Você está na página 1de 27

DOENÇAS BACTERIANAS

 Doenças bacterianas incluem


qualquer tipo de doença causada por
bactérias. As bactérias são um tipo de
microorganismo, que são formas
minúsculas de vida que só pode ser
visto com um microscópio. Outros
tipos de microorganismos incluem
vírus, alguns fungos e alguns
parasitas.
 As Bactérias são agentes
etilógicos de diversas doenças.
Os micoplasmas são bacterias
que causam um tipo de
pneumonia , mas há outros 2
grupos muitos particulares de
bacterias, as Riquétsias e as
Clamídias que são parasitas
intracelulares obrigatórios.
A seguir, apresentaremos algumas
doenças do ser humano causadas por
bactérias. Essas doenças podem ser
tratadas com antibióticos , que deve ser
feito sob rígido controle médico.
BOTULISMO
O botulismo é uma forma
de intoxicação alimentar rara mas
potencialmente fatal, causada por
uma toxina produzida
pela bactéria Clostridium botulinum,
presente no solo e em
alimentos contaminados e mal
conservados.
SINTOMAS:
O diagnóstico clínico é feito pelos
sintomas: paralisia muscular progressiva,
iniciando-se pela face, ptose palpebral
(fecha o olho), dificuldade de deglutição e
visão dupla. Os sintomas progridem pela
musculatura, causando dificuldade motora
e de respiração. Os sintomas podem se
confundir com doenças nervosas e
diversas intoxicações, como por
pesticidas, o que às vezes retarda o
tratamento.
PREVENÇÃO:
 não oferecer mel ao bebê com menos de 1 ano
de idade;
 não consumir alimentos enlatados cuja
embalagem esteja danificada, com a tampa
estufada ou enferrujada;
 não consumir alimentos industrializados que
apresentem líquido ou vidro turvo.
VACINA:

Infelizmente ainda não foi descoberta a


vacina contra o butolismo humano, mas
somente contra o butolismo bovino.
CRIANÇA DE 14 ANOS COM BOTULISMO:
(PTOSE PALPEBRAL)
CÓLERA
 Doença causada pela bactéria Vibrio cholerae,
vulgarmente conhecido como Vibrião colérico.
 O vibrião colérico é eliminado juntamente com
as fezes da pessoa doente.
 Essa bactéria sobrevive até duas semanas fora
do corpo humano. Não havendo um tratamento
adequado do esgoto, as fezes contaminadas
entram em contato com a água dos rios ,lagos
e mares onde o vibrião consegue sobreviver.
A transmissão é fecal-oral e se dá
através da água e de alimentos
contaminados pelas fezes ou pela
manipulação de alimentos por pessoas
infectadas, sejam elas sintomáticas ou
não. Já foram registrados casos em que
peixes, frutos do mar, como ostras e
mexilhões, crus ou mal cozidos, e gelo
fabricado com água não tratada foram
veículos de transmissão da doença. A
enfermidade é de notificação compulsória
às autoridades de saúde.
SINTOMAS:
 Cólicas abdominais
 Membranas das mucosas ou boca seca
 Pele ressecada
 Sede em excesso
 Olhos fundos ou olhar vago
 Falta de lágrimas
 Náusea
 Desidratação rápida
 Pulso rápido (frequência cardíaca)
 "Pontos macios" afundados (fontanelas) em bebês
 Sonolência incomum ou cansaço
 Vômitos
PREVENÇÃO:
- Lave bem as frutas e vegetais antes de comer;
- Coma alimentos bem cozidos, principalmente
verduras e mariscos;
- Descasque frutas e vegetais;
- Tome precauções com relação a alimentos
derivados do leite, como queijos e sorvetes;
- Deposite o lixo em lugares adequados;
- Proteja os alimentos depois de cozidos;
VACINAS:
 Asvacinas disponíveis contra a
cólera oferecem proteção relativa e
de curta duração. Por isso, não são
aplicadas rotineiramente na
população.
COQUELUCHE:
 Coqueluche é uma doença bacteriana altamente
contagiosa que causa tosse incontrolável e
violenta. A tosse pode dificultar a respiração.
 Coqueluche, é uma infecção respiratória do trato
superior causada pela bactéria Bordetella pertussis.
É uma doença grave que pode causar
incapacidade permanente em crianças, e até
mesmo a morte.
 Quando um indivíduo infectado espirra ou tosse,
pequenas gotículas contendo bactérias se
espalham pelo ar, e a doença é facilmente
transmitida de pessoa para pessoa.
 os sintomas não são óbvios, a coqueluche pode
ser difícil de ser diagnosticada. Em crianças muito
pequenas, os sintomas podem ser causados por
pneumonia.
 Para saber com certeza, o médico pode pegar
uma amostra de muco das secreções nasais e
enviar ao laboratório que realiza exame para
coqueluche. Como esse procedimento é capaz de
oferecer um diagnóstico preciso, o exame pode
levar algum tempo e o tratamento geralmente
começa antes que os resultados estejam prontos.
 Ligue para a emergência ou vá ao pronto
socorro se a pessoa apresentar qualquer
um dos seguintes sintomas:

 Pele azulada , que indica falta de oxigênio


 Períodos de respiração interrompida

 Ataques ou convulsões

 Febre alta

 Vômito persistente

 Desidratação
PREVENÇÃO:
A prevenção da coqueluche deve ser feita
através da vacinação – método
seguramente eficaz na proteção contra a
doença. De acordo com o Ministério da
Saúde, a administração da primeira dose é
indicada a partir do segundo mês de vida
do bebê, enquanto as demais devem ser
tomadas aos quatro e seis meses de idade.
VACINAS:
 Apesar de a vacina contra coqueluche não
oferecer proteção permanente, é indispensável
vacinar as crianças.
 A vacina tríplice clássica (DPT) contra difteria,
coqueluche (pertussis) e tétano faz parte do
Calendário Oficial de Vacinação do Ministério da
Saúde e deve ser ministrada aos dois, quatro e
seis meses de idade, com doses de reforço aos
15 meses e aos 5 anos. Embora a imunização
dure cerca de dez anos, essa vacina não deve ser
aplicada depois dos seis anos de idade.
DIFTERIA:

A difteria ou crupe é uma doença


infectocontagiosa causada pela toxina
do bacilo Corynebacterium, que provoca
inflamação e lesão em partes das vias
respiratórias
(amígdalas, faringe, laringe, traquéia,
brônquios, nariz) e, às vezes, da pele.
SINAIS E SINTOMAS:
 Dor e inflamação de garganta;
 Febre de 38 a 40°C;
 Dificuldade de respirar;
 Tosse;
 Cansaço;
 Catarro;
 Manchas vermelhas na pele;
 Dificuldade e dor ao engolir;
 Dor de cabeça;
 Náusea.
PREVENÇÃO:

A vacina tetravalente, tríplice ou dupla


bacteriana é a forma mais eficaz de
prevenção contra a difteria.
VACINAS:

 Atualmente já está disponível a vacina


contra a difteria, que é muito eficaz. Pelo
qual faz parte do Programa Nacional de
Vacinação, integrada na vacina DTP
(Difteria-Tétano-Pertussis).
COMPONENTES: