Você está na página 1de 26

...............................................................................................................................

ENGENHARIA CIVIL – EDIFICAÇÕES, MATERIAIS E TÉCNICAS

CALEBE CASTELO DOS SANTOS - 514892019

PROJETO DE UM TEMPLO MULTIRELIGIOSO

........................................................................................................................................
Araçatuba
2020
CALEBE CASTELO DOS SANTOS

PROJETO DE UM TEMPLO MULTIRELIGIOSO

Trabalho apresentado ao Curso Engenharia Civil do


Centro Universitário ENIAC para a disciplina Engenharia,
Tecnologia e Design/Projeto Integrador.

Prof. Allan Miranda Pereira e Danielly Arcine de Souza

Araçatuba
2020
RESUMO

Este trabalho consiste em um projeto para construção de um templo


multireligioso, cujos objetivos consistem em projetar um espaço coerente com o culto
a qualquer religião, que seja funcional e significativo. Também visa dar o devido
destaque para as partes que compõem o edifício, destacando os materiais utilizados
para sua construção. Será apresentado o conceito de algumas edificações com o
proposito ecumênico que possuem destaque no mundo. O local escolhido para
edificação foi um terreno, no bairro Jardim Santa Clara, na cidade de Lins-SP. Para
elaboração deste projeto foram utilizadas as metodologias pesquisa bibliográfica e
documental, e a metodologia de planejamento para elaboração do anteprojeto será
embasada a partir das análises projetuais, aliadas ao resultado do levantamento da
área. Será apresentado a maquete eletrônica do templo e os desenhos do projeto. O
resultado final será a apresentação de um projeto arquitetônico harmonioso e
funcional.

Palavras-chave: Templo. Projeto. Multireligioso. Maquete.


SUMÁRIO

RESUMO..................................................................................................................... 2
SUMÁRIO.................................................................................................................... 3
1 INTRODUÇÃO ..................................................................................................... 5
1.1 Objetivos ........................................................................................................ 7
1.1.1 Objetivo geral........................................................................................... 7
1.1.2 Objetivos específicos ............................................................................... 7
1.2 Metodologia .................................................................................................... 7
2 DESENVOLVIMENTO ......................................................................................... 8
2.1 Área................................................................................................................ 8
2.2 Estrutura......................................................................................................... 9
2.3 Fachada ......................................................................................................... 9
2.4 Revestimentos e pisos ................................................................................... 9
2.5 Iluminação .................................................................................................... 10
2.6 Conforto térmico e acústico .......................................................................... 10
2.7 Acessibilidade .............................................................................................. 10
2.8 Área externa ................................................................................................. 10
3 CONSIDERAÇÕES FINAIS ............................................................................... 11
REFERÊNCIAS ......................................................................................................... 13
APÊNDICE A – PLANTA DE SITUAÇÃO.................................................................. 14
APÊNDICE B – IMPLANTAÇÃO ............................................................................... 15
APÊNDICE C – PLANTA BAIXA HUMANIZADA ...................................................... 16
APÊNDICE D – PLANTA BAIXA DOS BANHEIROS E SALA DE APOIO................. 17
APÊNDICE E – PLANTA BAIXA DO TEMPLO ......................................................... 18
APÊNDICE F – CORTE AA....................................................................................... 19
APÊNDICE G – CORTE BB ...................................................................................... 20
APÊNDICE H – FACHADA 01 .................................................................................. 21
APÊNDICE I – FACHADA 02 .................................................................................... 22
APÊNDICE J – MAQUETE ELETRÔNICA ................................................................ 23
APÊNDICE K – MAQUETE ELETRÔNICA ............................................................... 24
APÊNDICE L – MAQUETE ELETRÔNICA................................................................ 25
5

1 INTRODUÇÃO

Atualmente, vivemos em um mundo com uma grande diversidade de religiões,


cada uma com seus costumes e crenças particulares. Em seu artigo XVIII, a
Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948, p. 10) garante a liberdade de
religião a todos o ser humano. “Este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou
crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática,
pelo culto e pela observância, em público ou em particular”.
Normalmente, cada religião possui o seu próprio templo, respeitando as suas
simbologias e costumes. Porém, está se tornando cada dia mais comum a criação de
espaços em que praticantes de religiões diferente possam se reunir para expressar
sua fé. Esses locais são conhecidos como templo ecumênico ou templo
multirreligioso. Abaixo, apresentaremos três exemplos de templos ecumênicos, cada
um com suas particularidades quanto à arquitetura e objetivo:
 Templo Bahá’í: localizado no Chile e projetado pelo canadense Siamak
Hariri, capaz de abrigar seiscentas pessoas, tem o objetivo de abrigar
todas as religiões, porém é fundamentada em uma fé monoteísta. Tem
um formato ovalado em espiral, com nove entradas, cada qual
simbolizando uma direção do globo.
Figura 1 - Templo Bahá’í

Fonte: http://www.vibracom.com.br/conheca-a-arquitetura-de-templos-ecumenicos-onde-prevalece-o-
respeito-a-todas-as-religioes/
 Templo da paz: projeto de MCA Manoel Coelho Arquitetura & Design,
essa pequena capela está localizada dentro do Centro Universitário
Positivo, em Curitiba, Paraná. Tem o objetivo de ser um lugar de paz e
meditação, desvinculado de qualquer doutrina, para funcionários e
6

alunos do campus. Fica situada sobre um lago e suportada por


tubulões, que apoiam a estrutura. É acessada por uma passarela de
malha de aço, e possui uma fachada de vidro e brises em alumínio.
Figura 2 - Templo da paz

Fonte: http://www.vibracom.com.br/conheca-a-arquitetura-de-templos-ecumenicos-onde-prevalece-o-
respeito-a-todas-as-religioes/
 House of One: este ainda está em construção e será o primeiro templo
no mundo capaz de reunir, sob o mesmo teto e ao mesmo tempo, fiéis
de diferentes religiões. Projetado pelo escritório de arquitetura Kuehn
Malvezzi e situado na Praça Petriplaz, no centro histórico de Berlim, na
Alemanha, o edifício possui três dependências independentes (uma
sinagoga, uma mesquita e uma igreja). Cada sala formará uma das
fachadas do edifício, de características únicas e resultantes de
aberturas inspiradas nas crenças de cada doutrina.
Figura 3 - House of One

Fonte: http://www.vibracom.com.br/conheca-a-arquitetura-de-templos-ecumenicos-onde-prevalece-o-
respeito-a-todas-as-religioes/
7

1.1 Objetivos

1.1.1 Objetivo geral

O objetivo geral deste trabalho é projetar um templo multireligioso, detalhar os


materiais utilizados em sua estrutura e acabamento e escolher o local onde o projeto
deve ser implantado.

1.1.2 Objetivos específicos

 Projetar um templo multireligioso, livre de qualquer simbologia que


identifique qualquer religião específica, mas que transmita paz e
harmonia, e possa se um local de encontro entre fiéis e ateus;
 Escolher um local para implantação do projeto, de fácil acesso, e que
possa ser de interessante para as pessoas professarem sua fé;
 Detalhar os materiais usados na estrutura e no acabamento, de forma
que tenhamos um prédio seguro e agradável;
 Apresentar todos os desenhos e medidas do projeto.

1.2 Metodologia

A pesquisa para a obtenção de dados e desenvolvimento desse trabalho


iniciou-se com consultas bibliográficas sobre as igrejas edificadas com o intuito de
atender a várias religiões, analisando as abordagens da arquitetura do espaço
sagrado com o mesmo fim. Foi pesquisado projetos variados de igrejas, de forma
qualitativa e quantitativa para obtenção de dados, planejamento da pesquisa e
levantamento da área.
A partir das análises projetuais, aliadas ao resultado do levantamento da área, e
às pesquisas quantitativas e qualitativas foi idealizado o volume de massas para
finalmente ser elaborado o anteprojeto da igreja.
8

2 DESENVOLVIMENTO

Ao deixarmos de lado toda e qualquer simbologia e iconografia de religiões


específicas, torna se necessário atentarmos para alguns fatores importantes que tornarão
o templo interessante e agradável aos seus frequentadores. É preciso que o projeto uma
arquitetura que proporcione uma conexão espiritual. Para isso, torna se necessário que
se explore os elementos arquitetônicos, trazendo destaque para a iluminação, acústica e
materialidade, entre outros, para que se torne possível a concepção de um espaço que
seja destinado a todos e que nos traga essa percepção de uma arquitetura sensível.

2.1 Área

A área onde o templo será inserido está localizado na cidade de Lins, São
Paulo, mais especificamente no bairro Jardim Santa Clara, próximo ao Centro
Universitário de Lins, Hospital maternidade São Lucas e o 37º Batalhão de Infantaria
Leve.
A escolha da área se deu por estar bem localizado em um bairro residencial,
possibilitando o atendimento dos moradores e do público frequentador das unidades
citadas, além de estar situado na avenida Nicolau Zarvos, umas das principais
avenidas da cidade, proporcionando fácil acesso a frequentadores provenientes de
outras localidades.
Figura 4 – Terreno

Fonte: Google Earth


9

2.2 Estrutura

A construção da igreja assume uma forma trapezoidal para acompanhar a


forma irregular do terreno e assim, proporcionar o melhor aproveitamento do mesmo,
porem o salão principal será retangular e a parte disforme será usado na estrutura dos
banheiros e na sala de apoio. Sua parte estrutural será constituída de concreto
armado, com fechamento em alvenaria. Sua cobertura também irá possuir uma laje
em concreto armado. Deverá possuir uma sala maior para celebrações onde estará
os acentos e um palco para celebrações. Ao lado do salão haverá uma sala de apoio
para celebrações e reuniões. Ao lado do salão também ficara posicionado quatro
banheiros, sendo dois para portadores de necessidades especiais.

2.3 Fachada

A fachada principal terá revestimento em porcelanato acetinado, que possui


um leve brilho causando um contraste com um pórtico de concreto que terá o
revestimento em grafiato. Esse pórtico proporcionará um visual convidativo para a
construção.

2.4 Revestimentos e pisos

O piso dos banheiros, assim como seu revestimento será em porcelanato


struturado, que possui uma superfície levemente abrasiva e é indicada para áreas
úmidas. O salão principal também terá o piso em porcelanato, porém do tipo
porcelanato polido. Já o piso do altar, bem como a parede do fundo e o teto, será
revestido em porcelanato que imita madeira causando o “efeito caixa”, uma tendência
moderna que consiste em aplicar o mesmo revestimento no piso, parede e teto
trazendo uma sensação de profundidade, amplitude e continuidade. Diego Revollo,
arquiteto que usa essa técnica em seus projetos, destaca que um cuidado especial
deve ser observado no assentamento de porcelanato no teto devido ao próprio peso
do material. Além do cuidado na escolha da argamassa colante, deve se certificar que
a estruturação do forro irá suportar esse aumento superficial de carga.
10

2.5 Iluminação

A iluminação natural faz-se presente por rasgos retangulares, próximo ao teto,


localizado sobre a faixada principal. O rasgo será fechado em vidro, mas permitirá a
passagem de luz.
Já a iluminação artificial está presente nas luminárias embutidas no forro, e
em duas sancas de gesso que ficará no teto e na parede do fundo, que além de ajudar
na iluminação do salão, irá agregar um grande valor estético junto ao “efeito caixa”.

2.6 Conforto térmico e acústico

A fachada recebe incidência dos raios solares na maior parte do dia. Para
amenizar o calor, o uso de aparelhos de ar condicionado será indispensável para essa
edificação.
Para uma boa acústica dentro da igreja o forro é de gesso acartonado, com
orifícios, próprio para evitar a reverberação do som.

2.7 Acessibilidade

Neste projeto a acessibilidade foi priorizada primeiramente na escolha do


terreno praticamente plano. Isto possibilitou a elaboração do projeto com os ambientes
principais sem escadas. O projeto conta com dois sanitários à esquerda do átrio,
destinados às pessoas com mobilidade reduzida, dentro dos padrões estabelecidos
pelas normas da NBR 9050. Nas áreas de circulação externa foi previsto um piso de
concreto, Inter travado e rampas entre a rua e passeios, em locais estratégicos,
favorecendo a mobilidade de portadores de necessidades especiais.

2.8 Área externa

Todo o limite do terreno, no entorno da igreja, é aberto e convidativo. A área


destinada à circulação e confraternização é de 350 m², o que possibilita ampliações
futuras. O piso da área externa é de concreto, do tipo Inter travado. Alguns canteiros
também serão posicionados para proporcionar um visual mais atrativo.
11

3 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Apesar do ecumenismo ainda possuir uma certa resistência por uma boa
parcela da sociedade, a aceitação desta pratica vem aumentando nos últimos anos.
Com o objetivo de promover essa prática, construções de templos destinados a
atender a vários tipos de religião estão se tornando cada dia mais comum. Existe uma
forma variada de projetos nesse sentido. Uns só para meditação, outros para reunião
em horários conjuntos, outros em horários reservados para cada crença, e até mesmo
os que tem dois ou três salões na mesma edificação reservado a religiões específicas.
Porém o objetivo de todos eles é sempre o de promover a aceitação e união a todos
os que creem de forma diferente. Com o desenvolvimento teórico apresentado neste
trabalho, pode se constatar a importância de edificações religiosas para que esse
objetivo possa estar sempre sendo praticado.
Espaços para fins ecumênicos devem oferecer um local de paz, tranquilidade
e reflexão. Para tanto, devem atender às necessidades de usuários das mais variadas
crenças, tornando-o funcional e agradável para seu uso. O caráter da arquitetura é
conferido pelo equilíbrio entre as questões objetivas e subjetivas da ambiência, e
interfere nas sensações e percepção dos usuários.
Este trabalho possibilitou o melhor entendimento da questão arquitetônica
religiosa, e para atingir os objetivos propostos neste projeto de construção de um
templo multireligioso, com uma identidade própria, funcional, acolhedora e que de fato
seja frequentado, foi necessário analisar vários projetos arquitetônicos de templos,
afim de entender a sensibilidade ao culto que cada religião pode necessitar.
Outro fato importante em um projeto arquitetônico é a escolha do terreno.
Neste projeto, buscou-se um terreno próximo a locais com frequentação de jovens e
pessoas carentes de um apoio espiritual, além desse buscar um local de fácil acesso.
Fica evidente que a escolha de um terreno para um empreendimento pode determinar
o sucesso ou o fracasso de todo o trabalho.
Para os desenhos da estrutura e a maquete eletrônica, foram utilizados os
programas autoCAD e sketchup. Apesar de todos os desenhos poderem ser feitos de
forma manual, fica evidente que programas de computadores trouxeram um grande
avanço para a arquitetura. Atualmente todo profissional deve ter conhecimento destes
programas, afim de poder apresentar um trabalho de qualidade ao seu cliente. Um
12

destaque especial ao sketchup, que foi utilizado na maquete, e através dele pode se
trabalhar com materiais de acabamentos reais, incluir elementos paisagísticos e
humanizado, trabalhar com iluminação e várias outras ferramentas muito uteis que
proporciona um visual bem próximo de como ficará a construção quando finalizada.
Destacando-se por linhas retas e elegantes, o resultado final foi um projeto
arquitetônico harmonioso e funcional, não só do ponto de vista estético, mas
apresentando os aspectos indispensáveis à um templo ecumênico.
13

REFERÊNCIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 9050. Acessibilidade a


edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. 3. ed. Rio de Janeiro, 2015.

ARCHTRENDS PORTOBELLO. Criatividade nas alturas: saiba como elaborar um


teto decorado. [S.I.], 2018. Disponível em <https://archtrends.com/blog/teto-
decorado/>. Acessado em 25 de maio de 2020.

BLOG DA ARQUITETURA. Conheça a arquitetura de templos ecumênicos onde


prevalece o respeito a todas as religiões. [S.I.], 2017. Disponível em
<https://www.blogdaarquitetura.com/conheca-a-arquitetura-de-templos-ecumenicos-
onde-prevalece-o-respeito-a-todas-as-religioes/>. Acessado em 23 de mar de 2020.

CASTELLI PORCELANATO. Do piso ao teto – você já ouviu falar do ‘efeito caixa’?


[S.I.], 2018. Disponível em: <https://castelliporcelanato.com.br/do-piso-ao-teto-voce-
ja-ouviu-falar-do-efeito-caixa/>. Acesso em 25 de maio de 2020.

FONTES, Fernanda Alves. Templo ecumênico: arquitetura religiosa. Ribeirão Preto:


Estácio UNISEB, 2018.

HOUSE OF ONE. Das konzept. Berlin: house o one, 2018 ou 2019. Disponível em
<https://house-of-one.org/de/konzept>. Acessado em 23 de mar de 2020.

KOLB, Bettina. Berlim abrigará primeiro templo do mundo a reunir sinagoga,


mesquita e igreja. [S.I.], 2014. Disponível em <https://www.dw.com/pt-br/berlim-
abrigar%C3%A1-primeiro-templo-do-mundo-a-reunir-sinagoga-mesquita-e-igreja/a-
17683699>. Acessado em 23 de mar de 2020.

ONU – Organização das nações Unidas. Declaração universal dos direitos humanos.
Rio de Janeiro: UNIC, 2009 [1948]. Disponível em: <https://nacoesunidas.org/wp-
content/uploads/2018/10/DUDH.pdf>. Acesso em: 23 de mar de 2020.

PASTINA, Ana Claudia; DURÇO, Paola D'eva. Efeito caixa é tendência na


decoração. [S.I.]: Itmãe, 2017. Disponível em < https://itmae.com.br/casa/decor-e-
reforminha/efeito-caixa-e-tendencia-na-decoracao>. Acessado em 25 de maio de
2020.
14

APÊNDICE A – Planta de situação


15

APÊNDICE B – Implantação
16

APÊNDICE C – Planta baixa humanizada


17

APÊNDICE D – Planta baixa dos banheiros e sala de apoio


18

APÊNDICE E – Planta baixa do templo


19

APÊNDICE F – Corte AA
20

APÊNDICE G – Corte BB
21

APÊNDICE H – Fachada 01
22

APÊNDICE I – Fachada 02
23

APÊNDICE J – Maquete eletrônica


24

APÊNDICE K – Maquete eletrônica


25

APÊNDICE L – Maquete eletrônica