Você está na página 1de 9

PROJETO DE LEI Institui o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego - PRONATEC; altera as Leis nos 7.

998, de 11 de janeiro de 1990, que regula o Programa do Seguro-Desemprego, o Abono Salarial e institui o Fundo de Amparo ao Trabalhador - FAT; 8.212, de 24 de julho de 1991, que dispõe sobre a organização da Seguridade Social e institui Plano de Custeio; e 10.260, de 12 de julho de 2001, que dispõe sobre o Fundo de Financiamento ao estudante do Ensino Superior; e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1o Fica instituído o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego - PRONATEC, a ser executado pela União, com a finalidade de ampliar a oferta de educação profissional e tecnológica, por meio de programas, projetos e ações de assistência técnica e financeira. Parágrafo único. São objetivos do PRONATEC: I - expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de educação profissional técnica de nível médio e de cursos e programas de formação inicial e continuada ou qualificação profissional; II - fomentar e apoiar a expansão da rede física de atendimento da educação profissional e tecnológica; III - contribuir para a melhoria da qualidade do ensino médio público, por meio da articulação com a educação profissional; IV - ampliar as oportunidades educacionais dos trabalhadores por meio do incremento da formação e qualificação profissional. Art. 2o O PRONATEC atenderá (público alvo) prioritariamente: (inicialmente sistemas federais – IF e Sistema S – próximo ano rede estadual) (Guia de cursos – trabalhado por eixos tecnológicos) I - estudantes do ensino médio da rede pública, inclusive da educação de jovens e adultos; II - trabalhadores; e III - beneficiários dos programas federais de transferência de renda. Art. 3o O PRONATEC cumprirá suas finalidades e objetivos em regime de colaboração entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, com a participação voluntária dos serviços nacionais de aprendizagem e instituições de educação profissional e tecnológica habilitadas nos termos desta Lei. Parágrafo único. Os serviços nacionais sociais poderão participar do PRONATEC por meio de ações de apoio à educação profissional e tecnológica. Art. 4o O PRONATEC será desenvolvido por meio das seguintes ações, sem prejuízo de outras: I - ampliação de vagas e expansão da rede federal de educação profissional e tecnológica; II - fomento à ampliação de vagas e à expansão das redes estaduais de educação profissional; III - incentivo à ampliação de vagas e à expansão da rede física de atendimento dos serviços nacionais de aprendizagem; IV - oferta de bolsa-formação, nas modalidades: a) Bolsa-Formação Estudante; e b) Bolsa-Formação Trabalhador; V - financiamento da educação profissional e tecnológica; VI - fomento à expansão da oferta de educação profissional técnica de nível médio na modalidade de educação à distância; e

§ 1o As transferências de recursos de que trata o caput dispensam a realização de convênio. contrato. observada a obrigatoriedade de prestação de contas da aplicação dos recursos. § 4o O financiamento previsto no inciso V poderá ser contratado pelo estudante. identificação da demanda. em caráter individual.apoio técnico voltado à execução das ações desenvolvidas no âmbito do Programa. § 1o A Bolsa-Formação Estudante será destinada ao estudante regularmente matriculado no ensino médio público propedêutico. para cursos de formação inicial e continuada ou qualificação profissional. para cursos de formação profissional técnica de nível médio.de formação inicial e continuada ou qualificação profissional. mantido pelo Ministério da Educação. bolsa-formação refere-se ao custo total do curso por estudante. 6o Para cumprir os objetivos do PRONATEC. ajuste ou instrumento congênere. e II . entre outros. devendo contar com carga horária mínima de cento e sessenta horas. para custeio da formação de trabalhadores nos termos da Lei no 10. transporte) = Redes Federais=Guia + pactuação de vagas + sistec-controle_ presença) – Próximo ano (2012) MEC/pactuar com os estado.de educação profissional técnica de nível médio. devendo constar do Catálogo Nacional de Cursos Técnicos. inciso IV. 10 desta Lei. § 3o Para os efeitos desta Lei. organizado pelo Ministério da Educação. desta Lei. Fluxo = Seleção (desempregados) Sine/Sistec => Educação Profissional (Redes) § 3o O Poder Executivo definirá os requisitos e critérios de priorização para concessão das bolsas-formação. computadas exclusivamente as matrículas informadas em sistema eletrônico de informações da educação profissional. faixa etária. Projeto piloto em três estados = amanhã será dado pasta com a vagas preliminares prevista para cada estado – Mesa de negociação com secretário de educação + Sistema S + Rede Federal Fluxo = feita sistema Estadual de Ensino (SISTEC vagas georefenciadas) => matrícula no curso técnico => SISTES controla frequencia.260. são consideradas modalidades de educação profissional e tecnológica. ou por empresa. acordo. § 1o Os cursos referidos no inciso I serão relacionados pelo Ministério da Educação. 5o Para os fins desta Lei. na modalidade concomitante. (potencializar espaços e servidores com financiamento de custeio + adicional de bolsa aos professores da rede pública – caráter de extensão + assistência estudantil = lanche. nível de escolaridade. bem como o eventual custeio de transporte e alimentação ao . incluídas as mensalidades e demais encargos educacionais. Art. de 12 de julho de 2001. bem como às demais condições estabelecidas na legislação aplicável. Art.VII . nas instituições habilitadas na forma do art. § 2o Os cursos referidos no inciso II submetem-se às diretrizes curriculares nacionais definidas pelo Conselho Nacional de Educação. considerando-se capacidade de oferta. 4o. a União fica autorizada a transferir recursos financeiros às instituições de educação profissional e tecnológica das redes públicas estaduais e municipais ou dos serviços nacionais de aprendizagem correspondentes aos valores das bolsasformação de que trata o art. § 2o O montante dos recursos a ser repassado corresponderá ao número de alunos atendidos em cada instituição. cursos: I . § 2o A Bolsa-Formação Trabalhador será destinada ao trabalhador e aos beneficiários dos programas federais de transferência de renda. observados os objetivos do programa.

§ 1o Os servidores das redes públicas de educação profissional. 9o Ficam as instituições de educação profissional e tecnológica das redes públicas autorizadas a conceder bolsas aos profissionais envolvidos nas atividades do PRONATEC. deverão se cadastrar em sistema eletrônico de informações da educação profissional e tecnológica. O Fundo de Financiamento de que trata a Lei no 10. os eixos tecnológicos. de 2001. § 6o Qualquer pessoa. passa a denominar-se Fundo de Financiamento Estudantil . Art. diretamente ou por meio de suas entidades vinculadas. considerando-se. se for o caso. científica e tecnológica poderão perceber bolsas pela participação nas atividades do PRONATEC. ajuste ou instrumento congênere. para qualquer efeito. entre outros. inclusive as dos serviços nacionais de aprendizagem. observada a obrigatoriedade de prestação de contas da aplicação dos recursos nos termos da legislação vigente. acordo. 8o O PRONATEC poderá ainda ser executado com a participação de entidades privadas sem fins lucrativos. a modalidade do curso. 10. devidamente habilitadas. § 5o O Poder Executivo disporá sobre normas relativas ao atendimento ao aluno.260. § 4o O Poder Executivo disporá sobre o valor de cada bolsaformação. § 2o Os valores e os critérios para concessão e manutenção das bolsas serão fixados pelo Poder Executivo. mediante a celebração de convênio. e solicitar sua habilitação. vedada cobrança direta aos estudantes de taxas de matrícula. As unidades de ensino privadas. mantido pelo Ministério da Educação. Art. Art. A habilitação da unidade de ensino dar-se-á de acordo com critérios fixados pelo Ministério da Educação e não dispensa a necessária regulação pelos órgãos competentes dos respectivos sistemas de ensino. remuneração ou proventos recebidos. 6 . no que couber. disponibilizará recursos às instituições de educação profissional e tecnológica da rede pública federal para permitir o atendimento aos alunos matriculados em cada instituição no âmbito do PRONATEC. custeio de material didático ou qualquer outro valor pela prestação do serviço. Aplica-se ao caput o disposto nos §§ 1o a 6o do o art.260. poderá denunciar ao Ministério da Educação. Art.FIES. FIES Técnico (ampliação do FIES superior) FIES Empresa (solicita agente financeiro) Parágrafo único. 11. ao vencimento. ofertantes de cursos de formação inicial e continuada ou qualificação profissional e de cursos de educação profissional técnica de nível médio que desejarem aderir ao Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior . 7o O Ministério da Educação. .FIES de que trata a Lei no 10.beneficiário. § 3o As atividades exercidas pelos profissionais no âmbito do PRONATEC não caracterizam vínculo empregatício e os valores recebidos a título de bolsa não se incorporam. Art. desde que não haja prejuízo à sua carga horária regular e ao atendimento do plano de metas de cada instituição pactuado com seu mantenedor. ao Tribunal de Contas da União e aos órgãos de controle interno do Poder Executivo irregularidades identificadas na aplicação dos recursos destinados à execução do PRONATEC. a carga horária e a complexidade da infraestrutura necessária para a oferta dos cursos. às transferências e à prestação de contas dos recursos repassados no âmbito do PRONATEC. de 2001. física ou jurídica. Parágrafo único. contrato. salário.

entre outros critérios..260.. o nível de escolaridade e a faixa etária do trabalhador.. a empresa figurará como tomadora do financiamento.998.... § 1o O financiamento de que trata o caput poderá beneficiar estudantes matriculados em cursos da educação profissional e tecnológica.... a capacidade de oferta........” (NR) “Art. de natureza contábil. A Lei no 10.. a reincidência no recebimento do beneficio... 7o. inclusive os juros incidentes......087. inciso I. 1o da Lei no 10..... 3o ... o Fundo de Financiamento Estudantil .. de 11 de novembro de 2009... por parte do trabalhador desempregado...pela recusa........ 8o O benefício do seguro-desemprego será cancelado: I .... § 4o Regulamento disporá sobre os requisitos... passa a vigorar com a seguinte redação: “Art. destinado à concessão de financiamento a estudantes regularmente matriculados em cursos superiores não gratuitos e com avaliação positiva nos processos conduzidos pelo Ministério da Educação. passam a vigorar com seguinte redação: “Art..FIES. O financiamento da educação profissional e tecnológica poderá ser contratado pelo estudante.. responsabilizando-se integralmente pelos pagamentos perante o FIES.Art... § 3o A oferta de bolsa para formação dos trabalhadores de que trata este artigo considerará. considerando a disponibilidade de bolsas-formação no âmbito do PRONATEC ou de vagas gratuitas na rede de educação profissional e tecnológica para o cumprimento da condicionalidade pelos respectivos beneficiários. § 1o Na modalidade denominada FIES-Empresa.. § 3o A empresa tomadora do financiamento poderá ser garantida por fundo de garantia de operações nos termos do art.. ....... 14... em caráter individual..260. Os arts. até o limite do valor contratado..” (NR) Art...... da Lei no 12. passa a vigorar acrescida do seguinte artigo: “Art..... 8o e 10 da Lei no 7.. nos termos desta Lei....... com carga horária mínima de cento e sessenta horas... § 2o O Poder Executivo regulamentará os critérios e requisitos para a concessão da assistência financeira do Programa de Seguro-Desemprego nos casos previstos no § 1o. para custeio da formação profissional e tecnológica de trabalhadores..... O art.. 12.... bem como em programas de mestrado e doutorado com avaliação positiva.. § 2o No FIES-Empresa poderão ser pagos com recursos do FIES exclusivamente cursos de formação inicial e continuada e de educação profissional técnica de nível médio. § 1o A União poderá condicionar o recebimento da assistência financeira do Programa de Seguro-Desemprego à comprovação da matrícula e da frequência do trabalhador segurado em curso de formação inicial e continuada ou qualificação profissional... condições e demais normas para contratação do financiamento de que trata este artigo. 13... ou por empresa. de outro emprego condizente com sua qualificação e remuneração anterior. de 2001.... de 2001...... de 11 de janeiro de 1990..” (NR) Art.............. 5º-B. ... 3o...... desde que haja disponibilidade de recurso § 7o A avaliação das unidades de ensino de educação profissional e tecnológica para fins de adesão ao FIES dar-se-á de acordo com critérios de qualidade e requisitos fixados pelo Ministério da Educação.. 1o Fica instituído.. de acordo com regulamentação própria...

.................................. § 2o O beneficio poderá ser cancelado na hipótese do beneficiário deixar de cumprir a condicionalidade de que trata o § 1o do art.................... vinculado às atividades desenvolvidas pela empresa....... 10....... dobrando-se este período em caso de reincidência......... nos termos da Lei no 9.................... 3o desta Lei....................... .. ao pagamento do abono salarial e ao financiamento de programas de educação profissional e tecnológica e de desenvolvimento econômico.... As despesas com a execução das ações do PRONATEC correrão à conta de dotação orçamentária consignada anualmente aos .......................... ..... na forma do regulamento...... com a atribuição de promover a articulação e avaliação dos programas voltados à formação e qualificação profissional no âmbito da administração pública federal........ ou IV ........... passa a vigorar com a seguinte redação: “Art...................................... valor mensal do plano educacional........................por morte do segurado........ .... 28 da Lei no 8. não seja utilizado em substituição de parcela salarial. e 2. Art......... ...........394.......... o que for maior..... 17................................................... Art...... § 9o ..II .... .. 15...................212........................................... ” (NR) Art...................... ...... .............. Fica criado o Conselho Deliberativo de Formação e Qualificação Profissional..............” (NR) “Art... Compete ao Ministério da Educação a habilitação de instituições para o desenvolvimento de atividades de formação e qualificação profissional a serem realizadas com recursos federais........................................................................................ cuja composição.......... ” (NR) Art......... ressalvado o prazo de carência................. .............. 18......... 16... o direito do trabalhador à percepção do seguro-desemprego......... t) o valor relativo a plano educacional que vise à educação básica e à educação profissional e tecnológica......FAT.......................................... nos termos do regulamento.... não ultrapasse cinco por cento da remuneração do segurado a que se destina ou o valor correspondente a uma vez e meia o valor do limite mínimo mensal do salário de contribuição.......... É instituído o Fundo de Amparo ao Trabalhador .......... . § 1o Nos casos previstos nos incisos I a III deste artigo..... O art.. 28.............. III ........ considerado individualmente...................... destinado ao custeio do Programa de Seguro-Desemprego...por comprovação de fraude visando à percepção indevida do benefício do seguro-desemprego....por comprovação de falsidade na prestação das informações necessárias à habilitação..... desde que: 1........................... competências e funcionamento serão estabelecidos em ato do Poder Executivo.................... .......... de 20 de dezembro de 1996........ será suspenso por um período de dois anos......... . de 24 de julho de 1991......................... vinculado ao Ministério do Trabalho e Emprego..

Existe pressão forte para o trabalho com EPT integrado.000 mulheres Visão do Empresariado Visão do Aluno REDE ETEC BRASIL – Fernando Amorim (61).Verificar com a rede estadual. Seguro Desemprego. PROGRAMA MULHERES MIL Cooperação Brasil-Canadá – Avaliação e Reconhecimento de Aprendizagem Prévia – ARAP Também C..20222 8618/ 2022 8676 Sistema Escola Técnica aberta do Brasil – Redefindo para.H. Reunião Gestores EPT Patrícia Barcelos Diretoria de integração das redes. Rede e-Tec Brasil .Sistema S propõe pacotes fechados. . mínima de 160 horas Capacitação para rede estadual – 100 vagas – outubro ou novembro – Metodologia do Mulheres Mil Meta até 2014 = 100. Art. Bolsa Educação. integração possível Rede Federal + Rede Estadual Dia 05 apresentação da operacionalização da Bolsa Formação – pactuação FUNDEP = . 19. Brasília. Gratuidade do Sistema S = 2014 => 66% 2018 => 85% Bolsa Formação = ampliação do que já tem – não tem cursteio Fórum EPT CONSED = lócus de representação – estatuto (Fórum de Gestores Estaduais) Prova de conceito = “Projeto Piloto” => “concomitância” com alguns estados inicial com sistema S e IF. observados os limites de movimentação. Discussão dos cursos a serem ofertados . transporte) = Redes Federais=Guia + pactuação de vagas + sistec-controle_ presença) – Próximo ano (2012) MEC/pactuar com os estado. empenho e pagamento da programação orçamentária e financeira anual..Conflito de interesse entre Bolsa Futuro e PRONATEC. Marcelo Pedra Coordenação geral SETEC Pronatec – Mulheres Mil -.. Fluxos: Inclusão Produtiva. = 154 escolas EPT Rio Grande do Sul = rede apresenta fragilizada – METAS =Plano Nacional de oferta (MAPA NACIONAL) – FORUM (Empresas + Sociedade) METAS = Planos Estaduais METAS = Planos Municipais METAS = Planos Escolas Reunião equipe MEC Brasil Profissionalizado = Avaliação do Programa em Goiás.respectivos órgãos e entidades. Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. Discutir propositura de vagas preliminares para o Estado = necessário articulação da SEDUC e SECTEC..Brasil Profissionalizado – Etec Brasil PRONATEC (potencializar espaços e servidores com financiamento de custeio + adicional de bolsa aos professores da rede pública – caráter de extensão + assistência estudantil = lanche. Repensar a oferta para cursos de qualificação = investir na proposta de itinerários formativos = Qualificação FIC (160 horas) e Qualificação Técnicos.

150 padrão MEC: Assistência Financeira . A – Especializações – 400 gestores rede educação estadual .00 Recursos pedagógicos (1000): 190.000.00 Ampliações/reformas (518): 440. 5 Escolas cinvuladas a UF.726. equipamentos Nova demanda de entrega de laboratórios a serem demandados – preencher 09 setembro – proposta de 1000 laboratórios. humanos.089.358. Apresentar proposta: descrição do curso..IFPR.em licitação: 3/75 Ampliação e reforma: 518 I – Assistência Técnica/Laboratórios (30 milhões) Edital do MOPS: infra estrutura. Solicitar avaliação de Polos. MAt.em execução: 38/50 . etc. orçamento.00 Formação/Capacitação: 17.640..00 176 escolas. 11 estaduais. Setec não considera o Currículo referencia como política de implantação “mero” referencial = “foi construído com bases em competências e nem todas as instituições trabalham com competências” Itens finaciaveis: Laboratórios Prod.000. “Pedir somente o que for capaz de instalar e manter” – pensar no custo de manutenção.586. sendo 25 IFs.107.00 – IF stª Mª Ata de registro de Preço Marcelo Pedra Brasil Profissionalizado 2008 – 140Milhoes 2011 – 340Milhoes Assistência: Financeira (convênios) R$ 1. Fazer estudo na rede de quais laboratórios seria necessário para adequar a rede – email para CEPS – Comprovar espaços – rede elétrica – física II – Assistência Técnica / Formação-Capacitação (20 milhões).55 bilhões Técnica. 46% ASS e INFOCOM e-Tec uma das ações do Pronatec – 81% alunos nos IFs.concluídas: 16/25 .274. mobiliário. instituído Portaria MEC nº 25/2007 257.Institucionalizado pelo Decreto nº 6. Verificar material didático – mínimo de 50% para início.. e-Tec Brasil indutor implantação política educação profissional à distancia =/ de Sustentabilidade permanente Procedimento de Adesão/: Assinar termo de adesão. . 49 cursos em 10 eixos tecnológicos. R. Construções (176): 906. Didático Acervo bibliográfico Equipamentos Bolsas* Profuncionário São 4 cursos técnicos.301 de 13/12/07 – processo de revogação 41 instituições.

SP Médias: AC. BA. RN.Gestão de Escolas de EPT IFPR: 168 -Gestão de Projetos (Paula Souza/SP): 56 .000 habitantes) – 70 x 84 m =(31/outubros finalizar projetos para conveniar – 5 milhões) (escola mais flexível – adaptável) = 600 alunos Entrar com dados no SIMEC para novas demandas O secretário tem que afirmar que tem o espaço para receber os laboratórios Plano de Educação Profissional do Estado Fontes de Financiamento. PR. PE. PA. MG. Diretrizes Equipe de infraestrutura engenheiro Almerico BA Fórum de Gestores de Educação Profissional Edna – Histórico Início em 2005. a partir do seminário de certificação. CAED/UFJF Total: 12 Redes: Pré 2010 Grandes: SP Médias: PR. Etapa 02/ Projeto Escola padrão BP2 – 06 salas ( 20/30. Paula Souza/SP. infraestutura. RJ. RJ. TO. com coordenações . MT.Agro ecologia (IFPR): 84 .Avaliação da Educação Pública (UFJF/CAED): 07 . consolidação da rede de educação profissional pública – Criado normatização. SE. PE. etc.Avaliação da Educação Profissional (UFJF/CAED): 84 . foi identificado que os problemas semelhantes– logística.Em negociação: UTFPR.Políticas de Turismo (IFCE): 84 TOTAL: 476 B – Mestrados. RS Pequenas e Inexistentes: Demais Pós 2010 Grandes: CE. .Gestão da Educação Profissional e Tecnologia (UNB):05 . SC. RS..

concepção de rede. Currículo. Regimento está disponível? Onde? Site? Pautas: Fundos de financiamento. Construção: idealizadores do Brasil Pro – 1ª conferencia nacional de de EPT. Etec . era mantido pelo ministério. A partir de 2009 – fórum fragilizado – falta de apoio dos estados. Pessoal – Professor. institucional-estrutura. 2/3 dias.regionais. definição de políticas públicas.Fórum GPGI GPMD GPIP GPCP . com pauta coletiva. Diretrizes de educação Profissional e Tecnológica. com reuniões trimestrais.