

poeira que se apega aos nossos pés. O contato com um mundo sujo, cheio de tanta impureza,

numa época em que os poderes do inferno estão soltos e têm suas garras violentas sobre tantos,

tenta também nos manchar.

Requer uma decisão da vontade, rejeitar toda essa contaminação que vem do lado de fora, e

que ainda está presente, impedindo a entrada de novo lixo.

Apesar de vivermos num mundo com tanto apelo à carne, aos sentidos e ao pecado, é possível

manter a imundície do lado de fora, conservando a Porta do Lixo fechada.

529529529529529529
Como? Expondo-nos ao ESPÍRITO SANTO e à Palavra de DEUS. Ele nos dará uma crescente

sensibilidade, e saberemos discernir entre o santo e o profano, o limpo e o imundo, submetendo-

nos à purificação que Ele quer efetuar em nós, e vivendo à altura dos padrões requeridos ao filho

de DEUS.

6. A Porta da Fonte (Neemias 3:15)

O ESPÍRITO SANTO

Fonte fala de águas que correm. Um dos símbolos do ESPÍRITO SANTO na Bíblia, é a água. Esta é

a porta do ESPÍRITO SANTO. Toda nossa vida cristã depende dEle. É Ele quem nos gera em

CRISTO, efetuando a obra de regeneração. Ele nos foi dado como o «outro Ajudador» ou

«Consolador».

JESUS declara: «E Eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Confortador (Conselheiro, Ajudado r,

Intercessor, Advogado, Fortalecedor, Auxiliador) para que fique convosco para sempre».

(João 4:16 - V. Amplificada)

Mas para que Ele opere em nós tudo quanto Lhe compete, precisa do nosso consentimento,

mediante uma decisão de entrega e submissão. Se Lhe abrirmos a Porta da Fonte, então

poderemos gozar de toda a Sua plenitude.

Outra tremenda experiência da qual a Porta da Fonte nos fala, é o batismo no ESPÍRITO SANTO,

descrito em João 7, como os «rios de água viva», fluindo do interior. Ele nos permite ter uma

530530530530530530
nova liberdade espiritual e compreensão da Palavra. Através dele, entramos em uma nova

dimensão de poder, que nos equipa na luta contra o inimigo.

O batismo no ESPÍRITO leva-nos a experimentar uma nova ousadia no testemunho, na oração e

nas diversas áreas da vida cristã. E como isso traz fogo, entusiasmo, vigor espiritual, dinamismo,

poder e vibração para a nossa alma! Há muitos cuja porta está trancada para Ele. Mas os que a

abrem, provarão a ousadia e poder para enfrentar e expulsar o inimigo e suas obras do seu

território.

O ESPÍRITO SANTO é uma Pessoa. Se a Porta das Ovelhas deve estar sempre aberta para JESUS, a

fim de crescermos no conhecimento do Filho de DEUS e em Sua comunhão, a Porta da Fonte é um

desafio constante para um crescimento na comunhão do ESPÍRITO SANTO.

Nunca temos tudo de uma pessoa, mas podemos ter muitas experiências com ela. Assim

acontecerá em nosso relacionamento com o doce Consolador.

Na Porta da Fonte, o ESPÍRITO SANTO nos gerou em CRISTO, batizando-os em Seu corpo,

tornando-nos filhos de DEUS. Ali JESUS nos batizou no mesmo ESPÍRITO, equipando-nos para

servi-lo, como implantadores do Seu Reino aqui na Terra. Mas ali, também, poderemos ter uma

experiência diária com Ele, recebendo da Sua plenitude, direção para cada novo

empreendimento, poder para cada tarefa e assistência em toda a vida Cristã.

531531531531531531
Uma das tremendas assistências é na vida de oração. Paulo declara a respeito: «Do mesmo modo

também o ESPÍRITO nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havemos de pedir como

convém, mas o ESPÍRITO mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis. “E Aquele que

esquadrinha os corações sabe qual é a intenção do ESPÍRITO: que Ele, segundo a vontade de

DEUS, intercede pelos santos».

(Romanos 8:26,27)

A figura aqui é de alguém que segura a ponta do outro lado, enquanto nós mesmos estamos na

outra extremidade. Por exemplo: eu não sei o que está no coração de DEUS, mas começo a orar;

o ESPÍRITO que tudo sabe, vem em meu socorro e segura a oração do outro lado. Saio para

testemunhar de CRISTO. Tenho uma voz, mas o poder é do ESPÍRITO.

Eu abro a boca com a Palavra e Ele me assiste com o poder. Assim ocorrerá em tudo. DEUS

colocou em nossa alma uma porta que dá acesso ao ESPÍRITO SANTO, através de Quem todos os

recursos da Sua graça estão à nossa disposição. Eis, portanto, o desafio: escancarar a porta a

esse maravilhoso Guia, Conselheiro, Mestre, Advogado e Protetor!

7. A porta do Cárcere (Neemias 3:25)

Livres de Prisões (ou pátio do cárcere)

Aqui se fala dó átrio, ou pátio do cárcere ou prisão. Este é o lugar onde as nossas prisões devem

ser quebradas. Há muitas prisões em nossa vida que devem ser relaxadas. Prisão de medo,

depressão, falta de perdão, amargura e tantas outras. Para muitos a comida, um pedaço de bolo,

uma Coca-Cola, uma xícara de café, o sexo, a posição e coisas semelhantes, são uma prisão.

532532532532532532
Tudo quanto tem poder de fascínio ou domínio sobre nós é uma prisão. A tudo que dizemos «não

consigo» deixar isso, ou não fazer isso, ou viver sem isso, servimos como escravos. Nosso

Ajudador quer quebrar o jugo dessas prisões. Para tanto precisamos dar-Lhe acesso ao pátio do

cárcere e rejeitar todas as cadeias.

Toda e qualquer forma de prisão enfraquece a alma, a personalidade. Nossa personalidade deve

ser tão equilibrada que nada, nem ninguém consigam pôr sobre nós seu jugo. Já possuímos o jugo

de JESUS, que é suave e leve. Paulo exorta: «Para a liberdade CRISTO nos libertou, permanecei,

pois, firmes e não vos dobreis novamente a um jugo de escravidão».

(Gálatas 5:1)

As prisões da alma se manifestam na incapacidade de dominar os apetites da carne, nas

carências afetivas, insegurança, acomodação, pensamentos descontrolados, dificuldade em

tomar decisões, letargia, etc.

Há mil e uma formas de prisões, mas todas têm uma só origem: Satanás. Para todas elas há um

só remédio: JESUS, cujo poder libertador é ministrado pelo ESPÍRITO SANTO.

E que glória ter as prisões despedaçadas! Quaisquer que sejam as cadeias que têm assolado sua

alma, clame como Davi: «Tira a minha alma da prisão e louvarei o Teu Nome>>.

(Salmos 142: 7)

533533533533533533
A única prisão a ser admitida em nossa alma é a de JESUS. Presos a JESUS, para sempre. Paulo

diz que o Seu amor nos constrange, isto é, nos atrai, prende e nos seduz. Essa prisão, sim, é

gozo, vida, liberdade e paz. Presos a JESUS, por causa do Seu amor e graça, encontraremos a

plenitude da vida e o poder de rejeitar toda e qualquer amarra dos homens e de coisas.

8. A Porta Das Águas (Neemias 3:26)

A Palavra de DEUS

Essa é a porta da Palavra. Paulo, falando sobre JESUS e a Igreja, diz: «tendo-a purificado (com a

lavagem da água, pela Palavra”.

(Efésios 5:26)

A água da Palavra de DEUS nos lava, mas a água da palavra estranha joga lama sobre nós. A

Porta das Águas, pois, deve estar aberta para a Palavra de DEUS, revelada na Bíblia, e

totalmente cerrada às doutrinas estranhas que hoje invadem a Terra, visando poluir as nossas

almas, com seu engano diabólico. A única palavra viva, é a Palavra de DEUS, expressa na Bíblia.

Toda palavra que não suporta o teste do que está escrito na Bíblia, mio passa pela sua peneira, é

água suja, lama pura, e não deve ser abraçada.

Hoje há muitas doutrinas de homens e de demônios, que trazem verdadeiras prisões. Certos

líderes, em nome da autoridade, manifestam um espírito controlador, que não procede de DEUS,

e tornam seus liderados verdadeiros prisioneiros de sistemas e de homens, esquecidos do

conselho de Pedro: «Apascenta i o rebanho de DEUS, que está entre vós, não por força... “Nem

como dominadores sobre os que vos foram confiados, mas servindo de exemplo ao rebanho».

534534534534534534
(I Pedro 5:2,3)

Precisamos nos abrir, como nunca, à água da Palavra Viva. No contato constante com o mundo,

muitas vezes nossos pés são empoeirados e carecemos cada dia, de nos submeter a essa água

purificadora, aplicada através da leitura, estudo, meditação e obediência à Palavra escrita.

Uma exposição constante da alma a um bom programa de estudo da Bíblia ajudará a manter-nos

limpos. Já vimos que havia uma fonte de água junto a cada porta, com o objetivo de apagar as

setas incendiárias lançadas contra as portas e muros, pelos inimigos, visando a destruição da

cidade. A água era usada para apagar essas setas. Paulo aplica essa figura à batalha espiritual,

quando declara: «tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos

inflamados do maligno».

(Efésios 6:16)

Glória a DEUS que há água junto a cada porta! Em outras palavras, a Palavra de DEUS nos está

disponível em cada área da nossa vida, de modo que quando cada seta incendiária for lançada

contra nossa alma, poderemos apagá-la, não sendo destruídos, mas permanecendo de pé,

vitoriosos. Pela aplicação da água da Palavra, o inimigo será mantido fora do nosso arraial.

Diante de cada investida levantamos o escudo da fé, mediante a aplicação da Palavra específica,

para o tipo de ataque específico.

535535535535535535
A Palavra de DEUS está para nossa alma o que a comida está para o corpo. É nossa fonte de

alimento, sustento e vida. Por meio dela conhecemos a DEUS; ela é canal de comunhão com Seu

Autor, DEUS mesmo; é fonte de oração, confissão e vitória; é instrumento de combate espiritual,

sendo arma contra as investidas satânicas; por meio dela.

Temos luz e direção para todas as áreas da vida; ela expressa os princípios pelos quais viveremos

e reinaremos; são de fato «espírito e vida», conforme JESUS declarou.

(João 6:63)

A Porta da Fonte em nossa alma, deve estar continuamente aberta para a Palavra de DEUS,

através de um programa sério de estudo, meditação e a devida obediência. Por outro lado, deve

estar cerrada para todo tipo de ensino contrário às verdades imutáveis e eternas nela expressas.

9. A Porta dos Cavalos (Neemias 3:28)

Livres de Cargas

Os cavalos eram um meio de transporte. Levavam cargas, pesos. Em nossa vida essa porta fala

do lugar por onde passam os fardos. Ela deve estar aberta para JESUS. Todos os fardos devem ser

lançados sobre Ele. Paulo diz que «devemos levar as cargas uns dos outros».

(Gálatas 6:2)

536536536536536536
Isso, porém, não significa que essas cargas devem repousar sobre nossos ombros. Todas elas

precisam ter um único destino: deixá-las-emos nas mãos do Senhor. Não podemos ser sufocados

pelos pesos que nos vêm, nem pelos que vêm sobre nossos irmãos. Ajudá-los-emos, levando-os a

JESUS.

Os irmãos virão a nós, o mundo virá a nós com os seus fardos, e nós os levaremos Àquele que os

pode carregar. «Lançando sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós».

(I Pedro 5-7)

Há um corinho muito conhecido que diz: «Não tenhas sobre ti, nenhum cuidado, qualquer que

seja, Pois um, somente um, seria muito para ti. “É meu, somente meu, todo o trabalho, o teu

trabalho é descansar em mim”.

Não é maravilhoso saber que há alguém que o ama tanto, que se dispõe a levar seus fardos e

introduzi-lo no descanso da fé? E que seu papel consiste, simplesmente, em soltar seus fardos

para que Ele os possa carregar?

537537537537537537
Ó amor indizível, graça sem medida, quem poderá te compreender? Mesmo não abarcando a

dimensão exata desse amor sem igual, você pode se entregar a Ele e gozar de seus benefícios

eternos. Portanto, diante de cada fardo, diga: «Pai, transfiro-o para Ti». Relaxe na Sua presença

e veja os fardos se levantarem. E à medida que você experimenta tudo isso, sua alma estará

sendo restaurada. Portas levantadas, brechas fechadas!

Muitos são os cuidados que tentam nos sufocar. A vida moderna tem muitas pressões e

exigências e, muitas vezes, os fardos parecem insuportáveis. O resultado de tudo isso é um forte

estresse e abatimento.

São fardos no trabalho, com um salário corroído pela inflação e a ameaça de desemprego que,

para muitos, já bateu à porta; preocupações com os filhos e pressões na família, para além de

toda sorte de inquietação numa sociedade violenta e insegura. Tantos são os males, que se

alguém tentar enfrentá-los sozinho, logo sucumbirá. Mas há uma boa notícia: o Senhor, que é Pai

e cuida dos Seus filhos, colocou nos muros de nossa alma a Porta dos Cavalos.

Por ela podemos deixar sair todos os fardos que nos assolam. Ele é grande, e tem recursos

infinitos para levar nossas cargas. Podemos entrar no descanso da fé, enquanto Ele toma conta

de nós, com tudo que nos diz respeito.

Os pesos e cuidados são uma estratégia de Satanás para nos esmagar. Mas se a Porta dos Cavalos

estiver aberta para JESUS, à medida que eles vierem, serão transferidos para nosso bendito

Senhor, e estaremos vivendo no descanso da fé. «Tu conservarás em perfeita paz aquele cuja

mente está firme em Ti; porque confia em Ti».

538538538538538538
(Isaías 26:3)

10. A Porta Oriental (Neemias3:29)

O Regresso de JESUS

Acredita-se que esta é a porta pela qual JESUS entrou, e que hoje se encontra fechada. Espera-

se que o Messias entre por ela, em Sua segunda vinda. Para nós, ela fala do regresso de JESUS.

Paulo diz que devemos nos consolar, uns aos outros, com a esperança da bendita vinda do

Senhor.

A expectativa desse evento deve estar sempre diante de nós. Temos um futuro glorioso, temos

um destino eterno. Hoje travamos batalhas tremendas, mas há fim para o mal, há justiça a ser

executada, há uma redenção a ser consumada, e tudo isso acontecerá na segunda vinda de JESUS

CRISTO. Paulo ainda declara que, «Se é só para esta vida que esperamos em CRISTO, somos de

todos os homens os mais dignos de lástima».

(1 Coríntios 15:19)

A Porta Oriental em nossa vida deve estar aberta para a grande doutrina de que JESUS voltará,

estabelecerá Seu Reino milenar na Terra, e a Igreja reinará com Ele, em glória. Os eventos no

mundo inteiro apontam para a proximidade desse dia. De fato ele está mais perto do que muitos

imaginam.

539539539539539539
Vivemos na geração que testemunha os mais tremendos acontecimentos proféticos, aguardados

por milhares de anos. Estamos chegando ao clímax de todas as épocas, quando a trombeta de

DEUS soará, os mortos ressuscitarão e os santos serão arrebatados para o encontro com o Senhor

nos ares. Cada dia que passa vamos ficando mais próximos daquele dia glorioso.

Isso deve nos motivar a viver de modo a glorificar a DEUS em tudo, aguardando, vigilantes o Dia

da Sua vinda. Não sabemos o dia, a hora ou o ano em que Ele voltará, mas está claro que

saberemos a estação. Paulo declara em I Tessalonicenses 5:4: «Mas vós, irmãos, não estais em

trevas, para que aquele dia, como ladrão, vos apanhe de surpresa».

Para o mundo Ele virá «como ladrão de noite», isto é, de surpresa. Para os filhos de DEUS isso

seria uma tragédia. Contudo, se a Porta Oriental estiver aberta a JESUS em nossa alma, a

expectativa do Seu regresso não se apartará de nós, e isso se constituirá uma motivação de vida

e serviço a Ele.

Ainda que JESUS não volte em nossa geração, pelo arrebatamento, o certo é que passaremos

com a presente geração, seja através da morte ou da Segunda Vinda do Senhor. Nossos dias são

limitados, e vamos vivê-los de modo a ser motivo de glória para DEUS e bênção para o mundo.

Veremos o Seu rosto em Sua formosura a qualquer momento.

Essa certeza nos inspira a viver como quem sabe quem é e para onde vai. Nosso destino é a

glória, é o Trono, é JESUS mesmo. Depois de toda a luta contra o pecado, a carne, o mundo e o

Diabo, vitoriosos, pelo Seu sangue e Sua Palavra, encontrar-nos-emos com Ele em nossa geração,

540540540540540540
seja pelo arrebatamento, seja pela morte. Vivamos, então, cada dia, como se fosse o último, na

esperança da Sua vinda.

JESUS nos advertiu que deveríamos vigiar e estar alertas, sempre de prontidão, para recebê-Lo a

qualquer hora. Apesar de muitos, em várias ocasiões, terem marcado data para Seu regresso,

o certo é que Ele não prometeu fazê-lo, e conservar-nos-á na expectativa até o momento

certo.

Portanto, que «o próprio DEUS de paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, e alma

e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de NOSSO SSENHOR JESUS

CRISTO».

(1 Tessalonicenses 5:2.1)

541541541541541541
11. A Porta da Atribuição (Neemias 3:31)

A Comissão Divina

A versão da Sociedade Bíblica, assim como da Imprensa Bíblica Brasileira, traduzem "miphkad"

por <<porta da guarda». Ficaremos com «miphkad», a palavra hebraica, que é definida por H. W.

F. Genesius, em seu «Hebrew-Chaldee Lexicon to the Old Testament», como «atribuição,

mandato, ordem, um lugar apontado».

A Porta da Atribuição, pois, falamos do lugar onde DEUS nos delega uma missão, atribui-nos uma

responsabilidade. A palavra traz o sentido de uma tropa que é convocada para receber suas

diversas atribuições. Deve ser por isso que Ferreira de Almeida traduz a palavra por «guarda».

Essa é a porta pela qual o Senhor nos delega responsabilidades. Se ela estiver aberta para Ele,

não nos recusaremos a aceitar e cumprir os deveres que nos serão atribuídos, pois, juntamente

com a tarefa, Ele sempre nos dará a devida capacitação. Muitas vezes, o medo e o sentimento de

inadequação tomam conta de nós, e deixamos a porta fechada para DEUS.

Se, contudo, conhecemos ao Senhor, sabemos que Ele é fiel e justo e jamais nos dará uma

tarefa, sem que esteja disposto a dar-nos, juntamente com ela, o que é necessário ao seu cabal

cumprimento. Lembramos ainda que, cada vez que uma dessas portas é fechada ou aberta à

pessoa errada, corremos sério perigo, pois isso se constituirá em uma brecha para o inimigo nos

assolar. DEUS tem planos perfeitos para cada um de nós. Devemos abrir a porta da atribuição e

receber cada um deles, sabendo que Ele tem o melhor para a nossa vida. De fato, a bênção cem

por cento só nos virá quando estivermos dentro do plano cem por cento que Ele tem para nós.

542542542542542542
Não há o que temer. Para o desempenho de cada tarefa, «A nossa capacidade vem de DEUS».

(2 Coríntios 3:5)

Ele é um Pai de amor e sabedoria. Saiba que o DEUS que chama e delega tarefas, é o mesmo que

capacita, abre as portas, vai à frente, assiste-nos através do ESPÍRITO SANTO e comissiona Seus

anjos a nosso favor.

A esta altura, convém advertir sobre a necessidade de distinguir entre um chamado do homem e

um chamado de DEUS. Satanás pode nos enviar tarefas e pessoas, com o propósito de desgastar-

nos, para que não tenhamos tempo e energia para executar o verdadeiro plano de DEUS para nós.

Ele pode dar uma tarefa paralela, enviar pessoas que nos consomem o tempo e, se não

estivermos firmes no discernimento da voz de DEUS, ele pode nos iludir. Lembre-se de que o

plano de DEUS é um só e não há plano paralelo. Seguir o caminho paralelo é estar fora do

verdadeiro plano.

Há um propósito específico para cada filho. O modo de descobri-lo, é ouvir Sua voz, através das

impressões do ESPÍRITO SANTO no homem interior. Um engano comum é tentarmos atender o

chamado do homem, muitas vezes provocado por uma necessidade. Acontece que uma

543543543543543543
necessidade não se constitui um chamado Divino. Necessidades existem em todos os lugares, e só

remiremos o tempo, atendendo a convocação do Senhor.

12. A Porta de Efraim. (Neemias 8:16)

A Porção Dobrada

Esta é a última porta a ser mencionada. Efraim era o segundo filho de José, mas recebeu a

bênção de Jacó, como se fora o primogênito. Seu nome significa: «fruto dobrado. Porção dobrada

da herança, frutífero».

Para nós, ela é a Porta da Porção Dobrada. Esta era dada por direito de primogenitura. JESUS é o

primogênito, mas Hebreus 12:23 se refere a todos os filhos de DEUS como «a Igreja dos

primogênitos inscritos nos Céus».

Como pode acontecer que todos os crentes sejamos primogênitos, com direito à porção dobrada?

Ora, JESUS é o primogênito e nós somos o Seu corpo, um com Ele, e o que é Seu, é nosso. DEUS

tem um filho, que se chama JESUS. A esse Filho, deu uma companheira, que é a Igreja. Essa

Igreja é parte dEle, Seu complemento, e participa do que Lhe pertence.

É por isso que DEUS quer que o nosso caráter, personalidade, o ser inteiro, reflitam a presença

de JESUS, e Sua glória em nós se manifeste.

DEUS não desiste de nós. Em Oséias 11.8 lemos:

544544544544544544
«Como te deixaria. ó Efraim ?» Essas palavras repassadas de amor, são dirigidas em tempos de

apostasia de Efraim. Ainda assim, as ternuras do coração do Pai para com ele o buscavam atrair.

Na porta de Efraim, receberemos a abundância do que Ele tem para nós e tornar-nos-emos

frutíferos em tudo, pois Ele colocou à nossa disposição todos os recursos inesgotáveis de Sua

graça.

Não há limites em DEUS. Somos nós que limitamos o que recebemos dEle. Seus tesouros, em

CRISTO, estão escancarados para nós. Mas precisamos abrir a Porta de Efraim, da Porção

Dobrada, e receber as bênçãos do primogênito, ou seja, o que pertence a JESUS. Tudo é nosso,

nEle. Qual é o estado da sua alma? Alguém se importa com ela e veio para dirigir sua limpeza e

restauração (JESUS). O segundo passo depende de você unir-se ao precioso ESPÍRITO de DEUS,

começando pelas portas, o lugar de decisão.

Aí você determina o rumo que sua vida vai tomar. Lembre-se que sua vida no agora, é o

resultado das escolhas de ontem. Para mudar o seu curso no amanhã, algo deverá ser feito hoje.

DEUS lhe dá todos os recursos e assistência na pessoa do ESPÍRITO SANTO, para que você possa

fazê-lo. Se você se expõe a Ele e está determinado a seguir Sua direção, então nada impedirá sua

completa vitória.

PARTE 6

545545545545545545
AS TORRES AS FONTES E A JERUSALEM ESPIRITUAL

1.As Torres no muro falam do lugar de vigilância.

É delas que se detecta a aproximação inimiga ou dos mensageiros de boas novas. Nossa alma

precisa dessas torres, isto é, uma atitude de vigilância e alerta, para que não sejamos apanhados

em ataques-surpresa, o que nos levaria a derrotas.

2. As Fontes falam do material usado para apagar as flechas incendiárias lançadas pelo

inimigo.

Flechas com material inflamável na ponta eram as armas mais poderosas da antiguidade, pois

com elas incendiavam-se as portas e abriam-se as brechas necessárias à invasão.

Uma fonte de água, junto a uma porta, equivalia a um míssil antiaéreo ou aos modernos

«patriots», que neutralizam os «scuds». Precisamos de fontes junto às nossas portas, o que

equivale dizer, da água da Palavra de DEUS. Com ela apagaremos os «dardos inflamados do

maligno», neutralizaremos as investidas inimigas, e seremos vitoriosos.

Neemias pensou em cada detalhe, pois disso tudo dependia a segurança, proteção e o

desempenho da missão em Jerusalém.

546546546546546546
3.Você é uma Jerusalém espiritual, e tem uma missão de DEUS na Terra.

Para que ela seja cabalmente executada, o ESPÍRITO SANTO está interessado em ver os seus

muros sem brechas, suas portas fechadas ao inimigo e abertas para DEUS, suas torres de

vigilância em franco funcionamento e a água da Palavra sempre disponível para apagar as setas

incendiárias do maligno, pois ele não desistirá em seus ataques.

Enquanto estivermos no mundo, estaremos engajados em um combate de vida ou morte. Não há

como fugir dele. A solução é encontrarmos, em DEUS, uma posição de força e sermos

solidamente edificados em cada uma das áreas do nosso ser: espírito, mente, emoções. Vontade

e corpo.

É interessante verificar a prioridade na restauração dos muros: as portas. Se os muros falam da

nossa personalidade como um todo, há vários elementos nela contidos, dentre os quais a

vontade, que é o fator determinante para o progresso de qualquer obra de restauração,

libertação ou cura.

547547547547547547
PARTE SETE

ESBOÇOS DE MENSAGENS PARA PREGAR

1.PRINCÍPIOS PARA RECONSTRUIR A NOSSA VIDA

TEXTO: Neemias 2.17 “Eu lhes disse então: vede a triste situação em que estamos, como

Jerusalém está devastada, e as suas portas destruídas pelo fogo. Vinde! Vamos reconstruir os

muros de Jerusalém, para que não passemos mais vergonha.”

INTRODUÇAO: O tema central do livro de Neemias é a reconstrução da cidade de Jerusalém.

Assim como havia muros destruídos e portas queimadas em Jerusalém, vivemos hoje, também,

em um mundo fragmentado, onde vidas estão completamente destruídas, quebradas, lares

desfeitos e instituições públicas abaladas pela corrupção.

PROPOSIÇÃO: PARA RECONSTRUIR SUA VIDA...

I-NÃO DESISTA DIANTE DA OPOSIÇÃO. VS 10,19

548548548548548548
1-Ao chegar em Jerusalém, Neemias foi recebido com oposição. Em cada geração, sempre

haverá aqueles que odeiam o povo de Deus e tentam impedir a realização dos seus

propósitos.

2-Porém, Neemias não desistiu, mesmo diante da oposição. Neemias sabia que Deus era o

idealizador e o patrocinador daquela obra, e esse foi o melhor incentivo que ele recebeu

para não desistir, mas para prosseguir, mesmo diante da oposição.

3-No processo de reconstrução da sua vida você vai encontrar oposição, vai encontrar gente que

será contra a obra que Deus deseja fazer em você. Mas o mesmo Deus que encheu o coração

de Neemias com a certeza da vitória é o mesmo Deus que deseja encher o seu coração com

a esperança e a certeza de que a reconstrução da sua vida não vai parar!

4-Quais são as oposições que tem feito você paralisar a reconstrução da vida? Não dê ouvidos

aos opositores! Deus é o maior incentivador e patrocinador da obra que está acontecendo na sua

vida. Você vai conseguir! Não desista, persista! Deus nos fornece ajuda na reconstrução da

nossa vida espiritual, mas também nos enche de coragem para não desistir quando a

oposição chegar.

5-Porém nós oramos ao nosso Deus e pusemos uma guarda contra eles, de dia e de noite, por

causa deles. (Neemias 4:9)

549549549549549549
Neemias enfrentou muitas adversidades entre elas, um povo despreparado, desânimo, calunia,

desprezo, inimigos de fora Sambalate e Tobias, e de dentro, profetas, sacerdotes, os nobres

Tecoítas.

II- Vemos em especial no capitulo 04, que os obstáculos superados foram muitos, o inimigo

estava furioso contra Neemias: (Neemias 4:1-2)

1-Diz a Palavra que o inimigo ardeu em ira, hoje não é diferente, sempre que nos dispusermos

a fazer algo para o Senhor, o inimigo se levantará, e tentara de várias maneiras nos parar, mas

quando estamos firmados na rocha não somos derrotados. E estava com ele Tobias, o amonita, e

disse: Ainda que edifiquem, contudo, vindo uma raposa, derrubará facilmente o seu muro de

pedra. (Neemias 4:3)

2-Uma das artimanhas do maligno é o menosprezo, dizendo que somos fracos como citado

no texto acima, e muitos crentes estão desanimados acreditando nestas mentiras, e as

vezes ficam sem forças até mesmo param de orar. Mas Deus está conosco, e sempre vem ao

nosso socorro, toda terra está diante dos Seus olhos, diante Dele nada passa por despercebido.

Jesus quando subiu ao Pai nos enviou o Espírito Santo, e Ele habita em nós e nos capacita para

vencermos as batalhas. Creia, se posicione, busque a a Sua direção e se levante, Deus ainda não

terminou a obra em sua vida.

III-Neemias nos ensina como nos posicionar diante destes ataques: ¨Ouve, ó nosso Deus, que

somos tão desprezados, e torna o seu opróbrio sobre a sua cabeça, e dá-los por presa, na

terra do cativeiro.

¨E não cubras a sua iniquidade, e não se risque de diante de ti o seu pecado, pois que te

irritaram na presença dos edificadores¨. (Neemias 4:4-5)

550550550550550550
1-Quando somos atacados pelo adversário, temos que ter em mente como Neemias, que o

inimigo tem se levantado contra o próprio Deus, pois é Ele que nos justifica:

¨Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que

nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará

também com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É

Deus quem os justifica. (Romanos 8:31-33)

2-Entregue sua causa diante do Senhor, não abaixe sua cabeça diante do adversário, não se

prostre diante do inimigo, mas!!! Se lance aos pés do Senhor Jesus e confie, Ele vai agir ao seu

favor.

IV-E quando nos posicionamos vemos o avanço da obra:

Porém edificamos o muro, e todo o muro se fechou até sua metade; porque o coração do

povo se inclinava a trabalhar. ¨

(Neemias 4:6)

551551551551551551
1- Sabemos que a nossa luta é constante, e temos que transpor muitos obstáculos em nossa

jornada rumo a vitória: ¨E sucedeu que, ouvindo Sambalate e Tobias, e os árabes, os amonitas,

e os asdoditas, que tanto ia crescendo a reparação dos muros de Jerusalém, que já as roturas se

começavam a tapar, iraram-se sobremodo, E ligaram-se entre si todos, para virem guerrear

contra Jerusalém, e para os desviarem do seu intento. ¨ (Neemias 4:7-8)

552552552552552552
2-Não bastasse tentar desmoralizar os trabalhadores com palavras de desprezo, agora o

inimigo organiza um exército para guerrear contra Jerusalém, reúne vários soldados, para

acabar com o sonho dos Judeus de ver sua cidade prospera novamente.

Mas não adianta, quando a vitória já foi determinada pelo Senhor, e quando os seus servos

estão convictos da vitória, o inimigo tem que cair por terra, juntamente com todas as suas

armas e mentiras. Porém nós oramos ao nosso Deus e pusemos uma guarda contra eles, de dia e

de noite, por causa deles. (Neemias 4:9)

3-Neemias nos ensina que o segredo está na vigilância, muitas vezes erramos porque

tentamos vencer do nosso jeito, e quando tentamos de tudo e não conseguimos êxito

"ORAMOS", e a oração fica em último plano.

4-Mas temos que aprender que antes de agir, temos que orar, e buscar a direção de Deus, e

pedir a sua orientação. Deus instruiu o seu servo a colocar guardas (soldados) de dia e de

noite. Servos de Deus quando buscamos socorro diante do Senhor, Ele envia anjos para nos

guardar.

V-Vemos que depois de um tempo o povo desanimou:

¨Então disse Judá: Já desfaleceram as forças dos carregadores, e o pó é muito, e nós não

poderemos edificar o muro. ¨ (Neemias 4:10)

553553553553553553
1-Muitas vezes temos que lidar com pessoas desanimadas, que estão cansadas e pensando em

desistir, mas assim como Neemias temos que ser um motivador, temos que ser canal de Deus

para levantar os caídos, e restaurar o ânimo dos cansados:

¨E olhei, e levantei-me, e disse aos nobres, aos magistrados, e ao restante do povo: Não os

temais; lembrai-vos do grande e terrível Senhor, e pelejai pelos vossos irmãos, vossos filhos,

vossas mulheres e vossas casas. (Neemias 4:14)

¨E disse eu aos nobres, aos magistrados e ao restante do povo: Grande e extensa é a obra, e

nós estamos apartados do muro, longe uns dos outros.

No lugar onde ouvirdes o som da buzina, ali vos ajuntareis conosco; o nosso Deus pelejará

por nós. ¨ (Neemias 4:19-20)

554554554554554554
2-Nunca deixe de lutar pela sua família, nunca deixe de lutar pelos seus, peleja pelo seu

povo, pela sua nação, pela sua igreja, pelo seu futuro, pelos seus sonhos, o Senhor é Grande

e Poderoso, e peleja com você.

O Capitulo 04 de Neemias é uma lição de vida, o inimigo tentou por várias vezes destruir a obra

e o povo de Deus, mas aprendemos que na unidade vencemos, aprendemos que Deus nos dá

estratégias vitoriosas, Deus usou Neemias para incentivar aquela nação a não parar com a obra.

3-E quando eles estavam fracos e desanimados, o servo de Deus foi usado poderosamente, e

aquele povo recobrou seu animou e trabalhou mais e mais, de dia, de noite, e aprendemos que

os jovens trabalhavam com uma mão e com a outra seguravam suas armas. E sabe qual foi o

resultado?

¨Acabou-se, pois, o muro aos vinte e cinco do mês de Elul; em cinqüenta e dois dias.

(Neemias 6:15) Aquele povo viveu um milagre, em cinquenta e dois dias eles viram o

impossível acontecer, uma cidade inteira foi fortificada com uma muralha, porque o coração do

povo se inclinava a trabalhar. Aquele povo só viveu o milagre porque foi até o fim, apesar das

dificuldades e foram muitas no final.

Não desista, o inimigo quer te fazer parar, mas lá na frente tem uma grande benção para você,

Deus quer marcar a sua história, Ele quer fazer de você um vencedor porque você nasceu para

vencer, creia nisto. Deus te chama para ser um reparador de brechas.

555555555555555555
“Os teus filhos edificarão as antigas ruínas; levantarás os fundamentos de muitas

gerações e serás chamado reparador de brechas e restaurador de veredas para que o país

se torne habitável.” (Isaias 58.12)

Conclusão:

Nós reconstruímos a nossa família, a nossa cidade através da oração. Levante-se agora para

mudar a história de sua família; comece agora mesmo uma nova história. O que a tua família

mais precisa hoje não é dinheiro ou bens, mas sim da presença manifesta de Jesus em sua casa.

APELO:

556556556556556556
2.O ALTAR, O TEMPLO, E O ESPÍRITO

TEXTO: Esdras 3.1-6;10-13

INTRODUÇÃO: Os livros de Esdras e Neemias falam de restauração. E hoje muitas pessoas estão

precisando de restauração. O capítulo 2 descreve o retorno dos judeus.

O capítulo 3 retrata o reinício da adoração ao Senhor. Os primeiros exilados que

regressaram deram início à restauração depois do exílio. Esse grupo foi liberto da Babilônia e

abençoado por Deus. Zorobabel (Governador de Judá, ele era neto do Rei de Judá Joaquim. I

Cr. 3.17-19) Conduziu o povo às bênçãos de Deus ao reconstrução de sua vida espiritual, apesar

da oposição. Qual era a importância do culto a Deus na vida do seu povo?

PROPOSIÇÃO: E qual era o significado altar?

557557557557557557
I-A 1ª COISA QUE OS FILHOS DE ISRAEL FORAM DIRIGIDOS A FAZER FOI ERGUER UM NOVO

ALTAR EXATAMENTE NO LUGAR DO ANTIGO.

1.Na ordem de Deus construíram 1º o altar, depois os alicerces da casa e por fim os muros.

Levantar o altar significa colocar Deus em 1º lugar!

2. O altar então, deve ser levantado antes de construir a casa, pois será uma proteção

melhor contra os inimigos do que os muros. Depois do altar, poderemos construir a casa,

formar a cidade e estabelecer o Reino. As coisas de Deus são organizadas. Os exilados

reconheciam que se quisessem ter sucesso na restauração da vida espiritual deles, precisavam

da benção do Deus Jeová. Para a primeira e grande reunião do regresso de todos em Jerusalém,

a primeira coisa que fizeram foi reedificar o altar.

3.A primeira preocupação de Zorobabel e Josué a restauração do altar, para que se

oferecesse os sacrifícios. A reconstrução do altar foi feita de forma que pudessem ser feitos ali

os sacrifícios a serem oferecidos a Deus. O trabalho que estavam fazendo foi demonstrado na

reconstrução do altar e no lançar dos fundamentos da reconstrução da nação com Deus.

4.O ALTAR ESTÁ PRESENTE COMO BASE E CONDIÇÃO PARA A COMUNHÃO ENTRE DEUS E O

HOMEM.

* O altar representa o início da obra de Deus. Depois do dilúvio a 1ª coisa que Noé fez foi

levantar um altar ao Senhor. Gn 8.20 – O altar de Noé era um meio de comunicação com Deus.

Foi um recomeço de contato com Deus. Uma via de duas mãos. *A 1ª iniciativa dos líderes

Zorobabel(Sesbazar) (governador de Judá) e Josué (Sumo-Sacerdote de Deus também chamado

de Jesua, Esdras 3.2; 2.2; Ag 1.1; 2.2), ao voltarem de Babilônia para a restauração da cidade e

do povo de Deus foi levantar o altar.

2ª Tese: O que é o altar para nós hoje e como podemos restaurá-lo? Em resposta a esta

pergunta vamos focalizar vários aspectos essenciais do altar.

558558558558558558
4.a.O altar é uma posição de constante contato com Deus. Ou seja sem uma posição definida

de ouvir a voz de Deus e depender inteiramente dela, nada de valor pode ser realizado na obra

de Deus.

4.b.Uma posição de incessante comunhão com Deus. Quando Jesus vivia aqui na terra, ele

vivia numa posição de total dependência de Deus. Noite e dia ele era ¨todo ouvidos¨ para Deus,

ele não fazia nada sem ver o Pai fazê-lo primeiro. A base de sua vida era uma posição de

incessante comunhão com Deus. E isso é o altar.

4.c.O altar depende de comunhão. Deus hoje quer falar na base do altar coletivo.

(Mat. 18.20) Não estamos vivendo na época do altar individual. Não podemos mais viver na

dependência de ministérios individuais (como Moisés que recebia algo de Deus para repartir com

o povo), mas hoje Deus quer restaurar a essência da igreja que é dois ou três em comunhão com

Jesus no meio deles.

* Em termos práticos, isto significa que não devemos apenas ter reuniões marcadas para

orar, conversar e esperar em Deus, mas que devemos viver numa posição de comunhão com

Deus e com pessoas num relacionamento intenso para ouvirmos Deus e sua Palavra que nos trará

direção.

4.d.O altar não era importante só para os exilados, mas para nós também. Pois o altar é o

lugar de: De Confissão, de sacrifício, de Arrependimento, de aceitação, de perdão, proteção,

cura e libertação.

E também de Expiação do pecado (Sangue oferecido a Deus e cobria o altar) Êx.

29.12,20,21; Lv 3.1-17(Os 3 elementos oferecidos sobre o altar era:

559559559559559559
O sangue, a gordura, e o fogo eram sempre mencionados juntos, eram as partes do sacrifício

que pertenciam a Deus). O sangue representa a morte e o juízo. A gordura e o sangue

satisfazem as exigências de Deus. O sangue trata do pecado e a gordura a questão do prazer

(Gn 8.21) ambos são elementos necessários para entrar na presença de Deus.

4.e.O sangue e a gordura são importantes mas se não houver o fogo de nada adianta . Eles

não produzirão efeito. O fogo era essencial para o altar funcionar (Lv 6.12,13) o fogo era o

sinal da aprovação de Deus para o sacrifício. O fogo é a vida do altar! Pois ele queima tudo

que é incendiável!

4.f-O altar é o lugar onde nos reconciliamos com Deus. É o lugar onde começamos a assumir a

nossa culpa pelo nosso pecado e experimentar a Redenção de Cristo. Para que eles pudessem

adorar a Deus, teriam de fazer antes o sacrifício pelos pecados do povo, como

reconhecimento de que adoração só é aceitável a Deus depois que se resolve o problema do

pecado.

II-OS GRANDES DESPERTAMENTOS DA HISTÓRIA TIVERAM COMO SEGREDO A COLOCAÇÃO DE

VIDAS NO ALTAR.

1.Os despertamentos da época de Esdras e Neemias se caracterizam por vidas no altar.

Depois de 70 anos de cativeiro, vieram épocas de refrigério, mediante o avivamento espiritual.

2.A obra experimental do avivamento:

* As bases do altar foram firmadas. (Esdras 3.12)

*A importância dos sacrifícios.

* Os estágios do avivamento:

a. O altar. É levantado para cumprir o plano de Deus. Não deve ser uma crise mas uma

experiência contínua.

560560560560560560
b. O 7º mês. Um mês sagrado (Set. e Out.) A época da festa dos tabernáculos. É a época da

última festa. Representava a consumação do plano de Deus. A volta de Cristo. O fato do altar

ser levantado no 7º mês, significa que ele deve ser levantado com visão profética. Isto é a

visão do fim, do propósito final de Deus, de todo o plano de Deus.

c. O holocausto. Era oferecido pela manhã e à tarde. Era contínuo era todo dia, todo mês na

lua nova no princípio do mês. Precisamos oferecer o holocausto e além disso, as ofertas

voluntárias. O holocausto é uma oferta queimada. É tudo para Deus e nada para o homem. Ele

representa toda a nossa vida no altar, inteiramente dedicada a Deus. O mesmo fogo que

consome o holocausto, julga e consome o pecado. Com suas diversas ofertas, e em especial a

voluntária, o altar simboliza o lugar onde nos consagramos a Deus. No momento em que nos

achegamos a Cristo e o confessamos como Senhor e Salvador de nossos pecados, nós nos

achegamos ao altar.

Para que ocorra um avivamento em nossas vidas, 1º é preciso que nos arrependamos, que

confessemos os nossos pecados e voltemos ao altar.

O fato de haver um altar e um sacrifício não provava nada. Era necessário cair fogo sobre o

sacrifício e consumi-lo, para provar a aceitação do Deus vivo. O holocausto significa: cheiro

suave. A obra da restauração começa com o desperdício da nossa vida!

Em termos práticos, oferta do holocausto (v.2-3) significa:

561561561561561561
a. O sacrifício era um ato de entrega. Sacrificar quer dizer entregar. Que estamos

entregando, cedendo, sacrificando, quando adoramos a Deus? O que o Senhor quer que

depositemos no altar? (Sl 51.16-17; Pv 23.26)

b. O sacrifício era um ato de fidelidade. Por terem destruído o antigo altar para construir um

novo em seu lugar, o terror dos povos da terra estava sobre eles. Mas, a despeito de toda

oposição, nada iria impedi-los de servir ao Senhor.

C. UMA VEZ LEVANTADO O ALTAR, SOB A LIDERANÇA DE ZOROBABEL OS FILHOS DE ISRAEL

EDIFICARAM O TEMPLO DO SENHOR. (Esdras 3.7-13)

1.O templo é o local onde adoramos a Deus, onde desfrutamos de comunhão com ele e uns

com os outros.

2.E da mesma forma que precisamos erigir um altar em nosso coração, precisamos também

de um templo, uma área dedicada somente a Deus.

3.Precisamos de um espaço onde abandonamos tudo o mais e entramos em sua presença

para adorá-lo e estar em silêncio diante dele. É ai que nos fortalecemos, que temos nossas

forças restauradas e aprofundamos o nosso relacionamento com Deus.

4. E como ocorreu aos filhos de Israel, o templo tem uma importância muito grande para nós

também.

Pois o templo é o lugar de: Adoração, Ações de Graça, Comunhão, Oração, Contribuição,

Testemunho, Sacramentos(Ordenanças) Lugar onde Deus manifesta a sua Presença (2 Cr. 7.1-3),

Gozo, Santidade, Poder, Unção.

562562562562562562
5.Cada um desses aspectos revela que o templo era o lugar onde os féis se encontravam na

presença de Deus. Os que ministravam no templo nem sempre conseguiam manter-se de pé. (2

Cr. 5.14; 1 Rs 8.10,11). Tão era a manifestação de Deus no templo.

6.Quando Zorobabel concluiu o lançamento dos alicerces, ouve uma grande reação do povo.

(Esdras 3.10-13) Eles celebraram quase do mesmo modo como a geração anterior tinha

celebrado o 1º templo. (2 Cr. 5.13) Por que eles choraram numa ocasião tão alegre? Porque

haviam visto o 1º templo antes de ser destruído, 50 anos antes. (Ag. 2.1-9). *O gozo do

avivamento- (Esdras 3.11), (Festa entre o povo. A alegria do povo e sua expressão) Esdras

3.13

7.Se a geração deles tivessem dado ouvidos á Palavra de Deus dada por Jeremias, Jerusalém

e o Templo estariam de pé. Eles sabiam o significado do templo para geração passada e futura,

o valor da presença de Deus na vida deles. Eles tiveram de voltar arrependidos ao altar de Deus,

e depois ter cuidado de não abandonar a sua presença.

III- PARA QUE EXISTA VERDADEIRO CULTO A DEUS SE FAZ NECESSÁRIO QUE O ALTAR E

TEMPLO SEJAM RESTAURADOS A FIM DE QUE SEU ESPÍRITO HABITE EM NÓS.

1.A BÍBLIA NOS DÁ CONTA DE QUE SOMOS TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO. 22 no qual também

vós juntamente sois edificados para [morada] de Deus no Espírito. Ef. 2.22 – I Cor. 6. 19¨

Ou não sabeis que o vosso corpo é santuário do [Espírito Santo], que habita em vós, o qual

possuís da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?

2.O altar em Israel era um referencial e uma base de que podiam chamar à existência em

intimidade, em profundidade, a presença do Todo-Poderoso. Cuja base do Seu altar em

563563563563563563
Espírito, justiça e verdade. Deus colocou o Seu altar dentro de nós. Somos a geração que tem a

base do altar: A justiça e a verdade. Jo. 4.23,24

3.Somos uma geração de sacerdotes e vamos andar por esta terra crédulos de que o Senhor

nos respaldou e nos entregará esta terra por herança. Você é sacerdote de uma geração e

templo do Espírito Santo.

4.Rachaduras poderão ocorrer no altar de nossas vidas. (Apatia espiritual, Decepções,

Esfriamento, Egocentrismo, Modismo).

5.O Espirito santo vivifica a nossa vida. É Ele quem nos dá vida espiritual. (João 6.63) O

Espírito Santo é a vida de Deus, morando em nosso ser.

5.Quem pode levantar um altar? Na Bíblia, um altar só poderia ser levantado por um sacerdote

que fosse reconhecido pela sociedade onde vivia. Esse altar tinha uma legalidade, um

respaldo, pois é a referência da santificação e do compromisso.

"Então se levantou Jesuá, filho de Jozadaque, com seus irmãos, os sacerdotes, e Zorobabel, filho

de Sealtiel, e seus irmãos; e edificaram o altar do Deus de Israel, para oferecerem sobre ele

holocaustos, como está escrito na lei de Moisés, homem de Deus". (Esdras 3:2).

564564564564564564
6. Não se tem o templo enquanto não se levanta o altar. Deus quer sejamos seus templos,

como testemunho aqui na terra! "Ali estão os meus templos, os meus altares que eu levantei na

Terra, e por onde passarem, a terra será restaurada". Você é o templo do Espírito Santo.

CONCLUSÃO:

A geração Esdras e Neemias tem um altar simples e, pela santidade, é uma geração

restauradora. Nós fomos chamados para restaurar.

APELO:

565565565565565565
566566566566566566
3. PRIMEIRO O ALTAR, DEPOIS O TEMPLO

TEXTO: Esdras 1.1 a 6.22

INTRODUÇÃO:

567567567567567567
Os primeiros exilados que regressaram deram início à restauração depois do exílio. Esse grupo

foi liberto da Babilônia e abençoado por Deus. Zorobabel conduziu o povo às bênçãos de Deus ao

reconstruir o templo apesar da oposição.

Serão os remanescentes do povo do pós-exílio que terão a oportunidade do trabalho de

reconstrução do templo, mas não de uma vez e sim em vários estágios. Seus esforços foram

apoiados pelo Senhor e promoveram a importância do templo para a comunidade restaurada.

1. A reconstrução do altar – 3:1-6.

A primeira preocupação de Zorobabel foi a reconstrução da área do templo relacionada ao seu

altar de forma que pudessem ser feitos ali os sacrifícios a serem oferecidos a Deus.

O mês que estava chegando, o sétimo mês, Tisri – setembro/outubro - era uma época

oportuna de festa que iria incentivar a sua reconstrução. Estava chegando a Festa dos

Tabernáculos, a maior festa do Antigo Testamento – Lv 23:33.

No verso 2, são mencionados os holocaustos – são os principais sacrifícios oferecidos, conforme

Lv 1 - que deveriam ser oferecidos ao Senhor conforme está escrito na Lei de Moisés.

Obviamente, outros sacrifícios também eram, ali, oferecidos – vs. 5.

Para se viver na presença de Deus, temos de lidar com a questão do pecado e ele nos remete

aos sacrifícios, dessa forma:

· Era com base nos holocaustos que um povo pecaminoso podia viver na presença de um

Deus santo (Ex 29:42).

568568568568568568
· O sacrifício de Cristo é o sacrifício supremo que conduz os pecadores perdoados à

presença de Deus (Hb 10.19-20).

Em decorrência do exílio, o povo de Deus não havia guardado a aliança nem vivido de acordo

com a lei. Os remanescentes, que regressaram, tinham a preocupação de guardar a aliança

mediada por Moisés - vs. 4. No entanto, apesar do seu compromisso e de suas realizações, não

foram capazes de observar a lei perfeitamente. Como homem nenhum seria capaz. Não foi

apenas a questão do exílio, mas mesmo antes, na prosperidade e abundância total, o povo não

conseguia essa perfeição. Foi Cristo Jesus, o Messias esperado, que gu