Você está na página 1de 10

19.08.

2016
NOTITICIA CRIMINIS (Art. 5º, II e §§ 3º e 5º, do CPP)
Notitia Criminis : “Fase preliminar do inquérito policial “(Fernando
Capez)

a) COGNIÇÃO IMEDIATA: A autoridade tem conhecimento do fato por


meio:
-Da Vítima ou do comparsa do agente;
-Delação Anônima (notitia criminis inqualificada) ou da;
-Delatio Criminis (qualquer cidadão – Ação Penal Pública).
b) COGNIÇÃO MEDIATA: Ocorre quando a autoridade policial sabe do
fato por meio de :
-Requisição da vítima ou de seu representante,
-Requisição de autoridade judiciária ou do MP,
-Mediante representação.
c) COGNIÇÃO COERCITIVA: Ocorre no caso de prisão em flagrante, em
que a notícia do crime dá-se com a apresentação do autor do fato.
INQUÉRITO POLICIAL – CARACTERÍSTICAS
- ESCRITO: (art. 9, CPP)
- SIGILOSO: Não cabe o principio da publicidade.
- OFICIAL: Somente entes estatais incumbido da ação penal podem
instaurar o inquérito policial.
- DISPENSÁVEL: Ação existirá se não houver inquérito.
- INDISPONÍVEL: Só o Juiz pode arquivar o inquérito.
- INQUISITIVO: Não ha devido processo legal, nem contraditório e
nem ampla defesa.
FORMAS DE INSTAURAÇÃO
1) DE OFICIO: A própria autoridade instaura o inquérito por si só.
2) MEDIANTE REPRESENTAÇÃO DO OFENDIDO: Crime de ação penal
publica condicionada a representação.
3) MEDIANTE REQUERIMENTO DO OFENDIDO: Crime de ação penal
privada.
4) REQUISIÇÃO DO MINISTRO DA JUSTIÇA: Crime de ação penal
publica condicionada a requisição.
5) REQUISIÇÃO DO MINISTÉRIO PUBLICO OU DO JUIZ:
- Art. 5°, inciso II, do CPP, nos crimes de ação pública.

6) MEDIANTE AUTO DE PRISÃO EM FLAGRANTE:


- Artigo 302, CPP.
TIPOS DE FLAGRANTES
a) PRÓPRIO OU REAL: Ocorre no momento do crime ou em perseguição
logo após o cometimento do crime.
 Art. 302, incisos I e II, CPP;
b) IMPROPRIO: Ocorre quando a prisão é feito por presunção após
perseguição;
 inciso: Art. 302, III, CPP;
c) FICTO (PRESUMIDO): Ocorre quando a pessoa é presa com os objetos
que o conectam ao crime.
 Art. 302, inciso IV, CPP.
“Momento em que a autoridade policial encontra indícios suficientes de
autoria passando então a atribuir aquela pessoa indiciada a possível
autoria do fato”.

INDICIAMENTO DO MEMBRO DO MP: (Não)

- Se MP praticar um crime, delegado não pode instaurar, devera remeter


ao procurador geral.

INDICIAMENTO DO MENOR: (Não)

- Menor não pratica crime, pratica ato infracional.


QUEIXA-CRIME - art. 41, CPP
“Peça inaugural nos crimes de ação penal privada, em que o próprio
ofendido, ou quem tiver qualidade para representá-lo”.
 PRAZO DECADENCIAL:
06 (seis) meses, contados da seguinte forma:
a) NO CASO DE AÇÃO PENAL PRIVADA E AÇÃO PENAL PÚBLICA
CONDICIONADA À REPRESENTAÇÃO: da data em que o ofendido veio
a saber quem é o autor do crime;
b) NOS DEMAIS CASOS: do dia em que se esgota o prazo para o
oferecimento da denúncia.
 ENDEREÇAMENTO: Perante ao juíz, nunca ao MP ou Delegado de
Polícia.
 LEGITIMADO: O ofendido.
OBS: Ofendido menor de 18 anos, a queixa deverá ser oferecida por
seu representante legal (pais, tutores, curadores).
DENÚNCI A - (ART. 24, CPP)

CONCEITO

“Nome da petição inicial da ação penal pública, ou seja, aquela


promovida pelo Ministério Público.

FORMALIDADES

- Conterá a descrição dos fatos em todas as suas circunstâncias,


deve ser a descrição clara possibilitando a ampla defesa.

- As omissões serão supridas até antes da sentença (art. 569,CPP).

- No momento da propositura da Ação, os autores devem especificar


as provas a serem produzidas (art. 399, CPP)