Você está na página 1de 37

Sistema Cardiovascular

Prof.ª Ft. Juliana Ap. Rosa Pfister


• O sistema circulatório (ou cardiovascular) consiste em três
componentes inter-relacionados: sangue, coração e vasos
sanguíneos.
• Sua função básica é a de levar material nutritivo e oxigênio às
células. Além dessa função primordial, o sangue circulante
também transporta produtos residuais do metabolismo celular,
desde os locais onde foram produzidos até os órgãos
encarregados de os eliminar. O sangue possui ainda, células
especializadas na defesa do organismo contra substâncias
estranhas e microorganismos.
• O ramo da ciência relacionado com o estudo do sangue,
tecidos formadores do sangue e distúrbios associados é a
hematologia.

Introdução
• O sistema cardiovascular é um sistema fechado, sem
comunicação com o exterior, constituído por sangue,
coração, artérias, veias e vasos capilares.

Composição
• É um líquido mais denso e mais viscoso do que a água, e por
isso flui mais lentamente que ela.
• Sua temperatura é de aproximadamente 38°C, que é um pouco
mais alta do que a temperatura corporal normal.
• Quando está saturado de oxigênio, o sangue é de cor vermelho-
vivo; quando insaturado com oxigênio, o sangue varia de
vermelho-escuro a vermelho-azulado.
• O sangue constitui cerca de 8% do peso total do corpo. O
volume de sangue é de 5 a 6 litros em um homem adulto de
tamanho médio, e de 4 a 5 litros em uma mulher adulta de
tamanho médio.

Sangue
• O sangue possui três funções gerais:
- Transporte: o sangue transporta oxigênio dos pulmões para as células
do corpo, e CO² das células do corpo para os pulmões, para a
expiração. O sangue transporta nutrientes do trato gastrointestinal para
as células do corpo e hormônios das glândulas endócrinas para outras
células por todo o corpo. O sangue transporta calor e produtos
residuais para os pulmões, rins e pele, para eliminação do corpo.
- Regulação: o sangue circulante ajuda a manter um equilíbrio de todos
os líquidos do corpo. Também ajuda a ajustar a temperatura do corpo.
- Proteção: o sangue coagula (torna-se gelatinoso), uma proteção contra
a perda excessiva pelo sistema circulatório após uma lesão. Além
disso, células de defesa sanguíneas (leucócitos, por exemplo) protegem
contra doenças. Diversas proteínas do sangue, como, por exemplo, os
anticorpos ajudam a proteger contra doenças.

Sangue
• O sangue total é composto por duas porções:
- Plasma sanguíneo: é uma matriz extracelular de líquido aquoso
contendo substâncias dissolvidas. Se removermos as células
sanguíneas (eritrócitos, leucócitos e plaquetas) do sangue, sobra
esse líquido de cor de palha. O plasma é aproximadamente 91,5%
água e 8,5% solutos, a maior parte dos quais consiste em proteínas
(albuminas, globulinas e fibrinogênio). Outros solutos incluem
eletrólitos, nutrientes, enzimas, hormônios, gases e produtos
residuais.
- Células sanguíneas: hemácias, eritrócitos, leucócitos e plaquetas,
que atuam como células de defesa do organismo.

Sangue
Sangue
• São tubos cilíndricos, elásticos, com paredes musculares
grossas nos quais o sangue circula do coração para os órgãos
do corpo. São elásticas pois mantêm o fluxo sanguíneo
constante. Possuem grandes calibres (por exemplo, artéria
aorta), médio calibre (maioria das artérias do corpo) e
arteríolas, que são os menores ramos das artérias.
• As artérias podem ser superficiais (as que se destinam à pele,
sendo por isso de menor calibre) e profundas, compreendendo
a maioria das artérias. As artérias profundas são acompanhadas
por uma ou duas veias, tendo o mesmo trajeto, calibre
semelhante e em geral, o mesmo nome da artéria que
acompanham.

Artérias
Artérias
• As veias são tubos que transportam o sangue que já sofreu trocas com
os tecidos, da periferia para o centro do sistema circulatório, que é o
coração. Quando cheias de sangue são mais ou menos cilíndricas, e
quando pouco cheias ou vazias são achatadas.
• As veias superficiais (não acompanham artérias) têm coloração azul-
escuro, porque sua finas paredes deixam transparecer o sangue que
nelas circula.
• O número de veias no nosso corpo é maior que o número de artérias.
Podem ser de grande calibre, médio calibre, pequeno calibre e
vênulas (seguindo-se os capilares).
• A maioria das veias possuem válvulas unidirecionais chamadas de
válvulas venosas para prevenir o refluxo causado pela gravidade. A
parede da veia possui uma camada de músculos lisos, porém esta
camada é fina e as veias são vasos frágeis, com válvulas frágeis. As
paredes das veias são menos resistentes e mais delgadas do que as
das artérias.

Veias
As válvulas venosas impedem o
fluxo inverso de sangue.

Veias
• Os capilares sanguíneos, ou vasos capilares, são vasos
sanguíneos do sistema circulatório com forma de tubos de
pequeníssimo calibre. Constituem a rede de distribuição e
recolhimento do sangue nas células. Estes vasos estão em
comunicação, por um lado, com ramificações originárias das
artérias e, por outro, com as veias de menor dimensão. Os
capilares existem em grande quantidade no nosso corpo.
Podem deformar-se com muita facilidade e impedir a
passagem de glóbulos vermelhos (células sanguíneas).
• A parede dos capilares é constituída por uma única camada de
células, onde ocorrem as trocas dos gases. Suas paredes são de
tecido epitelial. Esses micro vasos conectam arteríolas e veias,
possibilitam a troca de água, oxigênio, dióxido de carbono,
vários outros nutrientes e resíduos químicos entre o sangue e
tecidos ao seu redor.

Vasos Capilares
Vasos Capilares
Coração
• O coração é uma bomba contrátil, em formato de um cone
truncado, ou seja, sua base (porção superior) é mais larga e seu
ápice (porção inferior) é mais estreito.
• É relativamente pequeno, do mesmo tamanho ou um pouco
maior que uma mão fechada, com quase 12 cm de
comprimento, 9 cm de largura e 6 cm de espessura. Pesa em
média 250g nas mulheres adultas e 300g nos homens adultos.
• O coração repousa sobre o músculo diafragma (músculo da
respiração), próximo da linha mediana da cavidade torácica no
mediastino, que é uma região anatômica que se estende do
osso esterno até a coluna vertebral, da primeira costela até o
diafragma e entre os revestimentos (pleuras) dos pulmões.
• Aproximadamente dois terços da massa do coração situam-se à
esquerda da linha mediana do corpo.

Coração
Coração
• A membrana que envolve e protege o coração é chamada
pericárdio. Ela limita o coração à sua posição no mediastino, e
ao mesmo tempo lhe permite liberdade suficiente de movimento
para contração rápida e vigorosa.

Morfologia Externa do Coração


• O pericárdio consiste em duas partes principais: o pericárdio fibroso e o
pericárdio seroso,
• O pericárdio fibroso, superficial, é composto por tecido conjuntivo
fibroso resistente e inelástico; assemelha-se a uma bolsa que repousa
sobre o diafragma, fixando-se nele. O pericárdio fibroso evita o
estiramento excessivo do coração, fornece proteção e ancora o coração no
mediastino.

Morfologia Externa do Coração


• O pericárdio seroso, mais profundo, é uma membrana mais fina e
delicada, que forma uma camada dupla em torno do coração. A lâmina
parietal externa do pericárdio seroso é fundida com o pericárdio fibroso.
A lâmina visceral interna do pericárdio seroso, também chamada
epicárdio, adere firmemente à superfície do coração.

Morfologia Externa do Coração


• Entre as lâminas parietal e visceral do pericárdio seroso se encontra uma
película fina de líquido lubrificante, conhecido como líquido
pericárdico, que é uma secreção lubrificante das células pericárdicas que
reduz o atrito entre as membranas enquanto o coração se move. O espaço
que contém esse líquido é chamado de cavidade do pericárdio.

Morfologia Externa do Coração


• A parede do coração consiste em três camadas: o epicárdio (camada
externa), o miocárdio (camada intermediária) e o endocárdio (camada
interna).

Morfologia Externa do Coração


• O epicárdio é composto de duas camadas de tecido: a mais externa que é
chamada de camada visceral do pericárdio seroso, e abaixo dela, encontra-se uma
camada variável de tecido fibroelástico delicado e tecido adiposo. O epicárdio
confere à face externa do coração uma textura escorregadia e lisa. O epicárdio
contém vasos sanguíneos, linfáticos e nervos que suprem o miocárdio.

Morfologia Externa do Coração


• O miocárdio, camada intermediária, é responsável pela ação de
bombeamento do coração. É composto de tecido muscular estriado
cardíaco, de ação involuntária.

Morfologia Externa do Coração


• A última camada, o endocárdio, é a mais interna, mais fina, formando
um revestimento liso para as câmaras do coração e recobrindo as valvas
cardíacas. Esse revestimento liso minimiza o atrito das superfícies à
medida que o sangue passa pelo coração.

Morfologia Externa do Coração


• O coração é uma bomba dupla, contendo 4 câmaras cardíacas, 4 septos e 4
valvas.

Morfologia Interna do Coração


• As 4 câmaras se subdividem em duas câmaras superiores, receptoras,
chamadas átrios (direito e esquerdo), e duas câmaras inferiores, de
bombeamento, chamadas ventrículos (direito e esquerdo).
• Os átrios recebem sangue proveniente dos vasos sanguíneos que
retornam sangue para o coração, chamados veias, enquanto os
ventrículos ejetam o sangue do coração para as artérias.

Morfologia Interna do Coração


• O átrio direito forma a borda direita do coração e recebe sangue rico em
dióxido de carbono (venoso) proveniente das veias: veia cava superior (que
recolhe sangue da cabeça e parte superior do corpo) e veia cava inferior (que
recebe sangue das partes mais inferiores do corpo, como abdome e membros
inferiores).

Morfologia Interna do Coração


• O átrio esquerdo recebe o sangue proveniente dos pulmões através de quatro
veias pulmonares: duas superiores (direita e esquerda) e duas inferiores (direita e
esquerda).
• Entre o átrio direito e o átrio esquerdo encontra-se uma divisão fina, uma parede
muscular chamada septo interatrial. Separando o átrio direito do ventrículo direito
existe o septo atrioventricular direito, e entre o átrio esquerdo e o ventrículo
esquerdo, existe o septo atrioventricular esquerdo.

Morfologia Interna do Coração


• O ventrículo direito forma a maior parte da face anterior do coração e
recebe o sangue do átrio direito através da valva tricúspide (ou valva
atrioventricular direita). Essa valva se abre quando a pressão do átrio é maior
que a do ventrículo, e o sangue se movimenta em direção ao ventrículo. Ela
se fecha quando o ventrículo se contrai, aumentando a pressão e
“empurrando” a valva para cima, evitando assim o refluxo do sangue para os
átrios.

Morfologia Interna do Coração


• Internamente, o ventrículo direito é
separado do ventrículo esquerdo
por uma divisão chamada septo
interventricular. O sangue passa
do ventrículo direito, através da
valva do tronco pulmonar, para
um grande vaso, chamado tronco
pulmonar, que se divide nas
artérias pulmonares direita e
esquerda, que transportam o
sangue para os pulmões.
Septo
interventricular

Morfologia Interna do Coração


• O ventrículo esquerdo é a parte
mais espessa do coração, formando
seu ápice. Recebe o sangue vindo
do átrio esquerdo através da valva
bicúspide ou mitral (também
chamada de valva
atrioventricular esquerda).
• O sangue passa do ventrículo
esquerdo, através da valva da
aorta, para a maior artéria do
corpo, a artéria aorta.

Morfologia Interna do Coração


• Circulação Pulmonar ou Pequena circulação é a designação dada à parte da circulação
sanguínea na qual o sangue é bombeado para os pulmões e retorna rico em oxigênio de
volta ao coração. Em síntese, é uma circulação coração-pulmão-coração.
• Inicia-se no ventrículo direito e termina no átrio esquerdo do coração.
• O sangue, pobre em oxigênio (venoso), entra no ventrículo direito e é bombeado para
as artérias pulmonares dirigindo-se para os pulmões, onde ocorre o processo de trocas
gasosas (hematose) que eliminam o gás carbônico do sangue e o tornam rico em oxigênio.
O sangue, rico em oxigênio (arterial) retorna para o coração através das veias pulmonares
direita e esquerda, entrando no átrio esquerdo.

Fisiologia do
Coração
• Grande circulação, também chamada circulação sistêmica é a circulação entre o coração
e todo o organismo. O sangue do ventrículo esquerdo, rico em oxigênio, vai para todo o
organismo, através da artéria aorta, onde o sangue realiza trocas de substâncias com
os tecidos e onde o oxigênio é consumido. O sangue fica rico em gás carbônico e retorna
até o átrio direito do coração, pelas veias cavas superior e inferior. É uma circulação
coração-tecido-coração - entre o ventrículo esquerdo e o átrio direito do coração.

Fisiologia do Coração
• Um único ciclo cardíaco compreende todos os eventos associados a um batimento
cardíaco. Em um ciclo cardíaco normal os dois átrios se contraem, enquanto os dois
ventrículos relaxam. Em seguida, enquanto os dois ventrículos se contraem, os dois átrios
relaxam. Sístole refere-se à fase de contração de uma câmara do coração; diástole é a fase
de relaxamento.
• Sístole é o período de contração muscular das câmaras cardíacas que alterna com o
período de repouso, diástole. A cada batimento cardíaco, os átrios contraem-se primeiro,
impulsionando o sangue para os ventrículos, o que corresponde à sístole atrial.
Os ventrículos contraem-se posteriormente, bombeando o sangue para fora do coração,
para as artérias, o que corresponde à sístole ventricular.
• Diástole cardíaca é um período de relaxamento muscular ou recuperação
do músculo cardíaco; alterna com o período de contração muscular (sístole). Nesse
período, de pressão arterial mínima, a cavidade dilata-se (átrios e ventrículos) e permite a
entrada de sangue, para que possa ser expelido na contração.

Movimentos Cardíacos
• O sistema de condução do coração é a razão dos
batimentos contínuos do coração. É uma atividade
elétrica, intrínseca e rítmica, que se origina em uma rede
de fibras musculares cardíacas especializadas, chamadas
células auto rítmicas (marca passo cardíaco), por serem
auto excitáveis.

Condução Cardíaca
• A excitação cardíaca começa no nodo
sinoatrial (SA), situado na parede atrial direita.
Propagando-se ao longo das fibras musculares
atriais, o potencial de ação atinge o nodo
atrioventricular (AV), situado no septo
interatrial, onde o impulso elétrico é freado de
uma maneira quase imperceptível, para que os
átrios se contraiam antes dos ventrículos. Do
nodo AV, o potencial de ação chega ao feixe
atrioventricular (feixe de His), que é a única
conexão elétrica entre os átrios e os
ventrículos. Após ser conduzido ao longo do
feixe AV, o potencial de ação entra nos ramos
direito e esquerdo, que cruzam o septo
interventricular, em direção ao ápice cardíaco.

Condução
Finalmente, as miofibras condutoras (fibras de
Purkinje), conduzem rapidamente o potencial
de ação, primeiro para o ápice do ventrículo e

Cardíaca
após para o restante do miocárdio ventricular,
para que ocorra a sístole ventricular.
 DÂNGELO, J. G.; FATTINI, C. A. Anatomia Humana Sistêmica e
Segmentar. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2002. 671 p.

 TORTORA, G.J.; NIELSEN, M.T. Princípios de Anatomia


Humana. 12. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013. 1092
p.

 MOORE, L. K. et al. Moore Anatomia – Orientada para a Clínica.


7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014. 1114 p.

Referências Bibliográficas