Você está na página 1de 38

Projeto Pedagógico do Curso

Técnico de Nível Médio em

Comércio
na forma Subsequente,
na modalidade presencial
Projeto Pedagógico do Curso
Técnico de Nível Médio em

Comércio
na forma Subsequente,
na modalidade presencial

Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios

Projeto aprovado pela Resolução Nº 12/2008-CONS UP/IFRN, de 06/06/2008.


.
Belchior de Oliveira Rocha
REITOR

Anna Catharina da Costa Dantas


PRÓ-REITORA DE ENSINO

Francisco das Chagas de Mariz Fernandes


COORDENAÇÃO GERAL

Anna Catharina da Costa Dantas


Francisca Carneiro Ventura
Francy Izanny de Brito Barbosa Martins
Gerda Lucia Pinheiro Camelo
Juliana Rangel Barboza
COMISSÃO DE ELABORAÇÃO E SISTEMATIZAÇÃO
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

SUMÁRIO

APRES ENTAÇÃO 5

1. JUSTIFICATIVA 6

2. REQUISITOS E FORMAS DE ACESS O 9

3. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUS ÃO DO CURS O 9

4. ORGANI ZAÇÃO CURRICUL AR DO CURSO 10

4.1. ESTRUTURA CURRICULAR 10


4.2. PRÁTI CA P ROFISSIONAL 12
4.2.1. D ESENVOLVIMENTO DE P ROJETOS 12
4.2.2. ESTÁGIO C URRICULAR 12
4.3. DIRETRI ZES CURRICULARES E PROCEDIMENTOS PEDAGÓGICOS 13
4.4. INDICADORES METODOLÓGICOS 14

5. CRITÉRIOS DE AV ALIAÇÃO DA AP RENDI ZAGEM 15

6. CRITÉRIOS DE AP ROV EITAMENTO DE ESTUDOS E CERTIFICAÇÃO DE CONHECIMENTOS 16

7. INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS 16

7.1. BIBLIOTECA 17

8 PESSOAL DOCENTE E TÉCNI CO-ADMINISTRATIVO 17

9. CERTIFI CADOS E DIPLOMAS 18

REFERÊNCI AS 19

ANEXO I – PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS 20

4
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

APRESENTAÇÃO

O presente documento se constitui do projeto pedagógico do curso Técnic o de Nível Médio em


Comércio, na forma Subsequente, referente ao eixo tecnológico Gestão e Negócios do Cat álogo
Nacional de Cursos Técnicos. Este projet o pedagógico de curso está fundamentado nas bases legais,
nos princ ípios norteadores e níveis de ensino explicitados na LDB nº 9.94/96, bem como, no Decreto
5.154/ 2004, nos referencias curriculares e demais resoluções e decretos que normatizam a Educação
Profissional Técnica de Nível Médio no sistema educacional brasileiro.
Estão presentes, também, como marco orientador desta proposta, as decisões institucionais
traduzidas nos objetivos desta instituição e na compreensão da educação como uma prática social, os
quais se materializam na função social do IFRN de promover educação cient ífico -tecnológico-
humanística, visando à formação do profissional-cidadão crítico-reflexivo, competent e técnica e
eticamente e comprometido com as transformações sociais, políticas e culturais.
Dessa maneira, a Instituição busca contribuir para a formação do profissional -cidadão em
condições de at uar no mundo do trabalho, na perspectiva da edificação de uma sociedade mais justa e
igualitária, através da formação inicial e continuada de trabalhadores; da educ ação profissional técnica
de nível médio; da educação profissional tecnológica de graduação e pós -graduação; e da formação de
professores fundamentadas na construção, reconstrução e transmissão do conhecimento.

5
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

1. JUSTIFICATIVA

O presente documento apresenta o Plano do Curso Técnico de Nível Médio Subseqüent e em


Comércio. Trata-se de um Plano fundament ado nas bases legais e nos princípios norteadores da
educação brasileira explicitados na Lei de Diretrizes e Bases (LDB) – Lei nº 9. 394/ 96 e no conjunto de
leis, decretos, pareceres e referencias curric ulares que normatizam a Educação Profissional e o Ensino
Médio no sistema educacional brasileiro, bem como nos doc ument os que versam sobre a integralização
destes dois níveis que têm como pressupostos a formação integral do profissional -cidadão.
Estão presentes também, como marcos orientadores desta proposta, as decisões institucionais
traduzidas nos objetivos desta Instituição e na compree nsão da educação como uma prática social, os
quais se materializam na função social do Instituto Federal de E ducação, Ciência e Tecnologia do Rio
Grande do Nort e (IFRN) de promover educação cient ífico-tecnológico-humanística visando à formação
integral do profissional -cidadão crítico-reflexivo, competente técnica e eticamente e comprometido
efetivamente com as trans formações sociais, políticas e culturais e em condições de atuar no mundo do
trabalho na perspectiva da edificação de uma sociedade mais justa e igualit ária, através da formação
inicial e continuada de trabalhadores; da educação profissional técnic a de nível médio; da educação
profissional tecnológica de graduação e pós-graduaç ão; e da formaç ão de professores fundamentadas
na construção, reconstrução e transmissão do conhecimento.
As transformações que estão ocorrendo no mundo dos negócios, a globalização e a
competitividade estão conduzindo as empresas a horizont alizar suas estruturas e substituir a gestão pela
hierarquia por uma gestão bas eada no contrato. Isto está ocorrendo não só nas empresas privadas,
como nas organizações públicas de um grande número de países.
Essas mudanças faz em com que a competição interna nas organizações esteja associada à
ética e seja feita em bases técnicas. O trabalho cooperativo em células e equipes ganha espaço como
forma de organizaç ão do trabalho no mundo dos negócios. E, a formação de equipes de operadores
comerciais ganha import ância nas diferentes áreas de produção pelo fat o da maior competitividade na
área de gestão e negócios ser determinada pela perícia da empresa em traduzir tendências do mercado
em produtos e processos.
Nesse cenário de t rans formação dos es paços de trabalho e dos fazeres profissionais, o Rio
Grande do Norte busca novas alternativas para o crescimento e a região é c onsiderada uma das
melhores em termos de investiment os do Brasil. Recursos naturais, mão-de-obra abundante, incentivos
fiscais e localização geográfica estratégica têm reduzido o custo de instalação de indústrias na região,
facilitando a produção e garantindo retorno rápido e seguro.
Além disso, o Estado tem localização privilegiada dentro de uma vis ão econômica. Fica
localizado “na esquina do continente sul-americano numa posição cent ral entre Europa, América do
Nort e, África e, através do Canal do Panamá, também da Ásia,” estando mais ou menos no meio do
Brasil, num ponto quase eqüidistante entre o Norte e o Sudeste do país. Seus 410 km de costa fazem
com que o RN possua a maior densidade costeira do país, originando daí sua vocação pesqueira e seus
bons resultados na aqüicultura e na exploraç ão turística, além do privilégio de agregar o maior pólo
salineiro do B rasil. A diversidade geográfica, o povo hospitaleiro e trabalhador, a temperatura agradável

6
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

com cerca de 300 dias de sol por ano, um litoral com 410 km de belas praias e localização geográfica
privilegiada em relação aos principais mercados mundiais e às outras regiões do País, fazem do Rio
Grande do Norte um Estado não só com infinitas possibilidades para a viabilização de novos
investimentos, mas também um excelente parc eiro para grandes operações comerciais, pois possui toda
as condições necessárias para receber navios cargueiros. A estrutura do porto de Natal é ideal para este
tipo de operação comercial. A entrada de linhas de cargueiros aliada à implantação do aeroporto de São
Gonçalo do Amarant e favorecerão o RN, que é o mais próximo da Europa, da Á fric a e da América do
Nort e e terá condições de absorver grande parte da demanda de cargas do país. Por isso, muitos
mercados estão de olho nessas possibilidades por vislumbrarem lucrativas operaç ões comerciais.
O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) pret ende investir US$ 140
milhões no Brasil e instalar em Natal um escritório para desenvolver projetos em parceria com o governo
estadual. A escolha de Natal se deu em razão de ser um lugar onde já foram identificadas várias
possibilidades de cooperação e para instalar o escritório, que será uma janela aberta para o Brasil e para
mundo. Aliados a isso existem também possibilidades de operações comerciais no turismo cultural.
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou a mais recent e Pesquis a Mensal
do Comércio referente a novembro de 2007 na qual apont a em seus dados3 que a economia p otiguar
deu mais uma mostra de um momento econômico e financeiro positivo. Segundo os dados, “as vendas
do comércio varejista no Rio Grande do Norte apres entaram uma taxa de crescimento de 11,9%, ficando
acima da média nacional, no comparativo com o mesmo período de 2006”. Os números colocaram o Rio
Grande do Norte numa posição de destaque, ent re os seis estados que alcançaram este índice superior
e com o terceiro maior crescimento do país.
De acordo com o cont eúdo da pesquisa, a economia do Rio Grande do Norte vem crescendo
com a abertura de novas empresas. Esse crescimento foi também evidenciado por dados da Junta
Comercial do Estado (Juc ern) revelando que entre 2006 e 2007 o número de empresas abertas
aumentou 21,3% e o saldo entre as que foram aberta e as que foram fec hadas foi incrementado em
18%. Soma-se a esses dados, informação recente do IBGE, baseado no Cadastro Central de Empresas,
afirmando que a sobrevida das empres as do Rio Grande do Norte é maior do que a média verificada na
região Nordeste e no país, o que comprova a necessidade de formação profissional de nível técnico para
suprir a demanda das operações comerciais no Estado que hoje abriga 78,5 mil empresas operando
legalmente.
Pelas informações fornecidas do IBGE,
[...] havia 51,6 mil empresas no Rio Grande do Norte em 2005. Naquele ano, foram criadas outras 9.028 e extintas
5.911, com um saldo líquido positivo de 3.297 empresas, ou 35,8% do número de aberturas. No Nordeste, esse
percentual foi de 31,1% e no país foi de 30,5%. Outra informa ção trazida pelo estudo é que 10 mil pessoas ficaram
desocupadas com a extinção de empresas, enquanto que, na abertura de novas firmas, 23 mil postos de trabalho
foram criados. Desta forma, a média de empregados nas que foram fechadas era de 1,6 funcionári os. Já as que
foram criadas tinha, em média, 2,5 funcionários .

O Rio Grande do Norte demorou mas acordou para esse filão que desponta nos quatro cantos
do mundo, como um dos mercados mais promissores. Dispõe ainda de diversos programas de incentivos
fiscais e financeiros nas áreas industriais com infra -estrutura adequadas, grandes reservas de recursos
naturais, linhas de financiamento, programas de formação e capt ação de recursos humanos, rodovias
federais portos e aeroport o. Vantagens que somadas as aç ões estruturais, como a ampliação da malha
7
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

ferroviária construção do A eroporto de São Gonçalo do Amarante, construção de uma termoelét rica e de
mais um gasoduto ligando a região de Açu a região do Seridó, induzem a criação de eixos de
desenvolvimento, proporcionando a interiorizaç ão de operações comerciais e o crescimento do da
Região com boas possibilidades de investimentos nas áreas de carcinicultura, pescado, fruticultura,
turismo e o gás natural.
O IFRN, como instituição que tem por finalidade formar e qualificar profissionais no âmbito da
educação tecnológica, nos diferentes níveis e modalidades de ensino, para os diversos setores da
economia, redefiniu sua função social em consonância com as nec essidades identific adas a partir da
compreensão deste contexto social e econômico. Dessa forma, consciente do seu papel social, ent ende
que não pode prescindir de uma ação efetiva que possibilite a definição de projetos que permitam o
desenvolvimento de um processo de inserção do homem na sociedade, de forma participativa, ética e
crítica.
Na tentativa de at ender a essa demanda de formação profissional para novos “postos de
trabalho” que surgem com o crescimento econômico do Estado, o IFRN lança o desafio da oferta do
Curs o Téc nico de Nível Médio Subseqüente em Comércio, na área de Gestão e Negócios, para atender
de um lado, as necessidades de profissionalização de jovens e adultos e, por outro as empres as que
necessitam de trabalhadores qualific ados para preenchimento de vagas nos vários nichos de mercado, o
que oferece divers as oportunidades para a atuaç ão do técnico em Comércio nas áreas de Gestão de
Processos, Comércio e Empresas de prestação de serviços.
Espera-se do Técnico em Comércio um comprometimento com resultados, capacidade de
responder por todo o processo de gerenciamento das vendas, das normas e procedimentos comerciais,
legais e empresariais, visando sempre a adequação das necessidades dos anunciantes às regras
comerciais do mercado, definindo novos caminhos, implement ando, avaliando e corrigindo rotas e
processos, quando necessário. Sendo, ainda, capaz de informar exatamente o que está ocorrendo com
o faturamento de cada agência, com a movimentação de cada anunciante, com o comportamento de
cada segmento do mercado. Enfim, fazendo um serviço de check up permanente para orientar a
empresa.
O objetivo geral do curso visa à formação de um profissional-cidadão, técnico de nível médio,
competente, capaz de articular teoria à prática, demonstrando conhecimentos, habilidades e atitudes
para o desenvolvimento das atividades inerent es às operações comerciais.
Os objetivos específicos do curso compreendem:
Propiciar a aquisição de conhecimentos de base cient ífica, técnica e humanista direcionados
para a área Gestão e Negócios;
Proporcionar condições favoráveis para aplicação dos conhecimentos apreendidos em situações
hipotéticas e/ou reais nas operações comerciais; e
Possibilitar o desenvolvimento de competências demandadas do mundo do trabalho, assim
como uma formação técnica-humanista.

8
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

2. REQUISITOS E FORMAS DE ACESSO

O acesso ao Curs o Técnico de Nível Médio S ubsequente em Comércio, destinado a portadores


do certific ado de conclusão do Ensino Médio, ou equivalente, poderá ser feito através de (Figura 1):
Processo seletivo, aberto ao público ou conveniado, para o primeiro período do curso; ou
Trans ferência ou reingresso, para período compatível.
Com o objetivo de democratizar o acesso ao Curso, 50% (cinqüenta por cento) das vagas oferecidas
a cada entrada poderão ser reservadas para alunos que tenham cursado do sexto ao nono ano do Ensino
Fundamental e todas as séries do Ensino Médio em escola pública.

Portadores de Certificado de
Conclusão do Ensino Médio

Processo Seletivo
Transferência

Reingresso
Alunos de outros Técnico Subsequente em Ex-alunos de cursos
cursos técnicos Comércio técnicos

Figura 1 – Requisitos e formas de acesso ao curso.

3. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DO CURSO

O profissional egresso do Curs o Técnico de Nível Médio Subseqüente em Comércio do IFRN deve
ser capaz de processar as informações, acompanhando e avaliando a evolução dos conhecimentos
oriundos da atividade ex ercida, tendo senso crítico, criatividade, atitude ética, polivalente e com
capacidade de desenvolver, com autonomia, suas atribuições. Deve ser um agente impulsionador do
desenvolvimento sustent ável da região, integrando a formação técnica à humana na perspectiva de um a
formação continuada.
Dessa forma, ao concluir sua formaç ão, o profissional técnico de nível médio em
Comércio deverá demonstrar um perfil que lhe possibilite:
Desenvolver atividades de planejamento e supervisão nos setores de atuaç ão;
Empreender negócios ligados à comercializaç ão de bens e serviços;
Compreender e aplicar as diretrizes organizacionais, visando à competitividade no
mercado;
Operacionalizar planos de marketing e comunicação, logística, recursos humanos e
comercialização;
Utilizar técnicas de negociação, vendas e atendiment o adequadas às operaç ões
comerciais;

9
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Atuar em indústrias, e empresas de comércio e de serviços;


Utilizar adequadamente rec ursos tecnológicos aplicados às operações comerciais.
Ter atitude ética no trabalho e no convívio social;
Saber trabalhar em equipe;
Ter iniciativa, criatividade e res ponsabilidade;
Exercer liderança; e,
Posicionar-se criticamente e eticament e frente às inovações tecnológicas.

4. ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO

4.1. ESTRUTURA CURRICULAR

A organização curricular do Curso observa as det erminações legais presentes nas Diretrizes
Curriculares Nacionais para o Ensino Médio e Educaç ão Profissional de Nível Técnico, nos Parâmetros
Curriculares Nacionais do Ensino Médio, nos Referenciais Curriculares Nacionais da Educação
Profissional, no Decreto nº 5.154/2004, bem como nas diretrizes definidas no Projeto Pedagógico do
IFRN.
A organização curric ular do curso busca atender a autonomia da Instituição, sem, contudo,
perder a visão de uma formação geral que dê conta da percepção dos processos sociais e profissionais
do local e do global.
Dent re os princ ípios e as diretrizes que fundamentam o curso, destacam-se: estética da
sensibilidade; política da igualdade; ética da identidade; inter e transdisciplinaridade; contex tualização;
flexibilidade e inters ubjetividade.
A matriz curricular do curso está organizada por disciplinas em regime seriado semestral, e c om
uma carga-horária t otal de 1.300 horas, sendo 900 horas destinadas às disciplinas e 400 horas à prática
profissional. Os Quadros 1 e 2 descrevem as matrizes curriculares do curso para desenvolvimento nos
turnos diurno e noturno, respectivamente. O Anex o I apresenta as ementas e programas das disciplinas .

10
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Tabela 1 – Matriz Curricular do Curso Técnic o de Nível Médio Subseqüente em Comércio

Carga-Horária/Semestre CH Total
Disciplina
1º 2º 3º H/a Horas
Base de Conhecimentos Científicos e Tecnológicos

Matemática 3 60 45
Língua Portuguesa 3 60 45
Informática 4 80 60
Inglês 3 60 45
Estatística 2 40 30
Leitura e Produção de Textos 3 60 45
Formação Profissional

Fundamentos de Administração 5 100 75


Comportamento Organizacional 2 40 30
Legislação Trabalhista, Tributária e Empresarial 4 80 60
Gestão de Recursos Humanos 3 60 45
Matemática Comercial e Financeira 4 80 60
Técnicas de Vendas e Negociação 4 80 60
Marketing e Comunicação 4 80 60
Estratégia Empresarial 4 80 60
Rotinas Financeiras e Contábeis 4 80 60
Logística 4 80 60
Tecnologias e Sistemas Informatizados de Vendas 3 60 45
Orientação à Prática Profissional 1 20 15
Subtotal CH 20 20 20 1.200 900
Total CH Disciplinas 20 20 20 1.200 900

Total CH Disciplinas (horas) 900


CH Prática Profissional (horas) 400
Total de CH do Curso (horas) 1.300

Observações:
(1)
A hora-aula considerada é de 45 minutos

11
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

4.2. PRÁTI CA P ROFISSIONAL

A prática profissional proposta rege -se pelos princípios da equidade (oportunidade igual a todos),
flexibilidade (mais de uma modalidade de prática profissional), aprendizado continuado (conciliar a t eoria
com a prática profissional) e acompanhament o total ao estudante (orientador em todo o período de sua
realização).
A prática profissional terá carga horária mínima de 400 horas e será realizada por meio de
Estágio Curricular (não obrigatório) e/ou de Desenvolviment o de Projetos Integradores e/ou Projetos de
Extensão e/ou Projetos de Pesquisa, podendo ser desenvolvidos no próprio IFRN, na comunidade e/ou
em locais de trabalho, objetivando a integração ent re teoria e prática e baseando -se no princípio da
interdisciplinaridade, e resultando em relatórios sob o acompanhamento e supervisão de um orientador.
Dessa maneira, a prática profissional constitui uma atividade articuladora entre o ensino, a
pesquisa e a extensão, balizadores de uma formação articulada, universal e integral de sujeitos para
atuar no mundo em constant es mudanças e desafios. Constitui-se, port anto, condição para obtenção do
Diploma de técnico de nível médio.
Os relatórios produzidos deverão ser escrito de acordo com as normas da ABNT estabelecidas
para a redação de trabalhos técnicos e científicos, e fará parte do acervo bibliográfico da Instituição.

4.2.1. Desenvolvimento de Projetos

Os projetos poderão permear todos os períodos do curso, obedecendo às normas instituídas


pelo IFRN, e poderão focalizar o princípio do empreendedorismo de maneira a contribuir com os
estudant es na construção de concepção de projetos de extensão ou projetos didáticos int egradores que
visem ao desenvolvimento comunitário e da cultura familiar, devendo contemplar a aplicação dos
conhecimentos adquiridos durante o curso, tendo em vista a intervenção no mundo do trabalho, na
realidade social, de forma a contribuir para o desenvolvimento local e a solução de problemas.
A metodologia a ser adotada poderá ser por meio de pesquisas de campo, levantamento de
problemas relativos às disciplinas objeto da pesquisa ou de elaboração de projetos de intervenção na
realidade social.
Com base nos projetos integradores, de extensão e/ou de pesquis a desenvolvidos, o estudant e
desenvolverá um relatório, acompanhado por um orientador. O mecanismo de planejamento,
acompanhamento e avaliaç ão do projeto é composto pelos seguintes itens:
a) Elaboração de um plano de atividades, aprovado pelo orientador;
b) Reuniões periódicas do aluno com o orientador; e
c) Elaboração e apresentação de um relatório.

4.2.2. Estágio Curricular

O estágio (não obrigatório) poderá ser realizado a partir do 3º período do curso, obedecendo
às normas instituídas pelo IFRN.

12
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

As atividades programadas para o estágio devem manter uma correspondência com os


conhecimentos teórico-práticos adquiridos pelo aluno no decorrer do curso.
O estágio é acompanhado por um professor orientador para cada aluno, em função da área de
atuação no estágio e das condições de disponibilidade de c arga-horária dos professores. São
mecanismos de acompanhamento e avaliação de estágio:
a) Plano de estágio aprovado pelo professor orientador e pelo professor da disciplina campo de
estágio;
b) Reuniões do aluno com o professor orientador;
c) Visitas à escola por parte do professor orientador, sempre que necessário;
d) Relat ório do estágio supervisionado de ensino.

4.3. DIRETRI ZES CURRICULARES E P ROCEDIMENTOS PEDAGÓGICOS

Este projeto pedagógico de curso deve ser o norteador do currículo no Curso Técnico de Nível
Médio Subs equente em Comércio. Caracteriza-se, portanto, como expressão c oletiva, devendo ser
avaliado periódica e sistematicamente pela comunidade escolar, apoiados por uma Comissão a que
compete. Qualquer alt eraç ão deve ser vista s empre que s e verificar, mediante avaliações sistemáticas
anuais, defasagem entre o perfil de conclus ão do curs o, seus objetivos e sua organizaç ão curricular
frente às exigências decorrentes das trans formações científicas, tecn ológicas, sociais e culturais, porém
só podendo ser efetivada quando solicitada e aprovada aos conselhos competentes.
A educação profissional t écnica integrada de nível médio será oferecida a quem tenha concluído
o ensino fundamental, sendo o curso planejado de modo a conduzir o(a) discente a uma habilitação
profissional técnica de nível médio que também lhe dará direito à continuidade de estudos na educação
superior, contando com matrícula única na Instituição, sendo os cursos estruturados em quatro anos e,
ao final, o(a) estudante receberá o diploma de técnico de nível médio no respectivo curso. A matriz
curricular está organizada em regime anual, por disciplinas distribuídas em núcleo comum, parte
diversificada e formação profissional.
Os princípios pedagógicos, filosófic os e legais que subsidiam a organização, definidos neste
projeto pedagógico de curso, nos quais a relação teoria-prática é o princípio fundamental associado à
estrutura curricular do curso, conduzem a um fazer pedagógico, em que atividades como práticas
interdisciplinares, seminários, oficinas, visitas técnicas e desenvolvimento de projetos, entre outros,
estão presentes durante os períodos letivos.
O trabalho coletivo entre os grupos de professores da mesma base de conheciment o e entre os
professores de base cient ífica e da base tecnológica espec ífica é imprescindível à construção de práticas
didático-pedagógicas integradas, resultando na construção e apreensão dos conhecimentos pelos
alunos numa perspectiva do pensamento relacional. Par a tanto os professores, articulados pela equipe
técnico-pedagógica deverão des envolver aula de campo, atividades laboratoriais, projetos integradores e
práticas coletivas juntamente com os alunos. Para essas atividades que prever um planejamento
coletivo, os professores têm a sua disposição, horários para encontros ou reuniões de grupo.
Considera-se a aprendizagem como processo de construção de conhecimento, em que partindo
dos conhecimentos prévios dos alunos, os professores assumem um papel fundamental nesse processo,

13
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

idealizando estratégias de ensino de maneira que a partir da articulação entre o conhecimento do senso
comum e o conheciment o escolar, o aluno possa desenvolver suas percepções e convicções acerca dos
processos sociais e de trabalho, construindo-se como pessoas e profissionais responsáveis éticos e
competentemente qualificados na área de cooperativismo.
Neste sentido, a avaliação da aprendizagem assume dimens ões mais amplas, ultrapassando a
perspectiva da mera aplicação de provas e testes para assumir uma prática diagnóstica e processual
com ênfase nos aspectos qualitativos.

4.4. INDICADORES METODOLÓGICOS

Neste projeto pedagógico de curs o, a metodologia é entendida como um conjunto de


procedimentos empregados para atingir os objetivos propostos para a integração da E ducação Básica
com a Educação P rofissional, assegurando uma formação integral dos alunos. Para a sua concretude, é
recomendado considerar as características espec íficas dos alunos, seus interesses, condições de vida e
de trabalho, além de observar os seus conhecimentos prévios, orientando -os na (re)construção dos
conhecimentos escolares, bem como a es pecificidade do curso Técnico Integrado.
O estudante vive as incertezas próprias do atual contexto histórico. Em razão disso, faz -se
necessária à adoção de procediment os didático -pedagógicos, que possam auxiliar os estudantes nas
suas construções intelectuais, procedimentais e atitudinais, tais como:
Problematizar o conhecimento, buscando confirmação em diferentes fontes;
Reconhecer a tendência ao erro e à ilusão;
Entender a totalidade como uma sínt ese das múltiplas relações que o homem estabelece na
sociedade;
Reconhecer a existência de uma identidade comum do ser humano, sem esquecer-se de
considerar os diferentes ritmos de aprendizagens e a subjetividade do aluno;
Adotar a pesquis a como um princípio educativo;
Articular e integrar os conheciment os das diferentes áreas sem sobreposição de saberes;
Adotar atitude inter e transdisciplinar nas práticas educativas; e,
Cont extualizar os conhecimentos sistematizados, valorizando as experiências dos alunos,
sem perder de vista a (re) construção do saber escolar.
Organizar um ambiente educativo que articule múltiplas atividades voltadas às diversas
dimensões de formação dos jovens e adultos, favorecendo a t rans formação das informações
em conhecimentos diante das situações reais de vida;
Diagnosticar as necessidades de aprendizagem dos (as) estudantes a partir do levantamento
dos seus conhecimentos prévios;
Elaborar mat eriais impressos a serem trabalhados em aulas expositivas dialogadas e
atividades em grupo;
Elaborar e executar o planejamento, registro e análise das aulas realizadas;
Elaborar projetos com objetivo de articular e inter -relacionar os saberes, tendo como
princ ípios a cont extualização, a trans e a interdisciplinaridade;
Utilizar recursos tecnológicos para subsidiar as atividades pedagógicas;
14
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Sistematizar coletivos pedagógicos que possibilitem os estudantes e professores refletir,


repensar e tomar decisões referent es ao proc esso ensino-aprendizagem de forma
significativa;
Ministrar aulas interativas, por meio do des envolvimento de projetos, seminários, debates,
atividades individuais e outras atividades em grupo.

5. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

Neste projeto pedagógico do curso Técnico de Nível Médio em Comércio na forma S ubsequente,
considera-se a avaliaç ão como um processo cont ínuo e cumulativo. Nesse processo, são assumidas as
funções diagnóstica, formativa e somativa de forma Subsequente ao processo ensino-aprendizagem, as
quais devem ser utilizadas como princípios orientadores para a tomada de consciência das dificuldades,
conquistas e possibilidades dos estudantes. Igualment e, deve funcionar como instrumento colaborador
na verificação da aprendizagem, levando em consideração o predomínio dos aspectos qualitativos sobre
os quantitativos.
A proposta pedagógica do curso prevê atividades avaliativas que funcionem como instrumentos
colaboradores na verificação da aprendizagem, contemplando os seguintes aspectos:
Adoção de procedimentos de avaliação contínua e cumulativa;
Prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos;
Inclusão de atividades contextualizadas;
Manutenção de diálogo permanent e com o aluno;
Cons enso dos critérios de avaliação a serem adotados e cumprimento do estabelecido;
Disponibilização de apoio pedagógico para aqueles que têm dificuldades;
Adoção de estratégias cognitivas e metacognitivas como aspectos a serem considerados
nas avaliações;
Adoção de proc edimentos didático-pedagógicos visando à melhoria contínua da
aprendizagem;
Discussão, em sala de aula, dos resultados obtidos pelos estudantes nas atividades
desenvolvidas; e
Observaç ão das características dos alunos, seus conhecimentos prévios integrando-os aos
saberes sistematizados do curso, cons olida ndo o perfil do trabalhador-cidadão, c om vistas à
(re) construção do saber escolar.

A avaliação do desempenho escolar é feita por disciplinas e bimestres, considerando aspectos


de assiduidade e aproveitamento, conforme as diret rizes da LDB Lei nº 9.394/96. A assiduidade diz
respeito à freqüência às aulas teóricas, aos trabalhos escolares, aos exercícios de aplicação e atividades
práticas. O aproveitamento escolar é avaliado at ravés de acompanhamento contínuo dos estudantes e
dos resultados por eles obtidos nas atividades avaliativas.

15
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Os critérios de verificação do desempenho acadêmico dos estudantes são tratados pelo


Regulamento dos Cursos Técnicos do IFRN.

6. CRITÉRIOS DE APROVEITAMENTO DE ESTUDOS E CERTIFICAÇÃO DE


CONHECIMENTOS

No Curso Técnico de Nível Médio S ubsequente em Comércio, o aproveitament o de estudos e a


certificação de conhecimentos adquiridos através de ex periências vivenciadas previament e ao início do
curso ocorrerão conforme descrito à continuaç ão:
Aproveitamento de Estudos: compreende a possibilidade de aproveitamento de disciplinas
estudadas em outro curso de educação profissional técnica de nível médio, mediant e
requeriment o. Com vistas ao aproveitamento de estudos, a avaliação rec airá sobre a
correspondência entre os programas das disciplinas cursadas na outra instituição e os do
IFRN e não sobre a denominação das disciplinas para as quais se pleiteia o aproveitamento.
Certificação de Conhecimentos: o estudante poderá solicitar certificação de
conhecimentos adquiridos at ravés de experiências previamente vivenciadas, inclusive fora
do ambiente escolar, com o fim de alcançar a dispensa de alguma(s) disciplina(s) integrantes
da matriz curricular do curso. O respectivo processo de certific ação consistirá em uma
avaliação teórica ou teórica-prática, conforme as características da disciplina.
O aproveitamento de estudos e a certificação de conhecimentos adquiridos através de
experiências vivenciadas previamente ao início do curso são tratados pelo Regulamento dos Cursos
Técnicos do IFRN.

7. INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS

O Quadro 3 a seguir apresenta a estrut ura física necessária ao funcionamento do Curso de


Técnico Subsequente em Comércio.

Quadro 3 – Quantific ação e descriç ão das instalações necessárias ao funcionamento do curso.

Qtde. Espaço Físico Descrição


Com 48 carteiras, ventilador de parede e/ou condicionador de ar,
Salas de Aula*
disponibilidade para utilização de notebook com projetor multimídia.
Com 60 cadeiras, projetor multimídia, computador, lousa interativa,
01 Sala de Audiovisual
televisor 29”, DVD player.
Com 160 lugares, projetor multimídia, notebook, sistema de caixas
01 Auditório
acústicas e microfones.
Com espaço de estudos individual e em grupo, equipamentos
específicos e acervo bibliográfico e de multimídia. Quanto ao acervo da
01 Biblioteca biblioteca deve ser atualizado com no mínimo cinco referências das
bibliografias indicadas nas ementas dos diferentes componentes
curriculares do curso.
01 Laboratório de Informática Com 24 máquinas, software e projetor multimídia.
Laboratório de Línguas Com 40 carteiras, projetor multimídia, computador, televisor 29”, DVD
01
estrangeiras player, som amplificado.

16
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Laboratório de Estudos de Com computadores, para apoio ao desenvolvimento de trabalhos por


01
Informática alunos
* Quantidade a depender da estrutura física da instituição.

7.1. BIBLIOTECA

A Biblioteca deverá operar com um sistema completamente informatizado, possibilitando fácil


acesso via terminal ao acervo da biblioteca. O sistema informatizado propicia a reserva de exemplares
cuja política de empréstimos prevê um prazo máximo de 14 (catorze) dias para o aluno e 21 (vint e e um)
dias para os professores, além de manter pelo menos 1 (um) volume para consultas na própria
Instituição. O acervo deverá estar dividido por áreas de conheciment o, facilitando, assim, a procura por
títulos específicos, com exemplares de livros e periódicos, contemplando todas as áreas de abrangência
do curso. Deve oferec er serviços de empréstimo, renovaç ão e reserva de material, consultas
informatizadas a bases de dados e ao ac ervo, orientação na normalização de trabalhos acadêmicos,
orientação bibliográfica e visitas orient adas.
Deverão estar disponíveis para consulta e empréstimo, numa proporção de 6 (seis) alunos por
exemplar, no mínimo, 3 (três) dos títulos constantes na bibliografia básica e 2 (dois) dos títulos
constantes na bibliografia complementar das disciplinas que compõem o curs o, com uma média de 3
exemplares por título.

8. PESSOAL DOCENTE E TÉCNICO-ADMINISTRATIVO

Os Quadros 4 e 5 descrevem, respectivamente, o pessoal docente e técnico -administrativo,


necessários ao funcionamento do Curso, tomando por base o desenvolvimento simultâneo de uma turma
para cada período do curso, correspondente ao Quadro 1.

Quadro 4 – Pessoal docente necessário ao funcionamento do curso.

Descrição Qtde.
Professor com licenciatura plena em Matemática 01
Professor com licenciatura plena em Língua Portuguesa 01
Professor com licenciatura plena em Língua Inglesa 01
Professor com graduação na área de Informática 01
Professor com graduação na área de Administração 01
Professor com graduação em Economia 02
Professor com graduação em Administração 01
Total de professores necessários 08

Quadro 5 – Pessoal técnico-administrativo necessário ao funcionamento do curso.

Descrição Qtde.
Apoio Técnico
Profissional de nível superior na área de Pedagogia, para assessoria técnica ao coordenador de
curso e professores, no que diz respeito às políticas educacionais da instituição, e 01
acompanhamento didático pedagógico do processo de ensino aprendizagem.
Profissional técnico de nível médio/intermediário na área de Informática para manter, organizar e
01
definir demandas dos laboratórios de apoio ao Curso.
Profissional técnico de nível médio/intermediário na área de xxx para manter, organizar e definir
01
demandas dos laboratórios de apoio ao Curso.
Apoio Administrativo
Profissional de nível médio/intermediário para prover a organização e o apoio administrativo da 01

17
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

secretaria do Curso.
Total de técnicos-administrativos necessários 04

Além disso, é necessária a existência de um professor Coordenador de Curso, com graduação


na área de Administração, respons ável pela organiz ação, decisões, enc aminhamentos e
acompanhamento do Curso.

9. CERTIFICADOS E DIPLOMAS

Após a integralização dos componentes curriculares que compõem o Curso Técnico de Nível
Médio Subsequente em Comércio, na modalidade presencial, e da realização da correspondent e prática
profissional, será conferido ao egresso o Diploma de Técnico de Nível Médio em Comércio.

18
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

REFERÊNCIAS

BRASIL. Lei nº 9.394 de 20/12/1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília/DF:
1996.

_________. Lei nº 11.892 de 29/12/2008. Institui a Rede Federal de Educação P rofissional, Cient ífica e
Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia e dá outras providências.
Brasília/DF: 2008.

_________. Decreto Nº 5.154, de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 41


da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diret rizes e bases da educação
nacional, e dá outras providências. Brasília/DF: 2004.

MEC/SETEC. Catálogo dos Cursos Técnicos. Disponível em Catálogo Nacional de Cursos Técnicos.
(Acesso em 12/04/2009). Brasília/DF: 2008.

CENTRO FE DERAL DE EDUCAÇÃ O TE CNOLÓGICA DO RIO GRA NDE DO NORTE. Projeto de


reestruturação curricular. Natal: CEFE T-RN, 1999.

_________. Projeto político-pedagógico do CEFET -RN: um documento em construção. Natal: CEFE T-


RN, 2005.

_________. Regulamento dos cursos técnicos de nível médio na forma subsequente: CEFET-RN,
2004.

19
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

ANEXO I – PROGRAMAS DAS DISCIPLINAS

Curso: Técnico em Operações Comerciais


Modalidade: Subseqüente Área Profissional: Gestão e Negócios
Disciplina: Matemática Carga-Horária: 45h (60h/a)

Objetivos
Usar a teoria dos conjuntos;
Usar funções matemáticas na modelagem, resolução de problemas e geração de gráficos do cotidiano;
Resolver problemas geométricos, no plano e espaço, por meio de equações e gráficos;
Utilizar o estudo de matrizes e sistemas lineares na solução de problemas.
Aplicar os conteúdos apresentados na resolução de situações problemas.

Conteúdo Programático
1. Conjuntos 3.6. Funções inversas
1.1. Conceitos 3.7. Funções crescentes e decrescentes
1.2. Relações entre elementos e conjuntos 3.8. Função polinomial do 1º grau
1.3. Operações com conjuntos 3.9. Função polinomial do 2º grau
1.4. Conjuntos numéricos 3.10. Função modular
1.4.1. Propriedades 3.11. Função exponencial
1.4.2. Intervalos 3.12. Função logarítmica
1.4.3. Operações 3.13. Funções trigonométricas
2. Operações algébricas 4. Geometria analítica no plano
2.1. Operações com polinômios 4.1. Estudo do ponto
2.2. Fatoração 4.2. Estudo da reta
2.3. Operações com expressões racionais 4.3. Estudo da circunferência
3. Funções 5. Matri zes e Álgebra Linear
3.1. Definição 5.1. Conceituação e representação de uma matriz
3.2. Notação 5.2. Operações com matrizes
3.3. Gráfico 5.3. Determinantes
3.4. Função composta 5.4. Sistema Linear
3.5. Funções pares e ímpares

Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos


Aulas teóricas expositivas dialogadas e atividades em grupo, resolução de listas de exercícios, dinâmicas de grupo e
estudo dirigido, utilização de quadro branco, projetor multimídia, retroprojetor

Avaliação
Avaliações escritas individual e em grupo;
Resolução de lista de exercícios, estudo dirigido, pesquisas;
Apresentação de seminários.

Bibliografia
1. DANTE, L. R. Matemática – Contexto e Aplicação. Volume único, São Paulo: Ática,1999.
2. IEZZI, G. et al. Matemática: ciência e aplicações. 3v. ensino médio. 2 ed. São Paulo: Atual, 2004.
3. IEZZI, G. et. al. Fundamentos de matemática elementar. V.1,7. 6.ed.São Paulo: atual editora, 1985.
4. LIMA, E.L.et.al. A matemática do ensino médio. V.1, 3. Rio de Janeiro: Coleção do professor de matemática, 2001.
5. MELLO, J.L.P.(org). Matemática: construção e significado. Volume único ensino médio, São Paulo: moderna, 2005.

Informações Adicionais
Software(s) de Apoio: MAPLE, MATLAB ou similar

20
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Curso: Técnico em Operações Comerciais


Modalidade: Subseqüente Área Profissional: Gestão e Negócios
Disciplina: Língua Portuguesa Carga-Horária: 45h (60h/a)

Objetivos
Gramática:
Aperfeiçoar o conhecimento o conhecimento (teórico e prático) sobre as convenções relacionadas ao registro
padrão escrito.
Leitura de textos escritos:
recuperar o tema e a intenção comunicativa dominante;
reconhecer, a partir de traços caracterizadores manifestos, a(s) seqüência(s) textual(is) presente(s) e o gêner o
textual configurado;
descrever a progressão discursiva;
identificar os elementos coesivos e reconhecer se assinalam a retomada ou o acréscimo de informações; e
avaliar o texto, considerando a articulação coerente dos elementos lingüísticos, dos parágrafos e demais partes do
texto; a pertinência das informações e dos juízos de valor; e a eficácia comunicativa.
Produção de textos escritos:
produzir textos (representativos das seqüências descritiva, narrativa e argumentativa e, respectivamente, dos
gêneros verbete, relato de atividade acadêmica e artigo de opinião), considerando a articulação coerente dos
elementos lingüísticos, dos parágrafos e das demais partes do texto; a pertinência das informações e dos juízos de
valor; e a eficácia comunicativa.

Conteúdo Programático
1. Tópicos de gramática
1.1. Padrões frasais escritos
1.2. Convenções ortográficas
1.3. Pontuação
1.4. Concordância
1.5. Regência
2. Tópicos de leitura e produção de textos
2.1. Competências necessárias à leitura e à produção de textos: competência lingüística, enciclopédi ca e
comunicativa
2.2. Tema e intenção comunicativa
2.3. Progressão discursiva
2.4. Paragrafação: organização e articulação de parágrafos (descritivos, narrativos, argumentativos);
2.5. Seqüências textuais (descritiva, narrativa, argumentativa e injuntiva): marcadores lingüís ticos e elementos
macroestruturais básicos
2.6. Gêneros textuais (especificamente jornalísticos, técnicos e científicos): elementos composicionais, temáticos,
estilísticos e programáticos
2.7. Coesão: mecanismos principais
2.8. Coerência: tipos de coerência (interna e externa) e requisitos de coerência interna (continuidade, progressão,
não-contradição e articulação)

Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos


Aula dialogada, leitura dirigida, discussão e exercícios com o auxílio das diversas tecnologias da comun icação e da
informação

Avaliação
Avaliação contínua, por meio de atividades orais e escritas, individuais e em grupo

Bibliografia
1. Apostilas elaboradas pelos professores
2. BECHARA, E. Gramática Escolar da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Lucerna, 2001.
3. SAVIOLI, F.P.; FIORIN, J.L. Lições de texto: leitura e redação. São Paulo: Ática, 1996.
4. CAMARGO, T. N. de. Uso de Vírgula. Barueri, SP: Monole, 2005. (Entender o português; 1).
5. FAR ACO, C.A.; TEZZA, C. Oficina de Texto . Petrópolis, RJ: Vo zes, 2003.
6. FIGUEIREDO, L. C. A redação pelo parágrafo. Brasília: Universidade de Brasília, 1999.
7. GARCEZ, L. H. do C. Técnica de redação: o que é preciso saber para bem escrever. São Paulo: Martins Fontes,
2002.

21
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Curso: Técnico em Operações Comerciais


Modalidade: Subseqüente Área Profissional: Gestão e Negócios
Disciplina: Informática Carga-Horária: 60h (80h/a)

Objetivos
Identificar os componentes básicos de um computador: entrada, processamento, saída e armazenamento.
Relacionar os benefícios do armazenamento secundário.
Identificar os tipos de software que estão disponíveis tanto para grandes quanto para pequenos negócios.
Relacionar e descrever soluções de software para escritório.
Operar softwares utilitários.
Operar softwares aplicativos, despertando para o us o da informática na sociedade.

Conteúdo Programático
1. INTRODUÇÃO À MICROINFORMÁTICA (4h/a)
1.1. Hardware
1.1.1. Componentes básicos de um computador
1.1.2. Como funciona um computador digital
1.1.3. Armazenamento secundário
1.2. Software
1.2.1. Software de sistemas
1.2.2. Software aplicativo
1.2.3. Software orientado à tarefa
1.2.4. Software de negócios
1.2.5. Os profissionais de informática
1.3. Segurança da Informação
1.3.1. Objetivo
1.3.2. Princípios e ameaças
1.3.3. Controles
2. SISTEMAS OPERACIONAIS (12h/a)
2.1. Fundamentos e funções
2.2. Sistemas operacionais existentes
2.3. Estudos de caso: Windows e Linux
2.3.1. Ligar e desligar o computador
2.3.2. Utilização de teclado e mouse
2.3.3. Tutoriais e ajuda
2.3.4. Área de trabalho
2.3.5. Gerenciando pastas e arquivos
2.3.6. Ferramentas de sistemas
2.3.7. Compactadores de arquivos
2.3.8. Anti vírus e antispyware
3. INTERNET (8h/a)
3.1. Histórico e fundamentos
3.2. Serviços: acess ando páginas, comércio eletrônico, pesquisa de informações, download de arquivos, correio
eletrônico, conversa on-line, aplicações (sistema acadêmico), configurações de segurança do Browser, grupos
discussão da Web(Google, Yahoo), Blogs.
4. SOFTWARE PROCESSADOR DE TEXTO (20h/a)
4.1. Visão geral do software
4.2. Configuração de páginas
4.3. Digitação e manipulação de texto
4.4. Nomear, gravar e encerrar sessão de trabalho
4.5. Controles de exibição
4.6. Correção ortográfica e dicionário
4.7. Inserção de quebra de página
4.8. Recuos, tabulação, parágrafos, espaçamentos e margens
4.9. Listas
4.10. Marcadores e numeradores
4.11. Bordas e sombreamento
4.12. Classificação de textos em listas
4.13. Colunas
4.14. Tabelas
4.15. Modelos
4.16. Ferramentas de desenho
4.17. Figuras e objetos
4.18. Hifenização e estabelecimento do idioma
5. SOFTWARE PLANILHA ELETRÔNICA (20h/a)

22
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

5.1. O que faz uma planilha eletrônica


5.2. Entendendo o que sejam linhas, colunas e endereço da célula
5.3. Fazendo Fórmula e aplicando funções
5.4. Formatando células
5.5. Resolvendo problemas propostos
5.6. Classificando e filtrando dados
5.7. Utilizando formatação condicional
5.8. Vinculando planilhas
6. SOFTWARE DE APRESENTAÇÃO (16h/a)
6.1. Visão geral do Software
6.2. Sistema de ajuda
6.3. Como trabalhar com os modos de exibição de slides
6.4. Como gravar, fechar e abrir apresentação
6.5. Como imprimir apresentação apresentações, anotações e folhetos
6.6. Fazendo uma apresentação: utilizando Listas, formatação de textos, inserção de desenhos, figuras, som,
vídeo, inserção de gráficos, organogramas, estrutura de cores, segundo plano
6.7. Como criar anotações de apresentação
6.8. Utilizar transição de slides, efeitos e animação

Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos


Aulas expositivas, aulas práticas em laboratório, estudos dirigidos com abordagem prática, seminários, pesquisa na
Internet.
Utilização de quadro branco, computador, projetor multimídia, vídeos

Avaliação
Avaliações escritas e práticas em laboratório
Trabalhos individuais e em grupo (listas de exercícios, estudos dirigidos, pesquisas)

Bibliografia
1. CAPRON, H.L. e JOHNSON, J.A. Introdução à informática. São Paulo : Pearson Prentice Hall, 2004.
2. NORTON, Peter. Introdução a informática. São Paulo: Makron Books, 1996.
3. TORRES, Gabriel. Hardware: Curso completo. Axcel Books, 1999.
4. JORGE, Marcos (coord). Excel 2000. Makron Books, 2000.
5. JORGE, Marcos (coord). Internet. Makron Books, 1999.
6. JORGE, Marcos (coord). Word 2000. Makron Books, 1999.
7. TINDOU, Rodrigues Quintela. Power Point XP. Escala Ltda, 2000.
8. Apostilas e estudos dirigidos desenvolvidos por professores da área de Informática do CEFET/RN
9. Apostilas disponíveis em http://www.broffice.org.br/.

Informações Adicionais
Software(s) de Apoio: Diversos Softwares, MS Office, OpenOffice.
Site(s): Diversos sites

23
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Curso: Técnico em Operações Comerciais


Modalidade: Subseqüente Área Profissional: Gestão e Negócios
Disciplina: Inglês Carga-Horária: 45h (60h/a)

Objetivos
Desenvolver habilidades de leitura e escrita na língua inglesa e o uso competente dessa no cotidiano;
Construir textos básicos, em inglês, usando as estruturas gramaticais adequadas;
Praticar a tradução de textos do inglês para o português;
Compreender textos em Inglês, através de estratégias cognitivas e estruturas básicas da língua;
Utilizar vocabulário da língua inglesa nas áreas de formação profissional;
Desenvolver projetos multidisciplinares , interdisciplinares utilizando a língua Inglesa como fonte de pesquisa.

Conteúdo Programático
1. Estratégias de Leitura 3.5. Present perfect
1.1. Identificação de idéia central 3.6. Present perfect continuous
1.2. Localização de informação específica e 3.7. Conditional sentences
compreensão da estrutura do texto 3.8. Modal verbs
1.3. Uso de pistas contextuais 3.9. Prepositions
1.4. Exercício de inferência 3.10. Linking words (conjunctions)
2. Estratégias de Leitura 4. Conteúdo Sistêmico
2.1. Produção de resumos, em português, dos textos 4.1. Compound adjectives
lidos 4.2. Verb patterns
2.2. Uso de elementos gráficos para “varredura” de 4.3. Word order
um texto 4.4. Comparisons: comparative and superlative of
3. Conteúdo Sistêmico adjectives
3.1. Contextual reference 4.5. Countable and uncountable nouns
3.2. Passive to describe process 4.6. Word formation: prefixes, suffixes, acronyms and
3.3. Defining relative clauses compounding
3.4. Instructions: imperative

Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos


Aulas expositivas com discussão; Seminários temáticos; Aulas práticas em laboratório; Discussões presenciais de
estudos de casos e de textos previamente selecionados
Recursos didáticos: Internet; projetor de multimídia, retro-projetor, DVDs, computador, televisor, e CD-ROMs

Avaliação
A avaliação tem caráter contínuo e os resultados da aprendizagem são aferidos através de provas, questionamentos
orais, trabalhos escritos, assiduidade, pontualidade, e participação nas aulas, destacando: trabalhos individuais e em
grupo; participação em discussões e seminários presenciais; desenvolvimento de projetos multidisciplinares e
interdisciplinares.

Bibliografia
1. ACEVEDO, Ana; DUFF, Marisol with REZENDE, Paulo. Grand Slam Combo. Pearson Education, 2004.
2. Dicionário Inglês – português e português inglês.
3. FERRARI, Mari za & RUBIN, Sarah G. Inglês. De Olho no mundo do trabalho. São Paulo ; Scipione, 2003.

24
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Curso: Técnico em Operações Comerciais


Modalidade: Subseqüente Área Profissional: Gestão e Negócios
Disciplina: Estatística Carga-Horária: 30h (40h/a)

Objetivos
Fornecer as bases conceituais da estatística aplicada à área da administração e vendas.
Apresentar e discutir conceitos e ferramentas estatísticas básicas e necessárias ao desenvolvimento -
amadurecimento do raciocínio estatístico, de forma contextualizada, capacitando e qualificando os estudantes para
análise crítica de conjuntos de dados (com ênfase no subsídio para o processo de tomada de decisão).
Interpretar e aplicar os conhecimentos da Estatística em diferentes contextos no campo da gestão e administração
comercial.

Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos)


1. Aspectos básicos da estatística
1.1. Conceito e aplicações
1.2. População e amostra
1.3. Estatística indutiva e estatística descritiva
1.4. Dado estatístico: arredondamento
1.5. Variáveis em estatística
1.6. Fases do método estatístico
2. Séries estatísticas
2.1. Conceito
2.2. Classificação
2.3. Organização de dados
2.4. Representação gráfica e aplicações
3. Distribuição de freqüências
3.1. Elementos principais
3.2. Organização de distribuição de freqüências
3.3. Representação gráfica: histograma, polígono de freqüências, ogiva
4. Medidas de tendência central
4.1. Conceito e aplicações
4.2. Médias clássicas: aritmética, harmônica e geométrica
4.3. Medidas separatrizes: mediana, decis, quartis
4.4. Medida especial: moda
5. Medidas de dispersão
5.1. Conceito - desvios
5.2. Desvios
5.3. Coeficiente de variação
6. Distribuição de probabilidades
6.1. Distribuição descontínua de probabilidade
6.2. Distribuição contínua de probabilidade
7. Aproximação normal da distribuição binomial.

Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos


Aulas expositivas; análise de estudos de casos; resolução de exercícios; atividades em grupo e individuais.
Utilização de projetor multimídia e quadro branco.

Avaliação
Avaliação de caráter contínuo, onde resultados da aprendizagem são aferidos através de provas, trabalhos escritos,
assiduidade, pontualidade, e participação nas aulas, destacando: trabalhos individuais e em grupo

Bibliografia
1. BUSSAB, W. O. Estatística básica. São Paulo: Atual 1987.
2. CRESPO, A. A. Estatística fácil. São Paulo: Saraiva, 2001.
3. DOWNING, D. Estatística aplicada. São Paulo: Saraiva, 1999.
4. FONSECA, Jairo Simon da. Curso de estatística. São Paulo: Atlas, 1996. (09)
5. SILVA, Ermes Medeiros da et al. Estatística: para os cursos de economia, administração e ciências contábeis. 2.ed.
São Paulo: Atlas, 1999. V.1. (06)
6. SILVA, Ermes Medeiros da et al. Estatística: para os cursos de economia, administração e ciências contábeis. 2.ed.
São Paulo: Atlas, 1997. V.2. (06)
7. TOLEDO, G. L.; OVALLE, I. Estatística básica. São Paulo: Atlas, 1995. (10)

25
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Curso: Técnico em Operações Comerciais


Modalidade: Subseqüente Área Profissional: Gestão e Negócios
Disciplina: Leitura e Produção de Textos Carga-Horária: 45h (60h/a)

Objetivos
Leitura de textos de natureza técnica, científica e/ou acadêmica:
identificar marcas estilísticas caracterizadoras da linguagem técnica, científica e/ou acadêmica;
reconhecer traços configuradores de gêneros técnicos, científicos e/ou acadêmicos (especialmente do resumo, da
resenha, do relatório e do artigo científico);
recuperar a intenção comunicativa em resenha, relatório e artigo científico;
descrever a progressão discursiva em resenha, relatório e artigo científico;
reconhecer as diversas formas de citação do discurso alheio e avaliar-lhes a pertinência no co-texto em que se
encontram;
utilizar-se de estratégias de sumarização;
avaliar textos/trechos representativos dos gêneros supracitados, considerando a articulação coerente dos
elementos lingüísticos, dos parágrafos e das demais partes do texto; a pertinência das informações; os juízos de
valor; a adequação às convenções da ABNT; e a eficácia comunicativa.
Produção de textos escritos de natureza técnica, científica e/ou acadêmica:
expressar-se em estilo adequado aos gêneros técnicos, científicos e/ou acadêmicos;
utilizar-se de estratégias de pessoalização e impessoalização da linguagem;
citar o discurso alheio de forma pertinente e de acordo com as convenções da ABNT;
sinalizar a progressão discursiva (entre frases, parágrafos e outras partes do texto) com elementos coesivos a fim
de que o leitor possa recuperá-la com maior facilidade;
produzir resumo, resenha, relatório e artigo científico conforme diretrizes expostas na disciplina.

Conteúdo Programático
1. Organização do texto escrito de natureza técnica, científica e/ou acadêmica
1.1. Características da linguagem técnica, científica e/ou acadêmica
1.2. Sinalização da progressão discursiva entre frases, parágrafos e outras partes do texto
1.3. Reflexos da imagem do autor e do leitor na escritura em função da cena enunciativa
1.4. Estratégias de pessoalização e de impessoalização da linguagem
2. Discurso alheio no texto escrito de natureza técnica, científica e/ou acadêmica
2.1. Formas básicas de citação do discurso alheio: discurso direto, indireto, modalização em discurso segundo a
ilha textual
2.2. Convenções da ABNT para as citações do discurso alheio
3. Estratégias de sumarização
4. Gêneros técnicos, científicos e/ou acadêmicos: resumo, resenha, relatório e artigo científico
4.1. Estrutura composicional e estilo

Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos


Aula dialogada, leitura dirigida, discussão e exercícios com o auxílio das diversas tecnologias da comunicação e da
informação

Avaliação
Avaliação contínua por meio de atividades orais e escritas, individuais e em grupo

Bibliografia
1. Apostilas elaboradas pelos professores.
2. BECHARA, E. Gramática escolar da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Lucerna, 2001.
3. ISLANDAR, J.I. Normas da ABNT comentadas para trabalhos científicos. 2. ed. Curitiba: Juruá, 2004.
4. MACHADO, A.R. (Coord.). Resenha. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.
5. _____. Resumo. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.
6. _____. Planejar gêneros acadêmicos. São Paulo: Parábola Editorial, 2005.
7. AZEVEDO, I. B. de. O pra zer da produção científica: diretrizes para a elaboração de trabalhos científicos. 10. ed.
São Paulo: Hagnos, 2001.
8. FIGUEIREDO, L.C. A redação pelo parágrafo. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1999.
9. GARCEZ, L.H do C. Técnica de redação: o que é preciso saber para bem escrever. São Paulo: Martins Fontes,
2002.
10. LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

26
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Curso: Técnico em Operações Comerciais


Modalidade: Subseqüente Área Profissional: Gestão e Negócios
Disciplina: Fundamentos de Administração Carga-Horária: 75h (100h/a)

Objetivos
Conhecer as infra-estruturas físicas e funcionais das empresas;
Estabelecer a inter-relação entre as diversas áreas de gestão da empresa;
Ter a compreensão funcional da infra-estrutura física das empresas;
Conhecer e compreender os diversos estágios da evolução da administração;
Analisar a abrangência da administração, a partir do desenvolvimento gradativo da teoria administrativa até o
estágio atual;
Proporcionar ao aluno compreender o processo de gestão e sua importância para as organizações, conhecer as
técnicas de chefia e liderança e entender processo de negociação dentro das organizações, a partir de sua
estrutura organizacional.

Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos)


1. Introdução e evolução da teoria geral da administração.
2. Organização e empresa.
3. Análise das funções administrativas.
4. Administração por objetivo e administração sistêmica.
5. Chefia e liderança.
6. Processo de tomada de decisão.
7. Desenvolvimento de equipes de trabalho.
8. Gestão da Qualidade.
9. Qualidade nos serviços.
10. A terceirização e a qualidade.
11. Ferramentas da Qualidade. Normas da Qualidade.
12. Conformidade das normas da serie ISO 9000.
13. Qualidade de Vida no Trabalho.

Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos


Aulas expositivas; análise de estudos de casos; resolução de exercícios; atividades em grupo e individuais.
Utilização de projetor multimídia e quadro branco.

Avaliação
Avaliação escrita.
Análise de estudos de casos.
Seminários

Bibliografia
1. CHIAVENATO, Idalberto. INTRODUÇAO A TEORIA GER AL DA ADMINISTR AÇAO - EDIÇ ÃO COMPACTA.
Campus, 2004.
2. CHIAVENATO, Idalberto. PRINCIPIOS D A AD MINISTR AÇ AO. Campus , 2006.
3. CHIAVENATO, Idalberto. Administração nos Novos Tempos, São Paulo – Makron Books, 1999.
4. DAFT, Richard L. Organizações: teorias e projetos. São Paulo. Pioneira, 2003.
5. CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração: uma visão abrangente da moderna
administração. Rio de Janeiro. Elsevier, 2004.
6. LONGENECKER, Justin G.; Moore, Carlos W. e Petty, J. William. Administração de pequenas empresas. São Paulo
– Makron Books, 1997.

27
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Curso: Técnico em Operações Comerciais


Modalidade: Subseqüente Área Profissional: Gestão e Negócios
Disciplina: Comportamento Organizacional Carga-Horária: 30h (40h/a)

Objetivos
Compreender as relações estabelecidas no interior das organizações entre indivíduos e grupos/orga nizações, a partir do
conhecimento de fatores determinantes das relações na dinâmica organizacional

Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos)


1. Organizações e Comportamento
2. O indivíduo - variáveis intrínsecas e extrínsecas determinantes do comportamento
3. Atitude, percepção, aprendizagem, motivação
4. Os grupos na organização - Como se formam
5. Características dos grupos - Hierarquia, normas, papéis, coesão, objetivos
6. Conflitos intra e inter-grupais
7. Liderança e Poder
8. Comunicação empresarial
9. Clima e Cultura Organizacionais

Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos


Aulas expositivas; análise de estudos de casos; resolução de exercícios; atividades em grupo e individuais.
Utilização de projetor multimídia e quadro branco.

Avaliação
Avaliação escrita.
Análise de estudos de casos.
Seminários

Bibliografia
1. CHIAVENATO, Idalberto. Comportamento Organizacional. Campus , 2005.
2. ROBBINS, Stephen Paul. Comportamento organizacional. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

28
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Curso: Técnico em Operações Comerciais


Modalidade: Subseqüente Área Profissional: Gestão e Negócios
Disciplina: Legislação Trabalhista, Tributária e Empresarial Carga-Horária: 60h (80h/a)

Objetivos
Conhecer a terminologia do direito empresarial
Compreender os mecanismos que regem as relações comerciais no Brasil com relação ao consumidor .
Conhecer o processo de criação de empresas e as principais obrigações de pessoa jurídica
Reconhecer os diversos tipos de contratos que regulam as negociações comerciais
Conhecer a terminologia do direito tributário;
Conhecer o sistema tributário nacional brasileiro;
Compreender os mecanismos de tributação ligados aos mecanismos extrafiscais.

Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos)


1. A importância do Direito na vida da empresa e seus empregados.
2. Algumas áreas do Direito: Trabalho, Tributário e Empresarial.
3. Contratos de trabalho.
4. O Direito e a regulação do consumo: Código do Consumidor.
5. As regras legais aplicáveis ao contrato de compra e venda.
6. Contratos previstos no Código Civil Brasileiro.
7. O vendedor empregado e o vendedor autônomo.
8. Contrato de representação comercial e distribuição.
9. Vendas por Cartão de Crédito.
10. Vendas à vista e a prazo.
11. Comércio eletrônico.
12. Cuidados no ato da negociação e fechamento do negócio.
13. Penalidades por inadimplemento e descumprimento do contrato.
14. Responsabilidade do vendedor (preposto).
15. Publicidade e Concorrência Desleal.
16. Regimento Interno da empresa.
17. Firmas individuais e sociedades ou firmas coletivas
18. Pessoa física e pessoa jurídica
19. Classificação das empresas em função do porte, em função da nacionalidade e de propriedade das empresas e por
ramo de atividade.
20. O comércio atacadista
21. O comércio varejista

Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos


Aulas expositivas; análise de estudos de casos; resolução de exercícios; atividades em grupo e individuais.
Utilização de projetor multimídia e quadro branco.

Avaliação
Avaliação escrita.
Análise de estudos de casos.
Seminários

Bibliografia
1. Código do Consumidor
2. Revistas e Jornais

29
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Curso: Técnico em Operações Comerciais


Modalidade: Subseqüente Área Profissional: Gestão e Negócios
Disciplina: Gestão de Recursos Humanos Carga-Horária: 45h (60h/a)

Objetivos
Assimilar os principais pressupostos teóricos que fundamentam a definição de políticas e práticas de Administração
de Recursos Humanos nas organizações.
Conhecer as principais atividades e procedimentos dos vários subsistemas da Administração de RH e os impactos
de sua operacionalização em diferentes instâncias organizacionais .

Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos)


1. Administração de RH nas Organizações
2. Objetivos, políticas e estratégias
3. O Planejamento de RH e sua vinculação com o Planejamento Estratégico da Empresa
4. Procedimentos básicos para aplicação de RH
5. Papéis e funções desempenhados pelos indivíduos e pelos grupos na organização
6. Descrição e análise de cargos -subsídios à gestão de Recursos Humanos.
7. Políticas e Práticas de Suprimentos de Recursos Humanos
8. Funções e objetivos de suprimento de RH
9. O conteúdo de recrutamento de pessoal
10. As práticas e os instrumentos de recrutamento
11. Seleção: técnicas e processo
12. O treinamento e Desenvolvimento no interior das Organizações
13. A Avaliação de Desempenho como prática de RH

Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos


Aulas expositivas; análise de estudos de casos; resolução de exercícios; atividades em grupo e individuais.
Utilização de projetor multimídia e quadro branco.

Avaliação
Avaliação escrita.
Análise de estudos de casos.
Seminários

Bibliografia
1. CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de Pessoas. Campus, 2005.

30
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Curso: Técnico em Operações Comerciais


Modalidade: Subseqüente Área Profissional: Gestão e Negócios
Disciplina: Matemática Comercial e Financeira Carga-Horária: 60h (80h/a)

Objetivos
Entender o fundamento da matemática aplicada a finanças.
Entender o conceito de juros.
Calcular juros simples e composto.
Saber realizar transformações entre taxas de juros reais e nominais.
Compreender o significado de taxas de juros proporcionais e equivalentes.
Calcular descontos por dentro (racional) ou por fora (comercial).
Conhecer fluxo de caixa calculando descontos e taxas de retorno.
Conhecer planos de empréstimos e trabalhar com modelos matemáticos aplicado a seu cálculo.

Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos)


1. Taxas equivalentes.
2. Juro comercial e juro exato.
3. Montante.
4. Desconto simples, introdução, títulos de crédito, desconto.
5. Desconto comercial, definição, valor do desconto comercial.
6. Valor do desconto racional, definição.
7. Valor atual racional.
8. Juros compostos, introdução, juro composto.
9. Cálculo do montante.
10. Determinação do fator de capitalização, calculadora eletrônica, HP 12C.
11. Cálculo do capital, taxas proporcionais.
12. Desconto composto, introdução.
13. Cálculo do valor atual.

Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos


Aulas expositivas.
Trabalhos práticos em cima de revistas especializadas em finanças.
Procura na Internet de índices e dados financeiros para aplicação em estudos de casos
Utilização de Projetor multimídia e Quadro branco

Avaliação
Avaliação escrita
Análise de estudos de casos

Bibliografia
1. CHIAVENATO, ID ALBERTO. AD MINISTRAÇ AO FINANCEIR A. Campus , 2005.
2. ASSAF NETO, ALEXANDRE. MATEMATIC A FIN ANCEIRA E SUAS APLICAÇOES. Atlas , 2008.
3. FARO, CLOVIS DE. FUNDAMENTOS DE MATEMATIC A FINANCEIR A. Saraiva, 2006.
4. BAUER, Udibert Reinoldo. Matemática Financeira Fundamental, Editora Atlas, São Paulo, 2003.
5. LAPPONI, Juan Carlos. Excel & cálculos financeiros: Introdução à modelagem financeira, Laponni Treinamento e
Editora, São Paulo, 1999.

31
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Curso: Técnico em Operações Comerciais


Modalidade: Subseqüente Área Profissional: Gestão e Negócios
Disciplina: Técnicas de Vendas e Negociação Carga-Horária: 60h (80h/a)

Objetivos
Desenvolver conhecimentos e competências de negociação, nomeadamente ao nível dos procedimentos e técnicas
de consecução de acordos, numa perspectiva de aprofundamento do relacionamento entre as partes.
Promover o desenvolvimento de competências pessoais em técnicas de vendas, ao serviço da satisfação eficiente
de necessidades e expectativas dos clientes

Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos)


1. Negociação
1.1. Objeto da negociação
1.2. Fatores e princípios para uma negociação eficaz
1.3. Modelos de negociação
1.4. Preparação da negociação
1.5. Etapas da negociação
1.6. Técnicas de estímulo à negociação
1.7. Gestão de conflitos
2. Vendas
2.1. A função vendas
2.2. As etapas do ciclo de vendas
2.3. O produto
2.4. A inovação tecnológica e as iniciativas da concorrência
2.5. Clientes
2.6. Processo da decisão de compra
2.7. Primeiras impressões: da aparência à postura e à confiança
2.8. A a valiação do cliente: s uas necessidades e expectativas
2.9. Métodos de modificação de atitude do cliente
2.10. Psicologia da venda
2.11. Promoções de vendas
2.12. Técnicas de fecho da venda
2.13. Melhoria das vendas
2.14. Auditoria das vendas
2.15. O acompanhamento do cliente e a venda (follow-up)

Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos


Aulas expositivas; análise de estudos de casos; resolução de exercícios; atividades em grupo e individuais.
Utilização de projetor multimídia e quadro branco.

Avaliação
Avaliação escrita.
Análise de estudos de casos.
Seminários

Bibliografia
1. CHIAVENATO, Idalberto. Administração de Vendas. Campus , 2005.
2. CARVALHO, A. V. de. Avaliação de equipes de vendas. São Paulo: Atlas, 1989.
3. CONQUISTANDO clientes. São Paulo: Makron, 1998
4. CORTEZ, E. V. Conversando sobre vendas. São Paulo: Atlas, 1998.
5. LEWICKI, Roy L.; SAUNDERS, David M.; MINTON, John W. Fundamentos da Negociação - 2.ed.São Paulo:
Bookman, 2002.
6. MILLS, H. A. Negociação - a arte de vencer. Ed. Makron Books, 1993.
7. ZAISS, C. D. , GORDON, T. Treinamento eficaz em vendas: faça parcerias com seus clien tes. São Paulo: Atlas,
1994.

32
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Curso: Técnico em Operações Comerciais


Modalidade: Subseqüente Área Profissional: Gestão e Negócios
Disciplina: Marketing e Comunicação Carga-Horária: 60h (80h/a)

Objetivos
Estudar os componentes do composto mercadológico (produto, preço, ponto de distribuição e promoção) para
embasar as decisões de Marketing.
Compreender os fatores que influenciam os comportamentos do consumidor, para melhor interagir com públicos -
alvos.
Identificar a importância da pesquisa de Marketing para nortear as ações mercadológicas.
Fornecer noções sobre o planejamento estratégico de Marketing;
Desenvolver práticas de comunicação e expressão humana visando sua aplicabilidade ao mercado contemporâneo

Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos)


1. Marketing: Conceito e Definições
2. O Mercado
3. Comportamento do Consumidor
4. Decisões de Produto e Marca
5. Decisões de Preço
6. Decisões de Distribuição
7. Decisões de Promoção e Fundamentos da Comunicação
8. Introdução ao Marketing Estratégico
9. Marketing de Serviço
10. Marketing de Relacionamento
11. Marketing Pessoal
12. Estratégia de Comunicação
13. Instrumentos de Comunicação (publicidade, relações públicas, merchandising, marketing direto, venda pessoal)
14. Comunicação Mercadológica
15. Comunicação Visual
16. Comunicação Interpessoal

Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos


Aulas expositivas; análise de estudos de casos; resolução de exercícios; atividades em grupo e individuais.
Utilização de projetor multimídia e quadro branco.

Avaliação
Avaliação escrita.
Análise de estudos de casos.
Seminários

Bibliografia
1. BUENO, Wilson da Costa. Comunicação empresarial – teoria e pesquisa. Barueri: Manole, 2003.
2. CORRADO, Frank M. A força da comunicação – quem não se comunica. São Paulo: Makron Books, 1994.
3. DOWBOR, Ladislau et. Al. (orgs.) Desafios da comunicação. Rio de Janeiro: Vozes, 2000.
4. GIGLIO, Ernesto M. O comportamento do consumidor. 2ª ed. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.
5. KOTLER, P. Administração de marketing. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1996.
6. KOTLER, Philip & ARMSTRONG, Gary. Princípios de Marketing. Ed. PHB, 1991.
7. LAS C ASAS, A. L. Marketing. 4.ed. São Paulo: Atlas, 1997.
8. LUPETTI, Márcia. Gestão estratégica da comunicação mercadológica. São Paulo: Thomson, 2007.
9. WESTWOOD, John. O Plano de Marketing: guia prático. 2ª ed. São Paulo: Mackron Books, 1996.

33
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Curso: Técnico em Operações Comerciais


Modalidade: Subseqüente Área Profissional: Gestão e Negócios
Disciplina: Estratégia Empresarial Carga-Horária: 60h (80h/a)

Objetivos
Coletar, organizar e analisar dados relevantes para as atividades de comercialização, tais como: concorrência,
demanda, volumes de venda por loja ou por vendedor e outros relacionados com o desempenho empresarial.
Identificar a organização e os processos próprios de uma empresa comercial ou dos setores responsáveis pela
comercialização em organização não comercial
Identificar e formular estratégias de planejamento de marketing, de armazenamento e distribuição física de
produtos, de compra e venda, e pós -venda e relacionamento com o cliente.
Identificar e analisar, na composição da estratégia comercial global, os efeitos de diferentes fatores, tais como
produto, preço, praça (distribuição) e promoção.

Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos)


1. Estratégia como plano, padrão, posição e perspectiva
1.1. Histórico e evolução
1.2. Objetivos da administração estratégica: vantagem competitiva e variações
2. Análise do ambiente externo
2.1. Variáveis ambientais
2.2. Ameaças e oportunidades no ambiente externo
3. Análise do ambiente interno
3.1. Cliente-alvo
3.2. Missão, visão, objetivos es tratégicos
3.3. Competências distintivas
4. Gestão Estratégica
4.1. Teoria da Vantagem Competitiva (Porter)
4.2. Análise das cinco forças (externo) e análise swot
4.3. Visão Baseada em Recursos
4.4. Foco organização
4.5. Análise de recursos e capacidades
4.6. Concorrência por recursos e competências
4.7. A organização conectada: gestão de clientes, fornecedores, investidores, distribuidores e stakeholders.
4.8. Liderança
5. Formulação estratégica
5.1. Ofensivas estratégicas: orientação para produtos e serviços
6. Implementação e Acompanhamento estratégico
6.1. Estrutura organizacional: cultura, poder e estrutura
6.2. Análise do contexto interno à firma: inovação e competências essenciais

Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos


Aulas expositivas; análise de estudos de casos; resolução de exercícios; atividades em grupo e individuais.
Utilização de projetor multimídia e quadro branco.

Avaliação
Avaliação escrita; Análise de estudos de casos; Seminários

Bibliografia
1. AAKER, Da vid A. Administração estratégica de mercado. Porto Alegre: Bookman, 200 1.
2. HITT, Michael A., IREL AND, R. Duane, HOSKISSON, Robert E. – Administração Estratégica. São Paulo, Pioneira
Thomson Learning, 2002.
3. CERTO, S. C.; PETER, J. P. Administração Estratégica: planejamento e implantação da estratégia. São Paulo:
Makron Books, 1999.
4. PORTER, M. Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus,
1990.
5. TAVARES, M. C. Gestão estratégica. São Paulo: Atlas, 2000.
6. THOMPSON Jr., A.; STRICKLAND III, A.J. Planejamento estratégico: elaboração, i mplementação e execução. São
Paulo: Pioneira, 2000.
7. WRIGHT, P.; KROLL, M.; PARNELL, John. A Administração Estratégica. São Paulo: Atlas, 2000.
8. ZACC ARELLI, S. B. Estratégia e sucesso nas empresas. São Paulo: Saraiva, 2000.
9. Revistas: Harvard Business Review, Business Week, Exame, HSM Management, ERA, Veja, Dinheiro, Meio e
Mensagem, Revista Marketing e Propaganda.
10. Jornais: Washington Post, New York Times, Valor Econômico, Gazeta Mercantil.

34
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Curso: Técnico em Operações Comerciais


Modalidade: Subseqüente Área Profissional: Gestão e Negócios
Disciplina: Rotinas Financeiras e Contábeis Carga-Horária: 60h (80h/a)

Objetivos
Desenvolver atividades de forma eficiente a partir de rotinas pré-estabelecidas.
Compreender as interfaces existentes entre as rotinas contábeis e financeiras .

Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos)


1. Balanço patrimonial
2. Lucros ou prejuízos acumulados
3. Fluxo de caixa
4. Custos
5. Análise de demonstrações financeiras
6. Ciclo contábil
7. Relatórios contábeis

Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos


Aulas expositivas; análise de estudos de casos; resolução de exercícios; atividades em grupo e individuais.
Utilização de projetor multimídia e quadro branco.

Avaliação
Avaliação escrita.
Análise de estudos de casos.
Seminários

35
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Curso: Técnico em Operações Comerciais


Modalidade: Subseqüente Área Profissional: Gestão e Negócios
Disciplina: Logística Carga-Horária: 60h (80h/a)

Objetivos
Compreender os conceitos básicos da Logística Empresarial e da Gestão da Cadeia Suprimentos, como função
integrante das modernas técnicas de gestão;
Capacitar o aluno para aplicação de técnicas e métodos quantitativos para otimização dos problemas em Logística
e Cadeia de Suprimentos;
Aplicar os conhecimentos de Logística Empresarial, abrangendo as técnicas de compras, desenvolvimento de
fornecedores, gestão de estoque e armazenagens.

Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos)


1. Logística: conceitos e definições;
2. Estratégia Logística;
3. Pontos básicos da Logística;
4. Componentes do Sistema Logístico;
5. Lead Time;
6. Indicadores de Desempenho;
7. Produto Logístico;
8. Processamento de Pedidos;
9. Sistemas de Informação voltados à Logística;
10. Localização;
11. Sistemas de Estoque: Gestão de Estoques, Inventário Físico, Giro de Estoques, Demanda e Consumo, Localização
dos Estoques, Modelos de Controle de Estoque, Estoque de Segurança e suas variações;
12. Gerenciamento de Compras;
13. Arranjo Físico de Depósitos e Áreas de Manuseio;
14. Lotes Econômicos de Compra e Fabricação;
15. Supply Chain Management: Gerenciamento da Cadeia de Suprime ntos, Suprimentos e Fornecedores,
Abastecimento, Recebimento e Armazenagem;
16. Distribuição;
17. Planejamento de Movimentação e Operação de Transportes: Fretes, Dimensionamento de Frotas; Roteamento de
Veículos.

Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos


Aulas expositivas; análise de estudos de casos; resolução de exercícios; atividades em grupo e individuais.
Utilização de projetor multimídia e quadro branco.

Avaliação
Avaliação escrita.
Análise de estudos de casos.
Seminários

Bibliografia
1. CHIAVENATO, Idalberto. Administração de Materiais. Campus , 2005.
2. CHIAVENATO, Idalberto. Iniciação à administração de materiais. São Paulo: Makron, 2002.
3. AL VARENGA, Antonio C., NOVAES, Antonio G. N., Logística Aplicada: Suprimento e Distribuição Física. 2ª ed. S ão
Paulo: Pioneira, 1997.
4. ARNOLD, J. R. Tony. Administração de materiais. São Paulo: Atlas, 2002.
5. BALLOU, R. H. Logística empresarial: transportes, administração de materiais e distribuição. São Paulo: Atlas,
1993.
6. CHRISTOPHER, Martin. O Marketing da Logís tica. São Paulo: Futura, 1999.
7. DIAS, M. A. P. Administração de materiais: uma abordagem logística. São Paulo: Atlas 1998(*).
8. DIAS, Marco Aurélio P. Administração de Materiais: uma abordagem logística. São Paulo: Atlas, 1996.
9. MARTINS, Petrônio M., ALT, Paulo Renato C. Administração de Materiais e Recursos Patrimoniais. São Paulo:
Saraiva, 2000.
10. MOUR A, R. A. Logística: suprimentos, armazenagem e distribuição física. São Paulo: Fundação Getúlio Vargas,
1989.
11. SLACK, Nigel, et al., Administração da Produção. São Paulo: Atlas, 1997.
12. VIAN A, João J. Administração de materiais: um enfoque prático. São Paulo: Atlas, 2000.

36
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Curso: Técnico em Operações Comerciais


Modalidade: Subseqüente Área Profissional: Gestão e Negócios
Disciplina: Tecnologias e Sistemas Informatizados de Vendas Carga-Horária: 45h (60h/a)

Objetivos
Conhecer as diversas tecnologias de informatização no processo de vendas.
Utilizar os sistemas informatizados no processo de vendas com vistas a otimizar o atendimento aos clientes, agilizar
as entregas e a minimizar os estoques .

Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos)


1. Sistema de informações de mercado: entrada de dados no sistema, atualização de dados, extração de relatórios .
2. Recursos e tecnologias de informática voltados para as atividades de vendas, armazenamento, controle, transporte
e distribuição de mercadorias.

Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos


Aulas expositivas; análise de estudos de casos; resolução de exercícios; atividades em grupo e individuais.
Utilização de projetor multimídia e quadro branco.

Avaliação
Avaliação escrita; Análise de estudos de casos
Seminários

37
Curso Técnico de Nível Médio em Comércio, na forma Subsequente, modalidade presencial
IFRN, 2009

Curso: Técnico em Operações Comerciais


Modalidade: Subseqüente Área Profissional: Gestão e Negócios
Disciplina: Orientação à Prática Profissional Carga-Horária: 15h (20h/a)

Objetivos
Consolidar os conteúdos vistos ao longo do curso em estágio supervisionado, possibilitando ao aluno a integração
entre teoria e prática.
Verificar a capacidade de síntese do aprendizado adquirido durante o curso .
Acompanhar a preparação do relatório de estágio.
Promover a avaliação do relatório de estágio.

Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos)


1. Diretrizes para Elaboração de um Relatório de Estágio
2. Manual de Elaboração de Relatório de Estágio
3. Técnicas de Apres entação

Procedimentos Metodológicos e Recursos Didáticos


Orientações à temática da atividade
Reuniões periódicas para apresentação e avaliação das atividades desenvolvidas.

Avaliação
Relatórios parciais
Relatório de Estágio
Apresentação oral do trabalho

Bibliografia
1. LAKATOS, Eva Maria. Metodologia Científica. Atlas, 2000.
2. RUDIO, Franz Victor. Introdução ao Projeto de Pesquisa Científica. Vo zes, 2003.
3. CERVO, Amado, L; BERVIAN, Pedro A. Metodologia Científica. São Paulo: Pearson, 2002.
4. SANTOS, Antonio Raimundo dos. Metodologia Científica: a construção do conhecimento. DP&A, 2002.
5. SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo: Cortez, 2002.
6. ASSOCIAÇ ÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNIC AS. NBR10520: Apresentação de Citações em Doc umentos.
2000.
7. ASSOCIAÇ ÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNIC AS. NBR6023: Informação e Documentação. 2000.
8. ASSOCIAÇ ÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNIC AS. NBR6024: Numeração Progressiva das Seções de um
Documento. 2000.
9. ASSOCIAÇ ÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNIC AS. NBR6027: Sumário. 2000.
10. ASSOCIAÇ ÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNIC AS. NBR6028: Resumos. 2000

38