manual prático para montagem de cercas

PRODUTOS AGROPECUÁRIOS

cLUBE AMIGOS

3

MAnUAL prátIcO pArA MOntAGEM dE cErcAS
Parabéns! Você acaba de receber a 5ª edição do MANUAL PRÁTICO PARA MONTAGEM DE CERCAS GERDAU. Ele foi preparado para o homem do campo, com informações atualizadas sobre a construção de cercas seguras, econômicas e duráveis. De forma ilustrativa, é possível acompanhar passo a passo a montagem de uma cerca, ou seja, a escolha do modelo, o material a ser utilizado e os vários modos de construí-la. As soluções aqui mostradas se originaram do nosso contato com pecuaristas e cerqueiros de diferentes regiões do Brasil. Assim, se você tiver alguma dúvida ou sugestão, envie-nos, pois ela poderá ser aproveitada em futuras publicações.

índIcE
Clube Amigos do Campo Gerdau ...................................................................................................................... 05 Como Construir .................................................................................................................................................. Como definir sua cerca .................................................................................................................................... Sugestões .................................................................................................................................................... Tipos de cantos esticadores .............................................................................................................................. Canto simples ............................................................................................................................................... Canto duplo .................................................................................................................................................. Canto duplo em ângulo ................................................................................................................................... Mourões intermediários de madeira ................................................................................................................... Mourões intermediários de aço ......................................................................................................................... Sugestões de acordo com o terreno ................................................................................................................... Instalação de arame ovalado ............................................................................................................................. Instalação de arame farpado ............................................................................................................................. Instalação de balancim .................................................................................................................................... Ferramentas ................................................................................................................................................. Sistema cerca elétrica ...................................................................................................................................... Construção de curral ....................................................................................................................................... Instalação de alambrado .................................................................................................................................. 07 07 08 11 11 13 17 19 21 23 25 29 33 37 41 47 57

Agradecimentos ................................................................................................................................................. 63

cLUBE AMIGOS

4

cErcAr cOM GErdAU é cErcAr SEU cAMpO cOM qUALIdAdE.
Ao fazer uma cerca com produtos GERDAU, você usa o que existe de mais moderno e prático. Arames ovalados, arames farpados, grampos, balancins, arames para arremate, alambrados, mourões de aço e outros acessórios. Tudo o que você precisa para facilitar seu trabalho, com os benefícios que só a Qualidade GERDAU pode oferecer. Use e confira.

cLUBE AMIGOS

5

cLUBE AMIGOS dO cAMpO GErdAU. 10 AnOS dE AMIzAdE.
Criado para ser um canal de apoio e comunicação entre a Gerdau e o homem do campo, o Clube Amigos do Campo Gerdau comemorou seus 10 anos de existência em 2005, levando informações técnicas ao produtor rural e garantindo um melhor desenvolvimento e gestão do seu negócio. São mais de 10 mil associados que recebem material técnico e participam de palestras com especialistas do setor. Os membros do Clube podem contar com as seguintes vantagens: • Fascículos: Publicações periódicas gratuitas, com temas específicos e atuais da agropecuária. • Projeto Aramador: Novas tecnologias para o dimensionamento e a montagem de cercas, possibilitando um melhor desempenho do trabalho rural. • Site: www.amigosdocampo.com.br. Clipping diário de notícias, agenda de eventos, previsão do tempo e informações econômicas que podem ser acessadas por todos os associados. Dispõe, ainda, do canal “Clube Responde”, pelo e-mail: amigosdocampo@gerdau.com.br.

Para fazer parte do Clube Amigos do Campo, cadastre-se GRATUITAMENTE no site www.amigosdocampo.com.br ou pela ficha cadastral inclusa na última pág. deste manual.

cOMO cOnStrUIr 7

cOMO dEfInIr SUA cErcA
Antes de construir sua cerca, faça a seguinte análise:

cErcAS dEfInItIvAS

São cercas para delimitação da propriedade ou para divisões internas permanentes. Por isso é importante usar um arame farpado grosso e/ou ovalado, ambos de alta resistência a ruptura.

cErcAS tEMpOrárIAS

Seu tempo de uso pode variar de meses a alguns anos. Em sua construção, podem ser utilizados arames finos ou um número menor de fios. As cercas devem ser construídas de maneira a facilitar sua desmontagem e o reaproveitamento dos materiais em uma próxima utilização.

cOMO cOnStrUIr 8

SUGEStõES
Abaixo, sugestões para uma construção adequada ao objetivo do cercamento. 14divisão
de propriedade rural arame Farpado Mourões 4comprimento: 2,20m 4colocação: de 3 em 3m Balancins araMes Estiradas 41,5m 46 fios 4de 200 a 250m

arame liso/ovalado Mourões 4comprimento: 2,20m 4colocação: de 6 em 6m Balancins araMes Estiradas 4de 1,5 a 2m 46 fios 4de 500 a 1.000m

24interior

de propriedade

arame Farpado Mourões 4comprimento: 2,20m 4colocação: ideal - de 3 em 3m máximo - de 4 em 4m Balancins araMes Estiradas 4de 1,5 a 2m 45 fios 4de 200 a 250m

arame liso/ovalado Mourões 4comprimento: 2,20m 4colocação: ideal - de 6 em 6m máximo - de 8 em 8m Balancins araMes Estiradas 4de 2 em 2m 45 fios 4de 500 a 1.000m de

34gado

corte

arame Farpado Mourões 4comprimento: 2,20m 4colocação: de 3 em 3m Balancins araMes Estiradas 41,5m 4de 5 a 6 fios 4de 200 a 250m

arame liso/ovalado Mourões 4comprimento: 2,20m 4colocação: de 6 em 6m Balancins araMes Estiradas 4de 1,5 a 2m 4de 5 a 6 fios 4de 500 a 1.000m

* pode ser construída uma cerca mista utilizando arame farpado e ovalado. (ver sugestão na pág. 9)

44gado

leiteiro

arame Farpado Mourões 4comprimento: 2,20m 4colocação: de 3 em 3m Balancins araMes Estiradas 4de 1 a 1,5m 45 fios 4de 200 a 250m

arame liso/ovalado Mourões 4comprimento: 2,20m 4colocação: de 6 em 6m Balancins araMes Estiradas 4de 1 a 1,5m 45 fios 4de 500 a 1.000m

atenÇão4 As estiradas (*espaço entre os mourões esticadores) sugeridas poderão variar de acordo com o tipo de terreno. Para estiradas de até 300m, pode ser utilizado o canto simples. (veja pág. 11) Para estiradas acima de 300m, recomenda-se utilizar o canto duplo. (veja pág. 13) 4 Para terras mais compactas, a Gerdau disponibiliza o Mourão de Aço de 1,95m de altura.

cOMO cOnStrUIr 9

SUGEStõES
54caprinos
e

ovinos

arame Farpado ou liso/ovalado

Mourões 4comprimento: 1,70m 4colocação: ideal - de 2 em 2m máximo - de 3 em 3m Balancins 4a cada 1m araMes 49 fios Estiradas 4de 100 a 200m

64divisa

entre lavoura e criaÇão animal:

arame Farpado

Mourões 4comprimento: 2,20m 4colocação: de 6 em 6m Balancins 4de 2 em 2m araMes 44 fios Estiradas 4de 200 a 250m
arame liso/ovalado

1,40 m

Mourões 4comprimento: 2,20m 4colocação: de 8 em 8m Balancins 4de 2 em 2m araMes 44 fios Estiradas 4de 500 a 1.000m 4Atenção: Se a divisão for entre lavoura e criação animal, o modelo da cerca a ser construído deve seguir a sugestão para cada tipo de criação. (págs. 8 e 9)

tIpOS dE cErcA
Arame Ovalado

Destacamos abaixo três tipos de cercas convencionais, que podem ser aplicadas para cada necessidade. Arame farpado

Mista

Recomendamos utilizar arame ovalado em terrenos planos, devido a sua elevada carga de ruptura, que possibilita a estiragem em longas distâncias.

Em regiões montanhosas e de difícil acesso é mais adequado usar o arame farpado, pois ele permite construir cercas com curvas e desníveis sem comprometer o esticamento da cerca.

cOMO cOnStrUIr

11

cOMO cOnStrUIr
tIpOS dE cAntOS EStIcAdOrES
Agora que você já escolheu o tipo de cerca, é hora de iniciar a construção com a montagem dos cantos esticadores. A construção dos cantos esticadores é fundamental para garantir a sustentação da cerca. Por isso, é importante o cuidado com a escolha dos materiais e o processo de montagem. Os cantos esticadores absorvem a tensão do esforço realizado pelos animais ao longo da cerca. Portanto, um canto bem construído reforça a durabilidade de todo o sistema. é certo que existem diferentes tipos de construção, de acordo com cada região. A seguir apresentamos três modelos simples e seguros, capazes de suportar os esforços dos animais e que podem ser usados em cercas de arames ovalado e farpado.

cAntO SIMpLES

*Obs.: Todas as ferramentas citadas a seguir são apresentadas no capítulo Ferramentas.

PARA ESTIRADAS DE ATé 300m

Selecione madeiras de boa qualidade para os cantos. Utilize mourões com bitola mínima de 18cm e altura de 2,5m.

14A construção do canto esticador se inicia com a marcação do mourão. Se a sua opção for por cerca de arame ovalado, fure com broca 5/16” ou 3/8”. Se a opção for por cerca de arame farpado, não é preciso furar os mourões. Para saber a distância das marcações, consulte o item Sugestões. (págs. 8 e 9)

24 Defina a posição inicial da cerca para instalar o mourão esticador.

34 Retire o capim para facilitar o trabalho.

44 Use a cavadeira para abrir o buraco de acordo com a espessura do mestre.

54 Cave o buraco com, no mínimo, 1m de profundidade , observando a altura correta da cerca. (Veja passo 7)

cOMO cOnStrUIr 12

cAntO SIMpLES

64 Coloque o mourão dentro do buraco.

74 Ajuste a altura do mourão. A altura padrão de cerca no Brasil é de 1,50m, mas ela pode variar de 1,40m a 1,60m, dependendo da região.

84 Alinhe o mourão com o final da cerca. Depois, incline o mourão um pouco para trás. (Veja detalhe na foto). Ele ficará reto após os arames serem esticados.

94 Cubra parte do buraco com terra. Não coloque capim ou galhos, pois podem comprometer a compactação.

104 Use o socador para compactar a terra. Repita a operação em camadas. Esta etapa é importante para o mourão não se deslocar.

114 Abra uma vala de 80cm de comprimento bem justa na frente do mourão para receber o travesseiro. (Veja ilustração no item 17).

124 O travesseiro é uma madeira de boa qualidade, com no mínimo 10cm de bitola e 80cm de comprimento. Ele deve entrar justo entre a terra e o mourão.

134 Soque o travesseiro. Ele deve ficar 10cm abaixo do nível do solo.

144 Cubra o travesseiro com a terra que sobrou.

1º trAvESSEIrO 2º trAvESSEIrO

154 Soque bastante para compactar todo o buraco.

164 O canto simples (mestre) está pronto.

174 Caso a terra não seja tão compacta, sugerimos a utilização de dois travesseiros, conforme a ilustração acima.

cOMO cOnStrUIr

13

cAntO dUpLO

trAvA MEStrE

cOntrAMEStrE

Reforçamos que a construção dos cantos esticadores é fundamental para garantir a sustentação da cerca. O modelo que apresentamos a seguir (canto duplo) deve ser utilizado para estiradas de 300 a 1.000m com o arame ovalado, e de 100 a 500m com o arame farpado. Para iniciar a construção do canto duplo, repita os procedimentos do canto simples (mestre, pág. 11 e 12), acrescentando os seguintes passos:

rABIchOS rABIchOS

MOrtO trAvESSEIrO trAvESSEIrO

Para que o canto duplo absorva a tensão do esforço realizado pelos animais ao longo da cerca, ele deve ser construído de maneira a formar um quadrado, conforme a ilustração acima.

cOLOcAçãO dO cOntrAMEStrE

1,5m

184 O contramestre deve possuir as mesmas dimensões do mestre: bitola mínima de 18cm e 2,5m de altura.

194 No mourão contramestre faça um furo no sentido “cruzado“ da cerca a 10cm da ponta e com bitola de 3/8” a 1/2” para a passagem dos rabichos.

204 Marque a distância do mourão a partir do mestre. A distância deve ser igual a altura da cerca, neste exemplo 1,5m.

214 Faça o buraco e coloque o mourão (contramestre).

224 Ajuste o contramestre, conferindo a altura e a marcação/furação, com base no mourão mestre.

Os mourões, mestre e contramestre, estão prontos.

cOMO cOnStrUIr 14

cAntO dUpLO
Após a colocação dos mourões mestre e contramestre, o próximo passo é instalar a Trava ou Retranca. Nesta etapa, escolha um dos modelos a seguir:

cOLOcAçãO dE trAvA OU rEtrAncA - cOM pInO
* Este sistema é indicado para utilização em madeiras tratadas. Em outras madeiras, sugerimos o uso das cavilhas tradicionais.

234 Entre as duas primeiras marcações para a passagem dos arames, faça um furo (no mestre e no contramestre) com bitola 3/8” e 15cm de profundidade (cuidado para não atravessar o mourão).

244 Encaixe um vergalhão com bitola 3/8” e 30cm de comprimento (no mestre e no contramestre). Ele servirá para a sustentação da trava.

254 Observe que sobraram 15cm do vergalhão que receberá a trava.

264 A trava deve ter entre 8 e 12cm de bitola e 1,5m de comprimento (igual a altura da cerca). Faça um furo com bitola 3/8” e de 17cm de profundidade na trava, conforme indicado, deixando 2cm para ajuste final.

274 Encaixe a trava no vergalhão do mourão mestre.

284 Para finalizar, encaixe a trava no vergalhão do mourão contramestre.

cOLOcAçãO dE trAvA OU rEtrAncA - cOM cAvILhA
A utilização do sistema de cavilhas não é recomendada para madeiras tratadas, pois retira a camada de tratamento.

294 Abra uma cavilha quadrada entre as duas primeiras marcações dos mourões (mestre e contramestre).

304 Faça na ponta da trava um recorte, que será encaixado na cavilha. Não deixe muito fino, para não fragilizar o sistema.

314 Encaixe a trava nas cavilhas dos mourões (mestre e contramestre).

cOMO cOnStrUIr

15

cAntO dUpLO
fInALIzAndO O SIStEMA pArA rEcEBEr AS AMArrAçõES

324 Após o encaixe da trava, use o socador para compactar a terra na base do contramestre. Esta compactação deve ser executada em camadas.

334 Coloque o segundo travesseiro na frente do contramestre. Proceda como no primeiro mourão mestre. (veja do passo 11 ao 17).

344 O sistema está pronto para receber as amarrações.

rEfOrçO dO cAntO
Após a colocação da trava ou retranca, o próximo passo é fazer a ancoragem, também conhecida como “morto”, além das amarrações do sistema.
MEStrE trAvA rABIchOS
25cm 70cm

cOntrA-MEStrE

rABIchOS
1m

1m

70cm

15

cm

70

cm

MOrtO

trAvESSEIrO

354O morto deve ser uma madeira de boa qualidade, com as dimensões de 20 a 25cm de bitola e 1m de comprimento.

364 Abra um buraco a 70cm do pé do mestre com 1m de profundidade, 1m de comprimento e 25cm de largura. Faça um recorte inclinado na terra, do mestre até o buraco, formando uma “canaleta” para a passagem do arame que estará amarrado no morto.

374A seguir iniciaremos a amarração do sistema. Corte dois pedaços de arame com 5m de comprimento (pode ser utilizado Arame Ovalado Gerdau ou arame galvanizado BWG 8).

384 Dobre um dos arames ao meio e faça um laço para amarrar o morto, mantendo as pontas dos arames sempre juntas.

394 Aperte o laço e torça levemente os arames até formar uma cordoalha de dois fios com, no máximo, 3 voltas . (Veja detalhe na foto.)

404 Repita a operação com o segundo pedaço de arame.

414 Torça as duas cordoalhas somente na parte inicial, para firmar o conjunto. (Veja detalhe na foto.)

424 Coloque o morto no buraco.

25

cm

cOMO cOnStrUIr 16

cAntO dUpLO

434 Repare que o recorte feito na terra a partir do pé do mestre evita que os fios fiquem dobrados. Durante os próximos passos, mantenha o morto sempre suspenso a 5cm do fundo, servindo como contrapeso que irá ajudá-lo na execução das amarrações.

444 Neste momento você terá 4 pontas de arame, sendo que duas formam um rabicho. Cada rabicho passará por um lado do mestre e será levado até a furação superior do contramestre.

454 Passe os rabichos nos furos, um de cada lado, de maneira a sair na outra extremidade. Este furo foi feito no passo 19.

464 Veja que os rabichos se cruzam, saindo um para cada lado.

474 Estique manualmente os rabichos, um para cada lado. Quando puxar, lembre-se que o morto deve ficar suspenso a 5cm do fundo do buraco.

484 Com a própria ponta do rabicho, faça o arremate em ambos os lados, conforme demonstrado na foto.

494 Empurre o morto até encostar no fundo do buraco, esticando os arames. Cubra o morto com terra, compactando em camadas, para que fique bem firme.

504 Observe que os rabichos estão paralelos. Inicie sua torção utilizando o cabo da torquês. Evite usar madeira, neste processo. Ela pode quebrar e causar acidentes.

514Comece o movimento de torção dos rabichos. Cuidado para que a ferramenta não escape. Quando os rabichos estiverem bem torcidos, volte um pouco a torquês e retire-a.

524 Observe que, após a retirada da torquês, ficou um espaço (olhal). Utilize 1m de arame (ovalado ou galvanizado BWG 8) para fazer o arremate.

534Após passar o arame por dentro do espaço, arremate manualmente (uma ponta para cima e a outra para baixo).

54 4 O canto duplo está pronto. O rabicho ficará um pouco frouxo até que todos os arames da cerca sejam esticados.

cOMO cOnStrUIr

17

cAntO dUpLO EM ânGULO

trAvA MEStrE

cOntrAMEStrE

trAvA

trAvESSEIrO

MOrtO

Este tipo de canto deve ser utilizado onde há necessidade de mudança acentuada da direção da cerca. Este modelo de canto possui um mourão mestre e dois mourões contramestres. Para iniciar a construção deste canto, repita o procedimento do canto duplo (ver págs. 13 a 16), acrescentando os seguintes passos:
MOrtO

cOntrAMEStrE trAvESSEIrO trAvESSEIrO

554 Marque a distância do segundo contramestre (veja passos de 18 ao 22), formando um ângulo de 90º.

564 Repita o procedimento do passo 23 ao 34 para colocação da trava e do travesseiro.

57 4 Após a execução dos passos 34 ao 54. Veja o detalhe dos rabichos, que se cruzam no canto em ângulo.

584 O canto duplo em ângulo está pronto.

cOMO cOnStrUIr

19

cOMO cOnStrUIr
MOUrõES IntErMEdIárIOS
MOUrõES dE MAdEIrA
Estando os cantos prontos, pode ser iniciada a etapa de instalação dos mourões intermediários. Os mourões intermediários, também chamados de lascas ou estacas, podem ser de madeira ou de aço. O diâmetro recomendado para madeira é de 12 a 15cm, e a altura é de 2,20m.

14 Faça a marcação da madeira de acordo com a utilização. Para saber a distância das marcações, consulte o item Sugestões (págs. 8 e 9).

24Se a sua opção for por cerca de arame ovalado, fure com broca 5/16” ou 3/8”. Se a opção for por cerca de arame farpado, não é preciso furar os mourões.

34 Leve os mourões até o local da cerca.

Altura

Cabeça


44 Após a definição do espaçamento entre os mourões, inicie a abertura dos buracos. Utilize ferramentas adequadas (ver capítulo Ferramentas). Além das ferramentas manuais, pode ser utilizado o trator com broca. 54 Coloque o mourão intermediário no buraco e faça o alinhamento a partir do canto. 64 Os mourões intermediários devem ser perfeitamente alinhados entre si (altura, cabeça e pé). Utilize como referência o mourão de canto.

74 Cubra o buraco com terra. Não coloque capim, galhos ou cascalhos, pois podem comprometer a compactação.

84 Use o socador para compactar a terra. Repita a operação com todos os mourões. Dessa forma eles estão prontos para a passagem dos arames.

Os mourões intermediários estão prontos.

cOMO cOnStrUIr

21

MOUrõES IntErMEdIárIOS
MOUrãO dE AçO
Neste modelo é adotado o Mourão de Aço Gerdau, que oferece vantagens em relação aos mourões intermediários convencionais, pois é resistente, prático e econômico. Pode ser usado com arame liso ou farpado.
14 Ao utilizar o Mourão de Aço Gerdau, não é necessário fazer marcações, pois eles já vêm furados. 24 Para definir a utilização dos mourões e o correto espaçamento entre eles, consulte o item Sugestões (págs. 8 e 9). Depois, leve os mourões de aço até o local da cerca. (Na foto, o cerqueiro carrega um feixe com 12 peças.)

Batedor

34 Os mourões de aço devem ser perfeitamente alinhados entre si (altura, cabeça e pé). Utilize como referência o mourão de canto.

44 O Mourão de Aço Gerdau deve ser aplicado por meio de um batedor. Encaixe o batedor no mourão, preservando o alinhamento.

54 O batedor é um tubo de aço com 80cm de comprimento, de parede grossa (mínimo de 6mm), com 2.1/2” de diâmetro interno e uma tampa soldada (mínimo de 10mm) em uma das pontas.

64 Não é necessário cavar buracos. Apenas mantenha o mourão no alinhamento desejado e comece a bater.

74 Em caso de cascalho ou terra dura, avance ou recue o local da aplicação do mourão, sempre mantendo o alinhamento da cerca. Observe que o mourão é cravado até a altura desejada e alinhado com o canto da cerca.

84 Rapidamente, os mourões já estão cravados e prontos para receber os arames.

Mourão de Aço Galvanizado Maior resistência à corrosão atmosférica.

Mourão de Aço Cru

Resiste ao impacto dos animais e à ação do tempo, por ser fabricado em aço especial, Gerdau COR*. Representa um avanço tecnológico na propriedade, pois é padronizado, uniforme e ecologicamente correto. Substitui com vantagens os mourões intermediários de madeira.
g

g

Já vem furado Fácil de transportar

g

g

Elimina a necessidade de cavar buracos no chão Não pega fogo nem atrai cupins

g

g

Reduz em até 90% o tempo de montagem da cerca. Reduz o risco de perda de animais, pois faz a função de aterramento dos raios.

cOMO cOnStrUIr

23

cOMO cOnStrUIr
SUGEStõES dE AcOrdO cOM O tErrEnO

Algumas situações de relevo e obstáculos naturais precisam de técnicas e materiais específicos para a construção da cerca, diferentes das apresentadas até aqui. Inclinações acentuadas, barrancos, rios e depressões são alguns exemplos destas situações especiais. Apresentamos a seguir algumas sugestões para estes casos. Acreditamos que utilizando estas sugestões e criatividade é possível vencer estes e outros obstáculos.

3m

Inclinação acentuada:
Em terrenos de inclinação acentuada, use sempre mourões de aço e rolos de arame mais leves. Isso facilitará o transporte para a montagem da cerca.

Barrancos:
Nos terrenos onde existam barrancos, com riscos de desabamento, a colocação da cerca deve ser feita com no mínimo 3m, de distância, evitando-se uma aproximação excessiva da beirada. A estirada próxima ao barranco deve ser construída separadamente das demais cercas, pois, em caso de desabamento, não comprometerá as demais cercas e facilitará o reparo do trecho.
EStIcAdOr MOUrõES IntErMEdIárIOS EStIcAdOr EStIcAdOr

MOrtO (pEdrA OU MAdEIrA)

Rios:
Devido à elevada umidade, sugerimos utilizar produtos que possuam camada pesada de galvanização e ou fios grossos, como Arame Ovalado Pantaneiro, Mourão de Aço Galvanizado, Arame Farpado Touro e Farpado Elefante.

Depressões:
Em áreas que apresentam depressões acentuadas, é necessário fixar um mourão esticador (bitola mínima de 18cm e altura mínima de 2,5m) no ponto mais baixo da depressão e nos pontos iniciais da depressão. Esse mourão deve ser ancorado com a ajuda de arame (Ovalado Gerdau ou Galvanizado BWG 8) e um morto de madeira (mínimo 20cm de bitola e 1m de comprimento). Essa âncoragem deve impedir que o mourão esticador seja arrancado do solo após o esticamento dos arames (farpados e ovalados).

cOMO cOnStrUIr

25

cOMO cOnStrUIr
ArAME OvALAdO

Nesta etapa apresentaremos sugestões sobre a colocação adequada dos arames. Iniciaremos a colocação com o arame ovalado, que possui alta resistência e conseqüentemente permite suportar o impacto dos animais. De fácil manuseio, é utilizado preferencialmente em regiões planas, permitindo um distanciamento maior entre os mourões intermediários e, com isso, uma maior economia. A eficiência da cerca é o conjunto de uma correta construção dos cantos esticadores, do alinhamento e da fixação dos mourões intermediários e da colocação dos arames.

14 Transporte os rolos de arame ovalado até a cerca e os coloque atrás do mourão mestre/esticador.

24 Corte as amarras do rolo para soltar o arame. Utilize ferramenta adequada (ver capítulo Ferramentas), para não ferir o arame. Não jogue as amarras (arames ou fitas) no pasto, pois elas podem ferir pessoas e/ou animais.

34 O Arame Ovalado Gerdau possui identificação na ponta para auxiliá-lo durante a abertura do rolo e no esticamento do arame.

44 Inicie a passagem do arame pelos mourões intermediários, a partir do primeiro furo.

54 Passe o arame por todos os mourões intermediários. Cuidado para não passar o arame em furos alternados, pois isso prejudicará a execução da cerca e irá demandar mais tempo (retrabalho).

64 Após a passagem de todos os arames pelos mourões intermediários, vamos iniciar o arremate no canto esticador (mourão mestre).

cOMO cOnStrUIr 26

ArAME OvALAdO

74Observe o fluxo para a passagem do arame nas figuras acima. Essa passagem do arame no mourão mestre é fundamental para que, após o arremate, o arame fique bem “amarrado” e permita ser bem esticado na outra ponta da estirada.

ArcO
84 Atenção: o arame do laço deve ficar posicionado entre o fio da cerca e a ponta que fará o arremate. 94 Antes de fazer o arremate, puxe a ponta do arame com a torquês para que ele fique bem apertado no mourão mestre. 104 Com a ponta do arame, faça um arco que irá auxiliá-lo no arremate. Comece a fazer o arremate. Faça a primeira volta a 2cm do mourão mestre. Faça o arremate com no mínimo 8 voltas.

114Após arrematar todos os fios no mourão mestre, dirija-se até o outro canto da cerca para iniciar o esticamento do arame ovalado.

124Para esticar os arames, utilize uma ferramenta adequada (ver capítulo Ferramentas). Utilizar tratores, forquilha de árvore ou outras ferramentas adaptadas é perigoso, e o arame pode não ficar esticado de forma eficaz.

134 A máquina de esticar arames deve estar ancorada no mourão mestre e deve prender o arame para realizar seu esticamento. Comece a esticar o arame com o auxílio da máquina. Inicie essa operação pelo fio mais baixo.

A Gerdau pesquisou e desenvolveu, junto aos cerqueiros, o Arame Ovalado Gerdau, que atualmente é sucesso de vendas em todo o Brasil. E sabe por quê? Porque, para começar, o rolo não fica “nervoso” na hora de abrir a embalagem. O arame é resistente ao impacto dos animais e sua maleabilidade facilita o trabalho. Quer dizer, você vai economizar muito com as cercas de sua propriedade e de forma segura.
g

Resistente e fácil de trabalhar.

cOMO cOnStrUIr

27

ArAME OvALAdO

144 Estique o arame até perceber que ele está bem tensionado. A tração do arame não deve chegar ao limite da sua carga de ruptura. Consulte a etiqueta dos produtos. Faça essa operação com cautela, evitando acidentes.

154 Do exato ponto em que a máquina prende o arame até o outro extremo da cerca, o arame ovalado está tensionado. Com a ponta solta do arame ovalado, inicie a amarração e arremate no mourão mestre (repetir passos de 6 ao 11). Solte a máquina de esticar do arame. Nesse momento o arame deverá permanecer estirado, distribuindo toda a tensão ao longo da estirada. Repita toda a operação (passo 11 ao 15), do fio mais baixo até o fio superior.

174 Após esticar todos os fios, a cerca está firme e pronta para receber os balancins.

164 Se os mourões intermediários utilizados nessa construção forem Mourão de Aço Gerdau, arremate a cabeça do mourão no arame ovalado para elevar a resistência de todo o sistema. Use o arame galvanizado BWG12.

cOMO cOnStrUIr

29

cOMO cOnStrUIr

ArAME fArpAdO

As sugestões a seguir são para a colocação de arame farpado. O arame farpado se destina a aplicações rurais e urbanas e é comercializado em três categorias, de acordo com o diâmetro dos fios: grossos, médios e finos. A escolha do arame deve ser feita de acordo com a resistência e a durabilidade exigidas na aplicação. Nas aplicações rurais, são normalmente utilizados para animais irrequietos, de grande ou pequeno porte, que necessitam de uma maior proteção para mantê-los na área de pastagem. Na questão construtiva, apresentam um bom desempenho em regiões montanhosas, terrenos acidentados, irregulares e de difícil acesso, pois possuem flexibilidade de instalação, acompanhando o relevo em que estão sendo aplicados.

14 Transporte os rolos de arame farpado até a cerca e coloque-os atrás do mourão mestre/esticador.

24 Os Arames Farpados Gerdau possuem identificação na ponta para auxiliá-lo durante a abertura do rolo e esticamento do arame. Corte as amarras do rolo para soltar o arame. Não jogue as amarras (arames ou fitas) no pasto, pois elas podem ferir pessoas e/ou animais.

34Amarre a ponta do arame farpado no mourão mestre, apenas para que seja possível desenrolar o arame farpado ao longo da estirada.

cOMO cOnStrUIr 30

ArAME fArpAdO

44No final da estirada, amarre o arame farpado com duas voltas no mourão esticador (mestre) e arremate com, no mínimo, 5 voltas no próprio arame farpado. Utilize uma chave de aramar para fazer os arremates.

54 Utilize grampos para fixar o arame no mourão mestre antes de esticá-lo. (veja esquema na pág. 31)

64 Observe que o grampo é posicionado com leve inclinação na transversal, de cima para baixo. Ao bater com o martelo, deve-se deixar um espaço entre o arame e o grampo para que não amasse ou corte o arame na fixação (veja esquema na pág. 31).

74Após arrematar todos os fios no mourão mestre, dirija-se até o outro canto da cerca para iniciar o esticamento do arame farpado.

84Para esticar os arames, utilize uma ferramenta adequada (ver capítulo Ferramentas). Utilizar tratores, forquilha de árvore ou outras ferramentas adaptad as é perigoso, e o arame pode não ficar esticado de forma eficaz.

94 A máquina de esticar arames deve estar ancorada no mourão mestre e deve prender o arame para realizar seu esticamento. Comece a esticar o arame com o auxílio da máquina. Inicie essa operação pelo fio mais alto.

fOrtE E rESIStEntE dO JEItO qUE vOcÊ prEcISA Fios grossos: Maior resistência a impactos Maior durabilidade ao tempo
g g

g

g

Maleabilidade: Fácil de desenrolar e esticar
g

g

Praticidade: Ponta identificada Alça para transporte 100% de aproveitamento

Torção contínua: Cordoalhas firmes
g

Farpas entrelaçadas: Espaçamento uniforme
g

cOMO cOnStrUIr

31

ArAME fArpAdO

104 Estique o arame até perceber que ele está bem tensionado. A tração do arame não deve chegar ao limite da sua carga de ruptura. Consulte a etiqueta dos produtos. Faça essa operação com cautela, evitando acidentes.

114 Do exato ponto em que a máquina prende o arame até o outro extremo da cerca, o arame farpado está tensionado. Com a ponta solta do arame farpado, inicie a amarração e arremate no mourão mestre (repetir passos de 4 ao 6).

124 Solte a máquina de esticar do arame. Nesse momento o arame deverá permanecer estirado, distribuindo toda a tensão ao longo da estirada. Repita toda a operação (passo 9 ao 11), do fio mais alto até o fio inferior. Agora é preciso fixar o arame nos mourões intermediários.

134 Se a sua opção for por mourão intermediário de madeira, fixe os arames com grampos, da mesma forma como no esquema abaixo.

144 Se os mourões intermediários utilizados nessa construção forem Mourão de Aço Gerdau arremate todos os fios com arame galvanizado BWG 14.

154 Após esticar todos os fios, a cerca está firme e pronta para receber os balancins.

cOLOcAçãO dO GrAMpO

14 Coloque o grampo de cima para baixo.

24 O grampo deve estar em diagonal, para evitar rachaduras.

34 O arame deve correr livre pelo grampo, evitando rompimento ao ser esticado por um animal.

cOMO cOnStrUIr

33

cOMO cOnStrUIr
BALAncIM
Esta é a última etapa para a construção da cerca. Após construir os cantos esticadores, alinhar e fixar os mourões intermediários e esticar os arames, é o momento de instalar o balancim. O Cercafix Gerdau, conhecido como balancim, trama ou pique, é utilizado para distribuir, para todos os fios, a tensão/esforço que o animal faz na cerca. Após sua correta instalação, a cerca “vira uma tela”, com todo o sistema amarrado e funcionando em conjunto para a contenção dos animais. Outra vantagem é que sua aplicação possibilita aumentar o espaçamento entre os mourões intermediários, reduzindo o custo total da cerca. Além do seu custo unitário ser inferior ao custo dos mourões intermediários. Consulte as distâncias de espaçamento para aplicação no capítulo Sugestões (veja págs. 8 e 9).

ApLIcAçãO EM ArAME OvALAdO E/OU fArpAdO

14 O Cercafix é instalado de cima para baixo. Atenção: inicie a instalação sempre a partir do segundo fio, encaixando a ponta inferior do Cercafix no arame e passando-o por todos os fios da cerca.

24 Ajuste a ponta superior do Cercafix no primeiro fio, conforme demonstrado na foto.

34 Inicie a amarração do Cercafix arrematando o primeiro fio.

44 Ajuste o Cercafix no prumo.

54 Arremate a parte inferior do Cercafix abrindo suas pontas. Deixe uma volta do Cercafix no último fio da cerca (veja detalhe na foto) e arremate as pontas, uma para cada lado.

64 Para o correto funcionamento, amarre o Cercafix em todos os fios da cerca, utilizando atilhos de arame galvanizado BWG14 fornecidos com o feixe do Cercafix (Veja como amarrá-los nas ilustrações a seguir.)

cOMO cOnStrUIr 34

cErcAfIX
ApLIcAçãO dE AtILhO

74 Insira o atilho entre os fios do Cercafix.

84 Posicione o atilho aproximadamente no meio.

94 Faça uma volta com o atilho no fio da cerca, utilizando torcel ou chave de aramar.

104 Finalize o arremate. Repita a operação para todos os fios da cerca.

114 O Cercafix está corretamente instalado, auxiliando para que todo o sistema resista ao impacto dos animais, distribuindo a tensão por todos os fios da cerca.

Substitui com segurança e economia os balancins de madeira, possibilitando menor tempo de montagem. Facilidade no transporte e na armazenagem. Pode ser usado em fios de arame ovalado ou farpado. Com seu uso, é possível aumentar o espaçamento entre os mourões intermediários, reduzindo o custo total da cerca.

cOMO cALcULAr

35

cOMO cALcULAr SUA cErcA
pArA 1.000m dE ArAME LISO
Distância entre mourões: 6m 1.000 1.000 6 = 167 unidades de mourão 2 = 500 Distância entre balancins: 2m 500 - 167 = 333 unidades de balancins Quantidade de fios na cerca: 5 1.000 x 5 = 5.000m = 5 rolos de arame de 1.000m Arame Galvanizado para amarração:
Utilização no mourões intermediários de aço:

pArA 1.000m dE ArAME fArpAdO
Utilizando Arame farpado Gerdau Elefante 400m Distância entre mourões: 3m 1.000 1.000 3 = 334 unidades de mourão 1,5 = 667 Distância entre balancins: 1,5m 667 - 334 = 333 unidades de balancins Quantidade de fios na cerca: 5 1.000 x 5 = 5.000 m = 13 rolos de arame de 400m Grampos:
para mourões intermediários de madeira: para mourões intermediários de aço: 1kg (serão utilizados nos mourões esticadores de madeira)

10kg

BWG 12: 3kg (para arrematar a cabeça do mourão de aço)
Utilização no balancim:

BWG 14: 5kg (para arrematar o balancim em todos os fios da cerca)
Utilização no Canto Duplo (Rédea):

oBservaÇão4 Cada saco de 1kg de grampos 1X9 contém aproximadamente 194 unidades.

BWG 8 : 5kg (para fazer os rabichos)

CANTOS
Diâmetro Comprimento

Simples: Duplo

1 mourão 1 ou 2 travesseiros 2 mourões 2 travesseiros 1 trava 1 morto 3 mourões 2 travesseiros 2 travas 2 mortos

18 a 22cm 10 a 12cm 18 a 22cm 10 a 12cm 08 a 12cm 20 a 25cm 18 a 22cm 10 a 12cm 08 a 12cm 20 a 25cm

2,50m 0,80m 2,50m 0,80m 1,50m 1,00m 2,50m 0,80m 1,50m 1,00m

Duplo em ângulo:

fErrAMEntAS

37

cOMO cOnStrUIr

fErrAMEntAS
Neste capítulo apresentamos as ferramentas utilizadas na construção de cercas. é importante observar que, para cada tipo de construção, devemos utilizar ferramentas adequadas com o objetivo de realizarmos um trabalho seguro e com os resultados esperados. Não devemos utilizar ferramentas fora da real necessidade da aplicação. Separamos as ferramentas com base nas etapas da construção:

tErrA

Cavadeira

Cavadeira simples

Enxada

Labanca

Socador

fErrAMEntAS

38

fErrAMEntAS
MOUrõES dE cAntO OU IntErMEdIárIO

Motoserra

Machado

Machadinha

Formão

Serrote

Metro

Trena

Arco de pua

Furadeira elétrica

Furadeira para motoserra

Batedor para Mourão de Aço

fErrAMEntAS

39

fErrAMEntAS
ArAMES, GrAMpOS E BALAncInS

Alicate fazendeiro

Torquês

Alicate de corte

Martelo

Chave de aramar

Esticador Catraca

Esticador Bob

Máquina de esticar

Alicate Gripple

cOMO cOnStrUIr

41

cOMO cOnStrUIr
SIStEMA cErcA ELétrIcA
A cerca elétrica é uma solução eficaz e econômica para realizar subdivisões de pasto e para aplicar o sistema de pastejo rotacionado, podendo ser utilizada para diversas categorias de animais. A cerca elétrica é um conceito totalmente oposto ao conceito de cerca convencional. Trata-se de um sistema de contenção animal com uma barreira psicológica ou mental: o animal não atravessa por ter gravado na memória a lembrança de uma sensação desconfortável. Antes de montar o sistema de cerca elétrica, é importante fazer um estudo prévio do que se espera realmente do sistema, consultando um especialista em manejo de pastagem. é importante que todo o material empregado seja de qualidade, pois a falha de qualquer componente pode comprometer todo o sistema. O Arame Cerca Elétrica Gerdau proporciona uma condução ideal ao longo da cerca, evita o embarrigamento do fio devido à resistência elevada, é maleável e permite fazer o arremate no próprio arame, sem que ele “corra“ ou que o arremate se desfaça após o esticamento do fio.

14 Faça cantos simples (veja págs. 11 e 12) com mourões de 18 a 24cm de bitola e no mínimo 2,5m de altura. Os travesseiros devem ter de 10 a 14cm de bitola e 70 a 80cm de comprimento. O primeiro fio deve ser instalado a 5cm da cabeça do mourão de canto.

cOMO cOnStrUIr 42

cErcA ELétrIcA
cOLOcAçãO dOS MOUrõES IntErMEdIárIOS (LAScAS/EStAcAS) E ISOLAdOrES

34 Para dar maior resistência à cerca, instale um mourão de aço com altura de 1,70m a cada três mourões intermediários, ou seja, a cada 60m.

2 4 No sistema de cerca elétrica, podem ser utilizados diversos tipos de mourões intermediários, como vergalhões, mourões de aço e madeiras de modo geral. Conseqüentemente, para cada tipo de mourão intermediário deve ser utilizado um isolador adequado. 44 Existem outros tipos de isoladores disponíveis no mercado. Para conhecêlos, entre em contato conosco.

cOLOcAçãO dOS ISOLAdOrES dE cAntO nOS MOUrõES EStIcAdOrES
5 4 Faça o Canto Simples (mestre). (Veja na págs. 11 e 12 dos passos 1 ao 17.) Com o canto pronto, comece a instalar o isolador. Amarre o canto esticador com o arame Cerca Elétrica Gerdau. (repita as estapas da págs. 25 e 26 dos passos 6 ao 11.)

cOMO cOnStrUIr

43

cErcA ELétrIcA
cOLOcAçãO dOS ISOLAdOrES dE cAntO nOS MOUrõES EStIcAdOrES

64 Corte o arame que chega ao mourão de canto com 40cm, para amarrar o isolador.

74 Passe a ponta do arame que está fixado no mourão esticador pelo furo do isolador.

84 Amarre o arame no isolador, fazendo o arremate de 10 a 20cm do mourão esticador.

94 A instalação do isolador de canto está pronta. Repita a operação no outro lado da cerca.

ARAME CERCA ELÉTRICA GERDAU
Proporciona a condução da energia ao longo de toda a sua extensão, pois possui tripla camada de galvanização, que aumenta a condutibilidade do fio por um período maior que os arames comuns. Evita o “embarrigamento” do fio da cerca e resiste aos esforços dos animais, mesmo que involuntários, devido à sua alta resistência.

cOMO cOnStrUIr 44

cErcA ELétrIcA
EStIcAMEntO dO ArAME E AtErrAMEntO

104Passe o arame nos isoladores dos mourões intermediários e arremate nos isoladores de canto.

114 Uma alternativa rápida e eficiente para esticar o arame é o sistema Gripple.

124 Para esticar os arames neste sistema, utilize o Alicate Tensionar específico.

AtErrAMEntO

144 Utilize mourões de aço galvanizado para fazer o aterramento, em substituição às barras cobreadas (veja ilustração no passo 1).

134 Repita a instalação dos isoladores de canto no segundo fio eletrificado. Após essa operação, instale um fio terra (veja ilustração passo 1), sem isoladores, para possibilitar o retorno da energia.

cOMO cOnStrUIr

45

cErcA ELétrIcA
fUncIOnAMEntO dA pOrtEIrA

154 Pode-se utilizar uma mola na porteira para facilitar o manuseio, mas poderia ser usado um fio de arame. No local da porteira o choque é interrompido.

164 Apenas a ponta do outro lado tem corrente elétrica, que passa para a porteira somente quando ela está fechada. Utilize uma “ponte” para passagem de energia quando a porteira estiver aberta. Veja que existe um cabo isolado que passa por baixo da porteira e liga os dois lados, permitindo abrir a porteira sem interromper o sistema.

174Ligue o positivo do aparelho nos fios com isoladores. Ligue o negativo nos mourões cravados no solo e no fio sem isolamento. A cerca está pronta!

ILUStrAçãO dA pASSAGEM SUBtErrânEA

5cm 40cm

60cm

70cm

cOMO cOnStrUIr

47

cOMO cOnStrUIr
cUrrAL
O curral é uma das principais instalações da propriedade rural. Esta importante estrutura permite o manejo correto e seguro dos animais, facilitando atividades como marcação, vacinação, medicação, pesagem e embarcação. Existem diversos modelos de plantas e materiais para a construção de um curral, assim como diferentes manejos com os animais. Neste capítulo, sugerimos um modelo de curral econômico e que permite o manejo racional. Na construção desse modelo, um dos principais itens utilizados é a cordoalha de aço. A cordoalha para curral é a solução mais prática e econômica para a construção de currais. Garante vida longa à estrutura, além de proporcionar confinamento seguro e sadio, evitando a proliferação de fungos. Possui alta resistência para suportar o elevado esforço dos animais. Além do tema construção e manutenção, também apresentamos sugestões para um manejo eficiente dos animais.

pLAnEJAMEntO dO cUrrAL
Na etapa de planejamento, é importante realizar um estudo prévio que identifique as reais necessidades da propriedade com relação à construção do curral. O resultado desse estudo irá direcioná-lo a escolher entre um modelo padrão ou um modelo que atenda às necessidades específicas da propriedade (customizado). Consciente de que o manejo racional traz importantes vantagens em relação ao manejo tradicional, é recomendado optar por um modelo de curral customizado.

prEpArAçãO dO tErrEnO
• A topografia deve ser levemente inclinada, para evitar o acúmulo de
água. (Recomenda-se o uso de cascalho para facilitar a drenagem.) • A preparação do piso deve levar em conta alguns aspectos, como escoamento de águas, condições do terreno (seco e úmido) e drenagem. • Evite cantos no curral para facilitar a movimentação dos animais. • É aconselhável que a distância até o pasto não seja maior que 3km. • Propriedades muito grandes exigem mais de um curral. • Posicione o curral com acesso a boas estradas, sobretudo considerando o período de chuvas. • Para calcular o tamanho do curral, use a relação de 2m2 por animal para os curraletes ou 3m2 para toda a estrutura. • A capacidade não deve superar 500 animais. Os demais animais devem aguardar nas áreas de remanga. • A capacidade deve estar ajustada à disponibilidade de mão-de-obra para um dia de trabalho.

cOMO cOnStrUIr 48

pArtES dO cUrrAL
cUrrALEtES OU MAnGAS
Local onde o lote de animais aguarda pelo início ou término dos trabalhos.

cOrrEdOrES dE AcESSO
Aconselhável usar em currais maiores ou com maior número de curraletes. Os corredores facilitam o acesso dos animais à seringa, sem a necessidade de passar por dentro de outros curraletes.

SErInGA
Deve ser circular ou com apenas um dos lados reto. Deve ser fechada com réguas de madeira de cima até embaixo, pois durante o manejo os animais procuram por luminosidade para sair. Assim, estando todas as paredes fechadas, ao abrir a porteira, o animal se movimenta para o tronco coletivo com maior facilidade.

trOncO cOLEtIvO
Com paredes fechadas, normalmente é construído em linha reta, porém pode ser curvo ou em ziguezague, para evitar que os animais vejam o que está acontecendo à sua frente, buscando uma possível saída. Lâmpadas sobre o tronco coletivo facilitam a movimentação dos animais. Usa-se uma passarela lateral para o trabalho dos peões. A largura deve ser ajustada de acordo com a criação. Em geral adotam-se 70cm de largura.

trOncO dE cOntEnçãO/BrEtE
Nos conceitos modernos, é utilizado para todas as situações de manejo no curral, até mesmo para a vacinação e a desverminação. Atualmente é comum o uso de balanças nesse sistema.

cOMO cOnStrUIr

49

pArtES dO cUrrAL
ApArtAdOUrO
Com paredes fechadas, não deve possibilitar a movimentação do animal dentro da estrutura. Sua função é direcionar o animal para o curralete desejado. O formato com três porteiras é uma solução simples e bastante eficiente.

EMBArcAdOUrO
As paredes devem ser fechadas por réguas de madeira. A rampa deve ser levemente inclinada, com um lance reto no final para receber os animais no mesmo nível do caminhão. Em alguns casos, pode ser utilizado um sistema para regulagem da altura para cada caminhão, porém a altura padrão é de 1,40m até a carroceria.

árEA dE SErvIçO
Deve estar livre do acesso dos animais, ou seja, não deve estar dentro de nenhum curralete. Deve ser sombreada por cobertura no sentido lesteoeste, para garantir sombra por todo o dia.

cOBErtUrA
A cobertura é uma boa opção para se melhorar a condição de trabalho dos tratadores e o conforto dos animais, protegendo-os de situações climáticas adversas.

MAnGA OU rEMAnGA
Deve haver um ou mais piquetes estratégicos, anexos ao curral, onde os animais são mantidos em espera para o trabalho ou pós-trabalho. é importante ter bebedouros e cochos, diminuindo o estresse e melhorando a experiência dos animais no curral.

cOMO cOnStrUIr 50

cOnStrUçãO dO cUrrAL
Detalhes de plantas e quantidade de materiais ver pág. 55. Uma das importantes partes na construção do Curral é a instalação dos mourões, por isso recomendamos que antes de iniciar a construção do curral, seja consultado os capítulos mourão de canto e mourão intermediário.

MOUrãO

trAvA

14 O curral deve ter 2m de altura. Os mourões devem possuir mínimo de 20cm de bitola e mínimo de 3m de altura. As travas devem possuir uma bitola mínima de 8cm e máxima de 14cm, com no máximo 2m de comprimento.

20cm
20cm
34 Os demais furos, que também devem atravessar todo o mourão, sugerimos que sejam a cada 20cm, com bitola de 3/8” ou 1⁄2”. Estes furos servirão para a passagem das cordoalhas (utilizar um mínimo de 8 fios).

24 A sugestão a seguir deve ser usada apenas para eucalipto tratado. Para outros tipos de madeiras, use cavilhas tradicionais. A primeira furação do mourão depende da bitola da trava. Ou seja, após a colocação da trava, a distância entre a parte inferior da trava até a ponta (cabeça) do mourão deve ser de 20cm. O furo deve ter bitola de 1/2”. Esse furo deve atravessar todo o mourão, pois servirá para a passagem do vergalhão com bitola mínima de 3/8”, para a instalação da trava.

44 Defina o terreno, marque as posições para instalação dos mourões, abra os buracos com no mínimo 1m de profundidade e coloque os mourões, já furados, no buraco.

54 Com atenção, ajuste a altura e o alinhamento do mourão. A altura padrão para curral é de 2m.

64 Cubra parte do buraco com terra. Não coloque capim ou galhos, pois podem comprometer a compactação.

cOMO cOnStrUIr

51

cOnStrUçãO dO cUrrAL

84 Abra uma vala bem justa na frente do mourão para receber o travesseiro. Faça esse procedimento somente nos mourões esticadores. Nesses mourões serão instalados os parafusos que receberão a esticada das cordoalhas.

74 Use o socador para compactar a terra. Repita a operação em camadas. Esta etapa é importante para o mourão não se deslocar. Se preferir, utilize concreto para fixação de todos os mourões. Utilizar 3 medidas de areia, 3 medidas de pedra e 1 medida de cimento.

94 O travesseiro é uma madeira de boa qualidade, com no mínimo 8cm de bitola e 1m de comprimento. Ele deve entrar justo entre a terra e o mourão.

104 Soque o travesseiro. Ele deve ficar 10cm abaixo do nível do solo.

114 Cubra o travesseiro com a terra que sobrou.

124 Soque bastante para compactar todo o buraco. Atenção: faça a instalação dos travesseiros somente nos mourões esticadores, pois nesses mourões serão instalados os parafusos que receberão a esticada das cordoalhas. Nos demais mourões deve ser repetida a compactação.

A Cordoalha de Aço Curral Gerdau está fazendo o maior sucesso na construção de currais. Ela é feita com sete fios de aço, com tripla camada de galvanização, encordoados entre si, garantindo a resistência e a durabilidade que você precisa. E tudo isso com muita economia, pois a facilidade de manuseio dispensa mãode-obra especializada, reduz gastos com manutenção e torna o seu trabalho mais rápido. O resultado é uma construção segura, com um excelente aspecto visual, devido a seu ótimo acabamento. Você encontra a Cordoalha de Aço Curral Gerdau em rolos de 500 e 250m.

cOMO cOnStrUIr 52

cOnStrUçãO dO cUrrAL

134 O canto está pronto. Repita o procedimento na seqüência até o final, colocando os mourões a uma distância de 2m entre eles.

144Atravesse um vergalhão com bitola 3/8” e 50cm de comprimento, que servirá para a sustentação da trava.

154 Deixe 15cm do vergalhão para cada lado do mourão, para que ele receba a trava.

164 Lembre que as travas devem possuir bitola mínima de 8cm e máxima de 14cm e 2m de comprimento. Faça um furo na trava com bitola de 1⁄2” e com 20cm de profundidade, conforme indicado. A sobra de 5cm é para ajuste quando for encaixar a trava.

174 Encaixe a trava no mourão.

184 Após colocar a trava, ajuste e alinhe os mourões. Repita os passos 6 e 7.

194 Repita a operação com todos os mourões. Dessa forma, eles estarão prontos para a passagem da cordoalha.

204 Instale os parafusos nos mourões mestres/canto. O espaçamento entre as cordoalhas deve ser, no máximo, de 20cm.

214 Passe a ponta da cordoalha pelo parafuso, deixando um comprimento mínimo de 25cm para a amarração.

224 Instale a presilha e faça arremate com arame galvanizado BWG 18 em uma das extremidades do curral.

234Procure instalar um parafuso ao final de cada lance. O sistema ficará mais seguro e cada estirada será independente da outra. Caso alguma cordoalha seja fragilizada ou arrebentada, as demais permanecerão esticadas.

cOMO cOnStrUIr

53

cOnStrUçãO dO cUrrAL

244 Observe que foi feita uma cavilha, para que a porca fique embutida no mourão.

254 Corte a ponta que sobrou do parafuso. Ele deve ficar 100% embutido no mourão, evitando acidente com os animais.

264Após esticar a cordoalha (manualmente), instale a presilha e faça arremate com arame galvanizado BWG 18 na outra extremidade do curral. Pode ser usada alça pré-formada.

274 Estique todas as cordoalhas conjuntamente (pouco a pouco e uniforme). Agora com o auxílio de uma chave.

284 O curral está pronto!

SUGEStãO
Existe uma nova opção para deixar as cordoalhas sempre esticadas:

14 Coloque o estirante no buraco do mourão.

24 Aperte as porcas para esticar o estirante.

34 Pronto! Todos os estirantes estão instalados e garantindo uma cordoalha sempre firme.

cOMO cOnStrUIr 54

cUrrAL MAnUtEnçãO
Após cada manejo limpe o tronco coletivo. A cada trinta dias verifique a tensão das cordoalhas, aperte os parafusos das porteiras e lubrifique as dobradiças.

MAnEJO rAcIOnAL dO cUrrAL
Este sistema, quando aplicado, oferece algumas vantagens: • Mantém o ganho de peso. • Melhor desempenho reprodutivo. • Maior resistência a doenças. • Melhor qualidade da carne. • Maior produtividade no dia de trabalho.

dIcAS dE MAnEJO
• Movimente-se com calma e evite movimentos bruscos. • Reduza o barulho. Não grite, assovie ou use objetos barulhentos. • Elimine o uso de varas, ferrões ou choque. • Não deixe nenhum animal isolado. • Movimente pequenos lotes dentro do curral. • Use as remangas para repousar os animais. • Não utilize cães para o manejo. • A primeira experiência do animal no curral deve ser a mais tranqüila. • Acostume o gado a andar tranqüilamente pelo curral. • Elimine distrações próximas ao curral, como carros, tratores ou equipamentos. • Observe que os bezerros devem ser trabalhados separadamente das vacas, para evitar pisoteio, hematomas e fraturas. • Para separar os animais por categoria (macho/fêmea e vaca/bezerro), é possível utilizar a porteira de saída do curral, soltando o lote em maior número. O fato de sair para a manga lembra aos bovinos o retorno ao pasto, o que agiliza o trabalho. Nunca utilize a porteira como obstáculo, e sim o cavalo, que é respeitado pelo bovino e não o machuca. • Faça alguns piquetes de apoio ao redor do curral, para facilitar o manejo dos animais.

cOMO cOnStrUIr

55

cUrrAL SInUELO
é um animal que apresenta um comportamento de liderança no rebanho podendo ser usado como lider do grupo. Normalmente usa-se uma vaca leiteira (madrinha) do rebanho. Esse animal, dentro do curral, alivia o estresse do lote e facilita a movimentação interna e externa.

pLAntA dO cUrrAL

Cordoalha de 6,4mm (m) Parafuso esticador Prego Ardox 19x36 Catraca para cordoalha Mourão 3,50m ( diâmetro 20cm) Mourão 2,50m ( diâmetro 10cm) Mourão 4,00m embarcador ( diâmetro 20cm) Mourão 5,00m cobertura ( diâmetro 20cm) Travamento/Corrimão 0,06 x 0,12 x 2,50 Réguas de 0,04 x 0,15 x 3,00m Réguas de 0,04 x 0,15 x 4,00m Réguas de 0,04 x 0,15 x 5,00m Tinta cinza claro (tambor 200l) Porteira-padrão 2,50m Porteira-padrão 2m Portão de Correr (coletivo/embarcador) Porteira da seringa Portão do apartador

1250 100 40 kg 100 140 15 8 10 60 245 100 35 2 12 6 3 2 3

cOMO cOnStrUIr

57

cOMO cOnStrUIr
ALAMBrAdOS
Os Alambrados Gerdau preservam o visual e conferem mais leveza à área a ser delimitada, sem dispensar a segurança e a durabilidade. Versáteis, são ideais para aplicação em residências, sede de fazendas, condomínios, rodovias, indústrias, shopping centers, escolas e estacionamentos.

SUGEStõES dE InStALAçãO

Use uma catraca semelhante a esta para puxar o alinhador.

O alinhador é uma peça galvanizada feita em chapa dobrada nº 13, com aberturas em forma de dentes para encaixar o arame transversal do alambrado. Preso a 3 hastes de ferro chato de 7/8” e 1/8”, com formato triangular, possui uma argola em um dos vértices para fixação do gancho da catraca.

14Abra buracos com 55cm de profundidade. Coloque os mourões a uma profundidade de 50cm em cada buraco, acertando a altura correta antes de iniciar a concretagem.

24Aprume os mourões com o auxílio de um “nível de bolha” durante a concretagem da vala. A distância entre um mourão e outro deve ser de 2,5m, em média.

34Fixe a tela no primeiro mourão esticador com arame galvanizado BWG 14. Coloque um conjunto esticador a cada 25m aproximadamente.

cOMO cOnStrUIr 58

ALAMBrAdOS

44Estenda a tela e proceda a seu alinhamento. Para isso, prenda a catraca no mourão esticador e posicione o alinhador corretamente por toda a altura do alambrado.

54Garanta que o fio vertical da tela encoste uniformemente por todo o alinhador.

64Acione a catraca pausadamente, puxando o alinhador até que a tela fique perfeitamente posicionada.

OS ALAMBrAdOS GErdAU EStãO dISpOnívEIS nAS SEGUIntES dIMEnSõES:
Diâmetro dos fios (mm) Dimensões do Alambrado Altura (m) 1,0 1,2 1,5 1,8 2,0 1,5 1,8 2,0 1,5 2,0
84Para emendar o alambrado, sobreponha pelo menos uma malha, fazendo uma costura com as próprias franjas, se possível atrás de um mourão.

Comprimento (m)

2,5

74Mantendo a tela alinhada, fixe-a nos mourões, fazendo amarras a cada 50cm com arame galvanizado BWG14. Repita o processo para cada novo rolo de tela.

2,7

25,0

3,0

3,4

2,0

cOMO cALcULAr
pArA 100m
Distância entre mourões: 2,5m 100 : 2,5 = 40 unid. de mourão Escoras do mourão: 100 : 25 = 5 escoras x 2 = 10 escoras Quantidade de telas: 100 : 25 = 4 rolos de tela de alambrado Arame Galvanizado para amarração: BWG14: 2kg
Atenção: Estudar modelo de fixação dos postes (chumbado, concretado e mureta) para fazer o levantamento dos materiais e quantidades a serem utilizados

FICHA CADASTRAL
Dados Pessoais *Nome Completo:

Também disponível on-line - www.amigosdocampo.com.br
*Campos Obrigatórios (para que o cadastramento no programa aconteça é imprescindível que os campos assinalados sejam preenchidos corretamente.)

TODOS OS DADOS DEVEM SER PREENCHIDOS COM LETRA DE FÔRMA.

__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|
*CPF: *Data de nascimento: *Sexo:

__|__|__|__|__|__|__|__|__|-__|__| __|__/__|__/__|__| ( ) feminino ( ) masculino *nº: *Endereço Residencial: __|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__| __|__|__|__|__|__|
*Complemento: Cx. Postal: *DDD: Tel: Dados Profissionais *Nome da Propriedade: *Bairro: *CEP: DDD: Cel: e-mail: *Cidade: *UF:

__|__|__|__|__|__|__| __|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__| __|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__| __|__| __|__|__|__|__|__|__| __|__|__|__|__|-__|__|__| __|__|__|__|__|__|__|__|__|__|___|__|__|__|__|__|__|__|__|__| __|__| __|__|__|__|__|__|__|__| __|__| __|__|__|__|__|__|__|__| __|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|
Nome da Propriedade 2:

__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|
( ) Assinale aqui se o endereço da propriedade principal for igual ao endereço residencial *Endereço da Propriedade Principal: *nº:

__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|
*Complemento: Cx. Postal: *DDD: Tel: *Bairro: *CEP: DDD: Tel2: e-mail: *Cidade:

__|__|__|__|__|__|
*UF:

__|__|__|__|__|__|__| __|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__| __|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__|__| __|__| __|__|__|__|__|__|__| __|__|__|__|__|-__|__|__| __|__|__|__|__|__|__|__|__|__|___|__|__|__|__|__|__|__|__|__| __|__| __|__|__|__|__|__|__|__| __|__| __|__|__|__|__|__|__|__| Tamanho da Propriedade: __|__|__|__|__|__| ( ) hectare - 10.000 m2
Ramo de atividade: ( ) Pecuária ( ) gado de corte ( ) gado de leite ( ) Caprinos ( ) Ovinos ( ) Aves ( ) outros _____________________ Nº de cabeças _________________ ( ) Piscicultura

( ) alqueire - 24.200 m2 ( ) alqueirão - 48.400 m2

( ) Agricultura ( ) Fruticultura ( ) soja ( ) uva ( ) milho ( ) maracujá ( ) cana ( ) kiwi ( ) algodão ( ) maçã ( ) arroz ( ) outros _____________ ( ) outros _____________________ Área cultivada _________ Área cultivada _________________ ( ) Outros _____________________________________________

*Qual a sua atividade atual? ( ) Pecuarista ( ) Agricultor ( ) Administrador / Gerente ( ) Veterinário ( ) Agrônomo ( ) Técnico Rural ( ) Professor ( ) Estudante ( ) Outro *Autorizo o recebimento de informações sobre os produtos Gerdau: ( ) Sim ( ) Não *Em qual endereço você prefere receber correspondência? ( ) Propriedade ( ) Residencia

dobre aqui e cole

cLUBE AMIGOS

63

AGrAdEcIMEntOS
MAnUAL prátIcO pArA MOntAGEM dE cErcAS

A Gerdau e o Clube Amigos do Campo agradecem a colaboração e a parceria de todos cerqueiros, profissionais e empresas que forneceram informações essenciais para a elaboração desse manual. Esperamos que este material apoie todos os Amigos do Campo na execução de suas tarefas. Mais uma vez agradecemos o empenho de todos. Um grande abraço.

Um canal de comunicação e negócios entre a Gerdau e o homem do campo. Visite o site e entre para o Clube.

www.amigosdocampo.com.br

www.gerdau.com

Vendas
crc sp tel. (11) 3874 4222 fax (11) 3874 4384
e-mail: crc-sp@gerdau.com.br

crc rj tel. (21) 2414 6300 fax (21) 2414 6910
e-mail: crc-rj@gerdau.com.br

crc mg tel. (31) 3399 8088 fax (31) 3399 8030
e-mail: crc-mg@gerdau.com.br

crc nne tel. (81) 3452 7755 fax (81) 3452 7635
e-mail: crc-nne@gerdau.com.br

crc co tel. (62) 4005 6000 fax (62) 4005 6001
e-mail: crc-co@gerdau.com.br

crc sul tel. (51) 3323 2855 fax (51) 3323 5288
e-mail: crc-sul@gerdau.com.br
04/07

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful