Você está na página 1de 43

NR10 X NR33

RISCOS ELETRICOS EM AMBIENTES


CONFINADOS

Apresentação: Eng. Aguinaldo Bizzo de Almeida


Engenheiro Eletricista / Segurança do Trabalho
Membro do GTT – Elaboração NR10 – Bancada dos Trabalhadores
Membro da CPNSEE
Membro do CB32 – Riscos Elétricos
Inspetor de Conformidades e Ensaios Elétricos ABNT – NBR 5410 e NBR 14039
Autor Manual de Vestimentas de Proteção para Arco Elétrico e Fogo Repentino
Consultor de Empresas pela DPST – Desenvolvimento e Planejamento em Segurança do Trabalho
Saúde e Segurança no Trabalho

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO



REGULAÇÃO DAS RELAÇÕES TRABALHISTAS

LEGISLAÇÃO E AUDITORIA FISCAL
CLT e Legislações complementares
3000 Auditores Fiscais.

Saúde e Segurança no Trabalho
Capítulo V da CLT- Port. 3.214/78 e Legislações complementares

33 Normas Regulamentadoras – NR
NR-
NR-10 - Segurança em instalações e
serviços em eletricidade
ATUALIZAÇÃO - PORTARIA 518/2004
NR10 – Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade
Regulamento dirigido a trabalhadores e empregadores
sobre as ações mínimas obrigatórias em segurança no
trabalho envolvendo instalações e serviços elétricos.

Gestão em segurança e
saúde com instalações e
serviços com energia elétrica

Responsabilidades
esponsabilidades
em todo o processo de trabalho.
PROGRAMA DE SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E
SERVIÇOS COM ELETRICIDADE - SEC

ENGENHARIA PRINCIPIO GERAL


SEGURANÇA Capacitação e
FOCO NR10
Motivação Competência
Proteção do Mitigar Riscos
trabalhador adicionais e
(EPI, EPC, elétricos
Ferramentas e
equipamentos) Situação de
emergência
Documentação:
PT, Procedimento Área
de Trabalho e OS Classificada
Capacitação Instalações
Ocupacional
(Saúde) Responsabilidades elétricas
NR 10 – GLOSSÁRIO
23. RISCOS ADICIONAIS

SÃO TODOS OS DEMAIS


GRUPOS OU FATORES DE
RISCO, ALÉM DOS
ELÉTRICOS, ESPECÍFICOS
DE CADA AMBIENTE
OU PROCESSOS DE
TRABALHO QUE,
DIRETA OU INDIRETAMENTE,
POSSAM AFETAR A
SEGURANÇA E
A SAÚDE NO TRABALHO.
NR 10: RISCOS
ADICIONAIS
10.4.2 NOS TRABALHOS E NAS
ATIVIDADES REFERIDAS, DEVEM
SER ADOTADAS MEDIDAS
PREVENTIVAS DESTINADAS AO
CONTROLE DOS RISCOS
ADICIONAIS, ESPECIALMENTE
QUANTO A ALTURA,
CONFINAMENTO, CAMPOS
ELÉTRICOS E MAGNÉTICOS,
EXPLOSIVIDADE, UMIDADE,
POEIRA, FAUNA E FLORA
E OUTROS AGRAVANTES,
ADOTANDO-SE SEMPRE A
SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA.
RISCOS ELTRICOS EM
AMBIENTES CONFINADOS

CHOQUE ELETRICO POR CONTATO DIRETO


CHOQUE ELETRICO POR CONTATO INDIRETO
QEUIMADURAS POR ARCO ELETRICO
INCENDIO E EXPLOSAO

AS MEDIDAS DE CONTROLE A SEREM ADOTADAS PARA PROTECAO AO RISCO DE


CHOQUE ELETRICO EM ESPACO CONFINADO DEVEM CONSIDERAR AS
INFLUENCIAS EXTERNAS DEFINIDAS NAS NORMAS TECNICAS DA ABNT (NBR 5410
- BAIXA TENSÃO E NBR 14039 – MÉDIA TENSÃO): INFLUÊNCIA EXTERNA

AS MEDIDAS DE PROTEÇÃO AO RISCO DE ARCO ELÉTRICO E FOGO REPENTINO


EM ESPAÇO CONFINADO DEVEM CONSIDERAR AS NORMAS TÉCNICAS DA ABNT E
NFPA 70E – RISCOS ELÉTRICOS EM AMBIENTES DE TRABALHO
INFLUÊNCIAS EXTERNAS:

VARIÁVEIS QUE DEVEM SER CONSIDERADAS NA


DEFINIÇÃO E SELEÇÃO DE MEDIDAS DE PROTEÇÃO
PARA SEGURANÇA DAS PESSOAS E DESEMPENHO
DOS COMPONENTES DA INSTALAÇÃO.

• Classificação internacional do IEC


• Inventário com todas as condições exteriores a que podem
estar sujeitos os diversos componentes da instalação
• estabelecido código alfanumérico constante de duas letras
e um algarismo
• primeira letra - categoria da influência ( A, B, ou C )
• segunda letra - natureza da influência externa, o conjunto
das duas letras caracteriza o parâmetro
• algarismo - classe de cada parâmetro
Influências externas
parâmetros

• Condições ambientais - independentes da natureza das instalações


e dos locais considerados, relacionados a fatores exteriores
provenientes da atmosfera, do clima, da situação e de outras
condições da região onde se encontra a instalação; compreendem
quatorze parâmetros

• AA - temperatura ambiente AH - vibrações


• AB - umidade do ar AJ - outras solicitações
• AC - altitude mecânicas
• AD - presença de água AK - presença de flora e mofo
AL - presença de fauna
• AE - presença de corpos sólidos
AM - influências
• AF - presença de substâncias
eltromagnéticas,
corrosivas ou solventes eletrostáticas ou ionizantes
• AG - choques mecânicos NA - radiações solares
AQ - raios
Influências externas
parâmetros

• Condições de utilização dos locais onde se situa a


instalação; compreendem cinco parâmetros

• BA - Competência das pessoas


• BB - resistência elétrica do corpo humano
• BC - contato das pessoas com o potencial de terra
• BD - fuga das pessoas em emergências
• BE - natureza dos materiais processados ou armazenados

• Condições relacionadas com a construção de prédios, isto é, sua


estrutura e os materiais utilizados; compreendem dois parâmetros.
• CA - materiais de construção
• CB - estrutura dos prédios
Seleção medidas de
proteção para choque
elétrico
• Para a seleção de medidas de proteção contra choques elétricos, por contato
direto ou indireto deve-se se observar as seguintes condições de influências
externas:

• BA - Competência das pessoas


• BB - Resistência elétrica do corpo humano
• BC - Contato das pessoas com o potencial da terra

• Nota: As medidas de controle de riscos elétricos a serem adotadas serão


diferentes conforme Competências de Pessoas :

• Pessoas BA1: Proteção Total : garantida pela característica construtiva da


instalação elétrica
• Pessoas BA4 e BA5: Proteção Parcial : Admite-se a adoção de medidas de controle
considerando-se o conhecimento dos profissionais
NBR 5410: RESISTENCIA ELETRICA
DO CORPO HUMANO

NBR 5410: INFLUÊNCIAS EXTERNAS


NBR 5410: CONTATO DAS PESSOAS
COM O POTENCIAL DE TERRA
NBR 5410 ANEXO C

NBR 5410: CONTATO DAS PESSOAS COM O POTENCIAL DE TERRA

TABELA C1 – SITUAÇÕES 1, 2 E 3 NR10 – ITEM 10.14.6


CONDIÇÃO DE INFLUÊNCIA EXTERNA SITUAÇÃO Essa Norma não se aplica a
1
instalações elétricas alimentadas
BB 1, BB2
BC 1, BC 2, BC 3 1 em Extra Baixa Tensão ( Tensão
BB 3 2 de Segurança )
BC 4 2
BB 4 3 Até 50 VCA ou 120 Vcc
RESISTÊNCIA ELÉTRICA
DO CORPO HUMANO

MODELO EQUIVALENTE DE
IMPEDÂNCIA DO CORPO HUMANO RESISTÊNCIA DO CORPO HUMANO DE
ACORDO COM A CLASSIFICAÇÃO DA PELE

R I R I R I R I
Ω mA Ω mA Ω mA Ω mA
10 6500 1,5 3200 3 1200 8 500 20
25 5000 5 2500 10 1000 25 400 63
50 4000 12 2000 25 875 57 300 167
100 2200 45 1500 67 730 137 260 385
Zp1 e Zp2 IMPEDÂNCIASDA PELE
250 1000 250 1000 250 650 385 200 1250
Z1 IMPEDÂNCIA INTERNA

Zt IMPEDÂNCIA TOTAL
TENSÕES DE CONTATO LIMITES
PERMITIDAS (CA) PARA AS
C Ó D IG O C L A S S IF I- CARACT. A P L IC A Ç Õ E S
CONDIÇÕES DA PELE
DA CAÇÃO DA PELE E EXEM PLOS
PELE
ELEVADA C O N D IÇ Õ E S P E L E S E C A (S E M U M I D A D E ,
BB1
BB2 NORM AL
SECAS
C O N D IÇ Õ E S
Ú M ID A S
IN C L U S IV E S U O R )
PASSA G EM DA C O R RENTE DE
UM A M ÃO À OUTRA OU DE
BB4 = 12V
UM A M ÃO A UM PÉ COM A
P E L E Ú M I D A ( C O M S U O R ), E A
S U P E R F ÍC IE D E C O N T A T O
S IG N IF IC A T IV A
BB3 = 25V
FRACA C O N D IÇ Õ E S P A S S A G E M D A C O R R E N T E
BB3 M O L H A D A S E N T R E D U A S M Ã O S E O S D O IS
PÉS, ESTA ND O A PESSO A C O M
O S PÉS M O LH A D O S A O PO N TO
D E SE PO D ER D ESPREZA R A
BB2 = 50V
R E SIS T . D A P E L E D O S P É S
M U IT O C O N D IÇ Õ E S P E S S O A S IM E R S A S N A Á G U A ,
BB4 FRACA IM E R S A S E M B A N H E IR A S O U P IS C IN A S
C L A S S IF IC A Ç Ã O D A P E L E
HUM ANA
10000
ms
5000
2000
1000
500

200
100
50
20
10
0,1 0,2 0,5 1 2 5 10 20 30 100 200 500 1000 2000 5000 10000
mA
ZONAS TEMPO-CORRENTE E EFEITOS DA CA (15Hz a 100 Hz) NAS PESSOAS
ZONA 1: NORMALMENTE NENHUMA REAÇÃO, ATÉ O LIMITE DE PERCEPÇÃO
ZONA 2: NORMALMENTE NÃO HÁ PERIGO NESTA REGIÃO. CONSIDERA O
LIMITE DE PERDA DE CONTROLE MUSCULAR (10mA)
ZONA 3: NORMALMENTE NÃO OCORRE DANOS FÍSICOS. UM AUMENTO NA
INTENSIDADE E DURAÇÃO, PODE PROVOCAR CONTRAÇÕES MUSCULARES,
ASFIXIA E DISTÚRBIOS REVERSÍVEIS NO CORAÇÃO, PORÉM SEM FIBRILAÇÃO
VENTRICULAR
ZONA 4: EM ADIÇÃO AOS EFEITOS INDICADOS NA ZONA 3, A FIBRILAÇÃO
VENTRICULAR É PROVÁVEL, E QUEIMADURAS
A instalação é provida de interruptor diferencial DR.
I - O motor apresenta vazamento, com DDP = 150 V entre carcaça e
terra.
II – Um indivíduo entra em contato com a carcaça do motor, sendo a
resistencia equivalente de 1500 ohms

Calcular:
A -Imax que poderá
circular pelo indivíduo
B -Tempo máximo de
atuação do DR para não
adentrar a região do Não
Soltar
PERCURSO DA CORRENTE FCC
MÃO ESQUERDA E PÉ ESQUERDO 1,0
MÃO ESQUERDA E PÉ DIREITO 1,0
MÃO ESQUERDA E PÉS 1,0
MÃOS E PÉS 1,0
ENTRE AS MÃOS 0,4
MÃO DIREITA E PÉ ESQUERDO 0,8
MÃO DIREITA E PÉ DIREITO 0,8
MÃO DIREITA E PÉS 0,8
MÃO DIREITA E COSTAS 0,3
MÃO ESQUERDA E COSTAS 0,7
MÃO DIREITA E PEITO 1,3
MÃO ESQUERDA E PEITO 1,5
MÃO ESQUERDA E NÁDEGAS 0,7
MÃO DIREITA E NÁDEGAS 0,7
MÃOS E NÁDEGAS 0,7
A IMPORTÂNCIA DO F.C.C. É DE PODER
COMPARAR PERCURSOS DIFERENTES QUE
PRODUZEM O MESMO SINTOMA NO CORPO

CORRENTE ELÉTRICA ATRAVÉS DO CORAÇÃO


A corrente elétrica espraia-se, alterando a sua densidade nas diversas partes do corpo
A parcela que passa pelo coração é obtida usando a expressão:

I mão-pé
F.C.C. = --------------
I percurso

I mão-pé = é a corrente equivalente deste percurso, que produz o mesmo efeito da I percurso
I percurso = é a corrente total do choque no percurso considerado
F.C.C. = fator de corrente pelo coração, que possibilita a equivalência da corrente do choque de
percursos diferentes
EXEMPLO: Um Choque Elétrico de 250
mA entre mãos com duração de 1
segundo

Calcular: A corrente (I) equivalente entre mão e pé

I mão-pé I mão-pé
F.C.C. = ---------------- 0,4 = --------------
I percurso 250 mA

I mãos = 250 mA I mão-pé = 100mA


Qual o efeito que esta corrente causa no corpo humano?
Probablidade de fibrilação ventricular e consequências decorrentes da
fibrilação
Qual a corrente de choque entre mão esquerda e peito, que produz o mesmo
efeito?
I mão esquerda-peito?
I mão-pé = 100mA
100mA
1,5 = ------------------------------
F.C.C. = 1,5
I mão esquerda-peito
I mão esquerda-peito = 66,6mA
Conclusão: O choque elétrico de 66,6mA durante 1s entre mão esquerda e
peito, é equivalente a 250mA entre as mãos.
Proteção contra choque elétrico -
Contato Indireto :

Em espaços confinados, predomina


acidentes com ferramentas elétricas, e,
carcaças de equipamentos

MEDIDAS DE CONTROLE
Dispositivos de Seccionamento Automático

 Equipotencialização

 Condutor Terra

 DR

 Dupla Isolacao
Equipamentos de medicao

Nos locais de trabalho só podem ser utilizados


equipamentos, dispositivos e ferramentas
elétricas compatíveis com a instalação elétrica
existente, preservando-se as características de
proteção, respeitadas as recomendações do
fabricante e as influências externas

 Proteção: dupla isolação, pontas encapsuladas


dentro do meter, anel protetor nas pontas.

 Transiente de alta energia na iluminação,


chaveamento de cargas (Desligamento de
motores, capacitores, etc)

 Proteção: IEC 61010-1, CATEGORIA III- 600 or 1000V


Categoria dos Equipamentos
conforme IEC 61010 :
O nível de energia de impulsos de tensão são dependentes da localização. Quanto mais próximo a
fonte de energia, maior o risco de ocorrências perigosas e maior deve ser a categoria

• IEC 61010 define 4 localizações


ou Categorias:

• CAT IV “Origem da instalação”


• Cabines de entrada e outros
cabeamentos externos

• CAT III Distribuição da


instalação, incluindo barramentos
principais, alimentadores e
demais circuitos; cargas
permanentemente instaladas.

• CAT II Tomadas ou plugues;


cargas removíveis.

• CAT I Circuitos eletrônicos


protegidos.
Proteção contra choque elétrico
Equipamentos
Classe de Proteção Quanto Choque Elétrico ( NBR 6151 )

Nos locais de trabalho só podem ser utilizados


equipamentos, dispositivos e ferramentas elétricas
compatíveis com a instalação elétrica existente,
preservando-se as características de proteção, respeitadas
as recomendações do fabricante e as influências externas
Proteção contra choque elétrico -
Contato Direto :

Em espaços confinados, predomina acidentes


em baixa tensão, em cabos de alimentação de
equipamentos, e circuitos elétricos sem
isolação adequada, principalmente iluminação

MEDIDAS DE CONTROLE
Isolar partes vivas

 Colocar fora de alcance

 Barreiras

 Obstáculos

 Invólucros

 Isolação adequada de condutores

Grau IP adequado

 Bloqueio de energia
• IP (Ingress Protection) - NBR 6146 / IEC
NBR--6146
NBR
529

Características construtivas aplicadas ao invólucro visando:


 Proteção de pessoas contra o contato a partes energizadas sem
isolamento, contra o contato a partes móveis no interior do
equipamento, e proteção contra a entrada de corpos sólidos
estranhos
 Proteção do equipamento contra o ingresso de água em seu interior

IP - X Y
1° Dígito: proteção contra entrada de corpos
sólidos/ acesso pessoas `a partes energizadas

2° Dígito: proteção contra entrada de água


Explicando melhor o
Segundo Dígito Numeral

Indica o Grau de Proteção


provido pelo invólucro quanto
aos efeitos danosos no
equipamento devido ao
ingresso de água
Até inclusive o segundo
numeral característico 6 –
atende os requisitos dos
numerais anteriores
Numeral 7 ou 8 – inadequado
para jato d água e não precisa
atender os requisitos 5 e 6,a
menos que seja indicado com
dupla codificação

27
Graus de Proteção de
motores
Exemplo de Grau de
Proteção
NBR 6146/IEC 529

IP - 55
5 - Protegido contra poeira
e contato a partes
internas do invólucro

5 - Água projetada por bico


em qualquer direção não
tem efeitos prejudiciais

Motores, caixas de passagem e


caixas de ligação dos cabos de força
28
Graus de Proteção IP

• Exemplo de Grau
de Proteção
• NBR 6146/IEC
529
• IP - 41

• 4 - Protegido
contra entrada de
objetos sólidos
com dimensão
maior do que 1,0
mm

• 1 - Gotas de água Painéis de UTR - Unidade Terminal Remota


caindo na vertical Instalados em área abrigada (dentro de subestação).
não prejudicam o
equipamento
GRAU DE PROTEÇÃO CONTRA ACESSO DE
PARTES PERIGOSAS INDICADO PELA
LETRA ADICIONAL

As letras adicionais devem ser


utilizadas somente:
Se a proteção real contra o
acesso às partes perigosas é
mais elevada que aquela
indicada pelo primeiro dígito
característico
ou se somente a proteção contra
o acesso às partes perigosas é
mencionada; o primeiro dígito
característico é então substituído
por um X
Proteção mais elevada pode ser
obtida por uma barreira, uma
forma apropriada de abertura ou
de dist6ancias no interior do
invólucro
30
GRAU DE PROTEÇÃO CONTRA ACESSO
DE PARTES PERIGOSAS INDICADO
PELA LETRA SUPLEMENTAR

Na norma relevante do produto, pode ser indicada uma informação


suplementar por meio de uma letra colocada após o segundo numeral
característico ou após a letra adicional
31
RISCO DE ARCO ELETRICO
E FOGO REPENTINO
NFPA 70E simplificado
• NFPA 70E – Hazard Risk 0 Risco Mínimo.
• NFPA 70E – Hazard Risk 1 Algum risco.
• NFPA 70E – Hazard Risk 2 Risco moderado.
• NFPA 70E – Hazard Risk 3 Risco Elevado.
• NFPA 70E – Hazard Risk 4 Risco Elevadíssimo.

EM ESPACOS CONFINADOS O NIVEL


DE ENERGIA INCIDENTE É
AGRAVADO SIGNIFICATIVAMENTE
DEVIDO CONDICOES DE CONTORNO
CPNSEE – SUBCOMISSAO DE VESTIMENTAS FR

Interpretação das Zonas Controladas e de Risco :

O conceito de Zona Controlada , Risco e Livre ,


está fundamentada pela NR-10 através de
distâncias de Segurança baseado no Risco de
Choque Elétrico. Estas distâncias já apareciam na :
- NEC 2002
- NFPA 70E 2004
- OSHA / CFR 1910
- NESC 2001
Todas estas normas relacionam as distâncias de
segurança entre partes vivas, baseado no risco de
choque elétrico. Para análise do risco de Arco
Elétrico , uma avaliação mais detalhada será
necessária.
CPNSEE – SUBCOMISSAO DE
VESTIMENTAS FR

DEFINIÇOES NFPA 70E- 2009


A fronteira de proteção ao • “ Em certas
risco de arco elétrico é a circunstancias, a fronteira
distancia na qual e provável de proteção ao risco de
que uma pessoa receba arco elétrico pode ser
queimadura de segundo uma distancia maior as
partes energizadas do que
grau, assumida quando a fronteira de
recebe uma energia aproximação limitada”.
incidente de 5 j\cm2 ( 1,2
cal\cm2 )
Fronteira de proteção do arco:
ANEXO D – NFPA 70E (D.8.5)

• 6.6.4. Equação obtida empiricamente:


• DB = [4,184.Cf.En (t / 0,2).(610x / En)]1/x

• 6.6.5. Equação obtida teoricamente:


• (DB)² = 2,142.X.106 V.Ibf (t / EB)

• Onde:
• DB = Distância (mm) da fronteira de proteção ao ponto de ocorrência do
arco elétrico.
• Cf = Fator de cálculo: = 1.0 para tensões superiores a 1kV e 1,5 para
tensões iguais ou
• inferiores a 1kV
• En = energia incidente normalizada
• EB = energia incidente em J/cm² para a distância da fronteira de
proteção contra o arco
• Elétrico.
• t = tempo (s)
• X = Expoente da distância da tabela D.8.2 (Página 16)
• Ibf = possível corrente de curto circuito sólido trifásico
• V = tensão do sistema em kV
DISTANCIAS DE SEGURANÇA
NFPA 70 E X NR10

LAS

ZL

ZC
ZR
EPI PARA TRABALHOS COM ELETRICIDADE

CAPACETE

VESTIMENTA DE PROTEÇÃO FR (FIRE


RESISTANT)

VISEIRA DE PROTEÇÃO PARA ARCO


ELÉTRICO

BALACLAVA

LUVA ISOLANTE + LUVA DE VAQUETA DE


SOBREPOR

CALÇADOS EM COURO COM SOLADO


ISOLANTE DE BORRACHA

BOTINA ISOLANTE ( LOCAIS COM AGUA )

FERRAMENTAS ISOLADAS
NR 10: MONITORAMENTO BIOLOGICO

EXAMES MÉDICOS PARA ELETRICISTAS


NO PCMSO
PERIODICIDADE DOS EXAMES MÉDICOS
EXPOSIÇÃO A RISCOS FÍSICOS DOS
ELETRICISTAS NO PPRA
EXPOSIÇÃO A RISCOS QUÍMICOS 10.8.7 OS TRABALHADORES
DOS ELETRICISTAS NO PPRA AUTORIZADOS A INTERVIR
EXPOSIÇÃO A RISCOS BIOLÓGICOS
EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS
DOS ELETRICISTAS NO PPRA
EMISSÃO DO ASO DEVEM SER SUBMETIDOS À
DETECÇÃO DE DOENÇAS ANÁLISE DE SAÚDE
OCUPACIONAIS EM ELETRICISTAS COMPATÍVEL
 ELETRICISTAS
COM AS ATIVIDADES A SEREM
DETECÇÃO DE RESULTADOS
ANORMAIS PARA ELETRICISTAS NO DESENVOLVIDAS, REALIZADA
PCMSO EM CONFORMIDADE COM A
NR 7 E REGISTRADA EM SEU
PRONTUÁRIO MÉDICO.
Implantação ou revisão de
“análise de riscos”
10.2.1 Em todas as
intervenções em
instalações elétricas
devem ser adotadas
medidas preventivas de RISCOS ADICIONAIS
são todos os demais
controle do risco elétrico e grupos ou fatores de
de outros riscos risco, além dos
elétricos, específicos
adicionais, mediante de cada ambiente
técnicas de analise de ou processos de
trabalho que,
risco, de forma a garantir direta ou indiretamente,
a segurança e saúde no possam afetar a
segurança e
trabalho. a saúde no trabalho: altura. Espaço
confinado, incêndio e explosão,
agentes ambientais,
Arco elétrico e fogo repentino, etc
10.12 SITUAÇÃO DE
EMERGÊNCIA
10.12.1 - Plano de emergência da
empresa

10.12.2 -Todo trabalhador


autorizado deve estar apto a
executar o resgate e prestar
primeiros socorros a acidentados,
especialmente através de
reanimação cardio-respiratória. PROCEDIMENTO ESCRITO
CENÁRIOS DE EMERGÊNCIAS
10.12.3 -Toda empresa deve ELÉTRICAS DEFINIDAS

possuir métodos de resgate  CENÁRIOS DE EMERGÊNCIAS EM


RISCOS ADICIONAIS DEFINIDOS
padronizados e adequados às
REALIZAÇÃO DE SIMULADOS DE
suas atividades, disponibilizando EMERGÊNCIAS
os meios para a sua aplicação.
Servicos eletricos em areas
classificadas

Analise de riscos

Procedimentos de trabalho

Circuito ‘desenergizado ‘

Definicao de condicoes impeditivas

Feeramental adequado
ILUMINACAO

• Iluminação com Extra Baixa Tensão


• Invólucro com Grau IP adequado
• Condutores alimentação com isolacao adequada
AGUINALDO BIZZO DE ALMEIDA
E MAIL: bizzo@walk.com.br
dpstengenharia@walk.com.br

Site: www.dpst.com.br
Fone DPST: 14 -3262 - 1857
Fone: 14 – 8124 6507
OBRIGADO!