Você está na página 1de 7

Traumatologia Forense

Conceito – A traumatologia estuda as lesões e os estados patológicos, imediatos ou


tardios, produzidos pela ação de energias (violência) sobre o corpo humano.

Energias:
• de ordem mecânica;
• de ordem física;
• de ordem química;
• de ordem físico-química;
• de ordem bioquímica;
• de ordem biodinâmica; e
• de ordem mista.

Energias de ordem mecânica

Conceito - As energias de ordem mecânica são aquelas que, atuando sobre um corpo, são
capazes de modificar o seu estado de repouso ou movimento.

Instrumentos

Ação simples: perfurantes ou punctórios, cortantes e contundentes.

Ação composta: pérfuro-cortantes, pérfuro-contundentes e corto - contundentes.

Instrumentos perfurantes ou punctórios

Os instrumentos perfurantes ou punctórios agem por meio de pressão exercida em um ponto.

As lesões produzidas pelos instrumentos punctóriosou perfurantes são denominadas lesões


punctórias.

Instrumentos cortantes

Os instrumentos cortantes agem por meio de pressão e deslizamento, de forma linear ou oblíqua,
sobre a pele ou tecido dos órgãos. Os melhores exemplos são as lâminas de barbear, as navalhas
e o bisturi. As facas, quando atuam pelo deslizamento da lâmina, podem ser consideradas como
instrumentos cortantes.
As lesões produzidas pelos instrumentos cortantes são denominadas lesões incisas.

Esgorjamento, degola e decapitação

São lesões de natureza geralmente incisas localizadas no pescoço (Delton Croce).

O esgorjamento é a lesão localizada na região anterior do pescoço.

A degola na região posterior.

A decapitação é a separação da cabeça do corpo.


Instrumentos contundentes
Os instrumentos contundentes são todos aqueles que agem pela ação de uma superfície. Podem
ser sólidos, líquidos ou gasosos desde que atuem por pressão, explosão, torção, distensão,
descompressão, arrastamento ou outro meio, como por exemplo, as mãos, um tijolo, um
automóvel, jato de ar, a superfície de água de uma piscina etc.
Os instrumentos contundentes produzem lesões contusas, geralmente encontradas nos acidentes
de automóvel, nos desabamentos, lutas corporais e outros.

Equimoses

Equimoses são lesões contusas cuja intensidade depende do instrumento e do grau de violência
com que foi aplicado.
São as comumente chamadas manchas roxas, e aparecem em razão do rompimento de vasos
sanguíneos superficiais ou profundos.
As equimoses superficiais apresentam uma sucessão de cores denominada de espectro
equimótico, cuja evolução obedece ao quadro a seguir:

Espectro equimótico

Dias Cor
1º vermelho escuro
do 2º ao 3º violeta
do 4º ao 6º azulado
do 7º ao 10º verde-escuro
do 11º ao 12º verde-amarelado
do 12º ao 17º amarelado
do 18º ao 21º desaparece

Instrumentos pérfuro-cortantes

Os instrumentos pérfuro-cortantes são aqueles geralmente dotados de ao menos uma ponta e


pelo menos uma lâmina ou gume. Inicialmente o instrumento pérfuro-cortante age afastando as
fibras e facilitando a penetração, para depois seccioná-las. O melhor exemplo de instrumento
pérfuro-cortante são as facas.
As lesões produzidas pelos instrumentos pérfuro-cortantes denominam-se pérfuro-incisas, e tem
como característica, geralmente serem mais profundos que largos.

Instrumentos pérfuro-contundentes

Instrumentos pérfuro-contundentes são aqueles que agem inicialmente por pressão em uma
superfície e posteriormente perfuram a região atingida.
As lesões produzidas pelos instrumentos pérfuro-contundentes são denominadas pérfuro-
contusas e são as lesões típicas dos projéteis de arma de fogo, não obstante não sejam eles os
únicos agentes capazes de produzir este tipo de ferimento.
Estudaremos estas lesões quando estudarmos os ferimentos por projéteis de arma de fogo.

Instrumentos corto - contundentes

Os instrumentos corto - contundentes são aqueles que atuam por pressão exercida sobre uma
linha, como, por exemplo, o machado, um golpe de facão desferido com a lâmina, o cutelo etc.
As lesões produzidas pelos instrumentos corto - contundentes são denominadas corto - contusas.
Lesões lácero-contusas ou lacerantes

É bastante freqüente encontrarmos em laudos periciais designação de ferimentos lacerantes ou


lácero-contusos.
Para a maioria dos autores, não existem ferimentos dilacerantes, contuso-dilacerantes, perfuro
-dilacerantes ou corto - dilacerantes, precisamente porque não existem instrumentos dilacerantes.
Os ferimentos lácero-contusos, freqüentemente mencionados em laudos periciais, nada mais são
que soluções de continuidade de grandes proporções produzidas pela ação de agentes
contundentes.
Essa espécie de ferimento é freqüentemente encontrada em acidentes de trânsito ou em
precipitações.

Energias de ordem mecânica

Ação Instrumento Lesão Exemplo


Simples Perfurante Punctória Agulha, estilete.
Cortante Incisa Navalha e gilete.
Contundente Contusa Mãos, tijolo.
Composta Pérfuro-cortante Pérfuro-incisa Facas
Pérfuro-contundente Pérfuro-contusa Projétil - arma fogo
Corto - contundente Corto-contusa Machado, cutelo

Energias de ordem física

São energias capazes de modificar o estado físico dos corpos causando lesões ou
mesmo a morte. As mais comuns são:
• temperatura;
• pressão;
• eletricidade;
• radioatividade;
• luz;
• som.

Lesões produzidas pelo calor

 Calor/ frio

 Calor quente

 Difuso – termonoses
• insolação
• intermação
1
 Direto - queimaduras
2
 Oscilações de temperatura

Lesões produzidas pelo calor/ frio


As lesões produzidas pelo frio, geladuras, têm aspecto pálido e anserino (relativo ou semelhante a
pato ou ganso), frequentemente evoluindo para isquemia e necrose ou gangrena.
Na Primeira Guerra Mundial eram comuns as lesões produzidas pelo frio, particularmente
atingindo os membros inferiores dos soldados e, por isso, denominadas de pés de trincheira.

Geladuras:

1º Grau – eritema,
2º Grau – flictenas e
3º Grau – necrose ou gangrena.

Lesões produzidas pelo calor/ quente

O calor quente pode atuar sobre o corpo humano de forma difusa ou direta.
Atua de forma difusa quando a fonte de calor não incide diretamente sobre a área atingida, mas
sim tornando o meio ambiente incompatível com os fenômenos biológicos.
A forma de calor difuso produz os quadros conhecidos como termonoses, compreendendo a
insolação e a intermação.
Quando o calor quente age de forma direta sobre o organismo, produz as queimaduras.

Lesões produzidas pela pressão

Em condições normais podemos suportar pressão de aproximadamente 1 (uma) atmosfera ou 760


mm da Hg (pressão ao nível do mar).
Os principais fenômenos resultantes das alterações de pressão são: Diminuição da pressão: Mal
das montanhas ou dos aviadores;
Aumento da pressão: Doenças dos caixões ou mal dos escafandristas; e Barotraumas.

Lesões produzidas pela eletricidade

 Eletricidade natural ou cósmica:


• fulminação – morte; e
• fulguração – lesões corporais.
 Eletricidade artificial ou industrial:
• eletroplessão – acidental (morte ou lesões); e
• eletrocussão – execução de um condenado.

Sinal de Lichtemberg

As lesões produzidas pela fulguração ou fulminação, tomam aspecto arboriforme, denominadas


de sinal de Lichtemberg, decorrentes de fenômenos vasomotores, que podem desaparecer com o
tempo em caso de sobrevivência.

Marca elétrica de Jellinek

A eletricidade artificial produz, no local de entrada, uma lesão que com freqüência assume a forma
do condutor elétrico que originou a descarga. É uma lesão de bordas elevadas e coloração
amarelo esbranquiçada e indolor, que recebe a denominação de marca elétrica de Jellinek.
Lesões produzidas pela radioatividade

Alguns dos efeitos sobre o organismo são:

• alterações genéticas;
• vários tipos de câncer;
• alterações da espermatogênese; e
• alteração das células do sangue produzindo hemorragias acentuadas em vários pontos do
organismo.

Lesões produzidas pela luz

A luz, dependendo da intensidade, também pode ocasionar lesões no corpo humano,


particularmente relacionadas com alterações ou até mesmo perda da visão por dano irreversível
no nervo ótico.
A luz tem forte influência sobre o psiquismo humano, razão pela qual a polícia utilizou, durante
longo período, o chamado terceiro grau, técnica de interrogatório onde o interrogando é colocado
debaixo de um holofote que lhe ofusca a visão.

Lesões produzidas pelo som

As ondas sonoras, ou ondas de pressão, nada mais são que a propagação de um distúrbio
mecânico através de um meio elástico como o ar.
Segundo o anexo n.º1 da NR-15, os limites de tolerância para ruído contínuo ou intermitente
(assim considerados os que não sejam de impacto), são:

Tempo máximo de exposição Db


8 horas 85
3 horas 92
1 hora 100
30 minutos 105
15 minutos 110
10 minutos 112
7 minutos 115

Energias de ordem química


São aquelas que atuam nos tecidos vivos através de substâncias que provocam alterações de
natureza somática, fisiológica ou psíquica, podendo levar inclusive à morte.

Compreendem:

 cáusticos ou corrosivos:
• coagulantes – desidratação; e
• liquefacientes – dissolução dos minerais.
0
 venenos ou tóxicos - substâncias de qualquer natureza que, uma vez introduzidas no
organismo e por ele assimiladas e metabolizadas, podem levar a danos da saúde física ou
psíquica inclusive a morte..
Cáusticos são as substâncias que, colocadas em contato com um tecido orgânico, reagem
produzindo desorganização. Podem ter ação externa ou interna.

São coagulantes os ácidos fortes (sulfúrico, clorídrico, nítrico), sais metálicos (nitrato de prata,
permanganato de potássio), essências como terebentina e sabina.

Os coagulantes desidratem os tecidos, formando escaras endurecidas, de cores diferentes na


dependência da substância.

Os liquefacientes são os álcalis, como a soda cáustica.

Provocam escaras úmidas e amolecidas

Sua ação depende da natureza química da substância, da concentração e da região atingida.

Ácidos e álcalis diluídos não danificam a pele. Uma substância que não produz dano à pele pode
lesar irreparavelmente a córnea, por exemplo. Importa também o tempo de contato entre a
substância e o tecido atingido.

Energias de ordem físico-químicas

Morte por enforcamento

O enforcamento pode ser definido como a constrição do pescoço por baraço mecânico(corda ou
cordel) acionado pela força peso do próprio corpo, que pode estar em suspensão completaou
incompleta.
 Características do sulco:

• geralmente é oblíquo;
• descontínuo, sendo interrompido na altura do nó;
• desigualmente profundo.

Estrangulamento

O estrangulamento pode ser definido como a constrição do pescoço por baraço mecânico(corda
ou cordel) acionado por força estranha ao peso do próprio corpo.
 Características do sulco:
• transversal e horizontal, podendo eventualmente ser oblíquo; e
• contínuo e homogêneo em relação à profundidade, já que não existe o nó típico do
enforcamento.

Esganadura

A esganadura é a asfixia mecânica pela constrição Antero - lateral do pescoço produzida pela
ação direta das mãos do agente.
Não há sulco, que cede seu lugar para marcas ungueais (de unhas) e diversas escoriações,
equimoses hematomas. Com certa freqüência é notada a fratura do hióide.

Sufocação
A sufocação é a asfixia mecânica decorrente do bloqueio direto ou indireto das vias respiratórias,
impedindo a penetração do ar.

Sufocação

 Direita ou ativa:
• oclusão dos orifícios das vias aéreas;
• oclusão das via aéreas,
• soterramento,
• confinamento.

 Indireta ou passiva:
• compressão do tórax.

Colocação da vítima em meio líquido Afogamento

O afogamento é a modalidade de asfixia mecânica em que há penetração de líquido pelas vias


aéreas.
Não há necessidade de imersão total do corpo, bastando que as vias aéreas estejam submersas,
cobertas pelo líquido, impedindo a respiração.
É freqüente a simulação de afogamento, quando a vítima é atirada na água já sem vida. Por esse
motivo, a divisão entre afogado azulou real e afogado branco ou falso afogado, situação em que o
corpo é atirado na água depois de morto.

Energias de ordem bioquímica

As energias de ordem bioquímica são aquelas que se manifestam de modo combinado, havendo
fatores orgânicos e químicos.

Negativas: Inanição, Doenças carenciais.

Positivas: Intoxicações alimentares, Auto – intoxicações, Infecções.

Energias de ordem mista

Dentro do conceito de energias de ordem mista podemos agrupar todas aquelas situações em
que para a produção da lesão concorrem causas variadas.
 Fadiga:
• Aguda e
• Crônica.

 Doenças parasitárias

 Sevícias:
• Síndrome da criança maltratada
• Síndrome do ancião maltratado
• Tortura