Você está na página 1de 25

1

PASTORAL DA EDUCAÇÃO
ETAPAS DO ERE CONFESSIONAL CATÓLICO

Na Diocese de Franca, dentro da Pastoral da Educação, criada há onze anos, foi formada
uma equipe para atuar especificamente no Ensino Religioso Confessional Católico.

A partir de 24 de setembro de 2002, foram dados os seguintes passos:

1) Carta aos párocos solicitando a nomeação de um coordenador (a), para


desenvolver com uma equipe os trabalhos junto às escolas da área paroquial.
2) Encaminhamento da proposta da Diocese de Franca do ERE para as escolas da
Diocese via Delegacia de Ensino e Secretaria da Educação (final de janeiro /
2003);
3) Elaboração:

- da programação, dos projetos e temas para as turmas da 1ª a 8ª series do Ensino e


Fundamental, para os educadores voluntários utilizarem nos encontros do ERE
Confessional Católico;

- de subsídios com conteúdos formativos e anexos: ofício de apresentação, modelos


de crachás, fichas para levantamento de alunos católicos interessados em participar
dos encontros e fichas para o levantamento de professores católicos interessados em
atuar como educadores voluntários.

4) Encontros de formação com os representantes das paróquias, que atuam nas


escolas, como educadores voluntários do Ensino Religioso Escolar Confessional
Católico (13/12/2002, 15/02/2003, 05/04/2003, 07/06/2003, 06/09/2003,
08/11/2003) – Obs: Em todo os encontros haverá Feira de Livros, CDs, fitas de
vídeos e K-7.

1
2

A IGREJA IMPULSIONADA PELO ESPÍRITO

No dia da Ascensão, Jesus tinha dito: “O Espírito Santo descerá sobre vós e dele
recebereis força. Sereis, então, minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e
Samaria, e até os confins da terra” (At 1,8).
Os apóstolos deixaram Betânia, onde acontecera a Ascensão (Lc 24,50) e voltaram para
Jerusalém, onde ficaram rezando, junto com Maria e alguns discípulos, inclusive
algumas mulheres (At 1,13).
Veio do céu um ruído semelhante ao de um vento muito forte que encheu toda a casa. E
pareceram umas como línguas de fogo que foram pousar sobre a cabeça de cada um
deles (At 2,1-3). Era o Espírito Santo que formava, naquele dia, a primeira comunidade
cristã – a Igreja.
Era a festa de Pentecostes, uma das mais importantes festas dos judeus. Era o momento
de derrubar preconceitos e barreiras sociais para partilhar os bens e viver a unidade de
povo de Deus. Pentecostes é a festa da partilha e da unidade.
◊ COMO O ESPÍRITO SANTO AGE NA COMUNIDADE CRISTÃ?
- Animado, fortalecendo e enviando a comunidade evangelizadora (At 13,2-3).
- Ajudando-a a compreender cada vez melhor tudo o que Jesus disse e fez (Jo 14,26).
- Gerando a unidade na diversidade (1Cor 12,13; Gl 3,28).
- Abrindo seus olhos diante da realidade atual e dando-lhe fome e sede de justiça (Mt
5,3. 10).
- Provocando-a para o compromisso com a vida no amor aos irmãos (At 4,31; Gl 5,13).
◊ PONTOS CONSTANTES NA IGREJA PRIMITIVA (At 2,42-47).
- Mínimo de estrutura (sem prédios, sem instituições, sem papéis).
- Máximo de vida (os cristãos se preocupavam mais em viver do que apresentar
formulações teológicas). O testemunho de vida levava todos a acreditarem nas palavras.
- Realidade (eles conheciam os problemas da época).
- Impulso missionário (os problemas não os impediam de continuar o caminho proposto
por Cristo).
- Partilha (todos entregavam espontaneamente aquilo que lhes sobrava, para que fosse
repartido entre os pobres).

2
3

PROPOSTA PARA O ENSINO RELIGOSO ESCOLAR


CONFESSIONAL CATÓLICO
DIOCESE DE FRANCA - REGIONAL SUL 1 - SP

″Educar é um processo democrático de descoberta e redescoberta do ser humano em comunidade, exigindo uma
participação sempre consciente de todos″.¹
″É compromisso do Estado ocupar-se com a educação integral do homem, não cuidando apenas de suas capacidades
técnicas e científicas, mas também de seus valores a aspirações mais profundas″.²

Essa proposta foi elaborada de conformidade com a orientação sobre a Educação


Cristã da Igreja Católica Apostólica Romana; de acordo com o estabelecido na Lei
nº10.782 de 09/03/2001, a Resolução 27/07/2001 da Secretaria de Educação, na
Deliberação CEE-16, de 27/07/2001, que levam em consideração as diretrizes gerais
para a introdução do Ensino Religioso nas Escolas Públicas do Estado de São Paulo,
bem como a Resolução SE-21, de 29/01/2002, que dispõe sobre as aulas de Ensino
Religioso Escolar, na rede estadual de ensino e dá providências correlatas e, de acordo
com a identidade do Ensino Religioso Escolar.
A Diocese de Franca-SP apresenta às Diretorias de Franca, de São Joaquim da
Barra e às Secretarias da Educação dos Municípios pertencentes à Diocese de Franca,
sua proposta para o Ensino Religioso Confessional Católico, deixando claro o seguinte:
”Educação inclui tudo quanto fazemos nós mesmos por nós e fazem por nós os demais, com o fim expresso de
aproximar-nos da perfeição de nossa natureza”. ³; além do que, todo ser humano tem direito a uma educação integral para atingir a
maturidade da perfeição da sua natureza.
Inicialmente é necessário fixar as seguintes premissas conceituais:
Religiosidade é dimensão constitutiva do ser humano, que o faz buscar o sentido
último da vida, que muitos reconhecem em Deus.
Fé é a adesão pessoal a Deus, como Aquele que dá sentido à vida e ilumina seus
valores.
Religião é a vivência comunitária de fé em Deus.
Ensino Religioso é a educação da religiosidade.
Ensino Religioso interconfessional é o que acontece com grupos de diferentes
confissões cristãs.
Ensino Religioso Inter-religioso é o que acontece entre grupos de religiões
diferentes, ou entre pessoas sem religião.
Catequese é a educação da fé religiosa numa determinada comunidade eclesial.
Ensino Religioso Confessional é o que acontece entre grupos da mesma
confissão religiosa ou “igreja”.
¹ CNBB Estudos N° 49
² Constituição Brasileira
³ João Batista Libânio: “A arte de Forma-se”.
O Ensino Religioso Confessional Católico, de acordo com a educação
evangélico - libertadora, visa:

1- A educação da religiosidade dos alunos que, ao buscarem o sentido da vida,


encontram as razões de existir e de estar no mundo, bem como as propostas de
vida que surgem com a descoberta de Deus.
2- Respeitar a pluralidade cultural e religiosa dentro da comunidade escolar,

3
4

levando os alunos a aprenderem a acolher o diferente e eliminar as


discriminações.
3- Proporcionar a vivência de uma ética humanista cujos valores fundamentais
são: verdade, justiça, bem comum, autonomia, responsabilidade, solidariedade, amor,
autenticidade, respeito pela pessoa, discernimento, paz, perdão, reconciliação,
fraternidade, liberdade.
Esse ensino está alicerçado em princípios educacionais e pedagógicos,
pressupõe o respeito pelas diferenças e não faz uso de proselitismo religioso.
Desta maneira sua postura é de abertura para o diálogo ecumênico e inter-
religioso aberto e transparente.
Para que o ensino religioso possa ser implantado foram programados Encontros
Temáticos para serem desenvolvidos em atividades extraclasse, coordenadas por
educadores católicos voluntários.
O que cala mais fundo na formação das crianças,” dos jovens e dos adolescente é
o testemunho de vida, o exemplo que as pessoas encarregadas de sua educação
oferecem. Assim as atividades estão centralizados na figura exemplar de Jesus Cristo,
pois os cristãos o têm como modelo dos valores cristãos.
As atividades serão realizadas em grupos de estudos e reflexão através de
oficinas de trabalho, seminários, painéis que utilizarão recursos audiovisuais, dinâmicas,
Bandas Musicais, Teatro, Corais, Pinturas, Festivais etc, enfim, ações concretas, tendo
como fundamento promover o respeito pela dignidade da pessoa humana, o acolhimento
e respeito pelo diferente, o desenvolvimento do diálogo e do amor fraterno, a
convivência harmônica e pacífica.
Os conteúdos programados devem levar à Formação Integral da pessoa,
propiciando uma formação humana, ética e religiosa através do aprofundamento do
autoconhecimento, também a abertura para o outro, para a sociedade e para com a
natureza (meio ambiente), bem como a abertura para Deus Pai, Filho e Espírito Santo,
através de Jesus Cristo que nos revelou este relacionamento amoroso.
Pretende-se levar o educando ao aprofundamento dos conhecimentos da Fé
católica, dos textos bíblicos, dos símbolos e ritos católicos, da Igreja e sua organização,
procurando levar a uma participação ativa e responsável na comunidade paroquial.
Busca-se dar atenção especial ao envolvimento das crianças e dos jovens em
atividades práticas de aquisição e resgate dos valores éticos e humanos, através da
elaboração participativa de projetos de ação social tais como: mutirão contra a miséria e
a fome e o engajamento em trabalhos desenvolvidos em favor dos discriminados e
exclusivo, enfim dos menos favorecidos.
O envolvimento em atividade que pressupõem trocas e interações interpessoais,
poderá levar à consecução dos objetivos dessa proposta.
O que se deseja é que essas atividades harmonizem o sentir, o pensar, o querer e
o agir, levando à aquisição do discernimento maduro que possibilita o equilíbrio na
relação consigo mesmo, com o outro, com a natureza e com Deus Pai, revelado por
Jesus Cristo.
O que se espera é que o autoconhecimento, a identificação pessoal como
católico, o acolhimento e conhecimento do diferente, a relação com a natureza e com
Deus, favoreçam o relacionamento fraterno e o respeito mútuo entre os irmãos da
mesma fé, bem como com os que pertencem a outras denominações religiosas.

4
5

Seu Objetivo principal e fundamental é a descoberta cada vez mais clara da


própria vocação e a disponibilidade cada vez maior para vivê-la no cumprimento da
própria missão. Formar para a identidade cristã católica, para a maturidade em Cristo
Jesus.

1-OBJETIVOS ESPECÍFICOS

› Criar condições para o aprofundamento da identidade cristã católica através da


experiência da vivência da fé.
› Desenvolver atividades práticas que levam à introjeção de valores humanos,
bem como o resgate social desses valores.
› Contribuir para que o educando adquira autodomínio, uma auto-imagem
positiva, capacidade de discernimento, firmeza na fé, desenvolvendo atitudes e
comportamentos de reverência pela diversidade e acolhimento pelo diferente, livre de
preconceitos e discriminações, o que propicia condição para o diálogo ecumênico e
inter-religioso, para a convivência na verdade, na justiça e na paz.
› Incentivar para a participação ativa e responsável na comunidade paroquial.

2-PARTICIPANTES
› Alunos Católicos.
› Diretores, Coordenadores, Professores, Funcionários e Famílias dos Alunos das
Unidades Escolares.
› Educadores Católicos Voluntários.

3-NÚCLEO PAROQUIAL

Para a execução da Proposta do Ensino Religioso Escolar Confessional Católico


foram estruturados, em cada Paróquia da Diocese, Núcleos Paroquiais de Pastoral da
Educação e nesses grupos, Equipes de Ensino Religioso.
A tarefa desses grupos é:

› Estabelecer e manter contatos com as Unidades Escolares, através de seus


Diretores e Coordenadores Pedagógicos.
› Recrutar, orientar, proporcionar formação, através de encontros grupais e
subsídios e acompanhamento aos educadores voluntários que desenvolverão os
Encontros Temáticos.
› Operacionalizar os Encontros Temáticos organizando, divulgando e realizando
reuniões, encontros, grupos, com professores, pais, alunos e funcionários.
› Estar à disposição das Unidades Escolares, cooperando com responsabilidade
quando solicitados.
› Planejar, avaliar e replanejar, refletindo sobre os passos a serem vivenciados,
envolvendo todos os participantes do processo educativo.
› Desenvolver todas as atividades necessárias ao bom desempenho do Ensino
Religioso Escolar Católico.

5
6

4-OS ENCONTROS

Cada encontro estará estruturado em torno de um tema central a ser vivenciado


pelos participantes. Será planejado e desenvolvido através de dinâmicas, recursos
audiovisuais, oficinas, excursões, jogos, gincanas etc, visando sempre atingir os
objetivos propostos.
› A formação da pessoa para a maturidade em suas múltiplas dimensões: a
dignidade da pessoa, o autoconhecimento, a alteridade, a convivência, o relacionamento
consigo mesmo, com o outro, com a natureza, com Deus Pai, Filho e Espírito Santo.
›Formação e resgate de valores: tendo como modelo paradigmático Jesus Cristo,
procurando desenvolver atitudes e comportamentos cristãos de acolhimento, respeito,
solidariedade, verdade, justiça, paz, liberdade, com relação à vida, ao próximo, e à
natureza, tendo como base fundamental o amor – caridade – compaixão e ternura.
› Participação social ativa e responsável em projetos através do engajamento e
atuação em prol dos discriminados e excluídos em geral.
› Conhecimentos sobre a Bíblia: que ajudem a descobrir na pratica a importância
e o valor da Palavra de Deus na vida; a aprender com os pais e mães da fé bíblica e
especialmente com Jesus Cristo, sua vida e ensinamentos, aplicando-os aos
questionamentos existenciais que se apresentam cotidianamente.
› Conhecimentos sobre a Igreja sua Historia e a sua Organização, adquirindo,
desta maneira, noção de pertença essencial para o desenvolvimento da identidade cristã.

5-SUGESTÕES DE ATIVIDADES

› Grupos de Estudo e Reflexão, Oficinas Temáticas e outras Dinâmicas, com


ênfase em vivências e em trocas interpessoais, alternando atividades individuais e em
grupos.
› Uso da Música, do Canto e de outras formas de expressão, jogos e atividades
de lazer, como a participação de Bandas, Conjuntos Musicais, Corais e Grupos teatrais.
› Uso de recursos tecnológicos da comunicação, em especial, filmes e vídeos.
› Elaboração coletiva de proposta de Ação Social Comunitária pelos
participantes, à luz do tema central do encontro e voltados para a construção de uma
sociedade mais justa, mais fraterna para a construção da Paz Social.

6-AVALIACÃO E REPLANEJAMENTO

As avaliações serão feitas semestralmente. Serão propiciadas oportunidades para


que todos os participantes dessa proposta possam externar suas opiniões e avaliações
relativas às atividades desenvolvidas. Tais avaliações servirão para que se faça o
replanejamento da ação.
O Núcleo Diocesano de Ensino Religioso da Equipe Diocesana da Pastoral de
Educação fará o acompanhamento do desenvolvimento e estará à disposição das
Unidades Escolares para contatos, troca de idéias, coleta de sugestões e fornecimento de
orientações, visando à implantação dessa modalidade de Ensino Religioso.

6
7
CARACTERÍSTICAS DA PEDAGOGIA DE JESUS

• Ele conhecia a realidade de seus discípulos, conhecia os trabalhos, suas tradições, sua
fé.

• Jesus era sensível à realidade. Ele falava do Reino a partir da realidade das pessoas,
conhecia a suas preocupações, suas lutas e suas alegrias.

• Jesus acolhia as pessoas. Estava sempre com o povo, principalmente com os pobres,
com as crianças e com os pecadores. Visitava as pessoas, dando a todos atenção e apoio
(Jo 11,35) e acabou entregando a sua vida pelos amigos (Jo 14,18; 15,13).

A partir desta pedagogia de Jesus o educador deve:

⌂ Procurar conhecer o educando como pessoa, como ser humano com quem se
relacionará por um certo período de tempo.
⌂ Respeitar suas características pessoais que se manifestam nas diferentes faixa etárias.
⌂ Proporcionar um ambiente comunitário para ajudar os educandos nas suas
necessidades e aspirações.
⌂ Superar a tentação de fazer do encontro, um doutrinamento receptivo, passivo.
⌂ Fazer com que o educando parta da sua experiência, desenvolva seus valores e seja o
protagonista da sua educação de fé.

“ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE O MÉTODO DE


INTERAÇÃO FÉ E VIDA

 O princípio de interação é a união entre Fé e Vida: Evitar a dicotomia, o dualismo.


 Ter coerência entre a colocação do tema e o testemunho de vida.
A doutrina e a realidade formulam a fé na vida concreta.
 A história humana e a História da Salvação formam uma só realidade.
 O método VER-JULGAR-AGIR-CELEBRAR visa intregar a caminhada da
comunidade cristã.

O Método: FÉ
VIDA
 Tem o objetivo de educar na ação.
 Desperta atitudes cristãs, dentro de um processo ação-reflexão.

7
8

 Exige vivência e equipes de trabalho.


Como Jesus usou as Escrituras? (Lucas 24, 13-35)

☺1° passo: Jesus parte da REALIDADE dos discípulos –


Interroga, é solidário (Lc 24,13-24).
☺2° passo: Jesus recorre à BÍBLIA para iluminar a vida e a realidade. Essas palavras
“esquentem o coração” dos discípulos (Lc 24,32).
☺3° passo: Em COMUNIDADE, com a prática da hospitalidade e da partilha, os olhos
dos discípulos se abrem (Lc 24,31) e reconhecem Jesus no meio deles.
Voltam para a comunidade de Jerusalém e anunciam a Boa Nova da Vitória da Vida
sobre a morte.

Comunidade

Realidade Bíblia
A BÍBLIA

 É a Palavra de Deus na palavra humana.


 É Fruto *da ação de Deus;
* e do esforço humano.
 É sempre atual.
 Exige de nós escuta e conversão.

 A Bíblia foi escrita aos poucos (+ de 1000 anos).

 O que está na Bíblia:


• 1° foi vivido.
• 2° foi contado.
• 3° foi escrito. Cartaz: Bíblia, livro da caminhada Do povo de Deus.

Bíblia – significa – Livros


1° ou Antigo Testamento
• livros escritos antes de Jesus Cristo (a.C);
• caminha do povo israelita com o seu Deus;
• no original, quase todos os livros foram escritos em hebraico;
• quase todos os livros foram escritos em Israel;
• levou uns 1000 anos para serem escritos.
2° ou Novo Testamento
• livros escritos depois de Jesus Cristo (d.C);

8
9

• caminhada de Jesus e das 1ªs comunidades:


• o original foi todo escrito em grego;
• os livros foram escritos em vários lugares (Síria, Grécia, Ásia Menor, Roma);
• levou uns 100 anos para serem escritos. Cartaz: O longo mutirão do Povo de
Deus.
A Bíblia

Primeiramente os livros da Bíblia eram:


 Manuscritos (escritos a mão)
 Em rolos de “papiro” (espécie de junco)
Ou “pergaminho” (peles de ovelha ou cabras).

Os textos mais antigos eram escritos em hebraico.


A 1ª tradução das Escrituras foi de hebraico para o grego.
A diferença entre: A “Bíblia Católica”
A “Bíblia Evangélica” é só no A.T

Os Evangélicos A Bíblia Hebraica Que Tem 07 livros a


adotaram (66 livros) menos

Os Católicos Possuem 07 Escritos em grego ou cujo


livros a mais original se perdeu (73 livros)

Tobias, Judite, 1 e 2 Macabeus, Baruc, Sabedoria,


Eclesiástico(parte do livro de Daniel e Ester)

MENSAGEM CENTRAL DA BÍBLIA


1. Deus é Libertador. Todo A.T. relata a experiência do
povo de Israel como experiência de libertação, de Aliança, de
compromisso entre Deus e o povo e entre o povo e Deus
2. Deus está sempre com a gente: “Eu estarei sempre
contigo”, é um texto repetido muitas vezes na Bíblia.
3. Deus se revela no grito do pobre.
4. Deus fala pela Vida, porque Deus é o Deus da Vida.
5. Deus nos convoca para transformar a nossa
sociedade, tornando-a justa e fraterna, isto exige de nós a
conversão.
6. Jesus Cristo, morto e ressuscitado, vivo no meio da
comunidade, é o centro da Bíblia.

COMO LER A BÍBLIA?


É importante saber que o objetivo de leitura da Bíblia é:
• Perceber na minha vida, na vida da comunidade e da
sociedade presença ou a ausência do Plano de Deus. Refrão: irmãos, louvemos a
• Sentir que a Bíblia e o instrumento a serviço da vida. Deus da Vida que nos convida
• Interpretar a vida à luz da Palavra de Deus. a conversão; o Pai deseja, na
• Buscar o Deus da Bíblia que é o Deus da Vida. sua Igreja, que todos tenham 9
novo coração
10

LEITURA COMPROMETIDA DA BÍBLIA

1. A Leitura da Bíblia, quando lida com fidelidade,


vai abrindo, aos poucos, os nossos olhos sobre realidade
e nos levar a uma opção pelos pobres e a um
compromisso mais firme com a sua causa.
2. A Leitura é feita não só para conhecer melhor o
sentido da Bíblia, mas principalmente, para colocar em
pratica.
3. Procurar descobrir no texto:
• O que o autor do texto quer nos dizer?
• Qual a mensagem principal do texto?
• Quais os personagens e os lugares que aparecem
no texto?
• Qual a situação econômica- social- política-
religiosa e ideológica que o texto nos revela.
4. Ter visão do conjunto da Bíblia. Conhecer as
grandes etapas da História do Povo de Israel. Ter
algumas noções sobre a situação do povo daquele
tempo.
5. Evitar a leitura fundamentalista da Bíblia, isto
que dizer não ler o texto “ao pé da letra”.

OS ENCONTROS DE ENSINO
RELIGIOSO CATÓLICO NAS ESCOLAS
DEVERÃO SEGUIR O SEGUINTE
ESQUEMA:

ACOLHIDA
 A acolhida deverá estar presente em todo Encontro para que os educandos se sintam
sempre num ambiente bem fraterno.
MOTIVAÇÃO-(VER)
 O tema deverá ser apresentado a partir do levantamento e do conhecimento da
realidade. É um olhar para a realidade.
A COLOCAÇÃO DO TEMA – (JULGAR)
 O diálogo deve levar o educando à oração, colocando-o frente a frente com a Palavra
Deus, com o compromisso de colocá-la em prática na vida diária.
AÇÃO – (O AGIR TRANSFORMADOR)
 É o agir transformador.
Ele está ligado à Palavra de Deus que nos questiona e tem como objetivo a mudança de
vida das pessoas, buscando uma sociedade justa e fraterna.

CELEBRAR

 Fazer uma pequena celebração para despertar no educando a necessidade de celebrar


os seus sentimentos e os sentimentos dos cristãos que nascem da luta pelo compromisso
com o povo. A celebração fortalece a Aliança com Deus e com os irmãos.

10
11

ALGUMAS SUSGESTÕES PARA O EDUCADOR


☺ QUANTO AO LOCAL DO ENCONTRO:
Deverá estar em ordem, limpo e agradável.Convidar os educandos para ajudar na
arrumação.

☺ QUANTO AO ACOLHIMENTO
Para acolher bem, o educador deverá chegar um tempo antes do horário do início do
Encontro para receber a todos com igual atenção, sem demonstrar preferências; todo
educando traz para o encontro experiência de vida, sempre diferentes.

☺ QUANTO À LINGUAGEM
A linguagem deverá ser clara, coerente e simples.

☺ QUANTO À ORGANIZAÇÃO
Anotar os dados principais do educando: idade, endereço, escolaridade, freqüência etc.

☺ QUANTO AO GRUPO DE EDUCADORES


É aconselhável que os educadores atuem em grupos, nunca isolados, a exemplo de Jesus
que enviou seus discípulos ”dois a dois” (Lc 9,1-6; 10,1).
O grupo é a fonte de vida, de esperança, de animação, de dialogo, de fraternidade e de
alegria. Nele o educador se sente fortalecido em sua missão.

☺ QUANTO A AVALIAÇÃO
Deverá ser realizada a todo instante, de maneira diagnóstica e visando aos objetivos
propostos.

☺ RECURSOS AUDIOVISUAIS
Desde cartazes feitos pelo grupo, materiais feitos com sucatas, até projetores de slide e
vídeo – cassetes, são importantes para prender a atenção do educando.
A música, os gestos, o comentário das letras dos cantos podem acompanhar momentos
de oração.

11
12

O CANTO NO ERE

Cantar é viver. É viver com mais intensidade, inteireza e


profundidade. É expressar através da harmonia de sons, de ritmos e
silêncio, o transbordamento daquilo que se vive, sente e pensa. Cantar é
reconhecer a vida como festa, mesmo nos momentos de dor e solidão. Pelo
canto, cada um de nós se torna músico que entra em comunhão.

Podemos dizer que a criança e o jovem são sinônimos de cantos e


músicas. Como espontaneidade, sem resistências e medos, sem pretensões,
soltam o corpo inteiro mente e coração, e entregam-se a música e canto.

O canto expressa e realiza nossas vivências e atitudes interiores. É


uma linguagem universal – junto com a palavra, o gesto, o movimento e a
dança - que manifesta as infinitas faces das experiências humanas. O canto
tem um enorme poder comunicativo, muitas vezes chegando onde não
chega a palavra o canto, porém, não só expressa mais também realiza a
atitude interior, encarna atitude e sentimento, tornando-o vivos e
genuinamente humano. O canto não só transmite informações, mensagens,
idéias ou sentimentos, mais também os realiza e alimenta.

O canto é uma forma elevada, privilegiada, de oração, de elevação


do coração a Deus. O canto é louvor, súplica, ação de graças, confiança
filial, compromisso e engajamento.

“Cantar é mais do que rezar duas vezes, como diria Agostinho: é a


mais profunda experiência da alegria de amar, da alegria de ser amado, da
alegria de estar partilhando com muitos esta dupla felicidade” (Pe. Lúcio
Floro, Santos).

12
13

PROGRAMAÇÃO DO ENSINO RELIGIOSO ESCOLAR


CONFESSIONAL CATÓLICO PARA O ENSINO
FUNDAMENTAL

1° PROJETO: EU E O MUNDO – EDUCAÇÃO INFANTIL


1ª E 2ª Séries.

2° PROJETO: A FORMAÇÃO DO POVO DE DEUS


(ANTIGO OU PRIMEIRO TESTAMENTO)
3ª E 4ª Séries.

3°PROJETO: CAMINHANDO COM JESUS


(EVANGELHOS)
5ª E 6ª Séries.

4°PROJETO: O JOVEM NUMA COMUNIDADE DE FÉ


(IGREJA)
7ª E 8ª Séries.

OBSERVAÇÕES: 1. A Programação acima está de acordo com o item 5 sobre


os cinco conteúdos da PROPOSTA DA DIOCESE DE FRANCA para o E.R.E
CONFESSIONAL CATÓLICO.
2. Os cinco conteúdos serão abordados durante o ano através dos
temas de cada série.

Bibliografia: Alguns Livros que podem ajudar no Ensino Religioso Católico nas escolas.
(Atenção: não usar as expressões catequistas e nem catequizando)

1. Bíblia (indispensável)
2. Fé – Vida – Comunidade (livro do catequista) EDITORA PAULUS (muito importante).
3. Para 1ª e 2ª séries: A Criação e os Pequeninos (Arq. de Manaus) Edições PAULINAS.
Amar e ser Amado. (Arq. de Manaus) Edições PAULINAS.
Bem-de-va-ga-ri-nho (Coleção Deus Conosco) Editora VOZES.
Um passo a frente (Coleção Deus Conosco) Editora VOZES.
4. 3ª e 4ª séries: Amar e ser Amado (Arq. de Manaus) Edições PAULINAS.
Primeiros Passos (Diocese de Caxias do Sul) Edições PAULINAS.
5. 5ª e 6ª séries: Respondendo ao amor de Deus (Arq. de Manaus) Edições PAULINAS.
Comunidade viva (Alagoas) Edições PAULINAS.
Educação para a Comunidade de Fé – Livro do Catequista - Edições PAULINAS.
Meu novo Catecismo (Crateús - Ceará) Edições PAULINAS.

13
14

6. 7ª e 8ª séries: Respondendo ao amor de Deus (Arq. de Manaus) Edições PAULINAS.


Decidi ser Cristão (Diocese de Caxias do Sul) Edições PAULINAS).

Séries abrangentes: Educação infantil, 1ª e 2ª séries.

1° Projeto: Eu e o Mundo

Temas: 1- Quem sou eu? (Jo 13, 4-10)

- conhecimentos de si
- órgãos dos sentidos
- coração de criança ri e chora (gosta e não gosta)
- outras partes do corpo.

Objetivos: Ajudar a criança a descobrir-se como gente através dos órgãos dos sentidos,
e revelar sentimentos, e caminhar em busca de algo melhor sentir-se criada e amada por
Deus.

2- Minha Turma na escola (Lc 2, 46-47.52)


Objetivos: Ajudar a criança a perceber que na escola ela também forma uma família,
partilhando a amizade, solidariedade e fraternidade.

3- Minha família – Amor e Segurança (Lc 2, 41.51)


Objetivos: Valorização da família como ponto de apoio para desenvolver respeito,
autonomia, solidariedade, amor, carinho, amizade e atenção, enfatizando a oração em
família.

4- A comunidade em que vivo (Mt 12,48-50)


Objetivos: Valorização da vivência comunitária, incentivo a interação e cooperação.

5- Campanha da fraternidade (Lc 10, 25-37)


Objetivos: Desenvolver o espírito da irmandade, viver como família, uns pelos outros,
viver em comunidade numa roda viva.

6- Natureza e Ecologia (Lc 12, 22-31)


- criação do mundo
- a importância de cada elemento criado
- flora
- fauna.

Objetivos: A criança será capaz de refletir sobre a natureza, percebendo que mesmo
com tamanha variedade de plantas e animais, a natureza é um corpo único e depende
dos nossos cuidados e nós dependemos dela.

7- Páscoa! Jesus está vivo! (Mt 28, 1-9)

14
15

Objetivos: A criança será capaz de perceber o verdadeiro sentido da Páscoa, que é


Jesus ressuscitado, vivo entre nós, renovando-nos a cada dia.

8- A história da “Ave Maria” (Lc 1, 26-38)


Objetivos: Sensibilizar para a importância do “sim” de Maria na História da Salvação.

9- A família de Jesus
Objetivo: Conhecer os pais e mães da fé bíblica, enfocando a família de Jesus.

10- Igreja: A grande família de Deus (At 2, 44-47)


- ritos e significados
- símbolos e significados
- padroeiros e festas.

Objetivo: A criança perceberá que a Igreja não é só o templo, mas a reunião e união do
povo de Deus e que cada um é peça viva dessa Igreja.

11- Pai Nosso: Oração da Comunidade (Lc 11, 1-4)


Objetivos: Conhecer e entender a oração que o próprio Jesus nos ensinou.

12- Bíblia – Uma carta de Deus aos homens (Lc 8, 4-15)


Objetivos: Favorecer o conhecimento da Bíblia e descobrir a importância e o valor da
palavra de Deus na nossa vida.

13 – Natal! Aniversário de Jesus! (Lc 2, 1-20)


Objetivos: Contemplar a solidariedade dos pobres e humildes para com Jesus que se
fez igual a eles.

Sugestões de Atividades

- Roda de conversa (usando bola ou telefone)


- Hora da novidade (usando respostas sim ou não, adivinhando)
- Pesquisas feitas no próprio horário da aula, usando livros ou outro material fornecido
pelo professor.
- Acróstico usando: “Jesus”, “Páscoa”...
- Poesias originais ou criadas pelos próprios alunos.
- Músicas.
- Paródias.
- Passeios para observação da Natureza.
- Desenhos, pinturas, recortes e colagens.
- A história do seu nome (para ser lida na roda de conversa).
- Fazer relação das qualidades e defeitos de si próprio.
- Fazer relação de suas preferências: o que gosto? O que não gosto?
- Escrever: o que podemos fazer sozinhos? O que podemos fazer juntos.
- Confeccionar livrinhos. “álbum de família”, desenhado pela criança.
- Construir árvore genealógica da família.
- Mapa do trajeto: casa-escola-igreja.....
- Desenho usando técnicas variadas.
- Teatro.
-Fazer portifólio para expor à família.

15
16

- Ficha pessoal sobre a vida religiosa (pai, mãe, data do batizado, padrinhos, etc).
Bibliografia:- De Filippo, Lydia das Dores – “Bem de-va-ga-ri-nho” – Inic. 1.
“Um passo à frente” – Inic 2 - coleção Deus conosco – Ed.Vozes.
- A Criação e os Pequeninos
Amar e ser Amado. – Arq. De Manaus – Ed. Paulinas.

1° Projeto: Eu e o Mundo

Tema 1: “Quem sou eu?”


(Educação Infantil – 1ª- 2ª séries)

• Objetivos:
Ajudar a criança a descobrir-se como gente através dos órgãos dos sentidos, revelar
sentimentos e caminhar em busca de algo melhor e sentir-se criada e amada por Deus.
• Acolhida:
Bom dia. Estou contente por me encontrar com vocês. Cada um olhe suas mãos, seu
corpo, seus pés, olhem o rosto dos colegas.
Na Bíblia está escrito que Deus nos ama desde antes do nosso nascimento. Ele
nos chama pelo nome e isto nos traz muita alegria.
• Dinâmica. (Ver):
Entregar para as crianças um quebra-cabeça de papel com as partes do corpo: cabeça,
tronco, braços e pernas. Pedir para que, após a observação do próprio corpo, juntem as
peças.
Canto: “O Senhor tem muitos filhos...”
• Reflexão (Julgar): Jo 13, 4 -10
Jesus lava os pés dos discípulos. Ler o trecho para as crianças e depois fazer
algumas perguntas para a reflexão. Deus nos deu um corpo cheio de partes e cada uma
tem sua missão. Jesus usou o seu corpo para o bem. Uso o meu corpo para o bem, como
Jesus.
No lava-pés, como Jesus usou os pés, as mãos, a boca, o que falou, como agiu?
• Atividades (Agir):
- Lembrar que cada uma das partes do corpo é importante:
Como os pés, eu vou ao encontro dos outros,
Com as mãos, eu faço carinho,
Com os ouvidos, eu ouço, etc.
- Pedir para que as crianças contem em casa como foi o encontro.
• Encerramento do encontro (Celebração):
- Oração louvando o criador e agradecendo pela vida e pelo maravilhoso corpo
que nos deu:

Obrigado, meu Deus Pai: pelo meu corpo, pelas minhas mãos, pelos meus pés,
pela minha vida etc.(cada criança poderá fazer um agradecimento)
• Avaliação do encontro (Rever):
A avaliação será feita usando duas caretas de cartolina: uma alegra e outra triste.

A criança pegará as duas caretas e escolherá a “triste” ou a “alegre” para representar seu
estado de espírito ao sair do encontro, dirá por que a escolheu e fará alguma
consideração sobre o encontro, o que gostou mais e o que não gostou.

16
17

Bibliografia:
A Criação os Pequeninos (Arq. de Manaus) – Ed. Paulinas.
Um passo à frente – Inic. 2 – coleção Deus conosco – Lydia das Dores De
Filippo – Ed. Vozes.
2° Projeto: A Formação do povo de Deus
(Antigo ou Primeiro Testamento)
3ª e 4ª Séries. Do Ensino Fundamental.

Temas 1 - Vamos caminhar juntos (Eclo 6, 14-17; 8,6)


Objetivos: Propiciar momentos de conhecimento mútuo e integração do grupo.
Descobrir a importância do idoso na família e comunidade.
2- Heróis da vida e da Bíblia (Mt 4, 18-25)
Objetivos: Refletir sobre heróis e modelos que motivam e fascinam hoje. Apresentar heróis
ontem e de hoje que despertam para valores humanos e cristãos. Despertar o interesse para
conhecer os heróis da Bíblia.
3- A Bíblia, livro da caminhada do povo de Deus.
Objetivos: Favorecer o conhecimento da Bíblia. Descobrir a importância da palavra de Deus na
vida. Introdução geral aos livros.
4- Os Primeiros pais e mães do povo da Bíblia. (Gn 17, 1-8)
Objetivos: Conhecer os pais e mães na fé bíblica.
5- Abraão, peregrino e homem de fé. (Gn 12, 1-9)
Objetivos: Conhecer Abraão como nosso pai na fé.
6- Jacó, neto de Abraão. (Gn 25, 19-28; 27, 18-23)
Objetivos: Conhecer a história de Jacó e ver como ele recebe a benção de Deus, através de seu
pai Isaque.
7- José filho de Jacó. (Gn 45, 3-11)
Objetivos: Ajudar a perceber a partir da história de José que é importante perdoar e reconciliar-
se com nossos irmãos.
8- O povo de Deus no Egito. (Êx 5, 6-9; 1, 8-14)
Objetivos: Reconhecer, através da história dos Hebreus, o que significa viver na escravidão é a
importância da libertação.
9- Moisés e a libertação do Povo. (Êx 2,1-10; 3, 1-10)
Objetivos: Mostrar através da história de Moisés que Deus quer o seu povo livre da opressão e
da injustiça.
10- Da escravidão para a libertação. (Êx 12, 1-14; 20,1-17)
Objetivos: Ajudar a perceber que Deus está sempre ao lado de seu povo.
11- Josué e o povo de Deus na terra prometida. (Js 24, 1-6; 24,13-18)
Objetivos: Reconhecer como Deus cumpre suas promessas e o povo de Israel conquista a terra
prometida. Refletir sobre assembléia de Siquém, momento importante em que o povo de Israel
assume seu compromisso com Deus.
12 – Samuel. (1Sm 3,1-18; 12, 1-5)
Objetivos: Ajudar a perceber a vocação de Samuel e como ele foi um juiz justo.
13- O Rei Davi. (1Sm 16, 1; 16, 10-13; 17, 48-51)
Objetivos: Conhecer alguns fatos da história de Davi e o que aprender com eles.
14- A coragem dos profetas. (Am 8, 4-8; Is 9, 1; 9,5-6; Lc 3, 10-20)
Objetivos: Conhecer as características da vida dos profetas e alguns textos que passam suas
mensagens.
15– O nascimento de Jesus. (Lc 2,1-20)
Objetivos: Saber que Deus escolheu uma mulher do povo para trazer seu filho ao mundo.
Ajudar a perceber que Jesus, mesmo sendo filho de Deus, nasceu de uma família comum, em
condições muito simples. Ajudar a conhecer o verdadeiro sentido do Natal.
Bibliografia: Alguns Livros que podem ajudar no Ensino Religioso Católico nas escolas.
(Atenção: não usar as expressões catequistas e nem catequizando)

17
18

1. Bíblia (indispensável)
2. Fé – Vida – Comunidade (Livro do Catequista) EDITORA PAULUS (muito importante).
3. Para 1ª e 2ª séries: A Criação e os Pequeninos (Arq. de Manaus) Edições PAULINAS.
Amar e ser Amados(Arq. de Manaus) Edições PAULINAS.
Bem-de-va-ga-ri-nho (Coleção Deus Conosco) Editora VOZES.
Um passo a frente (Coleção Deus Conosco) Editora VOZES.

TEMA 1: ”VAMOS CAMINHAR JUNTOS”


(Ensino Fundamental 3ª e 4ª Séries)

Objetivos: * Propiciar momentos de conhecimento mútuo e integração do grupo


* Descobrir a importância do idoso na família e comunidade.

 Acolhida.

 Dinâmica (Ver): Teia da Amizade.


Fazer uma roda com todos os participantes. Uma das pessoas, com um
rolo de barbante na mão, apresenta-se, fala o que espera do encontro e joga o barbante
para outra pessoa. Esta se apresenta fazendo o mesmo. Ir criando um ambiente de
amizade. Mostrar que aos poucos está se formando a TEIA DA AMIZADE. É o que
desejamos nos encontros que teremos neste ano.

 Cantos: Amigos para sempre.


Oração por meus amigos (Pe. Zezinho).

 Reflexão (Julgar): Eclesiástico 6, 14-17; 8,6.

Pistas para a reflexão:

- Você acha que o amigo fiel é um tesouro?


- Quais as qualidades de um (a) verdadeiro amigo (a)?
- Você acha que as pessoas idosas precisam de espaço para viver amorosamente
em nossas famílias?

 Atividades (Agir):
- Escolha de um gesto concreto para manifestação de amizade.
- Como o nosso grupo poderia ajudar os idosos que conhecemos a conversar
mais. Serem mais escutados, prestarem serviços na família e na comunidade?
- O idoso poderá partilhar o que sabe, as experiências que teve em sua vida.
Como podemos ajudar? (Entrevista com pessoas idosas)

 Encerramento do Encontro (Celebração):


- Oração

Bibliografia:

18
19

- Bíblia Sagrada – indispensável.


- Diocese de Osasco: Livro do Catequista: fé, vida e comunidade. Editora Paulus, 1944.
- BITTENCOURT; José Eduardo; SOUZA; Sérgio Jeremias. Como fazer dinâmicas.
Editora: Ave Maria, 1993.
- Texto – Base da CF/ 2003 – CNBB. Editora Salesiana.

3° Projeto: Caminhando com Jesus


5ª e 6ª Séries. Do Ensino Fundamental.

Tema 1– O Jovem, seus ídolos, heróis e modelos. (Lc 4, 1-13)


Objetivos: Despertar para a liberdade e a capacidade de escolher. Observar quais são os
ídolos e os ícones da moda e reconhecer que o modelo ideal, digno de ser seguido é
Jesus Cristo.
2- Quem é Jesus para o Jovem. (Lc 9, 18-20)
Objetivos: Ajudar os jovens a conhecer melhor a pessoa de Jesus Cristo e se
identificarem com seu jeito de ser.
3- O Batismo de Jesus e o nosso batismo. (Jo 3, 1-7; Mc 1, 9-11)
Objetivos: Motivar para a consciência e o sentido de ser batizado que se resume em
seguir a Jesus, testemunhando seus ensinamentos.
4- O Chamado. (Jo 2, 1-12)
Objetivos: Mostrar como são chamados os vários discípulos de Jesus.
5- Jesus que Liberta. (Mc 5, 35-43)
Objetivos: Mostrar como Jesus liberta uma adolescente.
6- Jesus numa festa de casamento.
Objetivos: Mostrar a importância da presença de Maria e Jesus nessa festa.
7- Jesus que perdoa. (Lc 15, 11-32)
Objetivos: Refletir sobre a misericórdia de Deus que perdoa.
8- Jesus e os excluídos. (Lc 19, 1-10; Jo 8, 1-11)
Objetivos: Mostrar que Jesus acolhe a todos e não exclui ninguém.
9- Parábola sobre o Reino de Deus. (Lc 15, 8-10)
Objetivos: Despertar o grupo para perceber que o reino que Jesus propõe, é precioso e
é vivência da justiça e do amor.
10- Jesus ressuscitado está vivo entre nós. (Lc 24, 1-10)
Objetivos: Mostrar que Jesus venceu a morte e como as mulheres anunciam a
ressurreição de Jesus.

SUSGESTÕES DE ATIVIDADES: se encontram no item 6 da PROPOSTA DA


DIOCESE DE FRANÇA.

Bibliografia: Alguns Livros que podem ajudar no Ensino Religioso Católico nas escolas.
(Atenção: não usar as expressões catequistas e nem catequizando)

1. Bíblia (indispensável)
2. Fé – Vida – Comunidade (Livro do Catequista) EDITORA PAULUS (muito importante).

19
20

3. 5ª e 6ª séries: Respondendo ao amor de Deus (Arq. de Manaus) Edições PAULINAS.


Comunidade viva (Alagoas) Edições PAULINAS.
Educação para a Comunidade de Fé – Livro do Catequista - Edições PAULINAS.
Meu novo Catecismo (Crateús - Ceará) Edições PAULINAS.

TEMA 1: ”O JOVEM, SEUS ÍDOLOS, HERÓIS E MODELOS”.


(Ensino Fundamental 5ª e 6ª Séries)

Objetivos: * Despertar para a liberdade e a capacidade de escolher. Observar


quais são os ídolos e os ícones da moda e reconhecer que o modelo ideal, digno de ser
seguido é Jesus Cristo.

 Acolhida.

 Dinâmica (Ver): Trocando idéias. Os meios de comunicação social têm


inúmeros valores. Mais também nos oferece coisas ilusórias, e precisamos do senso
crítico para não sermos manipulados. Pedir que cada um escreva quem são seus ídolos e
modelos e o que eles representam em sua vida e a seguir troquem idéias com o
companheiro ao lado. Concluir com um plenário, em que cada um exponha o que
escreveu e conversou.

 Cantos: Um Jovem Galileu (Pe. Zezinho)


Vejam, eu andei pelas vilas.

 Reflexão (Julgar): Lucas 4, 1-13

Pistas para a reflexão:


- Quem é? Como deve ser o nosso modelo de vida?
- Jesus foi tentado a ter ídolos. Como ele resistiu a essas tentações?
- Quais as maiores formas de escravidão que afastam o jovem da realidade?
- Quem nos oferece uma forma de idolatria ou alienação sabe os efeitos de tal
oferta. Qual é a nossa reação?

 Atividades (Agir):
- Consultar professores, revistas, jornais, livros, internet, programas de Tv,
entrevistas com jovens e outras pessoas, e elaborar, em grupos, uma dramatização para
ser encenada no próximo encontro.
- Procurar aproximar-se de um jovem que esteja sendo discriminado, rejeitado
ou excluído. Ser presença amiga para ele.

 Avaliar (Rever):
- Breve avaliação do encontro.

 Encerramento do Encontro (Celebrar):


- Propor um momento de relaxamento e introspecção para que cada um possa
soltar as tensões e preocupações do corpo, concentrar-se, deixar o coração livre e sentir-
se nas mãos de Deus com amor e confiança.
Depois de certo tempo, pedir que repitam várias vezes em voz baixa:
“Que todo se faça segundo a sua vontade”.

20
21

“Faze-nos, Senhor, instrumentos de teu amor”.


- No final, dar as mãos, agradecer a Deus, e junto rezar o Pai Nosso.
Bibliografia:
- Bíblia Sagrada – indispensável.
- Diocese de Osasco: Livro do Catequista: fé, vida e comunidade. Editora Paulus, 1944.
- Crescimento do Jovem na comunidade Cristã – Editora Salesiana SP.
- Arquidiocese de Manaus. Respondendo ao amor de Deus Editora Paulus.
4° Projeto: O Jovem numa Comunidade de Fé
7ª e 8ª Séries. Do Ensino Fundamental.

Tema 1- É bom viver em grupo. (1 Cor 12, 4-7)


Objetivo: Perceber o valor e a importância do grupo na vida dos jovens.

2- O nascimento da Igreja: Pentecostes. (At 2, 1-8)


Objetivo: Reconhecer a presença do Espírito Santo, desde o início da caminha da Igreja.

3- O jovem e a Igreja primitiva. (At 2, 42-47)


Objetivo: Ajudar o jovem a entender a realidade das primeiras comunidades cristãs.

4- Pedro, primeiro líder da Igreja. (Jo 21, 15-17)


Objetivo: Ver como Pedro recebe a missão de coordenar a Igreja.

5- Igreja santa e pecadora. (At 6, 1-6)


Objetivo: Compreender as luzes e sombras da Igreja através da sua história.

6- O jovem, as pastorais e os movimentos da Igreja. (1 Cor 13, 1-8)


Objetivo: Ajudar o jovem a conhecer a Igreja hoje, e que tipo de serviço poderá desempenhar na
comunidade.

7- O jovem pergunta: O que é celebrar? (Lc 22, 7-20; Mt 26, 17; Mc 14, 12)
Objetivo: Ajudar a perceber o que é celebrar e qual o sentido da Eucaristia.

8- O jovem, o catolicismo popular e as festas religiosas. (Jo 2, 1-12)


Objetivo: Ajudar a compreender as festas da Igreja, tais como o Natal, a Páscoa,o Pentecostes, as festas
dos padroeiros, bem como as suas expressões populares.

9- O jovem e o ano litúrgico. (Mt 16, 1-3)


Objetivo: Esclarecer sobre o ano litúrgico, ajudando o jovem a entender melhor o mistério pascal de
Cristo.

10- O jovem, os sinais, os símbolos religiosos e os símbolos da atualidade.


(Mt 5, 13-16; Jo 14,6-9)
Objetivo: Ajudar a adquirir maior consciência do poder comunicador dos símbolos e introduzir o
conceito de sacramento. Analisar a sacramentalidade das coisas do nosso dia-a-dia e julgá-las a luz da
proposta de Jesus.

11- O jovem conhecendo e vivendo os sacramentos. (Mt 13, 1-8; 18-23)


Objetivo: Ajudar a compreender a mensagem dos sacramentos, principalmente a do batismo, que nos
serve de porta de entrada na vida de fé.

12- Pela força do Espírito Santo, surge uma igreja jovem. (Mt 28, 16-20)
Objetivo: Ajudar o jovem a se sentir igreja, pela força de Deus, ajudando na transformação da sociedade.

SUSGESTÕES DE ATIVIDADES: se encontram no item 6 da PROPOSTA DA DIOCESE DE


FRANÇA.

Bibliografia: Alguns Livros que podem ajudar no Ensino Religioso Católico nas escolas.
(Atenção: não usar as expressões catequistas e nem catequizando)

21
22

1. Bíblia (indispensável).
2. Fé – Vida – Comunidade (Livro do Catequista) EDITORA PAULUS (muito importante).
3. 7ª e 8ª séries: Respondendo ao amor de Deus (Arq. de Manaus) Edições PAULINAS.
Decidi ser Cristão (Diocese de Caxias do Sul) Edições PAULINAS.

TEMA 1: ”É BOM VIVER EM GRUPO”


(Ensino Fundamental 7ª e 8ª Séries)

Objetivos: * Perceber o valor e a importância do grupo na vida dos jovens.

 Acolhida: (Apresentação dos participantes para a integração do grupo)

 Dinâmica (Ver): Técnica da “Varinha”


1. Entregar para cada participante uma varinha.
2. Pedir a todos para quebrá-la. Conversar se foi fácil, e por que.
3. Depois Passar a mão em mão um feixe de varinhas bem amarrado. Pedindo que
cada pessoa tente quebrá-lo. Conversar em seguida: o que isto nos ensina?
4. Olhar para as necessidades dos jovens e refletir: o que esta experiência das
varinhas nos ensina enquanto grupo?

 Cantos: Momento Novo (ou outro).

 Reflexão (Julgar): 1 Cor 12, 4-7.

Pistas para a reflexão:


- Você reconhece os seus dons, as qualidades? Quais são eles?
- Você tem colocado estes dons a serviço do próximo?
- Em cada grupo vemos pessoas que tem qualidades e dons diferentes que
podem ajudar a todos. Por ex: levar alegria, ajudar os necessitados, cantar, etc.

 Atividades (Agir):
- Descobrir mais dons e qualidades dos participantes do nosso grupo.
- Entrevistar pessoas para descobrir as suas qualidades e como as tem colocando
a serviço dos irmãos.

 Avaliar (Rever):
- Quais os momentos importantes e dificuldades encontradas durante o encontro
de hoje?
- O que pode ser melhorando? Sugestões.

 Encerramento do Encontro (Celebrar):


- Rezar em grupo o Salmo 132, 1.
- “Vejam como é bom, como é agradável os irmãos viverem unidos.”

Canto Final – Utopia (Zé Vicente – CD Sol e Sonho – Paulinas Comep).

22
23

CANTOS

MOMENTO NOVO
Deus chama a gente para um momento novo.
De caminhar junto com seu povo.
É hora de transformar o que não dá mais.
Sozinho, isolado, ninguém é capaz.

Por isso vem!


Entra na roda com a gente também.
Você é muito importante (bis)

Não é Possível crer que tudo é fácil.


Há muita força que produz a morte.
Gerando dor, tristeza e desolação.
É necessário unir o cordão.

A força que hoje faz brotar a vida.


Atua em nós pela sua graça.
É Deus que nos convida pra trabalhar.
Amor repartir e as forças juntar.

UTOPIA
Quando o dia da paz renascer,
quando o sol da esperança brilhar,
eu vou cantar!
Quando o povo nas ruas sorrir
e a roseira de novo florir,
eu vou cantar!
Quando as cercas caírem no chão,
quando as mesas se encherem de pão,
eu vou cantar!
Quando os muros que cercam os jardins,
destruídos, então os jasmins,
vão perfumar.
Vai ser tão bonito se ouvir a canção, cantada de
novo, no olhar da gente a certeza do irmão:
reinado do povo.

Quando as armas da destruição,


destruídas em cada nação,
eu vou sonhar!
E o decreto que encerra a opressão,
assinado só no coração,

23
24

vai triunfar!
Quando a voz da verdade se ouvir
e a mentira não mais existir,
será, enfim,
tempo novo de eterna justiça,
sem mais ódio, sem sangue ou cobiça, vai ser assim.

REGIONAL SUL I – CNBB – (ARQUI)DIOCESE)DE...............................................

Prezados Pais ou responsáveis e alunos:


Alegria e muita Paz!

A Igreja Católica tem um Convênio com a Secretaria Estadual da Educação,


para promover a Educação da Fé Cristã, em nosso Estado de São Paulo. Este trabalho
consiste em reunir crianças, adolescentes e jovens das Escolas Públicas, em encontros
alegres e formativos que vão tratar dos maravilhosos ensinamentos da nossa Fé
Religiosa e de outros assuntos de interesse dos nossos alunos, orientando-os para a vida
no mundo de hoje, com dinâmicas, debates, mensagens, teatro e cantos.
Para isso, estamos nos comunicando com você, criança, adolescente, jovem e
com os seus queridos pais ou responsáveis, para participarem dessa rica experiência de
conhecimentos, convivência, amizade e crescimento na Fé.
Os encontros escolares e acontecerão em horário a ser combinado com a Escola
e comunicado aos alunos, pais ou responsáveis. Neste primeiro comunicado aos alunos
e pais, pedimos que preencham a ficha de inscrição abaixo e devolvem para a secretaria
da sua Escola.
Em outra ocasião, marcaremos um encontro com seus pais ou responsáveis, para
maior conhecimento do nosso trabalho a ser executado.

Contando com a colaboração de sua Família e da sua Escola,


Agradecemos a participação de todos nesse projeto.
Atenciosamente,

Coordenador (a) do Ensino Religioso Confessional da sua Escola.

(Descartar a ficha abaixo e devolver na Secretaria da sua Escola, no prazo de uma


semana).
.............................................................................................................................................
Ensino Religioso Confessional Católico – (Arqui) Diocese de......................................
Paróquia – Pastoral Associação – Movimento.

Nome:..................................................................................................................................

Escola:..........................................................Diretoria de Ensino:....................................

Série:.........................................................Período:...........................................................

Endereço:.................................................................................Cep:..................................

Idade:...............................Telefone:..........................................Religião...........................

24
25

Gostaria de participar dos encontros semanais ou quinzenas sobre o Ensino


Religioso Confessional Católico. Fora do horário escolar? SIM ( ) NÃO ( )

..........................................................
Assinatura do (a) Responsável.

25