Você está na página 1de 32

- Nursing Diagnoses: definitions and classification

(NANDA- I)
- 235 DIAGNÓSTICOS

- Nursing Interventions Classification (NIC)


- 554 TÍTULOS DE INTERVENÇÃO DE
ENFERMAGEM COM QUASE 13.000
ATIVIDADES ESPECÍFICAS.

- Nursing Outcomes Classification (NOC)


- 385 RESULTADOS ESPERADOS
Plano de aula
Objetivo geral: o aluno deverá ter noção de como
realizar a análise e organização dos dados coletados
para identificar o diagnóstico de enfermagem e as
normas para a prescrição de enfermagem.

Objetivos específicos: o aluno deverá:


• fazer uma lista de problemas mediante a coleta dos
dados obtidos por meio da anamnese e exame físico;
Plano de aula

• Agrupar os dados (problemas) por necessidades


humanas básicas não satisfeitas;
• Comparar os problemas com a “normalidade”, dos
sistemas;
• Fazer a inferência dos problemas de enfermagem
• Identificar a etiologia do problema de enfermagem
• Ser capaz de descrever o diagnóstico de
enfermagem de risco, real, de promoção a saúde e
de bem estar.
• Compreender as regras para a realização da
prescrição de enfermagem 
Plano de aula

- Estratégias de ensino: exposição dialogada

- Recursos materiais: multimídia e lousa

- Avaliação: questionamentos durante o


desenvolvimento das aulas.
Plano de aula

• Bibliografia
• ANDRIS. ªD etal, Semiologia : Bases para a prática assistencial, trad por Carlos Henrique Consendev coleção
práxis enfermagem, Rio de Janeiro.ed. Guanabara Koogan, 2006.
• CRAVEN, R.F e HIRNLE,C.J. Fundamentos de Enfermagem: saúde e funções humanas. 4 ed. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 2006.
• PORTO, C C;PORTO,A L Exame clínico, 7º ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2013.
COMPONENTES DO PROCESSO DE
ENFERMAGEM

1. COLETA DE DADOS/ HISTÓRICO


2. DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
3. PLANEJAMENTO DA ASSISTÊNCIA
/PRESCRIÇÃO DE ENFERMAGEM
4. IMPLEMENTAÇÃO
5. AVALIAÇÃO / EVOLUÇÃO
Porquê Sistematizar?

Definir – O que fazer


Porquê fazer!

Determinar Quem faz e Como Faz

Descobrir Quando Fazer


2. Diagnóstico de Enfermagem

 É o momento de análise e interpretação


criteriosa de dados para julgar necessidades,
problemas, preocupações / respostas
humanas do cliente.

 A partir dos problemas levantados e já


conhecidos, a enfermeira pode prevê
complicações e agir na prevenção das mesmas
ou no controle, se não for possível
evitá-las.
2. Diagnóstico de Enfermagem

O diagnóstico de enfermagem domínio


da enfermagem, ou seja, que são
solucionadas com atividades que as
enfermeiras tem qualificação legal para
tratar e responsabilizar-se.
É base para o planejamento de
intervenções e acompanhamento da
evolução do estado de saúde do cliente.
2. Diagnóstico de Enfermagem

O raciocínio diagnóstico

• Conhecimentos
• Habilidades
• Experiência
2. Diagnóstico de Enfermagem

PROCESSO DE RACIOCÍNIO
DIAGNÓSTICO

Após a coleta dos dados:


1. Listagem dos problemas
2. Agrupamento dos dados que tem
relação entre si
3. Denominação dos agrupamentos

Diagnóstico de enfermagem
2. Diagnóstico de Enfermagem

Tipos de Diagnóstico
 Reais - aqueles que contém sinais e
sintomas e fatores relacionados claros, ou
seja, é sustentado pelas características
definidoras (manifestações, sinais e
sintomas) e fatores relacionados.

 De risco - aqueles possíveis, que contém


fatores de risco, mas sem evidências de
sinais e sintomas, ou seja, que contribuem
para o aumento da vulnerabilidade. Apoiado
em Fatores de risco.
(NANDA,2013-2014).
Tipos de Diagnóstico


Promoção a saúde: é um julgamento
clínico da motivação e do desejo do
indivíduo, família ou comunidade de
aumentar o potencial da saúde humana,
conforme manifestado em disposição para
melhorar os comportamentos específicos
de saúde, alimentação e exercícios.
Apoiado em sinais e sintomas.


(NANDA,2013-2014).
Tipos de Diagnóstico

Bem estar: descreve respostas humanas


a níveis de bem estar do indivíduo,
família ou comunidade com disposição
para melhorar. Está apoiado em
Características definidoras e Fatores
relacionados.

 (NANDA,2013-2014).
2. Diagnóstico de Enfermagem

REDAÇÃO DO DIAGNÓSTICO
Problema + etiologia + sinais e sintomas ou
 Reais
Problema + fator relacionado + sinais e
sintomas
Ex: Constipação relacionada à deficiência de líquidos e fibras.

Problema + etiologia ou
 De risco
Problema + fator relacionado

Ex: Risco para integridade da pele prejudicada relacionado ao


confinamento no leito
2. Diagnóstico de Enfermagem

A identificação da causa do problema é


muito importante para a decisão do que
fazer para solucionar o problema.

Exemplo: 1. Constipação relacionada à


deficiência de líquidos e fibras.
2. Constipação relacionada à falta
de privacidade.
O enfermeiro é responsável
por 2 tipos de julgamento:

 Os Diagnósticos de Enfermagem (o enfº determina


a intervenção ou tratamento definitivo).

 Problemas colaborativos (o enfº monitora para


detectar mudanças de estado e implementa o
tratamento; quem indica o tratamento definitivo é o
médico).
D.E?
Problema

.
Enfermeiro pode, legalmente, prescrever pequenas intervenções?

sim não

Diagnóstico de enfermagem São necessárias intervenções médicas


e de enfermagem?

Prescreva e execute ações Problemas colaborativos


que sejam imprescindíveis à
prevenção, tratamento ou
promoção da saúde Monitorize e
avalie a condição
Prescreva o que
for de dominío da Implemente prescrição
enfermagem do médico
3. PLANEJAMENTO DA ASSISTÊNCIA
DE ENFERMAGEM

 ENVOLVE ESTRATÉGIAS PARA REFORÇAR


REAÇÕES SAUDÁVEIS DO CLIENTE, PREVENIR,
MINIMIZAR OU CORRIGIR REAÇÕES NÃO SAUDÁVEIS
DO CLIENTE.
3. PLANEJAMENTO DA ASSISTÊNCIA DE
ENFERMAGEM

 Consiste em:
 Priorizar as necessidades do cliente,
 Estabelecer os resultados esperados a
serem alcançados com o cuidado,
 Estabelecer as ações de enfermagem
para o alcance dos resultados
esperados.
3. PLANEJAMENTO DA ASSISTÊNCIA DE
ENFERMAGEM

3.1 ESTABELECER PRIORIDADES


Se for considerado o Referencial Teórico de
Wanda Horta deve-se considerar:

 A hierarquia das necessidades básicas de


Maslow
 o atendimento das preferências do cliente
 o potencial para problemas futuros
 o problema clínico e o tratamento
3. PLANEJAMENTO DA ASSISTÊNCIA DE
ENFERMAGEM

3.2 ESTABELECER Resultados Esperados


(NOC)
São declarações daquilo que o enfermeiro
pretende “alcançar” por meio de uma ação de
enfermagem
3.3. ESTABELECER AS AÇÕES DE ENFERMAGEM
( PRESCRIÇÕES DE ENFERMAGEM)

 É o conjunto de condutas decididas pelo


enfermeiro que direciona e coordena a
assistência de enfermagem ao paciente de
forma individualizada e contínua

 para o alcance dos resultados estabelecidos no


plano de assistência de enfermagem
PRESCRIÇÃO DE ENFERMAGEM

É operacionalizada pelas diferentes categorias


operacionais da equipe de enfermagem e o cuidado
prestado é anotado por quem o executou.
NORMAS PARA A PRESCRIÇÃO DE
ENFERMAGEM

 Deve ter como subsídio o diagnóstico e a evolução de enfermagem


 Ser feita em impresso próprio, dando sequência à evolução de enfermagem
 Ser feita exclusivamente por enfermeiros
 Ser feita diariamente para todos os pacientes
 Ter validade de 24 horas/semanal/mensal e ser alterada quando necessário,
precedida de uma evolução de enfermagem
 Deve abranger: controles, alimentação, hidratação, higiene, sinais e sintomas,
tratamentos, orientações, assistência psicossocial e psico-espiritual,
encaminhamentos a outros serviços.
Apresentação da prescrição de
enfermagem

 Dever ser descrita com o verbo no infinitivo


 Estabelecer o que fazer,
 Com o que fazer,
 Como fazer,
 Local ou área onde é para fazer,
 Quando fazer (horário)
 Data e a assinatura do enfermeiro

Ex: 12/02 Caminhar com o paciente pela enfermaria, com


auxilio do andador por 5 minutos 3 vezes por dia, de manhã,
a tarde e a noite (Enf. M. Helena)
4. IMPLEMENTAÇÃO
5. AVALIAÇÃO / EVOLUÇÃO

Deve constar:
 problemas novos identificados;
 resumo sucinto dos resultados dos cuidados prestados
O cliente foi capaz de alcançar os resultados
esperados?
Ex: 12/02 O paciente não deambulou a tarde, pois desceu para
arteriografia e retornou sonolento, sob efeito de sedativo .(Enf.
M. Helena)
NORMAS DA EVOLUÇÃO

 Ser registrada em impresso próprio;


 Ser feita diariamente para todos os pacientes, com data e horário;
 Ser refeita em parte ou totalmente, quando houver alteração no
estado do paciente com anotação do horário;
 Na primeira evolução, resumir suscintamente as condições gerais
detectadas durante o preenchimento do histórico (coleta de dados)
e relacionar os problemas selecionados para a primeira
intervenção.
Evolução  Anotação
 Evolução:É o registro feito pelo enfermeiro após a
avaliação do estado do paciente. Deve ser feita
diariamente, ou refeita, na vigência de alteração no
estado do paciente.

 Anotação:
Relato de uma ocorrência observada ou de
um cuidado ministrado que pode ser feito por qualquer
membro da equipe
Exemplo: O enfermeiro observa o
cliente com dificuldade respiratória

 O enfermeiro percebe que o cliente está com problema


 As habilidades do exame físico capacitam o enfº a explorar os
achados físicos precisamente, assim como a avaliação da FR,
ritmo e profundidade...
 O enfermeiro realiza julgamentos, conecta as experiências dos
sentidos ao conhecimento de enfermagem para assegurar um
raciocínio preciso.
 Conforme o enfº e o cliente interagem o enfº faz perguntas
relevantes para obter mais dados.
Que ferramentas utilizar para o exame físico?