Você está na página 1de 23

0

ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS NÁUTICAS

DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS

ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS

4MQ - 2014, LABORAL (DIURNO)

ANÁLISE ENERGÉTICA DE SISTEMAS

LABORATÓRIO Nº02

PROCESSOS TERMODINÂMICOS BÁSICOS & 1ªLEI DA


TERMODINÂMICA

GRUPO Nº03

Discentes:

Anastácio da Conceição António

Edgar Pereira Joaquim Supião

Docente: Prof. Dr. Carlos Alejandro Alfonso

Maputo, Setembro de 2017.

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
1

Sumário

1. Resumo ........................................................................................................................... 2

2. Introdução ....................................................................................................................... 3

3. Objectivos ....................................................................................................................... 4

3.1. Geral:........................................................................................................................ 4

3.2. Específicos: .............................................................................................................. 4

4. Desenvolvimento. ........................................................................................................... 5

4.1. Primeira Lei da Termodinâmica. ............................................................................. 5

4.1.1. Aplicações do Primeiro Princípio da Termodinâmica ....................................... 6

5. Consecução das simulações no Software aplicativo Java ............................................. 10

5.1. Discussão de resultados da tarefa 1 ....................................................................... 12

5.1.1. Se fosse Compressão ....................................................................................... 16

6. Conclusão...................................................................................................................... 21

7. Referências bibliográficas ............................................................................................. 22

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
2

1. Resumo

A ciência da termodinâmica se originou do reconhecimento de que a transformação de


calor e trabalho poderia ser prevista através de umas poucas relações. Enquanto que
inicialmente o interesse da termodinâmica se concentrou na melhoria da eficiência das
máquinas, hoje em dia a termodinâmica é uma parte integrante do estudo das interações
químicas.

Palavras-chave: termodinâmica, calor, trabalho.

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
3

2. Introdução

As propriedades termodinâmicas dum sistema (como a temperatura, a pressão, o volume


ou a energia interna) podem ser especificadas se o sistema estiver em equilíbrio térmico
(se as propriedades termodinâmicas forem iguais em todo o sistema). Quando um
sistema passa dum estado de equilíbrio para outro através dum processo termodinâmico,
as suas propriedades termodinâmicas alteram-se durante o processo e o sistema pode não
se encontrar sempre em equilíbrio.

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
4

3. Objectivos

3.1. Geral:

i. Estudar o tema exposto, neste caso os processos termodinâmicos e primeira lei da


termodinâmica e, apoiando-se do programa virtual denominado Java, simular a os
respectivos processos.

3.2. Específicos:

ii. Identificar os processos termodinâmicos;


iii. Demonstrar matematicamente os parâmetros inerentes aos mesmos;
iv. Visualizar através de simulações no software Java o comportamento e os valores
relativos ao trabalho, calor e energia interna.

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
5

4. Desenvolvimento.

Como o trabalho e o calor não são propriedades de estado, mas de processo, o


conhecimento do ‘caminho’ que o sistema ‘percorre’ para chegar ao estado final possui
um grande significado.
É fundamental, no estudo dos processos, a natureza da fronteira: se flexível,
rígida, diatérmica ou adiabática. Os processos em princípio podem ser totalmente
aleatórios, mas, de especial importância para a termodinâmica são os processos
reversíveis em sistemas fechados.

4.1. Primeira Lei da Termodinâmica.

Caso especial do princípio da conservação de energia: a única variação na energia dum


sistema é a variação na sua energia interna U, e os únicos mecanismos de transferência de
energia são o calor Q e o trabalho W.

Fonte: Arduino (2012).

É a energia transferida para o gás;


É o trabalho realizado pelo gás.
Significa que a variação da energia interna de um sistema, é igual à soma da energia
transferida através da fronteira do sistema pelo calor e a energia transferida pelo trabalho.
Quando um sistema é submetido a uma mudança infinitesimal em seu estado, tal
que uma pequena quantidade de energia transferida pelo calor e uma pequena
quantidade de trabalho realizado pelo sistema, a energia interna também varia de uma
quantidade pequena

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
6

Fonte: Arduino (2012).

4.1.1. Aplicações do Primeiro Princípio da Termodinâmica

Processos termodinâmicos:
1. Adiabático;
2. Isométrico (ou Isocórico);
3. Isotérmico;
4. Isobárico.

Todas as superfícies do pistão são isolantes perfeitos, de maneira que a transferência de


energia pelo calor não existe.
Q=0

Fonte: Arduino (2012).

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
7

Aplicando o primeiro princípio da termodinâmica

O trabalho realizado pelo gás é negativo, representando a transferência de energia para


dentro do sistema, de maneira que a energia interna aumenta. E quando o gás se expande
adiabaticamente, é negativo.

Figura 01: Expansão de um gás através de um êmbolo ao vácuo.


Fonte: Arduino (2012).

Não há variação na temperatura durante uma expansão livre adiabática


A expansão livre é um processo adiabático único, em que nenhum trabalho é realizado
sobre o gás. Como Q = 0 e W = 0 obtêm-se:

Processo que ocorre a uma pressão constante

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
8

Figura 02: Diagrama transformação isobárica


Fonte: Passos (2009).

Aplicando o primeiro princípio da termodinâmica

No processo isométrico, o volume é constante e é criado segurando-se o pistão de


maneira que ele não se mova.
W=0

Figura 03: Diagrama transformação isovolumétrica


Fonte: Passos (2009).

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
9

Aplicando o primeiro princípio da termodinâmica

Toda a energia adicionada ao sistema por meio do calor, vai para o aumento da energia
interna do sistema

Num processo isotérmico a temperatura é constante:

Aplicando o primeiro princípio da termodinâmica

Figura 04: Diagrama transformação isotérmica


Fonte: Passos (2009).

A energia que entra no gás por meio do trabalho sai do gás por meio do calor, de modo
que a energia interna permanece fixa.

∫ ∫ ∫ |

( )

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
10

5. Consecução das simulações no Software aplicativo Java

Fig. 05- Expansão isobárica de um gás monoatómico


Fonte: Autores (Simulação no “applet” Java)

A curva descrita pela compressão isobárica é uma linha recta. O ponto vermelho indica o
fim do curso de expansão.

Figura 06. Expansão isotérmica de um gás monoatómico


Fonte: Autores (Simulação no “applet” Java)

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
11

A curva representada é uma isoterma.

Figura 07. Expansão isocórica de um gás monoatómico


Fonte: Autores (Simulação no “applet” Java)

Figura 08. Expansão adiabática para um gás monoatómico


Fonte: Autores (Simulação no “applet” Java)

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
12

5.1. Discussão de resultados da tarefa 1.


Para Gás Monoatómico
Processos Grandezas Instante Inicial Instante Final
P (atm) 7.0 7.0
Isobárico V (L) 4.0 9.0 34.8 52.2 87.0
T (K) 300.0 675.0
P (atm) 7.0 5.0
Isotérmico V (L) 9.0 12.6 21.1 0.0 21.0
T (K) 675.0 675.0
P (atm) 5.0 3.0
Isocórico V (L) 12.6 12.6 0.0 -37.8 -37.8
T (K) 675.0 405.0
P (atm) 3.0 7.0
Adiabático V (L) 12.6 7.578521 -22.7 22.6 0.0
T (K) 405.0 568.3890

Tabela 01. Resultados da tarefa 1

Fonte: Autores

Conclusão sobre expansão de gases monoatómicos


Pode ser visto através da tabela 1 que para gases monoatómicos o maior trabalho é obtido
em processos isobáricos, neste caso concreto apresenta um valor de 34.8, pode também
dizer-se que o calor obtido durante esta expansão é máximo.

Figura 09. Experiência laboratorial de um gás monoatómico dum processo isotérmico.


Fonte: Autores (Simulação no “applet” Java)

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
13

Cálculo de Quantidade da substancia

Figura 10. Experiência laboratorial de um gás monoatómico dum processo isobárico.

Fonte: Autores (Simulação no “applet” Java)

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
14

Figura 11. Experiência laboratorial de um gás monoatómico dum processo adiabático.

Fonte: Autores (Simulação no “applet” Java)

Tabela 02. Resultados de quantidades da substância

Gás Monoatómico
Processos G.Físicas InstanteInicial Instante Final
P (atm) 7.0 3.1111111
Isotérmico V (l) 4.0 9.0 22.6 0.0 22.6 0.1134
T (K) 300.00 300.00
P (atm) 3.1111111 3.1111111 -6.3 -9.4 -15.6 0.1138
Isobárico V (l) 9.0 7.0
T (K) 300.00 233.3333
P (atm) 3.1111111 7.0 -12.5 12.4 0.0 0.1138
Adiabático V (l) 7.0 4.303170
T (K) 233.3333 322.3777
De acordo com a tabela acima pode ser visto que para todos os processos a quantidade da
substância é a mesma

Figura 12. Processo isobárico com um gás monoatómico.


Fonte: Autores (Simulação no “applet” Java)

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
15

Figura 13. Processo adiabático com um gás monoatómico


Fonte: Autores (Simulação no “applet” Java)

Figura 14. Processo isotérmico com um gás monoatómico


Fonte: Autores (Simulação no “applet” Java)

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
16

5.1.1. Se fosse Compressão

Figura 15. Processo de compressão isotérmica de um gás monoatómico se for com compressão
Fonte: Autores (Simulação no “applet” Java)

Figura 16. Processo isobárico de um gás monoatómico se for com compressão.


Fonte: Autores (Simulação no “applet” Java)
PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA
LABORATÓRIO Nº02
17

Figura 17. Processo adiabático de um gás monoatómico se for com compressão.

Fonte: Autores (Simulação no “applet” Java)

Tabela 03. Sobre resultados da experiência quando cada processo ocorre na base de
uma compressão.

Gás Monoatómico
Processos G.Físicas Inst. Inicial Instante Final
P (atm) 12.0 27.0
Isotérmico V (l) 9.0 4.0 -87.0 0.0 -87.0 0.1134
T (K) 30000.0
P (atm) 7.0 7.0
Isobárico V (l) 9.0 4.0 -34.9 -52.3 -87.1 0.1138
T (K) 300.00 133.3333
P (atm) 7.0 43.68176
Adiabático V (l) 9.0 3.0 -100.8 100.7 0.0 0.1138
T (K) 300.00 624.0251

Num processo de compressão o sistema que neste caso é um gás recebe trabalho, sendo
por isso de valor negativo como convencionalmente se indica em estudos
termodinâmicos. O calor é extraído do sistema e trocado com a vizinhança tendo por isso
um valor negativo. O trabalho recebido é igual ao calor recebido no processo isotérmico,
assim como está previsto pela primeira lei da termodinâmica.

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
18

Usando o gás diatómico faremos experiências de cada processo termodinâmico dado no


enunciado ou no trabalho de prática virtual, portanto teremos:

Figura 18. Expansão isobárica de um gás diatómico.


Fonte: Autores (Simulação no “applet” Java)

Figura 19. Expansão isotérmica de um gás diatómico.


Fonte: Autores (Simulação no “applet” Java).

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
19

Figura 20. Expansão isocórica de um gás diatómico.


Fonte: Autores (Simulação no “applet” Java).

Figura 21. Expansão adiabática de um gás diatómico.


Fonte: Autores (Simulação no “applet” Java).

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
20

Tabela 04. Resumo de experiências no caso de expansão de um gás diatómico:


Para Gás Diatómico
Processos Grandezas Instante Inicial Instante Final
P (atm) 7.0 7.0
Isobárico V (L) 4.0 9.0 34.8 87.0 121.8
T (K) 300.0 675.0
P (atm) 7.0 5.0
Isotérmico V (L) 9.0 12.6 21.1 0.0 21.1
T (K) 675.0 675.0
P (atm) 5.0 3.0
Isocórico V (L) 12.6 12.6 0.0 -63.0 -63.0
T (K) 675.0 405.0
P (atm) 3.0 7.0
Adiabático V (L) 12.6 7.578521 -17.6 17.5 0.0
T (K) 405.0 568.3890

Quanto à expansão de um gás diatómico pode se verificar que o trabalho efetuado pelo
gás é maior sob condições isobáricas. Nulo em condições isocóricas. A energia interna
tem a maior magnitude e o calor fornecido é também maior relativamente aos restantes
processos durante o curso de expansão isobárica.

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
21

6. Conclusão

Com a efetivação das respectivas simulações para as diferentes fases dos processos
termodinâmicos, conclui-se que:

i. Para gases monoatómicos o maior trabalho é obtido em processos isobáricos,


neste caso concreto apresenta um valor de , pode também dizer-se que o calor
obtido durante esta expansão é maior comparativamente aos restantes processos;
ii. No processo de compressão o sistema que neste caso é um gás recebe trabalho,
sendo por isso de valor negativo como convencionalmente se indica em estudos
termodinâmicos. O calor é extraído do sistema e trocado com a vizinhança tendo
por isso um valor negativo;
iii. Quanto à expansão de um gás diatómico pode se verificar que o trabalho efetuado
pelo gás é maior sob condições isobáricas. Nulo em condições isocóricas. A
energia interna tem a maior magnitude e o calor fornecido é também maior
relativamente aos restantes processos durante o curso de expansão isobárica;
iv. O trabalho recebido/ executado é igual ao calor recebido/executado no processo
isotérmico, assim como está previsto pela primeira lei da termodinâmica.
Comprovando os dados indicados no referencial teórico deste documento.

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02
22

7. Referências bibliográficas

i. Arduino Francesco Lauricella et al. (2012) Eletricidade Básica e Fundamentos de


Termodinâmica (Teoria). São Bernardo do Campo: Kaizen;
ii. Halliday, Resnick. (2008). Fundamentos de Física. Vol. 2. 8ª ed. Rio de Janeiro;
iii. H. D. Young & R. A. Freedman (2008) , Física II – Termodinâmica e Ondas 12a
ed., Pearson;
iv. Passos, J.C. (2009). Os experimentos de Joule e a primeira lei da termodinâmica.
Revista Brasileira de Ensino de Física.

PROCESSOS TERMODINÂMICOS & 1ª LEI DA TERMODINÂMICA


LABORATÓRIO Nº02