Você está na página 1de 7

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO- CAMPUS MACAÉ

TRANSFERÊNCIA DE CALOR II
1a LISTA DE EXERCÍCIOS- PROFESSORA ELISA ROCHA

1) Um processo industrial envolve a evaporação de uma fina película de água sobre uma superfície curva,
através do seu aquecimento pela sua parte inferior e pelo escoamento forçado de ar na parte superior. Medidas
em laboratório nesta superfície forneceram a seguinte correlação para a transferência de calor:

O ar escoando sobre a superfície possui uma temperatura de 290 K, uma velocidade de 10 m/s e encontra-se
completamente seco. A superfície possui um comprimento de 1 m e uma área de 1m 2. Energia é fornecida ao
sistema em quantidade suficiente para manter a temperatura de 310 K, no regime estacionário.

(a) Determine o coeficiente de transferência de calor e a taxa na qual a superfície perde calor por convecção.
(b) Determine o coeficiente de transferência de massa e a taxa de evaporação (kg/h) da água na superfície.
(c) Determine a taxa de energia que deve ser fornecida à superfície para manter essas condições.

2) Uma placa plana, com largura de 1 m, é mantida a uma temperatura superficial uniforme de Ts = 150°C
pelo uso de módulos retangulares geradores de calor, com espessura a = 10 mm e comprimento b = 50 mm,
que são controlados independentemente. Cada módulo encontra-se isolado de seus vizinhos, bem como em
sua superfície inferior. Ar atmosférico a 25°C escoa sobre a superfície da placa a uma velocidade de 30 m/s.
As propriedades termofísicas dos módulos são k = 5,2 W/(m · K), cp = 320 J/(kg · K) e ρ = 2300 kg/m3.

(a) Determine a geração de energia necessária, q́ (W/m3), em um módulo posicionado a uma distância de 700
mm da aresta frontal.
(b) Determine a temperatura máxima Tmáx neste módulo de geração.

3) Explique sob quais condições a taxa de transferência de calor total em uma placa plana isotérmica com
dimensões L × 2L seria a mesma, independentemente do fato do escoamento paralelo sobre a placa ser
direcionado ao longo do lado com comprimento L ou do lado com comprimento 2L. Com um número de
Reynolds crítico de 5 × 105, para quais valores de ReL a taxa de transferência de calor total seria independente
da orientação?

4) O teto do baú de um caminhão refrigerado é construído com um material composto, sendo constituído por
uma camada de isolante de espuma de uretano (t2 = 50 mm, ki = 0,026 W/(m · K)) posicionada entre painéis
de liga de alumínio (t1 = 5 mm, kp = 180 W/(m · K)). O comprimento e a largura do teto são L = 10 m eW =
3,5 m, respectivamente, e a temperatura da superfície interna é Ts,i = –10°C. Sejam condições nas quais o
caminhão se desloca a uma velocidade V = 105 km/h, a temperatura do ar é T∞ = 32°C e a irradiação solar
é Gs = 750 W/m2. Escoamento turbulento pode ser suposto ao longo de todo o teto.

(a) Para valores equivalentes da absortividade solar e da emissividade da superfície externa (αs = ε = 0,5),
determine a temperatura média da superfície externaTs,e. Qual é a carga térmica correspondente imposta ao
sistema de refrigeração?
(b) Um acabamento especial (αs = 0,15, ε = 0,8) pode ser aplicado na superfície externa. Que efeito teria tal
aplicação na temperatura superficial e na carga térmica?
(c) Se, com αS = ε = 0,5, o teto não estiver isolado (t2 = 0), quais são os valores correspondentes da
temperatura superficial e da carga térmica?

5) Placas de aço (AISI 1010), de espessura δ = 6 mm e lados com comprimento L = 1 m, são transportadas na
saída de um processo de tratamento térmico e simultaneamente resfriadas por ar atmosférico com
velocidade u∞ = 10 m/s e T∞ = 20°C em escoamento paralelo sobre as placas.

Para uma temperatura da placa inicial de Ti = 300°C, qual é a taxa de transferência de calor saindo da placa?
Qual é a taxa de variação da temperatura da placa correspondente? A velocidade do ar é muito maior do que a
velocidade da placa.

6) Na produção de folhas metálicas ou plásticas, é costume resfriar o material antes que ele deixe o processo
de produção para armazenamento ou embarque para o cliente. Tipicamente, o processo é contínuo, com uma
folha de espessura δ e largura W sendo resfriada enquanto transita por uma distância L, com uma
velocidade V, entre dois rolos. Neste problema, consideramos o resfriamento de uma liga de alumínio (2024-
T6) por uma corrente de ar, que se move a uma velocidade u∞ no sentido oposto ao da velocidade da folha e
sobre a sua superfície superior. Um promotor de turbulência é usado para propiciar um desenvolvimento de
camada-limite turbulenta sobre toda a superfície.

(a) Aplicando a conservação de energia em uma superfície de controle diferencial de comprimento dx, que se
move com a folha ou está estacionária e através da qual a folha passa, deduza uma equação diferencial que
governe a distribuição de temperaturas ao longo da folha. Em função da baixa emissividade do alumínio, os
efeitos radiantes podem ser desprezados. Escreva o seu resultado em termos da velocidade, da espessura e das
propriedades da folha (V, δ, ρ, cp), do coeficiente convectivo local hx associado ao escoamento oposto e da
temperatura do ar. Para uma temperatura da folha (Ti) no início do resfriamento conhecida e influência
desprezível da velocidade da folha no desenvolvimento da camada-limite, resolva a equação e obtenha uma
expressão para a temperatura na saída Ts.

(b) Para δ = 2 mm, V = 0,10 m/s, L = 5 m, W = 1 m, u∞ = 20 m/s, T∞ = 20°C e Ti = 300°C, qual é a


temperatura na saída Ts?

7) Na produção de folhas metálicas ou plásticas é costume resfriar o material antes que ele deixe o processo de
produção para armazenamento ou embarque para o cliente. Tipicamente, o processo é contínuo, com uma
folha de espessura δ e largura W sendo resfriada enquanto transita por uma distância L e com uma
velocidade V entre dois rolos. Neste problema, consideramos o resfriamento de aço carbono não ligado por
uma corrente de ar, que se move a uma velocidade u∞ em escoamento cruzado sobre as superfícies superior e
inferior da folha. Um promotor de turbulência é usado para propiciar um desenvolvimento de camada-limite
turbulenta sobre toda a superfície.

(a) Aplicando a conservação de energia em uma superfície de controle diferencial de comprimento dx, que se
move com a folha ou é estacionária e através da qual a folha passa, e supondo uma temperatura da folha
uniforme na direção do escoamento do ar, deduza uma equação diferencial que governe a distribuição de
temperaturas, T(x), ao longo da folha. Considere os efeitos radiantes, assim como os convectivos, e escreva o
seu resultado em termos da velocidade, da espessura e das propriedades da folha (V, δ, ρ, cp, ε), do coeficiente
convectivo médio hW associado ao escoamento cruzado e as temperaturas ambientes (T∞, Tviz).
(b) Desprezando a radiação, obtenha uma solução em forma fechada para a equação anterior. Para δ = 3
mm, V = 0,10 m/s, L = 10 m, W = 1 m, u∞ = 20 m/s,T∞ = 20°C e uma temperatura da folha no início do
resfriamento de Ti = 500°C, qual é a temperatura na saída Ts? Suponha influência desprezível da velocidade
da folha no desenvolvimento da camada-limite na direção do escoamento do ar. A massa específica e o calor
específico da folha são ρ = 7850 kg/m3 e cp = 620 J/(kg · K), enquanto as propriedades do ar podem ser
consideradas iguais a k = 0,044 W/(m · K), v = 4,5 × 10−5 m2/s, Pr = 0,68.
(c) Levando em conta os efeitos da radiação, com ε = 0,70 e Tviz = 20°C, integre numericamente a equação
diferencial deduzida na parte (a) e determine a temperatura da folha em L = 10 m. Estude o efeito de V na
distribuição de temperaturas ao longo da folha.

8) Ar, a 27°C e com uma velocidade de 5 m/s, passa sobre a pequena região As (20 mm × 20 mm) de uma
grande superfície, que é mantida a Ts = 127°C. Nessas condições, uma taxa de 0,5 W é removida da
superfície As. Com objetivo de aumentar a taxa de remoção de calor, um pino de aço inoxidável (AISI 304)
com diâmetro de 5 mm é fixado sobre a superfície As que supostamente permanece a Ts = 127°C.

(a) Determine a taxa de remoção de calor máxima possível através do pino.


(b) Qual comprimento do pino propiciaria uma boa aproximação da taxa de transferência de calor
determinada na parte (a)? Sugestão: Veja o Exemplo 3.9.
(c) Determine a efetividade do pino, εa.
(d) Qual é o aumento percentual na taxa de transferência de calor na superfície As causado pela instalação do
pino?

9) Água quente a 50°C é transportada de um prédio no qual ela é gerada para um prédio adjacente no qual ela
é usada para aquecimento ambiental. A transferência entre os prédios ocorre em tubo de aço ( k = 60 W/(m ·
K)), com diâmetro externo de 100 mm e 8 mm de espessura de parede. Durante o inverno, condições
ambientais representativas envolvem o ar a T∞ = 25°C e V = 3 m/s em escoamento cruzado sobre o tubo.
(a) Sendo o custo de produzir a água quente de $0,10 por kW · h, qual é o custo diário representativo da
perda térmica para o ar em um tubo não isolado, por metro de comprimento de tubo? A resistência convectiva
associada ao escoamento da água no interior do tubo pode ser desprezada.
(b) Determine a economia associada à aplicação na superfície externa do tubo de um revestimento de 10 mm
de espessura de isolante de uretano (k = 0,026 W/(m · K)).

10) Determine a perda de calor convectiva pelas superfícies superior e inferior de uma placa plana a Ts =
80°C, com ar em escoamento paralelo a T∞ = 25°C e u∞= 3 m/s. A placa tem espessura igual a t = 1 mm,
comprimento L = 25 mm e profundidade w = 50 mm. Despreze as perdas térmicas nas arestas da placa.
Compare a perda de calor convectiva na placa com a perda em um cilindro com comprimento de Lc = 50 mm,
que tenha o mesmo volume da placa. As condições convectivas associadas ao cilindro são as mesmas das
associadas à placa.

11) Em um processo de extrusão, um fio de cobre emerge do extrusor a uma velocidade Ve e é resfriado pela
transferência de calor por convecção para o ar em escoamento cruzado sobre o fio, assim como por radiação
para a vizinhança.

(a) Aplicando a conservação de energia em uma superfície de controle diferencial de comprimento dx, que se
move com o fio ou é estacionária e através da qual o fio passa, deduza uma equação diferencial que governe a
distribuição de temperaturas, T(x), ao longo do fio. Na sua dedução, o efeito da condução axial ao longo do
fio pode ser desprezado. Escreva o seu resultado em termos da velocidade, do diâmetro e das propriedades do
fio (Ve, D, r, cp, ε), do coeficiente convectivo h associado ao escoamento cruzado e das temperaturas
ambientes (T∞, Tviz).
(b) Desprezando a radiação, obtenha uma solução em forma fechada para a equação anterior. Para Ve = 0,2
m/s, D = 5 mm, V = 5 m/s, T∞ = 25°C e uma temperatura do fio inicial de Ti = 600°C, calcule a
temperatura To do fio em x = L = 5 m. A massa específica e o calor específico do cobre são ρ = 8900
kg/m3 e cp = 400 J/(kg · K), enquanto as propriedades do ar podem ser consideradas iguais a k = 0,037 W/(m ·
K), v = 3 × 10−5 m2/s e Pr = 0,69.
(c) Levando em conta os efeitos da radiação, com ε = 0,55 e Tviz = 25°C, integre numericamente a equação
diferencial deduzida na parte (a) e determine a temperatura do fio em L = 5 m. Estude os efeitos de Ve e
de ε na distribuição de temperaturas ao longo do fio

12) Um recipiente esférico de instrumentos para medições submarinas, usado para sondagens e para medir
condições da água, tem um diâmetro de 85 mm e dissipa 300 W.
(a) Determine a temperatura superficial do recipiente quando suspenso em uma baia na qual a corrente é de 1
m/s e a temperatura da água é de 15°C.
(b) Inadvertidamente, o recipiente é retirado da água e suspenso no ar ambiente sem desativar a potência.
Determine a temperatura superficial do recipiente com o ar a 15°C e uma velocidade do vento de 3 m/s.

13) Uma matriz tubular utiliza um arranjo alinhado com tubos de 10 mm de diâmetro com ST = SL = 20 mm.
Existem 10 filas de tubos contendo 50 tubos cada uma. Considere uma aplicação na qual água fria escoa
através dos tubos, mantendo uma temperatura na superfície externa dos tubos de 27°C, enquanto gases de
exaustão, a 427°C e a uma velocidade de 5 m/s, escoam em escoamento cruzado através da matriz. As
propriedades dos gases de exaustão podem ser aproximadas pelas do ar atmosférico a 427°C. Qual é a taxa de
transferência de calor total, por unidade de comprimento dos tubos, no matriz?
14) Um duto de aquecimento de ar é constituído por um arranjo alinhado de elementos de aquecimento
elétricos no qual os passos longitudinal e transversal são S = S = 24 mm. Há 3 filas de elementos na direção
L T

do escoamento (N = 3) e 4 elementos por fila (N = 4). Ar atmosférico com uma velocidade a montante de 12
F T

m/s e uma temperatura de 25°C escoa em escoamento cruzado sobre os elementos, que têm um diâmetro de
12 mm, um comprimento de 250 mm e são mantidos com uma temperatura superficial de 350°C.

(a) Determine a transferência de calor total para o ar e a temperatura do ar deixando o duto aquecedor.
(b) Determine a queda de pressão ao longo do feixe de elementos e a potência necessária do ventilador.
(c) Compare o coeficiente convectivo médio obtido em sua análise com o valor para um elemento isolado
(sozinho). Explique a diferença entre os resultados.
(d) Qual efeito teria o aumento dos passos longitudinal e transversal para 30 mm na temperatura de saída do
ar, na taxa de transferência de calor e na queda de pressão?

15) Um condensador de vapor d’água resfriado a ar é operado com ar em escoamento cruzado sobre uma
matriz quadrada composta por 400 tubos alinhados (NF = NT = 20). O diâmetro externo dos tubos é de 20 mm
e os passos longitudinal e transversal na matriz tubular são SL = 60 mm e ST = 30 mm, respectivamente. Vapor
d’água saturado a uma pressão de 2,455 bar entra nos tubos e pode-se considerar que uma temperatura
uniforme de Ts = 390 K seja mantida na superfície externa dos tubos em função da condensação no seu
interior.
(a) Se a temperatura e a velocidade da corrente de ar a montante da matriz tubular são Tent = 300 K e V = 4
m/s, qual é a temperatura Tsai do ar que deixa a matriz? Como uma primeira aproximação, avalie as
propriedades do ar a 300 K.
(b) Se os tubos possuírem 2 m de comprimento, qual é a taxa de transferência de calor total na matriz? Qual
é a taxa de condensação do vapor em kg/s?
(c) Avalie o efeito de dobrar o valor de NF enquanto o valor de SL é reduzido para 30 mm. Para essa
configuração, explore o efeito de mudanças na velocidade do ar.

16) Considere água pressurizada, óleo de motor (não usado) e NaK (22%/78%) escoando em um tubo com
20 mm de diâmetro.
(a) Determine a velocidade média, o comprimento de entrada fluidodinâmico e o comprimento de entrada
térmico para cada um dos fluidos, quando sua temperatura é de 366 K e a vazão mássica é de 0,01 kg/s.
(b) Determine a vazão mássica, o comprimento de entrada fluidodinâmico e o comprimento de entrada
térmico para a água e o óleo de motor a 300 K e a 400 K, e a uma velocidade média de 0,02 m/s.
17) Em uma aplicação específica que envolve o escoamento de um fluido a uma vazão ḿ através de um tubo
circular com comprimento L e diâmetro D, sabe-se que o fluxo térmico na superfície apresenta uma variação
πx
senoidal com x, que tem a forma q } rsub {s} = {q s , m sen(
L . O fluxo máximo,q } rsub {s,m ¿, é uma
)
constante conhecida e o fluido entra no tubo a uma temperatura também conhecida, Tm,ent. Supondo o
coeficiente convectivo constante, como a temperatura média do fluido e a temperatura superficial variam
com x?

18) Óleo de motor escoa através de um tubo de 25 mm de diâmetro a uma vazão de 0,5 kg/s. O óleo entra no
tubo a uma temperatura de 25°C, enquanto a temperatura da superfície do tubo é mantida a 100°C.
(a) Determine a temperatura do óleo na saída para tubos com comprimentos de 5 m e 100 m. Para cada caso,
compare a média logarítmica das diferenças de temperaturas com a média aritmética das diferenças de
temperaturas.
(b)Para 5 ≤ L ≤ 100 m, calcule e represente graficamente o número de Nusselt médio Nu
´ D D e a temperatura
de saída do óleo como uma função de L.

19) Para refrigerar uma casa de verão sem usar um ciclo de refrigeração por compressão de vapor, ar é
passado por um tubo plástico (k = 0,15 W/(m · K), Di = 0,15 m, De= 0,17 m), que está submerso em um corpo
de água próximo à casa. A temperatura da água no corpo de água é de T∞ = 17°C e um coeficiente convectivo
de he = 1500 W/(m2 · K) é mantido na superfície externa do tubo.

Se o ar vindo da casa entra no tubo com uma temperatura de Tm,ent = 29°C e a uma vazão volumétrica Qent =
0,025 m3/s, qual comprimento do tubo é necessário para se ter uma temperatura na sua saída de Tm,sai = 21°C?
Qual é a potência do soprador necessária para passar o ar através do comprimento do tubo, sendo sua
superfície interna lisa?

20) A seção de evaporação de uma bomba de calor está instalada no interior de um grande tanque de água, que
é usado como uma fonte de calor durante o inverno. À medida que a energia é extraída da água, ela começa a
congelar, criando um banho de água e gelo a 0°C, que pode ser usado para o resfriamento do ar durante o
verão. Considere condições para o resfriamento durante o verão, nas quais o ar é passado pelo interior de um
conjunto de tubos de cobre, cada um com diâmetro interno D = 50 mm, submerso no banho de água e gelo.
(a) Se o ar entra em cada tubo a uma temperatura média de Tm,ent = 24°C e a uma vazão de ḿ = 0,01 kg/s, qual
comprimento de tubo L fornecerá uma temperatura na saída Tm,sai = 14°C? Com 10 tubos passando através de
um tanque com volume total V = 10 m3, que contém inicialmente 80% de gelo em volume, quanto tempo irá
levar para fundir a totalidade do gelo? A massa específica e o calor latente de fusão do gelo são de 920
kg/m3 e 3,34 × 105 J/kg, respectivamente.
(b)A temperatura de saída do ar pode ser controlada pelo ajuste da vazão mássica do ar. Para o comprimento
do tubo determinado na parte (a), calcule e represente graficamente Tm,sai como uma função de ḿ para 0,005
≤ ḿ ≤ 0,05 kg/s. Se a residência refrigerada por esse sistema exige aproximadamente 0,05 kg/s de ar a 16°C,
que projeto e condições de operação devem ser especificados para o sistema?

21) O canal de ar para o resfriamento da pá de uma turbina a gás pode ser aproximado por um tubo de 3 mm
de diâmetro e 75 mm de comprimento. A temperatura de operação da pá é de 650°C e o ar entra no tubo a
427°C. Para uma vazão de ar de 0,18 kg/h, calcule a temperatura de saída do ar e o calor removido da pá.
22) Calor deve ser removido de um vaso de reação que opera a 75°C através da passagem de água a 27°C e
0,12 kg/s através de um tubo de parede delgada com 15 mm de diâmetro. O coeficiente de transferência de
calor entre a superfície externa do tubo e o fluido no interior do reator é de 3000 W/(m 2 · K).
(a) se a temperatura de saída da água não pode exceder 47°C, qual é a taxa máxima de transferência de calor
que pode ser extraída do reator?
(b) Qual é o comprimento de tubo necessário para se obter a taxa de transferência de calor determinada na
parte (a)?

23) Água, a 290 K e 0,2 kg/s, escoa através de um tubo de Teflon (k = 0,35 W/(m · K)) com raios interno e
externo iguais a 10 e 13 mm, respectivamente. Um fino aquecedor elétrico em forma de fita, enrolado ao redor
da superfície externa do tubo, fornece um fluxo térmico superficial uniforme de 2000 W/m 2, enquanto um
coeficiente convectivo de 25 W/(m 2 K) é mantido na superfície externa da fita pelo ar ambiente a 300 K. Qual
é a fração da potência dissipada pela fita que é transferida para a água? Qual é a temperatura da superfície
externa do tubo de Teflon?
24) Um transformador de potência elétrica, com diâmetro de 230 mm e altura de 500 mm, dissipa 1000 W.
Deseja-se manter sua temperatura superficial em 47°C, passando etilenoglicol a 24°C através de um tubo de
parede delgada, com diâmetro de 20 mm, soldado na superfície lateral do transformador. Supõe-se que todo
calor dissipado pelo transformador é transferido para o etilenoglicol.

Admitindo que a elevação de temperatura máxima permitida do refrigerante seja de 6°C, determine a vazão
mássica necessária de refrigerante, o comprimento total do tubo e o passo da serpentina S entre suas voltas.