Você está na página 1de 19

1.

Que diferença de pressão, em N/m2 é necessário para fazer a água fluir através de uma
canalização de 3,0m de comprimento cujo diâmetro interno é de 1,25.10-2m e na linha de
centro da qual a água tem uma velocidade de 7,5.10-2m/s. Dados (µH2O a 20oC = 1,005 cp).
R = 23,1552 Pa

Resolução:

∆ Pr 2
V max =
4 µL
mAP ( 6 , 25 . 10 − 3 m ) 2
7 ,5 .10 − 2 =
s Kg
4 . 1,005 . 10 − 3 .3 m
m .s

∆ P = 23 ,1552 2
m
o
2. Água a 15 C escoa em uma tubulação de diâmetro igual a 50mm. Determinar o maior valor
da velocidade média para qual o escoamento seja laminar. Dados (µH2O = 1,1404 cp e ρ =
3
1000 Kg/m ).
R = V<0,0478 m/s

Resolução:

Condição Re<2000
1,1404.(1/100).(g/cm.s).(1.10-3Kg/1.10-2m.s)
Viscosidade = 1,1404.10-3 Kg/m.s

ρ Vd
< 2000
µ
Kg
1000 .V .( 5 . 10 − 2 m )
m3 < 2000
Kg
0 , 0011404
m .s
m
V < 0 , 046
s

3. Uma solução aquosa de comportamento newtoniano escoa num tubo circular de 0,10m de
diâmetro interno, sendo suas propriedades: µ = 100 cp, ρ = 1,28 g/cm3 e Re = 1280. Determine:
a) A vazão do sistema (m3/s) – R = 7,85.10-3 m3/s
b) O fator de perda de carga – R = 0,05
c) A perda de carga linear (AP/L). (Pa/m) – R = 320 Pa/m
d) Tensão na parede (Pa) – R = 8 Pa

Resolução:
ρ VD
a ) Re =
µ
Kg
1, 28 . 10 3 .V . 0 ,10 m
1280 = m3
Kg
100 . 10 − 3
m .s
m
V =1
s
Q = V .A
m
Q = 1 .π ( 0 , 05 m ) 2
s
m3
Q = 7 ,85 . 10 − 3
s
64
b) f D =
Re
64
fD =
1280
f D = 0,05

− 2
∆P L V
c) = fD .
ρg D 2g
rearranjando a equação de Darcy
− 2
∆P ρg V
= fD .
L D 2g
− 2
∆P ρ V
= fD .
L D 2
− 2
∆P ρ V
= fD .
L D 2
Kg m
1,28.10 3 3 .1
∆P m s
= 0,05.
L 2.0,10m
∆P Pa
= 320
L m

∆Pr
d) τ =
2L
∆P r
τ= .
L 2
Pa 0,05m
τ = 320 .
m 2
τ = 8Pa
4. Uma tensão de cisalhamento de 0,002 lbf/pol2 faz com que um fluido se deforme a uma taxa
2
de 100 ft/s.ft. Qual a viscosidade do fluido em unidade lbf.s/ft ?
-3 2
R = 2,88.10 lbf.s/ft

Resolução:
lbf dv ft
τ = 0,002 2
→ = 100
pol dy s. ft
1o − Transformação de Unidade
lbf lbf
τ = 0,002 2
→ 2
pol ft
lbf 1 pol 2
τ = 0,002 x
pol 2 0,08333 2 ft 2
lbf
τ = 0,288 2
ft
dv
2o τ = µ
dy
lbf ft
0,288 2 = µ .100
ft s. ft
lbf .s
µ = 2,88.10 −3 2
ft
o
5. A velocidade da água escoando em regime laminar, à temperatura de 10 C, no interior de
uma canalização de 10-2m de diâmetro interno, medida a partir da parede da canalização, é de
0,1 m/s. Qual a variação de pressão ao longo do comprimento da canalização expressa em
o
Pa/m? Dados: viscosidade da água a 10 C = 1,3077cp.
R = 41,84 Pa/m

Resolução:

Utilizando a equação de Vmédio (Condição = parede tubulação )



− ∆ Pr 2 ∆ P V 8 µ
V = ∴ = 2
8 µL L r
m Kg
0,1 .8.1,3077 .10 − 3
∆P s m.s
=
L ( 0,005 m ) 2
∆P Pa
= 41,84
L m
6. Álcool etílico a 20oC está escoando através de uma tubulação de diâmetro de 8.10-3m. A
queda de pressão em 0,3m de comprimento de tubulação é igual a 8,29.10-3atm. Qual a
o
velocidade da água no centro da tubulação? Viscosidade a 20 C = 1,4cp.
R = 7,998 m/s

Resolução:

Utilizando a equação de Vmax (Condição = Centro do Tubo)


∆ Pr 2
V max =
4 µL
839 ,83 Pa .( 4 .10 − 3 m ) 2
V max =
Kg
4 .1, 4 .10 − 3 . 0 ,3 m
m .s
m
V max = 7 ,998
s
o -3
7. Água a 30 C está sendo forçada no interior de uma tubulação de 3.10 m de diâmetro
interno, de tal maneira que sua velocidade no centro da tubulação seja 10-2m/s. Calcular a
tensão de cisalhamento na parede em N/m2. Viscosidade da água à 300C = 0,8007cp.
2
R = 0,010675 N/m

Resolução:

∆P.r
τ= (I )
2L
∆ Pr 2
Vmax = ( II ) - centroda tubulação
4µL
(II) em (I), temos:
Vmax 4µLr
τ= , simplificando∴
r 2 2L
V 4µ
τ = max
2r
m Kg
10−2 .4.0,800.10−3
τ= s m.s
2.(0,0015m)

τ = 0,010675 2
m
8. A distância entre dois pratos planos e paralelos é 0,00914m e o prato inferior está sendo
puxado a uma velocidade relativa de 0,366m/s. O fluido entre os pratos é óleo de soja com
−2
viscosidade de 4x10 Pa.s a 303K.
a) Calcule a tensão cisalhante e o gradiente de velocidade, em unidades do S.I.
R = 1,6 Pa; 40s-1
b) Caso o glicerol a 293 K com viscosidade 1,069 Kg/m.s seja usado no lugar do óleo de soja,
qual será a velocidade relativa em m/s necessária para a mesma distância entre os pratos e a
mesma tensão cisalhante obtida no item (a)? Qual o novo gradiente de velocidade?
R= 0,014 m/s; 1,5 s-1.

Resolução:
9. Tem-se um viscosímetro rotatório que consta basicamente de dois cilindros coaxiais onde o
óleo de ensaio é colocado entre eles (ver figura). É necessário um torque de 2N.m para fazer o
cilindro interno girar a 30rpm. Os cilindros possuem 0,457m de comprimento e a folga entre
eles é de 0,30cm. Desprezando os efeitos de borda, demonstre que:
a) A tensão cisalhante é dada por (τ = 0,697/r2);
b) Calcule a viscosidade do óleo de ensaio em "Pa.s" supondo-o Newtoniano e Ri =0,15m.
R = 0,2 Pa.s.
Dados, T = F.r; F = τ.AL; Re = Ri + folga; Vi = ω.Ri; ω = 2π f

Resolução:
3 -3
10. Leite (ρ=1032 Kg/m , µ=2x10 Pa.s) é bombeado através de uma tubulação de ação
inoxidável com 0,025m de diâmetro. Qual é a vazão máxima para que o fluido seja considerado
laminar?
R= 0,287m3/h

Resolução:

ρ Vd
< 2000
µ
Kg
1032 .V .( 0 ,025 m )
m3 < 2000
Kg
0 ,002
m .s
m
V < 0 ,1550
s
Q = V .A
m
Q = 0 ,1550 .π ( 0 , 0125 m ) 2
s
m3
Q = 7 ,6 .10 − 5
h
11. Álcool etílico a 20˚C está escoando através de uma canalização de 8x10-3m de diâmetro. A
queda de pressão em 0,3m de comprimento de canalização é igual a 6,3x10-3m de coluna de
mercúrio. Qual a velocidade do fluido no centro da canalização? Dada a viscosidade álcool a
-3
20˚C = 1, 4x10 Pa.s.
R=8 m/s
Resolução:

 = 8. 10 → = 4. 10
∆ = 6,3. 10  = 6,3. 10. 100.1333 = 839.79 
 = 3
 = 1,4. 10 . 
∆  839,79 4. 10!
á = = = 8 "
4 4.1,4. 10 . . 03

12. A vazão volumétrica da água proveniente de uma torneira de 1in de diâmetro é de 76 l/min.
-3
Determine se o fluxo é laminar ou turbulento. Dados: Viscosidade da água = 1, 3077x10 Pa.s.
R=48529,07 – turbulento

Resolução:

 = 1#$% → 2,54. 10



( = 76 %+ )* = 1,26. 10

 = 1.3077. 10 . 
-
, = 1000 

( ( 4. ( 4.1,26. 10
( = . . →  = = = = = 2,5 "
.   /  /. 6,45. 100
/4
2
,. .  1000  . 2,48 . 0,0254

1 = = = 48558
 2
1,3077. 10 . 
13. O perfil de velocidades obtido em uma camada de líquido escoando em regime laminar,
quando desce uma superfície vertical, pode ser representado pela equação:
,
3 =
. 4 − 4  !

2

Onde L= espessura da camada do líquido, vx= velocidade de descida do líquido a uma


distância x da parede. Com base na equação geral da velocidade média, calcular a espessura
de uma camada de água a 15,5˚C, descendo uma superfície vertical de 0,9 m de largura com
-3 3 -3
uma vazão de 3,8x10 m /min. Viscosidade = 1.1x10 Kg/m.s.
-4
R=2,85x10 m

Resolução:

7 8.
6 =
7 8.

, 3 −  ,
6 = 9 :=
 6 3
; = 0,9
( = 3,8. 10 + )* → 6,3. 10< +
 

,
( = 6 . . → ( = . . ;
3

(. 3 > 6,3. 10<  3.1,1. 10 2.  .  


 = →= = = 2,85. 100
,. . ; . . . 10002. 9,8 . 0,9
14. Óleo a 32˚C flui em regime permanente num tubo liso de 1 in de diâmetro interno. Calcule a
vazão em m3/min para que o escoamento possa ser considerado laminar, e a perda de carga
3 -5
em 30 m de tubulação. Dados: ρ= 903, 44 Kg/m e µ= 3, 207x10 Pa.s.
-5 3 -5
R=8,4x10 m /min; 1,37x10 m

Resolução:

 = 1 #$% → 2,54. 10


1 < 2000
 = 30
, = 903,44 2" 
 = 3,207. 10< . 
,. .  1.  2000.3,207. 10< @. . 
1 = →= =  = 2,79. 10 "
 ,.  903,442. 2,54. 10
64 64
AB = = = 0,032
1 2000
DDD 0,032.30 . 2,79. 10 !
AB . . 
ℎ# = = = 1,5. 10<
. 2.  2,54. 10 . 2.9,8 + 

15. Uma solução de sacarose (20˚ Brix) escoa a 20˚C em uma tubulação de 50 mm de
diâmetro. Determine o maior valor da velocidade média para que o escoamento seja laminar.
Dados: viscosidade dinâmica µ= 1, 92x10-3Pa.s; viscosidade cinemática ν= 1, 79x10-6 m2/s.
-3
R=75,18x10 m/s

Resolução:

 = 1,92. 10 . 


 = 1,79. 10E +


 = 50. 10
1 < 2000
  1,92. 10 . .  -
= →,= = = 1072,62 + 
,  1,79. 10E 
,. .  ,. . 
1 = → < 2000
 
2000
<
,

 < 71,6. 10

16. Um corante a 16 ˚C escoa a 4,6 m/s em um tubo de diâmetro interno de 3in. Em um ponto
da tubulação, ocorre uma ramificação em outros 3 tubos de 1in de diâmetro cada. Determine a
velocidade de saída nos tubos ramificados. Dados: ρ= 1621, 1 kg/m3 e µ= 4, 8x 10-5 Pa.s.
R=13,79 m/s

Resolução:

 =  = 0
. = . = .0
F = 3.2,54. 10 = 0,0762
,0,< = 1.2,54. 10 = 2,54. 10

G ,F HF *IHF 8.F J G , H *IH 8. J G , H *IH 8. J G ,0 H0 *IH0 8.0 = 0
1*KL M$L*K1 1 ) M$L*K1
,F = , = , = ,0
G HF NOP 180Q 8.F J G H M$0Q 8. J G H M$0Q8. J G H0 M$0Q8.0 = 0
−F .F J  . J  . J 0 .0 = 0
F .F = 3 .
F .F 4,6 . /. 0,0762 ! 4
 = = = 13,79 "
3. . 4.3. / 2,54. 10 !

17. Álcool a 27˚C flui através de um tubo de 5, 1 cm de diâmetro interno a 22 m de


comprimento. O tubo está ligado a um grande tanque acima do nível do solo e desemboca em
outro tanque a 5 m abaixo nível do solo. Calcule a perda de carga se a velocidade for 0, 04
3 -3
m/s. Dados ρ= 802, 52 Kg/m e µ= 2, 54x10 Pa.s.
-3
R= 3,62x10 m

Resolução:

,. .  802,52.0,04.5,1. 10
1 = = = 644,54 − % )*L
 2,54. 10
E0 E0 DDDD
TU .V.W Z.Z[[.. Z,Z0!X
AB = = = 0.099 ℎ# = = = 3,496. 10
X

RS E00,<0 B..Y <,F.FZ\X ..[,]


3
18. Um tubo tronco - cônico tem eixo horizontal e transportam 0, 12 m /s de água. Nas seções
2
(1) e (2) de diâmetro D1= 0,2 m e D2= 0,19 m, as pressões têm os valores P1= 1100 Kgf/m e
2
P2= 200 Kgf/m . Calcular:
a) As velocidades médias em (1) e (2);
b) A perda de carga.
R= 3,87 m/s; 4,28 m/s; 0,73 m

Resolução:

2A+
F = 1100 → 10787,7 

2A+
 = 200 → 1961,4 

(F 0,12.4
F = = = 3,87 "
.F /. 0,2!
( 0,12.4
 = = = 4,28 "
. /. 0,19!
F F    
J J ^F J _ = J J ^ J ℎ#
, 2 , 2
10787,7 3,87 1961,4 4,28
J = J J ℎ#
1000.9,8 2.9,8 1000.9,8 2.9,8
ℎ# = 0,7306
19. O pistão mostrado na figura abaixo desliza no cilindro com uma velocidade constante de
0,6 m/s. Calcular o peso do pistão, sabendo-se que a viscosidade do fluido lubrificante é 200
cP. R: 12,4 N.

Resolução:
2
20. A figura abaixo mostra uma placa "A", com área total de 1,0 m e massa de 0,10 Kg,
deslizando para baixo entre duas placas, entre as quais, encontra-se um óleo (µ = 407cP).
Desprezando a espessura da placa "A" e o empuxo calcule:
a) A tensão cisalhante no S.I;
b) A velocidade da placa no S.I.
R: a) 0,981 N; b) v= 0,25 m/s.

Resolução:
21. Duas placas planas paralelas estão situadas a 3 mm de distância. A placa superior move-
se com velocidade de 4m/s, enquanto que a inferior está imóvel. Considerando que um óleo (ν
3
= 0,15 stokes e ρ = 905 kg/m ) ocupa o espaço entre elas, determinar a tensão de
cisalhamento que agirá sobre o óleo. R = τ = 18,1 Pa

Resolução:

ν = 0,15 stokes = 0,15 cm2/s = 1,50 . 10-5 m2/s


µ = ν × ρ = 1,50 . 10-5 (m2/s) × 905 (kg/m3) = 0,0136 (N. s / m2)
dV
τ=
dy
τ = µ.[ v0 / e ] ⇒ τ = 0,0136 (N. s / m2) . [4 (m/s) / 0,003 (m) ] = 18,1 (N/m2)
τ = 18,1 Pa
22. Faça os cálculos para verificar se equação da velocidade V = (2xy)i + (x − y)j + (z − 2zy)k,
satisfaz a equação da continuidade para o escoamento de um fluido incompressível em regime
permanente. (R = incompressível). Dados: Incompressível somatório da equação = 0

Resolução:

23. Dado o campo de velocidade V = (2x + cosy)i + (senx − 2y)j − 4zk, verifique se o mesmo é
compressível ou incompressível. (R = compressível).

Resolução:
24. O escoamento de um fluido bidimensional, vx = 0, é incompressível. O componente "vy" em
qualquer ponto é dado por: vy = 4y2 - cos(α)z. Encontre "vz", sabendo-se que para z = 0 ; vz =
v0. R = (Vz = Vo – 8yz)

Resolução:

2
25. Considerando um perfil parabólico de velocidade V(y)= a + by , determinar (a) O gradiente
de velocidade (b) A tensão de cisalhamento em y=0 e em y= -100 mm. Considere um fluido
com viscosidade dinâmica igual a 8.0x10-3 kg/m.s. R = 500 s-1, 0, 0,4 Pa

Resolução:
26. A distribuição de velocidades do escoamento de um fluido newtoniano num canal formado
por duas placas paralelas e largas é dada pela equação:

Onde V é a velocidade média. O fluido apresenta uma viscosidade dinâmica igual a 1,92
2
N.s/m . Considerando que V=0,6 m/s e h=5 mm, determinar:
a) Tensão de cisalhamento na parede inferior do canal R = 691 Pa
b) Tensão de cisalhamento que atua no plano central do canal. R = 0 Pa

Resolução: