CIRCUNFERÊNCIAS EQUAÇÃO REDUZIDA

Circunferência é o conjunto dos pontos que distam de C ( xC , y C ) uma distância r , que

chamamos de raio. Se um ponto P ( x, y )
pertence a esta circunferência, logo a distância de ao ponto C ( xC , y C ) , que chamaremos de centro

da circunferência, será:
dCP =

( x − xC )

2

+ ( y − yC )

2

.

Como a distância é o raio temos

( x − xC )

2

+ ( y − yC ) = r
2

, logo a equação geral

da circunferência é

( x − xC )

2

+ ( y − yC ) = r 2
2

EXERCÍCIOS
1. Escreva a equação reduzida da circunferência de centro C e raio r em cada caso: a) C ( 4, 2 ) e r = 6 b) C ( −1, 2 ) e r = 5 c)

C ( −1, − 4 ) e r = 10

e) C ( −1, 0 ) e r = 1
2. Dê o centro e o raio de cada circunferência: a) ( x − 7 ) + ( y − 9 ) = 36
2 2

d) C ( 0, − 4 ) e r = 3 f) C ( 0, 0 ) e r = 2

b) ( x + 2 ) + ( y − 3 ) = 25
2 2

c) ( x + 5 ) + y 2 = 9
2

d) x 2 + y 2 = 16

3. Determine os pontos de ordenada 2 da circunferência x 2 + ( y + 2 ) = 20 .
2

4. Obtenha

as

coordenadas
2

do

ponto

médio

da

corda

determinada

na

circunferência

( x − 2)

2

+ ( y − 3 ) = 4 pela bissetriz dos quadrantes ímpares.

20

2 2 Se r = 0 ou r < 0 a equação não representa uma circunferência. Calcule x 2 α e β de modo que as circunferências 2 x 2 + y 2 − 6α x + 1 0 y − 7 = 0 e + y − 1 2 x + ( β − α ) y + 1 = 0 tenham centros coincidentes (circunferências concêntricas). Em caso afirmativo. yC = − e r = x C + y C − f . Verifique se representam circunferência a equação dada em cada caso: a) 4 x 2 + 2y 2 + 2 x + 4 y − 5 = 0 b) x 2 + y 2 + 2 xy + 4 x + 4 y + 8 = 0 c) 2 x 2 + 2y 2 − 4 x − 4 y + 8 = 0 2 2 d) 4 x 2 + 4 y 2 − 4 x − 4 y − 1 = 0 3. EXERCÍCIOS 1. fazendo −2 xC = d . termos a nova equação: x 2 + y 2 + dx + ey + f = 0 Logo. 21 . 5. dê as coordenadas do centro e o raio da circunferência. 4. −2y C = e e xC + y C − r 2 = f . Verifique se a equação x + y + 2x + 2y – 2 = 0 representa uma circunferência. onde r > 0 .EQUAÇÃO GERAL Partindo da equação reduzida da circunferência C ( x − xC ) + ( y − yC ) = r 2 2 2 obtemos a equação 2 2 2 2 x 2 + y 2 − 2 xC x − 2yC y + xC + yC − r 2 = 0 . Calcule p e q de modo que x 2 + 2 p x y + y 2 − 2 q x − 2 q y + q 2 = 0 seja a equação de uma circunferência de raio igual a 5. Determine o centro e o raio de cada circunferência: b) x 2 + y 2 + 4 x + 2y − 11 = 0 a) x 2 + y 2 − 6 x − 10 y + 33 = 0 c) x 2 + y 2 − 8 x + 12 = 0 d) x 2 + y 2 + 6 y = 0 2. temos o centro e o raio da circunferência dadas por xC = − d e 2 2 .

− 4 ) em relação a essa circunferência? 3. pode pertencer à circunferência ou ainda externo à circunferência. 22 . determine se o ponto M é interno ou externo à circunferência. determine a posição de P em relação a λ. 2 ) e λ: x 2 + y 2 − 10 x + 8 y − 1 = 0 c) P ( 3. 1) e λ: x 2 + y 2 − 8 y − 5 = 0 2. 2 ) e λ: ( x − 3 ) + ( y + 1) = 52 2 2 b) P ( 2. − 3 ) não pertence à circunferência de equação x + y − 2 x + 4 y − 3 = 0 . 1) e λ: x 2 + y 2 − 8 x − 5 = 0 d) P ( 3. PONTO INTERNO À CIRCUNFERÊNCIA PONTO PERTENCENTE À CIRCUNFERÊNCIA Como sabemos a distância entre dois pontos é dada pela equação dCP = ( xP − xC ) 2 + ( y P − yC ) 2 PONTO EXTERNMO À CIRCUNFERÊNCIA EXERCÍCIOS 1. Dada a circunferência de equação x 2 + y 2 − 2 x + 4 y − 3 = 0 . Sabendo 2 2 que o ponto M (1. Dados o ponto P e a circunferência λ. a) P ( −1.POSIÇÕES RELATIVAS DE UM PONTO EM RELAÇÃO AUMA CIRCUNFERÊNCIA Um ponto pode ser interno à circunferência. qual é a posição relativa do ponto P ( 3.

A distância do ponto P ao centro C da circunferência é igual ao raio r. Logo: dCP = ( xP − xC ) 2 + ( y P − yC ) 2 A reta r é externa à circunferência λ. y 2 ) são os pares que são solução dos sistema S. A distância do ponto P ao centro da circunferência C é maior que o raio r. dCP < ( xP − xC ) 2 + ( y P − yC ) 2 A reta r é tangente à circunferência λ.POSIÇÕES RELATIVAS DE UMA RETA EM RELAÇÃO AUMA CIRCUNFERÊNCIA A reta r é secante à circunferência λ. dC r < r  ax + by + c = 0 S : 2 2  x + y + dx + ey + f = 0 A ( x1. y1 ) e B ( x2 . A distância da reta r ao centro da circunferência C ( xC . y C ) é menor que o raio. dCP > ( xP − xC ) 2 + ( y P − yC ) 2 23 .

de equação y = − x + 5 . e a circunferência de equação ( x + 2) 2 + ( y − 1) = 10 são 2 secantes nos pontos A e B. Determine a área do triângulo cujos vértices são o centro da circunferência e os pontos A e B. 4. intersecta a circunferência de equação x 2 + y 2 − 10 x − 2y + 21 = 0 . onde UM PONTO EM COMUM TANGENTES INTERIORMENTE Quando tangentes de forma que uma circunferência seja interior. Seja AB o diâmetro da circunferência x 2 + y 2 − 6 x − 8 y + 24 = 0 contido na reta perpendicular a y = x + 7 . de equação x + y − 3 = 0 . POSIÇÕES RELATIVAS DE DUAS CIRCUNFERÊNCIAS DOIS PONTOS EM COMUM Circunferências secantes. com a circunferência de equação x 2 + y 2 + 2 x + 2y − 3 = 0 . Dadas uma reta r e uma circunferência λ. Determine o comprimento da corda determinada pela intersecção da reta r. determine esses pontos: a) r :2 x − y + 1 = 0 e λ : x 2 + y 2 − 2 x = 0 b) r : y = x e λ : x 2 + y 2 + 2 x − 4 y − 4 = 0 = 0 c) r : x = t − 4 e y = 2 − t e λ : x 2 + y 2 − 2 x − 6 y − 8 = 0 2. A reta r. C1 e C2 é dada por dC1C2 . A distância entre os seus centros. 3. de equação x + y − 1 = 0 . verifique a posição relativa de r e λ. A distância entre os seus centros. onde r1 − r2 < dC1C2 < r1 + r2 dC1C2 = r1 − r2 24 . Calcule as coordenadas de A e B. Determine as coordenadas dos pontos em que a reta r. C1 e C2 é dada por dC1C2 .EXERCÍCIOS 1. 5. Se houver pontos comuns (tangente ou secante).

onde NENHUM PONTO EM COMUM CIRCUNFERÊNCIA INTERNA Quando uma circunferência é interna a outra sem ter nenhum ponto em comum a distância entre os seus centros. C1 e C2 é dada por dC1C2 . A distância entre os seus centros. onde dC1C2 > r1 + r2 NENHUM PONTO EM COMUM CIRCUNFERÊNCIA INTERNA (CONCÊNTRICA) Duas circunferências são concêntricas quando uma circunferência é interna a outra sem ter nenhum ponto em comum e a distância entre os seus centros. C1 e C2 . C1 e C2 é dada por dC1C2 . dC1C2 = 0 isto é: C1 ≡ C2 . 25 . onde dC1C2 = r1 + r2 dC1C2 < r1 − r2 NENHUM PONTO EM COMUM CIRCUNFERÊNCIA EXTERNA Quando as circunferências são externas e não têm nenhum ponto em comum a distância entre os seus centros. C1 e C2 é dada por dC1C2 .UM PONTO EM COMUM TANGENTES EXTERIORMENTE Quando tangentes de forma que as circunferências sejam externas.

EXERCÍCIOS 1. 26 . com λ1 interna à λ2. determine a equação de λ2 na forma geral. λ1 e λ2 são duas circunferências concêntricas. descubra suas posições relativas e seus pontos comuns (se houver): a) λ1 : x 2 + y 2 − 4 x − 8 y − 5 = 0 λ1 : x 2 + y 2 − 2 x − 6 y + 1 = 0 b) λ1 : x 2 + y 2 − 8 x − 4 y + 10 = 0 λ1 : x 2 + y 2 − 2 x − 10 y + 22 = 0 c) λ1 : ( x − 2 ) + ( y − 1) = 4 2 2 2 λ1 : ( x − 2 ) + ( y + 2 ) = 1 2 d) λ1 : x 2 + y 2 = 16 λ1 : x 2 + y 2 + 4 y = 0 2. Dadas as circunferências λ1 e λ2. Sabendo que a equação de λ1 é x 2 + y 2 − 6 x − 8 y = 0 e que a área do anel circular formado por λ1 e λ2 é igual a 24π.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful