Você está na página 1de 3

Mito e filosofia no pensamento grego

Introdução
A filosofia foi a primeira forma utilizada pelo homem para obter conhecimento de
um modo mais “sistemático”. Antes o homem já se utilizava do expediente da
razão, para a formação do saber, no entanto, de um modo mais primitivo, ou
seja, em um formato não tão metódico e estruturado, como foi observado a partir
dos pensadores gregos conhecidos por pré-socráticos. Nota-se nestes,
características peculiares até então sem precedentes na construção da
racionalidade1. A proposição acima se confirma de modo indubitável quando se
faz um exame dos primeiros poemas, bem como dos primeiros escritos dos
filósofos gregos2. Porém, desta leitura levantam-se algumas questões, que põe
em discursão se há uma ruptura entre o mito e a filosofia ou se os filósofos
gregos apenas aprimoraram a narrativa mítica? Posto o problema, iremos fazer
neste trabalho de modo introdutório, uma busca histórico-literária, exegética nos
poemas mitológicos e escritos dos primeiros filósofos, com o intuito de contribuir
para a mitigação do problema.

Mito suas características e delimitações

Para resolvermos o que foi proposto acima, iniciaremos pela procura do


conceito de mito e suas nuances. De acordo com a etimologia do termo em si,
mito pode ser entendido como “narrativa”, pois, esta é a tradução literal do termo
grego Mitos, já no pensamento moderno mito seria a ideia de uma narrativa
mítica do real pelas vias da linguagem simbólica ou lendária. Para o homem
antigo a narrativa mitológica era a forma que utilizava para interpretar o mundo
onde vivia, eram os óculos que os antigos enxergavam a realidade a sua volta.
Pode-se afirmar, que o mito foi o primeiro esforço interpretativo utilizado pelo
homem para a compreensão da origem do cosmo.

Tratando-se ainda das características do pensamento mítico entende-se,


que a perspectiva fantasiosa ou a linguagem simbólica para a explicação do real.
Quando se fala deste pontos deve-se entender não de modo anacrônico3, onde
fantasia ou simbolismo está no campo do não real e verdadeiro para alguns,
mas, o mecanismo pelo qual o homem explicava os fenômenos da natureza e

1
Sabe-se do caráter discutível de tal afirmação
2
Consultar obras
3
“Contrário ao que é moderno; que é antiquado; retrógrado: pensamento anacrônico.” Ver,
https://www.dicio.com.br/anacronico
da vida.4 Torna-se mais claro as afirmações dadas acima quando analisamos as
palavras do professor Battista Mondim que afirmou: Sob o véu da fantasia, há
nessas respostas procura autêntica das “causas primeiras” do mundo.5

Filosofia suas características e delimitações

A filosofia surge do espanto do homem para com o que estava ao seu


redor, ela busca respostas para a natureza e a vida. Quer entender como tudo e
todos os seres vieram a existir. A partir das proposições acima, percebe-se que
a filosofia tinha na sua agenda as mesmas preocupações do mito, porém, as
respostas dadas aos questionamentos, é feito por uma via diferente, ou seja, a
filosofia trará respostas pela via do pensamento lógico e metodológico. Os
filósofos foram pioneiros na arte de buscar respostas para a origem de tudo,
usando a razão, isto faz deles os primeiros a fundamentarem a resposta para a
causa de primeira, não nos deuses, mas, em algum aspecto e substância natural.
De fato, eles podem ser classificados como os iniciantes da sistematização do
conhecimento científico. Algumas das perguntas feitas naquele período, ainda
permanecem sem respostas, bem como algumas das respostas, ainda são
verdadeiras pérolas do conhecimento científico.

O espírito crítico e racionalidade dos filósofos podem ser destacados


como principal característica e diferença entre mito e filosofia. Os filósofos
estabeleciam método e princípios, cujo o valor era previamente fundamentado
para só daí estruturar suas respostas.

Semelhanças e dessemelhanças entre Mito e Filosofia

Considerações finais

Partindo do que foi dito acima, estudar filosofia significa de modo primário
estabelecer o conhecimento na razão, fundamentar o saber dentro de uma

4
Ver para este tópico, pensadores como (Eliade) na história das religiões, no campo da psicologia
(Freud), da filosofia (Heidegger) e por fim, no campo da teologia (Bultmann). Esses autores nos seus
respectivos campos de pesquisas, passaram a destacar o carácter de mito-verdade, onde o mito passa
ser visto do ponto de vista metodológico para o conhecimento da verdade no período histórico da
antiguidade.
5
Mondim, Battista. Curso de Filosofia, Vl 1, ed. Paulus, 18ª reimpressão, 2018.
lógica, bem como estruturar os argumentos numa racionalidade. Estudar filosofia
é compreender o todo.