Você está na página 1de 31

Pós Graduação em Redes Convergentes e VoIP

Introdução à Telefonia

Sinalização por Canal Comum


e protocolos ISUP / ISUP-BR

Enock Cabral
Sumário

1) INTRODUÇÃO.................................................................................................................................. 3
1.1 OBJETIVOS:....................................................................................................................................... 4
1.2 O QUE É A SCC................................................................................................................................. 4
2) EVOLUÇÃO DA SCC ........................................................................................................................ 4
2.1 HISTÓRICO ....................................................................................................................................... 5
2.2 VANTAGENS DA SCC........................................................................................................................ 6
2.2.1 Vantagens da SCC – Velocidade .................................................................................................. 6
3) CARACTERÍSTICAS DA SCC.........................................................................................................10
3.1 SPC EM UMA REDE SCC ..................................................................................................................10
3.2 MODOS DE CONEXÃO SCC .............................................................................................................11
3.3 TIPOS DE SINALIZAÇÃO SCC ...........................................................................................................12
3.4 MODELO OSI X SS7.........................................................................................................................13
4) DESCRIÇÃO DO ISUP ....................................................................................................................14
5) ANÁLISE DE MENSAGENS SCC .................................................................................................15
4.1 FORMATO DE MENSAGENS SS7 - ISUP ............................................................................................17
4.1.1 Decodificação do Cabeçalho ..........................................................................................................22
4.1.2 Plano de Numeração (CNS, CRS e N. SP) ...................................................................................23
4.2 ANÁLISE DETALHADA DE MENSAGENS ISUP ...................................................................................27

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 2


1) Introdução

Este trabalho se encontra organizado em 4 capítulos, sendo o primeiro esta introdução,


que também contém os objetivos do trabalho. O segundo capítulo descreve o processo de
evolução da Sinalização por Canal Associado (CAS) até a Sinalização por Canal
Comum, permitindo a identificação de quais foram as vantagens conseguidas neste
processo de evolução.
No terceiro capítulo, são dadas informações sobre o funcionamento de uma rede SCC,
abordando o que são os Códigos de Ponto de Sinalização (SPC) em uma rede e quais são
os modos possíveis de sinalização, incluindo aqui a função de Ponto de Transferência de
Sinalização (PTS). Neste capítulo também são dadas noções iniciais do que são
mensagens em uma rede #7, e quais suas funções e serviços.
O quarto capítulo traz uma análise prática de mensagens de completamento de chamadas
em uma Rede SS7-ISUP, de forma a mostrar a interpretação do protocolo SCC com base
na especificação de sinalização Nro. 7 Q.763 – ITU-T.

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 3


1.1 Objetivos:
Prover um overview de:
 O que é a SCC;
 As vantagens da SCC;
 SPC (OPC/DPC) em uma rede de sinalização;
 Tipos de Sinalização SCC;
 Formato das Mensagens SCC;
 Análise prática de mensagens SCC.

1.2 O que é a SCC


• A Sinalização por Canal Comum (SCC ou CCS) é um conjunto de
protocolos criados para permitir a comunicação eficiente entre diferentes
equipamentos e tecnologias na área de Telecomunicações.

• Os protocolos presentes na SCC são diversos, e utilizados de acordo


com as necessidades de recursos em uma situação específica.

• Siglas usuais para “Sinalização por Canal Comum”


 SCC – Sinalização por Canal Comum
 CCS – Common Channel Signalling
 SSNro.7 – Sistema de Sinalização Número 7
 SCC#7 – Sinalização por Canal Comum Número 7
 SS7 – Abreviação para SSNro.7
 SS#7 – Abreviação para SCC#7

Obs: Estas siglas possuem o mesmo significado, apenas representando nomenclatura diferentes.

2) Evolução da SCC
Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 4
2.1 Histórico
CAS x CCS
Exemplos de protocolos de sinalização:

CAS
E+M Contínuo
Com Sinalização de Registro MFC-5B ou MFC-5C
E+M Pulsado
R2 Digital

CCS
TUP
ISUP
V5.2

MFC-5C - Composição dos códigos Multifrequenciais Compelidos


Utilizados para Sinalização de Registro

Sinais para Frente

Sinais para Trás

DTMF - Composição dos códigos Dial Tone Multifrequenciais


Utilizados para Discagem pelos aparelhos telefônicos

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 5


Inicialmente, e muito difundido a cerca de meio século, a sinalização entre
equipamentos para o estabelecimento de conexões se dava pelo processo de
interrupções de linha. Este processo ainda é utilizado na sinalização a partir de alguns
aparelhos decádicos, onde a composição dos códigos se faz através de pulsos à
freqüência de 10hz, sendo equivalentes a pulsos de interrupção de linha de 1 a 10. Os
pulsos de 1 a 9 interrupções são equivalentes aos dígitos de 1 a 9 respectivamente, e
10 pulsos de interrupção equivalem ao dígito 0. As interrupções de linha são feitas
por ciclos de 100ms, sendo 60ms de linha aberta (alta impedância) e 40ms equivalem
à linha conectada à baixa impedância do aparelho – aproximadamente da ordem de
600 Ohms.

2.2 Vantagens da SCC


• Rede Organizada, Controlada e Segura
• Viabilidade para Novos serviços
Exemplo:
• Apresentação do Nro. “A”;
• Solicitação de caminho Digital;
• Reencaminhamento de chamadas;
• Short message
• MWI – Message Waiting Indicator
• Independência entre Rede de Voz e Sinalização
• Velocidade

2.2.1 Vantagens da SCC – Velocidade

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 6


Exemplo parte de uma troca de sinais R2D com MFC-5C
15000 0129820 SEIZURE S 0000 1100 H'22 BTR2F-1505
15030 0000030 R 0000 1011 H'22 BTR2F-1505
15040 0000010 GROUP I 2 S 0000 0010 H'1 CSR5C-180
15050 0000010 SEIZURE ACKN. R 0000 1011 H'23 BTR2F-1505
15140 0000090 A1 R 0000 0001 H'1 CSR5C-180
15140 0000000 GROUP I 10 S 0000 1010 H'1 CSR5C-180
15300 0000160 A1 R 0000 0001 H'1 CSR5C-180

160 mseg para enviar um dígito na sinalização MFC-5C.

Exemplo de uma troca de sinais SS7-ISUP


SI CIC SP DEV
ISUP4BR 1 2-41 UPDN3-37

TIME MSG DIR DATA


09:34:58:8 IAM S 85 29 80 11 10 01 00 01 00 60
00 0A 03 02 08 06 83 10 49 07
40 08 0A 07 83 13 11 36 01 30
02 00

TIME MSG DIR DATA


09:34:58:9 ACM R 85 46 40 0A 10 01 00 06 16 04
00

TIME MSG DIR DATA


09:35:02:3 ANM R 85 46 40 0A 10 01 00 09 00

PCM30 -> E1 Características (tributário 2MBps = 2.097.152)


• 32 canais
• 1 canal = 64KBps (65.536Bps)
• 1 canal = 64KBps (65,536Bpms)
• 8.192 amostras de 8 bits em um segundo

Em comparação com os sinais MFC-5C, em 160mseg podem ser enviados


10.485 bits.
160mseg = 160ms * 65,536bpms = 10.485 bits
Em geral, uma mensagem para completamento de chamadas via ISUP
(IAM) possui não mais que 320 bits.

Significa que, o tempo de envio de um dígito em MFC-5C é


suficiente para enviar 30 mensagens completas de
estabelecimento de chamadas em SS7-ISUP.

10.485 / 320 = 32 mensagens de estabelecimento de chamadas

Estrutura de um E1
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31

Canal 0 – Sincronismo e alarmes


Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 7
Canal 16 – Sinalização em CAS
Canal 16 – Sinalização ou Voz em CCS

Exemplo de uma troca completa de sinal R2D com MFC-5C


15000 0129820 SEIZURE S 0000 1100 H'22 BTR2F-1505
15030 0000030 R 0000 1011 H'22 BTR2F-1505
15040 0000010 GROUP I 2 S 0000 0010 H'1 CSR5C-180
15050 0000010 SEIZURE ACKN. R 0000 1011 H'23 BTR2F-1505
15140 0000090 A1 R 0000 0001 H'1 CSR5C-180
15140 0000000 GROUP I 10 S 0000 1010 H'1 CSR5C-180
15300 0000160 A1 R 0000 0001 H'1 CSR5C-180
15300 0000000 GROUP I 10 S 0000 1010 H'1 CSR5C-180
15480 0000180 A1 R 0000 0001 H'1 CSR5C-180
15480 0000000 GROUP I 2 S 0000 0010 H'1 CSR5C-180
15650 0000170 A5 R 0000 0101 H'1 CSR5C-180
15650 0000000 GROUP II 1 S 0000 0001 H'5 CSR5C-180
15820 0000170 A5 R 0000 0101 H'5 CSR5C-180
15820 0000000 GROUP I 3 S 0000 0011 H'7 CSR5C-180
15990 0000170 A5 R 0000 0101 H'7 CSR5C-180
15990 0000000 GROUP I 4 S 0000 0100 H'7 CSR5C-180
16150 0000160 A5 R 0000 0101 H'7 CSR5C-180
16150 0000000 GROUP I 2 S 0000 0010 H'7 CSR5C-180
16320 0000170 A5 R 0000 0101 H'7 CSR5C-180
16320 0000000 GROUP I 3 S 0000 0011 H'7 CSR5C-180
16500 0000180 A5 R 0000 0101 H'7 CSR5C-180
16500 0000000 GROUP I 6 S 0000 0110 H'7 CSR5C-180
16660 0000160 A5 R 0000 0101 H'7 CSR5C-180
16660 0000000 GROUP I 8 S 0000 1000 H'7 CSR5C-180
16820 0000160 A5 R 0000 0101 H'7 CSR5C-180
16820 0000000 GROUP I 9 S 0000 1001 H'7 CSR5C-180
16990 0000170 A5 R 0000 0101 H'7 CSR5C-180
16990 0000000 GROUP I 2 S 0000 0010 H'7 CSR5C-180
17160 0000170 A5 R 0000 0101 H'7 CSR5C-180
17160 0000000 GROUP I 5 S 0000 0101 H'7 CSR5C-180
17330 0000170 A5 R 0000 0101 H'7 CSR5C-180
17330 0000000 GROUP I 15 S 0000 1111 H'1 CSR5C-180
17810 0000480 A3 R 0000 0011 H'1 CSR5C-180
17810 0000000 GROUP II 1 S 0000 0001 H'4 CSR5C-180
17990 0000180 B1 R 0000 0001 H'4 CSR5C-180
18140 0000150 R 0000 1011 H'26 BTR2F-1505
18330 0000190 R 0000 1010 H'26 BTR2F-1505
18350 0000020 ANSWER R 0000 1010 H'29 BTR2F-1505
48360 0030010 CLEAR FORWARD S 0000 1101 H'2E BTR2F-1505
48610 0000250 R 0000 1010 H'2F BTR2F-1505
49140 0000530 R 0000 1011 H'2F BTR2F-1505
49320 0000180 R 0000 1001 H'2F BTR2F-1505
49350 0000030 RELEASE GUARD R 0000 1001 H'20 BTR2F-1505
49350 0000000 IDLE S 0000 1101 H'20 BTR2F-1505

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 8


Exemplo de uma troca completa de mensagens SS7-ISUP

CIC SP
534 2-7103

TIME MSG DIR DATA


11:02:23:3 IAM S 85 BF 1B F0 66 16 02 01 00 48
00 0A 00 02 0C 0A 03 10 80 00
49 10 01 17 32 54 0A 07 03 13
43 23 65 92 78 00

TIME MSG DIR DATA


11:02:23:3 SAM S 85 BF 1B F0 66 16 02 02 02 00
02 00 50

TIME MSG DIR DATA


11:02:24:4 ACM R 85 C0 DB EF 66 16 02 06 02 04
01 12 02 8A 9F 00

TIME MSG DIR DATA


11:02:33:1 ANM R 85 C0 DB EF 66 16 02 09 01 11
02 06 04 00

TIME MSG DIR DATA


11:02:44:5 REL R 85 C0 DB EF 66 16 02 0C 02 00
02 8A 9F

TIME MSG DIR DATA


11:02:44:5 RLC S 85 BF 1B F0 66 16 02 10 00

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 9


3) Características da SCC
3.1 SPC em uma Rede SCC
O Código do Ponto de Sinalização (SPC) também é conhecido por sua abreviatura
Ponto de Sinalização (SP).

O SPC em uma rede SCC pode ser basicamente de dois tipos:

 OPC – Código do Ponto de Origem


 DPC – Código do Ponto de Destino

SPC=100 SPC=120
CIC=12
OPC DPC
A B

CIC OPC DPC


12 100 120
Rota de Voz
SPC Código do Ponto de Sinalização
Rota de Sinalização OPC Código do Ponto de Origem
DPC Código do Ponto de Destino
CIC Código de Identificação de Circuito

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 10


3.2 Modos de Conexão SCC

Os modos de sinalização possíveis para uma rede #7 são:

A) Modo Associado – Quando a Sinalização é feita diretamente entre OPC e DPC.

B) Modo Quase Associado – Quando a Sinalização entre OPC e DPC é feita via um
Ponto de Transferência de Sinalização (PTS ou STP).

Modo Associado
SPC=7105 SPC=7106

CIC=12
OPC A B DPC
C236 ULD

Rótulo
Rota de Voz 12 7105 7106

Rota de Sinalização SPC = Código do Ponto de Sinalização


OPC = Código do Ponto de Origem
DPC = Código do Ponto de Destino

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 11


Modo Quase Associado

SPC=7105 SPC=7106

OPC A CIC=12
B DPC
C236 ULD

SPC=7104

C Rótulo
12 7105 7106
Rota de Voz ULC
SPC = Código do Ponto de Sinalização
Rota de Sinalização OPC = Código do Ponto de Origem
DPC = Código do Ponto de Destino

3.3 Tipos de Sinalização SCC


Os protocolos SCC são vários, e a escolha de qual aplicar é feita conforme a
necessidade em questão, visto que possuem aplicações específicas.

A especificação da família SCC, feita pelo ITU-T, procurou suprir as


necessidades presentes no universo de telecom, onde se separam as
necessidades de entroncamento entre centrais públicas, entre centrais
públicas e uma hierarquia superior de Rede Inteligente, ou até mesmo entre
a central pública e um estágio de assinantes remoto.

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 12


Exemplos de protocolos SCC presentes na rede do
Brasil:
TUP: Entroncamento entre centrais
ISUP: Entroncamento entre centrais e serviços RDSI
ISUP-BR: Entroncamento entre centrais e serviços RDSI para o Brasil
V5.2: Entroncamento entre remoto e central mãe de diferentes
tecnologias, visto que é um protocolo aberto
IS41C: Telefonia móvel
INAP: Serviços de Rede Inteligente
INAP-BR: Serviços de Rede Inteligente para o Brasil
ISDN: Rede Digital de Serviços Integrados
Obs.: O protocolo utilizado entre central e um remoto também é SCC, mas proprietário quando
não utilizado V5.2.

3.4 Modelo OSI x SS7


Telefonia Rede RDSI Telefonia
Móvel Inteligente Níveis
Camadas do funcionais do
modelo OSI SS no 7

Subsistema de aplicação de
capacitação de transações
7 (TCAP)
Capacitação Subsistema Subsistema
de
de usuário de usuário
transações
(TC) para RDSI telefônico
Subsistema de serviço 4
6
intermediário (ISP) (ISUP) (TUP)

4
Subsistema de controle de conexões
de sinalização (SCCP)

3 Outros
usuários
de MTP
Redes 3
2 MTP Enlace 2
Dados
1 1

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 13


Camadas do SS7

N4-7 N4-7
NÍVEL DE APLICAÇÃO

N3 NÍVEL DE REDE N3

N2 NÍVEL DE ENLACE N2

N1 (NÍVEL FÍSICO)

4) Descrição do ISUP
Com a implantação de uma RDSI, podemos observar que não teremos mais um simples
aparelho telefônico instalado na residência de nossos usuários.

Passaremos a ter telefones inteligentes, fac-símiles mais rápidos, computadores, etc,


todos disputando o mesmo par de fios.

Conseqüentemente, esse acesso de usuário digital necessitará de um sistema de


sinalização com maior capacidade de transporte de informações.

Sabemos que a TUP praticamente somente digitalizou as sinalizações de linha e registro,


possuindo os mesmos sinais que estas, com uma maior velocidade de transferência de
informações.

O TUP é uma das partes físicas do protocolo de sinalização SS7 e compreende funções
de aplicação como: geração da informação, protocolo e linguagem, formato, codificação
e decodificação da informação, e encaminhamento.

Seria possível adaptar a TUP para transportar, por exemplo, informações usuário a
usuário, que nada representam para as centrais CPA-TS?

A resposta é sim. No entanto, contando com a estrutura modular do SSCC 7, optou-se


pela criação de um outro subsistema de usuário que além de suportar a aplicação atual de

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 14


telefonia, possuiria procedimentos para transferência de informações relativas a meios de
suporte, dados usuário a usuário, etc.

Surge então o Subsistema de Usuário RDSI – ISUP, que funcionalmente engloba as


funções da TUP e outras relativas a dados. Apesar de englobar a TUP, as duas não
podem ser interconectadas diretamente, sendo necessários procedimentos de
interfuncionamento entre TUP e ISUP.

O ISUP é o protocolo do sistema de sinalização nº 7 que proporciona as funções de


sinalização necessárias para os serviços de suporte básico, assim como para serviços
suplementares para aplicações de voz e não-voz em uma Rede Digital de Serviços
Integrados (RDSI).

O ISUP pode ser utilizado em redes telefônicas em substituição ao TUP, uma vez que o
mesmo engloba todas as funções executadas pelo TUP.

O procedimento para estabelecimento de chamadas é bastante similar aos do TUP,


apenas as mensagens do ISUP é que apresentam uma quantidade maior de informações,
naturalmente devido à sua utilização em uma RDSI.

5) Análise de mensagens SCC


A análise de mensagens do Sistema de Sinalização Nro 7 são feitas com base nas normas
respectivas a cada sinalização e previamente aprovadas pelo ITU-T. Nesta linha, para
considerações práticas deste curso, será tomada como exemplo a recomendação Q.763,
que define os formatos e códigos para o Subsistema de Usuário de ISDN (ISUP – ISDN
User Part).
Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 15
A escolha desta recomendação para os exemplos práticos deste curso teve como critério
o fato de que é a atual predominante nas conexões entre redes públicas no Brasil e
respondendo por mais de 85% de toda a rede de comutação nacional.

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 16


4.1 Formato de Mensagens SS7 - ISUP
Formato de uma Unidade de Sinal de Mensagem (MSU) para SCC-ISDN(ISUP):

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 17


SIO - Octeto de Informação de Serviço

F B
F CK SIF SIO LI I FSN I BSN F
B B

Campos:
F - Flag (0111 1110)
BSN - Número Sequencial para Trás
BIB - Bit Indicador para Trás solicitando retransmissão
FSN - Número Sequencial para Frente
FIB - Bit Indicador para Frente se é uma retransmissão
LI - Indicador de Comprimento
SIO - Octeto de Informação de Serviço
SIF - Campo de Informação de Sinalização
CK - Check-sum

Obs.: O Campo LI informa os diferentes tipos de Unidades de Sinalização (SU), que


podem ser: LI=0 ->FISU, LI=1 ->LSSU, LI>=2 ->MSU

FISU – Unidade de Sinalização de Preenchimento


LSSU – Unidade de Sinalização de Estado de Enlace

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 18


SIO - Octeto de Informação de Serviço

CAMPO DE INDICADOR
SUB-SERVIÇO DE SERVIÇO

D C B A D C B A (BITS)

Rede nacional + ISUP = H´85

Campo de Sub Serviço (SSF)


B A Reserva – Codificados como 00.
D C
0 0 Rede Internacional
0 1 Reservado para uso Internacional
1 0 Rede Nacional
1 1 Reservado para uso Nacional

Campo Indicador de Serviço (SI)


D C B A
0 0 0 0 Mensagem de Gerenciamento (MTP)
0 0 0 1 Mensagem de Manutenção e Teste (MTP)
0 0 1 0 Reserva
0 0 1 1 Subsistema de Controle de Conexão (SCCP)
0 1 0 0 Subsistema de Telefonia (TUP)
0 1 0 1 Usuário de RDSI (ISUP)
0 1 1 0 Subsistema de Dados (circuito e chamada)
0 1 1 1 Subsistema de Dados (registro e cancelamento de Facilidades)
1 0 0 0 a
1 1 1 1 Reserva

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 19


SIF - Campo de informação do sinal

Rótulo de ender. S
L OP C DPC
S
CIC

Código do tipo 4 14 14 (BITS)


de mensagem

Parte fixa
obrigatória

Parte variável
obrigatória
Parte
opcional

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 20


SIF - Campo de informação do sinal

Rótulo de ender.
CIC - Bit´s menos
significativos
CIC
Mais
RESERVA significativ.
Código do tipo
de mensagem
1 2 3 4 5 6 7 8
Parte fixa
obrigatória

Parte variável
obrigatória

Parte
opcional

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 21


4.1.1 Decodificação do Cabeçalho
O cabeçalho de uma mensagem SCC se encontra descrito na norma respectiva ao
protocolo. Para o exemplo de mensagens ISUP, pode ser encontrado em 2.2/Q.704 com
complemento em Q.763.

Initial Adress Message - IAM (SS7-ISUP)


(Mensagem de Endereçamento Inicial)

TIME MSG DIR DATA


11:52:07:8 IAM S 85 BF 1B F0 66 06 00 01 00 48
00 0A 00 02 09 07 03 10 80 00
43 00 10 0A 07 03 13 43 23 65
92 93 00

Cabeçalho na mensagem acima: 85 BF 1B F0 66 06 00


Para esta mensagem, tem-se:
SIO 85
Rótulo de endereço BF 1B F0 66
CIC 06 00
Obs: O Rótulo e o CIC são campos pertencentes ao SIF.

***********************************************************
• SIO = 85(h)
D C B A D C B A
1 0 0 0 0 1 0 1

SSF 1 0 0 0 (Rede Nacional)


SI 0 1 0 1 (Usuário de RDSI – ISUP)

• Rótulo de Endereço = BF 1B F0 66(h)


Em ordem de chegada tem-se: 66 F0 1B BF
0110 0110 1111 0000 0001 1011 1011 1111
SLS (4 bits) 0110
OPC (14 bits) 0110 1111 0000 00 7104(dec.)
DPC (14 bits) 01 1011 1011 1111 7103(dec.)

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 22


• CIC = 06 00(h)
Em ordem de chegada tem-se: 00 06
0000 0000 0000 0110
bits menos significativos (8) 0000 0110
bits mais significativos (4) 0000
reserva (4) 0000
CIC = 0000 0000 0110 6(dec.)

4.1.2 Plano de Numeração (CNS, CRS e N. SP)


Para a organização da rede nacional, a Telebrás adotou a divisão em acordo com
as 5 regiões do país. Nesta divisão, os 14 bits do Código do ponto de sinalização foram
divididos em:
Código Nacional de Sinalização (CNS) formado pelos 4 bits mais significativos;
Código Regional de Sinalização (CRS) formado pelos 4 bits seguintes;
Número do SP formado pelos 6 bits restantes.

Anteriormente à privatização e abertura de concorrência ocorrida em 1999, o


plano de numeração adotado pela Telebrás seguia o modelo abaixo.

PLANO DE NUMERAÇÃO ADOTADO PELA TELEBRAS

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 23


dcba dcba fedcba
DPC OU OPC = 2 - CNS CRS N. DO SP
nro. bits 4 4 6

Região de Campo Campo Quantidade


Sinalização CNS CRS de SP's Área de Abrangência
0 0 64 EMBRATEL
0 1 a 15 960 SÃO PAULO
SUDESTE 1 0 a 15 1024 SÃO PAULO
2 0 a 15 1024 SÃO PAULO
3 0 a 15 1024 SÃO PAULO
4 0 64 EMBRATEL
4 1 a 10 640 RIO DE JANEIRO
CENTRO- 4 11 a 14 256 ESPIRITO SANTO
NORDESTE 4 15 64 Reserva
5 0 a 13 896 BAHIA
5 14 e 15 128 SERGIPE
6 0 64 EMBRATEL
6 1 a 15 960 MINAS GERAIS
7 0a4 320 GOIÁS
7 5a7 192 MATO GROSSO
7 8 a 10 192 M. G. DO SUL
7 11 a 13 192 DISTRITO FEDERAL
CENTRO- 7 14 e 15 128 RONDÔNIA
NORTE 8 0e1 128 MARANHÃO
8 2a7 384 PARÁ
8 8 64 AMAPÁ
8 9 a 11 192 AMAZONAS
8 12 64 ACRE
8 13 64 RORAIMA
8 14 e 15 128 Reserva
9 0 64 EMBRATEL
9 1 a 15 960 PARANÁ
10 0a7 512 SANTA CATARINA
SUL
10 8 a 15 512 Reserva
11 0 a 14 960 R. GRANDE DO SUL
11 15 64 Reserva
12 0 64 EMBRATEL
12 1a9 576 CEARÁ
12 10 a 13 256 R. G. DO NORTE
12 14 a 15 128 PIAUÍ
NORDESTE
13 0a7 512 PERNAMBUCO
13 8 a 13 256 PARAÍBA
13 12 a 14 192 ALAGOAS
13 15 64 Reserva

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 24


SIF - Campo de informação do sinal

Rótulo de ender.

CIC

Código do tipo Código do tipo


de Mensagem de mensagem

Parte fixa
obrigatória 1 2 3 4 5 6 7 8 (BIT)

Parte variável
obrigatória

Parte
opcional

SIF - Campo de informação do sinal

Rótulo de ender .

CIC

Código do tipo
de mensagem Parâmetro A
obrigatório
Parte fixa
obrigatória :
Parâmetro F
Parte variável obrigatório
obrigatória

Parte
opcional

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 25


SIF - Campo de informação do sinal

Rótulo de ender.
Pointer do parâmetro I
CIC :
Código do tipo Pointer do parâmetro L
de mensagem Pointer início parte opcion.
Parte fixa Tamanho do parâmetro I
obrigatória Parâmetro I
Parte variável :
obrigatória Tamanho do parâmetro L
Parte Parâmetro L
opcional

SIF - Campo de informação do sinal


Rótulo de ender.
Nome do parâmetro = X
CIC
Tamanho do parâmetro X
Código do tipo Parâmetro X
de mensagem

Parte fixa :
obrigatória Nome do parâmetro = Z

Parte variável Tamanho do parâmetro Z


obrigatória Parâmetro Z
Parte Fim da parte opcional (h´00)
Opcional

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 26


4.2 Análise detalhada de mensagens
ISUP
Análise detalhada de uma mensagem de completamento de chamada
IAM (SS7-ISUP)

TIME MSG DIR DATA


11:52:07:8 IAM S 85 BF 1B F0 66 06 00 01 00 48
00 0A 00 02 09 07 03 10 80 00
43 00 10 0A 07 03 13 43 23 65
92 93 00

01 INITIAL ADDRESS MESSAGE -- 11:52:07.8 IAM snd --


NATURE OF CONNECTION INDICATORS
00 ......00 no satellite circuit in the connection
....00.. continuity check not required
...0.... outgoing half echo control device not included
000..... spare bits
FORWARD CALL INDICATORS
48 .......0 call to be treated as a national call
.....00. no end-to-end method available
....1... interworking encountered
...0.... no end-to-end information available
..0..... ISDN user part not used all the way
01...... ISDN user part not required all the way
00 .......0 originating access non-ISDN
.....00. no indication for SCCP method
00000... spare bits
CALLING PARTY'S CATEGORY
0A ordinary calling subscriber
TRANSMISSION MEDIUM REQUIREMENT
00 speech
02 POINTER TO CALLED PARTY NUMBER PARAMETER
09 POINTER TO OPTIONAL PART
CALLED PARTY NUMBER
07 length
03 .0000011 national (significant) number
0....... even number of address signals
10 ....0000 spare bits
.001.... ISDN (Telephony) numbering plan (Rec. E.164)
0....... routing to internal network number allowed
80 address signals: '0800340001'
00 43
00 10
0A CALLING PARTY NUMBER
07 length
03 .0000011 national (significant) number
0....... even number of address signals
13 ......11 network provided
....00.. presentation allowed
.001.... ISDN (Telephony) numbering plan (Rec. E.164)
0....... calling party number complete
43 address signals: '3432562939'
23 65
92 93
00 END OF OPTIONAL PARAMETERS

Análise detalhada de uma mensagem de endereçamento inicial


Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 27
IAM (SS7-ISUP) – Com parâmetros opcionais de reencaminhamento
TIME MSG DIR DATA
15:24:23:2 IAM S 85 C0 1B F8 26 02 00 01 00 20
00 0A 03 02 0B 09 01 90 1D 11
43 83 15 33 67 0A 07 03 13 43
83 15 33 67 13 01 01 0B 07 03
10 43 83 15 33 67 28 07 03 10
43 83 15 33 67 00
------------------------------------------------------------------------------
01 INITIAL ADDRESS MESSAGE -- 15:24:23.2 IAM snd --
NATURE OF CONNECTION INDICATORS
00 ......00 no satellite circuit in the connection
....00.. continuity check not required
...0.... outgoing half echo control device not included
000..... spare bits
FORWARD CALL INDICATORS
20 .......0 call to be treated as a national call
.....00. no end-to-end method available
....0... no interworking encountered (No.7 signalling all the way)
...0.... no end-to-end information available
..1..... ISDN user part used all the way
00...... ISDN user part preferred all the way
00 .......0 originating access non-ISDN
.....00. no indication for SCCP method
00000... spare bits
CALLING PARTY'S CATEGORY
0A ordinary calling subscriber
TRANSMISSION MEDIUM REQUIREMENT
03 3.1 kHz audio
02 POINTER TO CALLED PARTY NUMBER PARAMETER
0B POINTER TO OPTIONAL PART
CALLED PARTY NUMBER
09 length
01 .0000001 subscriber number
0....... even number of address signals
90 ....0000 spare bits
.001.... ISDN (Telephony) numbering plan (Rec. E.164)
1....... routing to internal network number not allowed
1D address signals: 'D1113438513376'
11 43 83 15 33 67
0A CALLING PARTY NUMBER
07 length
03 .0000011 national (significant) number
0....... even number of address signals
13 ......11 network provided
....00.. presentation allowed
.001.... ISDN (Telephony) numbering plan (Rec. E.164)
0....... calling party number complete
43 address signals: '3438513376'
83 15 33 67
13 REDIRECTION INFORMATION
01 length
01 .....001 call rerouted
....0... spare bit
0000.... original reason: unknown/not available
0B REDIRECTING NUMBER
07 length
03 .0000011 national (significant) number
0....... even number of address signals
10 ......00 spare bits
....00.. presentation allowed
.001.... ISDN (Telephony) numbering plan (Rec. E.164)
0....... spare bit
43 address signals: '3438513376'
83 15 33 67
28 ORIGINAL CALLED NUMBER
07 length
03 .0000011 national (significant) number
0....... even number of address signals
10 ......00 spare bits
....00.. presentation allowed
.001.... ISDN (Telephony) numbering plan (Rec. E.164)
0....... spare bit
43 address signals: '3438513376'
83 15
33 67
00 END OF OPTIONAL PARAMETERS

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 28


Análise detalhada de uma mensagem de completamento de chamada
REL (SS7-ISUP)

TIME MSG DIR DATA


11:02:44:5 REL R 85 C0 DB EF 66 16 02 0C 02 00
02 8A 9F

0C RELEASE MESSAGE -- 11:02:44.5 REL rcv --


02 POINTER TO CAUSE INDICATORS PARAMETER
00 POINTER TO OPTIONAL PART
CAUSE INDICATORS
02 length
8A ....1010 location: beyond an interworking point
...0.... spare bit
.00..... CCITT standard
1....... last octet
9F .0011111 #31, normal unspecified
1....... last octet

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 29


Q.767 - Cause Value
Class 000 and 001 — normal event:
0000001 (1) unallocated (unassigned) number
0000010 (2) , not used
0000011 (3) no route to destination
0000100 (4) send special information tone
0000101 (5) , not used
0010000 (16) normal call clearing
0010001 (17) user busy
0010010 (18) no user responding
0010011 (19) no answer from user (user alerted)
0010101 (21) call rejected
0010110 (22) number changed
0011011 (27) destination out of order
0011100 (28) address incomplete
0011101 (29) facility rejected
0011111 (31) normal unspecified
Class 010 — resource unavailable:
0100010 (34) no circuit available
0100110 (38) network out of order
0101001 (41) temporary failure
0101010 (42) switching equipment congestion
0101100 (44) requested channel not available
0101111 (47) resource unavailable — unspecified
Class 011 — service or option not available:
0110010 (50) , not used
0110111 (55) incoming calls barred within CUG
0111001 (57) bearer capability not authorized
0111010 (58) bearer capability not presently available
0111111 (63) service/option not available — unspecified
Class 100 — service or option not implemented:
1000001 (65) bearer capability not implemented
1000101 (69) , not used
1000110 (70) , not used
1001111 (79) service or option not implemented — unspecified
Class 101 — invalid mesage (e.g. parameter out of range):
1010111 (87) user not member of CUG
1011000 (88) incompatible destination
1011011 (91) , not used
1011111 (95) invalid message — unspecified
Class 110 — Protocol error (e.g. unknown message):
1100001 (97) not used
1100011 (99) , not used
1100110 (102) recovery on timer expiry
1100111 (103) , not used
1101111 (111) protocol error — unspecified
Class 111 — interworking:
1111111 (127) interworking unspecified

Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 30


Sinalização por Canal Comum e protocolos ISUP / ISUP-BR 31