Você está na página 1de 20

"O novo mercado imobiliário:

tendências e oportunidades"

Celso Petrucci
Diretor Executivo da
Vice-presidência de Incorporação do Secovi-SP
Financiamentos SBPE
Resultados em Valores

 Jan/Dez 2005 = R$ 4,85 bilhões


 Jan/Dez 2006 = R$ 9,34 bilhões
Incremento de 92,6%

 Jan/Mai 2006 = R$ 3,25 bilhões


 Jan/Abr 2007 = R$ 5,54 bilhões
Incremento de 70,4%
Financiamentos SBPE

Resultados em Unidades

 Jan/Dez 2005 = 61.121 contratos


 Jan/Dez 2006 = 113.873 contratos
Incremento de 86,3%

 Jan/Mai 2006 = 40.646 contratos


 Jan/Abr 2007 = 64.295 contratos
Incremento de 58,2%
Financiamentos SBPE
Evolução dos Recursos
 2003 R$ 2 bilhões
 2004 R$ 3 bilhões
 2005 R$ 4,6 bilhões
 2006 R$ 9,5 bilhões
 2007 R$ 11 bilhões (previsto)

Incremento de 450% de 2003 para 2007


Comercialização
Cidade de São Paulo
2004 = 20.183 unidades
2005 = 23.810 unidades
2006 = 28.324 unidades
Incremento de 19% sobre 2005
Valor comercializado - R$ 9,7 bilhões
Aumento 23,9 % em relação a 2005

VSO (Vendas Sobre Oferta) – 12,1%


Índice médio mensal 2006

Melhor resultado desde a década de 1980


Lançamentos
Cidade de São Paulo

R$ 10,9 bi

R$ 9,78 bi
R$ 7,80 bi
R$ 6,81 bi 28.600
26.547 R$ 6,10 bi 24.915 25.689
22.550

2003 2004 2005 2006 mai/06 a abr/07


UNIDADES VGV
Fonte: Embraesp
Recursos para 2007

 SBPE = R$ 11 bilhões (tendendo a R$ 12 bi)


 Caixa (FGTS/PAR) = R$ 6,9 bilhões
 Total = R$ 17,9 bilhões
Crescimento de 6% em relação a 2006

Nota:
Valores não consideram adicional R$ 5 bi do PAC para Caixa
Condições Operacionais

 Arcabouço institucional mais consolidado


 Segurança jurídica
 Ambiente econômico favorável
 Queda das taxas de juro
 Cenário internacional
 Empresas fortalecidas

 Mercado comprador
 TR deixou de ser ameaça
Novos bancos
 Banco do Brasil aguarda autorização do BC. Atua em
parceria com Poupex
 Citibank parou em 2000 e volta a atuar
 Panamericano e BMG aproveitam experiência para
financiar classes C e D
 PNB Paribas (francês) estuda alternativas no mercado de
capitais, como securitizações (não tem poupança)
 GE Money braço financeiro da General Eletric que financia
automóveis – estrutura-se para atender demanda por
financiamento
 Banco Votorantim estrutura área especializada em crédito
imobiliário a construtoras
Condições financeiras

Bradesco - Itaú - Nossa Caixa - Santander –


ABN Real - HSBC – Unibanco
• Juros 8% a.a. - primeiros 36 meses
(imóveis até R$100/120 mil)
• Parcelas fixas
• Juros decrescentes
• Dispensa de comprovação de renda
• Financiamento à documentação
• Redução da burocracia
• Outras inovações e menos burocracia
Novo Mercado
 Governança corporativa
 Início do processo em 2005
- 20 empresas na Bolsa e outras com operações em andamento
 Investidor
– valorização imobiliária
– queda dos juros
– marco regulatório
– atendimento a déficit habitacional
• (aproximadamente 8 milhões de unidades)
 Diversificação da demanda atendida pelas empresas de
capital aberto - segmentação
 Atuação no interior e em outros estados do País
Abertura de Capital

 Diversas empresas, dentre as maiores do mercado


imobiliário de São Paulo, iniciaram o processo – Cyrela,
Rossi, Gafisa, Company, Klabin, Brascan,Lopes, São Carlos
e Abyara – captaram, em 2006, mais de R$ 5,8 bilhões por
meio da oferta de suas ações;

 Em 2007, Tecnisa, Camargo Correa, Rodobens, PDG


Realty, Iguatemi, Even, JHSF, CR2, Agra, Inpar e EZ Tec
captaram R$ 7,7 bilhões.

 Atualmente, há 20 empresas no Novo Mercado.


Abertura de Capital
Em R$ mil
PERÍODO OFERTA PRIMÁRIA OFERTA SECUNDÁRIA
2006 2007 TOTALPRIM 2006 2007 TOTALSECUND TOTAL GERAL
PDG REALTY 483,00 483,00 241,50 241,50 724,50
RODOBENS 448,50 448,50 448,50
CAMARGO CORREA 556,80 556,80 43,50 43,50 600,30
TECNISA 650,00 650,00 260,00 260,00 910,00
IGUATEMI 548,68 548,68 548,68
GAFISA 494,39 487,81 982,21 432,59 698,52 1.131,11 2.113,32
EVEN 460,00 460,00 460,00
JHSF 432,40 432,40 432,40
CR2 353,71 353,71 353,71
AGRA 752,35 752,35 33,69 33,69 786,04
INPAR 756,00 756,00 756,00

ROSSI 612,50 612,50 250,00 250,00 862,50


COMPANY 208,00 208,00 73,60 73,60 281,60
CYRELA 728,65 728,65 109,30 109,30 837,95
ABYARA 188,31 188,31 188,31
KLABIN SEGALL 375,49 375,49 181,69 181,69 557,18
BRASCAN 940,00 940,00 248,00 248,00 1.188,00
SÃO CARLOS 411,64 411,64 127,99 127,99 539,62
EZ TEC 542,15 542,15 542,15
LOPES 474,72 474,72 474,72
3.958,98 6.471,39 10.430,37 1.897,89 1.277,21 3.175,09 13.605,47
Novo Mercado

Pequenas empresas serão engolidas pelas grandes?

Evidências indicam caminhos diferentes e alternativas

Lições da Encol
gigantismo pode trazer deformidade

Lições do mercado
tamanho não é tudo, o que importa é
conhecer as peculiaridades de cada localidade
Parcerias

 Ciclo benéfico para o setor

 Transferência de conhecimentos é permanente ‘upgrade’


no mercado

 Empreendimentos em conjunto:
– atendimento sem saturar mercado
– agilidade da pequena e força da grande

 Prática é observada por grupos estrangeiros que


prospectam negócios no Brasil

 Risco: sustentabilidade da pequena


Futuro

 Subsídio para moradia - baixa renda (FGTS)


 Papel protagonista da iniciativa privada
 Desconcentração das operações FGTS – monopólio?
 Financiamento ao lote urbanizado – regularização
fundiária e eliminação de ocupações clandestinas em
mananciais e áreas de risco
 Padronização de contratos
 Desburocratização do crédito imobiliário e das operações
de compra e venda
Futuro

 Concentração na Matrícula
– PL 3.057/00 (Registro Eletrônico) - 1º passo
– Lei Federal 11.382/2007 – segurança comprador de
boa fé
 Recursos FGTS – produção massiva de HIS
 Recursos institucionais e fundos
Nacionais e estrangeiros
 Parcerias poder público/iniciativa privada – produção
conjuntos populares
 Novas tecnologias
Futuro
Melhorias no crédito imobiliário:

 Prazos superiores a 30 anos

 Financiamentos de até 100% do valor do imóvel

 Taxa de juros de no máximo 8% ao ano

 Parcelas fixas

 Padronização, bons serviços e agilidade

 Grande concorrência por bons projetos


Tendências
 Pluralidade
 residencial para todos segmentos
 comerciais diferenciadas
 centros de compra
 ‘build to suit’
 retrofit - projetos renovadores
Diversidade recursos
 poupança e FGTS
 BNDES, instituições e fundos
 CRIs e letras
 abertura de capital
Multiplicidade alianças – parcerias, Rede Secovi de
Imóveis
 PPPs – produção HIS em escala
Moradia Digna - articulação entre empresas e
governantes
Obrigado!

eunice@secovi.com.br
(11) 5591-1228