Você está na página 1de 4

6 Compromissos Firmes para os Membros da Igreja

Por Costi W. Hinn

Se você perguntasse a um grande grupo de cristãos o que é a “membresia da igreja”,


provavelmente obteria uma resposta que soaria mais ou menos assim: A membresia da
igreja é ser parte de uma igreja. Se você perguntar a esse mesmo grupo qual é o seu
papel como membros da igreja de Cristo, é possível que escute: Eu devo ir à igreja.

Ainda que estas respostas não estejam complemente erradas, se assemelham a um


iceberg no sentido de que a maior parte de sua massa ainda está embaixo da superfície.
Temos que olhar mais profundamente embaixo dessa superfície.

A membresia da igreja vem com muitas conotações. Alguns podem pensar que é como
pertencer a um clube de campo com algumas vantagens e privilégios, outros podem vê-
lo como um bilhete para o céu, e outros pensam que são membros da igreja
simplesmente porque assistem a eventos especiais e assistem aos cultos de Páscoa e
Natal.

As Escrituras deixam claro o fato de que os membros da igreja estão separados do


mundo, operando suas vidas de uma maneira totalmente contracultural (2 Coríntios
6.14-18). Os membros estão comprometidos com Cristo e entre si (Romanos 12.1-5), se
submetem aos líderes e esses líderes responderão perante Deus algum dia (Hebreus
13.17), e isso é um assunto sério! A membresia bíblica da igreja não se trata de pastores
famosos que se gabam de ter grandes números e expõem qualquer sistema no qual os
pastores não conhecem, ou não estão cuidado de ovelhas. Pelo contrário, a membresia
não se trata de cristãos de poltrona que obtiveram seu bilhete para o céu porque têm seu
nome nas listas de membros. O quadro da membresia no Novo Testamento nos obriga a
lutar com esta questão vital: A membresia da igreja é muito importante e, sendo
assim, deveríamos eu ou minha igreja levá-la mais a sério? Às vezes, a ideia de ser
membro da igreja é um nevoeiro para os líderes e, portanto, é um nevoeiro para aqueles
a quem dirigem.

Para ajuda-lo a entender melhor como servir e dirigir o corpo de Cristo, aqui estão seis
compromissos que devemos abraçar como membros da igreja. Por causa deste artigo,
chamemo-los de compromissos “firmes” porque significam o extraordinário propósito
que Deus tem para cada um de seus filhos. Você poderia fazer acréscimos a esta lista,
mas estes seis podem ajudar a estabelecer uma base para o esclarecimento.

1. Um Firme Compromisso ao nos REUNIRMOS

Se pudesse resumir a vida de um membro da igreja em uma única frase, diria: nos
reunimos para adorar e nos dispersamos para dar testemunho! Estes são essenciais
para cada membro do corpo de Cristo. Reunir-se com a assembleia de crentes não é
simplesmente uma sugestão, é um mandamento (Hebreus 10.24-26). Nos estimulamos
uns aos outros quando nos reunimos, celebramos as ordenanças quando nos reunimos,
nos convertemos no testemunho múltiplo da glória de Deus quando nos reunimos, e
somos formados pela pregação da palavra de Deus quando nos reunimos. No “velhos
tempos” as pessoas levavam a frequência à igreja tão a sério que, mesmo nas férias,
encontravam uma igreja local com a qual poderiam se reunir e conhecer em Cristo a
uma “família” desconhecida até então. Hoje em dia, parece que as pessoas se desfazem
da igreja se o café não está à altura de seus padrões. Seja diferente. Esteja firmemente
comprometico a reunir-se com os crentes no Dia do Senhor.

2. Um Firme compromisso com o DISCIPULADO

Fazer discípulos é algo ocorre que em muitos foros diferentes. Algumas igrejas usam
um método de pequenos grupos para possibilitar o discipulado de vida-a-vida, outras
usam métodos orgânicos. As igrejas podem diferir na metodologia pragmática, mas não
há nada pecaminoso ou incorreto nos “veículos” para o discipulado, sempre e quando
estejam alinhados com a teologia bíblica no que diz respeito ao discipulado. A cada
membro da igreja é ordenado a viver a Grande Comissão como testemunhas de Cristo
(Mateus 28.16-20; Atos 1.8). Devemos “estimular” uns aos outros, confrontar uns aos
outros, suportar as cargas de outros, e inclusive repreender uns aos outros. Um membro
da igreja com um firme compromisso com o discipulado (tanto para eles como para
outros) está seguro de ver Deus usar sua proximidade com outros como um meio de
graça para crescer!

3. Um Compromisso Firme de SERVIR

Os membros da igreja e o “serviço” não devem ser um oximoro, mas muitas vezes o
são. Você já ouviu falar da regra 80/20? Alguns têm aplicado sabiamente isto para servir
na igreja, como eles estimam, “20% dos membros da igreja fazem 80% do trabalho.”
Isso pode doer, ou desencadear um mecanismo de defesa baseado em desculpas
pessoais, mas sejamos brutalmente honestos por um momento: servir não é sugerido, é
ordenado. E muitos de nós não têm um firme compromisso neste privilégio cristão. Você
recebeu um presente do Doador supremo! Deus, o próprio Espírito Santo, derramou
uma dádiva de graça sobre sua vida e sabe que a melhor maneira de alcançar seu
propósito de glorificar a si mesmo na terra é por meio do serviço. 1 Pedro 4.7-11
captura a imagem do serviço cristão quando Pedro ordenou à igreja que “empregasse”
seus dons em um serviço mútuo. O que mais? Pedro se atreveu a ordenar isto a um
grupo que estava vivendo uma horrível perseguição. Quando meditamos nessa
realidade, seguramente podemos deixar de lado nossas desculpas preguiçosas (do
primeiro mundo) e abraçar com entusiasmo o manto de “fazer a obra do ministério”
(Efésios 4.11-16).

4. Um Firme Compromisso de DAR

Jesus disse que nosso coração está onde está nosso tesouro (Mateus 6.21), e claro, Ele
está certo. Mas quando se trata de dinheiro, certamente poderíamos concluir que nada
luta com nossos corações mais do que nossas carteiras. No mundo de hoje, a ganância
vence. Portanto, na igreja de hoje, dar pode testemunhar aos nossos corações que
estamos separados do mundo. Os desejos e os prazeres fugazes deste mundo tratarão de
apoderar-se dos recursos do cristão, porém o verdadeiro cristão não sucumbe a tais
tentações. Os membros da Igreja estão vivendo por um reino eterno. Eles estão, se são
ricos, ansiosos para usar o dinheiro como um método para avançar no ministério (1
Timóteo 6.17-18). Os membros da igreja estão ansiosos por compartilhar; derramando-
se pelos demais como um sinal de amor cristão (1 João 3.17). Paulo pinta o quadro da
generosidade para todos os aspectos da vida e níveis de renda que deveriam ser comuns
na igreja hoje em dia. Escreve acerca dos crentes pobres que estavam ansiosos para dar
– ainda que fosse uma quantia pequena – sabendo que Deus proveria para seu desejo de
dar. 2 Coríntios, capítulos 8 e 9, nos dão verdades fundamentais para motivar nosso
compromisso (e compreensão) no que diz respeito à generosidade. Para o membro da
igreja, dar nunca se trata da “quantidade”, sempre se trata do coração. O que seu
compromisso nesta área indica sobre teu coração?

5. Um Compromisso Firme de PRESERVAR

Preservar a unidade é um compromisso importante para cada membro da igreja.


Devemos nos proteger de todas as classes de divisões. Isto pode vir na forma de
confrontar o pecado e permitir a disciplina e a restauração da igreja (Mateus 18),
expondo aqueles que semeiam discórdia entre a igreja porque odeiam o que Deus odeia
(Provérbios 6.16-19), ou confessando seu próprio pecado de fofoca e hábitos que
causam divisão. Qualquer que seja o resultado desse autocompromisso, um membro da
igreja que trabalha para preservar a unidade da igreja é uma arma poderosa nas mãos de
Deus. A unidade está sob ataque constante na igreja. Satanás odeia a unidade da igreja.
O mundo, sob seu feitiço, odeia a unidade da igreja. E os falsos mestres definitivamente
odeiam a unidade da igreja. Uma igreja unida na verdade se mantém forte contra todas
as ameaças. Um pensamento final merece ser mencionado aqui: a unidade relacional
nunca deve substituir ou transcender a unidade doutrinal essencial. Em outras
palavras, nenhuma igreja ou membro da igreja deve sacrificar, jamais, a sã doutrina e
promover a unidade que negligencie as verdades essenciais. Toleramos as pessoas que
buscam respostas genuínas em um espírito de amor e paciência, mas isso não significa
tolerar crenças falsas ou doutrinas perigosas para “preservar nossa unidade.” Isso é falsa
unidade.

6. Um Compromisso Firme de ALCANÇAR

Se nos reunimos para adorar e nos dispersamos para dar testemunho, certamente
alcançar os perdidos deve ser um grande compromisso para cada membro da igreja. Há
168 horas em uma semana, e pelo menos uma dessas horas é dedicada a sentar-se sob a
pregação da palavra de Deus. O que fazemos com as outras 167 horas pode ter um
impacto massivo na eternidade! Que alegre privilégio. Quer sejam os que vão ou os que
enviam, todos os membros podem participar na difusão do Evangelho e devemos viver
sem nos sentirmos envergonhados. Há um poder que está além do que qualquer coisa
que este mundo já viu – o poder de levantar corações mortos e trazer á vida a todos os
que creem (Romanos 1.16-17). A igreja fará muitas coisas “melhores” no céu do que
nós na terra, mas há uma coisa que não faremos melhor no céu. De fato, não podemos
“fazer” isto no céu. Isto é, alcançar aos perdidos.

Enquanto houver tempo, vivamos em missão desta forma, como membros de Cristo.
Aceitar esses firmes compromissos não só poderia mudar sua vida, mas também mudar
sua igreja.