Mensuração de desempenho logístico e o modelo World Class Logistics

Augusto César Diego Andrew Guilherme Medeiros Thales Renan

Mensuração de desempenho logístico e o modelo World Class Logistics

 Gerencia-se apenas aquilo que é medido.
 Monitoramento de desempenhos
 É fundamental para o gerenciamento das atividades Logísticas. Pois:
 Verificar se os objetivos estão sendo alcançados.  Ocorre uma melhor aplicação dos Recursos destinados a Logística.  Gera valor para o cliente.

Vantagem Competitiva da Logística

Fontes: *Panorama Logístico - Terceirização Logística no Brasil 2003 -CEL/COPPEAD **Third-Party Logistics Study Results and Findings 2002; C. Jonh Langley Jr.

Mensuração de desempenho logístico e o modelo World Class Logistics

 Tradicionalmente são medidos pelas empresas em termos de apenas três variáveis e sem ser de forma integrada.
 Variáveis:
 Índice de disponibilidade de produto (ex: faltas)  Velocidade do ciclo de pedido (ex: tempo de entrega)  Consistência do ciclo de pedido (ex: atrasos).

 Objetivo: Identificar elementos comuns nas empresas bem sucedidas em atividades logística.Modelo de Competência Logística  Pesquisas da Michigan State University (desde 1986). ELEMENTOS COMUNS MODELO DE COMPETÊNCIA LOGÍSTICA  Esse Modelo identifica as competências necessárias para um desempenho logístico de classe mundial. .

independente: •Da Indústria. •Tamanho da Empresa. . •Posição do Canal de Distribuição. •Então concluiu-se que as melhores práticas logísticas eram extremamente similares.Modelos The Leading Edge Best Practice •A primeira pesquisa (publicada pelo Council of Logistic Management) •Buscava entender a forma de atuação das empresas líderes em logística.

Modelos World Class Logistic (The Global Logistics Research Team of Michigan State University) •Estudos posteriores procuravam entender como algumas empresas colocavam em funcionamento práticas: •capazes de atender clientes exigentes da melhor forma que seus competidores. •Como traduziam seu desempenho em vantagem competitiva e valor superior para acionistas. •Como se tornavam líderes em excelência operacional. .

World Class Logistic  Competências logísticas perseguidas pelas empresas com desempenho logístico de classe mundial: Posicionamento Integração Agilidade Mensuração .

World Class Logistic .

World Class Logistic .

World Class Logistic .

World Class Logistic .

Mensuração Serviço ao cliente/Qualidade. As medidas de desempenho (Métricas) empregadas pelas empresas de classe mundial pertencem a quatro áreas: Custos. . Gerenciamento de Ativos. Produtividade.

 Pisharodi e Langley (1990) – Comparar o nível de serviço com o nível considerado ótimo.Métrica 1: Serviço ao Cliente/Qualidade  Frazelle (2001) – “Percentual do pedido perfeito”.  Tucker (1994) . etc. documentação. precisão no faturamento.  EX: cumprimento do prazo acordado. .sugere que esta comparação seja feita com um padrão estabelecido e com as metas impostas para cada um dos indicadores escolhidos. embalagem correta .

.Métrica 1: Serviço ao Cliente/Qualidade  Para o Grupo de Michigan o grau de importância do serviço ao cliente é diferente para cada empresa. pois é de acordo com as necessidades de seus consumidores (Eles têm expectativas diferentes e não necessariamente desejam o mesmo serviço).  Na Identificação do nível de serviço ótimo e as metas a serem estabelecidas devem considerar estas diferenças.

Exemplos de Indicadores de Serviço ao Cliente .

Exemplos de Indicadores de Serviço ao Cliente .

Exemplos de Indicadores de Serviço ao Cliente .

sendo que apenas aquelas com desempenho logístico de classe mundial monitoram o custo total necessário para o atendimento aos clientes (CLM.Métrica (2): custos  as organizações realizam o controle dos custos individuais (análise isolada de cada um dos custos). 1995). entendendo que em geral é preciso manter uma posição abaixo do ótimo em uma ou mais atividades logísticas para que o sistema como um todo possa operar com eficiência ótima.  A análise do custo total requer que todos os custos relevantes para a operação sejam medidos e a gerência deve reconhecer a existência de trade-offs. .

mais provável é que ela empregue a metodologia. as empresas podem determinar o custo do atendimento a um pedido ou do atendimento a um cliente específico.Métrica (2): custos  Outra abordagem é o custeio baseado em atividades (ABC).  Empresas de classe mundial são líderes na aplicação da metodologia ABC . afirmam que quanto mais sofisticada a logística de uma empresa . Utilizando este método. Como regra geral . .

Exemplo de Indicadores de Custos .

 Nível Macro: Refere-se a indicadores de desempenho para o total das instalações das operações de um grupo.  Para Bowersox e Closs (2001) a produtividade pode ser medida tanto no nível macro quanto no micro.:despesas operacionais sobre o valor total das mercadorias processadas. Ex. .  Nível Micro: relacionadas diretamente a uma determinada operação. recebidas ou até mesmo despachadas.Métrica (3): Produtividade  São tipicamente modeladas para monitorar sistemas que convertem inputs em outputs através da aplicação de trabalho. Ex.: número de pallets movimentados por hora.

Exemplos de Indicadores de Produtividade .

Métrica (4): Gerenciamento de ativos • O Grupo de Michigan sugere que o gerenciamento dos ativos logísticos seja realizado através do monitoramento das seguintes medidas :  Nível de estoque  Giro de estoque  Obsolescência do estoque  Retorno sobre o capital próprio  Retorno sobre o investimento  Classificação do estoque utilizando a curva ABC .

Exemplo de Indicadores de Gerenciamento de Ativos .

O que entendemos sobre WCL?  O modelo apresenta as competências logísticas que buscam alcançar um desempenho logístico equivalente ao de empresas de classe mundial. assim como um sistema de Gerenciamento que permita a maior eficácia da mensuração de desempenho na empresa. Dentre as competências necessárias. destaca-se a necessidade de um sistema eficaz de mensuração de desempenho.  Propõe ainda que é preciso adotar algumas Perspectivas de análise. capaz de avaliar a performance logística das empresas. .

Aspectos relevantes num sistema eficaz de Mensuração de Desempenho .

Perspectiva de Avaliação  Tão importante como ter um conjunto de indicadores . a "mensuração dodesempenho logístico" é constituída por três habilidades ou perspectivas de mediçãode desempenho. . A perspectiva de medição se refere à como uma empresa identifica edefine os indicadores de desempenho.

Perspectiva de Avaliação  As perspectivas são:     Avaliação Funcional ou por Atividades Avaliação de Processo ou de Sistema Benchmarking Cadeia de Suprimento .Holmberg (2000) .

 Utilização efetiva dos resultados obtidos .  O uso de um sistema dinâmico de acompanhamento dos indicadores.Perspectiva de Avaliação  O modelo chama a atenção para alguns aspectos operacionais e de gerenciamento necessários e propõe um sistema de mensuração exige:  O suporte de um sistema de informação.

isso as torna capazes de tomar decisões de forma mais adequada (CLM.  empresas de classe mundial têm mais atenção com a avaliação funcional do que as organizações em geral.  avaliam a eficiência e eficácia das tarefas. 1995). São um pré-requisito para o gerenciamento e controle do desempenho logístico e fornecem informações para identificação de problemas e a base para a melhoria contínua.Perspectivas de Medição  Perspectiva Funcional ou por Atividades. .

2001). não avaliam o desempenho do processo completo em termos de satisfação dos clientes (BOWERSOX e CLOSS. O uso exclusivo de medidas funcionais é criticado por alguns autores que alegam que este tipo de abordagem seria corresponsável. de forma geral. . pela pouca ou nenhuma integração existente entre a área de aquisição e as áreas de fabricação e logística. já que torna difícil o gerenciamento do processo logístico e o sub-otimiza ao buscar a otimização funcional.Perspectivas de Medição  Entretanto.

 Os pesquisadores de Michigan que afirmam que "o verdadeiro fornecimento de valor para os clientes ocorre somente através do desempenho integrado de muitos departamentos funcionais .Perspectivas de Medição  Perspectiva de Processo  A abordagem de processo aceita que existe uma interrelação entre as partes do todo. de tal forma que uma ação que afete uma das partes afetará o todo.

Em primeiro lugar. . a prática de "olhar para fora" proporcionada pelo benchmarking traz alguns benefícios.Perspectivas de Medição  Benchmarking  Segundo Eccles (1991). faz com que as pessoas tomem consciência das melhores práticas e mudem suas perspectivas a respeito daquilo que é possível ser feito internamente.

serviços e processos de trabalho dos concorrentes diretos de uma organização  Benchmarking funcional/genérico: não pertencem. O objetivo é a identificação das melhores práticas em qualquer tipo de organização . necessariamente. ao mesmo setor de atuação.Perspectivas de Medição  Tipo de benchmarking:  Benchmarking interno: praticado por empresas que atuam em diferentes segmentos e regiões geográficas  Benchmarking competitivo:Envolve a identificação de produtos.

elaboração de novas medidas e benchmarks baseados nestas e o desenvolvimento de ferramentas que avaliem os trade-offs da mensuração na cadeia e assegurem o comprometimento dos executivos com a melhoria dos processos. . 2001).Perspectivas de Medição  Medidas da Cadeia de Suprimentos  Devem ser utilizadas medidas de desempenho que possuam uma perspectiva integrada.  Remko (1998) sugere que a mensuração da cadeia de suprimentos seja composta por três passos: definição da extensão da cadeia. sejam compatíveis e consistentes com as funções da empresa e das demais firmas que fazem parte da cadeia (BOWERSOX e CLOSS.

ainda não existem evidências do uso significativo de medidas de desempenho da cadeia de suprimentos. .Perspectivas de Medição  Segundo Lambert e Pohlen (2001). as medidas identificadas como métricas de desempenho da cadeia de suprimentos são na verdade utilizadas internamente. para os autores.

Perspectivas de Medição  Bowersox e Closs (2001) defendem que a perspectivas de medição não são excludentes. . a perspectiva empregada pode variar de uma abordagem estritamente funcional a uma abordagem exclusivamente sistêmica dependendo do caso. Para eles.

Aspectos Operacionais e de Gerenciamento no uso de indicadores logísticos  A simples seleção de indicadores e sua mensuração não são suficientes para que um sistema de medição seja eficaz na melhora do desempenho logístico de uma empresa. . o uso de um sistema dinâmico e a utilização efetiva dos resultados obtidos são fundamentais para o sucesso na medição do desempenho logístico.  O suporte de um sistema de informação.

simplificou o gerenciamento do sistema de medição de desempenho e a manutenção da informação. análise e revisão dos dados mais fácil. .Aspectos Operacionais e de Gerenciamento no uso de indicadores logísticos  Necessidade do suporte de um sistema de informação  A tecnologia de informação tornou a captura.

Aspectos Operacionais e de Gerenciamento no uso de indicadores logísticos  Necessidade de um sistema dinâmico de mensuração de desempenho  Bons indicadores não permanecem bons para sempre. . É necessário que os indicadores empregados sejam revisados sistematicamente e que o sistema seja dinâmico.

Aspectos Operacionais e de Gerenciamento no uso de indicadores logísticos  O uso efetivo das medidas e ações corretivas para os desvios. Monitorando e identificando variações e agindo corretivamente para eliminar as causas.  O passo final para a implementação de um sistema de indicadores de desempenho é o monitoramento contínuo do output. .

Considerações Finais  Para avaliar como os recursos disponíveis estão sendo utilizados e se a sua utilização possibilita à empresa oferecer serviços superiores. é necessário um sistema de medição de desempenho. única forma de verificar se as operações logísticas estão atingindo as metas de serviços desejadas. .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful