Você está na página 1de 3

Figo e Figueira

Nome Científico: Fícus carica.


Descrição: A figueira é uma árvore frutífera originária da Ásia Menor, tendo daí se
expandido para a região do Mediterrâneo. Hoje se acha aclimada no Brasil, para onde foi
trazida no século XVI.
O figo, do ponto de vista botânico, não é o fruto, mas a polpa das infrutescências da
figueira. O figo é oco, no estilo de um botão de flor e preenchido com flores prematuras e
sementes amadurecidas.
A poda deve ser feita no mês de agosto.

Propriedades Medicinais:
É um laxativo natural, combate à prisão de ventre e substituem muito bem o purgativo
destinado as crianças.
Eficaz no tratamento de bronquite, escarlatina e problemas de uretra (podendo ser
ministrado até para animais).
No uso popular, suas folhas são cozidas para tratar feridas rebeldes e debelar o
reumatismo.
Utilidades Medicinais:
Boca, doenças da - Comer o figo cozido em leite. Descascá-lo e picá-lo antes de cozer.
Calos - Aplicar localmente o suco leitoso das folhas e ramos da figueira.
Caspa - Macerar figo seco juntamente com sal e limão. Massagear o couro cabeludo com
este preparado.
Constipação intestinal - Recomenda - se substituir, ao longo de semanas, pelo menos
uma refeição diária por figos.
Expectoração - Cozinhar o figo, descascado e picado, em leite e um pouco de mel.
Compor uma refeição com este preparado. Usar quente. O infuso das folhas de figueira é
também recomendado. Frutos secos, por decocção: Peitoral, laxativa, inflamação da
boca e da garganta. Tem efeitos benéficos em casos de bronquite; gripe; resfriado e
tosse; para esses casos, cortar em pedaços 20 g de figos secos, fervendo em 250 g de
leite por uns quinze minutos. Depois de adoçar com uma colherada de mel, filtrar o leite e
bebe-lo bem quente.
Feridas - Aplicar localmente o suco de folhas de figo ou a pasta de figo.
Garganta, doenças da - Cozinhar o figo descascado. Com a água deste decocto
gargarejar. Contra afecções na boca e garganta, ferver em uma xícara de leite com dois
figos frescos, cortados em pedaços e uma colherinha de mel por quinze minutos. Depois de
filtrado e morno, usar o leite para gargarejos e bochechos.
Inflamações em geral - Cozinhar o figo, descascado e picado, em água. Fazer refeições
exclusivas deste preparado.
Casca seca, por decocção: hidropisia.
A seiva é cáustica e destrói as verrugas.

Cuidados: o fruto tem mecanismo fototóxico em pele sensível a luz solar.

Propriedades Energéticas:
Planeta: Júpiter.
Elemento: fogo.
Energias: força, dinheiro e sexo.
Deuses: Atena, Baco, Brahma, Dianus, Dioniso, Flora, Jesus Cristo, Juno Caprotina, Marte,
Maomé, Pã, Posêidon, Plutão, Pomona, Saturno, Zeus e a Grande Mãe indo-iraniana. Ainda
Rômulo e Remo da Mitologia Romana.
Símbolos: A figueira é símbolo da paz e da plenitude. Fertilidade. Força. Energia. Saúde.
Acredita-se que sua sombra seja freqüentada por espíritos; sua casca e fruto são usados
tanto na magia quanto na medicina popular para tratar vários problemas e doenças.
Ligado à elevação espiritual; Amor universal; Transcendência; auxiliando na clarividência.
Traz fertilidade e honras.

Figueira clareia os caminhos.

Figos Folhas – Fertilidade e Amor.

Figos Secos – Adivinhação.

Figueira-Brava – Sono, Proteção e Quebra de feitiço (POÇÃO).

Figueira-dos-Pagodes – Fertilidade, Proteção, Sabedoria e Meditação.

Divindades: Rumina (A figueira)

OPERAÇÃO COM A FIGUEIRA: PARA QUESTÕES SEXUAIS E CASTIDADE de Samael Aun


Weor O departamento elemental da figueira relaciona-se com as forças sexuais. As hierarquias
relacionadas com esse departamento elemental da natureza são as que aplicam o karma aos
fornicários. O nome do anjo que governa este departamento elemental da natureza é Najera. O
mantra dos elementais das figueiras é AFIRAS.

Figueira-de-Bengala ou Figo da Índia: (opuntia spp)


Planeta: Marte.
Elemento: fogo.
Energias: proteção.
Deuses: Hina, Shu, Shiva, Vishnu e Zeus.
A Figueira-da-Índia é sagrada para os videntes e ascetas da Índia, sendo a árvore do
conhecimento na mitologia indiana.
O deus hindu Vishnu nasceu sobre a sombra de uma figueira-da-Índia, e acredita-se que
aquele que duvidar e danificar ou cortar uma delas despertará a ira dos deuses e será
punido com a morte.

Candomblé
Figueira também chamada pelos Iorubás de Àjànrèré (Nome Científico: Fícus Elegans).
Consagrada a Iyami sendo a 7º Árvore que foi pousada por essa quando nesta Terra
chegou, segundo mitologia de Reginaldo Prandi.

Figo Benjamim:
Orixá: Omulu e Exu.
Erva usada na purificação de pedras ou ferramentas e na preparação do fetiche de Exu. É
empregada também em banhos fortes nas pessoas obsediadas.

O povo aplica o cozimento das folhas para tratar feridas rebeldes, e banhos para curar o
reumatismo.

Simbologia
Os figos normalmente são retratados em pinturas de tumbas e crenças egípcias. Na antiga
Tebas, o faraó Ramsés III oferecia 15.500 medidas de figos para Amon-Rá. Eles também
eram comidos durante alguns rituais, como os de honra a Toth.
A figueira na Grécia era consagrada à Atena e seus frutos sagrados não podiam ser
exportados. O figo era também associado com muitas divindades, incluindo Dioniso e
Juno. O figo também aparecia em representações de bacanais, e o seu interior assemelha-
se ao órgão sexual feminino.
Em Roma possuía também um sentido erótico e era associada a Príapo.
O livro do Gênesis bíblico testemunha que as folhas da figueira foram usadas por Adão e
Eva logo que eles adquiriram o conhecimento, após comerem o fruto proibido, e
descobriram que estavam nus cobriram-se com folhas de figueira.
O figo está relacionado ao fígado, principal órgão dos sentidos para os gregos, sendo a
figueira usualmente considerada local de contemplação. Por isso, ao transgredir o decreto
dos deuses e fornecer o fogo aos homens, Prometeu foi condenado a ter seu fígado
eternamente comido pela águia (animal ligado aos deuses), podendo-se estabelecer um
paralelo entre a transgressão de Adão na cultura judaico-cristã e a de Prometeu na
greco-romana, pois ambos teriam simbolicamente roubado a sabedoria do mundo divino.
Segundo os evangelhos bíblicos, a figueira era “amaldiçoada com a infertilidade” por Jesus
Cristo porque se recusou a dar um fruto para ele fora da estação (Marcos 2: 13-22).
Fontes: wicca a feitiçaria moderna – Gerina Dunwich.
Tradições Orais Afro-brasileiras.
Rotina no Atendimento do Intoxicado – Sony de Freitas Itho.