Você está na página 1de 21

| 


      
i  

Arquitetura e Urbanismo
Estética I - 1º Semestre

Grupo:
|  
   |  
  
|  
      
i  

Gentle Manifesto 1966-Robert Venturi


GENTLE MANIFESTO

3 
    . Eu não gosto da incoerência ou arbitrariedade da
arquitetura de incompetentes, nem os meandros precioso de pitoresco do expressionismo. Em vez disso, eu falo de uma
arquitetura complexa e contraditória com base na riqueza e ambiguidade da experiência moderna, incluindo a experiência que
é inerente à arte. Em toda parte, exceto na arquitetura, a complexidade e a contradição tem sido reconhecido.
Mas a arquitetura é necessariamente complexa e contraditória em sua própria inclusão dos elementos tradicionais
Vitruvianos. E hoje as necessidades do programa, a estrutura, equipamentos mecânicos, e de expressão, mesmo em edifícios
só em contextos simples, diversas e conflitantes de forma inimaginável. A crescente dimensão e escala da arquitetura no
planejamento urbano e regional acrescentar a essas dificuldades. Congratulo-me com os problemas e explorar as incertezas.
Ao abraçar contradição, bem como a complexidade, sou a favor da vitalidade, bem como de validade.

 
    
    
    
    . 3               

          


          
 
         
       

   
    
      
              

          
  3 
         .
         , para a função implícita, bem como a
função explícita. 3              
   
    
    
. A arquitetura válida evoca muitos níveis de significado e de combinações de foco: o seu espaço e seus
elementos se tornam legível e funcional de várias maneiras ao mesmo tempo.
Mas uma arquitetura da complexidade e contradição tem uma obrigação especial para com o todo: a sua verdade deve ser
na sua totalidade ou da totalidade de suas implicações. ÿ
  
       
       
|  
      
i  

!"3  3 
[Menos é mais) citação - Mies Van der Rohe

!"3  3
[Menos é chato) citação ± Robert Venturi
|  
      
i  

  
     
  

     

-    



    ! 
       

-" 
     3
  !  

-#   


 
 

- Clima técnico e austero [rigoroso, severo,


sem enfeites ou ornamentos);
Influência tecnológica;
Não há nada irrelevante ou decorativo

Os modernistas queriam que suas casas


falassem, prometendo um futuro abrilhantado
pelo avanço da técnica e tecnologia.

Figuras ± exemplo arquitetura moderna - Villa


Savoye, de Le Corbusier.
|  
      
i  

|  
    

Îe maneira reduzida, parte do problema


com o Movimento Moderno foi a distância
entre as formas produzidas e seus usuários.
Pode-se dizer que tal afastamento deu-se
pela perda da capacidade comunicativa por
parte da arquitetura moderna, por ser, na
visão da maior parte dos seus críticos,
  #


 $        
 . Os espaços modernos,
contínuos e transparentes não se
mostravam compatíveis com o homem real,
pois eram       
%   ao qual a vanguarda se
dirigiu.

Figuras - exemplos de Casas Modernas. Fonte:   


          i 
|  
      
i  

   '( 
As mortes de Le Corbusier [1965) e Gropius
[1969), cronologicamente, aconteceram em
meio a outros fatos determinantes para o
surgimento e fortalecimento pós-moderno
1. Três obras literárias são importantes para
iniciar ataques críticos ao pensamento
moderno:        

[1961) de Jane Jacobs; |  

       [1966), de
Robert Venturi e &      

[1966) de Aldo Rossi.
2. Além disso a implosão do conjunto
residencial Pruitt-lgoe em Sains Louis em
1972.
Îe acordo com Charles Jencks a arquitetura
moderna morreu no dia 15 de julho de 1972
às 15 horas e 32 minutos,   
    '  
 '  (
 
Conjunto projetado por Minoru Yamasaki e
construído em 1955 segundo os princípios
modernistas
Foi demolido 17 anos depois da sua
construção.
|  
      
i  

Para entender o período pós-moderno na


arquitetura, poderíamos optar por fazê-lo de
maneira não convencional.
Poderíamos por exemplo, escolher um tipo de
letra para cada uma das linhas que seguirão daqui
por diante, para contar como é que se deu esse
período de      .
Cores diferentes também ajudariam a ilustrar o
cenário e se possível fosse, colocaríamos texturas
nas letras, configurando assim um  

    

Figura -
|  
      
i  

    '(  


[  
Ë Eliminação dos elementos simbólicos Ë Simbolismo figurativo
Ë Eliminação da ornamentação Ë Ornamento aplicado
Ë Arquitetura pura Ë Arquitetura heterogênea
Ë Arquitetura elitista Ë Arquitetura populista
Ë Revolucionária [tábula rasa) Ë Evolutiva -> reavaliação histórica
Ë Singular, arrojada até heróica Ë Convencional e configuração barata
Ë Todas as fachadas tratadas iguais Ë Fachadas frontais belas e luxuosas
Ë Tecnologia progressiva Ë Construção convencional
Ë Ideal do arquiteto Ë Aceita escala de valores do cliente
Ë $ Ë |
 
|  
      
i  

Os arquitetos pós-modernos
utilizaram uma série de estratégias
para estabelecer a crítica do
modernismo, principalmente a sua
versão mais difundida e
homogênea: o     

Entre estas estratégias a principal


foi a reavaliação do papel da
   , reabilitada na
 
   $ 
, principalmente como
meio de provocação e crítica à
austeridade do    .

Philip Johnson [antes um ávido


defensor do       ), por
exemplo, adotou uma postura
irônica em seus projetos utilizando
um "armário antigo" como referência
formal para o seu edifício da AT&T
em Nova Iorque.
|  
      
i  


  | 
Se tinha a arquitetura, e com ela
associado um estilo de vida, que deveria
expor o drama da existência
contemporânea. O homem estava vivendo
um momento novo e precisa de um novo
modo de habitar, de viver.

w    
      
   %   &  ± Arquitetura de
intenções práticas ± contudo, isto em
análise aprofundada poderia ser percebido
como tão extravagante como a arquitetura
anterior [continuava tendo uma visão
retrógrada sobre o belo), também criando
um sistema que se esgotou.

Resultado: Ô 
   
  , nenhum estilo estava livre de
criticas ou de serem questionados.

Figuras: Pessac [1920) ± Le Corbusier


Fonte: Arquitetura da Felicidade -
Botton ± Lares Ideais
|  
      
i  

Figuras: Casa Wiley [1953)


Philip Johnson


  | 
|  
      
i  

Figuras: Casa de Vidro [1953) 


  | 
Philip Johnson
|  
      
i  

&

A complexidade e a contradição que


resultam da justaposição do que a
³ #    ! 
  
Na arquitetura estão por toda parte ± é
forma e substância ± abstrata e concreta.
Um elemento arquitetônico é percebido
como forma e estrutura, textura e
material.
A conjunção ) seguida por um ponto
de interrogação pode geralmente
descrever esse tipo de ambiguidade.
- A Villa Savoye é uma planta quadrada
ou não?
- A concavidade ornamental no Casino di
Pio IV no Vaticano é perversa: é mais
parede ou mais abóboda?

Figuras:
Villa Savoye ± Le Corbusier
Casino di Pio IV - Vaticano
|  
      
i  

| 
Os níveis contraditórios de significado em
arquitetura envolvem o contraste subtendido
pela conjuntiva !
 

- A Villa Savoye é simples por fora e, contudo,


complexa por dentro.
-A Shodhan House, Le Corbuiser, é fechada e,
contudo aberta.
-A planta Tudor de Barrington Court é simétrica
- Simplificação externa x
e, contudo, assimétrica.
complexidade interna

- Planta simétrica x assimétrica.

- Volumes ³abertos´ x ³fechados´


|  
      
i  

Figuras: Residência em Chestnut Hill [1962)


Robert Venturi
|  
      
i  

Figuras:
Residência-Chestnut Hill [1962)
Robert Venturi
|  
      
i  

Figuras:
Residência-Chestnut Hill [1962)
Robert Venturi
|  
      
i  

Figuras:
Residência-Chestnut Hill [1962)
Robert Venturi
|  
      
i  

Figuras:
Residência-Chestnut Hill [1962)
Robert Venturi
|  
      
i  

Conjunto Habitacional para idosos [1960-1963)


Robert Venturi
|  
      
i  

Conjunto Habitacional para idosos [1960-1963)


Robert Venturi