Você está na página 1de 4

7 Questões propostas: a) conceituar latifúndio; Apartirdessaexposição,discutirporqueoautorserefere

b) explicar como os critérios para determinar a grande ànão-democraciabrasileira.


propriedade rural variam conforme a região ou o país; c) Quantoaoaspectosubstancial,analisarasestatísticasque
analisar o crescimento do latifúndio no Brasil nas últimas
décadas,bemcomoaentradadasempresasestrangeiras
comprovamaexclusão;quantoaoaspectoformal,emboratenhamos
alcançadoprogressosemrelaçãoaoperíododaditaduramilitar,
avaliarasdistorções,porexemplo,quantoàrepresentatividadeno
Violência no campo
comolatifundiárias;d)discutirporqueaextensãodeáreas
aproveitáveis inexploradas (os latifúndios improdutivos)
seconfiguratambémcomoumproblemaético.
Congresso,àelaboraçãodasleisetc.
o latifúndio e a reforma agrária
Dissertação
8 Nos anos 2003/2004 tivemos uma supersafra, a
maior já obtida no Brasil. No entanto, não atenuado o Tema 1: O Brasil poderia ser o maior produtor de
problema da fome ou da carestia de alimentos. Explicar alimentos se...
os motivos. Tema2:Comofomentarareformaagráriaeincentivar Júlio José Chiavenato
9 De 1940 a 2000 a população rural diminuiu à afixaçãodotrabalhadornocampo?
medidaqueaurbanaaumentou. Alémdisso,temcrescido
o número de lavradores estabelecidos na periferia das Pesquisa
cidades, trabalhando como bóias-frias e arregimentados
pelos “gatos”.Apartir desses fatos, atender às questões: • Dividir a classe em grupos, incumbindo cada um
a) o que são bóias-frias e “gatos”; b) explicar os motivos delesdelevantardadossobreasorganizaçõesrelacionadas Orientações pedagógicas e Sugestões de atividades
desse êxodo rural; c) analisar as conseqüências sociais a seguir, elaborando posteriormente um relatório crítico Maria Lúcia de Arruda Aranha
para o trabalhador, quanto às condições de moradia e sobre sua atuação: 1) Movimento dos Trabalhadores
alimentação,àsobrigaçõestrabalhistaseàperdadevalores RuraisSemTerra(MST);2)UniãoDemocráticaRuralista
culturais e morais próprios de sua vida no campo. (UDR); 3) Instituto Nacional de Colonização e Reforma
Agrária (Incra); 4) Comissão Pastoral da Terra (CPT).
10Analisar os indicadores sociais pesquisados pelo AOBRA
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que
revelamaremuneraçãodocamponês,otipodemoradia,
Sugestões do autor para leituras
as condições sanitárias, o atendimento de saúde e edu-
cação.Apartirdosdados,discutiraquestãodaexploração
complementares
O srelatosdosconflitosnocampoapresentadospelamídiageralmentesãomarcadospelaemoçãoea
superficialidade, impedindo a análise crítica das raízes desse fenômeno. Nessa obra, ao contrário, o autor
AlbertoPassosGuimarães.Quatroséculosdelatifúndio,
do trabalhador rural como uma forma de violência no Ed. Paz e Terra. O autor faz uma análise global do examina a violência no campo como reflexo da nossa injusta estrutura social, conseqüência de uma das
campo. problemadapossedaterradesdeoiníciodacolonização, maiores concentrações de rendas e terras do mundo: o Brasil tem o maior sistema latifundiário da história
11 Analisandoocrescimentosignificativodaeconomia demonstrando como o latifúndio ainda dita leis e regras. da humanidade, situação que produz miséria e violência social. Se a reforma agrária se impõe como
brasileiranosúltimos50anos,CelsoFurtadodisseque“o MariaConceiçãod’IncaoeMello.Obóia-fria,acumulação necessidadeurgenteparaqueosexcluídosrecuperemadignidadedacidadaniaplena,noentanto,ocruel
Brasil não se desenvolveu; modernizou-se. O desenvol- emiséria,Ed.Vozes.Aoinvestigaroprocessodeexploração sistema de dominação instalado tem se mantido por aqueles que não querem perder privilégios que
vimentoverdadeirosóexistequandoapopulaçãoemseu do trabalhador rural pelos grandes latifúndios, merece remontam ao passado colonial. Os poderes constituídos, se não são cúmplices, atuam em consonância
conjuntoébeneficiada”. Explicarosignificadodaafirmação destaque o bóia-fria como símbolo da violência exercida com a estrutura de classes, incapazes de enfrentar o latifúndio improdutivo, o que solucionaria problemas
usandodadosatuaisreferentesàdistribuiçãoderendaseterras, sobreossem-terra. como o êxodo rural, a exploração do trabalhador do campo, a fome e a carestia de alimentos.
bemcomooimpactodafome. MelhemAdas. Afome — Crise ou escândalo?, Ed.
12 O jurista e filósofo Norberto Bobbio distingue dois Moderna. O autor analisa a fome no Brasil e no mundo, Júlio José Chiavenato Pesquisadoreautordediversasobras,comoAslutasdopovobrasileiro—do “descobrimento”
aspectosdaordemdemocrática:oformal,queconsistenas como decorrência de sistemas sociais injustos que aCanudos,ÉticaglobalizadaesociedadedeconsumoeOgolpede64eaditaduramilitar,
“regrasdojogo”queestabelecemos meios pelosquaisa privilegiam as elites socioeconômicas. todos pela Editora Moderna.
democraciaseexerce(votosecretoeuniversal,autonomia HélioBicudo.Violência–oBrasilcruelesemmaquiagem,
dospoderes,representatividade,liberdadedeexpressão, Ed. Moderna. O autor parte da análise da migração rural
pluralismo etc.), e o substancial, que diz respeito aos fins e do inchaço das cidades para explicar por que o Brasil é
quesãoalcançados(igualdadejurídica,socialeeconômica). um dos mais violentos países do mundo.

4
TEMASABORDADOS nifica estabelecer um diálogo com o autor, concordando Interdisciplinaridade
ounãocomalgumasargumentaçõesdesenvolvidas,an-
tepondoaelasassuasprópriasvisõesdemundo. Ainterdisciplinaridade é a tentativa de superar a com-
• As raízes da violência • Trabalho infantil e trabalho escravo • A má distribuição da terra • A ineficácia das leis
partimentalização das disciplinas, integrando os conhe-
• Monocultura X policultura • Reformas agrárias incipientes • O que é o latifúndio • A exploração da Amazônia Problematização cimentosesparsosemumavisãoholística,global.Defato,
• O êxodo rural e os bóias-frias • Condições de vida do camponês
Aproblematizaçãoéumaespéciedecoroamentodotra- se no mundo contemporâneo até as ciências rompem
balho intelectual de decifração de um texto. Nessa fase é fronteirascomacriaçãodaschamadasciênciashíbridas,
importanteacontextualização,pelaqualasinformaçõeseos tambémosestudantesprecisamampliaroolharalémdos
ORIENTAÇÕESPEDAGÓGICAS conceitossãoconfrontadoscomnossaexperiênciadevida, enfoques precisos de uma determinada disciplina, des-
comosproblemasaseremenfrentados,identificandoas cobrindo a complementaridade entre as áreas do saber.
O ssuplementosqueacompanhamoslivrosdaCole- Em função dos avanços tecnológicos e da constitui- ressonânciasprovocadaspelaleitura,vivificando-as,poras-
simdizer.Denadaadiantaacumularconhecimentossees-
Evidentemente,aordempelaqualexpusemosessesdi-
versospassoséapenasdidática,cabendoaoleitornãodes-
çãoPolêmicatêmafinalidadedeauxiliarotrabalhoemsala çãodeumasociedadeinformatizada,asprofissõesnas-
deaula,dandosubsídiosparaomelhoraproveitamentodo cem e se modificam com velocidade surpreendente, e o tesnãonosserviremparanossocotidiano.Sóassimpodere- prezaressasetapas,masexercitá-lassemprequepossível.É
texto.Aindamaisquandosetratadeobrasdeleituracom- excessodeinformaçõesdisponívelexigeumaeducação mosdarsignificadosaomundoeànossaprópriarealidade. dentrodesseespíritoquesugerimosasquestõesseguintes.
plementar,quevisamjustamenteaprofundaroconhecimen- diferente da tradicional.
to,ampliarolequedeanálisespossíveisdedeterminados Dizendo de outro modo, no mundo do trabalho preci-
temaseabrirohorizontedosalunosemmúltiplasdireções. samosdepessoasquetenhamflexibilidadeparaenfrentar SUGESTÕESDEATIVIDADES
Aproveitandoasmudançasocorridasnareformulação rapidamentesituaçõesnovas,comcapacidadeinventivae
espírito de grupo. Diante da avalanche de informações,
dos títulos da Polêmica, como atualização das informa-
ções,revisãodosconteúdos,mudançasgráficasevisuais, queelassejamcríticasosuficienteparaselecioná-laseava- Apresentamosalgumassugestõesdeatividades, 2 Quandolemosnosjornaisonoticiáriosobreaatuação
ossuplementos,comorientaçõespedagógicasesugestõesde liá-las. Diante dos riscos de massificação, que possam lembrando que elas poderão ser aproveitadas de diver- doMST(MovimentodosSem-Terra),percebemosqueo
atividades,tambémseadaptamaessanovavisãoquese manteraautonomiadopensaredoagir. sas maneiras, seja para seu uso integral, seja seleciona- termo geralmente usado é o de “invasão da propriedade
fundamentanumaconcepçãocontemporâneaarespeito Éverdadequeodesafioégrandeeexigemudanças dassegundootempodisponíveleascaracterísticasdos rural”,enquantoosativistaspreferemsereferirà“ocupação
doquesejaaaprendizageme,dentrodessevastoespec- decomportamentonasmaisdiversasáreasdeatuação. alunos. O professor poderá ainda inspirar-se nelas para de terras improdutivas”. Explicar qual é a diferença dos
tro,oqueé compreensãoleitora.Emsintoniacomasexi- Noqueserefereaonossoespaçodeleitura,asreflexões elaborar outras questões, de acordo com os aconteci- doisenunciadosequalosignificadoideológicodaprimeira
gênciasdosnovostempos,asatividadespropostasnãose que podemos fazer a respeito se referem a alguns pon- mentosdesuacomunidade. expressão, ou seja, em que medida ela já sugere uma
limitam à simples “devolução” mecânica do que foi lido, tosquepassaremosadestacar. Independentemente do tipo de questão sugerida, determinadainterpretaçãodosfatos.
porque o mundo de hoje exige muito mais do que isso. poderão ser escolhidas as que demandam resoluções 3 Na primeira metade do século XIX, José Bonifácio
Defato,hátempos,ospedagogosadvertemsobrea Compreensão do texto simples ou solicitar que sejam feitos seminários ou de Andrada e Silva, o Patriarca da Independência, já
importância de dar condições ao leitor para que ele se Compreender um texto supõe exercitar a disposição dissertações. O esforço da elaboração pessoal das denunciava muitos “que têm feito suas as terras só por
aproprie de um texto de forma adequada e se torne ca- de “ouvir o autor” (anterior à tentação de “polemizar” própriasidéiaséfundamentalparaaautonomiadopensar. mera posse”. Discutir os argumentos usados por esse
paz de aplicar os conhecimentos adquiridos em situa- comele);perceberquaisasidéiascentraisdoseupensa- Quando necessário, algumas questões são estadista,inclusivesuaspreocupaçõesecológicas.
ções as mais diversas. Mas o que infelizmente tem sido mento e a maneira pela qual argumenta. Nessa fase, é acompanhadasdeesclarecimentoscujaintençãoéoferecer
constatado em pesquisas educacionais realizadas até 4 Em 1850 foi editada a Lei no 601, conhecida como
importante que o professor verifique se o leitor sabe pistasqueampliemotrabalhodepesquisadosalunos.
mesmo por órgãos internacionais é que nem sempre Lei de Terras. Discutir o que ela representou no cenário
identificar o autor, a editora, se sabe consultar um su- É importante destacar que, ao lado do trabalho
nossosjovensconseguemserbonsleitores. de uma pretensa reforma agrária que não conseguiu
mário,sefazanotações(comoesquemasefichamentos) individual,devemserestimuladososdebates,oconfronto
Parareverteressequadro,éprecisoconsiderarquea rompercomosistemadassesmarias.
durante a leitura, se levanta as dificuldades de vocabulá- de opiniões, as atividades em equipe: esse ainda é um
simplestransmissãodeinformaçõesnãoésuficiente,em- rio e se discrimina os conceitos fundamentais. exercício de pluralismo, tão essencial à democracia. 5 Explicar por que o projeto de reforma agrária de
boracomissonãoestejamosmenosprezandoaaprendi- 1Comrarasexceções,amídianoticiaaocupaçãode João Goulart foi um dos pretextos mais fortes para a
zagemdosconteúdos.Estessãoimportantes,desdeque Interpretação e análise crítica do texto articulação do golpe militar de 1964.
terraspeloscamponesescomoviolentatransgressãodas
suaapreensãoestejaligadaaodesenvolvimentodecompe- 6 No mesmo ano do golpe militar, foi promulgado o
Ainterpretação e a crítica revelam dois momentos leisquegarantemapropriedade.Emcontraposiçãoaessa
tências,ouseja,àcapacidadedeutilizar,integraremobilizar Estatuto da Terra. Analisar as decorrências para os
posterioresàcompreensão.Nessafasecomeça-sea“ler leituradosfatos,discutirumaviolênciaanterior,constatada
essesconhecimentosemnovoscontextos,diantedosproble- pequenos e médios agricultores, bem como os motivos
nas entrelinhas”, a identificar as posições do autor, os pelosseguintesdadosestatísticos:1,9%dosproprietários
mas e desafios que precisamos enfrentar, seja no traba- doêxodoruralesuasconseqüências.
lho ou na vida pessoal e social. valoressubjacentes,acoerênciadaexposição,oquesig- rurais é dono de 54,64% das terras agricultáveis.

2 3
TEMASABORDADOS nifica estabelecer um diálogo com o autor, concordando Interdisciplinaridade
ounãocomalgumasargumentaçõesdesenvolvidas,an-
tepondoaelasassuasprópriasvisõesdemundo. Ainterdisciplinaridade é a tentativa de superar a com-
• As raízes da violência • Trabalho infantil e trabalho escravo • A má distribuição da terra • A ineficácia das leis
partimentalização das disciplinas, integrando os conhe-
• Monocultura X policultura • Reformas agrárias incipientes • O que é o latifúndio • A exploração da Amazônia Problematização cimentosesparsosemumavisãoholística,global.Defato,
• O êxodo rural e os bóias-frias • Condições de vida do camponês
Aproblematizaçãoéumaespéciedecoroamentodotra- se no mundo contemporâneo até as ciências rompem
balho intelectual de decifração de um texto. Nessa fase é fronteirascomacriaçãodaschamadasciênciashíbridas,
importanteacontextualização,pelaqualasinformaçõeseos tambémosestudantesprecisamampliaroolharalémdos
ORIENTAÇÕESPEDAGÓGICAS conceitossãoconfrontadoscomnossaexperiênciadevida, enfoques precisos de uma determinada disciplina, des-
comosproblemasaseremenfrentados,identificandoas cobrindo a complementaridade entre as áreas do saber.
O ssuplementosqueacompanhamoslivrosdaCole- Em função dos avanços tecnológicos e da constitui- ressonânciasprovocadaspelaleitura,vivificando-as,poras-
simdizer.Denadaadiantaacumularconhecimentossees-
Evidentemente,aordempelaqualexpusemosessesdi-
versospassoséapenasdidática,cabendoaoleitornãodes-
çãoPolêmicatêmafinalidadedeauxiliarotrabalhoemsala çãodeumasociedadeinformatizada,asprofissõesnas-
deaula,dandosubsídiosparaomelhoraproveitamentodo cem e se modificam com velocidade surpreendente, e o tesnãonosserviremparanossocotidiano.Sóassimpodere- prezaressasetapas,masexercitá-lassemprequepossível.É
texto.Aindamaisquandosetratadeobrasdeleituracom- excessodeinformaçõesdisponívelexigeumaeducação mosdarsignificadosaomundoeànossaprópriarealidade. dentrodesseespíritoquesugerimosasquestõesseguintes.
plementar,quevisamjustamenteaprofundaroconhecimen- diferente da tradicional.
to,ampliarolequedeanálisespossíveisdedeterminados Dizendo de outro modo, no mundo do trabalho preci-
temaseabrirohorizontedosalunosemmúltiplasdireções. samosdepessoasquetenhamflexibilidadeparaenfrentar SUGESTÕESDEATIVIDADES
Aproveitandoasmudançasocorridasnareformulação rapidamentesituaçõesnovas,comcapacidadeinventivae
espírito de grupo. Diante da avalanche de informações,
dos títulos da Polêmica, como atualização das informa-
ções,revisãodosconteúdos,mudançasgráficasevisuais, queelassejamcríticasosuficienteparaselecioná-laseava- Apresentamosalgumassugestõesdeatividades, 2 Quandolemosnosjornaisonoticiáriosobreaatuação
ossuplementos,comorientaçõespedagógicasesugestõesde liá-las. Diante dos riscos de massificação, que possam lembrando que elas poderão ser aproveitadas de diver- doMST(MovimentodosSem-Terra),percebemosqueo
atividades,tambémseadaptamaessanovavisãoquese manteraautonomiadopensaredoagir. sas maneiras, seja para seu uso integral, seja seleciona- termo geralmente usado é o de “invasão da propriedade
fundamentanumaconcepçãocontemporâneaarespeito Éverdadequeodesafioégrandeeexigemudanças dassegundootempodisponíveleascaracterísticasdos rural”,enquantoosativistaspreferemsereferirà“ocupação
doquesejaaaprendizageme,dentrodessevastoespec- decomportamentonasmaisdiversasáreasdeatuação. alunos. O professor poderá ainda inspirar-se nelas para de terras improdutivas”. Explicar qual é a diferença dos
tro,oqueé compreensãoleitora.Emsintoniacomasexi- Noqueserefereaonossoespaçodeleitura,asreflexões elaborar outras questões, de acordo com os aconteci- doisenunciadosequalosignificadoideológicodaprimeira
gênciasdosnovostempos,asatividadespropostasnãose que podemos fazer a respeito se referem a alguns pon- mentosdesuacomunidade. expressão, ou seja, em que medida ela já sugere uma
limitam à simples “devolução” mecânica do que foi lido, tosquepassaremosadestacar. Independentemente do tipo de questão sugerida, determinadainterpretaçãodosfatos.
porque o mundo de hoje exige muito mais do que isso. poderão ser escolhidas as que demandam resoluções 3 Na primeira metade do século XIX, José Bonifácio
Defato,hátempos,ospedagogosadvertemsobrea Compreensão do texto simples ou solicitar que sejam feitos seminários ou de Andrada e Silva, o Patriarca da Independência, já
importância de dar condições ao leitor para que ele se Compreender um texto supõe exercitar a disposição dissertações. O esforço da elaboração pessoal das denunciava muitos “que têm feito suas as terras só por
aproprie de um texto de forma adequada e se torne ca- de “ouvir o autor” (anterior à tentação de “polemizar” própriasidéiaséfundamentalparaaautonomiadopensar. mera posse”. Discutir os argumentos usados por esse
paz de aplicar os conhecimentos adquiridos em situa- comele);perceberquaisasidéiascentraisdoseupensa- Quando necessário, algumas questões são estadista,inclusivesuaspreocupaçõesecológicas.
ções as mais diversas. Mas o que infelizmente tem sido mento e a maneira pela qual argumenta. Nessa fase, é acompanhadasdeesclarecimentoscujaintençãoéoferecer
constatado em pesquisas educacionais realizadas até 4 Em 1850 foi editada a Lei no 601, conhecida como
importante que o professor verifique se o leitor sabe pistasqueampliemotrabalhodepesquisadosalunos.
mesmo por órgãos internacionais é que nem sempre Lei de Terras. Discutir o que ela representou no cenário
identificar o autor, a editora, se sabe consultar um su- É importante destacar que, ao lado do trabalho
nossosjovensconseguemserbonsleitores. de uma pretensa reforma agrária que não conseguiu
mário,sefazanotações(comoesquemasefichamentos) individual,devemserestimuladososdebates,oconfronto
Parareverteressequadro,éprecisoconsiderarquea rompercomosistemadassesmarias.
durante a leitura, se levanta as dificuldades de vocabulá- de opiniões, as atividades em equipe: esse ainda é um
simplestransmissãodeinformaçõesnãoésuficiente,em- rio e se discrimina os conceitos fundamentais. exercício de pluralismo, tão essencial à democracia. 5 Explicar por que o projeto de reforma agrária de
boracomissonãoestejamosmenosprezandoaaprendi- 1Comrarasexceções,amídianoticiaaocupaçãode João Goulart foi um dos pretextos mais fortes para a
zagemdosconteúdos.Estessãoimportantes,desdeque Interpretação e análise crítica do texto articulação do golpe militar de 1964.
terraspeloscamponesescomoviolentatransgressãodas
suaapreensãoestejaligadaaodesenvolvimentodecompe- 6 No mesmo ano do golpe militar, foi promulgado o
Ainterpretação e a crítica revelam dois momentos leisquegarantemapropriedade.Emcontraposiçãoaessa
tências,ouseja,àcapacidadedeutilizar,integraremobilizar Estatuto da Terra. Analisar as decorrências para os
posterioresàcompreensão.Nessafasecomeça-sea“ler leituradosfatos,discutirumaviolênciaanterior,constatada
essesconhecimentosemnovoscontextos,diantedosproble- pequenos e médios agricultores, bem como os motivos
nas entrelinhas”, a identificar as posições do autor, os pelosseguintesdadosestatísticos:1,9%dosproprietários
mas e desafios que precisamos enfrentar, seja no traba- doêxodoruralesuasconseqüências.
lho ou na vida pessoal e social. valoressubjacentes,acoerênciadaexposição,oquesig- rurais é dono de 54,64% das terras agricultáveis.

2 3
7 Questões propostas: a) conceituar latifúndio; Apartirdessaexposição,discutirporqueoautorserefere
b) explicar como os critérios para determinar a grande ànão-democraciabrasileira.
propriedade rural variam conforme a região ou o país; c) Quantoaoaspectosubstancial,analisarasestatísticasque
analisar o crescimento do latifúndio no Brasil nas últimas
décadas,bemcomoaentradadasempresasestrangeiras
comprovamaexclusão;quantoaoaspectoformal,emboratenhamos
alcançadoprogressosemrelaçãoaoperíododaditaduramilitar,
avaliarasdistorções,porexemplo,quantoàrepresentatividadeno
Violência no campo
comolatifundiárias;d)discutirporqueaextensãodeáreas
aproveitáveis inexploradas (os latifúndios improdutivos)
seconfiguratambémcomoumproblemaético.
Congresso,àelaboraçãodasleisetc.
o latifúndio e a reforma agrária
Dissertação
8 Nos anos 2003/2004 tivemos uma supersafra, a
maior já obtida no Brasil. No entanto, não atenuado o Tema 1: O Brasil poderia ser o maior produtor de
problema da fome ou da carestia de alimentos. Explicar alimentos se...
os motivos. Tema2:Comofomentarareformaagráriaeincentivar Júlio José Chiavenato
9 De 1940 a 2000 a população rural diminuiu à afixaçãodotrabalhadornocampo?
medidaqueaurbanaaumentou. Alémdisso,temcrescido
o número de lavradores estabelecidos na periferia das Pesquisa
cidades, trabalhando como bóias-frias e arregimentados
pelos “gatos”.Apartir desses fatos, atender às questões: • Dividir a classe em grupos, incumbindo cada um
a) o que são bóias-frias e “gatos”; b) explicar os motivos delesdelevantardadossobreasorganizaçõesrelacionadas Orientações pedagógicas e Sugestões de atividades
desse êxodo rural; c) analisar as conseqüências sociais a seguir, elaborando posteriormente um relatório crítico Maria Lúcia de Arruda Aranha
para o trabalhador, quanto às condições de moradia e sobre sua atuação: 1) Movimento dos Trabalhadores
alimentação,àsobrigaçõestrabalhistaseàperdadevalores RuraisSemTerra(MST);2)UniãoDemocráticaRuralista
culturais e morais próprios de sua vida no campo. (UDR); 3) Instituto Nacional de Colonização e Reforma
Agrária (Incra); 4) Comissão Pastoral da Terra (CPT).
10Analisar os indicadores sociais pesquisados pelo AOBRA
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que
revelamaremuneraçãodocamponês,otipodemoradia,
Sugestões do autor para leituras
as condições sanitárias, o atendimento de saúde e edu-
cação.Apartirdosdados,discutiraquestãodaexploração
complementares
O srelatosdosconflitosnocampoapresentadospelamídiageralmentesãomarcadospelaemoçãoea
superficialidade, impedindo a análise crítica das raízes desse fenômeno. Nessa obra, ao contrário, o autor
AlbertoPassosGuimarães.Quatroséculosdelatifúndio,
do trabalhador rural como uma forma de violência no Ed. Paz e Terra. O autor faz uma análise global do examina a violência no campo como reflexo da nossa injusta estrutura social, conseqüência de uma das
campo. problemadapossedaterradesdeoiníciodacolonização, maiores concentrações de rendas e terras do mundo: o Brasil tem o maior sistema latifundiário da história
11 Analisandoocrescimentosignificativodaeconomia demonstrando como o latifúndio ainda dita leis e regras. da humanidade, situação que produz miséria e violência social. Se a reforma agrária se impõe como
brasileiranosúltimos50anos,CelsoFurtadodisseque“o MariaConceiçãod’IncaoeMello.Obóia-fria,acumulação necessidadeurgenteparaqueosexcluídosrecuperemadignidadedacidadaniaplena,noentanto,ocruel
Brasil não se desenvolveu; modernizou-se. O desenvol- emiséria,Ed.Vozes.Aoinvestigaroprocessodeexploração sistema de dominação instalado tem se mantido por aqueles que não querem perder privilégios que
vimentoverdadeirosóexistequandoapopulaçãoemseu do trabalhador rural pelos grandes latifúndios, merece remontam ao passado colonial. Os poderes constituídos, se não são cúmplices, atuam em consonância
conjuntoébeneficiada”. Explicarosignificadodaafirmação destaque o bóia-fria como símbolo da violência exercida com a estrutura de classes, incapazes de enfrentar o latifúndio improdutivo, o que solucionaria problemas
usandodadosatuaisreferentesàdistribuiçãoderendaseterras, sobreossem-terra. como o êxodo rural, a exploração do trabalhador do campo, a fome e a carestia de alimentos.
bemcomooimpactodafome. MelhemAdas. Afome — Crise ou escândalo?, Ed.
12 O jurista e filósofo Norberto Bobbio distingue dois Moderna. O autor analisa a fome no Brasil e no mundo, Júlio José Chiavenato Pesquisadoreautordediversasobras,comoAslutasdopovobrasileiro—do “descobrimento”
aspectosdaordemdemocrática:oformal,queconsistenas como decorrência de sistemas sociais injustos que aCanudos,ÉticaglobalizadaesociedadedeconsumoeOgolpede64eaditaduramilitar,
“regrasdojogo”queestabelecemos meios pelosquaisa privilegiam as elites socioeconômicas. todos pela Editora Moderna.
democraciaseexerce(votosecretoeuniversal,autonomia HélioBicudo.Violência–oBrasilcruelesemmaquiagem,
dospoderes,representatividade,liberdadedeexpressão, Ed. Moderna. O autor parte da análise da migração rural
pluralismo etc.), e o substancial, que diz respeito aos fins e do inchaço das cidades para explicar por que o Brasil é
quesãoalcançados(igualdadejurídica,socialeeconômica). um dos mais violentos países do mundo.

Interesses relacionados