Você está na página 1de 21

SUMÁRIO

02
INTRODUÇÃO

05
MIOPIA DA FELICIDADE

07
A ESCALA DA PLENITUDE

13
NÃO TERCEIRE SUA FELICIDADE

15
CONCLUSÃO

FRANK
TYGER
Fazer o que você gosta é liberdade.
Gostar do que você faz é felicidade.

01
INTRODUÇÃO
“Frustração e perspectivas das pessoas com 30
anos”, foi a pesquisa realizada por Denis Gia-
cometti. Ele entrevistou 1.200 jovens de 30 anos
nos estados de SP, Rio, Recife e Porto Alegre.
E o resultado foi que:

52%
estão frustrados com a
67%
veem o negócio próprio
carreira; como um sonho de
liberdade.

62%
dos jovens estão frus-
trados com a vida que
têm;

“...FALTA DE AUTOCONHECIMENTO
APROFUNDADO”, FOI A CONCLUSÃO DE
GIACOMETTI, PARA O QUE OS NÚMEROS
INDICAM.

02
Autoconhecimento aprofundado tem mais a
ver com a natureza, virtudes e limitações do
que com a realização dos objetivos.

Insatisfação constante em relação ao que se


espera de si, do outro e da vida é o que per-
cebemos, em mais de 11 anos de atuação no
desenvolvimento de pessoas, que está no
centro de toda desilusão. Isso gera expectativas
elevadas frustradas e não tem a ver com a
pessoa ser bem-sucedida ou não, porque en-
contramos muitas pessoas bem-sucedidas fi-
nanceiramente, mas infelizes. Isso aconteceu
porque elas seguiram um script do que acredi-
tavam ser felicidade: ter uma casa, um carro,
ter sucesso profissional, ter, ter, ter. Após con-
quistarem o que queriam, começaram a ques-
tionar: Cadê a felicidade? Ela não veio junto
com tudo o que conquistei!
Já vimos pessoas que mudaram a forma de
olhar para o que é felicidade! Conhecemos
outras pessoas que estão amortecidas na
bebida, sexo, drogas, excesso de trabalho...
MÍOPES.
E você? Em que momento está? A imagem
que vem à mente é de uma montanha a ser
escalada, as pessoas em
níveis diferentes; uns na base
olhando e não acreditando
que é possível subir; outros
EM QUE MOMENTO ESTÁ?
no meio da subida cansados;
e poucos no topo comemorando a chegada.

03
EU LHE PERGUNTO:

EM QUE
PARTE DA
ESCALADA
VOCÊ ESTÁ?

ESTÁ SATISFEITO?
04
MIOPIA DA FELICIDADE
Felicidade é tema que está em muitos livros,
textos, artigos e conversas. Cada um de nós dá
o seu próprio significado sobre o que é a Felici-
dade. Qual é o seu?

O QUE É ENTÃO A
MIOPIA DA FELICIDADE?
VAMOS EXPLICAR:

Atendemos mais de três mil


pessoas em Brasília de diver-
sas formações, idade, cultura,
nível social, estado civil. Todas
em algum momento insatis-
feitas consigo, com o trabalho,
com a vida ou com o relacionamento. Nosso
trabalho tem sido a correção do foco dessas
pessoas. Pois percebemos muitas expectativas
frustradas sobre o que mereciam receber, ter e
conquistar.
A correção do foco se dá por meio do auto-
conhecimento.

05
HÁ DOIS GRUPOS DE PESSOAS:

GRUPO 1

O PRIMEIRO É O DAS QUE


COLOCAM A RESPONSABILI-
DADE DO QUE ACONTECE À
ELAS NO OUTRO.

GRUPO 2

O SEGUNDO GRUPO É O
DAQUELAS PESSOAS QUE AL-
MEJAM A AUTOSSUFICIÊNCIA
PARA NÃO DEPENDER DE
MAIS NINGUÉM.
Em qual grupo você está?
Agora imagina a sua felicidade depender do
outro? Seria possível viver sozinho no mundo?

06
O autoconhecimento proporciona reconhecer
sua história, crenças, características e limitações.
Assim você terá mais domínio sobre o que
fazer com os acontecimentos à sua volta. Sem
miopia.

Autoconhecimento, é o que permite você


avaliar o que é realmente importante e valioso
para você. Somente com autoconhecimento se
pode descobrir qual é o seu verdadeiro
propósito de vida.

07
ESCALA DA PLENITUDE
Estudos feitos em diferentes áreas dedicadas
à psiquê trazem explicações variadas para o
funcionamento do comportamento humano, e
em todas elas o “ser” é tido como base da
nossa estrutura emocional que gera comporta-
mentos; ele também é chamado de “identi-
dade” para a Programação Neurolinguística, já
para o Eneagrama é conhecido como “essência
dos eneatipos; “personalidade” para a Psicolo-
gia, e assim com tantas outras correntes.

A “identidade” ou o “ser” é então o lugar


onde se assentam nossos pensamentos e se
originam os nossos comportamentos. Quanto
mais entender a própria identidade, menos
REATIVO o comportamento, mais controle
sobre os sentimentos e ações.

SOU

POSSO
FAÇO
TENHO

08
AS QUATRO DIMENSÕES DO “SER”

Partindo do princípio de que o maior ou


menor grau de conhecimento da “identidade”
influenciará o comportamento apresentamos as
quatro dimensões do ser na primeira pessoa:

TENHO

FAÇO

POSSO

SOU

09
SOU

POSSO
FAÇO
TENHO

SOU
- Essa dimensão foi “construída” na infância
até os 12 ou 13 anos de idade. No entanto, lá
naquele tempo, a criança não possuía ex-
periência suficiente para elaborar o que estava
vivendo e aprendeu do jeito que podia, sem
critérios. Agora na fase adulta é importante pe-
neirar tudo isso para ficar com o que é bom.
Mas enquanto não peneiramos continuaremos
trazendo os aprendizados desnecessários ou
negativos sobre nós, as pessoas e o mundo.

POSSO
- Essa dimensão é liberada pela dimensão
anterior, a do “ser”. Eu posso aquilo que eu
me permito, aquilo que acredito que sou.

FAÇO
- Nessa dimensão eu só faço, só realizo
aquilo que eu posso. O fazer é uma conse-
quência da capacidade.

TENHO
- Numa área mais superficial das dimensões
está o “ter”.
10
SOU

POSSO
FAÇO
TENHO

A miopia da felicidade está em inverter a


ordem dessas dimensões, e isso acontece
quando não se conhece, não se entende o
próprio “eu”. É inegociável o autoconhecimento
para poder colocar as dimensões do ser em
ordem de forma que favoreça as melhores es-
colhas, comportamentos ou ações. Quando
não se tem o conhecimento e domínio de si
mesmo a ordem das dimensões fica assim:

TENHO
– Valorizo o ter em primeiro lugar, porque
não reconheço o valor do que sou, por não
estar seguro de mim mesmo. Procuro ter
coisas que façam com que as pessoas e o
mundo me aceite, por aquilo que tenho. Essa
dimensão assim é insaciável e o consumismo
se manifesta e domina, além de ser superficial.

FAÇO
- Depois de acumular tanta aparência com o
ter vazio, passo a fazer o que não faria natural-
mente, para chamar a atenção, para ganhar
adesões; mas depois de conseguir o que
queria, passo a deixar de fazer. É quando vem

11
as decepções por parte das pessoas que se
aproximaram pensando que eu era aquilo que
eu mostrava e fazia.

POSSO
– Com tanta distorção da minha própria
imagem, acabo acreditando que quem pode
por mim é minha capacidade de comprar e
simular. Perco a minha referência pessoal de
poder e a verdadeira noção daquilo que eu sou
capaz (não o dinheiro ou outra coisa qualquer).
Nessa dimensão confusa, eu posso poucas
coisas. Mas meu dinheiro pode por mim, meu
_status_ pode por mim, minha autoridade
manda por mim. Eu posso pouco, cada vez
menos.
SOU
– Eu não me vejo mais como alguém forte,
corajoso, capaz, competente, seguro. Não me
vejo como realmente sou, mas como uma
máscara, uma fantasia mal feita de mim
mesmo.

Aqui é onde mora a Miopia da Felicidade.


Me agarro às aparências por não reconhecer
minha essência.

12
O caminho então é o AUTOCONHECIMEN-
TO, uma descoberta de quem sou eu e como
foi feita a minha história. Aí posso alinhar quem
SOU com o que POSSO. Feito isso eu FAÇO
o que faço não pra agradar, e não TENHO
mais do que o necessário para ser feliz.

13
A PERGUNTA DE 1 MILHÃO DE DÓLARES:
QUEM VERDADEIRAMENTE
É VOCÊ?
CONSEGUE
RESPONDER?

14
NÃO TERCEIRIZE SUA
FELICIDADE
“Não é o que o mundo diz que você é que
vai torna-lo feliz. É aquilo que você constrói
mentalmente”. Leandro Karnal

Qual a construção da felicidade que você


tem mentalmente?
O autoconhecimento proporciona entender e
reconhecer “o como” as experiências que vive-
mos trazem significados que influenciam, hoje,
minhas escolhas, meus comportamentos,
minha vida.

Faça uma linha do tempo e coloque as ex-


periências significativas da sua vida, seja de
uma forma positiva ou negativa, e reflita o que
essas experiências impactaram a sua vida.

Já tivemos clientes que a separação dos pais


trouxe insegurança e isso fazia que com que
pensasse em tudo que podia dar de errado,
para se preparar para as surpresas. Isso gastava
muito tempo e inibia a execução de ações.
Com outras pessoas a separação trouxe um
senso de responsabilidade e de solidão por
acreditar que não podiam mais contar com os
pais, isso os levou a aprender a ser forte, a im-
pedir que as pessoas chegassem perto e
vissem a sua fragilidade escondida dentro de
uma armadura forte.

15
QUAIS
EXPERIÊNCIAS
INFLUENCIARAM
A SUA VIDA?

16
CONCLUSÃO
Consciência é o primeiro passo do processo
de mudança. Por isso a importância em saber
quem se é. Isso vai lhe levar a reconhecer carac-
terísticas positivas e negativas da sua personali-
dade, além de expandir você a usar melhor os
seus recursos. O autoconhecimento vai levar
você a reconhecer o que é seu e o que é do
outro, devolvendo o poder sobre a sua vida e
sobre as suas escolhas.


Somos os únicos animais que
somos mortais porque sabemos
que vamos morrer.
- Mário Cortella

Então o que você quer fazer da sua vida en-


quanto a morte não vem?

17
CONHEÇA
SOBRE A EQSM
DESENVOLVIMENTO HUMANO

EQSM EQSM
@empresaEQSM euquerosermelhor
QUEM
SOMOS
EQSM significa Eu Quero Ser Melhor. É, ao
mesmo tempo, um lema e um nome. Com uma
equipe especializada em várias áreas do saber,
como Psicologia, Psicanálise, Programação
Neurolinguística, Eneagrama, Coaching, Con-
stelação Sistêmica e outras, a EQSM oferece
treinamentos de desenvolvimento humano,
cursos e atendimentos que levam o participante
a ser o autor de sua própria vida, seguro e
capaz de realizar seus melhores sonhos e dese-
jos, seja na vida pessoal ou profissional.

CONHEÇA
MAIS!