Você está na página 1de 23

capítulo

Radioatividade: fenômenos
24 de origem nuclear

Palê ZuPPani/Pulsar imagens


alguns conteúdos
importantes:
✔ Características das emissões
alfa, beta e gama
✔ Efeitos biológicos da radiação

✔ Cinética das emissões


radioativas
✔ Transmutação nuclear

✔ Aplicações da radioatividade

✔ Fissão nuclear s A energia emitida pelo


Sol e por outras estrelas
✔ Fusão nuclear é proveniente de reações
de fusão nuclear.

1 A descoberta da radioatividade
No ano de 1896, o francês Henri Becquerel (1852-1908) constatou que um composto de
urânio — sulfato de potássio e uranilo, k 2UO2(SO4)2 — apresentava a interessante caracte- Guia de estudo
rística de causar uma mancha em um papel fotográfico mesmo no escuro e embrulhado
em envelope escuro.
A interpretação de Becquerel era que o composto emitia algum tipo de raio capaz de
Suplemento para o professor
atravessar o envelope e atuar sobre o papel fotográfico. Essa propriedade era semelhante à dos
Subsídios didáticos
raios X descobertos um ano antes pelo alemão Wilhelm Conrad Röntgen.

&RPSRVWRGHXUkQLR
science Photo liBrarY/latinstock

5DGLDo}HV
LQYLVtYHLV Anotações em aula

Papel fotográfico usado


s

por Becquerel em sua


descoberta. As manchas
escuras correspondem
9LGUR (QYHORSHHVFXURFRQWHQGR aos locais mais atingidos
RSDSHOIRWRJUiILFR pela radiação.
Suplemento para o professor

Anotações em aula

1
Química na abordagem do cotidiano

Ainda no mesmo ano, Becquerel percebeu que os raios de urânio ionizavam gases,
isto é, provocavam neles o aparecimento de íons, tornando-os condutores de corrente
elétrica. Anos mais tarde, o alemão Hans Geiger utilizaria essa propriedade para criar
Físico-Química • Capítulo 24

o contador Geiger (detector de radioatividade).


No final de 1897, a polonesa Marie Sklodowska Curie (1867-1934) passou a se inte-
ressar pelo fenômeno descoberto por Becquerel. Em abril de 1898, ela já havia percebido
que, além do urânio, outro elemento conhecido, o tório, também emitia os misteriosos
Tela fluorescente na qual
raios. Começou, então, a suspeitar da existência de elementos radioativos desconhe- aparecem manchas luminosas
cidos. Em julho do mesmo ano, com a ajuda do marido, o físico francês Pierre Curie
(1859-1906), descobriu um novo elemento que chamou de polônio. Alguns meses depois,
a g b
ambos descobriram um elemento ainda mais radioativo ao qual deram o nome de rádio.
Ainda no ano de 1898, Ernest Rutherford utilizou uma tela fluorescente para Placas
detectar as radiações provenientes de um material radioativo. Com auxílio de placas eletricamente
carregadas
metálicas eletricamente carregadas descobriu que havia dois tipos de radiação, que
chamou de alfa (a) e beta (). A radiação a, segundo ele, deveria ser formada por par- Bloco
de chumbo
tículas de carga positiva, uma vez que seu feixe é atraído pela placa negativa (veja o (isolante
esquema ao lado). Já a radiação  deveria ser formada por partículas negativas, pois seu da radiação)
feixe é atraído pela placa positiva. Além disso, como as partículas a sofrem um desvio Amostra radioativa
menor, isso significa que elas devem possuir massa maior do que as partículas , pois,
quanto maior for a massa de uma partícula, maior será a sua inércia e, portanto, mais

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


difícil será alterar sua trajetória.
Quando um átomo
Em 1900, Paul Villard, na França, descobriu uma outra forma de radioatividade que não emite a,  ou g, dize-
apresenta carga elétrica, chamada de radiação gama (g). Nesse mesmo ano, Bec­querel mos que ele sofreu de-
descobriu que as partículas b são, na verdade, elétrons com alta ­velocidade. Em 1909, caimento radioativo.
Rutherford mostrou que as partículas a são íons de hélio bipositivos.

2 Radioatividade é um fenômeno nuclear


Número atômico (Z) é um número que indica quantos prótons há no núcleo de um átomo,
e número de massa (A) corresponde à soma dos números de prótons e nêutrons. Átomos que
possuem mesmo número atômico pertencem ao mesmo elemento químico.

Radioatividade é um fenômeno nuclear. Uma reação nuclear é um processo


em que o núcleo de um átomo sofre alteração.
Nuclídeo é o nome dado a um núcleo caracterizado por um número atômico
(Z) e um número de massa (A).
Radionuclídeo ou radioisótopo é um nuclídeo emissor de radiação.
Palê Zuppani/Pulsar Imagens

Núcleo

Eletrosfera
O pica-pau e a árvore são
s

radioativos. Todo ser vivo


s As reações químicas emite pequena quantidade
afetam a eletrosfera do de radiação graças à
átomo. Já as reações presença, no organismo, de
nucleares afetam o núcleo átomos radioativos, como
do átomo. o carbono-14.

2
Radioatividade: ­fenômenos de origem ­nuclear

Perceba a diferença entre uma reação química e uma reação nuclear. As reações
químicas estão relacionadas à eletrosfera. Antes e depois delas, os átomos estão unidos
de maneira diferente, e essa união envolve os elétrons. Já uma reação nuclear provoca

Físico-Química • Capítulo 24
alterações no núcleo do átomo, como veremos neste capítulo.
Isótopos são átomos com um mesmo número atômico e diferentes números de mas-
sa. A palavra isótopo, além desse significado, pode também ser usada como sinônimo da
palavra nuclídeo.

3 Estudo das emissões alfa, beta e gama

3.1 As radiações a e b
Atualmente, sabe-se que há núcleos instáveis. A emissão de partículas a ou b são
alguns modos pelos quais um núcleo diminui ou elimina sua instabilidade.
As partículas alfa são constituídas por 2 prótons e 2 nêutrons, isto é, o ­núcleo de um
átomo de hélio (42He). São simbolizadas por 42 a. Quando um núcleo as emite, perde 2 pró-
tons e 2 nêutrons.
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

Sobre as emissões a, foi enunciada por Soddy, em 1911, a chamada Primeira Lei da
Radioatividade: “Quando um radionuclídeo emite uma partícu­la a, seu número de
massa diminui 4 unidades e seu número atômico diminui 2 unidades”. A figura A ajuda
a entender por que a emissão alfa provoca essas variações no núcleo.

A Esquema genérico de uma emissão


s

alfa. Exemplos podem ser assim


equacionados:
Nuclídeo inicial Nuclídeo Partícula alfa
238 4 234
(representação final (2 prótons 92 U  →  2 a  1  90 Th
esquemática) e 2 nêutrons) 226 4 222
88 Ra  →  2 a  1  86 Rn

As partículas b são elétrons emitidos pelo núcleo de um átomo instável, sendo


representadas por –10b. Você deve estar se perguntando: Como pode o núcleo de um átomo
emitir um elétron? A resposta reside no fato de que, em núcleos instáveis betaemissores,
um nêutron pode se decompor em um próton, um elétron e um antineutrino. O próton
permanece no núcleo, o elétron (partícula b) e o antineutrino são emitidos. O antineutrino
é uma partícula com número de massa zero e carga nula. Não vamos nos preocupar com
o antineu­t rino, pois, assim como ele, atualmente se conhecem muitas outras partículas
subatômicas além dos prótons, nêutrons e elétrons, e o estudo dessas outras partículas é
complexo e está além dos objetivos deste livro.
Assim, ao emitir uma partícula b, o núcleo tem a diminuição de um nêutron e o au-
mento de um próton, como aparece esquematizado na figura B. Desse modo, o número
de massa permanece constante.
A Segunda Lei da Radioatividade, enunciada por Soddy, Fajjans e Russel, em 1913, diz:
“Quando um radionuclídeo emite uma partícula b, seu número de massa permanece
constante e seu número atômico aumenta 1 unidade”.

B Diminuição de Aumento de
1 nêutron 1 próton Esquema genérico de uma emissão
s

beta. Exemplos podem ser assim


equacionados:
214 0
83 Bi  →  –1 b  1  214
84 Po
Nuclídeo inicial Nuclídeo Partícula Anti- 210
→  0
1  210
81 Tl  –1 b  82Pb
(representação final beta neutrino
esquemática) (elétron)

3
Química na abordagem do cotidiano

Ondas eletromagnéticas
Físico-Química • Capítulo 24

A luz e o som são exemplos de ondas. No en-


tanto, existe uma diferença muito grande entre
ambos. O som não se propaga no vácuo, mas a Luz visível
luz sim. O som é um exemplo das chamadas
“ondas mecânicas”, e a luz, um exemplo das Responsável pelo Comunicação via satélite
chamadas “ondas eletromagnéticas”. bronzeamento
Radar
Ondas mecânicas são aquelas que neces- Aparelhos para
sitam de um meio material para se propagar. radiografias
Não se propagam no vácuo.
Ondas eletromagnéticas são as que não ne-
cessitam de um meio material para se propagar.
Conseguem se propagar no vácuo. São também Forno e fogão
Cuidado
chamadas de radiações eletromagnéticas.
Outros exemplos de ondas eletromag-
néticas são as ondas de rádio e televisão, as Explosões nucleares Forno de Televisão, AM, FM,
micro-ondas, o infravermelho, o ultravio­leta, e materiais radioativos micro-ondas comunicação náutica,
os raios X e os raios g. aeronáutica etc.
Todas as ondas eletromagnéticas possuem
ESPECTRO
a mesma velocidade de pro­­­pagação no vácuo. Radiação gama Raios X UV IV Micro-ondas Ondas de rádio ELETROMAGNÉTICO
Seu valor é c 5 3,0 ? 108 m/s (c é o símbolo da

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


10 24 10 22 10 20 10 18 10 16 10 14 10 12 10 10 10 8 10 6 10 4 Frequência (Hz)
velocidade das ondas eletromagnéticas no
Aumenta a frequência
vácuo). No ar, essa velocidade é praticamente a
mesma. O que diferencia uma onda eletromag-
nética de outra é sua frequência, que é expressa
em hertz (Hz), ou seja, oscilações por segundo.
O esquema ao lado ilustra as faixas de 7,5 • 10 14 Hz Parte visível do espectro eletromagnético (espectro visível) 4,3 • 10 14 Hz
frequência dos diferentes tipos de ondas ele-
tromagnéticas.

3.2 A radiação g
Radiação a
Ao contrário das radiações a e b, que são constituídas por partículas, a
radiação g é formada por ondas eletromagnéticas emitidas por núcleos instáveis Radiação b
logo em seguida à emissão de uma partícula a ou b. Radiação g
Tomemos como exemplo o césio‑137. Ao emitir uma partícula b, seus
núcleos se ­t ransformam em bário‑137. No entanto, pode acontecer de, mesmo Papel, folha de papel-
-alumínio, roupa fina
com a emissão, o ­núcleo resultante não eliminar toda a energia que precisaria
Laminado de metal,
para se estabilizar. A ­emissão de uma onda eletromagnética (radiação g) ajuda madeira densa,
um núcleo instável a se estabilizar. roupa grossa
137
→   0 137 Parede fina de
55Cs   –1b   1   56Ba chumbo ou concreto
b-emissor instável
s As radiações a, b e g pos­suem diferente
137 0 137 poder de penetração. Uma partí­cula a pode
56Ba   →   0g   1   56Ba penetrar até 0,05 cm na pele e uma b, até
instável estável 1,5 cm. A radiação g, por sua vez, facilmente
atravessa todo o nosso organismo.
É importante dizer que, das várias ondas eletromagnéticas (radiação g,
raios X, micro-ondas, luz visível etc.), apenas os raios g são emitidos pelos
núcleos atômicos. Quando um átomo emite a, b ou g, dizemos que ele sofreu
decaimento radioativo. Como mostra o esquema acima, as radiações a, b e g Importante
possuem diferentes capacidades para atravessar os materiais. Para o estudante será muito
útil conhecer as representações:
Poder de penetração: g  b  a Partícula alfa:  42 a  ou  42He
Partícula beta:  210b  ou  210e
As partículas a possuem pequeno poder de penetração, o que é fácil de
Radiação gama:  00g
entender, levando em conta que possuem mais massa que as b e, por isso, se
Nêutron:  01n
movimentam com velocidade menor. Além disso, possuem carga elétrica maior,
Próton:  11p  ou  11 H (núcleo do
o que favorece a interação com a matéria. Já os raios g, não possuindo carga
hidrogênio leve)
elétrica, conseguem percorrer uma distância bem maior dentro dos materiais.

4
Radioatividade: fenômenos de origem nuclear

Comparação entre as radiações a, b e g biblioteca do professor


Informe-se sobre a Química:

Físico-Química • capítulo 24
Por que, mesmo desligados,
Carga Massa Poder de
Símbolo Composição Velocidade reatores da usina de
relativa (u) penetração Fukushima superaqueceram?

4 2 prótons 5% a 10% da
2a ou 24He 12 4 Muito baixo
2 nêutrons velocidade da luz

0 1 Até 90% da
21  ou 210e Elétron 21 Baixo
1.836 velocidade da luz

0 Onda Igual à velocidade


0g 0 0 Alto
eletromagnética da luz (3,0 ? 108 m/s)

A critério do(a) professor(a) esta lista de exercícios


Exercícios essenciais poderá ser realizada em classe ou em casa.

67
1. Átomos de 31Ga são utilizados em Medicina, no Exercício Resolvido
diagnóstico de tumores. Explique o significado dos
5. Equacione a emissão  pelo 214
83Bi.
números que aparecem ao lado do símbolo do ele-
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

mento gálio na representação 67


31Ga. Resolução
2. (Fuvest-SP) Quais as semelhanças e diferenças entre 214
83Bi → 0
21 1 AZX
os isótopos de césio 133 137
55Cs (estável) e 55Cs (radioati-
• Balanço de números de massa:
vo), com relação ao número de prótons, nêutrons e
elétrons? 214 5 0 1 A ⇒ A 5 214
3. (PUC-Campinas-SP) Átomos de elementos quími- • Balanço das cargas nucleares:
cos radioativos como urânio, tório e actínio, após 83 5 21 1 Z ⇒ Z 5 84
sucessivas transformações, estabilizam-se na forma
Consultando Z 5 84 na tabela periódica, encon-
de isótopos estáveis de chumbo com números de mas-
tramos o polônio, símbolo Po. Portanto, a equação
sa 206, 207 e 208. Esses átomos de chumbo diferem
pedida é:
quanto:
214 0 214
a) ao número de nêutrons. 83Bi → 21 1 84Po
b) à carga nuclear.
c) à quantidade de prótons.
d) ao número atômico. 6. Relógios cujos ponteiros brilham no escuro eram
fabricados com uma substância fosforescente
e) à configuração eletrônica.
misturada com um composto de trítio ( 31H). A emissão
radioativa desse nuclídeo produz o isótopo hélio-3
Exercício Resolvido (isto é, hélio com número de massa 3) e libera energia
4. Equacione a emissão a pelo 230
90 Th.
que faz a substância fosforescer, emitindo luz. Baseado
nessas informações:
Resolução a) Que partícula é emitida pelo trítio?
Escrevemos a equação usando um símbolo hipotético
b) Represente a equação dessa emissão radioativa.
(por exemplo, X) para o nuclídeo produzido e calcu-
lamos A e Z do nuclídeo X utilizando o balanço de 7. “Na primeira parte do século XX, antes da descoberta
números de massa e de cargas nucleares. dos efeitos nocivos dos materiais radioativos, mostra-
230 4
90Th → 2a 1 AZX dores de relógios de pulso eram pintados com rádio
• Balanço de números de massa: [226
88Ra] para que pudessem brilhar no escuro. Como
muitos pintores costumavam lamber a ponta de seus
230 5 4 1 A ⇒ A 5 226 pincéis com a intenção de afiná-las, muitos deles de-
• Balanço das cargas nucleares: senvolveram câncer na boca devido às partículas alfa
90 5 2 1 Z ⇒ Z 5 88 emitidas pelo rádio.” (BETTELHEIM, F.; MARCH, J.
Introduction to General, Organic & Biochemistry
Consultando Z 5 88 na tabela periódica, encontramos 4. ed. Saunders. p. 265.)
o rádio, símbolo Ra. Portanto, a equação pedida é:
a) Qual o nuclídeo formado no decaimento mencio-
230 4 226
90Th → 2a 1 88Ra nado?
b) Equacione o processo.

5
Química na abordagem do cotidiano

222
8. (UCB-DF) Ao se desintegrar, o átomo de 86 Rn se proveniente da quebra de um nêutron, formando
transforma em 84Po. O número de partículas 24a e 210b
210
também um próton, que permanece no núcleo. A
emitidas no processo é, respectivamente: equação que representa o decaimento radioativo do
Físico-Química • Capítulo 24

a) 2 e 4 b) 2 e 6 c) 3 e 2 d) 3 e 4 e) 4 e 6 isótopo 238U até o isótopo estável 206Pb é:


9. (Vunesp) No processo de desintegração natural de a) 238
92U  → 
206
82Pb
238
92 U,pela emissão sucessiva de partículas alfa e b) 238 206
1  8 42 a  1  4 210b
92U  →  82Pb 
beta, forma-se o 226
88Ra. Os números de partículas alfa
e beta emitidas nesse processo são, respectivamente: c) 238
92U  → 
206
82Pb  1  8 42 a  1  6 210b
a) 1 e 1 b) 2 e 2 c) 2 e 3 d) 3 e 2 e) 3 e 3 d) 238
92U  → 
206
82Pb  1  5 42 a  1  5 210b
10. (PUC-SP) O fenômeno da radioatividade foi descri- e) 238
92U  → 
206
82Pb  1  6 42 a  1  6 210b
to pela primeira vez no final do século XIX, sendo
11. (UFV-MG) O tório é encontrado no Brasil associado
largamente estudado no início do século XX. Apli-
aos elementos denominados terras raras, na areia mo-
cações desse fenômeno vão desde o diagnóstico e
nazítica. O núcleo do átomo deste elemento radioa­
combate de doenças até a obtenção de energia ou a
tivo sofre uma série de desintegrações espontâneas,
fabricação de artefatos bélicos.
até atingir uma configuração estável. Parte dessa
Duas emissões radioativas típicas podem ser repre- série é representada abaixo.
sentadas pelas equações: 226 A
88Ra  →  Z X  1  210b
238 234
92U  →  90 Th  1  42 a
A comparação entre os núcleos dos átomos de Ra e os
234 234
90 Th  →  91Pa  1  210b do elemento X permite classificá-los Corretamen-
A radiação a é o núcleo do átomo do hélio, possuindo te como:

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


2 prótons e 2 nêutrons, que se desprende do núcleo a) isóbaros. c) isótonos.
do átomo radioativo. A radiação b é um elétron, b) isótopos. d) isoeletrônicos.

+ Seu(sua) professor(a) indicará quais exercícios


Exercícios adicionais deste bloco você deve fazer.

12. (PUC-RJ) A representação 235


92U significa: 15. (Covest-PE) A radiação gama consiste de:
a) isótopo do urânio de número de massa 92. a) partículas constituídas por elétrons, como conse-
b) isótopo do urânio de número de massa 235. quência de desintegração de nêutrons.
c) isótopo do urânio de número atômico 235. b) ondas eletromagnéticas emitidas pelo núcleo,
d) 92 átomos de urânio. como consequência da emissão de partículas alfa
e) 235 átomos de urânio. e beta.
13. (UFPE) A água contendo isótopos 2H é denominada c) partículas constituídas por núcleos do elemento
“água pesada”, porque a molécula H 2 O quando 2 16 hélio.
comparada com a molécula 1H216O possui: d) partículas formadas por dois prótons e dois
a) maior número de nêutrons. ­nêutrons.
b) maior número de prótons. e) partículas com massa igual à do elétron e sem
c) maior número de elétrons. carga.
d) menor número de elétrons. 16. (Faap-SP) Sabendo que o átomo 235
92U emite três par-
e) menor número de prótons. tículas a e duas partículas b, determine o número
atômico e o número de massa do átomo do elemento
Comentário dos autores: resultante.
A indicação 1H216O representa uma molécula de 17. (PUC-PR) Supondo que um elemento Y, de massa
H2O em que os dois átomos de hidrogênio são ­atômica 238 e número atômico 92, emita, em se­
do isótopo 1H e o átomo de oxigênio é do isóto- quência, 3 partículas a e uma partícula b, qual a
po 16O. Analogamente, na molécula 2H216O am- massa atômica e o número atômico do elemento
bos os átomos de hidrogênio são do isótopo 2H. químico resultante do processo?
a) 238 e 92 c) 222 e 88 e) 226 e 87
b) 237 e 94 d) 222 e 86
14. (ITA-SP) Suponha que um metal alcalinoterroso se
desintegre radioativamente emitindo uma partícula 18. (Cesgranrio-RJ) Um elemento radioativo X emite,
alfa. Após três desintegrações sucessivas, em qual sucessivamente, uma partícula alfa (a) e duas par-
grupo (família) da tabela periódica deve-se encon- tículas beta (b2), transformando-se no elemento Y.
trar o elemento resultante desse processo? Os elementos X e Y são:
a) 13 (IIIA) c) 15 (VA) e) 17 (VIIA) a) isótopos. c) isômeros. e) isotônicos.
b) 14 (IVA) d) 16 (VIA) b) isóbaros. d) isótonos.

6
Radioatividade: ­fenômenos de origem ­nuclear

3.3 Efeitos biológicos da radiação ionizante


As partículas a e b e os raios g possuem a propriedade de ionizar as moléculas que encontram

Físico-Química • Capítulo 24
em seu caminho, isto é, arrancar elé­t rons delas, originando íons.
Ao atravessar tecidos biológicos, as partículas radioativas provocam a ionização de mo-
léculas existentes nas células. Essa ionização pode conduzir a reações químicas anormais e
à destruição da célula ou alteração das suas funções. Isso é particularmente preocupante no
caso de lesões no material genético, o que pode causar uma reprodução celular descontrolada,
provocando câncer.
Alterações do material genético das células reprodutivas (espermatozoide e óvulo) podem causar
doenças hereditárias nos filhos que o indivíduo possa vir a gerar. Os raios g são geralmente os mais
perigosos em virtude de seu elevado poder de penetração.

0DWHULDOJHQpWLFR
0DWHULDOJHQpWLFR

,QFLGrQFLDGHUDGLDomR
,QFLGrQFLDGHUDGLDomR
5HDomR
5HDomR
TXtPLFD
TXtPLFD 0DWHULDO
0DWHULDO
,RQL]DomR
,RQL]DomR JHQpWLFR
JHQpWLFR
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

DOWHUDGR
DOWHUDGR

s Esquema da alteração do material genético pela incidência de radiação ionizante.

3.4 Detecção da radiação


O mais conhecido dos instrumentos detectores de radiação é o contador Geiger (ou contador
Geiger-Müller).
Seu funcionamento é baseado na tendência que as radiações têm de ionizar gases. Quando a
radiação (alfa, beta ou gama) ioniza o gás que existe dentro de uma ampola especial, esse gás se torna,
momentaneamente, condutor de corrente elétrica. Isso é detectado pelo aparelho e convertido em
um sinal sonoro e em uma medida que aparece num mostrador. Quanto mais radiação atingir o gás
da ampola, maior será a condutividade elétrica do gás, o nível de ruído ouvido e o nível de radiação
indicado pelo mostrador.
Para pessoas que trabalham em locais sujeitos a radiação há outros métodos de controle da
radiação recebida. Dentre eles podemos citar os dosímetros (que se parecem com crachás ou bas-
tonetes). Eles são pendurados na roupa e contêm substâncias especiais que mudam de cor à medida
que recebem radiação. Assim, eles informam se a pessoa recebeu radiação e também dão uma noção
aproximada da dose recebida.

Tubo contendo gás


argônio Alto-falante
Janela de cristal Tubo externo de
transparente metal (polo – )
Fio de metal
(polo + )
Detector
+ Funcionamento do contador
s

Geiger. A radiação arranca


elétrons do gás. Esses elétrons
Fonte – são atraídos pelo fio central (polo
radioativa positivo) gerando no circuito
uma corrente momentânea que é
– + registrada pelo detector. Assim,
Elétron podemos dizer que o contador
Radiação Bateria Geiger se baseia na ionização
Íon
produzida pela radiação, seja ela
a,  ou g.

7
Química na abordagem do cotidiano

A B A  A exposição de um ser
Danos cerebrais humano a uma alta dose de
5DGLDomRQDWXUDOGHIXQGR 5DGLRQXFOtGHRVSUHVHQWHV
podem causar QRVRORHQDVURFKDV radiação pode dar origem a
delírio, convulsões inúmeros efeitos imediatos.
Físico-Química • Capítulo 24

e morte 5DLRVFyVPLFRV Alguns deles aparecem neste



esquema.
Danos aos olhos podem 5DGLRQXFOtGHRVSUHVHQWHV

provocar catarata QRFRUSR Fonte: RAVEN, P. H.; BERG, L. R.
5DG{QLR H[FDUERQR Environment. 3. ed. Orlando:
Lesões na boca podem    SRWiVVLR Saunders, 2001. p. 257.
incluir úlceras bucais
 B Esquema mostrando as
Estômago e intestino, ([SRVLomRUHODWLYDj fontes de radiação a que os

quando lesados, SURILVVmRHDSURGXWRV seres humanos estão sujeitos.
provocam náuseas LQGXVWULDOL]DGRV Note que boa parte (82%) se
e vômitos. Infecções
intestinais podem refere a fontes naturais, que não
levar à morte 5DLRV; PHGLFLQD conduzem necessariamente a
RGRQWRORJLD HUDLRVg
PHGLFLQDQXFOHDU problemas de saúde.
Danos à criança em
gestação podem Fonte: JOHLL, M. E. Investigating
incluir retardo Chemistry: a forensic science
mental, particular- perspective. Nova York: Freeman,
mente se a exposição 2007. p. 359.
à radiação ocorrer
no início da gravidez  Contador Geiger.

Danos aos ovários (ou

Richard J. Green/Photo Researchers/Latinstock


testículos) provocam C
esterilidade ou afetam os
filhos que o indivíduo

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


possa vir a gerar

Lesões na medula óssea


podem conduzir a
hemorragias ou
comprometer o
sistema imunitário

Ruptura de vasos
sanguíneos leva s Este símbolo indica:
(Representação esquemática,
à formação “Cuidado, fonte de
em cores fantasiosas.)
de hematomas radioatividade!”.

A critério do(a) professor(a) esta lista de exercícios


Exercícios essenciais poderá ser realizada em classe ou em casa.

19. Utilizando seus conhecimentos sobre radiações, (?) são partículas pesadas de carga elétrica positiva
responda aos três itens a seguir: que, ao incidirem sobre o corpo humano, cau-
I. Qual o nome do tipo de onda que se propaga no sam apenas queimaduras leves.
vácuo? Cite alguns exemplos. A sequência correta é:
II. O que se pode afirmar sobre a frequência dos a) 1 — 2 — 3 — 2 c) 1 — 3 — 1 — 2 e) 3 — 1 — 2 — 1
raios gama se comparada à das outras ondas b) 2 — 1 — 2 — 3 d) 3 — 2 — 3 — 1
eletromagnéticas? 21. (FGV-SP) Os radiofármacos são utilizados em quan­
III. A emissão exclusiva de ondas gama por um nuclí- tidades traço com a finalidade de diagnosticar
deo afeta o número atômico e o número de massa? patologias e disfunções do organismo. Alguns desses
Por quê? também podem ser aplicados na terapia de doenças
como no tratamento de tumores radiossensíveis.
20. (UFSM-RS) Relacione as radiações naturais (1a colu- A maioria dos procedimentos realizados atualmente
na) com suas respectivas características (2a coluna). em medicina nuclear tem finalidade diagnóstica,
1a coluna sendo o 99mTc (m 5 metaestável) o radionuclídeo
1. alfa (a) 2. beta () 3. gama (g) mais utilizado na preparação desses radiofármacos.
a O 99Mo é o precursor desse importante radionuclídeo
2 coluna cujo esquema de decaimento é apresentado a seguir:
(?) possuem alto poder de penetração, podendo b2 X b2
99
causar danos irreparáveis ao ser humano. Mo  ⎯→  99mTc  ⎯→  99Tc  ⎯→  99Z
(?) são partículas leves com carga elétrica negativa No esquema de decaimento, a radiação X e o nuclídeo
e massa desprezível. Z e seu número de nêutrons são, respectivamente:
(?) são radiações eletromagnéticas semelhantes a) gama, Ru e 55. d) alfa, Ru e 53.
aos raios X, não possuem carga elétrica nem b) gama, Mo e 57. e) alfa, Rh e 54.
massa. c) beta, Rh e 54.

8
Radioatividade: fenômenos de origem nuclear

+ Seu(sua) professor(a) indicará quais exercícios


Exercícios adicionais deste bloco você deve fazer.

Físico-Química • capítulo 24
22. (Mackenzie-SP) Pierre Curie, ao receber com a es- 24. (UEL-PR) Os elementos radioativos são muito usa-
posa o Prêmio Nobel, declarou: “Não é difícil prever dos em medicina, tanto para diagnósticos como
que em mãos criminosas o rádio pode ser muito para procedimentos terapêuticos. São também
perigoso. Terá a humanidade adquirido maturidade usados para determinar os mecanismos das reações
suficiente para usar os conhecimentos sem danos? químicas e determinar a idade de objetos antigos.
Os explosivos permitiram ao homem realizar obras As reações nucleares são aproveitadas em geradores
notáveis e ao mesmo tempo serviram de terrível meio de eletricidade e em armas de destruição maciça.
de destruição em mãos dos que lançaram nações Com relação à emissão de partículas e/ou radiações
nos horrores da guerra. Sou dos que pensam como por átomos radioativos, é correto afirmar:
Nobel ao achar que as novas descobertas trazem
a) Radioatividade é a emissão espontânea de partícu-
mais benefícios que prejuízos à humanidade”.
las e/ou radiações de núcleos estáveis de átomos,
No texto, Pierre Curie disse que: originando outros núcleos que serão sempre
a) os homens sempre tiveram maturidade para usar instáveis.
os conhecimentos adquiridos.
b) A partícula a é um núcleo do átomo de hélio, por-
b) o uso do rádio nunca poderia trazer benefícios. tanto é formada por dois prótons, dois elétrons e
c) os benefícios trazidos à humanidade por novas dois nêutrons.
descobertas são maiores que os prejuízos.
c) A partícula  forma-se a partir da desintegração
d) a descoberta de Nobel só trouxe prejuízos.
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

do nêutron, que dá como resultado um próton, um


e) os explosivos devem ser usados somente para a elétron (partícula ) e um neutrino, partícula sem
guerra. carga elétrica e de massa desprezível.
23. (Unifesp) O isótopo 131 do iodo (número atômico 53) d) As emissões gama (g) são partículas que apresen-
é usado no diagnóstico de disfunções da tireoide, tam menor poder de penetração e maior poder
assim como no tratamento de tumores dessa glân- ionizante sobre os gases.
dula. Por emissão de radiação  e g, esse isótopo se
e) As emissões alfa (a) são os principais responsáveis
transforma em um outro elemento químico, E. Qual
pelos efeitos biológicos das radiações. Podem pro-
deve ser a notação desse elemento?
duzir mutações nas células do nosso organismo,
a) 130
52E b) 131
52E c) 130
53E d) 130
54 E e) 131
54 E com gravíssimas consequências genéticas.

4 Cinética dos decaimentos radioativos


tempo de meia-vida
Quando um radionuclídeo emite partículas alfa ou beta, ele se transforma, como
vimos, em outro nuclídeo diferente. Assim, à medida que o tempo passa, a quantidade de
radionuclídeo vai diminuindo.

Tempo de meia-vida ou período de semidesintegração (representado por t1/2


ou P) é o tempo necessário para que metade da quantidade de um radionuclídeo
presente em uma amostra sofra decaimento radioativo.

t1/2 t1/2 t1/2 Quando a massa de um radioisótopo se reduz à


s

etc.
metade, também se reduzem à metade o nú mero
m0 m0 m0 m0 de átomos, a quantidade em mols e a atividade
2 4 8 radioativa (desintegrações por segundo) desse
(Massa inicial)
radioisótopo.

O tempo de meia-vida é uma característica de cada radionuclídeo e não depende da


quantidade inicial do radionuclídeo nem de fatores como pressão, temperatura e com- biblioteca do professor
posição química do material (lembre-se de que radioatividade é um fenômeno nuclear, Informe-se sobre a Química:

e não químico). A tabela 1, na página a seguir, mostra alguns exemplos de valores de tempo O que é meia-vida de um
fármaco?
de meia-vida.

9
biblioteca do professor
Química na abordagem do cotidiano

Graficamente, podemos representar o processo de decaimento radio- tabela 1 Alguns valores de meia-vida
ativo por meio da chamada curva exponencial de decaimento:
Nuclídeo e
Meia-vida
Físico-Química • Capítulo 24

emissão(ões)
131
radionuclídeo na amostra 53I, b, g 8 dias
60
100% 27Co, b, g 5,27 anos
Porcentagem do

3
Curva exponencial 1H (trítio), b 12,5 anos
de decaimento 90
50% 38 Sr, b 28 anos
25% 235
92U, a, g 710 milhões de anos
12,5% Número de
meias-vidas 238
0 1 2 3 92U, a, g 4,5 bilhões de anos
transcorridas
Fonte: MILLER JR., G. T. Living in the environment.
Iodo-131 0 8 16 24 dias
14. ed. Pacific Grove: Brooks/Cole, 2005. p. 49.
Urânio-238 0 4,5 9,0 13,5 bilhões de anos

A critério do(a) professor(a) esta lista de exercícios


Exercícios essenciais poderá ser realizada em classe ou em casa.

5. (Mackenzie-SP)
2 27. (UFPI) Na indústria nuclear os trabalhadores utilizam

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


2011 — Ano Internacional da Química a regra prática de que a radioatividade de qualquer
A Unesco, em conjunto com a IUPAC, decidiu instituir, amostra torna-se inofensiva após dez meias-vidas.
em 2011, o Ano Internacional da Química, tendo, como Identifique a fração que permanecerá após esse
meta, promover, em âmbito mundial, o conhecimento ­período:
e a educação química em todos os níveis. Além da a) 0,098% d) 1,12%
celebração dos inúmeros benefícios da Química para b) 0,195% e) 3,13%
a humanidade, o ano de 2011 também coincide com c) 0,391%
o centésimo aniversário do recebimento do prêmio
Nobel de Química por Marie Curie, celebrando a Exercício Resolvido
contribuição das mulheres à ciência. Marie Curie e seu 28. Quantas meias-vidas devem transcorrer para
marido Pierre Curie descobriram, em 1898, o elemento que 93,75% de um certo radionuclídeo sofra
químico radioativo polônio, de número atômico 84, decaimento nuclear?
que foi batizado com esse nome em homenagem à
Polônia, pátria de origem de Marie Curie. Resolução
O elemento químico polônio tem 25 isótopos conheci- Se 93,75% sofrerão decaimento nuclear, restarão
dos, com números de massa que variam de 194 a 218. 6,25%. Esquematicamente:
t1/2 t1/2 t1/2 t1/2
O Po-210 é o isótopo natural mais comum, com um 100%  →  50%  →  25%  →  12,5%  →  6,25%
período de meia-vida de 134,8 dias, e sua reação de
Portanto, o tempo total é   4 meias-vidas  .
decaimento produz o chumbo (Pb-206).
O decaimento do Po-210 a Pb-206 é corretamente
expresso pela equação:
84 82 29. O isótopo 32
15P, cuja meia-vida vale 14 dias, é usado por
a) 210 Po  →  206 Pb 1 a d) 210 206
84 Po  →  82Pb 1 a certos laboratórios no estudo de alguns processos
84 82
b) 210 Po  →  206 Pb 1 b e) 210 206
84 Po  →  82Pb 1 b que ocorrem dentro de células vivas. Se um labo-
c) 210 82
84 Po  →  206 Pb 1 a 1 b
ratório recebeu uma amostra de 20 g desse isótopo,
quanto restará após 70 dias?
Exercício Resolvido
30. A meia-vida do estrôncio-90 vale 28 anos. Quanto
26. A meia-vida do polônio-218 é 3 min. Qual é o tempo é necessário para que restem 12,5% de uma
tempo necessário para que uma amostra desse amostra desse isótopo?
nuclídeo se reduza à quarta parte da inicial?
31. (Mackenzie-SP) Em 2010 uma cápsula de um isótopo
Resolução radioativo X foi encontrada por um perito da CNEN
Partindo inicialmente de 1, após uma meia-vida, (Comissão Nacional de Energia Nuclear) durante a
teremos 1 e, após outra meia-vida, restará 1 da varredura de um galpão abandonado. Ao analisar
2 4 essa cápsula, o perito observou que a mesma havia
amostra. 3 min 1 3 min sido lacrada em 1990 com 80 g do referido isótopo.
1
1  ⎯⎯→    ⎯⎯→  Em seguida, a cápsula foi encaminhada a um labo-
2 4
Assim, o tempo total transcorrido será   6 min . ratório especializado e, após análises realizadas,
verificou-se que ainda restavam 2,5 g do isótopo

10
Radioatividade: ­fenômenos de origem ­nuclear

radioativo no interior da mesma. Assim, o perito con- 35. (ITA-SP) Qual o gráfico que apresenta a curva que
cluiu que se tratava de um isótopo com a meia-vida melhor representa o decaimento de uma amostra
de aproximadamente: contendo 10,0 g de um material radioativo ao longo

Físico-Química • Capítulo 24
a) 2 anos. c) 6 anos. e) 10 anos. dos anos?
b) 4 anos. d) 8 anos. a)
10,0
32. (Fuvest-SP) O isótopo 14 do carbono emite radiação
b, sendo que 1 g de carbono de um vegetal vivo

Massa (g)
­apresenta cerca de 900 decaimentos b por hora —
valor que permanece constante, pois as plantas
absorvem continuamente novos átomos de 14C da
atmosfera enquanto estão vivas. Uma ferramenta
de madeira, recolhida num sítio arqueológico, Tempo (anos)
apresentava 225 decaimentos b por hora por gra-
ma de carbono. Assim, essa ferramenta deve datar,
aproximadamente, de:
a) 19100 a.C. c) 9400 a.C. e) 3700 a.C. b)
b) 17100 a.C. d) 7400 a.C. 10,0
Dado: tempo de meia-vida do 14C 5 5700 anos

Massa (g)
33. (UFPA) Um isótopo radioativo Y emite radiação b e
perde 87,5% de sua atividade em 24 dias, transfor-
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

mando-se em xenônio (Xe).


a) Escreva a equação de decaimento de Y.
b) Qual é o elemento Y? Tempo (anos)
c) Calcule o tempo de meia-vida de Y.  

34. (UFG-GO) Em 2007, completaram-se 20 anos do


acidente radiológico com o césio-137 em Goiânia. c)
No ano do acidente, 20 g de cloreto de césio-137, por 10,0
total desconhecimento do conteúdo e de suas conse­
Massa (g)

quências, foram liberados a céu aberto, provocando


um dos maiores acidentes radiológicos de que se
tem notícia. Após a tragédia, o dejeto radioativo foi
armazenado num local próximo à cidade de Abadia
de Goiás. O gráfico a seguir mostra a curva de decai-
mento radioativo do césio. Tempo (anos)

100
Porcentagem de CsCl em atividade

90
80 d)
70 10,0
60
Massa (g)

50
40
30
20
10
0 Tempo (anos)
0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100
Tempo (anos)

A partir do ano de 2007 e com base nos dados for-


necidos, a quantidade em gramas do sal 137CsCl nos e)
10,0
resíduos, após o tempo equivalente a uma meia-vida
do césio-137, será, aproximadamente:
Massa (g)

a) 5,0
b) 6,4
c) 8,0
d) 10,0
e) 12,8 Tempo (anos)

11
Química na abordagem do cotidiano

+ Seu(sua) professor(a) indicará quais exercícios


Exercícios adicionais deste bloco você deve fazer.
Físico-Química • Capítulo 24

3
6. (Mackenzie-SP) O acidente com o césio-137 em c) 13,5 ? 109 anos.
Goiânia, no dia 13 de setembro de 1987, foi o maior d) 18,0 ? 109 anos.
acidente radioativo do Brasil e o maior do mundo e) 22,3 ? 109 anos.
ocorrido em área urbana. A cápsula de cloreto de
césio (CsCl), que ocasionou o acidente, fazia parte 39. (UFRJ) Os radioisótopos 225 210
89Ac e 83Bi apresentam as

de um equipamento hospitalar usado para radio- seguintes curvas de decaimento radioativo:


terapia que utilizava o césio-137 para irradiação
de tumores ou de materiais sanguíneos. Nessa 0DVVD J
cápsula, havia aproximadamente 19 g do cloreto de P
césio-137 (t1/2 5 30 anos), um pó branco parecido
com o sal de cozinha, mas que, no escuro, brilha
com uma coloração azul. Admita que a massa total
de cloreto de césio contida na cápsula tenha sido re- 
%L

cuperada durante os trabalhos de descontaminação
e armazenada no depósito de rejeitos radioativos  $F


do acidente, na cidade de Abadia de Goiás. Dessa
forma, o tempo necessário para que restem 6,25% da 
quantidade de cloreto de césio contida na cápsula
7HPSR

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


e a massa de cloreto de césio-137 presente no lixo
radioativo, após sessenta anos do acidente, são,
respectivamente: a) O 210 225
83 Bi tem a metade da meia-vida do 89 Ac.
210
­Determine m0, a massa inicial do 83Bi.
a) 150 anos e 2,37 g.
b) 120 anos e 6,25 g. b) O 225
89Ac chega, por emissões sucessivas de uma
mesma partícula, a um outro isótopo do bismuto:
c) 150 anos e 9,50 g.
o 213
83Bi.
d) 120 anos e 9,50 g.
Identifique essa partícula e determine o número de
e) 120 anos e 4,75 g. vezes que ela é emitida durante esse decaimento.
3
7. (UFRJ) A tabela a seguir apresenta os tempos de 4
0. (FGV-SP) O gráfico mostra a radioatividade numa
meia-vida de diversos radioisótopos: amostra de radiofármaco contendo Tl-201, usado
em diagnóstico por imagem do miocárdio. A abs-
206 207 209 211 213 223 225
Radioisótopo Tl Tl Pb Bi Bi Ra Ac cissa mostra o número de dias decorridos a partir
Tempo de 4 5 3 2 47 11 10 da produção desse fármaco e a ordenada mostra a
meia-vida min min horas min min dias dias radioatividade correspondente naquele dia.

a) O metal alcalinoterroso relacionado na tabela 120


emite uma partícula alfa. Determine o número 100
Atividade (MBq)

de nêutrons do produto dessa desintegração.


80
b) Por decaimentos sucessivos a partir do 219Rn,
ocorrem as emissões de duas partículas alfa e 60
uma partícula beta, originando um novo radioisó­ 40
topo X. 20
219
Rn  →  X  1  emissões 0
Consultando a tabela apresentada, determine o 0 2 4 6 8 10 12 14
tempo necessário para que uma massa inicial de Tempo (dias)
400 g de X seja reduzida a 100 g.
Ai
38. (UFPI) A análise de uma amostra de um meteorito Dados: 5 2 x , x 5 número de meias-vidas e
Af
indicou que este contém 3 átomos de chumbo 206 82 Pb log 2 5 0,3
para cada átomo de urânio 23892U. Considerando que A radioatividade nessa amostra (A f) será de cerca de
nenhum 206 82 Pb estaria presente na formação do 1 milésimo da inicial (A i) após:
meteorito e que este é formado pelo decaimento
radioativo do 238 9 a) 15 dias.
92U, cuja meia-vida é 4,5 ? 10 anos,
marque a alternativa correta para a idade do b) 30 dias.
­meteorito. c) 2 meses.
a) 4,5 ? 109 anos. d) 4 meses.
b) 9,0 ? 109 anos. e) 6 meses.

12
Radioatividade: ­fenômenos de origem ­nuclear

5 Algumas aplicações da radioatividade

Físico-Química • Capítulo 24
5.1 Método de datação com carbono-14
Na natureza existem três isótopos do carbono: o 126C, com abundância de
98,9%, o 136C, com abundância de 1,1%, e o 146C, com abundância de 0,000001%.
tabela 2 Isótopos naturais do carbono
Isótopo Abundância natural Radioativo?
12
6C 98,9% Não
13
6C 1,1% Não

14 0,000001% ( 10 ppb, isto é,


6C Sim
10 partes por bilhão)

O menos abundante deles, o carbono-14, é radioativo; ele emite partículas

tito peruzzo
beta. Dizer que o teor de carbono-14 é 0,000001% equivale a dizer que, em cada
bilhão (109) de átomos de carbono, dez são de carbono-14. Isso é o mesmo que
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

dizer que há 10 ppb (ou seja, 10 partes por bilhão) de carbono-14.


Esse isótopo se forma na alta atmosfera, onde continuamente está ocorren-
do uma reação nuclear causada pela colisão de nêutrons cósmicos (vindos do
espaço) com átomos de nitrogênio do ar:
14
7 N    10n  →  14
6C    11p
O carbono-14 formado incorpora-se à atmosfera na forma de CO2. Por meio
da fotossíntese, processo que utiliza CO2 da atmosfera, esses átomos de carbo- s Todo ser vivo tem 10 ppb de
no-14 passam a fazer parte dos seres vivos fotossintetizantes e, por meio das carbono-14.
cadeias alimentares, também dos demais seres vivos.
Os cientistas descobriram que, com a mesma velocidade com que o carbo­no-14
se forma na alta atmosfera, ele se desintegra por meio de decaimento beta:
14 0
6C  →  1 b    147N   t1/2  5.730 anos

james king-holmes/SCIENCE PHOTO


LIBRARY/latinstock
Desse modo, como ele se forma e se desintegra com a mesma velocidade,
sua porcentagem no planeta permanece constante, sendo exatamente a mesma
na atmosfera e em todos os seres vivos (10 ppb).

Ao examinar múmias, fósseis, ossos, pergaminhos e outros achados


arqueológicos compostos por restos de antigos seres vivos, os
cientistas encontraram neles teores de carbono-14 inferiores a 10 ppb,
o que se deve ao decaimento b ocorrido durante os anos que se
passaram desde a morte do ser vivo.
s Amostra de fêmur humano, achado
Isso torna possível, uma vez determinada a porcentagem de carbono-14 na arqueológico, sendo removida para
amostra, calcular a sua idade, consultando a curva de decaimento radioativo. datação com carbono-14.
Esse processo é o método de datação pelo carbono-14.
7HRUGHFDUERQR
Com o passar dos anos,
1RGLDGD os restos do antigo ser vivo
PRUWHXP ficam mais pobres em
VHUYLYR carbono-14 devido ao seu
DSUHVHQWD decaimento radioativo
SSEGH
FDUERQR
 DQRV 7HPSR

'LDGDPRUWH 8PDPHLDYLGDDSyVDPRUWH

13
Química na abordagem do cotidiano

james king-holmes/SCIENCE PHOTO LIBRARY/latinstock

cortesia da nasa
A B
Físico-Química • Capítulo 24

A  Laboratório de datação pelo método do carbono-14.


B  Há processos mais complexos de datação que permitem estimar a idade de rochas. (Eles envolvem outros
radioisótopos, como potássio-argônio, urânio-chumbo, rubídio-estrôncio e samário-neodímio.) Usando tais
métodos, os cientistas puderam estimar a idade da Terra em 4,6 bilhões de anos. As rochas lunares trazidas
pelas missões Apollo 11 e 17 apresentam idades entre 3,2 e 4,2 bilhões de anos.

5.2 Aplicações da radioatividade na Medicina e em outras áreas

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


A incidência de radiação sobre um tecido humano pode induzir o aparecimento de
câncer. Então surge a dúvida: por que os médicos utilizam radiação no combate de casos
evoluídos de câncer?
Apesar de parecer uma incoerência, não é. As células cancerosas são mais fracas que
as normais e, por esse motivo, uma dose controlada de radiação incidindo apenas sobre o
local do tumor pode matar preferencialmente as células cancerosas. Esse é o princípio da
chamada radioterapia do câncer, uma das muitas aplicações pacíficas da radioatividade.
Nela são usados os raios gama provenientes da desintegração de cobalto-60 (artificialmente
produzido) ou césio-137 (isolado do lixo nuclear de reatores).
Ainda na área da Medicina, muitos outros radioisótopos possuem importantes aplica-
ções no diagnóstico de doenças (tabela 3). Uma vez introduzidos no organismo, as emissões
desses radionuclídeos podem ser detectadas por sensores apropriados, fornecendo valiosas
informações sobre o funcionamento dos órgãos.

tabela 3 Uso de radioisótopos em Medicina

Isótopo Aplicação em diagnósticos relacionados a


51
Cr Glóbulos vermelhos
57
Co Metabolismo da vitamina B12
59
Fe Metabolismo do ferro
67
Ga Tumores linfáticos
75
Se Pâncreas
99
Tc Pulmões, ossos, medula óssea, placenta, rins, fígado
131
I Glândula tireoide
Fontes: Tabela elaborada a partir de dados de: Blei, I.; Odian, G. General, Organic and Biochemistry. Connec-
ting Chemistry to your life. 2. ed. Nova York: Freeman, 2006. p. 268; Sackheim, G. I. e Lehman, D. D. Chemis-
try for the Health Sciences. 8. ed. Upper Saddle River: Prentice Hall, 1998. p. 223-6.

Não é apenas na Medicina que a radioatividade encontra aplicações práticas. Ela


pode ser utilizada também para esterilizar alimentos em geral, detectar vazamentos em
tubulações, analisar a espessura de chapas e estudar o mecanismo de reações químicas
e bioquímicas.

14
Radioatividade: fenômenos de origem nuclear

Josh sher/science Photo liBrarY/latinstock

Paul raPson/science Photo liBrarY/latinstock


A B

Físico-Química • capítulo 24
corel/stock Photos

cnri/science Photo liBrarY/latinstock


Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

A Profissional manipulando amostra de radioisótopo para uso em diagnóstico médico. A radioatividade


possui inúmeras aplicações pacíficas que contribuem para o bem-estar da humanidade.
B Profissional utilizando radioatividade para verificar a presença de rachaduras ou imperfeições em tubos
para encanamentos industriais.
 Uso de isótopo emissor gama no diagnóstico de artrite. Um sensor capta a intensidade das emissões, que varia de
acordo com a concentração do radioisótopo nos tecidos, e converte as medições em imagem colorida artificialmente.
 Uma importante aplicação da radioatividade está na conservação de alimentos. Irradiar alimentos com biblioteca do estudante
raios gama permite matar microrganismos que aceleram o apodrecimento. No Brasil, onde parte considerável texto complementar:
da produção estraga antes de chegar à mesa do consumidor, o uso dessa técnica permitiria evitar desperdícios. Estabilidade nuclear e modos
Em verde, sobre a foto, aparece o símbolo internacional para alimentos tratados com radiação. de decaimento

A critério do(a) professor(a) esta lista de exercícios


Exercícios essenciais poderá ser realizada em classe ou em casa.

41. (Fuvest-SP) Considere os seguintes materiais:


Dado: meia-vida do carbono-14 5 5.730 anos
I. Artefato de bronze (confeccionado pela civiliza-
a) 2.865 c) 8.595 e) 17.190
ção inca).
b) 5.730 d) 11.460
II. Mangueira centenária (que ainda produz frutos
nas ruas de Belém do Pará). Resolução
III. Corpo humano mumificado (encontrado em t1/2 t1/2
100% → 50% → 25%
tumbas do Egito Antigo).
Tempo total transcorrido 5 2 ? 5.730 anos 5
O processo da datação, por carbono-14, é adequado 5 11.460 anos
para estimar a idade apenas: Alternativa d.
a) do material I. d) dos materiais I e II.
b) do material II. e) dos materiais II e III. 43. Um fóssil apresenta teor de carbono-14 igual a 2,5 ppb.
c) do material III. Faça uma estimativa de há quantos anos, aproxi-
madamente, esse fóssil foi formado? (Dados: teor
Exercício Resolvido de carbono-14 na atmosfera 5 10 ppb; meia-vida do
42. (Unopar-PR) Uma amostra de carvão mineral, carbono-14 5 5.730 anos.)
originada pelo soterramento de árvores, numa 44. Uma amostra de carvão mineral, originado pelo
devastação de floresta, revelou conter 25% de teor soterramento de gigantescas árvores, revelou conter
de carbono-14, existente na atmosfera. O tempo, 12,5% do teor de carbono-14 existente na atmosfera.
em anos, em que essa árvore foi soterrada é: Há cerca de quanto tempo foi soterrada essa árvore?
(Dado: meia-vida do carbono-14 5 5.730 anos.)

15
Química na abordagem do cotidiano

45. (UFU-MG) Mediu-se a radioatividade de uma amostra de dinossauros, além de mamíferos e répteis do Perí-
arqueológica de madeira, verificando-se que o nível odo Jurássico.
1 O achado mais importante é a coluna vertebral de
de sua radioatividade devida ao carbono-14 era
Físico-Química • Capítulo 24

16 um titanossauro, animal de 70 milhões de anos que


do apresentado por uma amostra de madeira recente. pesava 70 toneladas e era herbívoro.” (Revista Galileu,
Sabendo-se que a meia-vida do isótopo 146 C é 5,73 ? 103 abril 2001, ano 10, n. 117.)
anos, a idade, em anos, dessa amostra é:
Sabendo-se que a meia-vida do carbono-14, que é
a) 3,58 ? 102 c) 5,73 ? 103 e) 9,17 ? 104 utilizado em testes de idade geológica, é de 5.730 anos,
3 4
b) 1,43 ? 10 d) 2,29 ? 10 calcule a taxa de carbono-14 nessa espécie jurássica
46. (Cefet-PR) “Goleada Jurássica — Os argentinos, nossos nos primeiros 28.650 anos da morte do animal e
eternos rivais no futebol, agora estão nos goleando em marque a resposta certa.
outro campo: a paleontologia. a) 5% d) 12,50%
Recentemente, acharam na Patagônia um aglomerado b) 3,125% e) 1,56%
de fósseis que incluem quatro espécies desconhecidas c) 6,25%

+ Seu(sua) professor(a) indicará quais exercícios


Exercícios adicionais deste bloco você deve fazer.

47. (UFG-GO) Nas camadas superiores da atmosfera, 49. (Cefet-RJ) Quanto mais cedo o paciente usar altas

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


devido à interação entre nêutrons e isótopos 14 do doses de radiação beta, maior será a possibilidade
nitrogênio, ocorre a produção de isótopos 14 do car- de atrasar ou até mesmo de frear o avanço de escle-
bono. Esse carbono, que é radioativo, pode combinar-se rose múltipla, segundo pesquisa publicada no New
com o gás oxigênio, produzindo gás carbônico que England Journal of Medicine, em setembro de 2000.
se distribui pelo planeta (nos oceanos, na atmosfera Sendo assim, podemos imaginar o Bi-210 como
e na biosfera). possível alternativa para o tratamento da esclerose
Baseando-se nessas informações, julgue as proposi- múltipla. Se, após 1 hora, a radiação do Bi-210 diminui
ções a seguir, indicando as corretas. para 12,5% do valor inicial, a sua meia-vida é de:
1. O isótopo 14 do carbono não faz parte do ciclo do a) 20 min c) 40 min e) 60 min
carbono na natureza. b) 30 min d) 50 min
2. A interação entre nêutrons e nitrogênios, produzin- 50. (Vunesp) Detectores de incêndio são dispositivos que
do isótopos de carbono, assim como a combinação disparam um alarme no início de um incêndio. Um
entre carbono e oxigênio, produzindo gás carbônico, tipo de detector contém uma quantidade mínima do
são exemplos de reações químicas. elemento radioativo amerício-241. A radiação emitida
3. O carbono, isótopo 14, pode ser utilizado na determi- ioniza o ar dentro e ao redor do detector, tornando-o
nação da idade de materiais orgânicos fossilizados. condutor de eletricidade. Quando a fumaça entra no
detector, o fluxo de corrente elétrica é bloqueado,
4. Átomos do isótopo 14 do carbono podem ser en-
disparando o alarme. Esse elemento se desintegra
contrados em proteínas humanas.
de acordo com a equação a seguir:
48. (PUC-Campinas-SP) A era atômica trouxe grandes 241
95Am  → 
237
93Np  1  Z
modificações em vários setores de atividade humana. Nessa equação, é correto afirmar que Z corresponde a:
Entre eles, a medicina, que passou a contar com o uso
a) uma partícula alfa. d) raios X.
de radioisótopos artificiais, produzidos em reatores
atômicos, como é o caso do 24 b) uma partícula beta. e) dois prótons.
11Na, emissor de partícu-
las 2, utilizado para investigação de problemas de c) radiação gama.
circulação sanguínea. Sobre esse radioisótopo foram 51. (Vunesp) Para determinar o tempo em que certa quan-
feitas as seguintes afirmações. tidade de água permaneceu em aquíferos subterrâneos,
     I. Comporta-se quimicamente da mesma forma pode-se utilizar a composição isotópica com relação
do que o isótopo não radioativo do sódio. aos teores de trítio e de hidrogênio. A água da chuva
II. Ao emitir radiação transforma-se em outro ele- apresenta a relação 31H/11H 5 1,0  ? 10217 e medições feitas
mento químico. na água de um aquífero mostraram uma relação igual a
6,25 ? 10219. Um átomo de trítio sofre decaimento radio-
III. Cada um de seus nuclídeos possui 13 nêutrons.
ativo, resultando em um átomo de um isótopo de hélio,
É correto o que se afirma em: com emissão de uma partícula 2. Forneça a equação
a) I, somente. d) I e III, somente. química para o decaimento radioativo do trítio e, saben-
b) II, somente. e) I, II e III. do que sua meia-vida é de 12 anos, determine por quanto
c) III, somente. tempo a água permaneceu confinada no aquífero.

16
Radioatividade: fenômenos de origem nuclear

6 transmutação nuclear

Físico-Química • capítulo 24
No ano de 1914, Rutherford percebeu que, deixando o nitrogênio na presença de um
alfaemissor, ele se transformava em oxigênio. Isso se deve à reação nuclear equacionada
a seguir, que ocorre quando uma partícula a atinge um núcleo de átomo de nitrogênio:
4 14 17
2a 1 7N → 8O 1 11p
Essa reação foi o primeiro caso relatado de uma transmutação nuclear.

Transmutação nuclear é a transformação de um nuclídeo em outro, provocada


pelo bombardeamento com uma partícula.

Nitrogênio se
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

transforma em
oxigênio a a
a
a

Alfaemissor

s Representação esquemática e em cores fantasiosas


do experimento em que Rutherford realizou a primeira
transmutação nuclear.

No exemplo mostrado, o 147N transmutou-se em 178O por meio do bombardeio com


partículas 42 a.
Balanço de números de massa: 4 1 14 5 17 1 1
Balanço das cargas nucleares: 2175811
Em 1932, aconteceu outro evento marcante na história da ciência ligado às transmuta-
ções nucleares. O inglês James Chadwick (1891-1974) descobriu o nêutron ao bombardear
o berílio-9 com partículas alfa provenientes do polônio.

→ a → → n
Po → a → Be → n
→ a → → n
210
84Po → 42 a 1 206
82Pb
4
2a 1 94Be → 126C 1 10n
Emissão a Transmutação nuclear

A transmutação nuclear é, atualmente, uma importante ferramenta na produção de


nuclídeos artificiais, isto é, nuclídeos que não existem na natureza. O primeiro desses nuclí-
deos artificiais foi descoberto pelo casal Fréderic Joliot e Irène Curie (filha de Pierre e Marie),
em 1934, por meio da seguinte reação:
10 4 13
5B 1 2a → 7N 1 10n

Radionuclídeo artificial biblioteca do professor


Informe-se sobre a Química:

Dos elementos atualmente presentes na tabela periódica, alguns deles são artificiais, Por que o símbolo do
copernício (Z = 112) não é Cp?
tendo sido produzidos por meio da transmutação.

17
biblioteca do professor
Química na abordagem do cotidiano

Como os elementos artificiais foram sintetizados

FERMILAB/SCIENCE PHOTO LIBRARY/LATINSTOCK


Físico-Química • Capítulo 24

Os elementos químicos que possuem números atômicos maiores que o


do urânio (Z  92) são chamados de elementos transurânicos.
Esses elementos não existem na natureza, sendo obtidos pelos cien-
tistas por meio de reações nucleares (principalmente de transmutação)
realizadas nos aceleradores de partículas, dispositivos nos quais partícu-
las eletricamente carregadas (a, b, prótons, íons) adquirem velocidades
altíssimas e se chocam contra “átomos-alvo”.
Veja, a título de exemplo, as equações que representam a síntese dos
elementos 97 e 109:
241 95Am  4
2 a → 243
97 Bk  2 01n s Um acelerador de partículas, em que
209 58 266 1
83Bi  26Fe → 10 9Mt  0n
partículas eletricamente carregadas podem ser
Justamente por serem artificialmente sintetizados pelo ser humano é aceleradas até atingirem altíssimas velocidades
e se chocarem com “átomos-alvo”. As colisões
que tais elementos são denominados sintéticos ou artificiais. desencadeiam processos nucleares (quebras,
Dos elementos que possuem número atômico menor que o do urânio junções, transmutações) que, estudados
(Z , 92), denominados elementos cisurânicos, apenas quatro são artificiais. pelos cientistas, têm ajudado a elucidar as
São eles o tecnécio (43Tc), o promécio (61Pm), o astato (85At) e o frâncio (87Fr). propriedades dos núcleos atômicos.

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


A critério do(a) professor(a) esta lista de exercícios
Exercícios essenciais poderá ser realizada em classe ou em casa.

Exercício Resolvido 55. (Unifesp) Dentre outras aplicações, a radiação


nuclear pode ser utilizada para preservação de ali-
52. (UFRJ) Radioisótopos são utilizados como elemen-
mentos, eliminação de insetos, bactérias e outros
tos traçadores em pesquisa científica. Uma utiliza-
microrganismos eventualmente presentes em grãos
ção de grande importância é a do traçador 32P, um
e para evitar que certas raízes brotem durante o
emissor beta, que em agricultura já proporcionou
armazenamento. Um dos métodos mais empregados
melhoramentos na produção do milho e seu con-
utiliza a radiação gama emitida pelo isótopo 60Co.
sequente barateamento, através da diminuição de
Esse isótopo é produzido artificialmente pela reação
seu tempo de maturação e maior produção por área.
de um isótopo do elemento químico X com um nêu-
a) Represente a equação de decaimento do 32P, tron, gerando somente 60Co como produto de reação.
quando ele emite uma partícula beta. O 60Co, por sua vez, decai para um elemento Y, com
b) Qual a partícula emitida na produção de 32P a a emissão de uma partícula beta de carga negativa e
partir do bombardeamento do nuclídeo 35Cl por de radiação gama. Os elementos X e Y têm números
um nêutron? Justifique a sua resposta. atômicos, respectivamente, iguais a:
Resolução a) 26 e 28 c) 27 e 27 e) 29 e 27
b) 26 e 29 d) 27 e 28
a)  32
15P  → 
0
21 b 1 32
16 S

b) Esquematizando o processo e representando a 56. (Vunesp) Cientistas russos conseguem isolar o ele-
partícula emitida por X, temos: mento 114 superpesado.
35 1 32 A
17Cl 1 0 n  →  15P 1 Z X
(Folha Online, 31.5.2006.)
•  balanço de números de massa: Segundo o texto, foi possível obter o elemento 114
quando um átomo de plutônio-242 colidiu com
35  1  1  5  32  1  A   V   A  5  4
um átomo de cálcio-48, a 1/10 da velocidade da
•  balanço das cargas nucleares:
luz. Em cerca de 0,5 segundo, o elemento formado
17  1  0  5  15  1  Z   V   Z  5  2 transforma-se no elemento de número atômico
Assim é emitida uma partícula a. 112 que, por ter propriedades semelhantes às do
A equação que representa o processo é: ouro, forma amálgama com mercúrio. O provável
35
1 10n  →  32
1 42 a processo que ocorre é representado pelas equações
17Cl 15P
nucleares:
242 a
94 Pu  1  48
20 Ca  →  114 X  →  286
112 Y  1  b
53. Represente a seguinte equação nuclear, substituindo
(?) pelo símbolo correto: Com base nessas equações, pode-se dizer que a e b
19 22 1
9F 1 (?)  →  11Na 1 0 n
são, respectivamente:
54. O trítio pode ser obtido industrialmente pelo pro- a) 290 e partícula beta. d) 242 e nêutron.
cesso assim equacionado: (?)  1  10n  →  31H  1  42 a b) 290 e partícula alfa. e) 242 e pósitron.
Identifique o símbolo do nuclídeo de partida. c) 242 e partícula beta.

18
Radioatividade: ­fenômenos de origem ­nuclear

+ Seu(sua) professor(a) indicará quais exercícios


Exercícios adicionais deste bloco você deve fazer.

Físico-Química • Capítulo 24
57. (Uece) A transmutação de elementos, principalmente 59. (Mackenzie-SP) A irradiação é uma técnica eficiente
a transmutação do chumbo em ouro, foi um dos so- na conservação e esterilização dos alimentos, pois
nhos dos alquimistas e uma das raízes da Química reduz as perdas naturais causadas por processos
moderna. Das equações abaixo que representam fisiológicos (brotamento e maturação), além de
trans­mutações, assinale a única alternativa FALSA: eliminar ou reduzir microrganismos, parasitas e
a) 115B 1 a → 137N 1 2 10n pragas, sem causar qualquer prejuízo ao alimento.
b) 35 2 36 1 Assim, cebolas, batatas e morangos são submetidos
17Cl 1 1D → 18 Ar 1 0n
à irradiação, utilizando-se, como fonte, isótopos
c) 96 2
42Mo 1 1D →
97
43Tc 1 1
0n radioativos, emissores de radiação gama do ele-
d) 45
21Sc 1 b → 42
19K 1 a mento químico cobalto 60, que destroem bactérias
58. (PUC-RJ) Elementos transurânicos podem ser sinte- e fungos responsáveis pela deterioração desses
tizados pelo bombardeamento de núcleos mais leves alimentos. O cobalto (6027Co) pode também sofrer
com partículas pesadas. Em 1958, Miller e outros transmutação para manganês 56 (56 25 Mn), que por
produziram o isótopo 254 No (nobélio) a partir do sua vez se transforma em átomos de ferro (56 26 Fe).
238
U. A reação que ocorreu produziu, além do novo Assinale a alternativa que contenha, respectiva-
elemento (No), ainda seis (6) nêutrons. Assinale com mente, a sequência de partículas emitidas durante
qual partícula o alvo (238U) foi bombardeado. essa transmutação.
a) 10B c) 12C e) 16O a) g e b. c) b e a. e) a e g.
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

22 22
b) Na d) Ne b) a e b. d) g e a.

7 Fissão nuclear
7.1 O que é fissão nuclear?
Alguns anos antes da Segunda Guerra Mundial, vários grupos de
pesquisadores tentavam obter novos elementos químicos, com Z . 92, Nêutron Nêutrons
bombardeando o urânio com nêutrons. Em janeiro de 1939, os alemães Núcleo
Otto Hahn e Fritz Strassman anunciaram a presença de bário, lantânio grande
e criptônio em uma amostra de urânio bombardeada com nêutrons. Nos
Núcleos
meses que se seguiram, esse processo passou a ser mais bem compreendido menores
e chamado de fissão nuclear. s Representação esquemática da fissão
nuclear, na qual cada núcleo fissionado
Fissão nuclear é o processo de quebra de núcleos grandes em libera nêutrons que poderão provocar a
núcleos menores, liberando uma grande quantidade de energia. fissão de outros núcleos.

O nêutron, ao atingir um núcleo de urânio, provoca sua quebra em


dois núcleos menores e a liberação de mais nêutrons que, por sua vez, irão Energia liberada em
tabela 4
atingir outros núcleos e provocar novas quebras. É uma reação em cadeia, alguns processos
análoga ao início de uma epidemia de gripe: uma pessoa transmite o vírus Energia
Processo
para duas, que o transmitem para quatro, daí para oito, e assim por diante. (kJ/g)
Quando um átomo de urânio-235 sofre fissão, vários produtos podem Fissão nuclear do
se formar. Alguns exemplos são: 235 8 ? 107
92U

Fusão nuclear* de
142
56Ba 1 91
36Kr 1 3 10n 2 3 3 ? 108
1H e 1H

90 143 Explosão do TNT 2,8


35Br 1 57 La 1 3 10n
1 235 * A fusão nuclear será apresentada mais à frente.
0 n  1  92U
131 102 1 Fonte: TIPLER, P. A.; LLEWELLYN,
50Sn 1 42Mo 1 3 0n R. A. ­Modern Physics. 5. ed. Nova York: F
­ reeman,
2008. p. 527; MASTERTON, W. L.; ­HURLEY, C. N.
Chemistry: principles & reactions. 4. ed. Bel-
137 97
53I 1 39Y 1 2 10n mont: Brooks/Cole, 2001. p. 562.

19
Química na abordagem do cotidiano

A energia liberada na reação de fi ssão do urânio-235 é muito grande, muito maior


do que aquela envolvida em reações químicas, por exemplo, uma combustão. Pelos dados da
tabela 4 é possível calcular que 1 g de urânio-235 equivale, sob o ponto de vista energético,
Físico-Química • capítulo 24

a cerca de trinta toneladas do explosivo TNT!


A fissão nuclear é a reação que ocorre — de modo descontrolado e com liberação de
grande quantidade de energia — quando uma bomba atômica explode.

7.2 O reator nuclear


O italiano Enrico Fermi (1901-1954) e sua equipe construíram, em 1942, na Universidade de
Chicago, o primeiro reator nuclear. Esse reator tinha a finalidade de executar em laboratório a fissão
nuclear para que se pudesse compreendê-la melhor, a fim de aproveitá-la como fonte de energia.
A versão moderna do reator de Fermi são as usinas nucleares, ou termonucleares, nas quais
a fissão nuclear ocorre de modo controlado e a energia liberada é aproveitada para a produção
de energia elétrica.
O calor liberado na fissão aquece água mantida a uma alta pressão. Esta, por sua vez, aquece
outra porção de água, que entra em ebulição. O vapor produzido gira uma turbina, cujo eixo
se liga a um gerador elétrico, o qual transforma a energia do movimento em energia elétrica.

7.3 O lixo nuclear

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


Nos produtos da fissão do urânio-235 já foram identificados mais de duzentos isótopos
pertencentes a 35 elementos diferentes. Muitos deles emitem a,  e g, representando um
risco à população e necessitando, portanto, ser armazenados em recipientes de chumbo
e/ou concreto e guardados em locais seguros por tempo suficiente para que a radiação caia biblioteca do estudante
a níveis não prejudiciais. texto complementar:
Dentre os muitos nuclídeos presentes no lixo nuclear, podemos destacar três que são Algo mais sobre energia
nuclear
bastante perigosos para o ser humano: estrôncio-90, iodo-131 e césio-137.

A critério do(a) professor(a) esta lista de exercícios


Exercícios essenciais poderá ser realizada em classe ou em casa.

60. (Uerj) O reator atômico instalado no município de diferentes átomos de urânio, de forma a proporcio-
Angra dos Reis é do tipo PWR — Reator de Água Pres- nar uma concentração de apenas 4% de material
surizada. O seu princípio básico consiste em obter físsil. Em bombas atômicas, são utilizadas concen-
energia através do fenômeno “fissão nuclear”, em trações acima de 20% de urânio físsil, cuja obtenção
que ocorre a ruptura de núcleos pesados em outros é trabalhosa, pois, na natureza, predomina o urânio
mais leves, liberando grande quantidade de energia. não físsil. Em grande parte do armamento nuclear
Esse fenômeno pode ser representado pela seguinte hoje existente, utiliza-se, então, como alternativa,
equação nuclear: o plutônio, material físsil produzido por reações
1 235
→ 144
1 T 1 2 10n 1 energia nucleares no interior do reator das usinas nucleoelé-
0n 1 92U 55Cs
tricas. Considerando-se essas informações, é correto
Os números atômico e de massa do elemento T estão, afirmar que:
respectivamente, indicados na seguinte alternativa: a) a disponibilidade do urânio na natureza está amea-
a) 27 e 91 c) 39 e 92 çada devido à sua utilização em armas nucleares.
b) 37 e 90 d) 43 e 93 b) a proibição de se instalarem novas usinas nucleo-
61. Considere a equação: elétricas não causará impacto na oferta mundial
235
de energia.
1 n → 144
92U 55Cs 1 (?) 1 2 n c) a existência de usinas nucleoelétricas possibilita
a) Que tipo de reação nuclear ela representa? que um de seus subprodutos seja utilizado como
b) Identifique o símbolo que está faltando. material bélico.
62. (Enem-MEC) O funcionamento de uma usina nu- d) a obtenção de grandes concentrações de urânio
cleoelétrica típica baseia-se na liberação de energia físsil é viabilizada em usinas nucleoelétricas.
resultante da divisão do núcleo de urânio em núcleos e) a baixa concentração de urânio físsil em usinas
de menor massa, processo conhecido como fissão nucleoelétricas impossibilita o desenvolvimento
nuclear. Nesse processo, utiliza-se uma mistura de energético.

20
Radioatividade: ­fenômenos de origem ­nuclear

63. Como consequência da construção dos primeiros 64. Dois dos elementos transurânicos tiveram sua
reatores nucleares, puderam ser isolados dois ele- ­ escoberta graças à fissão nuclear. Foram detec-
d
mentos cisurânicos não encontrados antes na natu- tados no lixo restante de um teste nuclear feito no

Físico-Química • Capítulo 24
reza, representados aqui por A e B. Eles se formam Oceano Pacífico em 1952. Uma das explicações
no decaimento dos radionuclídeos molibdênio-99 e para a ­formação desses elementos encontra-se nas
neodímio-147 presentes no lixo nuclear. Determine duas transmutações que teriam ocorrido durante a
os números atômicos e de massa e também, consul- ­explosão:
tando a tabela periódica, os nomes de A e B. 238
92U  1  147N  →  X  1  5 n
99 0
42Mo  →  21 b  1  A 238
92U  1  168O  →  Y  1  5 n
147 0
60Nd  →  21 b  1  B Represente o símbolo completo de X e de Y.

+ Seu(sua) professor(a) indicará quais exercícios


Exercícios adicionais deste bloco você deve fazer.

65. (Uece) Na reação nuclear: 250 148 1


96Cm  →  58Ce  1  X  1  4 0n, a) emitir radiações nocivas, por milhares de anos, em
o elemento X é um: um processo que não tem como ser interrompido
a) gás nobre. c) metal alcalinoterroso. artificialmente.
b) metal alcalino. d) halogênio. b) acumular-se em quantidades bem maiores do
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

que o lixo industrial convencional, faltando assim


66. (Enem-MEC) Para se obter 1,5 kg do dióxido de urânio
locais para reunir tanto material.
puro, matéria-prima para a produção de combustível
nuclear, é necessário extrair-se e tratar-se 1,0 tonelada c) ser constituído de materiais orgânicos que podem
de minério. Assim, o rendimento (dado em % em mas- contaminar muitas espécies vivas, incluindo os
sa) do tratamento do minério até chegar ao dióxido de próprios seres humanos.
urânio puro é de: d) exalar continuamente gases venenosos, que tor-
a) 0,10% c) 0,20% e) 2,0% nariam o ar irrespirável por milhares de anos.
b) 0,15% d) 1,5% e) emitir radiações e gases que podem destruir a
camada de ozônio e agravar o efeito estufa.
67. (UnB-DF) Ao capturar um nêutron, um átomo de urâ-
nio pode sofrer um processo de fissão, que resulta na 69. (Enem-MEC) O debate em torno do uso da energia
desintegração de seu núcleo. Formam-se assim dois nuclear para produção de eletricidade permanece
elementos mais leves (por exemplo, bário e criptônio), atual. Em um encontro internacional para a discussão
com emissão simultânea de 2,5 nêutrons, em média, desse tema, foram colocados os seguintes argumentos:
por núcleo.
(O funcionamento do reator. Ciência Hoje, n. 32, v. 6.) I. Uma grande vantagem das usinas nucleares é o
Com o auxílio do texto, julgue os itens seguintes, fato de não contribuírem para o aumento do efei-
indicando os corretos. to estufa, uma vez que o urânio, utilizado como
1. Os átomos de bário e criptônio são isótopos do “combustível”, não é queimado, mas sofre fissão.
átomo de urânio que os originou. II. A inda que sejam raros os acidentes com usinas
2. No processo de fissão nuclear citado, é também nucleares, seus efeitos podem ser tão graves que
possível a formação de átomos de massa maior do essa alternativa de geração de eletricidade não nos
que a do átomo de urânio. permite ficar tranquilos.
3. A emissão de 2,5 nêutrons, em média, por núcleo A respeito desses argumentos, pode-se afirmar que:
significa que podem estar ocorrendo reações que a) o primeiro é válido e o segundo não é, já que nunca
produzirão 3 nêutrons e reações que produzirão ocorreram acidentes com usinas nucleares.
2 nêutrons. b) o segundo é válido e o primeiro não é, pois de fato
68. (Enem-MEC) Um problema ainda não resolvido da há queima de combustível na geração nuclear de
geração nuclear de eletricidade é a destinação dos eletricidade.
rejeitos radiativos, o chamado “lixo atômico”. Os rejei- c) o segundo é válido e o primeiro é irrelevante, pois
tos mais ativos ficam por um período em piscinas de nenhuma forma de gerar eletricidade produz gases
aço inoxidável nas próprias usinas antes de ser, como do efeito estufa.
os demais rejeitos, acondicionados em tambores que d) ambos são válidos para se compararem vantagens
são dispostos em áreas cercadas ou encerrados em e riscos na opção por essa forma de geração de
depósitos subterrâneos secos, como antigas minas energia.
de sal. A complexidade do problema do lixo atômico, e) ambos são irrelevantes, pois a opção pela energia
comparativamente a outros lixos com substâncias nuclear está se tornando uma necessidade inques-
tóxicas, se deve ao fato de: tionável.

21
Química na abordagem do cotidiano

8 Fusão nuclear
Físico-Química • capítulo 24

Muitas pessoas dizem que o Sol é uma bola de fogo. O que estará queimando lá, então?
Na verdade, nada está queimando. No Sol, bem como em outras estrelas, está ocorrendo
um processo denominado “fusão nuclear”.

Fusão nuclear é a junção de núcleos pequenos formando núcleos maiores e 'HXWpULR +pOLR²
liberando uma quantidade muito grande de energia.

Para ocorrer fusão nuclear é necessária uma temperatura muito elevada, pelo menos
da ordem de 10 milhões de graus Celsius. O Sol é uma imensa bola de hidrogênio onde
a temperatura é suficiente para que ocorra a fusão dos átomos de hidrogênio, formando
átomos mais pesados e liberando a energia que chega até nós na forma de luz e calor. Uma
das reações que acontecem no Sol é: 7UtWLR 1rXWURQ
2 3 4 1
1H 1 1H → 2He 1 0n 1 energia s Representação esque-
mática do processo de
A energia liberada na reação de fusão é bem maior do que na fissão nuclear (veja a fusão nuclear assim
tabela 4, no item 7). Aproveitar a energia da fusão nuclear em usinas seria extremamen- equacionado:
te vantajoso, pois o hidrogênio pode ser obtido a partir da água do mar a baixo custo, o 2 3
1H 1 1H →
→ 42He 1 10n 1 energia

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


rendimento energético da fusão é alto e o lixo resultante é bem menos perigoso que o lixo
da fissão, contendo apenas um nuclídeo radioativo, o trítio 31H. No entanto, ainda não foi
desenvolvida tecnologia para o aproveitamento controlado da energia liberada na fusão. biblioteca do professor
Fusão nuclear é a reação que ocorre quando uma bomba de hidrogênio (bomba H) Informe-se sobre a Química:
explode. No entanto, para que a fusão ocorra, é necessária uma altíssima temperatura, Por que tanto a fissão quanto
a fusão nucleares podem
que se dá pela explosão de uma bomba atômica, a qual funciona como detonador da ocorrer?
bomba H.
Estima-se que mais de duzentas explosões nucleares já aconteceram por todo o
planeta, como parte dos chamados testes nucleares. O lixo atômico produzido em um
desses eventos é espalhado pelo vento, pela água e pelos seres vivos (por meio das cadeias biblioteca do estudante
Informe-se sobre a Química:
alimentares). A arma mais potente já detonada tinha 58 megatons e foi testada pela União
O acidente do césio-137
Soviética em 30 de outubro de 1981 (um megaton equivale em poder destrutivo a um mi-
lhão de toneladas de TNT).
A poeira e as cinzas lançadas na atmosfera sob a forma de “cogumelo atômico” podem
subir além da camada das nuvens e, dessa maneira, permanecer meses em suspensão antes biblioteca do estudante
de descer sob a ação da atração gravitacional. Essas partículas obstruem a passagem dos Informe-se sobre a Química:

raios solares. O acidente de Chernobyl


u.s. dePt. oF energY/science Photo liBrarY/latinstock

Revisão

Suplemento para o professor


Mapa conceitual

O “cogumelo atômico”
s

formado na explosão
da primeira bomba de
hidrogênio, testada em
31 de outubro de 1952, no
biblioteca do professor

Atol Eniwetok, Oceano


Pacífico.

22
Suplemento para o professor
Radioatividade: ­fenômenos de origem ­nuclear

A critério do(a) professor(a) esta lista de exercícios


Exercícios essenciais poderá ser realizada em classe ou em casa.

Físico-Química • Capítulo 24
70. Qual a diferença entre fissão nuclear e fusão nuclear? 2a coluna — Nome do fenômeno
71. Qual dos dois processos — fissão ou fusão — ocorre a) transmutação artificial.
naturalmente? Em que lugar do universo? b) desintegração radiativa espontânea.
c) fusão nuclear.
72 . Qual dos dois processos — fissão ou fusão nuclear —
d) fissão nuclear.
é aproveitado pelo homem para a geração de energia
elétrica em usinas apropriadas? Assinale a opção em que todas as correspondências
estejam corretas.
73. As duas bombas usadas contra as cidades japonesas a) Ic – IId – IIIa – IVb c) Ib – IIa – IIId – IVc
na Segunda Guerra Mundial eram de fissão ou de
b) Ia – IIc – IIIb – IVd d) Id – IIb – IIIc – IVa
fusão nuclear?
75. (UFMA) A bomba de hidrogênio funciona de
74. (Uece) Associe as reações nucleares cujas equações
a acordo com a seguinte reação nuclear:
encontram-se listadas na 1 coluna — Reações
2
­ ucleares (de I a IV) — com os nomes dos fenôme-
n 1H  1  31H  →  4
2He  1  10n  1  energia
nos listados na 2a coluna — Nome do fenômeno (de Portanto, podemos afirmar:
a a d).
a) é reação de “fusão”.
1a coluna — Reações nucleares b) é reação de “fissão”.
c) é reação onde ocorre apenas emissão de partículas
I. 4 11H  #  4
2He  1  2 110b  1  00g
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

alfa (a).
235
II. 92U  1  10n  #  140
56Ba  1  94 1
36Kr  1  2 0 n d) é reação onde ocorre apenas emissão de partículas
27 4 30 1 beta (b).
III. 13Al  1  2 a  #  15P  1  0n
e) é reação onde ocorre apenas emissão de raios
232 228
IV. 90 Th  #  88Ra  1  42 a gama (g).

+ Seu(sua) professor(a) indicará quais exercícios


Exercícios adicionais deste bloco você deve fazer.

76. (UGF-RJ) Uma arqueóloga britânica exibiu, recen- 78. Considere a seguinte tabela:
temente, um crânio de 3.750 anos com um buraco
cirúrgico. O crânio foi descoberto junto ao rio
Tâmisa, em Londres, e é uma prova de que os homens Energia
Processo
da idade do Bronze no Reino Unido praticavam tre- liberada (kJ)
panação, processo cirúrgico primitivo no qual uma
parte do crânio era removida de um paciente vivo e Fusão nuclear de 1 g de 21H/31H 3  ?  108
consciente, já que não havia anestésicos.
(O Globo, 16 set. 2002.) Fissão nuclear de 1 g de 235
92U 8  ?  107
A determinação da arqueóloga só foi possível graças
à técnica de: Combustão de 1 g de gás hidrogênio 143
a) fissão nuclear.
Combustão de 1 g de etanol líquido 30
b) fusão nuclear.
c) período da semidesintegração.
d) bomba de cobalto. a) Que massa de gás hidrogênio precisa ser queima-
e) raios X. da para liberar a mesma energia que a fissão de
1 g de 235
92U?
7 7. (UFTM-MG) A fusão dos núcleos de deutério 21H e
trítio 31H gera 42He, nêutron e libera 2 ? 109 kJ/mol de b) Que massa de gás hidrogênio precisa ser queima-
hélio. da para liberar a mesma energia que a fusão de 1 g
a) Escreva a equação nuclear completa que repre- de 21H/31H?
senta essa fusão, incluindo a energia liberada. c) Repita os cálculos dos itens anteriores para o
b) Que quantidade de energia é liberada nessa fusão etanol (álcool comum) líquido em vez de gás
quando se forma 0,5 g de hélio? hidrogênio.

23