Você está na página 1de 56

NEMA11PR © Porto Editora

Unidade 3 Sucessões

Pág. 7

Pág. 7

Pág. 8

Pág. 8

1.1. Conjunto dos majorantes de A: [ 5,+ ∞ [ .

Conjunto dos minorantes de A:

O conjunto A é limitado pois é majorado e minorado.

 

−∞ ,

3
3

 

.

1.2. Conjunto dos majorantes de A: [ 9,+ ∞ [ .

Conjunto dos minorantes de A: ] −∞ ,π ] .

O conjunto A é limitado pois é majorado e minorado.

1.3. Conjunto dos majorantes de A: [ 4,+ ∞ [ .

Não existem minorantes.

O conjunto A não é minorado. Logo, A não é limitado.

1.4. Conjunto dos majorantes de A: [ 5,+ ∞ [ .

Conjunto dos minorantes de A: ] −∞ ,1 ] .

O conjunto A é limitado pois é majorado e minorado.

1.5. Não existem majorantes.

Conjunto dos minorantes de A: ] − ∞ ,0 ] .

O conjunto A não é majorado. Logo, A não é limitado.

1.6. Não existem majorantes.

Não existem minorantes.

O conjunto A não é minorado nem majorado. Logo, A não é

limitado.

2.1.

x

+

4

2

< ⇔

x

42

+ <

x

+ >− ⇔ xx <− ∧

4

2

2

>−

Então, A =−]

O conjunto A é limitado porque é majorado e minorado.

Conjunto dos majorantes:

Conjunto dos minorantes:

6,2[ .

[ 2,+∞ [ .

] −∞ ,6 ] .

2.2. 2

x

5

3

2

xx

53

− ≤

x

Então, B =[ 5,+∞ [ .

⇔− x ≤ ⇔ x ≥−

5

5

.

6

O conjunto B não é limitado porque não é majorado.

4.1. A B =−{ 1,0,1}∪−[ 3, 0 [ =−[ 3, 0 ]{1}.

Conjunto dos majorantes de A B : [ 1,+ ∞ [ .

1 é o menor dos majorantes do conjunto A B e pertence a

A B , logo 1 é o máximo do conjunto A B .

Conjunto dos minorantes de A B : ] −∞ ,3 ]

.

3 é o maior dos minorantes do conjunto A B e pertence a

A B , logo 3 é o mínimo do conjunto A B .

4.2.

12

x < 0 ⇔− xx<− ⇔ >

2

1

1

2

Então,

C =

B

[

C = −

1

2

,

3,0

  .

1

+∞

[

 

2

,

 

+∞ = − +∞

[

3,

[

O conjunto B C não tem majorantes, logo não tem máximo.

Conjunto dos minorantes de B C : ] −∞ ,3 ] .

3 é o maior dos minorantes do conjunto B C

e pertence a

B C

, logo 3 é o mínimo do conjunto B C .

4.3.

A

{

C = −

1,0,1

}

 

1

2

,

+∞   = − 

{

1,0

}

 

1

2

,

+∞

 

O conjunto A C

Conjunto dos minorantes de A C : ] −∞ ,1 ] .

não tem majorantes, logo não tem máximo.

1 é o maior dos minorantes do conjunto A C e pertence a

. A C , logo 1 é o mínimo do conjunto A C .

4.4. A B =−{ 1,0,1}∩−[ 3, 0 [ =−{ 1}

Conjunto dos majorantes de A B : [ 1,+∞ [

.

1 é o menor dos majorantes do conjunto A B e pertence a

A B , logo 1 é o máximo do conjunto A B .

Conjunto dos minorantes de A B : ] −∞ ,1 ] .

1 é o maior dos minorantes do conjunto A B e pertence a

A B , logo 1 é o mínimo do conjunto A B .

Pág. 9

Pág. 9

2.3. CAB= ∩ = ] 6,2[[ 5, +∞ [ =[ 5, 2[ .

.

Conjunto dos majorantes de C: [ 2,+∞ [

Conjunto dos minorantes de C: ] −∞ ,5 ] .

3.

x

3

+ x

2

= 6x x + x 6x =⇔0 xx +−x 6 = 0

3

2

(

2

)

⇔= ∨ +−=⇔= ∨ =

x

xx

x

x

0

2

60

0

xxx= 02∨ = ∨ =−3

−± + 1 1 24
−± +
1
1
24

2

Então, A ={3, 0, 2}.

Conjunto dos majorantes de A:

Conjunto dos minorantes de A:

Conjunto de todos os números reais que não são minorantes nem majorantes de A: ] 3,2 [ .

[ 2,+ ∞ [

.

] −∞ ,3 ] .

5.1. Analisando a figura conclui-se que (

números ímpares, então

é a sucessão dos

=×−=231 5 e =×−=2 8 1 15 .

)

u

n

u

8

u

3

n

1 2

3

4

8

u

n

1 3

5

7

15

5.2. O termo geral da sucessão (

u

n

)

é

u

n

= 2

n

1

.

Pág. 11

Pág. 11

6.1. Atendendo à lei de formação das figuras, sabe-se que:

u

3

u

5

=

u

2

=

u

4

+=+=3 7 3 10 ; u = u +=3 10 +=3 13 ;

4

3

+=3 13 +=3 16 e u = 3 n+ 1

n

.

n

1

2

3

4

5

n

u

n

4

7

10

13

16

3n + 1

106

NEMA11PR © Porto Editora

6.2.

u

40

3 40 +=1 121

Na 40.ª figura são utilizados 121 fósforos.

6.3.

un= ⇔ += ⇔n=

n

254

3

1

254

253

3

Como 253

3

N conclui-se que não existe nenhuma figura da

∉ N conclui-se que não existe nenhuma figura da

sequência que seja construída com exatamente 254 fósforos.

6.4.

214

u< ⇔ n+< ⇔nn< ⇔ <

n

3

215

3

1

215

71,

(

3

)

Como n N , conclui-se que n 71 .

Qualquer uma das 71 primeiras figuras da sequência é construída com menos de 215 fósforos.

Tarefa 1da sequência é construída com menos de 215 fósforos. 1.1. =×+3 1 8 = 11 ;

1.1. =×+3 1 8 = 11 ; u =×+3 2 8 = 14 ; u
1.1.
=×+3 1 8 = 11 ; u =×+3 2 8 = 14 ; u =×+3 3 8 = 17 .
u 1
2
3
2
2
2
= 1 − 4×1 =−3; v = 2 −4×2 =−4; v = 3 − 4×3 =−3.
v 1
2
3
37
1.2.
un= ⇔ += ⇔=n
45
3
8
45
n
3
Como 37
∉ N conclui-se que 45 não é termo da sucessão (
u
)
.
n
3
2
2
1.3. v
=⇔−=⇔−−=nn
45
4
45
nn
4
45
0
n
4
± 16
+
1804
n =
⇔ n = ∨ n =−
9
5
2
Como n ∈ N , conclui-se que n = 9 .
Então, 45 é o termo de ordem 9 da sucessão (
v
) .
n

1.4.

vu= ⇔nnn= +⇔nn−=

n

n

2

4

3

8

2

7

80

⇔ =

n

7 ± 49 + 32
7
±
49
+
32

2

8

n = ∨ n =−

1

Como n N , conclui-se que n = 8 . Existe um termo comum às duas sucessões, o termo de ordem 8.

2.1.

t

10

=

10

×

(

10

+

1

)

2

=

55

A figura de ordem 10 tem 55 pontos.

2.2.

t

n

80

= ⇔

(

nn +

1

)

2

= ⇔ +−

n

n

80

2

160

=

0

−± + 1 1 640
−± +
1
1
640

⇔ =

n n

⇔ ≈

2

12,16

n

∨ ≈−

13,16

Como n N , conclui-se que não existe nenhuma figura com

exatamente 80 pontos.

t

n

=

105

(

nn +

1

)

2

=

105

2

n +− n

210

⇔ =

n

−± + 1 1 840
−± +
1
1
840

2

n =

15

n =−

14

=

0

Como n N , conclui-se

A figura de ordem 15 tem exatamente 105 pontos.

que

n = 15 .

2.3.

t

n

<

200

(

nn +

1

)

2

<

200

2

n +− n

400

<

0

Sucessões

Cálculos auxiliares:

2 n +− n 400 = 0 −± 1 1 + 1600 ⇔ n =
2
n +− n
400
=
0
−± 1 1 +
1600
⇔ n =
2
⇔ ≈
n
19,5
∨ ≈−
n
20,5
1 + 1600 ⇔ n = 2 ⇔ ≈ n 19,5 ∨ ≈− n 20,5 Então,

Então, tem-se:

t

n

<

200

2

nN nn+− <∧nN ⇔≤n nN

400

0

19

A sucessão tem 19 termos com valor inferior a 200.

3.1.

w

n

<

2,4

n < 5,(6)

3

n

1

n + 1

<

2,4

3 −< 1

nn

2,4

+

2,4

0,6

n

<

3,4

Assim sendo, o termo de maior ordem que é inferior a 2,4

é 5.° termo.

 

3

× 5

1

14

7

Ora,

w =

=

=

5

+

51

 

6

3

.

3.2.

w

n

>

2,75

3

n

1

>

2,75

3 −> 1

n

2,75

n

+

2,75

 

n

+ 1

 

0,25n > 3,75 ⇔>n

15

Assim sendo, o termo de menor ordem que é maior que 2,75 é

16.° termo.

 

3

×

16

1

47

Ora,

w =

=

3.3.

16

16

+ 1

.

17

13

14

www> ∧ <⇔> 2,6 w <

n

n

n

n

5

5

31 n

>∧ 2,6

31 n

<

2,8

n

+

1

n

+

1

2,8

3n −>1

2,6n + 2,6 3n −>1

2,8n + 2,8 nn> 9

< 19 .

A sucessão tem 9 termos (desde o 10.° até ao 18.°) superiores a

tem 9 termos (desde o 10. ° até ao 18. ° ) superiores a 13 e

13

e inferiores a 14

.

5

5

Pág. 12

 

7.1.

Sejam m, p N

tais que

p > m .

pm> ⇔ p> mp−> m−⇔v >v

p

5

5

5

85

8

7.2. A sucessão ( ) é crescente porque

v

n

mp, N , p>⇒m v >v

p

m

.

8.1.

3

a=u= = 3

1

1

8.2. =⇔ =⇔= 9

u

b

3

b

3

b

1

31

8.3.

∀∈n N , nn+ 1

>

⇔∀ ∈

n

⇔∀ ∈

n

N

N

,

,

⇔∀ ∈ N ,

n

1 1

<

n

+

3

1

n

3

<

1

+

n

uu + <

n

1

n

n

m

107

Unidade 3

12.2. Pelo facto de uuu> 123 > , não se pode concluir que a Pág.
12.2. Pelo facto de
uuu> 123 >
, não se pode concluir que a
Pág. 13
sucessão (
u
) é decrescente.
n
4
4
4
4
−+ +
444
n
n
9.
u − u =−
− − =−
+
=
Tal só acontece se
∀∈ N ,
n
uu + − <
0
.
n + 1
n
n
+
1
 
n
 
n
+
1
n
(
nn
+
1
)
n
1
n
2
Ora,
uun − =
(
2
+
1
)( )
8
n
+ +−
15
(
nn − 8
+
5
)
4
n + 1
n
=
(
2
2
n + 1 n
)
=nn+2 +−18n−+−85 nn+8 −=52n−7 .
Se
n ≤ 3 ,
− u
< 0
.
O
denominador é positivo, qualquer que seja o valor de n, e o
u n + 1
n
numerador também é positivo.
Se
n ≥ 4 ,
− u
> 0
.
u n + 1
n
Então,
∀∈ N
n
,
uu + − >
0
,
ou seja,
∀∈ N ,
n
uu + >
.
n
1
n
n
1
n
Então, conclui-se que (
u
)
é não monótona.
n
A
sucessão (
u
)
é
crescente.
n
vv −
= −
23
(
n
+
1
)
(
23
n
)
= −
23
n
323
− +
n
=−
3
Pág. 14
n + 1
n
Então,
∀∈ N ,
n
vv + − <
0
,
ou seja,
∀∈ N ,
n
vv + <
.
n
1
n
n
1
n
44 l
4
4
13.1.
ll
=
4 ,
=
,
=
,
l
=
,
,
l
=
A
sucessão (
v
)
é
decrescente.
12
3
2
4
3
n
− 1
n
2
22
n 2
42
2 1
10.1.
l n =
=
=
NEMA11PR © Porto Editora
nnn − −
113 −
222
2
(
n + +
11
)
2
n +
3
a) a
=
=
1
2 1
11
n
+
1
2 
n
+
1
n
+
1
a
= l
(
)
=
=
=
=
n
n
n
− 3
2
n
3
n
3
 
2
 
(
n − 3
2
)
(
2
4
(
2
)
2
n − +
11
)
2
n −
1
b) Sendo n > 1
,
a
=
=
.
n
1
n
1
n
1
13.2.
10.2.
1
11112
1
a) l
− l =
=
=
=−
n + 1
n
n
+−
13
n
3
nn − 2
3
nn − 2
2
n
2
13
11
65
66
1
2
22222
2
a)
a − a =
=
=−
6
5
6
5
30
30
Então,
− l < 0
.
l n + 1
n
Conclusão:
a−a< 0 .
1
11114
3
6
5
b) a
− a =
=
=
=−
n + 1
n
n
+−
13
n
3
nn − 2
3
nn − 2
2
n
2
15
13
90
91
1
4
44444
4
b)
a − a =
=
=−
7
6
7
6
42
42
Então,
− a < 0
.
a n + 1
n
Conclusão:
a−a< 0 .
7
6
13.3. As sucessões (
)
e (
)
são monótonas decrescentes
l n
a n
2
n
+
32
n
+
1
(
23
nnn
+−+
)
(
21
)(
n
+
1
)
c)
a −= a
=
n + 1
n
porque
∀∈ N ,
n
ll + − <
0
e
∀ ∈ N ,
n
aa + − <
0
.
n
+
1
n
(
nn + 1
)
n
1
n
n
1
n
p − 5
2
2
2
n
+
32 n −
n
− 2 −−
nn
1
1
14.1. u
u
=
0,3
=
0,3
⇔−= 5
p
0,3
p
+
0,6
=
=
p + 1
p
p + 2
(
nn +
1
)
(
nn +
1
)
⇔ 0,7p = 5,6 ⇔=p
8
O denominador é positivo, qualquer que seja o valor de n, e o
Conclusão: p = 8 e
p +1 = 9 .
numerador é negativo.
Conclusão:
− a < 0
.
a n + 1
n
14.2. A sucessão (
u
)
não é monótona porque, por exemplo, se
n
( u ) não é monótona porque, por exemplo, se n 11.1. ( vvn − =

11.1.

(

vvn − =

n + 1

n

+

1

)

2

−−

9

(

= 2n+1

∀∈ N ,

n

vv + − >

n

1

n

0

, ou seja,

A sucessão (

v

n

)

é crescente.

n

2

− = + +−− +

nn

n

9

)

2

2

19

2

∀ ∈ N ,

n

vv + >

n

1

n

.

9

11.2.

a)

2 v = 19 − 1 1 2 v = 39 −= 00 = ;
2
v
=
19
1
1
2
v
=
39 −=
00
=
;
3

w =

w =

3

88

=− =

;

w =

4

2 v = 29 − 2 2 2 v = 49 −= 77 = 4
2
v
=
29
2
2
2
v
=
49 −=
77
=
4

w =

55

=− =

b) A sucessão (

w

n

)

não é monótona porque, por exemplo,

ww<∧>ww

3

2

4

3

.

12.1.

u 1

=1 8×1+ 5 =−2; u = 2 8×2+ 5 =−7;

2

2

2

= 3

Então,

u

3

2

8× 3 + 5 =−10 .

uuu> >

123

.

108

n = 4 tem-se

u

n + 1

u < 0

n

e se

n = 6

tem-se

u

n + 1

u > 0

n

.

Pág. 15

Pág. 15

15.1.

Então,

u =

n

(

1

)

n

2

D '

= −

1

2

,

−

1 ,

= 

1

2

2

1 ,

2

.

se

se

n

n

ímpar

par

15.2. A sucessão (

são alternadamente negativos e positivos. n n + 1

1

u

n

) não é monótona porque os seus termos

1

1

−=

(

)

=

1

n nnnnn

+

(

+

11 +

)

(

)

16.1.

u n

+ 1

u =

n

O denominador é positivo, qualquer que seja o valor de n, e o

numerador é negativo.

Então,

A sucessão (

∀∈ N ,

n

uu + − <

n

1

n

0

, ou seja,

∀ ∈ N ,

n

uu + <

n

1

n

.

u

n

)

é monótona decrescente.

NEMA11PR © Porto Editora

NEMA11PR © Porto Editora Sucessões v n + 1 ) − v = n 4 (

Sucessões

v

n

+

1

)

v =

n

4

(

41

n + −

11

)

16.2.

(

414341

−+−

nnn

=

nn

2

+

34 n

(

(

n

)(

+

n

)

1

)

4

2

n

(

21 +

)

2

n

n

2

4

nn ++

1

21

+

43

+−−

nnn

=

=

2

(

n

+

1

)

n

2

(

n

+

1

)

n

1

b) Se n > 4 então

u

n +

1

u

n

=

(

n

+

n > 4 então

1

)

2 2

u n +

1

n

Se

c) Se n = 4 então u

Se n = 4 então

nn =

u > 0

2

+

.

21

n

+− =

n

5

2

n

+

54

.

2

21

u

n +

1

n +

1

u = uu − = −×=

n

5

4

u > 0

n

.

5 .

=

(

2 n

+

)

1 n

1.3. A sucessão ( ) é crescente porque

ou seja,

u

n

∀ ∈ N ,

n

uu + − >

n

1

n

0

,

O denominador é positivo, qualquer que seja o valor de n, e o

numerador também é positivo.

Então,

A sucessão (

∀ ∈ N ,

n

uu + >

n

1

n

.

∀∈ N ,

n

vv + − >

n

1

n

0

, ou seja,

∀ ∈ N ,

n

vv + >

n

1

n

. 1.4.

e

u

5

uu=×=5 1 5, =×=5 2 10, u =×=5 3 15, u =×=5 4 20

1

2

3

4

= 5

2

= 25 .

v

n

)

é monótona crescente.

16.3.

Então,

ww

n +

1

n

∀ ∈ N ,

n

A sucessão (

w

n

(

1

)

+

=−

ww + − <

n

1

n

n

+

2

0

2

, ou seja,

− − n +

(

)

=− − + + − =−

n

∀ ∈ N ,

n

n

ww + <

n

1

n

.

12

2

1

) é monótona decrescente.

16.4. A sucessão ( ) não é monótona porque, por exemplo,

t

n

tt<∧>tt

65

76

.

(

1

)

n + −

1

17.1.

n

1

=

nn

1

a

n

+

1

a =

n

1

)(

n

21 +

+

(

n

1

)

)

n

2

2

2

212 +

(

)

n

1

nn

−++ 1

n nn

(

nn n

×− −

=

=

=

2

(

1

)

nn +

21 +

nn

(

)

21 +

nn

(

)

O denominador é positivo, qualquer que seja o valor de n, e o

numerador também é positivo.

Então,

A sucessão (

∀∈ N ,

n

aa + − >

n

1

n

0

, ou seja,

∀ ∈ N ,

n

aa + >

n

1

n

.

a

n

)

é crescente.

17.2.

b

1

= −1 +1 =−1+1 = 0; b = −1 +2 =1+2 = 3;

2

(

)

1

(

)

2

b

3

= −1 + 3 =−132+ =

(

)

3

Então,

Por isso, a sucessão (

bb<∧>bb

12

23

b

n

)

.

.

não é monótona.

17.3.

.

<∧> bb 12 23 b n ) . . não é monótona. 17.3. . 2.1. v

2.1.

v

5

+ v

3

5 3

+

3

5

2

8

=

=

=

v

4

5 5

5

4 4

.

2.2.

a) Se n < 3 então

v

n +

1

v =

n

 

3

33

−=

n

−− 3 n

3

=

3

n

+

1

n

(

11 +

+

nn

nn

)

(

)

.

O denominador é positivo, qualquer que seja o valor de n, e o numerador é negativo.

Donde se conclui que, se n < 3 então

v

n +

1

v < 0

n

.

b) Se n 4 então

n

Donde se conclui que, se n 4 então

5 55

n

−− 5 n

5

5

−=

=

 

.

n

+ +

1

( )

nn

11

+

nn

(

)

v

n +

1

v < 0

n

.

v

n +

1

v =

n

c) Se

n = 3

então

v

n +

1

vvv = −

n

4

3

535

= − = −=

1

1

.

434 4

c

=

n

13

++

n

+

3

n

+

1

c =

n

2

+

n

4

1

nn n

n

2

+

n

− −− −

33

n

=

(

n

+

4

)

(

nn −+

n

31

)(

+

)

3

(

)

nn + 1

=

(

)

nn + 1

(

1

)

nn +

O denominador é positivo, qualquer que seja o valor de n, e o

numerador é negativo.

Então,

A sucessão (

∀∈ N ,

n

cc + − <

n

1

n

0

, ou seja,

∀∈ N ,

n

cc + <

n

1

n

.

c

n

)

é decrescente.

Tarefa 2

1.1.

u 5

u

3

5

2 −× 5

3

25

15

1

u

× 4

20

2

=

4 5

=

=

1.2.

a) Se n < 4 então

Se

u

u

n

+

1

n < 4

então

u

u >

n +

n

n

1

=

0 .

5

(

n

+

1

)

.

5

= +− =

nn

n

5

55

5

.

Se

n = 3

então

v

n +

1

v > 0

n

.

2.3. A sucessão ( ) não é monótona porque

sempre o mesmo sinal.

v

n

v

2.4.

3

3

u= = 3, u= =

1

1

2

2

1,5,

uu= 35 = 1,

3

=

4

34

u

5

5

= = 1

5

.

n v 2.4. 3 3 u = = 3, u = = 1 1 2 2

n

+

=

1

v

n

1,25

não toma

e

109

Unidade 3

NEMA11PR © Porto Editora

3.1.

a) w w = − =− e w w =−= .

3

2

33

3

4

3

5

3

15

12

1

41

7

b) Se n par então n +1 é ímpar.

Logo,

1

n

1

n

=

w −= w

n +

1

n

111

+++

nnn

.

c) Se n ímpar então n +1 é par.

Logo,

w

n +

1

w =

n

n

+

1

n

11

+ +

1

−=

n

+

11

−=

n