Você está na página 1de 6

CIÊNCIAS DA NATUREZA

E SUAS TECNOLOGIAS
Frente: Física I
EAD – MEDICINA
Professor(a): Paulo Lemos

AULA 13

Assunto: Dinâmica

Força Normal (N )
Resumo Teórico Quando um corpo encontra-se sobre uma superfície de uma
mesa, esta exerce sobre ele uma força de pressão, a superfície reage
exercendo sobre o mesmo uma força, denominada de força normal,
Segunda lei de Newton (princípio fundamental) perpendicular à superfície de contato. Observe a figura a seguir.

N
Observe a figura abaixo.

Força Tração (T )
A aceleração adquirida pela caixa é diretamente proporcional Quando uma corda é esticada, ela exerce sobre os corpos que
à resultante de todas as forças que agem na mesma e inversamente a esticam uma força, denominada de força tração. Em uma mesma
proporcional à sua massa, ou seja: corda, as trações são iguais em módulo, já que se trata de uma corda
 ideal, ou seja, sem massa. Veja a figura abaixo.
 Fr  
= a = ou Fr m ∙ a
m
A corda
B F

Força peso (P ) Situação 1

É a força que a Terra exerce sobre os corpos próximos à sua


superfície, apontando para o seu centro. Veja figura a seguir. A –T2 T2 T1 –T1 B F
corda

P1
Peso Aparente (Pap)
Na figura a seguir, a balança indica a intensidade da força de
–P3 –P1 pressão que o homem exerce sobre ela. A balança reage exercendo
sobre o homem uma força de mesma intensidade. Portanto, a balança
–P2
P3 indica a intensidade da força normal, que é chamada de peso aparente
(Pap).
P2

E de acordo com a lei de Newton, temos: FN

 
P=m∙g

FN
Onde: – FN
m: massa do corpo P
(A) (B)
g: aceleração da gravidade

F B O NLINE.COM.BR OSG.: 119161/17

//////////////////
Módulo de Estudo

Note que:
1. Elevador subindo acelerado ou descendo retardado, FN > P.
2. Elevador descendo acelerado ou subindo retardado, P > FN.
3. Elevador em repouso ou em movimento uniforme, FN = P. plataforma B
M

figura fora
de escala
Exercícios
4,5
01. (FGV-SP) Dois carrinhos de supermercado, A e B, podem ser plataforma A m
acoplados um ao outro por meio de uma pequena corrente de solo
massa desprezível, de modo que uma única pessoa, em vez de
empurrar dois carrinhos separadamente, possa puxar o conjunto Considerando g = 10 m/s2, desprezando os efeitos do ar sobre
pelo interior do supermercado. Um cliente aplica uma força o sistema e os atritos durante o movimento acelerado, a massa
horizontal constante de intensidade F sobre o carrinho da frente, M, em kg, do corpo que deve ser colocado na plataforma B para
dando ao conjunto uma aceleração de intensidade 0,5 m/s2. acelerar para cima a massa m no intervalo de 3 s é igual a
A) 275 B) 285
A B C) 295 D) 305
corrente E) 315

04. (Fuvest-SP) Um sistema mecânico é formado por duas polias ideais


F
40 kg 100 kg que suportam três corpos: A, B e C, de mesma massa m, suspensos
por fios ideais, como representado na figura. O corpo B está
suspenso simultaneamente por dois fios, um ligado a A e outro a
C. Podemos afirmar que a aceleração do corpo B será:
A) zero.
Sendo o piso plano e as forças de atrito desprezíveis, o módulo  g
da força F e o da força de tração na corrente são, em N, B)   para baixo.
 3
respectivamente:
A) 70 e 20 B) 70 e 40  g
C) 70 e 50 D) 60 e 20 C)   para cima.
 3
E) 60 e 50 g
 2g 
02. (UFRJ-RJ) Um bloco de massa m é abaixado e levantado por meio D)   para baixo.
 3
de um fio ideal. Inicialmente, o bloco é abaixado com aceleração
constante vertical, para baixo, de módulo a (por hipótese, menor  2g  m m m
do que o módulo g da aceleração da gravidade), como mostra a E)   para cima.
 3 A B C
figura 1.
Figura 1 Figura 2 05. (UFRJ-RJ) Um sistema é constituído por um barco de 100 kg,
T T uma pessoa de 58 kg e um pacote de 2,0 kg que ela carrega
consigo. O barco é puxado por uma corda de modo que a força
a resultante sobre o sistema seja constante, horizontal e de módulo
240 newtons.
a

Em seguida, o bloco é levantado com aceleração constante


vertical, para cima, também de módulo a, como mostra a figura 2.
Sejam T a tensão do fio na descida e T’ a tensão do fio na subida.
Supondo que não haja movimento relativo entre as partes do
Determine a razão T’/T em função de a e g.
sistema, calcule o módulo da força horizontal que a pessoa exerce
sobre o pacote.
03. (Unesp) Em uma obra, para permitir o transporte de objetos
para cima, foi montada uma máquina constituída por uma
06. (Aman-RJ) No sistema apresentado
polia, fios e duas plataformas A e B horizontais, todos de
na figura, não há forças de atrito e
massas desprezíveis, como mostra a figura. Um objeto de massa
o fio tem massa desprezível.
m = 225 kg, colocado na plataforma A, inicialmente em repouso
(g = 10 m/s2)
no solo, deve ser levado verticalmente para cima e atingir
um ponto a 4,5 m de altura, em movimento uniformemente São dados F = 500 N; mA = 15 kg
acelerado, num intervalo de tempo de 3 s. A partir daí, um sistema mB
e m B = 10 kg. Determine a 
de freios passa a atuar, fazendo a plataforma A parar na posição intensidade da força de tração F mA
onde o objeto será descarregado. no fio e a aceleração do sistema.

F B O NLINE.COM.BR 2 OSG.: 119161/17

//////////////////
Módulo de Estudo

07. (UPE) A figura a seguir representa um ventilador fixado em um 10. (Uece) Uma criança desliza em um tobogã muito longo, com uma
pequeno barco, em águas calmas de um certo lago. A vela aceleração constante. Em um segundo momento, um adulto,
se encontra em uma posição fixa e todo vento soprado pelo com o triplo do peso da criança, desliza por esse mesmo tobogã,
ventilador atinge a vela. com aceleração também constante. Trate os corpos do adulto e
da criança como massas puntiformes e despreze todos os atritos.
A razão entre a aceleração do adulto e a da criança durante o
deslizamento é:
A) 1 B) 2
C) 1/3 D) 4

11. Num elevador, há uma balança graduada em newtons. Um homem


de 60 kg de massa, em pé sobre a balança, lê 720 N quando o elevador
sobe em movimento acelerado e 456 N quando o elevador desce
em movimento acelerado, com a mesma aceleração da subida em
módulo. Determine:
A) quais os módulos da aceleração da gravidade e do elevador.
Nesse contexto e com base nas Leis de Newton, é correto afirmar B) quanto registrará a balança se o elevador subir ou descer com
que o funcionamento do ventilador: velocidade constante.
A) aumenta a velocidade do barco.
B) diminui a velocidade do barco. 12. (AFA-SP) Os corpos A e B da figura abaixo têm massas M e m,
C) provoca a parada do barco. respectivamente. Os fios são ideais. A massa da polia e todos os
D) não altera o movimento do barco. atritos podem ser considerados desprezíveis.
E) produz um movimento circular do barco.
A
08. (UFMG) A figura mostra uma corrente formada por três elos.
A massa de cada elo é de 100 g e uma força vertical F puxa g
B
essa corrente para cima. A corrente sobe com uma aceleração
de 3,0 m/s2.
O módulo da aceleração de B é igual a:
F mg mg
A) B)
M+m 4M + m
2Mg 2mg
C) D)
M+m 4M + m

13. (Uerj) O corpo de um aspirador de pó tem massa igual a 2,0 kg.


Considerando essas informações,
 calcule:
Ao utilizá-lo, durante um dado intervalo de tempo, uma pessoa
A) o módulo da força F que puxa a corrente.
faz um esforço sobre o tubo 1 que resulta em uma força de
B) o módulo da força resultante que atua sobre o elo do meio.
intensidade constante igual a 4,0 N aplicada ao corpo do aspirador.
A direção dessa força é paralela ao turbo 2, cuja inclinação em
09. (UFSCar) A polia e os fios da figura são considerados ideais,
relação ao solo é igual a 60º, e puxa o corpo do aspirador para
sem inércia. O fio é perfeitamente flexível e não há atritos a
perto da pessoa.
considerar. Considere g = 10 m ⋅ s–2. Dadas as massas mA = 40 kg
e mB = 24 kg, determine as acelerações α (do corpo A) e
β (do corpo B) quando
corpo do
aspirador tubo 2
tubo 1
Q

60º

A B
Considere sen 60º = 0,87, cos 60º = 0,5 e também que o
corpo do aspirador se move sem atrito. Durante esse intervalo de
I. Q = 400 N tempo, a aceleração do corpo do aspirador, em m/s2, equivale a:
II. Q = 720 N A) 0,5 B) 1,0
III. Q = 1200 N C) 1,5 D) 2,0

OSG.: 119161/17
3 F B O N L I NE .C O M . B R
//////////////////
Módulo de Estudo

14. (UFPel-RS/2006) Um pescador 03. Dados:


possui um barco à vela que é m = 225 kg;
utilizado para passeios turísticos. t = 3 s;
Em dias sem vento, esse pescador ∆S = 4,5 m;
não conseguia realizar seus v0 = 0;
passeios. Tentando superar tal g = 10 m/s2.
dificuldade, instalou, na popa do
Cálculo da aceleração dos blocos:
barco, um enorme ventilador voltado para a vela, com o objetivo
a 2∆S 2( 4, 5)
de produzir vento artificialmente. ∆S = t 2 ⇒ a = 2 = ⇒ a = 1 m / s 2.
Na primeira oportunidade em que utilizou seu invento, o pescador 2 t 32
percebeu que o barco não se movia como era por ele esperado.
No sistema total, considerando os dois blocos como um único:
O invento não funcionou!
PM – Pm = mT · a
A razão para o não funcionamento desse invento é que:
A) a força de ação atua na vela e a de reação, no ventilador. Mg – mg = (M + m)a ⇒ M(10) – 225(10) = M(1) + 225(1) ⇒
B) a força de ação atua no ventilador e a de reação, na água. 2.475
C) ele viola o princípio da conservação da massa. 10M – M = 225 + 2.250 ⇒ M = ⇒
9
D) as forças que estão aplicadas no barco formam um sistema
M = 275 kg.
cuja resultante é nula.
E) ele não produziu vento com velocidade suficiente para Resposta: A
movimentar o barco.
04. Devido à simetria, podemos raciocinar em termos do sistema
15. (Ufop/2003) O sistema apresentado na figura é constituído por esquematizado a seguir.
dois blocos idênticos ligados por um cabo.
2ª Lei de Newton:
 m  m
 m −  g =  m +  a
m m 2 2
mg 3m
30°
= a
2 2
g Metade do B
a=
A aceleração é igual a: 3 
m
A) g/4 B) g/2 2

C) g/ 2 D) g a

Resoluções m
a A
01. (I) 2ª Lei de Newton para o sistema (A + B):
F = (mA + mB) a Resposta: C
F = (40 + 100) ∙ 0,5 (N)
F = 70 N
05. Sistema (barco + pessoa + pacote)
(II) 2ª Lei de Newton para o carrinho B: Segunda lei de Newton, FR = m·a → 240 = (100 + 58 + 2)·a →
a 240 = 160·a → a = 240/160 = 1,5 m/s2.
Pacote de 2 kg

T
B F

T = mB a
F = m · a = 2 · 1,5 = 3,0 N
T = 100 ∙ 0,5 (N)
T = 50 N
06. Colocando as forças:
Resposta: C

02. Considerando o princípio fundamental da Dinâmica, F (resultante)


= massa × aceleração, temos:
Na descida: mg – T = ma
Na subida: T’ – mg = ma
Isolando as trações: T
T = mg – ma = m(g – a) T’ = mg + ma = m(g + a)
mB
Então:
T’/T = (g + a)/(g – a). F mA T PB
Resposta: T’/T = (g + a) / (g – a)

F B O NLINE.COM.BR 4 OSG.: 119161/17

//////////////////
Módulo de Estudo

I) Bloco B → sobe → T – PB = mB · a → T – 100 = 10 · a Pelo mesmo motivo exposto para o bloco A, concluímos que
II) Bloco A → para a esquerda → F – T = mA · a → 500 – T = 15 · a a aceleração para o corpo B também será nula.
Somando I com II → a = 16 m/s2 → T – 100 = 10 · 16 → T = 260 N β=0

Resposta: A = 16 m/s2; T = 260 N B) Vamos fazer, aqui, a mesma análise feita para o item A.
A força resultante para o bloco A é dada por:

07. Pelo princípio da ação e reação, o ventilador sopra ar para frente, Q


FRA = – PA + NA
recebendo uma força de reação para trás. Atuam no sistema 2
barco-vela-ventilador duas forças de mesma intensidade e de −40 + NA
40b = 360 – 400 + NB ⇒ a =
sentidos opostos, sendo nula a resultante nesse sistema. Portanto, 40
nenhuma alteração ocorre no movimento do barco.
Da mesma forma como foi comentado no item A, a aceleração
Resposta: D do bloco será nula.

α=0
08. A) m = 100 g = 0,1 kg → F – P = m · a → F – 3 = 0,3 · 3 → F = 3,9 N
B) Só sobe o elo do meio → FR = m · a → FR = 0,1 · 3 → FR = 0,3 N A força resultante para o bloco B é dada por:

Resposta: A) F = 3,9 N; FR = 0,3 N Q


FR = – PB + NB
B 2
09. 120 + NB
A) Considere o diagrama a seguir. 24b = 360 – 240 + NB ⇒ b = , NB → 0
24
Q ∴ β = 5 m ⋅ s −2

C) Também, aqui, fazendo a mesma análise, teremos:


A força resultante para o bloco A é dada por:

Q Q FRA =
Q
– PA + NA
2 2 2

Q 40α = 600 – 400 + NA ⇒ a = 200 + NA , NA → 0


NA NB Q 40
2 2
α = 5 m ⋅ s −2
A B
A força resultante para o bloco B é dada por:
Q
PA PB FRB = – PB + NB
2

A força resultante no bloco A é dada por: 360 + NB


24b = 600 – 240 + NB ⇒ b = , NB → 0
24

FRA =
Q
– PA + NA ∴ β = 15 m ⋅ s −2
2
−200 + NA
40a = 200 – 400 + NA ⇒ a =
40
10. Observe a figura abaixo:
Para o bloco A subir acelerado, a força normal NA deve tender
a zero, o que leva a uma aceleração negativa para o bloco A. N
Ele deveria ter, contudo, uma aceleração positiva. Concluímos,
então, que ele terá uma aceleração nula.
Px
α=0 θ Py
A força resultante para o bloco B é dada por:
P
Q θ
FRB = – PB + NB
2
Aplicando a 2ª lei de Newton:
−40 + NB
24b = 200 – 240 + NB ⇒ b = Px = ma ⇒ m g sen θ = m a ⇒ a = g sen θ
24

OSG.: 119161/17
5 F B O N L I NE .C O M . B R
//////////////////
Módulo de Estudo

A aceleração independe da massa, tendo o mesmo valor para a Aplicando a 2ª lei de Newton:
criança e para o adulto.  1
Assim: Fx = m · a ⇒ F cos 60º = m · a ⇒ 4   = 2a ⇒ a = 1 m/s2
 2
aadulto
Resposta: B
acriança = 1
Resposta: A 14.
A) (Falsa)
11. A força de ação atua no vento; e a reação, no ventilador.
B) (Falsa)
Vide item A.
C) (Falsa)
Não, o princípio de conservação da massa é válido nesse caso.
D) (Verdadeira)
A resultante das forças que estão aplicadas no barco é nula.
a Pap V E) (Falsa)

Resposta: D

P 15. Decompomos o peso na rampa conforme a figura abaixo.


V
a Pap N

P
Py
A) Pap – P = m · a
720 – 60g = 60 a Px
P–P=m·a θ
60g – 456 = 60 a P
Temos:
g = 9,8 m/s2 e a = 2,2 m/s2 Py = P sen 30º = mg/2
O peso do bloco pendurado puxa o sistema: mg.
B) Pap = P = m g ⇒ Pap = 60 · 9,8 N FR = ma ⇒ mg – mg/2 = 2 ma
Pap = 588 N a = g/4

Resposta: A
Resposta: A) 9,8 m/s2 e 2,2 m/s2; B) 588 N

12. Corpo A
FRA = mA · a
T =M·a
Corpo B
FRB = mB · a
⇒ PB – T = mB · a
⇒ mg – T = m · a

⇒ mg – Ma = ma
⇒ mg = Ma + ma
⇒ mg = a(M + m)
mg
⇒a=
M+m
Resposta: A

13. Componente horizontal da força (F X ) aplicada no cabo.


F

60º

Fx SUPERVISORA/DIRETORA: Marcelo Pena – AUTOR: Paulo Lemos
DIG.: Robert – 06/10/17 – REV.: Amélia

F B O NLINE.COM.BR 6 OSG.: 119161/17

//////////////////