Você está na página 1de 3

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VERGÍLIO FERREIRA

Ano Letivo 2016/2017 10º ano

AL 1.2:
1.2: Movimento vertical de queda e ressalto de uma bola:
transformação e transferências de energia

Nome: ________________________ Nº__ Turma:____ Classificação ________________ Ass. Prof. __________

1. Problema (10 pontos)


Quando se deixa cair uma bola, de que dependerá a altura do seu ressalto? Que transformações e transferências de
energia ocorrem na queda, na colisão e no ressalto
ressa lto da bola?

2. Introdução teórica (50 pontos)


 Quando largamos uma bola de uma certa altura ela ressalta. A altura do ressalto será igual à altura de onde a largamos?
 Se largarmos uma bola de basquetebol e uma de futebol, da mesma altura, a altura do primeiro ressalto será igual em ambas as situações?
 Durante o movimento de queda e de ressalto de uma bola, considerando a resistência do ar desprezável, quais são as transformações e transferências
de energia que ocorrem durante a queda, durante a colisão com o solo e durante o ressalto?
 Explique por que motivo é de esperar que a altura atingida pelas bolas vá diminuindo nos sucessivos ressaltos.
 Supondo desprezável a resistência do ar, obtenha uma expressão para:
o O módulo da velocidade da bola ao atingir o solo em função da altura de queda;
o O módulo da velocidade com que a bola inicia o ressalto em função da altura de ressalto;

 Não, uma vez que existe dissipação de energia, isto é, existe variação/diminuição da energia mecânica no embate com o
solo, logo a energia potencial (e consequentemente a altura do ressalto.) no final do ressalto não será igual à energia
potencial inicial (e consequentemente a altura de queda). –
queda).  – 10
 10 pontos

 As duas bolas apresentam diferente elasticidade, logo, a altura do primeiro ressalto será diferente. É mais próxima da
altura de queda para a bola com maior elasticidade. Quanto maior for a elasticidade menor será a variação da energia
mecânica da bola, pois haverá menor percentagem de energia dissipada. –
dissipada.  – 10
 10 pontos

 Durante a queda e durante o ressalto, desprezando a resistência do ar, não ocorre variação da energia mecânica e em
queda a energia potencial converte-se totalmente em energia cinética, enquanto no ressalto a energia cinética converte-se
totalmente em energia potencial. Quando a bola colide com o solo deforma-se, sendo parte da sua energia cinética (ou
energia mecânica) transformada em energia interna e transferida para o solo e, por isso, a energia mecânica da bola diminui
após o choque. –
choque.  – 10
 10 pontos

 Em cada ressalto, existe dissipação de energia mecânica na interacção entre a bola e o solo. Assim, a energia cinética
(mecânica) com que a bola sai do solo no 2º ressalto é inferior à energia cinética (mecânica) com que a bola chega ao solo,
no ressalto anterior. Considerando-se que existe conservação da energia mecânica quando a bola está no ar, a altura máxima
atingida pela bola após cada ressalto terá de ser sucessivamente menor. Ainda assim, a percentagem de energia dissipada
em cada ressalto deverá ser sempre a mesma pois o par de materiais em colisão mantém-se. –
mantém-se.  – 10
 10 pontos

o Para a queda, uma vez que se despreza a resistência do ar: E,i = E,f  ⇔
 ⇔ Ec,i + Ep,i = Ec,f  + + Ep,f  ⇔
 ⇔ 0 +
mghqueda =   mv + 0 ⇔ 2gh
2ghqueda = v ⇔ v =  √ 2gh
2ghqueda  – – 5 5 pontos
o Para o ressalto, uma vez que se despreza a resistência do ar:  E,i  = E,f  ⇔  ⇔   mv +
 ⇔ Ec,i + Ep,i = Ec,f  + + Ep,f  ⇔
0 = 0 + mgh
mgh  ⇔ v = 2gh  ⇔ v =  √ 2gh
2gh  – – 5 5 pontos

Professora Diana Bogalho


3. Material utilizado (20 pontos)
Calculadora gráfica, Sensor de movimento e respectivo cabo de ligação, Bola de Basquetebol, Bola de Voleibol

4. Registo de dados/observações

Bola de Basquetebol Bola de Voleibol


hqueda/m hressalto/m hqueda/m hressalto/m
1,00 0,78 1,00 0,63
0,90 0,69 0,90 0,58
0,80 0,62 0,80 0,51
0,70 0,56 0,70 0,46
0,60 0,48 0,60 0,38

5. Tratamento de dados/cálculos (60 pontos)


 Trace o esboço dos gráficos da altura de ressalto em função da altura de queda , recorrendo a todas as potencialidades da sua calculadora gráfica,
tanto para a bola de basquetebol como para a bola de voleibol.
 Escreva as equações da reta que melhor se ajusta ao conjunto de pontos experimentais obtidos (aplicando os conceitos físicos à equação).
 A partir das equações da reta, determine a altura de ressalto para cada uma das bolas no caso da altura de queda ser igual a 150 cm.

Bola de Basquetebol Bola de Voleibol


0,9 0,8
    m0,7     m0,6
     /
    o
     /
    o
    t     t
     l
    a
    s
0,4
     l
    a
    s
    s     s
    e
    r 0,5     e
    r y = 0,62x + 0,016
     h y = 0,73x + 0,042      h0,2
R² = 0,9957 R² = 0,9938
0,3 0
0,6 0,7 0,8 0,9 1 0,6 0,7 0,8 0,9 1
hqueda/m hqueda/m

 – 15 pontos  – 15 pontos

 Equações da reta: – 20 pontos


Bola de Basquetebol: ℎ  = 0,73 ℎ +0,042

Bola de Voleibol:   = 0,62 ℎ + 0,016
 Se a altura da queda fosse 150 cm (1,50 m), altura de ressalto seria: – 10 pontos

Bola de Basquetebol:   = 0,73 × 1,50 + 0,042 ⋍ 1,14 

Bola de Voleibol:   = 0,62 ℎ  + 0,016 ⋍ 0,95 


Professora Diana Bogalho


6. Conclusão/Crítica (60 pontos)
 Compare os declives das retas de regressão dos diferentes gráficos e relacione esses declives com a elasticidade dos materiais de colisão (bola de
basquetebol-chão e bola de voleibol-chão).
 Determine a expressão que permite calcular, para uma dada altura de queda, a percentagem de energia mecânica dissipada durante a colisão das
duas bolas com o solo (a partir da altura de queda e da altura de ressalto) e calcule, para cada uma das bolas utilizadas a respectiva percentagem.
 Em que situação foi maior a energia dissipada na colisão: quando a elasticidade do par de materiais em colisão foi maior ou quando foi menor? Que
conclusões se podem tirar?
 Indique quais os erros que poderão ter ocorrido durante a actividade laboratorial.

 Os declives das retas de regressão dos gráficos variam com os materiais em colisão. A uma reta de maior declive
correspondem materiais em colisão com maior elasticidade, logo é de concluir que a bola de basquetebol (que possui um
maior declive  –  0,73) possui uma maior elasticidade que a bola de voleibol (que possui um declive menor  –  0,62).  – 15
pontos

 %  =  ,, −,, × 100 ⇔ %


,,   =   − × 100 ⇔

%  =  
− × 100 ⇔ %  
  = (1  

 ) × 100 ⇔ %  = 1   × 100  – 10
pontos

Bola de Basquetebol: %
  = 1   × 100 = 1 0,73 × 100 = 27%  – 5 pontos
Bola de Voleibol: %
  = 1   × 100 = 1  0,62 × 100 = 38%  – 5 pontos
 A percentagem de energia dissipada foi maior no par cuja elasticidade foi menor (na bola de voleibol), logo pode-se
concluir que quanto menor for a elasticidade de um material maior será a energia dissipada e maior será a diminuição da
energia mecânica. – 20 pontos

 Mau direccionamento do feixe do sensor; irregularidades na superfície de contato (solo); irregularidades na superfície
da bola; – 5 pontos

Professora Diana Bogalho