Você está na página 1de 15

UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP

FACULDADE IPESU/FAREC

CURSO SUPERIOR TECNÓLOGO EM GESTÃO PÚBLICA

EBSERH – EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES

PROJETO INTEGRADO MULTIDICIPLINAR – PIM 1

RECIFE
2020
UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP

FACULDADE IPESU/FAREC

CURSO SUPERIOR TECNÓLOGO EM GESTÃO PÚBLICA

EBSERH – EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES


PROJETO INTEGRADO MULTIDICIPLINAR – PIM 1

Débora Karina Calado Ferraz RA – 2016064

Marcondes Gonçalves de Lima RA - 2015981

Projeto Integrado Multidisciplinar – PIM


apresentado à Universidade Paulista –
UNIP, para avaliação semestral no
Curso Superior Tecnólogo em Gestão
Pública.
Orientador: Fábio Ricardo B. dos Santos

RECIFE
2020
RESUMO

Esse trabalho tem como levar a compreensão das disciplinas estudadas –


Fundamentos da administração, Comunicação empresarial e Técnicas de
informática - dentro de uma empresa real. A empresa em questão é a EBSERH
(Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares) criada em 15 de dezembro de 2011,
como uma Empresa Pública, vinculada ao Ministério da educação (MEC). Dentro da
Empresa serão avaliados a organização administrativa e seu funcionamento, logo
em seguida, quais são as técnicas de informática empregada nos processos internos
e externos, e mais, como são feitas as comunicações na Empresa e de que forma
ocorre o gerenciamento das mesmas.

Palavras – chaves: Administração, informática, empresa, comunicação.


ABSTRACT

This work can lead to an understanding of the disciplines studied -


Fundamentals of administration, Business communication and Computer techniques
- within a real company. The company in question is EBSERH (Brazilian Hospital
Services Company) created on December 15, 2011, as a Public Company, linked to
the Ministry of Education (MEC). Within the Company, the administrative
organization and its functioning will be evaluated, right after, which are the computer
techniques used in the internal and external processes, and more, how the
communications are made in the Company and how they are managed.

Keyword: Administration, Informatic, company, communication.


Sumário
INTRODUÇÃO.........................................................................................................................................6
2. APRESENTAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DA EMPRESA................................................................................7
2.1 Configuração da proposta organizacional.....................................................................................7
2.2. Relação hospital x EBSERH...........................................................................................................8
2.3. Relação hospital x cliente.............................................................................................................9
3. SEI – SISTEMA ELETRÔNICO DE INFORMAÇÕES...............................................................................10
3.1. Principais Características do SEI.................................................................................................10
3.2. MENTORH: software auxiliar......................................................................................................11
3.3. MASTER TOOLS: software auxiliar..............................................................................................11
4. POLITICA DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL EBSERH....................................................................12
4.1. Comunicação interna.................................................................................................................12
4.2. Comunicação digital...................................................................................................................13
4.3. Linguagem..................................................................................................................................13
5. CONSIDERAÇÕES FINAIS...................................................................................................................14
6. REFERÊNCIAS....................................................................................................................................15
INTRODUÇÃO

O objetivo deste projeto é o estudo das práticas organizacionais


desenvolvidas dentro de uma empresa, objetivando a observação dos processos
que envolvam as disciplinas do Curso de Gestão Pública estudadas até o momento.
A metodologia empregada nesse projeto foi um estudo de caso, onde através
de fonte seguras conseguimos enriquecer nosso trabalho com materiais confiáveis
para fazer o desenvolvimento desta pesquisa.
A empresa escolhida para desenvolver as teorias vivenciadas na prática foi a
EBSERH, empresa pública, criada pela União através de autorização legal, com a
finalidade de prestar serviços gratuitos de assistência médico-hospitalar,
ambulatorial e de apoio diagnóstico e terapêutico à comunidade, assim como prestar
às instituições públicas federais de ensino ou instituições congêneres serviços de
apoio ao ensino .
Neste projeto foram analisados os processos e a sistemática aplicada pela
EBSERH aos setores da administração organizacional, tecnologia da informação e o
setor de comunicação, e como se dá a relação entre esses processos e de que
forma afetam a gestão do Hospital das Clínicas de Pernambuco.
2. APRESENTAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DA EMPRESA

A criação da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi


autorizada por meio da Lei nº 12.550, de 15 de dezembro de 2011,
como uma empresa pública vinculada ao Ministério da Educação (MEC).

Suas atividades unem dois dos maiores desafios do país, educação e


saúde, melhorando a qualidade de vida de milhões de brasileiros, por meio da
atuação de uma rede que inclui o órgão central da empresa e 40 hospitais
universitários federais (HUFs), que exercem a função de centros de referência de
média e alta complexidade para o Sistema Único de Saúde (SUS) e um papel de
destaque para a sociedade.

É uma empresa estatal, constituída por capital 100% da União, e não


podendo ser de outra forma, pois, possui o compromisso de prestar assistência à
saúde de forma integral e exclusiva no âmbito do SUS.

Participa de forma incisiva na administração dos Hospitais Universitários,


concentrando a gestão de processos internos e externos indicando as necessidades
e urgências de cada instituição, porém, respeitando a autonomia econômica e
financeira das Universidades, que trabalha com estas de maneira coordenada,
melhorando de maneira mais eficiente as ações de promoção e cuidados com a
saúde.

2.1 CONFIGURAÇÃO DA PROPOSTA ORGANIZACIONAL

A estrutura organizacional proposta para os hospitais que constituirão o


sistema EBSERH parte de diversos pressupostos. O principal deles diz respeito ao
alinhamento com a estrutura prevista para a sede da Empresa, de modo a assegurar
coerência entre os objetivos, processos de trabalhos e a coordenação entre as
instâncias e as pessoas que vão desempenhar as tarefas. No Hospital das Clínicas
de Pernambuco esse alinhamento fica evidente através das instruções normativas,
resoluções, e outros atos administrativos frequentemente produzidos pela sede da
empresa.

A formulação da estrutura partiu da análise de diversas estruturas existentes,


de modo que o novo modelo contemplasse a realidade dos hospitais. De acordo
com a definição tradicional de estrutura organizacional, considera-se a existência de
cinco blocos lógicos: cúpula, linha intermediária, núcleo operacional, suporte técnico
e suporte administrativo.

Na cúpula encontra-se Gerência e os órgãos de estrutura de governança.


Correspondem a instâncias decisórias e deliberativas do hospital. No Hospital das
Clínicas de Pernambuco (HC-UFPE), esse órgão é formado por Superintendência,
Diretorias e Gerência de atenção a saúde.

Na linha intermediária, encontram-se as divisões, órgãos que estabelecem a


integração horizontal (entre os processos finalísticos, e entre estes e os de suporte)
e a integração vertical (entre os níveis operacional e de suporte e a cúpula). No HC-
UFPE na linha intermediária encontram-se as Divisões médicas, Chefias e
coordenações.

No núcleo operacional estão situados os setores e unidades, órgãos que


facilitam a coordenação das atividades finalísticas que permitirão a prestação de
serviços assistenciais no hospital.

O suporte técnico e administrativo, no âmbito do HC-UFPE, diz respeito a


empresas contratadas em regime de terceirização que prestam serviços de
manutenção predial, manutenção de TI, limpeza interna e externa, logística,
recepção, etc.

2.2. RELAÇÃO HOSPITAL X EBSERH

A criação da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) integra


um conjunto de medidas adotadas pelo Governo Federal para a reestruturação dos
hospitais vinculados às instituições federais de ensino superior. Por meio do
Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf),
foram realizadas ações no sentido de garantir a recuperação física e tecnológica e
também de atuar na reestruturação do quadro de recursos humanos das unidades.

A relação entre a empresa e os hospitais universitários tem início com a


assinatura de um contrato de gestão. O Hospital das Clínicas de Pernambuco iniciou
sua relação com a EBSERH em 11 de dezembro de 2013, o hospital já com 34 anos
de fundação, e com vários problemas de estrutura física, falta de insumos, um
quadro de funcionários reduzidos e outras tantas dificuldades.

O Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários


Federais (Rehuf) foi imediatamente implantado no HC-UFPE, modificando o quadro
de abandono de alguns setores do hospital. A modificação se deu com algumas
ações como reutilização de áreas, fortalecimento de estruturas, modernização de
ambientes externos e internos, contratação de pessoal através de concurso público,
qualificação e capacitação de funcionários, entre outras.

2.3. RELAÇÃO HOSPITAL X CLIENTE

Uma das ações criadas pelo Hospital das Clínicas de Pernambuco junto com
a Unidade de Gestão de Pessoas da EBSERH para melhorar a relação Hospital com
o paciente, foi a Carta de serviços ao cidadão. O objetivo da Carta é informar aos
usuários os serviços prestados pela instituição, suas formas de acesso, os
compromissos e padrões de qualidade de atendimento ao público, além de outras
informações relevantes.

A disseminação dessas informações, pela ampla divulgação desta Carta de


Serviços, possibilitará a participação do cidadão no monitoramento dos serviços
oferecidos. A população pode indicar aonde esses serviços podem ser melhorados,
já que ciente de quais são os compromissos do hospital para com eles, fica mais
claro apontar qualquer disfunção no atendimento prestado.
3. SEI – SISTEMA ELETRÔNICO DE INFORMAÇÕES

O Sistema Eletrônico de Informações (SEI), desenvolvido pelo Tribunal


Regional Federal da 4ª Região (TRF4), é uma plataforma que engloba um conjunto
de módulos e funcionalidades que promovem a eficiência administrativa. A solução é
cedida gratuitamente para instituições públicas e permite transferir a gestão de
documentos e de processos eletrônicos administrativos para um mesmo ambiente
virtual. O SEI é o sistema utilizado por toda a rede EBSERH.

O SEI além de ser muito fácil de operar, possui outras premissas muito
relevantes e atuais, o que o tornou uma ferramenta indispensável no planejamento
estratégico de toda a administração pública. Possui a inovação, permite a economia
de dinheiro público, a transparência administrativa, o compartilhamento do
conhecimento produzido e a sustentabilidade.

3.1. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO SEI

O SEI possui portabilidade, pode ser acessado por meio dos principais
navegadores do mercado: Internet Explorer, Firefox e Google Chrome, e seu acesso
pode se dá por diversos tipos de equipamentos como PC, tablets, notebooks e
smartphones e compatível com vários sistemas operacionais (Windows, Linux, IOS,
Android). Isto permite que o trabalho ocorra remotamente (Home - office).

Possui controle de nível de acesso gerencia a criação e o trâmite de


processos e documentos restritos e sigilosos. Tramita em múltiplas
unidades, incorpora novo conceito de processo eletrônico, que rompe com a
tradicional tramitação linear, inerente à limitação física do papel. Deste modo, várias
unidades podem ser demandadas simultaneamente a tomar providências e
manifestar-se no mesmo expediente administrativo, sempre que os atos sejam
autônomos entre si. Em um ambiente hospitalar como o Hospital das Clínicas de
Pernambuco essa característica é de suma importância para agilidade na tomada de
decisão.
3.2. MENTORH: SOFTWARE AUXILIAR

Dentre os outros sistemas que auxiliam o SEI, e falando especificamente do


Hospital das Clínicas de Pernambuco, destaca-se o MENTORH. O software auxilia
nos processos internos do dia a dia do HC-UFPE. É através dele que os servidores
fazem o controle de frequência realizado pelo setor de documentação e registro
localizado na Divisão de Gestão de Pessoas.

O MENTORH é uma excelente ferramenta de controle e fiscalização, pois,


através da mesma adquire-se transparência nos processos de afastamentos e
ausências do servidor, que deverão ser justificados no sistema pelo servidor e sua
chefia imediata, impedindo fraudes ou favorecimentos.

3.3. MASTER TOOLS: SOFTWARE AUXILIAR

Outro software que auxilia os processos gerenciais é o MASTER TOOLS. A


ferramenta é voltada para os expedientes médicos como a marcação das consultas,
resultados de exames, faturamento das contas médicas, agendas, geração de guias
de internamento entre outros.
O MASTER também é um suporte importantíssimo na hora de identificar,
dentro do atendimento médico, qual serviço está com uma demanda maior e deve
receber mais atenção. Isso possibilita equilibrar as ações impedindo que algum setor
seja priorizado sem nenhum critério gerando os desequilíbrios tão comum quando
não se tem um suporte oferecido pelo software em questão.
Outra função do MASTER, é gerar um banco de dados onde se encontram
informações importantes dos pacientes, o que possibilita um contato rápido com os
mesmos. Esse contato faz-se necessário pois o Hospital das Clínicas de
Pernambuco atende pessoas de todo o Estado, e muitas vezes, essas pessoas têm
que se deslocar por grandes distâncias, e se algum imprevisto ocorrer
impossibilitando o funcionamento de algum ambulatório ou um cancelamento de
cirurgia, por exemplo, o Hospital entra em contato com o paciente evitando o
transtorno causado por tais situações.
4. POLITICA DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL EBSERH

A comunicação organizacional é imprescindível para as instituições e tem o


papel de manter uma comunicação de duas vias, além de promover a interação
entre os públicos, apoiar a governança na tomada de decisões, desenvolver e
consolidar relacionamentos. As políticas de comunicação organizacional podem
contribuir para uma boa governança corporativa ao estabelecerem canais de
comunicação efetivos que forneçam credibilidade, estimulem a interação e facilitem
a interlocução com o público.

A Política de Comunicação proposta pela Empresa Brasileira de Serviços


Hospitalares é pautada pelos objetivos de crescimento e expansão da Rede
EBSERH, além de levar em consideração a população, os empregados e os
colaboradores da rede.

4.1. COMUNICAÇÃO INTERNA

A comunicação interna é aquela direcionada à comunidade do HC-UFPE


(empregados, estudantes, docentes, residentes). A Unidade de Comunicação deve
atuar com ações coordenadas que facilitem a circulação de informação a todos os
níveis, aprimorando os canais já existentes e criando novas ferramentas.

Toda a comunicação interna é realizada através do SEI, o que torna a


comunicação padronizada, formal e clara. O sistema possui uma interface simples e
fácil de acessar o que ajuda até o mais desatento ou avesso à tecnologia dos
servidores.
4.2. COMUNICAÇÃO DIGITAL

As unidades da Rede Ebserh possuem sites institucionais próprios na


internet, seguindo padronização e estrutura estabelecidas pela sede.
www2.ebserh.gov.br/web/hc-ufpe, é o endereço do site da EBSERH em Recife, sua
sede.

Para cada rede social em que a Ebserh e hospitais tiverem perfil, deverão ser
seguidas as orientações do Manual de Mídias Sociais da Ebserh. É vedada a
criação de perfis específicos para atividades, programas ou campanhas, serviços,
unidades, ligas e demais grupos. Serão permitido apenas a criação de perfis que
mantenham relacionamento estratégico com o público-alvo, e os perfis ficam a
critérios da Coordenadoria de Comunicação Social ou Unidades de Comunicação
Social, que é o caso do Hospital das Clínicas de Pernambuco.

4.3. LINGUAGEM

As mídias sociais são veículos democráticos, voltados a diversos públicos, de


forma heterogênea quanto a idade, sexo, etnia, escolaridade, regionalismo, dentre
outros diversos aspectos. Ao publicar conteúdos nesse tipo de veículo, eles devem
atingir a um público amplo, havendo o risco de compartilhamento das mensagens de
maneira equivocada. Postagens muito extensas ou com linguagem complicada
correm o risco de ser mal interpretadas pelo usuário, tendo em vista a leitura rápida
ou incompleta, além da replicação do entendimento equivocado acrescido de opinião
pessoal, nem sempre condizente com a realidade da qual era a intenção informar.

As informações da EBSERH sobre o hospital das Clínicas de Pernambuco


são viabilizadas pelas páginas da ASCOM que é a agência de notícias da UFPE. As
postagem são bem diretas e simples, não dando margem a interpretações erradas
por parte do público, respeitando assim o manual de conduta de mídias sociais da
EBSERH. A linguagem simples não implica em necessariamente o uso de piadas ou
de humor.

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

A EBSERH é uma empresa presente em todo território nacional, ou seja,


bastante robusta, e por isso, necessita de uma grande organização administrativa e
de uma eficiente rede de comunicação o que só é possível com um grande
investimento na área de tecnologia e informática. Assim sendo fica evidenciado, de
uma maneira reduzida é claro, nesse trabalho a interação das matérias estudadas
no processo de Gestão de processos, e porque não dizer, de Gestão Pública, pois a
mesma é uma Empresa Pública totalmente atualizada com o que há de mais
moderno no que diz respeito a ferramentas e sistemas de gestão.

O sucesso da EBSERH dentro do Hospital das Clínicas de Pernambuco pode


ser alcançado pelo empenho e comprometimento dos colaboradores, que é facilitado
com a implantação de processos modernos na área da gestão administrativa, e que
graças a uma estrutura de Tecnologia da informação conecta todo o corpo de
trabalho com segurança e agilidade e bastante eficiência, o que resulta em uma
comunicação fácil e clara entre colaboradores e clientes. Porém, para manter uma
estrutura administrativa desse porte funcionando bem é necessário recursos
orçamentários para constituir uma constante manutenção e fiscalização, o que não
vem dispondo no momento o Hospital, visto que, o fluxo de pessoas tem aumentado
bastante, e esse é o grande problema encontrado pelos administradores do Hospital.

O Hospital das Clínicas de Pernambuco é um hospital de alta complexidade,


ou deveria ser, pois o mesmo ainda abarca a demanda de média e baixa
complexidades do estado e outros munícipios o que dificulta a gestão de recursos do
hospital, consumindo a maioria dos insumos e sub utilizando os recursos humanos
que possui uma alta qualificação. A solução seria manter as ações do hospital
voltadas para sua real característica, o que transformaria, em poucos anos, o HC-
UFPE em uma referência em gestão técnico-organizacional no Estado.
6. REFERÊNCIAS

E LIMA MOREIRA, Elisabete de Abreu. Administração geral e Pública. 4. ed.Salvador: jus


podivm, v. 1, 2019. 684 p.

VICENTE PALUDO, Augustinho. Administração Pública. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus,


v. 1, 2017. 511 p.

MAGALHÃES, Ivan Luizio; BRITO PINHEIRO, Walfrido. Gerenciamentos de serviços de


TI na prática . 1. ed. Novatec, 2018.

MANUAL de conduta em mídia sociais EBSERH1. 1. ed. Brasília, 2018. 24 p. Disponível


em: http://www.ebserh.gov.br/sites/default/files/paginas/2019-
01/manual_de_conduta_em_midias_sociais_ebserh_%20v5.pdf. Acesso em: 9 Abr. 2020.

EBSERH UFPE. Carta de Serviços ao Cidadão. EBSERH UFPE. Recife, 2018. Disponível


em: http://www2.ebserh.gov.br/web/hc-ufpe/acesso-a-informacao/carta-de-servicos-aos-
usuarios. Acesso em: 8 Abr. 2020.

EBSERH UFPE. Plano de restruturação HC UFPE. Recife, 2013. Disponível em:


http://www2.ebserh.gov.br/documents/15796/102304/plano_reestruturacao_hc_ufpe.
pdf/a9ceb738-b008-4e20-8bba-c5a59049ed22. Acesso em: 8 Abr. 2020.