Você está na página 1de 4

A MENTE DE SERVO 2 - Fp 2.

5-11

Dando continuidade ao nosso aprendizado a respeito das características do


servo de Deus. Vimos domingo passado que existem DUAS RAZÕES pelas
quais devemos ser servos. A primeira por ser um mandamento: “tomou a
forma de servo”, aqui somos convocados a pensar e agir como Jesus.
Devemos pensar como servos. E a segunda devemos ser servos porque
Jesus é o nosso exemplo. Esse é o ponto principal, devemos ser
semelhantes a Cristo.

CARACTERÍSTICAS DA MENTE DE SERVO


O NT nos ensina como deve ser o servo. Veremos nos textos bíblicos que
referendam as características que descrevem a atitude de servo. Estas
características também asseguram a obra de Deus em nós e permitem que
Deus faça sua obra a partir de nós. Chegamos a ser servos, em primeiro
lugar pelo que somos, e não pelo que fazemos.

Quais são essas características? – Vimos no domingo a primeira delas que é


a Humildade – At (20,19), Hoje veremos a segunda que é a Obediência (Ef
6.5), Disposto, Leal, Fiel, Vigilante, Corajoso, Não contencioso,
Brando, Apto para ensinar, Paciente, Manso, Bom, Prudente.

É fundamental lembrarmos que o que em primeiro plano Deus requer de nós


em nossa atitude de servo é o nosso caráter. Vejamos o que Jesus falou em
Mt 10.24,25 “O pupilo não está acima do seu mentor, nem o escravo
acima do seu amo. 25 Basta ao discípulo ser como seu mestre, e ao
servo ser como seu senhor. ”. Portanto, seu caráter é muito mais
importante do que aquilo que você faz. O fazer tem origem em seu ser. É
portanto, fundamental examinar e aprender de maneira minuciosa cada
uma destas características que devem marcar a sua vida.

A Palavra nos diz que Jesus Cristo foi o Servo Justo. Nossa suprema
autoridade em todos os assuntos é Jesus Cristo; não é só o que ele falou,
mas também, o exemplo que Ele nos deixou.

OBEDIÊNCIA – Ef 6.5 “Quanto a vós outros, escravos, obedecei a


vossos senhores terrenos com todo o respeito e temor, com
sinceridade de coração, como a Cristo, ” - Essa característica nos
ajudará a compreender a autoridade do Senhor Jesus sobre nós, nosso
tempo e nossa vida. A partir dessa compreensão devemos refletir sempre
sobre nossas atitudes carnais de desculpas como “Espere mais um pouco”,
“vou fazer amanhã”. Quando você é um servo obediente, permitirá que
Deus faça grandes obras em você e a partir de você.

A obediência, como atitude, não estabelece limites às ordens que provêm


do Trono da Graça. A verdadeira obediência é imediata, e não tardia. Às
vezes, obvio, devemos questionar as vozes que parecemos ouvir e as ordens
que recebemos. Mas, se conhecemos a vontade de Deus, como servos de
Deus não devemos colocar em dúvida a vontade do Senhor. Obedecemos a
Deus porque ele é Deus, sem medir as consequências. A obediência é a
única virtude que compreende o sentido a autoridade de Deus. Na
obediência estamos dando significado a quem somos para Deus,
verdadeiros servos. Vejamos a atitude de Abraão como servo, e a
consequência, em Gn 22.18 “ Por intermédio dos teus inúmeros
descendentes serão abençoadas todas as nações da terra , porquanto tu
me obedeceste!” ”.

Percebam em 1Sm 15.22,23 os opostos “Contudo, Samuel declarou: “Agrada-


se mais a Yahweh com holocaustos e sacrifícios do que com a sincera
obediência à sua Palavra? De modo algum, a obediência é melhor do
que o sacrifício, e a submissão do coração mais do que a gordura dos
carneiros. 23 Porquanto a rebeldia é como o próprio pecado da
feitiçaria, e a arrogância como o mal da idolatria! Porque rejeitaste a
Palavra de Yahweh, Ele também o rejeitou como rei do seu povo!” ”.
Obedecer, meus amados, é foi, é e sempre será o melhor que você pode
fazer.

Na obediência, permitimos a DEUS que ele opere de forma poderosa em


nossa vida. Vejamos em Jz 7.2-7,, é uma forma estranha para nós, ir à
guerra e fazer o que Deus orientou Gideão a fazer, para derrotar os
midianitas. Embora em outros momentos no capítulo 6 e ainda no capítulo 7
vejamos que ele ainda tinha seus temores, assim como nós os temos;
Gideão obedeceu imediatamente à direção do Senhor que lhe orientou
reduzir seu exercito de 32000 para 10000. A derrota dos midianitas foi uma
grande vitória para o povo de Deus, mas Deus recebeu o reconhecimento
pela vitória. Essa vitória não teria sido algo digno de contemplação se
Gideão tivesse lutado com o exército inicial de 32000. Quer andar em
obediência aprenda uma coisa, Deus vai exigir de você coisas que aos seus
olhos, e aos seus ouvidos, parecerão estranhas.

Vejamos outra batalha em Js 6.1-20


Antes de qualquer desafio: lembre sempre de que você está lutando
em vitória e não pela vitória 1-5
v.1 – o temor do Senhor – Ex 23.27
v.2 – a promessa do Senhor – Crer numa promessa é aceitar um cheque,
mas obedecer em função dessa promessa é sacar o cheque.
v. 3-5 – As instruções do Senhor – Nenhuma situação é impossível para
Deus resolver e nenhum problema é grande demais para Ele dar solução. v.5

Durante o desafio: lembre que pela obediência o inimigo é derrotado.


v. 6-16, 20 – Fé não é crer apesar das evidências. Amados não orem
pedindo vida fácil. Mas, sim para ser homens e mulheres que se
aperfeiçoam pela obediência.

Depois da vitória: Lembre de continuar obedecendo as ordens do


Senhor e de lhe render glória.
v. 17-19 – condenar toda a cidade – FOI ORDEM DE Deus.
v. 25, 26 – salvar Raabe
v.21 – Destruir o povo
v. 24 queimar a cidade

Só é possível realizar os grandes propósitos de Deus, quando você for


totalmente obediente.

Jesus foi obediente. A obediência de Jesus se fez presente em toda a sua


jornada terrena. Depois de visitar o Templo aos 12 anos em Lc 2;51 vemos
que Ele era obediente aos seus pais terrenos. EM João 12.;50 vemos que Ele
disse tudo o que o Pai lhe orientou que dissesse. Ele obedeceu de maneira
criteriosa. E no final de seus dias sobre a terra, Ele declarou em Jo 14.21
“ainda assim, é vital que o mundo saiba que Eu amo o Pai, e cumpro as
ordens que o Pai me deu. ”. Jesus obedeceu perfeitamente.

Conclusão:
Obedecer é a chave para qualquer vitória.
Em Gideão vemos três princípios importantes: DEUS prova a nossa
obediência; estimula a nossa obediência e honra a nossa obediência.

Ele prova nossa obediência por, pelo menos, dois motivos: Primeiro para
nos mostrar se nossa atitude de obediência é verdadeira ou se é uma
imitação. E segundo, para fortalecer nossa fé em relação a eventos futuros.

Ele estimula nossa obediência através de suas promessas maravilhosas e


de sinais necessários para nosso fortalecimento espiritual e crescimento na
dependência do seu Agir Invisível

Ele honra nossa obediência nos dando sabedoria para prepararmos as


estratégias de batalha, nos encorajando para comandar a missão e nos
dando a oportunidade de aumentar seu rebanho.

O importante é que diante de tudo devemos estar à disposição do Senhor


para que Ele opere a Sua vontade. Podemos até não entender seus planos
por inteiro, mas devemos confiar inteiramente em suas maravilhosas
promessas. É a obediência que nos garante a vitória.

Oremos