Você está na página 1de 96

Parametrizações mySAP ECC 6.

PP-PI - DM

1
ÍNDICE

1. DADOS BÁSICOS................................................................................................................................... 4
1.1. (LISTAS TÉCNICAS) – CONTROLE DE MENSAGENS....................................................................4
1.2. (RECURSOS) – DEFINIR RESPONSÁVEL........................................................................................ 5
1.3. (RECURSOS) – DEFINIR PLANEJADORES DE CAPACIDADE.......................................................6
1.4. (RECURSOS) – DEFINIR SEQUÊNCIA DE TURNOS........................................................................7
1.5. (RECEITAS MESTRE) – DADOS GERAIS DE CONTROLE............................................................10
1.6. (RECEITAS MESTRE) – PERFIS COM VALORES PROPOSTOS..................................................11
1.7. (RECEITAS MESTRE) – ATRIBUIR TIPOS DE MATERIAL À PRESCRIÇÃO MESTRE................14
2. PLANEJAMENTO DE PRODUÇÃO..................................................................................................... 16
2.1. (SOP) – ATUALIZAR PERFIS DE TRANSFERÊNCIA.....................................................................16
2.2. (SOP) – ATIVIDADES DE PLANEJAMENTO BATCH.....................................................................17
2.3. (GESTÃO DA DEMANDA) – VERSÃO NECESSIDADE INDEPENDENTE.....................................19
2.4. (MPS) – PLANEJADORES MRP....................................................................................................... 21
3. PLANEJAMENTO DE CAPACIDADES............................................................................................... 24
3.1. (CRP) – VALORES STANDARD - DEFINIR PARÂMETROS...........................................................24
3.2. (CRP) – VALORES STANDARD - CHAVE.......................................................................................25
3.3. (CRP) – VALORES STANDARD - FÓRMULAS...............................................................................27
4. PLANEJAMENTO DE NECESSIDADES.............................................................................................34
4.1. (GRUPO MRP) – ATUALIZAÇÃO TOTAL DO GRUPO MRP..........................................................34
4.2. (MRP) – CHAVE SUPRIMENTO ESPECIAL....................................................................................34
4.3. (MRP) – ESTOQUES DISPONÍVEIS P/ MRP...................................................................................36
4.4. (MRP) – PERFIL DE COBERTURA.................................................................................................. 37
4.5. (MRP) – REGRA PARA CÁLCULO DO TAMAMNHO DE LOTE.....................................................42
4.5. (MRP) – ATIVAR ÁREA MRP........................................................................................................... 44
4.5. (MRP) – DEFINIR ÁREA MRP P/ SUBCONTRATADOS.................................................................45
4.6. (MRP) – DEFINIR DEPÓSITOS VÁLIDOS P/ MRP..........................................................................45
4.7. (MRP) – EXIT P/ SELEÇÃO DO MATERIAL NO PLANEJAMENTO...............................................47
4.8. (MRP) – VERIFICAÇÃO DE DISPONIBILIDADES P/ MATERIAIS..................................................48
5. CONTROLE DE PRODUÇÃO.............................................................................................................. 53
5.1. (CONTROLE DE PRODUÇÃO) – DADOS GERAIS RECURSOS....................................................53
5.2. (CONTROLE DE PRODUÇÃO) – VALORES STANDARD..............................................................54
5.3. (CONTROLE DE PRODUÇÃO) – DEFINIR TIPOS DE CAPACIDADE............................................57
5.4. (CONTROLE DE PRODUÇÃO) – PREPARAR DEFINIÇÃO DE FÓRMULAS................................58
6. ORDENS DE PROCESSO.................................................................................................................... 60
6.1. (ORDENS DE PROCESSO) – TIPO DE ORDEM DE PROCESSO..................................................60
6.2. (ORDENS DE PROCESSO) – PARÂMETROS DEPENDENTES DO TIPO DE ORDEM................61
6.3. (ORDENS DE PROCESSO) – RESPONSÁVEL PELO CONTROLE DE PRODUÇÃO...................65
6.4. (ORDENS DE PROCESSO) – VALORES PROPOSTOS P/ OPERAÇÕES....................................66
6.5. (ORDENS DE PROCESSO) – CONTROLE DE VERIFICAÇÃO NAS ORDENS.............................67
6.6. (ORDENS DE PROCESSO) – DETERMINAÇÃO ESTOQUE E BATCH NO MOVIMENTO DE MERCADORIAS
.................................................................................................................................................................. 69
6.7. (ORDENS DE PROCESSO) – DEFINIR PARÂMETROS DE PROGRAMAÇÃO DE PRAZOS.......70
7. CONFIRMAÇÃO DE ORDEM DE PROCESSO...................................................................................72
7.1. (CONFIRMAÇÃO DE ORDENS) – PARÂMETROS DE CONFIRMAÇÃO DE ORDENS.................72
7.2. (CONFIRMAÇÃO DE ORDENS) – DEFINIR TELA DE ENTRADA DE CONFIRMAÇÃO................74
7.3. (CONFIRMAÇÃO DE ORDENS) – CONTROLE DE IMPRESSÃO DE ORDENS DE PROCESSO.76
8. CONTROLE DE MODIFICAÇÕES....................................................................................................... 77
8.1. (CONTROLE DE MODIFICAÇÕES) – DEFINIR TIPOS DE MODIFICAÇÃO P/ REGISTRO MESTRE 77
9. ADM. LOTES – PP............................................................................................................................... 78

2
9.1. (ADM.LOTES - PP) – ATIVAR ESQUEMA DE PESQUISA DE LOTE ORDENS DE PROCESSO. 78
9.2. (ADM.LOTES - PP) – ATIVAR VERIFICAÇÃO DA DATA DE VENCIMENTO................................79
10. DIVERSOS.......................................................................................................................................... 81
10.1. (DIVERSOS) – PLANEJADOR AGRÍCOLA P/ CENTRO 0010......................................................81
10.2. (DIVERSOS) – CONVERSÃO DE ORDENS PLANEJADAS..........................................................82
10.3. (DIVERSOS) – CHAVE DE VALOR STANDARD...........................................................................83
10.4. (DIVERSOS) – ATIVAR COLETOR DE CUSTOS PARA TIPO DE ORDEM DM...........................88
10.5. (DIVERSOS) – PERFIL DE PRODUÇÃO........................................................................................ 89
10.6. (DIVERSOS) – TIPOS DE ORDEM DE PROCESSO PARA A DM................................................91
10.7. (DIVERSOS) – PARÂMETROS DEPENDENTES DO TIPO DE ORDEM.......................................93
10.8. (DIVERSOS) – DEFINIR PERFIL DE CONTROLE DE PRODUÇÃO.............................................97
10.8. (DIVERSOS) – VALORES PROPOSTOS PARA OPERAÇÕES POR TIPO DE ORDEM.............98
10.9. (DIVERSOS) – CONTROLE DE VERIFICAÇÃO DE DISPONIBILIDADE PARA ORDENS DE PROCESSO 99
10.10. (DIVERSOS) – DEFINIR PARAMETROS DE PROGRAMAÇÃO DE PRAZOS.........................101
10.11. (DIVERSOS) – PARÂMETROS DE CONFIRMAÇÃO DE ORDEM DE PROCESSO.................102
10.12. (DIVERSOS) – CONTROLE DE IMPRESSÃO DE ORDENS DE PROCESSO..........................104
10.13. (DIVERSOS) – CHAVE DE CONTROLE P/ CONFIRMAÇÃO....................................................106
10.14. (diversos) – definir programa de turnos..................................................................................106

3
1. Dados Básicos

1.1. (LISTAS TÉCNICAS) – CONTROLE DE MENSAGENS

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> DADOS BÁSICOS -> LISTA TÉCNICA -> DADOS GERAIS -> UTILIZAÇÃO
DE LISTAS TÉCNICAS -> MODIFICAR TIPO DE MENSAGEM

Transação: SPRO

Atual:

Modificar para:

Comentários:

Modificar o tipo de mensagem “Lista técnica só pode ser modificada via Receita Mestre”, de acordo com a
necessidade da indústria farmacêutica da DM.

4
1.2. (RECURSOS) – DEFINIR RESPONSÁVEL

Caminho: IMG:PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> DADOS MESTRE -> RECURSO
-> DADOS GERAIS -> DEFINIR RESPONSÁVEL

Transação SPRO

Comentários:

Definir o resposável pela atualização dos dados mestre do Recurso.

Atual:

Modificar para:

5
1.3. (RECURSOS) – DEFINIR PLANEJADORES DE CAPACIDADE

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> RECURSO -> PLANEJAMENTO
DE CAPACIDADES -> DETERMINAR PLANEJADORES DE CAPACIDADE

Transação SPRO

Comentários:

Nesta entrada de menu, determinar a Pessoa/Grupo de pessoas responsáveis pelo planejamento de capacidades.
Atual:

Modificar para:

6
1.4. (RECURSOS) – DEFINIR SEQUÊNCIA DE TURNOS

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> RECURSO -> PLANEJAMENTO
DE CAPACIDADES -> CAPACIDADE ÚTIL -> DEFINIR SEQÜÊNCIA DE TURNOS

Transação OP4A

Comentários:
Nesta etapa, o usuário define o seguinte:

 O agrupamento
Com a ajuda do agrupamento, o usuário pode criar programas de turnos e definições de turnos para áreas especiais
(por exemplo, centros diferentes e áreas diversas de um centro) e selecioná-los na atualização da capacidade útil de
recursos.
 O plano de pausas de trabalho
O usuário define os parâmetros que descrevem cada plano de pausa com maior precisão, como, por exemplo:
o início

o fim

o tempo de pausa

 A definição de turnos
Aqui o usuário define os parâmetros para todos os recursos que descrevem cada turno com maior precisão, como, por
exemplo:
o início

o fim

o tempo de pausa

o período de validade de um turno


Atual:

7
Modificado para:

8
1.5. (RECEITAS MESTRE) – DADOS GERAIS DE CONTROLE

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> DADOS MESTRE -> RECEITA

9
MESTRE -> PARAMETRIZAÇÕES PARA TIPO DE PLANO -> DEFINIR PARÂMETROS CONTROLE
GERAIS

Transação OP8B

Modificações realizadas p/ o tipo de roteiro 2 (Receita Mestre):

Atual:

Modificado para:

Comentários:

Nesta etapa, o usuário define os parâmetros gerais de controle para as prescrições mestre. Determinar:

 Quais os intervalos de numeração a serem utilizados para a atribuição interna e externa de números

 Se o sistema deve gerar documentos de modificação para as prescrições mestre

 Se, ao atualizar as prescrições nos campos Material (a ser produzido) e Grupo de prescrições, o sistema deve dar
saída à última entrada como proposta.

 Se um usuário necessita de uma autorização especial de eliminação para eliminar as prescrições, as operações e as
fases.
O código Doc., "Considerar parâmetros SET/GET para documento de vendas", não tem relevância para prescrições mestre.

1.6. (RECEITAS MESTRE) – PERFIS COM VALORES PROPOSTOS

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> DADOS MESTRE -> RECEITA

10
MESTRE -> PARAMETRIZAÇÕES PARA TIPO DE PLANO -> DEFINIR PERFIS COM VALORES
PROPOSTOS

Transação OPN1

Comentários:

Nesta etapa, o usuário define os perfis para a prescrição mestre com os valores propostos. É possível gravar valores propostos,
em um perfil, para as seguintes áreas:

 os dados de prescrição gerais, como, por exemplo, a chave de controle e o incremento de operações

 os gráficos de prescrição

 os dados de qualidade
Durante a criação ou durante a modificação de uma prescrição mestre deve ser indicado um perfil. Os valores deste perfil são
fornecidos à nova prescrição e/ou aos novos objetos de prescrição como valores propostos. Os dados podem ser aceitos ou
sobregravados.

Modificado o prefil de Receita Mestre :

Valores atuais:

Modificado para:

11
Detalhes:

1.7. (RECEITAS MESTRE) – ATRIBUIR TIPOS DE MATERIAL À PRESCRIÇÃO MESTRE

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> DADOS MESTRE -> RECEITA
MESTRE -> PARAMETRIZAÇÕES PARA TIPO DE PLANO -> ATRIBUIR TIPO DE MATERIAL

Transação SPRO

Comentários:

Nesta etapa, o usuário atribui os tipos de material à prescrição mestre.

Somente materiais dos tipos de material aqui atribuídos podem ser atribuídos a uma prescrição mestre a nível de cabeçalho, isto
é, como um material a ser produzido.

12
Tipo de Roteiro = 2 (Receita Mestre)
Situação Atual:

Modificado para:

13
2. Planejamento de Produção

2.1. (SOP) – ATUALIZAR PERFIS DE TRANSFERÊNCIA

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DE VENDAS E OPERAÇÕES (SOP) -> FUNÇÕES ->
PROCESSAMENTO EM MASSA -> ATUALIZAR PERFIS DE TRANSFERÊNCIA

Transação SPRO

Comentários:
Nesta etapa, o usuário define os perfis de transferência para a transferência de dados SOP para o planejamento de programa,
onde estes dados continuam a ser processados.

Os perfis de transferência facilitam as entradas dos dados, visto que não precisam efetuar todas as vezes as opções
necessárias quando os dados planejados forem transferidos para o planejamento de programa; por isso é melhor selecionar um
perfil de transferência.

Atual:

Modificado para:

14
2.2. (SOP) – ATIVIDADES DE PLANEJAMENTO BATCH

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DE VENDAS E OPERAÇÕES (SOP) -> FUNÇÕES ->
PROCESSAMENTO EM MASSA -> DETERMINAR ATIVIDADES

Transação SPRO

Comentários:

Nesta etapa, o usuário determina o processamento de um grande volume de dados no SOP para os quais uma atividade de
planejamento é necessária.

As ações seguintes requerem uma atividade de planejamento para o processamento em massa:

 Previsão

 Copiar os índices entre as estruturas infos

 Transferência de dados para o planejamento de programa

 Execução de Macros

Atual:

Modificado para:

15
2.3. (GESTÃO DA DEMANDA) – VERSÃO NECESSIDADE INDEPENDENTE

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO -> GESTÃO DA DEMANDA ->
NECSINDSPREVISTS -> DETERMINAR NºS DE VERSÕES

Transação OMP2

Comentários:
Nesta etapa, o usuário pode definir versões para

16
 Poder diferenciar várias necessidades independentes previstas

 Marcar a transferência de necessidades a partir dos níveis de planejamento precedentes (por exemplo: o plano de
vendas a partir do planejamento de vendas e operações)

 Para poder simular o planejamento de necessidades no âmbito do planejamento a longo prazo

Atual:

Modificado para:

17
2.4. (MPS) – PLANEJADORES MRP

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO -> DADOS MESTRE -> DETERMINAR
PLANEJADORES MRP

Transação SPRO

Comentários:
Nesta etapa, determinar um número a ser atribuído ao planejador MRP.

Através do planejador MRP, são atribuídos os materiais a uma pessoa ou grupo de pessoas responsáveis pela monitorização da
disponibilidade de material. Através do número aqui inscrito podem ser selecionados, por exemplo os resultados de
planejamento por planejador MRP. UM planejador MRP pode ser uma pessoa ou um grupo.

Tem que ser atribuído um número de planejador MRP, no mestre de materiais, a cada material relevante para o planejamento.

Atual:

Modificado para:

18
19
20
3. Planejamento de Capacidades

3.1. (CRP) – VALORES STANDARD - DEFINIR PARÂMETROS

Caminho: IMG:PLANEJAMENTO DE CAPACIDADES -> DADOS MESTRE -> DADOS DE CENTRO DE TRABALHO
-> DEFINIR PARÂMETROS.

Transação SPRO

Comentários:
Nesta etapa, o usuário define os parâmetros, os quais são atribuídos às chaves dos valores standard.

É possível dar qualquer significado a estes valores standards. Os mais usados são o tempo de preparação ou o tempo de
máquina por unidade ("tr" ou "te" segundo REFA). Sob determinadas condições, o usuário deve tornar também planejável outros
valores standard como o horário de pessoal e/ou horário de limpeza.
Atual:

Modificado para:

21
3.2. (CRP) – VALORES STANDARD - CHAVE

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DE CAPACIDADES -> DADOS MESTRE -> DADOS DE CENTRO
DE TRABALHO -> VALOR STANDARD -> DEFINIR CHAVE DE VALOR STANDARD.

Transação OPCM

Comentários:
Nesta etapa, definem-se as chaves de valores standard. Com estas chaves, determina-se o significado dos seis valores
standard na operação de trabalho. O sistema SAP atribui aos valores standard da operação de trabalho e aos valores standard
do trabalho na operação da rede uma chave de parâmetros.

Atual:

Modificado para:

22
3.3. (CRP) – VALORES STANDARD - FÓRMULAS

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DE CAPACIDADES -> OPERAÇÕES -> FÓRMULAS ->
DETERMINAR DEFINIÇÕES DE FÓRMULA.

Transação OPCS

Comentários:

Nesta etapa, o usuário ajusta as definições da fórmula para a aplicação nas seguintes áreas:

 Planejamento de capacidade

 Programação de prazos

 Cálculo de custos
Atual

23
Modificado para:

E foram incluídas as fórmulas:

24
25
26
27
28
4. Planejamento de Necessidades

4.1. (GRUPO MRP) – ATUALIZAÇÃO TOTAL DO GRUPO MRP

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DE NECESSIDADES -> GRUPOS MRP -> EFETUAR
ATUALIZAÇÃO TOTAL DOS GRUPOS MRP.

Transação OPPR

Comentários:
Nesta etapa, determinar o grupo MRP e atualizar os respectivos parâmetros de controle, a partir de uma visão.

Situação Atual:

Modificado para:

4.2. (MRP) – CHAVE SUPRIMENTO ESPECIAL

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DE NECESSIDADES -> DADOS MESTRE -> DETERMINAR TIPO
DE SUPRIMENTO ESPECIAL.

Transação SPRO

Comentários:
Nesta etapa, determinar a chave de suprimento especial. A chave de suprimento especial controla o suprimento e a
armazenagem de um material, para além do tipo de suprimento. Chaves de suprimento especial referem-se sempre a um tipo de
suprimento.
Situação atual:

29
Modificado para:

30
4.3. (MRP) – ESTOQUES DISPONÍVEIS P/ MRP

Caminho: IMG:PLANEJAMENTO DE NECESSIDADES -> PLANEJAMENTO -> EXECUÇÃO MRP -> ESTOQUES
-> DETERM.DISPONIB.ESTOQUE EM TRANSF./BLOQUEADO/INDISPONÍVEL.

Transação SPRO

Comentários:
Nesta etapa, determinar se o estoque em transferência (de centro a centro) e/ou o estoque bloqueado e o estoque de utilização
restrita deverão entrar no cálculo das necessidades líquidas como estoque disponível.

O estoque em transferência é a quantidade que, através da transferência, já foi retirada do >centro de saída do estoque (Tipo de
movimento "Retirar do depósito do centro"), mas ainda não foi registrada no centro receptor (Tipo de movimento "Armazenar no
centro").

Até à chegada e registro do material, o sistema registra este estoque como estoque em transferência (de centro a centro) do
centro receptor.
Situação Atual:

Modificar para:

4.4. (MRP) – PERFIL DE COBERTURA

Caminho: IMG:PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DE NECESSIDADES -> PLANEJAMENTO -> EXECUÇÃO MRP
-> DETERMINAR PERFIL DE COBERTURA (ESTOQUE DINÂMICO SEGURANÇA).

Transação SPRO

Comentários:

31
Nesta etapa, determinar o perfil de cobertura para o cálculo do estoque dinâmico de segurança.

Com o estoque dinâmico de segurança, o usuário pode determinar um estoque em função das necessidades e da cobertura.
Este estoque adapta-se automaticamente às modificações de necessidades e está sempre disponível para o planejamento.

O cálculo do estoque dinâmico de segurança pode ser reduzido de acordo com as quantidades, através da entrada de
coberturas máximas e mínimas. Determinando diferentes intervalos de tempo para a validade da cobertura, também pode ser
levada em consideração a dimensão temporal.
Situação Atual:

Modificado para:

32
33
34
35
4.5. (MRP) – REGRA PARA CÁLCULO DO TAMAMNHO DE LOTE

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DE NECESSIDADES -> PLANEJAMENTO -> CÁLCULO DO
TAMANHO DO LOTE -> VERIFICAR REGRA PARA CÁLCULO DO TAMANHO DO LOTE.

Transação OMI4

Comentários:
Definir, com o processo de tamanho de lotes, como a quantidade pedida é determinada na execução do planejamento.

Atribuir um tamanho de lote MRP ao registro mestre de materiais, que determine o processo do tamanho de lote.
Situação atual:

36
Foram incluídas as chaves:

Exemplo chave Y1:

37
Exemplo chave Y9:

4.5. (MRP) – ATIVAR ÁREA MRP

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DE NECESSIDADES -> DADOS MESTRE -> ÁREAS MRP ->
ATIVAR PLANEJAMENTO DE NECESSIDADES PARA ÁREAS MRP

Transação SPRO

Comentários:
Nesta etapa, ativar o planejamento de necessidades para as áreas MRP.

Pré-requisitos

Para poder ativar o planejamento de necessidades para as áreas MRP, o usuário terá primeiro que ter convertido  as marcações
para planejamento existentes a nível de centro, em marcações para planejamento a nível de área MRP.

Situação atual:

Modificado para:

38
Obs: Antes de ativar a área MRP, rodar o programa RMDBVM00 no mandante em que será ativada a área MRP p/
subcontratados.

4.5. (MRP) – DEFINIR ÁREA MRP P/ SUBCONTRATADOS

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DE NECESSIDADES -> DADOS MESTRE -> ÁREAS MRP ->
DEFINIR ÁREAS MRP.

Transação SPRO

Comentários:

Nesta etapa, definir as áreas MRP para  cada centro, para os quais o usuário pretende efetuar um planejamento de
necessidades próprio.

Na criação de uma área MRP, indicar o número, com o mínimo de 5 dígitos para evitar sobreposições com a área MRP do
centro e indicar também a denominação da área MRP e a respectiva categoria. Para, além disso, terá que inscrever um depósito
como depósito de entrada. Este depósito tem que pertencer à área MRP. De seguida, atribuir os depósitos ou os números de
fornecedores do subcontratado à área MRP.

O usuário atribui os materiais a áreas MRP através da criação, no registro mestre de materiais, de um segmento para a área
MRP.
Situação Atual:

Modificado para:

4.6. (MRP) – DEFINIR DEPÓSITOS VÁLIDOS P/ MRP

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DE NECESSIDADES -> PLANEJAMENTO -> DETERMINAR MRP
A NÍVEL DE DEPÓSITO POR CENTRO.

Transação SPRO

Comentários:
Nesta etepa, determinar valores propostos para o planejamento de necessidades do depósito, válidos para todos os centros.

O código aqui utilizado é proposto, na criação de um registro mestre de materiais, para os depósitos aqui atualizados.

39
Caso o usuário, no mestre de materiais, crie um material para um depósito, para o qual já atualizou no customizing um valor
proposto, o código utilizado pelo usuário é automaticamente transferido para o campo Planificações de necessidades de
depósito. Para a utilização prévia da planificação de necessidades de depósito, estão à disposição do usuário as seguintes
possibidades:

 Planejar as necessidades do depósito separadamente

 Excluir o depósito do planejamento de necessidades

Situação atual:

Modificado para:

40
4.7. (MRP) – EXIT P/ SELEÇÃO DO MATERIAL NO PLANEJAMENTO

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DE NECESSIDADES -> PLANEJAMENTO -> EXIT USUÁRIO:
SELEÇÃO DE MATERIAL P/A EXECUÇÃO PLANEJAMENTO.

Transação SPRO

Comentários:
Nesta etapa, definir chaves e textos descritivos para o user exit, para a seleção de materiais para a execução de planejamento.

Com este User-Exit, a execução dos planejamentos de necessidades ou itens MPS ou planejamentos a longo prazo pode ser
específicamente limitada aos materiais que cumpram os critérios livremente definidos.

Situação Atual:

Foi incluída a chave PLN:

41
4.8. (MRP) – VERIFICAÇÃO DE DISPONIBILIDADES P/ MATERIAIS

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> CONTROLE DE PRODUÇÃO -> O PERAÇÕES -> VERIFICAÇÃO DE
DISPONIBILIDADE -> DEFINIR GRUPO DE VERIFICAÇÃO

Transação OVZ2

Comentários:
Nesta etapa, o usuário define os grupos de verificação.

Todo o material a ser incluído na verificação de disponibilidade deve estar atribuído a um grupo de verificação. Esta atribuição
ocorre no registro mestre de material. O grupo de verificação é utilizado para o agrupamento de materiais que devem ser
verificados de acordo com o mesmo critério. Um agrupamento pode ocorrer, por exemplo, de acordo com o tipo de material e/ou
a característica MRP.
Situação atual:

Foi incluída a chave ZA:

42
Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DE NECESSIDADES -> PROPOSTAS DE SUPRIMENTO ->
ORDENS PLANEJADAS -> DETERMINAR VERIFICAÇÃO DE DISPONIBILIDADE PARA COMPONENTES

Transação OPPJ

Comentários:

Nesta etapa, controlar a verificação de disponibilidade em nível de planejamento de necessidades, através da determinação do
grupo e da regra de verificação em nível de centro ou por grupo MRP.
A verificação de disponibilidade pode ser efetuada em nível de planejamento de necessidades para os componentes da ordem
de planejamento. Isto significa que pode ser verificado específicamente se existe a quantidade suficiente de componentes para a
criação do grupo. A verificação de disponibilidade é iniciada pelo processamento da ordem de planejamento e não é efetuada
automaticamente para cada necessidade dependente de um grupo, na execução do planejamento.

Situação Atual:

43
Foi incluída a regra ZA na verificação de disponibilidade:

Na regra ZA / PP foi modificado o controle de verificação de depósito:

44
45
5. Controle de Produção

5.1. (CONTROLE DE PRODUÇÃO) – DADOS GERAIS RECURSOS

Caminho: IMG:PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> DADOS MESTRE -> RECURSO
-> DADOS GERAIS -> DEFINIR SELEÇÃO DE CAMPOS

Transação OPFA

Comentários:
Nesta etapa o usuário pode efetuar uma seleção de campos para as telas de

 Roteiros

 Cabeçalhos

 Sequências

 Operações

 Síntese FHM

 Detalhe FHM

Situação atual:

Modificado para:

46
5.2. (CONTROLE DE PRODUÇÃO) – VALORES STANDARD

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> RECURSO -> DADOS GERAIS ->
VALOR STANDARD -> DEFINIR PARÂMETROS.

Transação OP7B

Comentários:
Nesta entrada de menu, definir os parâmetros. Ordená-los às chaves de valores standard.
Situação atual:

Foi criado o parâmetro Tamanho do grupo:

47
Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> RECURSO ->DADOS GERAIS ->
VALOR STANDARD -> DEFINIR CHAVES VALOR STANDARD

Transação OP19

Comentários:
Nesta etapa, definem-se as chaves de valores standard. Com estas chaves, determina-se o significado dos seis valores
standard na operação de trabalho. O sistema SAP atribui aos valores standard da operação de trabalho e aos valores standard
do trabalho na operação da rede uma chave de parâmetros.
Situação Atual:

48
Foi criada a chave ZAP8:

5.3. (CONTROLE DE PRODUÇÃO) – DEFINIR TIPOS DE CAPACIDADE

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> RECURSO -> PLANEJAMENTO
DE CAPACIDADES -> DEFINIR TIPO CAPACIDADE

Transação SPRO

Comentários:
Nesta etapa, o usuário define o tipo de capacidade que o usuário deseja atribuir ao recurso do próprio centro.

Nos tipos de capacidades, o usuário determina entre outras coisas:

 A que categoria de capacidades pertence um tipo de capacidade, por exemplo:

o 'Capacidade útil em volume/quantidade' para recurso de depósito

o 'Capacidade útil em unidade de tempo' para unidade de processo

 Podem ser atribuídas pessoas como capacidade individual a um tipo de capacidade

Situação Atual:

49
Foi criado o tipo de Capacidade “Pessoas”:

5.4. (CONTROLE DE PRODUÇÃO) – PREPARAR DEFINIÇÃO DE FÓRMULAS

Caminho: IMG:PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> DADOS MESTRE -> RECURSO
-> PLANEJAMENTO DE CAPACIDADES -> FÓRMULAS DE RECURSOS (CENTRO DE TRABALHO) ->
PREPARAR DEFINIÇÃO DA FÓRMULA DO RECURSO (CENTRO DE TRABALHO).

Transação OP21

Comentários:
Nesta entrada de menu, estabelecer as definições de fórmulas para utilização nas seguintes áreas:

 Planejamento da capacidade

 Programação de prazos

 Cálculo de custos

Foram criadas as fórmulas:

50
51
6. Ordens de Processo

6.1. (ORDENS DE PROCESSO) – TIPO DE ORDEM DE PROCESSO

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO ->
DADOS MESTRE -> ORDEM -> DEFINIR TIPOS DE ORDEM.

Transação CORN

Comentários:

Um tipo de ordem abrange as informações de controle que o usuário necessita para a administração de ordens. Cada ordem
deve ser atribuída a um tipo de ordem.

Situação Atual:

Foi criado o tipo de ordem de processo:

52
6.2. (ORDENS DE PROCESSO) – PARÂMETROS DEPENDENTES DO TIPO DE ORDEM

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO ->
DADOS MESTRE -> ORDEM -> DEFINIR PARÂMETROS DEPENDENTES DE TIPO DE ORDEM.

Transação COR4

Comentários:
Nesta seção, o usuário determina os parâmetros válidos para cada tipo de ordem ou centro. Os parâmetros são subdivididos da
seguinte maneira:

 Dados mestre

 Contabilidade de custos

 Dados gerais

 Modificação de status

Situação atual no centro 1002 (DM):

Foram inseridos os paramentros p/ a o tipo de ordem de processo ZDM1:

53
54
55
6.3. (ORDENS DE PROCESSO) – RESPONSÁVEL PELO CONTROLE DE PRODUÇÃO

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO ->
DADOS MESTRE -> DEFINIR RESPONSÁVEL PELO CONTROLE DE PRODUÇÃO.

Transação CORU

Comentários:
Nesta etapa, o usuário define os responsáveis pelo controle de produção para os centros. Além disso, é possível atribuir um
perfil de controle a cada responsável pelo controle de produção.

Determinar na aplicação, através da atribuição de um responsável pelo controle de produção, quem é responsável pelo material
no âmbito do controle de produção.

Situação atual no centro 1002 (DM):

Modificado para:

6.4. (ORDENS DE PROCESSO) – VALORES PROPOSTOS P/ OPERAÇÕES

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO ->
OPERAÇÕES -> SELEÇÃO DE LISTA DE TAREFAS -> DEFINIR VALORES PROPOSTOS.

Transação OPJG

Comentários:
Nesta entrada de menu, o usuário determina quais dados devem estar contidos em uma operação criada automaticamente na
abertura da ordem.

No âmbito da abertura da ordem pode-se determinar que uma ordem seja criada automaticamente se não existir uma prescrição
mestre para o material a ser produzido ou se a prescrição mestre não puder ser selecionada.

56
Atualizado a visão para o tipo de ordem ZDM1:

57
6.5. (ORDENS DE PROCESSO) – CONTROLE DE VERIFICAÇÃO NAS ORDENS

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO ->
OPERAÇÕES -> VERIFICAÇÃO DE DISPONIBILIDADE -> DEFINIR CONTROLE DA VERIFICAÇÃO.

Transação OPJK

Comentários:
Nesta etapa, o usuário define o controle da verificação. A regra de verificação e o grupo de verificação determinam, junta, a
extensão da verificação.

Situação atual p/ o centro 1002 (DM):

Incluir o controle de verificações para o tipo de ordem de processo ZDM1:

58
6.6. (ORDENS DE PROCESSO) – DETERMINAÇÃO ESTOQUE E BATCH NO MOVIMENTO DE MERCADORIAS

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO ->
OPERAÇÕES -> VERIFICAÇÃO DE DISPONIBILIDADE ->DETERMINAÇÃO DE ESTOQUE E BATCH NO
MOVIMENTO DE MERCADORIAS.

Transação OPJK

Comentários:

Nesta etapa de trabalho determinar parâmetros para a determinação automática de estoque e de batch por centro, tipo de
ordem e operação comercial:

 Atribuir uma regra de determinação de estoque.

 Desativar a determinação de estoque e batch.

Situação atual centro 1002 (DM):

59
Ampliar visão para o tipo de ordem ZDM1:

6.7. (ORDENS DE PROCESSO) – DEFINIR PARÂMETROS DE PROGRAMAÇÃO DE PRAZOS

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO ->
OPERAÇÕES -> PROGRAMAÇÃO -> DEFINIR PARÂMETROS DE PROGRAMAÇÃO DE PRAZOS.

Transação OPUZ

Comentários:
Nesta etapa, o usuário determina por centro, tipo de ordem e responsável pelo controle da produção, os parâmetros para a
programação de processo. Isso engloba a atualização

 Dos níveis de programação (programação detalhada, progr.de taxas de produção e progr.global)

 Do ajuste da programação no caso de datas excedidas

 Do controle da programação para programação detalhada

 Redução

Situação Atual no centro 1002 (DM):

60
Ampliar a visão para o tipo de ordem ZDM1:

61
7. Confirmação de Ordem de Processo

7.1. (CONFIRMAÇÃO DE ORDENS) – PARÂMETROS DE CONFIRMAÇÃO DE ORDENS

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO ->
OPERAÇÕES -> CONFIRMAÇÃO -> DEFINIR PARÂMETROS DE CONFIRMAÇÃO

Transação OPK4

Comentários:
Através dos parâmetros de confirmação, o usuário determina

 qual tela de entrada será exibida como standard

 quais dados serão propostos na entrada

 com que precisão as verificações devem ser efetuadas

Situação atual centro 1002 (DM):

Ampliar visão para o tipo de ordem ZDM1:

62
63
7.2. (CONFIRMAÇÃO DE ORDENS) – DEFINIR TELA DE ENTRADA DE CONFIRMAÇÃO

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO ->
OPERAÇÕES -> CONFIRMAÇÃO -> ENTRADA DE TELA INDIVIDUAL -> DEFINIR ENTRADA DE TELA
ÚNICA.

Transação OPK1

Comentários:
Nesta atividade IMG definem-se os perfis de confirmação para a entrada em tela única de confirmações de folhas de tempos,
assim como para o processamento posterior de confirmações de folhas de tempos incorretas.

Criar tela de entrada p/ confirmação de ordens de processo (COR6N):

Situação atual:

Modificado para:

64
7.3. (CONFIRMAÇÃO DE ORDENS) – CONTROLE DE IMPRESSÃO DE ORDENS DE PROCESSO

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO ->
OPERAÇÕES -> DEFINIR CONTROLE DE IMPRESSÃO.

Transação CB85

Comentários:
Nesta etapa, efetuam-se as configurações do sistema para a impressão de documentos provenientes da ordem de processo.

Criar uma nova lista p/ impressão do formulário Ordem de processo do centro 1002 (DM):

65
66
8. Controle de Modificações

8.1. (CONTROLE DE MODIFICAÇÕES) – DEFINIR TIPOS DE MODIFICAÇÃO P/ REGISTRO MESTRE

Caminho: IMG: CONTROLE DE MODIFICAÇÕES -> TIPO DE MODIFICAÇÃO -> DEFINIR TIPOS DE MODIFICAÇÃO
PARA REGISTRO MESTRE.

Transação OS56

Comentários:

Nesta etapa de trabalho, é possível determinar o modo de controle de modificações do registro mestre de modificação.
A definição do tipo de modificação pode ser subdividida em duas etapas parciais:
1. Na primeira etapa parcial é possível entrar uma chave numérica de identificação para o tipo de modificação (Tipo de
modificação e Descrição).

2. Na segunda etapa parcial, é possível entrar os dados que completam o processo de processamento de forma
específica da firma.

Criar a chave tipo de modificação Receitas Mestre:

67
9. Adm. Lotes – PP

9.1. (ADM.LOTES - PP) – ATIVAR ESQUEMA DE PESQUISA DE LOTE ORDENS DE PROCESSO

Caminho: IMG: ADMINISTRAÇÃO DE LOTES -> DETERMINAÇÃO DE LOTES E VERIFICAÇÃO DE LOTES ->
ATRIBUIR ESQUEMAS DE PESQUISA À PRODUÇÃO E ATIVAR CONTROLE -> ATRIBUIR ESQUEMA
PESQUISA À ORDEM PROCESSO E ATIVAR CONTROLE.

Transação CORC

Comentários:

Nesta etapa o usuário atribui a cada uma das combinações provenientes da ordem de processo e do centro de produção, quais
delas serão submetidas à determinação de lotes e ao esquema de pesquisa de lotes, e ativa o controle de lotes.
Ativar o esquema de pesquisa de lotes p/ o tipo de ordem ZDM1:

Modificar para:

9.2. (ADM.LOTES - PP) – ATIVAR VERIFICAÇÃO DA DATA DE VENCIMENTO

Caminho: IMG: ADMINISTRAÇÃO DE LOTES -> DATA DO VENCIMENTO (DV) -> DEFINIR PARÂMETROS PARA
VERIFICAÇÃO DO PRAZO DE VENCIMENTO.

Transação OMJ5

Comentários:
Definir nesta etapa, por centro e por tipo de movimento, a verificação do prazo de vencimento de materiais durante entradas de
mercadorias.

68
Condições

O prazo de vencimento de um material só pode ser verificado quando:

 O tempo restante de validade estiver atualizado no registro mestre de material


O tempo restante de validade compreende o tempo de validade do material, de modo que a entrada de mercadorias
possa ser aceita pelo sistema.
A unidade de tempo utilizada pelo sistema pode ser especificada pelo usuário nos dados de armazenagem do registro
mestre de material, no campo Código de período data de vencimento.

 A verificação do prazo de vencimento estiver ativa no centro

 A verificação do prazo de vencimento estiver ativa para o tipo de movimento.

A verificação deverá ocorrer para as entradas de mercadoria, tipos de movimento 101 e 531:

69
10. Diversos

10.1. (DIVERSOS) – PLANEJADOR AGRÍCOLA P/ CENTRO 0010

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO -> DADOS MESTRE -> DETERMINAR
PLANEJADORES MRP

Transação SPRO

Comentários:

Nesta etapa, determinar um número a ser atribuído ao planejador MRP.

Através do planejador MRP, são atribuídos os materiais a uma pessoa ou grupo de pessoas responsáveis pela monitorização da
disponibilidade de material. Através do número aqui inscrito podem ser selecionados, por exemplo os resultados de
planejamento por planejador MRP. UM planejador MRP pode ser uma pessoa ou um grupo.

Tem que ser atribuído um número de planejador MRP, no mestre de materiais, a cada material relevante para o planejamento.

10.2. (DIVERSOS) – CONVERSÃO DE ORDENS PLANEJADAS

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DE NECESSIDADES -> PARÂMETROS DO CENTRO -> EFETUAR
ATUALIZAÇÃO TOTAL DOS PARÂMETROS DO CENTRO.

Transação OPPQ

Comentários:
Nesta etapa, o usuário pode determinar todos os parâmetros para o planejamento de necessidades, a partir de uma visão.

70
Para, além disso, o usuário obtém uma visão de conjunto sobre o status de atualização de cada parâmetro do planejamento de
necessidades, no nível de centro.

O usuário tem as seguintes possibilidades de efetuar as configurações do planejamento de necessidades a partir da visão:

 Criar os parâmetros do planejamento de necessidades para um novo centro

 Eliminar os parâmetros do planejamento de necessidades para um centro

 Atualizar individualmente os parâmetros do planejamento de necessidades

 Copiar os parâmetros do planejamento de necessidades de um centro já atualizado para outro centro

Situação atual:

Modificado para:

71
10.3. (DIVERSOS) – CHAVE DE VALOR STANDARD

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DE CAPACIDADES -> CAPACIDADE ÚTIL -> FÓRMULAS ->
DETERMINAR PARÂMETROS DE FÓRMULA.

Transação OPCR

Comentários:

Definir parâmetro de SETUP de Máquina para as atividades DM.

Situação atual:

Modificado para:

72
Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DE CAPACIDADES -> DADOS MESTRE -> DADOS DE CENTRO
DE TRABALHO -> VALOR STANDARD -> DEFINIR CHAVE DE VALOR STANDARD.

Transação OPCM

Comentários:
Ligar o parâmetro ZSAP05 na chave de valor standard ZAP7.

Situação atual:

Modificado para:

73
Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DE CAPACIDADES -> OPERAÇÕES -> CAPACIDADE ÚTIL ->
FÓRMULAS -> DETERMINAR DEFINIÇÕES DE FÓRMULA.

Transação OPCS

Comentários:
Criar novas fórmulas p/ a DM com os tempos de SETUP.

Fórmulas criadas:

74
75
10.4. (DIVERSOS) – ATIVAR COLETOR DE CUSTOS PARA TIPO DE ORDEM DM

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO ->
DADOS MESTRE -> ORDEM -> DEFINIR PARÂMETROS DEPENDENTES DE TIPO DE ORDEM

Transação COR4

Comentários:

Ativar o controle através de coletor de custos para a ordem ZDM1 da DM.

Situação Atual:

76
Modificado para:

10.5. (DIVERSOS) – PERFIL DE PRODUÇÃO

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO ->
DADOS MESTRE -> DEFINIR PERFIS DE CONTROLE DE PRODUÇÃO

Transação CORY

Comentários:
Nesta etapa, o usuário pode criar perfis de controle de produção específicos do centro.

Em um perfil de controle de produção é possível

 Determinar que determinadas operações empresariais são executadas paralelamente em uma ordem de produção ou
uma ordem de processo

o Liberação de ordem na abertura da ordem

o Criação de ligação de documentos a partir do mestre de materiais na abertura da ordem

o Criação de ligação de documentos a partir da lista técnica na abertura da ordem

o Impressão na liberação da ordem

77
o Programação na liberação da ordem

Situação Atual:

Foi criado o Perfil de produção p/ DM:

10.6. (DIVERSOS) – TIPOS DE ORDEM DE PROCESSO PARA A DM

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO ->
ORDEM -> DEFINIR TIPOS DE ORDEM.

Transação CORN

78
Comentários:

Criar 4 tipos de ordens de processo para a DM, considerando os critérios de “fechamento manual ou automático” e
ordens para fabricação e para reparo.

Os tipos de ordens que foram criadas foram:

79
10.7. (DIVERSOS) – PARÂMETROS DEPENDENTES DO TIPO DE ORDEM

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO ->
DADOS MESTRE -> ORDEM -> DEFINIR PARÂMETROS DEPENDENTES DE TIPO DE ORDEM

Transação COR4

Comentários:

Definir quais são os parâmetros dependentes para cada tipo de ordem de processo da DM que foram criadas na
seção acima.

Os parâmtetros foram definidos para cada tipo de ordem de processo conforme abaixo:

80
81
Os mesmos parâmetros foram definidos para os tipos de ordem ZDM2, ZDM3 e ZDM4:

82
10.8. (DIVERSOS) – DEFINIR PERFIL DE CONTROLE DE PRODUÇÃO

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO


->DADOS MESTRE -> DEFINIR PERFIS DE CONTROLE DE PRODUÇÃO.

Transação CORY

Comentários:

Definir a criação de um perfil de produção para cada Tipo de Ordem de processo da DM.

Os perfis que foram criados são:

Onde para cada Perfil de Produção criado, os parâmentros são:

83
10.8. (DIVERSOS) – VALORES PROPOSTOS PARA OPERAÇÕES POR TIPO DE ORDEM

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO ->
SELEÇÃO DE LISTA DE TAREFAS -> DEFINIR VALORES PROPOSTOS.

Transação OPJG

Comentários:
Nesta entrada de menu, o usuário determina quais dados devem estar contidos em uma operação criada automaticamente na
abertura da ordem.

No âmbito da abertura da ordem pode-se determinar que uma ordem seja criada automaticamente se não existir uma prescrição
mestre para o material a ser produzido ou se a prescrição mestre não puder ser selecionada.

84
Os parâmetros para cada tipo de ordem são:

10.9. (DIVERSOS) – CONTROLE DE VERIFICAÇÃO DE DISPONIBILIDADE PARA ORDENS DE PROCESSO

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO ->
OPERAÇÕES -> VERIFICAÇÃO DE DISPONIBILIDADE -> DEFINIR CONTROLE DA VERIFICAÇÃO.

Transação OPJK

Comentários:
Nesta etapa, o usuário define o controle da verificação. A regra de verificação e o grupo de verificação determinam, juntos, a
extensão da verificação.

Os parâmetros para cada tipo de ordem são:

85
10.10. (DIVERSOS) – DEFINIR PARAMETROS DE PROGRAMAÇÃO DE PRAZOS

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO ->
OPERAÇÕES -> PROGRAMAÇÃO -> DEFINIR PARÂMETROS DE PROGRAMAÇÃO DE PRAZOS.

86
Transação OPUZ

Comentários:
Nesta etapa, o usuário determina por centro, tipo de ordem e responsável pelo controle da produção, os parâmetros para a
programação de processo. Isso engloba a atualização

 Dos níveis de programação (programação detalhada, progr.de taxas de produção e progr.global)

 Do ajuste da programação no caso de datas excedidas

 Do controle da programação para programação detalhada

 Redução

Os parâmetros para cada tipo de ordem são:

10.11. (DIVERSOS) – PARÂMETROS DE CONFIRMAÇÃO DE ORDEM DE PROCESSO

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO ->
OPERAÇÕES -> CONFIRMAÇÃO ->DEFINIR PARÂMETROS DE CONFIRMAÇÃO

87
Transação OPK4

Comentários:
Através dos parâmetros de confirmação, o usuário determina:

 Qual tela de entrada será exibida como standard

 Quais dados serão propostos na entrada

 Com que precisão as verificações devem ser efetuadas

Para cada tipo de ordem acima, os parâmetros configurados foram:

88
10.12. (DIVERSOS) – CONTROLE DE IMPRESSÃO DE ORDENS DE PROCESSO

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> ORDEM DE PROCESSO ->
OPERAÇÕES -> DEFINIR CONTROLE DE IMPRESSÃO.

Transação CB85

Comentários:
Nesta etapa, efetuam-se as configurações do sistema para a impressão de documentos provenientes da ordem de processo.

89
10.13. (DIVERSOS) – CHAVE DE CONTROLE P/ CONFIRMAÇÃO

Caminho: IMG: PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO INDÚSTRIA DE PROCESSO -> DADOS MESTRE -> RECEITA ->
MESTRE -> DEFINIR CHAVE DE CONTROLE.

Transação OP67

Comentários:
Nesta etapa, o usuário define as chaves de controle para as operações, as fases e os recursos secundários.

Na chave de controle, o usuário determina quais funções empresariais devem ser executadas para uma operação, uma fase ou
um recurso secundário, através de diversos códigos e chaves. Maiores informações a respeito dos códigos e das chaves podem
ser obtidas na ajuda de campo (F1).
Criar a chave de controle ZPI1 como cópia da PI01, porém considerando a opção confirmação de marco:

90
10.14. (DIVERSOS) – DEFINIR PROGRAMA DE TURNOS

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> PLANEJAMENTO DE CAPACIDADES -> OPERAÇÕES -> CAPACIDADE ÚTIL ->
DEFINIR SEQÜÊNCIAS DE TURNOS.

Transação OP4A

Comentários:
Nesta etapa, o usuário define a seguir:

 Agrupamento

 Plano de pausas de trabalho

 Definição de turno

Agrupamento Z4:

91
Agrupamento Z5:

Agrupamento Z6:

92
10.15. (DIVERSOS) – SELEÇÃO DE CAMPOS EM RECURSOS / CENTRO DE TRABALHO

Caminho: IMG:

Transação OP4A

Comentários:

Situação Anterior:

Modificado para:

93
10.15. (DIVERSOS) – VERIFICAÇÃO DE DISPONIBILIDADE HYPERMARCAS

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> CONTROLE DE PRODUÇÃO -> O PERAÇÕES -> VERIFICAÇÃO DE
DISPONIBILIDADE ->DEFINIR GRUPO DE VERIFICAÇÃO

Transação OVZ2

Comentários:
Nesta etapa, o usuário define os grupos de verificação.

Todo o material a ser incluído na verificação de disponibilidade deve estar atribuído a um grupo de verificação. Esta atribuição
ocorre no registro mestre de material. O grupo de verificação é utilizado para o agrupamento de materiais que devem ser
verificados de acordo com o mesmo critério. Um agrupamento pode ocorrer, por exemplo, de acordo com o tipo de material e/ou
a característica MRP.

Foi criado a chave Z1 p/ verificação de diposnibilidade:

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> CONTROLE DE PRODUÇÃO -> O PERAÇÕES -> VERIFICAÇÃO DE
DISPONIBILIDADE -> DEFINIR ABRANGÊNCIA DA VERIFICAÇÃO

Transação OPJJ

Comentários:

94
Nesta etapa, o usuário define a extensão da verificação. O grupo de verificação e a regra de verificação determinam, juntos, a
extensão da verificação.

Caminho: IMG: PRODUÇÃO -> CONTROLE DE PRODUÇÃO -> O PERAÇÕES -> VERIFICAÇÃO DE
DISPONIBILIDADE -> DEFINIR CONTROLE DA VERIFICAÇÃO

Transação OPJK

Comentários:
Nesta etapa, o usuário define o controle da verificação. A regra de verificação e o grupo de verificação determinam, juntos, a
extensão da verificação.
Os parâmetros configurados para cada tipo e ordem nos centros 0001, 0010 e 0007 foram:

95
Só para a etapa de liberação das ordens...

96