Você está na página 1de 2

Meditando com as 4

direçõesMeditando com
as 4 direções
Começamos virando para o Leste – Invocamos a Wabun, o leste é o
centro de iluminação onde habita a águia, que voa mais alto e tem
uma visão aguçada. É representado pela cor amarela que representa,
o nascer do sol, a primavera, o nascimento, um novo início, a
iluminação. O leste é onde o Avô Sol nos sauda a cada manhã. Seu
elemento é o Fogo, procure conectar-se com ele, pedindo clareza
para enxergar uma situação, clarear um relacionamento, definir um
novo projeto de vida, e fortalecer a sua autoconfiança.

Olhando para o Sul, invocamos Shawnodese, o sul é onde mora a


criança interior e também representa o lugar onde começa a vida
física. É representado pela cor vermelha que representa a
culminância do Sol, o meio-dia, o verão, o crescimento, o vigor
físico, a inocência e o frescor da infância, os sentimentos, a alegria,
a paixão. Os animais sagrados são: o camundongo (que vê as coisas
de perto e sente tudo pelo toque), o coiote (o trapaceiro, usando as
armadilhas das emoções para ensinar) e o sapo (purificação). Seu
elemento é a Água, procure entrar em contato com ela ouvindo uma
fita de tambor com o ritmo do coração, perto de um lago ou num
campo aberto e verde. Perceba suas emoções, identifique as feridas,
conecte-se com sua criança interior. Reavalie os seus
comportamentos, considerando como evitar cair em novas
armadilhas, mas sem perder a confiança em si e no mundo.

No Oeste, invocamos Mudjekeewis, o oeste é morada do Urso


dentro da Roda Sagrada. É representado pela cor preta que
representa o por do Sol, o outono, o silêncio, o repouso, a
introspecção e contemplação, a oração para conseguir a cura e
transformação, os desafios da idade adulta, o contato com os
espíritos ancestrais, a força e a regeneração através da Mãe Terra. A
Terra é o seu elemento, procure conectar-se com ela caminhando
pelo bosque com os pés descalços ao cair da tarde.

Virando para o Norte, suplicamos a Waboose a sabedoria do norte,


que é o local sagrado dos ancestrais. É representada pela cor branca,
que representa o branco da neve no inverno, o silêncio das
montanhas, as sabedorias dos anciões, a capacidade de aprender
através das experiências, a busca de novos conhecimentos, abertura
de novos horizontes, libertando-se dos padrões mentais dogmáticos
ou ultrapassados, aprendendo a pensar, analisar, sintentizar,
compreender, organizar e lembrar. Os animais sagrados são o
búfalo (representando a abundância), a coruja (a sabedoria) e a
borboleta (renascimento). Seu elemento é o Ar, que nos ajuda a
descobrir a sabedoria dos longínquos antepassados e a estabelecer
um elo de ligação com o divino. Procure sentir o ar, imaginando-se
no alto de uma montanha com ventos fortes e nuvens correndo ao
seu lado, não esqueça de agradecer aos antepassados através de
oração, pelo legado de conhecimento que eles deixaram para nós, os
seus descendentes.

Volte-se novamente para o Leste. Você completou o círculo da


Roda Sagrada. Aonde você se encontra agora, você tem a
habilidade para escolher e tomar decisões dentro de sua própria
vida. Você é merecedor, porque você é uma criança do universo,
como todas as coisas. Olhe para baixo em direção a Mãe Terra e a
chame para ajudar você a entrar em equilíbrio e harmonia com
todas as coisas. Agora olhe para o Pai Céu e o chame para guiá-lo e
o ajudar nesta conexão. Agora honre a direção de dentro, onde mora
seu coração. Escute seu coração. Ele o guiará no seu caminho, se
você escolher escutá-lo.

A partir deste ponto, você pode escolher meditar em alguma


direção, dançar seus animais para achar seu poder pessoal ou
reconhecer uma necessidade a ser cumprida. Este é um ponto
perfeito para realizar um ritual ou uma cerimônia. No centro do
círculo, todas as coisas são possíveis; nós só estamos limitados
pelas limitações que nós colocamos na nossa vida.

Ao término de seu trabalho, chame as direções, no sentido anti-


horário, honre-as por tudo que lhe foi dado para ajuda-lo a devolver
a consciência normal. Lembre-se das lições que você aprendeu
dentro da Roda Sagrada, porque elas também são verdadeiras fora
da Roda, entretanto às vezes é difícil perceber isto. Você sempre
está conectado com todas as coisas na Roda Sagrada. Como Águia
do Coração Leve, meu mestre que me iniciou no xamanismo, disse:
"A Roda Sagrada está aberta, contudo nunca quebrada. Ho!"