Você está na página 1de 27

Ácidos:

Aplicações na Estética

Prof. Roselene Kroth


Alfa-Hidroxiácidos
 São ácidos que possuem em sua estrutura um grupo
hidroxila (-OH) e um grupamento carboxila (-COOH)
e são encontrados naturalmente em alimentos, mas
principalmente na frutas.

Ácido Glicólico
Alfa-Hidroxiácidos
• São utilizados desde 1974 para tratamento da
ictiose (pele ressecada e escamosa).

• Utilizados largamente pela Dermatologia como


agente de descamação (peeling) como emoliente.

• Estes ácidos tem sido usados para tratamento de


xerose, acne, queratoses seborreicas e actínicas,
verrugas, prevenção do envelhecimento extrínseco e
intrínseco da pele e atrofia causada pelo uso tópico
de glicocorticóides.
Caderno de Farmácia, v. 15, n. 1, p. 7-14, 1999
Principais AHAs de uso em cosméticos:
Ácido Fonte Cosméticos Peeling Médico
Glicólico Cana-de-açúcar Até 10% 30 a 70%
Lático Leite Até 10% 30 a 70%
Mandélico Amêndoas Até 10% 30 a 50%
Málico Maçã Até 10% -
Tartárico Vinho Até 10% -
Cítrico Frutas cítricas Até 10% -
AHAs – Ação e Fatores Determinantes:
A ação dos AHAs depende de alguns fatores:
Veículo
Concentração
Estrutura molecular
pH
Tempo de exposição
Condição da pele
AHAs – Ação e Fatores Determinantes:
 Veículo: soluções aquosas penetram mais
rapidamente pelo estrato córneo. Glicerina e
propilenoglicol presentes na formulação aceleram a
permeação dos AHAs. Géis são menos irritantes.

 Concentração: varia de acordo com a profundidade


do peeling. A utilização de AHAs e seus derivados deverá
ter sua concentração máxima permitida em produtos
cosméticos, limitada a 10%
AHAs – Ação e Fatores Determinantes:
Estruturas Químicas e Peso Molecular

Ácido Lático Ácido Cítrico


Ácido Glicólico Peso molecular : 192
Peso molecular: 76 Peso molecular : 90

Ácido Málico Ácido Mándélico Ácido Tartárico


Peso molecular : 134 Peso molecular : 152 Peso molecular : 150
AHAs – Ação e Fatores Determinantes:
 pH (Potencial Hidrogeniônico): indica a acidez, a
neutralidade ou alcalinidade de uma solução ou produto.

 A atividade dos AHAs está diretamente relacionada ao valor de


pH e que precisam estar na forma ácida para serem eficazes na
promoção da esfoliação e renovação celular da pele.

 Em pH acima de 5, os AHAs estão, em geral, na forma ionizada


(sal), a exemplo do ácido glicólico que nesta condição
encontra-se em torno de 94% na forma de íon glicolato.

ANVISA. Parecer Técnico nº 7, de 28 de setembro de 2001 - CETEC


AHAs – Ação e Fatores Determinantes:
 Condições da pele: queratinização,
sensibilidade, oleosidade e talangectasias.

 Tempo de exposição: varia de acordo com as


características da pele.
Mecanismo de Ação dos AHAs
 As interações dos AHA com materiais biológicos como a
pele, podem ocorrer através de seus grupos funcionais:

ácido carboxílico =

hidroxila alcóolica = OH

Caderno de Farmácia, v. 15, n. 1, p. 7-14, 1999


Mecanismo de Ação dos AHAs
Na pele humana intacta,
o estrato córneo
consiste de 14 a 30
camadas de
corneócitos, os quais
produzem uma barreira
eficiente contra a
penetração de
moléculas maiores.

Caderno de Farmácia, v. 15, n. 1, p. 7-14, 1999


Mecanismo de Ação dos AHAs
Foi demonstrado que baixas concentrações de AHA reduzem a
coesão dos corneócitos do estrato córneo:

 Por interferir com a ligação iônica intercelular.

 O pH ácido induzido nas camadas externas do estrato córneo,


pelo tratamento com AHA durante várias horas, poderia romper
estruturas que mantêm as células epidérmicas unidas.

Caderno de Farmácia, v. 15, n. 1, p. 7-14, 1999


Mecanismo de Ação dos AHAs
 Os AHAs promovem um aumento da hidratação do estrato
córneo através das propriedades umectantes.

 Paralelamente a pele torna-se mais flexível e menos vulnerável


a rachaduras superficiais da camada córnea, fragilidade cutânea
e descamação por uma verdadeira melhora na elasticidade do
estrato córneo.

Caderno de Farmácia, v. 15, n. 1, p. 7-14, 1999


AHAs nos Tratamentos Estéticos
 Os AHAs são utilizados em diversos casos de tratamento
tópico, mas na estética são aplicados especialmente
em:
 Tratamento de pele acneica
 Tratamento de hipercromias
 Tratamento de fotoenvelhecimento
 Tratamento de Estrias
AHAs – Tratamento da Pele Acneica
 Embora a acne resulte de fatores múltiplos, acredita-se que um
padrão anormal de queratinização seja um dos fatores mais
importantes no seu desenvolvimento.

 AHA são utilizados no tratamento da acne devido à capacidade


dos mesmos em diminuir a coesão dos corneócitos em baixas
concentrações e provocar separação dos queratinócitos e
epidermólise em concentrações mais elevadas.

Caderno de Farmácia, v. 15, n. 1, p. 7-14, 1999


AHAs – Tratamento da Pele Acneica

 Uma regressão da acne é observada aproximadamente após


três a quatro semanas de aplicação diária de AHA.

Caderno de Farmácia, v. 15, n. 1, p. 7-14, 1999


AHAs – Tratamento do
Fotoenvelhecimento
Características do
Fotoenvelhecimento:

Aumento do TEWL
Flacidez tegumentar
Alterações na
produção de
melanina
Aumento dos radicais
livres
An Bras Dermatol. 2009;84(3):263-9.
AHAs – Tratamento do
Fotoenvelhecimento
 Baixas concentrações de AHA (5 % a 10 %) parecem ser
relativamente efetivas na redução de sintomas da pele
envelhecida resultantes da exposição solar e de outros fatores
ambientais.

 Os AHA diminuem a espessura do estrato córneo hiperqueratótico.


 Induzem à síntese de mucopolissacarídeos e colágeno na pele.
 Impedem, parcialmente, a atrofia epidérmica, mudanças citológicas
e diminuição na síntese de glicosaminoglicanos.
AHAs – Tratamento da
Hiperpigmentação da Pele
 Dispersão dos grânulos de
melanina;
 Esfoliação da epiderme;
 Otimização da permeação
de ativos despigmentantes
na pele;
 Ácido glicólico – indicado
para fototipos de pele I, II
e III.
 Ácido mandélico - indicado
para todos os fototipos de
pele.
AHAs – Tratamento de Estrias
 Estrias novas e antigas;
 Esfoliação do estrato córneo – estímulo na produção de
novas células epidérmicas e fibras colágenas;
 Associação com vitamina C (estímulo de fibroblastos);
 Associação com ácido hialurônico.
Polihidroxiácidos
GLUCONOLACTONA

 Renovador celular com eficácia comparável aos AHA´s


tradicionais;
 Anti-irritante - pode ser usado mesmo em peles mais
sensíveis;
 Hidratante e antioxidante.
Polihidroxiácidos
GLUCONOLACTONA
•Cada grupo de OH
capta um H e forma
moléculas de Água =
H₂O;

•Esta molécula além


Gluconolactona de um esfoliante, é
um potente
hidratante.
Polihidroxiácidos
Gluconolactona – Indicações

 Peles de diversas etnias;


 Peles com acne rosácea e
dermatite atópica;
 Peles sensíveis;
 Peles com
comprometimento da
barreira epidérmica como
hiperqueratose, ictiose,
psoríase, infecções
fúngicas.
Betahidroxiácidos
ÁCIDO SALICÍLICO

 Queratolítico – esfoliante (diminui a


 hipercorneificação);
 Queratoplástico (normaliza o processo de
queratinização assim permitindo que a pele
adquira as suas características normais);
 Antibacteriano.
AHAs – Efeitos Adversos
 Formigamento  Hipopigmentações
 Ardência  Hiperpigmentação
 Irritação  Telangectasias
 Edema  Alterações na
 Prurido textura cutânea
 Lesões oculares  Linhas de
 Reações alérgicas demarcação
 Foliculite/Acne  Sensibilidade ao
sol.
 Herpes recorrente
AHAs – Contra-Indicações
 Fotoproteção inadequada
 Após cirurgia facial recente (2 a 6
meses)
 Herpes ativa
 Uso recente de isotretinoína
 Antecedentes de quelóides
 Lesões pré-cancerigenas
Bibliografia
• ANVISA. Parecer Técnico nº 7, de 28 de setembro de 2001 (atualizado em
16/2/2006)
 Rusenhick C. Microdermoabrasão. In: Borges FS. Dermato-funcional:
modalidadesterapêuticas nas disfunções estéticas. São Paulo: Phorte,
2006.
 An bras Dermatol, Rio de Janeiro, 79(1):91-99, jan./fev. 2004.
 Br J Dermatol, 2008, v.159, n. 5
 Caderno de Farmácia, v. 15, n. 1, p. 7-14, 1999
 An bras Dermatol, Rio de Janeiro, 78(3):265-274, maio/jun. 2003.
 Dermatology Nursing. 2004;16(5)