LAUDO TÉCNICO DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA

1

LAUDO TÉCNICO DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE

SOLICITANTE: UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA

OBJETIVO:

O presente Laudo Técnico trata de avaliação pericial conclusiva sobre as condições de exposição do servidor da Universidade Federal Rural da Amazônia – UFRA, aos agentes insalubres e perigosos, com a finalidade enquadrar a(s) atividade(s) analisada(s), nos termos das Normas Regulamentadoras (NRs) nºs 15 e 16 e seus respectivos Anexos regulamentados pela Portaria nº 3214/78, e nos termos da Lei nº 7.369 de 20 de Setembro de 1985, regulamentada pelo Decreto Federal nº 93.412.

MISSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA:

A Universidade Federal Rural da Amazônia – UFRA, entidade com personalidade jurídica de direito público, instituída pela Lei n° 10.611 de 23/12/2002, cujo marco inicial foi a Escola de Agronomia da Amazônia – EAA, 1951, transformada em 1972 pelo Decreto Nº 70.268 em Faculdade de Ciências Agrárias do Pará – FCAP, vinculada ao Ministério da Educação, tem como missão formar profissionais de nível superior, desenvolver e compartilhar cultura técnico-científica através de pesquisa e extensão, oferecer serviços à comunidade e contribuir para o desenvolvimento econômico, social e ambiental da Amazônia, é dotada de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial, de acordo com a legislação vigente.

2

SUMÁRIO

Assuntos e Setores Avaliados

Páginas

CARACTERIZAÇÃO DA UNIVERSIDADE INTRODUÇÃO FORMADE AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO DOS SETORES Reitoria Vice Reitoria Divisão de Vigilância Pro Reitoria de Ensino - PROEN Refeitório da Universidade - PROEN Superintendência de Documentação e Informação - Biblioteca - PROEN Divisão Editoração e Gráfica - PROEN Pró-Reitoria de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico - PROPED Pró-Reitoria de Extensão - PROEX Pró-Reitoria de Planejamento e Gestão - PROPLAGE Divisão Qualidade de Vida, Saúde e Segurança/ PROPLAGE Serviços Médico e Odontológico/PROPLAGE Divisão de Almoxarifado/PROPLAGE Prefeitura/PROPLAGE Carpintaria/Prefeitura/PROPLAGE Elétrica/Prefeitura/PROPLAGE Hidráulica/Prefeitura/PROPLAGE Pintura/Prefeitura/PROPLAGE Transportes/Prefeitura/PROPLAGE Manutenção de Aparelhos Ópticos/Prefeitura/PROPLAGE Instituto de Ciências Agrárias - ICA Instituto Ambiental e Recursos Hídricos - ISARH Instituto de Saúde e Produção Animal - ISPA Instituto Ciberespacial - ICIBE Campus de Parauapebas Campus de Paragominas Campus de Capitão Poço EQUIPAMENTOS DE AVALIAÇÃO QUANTITATIVA TABELA RESUMO DOS CASOS DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE DA UFRA DEFINIÇÕES LEGAIS QUALIFICAÇÃO E ASSINATURA DO RESPONSÁVEL TÉCNICO

4 5 6 7 a 67 7 8 9 10 11 a 13 14 15 16 17 a 19 20 21 a 22 23 24 a 25 26 27 a 28 29 a 34 35 a 36 37 38 39 40 a 46 47 a 52 53 a 60 61 62 a 64 65 a 66 67 68 69 70 71 3

077-530 05. Tancredo Neves.CARACTERIZAÇÃO DA UNIVERSIDADE Razão Social Endereço Bairro Município Estado CEP C. Sueo Numazawa 4 .200.001/0001-01 84. 2501 Montese Belém Pará 66.P.N.J Código CNAE Ramo de Atividade Grau de Risco Grupo Horário de Funcionamento Reitor UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA Av.11-6-00 Administração Pública 1 C-33 07h30 às 17h30 Professor Dr.

Risco pode ser definido como a possibilidade dos efeitos de uma ocorrência. 1. Como a legislação estabelece quais os agentes considerados nocivos à saúde. diferentemente dos riscos físicos. Por insalubridade. precisam estar na relação e na forma da NR 15. A constatação do risco no ambiente de trabalho. carregamento de peso. Como o próprio nome diz. com alterações posteriores. esses riscos ambientais. conforme o seu processo. quedas. Exemplo de riscos ambientais. previsto na NR 09 pelo MTE. É preciso que a atividade apontada pelo laudo pericial como insalubre esteja prevista na relação oficial elaborada pelo Ministério do Trabalho. 2 . O Reconhecimento da insalubridade é um processo com base científica. que cause dano. A discriminação dos agentes considerados nocivos à saúde bem como os limites de tolerância mencionados estão previstos nos anexos da Norma Regulamentadora NR-15. expõem o empregado a agentes nocivos à saúde. mas que não estão na NR 15: microorganismos das poeiras de livros. 1. não é o que consideramos insalubre. levando em conta ainda o tipo de atividade desenvolvida pelo empregado no curso de sua jornada de trabalho. queimaduras. acima dos limites de tolerância fixados em razão da natureza. mas que não estão na NR 15: Mordidas de animais. eles não são classificados pela NR 15 para gerarem adicionais de insalubridade.3 . Apesar dos riscos ergonômicos e riscos de acidentes trazerem danos à saúde e a integidade física do trabalhador. limpeza de banheiros. em termos de sua probabilidade e da magnitude de suas conseqüências. aprovada pela Portaria 3. não basta ser insalubre.Definição de insalubridade. não se baseia na simples presença de um objeto no ambiente de trabalho. microorganismos de pragas. de animais saudáveis. contato eventual com microorganismos de terrenos e dejetos. tiro de revólver. a insalubridade tem que ser conforme legislação. Ou seja.2 . insalubre é algo não salubre. pois. relacionado a um determinado agente. pelas atividades e pelos efeitos dos riscos. mas ainda assim.Para gerar adicional.Diferença entre risco e insalubridade. Assim.Diferença de risco ambiental dos riscos de acidentes e ergonômicos. poeiras vegetais. que fará o empregado ter direito ao respectivo adicional. entre outros. são consideradas insalubres as atividades ou operações que por sua natureza. de ar condicionado. Exemplo de riscos de acidente ou ergonômico.214/78. afogamento. que pode causar doenças ao trabalhador por conta de sua atividade laboral. doentio. causarem dano a alguém. apesar de não gerarem adicional de insalubridade. agrotóxicos dos princípios ativos não relacionados na NR 15.INTRODUÇÃO 1 . acidente de carro. Os casos acima ficarão como abordagem para o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA. exceto combustíveis em grandes quantidades. 5 . as taxas de metabolismo e respectivos tempos de exposição. insalubridade é a materialização do risco. que consiste na identificação e caracterização dos perigos. condições ou métodos de trabalho. pela a avaliação ambiental da exposição. exceto bagaço da cana em grande escala. entre outros. observados os limites de tolerância. microorganismos de vegetais. devem ser avaliados para a prevenção contra os riscos ocupacionais. químicos e biológicos que são conhecidos como RISCOS AMBIENTAIS. entende-se a propriedade de um agente. da intensidade do agente e o tempo de exposição aos seus efeitos. A insalubridade é definida em função do tempo de exposição ao agente nocivo. armazenamento de materiais químicos.

6 . E no regime RJU. médio e mínimo. conforme prevê artigo 192 da CLT. Foi realizada a quantificação calor no Refeitório e no Laboratório Tecnologia de Produtos Florestais. 10% (dez por cento) e 5% (cinco por cento). conforme sua natureza e condições. onde são iminentes as fontes ruidosas. No caso de Periculosidade. e das medidas de controle adotadas. médio e mínimo. em relação a legislação. cujos agentes se encontram acima dos limites de tolerância ou estão na forma estabelecidas pelo Ministério do Trabalho. as fontes dos agentes têm que estar arroladas na NR 15 para fundamentar o adicional de insalubridade. e avaliações quantitativas para analisar a INSALUBRIDADE. Uma vez caracterizada a atividade como insalubre. certificou-se da quantidade de produtos químicos utilizados na atividade. mesmo considerando a atividade insalubre. e no Decreto Federal 93. Foi quantificada as concentrações de agentes químicos. 4 . nos agentes indentificados na avaliação qualitativa. anexo 14. a periculosidade não deixa de ser um acidente de trabalho. em alguns laboratórios dos Institutos do ICA. foi analisado a fonte dos agentes. No caso de agentes químicos. conforme dito anteriormente. as percepções de adicionais são respectivamente de: 20% (vinte por cento). as quantidades e as áreas definidas na legislação. não é possível atribuir o adicional de insalubridade se a mesma não estiver relacionada na legislação em vigor. pois. O exercício de trabalho em condições insalubres.Avaliação qualitativa. das condições e forma de exposição e das medidas de controle adotadas. 2 .Base legal para caracterização da atividade. No caso de agentes biológicos (microorganismos). que prevê insalubridade somente para os agentes definidos nas fontes e condições da NR 15.Avaliação quantitativa. os agentes. certificando-se da dose média absorvida pelos trabalhadores. Embora. entrevistas e coleta de informações dos trabalhadores para analisar a INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE. onde se utilizou a inspeção audiovisual. de 1986 FORMA DE AVALIAÇÃO 1 . segundo se classifiquem nos graus máximo. ISPA E ISARH. A avaliação foi realizada através de equipamentos de medição conforme metodologias previstas da FUNDACENTRO.Definição de Periculosidade Da mesma forma. 20% (vinte por cento) e 10% (dez por cento). ocorre com a atividade periculosa. que pode ser confundida com riscos de acidentes. em relação à via e a fonte do agente.412. informado pelos trabalhadores. A avaliação ambiental foi realizada em cada SETOR. segundo se classifiquem nos graus máximo. assegurará a percepção de adicional respectivamente de 40% (quarenta por cento). que se expõem a agentes químicos nos laboratórios desta Universidade. foram avaliadas as atividades.Valores de adicionais de insalubridade.1 . onde foi adotado a amostragem por grupo homogêneo. No caso de agentes físicos (ruído intermitente e calor) realizou-se a avaliação através de equipamentos de medição instantânea e certificando-se sobre o tempo de exposição. observando cada processo de trabalho. A avaliação quantitativa dos agentes insalubres foi realizada. ela precisa ser caraterizada conforme as atividades. quantidades e distâncias definidas na NR 16. áreas. do tempo de exposição. Foi quantificada a dose de ruído intermitente no setor de carpintaria e marcenaria.2. 3 .

forro de chapa metálica e pé direito 3.COMISSÃO PERMANENTE DO PESSOAL DOCENTE – CPPD. os trabalhadores não fazem jus ao adicional de insalubridade e periculosidade.412.Assessoria de Assuntos Estratégicos. 7 .Assessoria de Comunicação. concluímos que as atividades não são consideradas insalubres. 01 Realizar serviços administrativos. 01 Realizar a limpeza do setor. Com relação à periculosidade. .IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos.COMISSÃO PERMANENTE DO PESSOAL TÉCNICO ADMINISTRATIVO – CPPTA.Unidades descentralizadas. . não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas.Auditoria Interna. que cause dano à saúde do trabalhador. durante sua jornada de trabalho. . 02 Realizar serviços administrativos. 93. Cargo Assistente em administração Auditor Contador Servente de limpeza Engenheiro área Recepcionista Assessor CD 4 Procurador federal Professor titular DE-M Cozinheiro Quant. 01 Realizar serviços de ensino pesquisa e extensão. 02 Realizar serviços administrativos. . constatou-se que não existem agentes químicos.00 m. conforme Norma Regulamentadora 16 e seus anexos e Dec.Secretaria Geral e dos CONSELHOS SUPERIORES. . ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. . Realizar serviços administrativos. 01 Realizar serviços administrativos.Assessoria Jurídica. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Portanto. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerada pela legislação como insalubres. . . . CONCLUSÃO Fundamento Legal: Conforme avaliação no ambiente de trabalho. relacionados com a natureza e o tempo de exposição ao agente. 09 01 Atividades Realizar serviços administrativos. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Reitoria Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria e divisórias de eucatex. Composta Por: -Chefia de Gabinete. piso em taco de madeira.Assessoria de Cooperação Interinstitucional e Internacional. 01 Realizar serviços burocráticos e de secretariado. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. 01 Realizar serviços administrativos. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição.

CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Vice .IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. 93. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerada pela legislação como insalubres. e exercer as atividades e funções que lhe forem delegadas pelo Reitor. concluímos que as atividades não são consideradas insalubres. Cargo Vice Reitor Quant. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Portanto.412.00 m. coordenar por delegação do reitor. seus anexos e Dec. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. as atividades de órgãos da reitoria. relacionados com a natureza e o tempo de exposição ao agente. constatou-se que não existem agentes químicos. Com relação à periculosidade. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição. que cause dano à saúde do trabalhador. 8 . Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. piso em taco de madeira. os trabalhadores não fazem jus ao adicional de insalubridade e periculosidade. conforme Norma Regulamentadora 16. CONCLUSÃO Fundamento Legal: Conforme avaliação no ambiente de trabalho. não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. forro de chapa metálica e pé direito 3. 01 Atividades Exercer a Reitoria nos afastamentos e impedimentos do reitor. durante sua jornada de trabalho. conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos.Reitoria Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria e divisórias de eucatex.

os funcionários da UFRA Zelar pelo patrimônio público e realizar escala de trabalhos dos vigilantes e coordenar os vigilantes. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição.412. conforme Norma Regulamentadora 16. Portanto. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Divisão de Vigilância Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria e divisórias de eucatex. Com relação à periculosidade. controle de escal de serviço e responsável por salvaguardar o patrimônio. forro de chapa metálica e pé direito 3. 9 . concluímos que as atividades não são consideradas insalubres. durante sua jornada de trabalho. constatou-se que não existem agentes químicos. não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. controle do pessoal. bem como. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. todos trabalhadores não fazem jus ao adicional de insalubridade e periculosidade. Cargo Gerente de Vigilância Quant. relacionados com a natureza e o tempo de exposição ao agente. conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos. seus anexos e Decreto federal 93. Composta Por: Gerência de Vigilância e guaritas dos postos de vigilantes. CONCLUSÃO Fundamento Legal: Conforme avaliação no ambiente de trabalho.00 m. Vigilante 40 ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. 01 Atividades Serviços Administrativos. que cause dano à saúde do trabalhador. piso em taco de madeira. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerada pela legislação como insalubres.

Portanto. durante sua jornada de trabalho. conforme Norma Regulamentadora 16 e seus anexos e Dec. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres.PROEN Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. As Professor Assoc. 93. Divisão Refinanciamento e Empréstimo. As Professor ADJ.Biblioteca. Divisão de Apoio Pedagógico. 10 . Atividades Realizar serviços de ensino pesquisa e extensão. Composta pela Coordenadoria do Curso de Graduação em Engenharia Florestal. Cargo Quant.4 DE-M 04 atividades foram analisadas no Instituto respectivo. As Professor ADJ. Técnico em assuntos Gerenciar as atividades da Divisão de Apoio educacionais/Gerente da Divisão de 01 Pedagógico. piso em paviflex. Coordenadoria do Curso de Graduação de Medicina Veterinária. CONCLUSÃO Fundamento Legal: Conforme avaliação no ambiente de trabalho. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição. Divisão de Controle Acadêmico.2 DE-D 02 atividades foram analisadas no Instituto respectivo.00 m. a edificação apresenta boas condições sanitárias e de conforto no local de trabalho. Com relação à periculosidade. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. As Professor ADJ. Realizar serviços de ensino pesquisa e extensão. Coordenadoria do Curso de Graduação de Engenharia de Pesca e Coordenadoria do Curso de Graduação em Zootecnia. Divisão Editoração e Gráfica.412. Superintendência Acadêmica de Ensino. concluímos que as atividades não são consideradas insalubres. Superintendência de Documentação e Informação . conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos. forro de laje de concreto maciça e pé direito 3. constatou-se que não existem agentes químicos com concentração máxima. Comissão de Processo Seletivo. relacionada com a natureza e o tempo de exposição ao agente. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. V001 DE-D 01 atividades foram analisadas no Instituto respectivo. Realizar serviços de ensino pesquisa e extensão. Apoio Pedagógico Realizar serviços de ensino pesquisa e extensão. Divisão de Ensino e Acesso. não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas.3 DE-E 01 atividades foram analisadas no Instituto respectivo Auxiliar administrativo 01 Realizar serviços administrativos. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Pro Reitoria de Ensino . que cause dano à saúde do trabalhador. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. os trabalhadores não fazem jus ao adicional de insalubridade e periculosidade.

Local de lavagem de louça: 27. Auxiliar nas atividades da cozinha e armazenar e distribuição de Ajustador mecânico 02 alimentos na cozinha. Portanto. constatou-se que não existem agentes químicos com concentração máxima.Local de corte de legumes: 32. Auxiliar de nutrição 01 Auxiliar nas atividades da cozinha. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Refeitório da Universidade . Portanto.6°C 5 . Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres. faremos abaixo as seguintes considerações: 11 .3°C.0°C 3 .7°C. durante sua jornada de trabalho.PROEN Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. consideramos as atividades como trabalho contínuo. constatou-se que os trabalhadores deste setor exercem atividades expostos à temperaturas elevadas num período de quatro horas aproximadamente por dia. conforme preconiza a NHO 6 da Fundacentro.Qualquer outro ponto da cozinha 28. A temperatura admissível para trabalho contínuo de atividade moderada é de até 26. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. cujo descanso no espaço de uma hora não ocorre.3°C 2 . a atividade é contínua. que realiza a gerência do setor.Local junto ao fogão ligado 37°C 4 . e 30 (trinta) minutos dentro da sala de gerência num intervalo de 60 (sessenta) minutos. logo.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. relacionada com a natureza e o tempo de exposição ao agente. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. CONCLUSÃO Fundamento Científico: Conforme medição quantitativa realizada no pior período de exposição do trabalhador. coordenar funcionários do Nutricionista 01 refeitório. piso cerâmico. os trabalhadores permanecem no ambiente de calor pela necessidade do serviço. logo. forro de laje de concreto maciça e pé direito de aproximadamente 3. Supervisionar as áreas do refeitório. ou seja. sendo que a menor temperatura da cozinha foi de 27.Sala da gerência: 23. requerer materiais e manutenção para o refeitório. observamos as seguintes situações: A nutricionista informou que executa atividade durante 30 (trinta) minutos dentro da cozinha. Em relação a função da nutricionista. Cargo Quant. Atividades Cozinheiro 03 Realizar atividades de confecção de refeições. que cause dano à saúde do trabalhador.4°C Consideramos todas atividades da cozinha como atividade moderada. constatamos as seguintes temperaturas em IBUTG (Índice de Bulbo Úmido e Termômetro de Globo): 1 . todos trabalhadores que permanecem no ambiente da cozinha sofrem os danos provocados pelo calor.50 m.

Tt . não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. conclue-se uma pequena margem menor de 1°C abaixo da temperatura permitida que é de 30. de modo que não tenha parede no extremo oposto à cozinha.Refazer o layout do refeitório. IBUTG médio = IBUTGt x Tt + IBUTGd xTd/60 = 32. 2 .5°C para metabolismo até 175Kcal. concluímos que as atividades de todos trabalhadores deste setor são consideradas insalubres. 4 . 3 . 12 . os trabalhadores não fazem jus ao adicional de periculosidade. em que se permanece no local de menor temperatura.Instalar mais exaustores na parede com telas. em minutos.Calcularemos a taxa média de matabolismo da trabalhadora e a temperatura média no intervalo de 60 (sessenta) minutos de trabalho. e fazem jus ao adicional de insalubridade em grau médio.412/86.EPC 1 . Pelo memorial de cálculo exposto acima.valor do IBUTG no local de trabalho.Realizar exames médicos periódicos conforme PCMSO. Mt .4 x 30 = 29. Portanto. Com relação à periculosidade.como anteriormente definidos. 60 .quantidade de minutos no interval de uma hora. Mmédia = Mt x Tt + Md x Td/60 = 125 x 30 + 150 x 30 = 137.Instalar coifa com duas saídas de exaustão.5 Kcal/h Sendo: Mmédia . 2 .como anteriormente definido.85°C/h Sendo: IBUTGt . IBUTGd . Portanto. Fundamento Legal: Conforme avaliação no ambiente de trabalho. conforme NR 15. considerando as condições variadas que possam ocorrer em outros momentos de exposição. 60 . 93. conforme Norma Regulamentadora 15 anexo 3.taxa de metabolismo no local de trabalho. 3 .taxa média de metabolismo. EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVA . em minutos.soma dos tempos. concluímos que a atividade da trabalhadora é insalubre. Tt e Td . Md . Td .Propor rodízio para descanso.valor do IBUTG no local de descanso.Incentivar o consumo de água. MEDIDAS DE CORREÇÃO ADMINISTRATIVA 1 .taxa de metabolismo no local de descanso. em que se permanece no local de trabalho.Abrir e aumentar aberturas de janelas com telas milimétricas. seus anexos e Dec.soma dos tempos. conforme Norma Regulamentadora 16.0 x 30 + 23. e a constante variação da temperatura que a servidora se expõe.

7 Processo de Operação das atividades: Preparar alimentos em fogão industrial a gás.AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DE CALOR Empresa/Órgão: Setor Agente Avaliado Universidade Federal Rural da Amazônia .Anexo 3 (°C) Condições de trabalho e Valores Existentes Tipo de Atividade Tempo de descanso (Min) Temperatura no local de descanso (C°) Temperatura média em IBUTGno local de trabalho (C°) Contínua 240 32. Dados do Equipamento de Proteção Individual – EPI Existente Nome Tipo de Material CA Não Há Não Há Não Há Dados do Equipamento de Proteção Coletiva Existente Exaustores.UFRA Cozinha do Refeitório Calor Metodologia adotada Data Horário NHO 06 da Fundacentro 20/11/2010 09h00 às 10h00 Trabalhadores Expostos Função Grupo Homogêneo Cozinheiro Todas funções da cozinha Fonte Geradora Chama de fogo do fogão a gás Equipamento Termômetro de Globo Digital Tempo de trabalho (Min) Dados do Equipamento de Medição Fabricante Modelo Data da Calibração Extrech (USA) HT30 12/05/2010 Nº do Certificado 12362/2009 Temperatura em IBUTG Admissível NR 15 . armazenar produtos alimentícios.0 26. limpar cozinha e servir refeições. cortar e lavar alimentos. Ventiladores e Janelas 13 .

constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição.Biblioteca . encadernação. dissertações e folhetos e 03 documentalista realizar computação bibliográfica. limpeza e organização de acervos e 09 administração realizar serviços burocráticos. piso paviflex. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Superintendência de Documentação e Informação . os trabalhadores não fazem jus ao adicional de insalubridade e periculosidade. conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos. conferir e indexar livros. constatou-se que não existem agentes químicos com concentração máxima. relacionada com a natureza e o tempo de exposição ao agente. 14 . Portanto. Não há caracterização de insalubridade na NR 15 para fungos e poeiras de livros. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. limpeza e organização de acervos e Auxiliar de atender o guarda-volumes da biblioteca. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres. Com relação à periculosidade.412. reprografia e revelação de chapas de alumínio e auxiliar nas atividades da cozinha do RU. que cause dano à saúde do trabalhador. Atender o usuário da biblioteca. concluímos que as atividades não são consideradas insalubres. limpeza e organização de acervos. Cargo Quant. Atividades Atender o usuário da biblioteca.00 m. limpeza e organização de acervos e Recepcionista 03 realizar serviços burocráticos e de secretariado. teses. Assistente em Atender o usuário da biblioteca.PROEN Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. forro de laje de concreto maciça e pé direito de aproximadamente 3. 93. conforme Norma Regulamentadora 16 e seus anexos e Dec. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. CONCLUSÃO Fundamento Legal: Conforme avaliação no ambiente de trabalho. durante sua jornada de trabalho.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. Telefonista 01 Atender o usuário da biblioteca. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. realizar trabalhos de 05 agropecuária impressão. Bibliotecário Catalogar.

organizar e encadernar materiais impressos.00 m. 15 . CONCLUSÃO Fundamento Legal: Conforme avaliação no ambiente de trabalho. regular e Auxiliar de 01 operar máquinas de xerografia. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Com relação à periculosidade. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres. concluímos que as atividades são consideradas salubres. forro de laje de concreto maciça e pé direito de aproximadamente 3.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. conforme Norma Regulamentadora 16 e seus anexos e Dec. regular e Impressor 03 operar máquinas de xerografia. O risco químico está relacionado com manuseio de produtos químicos e absorção de seus vapores quando estes são itensos no ambiente. durante sua jornada de trabalho. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos. atender o público. atender o público. que cause dano à saúde do trabalhador. Atividades Elaborar relatório mensal do setor gráfico. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição. Portanto. piso paviflex. 93. Cargo Quant. organizar e encadernar materiais agropecuária impressos. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Divisão Editoração e Gráfica . constatou-se que não existem agentes químicos. não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas.412. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. os trabalhadores não fazem jus ao adicional de insalubridade e periculosidade. Elaborar relatório mensal do setor gráfico.PROEN Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. relacionados com a natureza e o tempo de exposição ao agente.

Planejar atividades de pesquisas e desenvolvimento. não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos. elaborar relatório das atividades e atos normativos. Cargo Quant. concluímos que as atividades são consideradas salubres. CONCLUSÃO Fundamento Legal: Conforme avaliação no ambiente de trabalho. Gerenciar os recursos humanos da Pró-Reitoria. Composta pela Coordenadoria do Curso de Mestrado em Agronomia. 16 . Coordenadoria do Curso de Doutorado em Ciências Agrárias. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Pró-Reitoria de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico . Com relação à periculosidade. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição. Desenvolvimento e Tecnologia e Divisão de Pós Graduação e Divisão de Projetos/Captação de Recursos. 93. Divisão de Pesquisa. Portanto. a edificação apresenta boas condições sanitárias e de conforto no local de trabalho. o planejamento financeiro e promover programas/atividades.PROPED Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria.50 m. representar a Pró-Reitoria. conforme Norma Regulamentadora 16 e seus anexos e Dec. durante sua jornada de trabalho. apoiar na elaboração do Professor/Pró Reitor-Adjunto 01 relatório anual. os trabalhadores não fazem jus ao adicional de insalubridade e periculosidade. constatou-se que não existem agentes químicos. piso em taco. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. forro de laje de concreto maciça e pé direito 3. Coordenadoria de Pós Graduação. Atividades Auxiliar em agropecuária 01 Executar atividades de contínuo. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres. Professor/Pró-Reitoria 01 realizar articulações interna e externa de interesses da Instituição e da Pró-Reitoria. Assistente em administração 02 Realizar serviços administrativos e burocráticos. Coordenadoria do Curso de Mestrado em Ciências Florestais. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. que cause dano à saúde do trabalhador. relacionados com a natureza e o tempo de exposição ao agente.412.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL.

Divisão de Estágio e Divisão de Eventos Técnico-Científicos. controlar e zelar pelo patrimônio da PróReitora. apoiar na elaboração do relatório anual. forro de laje de concreto maciça e pé direito 3. realizar articulações interna Pró-Reitor de Extensão 01 e externa de interesses da Instituição e da Pró-Reitoria de Extensão. Pró-Reitoria Adjunta de Extensão. apoiar o Pró-Reitor. entrega de documentos e apoio em Auxiliar de agropecuária 05 cursos e eventos de extensão.PROEX Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. Colegiado da Pró-Reitoria de Extensão. o planejamento Pró-Reitor Adjunto 01 financeiro. Gerenciar os recursos humanos da pró-Reitoria de Extensão. 17 . Divisão de Extensão. representar a Pró-Reitoria. organizar. apoiar a organização e coordenar cursos e de eventos técnicos científico atividades de extensão. realizar mobilização interna e Impressor/ Assessor da divisão 01 externa. atender a comunidade interna e externa. Centro de Assuntos Comunitários e Superintendência Acadêmica de Extensão.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. elaborar com as divisões dos departamentos de extensão e Pró-Reitor. foldes e cartazes e organizar apostilas. confeccionar avisos. Planejar. divulgar. divulgar. eventos e comissões na comunidade interna e externa e responsável técnico pelo projeto de criação de patos da UD Várzea. prestar orientação técnica e Engenheiro área/Chefe da divisão instrutoria em áreas especializadas ranicultura e criação de eventos técnicos científico da de patos. divisões e supervisão com o monitoramento dos programas/atividades e promover programas/atividades. disseminar cultura e articular com a sociedade em temas ligados à Extensão. piso em paviflex. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Pró-Reitoria de Extensão . Planejar. Atividades Planejar atividades de extensão. 01 PROEX elaborar documentos administrativo. coordenar e executar eventos de extensão. Limpeza em geral. elaborar relatório das atividades e atos normativos.00 m. organizar. representar a PróReitoria de Extensão/UFRA em reuniões. coordenar e executar eventos de extensão. Composto por: Diretoria da Extensão. Cargo Quant.

apoiar iniciativas de inovação tecnológica dos processos produtivos dos empreendimentos solidários. alunos de graduação e pós-graduação visando subsidiar o acompanhamento e a avaliação do desenvolvimento de políticas públicas voltada geração de trabalho e renda.Engenheiro área/ Superintendente Acadêmica de Extensão/ Chefia da Divisão de Extensão 03 Engenheiro área 01 Participar da elaboração do planejamento institucional relativo à área de extensão universitária. Promover transferência de tecnologia através da incubação de empreendimentos solidários articulada com políticas públicas integradas. documentos institucionais. promover a formação e capacitação de trabalhadores oriundo do Programa de Geração de Trabalho. movimentos sociais e instituições de apoio à economia solidária. Emprego e Renda no Estado do Pará. organizar. orientar e acompanhar registros e controlar atividades de extensão. contribuir no processo de organização social de trabalhadores oriundo do Programa de Geração de Trabalho. elaborar documentos administrativo. coordenar. fortalecer e apoiar a formulação de políticas públicas e a criação de redes de cooperação entre os empreendimentos solidários. elaborar projetos e documentos técnicos. atender a comunidade interna sobre as atividades de extensão. estimular a produção de conhecimento voltado para a Economia Solidária com a inserção de pesquisadores. disponibilizar tecnologia no âmbito da auto-gestão dos empreendimentos solidários nas diversas áreas de conhecimento. coordenação e/ou participação na elaboração de relatórios. assessorar divisões de eventos técnico-científico e estágio. participar do planejamento. 18 . substituir o Pró-Reitor. eventos e comissões específicas na comunidade interna e externa e divulgar e mobilizar referentes aos assuntos de extensão na comunidades. executar e controlar atividades/ações extensionistas. representar a PróReitoria de Extensão/UFRA em reuniões. Emprego e Renda no Estado do Pará. atender a comunidade interna e externa.

monitorar convênios. administração e controle de seguro de vida dos estagiários. identificar vagas de estágio dentro e fora da UFRA. os trabalhadores não fazem jus ao adicional de insalubridade e periculosidade. conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos. 19 . 93. Assistente em administração 04 realizar inscrição e seleção de candidatos. acompanhar e controlar estagiário.412. Portanto. durante sua jornada de trabalho. gerenciar e controlar bolsa de extensão para alunos da UFRA e de outras instituições e normalizar as políticas de estágios. que cause dano à saúde do trabalhador. elaborar relatório anual de estágio e instrumento de controle. controlar arquivos de emissão de certificados e documentos. conforme Norma Regulamentadora 16 e seus anexos e Dec. CONCLUSÃO Fundamento Legal: Conforme avaliação no ambiente de trabalho. relacionados com a natureza e o tempo de exposição ao agente. não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. fichas de acompanhamento relativo a estágio de extensão e solicitação de estágio. constatou-se que não existem agentes químicos. divulgar e oferecer vagas na UFRA e de parceiros. concluímos que as atividades são consideradas salubres. Com relação à periculosidade. captar e articular vagas de estágio. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição.Elaborar relatórios.

Cargo Quant. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Pró-Reitoria de Planejamento e Gestão . piso em taco. Divisão de Tecnologia da Informação. CONCLUSÃO Fundamento Legal: Conforme avaliação no ambiente de trabalho. Superintendência de Patrimônio e Materiais. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição. 93. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Composta pela Superintendência Administrativa e Financeira.412. constatou-se que não existem agentes químicos. relacionados com a natureza e o tempo de exposição ao agente. Divisão de Patrimônio e Material. que cause dano à saúde do trabalhador.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. Superintendência de Planejamento e Orçamento. Divisão de Patrimônio. Atividades Contador 04 Realizar atividades administrativas Técnico em tecnologia da informação 02 Realizar atividades administrativas Auxiliar em administração 03 Realizar atividades administrativas Recepcionista 03 Realizar atividades administrativas Assistente em administração 20 Realizar atividades administrativas Técnico em contabilidade 01 Realizar atividades administrativas Analista de tecnologia da informação 07 Realizar atividades administrativas Administrador 04 Realizar atividades administrativas Recreacionista 01 Realizar atividades administrativas Técnico em assuntos educacionais 02 Realizar atividades administrativas Secretário executivo 02 Realizar atividades administrativas Engenheiro área (Eletricista) 01 Realizar atividades administrativas Auxiliar de agropecuária 01 Realizar atividades administrativas ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. a edificação apresenta boas condições sanitárias e de conforto no local de trabalho. Com relação à periculosidade. Divisão de Licitação. Divisão Capacidade e Desenvolvimento. durante sua jornada de trabalho. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Divisão Administrativa. Divisão Financeira. conforme Norma Regulamentadora 16 e seus anexos e Dec. Divisão de Planejamento e Orçamento. não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. forro de PVC e pé direito 3.00m. Superintendência de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas. os trabalhadores não fazem jus ao adicional de insalubridade e periculosidade. concluímos que as atividades são consideradas salubres. Divisão Contábil. conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos. Portanto. Divisão de Compras. 20 .PROPLAGE Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerada pela legislação como insalubres.

em caso de infecção. com um tamanho á roda de 5 µm. visitas Assistente social 01 domiciliares e hospitalares e acompanhar pacientes em tratamentos médicos. As gotículas que se encontram em suspensão no ar ambiente e vão ser inaladas pelas pessoas na vizinhança imediata (os sujeitos atingidos são infectados por inalação do aerossol produzido pelas pessoas contaminadas ou infectadas a uma distância que pode ir até aos 2 m. 21 . Atividades Atuar de saúde e qualidade de vida. consideramos tais atividades como riscos para saúde e integridade física dos trabalhadores. permanecem em ambientes hospitalares com a presença de doentes durante a sua jornada de trabalho. Atuar de saúde e qualidade de vida. Os agentes responsáveis pelas infecções transmissíveis por via aérea são: as microbactérias. Recepcionista 01 Realizar a limpeza do setor e serviços de copeira. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Embora esta atividade não ocorra todos dias. os trabalhadores informaram que fazem visitas frequentes a pacientes com diversos tipos de doenças. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. as legionelas e certos vírus. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho.) potencialmente infectantes.). produzindo uma grande quantidade de microorganismos. coordenar e desenvolver atividades e projetos. acompanhar licenças médicas. acompanham pacientes em hospitais.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. acompanhar pacientes em tratamentos Psicóloga 02 médicos. durante sua jornada de trabalho. participar de comissão de avaliação constitucional e realizar avaliação sócio econômica de discentes com relação aos programas de assistência ao estudantes.00 m. coordenar e desenvolver atividades e projetos. visitas domiciliares e hospitalares. «infecções nosocomiais» contraídas especificamente no recinto hospitalar. piso cerâmico. Imagina-se sem dificuldade que o ar hospitalar não fuja a esta propagação de microorganismos. que cause dano à saúde do trabalhador. Saúde e Segurança/ PROPLAGE Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Divisão Qualidade de Vida. constatou-se que não existem agentes químicos. relacionados com a natureza e o tempo de exposição ao agente. Os espirros e a emissão de perdigotos projectam gotículas aerotransportadas de secreções nasofaringeas (gotículas de Flügge. Em certas zonas do hospital pode mesmo produzir-se uma concentração de germens potencialmente patogénicos. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição. e que por vezes adquirem um poder de resistência aos tratamentos antiinfecciosos. Cargo Quant. acompanhar licenças médicas. CONCLUSÃO Fundamento Científico: As fontes de microorganismos que podem atingir as psicólogas e a assistente social se encontram: nas mucosas nasais e orais dos pacientes visitados. O ar ambiente pode ser a origem para o homem de infecções específicas. forro de PVC e pé direito 3.

Sapatos e botas. N95). conforme Norma Regulamentadora 15. 2. e fazem jus ao adicional de insalubridade em grau médio. MEDIDAS DE CORREÇÃO EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL . concluímos que as atividades das Psicólogas e da Assistente Social são consideradas insalubres. conforme Norma Regulamentadora 16. Portanto. 2-Orientar para lavagem das mãos após as visitas aos pacientes. não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. ADMINISTRATIVA 1-Realizar exames médicos periódicos conforme PCMSO. anexo 14. 4.Máscaras (cirúrgicas.412. 5.EPI Em contatos com pacientes utilizar os seguintes EPI’s: 1-Luvas (de procedimento. seus anexos e Dec. os trabalhadores deste setor não fazem jus ao adicional de periculosidade.Fundamento Legal: Conforme avaliação no ambiente de trabalho.Protetor facial. 22 . estéreis). Com relação à periculosidade. 3-Jaleco descartáveis. 93.

Portanto. Com relação à periculosidade. Atividades Médico 01 Homologar atestados médicos. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. relacionados com a natureza e o tempo de exposição ao agente. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres. 23 . para o contato eventual com pacientes. Atividades de assistência odontológica. não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. concluímos que as atividades são consideradas salubres.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. ou seus objetos. 93. CONCLUSÃO Fundamento Legal: Conforme avaliação no ambiente de trabalho. durante sua jornada de trabalho. que cause dano à saúde do trabalhador. os trabalhadores não fazem jus ao adicional de insalubridade e periculosidade. Não havendo contato com pessoas com doenças infectocontagiosa.412. a NR 15 não caracteriza a atividade como insalubre. Servente de limpeza 01 Realizar atividades de técnica de enfermagem e auxiliar o médico. e informações de trabalhadores.00 m. constatou-se que não existem agentes químicos. não há caracterização de insalubridade também. conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Serviços Médico e Odontológico/PROPLAGE Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. forro de PVC e pé direito 3. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. piso em taco. Cargo Quant. cuja servidora aguardava o Dentista 01 funcionamento do setor de odontologia para desempenhar as atividades. conforme Norma Regulamentadora 16 e seus anexos e Dec.

ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Seção de Patrimônio. preços. Composto por: Seção de Aquisição. Atividades Assistente em Atividades relacionadas à confecção de processos. taxas. constatamos condições de periculosidade devido ao manuseiode de cilindros de gases inflamáveis. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição. que cause dano à saúde do trabalhador. compras e 01 administração aquisições das diversas unidades solicitantes da Ufra. constatou-se que não existem agentes químicos.00 m. Atividades relacionadas ao atendimento e recebimento de material Recepcionista 01 de consumo. Realizar previsões de alteração de procura de bens e serviços. forro chapa metálico e pé direito 3. juros. Técnico em Atividades relacionadas à confecção de processos. relacionados com a natureza e o tempo de exposição ao agente. Atividades relacionadas ao atendimento das diversas unidades da Recepcionista 01 Ufra quanto à liberação de material permanente e ao tombamento desses materiais quando distribuídos. Auxiliar em Atividades relacionadas à confecção de processos. baseando-se nos estudos e análises efetuados e em informes coletados sobre os aspectos conjunturais e estruturais da economia. compras e 01 contabilidade aquisições das diversas unidades solicitantes da Ufra. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. 24 . constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres. elaborar relatório e supervisionar Almoxarife/Gerente 01 funcionários do setor de almoxarifado. Seção de Almoxarifado. Periculosidade: Conforme avaliação realizada. situação de mercado de trabalho e outros interesses Economista 01 econômicos e traçar planos econômicos.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. compras e 02 administração aquisições das diversas unidades solicitantes da Ufra. durante sua jornada de trabalho. elaborar relatório e supervisionar 02 Gerente funcionários do setor de almoxarifado. Cargo Quant. Atividades relacionadas ao atendimento das diversas unidades da Auxiliar de 01 Ufra quanto à liberação de material permanente e ao tombamento agropecuária desses materiais quando distribuídos. Gerenciar a seção de almoxarifado. Telefonista 01 Atividades relacionadas ao atendimento e recebimento de material de consumo. Atividades relacionadas ao atendimento das diversas unidades da Auxiliar de serviços 01 Ufra quanto à liberação material permanente e ao tombamento gerais desses materiais quando distribuídos. piso cerâmico. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Divisão de Almoxarifado/PROPLAGE Descrição do ambiente: Edificação de alvenaria. Administração Gerenciar a seção de almoxarifado. Assis.

Os gases comprimidos. crateras isoladas ou áreas corroídas. Amarre-os. estão relacionados aos trabalhadores que manipulam os botijões.Insatalar dois extintores de CO2 na porta da cases de gases do lado de fora. provocando uma descompressão explosiva na cabeça do cilindro que passa a atuar como um míssil desgovernado. 5 . ao trabalhador que armazena.Aterre os cilindros que contenham gases inflamáveis. Baixo ponto de fulgor. 9 .Use os cilindros somente na posição vertical. 3 . sempre abaixo da temperatura ambiente.Armazene os cilindros em locais frescos e bem ventilados. Se for observado qualquer defeito. manipula e distribue os botijões. ocorrendo risco de explosões. conhecido como gás butano. porém sua chama não é tão quente. Estas propriedades são: Baixo ponto de ebulição. Este evento pode criar uma atmosfera explosiva trazendo conseqüências fatais ao trabalhador que tem acesso aos botijões. Algumas considerações sobre o GLP: GLP . para determinar se existe ranhuras.Redizir ao máximo o número de trabalhadores que manipularão cilindros de GPL.Não transporte cilindros em veículos fechados. 7 . quando há uma grande elevação de pressão. 2 . especialmente construídos e testados para este fim apresentam riscos especiais. 10 . e afastados da luz solar direta.Use sempre um carrinho de mão para transportar gases comprimidos.Mantenha a tampa do cilindro firme no lugar. Os riscos não estão relacionados ao local.Mantenha os cilindros acorrentados no lugar (ou presas de outra forma) durante todo o tempo. Seu cheiro característico de mercaptana é um sinal evidente de vazamentos. 25 . 4 .Inspecione os cilindros para assegurar-se de que esteja em boas condições. até que você esteja pronto para usar o gás comprimido. O risco mais comum associado à pressão envolve o vazamento dos gases. Todo cilindro de gás comprimido contém uma grande quantidade de energia. de forma intermitente e habitual fazem jus ao adicional de periculosidade conforme NR 16 Anexo 2. Fundamento Legal: Conforme inspeção realizada. 8 .Gás Liquefeito de Petróleo.CONCLUSÃO Fundamento Científico: Conforme inspeção realizada. observamos que os botijões de gasaes liquefeitos de petróleo (GLP) estão armazenados em local próprio e devido. Além disto. observou-se que os trabalhadores que executam atividades de manipulação dos botijões de gases inflamáveis. Os gases por si só já são perigosos porque podem causar incêndios. Não guarde substâncias inflamáveis e fontes de ignição na mesma área. Por ser mais pesado que o ar quando há vazamento ele se aloja em locais mais baixos. Quando esta energia é aliviada inadequadamente. arqueamentos ou queimaduras por maçarico. Guarde-os afastados de tráfego e passagem de pedestres e acorrente-os numa estrutura firme para evitar que caiam. isole o cilindro dos outros que estiverem bons e entre em contato com o fornecedor sobre os problemas registrados. Armazene-os na posição vertical. Os gases comprimidos em cilindros de paredes metálicas. ela pode provocar sérios acidentes. MEDIDAS DE CORREÇÃO ADMINISTRATIVA 1 . onde possam estar sujeitas as ações climáticas. que permite unha rápida difusão do gás e rápida elevação de pressão dentro do cilindro Este baixo ponto de ebulição pode causar queimaduras de frio. exigindo um consumo maior. 6 . quando alguns gases comprimidos entram em contato com tecidos do corpo. Comumente usado em processo de queima. nesta condição possuem propriedades únicas que não são comuns aos sólidos e líquidos.

Arquiteta e urbanista 01 Elaborar projetos. relacionados com a natureza e o tempo de exposição ao agente. o engenheiro eletricista deste setor faz jus ao adicional de periculosidade. A corrente elétrica pode matar imediatamente ou pode colocar a pessoa inconsciente. de acordo com a informação do Pró-Reitor Adjunto. Responsável pelos serviços de manutenção e infra-estrutura. Presidente da 01 Realizar e coordenar licitações. Fundamento Legal: Conforme informação do Pró-Reitor Adjunto no ambiente de trabalho. comissão de licitação Recepcionista 01 Realizar trabalhos burocráticos e despachar documentos. os trabalhadores deste setor não fazem jus ao adicional de insalubridade. o engenheiro eletricista gerencia a equipe de eletricistas. MEDIDAS DE CORREÇÃO TREINAMENTO: 1. supervisionar trabalhos em subestação. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres. Portanto. Deverá ser feita uma reciclagem a cada 2 anos com o conteúdo e carga horária determinado pelo Departamento de Segurança do Trabalho em conjunto com a chefia / responsável da Manutenção Elétrica. Cargo Quant. constatou-se que não existem agentes químicos. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Seção de Urbanismo e Seção de Obras. Com relação à periculosidade. gerencia a equipe de eletricistas. relatórios e orçamentos de obras e fiscalizar obras. Engenheiro eletricista 01 freqüentando as mesmas áreas de riscos que estes profissionais freqüentam no seu dia a dia. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição.50m. provoca coágulos nos vasos sanguíneos e pode paralisar a respiração e os músculos cardíacos. concluímos que as atividades são consideradas salubres. 26 .IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. Seção de Máquinas e equipamentos Agrícolas. analisar projetos e contratos. Atividades Gerenciar a manutenção predial e limpeza na sede e campus da Prefeito/Técnico em 01 UFRA. Pregoeiro 03 Realizar e coordenar licitações. conforme NR 15 e seus anexos. conforme NR10. Assistente em Secretariar a sede da Prefeitura. de agropecuária expedir tarefas e coordenar funcionários da manutenção da UFRA. Portanto. A sensibilidade do organismo a passagem de corrente elétrica inicia em um ponto conhecido como Limiar de Sensação e que ocorre com uma intensidade de corrente de 1m A para corrente alternada e 5m A para corrente contínua. relatórios e orçamentos de obras. Elaborar e realizar desenhos arquitetônicos e auxiliar em projetos e Desenhista/Projetista 01 orçamentos de obras. Fiscalizar obras e serviços. Engenheiro civil 03 Elaborar projetos. freqüentando as mesmas áreas de riscos que estes profissionais freqüentam no seu dia a dia. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos. fiscalizar. Portanto. que cause dano à saúde do trabalhador. 2. delegar funções. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. piso cerâmico.412. Todo funcionário que realizar trabalhos de manutenção em equipamentos e instalações elétricas devem ter treinamento específico de 40 horas. forro em madeira e pé direito 3. supervisionar trabalhos em telefonia subestação e participar de reuniões. o trabalhador se enquadra na atividade e operações perigosas conforme Decreto Federal 93. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Prefeitura/PROPLAGE Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria e divisórias de eucatex. a corrente faz os músculos se contraírem a 60 ciclos por segundo. CONCLUSÃO Fundamento Científico: Ao passar pelo corpo humano a corrente elétrica danifica os tecidos e lesam os tecidos nervosos e cerebrais. responsável por contratos e 03 administração convênios e realizar registros de empresas. Composto por: Divisão de Serviços Gerais. Vice Prefeito/Auxiliar 01 supervisionar serviços. que é a freqüência da corrente alternada. durante sua jornada de trabalho.

realizar manutenção em móveis. constatou-se que existem ruídos que ultrapassam os limites permitidos de exposição. o que por sua vez. Portanto. A diminuição do rendimento profissional. 27 . tanto instantâneos como diferidos. 2 . conforme Norma Regulamentadora 15. Com relação à periculosidade.412. realizar manutenção em móveis.Fornecer protetor auricular tipo concha e protetor auditivo tipo plug. polir e colar fórmica e confeccionar divisórias em lambril. os trabalhadores não fazem jus ao adicional de periculosidade.Realizar o monitoramento através de exames médicos determinados pelo PCMSO. concluímos que as atividades são consideradas insalubres em relação à elevada pressão auditiva. cobertura de telha de barro e pé direito 4.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. telhados e Carpinteiro 02 estábulos. os acidentes de trabalho e de tráfego. doenças cardiovasculares e alterações do sistema imunitário. ou de forma intermitente dos trabalhadores.Fiscalizar o uso de EPI. 3 . e fazem jus ao adicional de insalubridade em grau médio. Quando o estímulo ultrapassa determinados limites. relacionados com a natureza e o tempo de exposição ao agente. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Carpintaria/Prefeitura/PROPLAGE Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria.Aplicar treinamento de uso e conservação de EPI.Promover o programa de proteção auditiva. sofrem os efeitos do risco relacionado a pressão auditiva. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres. A níveis muito menores. a comunicação. constatou-se que não existem agentes químicos. pode agredir as vias auditivas do trabalhador. seus anexos e Decreto. leva a transtornos psicofísicos. CONCLUSÃO Fundamento Científico: A exposição diária permanente. a concentração. o descanso e o sono. polir e colar fórmica e confeccionar divisórias em lambril. 4 . Os trabalhadores não tem programa de prevenção para controle e neutralização do agento. o ruído produz incômodo e dificulta. ou impede a atenção. EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVA – EPC 1 . Atividades Confeccionar e montar móveis. portanto. O ruído atua através do ouvido sobre os sistemas nervosos central e autônomo. A reiteração destas situações pode ocasionar estados crônicos de nervosismo e stress. durante sua jornada de trabalho. telhados e Marceneiro 02 estábulos. ao ruído.50 m. Fundamento Legal: Conforme avaliação quantitativa no ambiente de trabalho. Cargo Quant. produz-se surdez e efeitos patológicos em ambos os sistemas. não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. Risco Físico: Conforme avaliação quantitativa realizada no ambiente de trabalho. cujo fator CA tenha fator de atenuação (NRRsf) = 22. Confeccionar e montar móveis. 93. conforme Norma Regulamentadora 16. piso de argamassa de cimento. certas condutas antisociais. MEDIDAS DE CORREÇÃO ADMINISTRATIVA 1 . ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. que cause dano à saúde do trabalhador. anexo 1.

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DE RUÍDO INTERMITENTE Nome da Empresa/Órgão: UFRA Setor: Carpintaria /Prefeitura Data: 10/11/2010 Tipo de Ruído: Intermitente Fonte Geradora: Equipamentos elétricos Exposição: 240 Min/Dia Função: Carpinteiro Nome: Luiz Cleto de Lima Metodologia: NHO 01 Grupo Homogêneo Nome Função Silvio Paz Marceneiro Alfredo Garcia Lima Marceneiro José Maria machado Carpinteiro Dados do Equipamento de Proteção Individual – EPI existente Protetor auditivo tipo Marca / Modelo Nº CA Não Há Não Há Não Há Dados do Equipamento de Proteção Coletiva . Dose de exposição dB dB dB dB 100.5 0. lixar e moldar madeira 14:10h 16:10h Valores existentes Dose Média Atenuação do EPI Valor Normativo para 240 min.5 Vide Histograma em anexo 28 .EPC Dados da Dosimetria Tipo de atividade Horário inicial Horário Final Serrar.0 90 100.

Cargo Quant. A corrente elétrica pode matar imediatamente ou pode colocar a pessoa inconsciente. CONCLUSÃO Fundamento Científico: Ao passar pelo corpo humano a corrente elétrica danifica os tecidos e lesam os tecidos nervosos e cerebrais. supervisionar Mestre em edificação e 01 atividades de elétrica. Realizar manutenção de redes elétricas e subestação. A sensibilidade do organismo a passagem de corrente elétrica inicia em um ponto conhecido como Limiar de Sensação e que ocorre com uma intensidade de corrente de 1m A para corrente alternada e 5m A para corrente contínua. Quadro de Atividades / Área de Risco.412 de 14/10/1986. relacionada com a natureza e o tempo de exposição ao agente. cobertura de telha plan e pé direito 3. conforme NR 15 e seus anexos. serviços de Eletricista 03 almoxarifado e controle administrativo. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. concluímos que as atividades e as condições de trabalho declaradas não são consideradas insalubres. constatou-se que não existem agentes químicos. para os trabalhadores que de fato executam atividades de manutenção elétrica em sistema de potência de forma habitual e intermitente. expedir tarefas e conduzir veículo da infraestrutura manutenção. que é a freqüência da corrente alternada. concluímos que os trabalhadores deste setor. que realizam as atividades de manutenção elétrica fazem jus ao adicional de Periculosidade.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Portanto. Fundamento Legal: Com relação à periculosidade. Portanto.50m. Com relação à insalubridade. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Atividades Realizar manutenção de redes elétricas e subestação. piso de argamassa de cimento. 29 . conforme Decreto Nº 93. que cause dano à saúde do trabalhador. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Elétrica/Prefeitura/PROPLAGE Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição. durante sua jornada de trabalho. os trabalhadores deste setor não fazem jus ao adicional de insalubridade. provoca coágulos nos vasos sanguíneos e pode paralisar a respiração e os músculos cardíacos. a corrente faz os músculos se contraírem a 60 ciclos por segundo. Periculosidade: De acordo com a avaliação realizada constatamos que o trabalhador executa atividade de manutenção de subestação e cabines de distribuição em operações integrantes do sistema de potência de forma permanente. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres.

As instalações e equipamentos elétricos devem ser inspecionados periodicamente. ou obras de construção civil próximas de instalações elétricas sob tensão. O espaço de trabalho situado nas áreas contíguas de partes elétricas expostas. incêndio.MEDIDAS DE CORREÇÃO ADMINISTRATIVAS 1. explosão. resistência de terra e outros que influenciem negativamente a segurança do equipamento e do pessoal. fitas e material que seja necessário. para realização de serviço nos mesmos. deve passar por manutenção periódica. O sistema de aterramento das sub-estações. bem como aterrados. operação e manutenção. bem como quando o piso oferecer condições propícias para condução de corrente elétrica. ou por tensão elétrica não superior a 24 volts. 11. bem como dos pára-raios em geral. devem ser tomados cuidados especiais quanto ao risco de contatos acidentais e de indução elétrica. cabines primárias. As partes de instalações elétricas a serem operadas. 14. que eventualmente possa ficar sob tensão. Durante a construção e reparos de instalações elétricas. 10. Quando da realização de serviços em locais úmidos ou molhados. pelo responsável do trabalho. devem ser isoladas por obstáculos que ofereçam resistência adequada. É proibido o acesso ou permanência de pessoas não autorizadas em ambientes próximos a partes onde estejam sendo realizados serviços de reparos nas instalações elétricas. e no interior de painéis. designados pela chefia da Manutenção da área. 6.fornos. esses locais devem ser devidamente isolados e sinalizados. 8. e outros tipos de acidentes. treinados e autorizados pela chefia do setor de Manutenção. profissionais qualificados. com cones. para que sejam corrigidos eventuais problemas de continuidade. os riscos de choque elétrico. Para garantir a ausência de tensão no circuito elétrico. devem ser utilizados cordões elétricos alimentados por transformador de segurança. Todas as partes das instalações elétricas devem ser projetadas e executadas de modo que seja possível prevenir. reforma. devem ser confeccionadas com material de fibra de vidro ou outros isolantes. 4. Somente podem ter acesso a instalações e equipamentos elétricos de qualquer natureza. 7. 30 .Toda instalação elétrica ou peça condutora que não faça parte dos circuitos elétricos. não deve ser utilizado como passagem. na impossibilidade de conservar distâncias que evitem contatos casuais. 5. desde que esteja em local acessível a contatos. 2 As escadas utilizadas em serviços de eletricidade. ajustadas ou examinadas. ampliação. durante todo o tempo necessário para o desenvolvimento dos serviços em eletricidade. habilitados. 9. 13. os dispositivos de comando devem estar sinalizados e bloqueados (procedimento de bloqueio de equipamentos). 3. É terminantemente proibida a guarda de objetos estranhos às instalações elétricas próximo das partes condutoras das mesmas. Para tanto. por meios seguros. 12. devem ser dispostas de modo a permitir um espaço suficiente para o trabalho seguro. deve ser aterrada. nas fases de execução. As partes das instalações elétricas não cobertas por material isolante. por profissionais qualificados.

22. recomenda-se que os mesmos sejam do tipo "a seco". zona de proteção dos pára-raios e inspeções periódicas. em área externa às edificações destinadas a trabalho. preferencialmente. considerando-se as recomendações do fabricante. 17. através de controle à distância. àquelas referentes a espaço de trabalho. em especial. Em caso de emergência o PAE (Plano de Atendimento a Emergência) deve ser acionado. distância de isolamento e condições de operação. devem ser projetadas e executadas com dispositivos automáticos de proteção contra sobrecarga e sobre tensão. comando e identificação. as prescrições referentes à localização. iluminação e isolamento de ferramentas. além de outras complementares. 27. providos de porta corta-fogo. devem ser convenientemente aterradas. e ter sua carcaça aterrada. devem ser providas de proteção complementar. 29. treinado e autorizado pela chefia da Manutenção e com acompanhamento de outro profissional. 20. Os dispositivos de desligamento. em especial. as referentes à localização. 28. As sub-estações e cabines primárias devem estar sempre com a porta de acesso trancada . 18.15. Os ambientes das instalações elétricas que contenham risco de incêndio. Recomenda-se que os transformadores e capacitores a óleo. e sinalizada com placa "Perigo . 30. Em caso de princípio de incêndio em instalações elétricas. condições de ligação a terra. proteção e transformação de energia elétrica devem obedecer às prescrições técnicas específicas e. Todas as edificações devem ser protegidas contra descargas elétricas atmosféricas. 19. O acesso às áreas descritas no item anterior. 25. somente podem ser usados extintores do tipo "CO2" ou "Pó Químico". Os painéis e quadros elétricos devem ser mantidos trancados e dotados de fechadura tipo padrão. Os transformadores e capacitores devem ser instalados. de fechamento automático. 23. 21. As instalações elétricas sujeitas a maior risco de incêndios e explosão. só é permitido a profissional habilitado. 26. considerando-se para tanto. Os postos de medição. 31 . localizados no interior de edificações destinadas a trabalho. devem dispor de proteção contra o fogo. construídos de materiais incombustíveis. no que se refere à localização. manual e ou automático. Todo motor elétrico deve possuir dispositivo de proteção. As instalações elétricas. quando a natureza do piso exigir e sempre que tecnicamente possível. de acordo com as prescrições sobre o assunto previstas nas normas vigentes da ABNT. sejam instalados em locais bem ventilados. 16. manobra e bloqueio de circuitos elétricos devem ser projetados e instalados considerando-se as normas da ABNT específicas e NR-10 e.Alta Tensão. Os transformadores e capacitores devem ser instalados. No caso de necessidade de instalação de transformadores e capacitores no interior de edificações destinadas a trabalho. 24. sinalização.As partes das instalações elétricas sujeitas à acumulação de eletricidade estática.

É proibido o trabalho de apenas uma pessoa em áreas confinadas e/ou subestações. cópia do certificado / comprovante de qualificação do profissional da área elétrica. tais locais ou compartimentos. as instalações e equipamentos elétricos. O funcionário que estiver à frente do trabalho é responsável pelo acompanhante. O Departamento de Recursos Humanos é responsável por observar para que somente profissionais portadores de curso específico. da Portaria 3214/78 . Todo funcionário que realizar trabalhos de manutenção em equipamentos e instalações elétricas devem ter treinamento específico de 40 horas. As baterias fixas de acumuladores devem ser instaladas em locais ou compartimentos providos de piso de material resistente a ácidos e dotados de ventilação adequada.01). 2. instrumentista eletrônico e demais funções relacionadas à área elétrica. Em locais onde possa ocorrer concentração de gases inflamáveis. sejam selecionados para as funções de eletricista. 3. exame médico nos funcionários dos setores de manutenção elétrica/eletrônica.31. Promover treinamento específico conforme NR-10. O acompanhante deve estar provido de todos os EPI`s necessários. devem ser obrigatoriamente blindados. devem ser instalados observando-se cuidados especiais quanto a sua separação física e identificação. 1/2 oficial eletricista. Determinar e indicar quais os tipos de EPI`s devem ser usados pelos funcionários. Deverá ser feita uma reciclagem a cada 2 anos com o conteúdo e carga horária determinado pelo Departamento de Segurança do Trabalho em conjunto com a chefia / responsável da Manutenção Elétrica. 35.MTE. atestando aptidão para a função (conforme Norma Regulamentadora NR10). eletricista eletrônico. o cumprimento deste procedimento. O Departamento de Segurança do Trabalho. 2. sinalização. bem como ter seu circuito de iluminação à prova de explosão elétrica. de acordo com os critérios médicos. Exigir dos prestadores de serviços que irão executar trabalhos com eletricidade. TREINAMENTO: 1. inclusive em casos de plantões ou finais de semana. conforme NR10. 2. o aprendiz deve apenas acompanhar o trabalho do profissional qualificado. Ambulatório Médico 1. 2. 4. dentre outros. Vide procedimento de Gestão de Terceiros (SSO 40. Os circuitos elétricos com finalidades diferentes. terminais. é responsável por Elaborar e aplicar os cursos e reciclagens de segurança e primeiros socorros para os funcionários que trabalhem nas manutenções elétrica/eletrônica. em conjunto com o Ambulatório Médico. 32. ministrado ou reconhecido pelo sistema oficial de ensino. estabelecendo se o funcionário é apto e pode continuar a exercer os serviços de manutenção na área elétrica.06. 3. controle. É proibido o trabalho de menores (aprendizes/estagiários) diretamente em contato com instalações elétricas. Manter no prontuário do funcionário. As empresas contratadas que possuem prestadores de serviços na função de eletricista deverão apresentar no início de trabalho. inclusive os portáteis. 33. tais como telefonia. à disposição da fiscalização. O Ambulatório Médico é responsável por realizar exames médicos admissionais nos candidatos às vagas para serviços em eletricidade. habilitação para função. RESPONSABILIDADES: Departamento de Recursos Humanos 1. Segurança do Trabalho 1. O Ambulatório Médico deverá proceder periodicamente e manter arquivado no prontuário do funcionário. 32 . devem ser situados à parte do restante das instalações. através de diploma de conclusão de curso ou Laudo elaborado e endossado por profissional da área de engenharia da contratada. 34. de acordo com o estabelecido nas normas regulamentadora NR-07 e NR-10.

A chefia responsável da Manutenção Eletro-Eletrônica é responsável por fiscalizar e exigir a utilização de todos os equipamentos de proteção. determinando as medidas de segurança a serem adotadas em cada caso. instruídos e autorizados para serviços em instalações ou equipamentos elétricos. nos trechos onde os serviços estiverem sendo realizados. através de isolamento físico das áreas. por parte do pessoal sob sua responsabilidade. 2. 10. 6. Funcionários que trabalham com eletricidade 1. à supervisão/chefia/responsável pelo trabalho. Comunicar toda ocorrência não programada durante o trabalho. 4. nos serviços sob tensão. Emitir a PTS (Permissão de Trabalho Seguro) para os trabalhos que forem realizados sob tensão acima de 1Kv. em contato com atividades que envolvam instalações ou equipamentos elétricos. 5. procedimentos e instruções visando a segurança do pessoal e preservação do patrimônio da empresa. Determinar que todos os serviços em instalações elétricas. durante o trabalho. 3. analisar as situações específicas. 8. Não é permitido a utilização de anéis. Contratar somente profissional habilitado para execução de laudos. conjuntos de aterramento e outros similares.Chefia do Departamento de Manutenção Eletro-Eletrônica 1. sistema de proteção coletiva. sejam realizados com os equipamentos desenergizados e devidamente sinalizados. sendo terminantemente proibido o uso de ferramentas inadequadas. cabendo à chefia. Utilizar somente ferramentas manuais devidamente isoladas e adequadas ao trabalho (ex: alicates. 7. 33 . com emissão de ART. relógios ou outros tipos de adornos pessoais. pulseiras. sinalização adequada. em conjunto com a Segurança do Trabalho. chaves de fendas). Designar somente profissionais qualificados. em seus diversos níveis. treinados. Responsabilizar-se técnica e administrativamente pela manutenção preventiva e corretiva de todas as instalações e equipamentos elétricos. Participar e facilitar a participação de seu pessoal nos treinamentos ministrados pela Segurança do Trabalho e Ambulatório Médico. 3. instalação e manutenção no sistema de SPDA. coletivos e individuais. projetos. Desenvolver. Desenvolver. 2. a princípio.

para acionamento de chaves seccionadoras. As luvas devem ser inspecionadas visualmente antes de serem utilizadas. 3.00 metros. endurecimento.EPI . Luvas de borracha para alta tensão . 2. Amperímetros de alicates para medição de corrente por indução em condutores elétricos isolados. em cada inspeção devese incluir o interior e a superfície externa. Óculos de proteção. Porta Ferramentas. em locais de manobra. Evitar o contato da luva de borracha com produtos químicos. sempre que houver contato com algum desses produtos. devidamente acondicionadas em caixas apropriadas. para utilização nas áreas de manobra com média tensão. 10. Vestimenta de Proteção contra arco-voltáico. 5. cortá-la ou danificá-la. observar se a luva apresenta danos como: inchamento. 9. 12. 3. óleos. 16. 11. Bota para eletricista. Cartão de Aviso -Não Acione. Detectores de radiação I. Não retire as luvas de sobrepor. Vara de manobra adequada à tensão do trabalho. de classe apropriada de tensão. Cuidados com o EPI: 1. especialmente a base de petróleo. 5. 13. 6. 2.EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Fornecer os seguintes EPI’s: 1. massas e pomadas para que não torne a luva inoperante. 15. Capacete. ela protege a luva de borracha isolante de produtos que podem contaminá-la. limpe a luva imediatamente com água e sabonete neutro e secar ao ar. 7. (infravermelho). As luvas não devem ser dobradas. O cuidado e o uso adequado das luvas de borracha isolante de alta tensão são essenciais para a segurança do usuário.tipo 2. As escadas devem ser apropriadas ao trabalho com eletricidade. Luva de cobertura. gasolina. 34 . Recomenda-se realizar o teste de insuflamento antes de cada utilização. amolecimento. comprimidas ou submetidas a qualquer solicitação que possa causar alongamento ou compressão. Tapetes de borracha para utilização diante de equipamentos. Não utilizar nenhum tipo de adornos quando da utilização das luvas. 6. 8. inibidores. Cinto de segurança para trabalhos em altura superior a 2. fluídos hidráulicos. Voltímetros para verificação e testes em baixa tensão. enrugadas.V. que atendam a classe III ou IV. 4.classe I . 14. Detectores de tensão para uso em redes de média tensão (15kv). cremes. 4. pegajosidade ou deterioração.

00 m. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Os principais microrganismos presentes são fungos. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Hidráulica/Prefeitura/PROPLAGE Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. Atividades Bombeiro Realizar inspeções. são para diminuir a probabilidade do efeito do risco. regulamentada pela Portaria 3. extensão e ampliação em redes e 04 hidráulico galerias de esgotos. anexo 14 da Lei 6.514. de acordo com a demanda deste tipo de serviço. As crônicas são representadas principalmente pela asma brônquica e pela alveolite alérgica. desde que. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. sem intervenção de algum equipamento que separe o trabalhador da fonte contaminante. Portanto. Concluímos que o tipo de atividade não é factível à neutralização do risco por nenhum tipo de medida. A insalubridade ocorrerá. piso de argamassa de cimento. manutenção. durante sua jornada de trabalho. hepáticas e respiratórias. utilizam processos de limpeza e manutenção em tubulações e galerias. Conforme informações. Com relação à periculosidade. não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. são realizados por todos trabalhadores. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Cargo Quant.214 de 8 de Junho de 1978 do MTE. os serviços de limpeza e desentupimento em galerias de esgotos humanos.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. O presente laudo considerou o que os trabalhadores informaram sobre a exposição dos trabalhadores à microrganismos presentes nos esgotos de resíduos humanos. conforme Norma Regulamentadora 16. constatou-se que não existem agentes químicos com concentração máxima. Dentre as enfermidades agudas predominam as doenças infecciosas diarréicas. mas não para extingui-lo. seus anexos e Decreto Federal 93. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição. Fundamento Legal: Portanto. concluímos que os trabalhadores que executam atividade em contato direto com resíduos de esgotos farão jus ao adicional de grau máximo. de acordo com as ordens de serviços. que cause dano à saúde do trabalhador. os trabalhadores deste setor não fazem jus ao adicional de Periculosidade. A situação de risco pode assumir maiores proporções quando do extravasamento de esgoto. ocorra atividade em contato direto com resíduos humanos. todos trabalhadores informaram que todos executam atividades de limpeza em galeria de esgotos e caixas de gorduras. apenas as medidas de correção propostas. bactérias e vírus que podem causar enfermidades agudas ou crônicas. CONCLUSÃO Fundamento Científico: Conforme informações do trabalhador e de sua chefia direta. 35 . relacionada com a natureza e o tempo de exposição ao agente. cobertura de telha cerâmica e pé direito 3. Durante os serviços de manutenção fazem contato direto com galerias e tubulações de esgotos sem intervenção de equipamentos. Os microorganimos presentes nos resíduos podem ser absorvidos pela pele e consequentemente pela via oral do trabalhador representando fonte de contaminação para o mesmo.412. conforme NR 15.

sorologia para leptospirose e hepatites por ocasião das avaliações médicas. incluindo banho ao término da jornada de trabalho.A Universidade deve propiciar condições adequadas para cuidados rigorosos com a higiene pessoal.Adotar medidas de proteção coletiva contra quedas em tanques de tratamento de esgoto (guarda corpo) para impedir o contato com dejetos orgânicos. 2. 4 -Promover adequado acompanhamento médico. com sistemas isolados para recepção da roupa suja e uso de roupas limpas. com prévia avaliação sorológica dos trabalhadores com possibilidade de exposição aos vírus das hepatites.Luvas descartáveis de PVC. EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVA .Elaborar protocolo de imunização. EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL – EPI 1. conforme o PCMSO da NR 7. afim de. 2. reduzir o número de trabalhadores para o desempenho da atividade.EPC 1. diminuir o número de trabalhadores expostos. ou outras doenças passiveis de proteção por meio de vacinação. 3. além da disponibilização de vestiários dotados de armários individuais de compartimento duplo. 36 . aprovada pela autoridade competente.Fornecer macacão impermeável. com higienização a cargo da Universidade. 3. fornecimento de uniformes para troca diária.Se for possível.MEDIDAS DE CORREÇÃO ADMINISTRATIVA 1. incluindo a realização de exames parasitológicos e microbiológicos de fezes.Proteção respiratória e ocular para aerodispersóides de material orgânico proveniente das galerias de esgoto.

cobertura de telha cerâmica e pé direito 3. integrantes das tintas usadas nas atividades de pintura.00 m. são metabolizados pelo sistema microssoma hepático. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Pintura/Prefeitura/PROPLAGE Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. acetato). O benzeno pode ser eliminado pelos pulmões ou metabolizado no fígado e excretado conjugado com sulfato ou glicuronídeo. Provocam também: Oligosperma(diminuição no número de espermatozóides) e o surgimento de espermatozóides anormais. Cargo Quant. Quando aspirados podem causar edema pulmonar. MEDIDAS DE CORREÇÃO EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL – EPI Fornecer o seguinte EPI: 1 . O estado de coma que produzem. conjugado e excretado com glicínia como ácido hipúrico. CONCLUSÃO Fundamento Científico: Os hidrocarbonetos aromáticos (benzeno.Respiradores de proteção nasal. às vezes. tosse e edema pulmonar. gerando uma melhor proteção e conforto ao usuário. concluímos que as atividades são insalubres. Fundamento Legal: Conforme avaliação qualitativa. é rapidamente metabolizado a ácido benzóico. 37 . vernizes e aplicação de solventes. Atividades Realizar trabalhos de pintura com pinceis em estrutura metálica. na urina. constatou-se que os trabalhadores manipulam hidrocarbonetos aromáticos em exposição permanente para realizar pintura com tintas esmaltes. podendo haver um ou dois filtros. A sua cinta de quatro pontas. anexo 13. Portanto. Executar serviços de alvenaria em fossas esgotadas e caixas de Pedreiro 02 gorduras. Portanto. os trabalhadores deste setor fazem jus ao adicional de insalubridade em grau médio de acordo com a Norma Regulamentadora (NR) 15. A inalação de vapores causa irritação brônquica. tolueno. tendo metabolismos excretados na urina.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição. os trabalhadores deste setor não fazem jus ao adicional de periculosidade. O tolueno. Pintor de área 02 alvenaria e estrutura de madeira e aplicar massa de acabamento em paredes. menos tóxico que o benzeno. piso de argamassa de cimento. pneumonite química e hemorragias nos pulmões. convulsões. caracteriza-se por tremores. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Com relação à periculosidade. hiper atividade de reflexos e. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. provocam depressão do SNC. Ao atingirem a circulação. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres. não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. propicia uma melhor fixação.

Portanto. Portanto. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição. 38 . na área administrativa forro de PVC e pé direito 2.00m. Cargo Quant. elaborar relatório de viagens e Motorista/Gerente da combustíveis. não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Transportes/Prefeitura/PROPLAGE Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. conforme prevê a Norma Regulamentadora 16. poderá liberar vapores em quantidades suficientes para que a mistura de vapor e ar logo acima de sua superfície propague uma chama. Gerenciar a seção de transportes. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres. Atividades Auxiliar Controlar escala diária dos motoristas. concluímos que o trabalhador na função de gerente do setor de transportes faz jus ao adicional de periculosidade. relacionada com a natureza e o tempo de exposição ao agente. Periculosidade: Conforme inspeção no local de trabalho ficou constatado que o trabalhador executa atividades de abastecimento de veículos com líquidos inflamáveis. durante sua jornada de trabalho. constatou-se que não existem agentes químicos com concentração máxima. supervisionar funcionários e terceirizados do setor de 01 sessão de transportes transportes. Mecânico 01 Reparar tratores e eventualmente lubrificar motores com óleo diesel. na qual. Tratorista 01 O servidor se encontra afastado devido a tratamento médico. CONCLUSÃO Fundamento Científico: O combustível que o trabalhador utiliza para abastecer os veículos automotores tem ponto de fulgor como líquido inflamável inferior a 70°C e pressão de vapor inferior a 2. que o mesmo executa atividade de abastecimento de veículos com óleo e gasolina. coordenar consumo de materiais e realizar abastecimento de veículos. Anexo 2. piso cerâmico. caracterizado como líquido inflamáveis. a partir do contato com uma fonte de ignição. que cause dano à saúde do trabalhador. MEDIDAS DE CORREÇÃO ADMINISTRATIVA 1 – Realizar inspeção no tanque de armazenamento de combustível para adequá-lo conforme os padrões da NR 20. significa que o produto nessas condições pode se inflamar. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. bastando apenas uma fonte de ignição para que haja a ocorrência de um incêndio ou de uma explosão que pode trazer risco de morte ao trabalhador. os trabalhadores deste setor não fazem jus ao adicional de insalubridade conforme NR 15 e seus anexos.8 Kg/C². abastecimento e roteiro e digitar 01 administrativo documentos. Motorista 07 Conduzir veículos pequenos. Considerando a temperatura média ambiente numa região de 25°C e ocorrendo um vazamento de um produto com ponto de fulgor de -43°C a 38°C. médio e grande porte. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Com relação à insalubridade.50m e garagem cobertura de telha cerâmica e pé direito 6. Fundamento Legal: Conforme avaliação no ambiente de trabalho fomos informados pelo gerente de transportes.

durante sua jornada de trabalho.00m. CONCLUSÃO Conforme avaliação no ambiente de trabalho. Atividades Auxiliar em administração 01 Realizar manutenção em equipamentos eletrônicos e ópticos. conforme Norma Regulamentadora 16. relacionada com a natureza e o tempo de exposição ao agente.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. 93. Cargo Quant. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição.412. constatou-se que não existem agentes químicos com concentração máxima. conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos. Portanto. seus anexos e Dec. 39 . que cause dano à saúde do trabalhador. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres. concluímos que as atividades são consideradas salubres. forro de madeira e pé direito 3. Com relação à periculosidade. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. o trabalhador não faz jus ao adicional de insalubridade e Periculosidade. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Manutenção de Aparelhos Ópticos/Prefeitura/PROPLAGE Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. piso cerâmico.

Realizar análise granulométrica e de densidade da partícula. planejar e executar atividades que envolvem a aplicação Engenheiro 01 de fungicida. produzir de mudas de essências florestais. Quant. Laboratório de Proteção de Plantas e UD Várzea. Laboratório de Análise de Sementes. realizar cronograma de 13 área aplicação e manipulação de fungicida. aplicar inseticida e herbicida. executar quebra de dormência. Auxiliar de 30 realizar limpeza no depósito de adubo. Composto por: Diretoria. Assistente em 02 Realizar serviços administrativos e burocráticos. adubos minerais e orgânicos. administração 40 . pesquisa e extensão. efetuar leitura Laboratorista 01 dos extratos obtidos com os respectivos ácidos em aparelho de absorção atômica e realizar destilação de nitrogênio em aparelho destilador. Realizar serviço de manutenção de viveiros florestais. preparar área do campo para agropecuária experimento de professores e alunos.ICA Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. realizar 06 laboratório lavagem de material contaminantes e vidrarias e preparar reagentes com fenol. manusear autoclave. Preparar meio de cultura vegetal para isolamento de microrganismo Técnico de patogênicos e não patogênicos. Professor ADJ 03 Ministrar aulas práticas e realizar pesquisa e análises químicas. Cargo Atividades Professor Assist. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Instituto de Ciências Agrárias . Realizar serviço de manutenção de viveiros de plantas ornamentais e de Engenheiro de jardins da UFRA. Casa de Vegetação. manusear soluções químicas. realizar lavagem de material 05 laboratório contaminantes e vidrarias e preparar reagentes com fenol. preparar meio de cultura para isolamento DE-D patogênico e não patogênico e destilar nitrogênio em aparelho destilador. adubos minerais e orgânicos e auxiliar aulas práticas e pesquisa.20 m. Realizar limpeza em casa de vegetação e destorroamento de solo na casa de secagem de solo. 03 Realizar atividades de ensino. auxiliar aulas práticas.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. herbicida. Preparar meio de cultura para isolamento de microrganismo patogênicos e Assistente de não patogênicos. forro de PVC e pé direito 2. Realizar aulas prática e desenvolvimento de pesquisa. florestal realizar podas com motosserra eventualmente e realizar inventário florestal e plano de manejo florestal. herbicida. Professor ADJ 10 Ministrar aulas práticas e realizar pesquisa e análises químicas. realizar análise Professor ADJ. Gerencia Administrativa. produzir de plantas ornamentais. manter e limpar dependências do Setor Ciências Florestais.1 06 química e microbiológica. Laboratório Tecnologia de Produtos Florestais. manusear soluções químicas. Laboratório de Ciências do Solo. piso cerâmico. manusear autoclave. Vice-Diretoria. realizar inventário florestal em áreas alagadas.

realizar limpeza no depósito de adubo. Professor titular 01 adubos minerais e orgânicos e realizar aulas práticas de campo e manutenção de áreas de produção de fruteiras e hortaliças. não estão relacionados nas classes dos organoclorados. 1 DE-M 01 Ministrar aulas práticas e realizar pesquisa e análises químicas. constatou-se riscos químicos somente para os trabalhadores que manipulam o produto químico formaldeído nas condições especificadas neste Laudo. ser uma operação de pequena monta. ele não ultrapassa os limites permitidos. efetuar manutenção e limpeza nas dependências do Recepcionista 02 Departamento de Ciência do Solo. realizar pesquisa e análises químicas.Professor Ass. realizar pesquisa e análises químicas. Os agrotóxicos aplicados para controle das plantações que visam produzir amostras de pesquisas. A manipulação de órgãos de animais saudáveis. Realizar serviços burocráticos e de secretariado. haja visto. Realizar serviços de informática. preparar lâminas histológicas. realizar Professor ADJ. Ministrar aulas práticas e realizar pesquisa e análises químicas. Realizar manutenção de viveiros de plantas frutíferas. Ministrar aulas práticas. não ter nenhuma influência na saúde e integridade física do trabalhdor. Fixar material botânico. contato com microorganismos de vegetações. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. V 002 DE-D Auxiliar de administração Professor ADJ. realizar pesquisa e análises químicas. não caracteriza insalubridade na forma da NR 15. 2 DE-M 03 06 02 07 01 01 Ministrar aulas práticas. Realizar limpeza: em casa de vegetação e na casa de moinho.4 DE-D 01 expurgo e conservação de material botânico. Professor Ass.2 DE-D Técnico em tecnologia de informação Professor Ass. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres. 41 . Risco Físico: Conforme avaliação quantitativa realizada no ambiente de trabalho. organofosforados e ácido carbônico descritos na NR 15. herbicida. ou seus derivados. Técnico e Meteorologista 01 Ministrar aulas práticas e realizar pesquisa e análises químicas. Consideramos que os processos de queima de madeiras para análises laboratoriais no LPTF. preparar área do campo para experimento de professores e alunos e realizar manutenção e distribuição de adubos. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição. e conforme o processo de trabalho. Ministrar aulas práticas. elaborar cronograma de aplicação e manipulação de fungicida. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação quantitativa realizada no ambiente de trabalho. bem como.3 DE-M Professor Assoc. O calor decorrente do forno do LTPF foi avaliado. em local arejado e realizado dentro de equipamentos que mantém contidos seus agentes. realizar limpeza e destorroamento de solo na casa de secagem de solo.

conforme Norma Regulamentadora 15. A NIOSH afirma que o formaldeído é imediatamente perigoso à vida e à saúde a 20 ppm. 4 . todos trabalhadores não fazem jus ao adicional de periculosidade.Atividades realizadas sem máscara fornecidas pela UFRA. excluam as exposições que ocorram eventualmente.4-3 partes por milhão (ppm). incluindo anti-sépticos. tem os riscos controlados e seus efeitos neutralizados. os olhos.412. nenhum programa de prevenção contra riscos ocupacionais. náusea. a exposição a formaldeído que ocorrer nas seguintes condições: 1 . Fundamento Legal: Conforme avaliação no ambiente de trabalho. sapato. o formaldeído numa concentração maior. se entrar em contato com uma solução forte de formaldeído. Portanto.CONCLUSÃO Fundamento Científico: O formaldeído é encontrado em pequenas quantidades em muitos produtos de consumo.Atividades que manipulem o formol concentrado em locais fechados.6 ppm (parte por milhão). Entretanto. que as manipulações nos laboratórios não tem fluxo intenso. não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. ou seja. consideramos insalubre. nariz e garganta. medicamentos. 42 . que ocorre na atmosfera de cerca de 0. e fazem juz ao adicional de insalubridade em grau máximo. Portanto. uma ou duas vezes por ano. conforme Norma Regulamentadora 16 e seus anexos e Dec. tendo em vista. Pode afetar as células genéticas e se tornar cancerígeno. 2 .1. Pode causar sangramento no nariz e depressão. O mais comum dos sintomas incluem irritação dos olhos. muitos estudos mostram que eles não são mais sensíveis. adesivos e vernizes. Algumas pessoas são mais sensíveis aos efeitos do formaldeído que outras. exijam exposição por mais de quinze minutos. provoca dor de cabeça. colas. Dor intensa. sendo impossível retirar-se do local antes de quinze minutos após a aplicação do formol. não observamos nesta Universidade. concluímos que as atividades são consideradas insalubres somente para trabalhadores que manipulam formaldeído nas condições definidas acima. Portanto. O formaldeído é irritante para os tecidos quando entra em contato direto com eles.Atividades realizadas de forma habitual.4. amaciantes de roupas. as manipulações feitas dentro das câmaras de exaustão. anexo 11. pois não se trata de linha de produção. Com relação à periculosidade. Um grande estudo de pessoas com asma. coma e morte são possíveis de ocorrer após a ingestão de grandes quantidades de formaldeído. Conforme NR 15. verificou que eles podem ser mais sensíveis aos efeitos da inalação de formaldeído que as outras pessoas. Entretanto. tontura. dificuldade de respirar. no entanto. cujas mesmas. As avaliações realizadas nos laboratórios demonstraram que as concentrações ultrapassaram os limites permitidos pela NR 15. é um gás bactericida que irrita fortemente a pele. máquinas de lavar louça. junto com o aumento do lacrimejamento. ela pode ser programada e prevenida. A pele pode ficar irritada. 3 . 93. nariz e garganta. que é de 1. vômitos.Atividades realizadas sem capela de exaustão.

Mantenha o recipiente fechado e selado.Máscara facial com filtro para gases. 4 . mantenha aterrado todos os equipamentos usados na armazenagem. bem ventilado e sem incidência direta e indireta de calor.Armazene a substância em local apropriado para inflamável. avental (tipo barbeiro) em PVC ou Tyvek (na especificação apropriada).Botinas de segurança ou botas PVC. O local deve ser seco. Não armazenar junto com substâncias incompatíveis.EPC 1 . EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVA .MEDIDAS DE CORREÇÃO ADMINISTRATIVA 1 . Previna a geração de carga estática. 43 . Utilizar exaustão (à prova de explosão) no local de manuseio da substância.Promover o programa de proteção respiratória. 2 .Previna o contato com os olhos e pele. 3 . EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL . 5 . 3 .Instalar Câmara de Exaustão nos Laboratórios que faltam.Instalar lava-olhos e chuveiro de emergência no local de manuseio. 2 .Luvas pvc. 4 .Óculos de segurança amplavisão.EPI Fornecer os seguintes EPI’s: 1 .

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DE AGENTES QUÍMICOS Nome da Empresa/Órgão: UFRA .5 2.1 1 3 2 4 C2 Conforme certificado em anexo NR-15 Anexo 11 ppm mg/m3 4 5.63 0.01 LIMITES (ACGIH -2009) TWA STEL / TETO (C) mg/m3 ppm mg/m3 ppm mg/m3 0.5 C2 0.1 0.2 Tarefas Executadas e Condições Ambientais Tarefa: Preparação de Solução para Análise Ventilação: ( ) Natural ( x ) Forçada ( ) climatizado Tipo de EPI Dados do Equipamento de Proteção Individual .ICA Setor: Laboratório Quimica de Solo Data: 16/11/2010 Produto Avaliado: Varredura de ácidos Agente: Vapor Metodologia: NHO 02 Função avaliada: Aux.25 0. Agropecuária Nome: Samoel Murilo de oliveira Exposição 04H/Dia Grupo Homogêneo Todos que se expõe a produtos ácidos nos laboratórios da UFRA Dados da Amostragem Nº do Amostrador Hora Inicial Hora Final Tempo Total Volume Amostrado Vazão Média 68879 ( x ) Sol 09h23min ( ) Nublado 10h13min 50min 1L Dados das Condições Climáticas ( ) Chuva Pressão Barométrica: 760 mmHg 0.21 0.EPI Modelo Nº do CA Dados do Equipamento de Proteção Coletiva .EPC Capela de Exaustão Resultado da Amostragem Agente Químico Formaldeído (A2)* Resultado ppm 0.94 C2 0.5 1.5 - 44 .

2 Tarefas Executadas e Condições Ambientais Tarefa: Análises laboratoriais Ventilação: ( ) Natural ( ) Forçada (x ) climatizado Dados do Equipamento de Proteção Individual .AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DE AGENTES QUÍMICOS Nome da Empresa/Órgão: UFRA – ICA Setor: Laboratório de Proteção de Plantas Data: 16/11/2010 Produto Avaliado: Formaldeído Agente: Gás Metodologia: NHO 02 Função avaliada: Professora Nome: Gisele Barata da Silva Exposição: 01h/dia Grupo Homogêneo Todos que manipulam Formaldeído no Instituto de Ciências Agrárias – ICA. nas condições definidas. Dados da Amostragem Nº do Amostrador Hora Inicial Hora Final Tempo Total Volume Amostrado Vazão Média 68879 (x ) Sol 15:19 ( ) Nublado 15:49 30min 60ml média Dados das Condições Climáticas ( ) Chuva Pressão Barométrica: 760 mmHg 0.6 2 2.3 Conforme certificado em anexo Agente Químico Formaldeído (A2)* NR-15 Anexo 11 ppm mg/m3 1.3 45 .83 10.84 C 0.EPI Tipo de EPI Modelo Nº do CA Dados do Equipamento de Proteção Coletiva .EPC Resultado da Amostragem LIMITES (ACGIH -2009) Resultado TWA STEL / TETO (C) ppm mg/m3 ppm mg/m3 ppm mg/m3 8.

Td .soma dos tempos. IBUTGd .01°C Sendo: IBUTGt .8 a 28.valor do IBUTG com forno aberto. Resultad o °C Temperatura NR 15 .quantidade de minutos avaliado.01°C 26. 60 .Anexo 3 (°C) 24.UFRA LTPF Calor Metodologia adotada Data Horário NHO 06 da Fundacentro 20/11/2010 15h00 às 16h00 Trabalhadores Expostos Função Grupo Homogêneo Tecnico de Laboratório Professora Fonte Geradora Calor emitido pelo forno Equipamento Termômetro de Globo Digital Dados do Equipamento de Medição Fabricante Modelo Data da Calibração Extrech (USA) HT30 12/05/2010 Nº do Certificado 12362/2009 Temperatura em IBUTG Admissível NR 15 .0 x 15 + 22. Ventiladores e Janelas CA N/A 46 .8 a 28.0 Dados do Equipamento de Proteção Individual – EPI Existente Nome Tipo de Material N/A N/A Dados do Equipamento de Proteção Coletiva Existente Exaustores.0 Condições de Trabalho e Valores Existentes Regime de Trabalho Tipo de Atividade Tempo de trabalho (Min) Tempo de descanso (Min) Temperatura Temperatura em IBUTG em IBUTG com com forno forno aberto(C°) fechado (C°) 45 min com forno fechado Trabalho 60 45 22. Tt .AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DE CALOR Empresa/Órgão: Setor: Agente Avaliado Universidade Federal Rural da Amazônia .1 x 30 = 24.Anexo 3 (°C) 26.1 30.0 15 min com moderado forno aberto Processo de Operação das atividades: Pesquisas tecnologica com o material da madeira Memorial de Cálculo IBUTGMédio = IBUTGt x Tt + IBUTGd x Td/60 = 30.valor do IBUTG com forno fechado.soma dos tempos. em minutos. com forno aberto. com forno fechado. em minutos.

extensão e análises Professor ADJ. Cargo Quant. Laboratório Ecologia Aquática e aqüicultura. 1 DE-M 05 químicas. Professor Assoc. Professor ADJ. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Instituto Ambiental e Recursos Hídricos . Coordenar e executar ação pedagógica. Realizar atividades de ensino. Realizar atividades de ensino. extensão e análises Professor Ass. pesquisa. Realizar capina. Gerencia Administrativa. Laboratório de Dinâmica.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. V 002 Realizar atividades de ensino. extensão e análises Professor ADJ. preparar soluções para Técnico de laboratório 06 análises químicas e organizar drogaria. pesquisa. extensão e laboratoriais. representar a diretoria em eventos e redigir atas. fiscalizar provas teóricas e manipular Engenheiro de área 05 análises químicas. elaborar planilhas. cartas e ofícios. extensão e análises Professor ADJ. Laboratório de Química Ambiental e Estação de Biologia Pesqueira e Piscicultura de Castanhal. extensão e análises 02 DE-D químicas. Assessorar a diretoria e as atividades de ensino. capturar e manejar Engenheiro de pesca 01 espécies de peixes e realizar amostragens físico-químicas em águas salobras e oceânicas. Realizar esterilização e lavagem de material de laboratório e Auxiliar de laboratório 03 auxiliar nos procedimentos de rotina de laboratório. Técnico de Meteorologia 01 Realizar análises químicas. Realizar atividades de ensino. Laboratório de Bioquímica.4 DE-M 05 químicas. forro de laje de concreto maciça e pé direito 4. realizar Recepcionista 02 atendimento telefônico e apoio administrativo. atender usuários e prestar informações. trocar e tratar água dos tanques e realizar a Auxiliar de agropecuária 05 manutenção da área de várzea.3 DE-D 01 Realizar atividades de ensino. pesquisa.80m. coordenar os funcionários das 02 administração atividades de conservação. Químico 02 Auxiliar nas aulas práticas. preparar soluções e organizar drogaria. Servente de limpeza 01 Realizar a limpeza do setor. Laboratório de Fisiologia Animal. Preparar aulas práticas. memorando.ISARH Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. Vice-Diretoria. Composto por: Diretoria. Assistente em digitar documentos e notas. pesquisa.2 DE-D 04 químicas. pesquisa. piso granilite. Atividades Auxiliar em administração 01 Realizar manutenção em equipamentos eletrônicos e ópticos. Despachar documentos para diversos setores.4 DE-D 02 químicas. Auxiliar professores em aulas práticas. pesquisa. Realizar atividades de ensino. Laboratório Experimental de Organismos Aquáticos Cultiváveis. 47 .

48 . Laboratorista 01 Fiscalizar provas. plantio. controlar e avaliar projetos. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação quantitativa realizada no ambiente de trabalho. selecionar e reparar área para produção. Vigilante 02 Executar atividades de apoio logístico. extensão e análises Professor Ass. colheita e beneficiamento das Engenheiro Florestal 01 espécies vegetais. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho.4 20 H 01 químicas.Realizar pesquisas em ecossistemas naturais em áreas de várzeas.1 DE-D 06 químicas. manipular e conservar áreas experimentais. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição. Realizar atividades de ensino. preparar aulas e realizar análises químicas. solo e de material vegetal. adubação. pesquisa. Realizar atividades de ensino. extensão e análises Professor ADJ. Professor 02 Lecionar em cursos de pós-graduação e pesquisas em várzea. pesquisa. social e de impacto ambiental e planejar. extensão e análises Professor ADJ. pesquisa. coletar análises de água. Realizar atividades de ensino. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Elaborar projetos e pesquisas e auxiliar professores e em Técnico de ensino superior 02 pesquisas em várzea. V 001 DE-D 01 químicas. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres. extensão e análises Professor Ass. igapós e de terra firme. cultura. Realizar atividades de ensino. realizar estudo de viabilidade econômica. pesquisa. constatou-se riscos químicos somente para os trabalhadores que manipulam o produto químico formaldeído nas condições especificadas neste Laudo. 3 DE-M 04 químicas. 2 DE-M 01 químicas. pesquisa. Realizar atividades de ensino. executar. montar experimentos para pesquisas e aulas práticas. extensão e análises Professor Assoc.

CONCLUSÃO Fundamento Científico: O formaldeído é encontrado em pequenas quantidades em muitos produtos de consumo, incluindo anti-sépticos, medicamentos, máquinas de lavar louça, amaciantes de roupas, sapato, colas, adesivos e vernizes. Entretanto, o formaldeído numa concentração maior, é um gás bactericida que irrita fortemente a pele, os olhos, nariz e garganta, provoca dor de cabeça, tontura, náusea, dificuldade de respirar. Pode causar sangramento no nariz e depressão. Pode afetar as células genéticas e se tornar cancerígeno. O formaldeído é irritante para os tecidos quando entra em contato direto com eles. Algumas pessoas são mais sensíveis aos efeitos do formaldeído que outras. O mais comum dos sintomas incluem irritação dos olhos, nariz e garganta, junto com o aumento do lacrimejamento, que ocorre na atmosfera de cerca de 0,4-3 partes por milhão (ppm). A NIOSH afirma que o formaldeído é imediatamente perigoso à vida e à saúde a 20 ppm. Um grande estudo de pessoas com asma, verificou que eles podem ser mais sensíveis aos efeitos da inalação de formaldeído que as outras pessoas, no entanto, muitos estudos mostram que eles não são mais sensíveis. Dor intensa, vômitos, coma e morte são possíveis de ocorrer após a ingestão de grandes quantidades de formaldeído. A pele pode ficar irritada, se entrar em contato com uma solução forte de formaldeído. As avaliações realizadas nos laboratórios demonstraram que as concentrações ultrapassaram os limites permitidos pela NR 15, que é de 1,6 ppm (parte por milhão). Portanto, consideramos insalubre, a exposição a formaldeído que ocorrer nas seguintes condições: 1 - Atividades que manipulem o formol concentrado em locais fechados, cujas mesmas, exijam exposição por mais de quinze minutos, sendo impossível retirar-se do local antes de quinze minutos após a aplicação do formol; 2 - Atividades realizadas sem máscara fornecidas pela UFRA; 3 - Atividades realizadas sem capela de exaustão; 4 - Atividades realizadas de forma habitual, excluam as exposições que ocorram eventualmente, ou seja, uma ou duas vezes por ano. Conforme NR 15.4.1, as manipulações feitas dentro das câmaras de exaustão, tem os riscos controlados e seus efeitos neutralizados, tendo em vista, que as manipulações nos laboratórios não tem fluxo intenso, pois não se trata de linha de produção. Entretanto, as atividades que não utilizam câmara de exaustão ou equipamento de proteção individual - EPI promovem os riscos químicos proveniente do formaldeído. Fundamento Legal: Conforme avaliação quantitativa no ambiente de trabalho, concluímos que as atividades são consideradas insalubres somente para trabalhadores que manipulam formaldeído nas condições definidas acima, e fazem juz ao adicional de insalubridade em grau máximo, conforme Norma Regulamentadora 15, anexo 11. Com relação à periculosidade, não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. Portanto, os trabalhadoradores não fazem jus ao adicional de periculosidade, conforme NR 16, seus anexos e Decreto Federal 93.412.

49

MEDIDAS DE CORREÇÃO ADMINISTRATIVA 1 - Previna o contato com os olhos e pele; 2 - Mantenha o recipiente fechado e selado. Utilizar exaustão (à prova de explosão) no local de manuseio da substância; 3 - Instalar lava-olhos e chuveiro de emergência no local de manuseio; 4 - Armazene a substância em local apropriado para inflamável. O local deve ser seco, bem ventilado e sem incidência direta e indireta de calor. Não armazenar junto com substâncias incompatíveis. Previna a geração de carga estática, mantenha aterrado todos os equipamentos usados na armazenagem; 5 - Promover o programa de proteção respiratória. EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Fornecer os seguintes EPI’s: 1 - Óculos de segurança amplavisão; avental (tipo barbeiro) em PVC ou Tyvek (na especificação apropriada); 2 - Luvas pvc; 3 - Botinas de segurança ou botas PVC; 4 - Máscara facial com filtro para gases. EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVA - EPC 1 - Instalar Câmara de Exaustão nos Laboratórios que faltam.

50

AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DE AGENTES QUÍMICOS Nome da Empresa/Órgão: UFRA - ISARH Setor: Laboratório de Biologia Aquática Data: 17/11/2010 Produto Avaliado: Formaldeído Agente: Vapor Metodologia: NHO 02 Função avaliada: Professor Todos que manipulam Formol no ISARH Nº do Amostrador 68879 Hora Inicial 10:43 Dados da Amostragem Hora Final Tempo Total Volume Amostrado Vazão Média Nome: Nuno Melo Grupo Homogêneo Exposição: 02h/dia

11:13 30min 60ml 0,2 Dados das Condições Climáticas (x ) Sol ( ) Nublado ( ) Chuva Pressão Barométrica: 760 mmHg Tarefas Executadas e Condições Ambientais Tarefa: Diluição do Produto para Ventilação: ( ) Natural ( ) Forçada (x ) climatizado armazenamento Dados do Equipamento de Proteção Individual - EPI Tipo de EPI Modelo CA Respirador Filtro de Carvão Ativado 17284 Dados do Equipamento de Proteção Coletiva - EPC Resultado da Amostragem Agente Químico Formaldeído (A2)* LIMITES (ACGIH -2009) TWA STEL / TETO (C) ppm mg/m3 ppm mg/m3 ppm mg/m3 16,43 20, 18 C 0,3 Conforme certificado em anexo Resultado NR-15 Anexo 11 ppm mg/m3 1,6 2,3

51

EPC Resultado da Amostragem Agente Químico Acido Clorídrico (A4)* Acido Fluorídrico (Fluoreto de Hidrogênio) Acido Fosfórico Acido Nítrico Acido Bromídrico Resultado ppm 0.2 11h25min 12h15min 30min Dados das Condições Climáticas ( ) Nublado ( ) Chuva Pressão Barométrica: 760 mmHg Tarefas Executadas e Condições Ambientais Tarefa: Solução de Limpeza para lavagem de Ventilação: ( ) Natural ( ) Forçada (x ) climatizado vidraria Dados do Equipamento de Proteção Individual .01 mg/m3 0.14 LIMITES (ACGIH -2009) TWA STEL / TETO (C) ppm mg/m3 ppm mg/m3 C2 0.1 0.1 0.5 - 1 2 4 C2 Conforme certificado em anexo 52 . de Química Ambiental Produto Avaliado: Varredura de ácidos Agente: Vapor Função avaliada: Professora Nome: Maria de Lourdes Souza Santos Grupo Homogêneo Dados da Amostragem Hora Final Tempo Total Data: 10/11/2010 Metodologia: NHO 06 Exposição: 30min/Dia Todos que manipulam ácidos no ISARH Nº do Amostrador 68879 (x ) Sol Hora Inicial Volume Amostrado 100ml / 1L d´gua Vazão Média 0.ISARH Setor: Lab.5 2.25 0.37 0.5 1.EPI Tipo de EPI Modelo CA Máscara Carvão Ativado 0001-49rsm Dados do Equipamento de Proteção Coletiva .AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DE AGENTES QUÍMICOS Nome da Empresa/Órgão: UFRA .17 0.5 3 NR-15 Anexo 11 ppm mg/m3 4 5.

Centro de Pesquisas em Caprinos e Ovinos do Pará. piso cerâmico. realizar caiação periódica das baias. manuseio de animais de grande porte e desenvolver assistência clínica Professor ADJ. realizar práticas hospitalar e higiene das instalações. auxiliar nos Auxiliar de trabalhos clínicos veterinários no campo e realizar plantio de sementes 26 agropecuária holerícolas. forro PVC e pé direito 3. 1 05 veterinária. Ministrar aulas práticas. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Instituto de Saúde e Produção Animal . manuseio de animais de grande porte e desenvolver assistência clínica Professor ADJ. Coletar e manusear vertebrados. Atividades Ministrar aulas práticas. realizar dissecação e DE-M conservação de organismos da fauna silvestre e realizar a manutenção de vertebrados formolizados e peças anatômicas. Gerente Administrativo. realizar dissecação e conservação de organismos da fauna silvestre e realizar a manutenção de vertebrados formolizados e peças anatômicas. Projeto Carroceiro. Radiologia e Fazenda Escola Igarapé-Açú – FEIGA. Laboratório Patologia Geral e Veterinária. Cargo Quant.1 08 veterinária. Coletar e manusear vertebrados.Diretoria. realizar práticas hospitalar e higiene das instalações. Coletar e manusear vertebrados. Hospital Veterinário. Composto por: Diretoria. Laboratório de Microbiologia e Doenças Infectocontagiosas.ISPA Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. Ministrar aulas práticas. Coletar e manusear vertebrados. manuseio de animais de grande porte e desenvolver assistência clínica Professor Ass. Ministrar aulas práticas. realizar dissecação e DE-D conservação de organismos da fauna silvestre e realizar a manutenção de vertebrados formolizados e peças anatômicas.00 m. 53 . Limpeza e desinfecção de laboratórios e galpões.3 01 veterinária. Vice. coletar diariamente desejos de animais. 2 03 veterinária. Coletar e manusear vertebrados. Laboratório de Histologia. manuseio de animais de grande porte e desenvolver assistência clínica Professor 02 veterinária. Laboratório de Anatomia. realizar roçagem periódica dos pastos.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. realizar dissecação e ADJ. Coletar e manusear vertebrados. realizar dissecação e DE-M conservação de organismos da fauna silvestre e realizar a manutenção de vertebrados formolizados e peças anatômicas. Farmacologia.4DE-G conservação de organismos da fauna silvestre e realizar a manutenção de vertebrados formolizados e peças anatômicas. realizar práticas hospitalar e higiene das instalações. transportar e ministrar ração dos animais. manuseio de animais de grande porte e desenvolver assistência clínica Professor Ass. realizar práticas hospitalar e higiene das instalações. realizar dissecação e DE-D conservação de organismos da fauna silvestre e realizar a manutenção de vertebrados formolizados e peças anatômicas. realizar práticas hospitalar e higiene das instalações. Zootecnia. Ministrar aulas práticas.

supervisionar visitas em laboratórios. Orientar atividades de campo. Receber animais doentes para exames e auxiliar os funcionários de saúde animal. Assessorar a diretoria do Instituto aos Professores e Técnicos de Laboratório e realizar atendimento da necropsia do Instituto e aos professores e técnicos de laboratórios. acompanhar as campanhas de vacinação do rebanho e orientar a prática de aplicação de herbicidas e de adubos químicos. administrar medicamento para o rebanho. realizar colheita. esterilização e o empacotamento de materiais cirúrgicos. realizar práticas hospitalar e higiene das instalações. manuseio de animais de grande porte e desenvolver assistência clínica veterinária. Ministrar aulas práticas. preparar soluções e limpar vidraria dos laboratórios. centros cirúrgicos. excreções e de raspado de pele. orientar o beneficiamento e armazenamento de grãos. estábulos. Vigiar áreas das fazendas e dirigir viaturas. Auxiliar nas atividades de clínica. acompanhar necropsia. Coletar e manusear vertebrados. realizar colheita de material para exame patológicos. orientar o manejo de pragas e doenças. Auxiliar os técnicos em sala de cirurgia. 3 DE-M 01 Assistente em administração/ Secretário executivo Assistente em administração Laboratorista 01 01 02 54 . Realizar técnicas de necropsia para colher ecto e endoparasitos e de exames de secreções.Auxiliar de veterinária e zootecnia/Gerente administrativo Auxiliar de veterinária e zootecnia 01 Despachar e controlar documentos. realizar práticas hospitalar e higiene das instalações. resfriação e congelamento de semem. 02 Professor Ass. conter animais para as aulas práticas. realizar dissecação e conservação de organismos da fauna silvestre e realizar a manutenção de vertebrados formolizados e peças anatômicas. acompanhar o agendamento de castração de caprinos e ovinos. sala de necropsias animais e sala de anatomia e coordenar atendimento a grandes animais doentes. 4 DE-M 08 Vigilante 04 Engenheiro Agrônomo 02 Auxiliar de laboratório 01 Professor Ass. Coletar e manusear vertebrados. Ministrar aulas práticas. manuseio de animais de grande porte e desenvolver assistência clínica veterinária. formular e manipular inseticidas e adubos químicos. realizar a lavagem. remover lixo hospitalar e armazenar e distribuir medicamentos e drogas para os laboratórios e clínicas. auxiliar no processo de inseminação artificial. realizar dissecação e conservação de organismos da fauna silvestre e realizar a manutenção de vertebrados formolizados e peças anatômicas. auxiliar nas campanhas de vacinação.

realizar práticas hospitalar e higiene das instalações. Ministrar aulas práticas.Pedreiro 02 Realizar reparos de construção civil: hidráulica. pintura e alvenaria. realizar práticas hospitalar e higiene das instalações. manuseio de animais de grande porte e desenvolver assistência clínica veterinária. Ministrar aulas práticas. Professor ADJ. pesquisa. conservar e manter pastagens e plantações. Coletar e manusear vertebrados.V002DE-D 03 Médico veterinário Assistente de laboratório Auxiliar de anatomia de nepropsia 01 01 01 Professor Assoc. Auxiliar nas atividades de ensino prático de pesquisas em laboratórios. Realizar manutenção do apiário e transportar a colheita do mel.4 DE-D 02 Professor Assoc. realizar dissecação e conservação de organismos da fauna silvestre e realizar a manutenção de vertebrados formolizados e peças anatômicas.V001DE-D 02 Servente de limpeza 01 Professor ADJ. Auxiliar no preparo de peças e aos professores durante aulas práticas. realizar dissecação e conservação de organismos da fauna silvestre e realizar a manutenção de vertebrados formolizados e peças anatômicas. esterilizar meios de cultura e material contaminado em autoclave. realizar dissecação e conservação de organismos da fauna silvestre e realizar a manutenção de vertebrados formolizados e peças anatômicas. Realizar atividades de ensino. Coletar e manusear vertebrados. Realizar atendimento clínico e cirúrgico em animais. Ministrar aulas práticas.2 DE-D Técnico de laboratório 01 04 Professor ADJ. manuseio de animais de grande porte e desenvolver assistência clínica veterinária. coletar material para exames de todo o rebanho da UFRA e executar vacinação.54 DE-E 01 55 . realizar práticas hospitalar e higiene das instalações. auxiliar na manutenção do rebanho e realizar limpeza dos abrigos do rebanho. extensão e análises químicas e desenvolver atividades no biotério e canil. manuseio de animais de grande porte e desenvolver assistência clínica veterinária. Preparar material de aulas práticas. Coletar e manusear vertebrados. manuseio de animais de grande porte e desenvolver assistência clínica veterinária. realizar limpeza de laboratórios. realizar práticas hospitalar e higiene das instalações. realizar dissecação e conservação de organismos da fauna silvestre e realizar a manutenção de vertebrados formolizados e peças anatômicas. elétrica. semear material biológico e realizar controle físico e químico de alimentos Ministrar aulas práticas. Coletar e manusear vertebrados.

relacionada com a natureza e o tempo de exposição ao agente. Portanto.ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Entretanto.1.Atividades realizadas de forma habitual. uma vez ou duas vezes por ano.4-3 partes por milhão (ppm). Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. CONCLUSÃO Fundamento Científico – Risco Químico: Embora a avaliação quantitativa no laboratório deste Instituto tenha apresentado concentrações de formol dentro dos limites toleráveis. que ocorrendo operações com pouca quantidade de formol nas condições definidas abaixo. tem os riscos controlados e seus efeitos neutralizados. consideramos insalubre. 4 . que cause dano à saúde do trabalhador. nariz e garganta.4. coma e morte são possíveis de ocorrer após a ingestão de grandes quantidades de formaldeído.Atividades realizadas sem máscara fornecidas pela UFRA. se entrar em contato com uma solução forte de formaldeído. muitos estudos mostram que eles não são mais sensíveis. sendo impossível retirar-se do local antes de quinze minutos após a aplicação do formol. Um grande estudo de pessoas com asma. tendo em vista. pois a medição não ocorreu no momento da aplicação do formol. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição. 56 . Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. O mais comum dos sintomas incluem irritação dos olhos. cujas mesmas. excluam as exposições que ocorram eventualmente.Atividades que manipulem o formol concentrado em locais fechados. consideramos que ocorram concentrações elevadas. que é de 1. as manipulações feitas dentro das câmaras de exaustão. Dor intensa. mas após a estabilização do mesmo na água. A NIOSH afirma que o formaldeído é imediatamente perigoso à vida e à saúde a 20 ppm. a exposição a formaldeído que ocorrer nas seguintes condições: 1 . durante sua jornada de trabalho. A pele pode ficar irritada. constatou-se que não existem agentes químicos com concentração máxima. no entanto. 3 .EPI promovem os riscos químicos proveniente do formaldeído. que ocorre na atmosfera de cerca de 0. Conforme NR 15. De modo. verificou que eles podem ser mais sensíveis aos efeitos da inalação de formaldeído que as outras pessoas. o formaldeído é irritante para os tecidos quando entra em contato direto com eles. pois não se trata de linha de produção. quando se aplica o formol nos compartimentos para preservação das amostras de animais. haverá concentrações que afetará a saúde do trabalhador que se expõe. As avaliações realizadas nos laboratórios demonstraram que as concentrações ultrapassaram os limites permitidos pela NR 15. vômitos. Algumas pessoas são mais sensíveis aos efeitos do formaldeído que outras. 2 . exijam exposição por mais de quinze minutos. constatou-se agentes biológicos que se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres. Como já abordamos. que as manipulações nos laboratórios não tem fluxo intenso. junto com o aumento do lacrimejamento. as atividades que não utilizam câmara de exaustão ou equipamento de proteção individual .Atividades realizadas sem capela de exaustão. ou seja.6 ppm (parte por milhão).

definiremos abaixo uma planilha de atribuição do grau de insalubridade por setor e atividade. cujas origens são desconhecidas. onde.Fundamento Científico – Risco Biológico: Zoonoses são infecções e doenças transmissíveis dos animais aos seres humanos. Conforme avaliação realizada neste Instituto. dos quais.Atividades que ocorram somente em contatos com abelhas. exceto os que já foram examinados e constatados o seu estado clínico). e reptéis utilizados para pesquisas. com ênfase aos patógenos das aves domésticas. Além disso. inclusive as zoonoses. objetivo é desenvolver pesquisas nas áreas da reprodução e produção de caprinos e ovinos e bovinos. mesmo que haja contato eventual com animal doente. Entretanto. Ex: Atividades de ensino e pesquisa. 2 .Atividades que se expõem a animais saudáveis. seus órgão e derivados. Projeto Carroceiro. nos currais e apriscos nas atividades de trato de animais. seres aquáticos. A severidade destas doenças no homem pode variar de sintomas leves a condições de ameaça à vida. os animais ou seus derivados tem origens conhecidas. cujos animais não são doentes. Projeto Carroceiro. domésticos e selvagens. fungos. Durante a avaliação ouvimos relatos de vários casos de animais com doenças consideradas zoonóticas. cujo. constatamos a exposição habitual e permanente de diversos trabalhadores a animais com vários tipos de doenças. aqueles que não são mantidos e tratados na UFRA. bem como. 57 . do alimento e da água. que podem ser transportados ao homem através do ar. Analisamos que os trabalhadores dos setores Hospital Veterinário. protozoários. de vetores. os quais. bem como. ou são levados por seus proprietários. são ministradas as aulas de manejo reprodutivo de caprinos e ovinos. como: carnes. podem apresentar qualquer tipo de doença. A infecção pode ser adquirida diretamente dos animais. deverão ser desconsideradas como atividades insalubres as exposições ocorridas nas formas descritas abaixo: 1 . entre outras vias. fezes. Portanto. bactérias (incluindo riquétsias e clamídias). cuja maioria são de origens desconhecidas. Presenciamos nos setores Hospital Veterinário. estas são causadas por vírus. considera-se exposição insalubre as atividades que fazem contatos diretos com esses animais que podem apresentar doenças assintomáticas e por serem portadores de muitos microorganismos que causam doenças zoonóticas. incluindo os de estimação. ou seja. será considerado somente se houver contato direto e permanente com animais com zoonose ou não. bem como. são transmissíveis por diferentes espécies animais ao homem. Várias doenças infecciosas são causadas por agentes que. possíveis hospedeiros potenciais de patógenos para o homem. As demais atividades. Nesses setores só deverão ser considerados as atividades que fazem contato com animais e locais onde ficam contidos os animais. Radiologia e Bloco Sirúrgico diversas operações de tratamentos realizados com vários animais. ou seja. não sabem o tipo de doença que estão acometidos. Todavia. Considera-se atividades insalubres aquelas que ocorrerem em contatos habituais com animais com doenças patogênica ao homem. realizam testes e manejos. os animais que vem de locais externos. Para prevenir a ocorrência de zoonoses. direta ou indiretamente. helmintos e artrópodes. líquidos e pelos. são atividades que analisam amostras. Curral. No Centro de Pesquisas em Caprinos e Ovinos do Pará. limpeza de currais de canil de gatil e apriscos. como: pesquisa. atender ao ensino e a extensão. e análises. Atualmente mais de 200 doenças que ocorrem no homem e nos animais são transmitidas mutuamente. Radiologia. os quais passaram por uma triagem e foram certificados que não tem doenças zoonóticas. é importante identificar que animais são as principais fontes das infecções. no Curral e Apriscos da Fazenda Escola IgarapéAçú – FEIGA. contato com seus derivados. 3 . as zoonoses. sangue. ensino. Os animais. urina. gatil e Canil se expões a animais.Atividades administrativas do Instituto. (Entenda-se por animal de origem desconhecida.

e fazem juz ao adicional de insalubridade em grau máximo. concluímos que o dano à saúde das trabalhodoras não estão ocorrendo. foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas somente para as duas médicas veterinárias da Radiologia do Hospital. em salas de irradiação e de operação de aparelhos de raios-X.Fundamento Científico – Periculosidade: A atividades no setor de Radiologiado Hospital Veterinário com aparelhos de raios-X. Apriscos e Aviários (Sede e Feiga) Todos Laboratórios deste Instituto Todos que manuseam animais Todos que manuseam animais Todos que manuseam animais Todos que entram em contato com animais Todos que tratam ou manuseam animais ou fazem limpeza do canil e gatil Todos que tratam ou manuseam animais ou fazem limpezas dos currais. protetor de tireóide com revestimento de chumbo. E referente aos riscos biológicos consideramos as situações de insalubridade nas disposições da planilha abaixo. anexo. face a probalidade de ocorrer um acidente por radiação. As medidas de segurança existentes permitem o controle do risco. portanto. seus derivados Máximo Máximo Máximo Médio Máximo Médio Médio 58 . Com relação à periculosidade. pois os limites de radiação só ultrapassaram eventualmente. se não. Fundamento Legal: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Medida Administrativa: Divisão dos números de exames para cada trabalhadora. Portanto. Desta forma. Setor/Local Atividade Grau de Insalubridade Hospital Veterinário Todos que manuseam animais Máximo (serviço médico veterinário) Radiologia Bloco Cirúrgico Projeto Carroceiro CPCOP Canil e Gatil Curral. os trabalhadores da Radiologia fazem jus ao adicional de periculosidade. anexo 11. a condição será de periculosidade. diminui o tempo de exposição individual. desta forma. conforme avaliação. conforme NR 16. constatamos o enquadramento de periculosidade. conforme Norma Regulamentadora 15. concluímos que as atividades são consideradas insalubres somente para trabalhadores que manipulam formaldeído nas condições definidas acima. conforme NR 15. anexo 14. avental com revestimento de chumbo. bem como. apriscos e aviários Todos que manuseiam animais com zoonoses ou de origens desconhecidas. Uso de dosímetros de radiação para verificação dos níveis de radiação absorvida pelo trabalhador. atribui ao trabalhador a condição de perigo por estar envolvido com substâcia radiotiva. A condição de insalubridade está relacionada ao fato de estar ocorrendo o dano. MEDIDAS DE CONTROLE EXISTENTES Equipamento de Proteção Individual: Luvas de chumbo.

Submeter as instalações a uma análise da NE 3. apriscos e aviários. 5 . limpar os reservatórios de água.Máscara facial com filtro para gases.Orientar que examinem as roupas e a pele.EPI Fornecer os seguintes EPI’s: 1 . Previna a geração de carga estática.Elaborar o PCMSO e fazer acompanhamento através do ASO.Armazene a substância em local apropriado para inflamável. após a lavagem passe álcool iodado. bebedouros.Repelentes (devem ser usados sobre a roupa e não sobre a pele). 3 .Orientar para quando apresentar sintomas da doença. 2 .Realizar dedetização em torno dos estábulos.Orientar para que não usem gasolina. 8 . 2 . EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL . MEDIDAS DE CORREÇÃO PARA O RISCO BIOLÓGICO ADMINISTRATIVA 1 .Realizar testes de eficiência dos EPI’s. impedir a existência de água parada. 5 .Previna o contato com os olhos e pele. procure de imediato o seu médico para receber o tratamento com antibiótico e entregar o frasco com o carrapato ao seu médico ou no posto de saúde ou ainda à autoridade sanitária do local. 4 . 4 .Óculos de segurança amplavisão. EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL . currais.Implantar o PPRA NR 9. Jaqueta em PVC. Luvas em PVC cano longo para limpeza de locais e trato de animais.Manter a limpeza constante nos locais de trabalho.Luvas pvc. 4 . 9 . O local deve ser seco.Use uma pinça e nunca as mãos para remover os carrapatos.Orientar para que lavem suas mãos e a área da picada com água e sabão. 3 . 4 . 3 . 10 .MEDIDAS DE CORREÇÃO PARA O RISCO QUÍMICO ADMINISTRATIVA 1 . querosene ou removedor de unha que podem ajudar na contaminação. o local da mordida e o tipo de animal que provavelmente carregava o carrapato. 3 .Usar roupas claras. para que as bactérias que estão no interior do carrapato não entrem em contato com a pele.Instalar lava-olhos e chuveiro de emergência no local de manuseio. avental (tipo barbeiro) em PVC ou Tyvek (na especificação apropriada). bem ventilado e sem incidência direta e indireta de calor. Não armazenar junto com substâncias incompatíveis. meias compridas e botas. 3 .Mantenha o recipiente fechado e selado.EPI No contato com animais: 1 .Elaborar o PCMSO e fazer acompanhamento através do ASO. MEDIDAS DE CORREÇÃO PARA A PERICULOSIDADE ADMINISTRATIVA 1 . 2 .06 da CNEN. Evite esmagá-los.Orientar para limpeza das mãos e desinfecção de equipamentos durante os trabalhos. Utilizar exaustão (à prova de explosão) no local de manuseio da substância. mantenha aterrado todos os equipamentos usados na armazenagem. Guarde o carrapato vivo dentro de um frasco de vidro identificado com a data. 6 . 59 .Usar conjunto de Calça e Botas em PVC (jardineira) com suspensório. sempre quando passarem por locais infestados de carrapatos. 2 .Botinas de segurança ou botas PVC.Promover o programa de proteção respiratória. 2 . 7 .Consumir água mineral no ambiente de trabalho.

2 10:12 30min 60ml Dados das Condições Climáticas ( ) Chuva Pressão Barométrica: 760 mmHg Tarefas Executadas e Condições Ambientais Tarefa: Análises laboratoriais Ventilação: ( ) Natural ( ) Forçada (x ) climatizado Dados do Equipamento de Proteção Individual .34 LIMITES (ACGIH -2009) TWA STEL / TETO (C) mg/m3 ppm mg/m3 ppm mg/m3 1.6 2.EPI Tipo de EPI Modelo Máscara ninja 3M6002 Dados do Equipamento de Proteção Coletiva . Anatomia/Necropsia Nome: Jurandy Dourado Exposição: 01h/dia Grupo Homogêneo Todos que manipulam Formaldeído no ISPA Dados da Amostragem Nº do Amostrador Hora Inicial Hora Final Tempo Total 68879 (x ) Sol 09:42 ( ) Nublado Volume Amostrado Vazão Média 0.3 CA 7298 60 .ISPA Setor: Sala de Anatomia Data: 17/11/2010 Produto Avaliado: Formaldeído Agente: Vapor Metodologia: NHO 02 Função avaliada: Aux.3 Conforme certificado em anexo NR-15 Anexo 11 ppm mg/m3 1. 64 C 0.EPC Tampas para condicionamento do Formol e Exaustores Resultado da Amostragem Agente Químico Formaldeído (A2)* Resultado ppm 1.AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DE AGENTES QUÍMICOS Nome da Empresa/Órgão: UFRA .

Cargo Quant. realizar pesquisas. Ministrar aulas. Portanto. CONCLUSÃO Conforme avaliação no ambiente de trabalho. piso em granilite. Realizar controle e abertura das salas. elaborar programas. forro de laje de concreto maciço e pé direito 4. Com relação à periculosidade. relacionados com a natureza e o tempo de exposição ao agente. Realizar controle e abertura das salas. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Composto por: Coordenadoria. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. realizar manutenção em 01 informação computadores e nas redes e elaborar programas.412. durante sua jornada de trabalho. não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. 93.50 m. 61 . supervisionar informação os funcionários do setor e realizar o planejamento do setor. Digitar documentos e realizar atendimento telefônico e controle Assistente administrativo 04 de agenda Realizar controle e abertura das salas. despachar documentos e Auxiliar agropecuário 01 realizar o apoio logístico aos professores. Atividades Prestar suporte aos usuários. despachar documentos e Recepcionista 01 realizar o apoio logístico aos professores. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres. os trabalhadores não fazem jus ao adicional de insalubridade e Periculosidade. Desenvolver atividades de pesquisas e extensão na área de Engenheiro agrônomo 01 engenharia florestal.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. executar atividades Professor 39 administrativas e externa com a comunidade.ICIBE Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição. realizar georeferenciamento de áreas e elaborar mapas. realizar georeferenciamento de áreas e elaborar mapas. constatou-se que não existem agentes químicos. que cause dano à saúde do trabalhador. Desenvolver atividades de pesquisas e extensão na área de Engenheiro florestal 01 engenharia florestal. realizar manutenção em Analista de tecnologia da 01 computadores e nas redes. conforme Norma Regulamentadora 16 e seus anexos e Dec. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. concluímos que as atividades são consideradas salubres. Técnico de tecnologia da Prestar suporte aos usuários. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Instituto Ciberespacial . despachar documentos e Tratorista 01 realizar o apoio logístico aos professores. conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos.

com iluminação natural e artificial. bovinocultura de leite. planejamentogestão de pessoas. microscopia. caprinovinocultura. anatomia dos animais domésticos. fetos. planejamento. Coleta de material biológico. placenta (com exposição a sangue fezes. Laboratório Agroindustrial. Laboratório Microbiologia. como cadáveres de animais. em animais silvestre. anatomia dos animais domésticos. planejamento. discagem. em alguns locais forro de PVC e outros de telha cerâmica ou fibrocimento. elaboração de concursos públicos. com realização de aplicação de medicamentos. elaboração de documentos. como cadáveres de animais. orçamentos. gestão de pessoas. comissão de vestibular. elaboração de concursos públicos. higiene dos animais e das instalações. atendimento à alunos. como cadáveres de animais. orçamentos. Coleta de material biológico. Remoção da pelagem. Sala de Necropsia. caprinocultura e ovinocultura. participação de reuniões e membro de conselhos.00 m. além de coleta de órgãos para aulas práticas . administração geral do campus. Atividades Elaboração de projetos. atendimento ao público geral. gestão de pessoas. atendimento a alunos. participação de reuniões e membro de conselhos. Realização de aulas práticas da disciplina exterior e raças e julgamento dos animais domésticos. comissão de vestibular. placenta (com exposição a sangue fezes. vacinas e contenção dos animais. atendimento ao público geral. Coleta de material biológico. análise de conteúdo estomacal e remoção e fixação de órgãos internos. bovinocultura de leite. atendimento ao público geral. bovinocultura de corte. Cargo Quant. fetos. bovinocultura de leite. Sala dos Professores. montagem de lâminas de artrópodes. para confecção de peças anatomicas para realização de aulas práticas no laboratório. urina). Laboratório Multidisciplinar. administração geral do campus.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. com pé direito de 3. Elaboração de projetos. participação de reuniões e membro de conselhos. Laboratório Multiuso. administração geral do campus. atendimento à professores. Sala de Armazenamento de P. comissão de vestibular.Q. atendimento a professores. além de coleta de órgãos para aulas práticas de compartimentos internos de animais. Laboratório Agroindustrial. elaboração de concursos públicos. Professor (Diretor) 01 Professor (Vice-Diretor) 01 Professor (Gerente Adm) 01 62 . CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Campus Parauapebas Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. higiene dos animais e das instalações. atendimento à alunos. além de coleta de órgãos para aulas práticas de compartimentos internos de animais. Composto pelos setores: Administrativo com secretaria e sala da direção. atendimento à professores. elaboração de documentos. fetos. elaboração de documentos. caprinocultura e ovinocultura. urina). Realização de aulas práticas da disciplina manejo dos animais e instalações. com ventilação na maioria dos setores de ar condicionado. Fap-Almoxarifado. anatomia dos animais domésticos. Elaboração de projetos. piso frio. Realização de aulas práticas da disciplina de equideocultura. para confecção de peças anatomicas para realização de aulas práticas no laboratório. Realização de aulas práticas da disciplina exterior e raças e julgamento dos animais domésticos. orçamentos. placenta para confecção de peças anatomicas para realização de aulas práticas no laboratório.

informado pelos trabalhadores.Realização de aulas práticas da disciplina de equideocultura. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. científicos ou comerciais. bovinocultura de leite. ou aquele que fazem contato habitual com animais com zoonose ou animais de origem desconhecida. De acordo com as informações dos trabalhadores são de origen desconhecida. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição. vacinas e contenção dos animais. planejamento. aviários. monitores. Fundamento Científico: Os animais silvestres da fauna brasileira estão localizados na natureza (vida silvestre) ou no cativeiro vivendo em parques zoológicos. conforme NR 15. Portanto. 63 . anatomia dos animais domésticos. quando utilizam o produto formaldeído. centros de triagem e reabilitação. havendo contato com animais de origem desconhecida. elaboração de documentos. atendimento ao público geral. atendimento a alunos. planejamento. ou em residências de munícipes (criados ilegalmente como animais de estimação). apriscos. Realização de aulas práticas da disciplina manejo dos animais e instalações. Os animais silvestres. participação de reuniões e membro de conselhos. material vegetal e animais peçonhentos. vírus. Coordenação geral do curso. A condição insalubre só se caracterizará para os trabalhadores que fizerem contato habitual com currais. higiene dos animais e das instalações. participação de reuniões e membro de conselhos. caprinovinocultura. material vegetal e animais peçonhentos. os trabalhadores não fazem jus ao adicional de periculosidade. com realização de aplicação de medicamentos. caprinocultura e ovinocultura. constatou-se que existem riscos. bactérias. elaboração de documentos. bovinocultura de leite. nematóides. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. criadouros conservacionistas. bovinocultura de corte.412. 93. institutos de pesquisa. Coleta de material biológico: fungos. trator e implementos agrícolas utilizados em aulas práticas Professor(a) (Coordenadora) 01 Coleta de material biológico: fungos. Coordenação geral do curso. podem ser reservatórios e portadores de zoonoses. anexo 14. ou com locais de habitação dos animais de forma habitual. Com relação à periculosidade. constatou-se que os trabalhadores executam atividades em contato com animais. tanto em vida silvestre como em cativeiro. Sendo assim. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Professor(a) (Coordenador) 01 Realização de práticas de aplicação de produtos químicos com máquinas agrícolas. vírus. Professor de estatística supervisiona o laboratório de informática computadores. farão jus. segue-se a definição e conclusão dos fundamentos do ISPA. com a utilização de objetos cortantes e fixação em reagentes químicos. atendimento a professores. atendimento à alunos. nematóides. ou outros locais onde são mantidos os animais. não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. com a utilização de objetos cortantes e fixação em reagentes químicos. anatomia dos animais domésticos. atendimento à professores. bactérias. atendimento ao público geral. Fundamento Legal: De acordo com as informações. Realização de aulas práticas da disciplina exterior e raças e julgamento dos animais domésticos. conforme Norma Regulamentadora 16 e seus anexos e Dec. somente os trabalhados nesta situaçãoda do adicional de insalubridade em grau médio.

2 . Luvas em PVC cano longo para limpeza de locais e trato de animais.Consumir água mineral no ambiente de trabalho. 4 .MEDIDAS DE CORREÇÃO PARA O RISCO BIOLÓGICO ADMINISTRATIVA 1 . impedir a existência de água parada.Realizar dedetização em torno dos estábulos.Implantar o PPRA NR 9. 8 . 4 .EPI No contato com animais: 1 . 9 . 10 .Orientar para quando apresentar sintomas da doença. 5 . 6 . após a lavagem passe álcool iodado. Evite esmagá-los. 3 . meias compridas e botas. Jaqueta em PVC.Usar conjunto de Calça e Botas em PVC (jardineira) com suspensório. querosene ou removedor de unha que podem ajudar na contaminação.Orientar que examinem as roupas e a pele.Use uma pinça e nunca as mãos para remover os carrapatos.Elaborar o PCMSO e fazer acompanhamento através do ASO. 3 . Guarde o carrapato vivo dentro de um frasco de vidro identificado com a data. currais. 2 . para que as bactérias que estão no interior do carrapato não entrem em contato com a pele.Orientar para limpeza das mãos e desinfecção de equipamentos durante os trabalhos.Orientar para que não usem gasolina. 64 .Orientar para que lavem suas mãos e a área da picada com água e sabão. 7 .Manter a limpeza constante nos locais de trabalho.Usar roupas claras. sempre quando passarem por locais infestados de carrapatos. bebedouros. EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL . limpar os reservatórios de água. apriscos e aviários. procure de imediato o seu médico para receber o tratamento com antibiótico e entregar o frasco com o carrapato ao seu médico ou no posto de saúde ou ainda à autoridade sanitária do local.Repelentes (devem ser usados sobre a roupa e não sobre a pele). o local da mordida e o tipo de animal que provavelmente carregava o carrapato.

preparo de meios de culturas. gestão comunitária e capital. ativadades designadas pelo reitor. economia regional e do agronegocio. controle do patrimônio. caledário acadêmico. utilização de fungicidas. programação de atividades. planejamento. bactericida. Laboratório de Informática. solicitações dos professores e funcionários. Laboratório Multifuncional. supervisionar as atividades administrativas do campus. limpeza de área para cultivo agrícola. Docencia: atividades em laboratório didáticas Professor e de pesquisas. inventário agroecológico em área de mata primária e secundária utilizando o sistema de informação geográfica. 01 Docência: experimento para análise de viabilidade socio-econômicoambiental para agrotóxicos e insumos agrícolas (campo).administração rural. Laboratório Físico-Química. inseticidas. agentes biológicos. Laboratório de Microbiologia. apoia a coordenaçãodos cursos e de pós-graduação. Gabinetes dos Professores. nematóides e vírus). atendimento ao público. agricultura familiar. pesquisa e extensão. demarcação de área de mata em atividade de georeferenciamento. desenvolvimento agrário na amazônia. controle de pessoal. feromônio. ferramentas e implementos. utilizando máquinas.50 m. urina de animais). montagem e conservação de insetos. Laboratóro Multifuncional e predio em construção. formicida. recomendação de adubação química (calcário dolomítico. Composto por: Setor administrativo. forro de laje maciça e telha galvanizada e iluminação natural e artificial. Gerenciamento da parte acadêmica. Administrar o recebimento e envio de documentos da ufra. identificação de 01 insetos. levantamentos socio-econômico-ambiental das comunidades da região. financeiros e material). planejamento de atividades de expansão e de recursos (pessoais. controle de pessoal. Sala da Direção. gerenciamento de atividades internas e externas. buscar parcerias com outras instituições públicas e privadas. Área tecnológica: demarcação de área de mata e em área desmatada em levantamento topográfico. ventilação natural e artificial: ventilador e ar condicionado e com pé direito de 3. acaricidas. sociologia e extensão rural. empreendedorismo rural. Anexo composto por 2 alojamentos. cupinicida. herbicidas). Cargo Quant. utilização de defensivos agrícolasnas áreas de cultivos das culturas (fungicidas. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Campus Paragominas Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. bactérias. Extensão rural: aulas práticas de campo em áreas de capoeira(matas primárias e secundárias) na zona rural do municipio. Atividades Supervisionar as atividades de ensino. economia da produção. piso cerâmico emborrachado. Laboratório Multidisciplinar. herbicida. isolamento de (Diretor) microorganismos (fungos. coleta em campo de propágulos. secretária acadêmica e copa. acompanhar e solicitar andamento das obras e outros serviços executados na udpar.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. como adubação alternativa. uréia. nematicidas. política e legislação. fosfato natural) no cultivo de culturas anuais e perenes na zona rural do municipio. Laboratório Microbiologia. acaricidas. divulgação e informação. levantamentos de cadeias produtivas das atividades agropecuárias da região. Professor (Vice-diretor) 01 Professor (Gerente Administrativo) 65 . utilização e residuos orgânicos (fezes.

levantamento de indústrias de base florestal: serraria. os demais produtos não são utilizados em quantidades suficientes para gerar concentrações. conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. inventário deresiduos florestais. efetuar a matrícula dos alunos. raízes. que caracterizará a atividade como tal. CONCLUSÃO Fundamento Legal: Conforme avaliação no ambiente de trabalho. Com relação à periculosidade. Portanto. conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos. fertilizantes. os trabalhadores informaram a relação de produtos químicos da qual não consta o produto formaldeído. Manuseio de material vegetal (folhas. análise tremo-física de biomassa vegetal em bomba adiabática. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição. Ensino. mediar a relação entre o docente e o discente. emitir o comprovante de matrícula dos alunos devidamente matriculados. não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. compostos orgânicos. inventários de biomassa). Risco Biológico: Não é o que consideramos insalubre. Área tecnológica: participações em projetos de pesquisas realizando análises como: Análise microbiológica e físico-química. concluímos que as atividades são consideradas salubres. os trabalhadores não fazem jus ao adicional de insalubridade e periculosidade. planejar a distribuição da carga horária dos docentes lotados na udpar em conjunto com a gerência acadêmica. operações com trator na floresta. biossólidos e agrotóxicos. que cause dano à saúde do trabalhador. relacionados com a natureza e o tempo de exposição ao agente. levantamento de produtividade de carvoaria (levantamentos e indices técnicos eventualmente). análise de extrativis vegetais utilizando métodos. Atividades no laboratorio multifuncional – solos Realizar análise de água.para desenvolver atividade de docência e de pesquisas (eventualmente dependendo de projetos). Embora. Portanto.412. possa ser insalubre. exercer outras atividades que lhe forem atribuídas pela direção. extração de madeireira. Ensino. material lenhoso em geral). e outros não são relacionados na NR 15. 93. é preciso que a atividade esteja prevista na relação oficial elaborada pelo Ministério do Trabalho para atribuir a insalubridade. 66 . efluentes. a legislação é que estabelece quais os agentes considerados nocivos à saúde. conforme Norma Regulamentadora 16 e seus anexos e Dec. não existem agentes químicos. encaminhar à gerência acadêmica o mapa de notas das disciplinas no final de cada período letivo. pesquisa e extensão Levantamento de recursos florestais tanto em atividades da docência (como aulas práticas) quanto projetos de pesquisas (inventário florestal. Professora Articular junto a proen a possibilidade de capacitar os docentes através de (Coordenadora) 01 cursos que visem a melhoria do ensino na educação de nível superior. visita a campo em propriedades de criação de grandes animais (bovinos) para avaliação do sistema de produção. água fria e quente (100º c).Elaborar o projeto político pedagógico do curso (ppc). pesquisa e extensão Extensão rural: aulas práticas de campo em áreas de criação de animais na zona rural do municipio. solo. Portanto. madeiras. durante sua jornada de trabalho. manter o diálogo com o gerente acadêmico a fim de priorizar as necessidades que visem a melhoria do ensino da ufra-udpar. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Professora(a) 01 Fitoenergia: manuseio de equipamentos como estufas de ventilação e forno murflacom temperatura variando entre 100º c a 950º c. recomendação de Professor(a) 07 propriedade rural de manejo de criação de grandes animais (bovinos e bubalinos). planta. frutos. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho.

piso cerâmico. ANÁLISE QUALITATIVA Risco Químico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Laboratório de Informática. durante sua jornada de trabalho. galpão. conforme Norma Regulamentadora 16 e seus anexos e Dec.IDENTIFICAÇÃO DO LOCAL. Risco Biológico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. CARGOS E ATIVIDADES SETOR: Campus Capitão Poço Descrição do ambiente: Edificação em alvenaria. constatou-se que não existem agentes químicos. constatou-se que não existem agentes físicos que atinjam os limites máximos de exposição. CONCLUSÃO Fundamento Legal: Conforme avaliação no ambiente de trabalho. Responsável pela operacionalização do Campus. conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos. Professor 01 Ministrar disciplina de máquinas e motores. constatou-se que os agentes biológicos não se apresentam com a natureza considerados pela legislação como insalubres. concluímos que as atividades são consideradas salubres. Professor/Diretora 01 Supervisionar a área administrativa do Campus. Portanto. Risco Físico: Conforme avaliação realizada no ambiente de trabalho. Professor 01 Ministrar disciplina de ecologia. Atividades Professor assistente/ Atuar na administração do Campus e realizar dissecação de 01 Gerente academico aminais. Professor/Coordenador Atuar em pesquisas e socio-econômicas e coordenar o curso de 01 técnico engenharia agronômica. Composto por: Administração com 700m² aproximados. realizar controle Engenheiro agronômo/ funcionários e de aulas práticas. Sala dos Professores. manipular Professor 05 adulbo químico e orgânico. Com relação à periculosidade.412. extensão e experimentos de campo. os trabalhadores não fazem jus ao adicional de insalubridade e periculosidade. inseticida e herbicida. Almoxarifado e Predio em construção. que cause dano à saúde do trabalhador. relacionados com a natureza e o tempo de exposição ao agente. forro de PVC e metálico e telha cerâmica tipo plan e iluminação natural e artificial e com pé direito de 3. estufa e casa de vegetação. realizar construção de cercas elétrica.00 m. Orientar pesquisa. 67 . Cargo Quant. preparar amostras e soluções 01 Gerente administrativo para as aulas práticas do Campus e manipular máquinas agricolas para a manutenção do Campus e aplicar perticidas e adulbos. Dormitório (casa de apoio). não foram encontradas condições para o enquadramento de atividade e operações perigosas. 93.

812.A-06.10 Equipamento: Dosímetro Digital Fabricante: Extech Modelo: 407355 Data da Calibração: 11/10/2010 Número Certificado: 25665/10 METODOLOGIA NHO-06 da FUNDACENTRO NHO-02 da FUNDACENTRO NH0-01 da FUNDACENTRO 68 .II Data da Calibração: 14/06/2010 Número Certificado: 40.EQUIPAMENTOS DE AVALIAÇÃO QUANTITATIVA Equipamento: Termômetro de Globo Digital Fabricante: Extrch (USA) Modelo: HT30 Data da Calibração: 12/12/2009 Número Certificado: 12362/2009 Equipamento: Bomba de Amostragem Marca: Sensidyne Modelo: GilAir BDX .

pesquisa e ensino. Grau médio seus derivados. NR 15 Anexo 3 PROEN Grau médio Divisão Qualidade de Vida. Todos que fazem contato habitual com animais Insalubridade Campus Parauapebas NR 15 Anexo 14 silvestres de origem Grau médio desconhecida. Todos que manuseiam animais com zoonoses ou de origens Insalubridade Todos Laboratórios do ISPA NR 15 Anexo 14 desconhecidas. Psicólogas Insalubridade Saúde e Segurança/ NR 15 Anexo 14 Assistentes Sociais. Grau máximo Instituto de Saúde e Produção Todos que manipulam formol Insalubridade NR 15 Anexo 11 Animal .412 de 1986 69 . Periculosidade NR 16 Anexo Todos que fazem contato com Insalubridade Bloco Cirúrgico NR 15 Anexo 14 animal. Periculosidade NR 16 Anexo 2 AGE Instituto de Ciências Agrárias . NR 15 Anexo 14 Grau médio limpeza. Grau máximo Todos que fazem contato Curral. Grau máximo Hospital Veterinário Todos que fazem contato com Insalubridade NR 15 Anexo 14 (serviço médico veterinário) animal. NR 15 Anexo 14 (Sede e Feiga) Grau médio limpeza. Grau máximo Instituto Ambiental e Todos que manipulam formol Insalubridade NR 15 Anexo 11 Recursos Hídricos .Todos que manipulam formol Insalubridade NR 15 Anexo 11 ICA nas condições definidas. Decreto Federal Prefeitura Engenheiro Eletricista Periculosidade 93. pesquisa e ensino. Apriscos e Aviários Insalubridade habitual para trato animal. Insalubridade Canil e Gatil/ ISPA NR 15 Anexo 14 manutenção e limpeza. Grau máximo Todos que fazem contato Insalubridade Projeto Carroceiro habitual para trato animal. Grau médio PROPLAGE Divisão de Todos que manipulam botijão Periculosidade NR 16 Anexo 2 Almoxarifado/PROPLAGE de GLP.TABELA RESUMO DOS CASOS DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE DA UFRA Setor Função/Atividade Enquadramento Fundamento Refeitório da Universidade Insalubridade Todas funções da cozinha. Grau máximo Insalubridade Radiologia Médicas Veterinárias. Carpintaria/Prefeitura/PROPL Insalubridade Todas funções. NR 15 Anexo 1 AGE Grau médio Que executam manutenção Decreto Federal de Elétrica/Prefeitura/PROPLAGE Periculosidade em sistemas elétricos. NR 15 Anexo 14 Grau máximo Radiologia Médicas Veterinárias. bem como. pesquisa e ensino. NR 15 Anexo 13 Grau médio Transportes/Prefeitura/PROPL Gerente. Todos que fazem contato Insalubridade CPCOP habitual para trato animal. NR 15 Anexo 14 GE Grau máximo Insalubridade Pintura/Prefeitura/PROPLAGE Todas funções.ISPA nas condições definidas. Todos que fazem remoção. NR 15 Anexo 14 Grau máximo limpeza. 1986 Hidráulica/Prefeitura/PROPLA Insalubridade Todas funções.ISARH nas condições definidas.

70 . b) com a utilização de equipamento de proteção individual. será apenas considerado o de grau mais elevado. NR 15.4 A eliminação ou neutralização da insalubridade determinará a cessação do pagamento do adicional respectivo.3 No caso de incidência de mais de um fator de insalubridade. sendo vedada a percepção cumulativa. A eliminação ou neutralização da insalubridade deverá ocorrer: a) com a adoção de medidas de ordem geral que conservem o ambiente de trabalho dentro dos limites de tolerância.DEFINIÇÕES LEGAIS NR 15. para efeito de acréscimo salarial.

LOCAL E ASSINATURA DO RESPONSÁVEL TÉCNICO Local: Belém.QUALIFICAÇÃO DO RESPONSÁVEL TÉCNICO Shirley Raquel de Oliveira Engenheira de Segurança do Trabalho Crea-RJ 2003106286 DATA. Pará Data: 05 de Abril de 2011 Shirley Raquel de Oliveira Engenheira de Segurança do Trabalho Crea-RJ 2003106286 71 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful