PARTE I

O que as crianças sabem

etc. muita escrita. antes do ensino escolar. Na . Sempre avaliamos o que a criança sabe sobre a linguagem que lhe é ensinada na escola. elas tinham muitas e boas idéias prévias sobre o tema. O processo de aprendizagem da escrita é o seguinte: ESCREVER NÃO É A MESMA COISA QUE DESENHAR O mundo que rodeia a criança é. grafias diversas. E esse processo é universal no que se refere a escritas alfabéticas como as nossas. a psicologia da educação. números. Evidentemente. por um lado. evolutiva. 1982). um mundo gráfico. há. Por que não avaliar o que a criança sabe sobre a escrita independente do que a escola ensina? Para isso. considerando. independente dos métodos escolares utilizados ou. Em sua pesquisa. etc.CAPÍTULO 1 Idéias infantis sobre a escrita Emilia Ferreiro e Ana Teberosky (1979) dedicaram-se à pesquisa do pensamento infantil sobre a leitura e a escrita (também Ferreiro e Gómez Palacio. como letras. as autoras situaram-se numa perspectiva genética. descobriram o processo pelo qual as crianças constroem seu próprio sistema de escrita e de leitura. Na realidade em que se movimenta – às vezes mais. A primeira diferenciação que estabelecerão refere-se à distinção entre os desenhos. Que idéias ela pode ter sobre isso? 2. e outros signos. às quais tentaremos dar respostas na segunda parte e ao longo da apresentação destes Materiais. vejamos apenas duas delas: 1. Essa pesquisa questionava profundamente os métodos escolares tradicionais e levou a novas perguntas sobre como ensinar a linguagem escrita na escola. Para nos situarmos rapidamente. de qualquer forma. também. também. às vezes menos –. a lingüística e a psicolingüística. Elas vêem objetos reais e representações e signos diversos. A criança não se depara com a linguagem escrita no primeiro dia de escola. o que se sabe sobre o pensamento infantil. inclusive.

já estabeleceu a diferença entre desenhar e escrever.. Escrita de uma lista de animais (Gemma. ao chegar à escola.28 COMO AS CRIANÇAS APRENDEM E COMO O PROFESSOR PODE ENSINÁ-LAS A ESCREVER E A LER realidade. três anos) GRAFISMOS PRIMITIVOS: RABISCOS. São grafias que tentam se parecer com as letras.. mas tampouco letras convencionais.. PSEUDOLETRAS As primeiras tentativas infantis ao escrever produzem alguns signos que já não são desenhos. a maioria das crianças. com maior ou menor sucesso: . mas não todas.

usam-nos indistintamente: Escrita de uma lista de brinquedos (Carmen.ESCREVER E LER – I 29 Escritas de listas de palavras (Martí. três e quatro anos) DIFERENÇAS ENTRE LETRAS E NÚMEROS A criança logo notará que existem dois tipos de signos gráficos. além dos desenhos: letras e números. Joan e Robert. quatro anos) . No começo. Mònica.

Em algumas crianças – não em todas –. paralelamente. à aprendizagem das leis da escrita. quatro anos) Ou. à orientação esquerda/direita. embora. Esses aspectos convencionais da escrita vão sendo adquiridos ao escrever. propõem-se o problema de como podem escrever diferentes coisas. aparece um momento evolutivo em que as escritas ocupam toda a largura da página: Escrita dos nomes dos personagens de um conto (Glòria. a fúria de escrever leve-as a preencher a linha: Escrita de listas de nomes (Eduard. ela pode ter determinadas idéias adicionais. São conhecimentos que se aprendem ao escrever. Sobre esses signos. basta pôr uma só letra por palavra. ainda. pelo contrário. a criança já sabe que para escrever são necessários determinados signos. quatro anos) . Essas idéias podem referir-se à forma das letras – mais ou menos convencionais –. que não são desenhos nem números.30 COMO AS CRIANÇAS APRENDEM E COMO O PROFESSOR PODE ENSINÁ-LAS A ESCREVER E A LER A essa altura. às vezes. ESCRITAS SEM CONTROLE DE QUANTIDADE Uma vez que as crianças já sabem que para escrever se usam signos especiais. ao alinhamento horizontal do que se escreve ou.

etc.” e ficam maravilhados ao ver que nossos rabiscos têm um significado. adultos. utilizam seu próprio nome para tudo. que serve para escrever qualquer coisa imaginável. Nestas primeiras tentativas de escrita. As crianças não se cansam de nos pedir: “o que diz aqui?”. ou seja. por exemplo. podem escrever partindo da idéia de que o número de letras de uma palavra – ou o tamanho das letras – tem relação com o objeto que representam: .. variando segundo critérios estabelecidos.. As palavras se diferenciam segundo as características do objeto de referência Assim. Mas é que nossa escrita também não é comunicativa para ela: escrevemos alguns signos incompreensíveis para ela. quatro anos) Algumas crianças. das pessoas. a não ser com a ajuda da palavra.ESCREVER E LER – I 31 ESCRITAS FIXAS Com esta bagagem. ESCRITAS DIFERENCIADAS As escritas das crianças adquirem rapidamente novas diferenciações: as crianças escrevem palavras longas e curtas. não-comunicável. Trata-se de uma autêntica escrita. com leis pessoais. a criança já pode escrever qualquer coisa. letras grandes e pequenas. mas que adquirem significado ao serem lidos: “aqui diz. fazemos entre as palavras: escrevem o mesmo conjunto de signos para qualquer coisa: Escrita de lista de nomes próprios (Lorena. representar mediante signos específicos os nomes das coisas. uma espécie de senha universal. pode ser que a criança ainda não tenha percebido a diferenciação que nós. Inclusive têm idéias muito pessoais e interessantes sobre a gramática do escrito.

Uma lógica arrasadora: Bolas pequenas e grandes (Pilar. porque é maior do que uma borboleta! (Josep. três anos) . neste outro exemplo. duas bolas iguais são escritas da mesma maneira. merece mais letras.32 COMO AS CRIANÇAS APRENDEM E COMO O PROFESSOR PODE ENSINÁ-LAS A ESCREVER E A LER Escrita de nomes de animais: Urso se escreve com mais letras. Mas se a bola é maior. três anos) Ou então.

Vejamos este exemplo: Jordi (quatro anos) escreve todas as palavras com a mesma quantidade de letras. nota-se claramente. na ordem ou na variedade de letras Ou podem ainda introduzir mudanças ao escrever diferentes palavras. mas introduz mudanças na variedade e na ordem das mesmas: . Na escrita de nomes. para escrever o plural.ESCREVER E LER – I 33 Ou. utilizam o recurso de repetir a palavra tantas vezes quanto o número de objetos ao qual o plural se refere: Escrita de “casa” e seu plural “casas” (Alba. quatro anos) Diferenciação na quantidade. mediante a variação do repertório de letras utilizadas ou introduzindo mudanças e diferenciações quanto à ordem ou quantidade das letras em cada palavra.

Neste outro exemplo. mas introduz mudanças na ordem das letras. Verònica lança-se a à escrita criativa de palavras. O [M] e o [I] são naturalmente exclusivos para seu nome.34 COMO AS CRIANÇAS APRENDEM E COMO O PROFESSOR PODE ENSINÁ-LAS A ESCREVER E A LER Algo parecido faz Ma. O resultado parece-se bastante com o que os adultos escrevem: . cada palavra tem mais letras que a anterior. Imma (quatro anos) vai-se entusiasmando à medida que escreve. após copiar o título da receita e as primeiras letras dos ingredientes. Além disso. mudando tanto a quantidade de letras como a ordem e a variedade do repertório de letras de cada palavra. Dolors (três anos): escreve sempre o mesmo número e variedade de letras – mais ou menos –. sente uma verdadeira paixão pelo número cinco: No entanto.

Em alguns casos. . em vez de círculos. podem pôr traços como um I maiúsculo. e o dos colegas. mas jamais se enganam em pôr tantos signos quantas sílabas tem a palavra. etc. longuíssimos contos na escrita silábica (María. porque já viram e conhecem muitas letras..ESCREVER E LER – I 35 Escrita da lista dos ingredientes de uma receita (Verònica. a inventar a escrita silábica: cada letra representa um som. Como a unidade de som que se percebe é a sílaba. a escrita silábica é representada com desenhos esquemáticos. Mamífero? AIEO. Não é o habitual. Constantinopla? OAIOA. cinco anos). excepcionais em nossas escolas. Apesar de nunca terem visto uma palavra assim. Podem escrever. e apesar de que seu nome. Nabucodonosor? Facílimo: AUOOOO. as crianças quase sempre escolhem as vogais.. e o de muitas outras palavras que conhecem se escreverem com mais letras e com consoantes. Vimos crianças que escrevem assim: 0000 00 000 ⎯⎯→ ma-ri-po-sa ⎯⎯→ ti-gre ⎯⎯→ ja-ne-la Ou. inclusive. Isso as leva. as crianças vão descobrindo que nossa forma de escrever não é regida por estes princípios ideográficos. cada sílaba é representada por uma letra ou uma grafia. Quais são as letras que se usam para representar as sílabas? Naturalmente. elas escrevem assim: AIOA ⎯⎯→ ma-ri-po-sa IE ⎯⎯→ ti-gre EAA ⎯⎯→ ja-ne-la (ventana. letras ou outros signos.. em espanhol) É maravilhoso: podem escrever qualquer palavra que lhes propusermos ou que queiram escrever. quatro anos) ESCRITAS SILÁBICAS Tarde ou cedo – geralmente em grande velocidade –.

TRADUÇÃO Havia uma menina que se chamava Chapeuzinho / a mãe lhe disse que levasse comida para a vovó / ela encontrou o lobo pelo caminho / e lhe disse que passasse pelo caminho / e a enganou / e o lobo chegou primeiro / o lobo comeu a vovó / se deitou na cama / e chegou Chapeuzinho / e o lobo também comeu Chapeuzinho.36 COMO AS CRIANÇAS APRENDEM E COMO O PROFESSOR PODE ENSINÁ-LAS A ESCREVER E A LER TRANSCRIÇÃO DIRETA lA CapUtxEtA vArmELLa hI hAvIA UnAA nEnA CA eS dEIA CapUtxEtA / lA MarA lI vA dIr Ca pUrTeS Al mAnjAr a l’AvIA / Se vA trUbAr Al llOP pAl Cam_/ I lI vA dIr CA Passés pAl Cam_/ I lA vA AnganyA / I eL llOp va ArrIbAr prIMer / Al llOp vA MenjAr l’AvIA / eS vA pUSar A lA cAmA / I ArrIbA lA CapUtxEtA /I tAmbé Al Llop vA mAnjAr CapUtxEtA. .

Por um lado. quando vêem e lêem escritas adultas. logo descobrem que a escrita não deve funcionar assim. . as palavras não estão escritas desse modo. contos. Por outro lado.ESCREVER E LER – I 37 Ou pode-se escrever todo tipo de notícias. por exemplo. cada um no seu ritmo. como esta dupla de meninos de quatro anos: TRANSCRIÇÃO DIRETA DIumEnjA As vA fEr eL mUndIAl fOrmUlA U / ManseLl vA gUanyAr/ vA plOUrA mOLt / FÉLIX / JOSEP MANEL TRADUÇÃO Domingo se fez o Mundial de Fórmula Um / Mansell ganhou / Choveu muito / FÉLIX / JOSÉ MANUEL No entanto. há conflitos que aparecem em seguida.

Por exemplo. ASPIRADOR pode-se escrever ADAD. Mas isso é muito difícil de aceitar quando se está convencido de que se necessita de mais de uma letra para escrever uma palavra. Os nomes próprios não podem ser escritos pela metade Além do mais. na sílaba [TA] não se ouve apenas o [A]. seria colocado apenas um O. e com isso se discriminam melhor algumas palavras de outras. Vai ver. 5. porque são todas iguais! 3. Palavras com todas as letras iguais? BATATA. mas o mundo não foi feito em um dia. PELOTA (bola). o que acontece ao se escrever o nome de um colega? ALEJANDRO fica furioso quando alguém escreve seu nome assim: AEAO. 4. As consoantes: uma solução Finalmente. naturalmente. acaba-se por escrever ambas. É um conflito cognitivo autêntico.. ou SO → s-ol. ou PESTANA (EAA) seja escrita igual a SEMANA? Isso também ofende o intelecto infantil e leva as crianças a pensar que é preciso usar outros critérios. na turma há uma Tamara ou Tatiana. De modo que às vezes escrevem o [T]. que pode ter várias soluções: OO so-ol (duplicar o som para evitar uma letra solitária que ofende o senso comum). “Não é verdade! Faltam letras!” E ANA de modo nenhum concorda com a perda do seu N. O problema dos monossílabos Como escrever SOL? Pela lógica silábica. De modo que transcorre um período de tempo em que se combina o critério silábico com escritas parcialmente alfabéticas: . cuja letra é o [T]. embora também pudesse ser PALETO (grosseiro). o certo é que a hipótese silábica – uma letra por sílaba – é tão potente e satisfatória para as crianças que lhes custa muito renunciar a ela. De qualquer forma.38 COMO AS CRIANÇAS APRENDEM E COMO O PROFESSOR PODE ENSINÁ-LAS A ESCREVER E A LER Os problemas do escrever 1. Este é um dos caminhos possíveis para superar-se a hipótese silábica. Dessa forma. Ou ainda OL→ so-l. ou ainda. 2. Algumas crianças. mantendo a hipótese silábica.. o árabe e o hebraico. E pode ser que vejamos RINOCERONTE escrito apenas com consoantes: RNCRT. como é possível que SUCO (U O) seja escrita igual a TUBO. ESCRITAS SILÁBICO-ALFABÉTICAS Quando se descobre que uma sílaba pode ser escrita com a vogal ou com a consoante. Há outras que aparecem freqüentemente. ou AIRO. Há muitas línguas no mundo que se escrevem silabicamente mas escrevendo só as consoantes. PLT significa. começam a escrever com as consoantes. AAA? Isso não pode ser lido. Palavras diferentes são escritas da mesma maneira? Por exemplo.

ESCREVER E LER – I 39 Escrita de uma legenda de uma foto (Laia. quatro anos) [jULIO IgLESIAS É CanTor] Escrita de um anúncio (Gerard. cinco anos) TRANSCRIÇÃO DIRETA GERARD PASTes GALLO PAr FEr CANALOGS I MACaRrOnS TRADUÇÃO Gerard Massas Gallo para fazer canelones e macarrões .

[transcrição com ortografia corrigida] EL RUQUET VALENT El ruquet valent porta carga. porta carga. ESCOLA já é definitivamente ESCOLA. chega-se a escrever todas as letras que nós. incluindo os acentos. escrevemos para representar uma palavra. H. S/Z. etc. adultos. El ruquet valent. aparecem novos problemas de escrita. a separação de palavras. PAU. [tradução] O burrinho valente leva a carga e não a sente. J/G. PABLO. Escrita de uma canção (cinco anos) .40 COMO AS CRIANÇAS APRENDEM E COMO O PROFESSOR PODE ENSINÁ-LAS A ESCREVER E A LER ESCRITAS ALFABÉTICAS Por esse caminho. porta carga i no se’n sent. No entanto. maiúsculas ou minúsculas.

introduz mudanças na quantidade de letras por cada palavra. Em meados do ano. El Barça va perdre 2-1. O Barça e o Manchester. El Barça i el Manchester. ANA: A HISTÓRIA DE UMA ESCRITA Ana começou a escolaridade no ano letivo 86-87. Este momento é muito interessante. El dimecres 15 de maig.. segmenta a palavra em sílabas.2. o mesmo repertório de letras e uma ordem semelhante. Escrita de uma notícia (seis anos) Vamos repassar todo o processo. etc.ESCREVER E LER – I 41 [transcrição corrigida] EL MANCHESTER PREN LA RECOPA. Realmente. El Barça (a) la primera part. porque a menina começa a introduzir letras que correspondem a fonemas da palavra: “papallona” é “PPXTP”. En Zubizarreta i l’Amor no van poder jugar. O Barça no primeiro tempo não reagia. En Marc Hughes va marcar dos gols. Zubizarreta e Amor não puderam jogar. En Koeman va fer el primer gol del Barça. esquilo [esquirol]. escreve silabicamente e já usa muitas consoantes corretas. Koeman fez o primeiro gol do Barça. Nando fez uma falta muito grande e foi expulso. No entanto.. na classe de quatro anos. En Nando va fer una falta molt gran i el van expulsar. Em maio. no reaccionava.. escrevia seu nome corretamente. porque a discriminação já estava agindo antes.. mas que repetirá ao escrever “LLET” → “LLE–ET” → LLT.. “gat” é “CT”. em fevereiro. escrevia todas as demais palavras – borboleta [papallona]1. [tradução] O MANCHESTER GANHA A RECOPA. Jogavam na cidade de Roterdamm da Holanda. Observe como o monossílabo “GAT” é escrito duplicando as letras: “GA-AT” → GT. “tigre” é “TCX”. ao terminar o ano. gato [gat] e “o gato bebe leite” [el gat beu llet] – com muito pouca diferenciação: mais ou menos a mesma quantidade de letras por palavra. tigre [tigre]. Ao reler o escrito. Falta-lhe muito pouco para dar o salto para a hipótese silábica. . mas ainda não elaborou uma hipótese de correspondência silábica entre as letras que escreve e os sons que ouve na palavra. escrevia de forma muito diferenciada: ampliou muito o repertório de letras que usa. Uma “rasteira” na hipótese silábica que já não precisará ao escrever “GAT” na frase completa. O Barça perdeu 2-1. como foi-se produzindo em Ana. Jugaven a la ciutat de Roterdamm d’Holanda. em junho. Marc Hughes marcou dois gols. mas a cada sílaba pode corresponder mais do que uma letra qualquer.

pronuncia-se [cu]) LA →A e depois repete LA →L e. com alguma exceção: “Galetes” parece como “Calet(e)s”. temos as palavras em catalão que aparecem na ilustração. registra a consoante. tal como são pronunciadas: Notas 1 2 3 Entre parênteses. Em breve. senão que repete a sílaba e primeiro registra a vogal e. TA →T. porque é um conhecimento significativo que não se esquece. Ao começar o ano seguinte. que também discrimina e conhece. A correspondência som/grafia é muito correta. por fim. Ana escreverá com todas as letras. CO → U (em catalão. já escreve as palavras de forma silábico-alfabética. Ver a escrita da crença na ilustração.42 COMO AS CRIANÇAS APRENDEM E COMO O PROFESSOR PODE ENSINÁ-LAS A ESCREVER E A LER A conquista silábica é irrevesrsível. . na repetição. Acompanha a escuta da criança na ilustração. Observe a escrita de “xocolata”:3 XO → X. Não é que faça uma inversão psicomotora.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful