HIV e infertilidade

Autores: Carlos Armando Amade, MD Maria del Carmen B. Eldidy, Psiquiatra António Jara, Estudante Cruz António Tavares, Estudante Hassan Gulamo, Estudante José Júlio Sizola, Estudante Mariana da Graça Augusto, Estudante

Seja lá o que fizer, meu filho, “faça sua vida valer para nós... “Vozes ouvidas num navio que transportava escravos da África para outros continentes” (FORD, 1999, p. 29)

HIV
 Maior prevalência de HIV em mulheres que não tiveram filhos nos últimos 3 anos (14.8%, INSIDA 2009)  Gravidez como factor protector (10.1%)!?  Combate deve basear-se na cultura

Infertilidade  Cruza os domínios médicos individuais e colectivos nas comunidades actuais  Prevalencia nos casais nos EUA: 10 a 15% depois de 1 ano 7.5% depois de 2 anos  Cinturão da Infertilidade (centro e sul de África): 25%  Não é considerada problema de saúde pública .

Infertilidade  HIV causa infertilidade (efeito directo)  Relação com infecções ginecológicas .

Pergunta • O contrário acontece?  Não será que. numa sociedade com tradições pró-natalistas. deixando-se levar pela pressão social. os casais inférteis correm mais risco de ter HIV? .

 Terceira: estudo coorte .Fases do estudo  Primeira: medir a prevalência de infecção por HIV em mulheres com infertilidade no Centro de Saúde de São Lucas.  Segunda: Pesquisa Operacional nas unidades sanitárias da província de sofala.

Primeira fase  Objectivo: avaliar a prevalência de infecção por HIV em mulheres com infertilidade no Centro de Saúde de São Lucas. .

.  Seropositivo (infecção por HIV): teste serológico positivo para anticorpos de HIV (teste determine e unigold).Definição de caso:  Infertilidade: Incapacidade para conceber depois de um ano de relações sexuais regulares e desprotegidas (casado).

.Metodologia  Estudo transversal  Quantitativo  Periodo estudado: Junho de 2009 a Dezembro de 2012.  Decurso do estudo: Marco a Junho de 2013.

 Controles: mulheres das CPN que foram atendidas no mesmo período (uma página mensal no livro de registo) .População do Estudo  Casos: todas pessoas inférteis atendidas entre Junho de 2009 a Dezembro de 2012 que tiveram os critérios de inclusão.

Critérios de inclusão  Diagnóstico correcto de infertilidade documentado  Pelo menos um resultado de teste de HIV registado .

. ao lado da Faculdade de Ciências de saúde da UCM  Centro de Saúde tipo II  Usado para treinamento dos estudantes  Trabalham médicos generalistas  Atende pessoas dos arredores e outros bairros  Oferece consultas gerais e actividades de SMI e PAV.Âmbito de Investigação  Centro de Saúde de São Lucas:  Localizado no bairro de Palmeiras 2.

Considerações Éticas  Estudo observacional  Sigilo no manejo da informação  Não submetido ao comité de ética .

RESULTADOS ENCONTRADOS .

3 .336 pacientes atendidos nas consultas externas. 276 tiveram diagnóstico de infertilidade 0.Peso das consultas de infertilidade  Dos 42.7 Percentagem do peso da infertilidade Infertilidade Outras patologias 99.

apenas 84 tinham critérios de inclusão Erro de diagnóstico Teste de HIV não feito Com critérios de inclusão Total 11 110 84 276 Gráfico da percentagem dos grupos de pacientes segundo criterios de inclusão Processo nao localizado teste de HIV nao feito Erro de diagnostico Com criterio de inclusao 30% 26% 4% 40% .Inclusão dos pacientes Estado do processo avaliado Processo não localizado Frequência 71 • Dos 276 pacientes atendidos por infertilidade.

Hábito de testagem • Testados 84 dos 194 doentes que tinham diagnóstico correcto de infertilidade Testagem dos pacientes (percentagem) 43 57 Feito Nao feito .

Sexo do paciente • Feminização da infertilidade: culpa social (261 mulheres e 15 homens) Percentagem de pacientes atendidos segundo o sexo 5% Masculino Feminino 95% .

1% Total inférteis 84 34 40.6% 57.5% .6%) População Testados Positivos Percentagem Mulheres inférteis Consultas pré-natais Homens inférteis 77 325 7 30 67 4 39% 20.Positividade comparativa  Positividade superior em mulheres inférteis (39%) comparada as CPN (20.

15 = 2.21 = 1.39 / 0.Risco Teste de HIV Total 47 258 77 325 Positivo Mulheres inférteis Mulheres nas CPN 30 67 Negativo  Prevalência de HIV em pessoas com infertilidade Risco 1 = 30 / 30+47 = 30 / 77 = 0.1 47 / 47+258 47 / 305 .9 67 / 67+258 67 / 325  Prevalência de infertilidade em pessoas seropositivas e seronegativas Risco 2 = 30 / 30+67 = 30 / 97 = 0.31 / 0.

6 Mulheres nas consultas de infertilidade Mulheres nas Consultas Pre-Natais .Gráfico comparativo da positividade Positividade de testes de HIV (em percentagem) 100 90 80 70 Percentagem (%) 60 50 40 30 20 10 0 39 20.

1 39 Mulheres Homens .Positividade de homens e mulheres Positividade entre homens e mulheres 100 90 80 70 Perecentagem (%) 60 50 40 30 20 10 0 57.

Discussão  Infertilidade: factor de risco ou consequência?  As duas opções valem .

.São Lucas é baixa.  A testagem para HIV como um método de rastreamento no C.S.CONCLUSÕES  Frequência de infecção por HIV em mulheres inférteis muito superior as CPN  Mulheres inférteis precisam de mais atenção nos programas de combate ao HIV  Deve existir cuidado no uso de CPN como pontos sentinela na monitoria da prevalência de HIV  Mulheres são as que mais procuram ajuda médica.

LIMITAÇÕES  Estudo transversal somente pode ser calculada a prevalência (sem causalidade)  Informação incompleta nos livros de registro e nos processos clinicos  Falta de hábito de testagem em HIV aos pacientes por parte do pessoal clínico  Falta de especificacao da infertilidade  Amostragem pequena que pode mascarar a real situação .

 No registo dos pacientes do C. exemplo coorte.  Os médicos especifiquem o tipo de infertilidade nos processos clínicos . para avaliar a relação causal entre infertilidade e HIV  Que o INSIDA inclua este ítem nas próximas fases  Que os programas de combate ao HIV tenham mais atenção aos casais com infertilidade  Que o C.S.Sugestões  Que seja feito um estudo de incidência.São Lucas exista lugar para registar o teste de HIV dos pacientes.São Lucas reforce a testagem para HIV das mulheres que referem infertilidade.S.

Obrigado  Se a dor da infertilidae é como luto recorrente por perder ente-queridos e  O HIV leva a uma luta exigente  Imagina ter as duas situações!!!! .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful