Você está na página 1de 18

RENATO J.

COSTA VALLADARES

Cálculo e Aplicações I
Funções Reais

.

.................................. 29 2ª PARTE Plano............................................................................................................................................ 85 97 111 117 ...................... Perpendicularismo e Circunferência ............................. Parábola e Trinômio do 2o Grau ...... 3ª PARTE Continuidade e Limite 39 53 63 73 9 10 11 12 Continuidade......... Continuidade e Limite .......................................................................................Sumário 1ª PARTE Funções e Reta Real 1 2 3 4 Funções................ Idéias Básicas ...................... 21 Operações entre Funções................................. Limite Infinito e no Infinito............................. Limite.................................................................................................................................... 3 Números Reais e Funções Numéricas ........................................................................................................................................................ 13 A Função Módulo ............................... Gráfico e Circunferência 5 6 7 8 Plano R 2 e Gráficos ................................ Retas e Polinômios de 1o Grau...................................

..................... Teoremas de Existência.............................................. 5ª PARTE Inversão da Derivação........ Derivadas e Integrais das Funções Trigonométricas. Funções Hiperbólicas ... Integral e Inversão da Derivação............................ Funções Trigonométricas ......... 6ª PARTE Funções Circulares 195 211 219 231 251 23 24 25 26 Segmentos e Vetores no Plano R 2.................. Máximos e Mínimos......................... 327 Funções Exponenciais e Logarítmicas ........................................IV Cálculo e Aplicações I 13 Funções Invertíveis....................... Economia e Física .................. Regras Básicas de Integração . Estoque e Trabalho.............. Área e Custo de Produção................................................................. 347 Integral de Tangente e Secante........ Diferencial e o “Quociente” dy/dx .......... Funções Circulares Inversas ............................ Derivada de Ordem Superior ................ Teorema do Valor Médio e Teste da Derivada Segunda..................................................................................... Volume............................. Geometria............... Regras de Derivação............................... 359 .......... 7ª PARTE Exponencais e Logaritmos 269 279 299 311 27 28 29 Função Logarítmica Natural ........... Regra da Cadeia e Outras Regras...... Integral........ Multiplicação e Integral 137 155 167 177 18 19 20 21 22 Velocidade e Deslocamento: Inversão da Derivação e Integral ............................................ 123 4ª PARTE Divisão e Derivada 14 15 16 17 Quociente e Derivada ......................... Área...... Do Produto à Integral..................

..................... Aproximação Polinomial ..................................................................................................... Funções Inversas .............Sumário V 8ª PARTE Técnicas de Integração 30 31 32 33 34 Procedimentos Básicos ................................................................................................ Integral de Função Descontínua ................................................................................................................................................ 433 Equações Homogêneas ........................................................................................ Integral Imprópria ....................................................... Comprimento ......... 519 ......................... Taxas Relacionadas. Integral por Partes .................. Substituições Trigonométricase Hiperbólicas ............................... Inflexão e Gráfico ............................... Método dos Coeficientes a Determinar .......... Decomposição em Frações Simples .......................... 417 Equações de Variáveis Separáveis................ 12ª PARTE Equações Paramétricas e Coordenadas Polares 489 495 503 511 46 Equações Paramétricas e Coordenadas Polares.................................................... 441 10ª PARTE O Comportamento das Funções 38 39 40 41 Crescimento das Funções............ Concavidade................................ 9ª PARTE Introdução às Equações Diferenciais 369 375 381 397 401 35 36 37 Equações Lineares de 1ª Ordem ................... Regras de L’Hospital................................... 11ª PARTE Outras Aplicações da Derivada e da Integral 449 461 471 481 42 43 44 45 Derivação Implícita ... Aceleração.............................................................................................................

.................................... Área .............................................................................................................................. 597 ..................... 531 Tangente e Velocidade em Equações Paramétricas.. Toda Função Contínua Admite Primitiva................................. uma Prova sem Continuidade Uniforme ............... Teoremas do Valor Intermediário e de Weierstrass.....................................................VI Cálculo e Aplicações I 47 48 Equações Paramétricas e Coordenadas Polares................................... 551 559 565 577 BIBLIOGRAFIA ...................... 579 R ESPOSTAS DE EXERCÍCIOS............................. 581 ÍNDICE R EMISSIVO ........................ Função Integrável e Extensão do Produto .......................................................................... 539 Apêndices 1 2 3 4 Supremos e Ínfimos ................................................

1ª Parte Funções e Reta Real .

.

80. o custo de 5 quilos de arroz será (0. aplicações financeiras e questões de ciência e tecnologia.85 x 4 + 2.40 de bandeirada mais R$ 1. Neste caso.32.8 x 0. ii) Se a corrida de táxi custa R$ 2. uma corrida de 4 km custará 1.80. Neste capítulo lançaremos as idéias básicas deste importante conceito matemático.8x. e o seu valor em x é denotado por f(x). Assim. em função da quantidade x de quilos. Uma corrida de . A 1 – ARROZ E TÁXI: i) Se um quilo de arroz custar R$ 0.1 Funções.8 x 5) reais. 2 quilos custarão (0. 6 quilos custarão (0. até situações mais complexas como controle de documentos.8x reais. para calcular o custo de uma quantidade de arroz. É usual denotar a regra por uma letra. saldo bancário ou jogos de loteria.80 e 400 gramas custarão (0. a regra f é f(x) = 0. o de 43 quilos será (0. desde aquelas do cotidiano como corridas de táxi. pela regra 0.80 x 2 =) R$ 1. Idéias Básicas S FUNÇÕES DESCREVEM AS MAIS variadas situações da vida.80 x 6 =) 4.4 = ) R$ 0.60. por exemplo f.8 x 43) reais e o de x quilos será 0.8x. diz-se que o custo do arroz varia.40 = 9.85 por quilômetro.80. De um modo geral. basta multiplicar esta quantidade (em quilos) por 0. No caso do custo do arroz.

85 x 7. a bola estourou. Encontre uma função que quantifique o valor da conta de luz em função do consumo. Assim. o saldo na conta corrente de uma pessoa varia em função do tempo.00 de taxa fixa mais 58 centavos por quilowatt hora consumido.4 Cálculo e Aplicações I 7. b) Determine uma função que quantifique a área da bola em função do volume de ar soprado em seu interior. a taxa tem um desconto de 10% do valor das compras. a) Expresse o custo de estocagem durante 4 dias. 3 – SALDO BANCÁRIO E LOTERIA: i) Diferente dos exemplos e exercícios acima. o volume cresce 0. Para estimular os fregueses. c) Suponha que quando o volume sopra atingiu 10 litros.40. Por exemplo. além deste ponto. é difícil ou mesmo impossível expressar esta variação em termos de sentenças matemáticas. para cada cm3 de ar soprado no interior da mesma. existem situações em que a regra que associa x a f(x) não está claramente expressa por umas tantas operações matemáticas.72. Entretanto. a) Encontre uma função que quantifique o raio da bola em função do volume de ar soprado em seu interior.2 km custará 1. o preço da corrida em função da quilometragem será 1.2 + 2. 4) Um supermercado gasta R$ 10. em função do valor das compras.9cm3.40. Este fato não . Se denotarmos a função por g teremos g(x) = 1.85x + 2. em função da tonelagem. 3) Um supermercado cobra uma taxa para entregar compras em casa. durante 1 dia.00 para manter 1 tonelada de arroz em estoque.40 = 15.. 2 – EXERCÍCIOS: 1) Uma concessionária de energia elétrica cobra R$ 22. b) Expresse o custo de estocagem de 8. em função do tempo. até deixar de ser cobrada a partir do ponto em que o desconto atinge o valor da taxa.85x + 2. Considere nulo o raio a partir do estouro e estenda a função do item (a).5 ton. Sabendo que o valor integral da taxa é de 5 reais. 2) Suponha que uma bola de encher tenha forma esférica e que devido às dificuldades em esticar o material da bola. descreva o valor cobrado.

sabemos o valor de f para alguns valores do tempo e sabemos ainda que f(t) = 0 se t < –8. Acabamos de ver que mesmo sem ter uma regra expressa em termos matemáticos. tem-se f(1) = 10. f(t) = 0. Assim.55.270 corresponder um prêmio de 500 reais. 20. Por isto ele pode ser considerado como sendo nulo.270) = 500. tem-se f(-5) = –231. então f(5) = –221. Em qualquer tempo antes da abertura da conta. a cada cartão. 5. Como o leitor verá ao longo do livro. Desta maneira. e se neste momento havia 727 reais de saldo.47. se o momento zero foi marcado 8 dias depois da abertura da conta. se ao cartão 14. números negativos para denotar dívida ao cheque especial. Evidentemente. se 5 dias antes. podemos pensar na função f que. se 151 ≤ t ≤ 177. Se pensarmos no tempo contado em dias e se 3 dias depois o saldo era de 428 reais. se no 5o dia o correntista estava devendo 221 reais. podemos acrescentar que f(t) = 122 se 20 ≤ t ≤ 151 e f(t) = 122 + 15 (t – 151). o correntista estava devendo R$ 231. a função f que só fazia sentido para os tempos em que a conta estava aberta. Se em adição soubermos que entre o 20o e o 151o dias. com prêmios de 1. tem-se f(14. se o cartão 4 não estiver premiado.55. Desta maneira. este tipo de procedimento pode ser útil em muitas situações. para preservar os aspectos aleatórios indispensáveis às . segue-se que para qualquer tempo t < –8. Assim. faz corresponder o valor do prêmio. Usando. Se o cartão no 1 tiver um prêmio de 10 reais. Se representarmos o tempo anterior ao momento zero por números negativos e se dois dias antes do momento zero o saldo era de 127. Idéias Básicas 5 impede que se use a idéia de função para quantificar o saldo ao longo do tempo. 2. 10. como de hábito. dará f(0) = 727.47. então f(-2) = 127. pode ser estendida aos tempos anteriores. ii) Uma loteria oferece uma aposta tipo “raspadinha” que em cada extração emite 1 milhão de cartões numerados. não havia saldo. se tomarmos um instante 0 (zero) para começar a contar o tempo. uma função f que quantifique o saldo em função do tempo. 50 e 500 reais. tem-se f(3) = 428.Funções. tem-se f(4) = 0. a conta ficou com saldo constante de 122 reais e que e daí até o 177o dia o único movimento era um depósito diário de 15 reais.

h) Note que com as informações disponíveis não é possível descrever f entre 0 e 5.6 Cálculo e Aplicações I loterias. 4 – EXERCÍCIOS: 1) Suponha que a conta corrente estudada em 3 tenha sido encerrada no 1770 dia. seu peso era aproximadamente o produto de sua idade pelo peso ao nascer. Sabe-se que ao nascer ele pesava 3 kg e que entre os 5 e os 12 anos. ele começou a engordar e quando fez 40 anos estava com 92 kg. 2) Seja f a função que descreve o peso de Sílvio em função de sua idade em anos. d) Diga o peso de Sílvio aos 14 anos e aos 16 anos. 3) Suponha que os cem primeiros cartões da loteria em 3 foram premiados da seguinte forma: cartão 23. a cada cartão. Diga a idade que ele tinha quando isto aconteceu. Para reverter a situação. Sílvio pesava 72 kg. . c) Aos 18 anos. a) Calcule o peso aproximado de Sílvio aos 7 anos. b) Encontre uma regra que descreva f entre 5 e 12. 1 real. 500 reais. cartões 7. Estenda aos tempos posteriores ao encerramento da conta corrente. e) Entre os 20 e os 35. como aconteceu com os exemplos e exercícios 1 e 2. a partir dai. ou seja. o peso de Sílvio ficou constante mas. a variação do peso de Sílvio era diretamente proporcional à variação da idade. Se f for a função que. aos 8 anos e 4 meses e aos 10 anos e 6 meses. os demais cartões entre 0 e 100 não foram premiados. g) Supondo que no período em que engordou. encontre uma regra que descreva f entre 12 e 20. dê a expressão de f. faz corresponder o valor do prêmio. começou a perder peso num ritmo de 2 kg por ano. encontre as regras que descrevam f entre os 5 anos e a idade calculada no item (e). 15 e 43. a regra que associa o número do cartão ao prêmio. x a f(x) não pode ser previsível. começou a fazer exercícios a cuidar melhor da alimentação. a função que descreve o saldo. f) Encontre uma regra que descreva f entre 40 anos e a idade que foi calculada no item (e). até voltar ao peso que tinha aos 35. Supondo que entre os 12 e os 20 anos a variação do peso era diretamente proporcional à variação da idade. Desta forma.

para ganhos acima de R$ 4.70.15x – 158. Identifique estes sinais e reescreva f.00 pagavam 15%.115. 5 – IMPOSTO DE RENDA: Em abril de 2002 um jornal informava que o imposto de renda na fonte (IRF) era cobrado de acordo com a seguinte tabela: Ganhos até R$ 1. a cobrança do IRF é descrita pela função f que para um ganho x cobra f(x) = 0 se 0 ≤ x ≤ 1. então Francisco terá ganho líquido maior que o de Maria”.70 se 1.058. estenda aos números negativos. b) “Se Francisco teve ganho maior que Maria. 3) A diferença entre um ganho e o respectivo IRF é conhecido como ganho líquido.00. então seu IRF é maior que o de Maria”.00 pagavam 27. 4) Suponha que a Receita Federal crie uma nova faixa de descontos para o IRF. até 2. trocando-os.058. Idéias Básicas 7 4) Suponha que um objeto foi sorteado em uma rifa de 50 cartões. 6 – EXERCÍCIOS: 1) Interpretando prejuízos como sendo ganhos negativos. 2) Na função que dá o imposto de renda (em 5).155.08. Encontre o . Verifique que os descontos que aparecem na cobrança do IRF (em 5) garantem os seguintes aspectos de coerência fiscal (não confundir com justiça fiscal): a) “Se Francisco teve ganho maior que Maria.00 eram isentos. dos quais era deduzido um desconto de 423. f(x) = 0. Sabendo que o bilhete 37 foi premiado. c) Verifique que se as trocas entre os sinais “≤” e “<” que foi observada no exercício 2 não fossem possíveis. existem alguns sinais “≤” que podem ser trocados por “<” e vice-versa. Assim. dos quais era deduzido um desconto de 158.275x – 423. sem que a função f se altere.115.058 < x ≤ 2. f(x) = 0.08 se x > 2.00 com alíquota de 35%.115.Funções.5%. Ganhos acima de 1. Ganhos acima de 2. encontre uma função que dê o número de prêmios ganhos por cada bilhete.000.058. então não existiria a coerência fiscal observada nos itens (a) e (b) acima. a função que descreve a cobrança do IRF.

Somando este rendimento ao capital sobre o qual o rendimento foi calculado. No 16o dia. mês. 7 – INVESTIMENTO: Se um investimento financeiro remunera com juros compostos de i% ao dia. Pelo mesmo raciocínio. ficará com 4(1 + i/100)15 + 2(1 + i/100)9 – 1. deve haver a capitalização ao final de cada dia. passará a ter c(1 + i/100)6 + 2. logo este rendimento deve ser descontado do total. ao final de 6 dias terá (em mil reais) 4(1 + i/100)6. ano. No dia seguinte (7o dia) o primeiro investimento valerá 4(1 + i/100)7 enquanto o segundo valerá c(1+ i/100)1. logo Ângela terá 4(1 + i/100)7 + 2(1 + i/100)1. Como se trata de juros compostos. Denotando o montante por M. Esta fórmula vale para qualquer unidade de tempo (dia.i/100. Se no 6o dia ela investir mais 2 mil reais.).i/100 = c(1 + i/100) (1 + i/100) = c(1 + i/100)2. uma aplicação de um capital de c reais ao fim de um dia renderá ci/100 de juros que somados ao capital dará um montante de c + ci/100 = c(1 + i/100). Se no 15º dia ela fizer um saque de 1. etc.000 reais. podemos expressá-lo como M(t) = c(1 + i/100)t. o rendimento do 2o dia será de i% sobre o montante acima. Assim. o que mostra que Ângela tinha . se Ângela investiu 4 mil reais.8 Cálculo e Aplicações I desconto para esta nova faixa de tal maneira que haja coerência fiscal como foi observado no exercício 3. ao fim de 3 dias o montante será de c(1 + i/100)3 e ao fim de t dias será de c(1 + i/100)t. os mil reais sacados na véspera deixaram de render. obtemos o montante ao final de 2 dias. o que dá c(1+ i/100). que será c(1 + i/100) + c(1 + i/100) . Assim.

ficará com 4(1 + i/100)17 + 2(1 + i/100)11 – 1(1 + i/100)2 e no 21o dia tinha 4(1 + i/100)21 + 2(1 + i/100)15 – 1(1 + i/100)6 Se Ângela não fizer mais investimentos nem saques. nenhum) mandato. pela regra q(i) = 4(1 + i/100)30 + 2(1 + i/100)24 – 1(1 + i/100)15. 8 – ELEIÇÕES E COMPRA DE LIVRO: i) Em outubro de 2004 houve eleições para prefeitos das cidades brasileiras. Se fixarmos o tempo – por exemplo. o candidato ganha 0 (ou seja. ficará com r(z) = 4z30 + 2z24 – z15. Naquelas com mais de 200. Como ao se eleger.000 eleitores.000 reais. o valor de seu investimento será 4(1 + i/100)t + 2(1 + i/100)(t-6) – 1(1 + i/100)(t-15). em função do percentual dos votos válidos. Se no 15º dia ela fizer um saque de 1. Idéias Básicas 9 4(1 + i/100)16 + 2(1 + i/100)10 – 1(1 + i/100). Se no 15º dia ela fizer um saque de 1.000 reais.Funções. podemos concluir que se a votação for maior que 50% dos votos válidos. por f(x) = número de mandatos ganhos com x% de votos.0014)(t-15). Desta forma. ficará com M(t) = 4(1. Se no 15º dia ela fizer um saque de 1. em 30 dias – obtemos o valor do investimento em função da taxa.0014)t + 2(1. podemos descrever a situação eleitoral de cada candidato. um candidato tinha que obter mais que 50% dos votos válidos para se eleger.0014)(t-6) – 1(1. o candidato ganha 1 mandato. Se a votação for igual ou inferior a 50%.000 reais. . um candidato ganha um mandato de prefeito.

4 é f(2. neste caso. Fato inteiramente similar ocorre com a função f(x) = 0. em função da quantia que ela tem na bolsa. f(x) = 1.84. ninguém compra mais do que 1 exemplar do mesmo livro.40. Logo.84 reais. não comprará o livro se tiver uma quantia igual ou inferior a R$ 50. pois os números 6.10 Cálculo e Aplicações I É fácil ver que f(x) = 0.03221 reais. em 8. que. o fato de f(-10) não fazer sentido quando f quantifica corridas de táxi. f(-10) = –16.502.40 ou qualquer outro são igualmente bons sob o ponto de vista da Matemática.4 km custa 6.4.85π + 2. que Ana precisa de um livro que custa R$ 50. tem duas interpretações. não exclui a possibilidade de significar alguma coisa sob outro ponto de vista. tomemos f(x) = 1. Em nenhuma destas interpretações .10 e f(10. agora. as coisas se invertem. ii) Suponhamos.502.40 que não fazem sentido para esta interpretação.85x + 2. obtemos f(π) = 1. Por outro lado. se x > 50. se x ≤ 50. f(x) = 1. se x ≤ 50.00. Na outra interpretação.84. estas escolhas fazem sentido matemático.4) = 6. 18. Como ela não gosta de ficar sem nenhum dinheiro na bolsa. Como em 1 f quantificava o preço da corrida de táxi em função da distância. é possível ter 147 reais. se x > 50.03221 e não faz sentido escolher x = 147 por ser um número maior que 100. Numa delas f descreve a situação eleitoral de um candidato em função do percentual de votos.00. x = –10 ou x = 10. a quantidade de livros que Ana comprará é descrita por f acima. pois x representa a quantia que alguém tem na bolsa e. Sob este ponto de vista faz sentido escolher x = 38.000.40 cujo valor para x = 2. 1. Se escolhermos x = π.85π + 2. 9 – O QUE SÃO FUNÇÕES?: Para começar a responder. Assim. vemos que sob este ponto de vista f “diz” que uma corrida de 2. mas é impossível ter 38.000) = 18. Entretanto.

p(x) = x3 – 2x2 + 4x – 1. –21 ou 238 ? Justifique a resposta. descreva a situação criminal de um cidadão. nas provas de uma matéria.015)x. enquanto as funções n e s não foram interpretadas. r(x) = 4x30 + 2x24 – x15. Por ora tomemos as funções g(x) = 7. m(x) = 4(1. Entretanto.0014)(x-6) – 1(1. n(x) = (x2 – 1)/(x2 + 1). s(x) = 1 se x = 7.000(1. h. g(-12) ou g(150. p e r foram interpretadas em exemplos anteriores.000) = 1. m. a) Encontre uma função que descreva a situação de um estudante.Funções. em função de sua idade. s pode descrever o que ocorreu com os 100 primeiros cartões da loteria em 8. Dizendo que um cidadão imputável está na situação criminal 1 e um cidadão inimputável está na situação criminal 0. h(x) = 1. se x > 50. O aluno estará em “prova final” se a média m satisfizer 4 ≤ m < 6 e estará reprovado se m < 4. nos outros valores de x entre 1 e 100. embora possamos calcular g (-12) = g( 2 ) = 0 e g(150. As funções g. 2) Uma universidade considera “aprovado” o aluno que obtiver média m ≥ 6. x = 15 ou x = 43 e s(x) = 0. s(x) = 500 se x = 23. em função da média.0014)x + 2(1. Sob o ponto de vista desta interpretação faz sentido calcular esta função em 248. . q(x) = 4(1 + x/100)30 + 2(1 + x/100)24 – 1(1 + x/100)15. h(x) = 0 se x ≤ 50. Idéias Básicas 11 g( 2 ).0014)(x-15). Por estes motivos será melhor não nos preocuparmos com possíveis interpretações e conceituar função como um processo que associa números a números que será formalizado no próximo capítulo. 10 – EXERCÍCIOS: 1) A legislação criminal brasileira considera como inimputável. feitas ao longo do período letivo. um cidadão com menos de 18 anos.000) fazem sentido.

as taxas diárias não atingiram 0. 531/33. é denotado por d. a função r(z) = 4z30 + 2z24 – z15 descrevia um investimento. 2π e 432.001. 3) A comissão de formatura de uma turma fez uma rifa com 1. b) Uma investigação feita com 3 pessoas. f(103785099) e f(314762991). a) Encontre uma função que descreva o prêmio ganho. os dois últimos algarismos formam outro número que é somado a 1 e. b) Desconsidere a interpretação acima e pense nesta função definida para qualquer número real. b) Esquecendo qualquer interpretação para r. para quais valores de z aquela interpretação faz sentido: 0 < z < 0. diga. 4o prêmio. 3o prêmio. o qual é determinado em função do número do cpf. da seguinte forma: Os 7 primeiros algarismos do número do cpf formam um número que é denotado por D. no 358 e 5o prêmio. Seja f a função que dá o número de controle em função do número do cpf e a) Calcule f(031206300). mostrou que o cpf de duas delas eram falsos. 2 .12 Cálculo e Aplicações I b) Desconsidere a interpretação acima e pense nesta função definida para qualquer número real. 13237871304 e 18355072116. 4) Em 7. 2 . 1 < z < 1. Calcule seu valor em –10.01. Calcule seu valor em –1. justificando. Diga justificando se a seguinte afirmação é certa ou errada: “A função f faz sentido para qualquer valor de x”. em função do número de cada um dos mil cartões. a seguir. Sabendo que os números eram 00142731029. 2 < z < 10 e z < 1. 6) O ministério da fazenda de um certo país usa números de 11 algarismos para o cpf de seus cidadãos. no 728. no 122.728 e 438π. diga justificando se a seguinte afirmação é certa ou errada: “A função r faz sentido para qualquer valor de z”. no 573. 2. no 901. O número de controle é o resto da divisão D ÷ d. 3 2 . a) Sabendo que em determinado mês.000 números e 5 prêmios.1%. 2o prêmio. 5) Seja f(x) = (x2 – 1)/(x2 – 4). . Os 9 últimos algarismos formam o número do cpf e os dois primeiros formam o número de controle. diga quais eram falsos. cujo sorteio foi: 1o prêmio.