Você está na página 1de 6

ESCOLA SÃO DOMINGOS

BATERIA DE EXERCÍCIOS – 1º TRIMESTRE

HISTÓRIA – 7º ANO

1. O feudalismo, que marcou a Europa Ocidental durante a Idade Média, resultou duas heranças distintas, a
romana e a germânica.

Comente cada uma delas.

2. O feudo era a principal unidade de produção da Idade Média.

a) Como se dividia o feudo?


b) Explique a função de cada uma das partes do feudo.

3.Em relação à formação dos reinos bárbaros:

a) Explique os motivos que permitiram as invasões bárbaras no Império Romano do Ocidente.


b) Mencione três povos bárbaros que invadiram o Império Romano do Ocidente.

4. Quais os principais fatores determinantes da decadência do Império Romano do Ocidente?

5. Cite três obrigações estabelecidas por Maomé aos muçulmanos.

6. Leia atentamente o texto.

"Servidão: uma obrigação imposta ao produtor pela força e independentemente de sua


vontade para satisfazer certas exigências econômicas de um senhor, quer tais exigências
tomem a forma de serviços a prestar ou de taxas a pagar em dinheiro ou em espécie."
(Maurice Dobb - A EVOLUÇÃO DO CAPITALISMO)

a) A "corvéia" e a "talha" estavam entre as "exigências econômicas" dos senhores em relação ao servos.
Esclareça no que consistiam.
b) O que diferencia a servidão da vassalagem?

7. Um senhor feudal poderia ter quantos vassalos quisesse? Explique.

8. Nos séculos XIV e XV, a Europa viveu grande crise. Analise algumas de suas manifestações.

9. Os promotores das cruzadas e os cruzados haviam se colocado, pelo menos, três objetivos: a conquista da Terra
Santa de Jerusalém, a ajuda aos bizantinos e a união da cristandade contra os infiéis. Mas nenhum desses objetivos
havia sido alcançado plenamente. Nas palavras de um importante historiador da Idade Média, "Se os cruzados são os
grandes perdedores da expansão cristã no Século XII, os grandes ganhadores foram, em definitivo, os comerciantes
(...)".
(Jacques Le Goff, A BAIXA IDADE MÉDIA)

a) Identifique "os infiéis", contra os quais se procurava unir a cristandade.


b) Cite pelo menos um acontecimento histórico que confirme o ganho dos comerciantes.
10. O longo processo de transição do Feudalismo para o Capitalismo teve início com uma crise
econômica, social e política ocorrida na Europa, durante o século XIV.

Explique três elementos que caracterizaram essa crise.

11. Na cidade de Florença, nenhuma prevenção foi válida nem valeu a pena qualquer providência dos
homens. A praga, a despeito de tudo, começou a mostrar, quase ao principiar a primavera do ano referido
[1348], de modo horripilante e de maneira milagrosa, os seus efeitos. A cidade ficou purificada de muita
sujeira, graças a funcionários que foram admitidos para esse trabalho. A entrada nela de qualquer
enfermo foi proibida. Muitos conselhos foram divulgados para a manutenção do bom estado sanitário.
Pouco adiantaram as súplicas humildes, feitas em número muito elevado, às vezes por pessoas devotas
isoladas, às vezes por procissões de pessoas, alinhadas, e às vezes por outros modos dirigidas a Deus."
(BOCCACCIO, Giovanni. Decameron In: MOTA, Myriam B.; BRAYCK, Patrícia R. "História das cavernas ao Terceiro
Milênio". São Paulo: Moderna, 1997. p. 91.)

No trecho acima, o escritor florentino descreveu o cenário urbano na época da peste negra (1348), a
pandemia (doença epidêmica amplamente disseminada) que causou milhares de mortes por toda a Europa.
Com base no exposto,

a) estabeleça as relações entre as atividades comerciais das cidades italianas com o Oriente e a presença
da peste negra no continente europeu.
b) explique duas conseqüências sociopolíticas da peste negra na Europa no século XIV.

12. Pregada por Urbano II, a primeira cruzada... [estendeu-se de 1096 a 1099]. O sucesso dos
pregadores faz dela uma cruzada popular (aventureiros, peregrinos). É um choque militar, político, mas
também cultural e mental, pois a cruzada dilata o espaço e o tempo.
(P. Tétart, "Pequena história dos historiadores".)

O que foi escrito sobre a primeira cruzada aplica-se, de maneira geral, às demais.

a) Qual era a finalidade imediata das cruzadas?


b) Além das alterações culturais e mentais, as cruzadas provocaram modificações de ordem comercial no
continente europeu. Discorra sobre essas últimas.

13. Descreva as transformações ocorridas na agricultura, entre os séculos XI e XIII, que levaram ao
aumento da produção agrícola.

14. Quais foram as conseqüências desse aumento da produtividade?

15. Como eram chamadas as cidades medievais no final do século X? E seus habitantes?

16. Qual foi o papel das cidades a partir do século XI?

17. Quais foram as novidades financeiras que surgiram nessa época, que impulsionaram os negócios nos
centros urbanos?

18. O que foram as feiras medievais?

19. Trace o perfil dos habitantes das cidades.


20. Em que consistiam as corporações de ofício e as guildas?

21. Esquematize o sistema de Rotação Trienal praticado nos feudos medievais.

22. São causas das invasões germânicas no Império Romano, exceto:

a) a falta de terras diante do crescimento populacional.


b) o interesse pela riqueza dos romanos.
c) a Guerra Santa e o butim.
d) as pressões dos hunos.
e) a fragilidade das fronteiras do Império Roma

23. Era o imposto exigido pelos senhores feudais, pelo qual os servos deviam trabalhar alguns dias da
semana no manso senhorial:

a) Banalidades.
b) Corvéia.
c) Mão Morta.
d) Hospedagem.
e) Talha.

24. São características da economia feudal:

a) agrária, auto-suficiente e trocas In Natura.


b) Industrial e mercantilista, baseada na exploração de terras.
c) agrária e comercial, com a produção destinada às exportações para o Oriente.
d) Comercial e extrativista.
e) artesanal, com produção de manufaturas para abastecer os feudos.

25. Caracterizou as relações políticas feudais, baseadas em laços de fidelidade e obrigações mútuas, cujas
origens, encontram-se no costume germânico de fidelidade recíproca entre os chefes e seus guerreiros.
A frase acima, refere-se, respectivamente:

a) à simonia e o beneficium.
b) à talha e ao comitatus.
c) à inquisição e o ordálio.
d) à vassalagem e ao comitatus.
e) à vassalagem e ao cesaropapismo.

26. No contexto da economia européia, a mudança mais significativa que marcou o fim da Antigüidade
Clássica e o início da Idade Média foi

a) a predominância do trabalho servil.


b) o início da escravidão negra.
c) a expansão marítima.
d) o fim do paganismo.
e) a criação do imposto sobre a produção gremial.
27. O islamismo, uma religião tão comentada no século XXI, foi fundada por Maomé (570-632). De caráter
monoteísta, esta religião, também conhecida por muçulmana ou maometana, foi a base do Estado
Muçulmano de caráter teocrático criado por Maomé, que passou inicialmente a dominar a península
Arábica. Em face desse enunciado, analise as afirmações seguintes e marque V para verdadeiro e F para
falso.

a) ( ) A expansão muçulmana, principalmente após a morte de Maomé, fez com que esse Estado
dominasse vastos territórios, desde o norte da África, noroeste da China e quase toda a península
Ibérica.
b) ( ) O livro sagrado do islamismo é o Alcorão, que teria sido resultado das revelações do Deus Alá ao
Profeta Maomé. Além de ditar a conduta religiosa, este livro contém recomendações de como
manter a ordem social e os interesses dos grandes comerciantes.
c) ( ) A força do Alcorão, para alguns, deve-se à obediência a alguns princípios como: fazer cinco
orações diárias; crer em Alá, deus único, e em Maomé, seu profeta; ir em peregrinação a Meca,
pelo menos uma vez na vida; ser generoso com os pobres e dar esmolas.
d) ( ) Maomé, ao pregar o monoteísmo, foi de encontro à religião politeísta que dominava entre os
árabes. Entretanto, conseguiu organizar um exército de seguidores e, através dele, proibir o
politeísmo e assim unir as diversas tribos árabes em torno da religião.
e) ( ) A decadência do Império Islâmico é atribuída às disputas internas, que provocaram o
desmembramento do Império. No entanto, deve-se também levar em consideração a reação dos
diversos povos submetidos à dominação árabe.

GABARITO

1.
Herança romana:
a) a "vila", ou o latifúndio auto-suficiente;
b) o desenvolvimento do colonato, segundo o qual o trabalhador ficava preso à terra;
c) a Igreja Cristã, que se tornará a principal instituição medieval.

Herança germânica:
a) uma economia centrada nas trocas naturais;
b) o comitatus, instituição que estabelecia uma relação de fidelidade e reciprocidade entre os guerreiros e
seus chefes;
c) a prática do chamado benefício (beneficium), dando imunidade ao proprietário deste.

2.
a) Manso servil, senhorial, terras comuns.
b) Manso senhorial – Representava cerca de um terço da área total e nela os servos e vilões trabalhavam
alguns dias por semana. Toda produção obtida nessa parte da propriedade pertencia ao senhor feudal.
Manso servil – Área destinada ao usufruto dos servos. Parte do que era produzido ali era entregue como
pagamento ao senhor feudal.
Terras comunais – Era a parte do feudo usada em comum pelos servos e pelos senhores. Destinava-se à
pastagem do gado, à extração de madeira e à caça, direito exclusivo dos senhores.

3.
a) As invasões bárbaras no Império Romano do Ocidente tiveram como causas:
– pressões sofridas pelos povos germânicos, pelos mongóis que vinham do oriente;
– crises na administração interna de um Império muito grande;
– exército desorganizado e ineficiente.
b) Os principais povos bárbaros que invadiram as fronteiras do Império Romano foram os francos,
ostrogodos, visigodos, vândalos, saxões e hunos.

4. Foram fatores: a crise do escravismo; as invasões bárbaras; a ascensão do cristianismo e a divisão


político-administrativa.

5. Orar cinco vezes ao dia em direção à Meca, jejuar no mês do Ramadã e a jihad (Guerra Santa).
6.
a) Obrigação devida em dias de trabalho e em espécie.
b) Servidão está relacionada ao camponês que ao receber a terra do senhor feudal deveria trabalhar e do
fruto do seu trabalho uma parte iria para o senhor. Enquanto que a vassalagem ocorre entre nobres que
juram defender o suserano(senhor feudal).

7. Sim, pois a possibilidade de ter vassalos estava ligada à possibilidade de conceder benefícios, como
terras. Assim, se possuísse grandes propriedades, poderia ter muitos vassalos.

8. No século XIV a crise de retração manifestou-se através da Peste Negra, Guerra dos Cem Anos e a
Fome. Já no século XV a crise de desenvolvimento manifestou-se através da escassez de metais
preciosos, do crescimento do mercado consumidor e da falta de abastecimento de produtos e gêneros
alimentícios.

9.
a) Os "infiéis" eram os muçulmanos (árabes e turcos) que a partir do século VII, se expandiram pelo Oriente
Médio e Próximo e pela Bacia do Mediterrâneo, ocupando inclusive Jerusalém.
b) Reabertura do Mediterrâneo, Renascimento comercial e urbano.

10. A produção de alimentos sempre foi deficiente no sistema feudal, de modo que a fome era uma ameaça
constante. Entre 1315 e 1317, a situação se agravou e provocou surtos de fome em vários lugares da
Europa.
A falta de estrutura das cidades para suportar o aumento populacional associada ao problema da fome
acabou desencadeando uma série de epidemias. A pior de todas foi a chamada "peste negra".
Inúmeras guerras também contribuíram para aumentar a mortalidade e tornar a situação na Europa ainda
mais difícil. A maior delas foi, sem dúvida, a Guerra dos Cem Anos, travada entre as monarquias feudais da
Inglaterra e da França.

11.
a) A Peste Bubônica chegou à Europa através dos ratos vindos nos navios mercantes do Oriente que
aportavam em Gênova em razão de um intenso comércio entre as cidades italianas e o Oriente. A partir daí
disseminou-se como epidemia favorecida pelas precárias condições de higiene no mundo europeu.
b) As altas taxas de mortalidade verificadas no século XIV, levaram à superexploração dos servos por
parte dos senhores feudais devido à redução da oferta de mão-de-obra, o que desencadeou violentas
revoltas camponesas. Para conter as revoltas, os nobres feudais recorriam à ajuda militar dos reis, o que
contribuiu para o enfraquecimento do poder senhorial local em favor do fortalecimento do poder real no
contexto da formação das Monarquias Nacionais européias.

12.
a) Libertar a Terra Santa (Jerusalém) do domínio muçulmano.
b) As Cruzadas proporcionaram a reabertura do Mediterrâneo Ocidental ao comércio europeu,
intensificando as relações mercantis da Europa com o Oriente, sobretudo com Constantinopla, Alexandria e
Antioquia, criando-se assim, as bases para o Renascimento Comercial e Urbano da Baixa Idade Média.

13. A mudança da rotação bienal do cultivo, no qual metade do terreno ficava descansando (pousio) por um
ano enquanto a outra metade era cultivada, para o sistema trienal onde a terra era divida em três partes.
Na primeira plantava-se um tipo de cereal, na outra geralmente um tipo de leguminosa e a terceira ficava
descansando, no período seguinte fazia-se o rodízio dos tipos de cultivo, o que favoreceu o aumento de
produtividade do solo.

14. O crescimento da produção agrícola teve um impacto direto nas estruturas do feudo, tendo em vista
que esse aumento provocou em primeiro lugar um excedente de produção e também um aumento
populacional.

15. As cidades do final do século X eram chamadas de Burgos e a pessoas que vivam nos burgos na
grande maioria se dedicavam ao comércio, às atividades bancárias e ao artesanato e eram chamados de
burgueses.
16. A partir do século XI, as cidades medievais começam a ganhar um novo papel, uma vez que, com o
aumento da população várias pessoas começaram a migrar do campo para a cidade em busca de novas
oportunidades de trabalho, o que fez expandir o comércio.

17. Os bancos, cheques, letras de câmbio e seguros marítimos, o que agilizou todas as transações
comerciais.

18. As feiras medievais eram pontos de comércio temporário resultantes do renascimento comercial
europeu. Constituíam pontos de encontro de mercadores que se utilizavam de rotas terrestres e
principalmente rotas fluviais de escoamento de mercadorias, onde praticavam intenso comércio.

19. As cidades eram constituídas por:

Burgueses - que se dedicavam às atividades comerciais, donos de oficinas e comércio;


Trabalhadores, que eram a maioria da população - trabalhavam nas oficinas artesanais e no comércio;
As pessoas miseráveis que mendigavam para sobreviver;
Judeus e mulçumanos importantes comerciantes da época, mas que sofriam um grande preconceito,

20. As Corporações de Ofício foram associações que surgiram na Idade Média, a partir do século XII, para
regulamentar o processo produtivo artesanal e basicamente eram compostas de três classes: os mestres
(donos das oficinas), os jornaleiros trabalhadores assalariados, e os aprendizes.
As guildas eram associações de artesãos de um mesmo ramo, isto é, pessoas que desenvolviam a mesma
atividade profissional que procuravam garantir os interesses de classe e regulamentar a profissão.

21.
TERRA 1º.ANO 2º.ANO 3º.ANO
CAMPO I Trigo Aveia Repouso
CAMPO III Aveia Repouso Trigo
CAMPO III Repouso Trigo Aveia

22. c

23. b

24. a

25. d

26. a

27. V V V V V