COMO TRABALHAR OS DESCRITORES Trabalhar descritores implica em contextualizar alguns segmentos textuais, gramaticais fazendo a compreensão semântica e inferências

pertinentes. VIDAS SECAS GRACILIANO RAMOS Fabiano ia satisfeito. Sim senhor, arrumara-se. Chegara naquele estado, com a família morrendo de fome, comendo raízes. Caíra no fim do pátio, debaixo de um juazeiro, depois tomara conta da casa deserta. Ele, a mulher e os filhos tinham-se habituado à camarinha escura, pareciam ratos _ e a lembrança dos sofrimentos passados esmorecera. Pisou com firmeza no chão gretado, puxou a faca de ponta, esgaravatou as unhas sujas. Tirou do aió um pedaço de fumo, picou-o, fez um cigarro com palha de milho, acendeu-o ao binga, pôs-se a fumar regalado. _Fabiano, você é um homem, exclamou em voz alta.

Conteve-se, notou que os meninos estavam perto, com certeza iam admirar-se ouvindo falar só. E, pensando bem, ele não era homem: era apenas um cabra ocupado em guardar coisas dos outros. Vermelho, queimado, tinha os olhos azuis, a barba e os cabelos ruivos; mas como vivia em terra alheia, cuidava de animais alheios, descobria-se, encolhia-se, na presença dos brancos e julgava-se cabra. Olhou em torno, com receio de que, fora os meninos, alguém tivesse percebido a frase imprudente. Corrigiu-a, murmurando: _Você é um bicho, Fabiano. Isto para ele era motivo de orgulho. Sim senhor, um bicho, capaz de vencer dificuldades. Chegara naquela situação medonha _ e ali estava, forte até gordo, fumando o seu cigarro de palha. Era. Apossara-se da casa porque não tinha onde cair morto, passara uns dias mastigando raiz de imbu e semente de mucunã. Viera a trovoada. E, com ela, o azendeiro, que o expulsara. Fabiano fizera-se desentendido e oferecera os seus préstimos, resmungando, coçando os cotovelos, sorrindo aflito. O jeito que tinha era ficar. E o patrão aceitara-o, entregara-lhe as marcas de ferro. Agora Fabiano era vaqueiro, e ninguém o tiraria dali. Aparecera como um bicho, entocara-se como um bicho, mas criara raízes, estava plantado. Olhou as quipás, os mandacarus e os xique-xiques. Era mais forte que tudo isso, era como as catingueiras e as baraúnas. Ele, Sinhá Vitória, os dois filhos e a cachorra baleia estavam agarrados à terra. Chape-chape. As alpercatas batiam no chão rachado. O corpo do vaqueiro derreava-se, as pernas faziam dois arcos, os braços moviam-se desengonçados.

tomava amizade à casa. b. As pessoas sofridas alegram-se com qualquer benefício. Entristeceu. como judeu errante. d. era hóspede.Retirantes Resp: e Em todos os itens são segmentos que sofrem por problema social. ao curral. O nordestinose adapta às situações de estiagem. Chegara naquele estado. Resp: c Assim como fabiano muitas pessoas não desanimam e não desistem diante das dificuldades. trecho para as questões 01 e02 Fabianoia satisfeito.vive um problema social inerente aos: a.Sem-terra e.Nordestinos b. d.O emigrante sofrido que não desanima com os reveses da vida. A sina dele era correr mundo. ao chiqueiro das cabras.(D-03) Do trecho entende-se: a. 3. 1. personagem do livroVidas Secas. Achava-se ali de passagem. e. Os retirantes são os que mais se assemelham a situação de Fabiano. c. com a família morrendo de fome.A persistência do homem para sobreviver. Sim senhor.Uma pessoa sofrida que se sujeita a comer raízes para sobreviver. de Graciliano Ramos. ia satisfeito. mas não feliz. porém estava feliz.A satisfação de quem viaja conhecendo o país. 2. Fabiano ia conformado com a situação. Considerar-se plantado em terra alheia! Engano. arrumara-se.(D-07) Fabiano. à toa.(D-02) Fabiano no trecho representa: a. Um vagabundo empurrado pela seca. Fabiano estava morrendo de fome. Sim senhor. e. ao juazeiro que os tinha abrigado uma noite. comendo raízes. Resp: e ( Fabiano ficou satisfeito por ter encontrado um rancho. Resolva as questões com base no texto.Desempregados d.Parecia um macaco. . Não existe felicidade diante do sofrimento e sim conformação. hóspede que demorava demais. c. andar para cima e para baixo. Pobres c.A situação do nordestino que se desloca de sua terra à procura de emprego. b. Fabiano conformou-se com o pouco que arrumou.

Vagabundoé um termo muito forte para qualificar as vítimas da seca. estava plantado.(D-09) Em qual das opções abaixo a situação de Fabiano não se assemelha? a. Fabiano fizerase de desentendido e oferecera os seus préstimos.(D-08) Viera a trovoada. e. com ela. de um certo modo.” Sobre o significado desta expressão pode-se afirmar que o autor foi infeliz ao usá-la : a.(D-14) Aparecera como um bicho. que quer permanecer no cárcere para que a família não perca oauxílio-reclusão. sem que . Resp: d 5. coçando os cotovelos. para ganhar o seguro: b. fez Fabiano ficar preocupado. que o expulsara.Fabiano é uma figura que também está na escola na pessoa daqueles alunos. E. que não se esforçam para sair do ensino fundamental para não perder o bolsa escola. Resp: c Os medingos aposentados tem certo o seu aposento permanecendo ou não na mendigagem. com menos de dezesseis anos. d. c. d. Os outros.A chuvasó traz benefícios para os retirantes. entocara-se como um bicho. como exemplo tem os partícipes do seguro safra que querem a seca e a perca do legume. b. mas criara raízes. Resp: e 7.Fabiano também estápresente na pessoa do bandido. mesmo se substituirmos o vocábulo destacado pela expressão a.O personagem fingiu não entender.A chuva.4.Fabiano se adapta à miséria como àqueles mendigos que mesmo recebendo aposento continuam na mendicância. não 6. As Vítimas da seca se tornam vagabundas. Assim como Fabiano muitas pessoas se adaptam viver na situação de miséria. d. resmungando. Fabiano é vagabundo porque anda passeando de fazenda em fazenda. O sentido da frase acima permanecerá inlaterado. Neste trecho depreende-se que: a. de modo que b. e.Fabiano fora beneficiado com a chuva b.(D-08)”Um vagabundo empurrado pela seca.Fabiano sentiu-se desempregadocom a chegada da chuva. c. e se prontificou a aceitar outras ocupações. Fabiano é vagabundo porque não enfrenta a dureza. o fazendeiro. sorrindo aflito. c. Vagabundo é aquele quenão se adapta a nenhum emprego.

logo que Resp: c . tal qual d.c. para que e.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful