Você está na página 1de 53

Organização

MODA CASA
e Normas I
Curso Técnico em Produção de Moda – CT em Estilismo

Patrícia Rosa
arq.patricia@sc.senai.br
ESTILOS DE
DECORAÇÃO
prof. arqª. patrícia
rosa
AQUILO O QUE NOS DEIXA FELIZES

O luxo na arquitetura não é diferente do luxo na


vida.
Luxo é ter em sua casa aquilo que te deixa feliz.
Luxo são os espaços que te levam a respirar
profundamente, a se espantar, a pensar,
estranhar, se emocionar...
Pode-se tentar ser feliz com o mínimo, abolir os
excessos, mas se para você o mínimo deve ser
o máximo, pois, que fique com o muito.
Luxo é não ter regras.
Luxo não é ter móveis “Bombé”, “Delave” ou
“Flambe”, mas pode eventualmente ser.
Luxo é não ter vergonha de dizer que gosta
quando gosta. Ou não sei quando não sabe.
Luxo não é uma coleção de etiquetas de grife,
mas também não é a camiseta branca básica.
Luxo é poder misturar essas coisas
naturalmente.
É não dever nada a ninguém.
O travesseiro pode ser feito de pluma de ganso
ou de crina de cavalo.
Luxo é poder deitar a cabeça nele
tranquilamente.
Para alguns, luxo pode ser comprar um bilhete
de primeira classe.
Luxo é poder mudar seus plano a qualquer
momento.
É ser independente, avulso, livre.
É dizer não, é dizer sim, é dizer talvez, sempre
que se queira.
É poder ficar mais um pouco, se tiver vontade.
Luxo é sentar à beira de uma lareira no fim de
tarde de inverno, usando um surrado
cashmere, um par de meias escocesas meio
furadas.
Um pequeno copo de botequim cheio de pinga
ou um bom vinho, acompanhado de uma boa
música.
Isso pode ser no interior da Inglaterra, mas com
o passar do tempo e a chegada da maturidade
a gente percebe que também pode ser no
interior de São Paulo.
MODA CASA

Uma tendência muito presente em nosso


tempo, a moda casa será objeto de estudo nesta
disciplina.
De forma muito simples e direta, o tema será
exposto e analisado em suas mais diversas
apoteoses.
Os estilos da moda casa são frutos
conseqüentes do ser pós-moderno, que não é
psicológico e proclama que tudo esteja em seu
tempo.
Como em vários aspectos da história, há
sempre um espectro percorrendo o mundo.

Alguns se tornam apenas passageiros,


enquanto outros chegam pra ficar, determinando
épocas, estágios ou
momentos.

Alguns movimentos arquitetônicos se portaram


dessa forma, como é o caso do classicismo, do
barroco ou do moderno.
Mas o século XX nasceu ás pressas, e dele surgiram
vários pensamentos: o pop, a nova era, o high-tech,
a desconstrução...

Cada termo em si carregava um significado e


representava um sentido
preciso, até se diluir na paisagem urbana.

Mas hoje qual é o estilo da arquitetura?


A arte atravessara um período de libertação total de
propósitos e meios, ela não mais se preocupa em servir ao
estado e a religião.

Ela não deseja mais ilustrar a história dos costumes, não


quer ter mais nada a ver com o objeto como tal,
e acredita que pode existir em si mesma e para si mesma.

Com isso a arte secular desliga-se de propósitos utilitários e


afasta-se da função ideológica da representação.

Com tal mentalidade, este universo simbolizou um


compromisso com a clareza, com rigor conceitual, a
literalidade e a simplicidade.
Um estilo é fruto conseqüente de um momento histórico.

E quando uma idéia está no ar e várias pessoas


parecem captá-la ao mesmo tempo em diferentes
lugares do mundo, definimos como uma tendência.

Acontece na moda, no cinema, na música, na gastronomia


e também nos jeitos de morar.

Um mesmo visual começa a se repetir nas feiras de


design, na casa dos decoradores e de seus clientes
mais antenados.
Algumas revistas e portais de tendências
observaram os últimos movimentos assim,
e chegaram a um elenco de cinco estilos –
eles expressam o que há de mais atual na
decoração.

Estilos da moda
New romantic
NEW ROMANTIC
Resgate da delicadeza feminina

O que torna um ambiente romântico hoje?


Nesta sala, entram flores, tons de vermelho e rosa
e móveis com história.

O que caracteriza o estilo: cores que evocam


feminilidade, como o rosa, estampas florais, peças
de linhas sinuosas, móveis com aparência de
antigos e coleções de enfeites, utilizados com
leveza.
Por que está na moda:
Para Barbara Kennington, editora do portal de
tendências WGSN (Wotth Global Style
Netwoork), com sede em Londres, o estilo
remete a um tempo em que a elegância era
expressa no visual e nas atitudes.
Referências em outras áreas:

Cinema:
Maria
Antonieta, de
Sofia Coppola
(Marie
Antoinette, EUA,
Moda: Os vestidos do italiano Valentino, cujos
volumes ressaltam as formas femininas.
Design: o holandês Tord Boontje, que
transforma recortes de flores e animais em
cortinas e luminárias.
Luminária Pendente
Garland Midsummer
Light, de
2004.
come rain come shine
Barroco Moderno
Aparador
recoberto de
folha de ouro,
da década de
1920.
Dourado
ainda aparece
na moldura
das obras.
Nossa Senhora
da Conceição,
esculpida no
início do século
18 por um
artista
desconhecido,
é autêntica do
período barroco
brasileiro.
Barroco moderno
Peças rebuscadas numa base clean

Nesta sala foi incorporado aos espaços


peças douradas, de visual rebuscado, e até um
tapete persa que trouxe cor ao piso de
cimento queimado. Com as novas aquisições,
como as cadeiras de estilo frânces produzidas
na década de 1920, os ambientes entraram no
espírito do barroco moderno, equilibrando
simplicidade e opulência, novo e antigo.
O que caracteriza o estilo:
O dourado, que aparece em móveis de
madeira com entalhes e espelhos de moldura
trabalhada.

Tecidos adamascados e brilhantes, objetos


ornamentados.

A novidade é mesclar essa riqueza visual á


decoração contemporânea.
Por que está na moda:
É uma reação ao minimalismo dos anos 1990, que
valorizava os móveis retilíneos e a ausência de
adornos, ou seja, a máxima expressividade através
do mínimo. Onde menos é mais.

“O barroco, ao contrário, é o excesso de


informação”, diz o arquiteto David Bastos.

“Ele exprime o desejo por brilho, glamour,


opulência, e resgata uma época em que as coisas
eram feitas com propósitos decorativos” afirma
Barbara Kennington. (WGSN)
Referências em outras áreas:

Cinema:
Moulin Rouge, de Baz
Luhrman ( (Moulin
Rouge, EUA, 2001)
Moda: O inglês John Galliano e o brasileiro
Lino Villaventura, com suas roupas
exuberantes

John Galliano
John Galliano
John Galliano
Lino
Lino
Design: as volutas da luminária de acrílico
Bourgie, que o italiano Ferruccio Laviani
desenhou para a Kartell em 2004, sintetizam o
barroco moderno.
“Com um toque de mordenidade... Os moveis
barrocos na clássica cor preta dá a esse
ambiente um toque de glamour ....”
“Objetos antigos e decorativos compõe esse
ambiente bem feminino, graças a cor rosa
presente na cadeira pintada a ouro , no detalhe
do tapete e em outros objetos.....”
“Fabricante de móveis portuguesa que combina
técnicas artesanais de fabricação com o desenho
contemporâneo. Móveis que misturam desenhos
barrocos, com facetas modernas e linhas clean.
...coleção, como aparadores com gavetas que não
combinam entre si...”

http://design-crisis.com http://www.bocadolobo.com
http://design-crisis.com
Bibliografia.
BOOKS

1000 CHAIRS – Charlotte e Peter Fiell


SHOP DESIGN - COLL SHOPS MILAN
Design Brasileiro : Quem Fez, Quem Faz ;
Brazilian Design : Who Did, Who Does. SENAC RJ

MAGAZINES

- Revista Au. Editora Pini


- Revista Projeto. Editora Arco
- Revista Casa Vogue. Carta Editorial Ltda
- Revista Vogue. Carta Editorial Ltda
- Revista Bravo. Editora Abril
- Revista Arc Design. Editora Quadrifoglio
- Revista Casa Cláudia. Editora Abril
- Revista Kaza. Editora Ação
- Revista Casa e Jardim. Editora Globo
- Revista DCasa. Editora Escala
NET

- www.arcoweb.com.br
- www.vitruvius.com.br
- www.isayweinfeld.com.br
- www.marciokogan.com.br
- www.iabsp.org.br
- www.mahfuz.arq.br